VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Política

“Terminado o julgamento do mensalão, Barbosa será destruído pela imprensa”


20/05/2013 - 20h20

Juliano Breda: “O ministro Joaquim Barbosa é uma pessoa com qual nenhum diálogo inteligente pode ser travado”

do Blog do Esmael, sugestão de Iza

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seccional Paraná, Juliano Breda, disse nesta segunda-feira (20), em ato político pela criação dos Tribunais Regionais Federais (TRFs), em Curitiba, que é impossível travar diálogo inteligente com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa.

“O ministro Joaquim Barbosa é uma pessoa com qual nenhum diálogo inteligente pode ser travado”, afirmou Breda para o auditório lotado de lideranças políticas e empresariais.

O presidente da OAB-PR foi ovacionado pelos presentes quando assegurou que o presidente do STF não entende nada de Direito.

“Nós todos sabíamos que o ministro Joaquim Barbosa não sabia nada de Direito. Hoje nós descobrimos que ele não sabe nada de organização judiciária no país”, discursou.

Juliano Breda afirmou ainda que a grande mídia no país vem poupando Joaquim Barbosa, pois terminado o julgamento do mensalão será absolutamente destruído pela imprensa brasileira, e com muita razão.

Para ouvir o discurso do presidente da OAB/Paraná, clique na setinha cinza.

breda_oab

Leia também:

STF paga viagem de jornalista do Globo à Costa Rica



Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

O lado sujo do futebol: Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - O lado sujo do futebol e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


80 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

M. Marx

17 de novembro de 2013 às 23h15

Agora percebi um coisa: Quando JB disse que a imprensa era de Direita, curiosamente, essa parte do discurso dele apareceu nos jornais da rede globo.
Ele fez isso de forma combinada para tirar de cima de si a pecha de direitista e, sendo, então, de “esquerda”, seria insuspeito para julgar o PT. Outra coisa: ele revelou, no Estadão, que votara no Lula e na Dilma. Ora, o normal seria ele esconder esse fato, como fazem os outros ministros, pois iria julgar membros do partido de ambos e essa declaração, em casos normais, levantaria suspeitas sobre ele. Não o fez. E não por acaso. Mas deu essa declaração sim, premeditadamente, para obter o resultado contrário.Pois ele tinha que eliminar as suspeitas sobre si. Portanto, nada mais insuspeito do que um ministro escolhido por Lula, eleitor declarado deste, condenar duramente seus companheiros de Partido. Pois assim sendo, mostraria que os condenados eram tão culpados que ficara evidente e inconteste, a ponto de um ministro escolhido por lula condenar membros do partido deste.
Era orquestrado, pois nada que saí no exíguo tempo de jornais como JN e jornal da globo, ou em jornais impressos, é por acaso ou sem interesse.

O lobby jurídico está com sangue nos olhos com JB pelo fato de ele ter barrado a criação de TRs. Sabem, porém, que ainda julgando o “mensalão”, ele está imune. Depois do término do caso, surgirão as denúncias e alguém do conselho abrirá inquérito contra ele pelo caso do AP em Miami. A mídia divulgará o AP, a empresa offshore, o endereço da JB Corps no AP funcional e pronto: Feriu a lei orgânica da magistratura. condenado!
E fim!!!

Responder

    Mário SF Alves

    23 de abril de 2014 às 20h59

    É… e não à toa fica cada vez mais evidente a importância da lógica na consolidação da Democracia neste imenso, riquíssimo e por isso mesmo tão vilipendiado País.

    É por aí, companheiro.

Dilma indica Luís Roberto Barroso para o STF; Serrano elogia - Viomundo - O que você não vê na mídia

23 de maio de 2013 às 17h44

[…] “Terminado o julgamento do mensalão, Barbosa será destruído pela imprensa” […]

Responder

Jose Mario HRP

23 de maio de 2013 às 09h23

http://ajusticeiradeesquerda.blogspot.com.br/2013/05/novamente-o-ministro-joaquim-barbosa.html?view=classic

Aqui o perfil verdadeiro desse homem que alguns usam como instrumento politico para minar o Congresso, o governo popular e o próprio STF!
Ele simplesmente jamais deveria ter sido colocado no Supremo!

Responder

Jose Mario HRP

22 de maio de 2013 às 10h15

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=MFAWWbL19FA

Agora ele quer duas cabeças:
Gurgel e Barbosão!

Responder

Jose Mario HRP

22 de maio de 2013 às 08h53

Vai sair pra presidente pelo PSC!
KKKKKKKK….

Responder

Messias Franca de Macedo

22 de maio de 2013 às 01h11

[O PIG INTENSIFICA ‘A OPERAÇÃO DESMONTE DO JOAQUINZÃO’! ‘FAVAS CONTADAS ANUNCIADAS’, CONVENHAMOS!

######################

“Por que a mídia demorou tanto a fazer o óbvio? A resposta aqui é relativamente fácil: pelas grotescas relações de camaradagem entre jornalistas e juízes do Supremo. Quantas vezes você viu Merval Pereira abraçado a Gilmar Mendes e Ayres Britto, para ficar num caso simbólico? Você acha que, consolidada a amizade, o jornalista vai investigar qualquer coisa?
Várias vezes o Diário lembrou a grande divisa de um dos maiores editores da história do jornalismo, Joseph Pulitzer: “Jornalista não tem amigo”.
Bem, é evidente que as mordomias não se limitam às viagens.
O Diário [do Centro do Mundo] espera novos fatos.
E, modéstia à parte, se orgulha de ter contribuído para que se levantasse um tema de enorme interesse público quando a mídia se ocupava de louvar, como escreveu a Veja numa capa que vai para a antologia do mau jornalismo, “o menino pobre que mudou o Brasil”.

Por jornalista Paulo Nogueira

http://www.diariodocentrodomundo.com.br/as-mordomias-aereas-que-o-contribuinte-paga-sem-saber-a-jb-e-companheiros-de-supremo/

Responder

Messias Franca de Macedo

22 de maio de 2013 às 00h57

As mordomias aéreas que o contribuinte paga sem saber a JB e companheiros de Supremo

DIARIO DO CENTRO DO MUNDO 20 DE MAIO DE 2013

O Estadão revelou como é gerido o dinheiro público no STF.
O Diário se orgulha de haver estimulado a investigação dos gastos do Supremo com a revelação, há poucas semanas, de que Joaquim Barbosa patrocinara a viagem de uma jornalista do Globo para a Costa Rica.
Ele estava garantindo, assim, uma cobertura muito mais publicitária que jornalística para sua passagem irrelevante editorialmente pela Costa Rica, para falar, sabe-se lá por que, num debate sobre liberdade de imprensa.
O Diário sugeriu que as grandes organizações investigassem, em nome do interesse público, os gastos do STF.
O Estadão acaba de trazer parte do pacote.
É uma parte expressiva, mas limitada às viagens. Por ela você pode imaginar o que emergirá quando o pacote de despesas com dinheiro do contribuinte for revelado.
O Supremo gastou 2,2 milhões de reais de recursos públicos no pagamento de passagens aéreas para os ministros da Corte e suas mulheres entre os anos de 2009 e 2012.
Segundo o levantamento do jornal, feito com dados oficiais do STF, o dinheiro foi gasto até no período de férias no Judiciário, chamado de recesso forense.
O principal nome que surge nas mordomias é, naturalmente, Joaquim Barbosa.
De cara fica o seguinte: faleceu espetacularmente qualquer pretensão presidencial, tal o poder dos fatos.
Observemos as atitudes de Barbosa, segundo o Estadão.
(…)

Em http://www.diariodocentrodomundo.com.br/as-mordomias-aereas-que-o-contribuinte-paga-sem-saber-a-jb-e-companheiros-de-supremo/

Jornalista Paulo Nogueira

LÁ VEM O MATUTO COM o ‘DIÁRIO DO MENTIRÃO’ NAS MÃOS!…

“Meu ‘fi’ não há nada ‘mió’ do que o dia que ‘assucede’ o outro!” Minha saudosa – e sábia – avó!

(“Aqui se faz, aqui se paga!” São as Leis do Universo, estúpido!…)

… FALTAM AINDA, O MENSALEIRO Robert(o) Gurgel, O MENSALEIRO DEMotucano Marconi ‘Periggo’,…

República de ‘Nois’ Bananas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Messias Franca de Macedo

22 de maio de 2013 às 00h51

As mordomias aéreas que o contribuinte paga sem saber a JB e companheiros de Supremo

O Estadão revelou como é gerido o dinheiro público no STF.

O Diário se orgulha de haver estimulado a investigação dos gastos do Supremo com a revelação, há poucas semanas, de que Joaquim Barbosa patrocinara a viagem de uma jornalista do Globo para a Costa Rica.
Ele estava garantindo, assim, uma cobertura muito mais publicitária que jornalística para sua passagem irrelevante editorialmente pela Costa Rica, para falar, sabe-se lá por que, num debate sobre liberdade de imprensa.
O Diário sugeriu que as grandes organizações investigassem, em nome do interesse público, os gastos do STF.
O Estadão acaba de trazer parte do pacote.
(…)

em http://www.diariodocentrodomundo.com.br/as-mordomias-aereas-que-o-contribuinte-paga-sem-saber-a-jb-e-companheiros-de-supremo/

Jornalista Paulo Nogueira

Responder

Messias Franca de Macedo

22 de maio de 2013 às 00h20

O MENSALEIRO ‘RANDOLFE BEIJA-MÃO DO GILMAR RODRIGUES’! ENTENDA O QUE SIGNIFICA ‘DOMINIO DO FATO’!

Perícia confirma: foi Randolfe que assinou

Laudo técnico feito pelo perito Ricardo Molina atesta que são mesmo do senador Randolfe Rodrigues (PSol-AP) as assinaturas em recibos da propina que era recebida na Assembleia Legislativa do Amapá; ex-presidente da Assembleia denunciou esquema de mensalão no estado que teria beneficiado o então deputado Randolfe com depósito de R$ 20 mil; no mês passado, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, mandou arquivar a denúncia, alegando não ser crível que um parlamentar assinasse recibos…
(…)

FONTE: mídia nativa

########################

LÁ VEM O MATUTO COM o ‘DIÁRIO DO MENTIRÃO’ NAS MÃOS!…

“Meu ‘fi’ não há nada ‘mió’ do que o dia que ‘assucede’ o outro!” Minha saudosa – e sábia – avó!

(“Aqui se faz, aqui se paga!” São as Leis do Universo, estúpido!…)

… FALTAM AINDA, O MENSALEIRO Robert(o) Gurgel, O MENSALEIRO DEMotucano Marconi ‘Periggo’,…

República de ‘Nois’ Bananas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Messias Franca de Macedo

21 de maio de 2013 às 23h26

… LÁ VEM O MATUTO COM ‘O DIÁRIO DO MENTIRÃO’ NAS MÃOS!…

“Meu ‘fi’ não há nada ‘mió’ do que o dia que ‘assucede’ o outro!” Minha saudosa – e sábia – avó!

(“Aqui se faz, aqui se paga!” São as Leis do Universo, estúpido!…)

… FALTAM AINDA, O MENSALEIRO Robert(o) Gurgel, O MENSALEIRO DEMotucano Marconi ‘Periggo,…

República de ‘Nois’ Bananas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

adao silva

21 de maio de 2013 às 19h06

Os poderosos donos da grande midia são todos racistas …o joaquim barbosa é o unico negro que eles adoram sendo a unica coisa que agradecem o lula.Um empregado poderoso que eles teem.Nós todos estamos esperando ele mexer no Mensalão do DEM e PSDB aí sim :será um grande justiceiro!!!!!

Responder

Roddrigo

21 de maio de 2013 às 18h58

Barbosão falou, mais uma vez, a verdade sobre o Congresso Brasileiro. Lula, à sua época de oposição, dizia que naquelas casas havia 40 ladrões. Hoje se fosse falar, Lula teria que refazer as contas.

Responder

Valcir Barsanulfo

21 de maio de 2013 às 18h09

Perfeita a afirmação. O Catão de Partacatu não sabe a dimensão de seu cargo de ministro.

Responder

Fabio Passos

21 de maio de 2013 às 17h54

joaquim barbosa… o negro que os racistas adoram.

Capacho e assim mesmo.
E usado ate ficar gasto. Ai jogam fora…

Responder

ricardo silveira

21 de maio de 2013 às 16h51

Considerando o que vi no julgamento do “mensalão” e o que vejo no exercício da presidência do STF, o ministro Joaquim Barbosa não tem equilíbrio e discernimento para estar no STF. Mas o que preocupa mais, pois, para resolver fica mais difícil, é que durante o julgamento do “mensalão” ele foi acompanho por gente de qualificação e caráter duvidosos e por gente tida como respeitável. O fato, entendido por muita gente séria que viu o julgamento, é que o tal do “mensalão” não passou de um “mentirão”. Acho que esse STF tem que se acertar com a Justiça, pois está levando o país para uma crise absurda, em plena democracia.

Responder

    Fabio Passos

    21 de maio de 2013 às 18h15

    joaquim barbosa entra pra historia por atirar o stf no esgoto!

    O stf rasgou a constituicao e condenou cidadaos brasileiros sem provas… baseado em reporcagens do PiG.

Apavorado por Vírus e Bactérias

21 de maio de 2013 às 14h58

O sujeito quis dizer que o ministro é orelhudo e rabudo? Que nada. É tapar o sol com a peneira. Barbosa está a serviço das forças mais conservadoras.

Responder

RicardãoCarioca

21 de maio de 2013 às 13h56

JB quer PiG.

Jô Gurgel quer PiG.

Demotucanos e comparsas são os bandoleiros da política nacional, pois contam com a ocultação dos seus crimes pela mídia e com o corpo mole e até do desinteresse dos patamares mais altos da justiça.

PiG só quer quem lhe interesse. Muitas das vezes, esse interesse é momentâneo.

Responder

Marcos Pereba

21 de maio de 2013 às 12h49

Barbosa: descartável feito fralda de bebê.

Responder

lulipe

21 de maio de 2013 às 12h24

O ministro Joaquim errou apenas em dizer o que disse ocupando o cargo que ocupa, mas não disse nenhuma inverdade.O que temos no Brasil são arremedos de partidos, onde cada um pensa primeiro em seu projeto de poder, depois pensa, novamente, no projeto pessoal e aí, só depois, pensa mais uma vez em seu projeto pessoal.E quem legisla no Congresso é o Executivo por meio de infindáveis MP´s.Parabéns Ministro falta só efetivar a condenação dos mensaleiros, colocando-os na cadeia.

Responder

    Bonifa

    21 de maio de 2013 às 12h54

    Parabéns, Lulipe, você redescobriu a pólvora. E quando pensamos que até o Partido Nacional Socialista alemão também se enquadrava neste maldito comportamento, vamos mais além, a Cícero, para entender que em Roma também já era assim. A Humanidade, definitivamente, não presta. O único lugar do mundo que é perfeito deve ser aquele que o Joaquim se declara fascinado por seu direito: Os Estados Unidos.

Willian

21 de maio de 2013 às 11h54

Incrível como vocês só acusam os adversários daquilo que vocês mesmos fazem. Dizem que JB será destruído pela imprensa quando não mais servir.

Exatamente o que a blogosfera está fazendo com ele AGORA quando não serviu aos interesses do PT no mensalão. Lembrem-se que JB foi o relator, mas quem condenou foi o plenário do STF. Delúbio por unanimidade, Genoíno teve apenas o voto de Lewandoviski e José Dirceu o de Lewandoviski e o do seu ex-empregado Toffoli.

Responder

    Julio Silveira

    21 de maio de 2013 às 19h26

    Concordo em genero numero e grau contigo. Muitos não querem se enxergar mas percebo a existencia de um DNA hipocrita que permeia muitos irmãos adversários.

wladimir

21 de maio de 2013 às 11h21

Está claro que JB é o personagem dispensável e útil da mídia oligárquica golpista e da elite decadente, alçado ao posto de herói pelos mesmos à partir do julgamento da AP 470; primeiramente por se tratar de um negro e, em segundo por ter sido escolhido por Lula, dois atributos que a trupe reacionária detesta. Hoje está claro para ambos os lados que ele não tem a estatura moral para o cargo que ocupa, tampouco o necessário saber jurídico necessário para compor a Suprema Côrte; e mais, nada entende de democracia ao não permitir o contraditório e agredir aqueles de divergem de suas opiniões e pontos de vista. No entanto, essa mesma trupe ainda o engole, principalmente a imprensa golpista, por que ainda lhes é útil, e não tenho dúvida que Juliano Breda tem razão: quando deixar de ser útil aos seus propósitos, esta se encarregará de jogá-lo ao lugar onde sempre considerou (embora ainda não confesse) pertencer.

Responder

Murdok

21 de maio de 2013 às 11h12

Sr Joaquim Barbosa, eu nao sou advogado, mas o sr. não acha que até prova em contrário todo réu é inocente?

Responder

    RicardãoCarioca

    21 de maio de 2013 às 13h45

    Talvez o JB te responda: “Dependerá de qual partido político ele pertencer”.

Marco Galo

21 de maio de 2013 às 11h06

Também não gosto do perfil do Min. Barbosa, pois é muito autoritário, porém todos o ser humano médio sabe que os Presidentes das OABs em todos os Estados e da Federal só querem saber de fazer política. Vide o “pavão” do D’ Urso em SP, entre inúmeros outros fatos lamentáveis, com o ” Movimento Cansei “

Responder

José Ricardo Romero

21 de maio de 2013 às 11h04

Pois eu torço para que ele saia candidato a presidente, porque ele perde e de quebra tem que abandonar o judiciário. Ainda de quebra, mostrará que tamanho tem o contingente de tolos que existe neste país. Glória das glórias, já pensaram se o joaquim, que perde, tem mais votos que o Aécio ou o Serra?

Responder

    PedroAurelioZabaleta

    21 de maio de 2013 às 12h53

    hahaha… muito boa. abç

Julio Silveira

21 de maio de 2013 às 10h01

Cada dia que passa me torno mais fã do Ministro Barbosa. Quer por atingir com suas colocações o Stablishment dominante, quer por não compactuar com acordos politicos nefastos ao interesse publico. Onde ao publico não é dado conhecer sequer um decimo das compactuações que produzem a cultura que nos engessa, nos enrola e nos tira a dignidade de cidadãos.
Tem gente boa que prefere apoiar nossa farsa de congresso,nossa farsa democratica, essa mesmo que tem ajudado a formar lideranças entre oligarcas e reforçar esses poderes, de modo formal ou camuflados( vejam a midia corporativa). Outra farsa vem de um executivo fraco que é obrigado a não exerce as promessas de campanha por ter que conciliar com este congresso de donos do Brasil. O Ministro tem sido certeiro e agido de forma exemplar na tentativa de mostrar ao cidadão o nivel de hipocrisia que vigora nas instituições é que balizam nossa sociedade. Isto irrita. A posição exposta por esse cidadão da OAB soa, usando o sentido figurado, como apenas como mais um grito vindo de uma dessas representantes da vida facil que teve exposta suas partes intimas sem o devido pagamento.

Responder

Mardones

21 de maio de 2013 às 09h23

O presidente da OAB seção Paraná quer defender os seus interesses. Joaquim Barbosa – no quesito criação de novos TRF’s – foi muito claro: o problema do acesso à justiça no Brasil está na primeira instância e não nos TRF’s.

Vão chafurdar no CN!!!! k k k k k k

O Vi o mundo, ao divulgar nota do presidente da OAB-PR, não contribui para a discussão do fato.

Eu tb digo não à criação de novos TRF’s!!!!!!!!!!!!!!!!!

Precisamos de mais juízes de primeira instância!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Responder

    Jose Mario HRP

    21 de maio de 2013 às 10h40

    Se aquele troglodita fosse a favor do nazismo, esses caras também , tal qual macaquinhos de imitação, o apoiariam!
    Mas creiam, nem JB, nem o PSDB/DEM/PPS vão a lugar algum criando seguidos factóides e farsas processuais.
    A Dilma vai se reeleger, e se brincar,faz o sucessor.

    Bonifa

    21 de maio de 2013 às 12h24

    Os tribunais federais a serem criados são insuficientes. Precisaríamos, com extrema necessidade, de no mínimo mais três tribunais, além daqueles. Alguém em sã consciência pode achar normal que um único tribunal regional seja responsável pelas demandas de Acre, Amapá, Amazonas, Bahia, Distrito Federal, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Piauí, Rondônia, Roraima e Tocantins? Absurdo igual apenas quando Lisboa, na elaboração da Constituinte do novo governo liberal, queria que o Brasil não contasse com uma corte suprema de apelação, tendo as demandas brasileiras de passarem meses e anos esperando que a Corte de Lisboa decidisse os casos mais comezinhos. Resultado: Achou-se melhor a separação imediata do Brasil.

    Ricardo JC

    21 de maio de 2013 às 22h44

    Não merece nem resposta pelo tamanho da bobagem que foi escrita…

Bonifa

21 de maio de 2013 às 09h16

Joaquim Barbosa deu uma palestra para estudantes universitários em Brasília. O presidente do nosso Supremo Tribunal Federal. Sentenciou, com a simplicidade de quem bate um papo no botequim da esquina, que os partidos políticos (todos) do Brasil são partidos de “mentirinha”, são ajuntamentos sem ideologia (e sem princípios, ficou subentendido) que buscam apenas o poder pelo poder. E que o Congresso Nacional é inteiramente subordinado ao Poder Executivo, já que vota preferencialmente matérias favoráveis ao Governo Federal.
É inútil tentar ver em Barbosa um ministro do Supremo Tribunal Federal. Tampouco não se pode vê-lo como um super-cientista político. Muito menos como um filósofo da política contemporânea. E nem sequer como um analista político, mesmo que fosse um analista medíocre. Entretanto, algum daqueles estudantes que ouviram o Joaquim Barbosa, poderia muito bem ter-lhe esclarecido que, quando o povo brasileiro, por meio de seu voto soberano, eleger a oposição como sendo a maioria no Congresso, automaticamente o Congresso, pelo condão da Democracia, passará a não votar preferencialmente de modo favorável as matérias do executivo federal.

Responder

augusto2

21 de maio de 2013 às 09h13

A meu modo de ver, o andre valle, com quem de forma geral não concordo, não expressou bem o que talvez desejasse dizer. JB não faz agredir “os corruptos infiltrados no governo”. { MAS fez isso contra uma turma toda que a grande Midia e a Elite tem alto interesse em carimbar como grandes corruptos. E o fez de forma planejada, politicamente pontual e com muitas luzes e aplausos da mídia toda] . E ai, se iludiu com os aplausos. Mas JB não é corporativo e ataca mazelas que formam o arcabouço institucional do judiciário , legislativo e partidário há muito tempo e cuja MAIORIA não aceita reforma mesmo. Por isso reagem, aproveitando o fato Jb ser personalista, de Ego gigante e autoritário.
O Francisco parece cara que pinta com logica quadros amplos e longe, com termos q só sinalizam, sem iluminar detalhes, os caminhos das alternativas ao leitor.

Responder

    maria

    21 de maio de 2013 às 11h23

    O presidente da OAB muito contribuiria se escrevesse os porquês.
    Tudo o que precisamos é de instituições falando, discutindo, mostrando o intestino.

    O Supremo se mostrou, mais para o mal do que para o bem. No fim, o mal virou o bem. O povo que nunca antes na história deste país soube algo sobre o funcionamento do Supremo e as “condições de trabalho”, hoje sabe.

Benedito

21 de maio de 2013 às 08h22

Barbosa só será massacrado pela mídia depois que ele terminar o serviço sujo. E isso só vai acontecer depois das eleições de 2014.

Responder

lUIZ cARLOS

21 de maio de 2013 às 08h21

Porque será …Que a VERDADE dói ????????????

Responder

    Carlos Eduardo Luz- CURITIBA

    21 de maio de 2013 às 10h24

    O que dói mesmo são os resultados das urnas. Tipo SP.

Jose Mario HRP

21 de maio de 2013 às 08h08

COMEÇA-SE O DESMONTE DA FARSA:

Nem tudo está como antes
Quando li, no Valor Econômico, a entrevista em que Joaquim Barbosa denunciou um misterioso carro preto que ronda sua casa, perguntei: por que o presidente do STF não chama a Polícia em vez de denunciar o fato para dois jornalistas?

Como lembrou um advogado que conhece essas coisas, bastaria um telefonema de uma autoridade da República para que a Polícia Federal entrasse em ação – até com helicópteros, se fosse necessário.

Barbara Gancia foi mais rápida. Escreveu: “Hmmmm”.

A verdade é que acho que a fase de embargos do julgamento do mensalão está trazendo surpresas desagradáveis para quem imaginava que seria um puro espetáculo midiático.

Pontos fracos da denúncia se tornam mais evidentes, na medida em que pessoas interessadas em debater o que houve têm a possibilidade de refletir e elaborar sobre o que assistiram.

Há pontos que chamam a atenção. Está demonstrado que as penas de corrupção ativa foram definidas a partir de um erro clamoroso de datas, permitindo que os réus fossem punidos a partir de parâmetros mais duros do que a lei determinava na época em que os fatos ocorreram.

Há outros casos.

Está cada vez mais difícil demonstrar, com base nos autos, que houve desvio de dinheiro público. As auditorias não apontam para desvios nem irregularidades. As notas fiscais que demonstram serviços fiscais estão lá, os gastos das agências também.

Outro dado curioso. Existe um laudo elaborado por três peritos do Instituto de Criminalística que concluiu, após demorada apuração, que oito dirigentes do Banco do Brasil deveriam ser apontados como responsáveis pelos recursos que, conforme a denúncia, foram desviados para o esquema de corrupção.

Não estou dizendo que isso ocorreu. Estou dizendo que essa era a narrativa da acusação.

Curiosamente, o único condenado como gestor dos recursos do Visanet foi Henrique Pizzolato, que não foi acusado pelos peritos e não era o gestor daqueles recursos. O outro apontado, Luiz Gushiken, foi julgado e inocentado cinco anos depois.

Veja-se, também, o que aconteceu com a tese de “compra de votos”.

Até agora não apareceu um caso concreto de compra de votos no Congresso durante o governo Lula. Não há uma lei que teria sido aprovada com esse tipo de ajuda.

Ao contrário da emenda da reeleição, em que pelo menos dois parlamentares admitiram que haviam vendido seus votos, no mensalão não apareceu um caso concreto.

Acreditando naquilo que determinados ministros disseram durante o julgamento, insinuando que o mensalão servira para comprar votos para a reforma da previdência, o PSOL tentou entrar na festa pela porta dos fundos.

Bateu às portas do Supremo para pedir que a reforma da previdência fosse anulada. Em teoria, era muito coerente. Se a reforma foi produto de crime, os bons princípios recomendariam que fosse revogada – algo semelhante a obrigar um ladrão a devolver o dinheiro depois de um roubo.

A tese não conseguiu passar nem pelo procurador-geral Roberto Gurgel, aquele que no início do julgamento lançou a teoria da “compra de votos, compra de consciências”.

Lembrando que é preciso distinguir entre prova e presunção, Gurgel rejeitou o pedido lembrando que “não se pode presumir sem que tenha havido a respectiva condenação, que outros parlamentares foram beneficiados pelo esquema e, em troca, venderam seus votos para a aprovação da Emenda numero 41”.

É isso aí, meus amigos: presumir é diferente de provar.

Mas ficou uma pergunta: se a presunção não vale para anular a reforma, por que pode valer para condenar aquilo que se chamou de “organização criminosa”?

Nem vamos lembrar que só agora soubemos que, sob a presidência de Cármen Lúcia, ministra do STF, o Tribunal Superior Eleitoral aprova as contas de campanha do Partido dos Trabalhadores desde 2002.

De duas uma: ou o TSE não fez o serviço direito, e deve ser questionado por isso; ou o TSE fez tudo certo e então são as denúncias contra o PT que merecem ser questionadas.

É difícil negar que o comportamento de Joaquim Barbosa tem contribuído para diminuir a credibilidade das decisões do tribunal.

Em entrevista a Isabelle Torres e Josie Jeronimo, publicada pela IstoÉ que acaba de chegar às bancas, a ministra Delaíde Arantes, do TST, faz várias afirmações que traduzem um sentimento que não é só dela. “Ele faz críticas à magistratura que eu não faria, pois não contribuem para alterar nada no Judiciário”. A ministra condena o comportamento de Joaquim Barbosa no julgamento do mensalão. “Preocupam-me as declarações que ele fez ao ministro Ricardo Lewandowski. Eu não critico um colega que vota diferente de mim. Não acho que tenho esse direito. Eu realmente tenho uma preocupação com a forma como ele fala e como se coloca”.

É neste ambiente que o debate sobre os embargos terá início.

A preocupação é tanta que pretende-se submeter o ministro Teori Zavascki, que acaba de assumir sua cadeira no Supremo, a um conhecido jogo de pressões em tom patriótico.

Saudado de forma unânime quando foi indicado, Zavascki já não é festejado com o mesmo ânimo.

Isso porque é um ministro que já criticou a “banalização” do crime de formação de quadrilha – postura que, se for mantida no exame de embargos, pode beneficiar vários condenados, a começar por José Dirceu. O novo ministro tem uma postura mais cautelosa em relação a outro crime, lavagem de dinheiro, e, numa demonstração de apego ao princípio da soberania popular, já deixou claro que, em sua opinião, apenas o Congresso tem o direito de interromper o mandato de políticos eleitos.

Nesse ambiente, procura-se ressuscitar o coral cívico que fez a trilha sonora do julgamento.

É um perigo.

Os embargos são a última oportunidade para se evitar possíveis erros e contradições de um julgamento que terminou em penas pesadas, que implicarão em anos de perda de liberdade.

É bom que os fatos sejam examinados com serenidade.

Paulo Moreira Leite

http://www.istoe.com.br/colunas-e-blogs/colunista/48_PAULO+MOREIRA+LEITE

Responder

Jose Mario HRP

21 de maio de 2013 às 08h06

JB novamente falando “adoidado”!
Partidos de mentirinha e outras pérolas.
Collor usou esse expediente em 1989, e deu no que deu.

Responder

    Mário SF Alves

    21 de maio de 2013 às 11h13

    Quem semeia vento… colhe tempestade. E, Joaquim, o inquisidor-mor, ultra incensado pelo PiG, já se tornou um mestre na arte dos ventos espalhados. Assim, dialeticamente, quem sabe, a coisa que engendrou todo esse maldito capitalismo subdesenvolvimentista não desanda de vez.
    _______________________________________

    É… PiG, melhor cuidar do Plano B, senão… nem a CIA vai dar conta.

Maria Fulô

21 de maio de 2013 às 06h15

Toda essa movimentação da mídia em torno de Joaquinzão tem uma finalidade única, tirar o PT do Governo. Mas até eles já perceberam que o homem é um fio desencapado… mas não vão descarta-lo assim tão rápido. Ele com certeza é um dos trunfos do PIG para tentar levar a eleição presidencial ao 2o Turno. Vamos ver de que forma ele será usado em 2014 além dos serviços que já prestou – e continua prestando – comandando o Show do Mensalão (do PT).

Responder

Vlad

21 de maio de 2013 às 01h01

Não só esse dotô, ex-candidato único, empoçado na OAB do “exemplar” Paraná, mas diversos outros causídicos parecem estar tremendamente interessados em entrar nos “novos TRF” (empacados por conta do JB) pelos “quintos” (dos infernos ou não).
Se o Bar Bosa tivesse sido a favor dos “novos TRF’s” (bilionária extravagância na época do processo digital) possivelmente seria um gênio inalcançável da ciência jurídica e um incomparável maestro da administração judiciária.

Mas ok…ajudem a criar mais esses sorvedouros.
Basta segurar o piso dos professores nos milão por mês que, esticando bem, acho que o dinheiro dá.

Responder

Francisco

20 de maio de 2013 às 23h45

É uma pena. Como afrodescendente sinto ser uma pena.

Poderia ter feito História.

Optou por confirmar ditados racistas secularmente repetidos.

Uma lástima.

Será declarado louco no dia em que resolver (se resolver…) julgar o mensalão tucano ou a Satiagraha.

Para provar sua demencia, tudo o que precisarão fazer é reprisar o julgamento do mensalão…

PS. E o mensalão NÃO será anulado, a despeito da tal “loucura”.

Responder

Fabio Passos

20 de maio de 2013 às 22h49

joaquim barbosa bancou o capacho da “elite” branca e rica ao condenar cidadaos brasileiros sem provas na farsa do mentirao.

O PiG manda… seu boneco no stf obedece.
E eles pensam que ninguem percebe.

Quando perder a utilidade sera descartado.

Responder

jose carlos santini

20 de maio de 2013 às 22h45

O JUDICIÁRIO É INEFICIENTE, PREGUIÇOSO E CORRUPTO.

Responder

FrancoAtirador

20 de maio de 2013 às 22h37

.
.
A caminha dele já tá pronta desde que ele disse umas verdades pro Gilmar.

Só ganhou uma sobrevida, precisamente porque já era o relator do Mensalão.

Mas creio que o levarão até a eleição de 2014, quando termina o mandato,

pois o vice-presidente é o Lewandowski, que dá faniquitos na direita real.

Ademais, a Mídia Bandida tem muito o que extrair daquela língua insensata.
.
.

Responder

    Fabio Passos

    20 de maio de 2013 às 23h24

    O boneco do PiG pensa que ninguem percebe…

Jaimão

20 de maio de 2013 às 22h28

“Nós todos sabíamos que o ministro Joaquim Barbosa não sabia nada de Direito. Hoje nós descobrimos que ele não sabe nada de organização judiciária no país”, discursou. Todos nós, menos o Lula, né!

Responder

Roberto Locatelli

20 de maio de 2013 às 22h11

A motivação de Lula foi nobre: colocar um negro no STF. Mas Lula errou feio na escolha.

Joaquim Batman é peça-chave no golpe de estado em preparação. Se o golpe tiver sucesso, ou se fracassar, Batman será descartado pela elite e sua mídia.

Responder

    Willian

    21 de maio de 2013 às 08h13

    Uai, quer dizer que Lula só o colocou lá por ser negro? Quer dizer que para um negro chegar lá um branco teve que escolhê-lo mesmo não sendo o melhor?

    Quem disse isto no momento da escolha foi considerado racista, né Locatelli?

    Máscaras caem!

    Ronaldo Silva

    21 de maio de 2013 às 15h58

    Vc está agredindo o Locatelli gratuitamente. É pessoal? É público e notório, e ele fez questão de afirmar, que Lula escolheria um paulista, um nordestino e um negro para ocupar as vagas abertas no STF.

Hélio Pereira

20 de maio de 2013 às 22h10

Joaquin Barbosa é uma “Fraude”,pois segundo o Pres da OAB PR,esta sendo preservado apenas,porque interessa a midia que ele julque o “Mensalão”,depois sera destruido por esta mesma midia que lhe “puxa o saco” nos dias de hoje.
Joaquin Barbosa tem prazo de Validade,o “Mensalão” depois…!

Responder

anderson

20 de maio de 2013 às 21h45

denuncia:
http://www.novojornal.com/politica/noticia/psdb-s-a-de-partido-politico-a-empresa-de-sociedade-anonima-20-05-2013.html
PSDB S/A. De partido político a empresa de Sociedade Anônima
Aécio quer agora privatizar o partido transformando o mesmo em uma grande empresa em 2014

A imprensa que cobriu a convenção nacional do PSDB trouxe a seus leitores uma informação incompleta, pois neste evento não houve qualquer votação tão pouco vitória. Até mesmo o mais desinformado veículo sabia que o ocorrido foi apenas a consumação de uma estratégia montada por setores do partido para entregar a Aécio um partido que seria extinto.

Por traz da transação estavam poderosos grupos financeiros internacionais que, a exemplo do ocorrido na década de 50 e 60, através do IPES/IBADE, desta vez resolveram comprar o PSDB entregando-o a Aécio Neves, na tentativa de através do mesmo interferir no quadro político nacional. FHC foi o fiador da “negociação”.

Os desafetos de Aécio alegam o ter abandonado por se um traidor, despreparado e desonesto, e seus defensores argumentam que seus erros só ocorreram em função dele estar doente, incapaz de resistir às pressões do “Grupo Mineiro”, pois embora com pouca idade já sofra pesado desequilíbrio emocional devido sua dependência química.

Independente da avaliação destes dois motivos um fato é indiscutível, o senador Aécio Neves (PSDB-MG), a custa de muito dinheiro internacional e através de suas próprias pernas, caminhou para seu extermínio político em função do modelo adotado por seu grupo para capturar o PSDB.

Embora se imagine que um partido político tenha como objetivo exclusivo fazer política, nos últimos anos a legislação eleitoral permitiu que através dos mesmos operasse um esquema secreto de arrecadação e distribuição de recursos financeiros privados. As famosas doações ocultas às quais a lei eleitoral garante sigilo, ao não obrigar que os partidos as tornem públicas.

O método que o “Grupo de Minas” quer adotar, transformando o partido em uma empresa sem dúvida alguma em menos de um ano transformar-se-á em um gigantesco escândalo, pois os esquemas operados de maneira clandestina por Andréa Neves, conforme noticiado por Novojornal, nas matérias; “Andréa Neves: A Dama de R$ 2 Bilhões de Reais” e “SERVAS, a grande lavanderia do Governo Mineiro”, que em função das publicações foram suspensas agora passaram a ser executados no PSDB.

Nem mesmo a advertência de pessoas mais experientes ou a sinalização clara ocorrida na ultima sexta feira 17, um dia antes da convenção nacional do PSDB que o conduziu a presidência do partido, quando Aécio Neves reservou em uma churrascaria em Brasília serviços para 150 convidados e só conseguiu reunir 21 parlamentares metade dos integrantes apenas da bancada de deputados federais do partido, sendo oito de minas, foi capaz de despertar nele desconfiança do que estava preste a ocorrer.

A grande maioria dos ausentes justificou o seu não comparecimento a uma demonstração clara de que não compactuavam com a farsa que estava sendo montada, isentando-se de futuras criticas, pois não queriam envolver-se nesta pesada trama, alguns que jamais imaginaram tal ato já cogitavam sair do partido.

Aécio irá presidir um partido que se esgotou diante da falta de programa e projeto político, sua gestão tentara tornar o partido numa empresa e a sigla num produto, na verdade um rico comitê eleitoral para sua candidatura a presidência, igual modelo já adotado em Minas Gerais, sobre controle do denominado “Grupo Mineiro”.

De uma bancada de 99 deputados federais em 1998, ultimo período do governo FHC o PSDB encolheu para 54 parlamentares 15 anos depois, mostrando que embora a grande imprensa destaque apenas as derrotas dos candidatos à presidência neste período, constata-se que com o termino do governo FHC a agremiação partidária derreteu em todo Pais.

Exemplo deste expressivo declínio é a redução ocorrida nas bancadas federais da Bahia que em 1998 era de 6 deputados hoje são 2,Ceara que eram 12, hoje são 2, Rio de Janeiro que eram 12 hoje são 2 e nos demais Estados embora menos significativos ouve decréscimo, em nenhum ocorreu aumento de parlamentares.

Novojornal cita o ocorrido na Câmara Federal, embora no Senado nas Assembléias, Câmaras Municipais, Prefeituras e Governo dos Estados tenham ocorrido semelhante diminuição de representação, devido ao fato de sua composição ser o mais fiel retrato da vontade popular, pois atende a regra da proporcionalidade de votos obtidos pelos partidos em todos os Estado da Federação.

Fruto de uma dissidência do PMDB que se encontrava no Poder e sem qualquer identidade ideológica ou programática entre seus membros, o PSDB formou-se como aglomerado de políticos unidos para obterem vantagens do então fragilizado presidente Sarney. Com o Impeachment de Collor o grupo foi levado ao Poder sem ter ganhado qualquer eleição, tudo através da posse do vice Itamar Franco.

Eleito em função do sucesso do plano econômico do governo Itamar, que obtivera a estabilização da moeda, o PSDB sem uma proposta clara e não tendo prestado qualquer serviço à sociedade, recebeu um cheque em branco utilizando-o apenas para atender os interesses econômicos internacionais fixados no denominado “Consenso de Washington”.

Consenso de Washington são um conjunto de medidas, formulado em novembro de 1989 por economistas de instituições financeiras situadas em Washington D.C., como o FMI, o Banco Mundial e o Departamento do Tesouro dos Estados Unidos, fundamentadas num texto do economista John Williamson, do International Institute for Economy, e que se tornou a política oficial do Fundo Monetário Internacional em 1990, quando passou a ser “receitado” para promover o “ajustamento macroeconômico” dos países em desenvolvimento que passavam por dificuldades.

Segundo Dani Rodrik: “Enquanto as lições tiradas pelos proponentes (do Consenso de Washington) e dos céticos diferem, é legítimo dizer que ninguém mais acredita no Consenso de Washington. A questão agora não é saber se o Consenso de Washington ainda vive; é saber-se o que deverá substituí-lo”.

Mostrando ser verdadeira á afirmativa de Ciro Gomes, de que: “Aécio Neves Le pouco”, ou seja, não tem qualquer formação ou cultura, o senador mineiro passou a defender o que chama de conquista do período FHC, ignorando o que o próprio ex-presidente alertara 13 anos atrás, na abertura do Seminário Rio Cooperativo 2000, sobre a superação do Consenso de Washington ao afirmar: “imaginávamos que a desregulamentação dos mercados e a aceleração do progresso tecnológico, por si sós, iam trazer prosperidade para todos, os anos 90 desmentiram essa ideia”.

Análise que acabou comprovada através da eleição de Lula em 2002. FHC mostrando ser um bom analista do que ocorrera, contudo expôs despreparo para perceber o que ocorreria no futuro, pois informava ainda que a superação do Consenso de Washington não significa “uma volta ao estado de bem-estar social” e que o colapso soviético feriu de morte a economia planificada.

Defendia ainda que “o Estado nacional é pequeno demais para lidar com os problemas internacionais como clima, finanças e internet, e é grande demais para questões locais como educaçã e saúde”, mostrando que o próximo passo se o PSDB permanecesse no governo seria a privatização destes setores.

Agora em 2013, Aécio em seu discurso na convenção do PSDB afirmou que o momento era apropriado para o reencontro com a história do partido, de lembrar os êxitos e de reconhecer os equívocos. “Erramos por não ter defendido, juntos, todo o partido, com vigor e a convicção devidos, a grande obra realizada pelo PSDB, que representa a base do Brasil moderno”, disse.

Aécio afirmou ainda que se houvessem defendido o legado de FHC, não haveria “apropriação” da obra que antes era combatida pelo PT. Para o mais inocente analista político, trata-se apenas de um discurso, receitado pelo “Grupo Mineiro”, na tentativa de conseguir o apoio de FHC para suas pretensões, que se encontra sem qualquer respaldo em São Paulo.

Despreparado para exercer o Governo de Minas, como denunciado diversas vezes por Novojornal, o “Grupo Mineiro”, verdadeiros donos da carreira política de Aécio cuidaram dele como um produto a ser vendido através da mídia, apropriando-se do Patrimônio Público Estadual para formação de um gigantesco caixa capaz de bancar seu projeto político.

Desde o final do ano passado sabia-se da existência de articulações dentro do PSDB, no intuito de fundir o partido ao PPS criando uma nova sigla no intuito de retirar de suas lideranças a impopularidade e o estigma das medidas tomadas no governo FHC e permitindo que lideranças de outros partidos a exemplo do PP, DEM, migrassem para formar um grande partido de oposição.

Porém, esta iniciativa vinha de encontro às pretensões de Aécio que já investira pesadamente nas instâncias regionais do PSDB, obtendo o controle do partido, sem dizer o risco de na nova legenda não ter a maioria necessária para bancar sua candidatura à presidência de República.

Outra opção seria fundar um novo partido para abrigar a candidatura de Aécio. Ciente das dificuldades os donos da candidatura de Aécio optaram pelo espolio, transformando o PSDB em comitê eleitoral. Para justificar esta captura Aécio Neves passou a defender o que seria o motivo da possível fusão, a impopularidade do governo do ex-presidente FHC.

Após a convenção do PSDB, inicia-se nesta semana o planejado pelos donos da candidatura de Aécio Neves através de sua promoção no horário eleitoral gratuito, em contra partida a grande maioria dos integrantes do PSDB já se preparam para deixá-lo sozinho, principalmente porque á exemplo do ocorrido quando o deputado Eduardo Azeredo presidia o PSDB, Aécio devera tornar-se ainda este ano réu perante o STF por crimes praticados.

É em função deste fato que diversos políticos atribuem a manutenção da candidatura de Aécio a presidência da republica, uma vez ser publico o comportamento seletivo e político partidário, do procurador geral da republica, Roberto Gurgel, assim com do Ministro do STF Joaquim Barbosa, não existindo outra explicação para se encontrar paralisado sem qualquer justificativa na PGR oito procedimentos investigatórios contra Aécio, assim como o Mensalão Tucano no STF.

Para integrantes da PGR após a saída de Gurgel do cargo de Procurador Geral e diante da participação de Aécio na Lista de Furnas, no Mensalão do PSDB, seu enriquecimento ilícito através de rádio e jornais, remeça e manutenção irregular de moeda no exterior, alem de duas ações civis publicas em tramitação perante o TJMG, por ter “desaparecido”, com R$ 4,5 bilhões de reais da área da Saúde do Estado de Minas Gerais, e com a nomeação dos novos ministros do STF outros procedimentos serão instalados.

Um dia após o novo presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), atacar o governo Dilma Rousseff, defender o legado do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e as privatizações do governo tucano, os petistas tentaram minimizar o discurso do provável adversário da presidente Dilma Rousseff na sucessão presidencial de 2014.

Aos ouvidos dos aliados de Dilma, as declarações do tucano demonstraram “carência de conteúdo” e evidenciaram a “falta de contato” com a realidade da população. “Ele tinha de consultar mais o povo. Ele não pode falar coisas tão fora da realidade, fora da vida das pessoas. Quem sabe viajando agora pelo País ele aprende um pouco”, ironizou o secretário nacional de Comunicação do PT, Paulo Frateschi.

Para o secretário-geral do PT, deputado federal Paulo Teixeira (SP), o discurso do tucano não traz novas contribuições ao debate nacional e reforçam que ele “tem pouco a dizer ao Brasil”. “Demonstra um discurso que não mobiliza o País”, avaliou. O petista acredita que, ao abordar a questão da inflação, Aécio não conseguirá provocar uma mobilização significativa porque, em sua visão, as políticas adotadas pelo governo para controlar a alta dos preços “são eficazes”. “Esse tema da inflação está sob controle, não há perigo (de atingir o governo). Não é uma reflexão que mobiliza as pessoas”, concluiu.

Teixeira considera ainda que o resgate do legado de FHC pelo senador é tardio. “Ele agora tenta ressuscitar um governo que o povo brasileiro já se esqueceu”, afirmou.

Responder

    Alexandre Aguiar

    21 de maio de 2013 às 08h50

    E o que é que isso tem a ver com o artigo sobre Joaquim Barbosa?

Julio Fernandez

20 de maio de 2013 às 21h45

Caro Willian

Não se trata de uma questão de racismo, mas de sanidade mental. JB surpreendeu a todos com sua decadência ética. O poder e a mídia lhe deixaram míope de bom senso, e sem noção dos seus limites. JB Surtou, e o pior acredita que evoluiu.

Responder

    willian

    20 de maio de 2013 às 22h10

    A decadencia só foi percebida a partir do julgamento do mensalão.

    Sei…

    claudia

    20 de maio de 2013 às 23h38

    Willian eu nunca acendi incensos para Joaquim Barbosa, pois sempre preferi o outro candidato, o preterido, tbém negro que entrou na lista para o Supremo mas não teve lobby suficiente para vencer Barbosa.
    Então, sugiro que vc faça uma pesquisa no seu meio social( tenho certeza que tem amigos que atuam na área do Direito) pergunte aos 4º anistas de direito que porventura conhecer – não precisa ser de conceituadas faculdades, não! – o que são embargos infringentes e o cabimento dos mesmos.
    Pergunte aos estudantes e então comece a mensurar o “ilibado saber jurídico” do atual Presidente do Supremo.
    Vc vai perceber que, com um pouquinho de incenso, qualquer um deles poderia sentar-se naquela cadeira!

    priscila maria presotto

    16 de novembro de 2013 às 04h31

    A decadencia de JB foi percebida pelos seus pr’prios erros e arrogância ao conduzir o julgamento.Debochou dos advogados de defesa ,chamou Lewandowisk de chicano ; umas das maiores ofensas no mundo jurídico.JB é um maníaco por grandeza ,mas lhe falta coerencia e serenidade .Ainda tem em seu dna a promotoria pública

Messias Franca de Macedo

20 de maio de 2013 às 21h43

… E o que dizem agora aqueles que comungavam a tese da ‘INveja’ de que “[Joaquim Barbosa é] o menino pobre que mudou o Brasil”!?…

PÊSAMES!

República Desses Bananas Golpistas/Terroristas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

francisco pereira neto

20 de maio de 2013 às 21h41

Se a própria classe corporativa do judiciário vem fazendo críticas sobre a postura de Joaquim Barbosa, como presidente do STF, quer seja, negro, branco, de direita, de esquerda, do centro, da beirada, em cima do muro, pobre, rico, careca, cabeludo, homem, mulher, gay… em qual desses voce se encaixa? Ou o Barbosão não deve ser submisso ao conjunto do pensamento da sociedade brasileira. E eu que achava só o Gilmar Mendes uma droga…

Responder

    francisco pereira neto

    20 de maio de 2013 às 21h44

    Acabei me esquecendo.
    É para voce Willian, responder.

Messias Franca de Macedo

20 de maio de 2013 às 21h37

… [‘Joaquim Coitado do Ruy Barbosa’]… Não passa de um rábula, ego inflado pela conveniência do PIG, boçal, incoerente e eivado de soberba!… Trágico início de um fim melancólico!…

República Desses Bananas Golpistas/Terroristas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

    Mário SF Alves

    21 de maio de 2013 às 10h20

    Messias, por favor, e com todo respeito que você merece, jogue tudo isso no tabuleiro desse xadrez maluco [ultra-complexo] chamado política brasileira.
    ____________________________________
    Vai que o Joaquim [coitado do Rui] Barbosa seja exatamente a peça que faltava. Claro, até agora, só rasgos de fascismo; só fio desencapado; só ações visando a desmoralização da política, mas… e por isso mesmo… por ter sido [e ser] publicamente incensado/chancelado pelo PiG… vai que, por isso mesmo, ele, de choldra, não leva junto a casa-grande pro buraco.
    ______________________________________________
    Quem sabe, não seria este o famoso tiro que insiste em pipocar pela culatra. Afinal, foi o gênio Lula que botou ele lá. Então… vai que…

    Messias Franca de Macedo

    21 de maio de 2013 às 16h58

    Prezado Mário SF Alves, com todo o respeito e consideração que você merece, considero que a conduta do ‘Joaquim [Coitado do Ruy] Barbosa’ é típica de um estabanado, maleficamente impiedoso, suscetível a jogos que misturam elementos aleatórios e interesses escusos e, portanto, inconfessáveis!…

    … Enfim: o que sei – e espero – é que não devem ficar impunes as ações deletérias à democracia e “as lambanças” perpetradas por esse Joaquinzão!…

    Felicidades ao amigo!

    Hasta la Victoria Sempre!

    Saudações democráticas, progressistas, nacionalistas, antigolpistas e civilizatórias,

    Messias Franca de Macedo
    Feira de Santana, Bahia
    República de ‘Nois’ Bananas

Fabio Passos

20 de maio de 2013 às 21h27

E assim que a casa-grande trata seus vassalos: suga tudo o que puder e atira fora o bagaco.

Responder

Messias Franca de Macedo

20 de maio de 2013 às 21h27

… Aqui pra ‘nois’ “essa pedra ‘nois’ já cantávamos há muito tempo”!… “NUMDIZÍAMOS”?!: tão logo a farsa do julgamento do MENTIRÃO comece a produzir desdobramentos prejudiciais à “grande” mídia, os [nefastos] patrões barões liberarão “os seus jornalistas” a começarem “descer a madeira” no ‘Joaquim Coitado do Ruy Barbosa’! É o lucro, estúpido!…

… Ademais, o PIG necessita de um álibi!… E de mais audiência!…

República Desses Bananas Golpistas/Terroristas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

pereira

20 de maio de 2013 às 21h20

O barbosa só vai sentir a ira da elite quando não ser mais nada.

Responder

Rose PE

20 de maio de 2013 às 21h03

Joaquim está detonando geral, já falou em palestra o que pensa do legislativo federal. A imprensa criou a cobrinha agora aguentem! Desarmonia total entre os poderes judiciário e legislativo. Estou adorando a briguinha! Quero ver como vai acabar tudo isso!

Responder

Gerson Carneiro

20 de maio de 2013 às 20h46

Tão certo quanto o show de final de ano do Roberto Carlos na Rede Globo.
A diferença é que esse show eu vou curtir.

Responder

willian

20 de maio de 2013 às 20h37

Quando foi escolhido por Lula não era possível questionar sua competência. Quem o fizesse seria imediatamente tachado de racista. Parece claro agora que foi escolhido por Lula apenas por ser negro. Contudo não contavam que JB pensria por si mesmo, sem ser submissso aos brancos que o colocaram lá.

Este foi seu erro, não fez o que esperavam dele.

Responder

    Amarilio Dantas

    20 de maio de 2013 às 20h49

    Pensar por si próprio, não quer dizer que esteja certo, o que ele fez até agora foi uma merda atrás da outra independente de sua cor, até porque cor, não é sinônimo de capacidade, independente se é preta, branca ou amarela.

    José Silva

    20 de maio de 2013 às 21h11

    Eu acho que o erro dele foi tratar iguais de forma diferente. A conta virá e eu vou assistir atentamente, de camarote!!!

    Luiz Fernando

    20 de maio de 2013 às 21h23

    A questão não é se ele é negro, branco, vermelho, amarelo ou cor-de-rosa. O problema é o despreparo para ao cargo. Imagine a presidente Dilma falando que o STF não cumpre as suas funções constitucionais. Crise na certa e muitos falando em impeachment da presidente. Além de despreparado, JB é autoritário e arrogante, ao ponto de humilhar colegas magistrados, intimidar jornalistas, tratar advogados com desrespeito, ser intolerante com pessoas que dele divergem. Está certo – e muito – o presidente da OAB/PR.

    Aline C Pavia

    21 de maio de 2013 às 11h03

    Depois que ele levantar o rabo de cima da Satiagraha, Privataria e AP 536 Mensalão Tucano aí volto a ter respeito pelo Torquemada Barbosa. Enquanto isso é outro rola-bosta da imprensinha.

    Abel

    21 de maio de 2013 às 22h57

    Ué, william, mudou de lado? Você não assina aquela revista que estampou na capa o “menino pobre que mudou o Brasil” ( e eu não estou falando do Lula)? Agora que serviu aos interesses dos seus patrões, o menino pobre pode voltar para a senzala?


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!