VIOMUNDO

Diário da Resistência


Política

Católicas pelo Direito de Decidir: O corpo das mulheres é um campo de batalha


07/03/2012 - 15h55

Cardeal flagrado “experimentando” arma pesada expõe a hipocrisia do Vaticano

Editorial de Católicas Pelo Direito de Decidir

Para defender a vida de milhares de mulheres que sofrem com as danosas conseqüências de uma criminalização indevida, o movimento feminista reivindica a legalização do aborto no Brasil. A proibição do procedimento, como constantemente noticiado e corroborado por pesquisas, tem afetado de forma brutal as mulheres, atingindo mais as  pobres, as negras, as jovens – aquelas  que já são cruelmente oneradas com injustiças diversas.

Os segmentos da sociedade que são contrários à legalização do aborto – como alguns  setores religiosos, especialmente cristãos conservadores -,  fazem uma cruzada violenta (e nada santa!) contra a modificação da lei. Entre esses,  a poderosa voz da Igreja católica se sobressai. Não é para menos, afinal é a única instituição religiosa que se confunde com um Estado e que, inclusive, tem assento na Organização das Nações Unidas – uma estranha mistura de fé e luta por poder terreno que causa espanto.

Um dos principais argumentos da Igreja Católica contra o direito ao aborto se centra na defesa da vida. Obviamente, nunca se trata da defesa da vida das mulheres, já que, por princípio, elas  são sempre tidas como pecadoras, impuras, e por isso merecem castigo! A vida deve ser preservada a qualquer custo, clamam. E vislumbram o inferno repleto de pessoas favoráveis a que as mulheres possam decidir sobre seu corpo e salvar sua própria vida.

A Campanha da Fraternidade deste ano, com um tema de altíssima relevância social – acesso à saúde pública pelos mais necessitados -, vem com o lema: Que a saúde se difunda sobre a terra (cf. Eclo 38,8).  Na apresentação do texto base da CF, lê-se: “É uma realidade que clama por ações transformadoras. A conversão pede que as estruturas de morte sejam transformadas.” Concordamos. E perguntamo-nos perplexas: o que aconteceu ao cardeal que empunhava – aparentemente com intimidade e regozijo! – uma arma pesada? A fotografia do cardeal com “sua” arma, que já circula há algum tempo na internet, é reveladora.

Revela, na verdade, uma retórica vazia e falsa de defesa da vida. Revela a intimidade de um cardeal paramentado com um artifício bélico. Revela o compromisso do Vaticano (que também vem enfrentando escorregadiamente acusações de escândalos financeiros)  com a hipocrisia e a dupla moral. Afinal, se o santo cardeal cometeu um “deslize”, quem viu uma bronca pública ou uma explicação oficial? No entanto, a condenação das mulheres é reiterada publicamente a todo o momento.

Aliás, também nos cabe perguntar por que motivo a grande mídia brasileira não repercute de forma expressiva as notícias que envolvem a Igreja Católica, como esta foto do cardeal e o suposto escândalo nas finanças vaticanas, assim como silenciou por dois anos sobre o acordo do Brasil com a Santa Sé. Parece que a explosiva mistura fé-poder tem suas mil ramificações em plagas insuspeitas! E quem ganha com isso? Certamente não são as mulheres!

É por isso que uma simples foto é tão reveladora. Ela evidencia que a defesa intransigente e artificial da vida do feto desde a concepção é apenas mais uma das falácias utilizadas para dominar mentes e  corpos. É mais uma hipocrisia que se joga sob o tapete, com a pose ostensiva de guardiães da vida, da moral e do “bem”. E, por causa da disputa pelo controle do corpo e da sexualidade das mulheres, vale tudo e faz-se tudo o que mais se condena.

Como mulheres católicas, incluímos, entre as estruturas de morte que devem ser transformadas, uma das principais causas de mortalidade materna em nosso país: a criminalização do aborto! A maternidade não pode mais deixar de ser um direito prazeroso para ser uma obrigação mortal! O corpo das mulheres é um campo de batalha. Entre mortas e feridas, sempre estão negras, pobres e jovens.

8 de Março de 2012

Católicas pelo Direito de Decidir

Leia também:

Livro do Luiz Carlos Azenha
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet



105 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

BRUNO

26 de junho de 2018 às 18h18

Parabéns, por este canal de cidadania !

Responder

Zi

06 de abril de 2015 às 13h45

Puxa vida, comecei a ler os comentários e fui me assustando na medida em que rolava a página…gostei de alguem que escreveu: criem uma encubadora e deixem nosso útero em paz. Isso está muito certo. As mulheres tem um certo milagre em ter útero, mas ele foi feito para abrigar o filho bendito, fruto do amor e da família, desejado e ansiado por pai e mae, ou por pai pai e mae mae (já que Cristo ensina a acolher a todos).
Mas, impor que uma mulher de continuidade a uma gestação indesejada, com mil justificativas, causa e efeito, alma, nao sei o que mais, é o mesmo que esquecer de tudo que o próprio Deus nos permitiu aprender e desenvolver: o emaranhado de células se multiplicando nao é uma pessoa, nao tem alma e nem sobreviveria sem estar parasitando a mulher. Pode parecer pesado, mas o termo é esse, se a saude dela nao está bem, esse conjunto de celulas nem consegue se fixar na parede do útero. Uma coisa importante é que o homem deve amar e proteger sua esposa e cuidar dos seus filhos, cuidar da sua esposa quando engravidar etc, acontece que é muito possível que na vida vc cometa o pecado da infedelidade ou que vc cometa o pecado de eventualidade e pratique sexo. Desejo que todos os que estão com seus discursos de condenação, antes de prosseguir lendo, lembrem-se de que Jesus falou para atirara primeira pedra quem nunca pecou, voltando, nessa outra forma de sexo fora do casamento pode acontecer acidentes biológicos, tais como o sistema anticoncepcional nao funcionar, então haverá o encontro de dois gametas. Por causa de leis da natureza eles se enlaçarão e se reproduzirão e se tal sistema nao for contido nas primeiras semanas do encontro, sim por fim o resultado será um bebe. Quem de vcs homens fervorosos que estão aqqui debatendo e se metendo com o útero das mulheres e com a igreja católica acha que esse bebe terá a mesma vida futura que o bebe planejado na familia amorosa, que o desejou e aguardou? Eu já presenciei uma gestacao nao desejada, que foi mantida por temor a Deus, e diferente do que alguem publicou, a mulher sofreu muito, desenvolveu uma doença mental por ter mantido um conjunto de celulas por causa de opiniões de gente que acha que aquilo é uma vida e que deixou essa mulher quase maluca na ocasião da descoberta, gente que prometeu que ajudaria com o bebe, gente que prometeu que adotaria o bebe, gnete que falou que era pecado, gente que falou que ela tinha que ter pq senao o espirito da criança iria atormenta-la, gente que falou que era crime, e embora ela tenha conseguido comprar um remédio que provoca cólicas e o simples descolamento do conjunto de celulas da parede do útero, ela nao conseguiu tomar por sentir culpa e pressao de todos esses “amigos”. Muitas pessoas que são contra o aborto nao sabem quantas células há em cada semana de gestacao e talvez até pensem que 6 dias depois da relação sexual existe um bebe no útero, se houvesse mais informação, creio que o conceito de embrião iria ajudar estas pessoas a formarem opinião clara, cientifica e que proteja pessoas em profundo sofrimento, pq saibam, a mulher, católica, evangélica,budista, atéia, ela sofre ao decidir tomar o remédio e ter as contraçoes pq ela fica com um pensamento de como poderia ter sido, mas depois como tempo isso pode ser superado e quando ela encontrar um de vcs, homem maravilhoso, responsavel, fiel, honrado e amoroso e se casar com um de vcs, constituir familia e desejar reproduzir um descendente para simbolizar o amor, ela poderá. Nada a impedirá de conseguir fazer isso, pois estas contrações que ela sentirá nao a impedem de manter o utero saudavel. Mas…se o tempo passar, o embrião virar feto, a placenta é colada no utero e preso ao feto, todo o processo então, em caso de aborto, pode levar a uma hemorragia grave, ela pode perder o utero, a vida, e o trauma é severo. Se existe um remédio que justamente foi desenvolvido para ajudar a pessoa numa circusntancia muito dificil da vida, ele deve ser liberado, se apessoa quiser ela toma, ela nao fica à merce de enganadores, ela vai à farmácia, quiça, ao posto de saúde, adquire, toma, menstrua e segue a vida, certamente um susto assim modifica a pessoa, mas ela nao pode ser punida por ter sofrido um acidente biológico, e nao existe punição maior para uma mulher e mesmo para os que dizem que estão defendendo a vida que nao pediu para estar ali, que a gravidez indesejada. Esse feto vai sofrer 9 meses e depois o resto da vida dele, pois a rejeição se arraiga nas profundezas, ela provoca pessoas a serem auto sabotadoras, ela é muito perigosa. Então homens, meus caros, deixem as mulheres … mesmo que elas sejam católicas, a abortarem em paz. O aborto é um procedimento médico muito simples se realizado bem no inicio, ele trará paz a esta mulher e consequentemente paz à humanidade. Vcs ou até mesmo eu, nos vemos no injusto direito de revindicar o que Deus pensará sobre isso, ora vejam, ela conhece o coração das pessoas, ele sabe a circunstancia envolvida para aquela pessoa, nunca é igual para todo mundo, nao se pode generalizar o que houve com a moça x e a moça y, e Deus misericordioso, no qual as católicas pelo direito de decidir acreditam, não irá perdoar a moça?? Se Jesus virou para o ladrão crucificado e o perdoou, afirmando que no mesmo dia estaria sentado ao seu lado na presença do pai, Deus nao perdoará uma moça em profundo sofrimento com uma gravidez indesejada? muitas vezes grávida de uma violação, muitas vezes gravida apesar de todos os cuidados que tomava, muitas vezes gravida e abandonada pelo “amor da vida dela ” tão logo ele soube do encontro dos gametas!!!
Puxa vida, me entristece ver tantos homens e mulheres se degladiando pq algumas mulheres precisam interromper a gestaçao, saibam, ninguem faz isso como metodo anticoncepcional, existem muito mais coisas no processo da interrupção voluntaria da gestação. Ela precisa ter o direito garantido de faze-lo. Nós católicos e nao católicos também temos que levar em consideração que o argumento religioso ser o foco da cosntituição legal desse direito é uma coisa totalmente errada porque ninguem pode provar que Ala, Deus, Sidarta etc querem que seja assim ou assado, vc pode acreditar em qq coisa que vc pensa que Deus quer, mas pode acreditar para vc, vc nao pode forçar uma pessoa a acreditar que Deus quer vc pagando por um “erro” causando outro maior ainda…Deus é amor (na minha crença, não um severo maligno apontando o dedo para a mulher e a condenando – esse somos nós – não um Deus de amor que tudo compreende e perdoa). Vamos lembrar que Jesus veio à Terra para redimir os pecadores e nao para ostentar os santinhos. Mulheres que tiveramcoragem de abortar, vcs tem meu respeito e minha compreensão. Também meu apoio e continuemcatólicas sim, fazer um aborto é uma necessidade, nao um pedido de escomungação, que Deus as ampare e as ajudem, nao se culpem e nao se privem do direito de preservar sua saúde e somente Deus conhece vossos corações, ninguem mais, portanto, o que vcs fazem, fizeram, farão é entre vcs e Deus. A religião que vcs praticam tambem é um direito de vcs, ninguem pode condenar uma católica que aborta.

Responder

Morvan

09 de março de 2012 às 00h37

Boa noite.

Já que o assunto é direitos reprodutivos, sexuais e de identidade de gênero, a Presidente Dilma [Solange, a Censora] Roussef acaba de ser "agraciada" com a comenda "maior inimiga dos gays em 2012" (Sic!).

Grupo da BA elege Dilma maior inimiga dos gays em 2012.

De acordo com o GGB, " … o veto ao kit anti-homofobia escolar foi o motivo que levou a presidente ao posto de maior inimiga dos homossexuais no Brasil. O grupo alega que, com a queda do projeto, mais de 6 milhões de estudantes deixaram de ser capacitados para atuar contra a homofobia e pela defesa os direitos da comunidade LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros). A ausência do kit, segundo o grupo, ainda estimula o bullying homofóbico. ".

"Outros políticos listados pelo GGB, todos por supostas declarações homofóbicas, foram os senadores Marcelo Crivella (PRB-RJ), atual ministro da Pesca, e Magno Malta (PR-ES), além dos deputados federais João Campos (PSDB-GO), Ronaldo Fonseca (PR-DF), Marco Feliciano (PSC-SP), Anthony Garotinho (PR-RJ), André Zacarov (PMDB-PR), Lauriete, (PSC-ES), Acelino Popó (PRB-BA), Salvador Zimbaldi (PDT-SP) e Áureo Moreira Ribeiro (PRTB-RJ).".

Fonte: Terra. http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI5655269-EI7896,00-Grupo+da+BA+elege+Dilma+maior+inimiga+dos+gays+em.html

:-)

Morvan, Usuário Linux #433640.

Responder

    Fabio_Passos

    09 de março de 2012 às 07h19

    Quem imaginava ver a Dilma aliada a figuras como silas malafaia, josé serra, jair bolsonaro e o bispo de guarulhos?

    Morvan

    09 de março de 2012 às 10h33

    Bom dia.

    Fabio_Passos, é dila.
    Esta cruzada teocrática no Brasil ainda vai dar muitos problemas para nós, tenha certeza.

    :-)

    Morvan, Usuário Linux #433640.

beattrice

08 de março de 2012 às 13h48

O grupo Católicas pelo Direito de Decidir
vem mais uma vez incansavelmente a público expressar seu direito de opinião,
coisa que muitos advogam para si mas negam para outrem.
Esse o "espírito democrático" dos fundamentalistas de diferentes matizes.
O Brasil e a sociedade civil com os diferentes movimentos sociais podem e devem lutar
pelo ESTADO LAICO gravemente ameaçado nos dias de hoje.
e que seja definitivamente descriminalizada interrupção da gravidez, ou o aborto,
para que as mulheres deixem de vítimas e reféns de interesses excusos,
políticos, midiáticos e supostamente religiosos.

Responder

    Emilio Matos

    08 de março de 2012 às 15h15

    O estranho não é elas virem a público expressar direito de opinião. Não distorça. O estranho da história é elas continuarem querendo reforçar que são católicas.

    Fabio_Passos

    08 de março de 2012 às 21h06

    Estranho são estes tolos que acreditam que os católicos devem seguir cegamente as orientações do ratzinger?
    Na verdade os católicos deveríam, por coerência, rejeitar as orientações do anti-cristo ratzinger.
    Cristo pregou o amor… e não o obscurantismo.

    David

    09 de março de 2012 às 09h05

    Fabio, o que é ser católico? É incoerente você acreditar que deus dá a vida, que é deus que distribui almas, que deus que criou os homens e as mulheres, enfim a maior parte dos ensinamentos católicos e pedir pra que essa igreja que prega tudo isso permita o aborto. Isso é loucura, a igreja católica teria que assumir que a maioria de seus ensinamentos são bobagens para apoiar uma iniciativa dessas. É só isso, por isso não faz sentido esse movimento de mulheres "católicas". Agora se de fato essas crenças religiosas são bobagens, isso é outra história, só não dá pra esperar desses líderes religiosos que eles sejam tão incoerentes (pelo menos não sem ganharem nada em troca).

    Fabio_Passos

    09 de março de 2012 às 11h04

    Sua dificuldade está nos conceitos errados.

    A igreja católica também sustentava institucionalmente que a terra era o centro do universo. Sol e a lua giravam em torno da terra…
    Assassinaram pessoas – católicos fervorosos! – que combatiam esta ignorância.

    A questão do aborto é um processo similar. A igreja sustenta institucionalmente conceitos ultrapassados. Superstições. E perseguem as mulheres com esta estupidez obscurantista.

    É dever dos católicos debater e lutar para que a instituição abandone as superstições ultrapassadas e a crueldade anti-cristã que pratica contra as mulheres.

    Resumindo: Os católicos devem lutar para se aproximar de Cristo e se afastar de ratzinger… o anti-cristo.

    Emilio Matos

    09 de março de 2012 às 12h12

    Dê o passo que falta. Os católicos devem deixar de ser católicos.

    Fabio_Passos

    09 de março de 2012 às 12h39

    Nada disso. Muitos católicos, com uma visão mais avançada, defendem que a igreja mude. Evolua.

    Os católicos ainda hoje sustentam que a terra é o centro do universo?
    Sol e lua ainda giram em torno da terra para os católicos?
    A igreja muda.

    Na verdade quem precisa dar o passo que falta e se aproximar de Cristo são os católicos que, equivocadamente, ainda defendem estas superstições tolas e promovem uma perseguição cruel contra as mulheres.

    David

    09 de março de 2012 às 15h10

    Por favor, leia novamente seus comentários. Você não pode estar falando sério. Você entendeu post? O aborto vai contra a essência do catolicismo não são coisas laterais. A igreja abandonou dogmas porque a ciência provou que esses dogmas estavam errados. Pra permitir o aborto, o que a ciência teria que provar? No mínimo que não existe alma ou que a alma entraria no corpo só depois de um certo tempo. Você entende que a existência de alma é essencial para o catolicismo? Essa analogia estapafúrdia não é válida.

    Fabio_Passos

    09 de março de 2012 às 20h24

    Estou te explicando… mas você está com dificuldade de entender.

    Um feto não é um ser humano. Alma é o que diferencia todo ser vivo de objetos inanimados. Um espermatozóide tem alma. Salvar espermatozóides é essencial para o catolicismo? Que besteira você escreveu, não é?

    Como demosntrei que seus argumentos são fracos… você está chateado e insistindo no erro.

    Essencial para o catolicismo é seguir Cristo.
    E a igreja (não todos os católicos…) nega Cristo ao perseguir cruelmente mulheres.

    David

    10 de março de 2012 às 01h06

    Não sao fracos você é que fala de algo que não conhece. Espermatozoides tem alma? Você é doido? Vai estudar o catolicismo antes de ficar falando bobagens. E eu não sou católico mané.

    Fabio_Passos

    10 de março de 2012 às 16h56

    ih… agora está brabinho?
    faz o seguinte: corre na paróquia e avisa o cura que você precisa de ajuda.

    David

    11 de março de 2012 às 21h38

    Brabinho? Claro que não, na verdade um pouco decepcionado. Ou eu não consigo ser claro como eu deveria ou você não consegue raciocinar como deveria. Perdi tempo com você, imaginei que minha capacidade de diálogo e a sua de intelecto eram melhores, enfim eu falhei. Pode falar por último agora, que é o que parece que você está tentando fazer com esses comentários infantis. "vai pra paroquia, vai rezar, vc precisa de ajuda". Tá mais do que evidente que a argumentação aqui terminou faz tempo.

    Fabio_Passos

    11 de março de 2012 às 22h15

    Meus argumentos sempre seguem o nível do interlocutor.
    É uma técnica para tentar aproveitar pelo menos alguma coisa de quemquer que seja. Nem sempre dá certo. Desta vez deu. Aprendi que há uma seita de ignorantes que considera espermatozóides objetos inanimados…
    Hilário.

    Emilio Matos

    12 de março de 2012 às 01h21

    Impressionante como você não entendeu p… nenhuma. Nem eu nem o David somos católicos e nenhum de nós é a favor de se manter a criminalização do aborto.

    Fabio_Passos

    12 de março de 2012 às 13h00

    Impressionante são as tolices que vocês escreveram sobre os católicos. Pedantismo e ignorância.
    Já haviam me alertado que richard dawkins e christopher hitchens iriam gerar fundamentalistas tão dogmáticos quanto os religiosos que criticam.

    Emilio Matos

    12 de março de 2012 às 13h57

    Você não tem capacidade para distinguir uma conversa sobre idéias de uma conversa sobre pessoas. Preste atenção que não escrevi nada sobre católicos.

    E dizer que espermatozóides têm alma te desabilita para chamar qualquer outra pessoa de ignorante sobre o assunto.

    Não te chama a atenção em nada que você tenha lido 10 comentários e continuasse com uma idéia completamente oposta à realidade sobre mim? O que você acha de uma pessoa que é capaz de ser tão taxativa sem ao menos ter se dado ao trabalho de prestar atenção ao que a pessoa com quem está conversando diz?

    Fabio_Passos

    13 de março de 2012 às 21h43

    Prezado, acertei em cheio sobre quem você é.
    Você é mais um desta seita bizarra que considera espermatozóides seres inanimados… muito engraçado.

    Bruno T

    15 de março de 2012 às 22h58

    Fabio, acho que você tá confundindo não ter alma com ser inanimado.
    Na doutrina católica, é muito comum objetos não terem alma e não serem inanimados. Veja o caso do leão: as católicas pelo direito de decidir vão te dizer que leão nenhum tem alma.
    Porém, nenhuma delas vai concordar que um leão seja inanimado.

    É sutil, você vai dizer que o leão tem alma. Pra você são sinônimos. Você vai dizer que pra Aristóteles também…

    Claro, se você perguntar para Aristóteles ele vai te dizer que o leão tem psique (respiração) e se alguém traduzir para o latim vai dizer que ele tem anima. Se alguém traduzir do latim pro português, vai dizer que tem alma. Bom já viu, né. Uma confusão. Alma pode ser qualquer coisa e não ser nada ao mesmo tempo. Mas, numa conversa sobre católicas, alma não é a psique do Peri Psiques. Alma, numa conversa sobre católicas é a alma das escrituras a alma da doutrina católica. O vaticano a define claramente no item 363 do catecismo de sua igreja:
    http://www.vatican.va/archive/ccc_css/archive/cat

    As católicas pelo direito de decidir combatem a doutrina católica (item 2271 do catecismo da igreja), as aristotélicas pelo direito de decidir talvez fossem menos contraditórias. Acho que é isso.
    Você disse que elas não estão contra a dourina católica, que quem as persegue é que está contra.
    Acho que o problema no seu argumento é conhecido pelo nome de "falso dilema". Você contempla apenas duas hipóteses:
    Ou as católicas pelo direito de decidir são pro doutrina
    Ou quem as persegue é pro doutrina.

    Na verdade, este é um caso simples em que os dois grupos estão contra a doutrina.

    No final, tudo teria sido muito mais simples, se você tivesse logo assumido:
    "Pô realmente, que bom que essas católicas estão contrariando a doutrina da sua igreja. Viva a reforma!". Bastava assumir que elas eram contrárias ao catolicismo, pronto.

    PS: Assim como o David e o Emilio, sou a favor da liberação do aborto, não sou católico, nem cristão e também não acredito em duendes.

    Miguel

    16 de março de 2012 às 01h08

    e tem uma paciencia invejavel pra explicar algo que deveria ser meio obvio… parabens

    Fabio_Passos

    19 de março de 2012 às 23h17

    Tolice.
    A maioria católica no Brasil não necessariamente segue os dogmas da santa sé. E continuam sendo e se declarando católica.
    É um fato tão óbvio que apenas uma seita antagonista, baseada em seus dogmas e superstições, poderia negar.

    David

    20 de março de 2012 às 22h57

    Nessa amostra 4 em 5 comentaristas discorda de você… Pelos comentários podemos observar que os demais comentaristas te acham apenas ignorante nessa questão, já você pensa que os que discordam de você fazem todos parte de uma seita, são ovelhas, enfim entre outras ofensas pessoais. Provavelmente há uma seita secreta, da qual somos parte, com o objetivo de combater as mentes mais brilhantes do mundo. Interessante.

    Fabio_Passos

    21 de março de 2012 às 12h57

    Fique a vontade para discordar de fatos concretos que podem ser aferidos sem dificuldades até por criancinhas.
    Negar a realidade é seu direito.
    Você vai chorar porque te considero uma ovelha?

    Bruno

    29 de março de 2012 às 02h33

    Pare de falar besteira.

    Se você não concorda com o catolicismo, você não é católico. Simples assim.

    Agora, se você gosta de se aproveitar, de enganar os outros, você usam denominação católica.

    Isso é falta de caráter!

    Bruno

    29 de março de 2012 às 02h36

    espermatozóides são seres? kkkkkkkkkkkkkkkkk

    David

    12 de março de 2012 às 14h09

    Chegou! Pelo menos depois de 20 comentários você conseguiu entender que não sou a favor da criminalização do aborto e muito menos católico ou frequento seitas. O Emilio teve que desenhar mas pelo menos você entendeu. Pena que daí pra frente você veio com essa "última linha de defesa" dos religiosos, imputarem suas próprias características aos críticos como se não houvesse evidência sobre nada e fosse tudo uma questão de opinião e dogmas, e assim como os religiosos seguem seus mestres os ateus também supostamente seguiriam seus líderes. Claro, não que eu esperasse mais de vc…

    Fabio_Passos

    12 de março de 2012 às 14h33

    Prezado… você está em uma seita. Só não tem plena consciência disso. Qualquer católico pode defender o direito ao aborto. Na verdade tem o dever de defender a descriminalização do aborto. Tal direito já foi reconhecido em várias nações com apoio de populações com maioria católica. Isto pode ser feito no Brasil e não há nenhuma necessidade das pessoas abandonarem sua religião para que as mulheres tenham este direito.
    Sua visão de que defender o direito ao aborto é contrário ao catolicismo esta absolutamente errada. Sua fé cega em dogmas e superstições sobre religiões é tão ruim e perniciosa quanto a dos seguidores de ratzinger.
    E não tenha dúvida: espermatozóides não são objetos inanimados. A imensa maioria dos católicos sabem disso. Qualquer ateu minimamente bem instruído… deveria saber também.
    Nem em 100 comentários você vai se tocar.

    David

    12 de março de 2012 às 17h14

    "Qualquer ateu minimamente bem instruído… deveria saber também."
    * só para que no caso improvável de algum desavisado ler esse diálogo, registro apenas que o que você diz que qualquer ateu deveria saber é que espermatozóides são dotadas de algo místico denominado usualmente pelos humanos de "alma". Diante do ridículo de suas palavras eu me retiro, não aguento 100 comentários seus falando as maiores barbaridades como se fossem verdades fundamentais.

    Fabio_Passos

    12 de março de 2012 às 21h49

    Você é apenas um ignorante orgulhoso.
    Sugiro começar lendo Aristóteles para deixar de se auto-flagelar em público…

    Foge.
    Volte para a caverna.

    Emilio Matos

    13 de março de 2012 às 10h59

    Você inventou uma religião própria juntando pedaços que te interessam. Uma espécie de religião self-service.

    Olhe o quinto parágrafo: http://www.catolicismoromano.com.br/content/view/

    Dá uma olhada nisso: http://catolicismosemsegredo.spaceblog.com.br/611

    Fabio_Passos

    13 de março de 2012 às 21h48

    Inventei uma religião?

    Não. Aristóteles não inventou uma religião… leia sobre alma.
    Aprender vai te fazer bem.

    Miguel

    16 de março de 2012 às 01h06

    "a bobagem de dizer que ateismo e' religiao e' como dizer que calvicie e' uma cor de cabelo"

    Fabio_Passos

    19 de março de 2012 às 23h13

    Qualquer seita de dogmáticos supersticiosos é religião.
    Passar bem… ovelha.

    Emilio Matos

    16 de março de 2012 às 11h12

    Não são "aristotélicas pelo direito de decidir", são "católicas pelo direito de decidir".

    Bruno

    29 de março de 2012 às 02h39

    Um espermatozóide tem alma?
    Um espermatozóide tem alma?
    Um espermatozóide tem alma?

    Nossa, bate record na burrice,

    David

    09 de março de 2012 às 15h20

    "A igreja sustenta institucionalmente conceitos ultrapassados. Superstições.". Isso é a definição de igreja e religião, oras bolas. Não tem conceitos errados, o dia que ser católico não for acreditar em deus, e for só um clube de bingo, aí você tem razão. Falar para os Católicos que alma não existe e não é obra de deus é extamente isso que o Emilio está falando e pedir que os católicos deixem de ser católicos.

    Fabio_Passos

    09 de março de 2012 às 20h16

    Creio que você não leu o que escrevi.

    Repetindo…

    "
    A igreja católica também sustentava institucionalmente que a terra era o centro do universo. Sol e a lua giravam em torno da terra…
    Assassinaram pessoas – católicos fervorosos! – que combatiam esta ignorância.

    A questão do aborto é um processo similar. A igreja sustenta institucionalmente conceitos ultrapassados. Superstições. E perseguem as mulheres com esta estupidez obscurantista.
    "

    Se o Emílio quer deixar de ser católico… problema dele.

    David

    10 de março de 2012 às 01h07

    O Emilio católico? Você não entendeu nada!!!

    Fabio_Passos

    10 de março de 2012 às 16h55

    pfff… você tem problemas?

    David

    11 de março de 2012 às 21h33

    Meu problema é que você não pensa. Mas você tem razão, isso não é problema meu…

    Fabio_Passos

    11 de março de 2012 às 22h05

    pfff… sua falta de capacidade intelectual não me incomoda.
    Não sei qual a sua seita… mas está claro que ela está muito distante da razão e sensibilidade humana.

    Miguel

    16 de março de 2012 às 01h02

    O David esta falando uma obviedade. Pedir `a Igreja que abra mao de um de seus dogmas basilares e' esperar um comportamento suicidade dessa instituicao que de inocente nao tem nada. Sim, seus dogmas sao criados e revogadas em concilios de seculos em seculos, mas algumas coisas sao tao fundamentais para toda a teologia catolica que elimina-las seria tirar toda a infraestrutura que sustenta todo o resto do edificio mitologico.

    ou se e' catolico, ou se defende o aborto. eu sou da segunda opcao.

    Fabio_Passos

    19 de março de 2012 às 23h12

    Prezado, está claro que vocês estão baseando suas opiniões em preconceitos e superstições. Sabem muito pouco de catolicismo. A imensa maioria dos católicos no Brasil não segue inúmeros dogmas da santa sé… e nem por isso deixam de sere se declarar católicos.

    candido

    08 de março de 2012 às 18h02

    Postei, não saiu, posto de novo (não lembrarei do texto, mas lembro do tema. Movimentos "irmãos" deste ("católicas pelo direito de abortar") poderiam ser:
    – Muçulmanas pelo direito de beber Vodka
    – Vegetarianas contra a proibição da Picanha
    – Judeus a favor da abolição da Circunscisão
    – Anarquistas a favor do SOPA
    – Socialistas apoiando a UDR
    – Alcoolicos anônimos contra a anonimidade na Internet

    Emilio Matos

    08 de março de 2012 às 18h30

    -Pessoas com mais de 2 neurônios pelo direito de votar no Serra

    Fabio_Passos

    08 de março de 2012 às 21h09

    Correto.
    São católicas que sabem o perigo e o atraso que significa a igreja se imiscuir em assuntos de Estado.

    As católicas pelo direito de decidir mostram que há vida inteligente e sensível no catolicismo.

    Emilio Matos

    09 de março de 2012 às 12h08

    E mostram isso sendo contrárias ao catolicismo. Logo…

    Fabio_Passos

    09 de março de 2012 às 12h40

    Não é verdade.

    Quem defende a perseguição as mulheres é que é contrário ao catolicismo, pois é contra Cristo.

Morvan

08 de março de 2012 às 10h44

Bom dia.

O bispo com cara de fuinha testa as suas armas, e José SSerra também:

<img src="http://3.bp.blogspot.com/-KynVtL4mPt8/TtKr_dQQuCI/AAAAAAAABBQ/gPWMEdhC-yg/s320/501092456_80c46920ba_o.jpg"&gt;
Fonte: Maranauta – http://maranauta.blogspot.com/2011/11/jose-serra-

:-)

Morvan, Usuário Linux #433640.

Responder

Willian

08 de março de 2012 às 10h11

Fico imaginando um grupo chamado "Petistas pelo Direito de Votar no Serra". Teria um apelo midiático semelhante ao destas senhoras e a mesma incoerência.

Responder

    Fabio_Passos

    08 de março de 2012 às 21h02

    Estes petistas que defendem a perseguição de mulheres e a estúpida criminalização do aborto são idênticos aos eleitores convictos do serra.
    Devem até ler revista veja. A revista dos preconceituosos com baixo QI

    David

    09 de março de 2012 às 15h13

    Com os seus argumentos acho temerário falar em baixo QI….
    Não consegui evitar! :-D

    Fabio_Passos

    09 de março de 2012 às 20h27

    hã… ficou chateadinho, não é?
    Você não estudou direito durante o catecismo… Jesus vai te dar zero.

    David

    10 de março de 2012 às 01h03

    Ateus não se importam com Jesus. Você não entendeu nada mesmo, né menino? Falei que seus comentários sobre QI eram temerários…

    Fabio_Passos

    10 de março de 2012 às 16h59

    ateus?
    católicas pelo direito de decidir.

    vá rezar, coroinha.
    não sou pai de marmanjo ignorante…

Roberto Leão

08 de março de 2012 às 09h16

É uma pena que pela falta de conhecimento essas pessoas que se dizem cristãs estão seguindo uma linha totalmente oposta. Não é porque o Cardeal, Bispo, Papa ou quer quem seja, cometeu um erro que outros erros devem ser cometidos.

Não conheço uma religião cristã que apóia o aborto. Logo, o aborto deve ser mantido como está. Claro que as mulheres podem decidir. Elas podem decidir não serem cristãs e cometerem o aborto tranquilamente.

Agora, com todo o respeito. Mulheres que se dizem cristãs quererm a legalização do aborto? Estão utilizando o nome do Cristo em vão. Espero que reflitam seus pensamentos e suas atitudes.

Que defendam o aborto, mas tirem sem o nome de "Católicas Pelo Direito de Decidir".

Que utilizem esse direto para decidir pelo uso do preservativo, pelas campanhas de conscientização, pela maior responsabilidade ao lidar com o sexo. E… que caso não surta efeito, arquem com as consequencias pela gravidez
"indesejada" (irresponsável).

Lembrando que a legislação já permite o aborto (infelizmente) em caso de estupro e má formação do feto. Logo, as demais decisões devem vir antes do efeito (feto), combatendo a causa (sexo irresponsável).

E que todos fiquem na Paz de Deus.

Responder

Fabio_Passos

07 de março de 2012 às 23h40

Análise que põe o dedo na ferida.

Por que os católicos deveríam continuar seguindo as orientações de notórios hipócritas que nada tem haver com os ensinamentos de Cristo?

O bispo de guarulhos chegou a afirmar que estupros acontecem porque as mulheres consentem.
O sujeito é um pervertido. Um anti-cristo.

Estes crápulas não são "pró-vida" coisa nenhuma… são anti-mulher.

Responder

candido

07 de março de 2012 às 22h06

bit "sarcasmo" ligado

Vamos ser coerentes. Não há diferença entre um feto e um recém-nascido. Ambos precisam do suporte da mãe e ambos podem ser um estorvo para ela. O artigo abaixo defende que o ser só adquire dignidade moral quando passa a ser cidadão ou, minimamente, consegue se auto-prover. A idéia do aborto deve ser extendida a pós-nascimento, digamos até que o ser tenha uns 3 ou 4 anos (os radicais podem defender expandir esse limite até a maioridade legal). Dentro desse período seria direito da mãe (e, talvez, também do pai) abortar o ser que, como dito, ainda não desenvolveu personalidade moral que garanta seu direito à vida. Se não acreditam, leiam abaixo
http://jme.bmj.com/content/early/2012/03/01/medet

excerto:
Abortion is largely accepted even for reasons that do not have anything to do with the fetus' health. By showing that (1) both fetuses and newborns do not have the same moral status as actual persons, (2) the fact that both are potential persons is morally irrelevant and (3) adoption is not always in the best interest of actual people, the authors argue that what we call ‘after-birth abortion’ (killing a newborn) should be permissible in all the cases where abortion is, including cases where the newborn is not disabled.

Responder

Leonardo

07 de março de 2012 às 20h54

Mulheres que abortam têm mais chances de ter problema mental"

Estudo concluiu que o aborto pode aumentar em 155% as chances de a mulher cometer suicídio

Foto: Getty Images

Mulheres que fazem abortos têm quase o dobro de risco de desenvolver problemas mentais em comparação com as demais pessoas, segundo estudo.

A pesquisa descobriu que o aborto afeta a saúde mental e pode causar ansiedade, depressão, alcoolismo, abuso de drogas e suicídio. As informações são do Daily Mail.

O estudo foi baseado em uma análise de 22 projetos separados que avaliaram as experiências de 877 mil mulheres, das quais 163,831 tinham abortado. Os resultados apontaram que mulheres que se submeteram ao aborto tiveram um risco 81% maior de problemas de saúde mental e quase 10% das doenças mentais mostraram ligação direta com o ato.

A pesquisa concluiu que o aborto estava relacionado a 34% de aumento de chances de transtornos de ansiedade, 37% de depressão, 110% de aumento de risco do abuso do álcool, 220% do uso de maconha e 155% mais chances de suicídio.

http://saude.terra.com.br/noticias/0,,OI5324985-E…

Responder

    ghuil

    08 de março de 2012 às 00h19

    Esse estudo deve ser uma falácia, ele merece uma análise.
    Afinal essas condições clínicas poderiam muito bem estar presentes antes do aborto ser realizado.
    Lembre-se de que correlação não implica em causa.

Sônia Bulhões

07 de março de 2012 às 20h45

Estranho o que vi aqui. O resumo da ópera: "Cadeia para a mulher que fizer aborto"….. A impressão é que a mulher fez o filho com um dedo dela própria. Cadê o macho ? Se safou, né? Veja a hipocrisia. a merda da Lei deveria punir ambos, mas, na sociedade machista, a conta fica com a fêmea. Carregar o bucho nove meses, nutrir o embrião e feto com seu próprio sangue, parir, amamentar e não é dona da própria decisão ? O tema aborto deve ser debatido à exaustão. O que não pode continuar é essa mortandade de mulheres jovens e pobres que quem trabalha na saúde pública encontra no dia-a-dia. Faça um levantamento do número de NATIMORTOS no site DATASUS. É de assustar o mais destemido. O resto é hipocrisia.

Responder

    Emilio Matos

    08 de março de 2012 às 11h05

    Se está se referindo ao meu comentário sobre o cumprimento da lei, acho que não fui claro. Meu ponto é que as leis têm de ser cumpridas, e como o cumprimento da lei do aborto leva a uma situação absurda, essa lei não faz sentido. Acho que não tinha sido claro mesmo, mas é isso o que quis dizer.

    Agora, quanto a homens se "safarem", você só pode estar de brincadeira. Homens vão para a prisão quando fogem da responsabilidade. Negar isso é se desabilitar para a discussão.

Morvan

07 de março de 2012 às 20h42

Boa noite.

O texto vem em boa hora, pois os "avanços" (seria mais apropriado "retrocesso") dos fundamentalistas sobre o Governo Teocrático Dilma – Torquemada não dá mostras de haver qualquer noção de limite.

MP do Nascituro, ou "Lei do Vaticano", "Lei do Pai Nosso", na Bahia, onde alunos são "convidados" para uma "reflexãozinha", Vereadores de Anápolis alterando a Lei a ponto de impedir atendimento a mulheres que abortam, não importa a situação, passando por cima do próprio Código Penal (tanto o novo como o antigo).
Como já frisei N vezes, a Turma do Chá de Pindorama ainda vai instituir o "Intelligent Design". É só uma questão de tempo.
Parabéns ao Movimento Católicas pelo Direito de Decidir.

:-)

Morvan, Usuário Linux #433640.

Responder

    Fabio_Passos

    07 de março de 2012 às 23h29

    Sem dúvida.
    E elas mostram que é perfeitamente possível professar a fé sem a necessidade de se agarrar a dogmas e superstições ultrapassadas.

    Morvan

    07 de março de 2012 às 23h59

    Boa noite.

    Obrigado pelo retorno, Fabio_Passos. Isso mesmo. Fé e reacionarismo não são necessariamente irmãos siameses.

    :-)

    Morvan, Usuário Linux #433640.

    Fabio_Passos

    09 de março de 2012 às 21h36

    A fé não precisa ser reacionária.
    E na verdade, olhando o exemplo de Cristo, a verdadeira fé é Revolucionária.

    Uma pena que parte da garotada está sofrendo com um péssimo nível de orienrtação no catecismo.

Maria Thereza

07 de março de 2012 às 17h49

Ninguém é favor do aborto nem está tentando dizer que é "método contraceptivo". Que bobagem. O que se pretende é o DIREITO ao aborto, evitando mortes, estigmatização, sequelas graves. Houve a mesma grita em relação ao direito ao divórcio e, até onde se vê, ninguém deixou de casar por conta disso. Ou alguém pensa, de verdade, que descriminalizando o aborto, as mulheres vão sair enlouquecidas, engravidando só para poder abortar legamente em até 12 semanas? A propósito: ainda em 2012 e muito mais além haverá gravidezes inesperadas, pois nenhum método é 100% seguro. Outra coisa importante: o aborto descriminalizado NÃO será obrigatório. Portanto, todas as mulheres que assim desejarem poderão ter seus filhos, quantos quiser. Não existe, no Brasil, nenhuma política de controle da natalidade. Viver é mais que nascer.

Responder

    Julio_De_Bem

    07 de março de 2012 às 22h57

    E o que seria o DIREITO ao aborto, se não matar um feto no útero que foi feito pra protege-lo e alimenta-lo? E o pior, sem nem pedir pra estar ali….? Comparar aborto com casamento é comparar rock com sertanejo.

maria meneses

07 de março de 2012 às 17h48

Que tal essa igreja fazer campánha contra a pedofilia. Quer maior hipocrisia do que essa ?

Responder

Emília

07 de março de 2012 às 17h25

Se o homem parisse, pode ter certeza, o aborto já seria legalizado há séculos. Nunca fiz aborto e nunca farei, pois já não tenho idade pra isso, mas acho e sempre achei que É A MULHER QUEM DEVE DECIDIR SE QUER TER O FILHO OU NÃO, pois o corpo é dela, quem carregará por nove meses o bebe é ela, quem educará, provavelmente será ela, nessa fase o homem contribui apenas com o esperma e mais nada, portanto quem deve saber o que é melhor pra vida que carrega e para ela, é a mulher. A mulher NÃO é um ser incapaz, pra que os políticos e os religiosos decidam por ela. Esse assunto sempre me deixa indignada, porque mais uma vez os homens tomam uma decisão sobre a mulher sem perguntar se ela concorda ou não. CACILDA, ESTAMOS NO SÉCULO 21 OU NA ÉPOCA DA INQUISIÇÃO?

Responder

    David

    07 de março de 2012 às 19h04

    Quem educará é ela, o filho é dela e o homem contribui só com esperma… E nós que somos machistas? OK… Concordo que a mulher não é incapaz mas o pai da criança também tem direito de decisão nesse assunto. Nove meses é um sacrifício que a mãe tem que fazer mas a educação e as responsabilidades com um filho e da mesma forma o prazer do seu convívio durará décadas. Além disso, para ter filhos é preciso fazer sexo sem camisinha e para tanto, o futuro pai e a mãe tomaram a decisão de assumir esse risco. Se a mulher quer decidir sozinha se vai ter filho ou não que tome pílula e faça sexo com camisinha. Depois do ato consumado pai e mãe, e não o Estado ou apenas a mãe ou apenas o pai, devem decidir se assumirão esse compromisso pra vida inteira ou não.

    Nanda

    08 de março de 2012 às 11h12

    Davi, além de carregar por 9 meses e todos os outros complicadores sociais emocionais e profissionais; gestar e parir ENVOLVE RISCO DE VIDA MESMO QUANDO A GRAVIDEZ NÃO É DE RISCO A PRIORI.

    Criem uma encubadora e deixem nosso útero em paz!

    candido

    08 de março de 2012 às 12h05

    Nanda, basta não engravidar então… Não se exponha a riscos desnecessários. Lembre-se que viver lava à morte, sempre…

    Emilio Matos

    08 de março de 2012 às 12h28

    O David não contestou isso, contestou apenas que o homem contribui só com o esperma. Não distorça nem mude de assunto.

    Se você concorda que homem contribui só com o esperma, não tem nenhuma moral para conversar sobre "direitos das mulheres", dada a falta de respeito absoluta de sua parte pelos fatos.

    Fabio_Passos

    07 de março de 2012 às 23h28

    Nós estamos no século 21.
    O diabo é que está arrastando esta legião de obscurantistas da época da inquisição.

Julio_De_Bem

07 de março de 2012 às 17h19

Sem entrar no campo religioso, sob qualquer aspecto o aborto é monstruoso e criminoso.Minha mulher está grávida de 8 semanas, fizemos o exame de ultrasom e eu ouvi até o coração do meu filho batendo, ele tem cabeça, nádegas, coluna, cérebro em formação. Há ali dentro da minha mulher uma pessoa como eu. Como pode defender o direito de abortar por abortar, por que simplesmente acha que a criança vai atrapalhar? Por que não usou camisinha? por que não tomou anticoncepcional? DIU? Pilula do dia seguinte?

Como pode alguém defender o aborto, por que a mulher simplesmente quer isso? Quem falou pras feministas que elas tem o direito de decidir sobre a vida de alguém?

A falta de responsabilidade de homens e mulheres está sendo descontada em crianças. Não entendo como alguém que acha que a barbárie no pinheirinho, por exemplo, seja um crime contra os direitos humanos, e o aborto não. Ambos não são ataques diretos a pessoas incapazes de se defender?

O feminismo é tão podre quanto o machismo. Extremistas radicalizam e ferem o direito dos outros.

O âmago da questão da pobreza não é a quantidade de filhos, e sim a falta de educação e inclusive de vontade própria dessas pessoas. Eu ja vivi todos os extremos financeiros dessa vida e existem pessoas tanto conscientes quanto inconsequentes em todas as esféras econômicas. A falta de responsabilidade do pobre ou rico que não se protege, não pode ferir o direito ao nascimento do brasileiro que foi fruto de tal irresponsabilidade. O problema reside na educação e conscientização. No mais, o direito ao aborto, salvo em casos de estupro e crianças acéfalas, é um assassinato de um cidadão e a premiação e a senha para a procedencia da irresponsabilidade.

A mulher, seja ela pobre ou rica, empregada doméstica ou presidente da república, NÃO TEM O DIREITO DE ESCOLHER QUEM DEVE VIVER OU MORRER. Se uma grávidez vai atrapalhar sua vida, que usem a cabeça.

Se é fato que a garota riquinha pode pagar uma clínica de aborto boa, e a pobre tem que enfiar uma agulha de trico na vagina, eu não vou bater pé. Mas quem criou o mundo assim, fomos nós mesmos. O capitalismo causou isso, e assim sempre será o pobre com menos chance que o rico. Dar direito a abortar quando quiser a uma mulher, seria a coisa mais ridícula que poderia ser feita, além de totalmente inconstitucional, incentivaria inclusive a prática de relação sexual sem proteção.

Usar como argumento a religião catolica que tem padres pedófilos ou que os pobres sofrem mais com o aborto é mero exercício bem foçado da retórica pra justificar um assassinato. Eu vi uma pessoa no útero da minha mulher, tinha um coração batendo lá. E o que eu ví, nenhum blá blá blá feminista vai mudar.

Responder

    Alice Matos

    07 de março de 2012 às 18h12

    Julio_De_Bem? Pra quem? Cuide de sua vida que da nossa cuidamos nós. Seu comentário faz a gente gargalhar desde a primeira linha. Vá procurar o que fazer e deixe nossas vidas em paz kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Julio_De_Bem

    07 de março de 2012 às 22h36

    ???

    Julio_De_Bem

    07 de março de 2012 às 22h40

    Sei la que tipo de piada vc tentou fazer. Mas vou tentar responder. Eu cuido sim da minha vida, e cuido também da vida do meu filho que virá. E da minha vida, se não fosse cuidada pelas mulheres que tenho ao meu redor (mãe, vó, mulher, amigas), certamente seria uma droga. Desculpe se derrepente não tenho o mesmo ponto de vista que o seu, mas vc querer me impedir de dar minha opinião em um site de debate é devéras estranho :S. Saúde a você e sua família.

    luiza hernandez

    13 de março de 2012 às 22h46

    Alice Matos, de novo aqui, com o mesmo modo grosseiro de agir. Você não me respondeu no outro artigo, e agora faz com outra pessoa exatamente o que fez comigo. Parece que você se considera dona do blog e lider da matilha. Interessante, deve dar um bom caso para um psiquiátra. Deixe a ficha cair querida, isso aqui é um debate, e você não possui o mínimo de raciocínio e retórica necessários para debater esse assunto.

    Wildner Arcanjo

    31 de março de 2012 às 12h43

    Complexo de hiena alfa.

    Emilio Matos

    07 de março de 2012 às 18h20

    Essa questão me desperta sentimentos parecidos aos seus. Nunca concordaria que minha esposa fizesse um aborto. Nunca permitiria que minha filha fizesse um aborto, mesmo na adolescência. Nunca deixaria de insistir com qualquer parente minha ou pessoa de minha intimidade que estivesse nessa situação para que desistisse da idéia.

    Porém não dá pra fingir que não existe o problema de saúde relacionado aos abortos. Também não faz sentido existir uma lei criminalizando o aborto que não é levada a sério. Se é pra continuar existindo essa lei, deveria ser cumprida, ou seja, julgando e aplicando a pena prevista de prisão a essas mulheres e a quem as auxilia no processo. É apenas hipocrisia concordar com a lei e discordar da sua fiscalização e aplicação rigorosas, como fazem muitas pessoas, e não sei se é o seu caso.

    Maria Thereza

    07 de março de 2012 às 20h25

    nunca "permitiria" que … é por esas e outras semelhantes que ocorrem tantos abortos clandestinos. Insisto na questão de que, nessa perscpectiva, a mulher se torna mãe no instante da concepção e o homem pode escolher se vai ou não ser pai. Quantos abandonam a mulher grávida, a criança, vão às últimas consequências para não assumir responsabilidades financeiras. Emocionais, então, nem se fala. E você já reparou que a lei atual pune apenas a mulher? Todos os´métodos são falíveis e a mulher não faz o filho sozinha.

    Emilio Matos

    08 de março de 2012 às 01h31

    Não, nunca reparei que a lei atual pune apenas a mulher. Você nunca reparou que homens vão para a cadeia por falta de cumprimento com suas responsabilidades financeiras em relação aos filhos? Eu estou falando da lei brasileira, de que lei você está falando? No Brasil o homem não pode escolher não ser pai não, isso passou do limite da distorção, não pode ser de boa-fé que uma pessoa diga isso.

    Do ponto de vista das leis, nem homem nem mulher pode escolher não ser pai ou mãe. Do ponto de vista prático, homens vão para a cadeia quando descumprem essa lei, e mulheres não. Do ponto de vista anedotal, você pode dizer que o filho do amigo do cunhado do seu primo conseguiu abandonar o filho dele fugindo das leis, e eu posso dizer dos vários casos de mães que simplesmente abandonam os filhos na rua, na lata do lixo, no supermercado, ou em casas de adoção. Não vejo como mulheres possam estar em desvantagem. Vejo como pobres podem estar em desvantagem, já que não conseguem procedimentos seguros de aborto.

    Não sei se você reparou, mas o "nunca permitiria" que usei foi em relação a minha filha. Em relação a outras mulheres, os verbos foram bem mais suaves. A mais nova tese feminista é de que o pátreo poder de um pai sobre a filha é um exemplo de dominação injusta masculina sobre as mulheres? Não vejo lógica no seu comentário.

    O motivo de haver tantos abortos clandestinos não tem nada a ver com o poder de pais sobre filhas. Tem a ver com essa lei hipócrita que, como quase tudo no Brasil, prejudica pobres e não afeta ricos. E uma das dificuldades de se formar maioria para mudança é exatamente exemplificada por esse seu comentário. Ninguém se comove com distorção descarada, falsa auto-vitimização e argumentos que não param em pé. Sobrou alguma palavra do seu comentário em pé?

    Emilio Matos

    08 de março de 2012 às 11h00

    Só pra deixar claro, não concordo que mulheres sejam presas por terem feito aborto. O comentário acima sobre cumprimento da lei é para marcar o absurdo do seu cumprimento. Só que leis têm de ser cumpridas, senão fica uma desmoralização só. Então, para mim, a solução é mudar a lei…

    Micuim

    07 de março de 2012 às 19h34

    É isso Júlio, simples assim: aborto é assassinato. O feto é um ser humano completo – embora em formação. Ele percebe o ambiente, se desenvolve com o amor, sofre com a rejeição. E as mulhreres tem direito, sim, sobre o seu corpo: podem tomar pílula, usar camisinha, colocar DIU. Tem a disposição vários métodos, todos custeados pelo SUS. Agora vamos matar todos que nos incomodam, se forem fracos e indefesos? É o mesmo raciocínio dos jovens que incendeiam moradores de rua.

    renato

    07 de março de 2012 às 21h53

    Estava indo_bem Julio, até "salvo em casos de estupro e crianças acéfalas", isto é discurso de quem fica encima do muro, neste caso a opção é oito ou oitenta. Mulher decide!!!! e ponto final.
    O Maximo que eu posso fazer é pedir que ela tenha um filho meu, ou pedir um neto.

    Julio_De_Bem

    07 de março de 2012 às 22h45

    Amigo, eu não parto do principio religioso, por isso pra vc eu pareço em cima do muro. Pra mim a religião não influi em nada. No caso de uma menina que corre o risco de morrer na gravidez por que foi estuprada, ou uma mulher de 38 anos que engravidou ao sofrer um estupro, devem ter sim o direito a abortar pois não foi uma escolha dela isso. Uma criança que já está morta no útero só trás mais dor a família e a mulher. Então esses são os dois únicos casos que em minha humilde opinião o aborto pode ser tolerado. No mais, é premiação a irresponsabilidade.

    Leandro

    08 de março de 2012 às 09h35

    Concordo com seu texto até a parte que abre exceção para casos de estupro. Há dentro da mulher, da mesma forma que em outras gestações, um feto e este não tem culpa de como foi seu surgimento. Concordo se nesse caso coloque em risco a vida da mãe, mas caso contrario, infelizmente o feto já formado não pode pagar pelo crime que o fez surgir.

    Julio_De_Bem

    08 de março de 2012 às 12h33

    Mas a mulher foi violentada. Foi concebido contra a vontade da mesma. Sofreu agressões fisicas e morais. Não consentiu com o ato. Então ela deveria sim ter o direito de escolha. Somente nesse caso.

André

07 de março de 2012 às 17h13

"A fotografia do cardeal com “sua” arma, que já circula há algum tempo na internet, é reveladora.

Revela, na verdade, uma retórica vazia e falsa de defesa da vida. Revela a intimidade de um cardeal paramentado com um artifício bélico. Revela o compromisso do Vaticano (que também vem enfrentando escorregadiamente acusações de escândalos financeiros) com a hipocrisia e a dupla moral. Afinal, se o santo cardeal cometeu um “deslize”, quem viu uma bronca pública ou uma explicação oficial? No entanto, a condenação das mulheres é reiterada publicamente a todo o momento."

Que texto ridículo dessas "católicas de batistério"…

Responder

betinho2

07 de março de 2012 às 17h04

Willian
A ICAR, como instituição, é a maior e mais antiga instituição criminosa. Nem preciso aqui historiar o porque. Nada contra os cristãos que, de boa fé, são seguidores, até porque a grande maioria não conhece o que foi e é a ICAR.
Agora, quanto a essas senhoras, veja que se dizem CATÓLICAS, cujo significado é UNIVERSAIS, portanto nada a ver com ser CRISTÃS. Nenhuma diferença em relação aos ateus, apenas como você diz com outras palavras, puro STATUS. Pseudo, diga-se.
Uma grande "contribuição" do comunismo russo, foi fazer com que a ICAR, ao combater o comunismo, se aliasse no outro extremo, aos paises "cristãos", na execução dos piores crimes humanitários. Como ainda hoje.

Responder

    Emilio Matos

    07 de março de 2012 às 18h30

    O que ateus têm a ver com a história?

Aline C Pavia

07 de março de 2012 às 16h43

Me desculpem as "católicas" (sic), mas em 2012, só engravida quem quer.
Aborto NÃO É método contraceptivo e ponto final.
Enquanto o aborto for tratado, pelas "católicas", no mesmo campo de pílula, camisinha e DIU, a discussão segue morrendo no nascedouro.
As "católicas" querem amparo legal e seguridade de saúde para transarem à vontade e "resolverem" assim o "problema" depois? É esse o valor que as "católicas" cultivam? Se querem realmente exercer sua plena sexualidade, que o façam com responsabilidade, educação e informação.

Responder

    Aline C Pavia

    07 de março de 2012 às 16h43

    A pretexto de requererem para si o direito sobre seus próprios corpos, transformam e deturpam o debate misturando diversos matizes da mesma questão.
    As "católicas" deveriam estar lutando no mundo inteiro pelo pleno acesso feminino à educação sexual, controle de natalidade, métodos anticoncepcionais, aconselhamento e planejamento familiar, e mutirões de vasectomia e laqueaduras. Previna-se essas milhões de gravidezes indesejadas ANTES. Eduque-se. Informe-se. Democratize-se.
    Ou seguiremos convivendo com abortos clandestinos, malfeitos, milhares de óbitos e mutilações, e milhões de "abortos-vivos" nos orfanatos, abrigos, semáforos, viadutos, cracolândias e pinheirinhos. Simples assim.

    Alice Matos

    07 de março de 2012 às 18h11

    Dona Aline C Paiva, a senhora está se fazendo de besta e tergiversando, não é? Tome juízo ou algo que o valha. As Católicas defendem os direitos reprodutivos em toda a sua plenitude e em todos os aspecto, pena a senhora não saber o que é isso.
    Quem vc acha que é para dizer o que as Católicas devem fazer? E a senhora faz o que?
    Aprenda a respeitar quem merece respeito e seja menos carola para o bem do mundo.

    Julio_De_Bem

    07 de março de 2012 às 22h54

    Quem está agredindo ela Alice, é você. Você que não mostra nenhum respeito em suas palavras.

    Se você ler todo o texto aí em cima, vai perceber que tudo que ela fez foi contestar os argumentos que o são expostos. E eu particularmente concordei com tudo que a Aline Escreveu. Pra mim, os argumentos são fraquíssimos e só podem levar a algum debate aqui. Onde as coisas são decididas, tal texto seria motivo de chacota ao meu ver.

    ghuil

    08 de março de 2012 às 00h25

    A Igreja Católica também é contra métodos contraceptivos.
    O que torna aposição das católicas mais difícil de sustentar. Elas deveriam simplesmente abandonar a fé católica. Ou melhor abandonar o teísmo por completo.

Willian

07 de março de 2012 às 16h06

Fui criando no catolicismo, mas hoje não sou mais. Por que? Ora, eu não concordava com muitos coisas no catolicismo e por isto me afastei. Sei lá se não seria o caso destas senhoras tomarem a mesma atitude. Como fazer parte de um clube do qual não aceitamos as regras? A Igreja Católica, em todas as suas instãncias é contra o aborto. A explicação para continuarem se dizendo católicas é que, caso fossem só mais um grupo que defende o aborto, sua visibilidade seria nula. Mas se dizendo católicas, conseguem se fazer notar, pois se torna uma discidência dentro do catolicismo, um contraponto. Saberão estas senhoras rezar o terço ou um Salve Rainha?

Responder

    Euclides

    07 de março de 2012 às 17h05

    Willian, Embora não seja católico, concordo, totalmente, com você, essa história de se dar o título de católica é um insulto aquela denominação. Duvido, que, em qualquer agremiação, alguém que não respeite os seus estatutos, saia gritando, aos quatro ventos, que é contra o que ela defende, não seja expulsa, ou adote ou crie uma nova com outro nome.

    Wildner Arcanjo

    31 de março de 2012 às 12h55

    Enfim, Hipócritas.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!