VIOMUNDO

Diário da Resistência


Você escreve

Sobre o melhor de todos os tempos


09/03/2012 - 14h04

por Adilson Filho

O maior jogador de todos os tempos não necessariamente é o melhor jogador

Essa talvez seja a discussão mais interminável entre as tantas intermináveis discussões do mundo da bola. Para mim, o maior jogador de futebol é medido, além do fino da bola jogada, por títulos, conquistas heroicas, , identificação com o povo, carisma, etc. Tem muito a ver com mito.

O melhor jogador, é simplesmente o melhor jogador e pronto. O atleta é analisado exclusivamente pela bola que joga e por seus números (passes, gols, dribles fantásticos, etc.) que devem ser sempre altos no todo de sua carreira, ou seja com regularidade que impressione. Se jogou uma barbaridade durante toda a sua vida, fez cair queixos por onde passou, ganhou títulos importantes, e não ganhou uma Copa, tanto faz. O que importa é a sua genialidade dentro de campo e só.

Leandro, o lateral, foi melhor jogador que Cafu, mas o lateral pentacampeão entrará na história na galeria dos maiores. Um exemplo melhor ainda é Zico. O galinho foi melhor jogador que muitos que ganharam Copa do Mundo. Alguém em sã consciência acha que Lucio jogou mais que Mauro Galvão, Edinho ou Baresi?

A possibilidade de Cristiano Ronaldo não ganhar uma Copa em sua carreira não é remota..E corre o risco de ele jogar esse absurdo de bola que joga por mais uma década e não ter o mesmo peso histórico que Euzébio, por exemplo.

Nesse sentido, Pelé, creio eu, jamais será superado como o MAIOR jogador de todos os tempos. Assim como Maradona dificilmente será superado por Messi como o maior em seu país.

Porém, de uma coisa eu tenho certeza: Messi, na bola jogada, sem dúvida, já está, no mínimo, em pé de igualdade com Pelé, Maradona, Garrincha e Zidane. Trata-se de um gênio da bola, que já imprimiu um estilo próprio de jogar, não deve nada a ninguém, vem quebrando recorde atrás de recorde e tem tudo para ir ainda muito além, e quem sabe até superar todos os outros monstros da bola aqui citados se tornando o melhor jogador de futebol de todos os tempos.

Leia também:





81 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

José DF

14 de março de 2012 às 12h32

Condenam o Messi por ainda não ter conquistado um mundial pela Argentina. Por outro lado, exaltam os 3 títulos mundias do Pelé. Acontece que o argentino é um talento solitário na seleção de seu país.
O brasileiro, entretanto, contou com grandes jogadores ao seu lado. Gerson, Rivellino, Tostao, Carlos Alberto Torres, Jairzinho (melhor jogador da copa de 1970)…
O Messi no Barcelona joga com Xavi, Iniesta, Fabregas, Piqué…
Na seleção Argentina, o coitado joga com quem?
No jogo contra a BOSNIA o Neymar sucumbiu à marcação. Aqui ele deita e rola porque a marcação deixa jogar. Se for pra Itália ou Inglaterra, acabará a farra.
Menos, pessoal. Menos.

Responder

Eduardo Di Lascio

14 de março de 2012 às 12h26

O nível do futebol nunca foi tão alto. Quem pensa diferente é a pachecada saudosista que não entende nada. Pelé e Maradona foram superados, acostume-se ao fato.

Responder

    Rafael

    24 de março de 2012 às 12h53

    Amigo, creio que você está confundindo algumas coisas. O futebol atual tem nível técnico elevado em coisas como treinamento, preparação física, parte médica etc. Além, é claro, do físico dos jogadores. Hoje a correria em campo seria impossível para um Pita ou um Rivelino. E hoje há sim gênios, Neymar, Messi, e até pouco tempo, o Ronaldo. Mas quando falamos que o futebol de antigamente tinha nível técnico melhor, queremos dizer simplesmente que se erravam menos passes, os lançamentos de longa distância eram melhores etc. Era menos correria e mais visão de jogo. Realmente, a partir dos nos 70 já não havia tanta técnica, mas nos anos 60 ainda havia aquelas características que citei.

    Rafael

    24 de março de 2012 às 13h08

    comentário nonsense. Não quero lhe ofender, mas é nonsense mesmo.

Remindo Sauim

14 de março de 2012 às 11h34

Um dos melhores jogador de futebol que vi jogar foi o lateral Arce, jogava para o time como nunca vi ninguém jogar. Ganhou mais de um título por ano na década de 90.
Campeão paraguaio de 1991, 1992 e 1994.
Campeão gaúcho de 1995 e 1996.
Campeão brasileiro em 1996 pelo Grêmio.
Campeão da Recopa Sul-americana pelo Grêmio
Copa do Brasil pelo Grêmio em 1997 e pelo Palmeiras em 1998.
Campeão da Libertadores e pelo Grêmio em1995 e pelo Palmeiras em 1999.
Campeão da Copa Mercosul em 1998 pelo Palmeiras.
Campeão da Copa dos Campeões em 2000.
Campeão do Torneio Rio-São Paulo de 2000.
Deixou saudade no Grêmio e no Palmeiras.

Responder

mello

14 de março de 2012 às 10h28

Enlouqueceu ! " Em pé de igualdade com Pelé"…..Se fosse completo como êle, além de tudo um atleta excepcional…Fora o talento : completo em todos os fundamentos. Igual ao Pelé? No futebol, ninguém !!!

Responder

RicardãoCarioca

12 de março de 2012 às 08h32

Argentino costuma dizer que o Maradona é o melhor jogador do mundo e um dos melhores da Argentina!

Responder

Nelson

11 de março de 2012 às 23h54

Como mensurar uma obra de arte, definindo matematicamente, de forma exata, se essa ou aquela é a melhor?
Pelé, Zico, Romário, Maradona, Messi, Riquelme, Platini, Zidane e outros são autores de verdadeiras obras de arte.
Como definir qual foi a melhor, a mais bela, a mais genial?
Difícil. Muito difícil, quando sabemos que muito de subjetividade entra nas avaliações que cada um de nós fazemos. Pessoalmente, eu creio que o Pelé foi o melhor pelo fato de ter realizado tais obras de arte em uma quantidade maior que os demais. Uma dúvida paira em minha cabeça, porém: será que Pelé realizaria tantas obras assim se jogasse sob a rigidez dos esquemas táticos que veio se intensificando sobremaneira nos últimos trinta anos? Nunca saberemos. Assim como nunca saberemos se outros grandes craques não teriam feito o mesmo que Pelé caso jogassem em seu tempo.
Então, penso que o melhor a fazermos, nós que gostamos de um futebol bem jogado, é nos deleitarmos com a genialidade de todos esses craques e deixarmos de lado essas comparações. Comparações essas que acabam por tornar-se em quase que somente uma discussão do "sexo dos anjos".

P.S.: A lamentar o fato de que, pelos comentários neste blog e em outros que tratam de tema idêntico, muitos comentaristas não conseguem escapar ao nacionalismo tacanho que chega, em alguns casos, a beirar a xenofobia. Para mim, isso é injustificável.

Responder

    Adilson

    12 de março de 2012 às 18h52

    Nelson, muito boa sua análise…concordo com tudo. Apreciemos as obras de arte e sejamos felizes!

    abs.

marcosomag

11 de março de 2012 às 22h57

Messi só será um grande craque quando vencer uma Copa. No mais, o nível técnico do futebol caiu demais dos anos 70 para cá. Xaví não chega aos pés de ótimos meio-campistas brasileiros dos anos 70 que nunca tiveram chance na Seleção, como Dicá, Zanata e Aílton Lira.

Responder

    Fernando Noruega

    14 de março de 2012 às 11h13

    Com esse mesmo argumento, posso dizer que Batista (perna de pau da Argentina-86) foi craque, enquanto Júnior, Falcão, Careca, Cerezo, Ademir da Guia, Cruiff, Zico foram só jogadores bons que não provaram nada.

    Eduardo Di Lascio

    15 de março de 2012 às 21h32

    Engana-se meu caro, o nível técnico é muito mais alto do que no passado, como aliás, em qualquer esporte.

Tio Chico

11 de março de 2012 às 22h41

O pelé não assumiu a própria filha?

Responder

@sergiobio

11 de março de 2012 às 16h43

Pois é. Houve um tempo em que eu achava o mesmo do Ronaldinho Gaúcho. (Aliás, na minha opinião, o Ronaldinho no auge deixa o Messi da atualidade e até o Maradona comendo poeira).

Hoje, vejo que me enganei. Ronaldinho é considerado um craque, ou, se preferirem, um gênio, e pronto. De modo algum entre os maiores/melhores de todos os tempos. Essa discussão só vai fazer sentido daqui a uns 15 anos, quando a história do Messi já estiver escrita e seus altos e baixos (que até Pelé teve) puderem ser avaliados no conjunto da obra.

Responder

    Adilson

    13 de março de 2012 às 14h08

    Prezado Sérgio a diferença De Messi para Ronaldinho é gigantesca. RG mesmo no auge, apesar da estrondosa habilidade, já apresentava deficientes técnicas que só vieram a se aprofundar com o tempo…O caso RG é de um jogador SUPERHABILIDOSO que viveu um momento curtísismo espetacular, mas que, por não tre atributos que o fizessem se manter no topo, despencou vertiginosamente ao nivel mediocre que estamos vendo.

    RG tem dificuldade no passe vertical, não tem um bom chute de bola rolando como tem Kaká, Rivaldo ou Zico por exemplo (refiro-me ao chute do craque, com a parte de dentro do pé) Ele, Robinho e outros similares, não desenvolveram essa técnica típica dos grandes craques. É só a gente observar e veremos um festival de erros de passes e conclusões muito ruins a gol que nada tem a ver com falta de vontade ou desinteresse, mas sim competência. Esses fundamentos não foram desenvolvidos.

    Adilson

    13 de março de 2012 às 14h09

    Jogadores super habilidosos (RG talvez o maior de todos) mas com deficiências técnicas não aprimoradas durante a carreira, tem muito mais chances de se destacar apenas por um curto período de tempo; pois MAIS DO QUE QUALQUER OUTRO eles necessitam (e muito) da velocidade, da força física e da explosão – do ímpeto de partir pra cima em arrancada. Precisam jogar os 90 minutos quase que em um “estado de euforia” para poderem brilhar. Se fizerem isso, arrancarão aplausos de todas as plateias em todos os estádios. Mas quem aguentaria jogar 20 anos de futebol nesse ritmo?

    Adilson

    13 de março de 2012 às 14h10

    Ronaldinho, na temporada 03/04 assombrou o mundo, partia pra cima dos adversários, fazia gol e batia no peito gritando “ Eu sou f..” estava com a auto- estima elevada, vivendo um êxtase, e aí, ninguém segurou e não seguraria nunca! Trata-se, talvez do jogador mais habilidoso que já vimos (um super talento com diversos “coelhos na cartola”) ,mas que precisa correr, precisa estufar o peito e partir pra dentro rasgando o campo, pois não tem os fundamentos básicos na ponta dos cascos, como tinha Pelé, Zidane e Rivaldo.

    Adilson

    13 de março de 2012 às 14h15

    Concluindo, quando a poeira baixou, o estado de excitação diminuiu, e RG foi recuando, indo cada vez menos a frente, arrancando cada vez menos, a partir de então nunca mais encontrou seu espaço. E aí o que vimos foi um jogador com uma habilidade estrondosa, tentando dribles improdutivos longe do gol, engessado numa parte do campo dando toques pro lado, chuveiros sem parar na área adversária e errando muitos passes e conclusões a gol.

    Ronaldinho foi "programado " para ser uma LOCOMOTIVA e andar em alta velocidade. Parar de correr teve para ele o mesmo efeito da cachaça para Garrincha. A diferença é que Garrincha foi um gênio do futebol com uma carreira sólida e admirável de serviços prestados ao Botafogo e a Seleção Brasileira, jamais desceu ao nível pífio . Seu futebol, já no fim da carreira, foi interrompido e ele parou. RG teve seu fuetbol interrompido há mais de 7 anos e vagueia feito um Zumbi pelos gramados desse mundo.

Marat

10 de março de 2012 às 21h19

Esqueci de citar um craque estupendo que poderia ser o nome Pelé, caso não tivesse morrido jovem: Dener, que era da Portuguesa e estava emprestado ao Vasco…

Responder

    Adilson

    10 de março de 2012 às 23h46

    Muito bem lembrado, Marat..esse garoto fazia o diabo com a bola e os adversários. Aquele gol antológico que ele fez limpando meio mundo foi uma pintura!

    abraços.

Marat

10 de março de 2012 às 21h06

Acredito piamente que o melhor tenha sido o Pelé (como jogador… como comentarista ou como homem, deixa a desejar).
Messi é um dos melhores, assim como Garrincha, Tostão, Cruiff, Zico, Maradona, Romário, Ronaldinho (quando estava em forma), Éder Aleixo, Jorge Mendonça, Ailton Lyra, Bianchi, Ademir da Guia e muitos outros

Responder

anibal

10 de março de 2012 às 12h13

Adilson, voce esta pirado? Messi e um excelente jogador sem duvida, mas ja coloca-lo em pe de igualdade com os grandes vai uma grande distancia. Neymar e muitissimo melhor jogador do que Messi. Messi tem feito muitos gols agora porque tem uma equipe que trabalha exclusivamente para coloca-lo na cara do gol, mas mesmo assim se compararmos teremos: Aos 20 anos Pele ja tinha feito uns 350 gols : Neynmar tambem aos 20 ja tinha completado os seus 100 gols e o Sr. Messi so fez 100 gols aos 22 anos ( muitos agora ), portanto ele esta muito atrasado em relacao a Neymar e o que diriamos a Pele. O publico vai ao estadio assistir o Barcelona jogar e tambem vai ao estadio para ver o Neymar jogar.

Responder

Gerson Carneiro

10 de março de 2012 às 09h34

Quero ver o Neymar fazer contra o Barcelona essa palhaçada que ele fez contra o Internacional :)

Responder

    giovani montagner

    10 de março de 2012 às 11h34

    digo o mesmo.
    são zagas e equipes ruins como da maioria das equipes brasileiras que fazem a fama desse jogador menor, porém habilidoso, chamado neymar.
    ainda bem que o autor reconhece que eles esta num nível superior, juntamente com os grandes, e não o compara a pelé. para isso ocorrer, ele deve fazer tudo que faz e aprender a chutar com a perna direita e cabecear.

Douglas

10 de março de 2012 às 01h08

tem coisas mais importantes para serem discutidos do que ficar tecendo comentários sobre jogadores de futebol?

Responder

    Adilson

    10 de março de 2012 às 01h28

    ainda mais a essa hora da manhã, né?…é pode ser..rs

FrancoAtirador

10 de março de 2012 às 00h03

.
.
Estão esquecendo de alguém
que foi o melhor em seu tempo,
fez mais de 1000 gols
e foi campeão do mundo.

[youtube p_CtDbZJHpo http://www.youtube.com/watch?v=p_CtDbZJHpo youtube]

E continua fazendo gols de placa,
mesmo em "gramados sintéticos".

Um dos parlamentares mais assíduos do Congresso Nacional,
o baixinho do futebol ganha destaque na política

O craque Romário (PSB-RJ) ficou em sexto lugar entre os 25 deputados escolhidos como melhores parlamentares de 2011, pelo Prêmio Congresso em Foco. Na noite desta segunda-feira (07), o deputado recebeu a premiação que é o reconhecimento de jornalistas e da população pelo esforço que o ex-atleta e outros congressistas vêm desempenhando nos mandatos.

O portal combate a idéia de que “todos os políticos são iguais”. Valoriza o trabalho dos congressistas e escolhe os melhores representantes que a população enviou ao Congresso Nacional. A iniciativa é para ressaltar a importância do Parlamento em uma democracia e frisar a necessidade de os eleitores acompanharem a ação dos congressistas, reconhecendo a boa atuação dos que tiverem melhor desempenho.

A tarefa de identificar esses deputados e senadores é delegada, primeiramente, aos jornalistas que cobrem o Congresso, juntamente com o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Distrito Federal (SJPDF). Neste ano, 267 profissionais da imprensa participaram da escolha. Depois, os 25 deputados federais e os dez senadores mais votados nas categorias gerais e os cinco parlamentares mais votados em cada uma das categorias especiais passam à segunda etapa de votação, na internet.

Os pré-selecionados são premiados com certificados, mas cabe aos internautas definir os vencedores de cada prêmio da categoria especial e a classificação final dos selecionados para as categorias gerais.

Veja como ficou a votação final no site do Congresso em Foco.

http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/chico-

Responder

    LULA VESCOVI

    10 de março de 2012 às 01h08

    Parabéns ao Romário,quando todo mundo esperava um fanfarrão,aparece um parlamentar dedicado.Ideias préconcebidas as vezes são furadas.

    Adilson

    10 de março de 2012 às 01h29

    Belíssima lembrança.O baixinho é mais um que é iniguável!

    willforlife

    10 de março de 2012 às 19h57

    taí: romário acho e foi mais perigoso que o messi.

aurica_sp

09 de março de 2012 às 23h03

O Messi está a anos luz frente do tal neymar( com letra minúscula mesmo), ou alguém já esqueceu o que aconteceu quando eles se encontraram em dezembro último o time da baixada tomou um vareio histórico caindo de 4 (risos) pareciam nunca terem visto os caras jogarem futebol (risos)… Espero que a Argentina ganhe a copa 2014 em pleno maracanã contra o Brasil com um golaço do Messi nos acréscimos ( o Galvão vai enfartar, risos).

Responder

    beattrice

    10 de março de 2012 às 21h14

    O Uruguay vem torcendo pra se repetir 50…rssssssss

    Adilson

    10 de março de 2012 às 23h54

    O Uruguai tem um timaço mesmo…Cavani, Forlan e Suarez estão com o futebol na ponta dos cascos..

    Já o Brasil, depois do golpe da Globo em 2010, despencou numa ladeira que parece não ter mais fim…
    Aliás, recuso-me a chamar essa seleção de brasileira. Pra mim é o selecionado Globo-CBF que, temporariamente, está vestindo a camisa amarelinha.

    ps: Estive no Uruguai na conquista da Copa América e deu gosto ver identificação da Celeste com seu povo. Muito bacana mesmo. Realmente, é uma dimensão que nossos vaidosos e extravagantes jogadores não conseguem sequer alcançar.

Bruno L. Payolla

09 de março de 2012 às 22h53

Polêmicas com Pelé, Mardona, etc à parte, 32 segundos que mostram como é fácil jogar futebol, para o Messi!! Fantástico. Simples, limpo, toques sutis e sempre no lugar certo! Sem a correria do Neymar, outro craque.

Responder

LUIZ CLAUDIO

09 de março de 2012 às 22h37

Pele foi rei em sua época,messi é rei hoje,dois gênios que souberam aproveitar seu talento maior,aos outros so resta bater palmas.MAS PARA MIM O MAIOR FOI GARRINCHA,E OLHA QUE SOU MINEIRO E CRUZEIRENSE.

Responder

    Adilson

    10 de março de 2012 às 01h31

    Garrincha, o Charles Chaplin do futebol!

    Marcio H Silva

    10 de março de 2012 às 04h44

    É difícil comparar pelé e garrincha. Na infância vi os dois jogarem no maraca ao vivo e a cores. Garrincha era aplaudido até pela torcida adversaria. O santos jogava muito no maraca, palco do rei…….
    Em copas, Pele foi tri, garrincha foi bi, e no chile arrebentou mesmo sem pelé…..
    Messi, para chegar aos pes destes dois tem que ao menos ganhar uma copa, ser artilheiro em uma copa, bater pelé nos 12 gols em copa, sem o melhor jogador de uma copa comom pelé foi em 70…ou seja, falta muito.
    E pelé e garrincha no auge, jogavam aqui e não tinha tv em rede mundial nem internet…..

Taques

09 de março de 2012 às 20h36

Vi na integra todos os jogos da Copa de 70 que foram reprisados pela TV Cultura. Sinceramente, tirando alguns lances ótimos (o quase gol do meio de campo e a finta sem a bola contra o goleiro uruguaio), não dá pra entender toda essa idolatria por Pelé. Claro que se tratava de um ótimo jogador mas nem de longe me pareceu ser como algo divino, extraterrestre. As imagens são frias …

Ele se gaba de ser tri campeão mundiale é, mas ninguém comenta que na copa de 62, onde Garrincha foi fenomenal, pouco jogou.

O gol mais bonito da história do futebol, segundo os "entendidos" de futebol, foi o que marcou contra o Juventus na rua Javari. Nem imagem se tem deste tento mas milhões de afirmam não ter dúvidas quanto a esta questão. É o mito …

PS1: marcar 5 gols contra o Bayer Leverkusen em um mata-mata da Champions League é bem diferente que marcar 5 gols contra o Jabaquara.

PS2: jogar na seleção nacional ao lado de Garrincha, Didi, Rivelino, Tostão, Nilton Santos, Gerson é bem diferente de jogar ao lado de Mascherano, Heinze, Bolatti, Dátolo, Di Maria …

Responder

    Adilson

    09 de março de 2012 às 22h36

    Pois é Taques, acho o argumento de que Pelé foi o maior de todos tempos perfeitamente aceitável, mas quanto a colocá-lo como detentor de um futebol sobrenatural, inalcançável é no mínimo, atropelar a lógica do futebol, que antes de tudo é um esporte.

    Pelé foi sim um gênio da bola, como foi Garrincha em sua época, como foi Maradona há vinte tantos anos, como foi Zidane recentemente e como estamos vendo ser e acontecer Messi agora.

    Como gosto de camisas 10 que jogam com classe, de cabeça levantada, sem rolar na grama, desfilam em campo, por preferência estilística o futebol de Pelé e de Zidane são os que mais me agradam..Mas isso é pessoal, e não faz com que eu deixe de enaltecer e admire o futebol igualemente genial de Garrincha, Maradona e Messi.

    Que mal há nisso, né? Gênios são sempre bem vindos..a humanidade agradece.

    Marcio H Silva

    10 de março de 2012 às 23h32

    Pelé era perna dxe pau daqu

    Daqui pouco voces vão dizer que pelé era perna de pau. Acho que voces são argentinos.
    Tudo naquela época era diferente. O material, a bola, a chuteira, o uniforme. Pelé já havia comentado isto a uns anos atrás. Ele mesmo falou que para comparar teria que dar o mesmo material para estes jogadores. Hoje as chuteira são super leves e flexíveis e sob medida, uniforme leve com tratamento para suor, bolas leves até na chuva. medicina avançada, nutricionistas, equipamento de fisica modernos. Não dá para comparar……
    A copas de 70 foi considerada uma das melhores copas de todos os tempos e a seleção desta copa é a melhor seleção em copas de todos os tempos, isto na opinião da imprensa nacional e internacional….

    Adilson

    11 de março de 2012 às 23h58

    Marcio, seu argumento com relação ao material e os profissionais que cercam um jogador moderno, de fato procede. Mas, é preciso ter a sensatez e boa vontade de tb aceitar que esse esporte mudou muito de 40 anos pra cá e todo esse aparato, hoje, se faz necessário,diria que é fundamental.

    No futebol de hoje os atletas, por questão de sobrevivência na profissão, precisam estar MUITO bem preparados fisicamente. Um jogador moderno percorre em média mais de 1O km por jogo, essa média é muito superior a de um jogador do passado.

    A velocidade do jogo somada aos fortes sistemas de marcação, trouxeram, obviamente, mais difculdade para os jogadores aplicarem sua técnica e habilidade. Portanto, o aparato a que vc refere é perfeitamente justificado.

    Ou seja, o que Pelé falou não passa de um sofisma; ele como atleta de reconhecida inteligência sabe pesar as diferentes épocas. Pelé foi um gênio com a bola, mas nas palavras nem tanto…

angelo

09 de março de 2012 às 20h09

Acho Messi excepcional, não discuto. Ma q esse goleiro é ruinzinho de tudo, é. Mal colocado, sai do gol fora de hora qdo tem dois zagueiros ainda na marcação, pede pela amor de Dio santo pra tomar por cobertura e ainda espalma fazendo carinho na bola tabelando com o argentino.

Responder

angelo

09 de março de 2012 às 20h04

Tributo à arte do futebol – Homenagem a Telê Santana

[youtube jnoz4NuYMU8 http://www.youtube.com/watch?v=jnoz4NuYMU8 youtube]

Responder

Pedro Soto

09 de março de 2012 às 19h16

Eu tive a felicidade de acompanhar toda a carreira do Pelé, do Garrincha e do Maradona e agora estou sendo brindade pela genialidade do Messi. Que diferença faz se ele é maior ou menor do que os outros tres? Essa comparação não me preocupa nem um pouco, pois o importante é curtir o presente maravilhoso do seu futebol.
E o que mais admiro no jogador do Barcelona é que, aos 40 minutos do segundo tempo, com o seu time ganhando de sete a um e tendo ele já feito cinco gols, ainda luta para fazer o sexto.
Isso demonstra, sobretudo, um tremendo respeito por aquele torcedor ou não do Barcelona que paga para ver futebol durante 90 minutos e não 60 ou 70, dependendo do resultado da partida.
Continue "fominha", Messi.

Responder

    Adilsonj

    09 de março de 2012 às 21h56

    Bravo!

Elias

09 de março de 2012 às 18h59

Pelé, sempre Pelé, mas ninguém fala do seu parceiro Coutinho, um craque esquecido. Agora concordo plenamente que Messi "já está, no mínimo, em pé de igualdade com Pelé, Maradona, Garrincha e Zidane" e, aos 24 anos ainda terá tempo para superá-los. Tem uma coisa só: cada um é o maior em seu tempo, não existe isso de o MAIOR de todos os tempos.

Responder

    Adilsonj

    09 de março de 2012 às 21h58

    Elias, acho que o Pelé, por tudo que jogou, por tudo que ganhou, por tudo que represnetou, por ser o futebol encarnado em forma de gente é sim o MAIOR de todos os tempos e difcilmente será batido.

    grande abraço!

Vinicera22

09 de março de 2012 às 17h10

Aposto que a maioria dos comentários feitos em relação ao Pelé, foram de pessoas que não o viram jogar.
O Pelé não é imbatível.
Ele só fez 1281 gols de todos os jeitos, e foi tricampeão mundial dando show.
Fez um Gol de chapéu com 17 anos de idade na final da copa.
A Copa do mundo é o auge do futebol.
Sinto muito, mas PELÉ, é PELÉ.
Messi joga demais, além de ser um exemplo de pessoa e de educação.
Na verdade, comparar, ter que definir o melhor, é somente baboseira.
Cada um tem seu estilo, seu jeito, seu jogo.
Bom para nós que amamos o futebol.

Responder

    renato

    09 de março de 2012 às 20h26

    Coberto de razão, muito bom para nós que gostamos de futebol.,
    Mas posso dizer que gosto mais do futebol de Messi e do resto do time dele.
    E Pelé é um assunto a parte, Patrimonio Mundial, seu nome está fundido ao futebol, amálgama da bola, não tem como. Não insistam neste assunto.
    Ele continua sentado no trono.

    Eduardo Di Lascio

    14 de março de 2012 às 12h27

    Claro que insisto, porquê não?

    Adilsonj

    09 de março de 2012 às 21h55

    Muito bom.. por isso Pelé é o maior da história e dificilmente perderá seu posto..

    Quando um jogador atinge o patamar de gênio – Pelé, Maradona, Zidane, Garrincha – a comparação sobre a melhor tende a cair em mera preferência estilística..E aí, é o que vc diz, cada um com seu estilo, seu jeito, seu jogo, como se diz na brincadeira, o que seria do verde sem o amarelo?

    E que venha o Neymar pra fundir mais ainda a cuca de uns e trazer alegria para outros tantos..

    abraços

Beto

09 de março de 2012 às 16h09

é vai deixar os santistas chorando..rssssss –

Obs – Não vai censurar Azenha….nada pessoal contra seu time…

O Messi como melhor jogador do mundo, creio que logo vai entrar para história…

Pelé já foi, nunca achei o melhor jogador, possivelmente Garrincha jogava mais e melhor, somente não soube cuidar de sua carreira…

Agora lembrem-se, o Messi tá fazendo o que faz em um tempo em que o futebol é muito mais veloz e corrido, com o condicionamento físico levado as alturas por todos os jogadores e onde eles correm muito mais (para mim esta seria a imensa vantagem de Pele´em relação aos outros, seu preparo físico invejável, hoje estaria mais equilibrado, muito mais díficil )…

ou seja, o cara tem que pensar muito mais rápido, tomar várias decisões num ritmo alucinante e fora que devem bater pacas neles (Qdo bateram no Pelé ele acabou saindo fora da Seleçâo)

Ouso dizer que se transportando num evento "fringe" (pura ficção e imaginação) colocássemos os dois times Barça atual e Santos de Pelé, acho que o que ocorreu no final do ano ocorreria novamente – Uns 4 a zero para o Barcelona, ou mais… fora o show de bola…

Não adianta somente porque o cara é argentino ficarem de bico, ouso dizer que ele é melhor sim que o Pelé, e muito é birra porque o cara é estrangeiro, principalmente argentino…

Responder

Rodrigo B. Veríssimo

09 de março de 2012 às 15h55

Se a Argentina for tri-campeã no Brasil na próxima Copa do Mundo, principalmente se Messi jogar tudo isto que joga no Barça, ele já poderá ser equiparado ao Maradona.
E a cada Copa que ganhar depois, ficará cada vez mais próximo do Pelé.
Principalmente se alcançar, no cômputo geral, mais 1000 gols…

Responder

    Marcio H Silva

    10 de março de 2012 às 04h50

    Se ganhar uma copa pode ser comparado a marodona, zidane e romário. Se ganhar duas pode ser comparado a garrincha e se ganhar tres, pode chegar a pelé, mas vai ter que ser artilheiro em pelo menos uma copa, e ser o melhor jogador em uma delas, bem como ultrapassar o numero de gols de pelé em copas……falta muito ainda pro garoto……

    Adilson

    10 de março de 2012 às 12h50

    Prezado Marcio, falta muito ainda pro garoto?!!!

    Messi, com apenas 24 anos já é TRICAMPEÃO da Champions League , TRÊS vezes consecutivas eleito o melhor jogador do mundo pela Fifa, BI-campeão mundial inter-clubes…E pela Seleção Argentina liderou o campeonato Sub 20 e a medalha de OURO em Pequim (foi eleito o melhor jogador na conquista do bi-olímpico,esse titulo tão cobiçado pelo Brasil) ; na Copa do mundo de 2006, com apenas 18 anos recém completados, entrou em duas oportunidades, como o jogo andando e marcou nas duas (RG, o ban ban ban da época, jogou a Copa inteira e não fez nenhum golzinho!)

    Adilson

    10 de março de 2012 às 12h51

    ..Seu aproveitamento é algo impressionante, assustador, além de inúmeras assistências é muito goleador, e sempre decisivo, cresce nos momentos mais importantes. Messi foi três vezes seguidas artilheiro da UEFA Champions League , a competição mas dificl do mundo, na edição de 201o marcou 4 gols contra o Arsenal e fez o estádio vira abaixo o louvando como a um Deus…Pois essa semana o menino se supera e marca 5, não foi um, nem dois, nem três, foram CINCO gols numa mesma partida, quebrando seu próprio recorde, que já era espantoso..

    O que dizer disso tudo? Não duvidemos nunca de um gênio.

    abraços

    Augusto Soares

    10 de março de 2012 às 17h29

    Dificil e o campeonato de futebol amador de Santo Andre. Essa champions é uma teta. Messi nao joga nada nada seleçao.

    Visitante

    12 de março de 2012 às 00h55

    Sem ironia, vale aqui uma coisa interessante: alguém aqui viu Messi desequilibrar jogando fora do Barcelona? Eu não. Aliás, outra coisa: o que favorecem o time catalão nesse espanholzinho mequetrefe é uma coisa. Na UCL ainda dá para dizer que o FCB joga bem, mas no espanhol é um assalto o que tudo favorece os dois grandes.

    Marcio H Silva

    10 de março de 2012 às 23h23

    Realmente voce não viu pelé jogar. Nem garrincha, que já naquele tempo fez os russos simular em computador uma forma de marca-lo. Messi joga numa seleção privada. Ainda não mostrou muita coisa na seleção de seu país. E quando está lá seu rendimento cai.
    Comparar messi a Pelé que aos 17 anos estreava numa copa e foi campeão jogando e fez 5 gols com um dos gols mais bonitos em copas é covardia com messi. Neste mundo moderno controlado pela midia é fácil colocar um cara em evidencia. Porque todo o melhor jogador só é eleito na Europa?

    Títulos do Rei

    Santos
    Campeonato Paulista: 1958, 1960, 1961, 1962, 1964, 1965, 1967, 1968, 1969 e 1973
    Torneio Rio-São Paulo: 1959, 1963, 1964 e 1966
    Campeonato Brasileiro: 1961, 1962, 1963, 1964, 1965 e 1968
    Taça Libertadores da América: 1962 e 1963
    Copa Intercontinental: 1962 e 1963
    Recopa Sul-Americana: 1968
    Recopa dos Campeões Intercontinentais: 1968
    New York Cosmos
    Liga Norte-Americana de Futebol: 1977
    Seleção Brasileira
    Copa do Mundo: 1958, 1962 e 1970
    Copa Rocca: 1957 e 1963
    Copa Oswaldo Cruz: 1958, 1962 e 1968
    Taça Bernardo O'Higgins: 1959
    Prêmios individuais
    Melhor jogador jovem da Copa do Mundo: 1958
    Bola de Prata Copa do Mundo: 1958
    Chuteira de prata Copa do Mundo: 1958
    Craque do time das estrelas da Copa do Mundo – World cup all-star team player: 1958
    Bola de Ouro – Copa do Mundo: 1970
    Craque do time das estrelas da Copa do Mundo – World cup all-star team player: 1970
    BBC Personalidade Esportiva do Ano: 1970 e 2005
    Melhor jogador Sulamericano do ano: 1973
    Atleta do Século, eleito por jornalistas do mundo todo, na pesquisa realizada pelo jornal L'Équipe: 1981
    Bola de Ouro Especial da revista Placar: 1987
    Atleta do Século, eleito pelo Comitê Olímpico Internacional: 1999
    Atleta do Século, eleito pelos jornalistas da Agência de Notícias Reuters: 1999
    Jogador de Futebol do Século, escolhido pela UNICEF: 1999
    Jogador de Futebol do Século, eleito pelos vencedores da Bola de Ouro da revista France Football: 1999
    Maior jogador do Século XX pela IFFHS: 1999
    Maior jogador Sulamericano do Século XX Pela IFFHS: 1999
    Maior Jogador de Futebol do Século FIFA: 2000
    Laureus World Sports Awards, prêmio pela carreira, entregue pelo Presidente Sul-Africano Nelson Mandela: 2000
    Artilharias

    Santos
    Campeonato Paulista
    1957 – Santos (20 gols)
    1958 – Santos (58 gols) – Recorde da Competição
    1959 – Santos (45 gols)
    1960 – Santos (34 gols)
    1961 – Santos (47 gols)
    1962 – Santos (37 gols)
    1963 – Santos (22 gols)
    1964 – Santos (34 gols)
    1965 – Santos (49 gols)
    1968 – Santos (26 gols)
    1973 – Santos (11 gols)
    Taça Brasil
    1961 – Santos (9 gols)
    1963 – Santos (12 gols)
    Torneio Rio-São Paulo
    1963 – Santos (14 gols)
    Copa Intercontinental
    1962 – Santos (5 gols)
    1963 – Santos (4 gols)
    Taça Libertadores da América
    1963 – Santos (11 gols)
    Seleção Brasileira
    Copa América
    1959 – Brasil (9 gols)
    Copa Roca
    1963 – Seleção Brasileira (3 gols)
    Forças Armadas
    Campeonato Brasileiro das Forças Armadas
    1959 – Seleção da 6ª Grupo de Artilharia de Costa Motorizado – 6º GACosM(11 gols)
    Campeonato Sul Americano das Forças Armadas
    1959 – Seleção Brasileira das Forças Armadas (11 gols)

    Adilson

    11 de março de 2012 às 18h22

    Caro Marcio, vi que vc não entendeu muito bem o que escrevi..
    Maior Pelé foi sem dúvida e, OBVIAMENTE, ainda falta para Messi chegar lá, até por que o jovem argentino ainda tem mais de uma década pela frente e umas 3 ou 4 Copas do mundo para disputar. Como disse, é possível até que nunca chegue..

    E pra mim, honestamente, tanto faz, pois prefiro analisar a bola magnifíca que ele joga, e seu estilo próprio jamais visto nos gramados.

    Surge mais um gênio da bola, e eu, como amante do futebol, no lugar de entrar em comparações inócuas, só tenho a agradecer..

    abraços

    Marat

    11 de março de 2012 às 20h51

    Cacete, Márcio…desse jeito nem dá para discutir! Pegue mais leve – rsrsrs, mas o Pelé (e não o Edson Arantes), é realmente o melhor de todos os tempos. Creio que Maradona e Romário disputem a segunda colocação. Abraços.

    Luiz Reis

    12 de março de 2012 às 07h30

    por essa argumentação ridícula, ele não pode ser comparado nem com Zinho, já que esse último é campeão mundial… tenha santa paciência… Deus me livre desses ignorantes! Aliás, Messi é sempre questionado por jogar ao lado de grandes jogadores no Barcelona… tá, ok, e Pelé, que jogou apenas em Santos e Seleção? Tinha cabeça-de-bagre ao seu lado? Fazer 15 gols contra catanduvense é o mesmo que fazer contra Real, Bayern ou Manchester? Comparação é sempre uma babaquice de botequim, mas já que começaram, que sejam ao menos coerentes com os argumentos, senão não há grau de comparação entre Senna e Schumacher, ok espertos?

    Adilson

    12 de março de 2012 às 10h14

    Luiz, isso é típico do brasileiro, essa mania de melhor e maior do mundo a qualquer custo…Os outros países da américa do sul até fazem piada com isso…

    E vou repetir mais uma vez, que mal há que esse jovem talento argentino seja igualmente montro da bola como foram outros? A genialidade de um não anula a do outro, ora bolas!

    Essa defesa ensandecida do Pelé – sem que ninguém o tenha diminuido é bom, que se diga – deixa a coisa parecida com a birra Emilinha x Marlene!!

    Enche o saco, poxa..numa boa!

J. Fernandes

09 de março de 2012 às 15h33

Para mim, já é o maior (e melhor) de todos os tempos.

Responder

Valdeci Elias

09 de março de 2012 às 15h20

Messi ,ainda pode se naturalizar brasileiro, e ser Hexacampeão em 2014 na seleção Canarinho.

Responder

Bruno

09 de março de 2012 às 15h13

É o que eu falo há algum tempo – e cada vez mais encontro parcos consoantes: o Pelé foi colocado num pedestal de inigualável pela imprensa brasileira na Copa de 1970. Acontece que em esporte não existe inigualável. Queiram os ufanistas, os saudosistas, ou não, Messi já é tanto quanto estes rapazes. Pena que praticamente não tem chances de ganhar uma Copa do Mundo para ratificar seu extraterrestre talento. Por que, ora, ele não pode ser maior que Pelé, ora? Por ser argentino? Para que a imprensa anacrônica possa dizer como nos seus tempos tudo era melhor??

Algo que me agrada muito no Messi é o fato como, além de transformar o impossível em trivial cinco, seis vezes em cada jogo inspirado, ele o faz de forma simples, de certa forma humilde, como se não fizesse nada demais. Definitivamente, Messi me faz sorrir – como o Neymar poderá fazer quando descobrir o prazer de jogar por jogar, libertar-se das amarras e alcançar o nirvana que é fazer o que faz sem achar que fez muito.

P.S.: sim, isso quer dizer que eu acho que o Neymar tem tanto potencial quanto o Messi, e que ficar no futebol brasileiro, cheio de retrancas e raso de consistência tática, pode atrasar seu desenvolvimento, embora seja interessante vê-lo jogar toda semana.

Responder

    Adilson

    09 de março de 2012 às 15h59

    Bruno, muito bem observado! Acrescentaria ainda: E por que duas ou mais genialidades não podem conviver juntas?

    Alguns jogadores brindaram a humanidade com talento fora do comum, com um diferencial que os fizeram alcançar marcas impressionantes e encher os olhos dos amantes do futebol. Na minha opinião, alguns poquíssimos, atingiram o patamar de gênio da bola. Nesse sentido, creio eu, o jogador torna-se quase um artista e o que produz em campo é sua obra de arte.

    Ora, sabemos que um Miquelangelo não anula um Leonardo da Vinci, ou que Beethoven e Mozart podem conviver harmonicamente no nosso imaginário, assim como a manga a goiaba, ou a melancia – maravilhas da natureza – podem ser deliciosamante desfrutadas…

    Adilson

    09 de março de 2012 às 16h02

    Acho que devemos é aproveitar e se deleitar com o futebol que esses artistas da bola nos proporcionam..Cada gênio da bola, com sua singularidade, tem seu valor e a genialidade de um não anula a do outro, é o que eu penso..Aliás, pelo contrário, muitas vezes até potencializa, como no caso de Pelé e Garrincha que nunca perderam juntos jogando pela Seleção Brasileira e quando um faltou, como em 62, o outro esteve lá e deu conta do recado com muita propriedade.

    Pelé, Zidane, Garrincha e Maradona, por exemplo, mostraram ao mundo toda sua genialidade. Agora é a vez de Lionel Messi, que tem sua assinatura própria e é diferente de tudo que já vimos no gramado..como foram diferentes os outros cracaços aqui citados. Ele pode vir a ser o melhor, é garoto ainda, mas o que vale mesmo é que já deixou sua marca incomparável!

    E que Neymar, com todo esse potencial estupendo que tem, possa manter a regularidade e se juntar a esse grupo seletíssimo de jogadores que presentearam o mundo com sua maravilhosa arte de jogar bola.

    abraços

    Adilson

    09 de março de 2012 às 16h09

    Bruno vc toca num ponto que pra mim, só enaltece ainda mais ele: A simplicidade e a sua postura, Messi é acima de tudo um trabalhador e não se envaidece, só pensa no coletivo. Um pequeno notável!
    Antes do jogo começar, observandoMessi na hora do hino, mandei uma mensagem para meu sobrinho brincando: “Eu tenho medo do Messi”

    Sua postura antes do jogo, denuncia o estrago que fará em campo minutos depois. Olhar frio, seco, aparentemente alheio aquilo tudo, só esperando o momento do apito do juiz pra fazer aquilo que mais gosta, arrisco a dizer que talvez até a única coisa que gosta. Sinceramente, parece até que ele só faz isso na sua vida. Não consigo imaginar Messi, sequer indo ao mercado comprar um aparelho de barbear. Aliás até consigo sim..Imagino ele passando pelo balcão das laranjas e fazendo embaixadinha pra espantar o tédio..rs..

    Adilsonj

    09 de março de 2012 às 16h10

    …É um animal futebolístico, o maior que já se viu. Posso estar enganado, mas acho que nunca existiu um craque dessa envergadura cujo ofício, a vontade e a inclinação de maneira geral, fosse somente JOGAR BOLA.
    Refiro-me a até a uma careta ou um simples levantar de sobrancelha na hora do hino.
    Não tem um brinco, uma tatuagenzinha, uma pulseirinha, uma festinha mais animada, nada parece atrair ou seduzir esse rapaz, somente a bola, somente a velha e boa redondinha. Isso é caso de amor e daqueles duradouros, alguém ainda duvida?

    Willian

    09 de março de 2012 às 17h12

    Pelé realmente foi colocado num pedestal, mas não foi só pela imprensa brasileira, foi pelo mundo todo. Onde que que você vá (excessão feita à Argentina) Pelé é considerado o melhor do mundo. Mas realmente há que se fazer a diferenciação entre maior e melhor.

    Adilsonj

    09 de março de 2012 às 22h13

    Pois é Willian essa separação analítica que propus, foi uma tentaiva de tentar trazer um poquinho de paz e bom senso a essa discussão tão acalorada quanto infinita.

LULA VESCOVI

09 de março de 2012 às 14h55

Talvez o Messi tenha o azar de não conseguir ser campeão do mundo,mas concordo que já está entre os maiores da história.Que bom que alguém diga que o Pelé possa ser desbancado futebolisticamente falando.Causa irritação os jornalistas brasileiros dizerem que isso é impossível.Onde está escrito?O Jordan pode ser superado,Carl Lewis já foi,Federer superou o Borg,uns acham que o Shumacher superou o Senna.Qual o problema?Por que no futebol seria diferente?

Responder

    Bruno

    09 de março de 2012 às 15h17

    Diria que, não fossem os dogmas do jornalismo esportivo brasileiro, seria muito mais fácil superar Pelé no futebol do que Jordan no Basquete ou Borg no tênis. Isso porque Pelé jogou em tempos nos quais era menos difícil para o craque se sobressair estatisticamente (tempos de defesas e goleiros fraquíssimos, quase amadores). Fique claro que, de tudo que vi do Pelé, nunca duvidei de sua genialidade. Só não colocaria isso nunca em um patamar inalcançável.

    Paulo Vasco

    09 de março de 2012 às 20h46

    Goleiros fraquinhos??? Estude futebol, amiguinho.
    Os melhores goleiros da história foram da época do Pelé, jogaram contra ele, por sinal, e foram vítimas de seus belos gols.
    Posso citar, se você me permitir: Mazurkievcs, Yashin (o maior de todos), Gordon Banks (fez a maior defesa de todos os tempos, defendeu uma cabeçada de quem??? de Pelé), Leão (do Palmeiras), Gilmar (era do mesmo time do Pelé, mas foi o maior golerio do Brasil de todos os tempos), Zoff, e outras lendas, os goleiros mais "fraquinhos" da história.

    Raphael

    10 de março de 2012 às 09h34

    Vcs sabe quantas vezes Pelé jogou contra esses goleiros….? E quantas eles jogou contra figuras como Moacir Cachorrão…???
    E são somente os goleiros os responsáveis pelos gols sofridos.???

    Para pedir que as pessoas estudem, faça a meia culpa e acompanhe, aproveita e veja quando foi que o Leão começou a jogar….junte isso com um pouco de atividade atlética, jogar bola de vez em quando ajuda a entender o jogo.

    Paulo Vasco

    11 de março de 2012 às 09h59

    Estude você também futebol, caro, antes de falar asneiras.
    Citei os maiores goleiros da história, que eram do tempo de Pelé, e contra os quais Pelé jogou várias vezes.
    Você quer que eu cite outros monstros do gol que enfrentaram Pelé?
    Lá vai, só goleiro "fraquinho": Manga, Castilho, Andrada, Raul Plasmann, Sepp Mayer, Ado, e outros, todos inscritos no panteão dos maiores.

    Augusto Soares

    10 de março de 2012 às 17h47

    Pele foi fera porque os campos onde jogou eram muito ruins e as chuteiras uma tragédia. Quem pode ser comparado com ele nesses termos é aquele centroavante craque de Camaroes, Roger Milla. É igual vc comparar Michelangelo, que lascava o mármore com 80 anos feito um cavalo e um escultor atual que usa furadeira, fresadeira e outros facilitadores.

Kilimanjaro

09 de março de 2012 às 14h20

E o Neymar quarta feira na libertadores? pnc Messi

Responder

    Bruno

    09 de março de 2012 às 15h13

    Foi muito bem, muito mesmo. Agora só falta fazer em 80% dos jogos para chegar lá.

    Marat

    10 de março de 2012 às 21h07

    Se o Neymar amadurecer, tem tudo para ser um dos melhores do mundo! Lógico que há vários, e, creio, ninguém vai superar Pelé…


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding