VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Política

Comissão rejeita reparação ao dedo-duro Anselmo


22/05/2012 - 23h19

Comissão nega indenização ao Cabo Anselmo, militar que trocou a luta contra a ditadura pelo apoio ao regime

22/05/2012 – 20h03

Danilo Macedo

Repórter da Agência Brasil

Brasília – A Comissão da Anistia do Ministério da Justiça negou na noite de hoje (22) o pedido de reparação e ao ex-marinheiro José Anselmo dos Santos, de 70 anos, conhecido como Cabo Anselmo. Dos 60 mil casos analisados, este foi o primeiro que tratou de um agente duplo, que atuou tanto como colaborador do regime militar quanto na resistência à ditadura.

O assunto aguardava decisão desde 2004, quando Anselmo protocolou o pedido de anistia no ministério, alegando que, antes de colaborar com o regime, na década de 1970, foi perseguido, preso e exilado na década de 1960. Ele pediu à Comissão de Anistia uma reparação de R$ 100 mil.

O relator do caso, o ex-ministro da Secretaria de Direitos Humanos e atual presidente da Fundação Perseu Abramo, Nilmário Miranda, votou, no entanto, pelo indeferimento do pedido, avaliando que, além das dúvidas de que Anselmo era agente infiltrado desde o início do regime militar, “não cabe ao Estado, em nenhuma hipótese, reconhecer anistia a pessoa que participou em atos de repressão ilícita e, portanto, não cabe discutir sobre eventuais reparações”.

Segundo o Ministério da Justiça, há registros de que informações fornecidas por ele contribuíram para a morte de mais de 200 opositores ao regime, incluindo militares e a mulher dele, a paraguaia Soledad Viedma, na época, grávida de sete meses.

Como esse julgamento foi de turma, composta por 12 conselheiros, Anselmo ainda pode recorrer ao plenário da comissão, com um total de 24 conselheiros. Seu procurador, no entanto, o advogado Luciano Blandy, disse que não tem contato com

Cabo Anselmo desde novembro de 2011 e que se comunica com ele por meio de amigos próximos. Por isso, ainda não sabe se vai recorrer da decisão. O prazo para recurso é 30 dias.

Além do caso de Cabo Anselmo, a Comissão de Anistia julgou hoje os casos de Ana Lúcia Valença de Santa Cruz Oliveira e Anivaldo Pereira Padilha, pai do ministro da Saúde, Alexandre Padilha. Estes, no entanto, foram considerados anistiados políticos e terão direito à indenização.

Edição: Vinicius Doria

Leia também:

Bernardo Kucinski: Quem foi que financiou a repressão?

Ivan Seixas, sobre a Folha da Tarde: O jornal que matava nas manchetes

Ivan Seixas: Otavião tinha medo de ser fuzilado

Rose Nogueira: A ficha (verdadeira) da Folha

Maria Victoria Benevides: O esqueleto no armário

Beatriz Kushnir: Quem eram os cães de guarda

Beatriz Kushnir: Como a mídia colaborou com a ditadura

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



20 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Jáder

25 de maio de 2012 às 16h16

Manda ele pedir indenização aos que o contrataram pra servir de delator e cachorro da ditadura. No mais, bom seria se ele aparecesse de vez pra galera fazer com ele o que ele permitiu que fizessem com aqueles a quem entregou. Cara de pau tem limite.

Responder

Fabio Passos

23 de maio de 2012 às 19h02

Creio que agora só resta ao cabo anselmo pleitear um emprego de colunista na revista veja.
A revista veja é o lugar certo para sujeitos desta laia.

Mas se não conseguir vaga, porque na veja já tem pilantra saindo pelo ladrão(literalmente…), pode buscar uma vaga na globo, fsp(como motorista…) ou no estadão.

Responder

Elias

23 de maio de 2012 às 11h42

Pensei em fazer um rápido comentário sobre esse senhor, mas seria como chutar cachorro morto. É o tipo da situação que é preferível esquecer ou não lembrar. Que se arquive apenas para futuros estudos sobre traidores oi infiltrados profissionais.

Responder

Rodrigo Leme

23 de maio de 2012 às 11h27

Cara de pau demais. Já não chega pagar indenização pra assassino de esquerda, tem que sustentar vagabundo que nem esse?

Responder

    abolicionista

    24 de maio de 2012 às 01h07

    Ora, você sustenta 31 subprefeitos em São Paulo, a maioria deles praticou torturas e participou de grupos de extermínio, o Cabo Anselmo, não fosse seu passado “subversivo”, poderia pleitear uma vaguinha dessas, né?

    Mário SF Alves

    26 de maio de 2012 às 12h46

    Viu essa, Abolicionista?
    Amigo podre é vagabundo! É phoda, cara. E tentam botar na mesmíssima roda “podre” aqueles que se insurgiram contra o Estado de Fato, o tal estadinho ditatorial; só deles.

Ana Cruzzeli

23 de maio de 2012 às 11h10

Deveria existir uma prática tipo: Todo dedo duro que pedir indenização terá o dedo cortado.
Esse cara merece o tal do esculacho na rua

Responder

Dionísio

23 de maio de 2012 às 10h36 Responder

Mello

23 de maio de 2012 às 10h05

Bem-feito, prá esse cara de pau!!!

Se o inferno existir: “No último círculo infernal (nono) não há fogo, e sim frio. Lá ficam os traidores. Os três maiores são Judas, Brutus e Cassius. Lúcifer está lá e devora os três”.

Desejo que vivas muito, para ver a vitória dos que foram atraiçoados.

Responder

Mardones Ferreira

23 de maio de 2012 às 10h02

Só faltava o Cabo Anselmo receber indenização, depois de virar a casaca e, inclusive, entregar a própria esposa para tortura. Além de contribuir para várias pessoas serem torturadas. Seria o fim!

Responder

Aracy

23 de maio de 2012 às 07h22

Pois não só esse dedo duro desclassificado não merece receber nada como ainda deveria indenizar a família da Soledad e o povo brasileiro pelo mal que lhes causou durante a ditadura.

Responder

Cláudio

23 de maio de 2012 às 06h13

“Se você não for cuidadoso, os jornais farão você odiar as pessoas que estão sendo oprimidas, e amar as pessoas que estão oprimindo” – Malcolm X (1925-1965).

“Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corruta formará um público tão vil como ela mesma.” – Joseph Pulitzer (1847-1911).

Ley de Medios, já ! ! ! Comissão da Verdade, já ! ! !

Responder

Gerson Carneiro

23 de maio de 2012 às 04h27

Isto é uma piada de mau gosto.

O torturador pedindo indenização por ter machucado a mão nos dentes do torturado. Era o que faltava.

Se essa bizarrice fosse concedida, o vapor (criança que “trabalha” para o tráfico) poderia ir à Justiça do Trabalho reclamar direitos trabalhistas contra o gerente da “biqueira”.

Responder

    Mário SF Alves

    26 de maio de 2012 às 12h52

    Sim e não, caro Gerson. Ou seja, direito à indenização todos eles tinham de ter. Não pelo tráfico, óbvio, mas, pela precária condição cultural (massificação-deseducadora-mídio-corporativa) e econômica que ainda os aflige, claro.

Yarus

23 de maio de 2012 às 03h38

Só no Brasil, torturador quer ser indenizado por ter ferido a mão na cara do torturado.

Responder

ZePovinho

23 de maio de 2012 às 01h29

Alguém aí pode confirmar se o Cabo Anselmo foi contemporâneo de pai,tio ou algum parente nas escolas e aprendizes marinheiros???Meu pai,que morreu no domingo,sempre disse que nunca havia conhecido um colega de classe desse dedo-duro sergipano.

Responder

    Mário SF Alves

    26 de maio de 2012 às 13h41

    ZePovinho,
    Aceite, por favor, minhas condolências pelo falecimento do seu pai.

    Luiz Carlos Azenha

    26 de maio de 2012 às 14h06

    Ze Povinho, aceite os pêsames do Viomundo. Um forte abraço. Azenha

trombeta

22 de maio de 2012 às 23h52

Além de assassino e traíra o cara é muito cara de pau.

Responder

SILOÉ-RJ

22 de maio de 2012 às 23h36

Esse espiäo duplo apesar de tudo, näo se deu mal. Vai continuar recebendo em sua conta, o pró- labore que a velha mídia em mais um golpe, queria transferir para os cofres públicos, achando que ainda somos idiotas.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.