VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Denúncias

Nassif: Jogo sujo nada tinha de ‘faxina’


17/04/2012 - 21h55

Mídia
17.04.2012 15:32
Veja e a CPI de Cachoeira

por Luís Nassif, na Carta Capital, sugerido por FrancoAtirador

A tentativa da Veja e do PT de contrapor a julgamento do “mensalão” à CPI de Cachoeira interessa apenas a ambos, não ao conjunto da opinião pública e, principalmente, aos poderes constituídos – Judiciário (incluindo Ministério Público), Legislativo.

O “mensalão” já são cartas dadas. Já houve o impacto político em 2006, as investigações,  um inquérito volumoso que já está no STF (Supremo Tribunal Federal). Provavelmente a maioria dos ministros tem opinião formada e não vai se deixar influenciar pelo noticiário.

Daí o inusitado da capa da revista Veja, insinuando que a CPI de Cachoeira visa jogar cortina de fumaça sobre o “mensalão”.

Na verdade, o que está em jogo é algo suprapartidário e muito mais grave do que denúncias políticas: a parceria entre Veja e o bicheiro Carlinhos Cachoeira, ao longo dos últimos oito anos.

Na matéria de capa, Veja compara-se ao promotor que propõe ao réu a “delação premiada”. Trata-se de um instituto, previsto em lei, pelo qual o réu tem abrandamento de pena se se dispuser a entregar escalões mais altos da organização criminosa.

No caso de Cachoeira, tal não ocorria. As matérias fornecidas pelo bicheiro serviam para detonar quadrilhas rivais, fortalecendo seu poder. Mais que isso, juntos, Cachoeira e Veja transformaram o senador Demóstenes Torres no político mais influente da oposição.

Graças ao prestígio bancado pela revista, Demóstenes conseguia penetrar nos diversos departamentos da administração pública, defendendo pleitos do bicheiro.

A revista sustenta que a parceria com o bicheiro visou levantar denúncias que permitissem limpar o país.

A história não mostra isso.

No caso do grampo sobre a propina dos Correios, houve o claro propósito de beneficiar Cachoeira. O diretor da revista supervisionou pessoalmente o grampo, até julgar que estava eficiente. Depois disso, segurou a notícia por um mês, dando tempo ao esquema Cachoeira fazer o uso que bem quisesse. Publicada a denúncia, conseguiu-se o afastamento do esquema Roberto Jefferson dos Correios, e seu lugar ocupado novamente por esquema ligado ao próprio Cachoeira – que, dois anos depois, foi desbaratado pela Polícia Federal.

No episódio Satiagraha a revista usou os mesmos métodos. Para paralisar as investigações – que levariam inevitavelmente a Daniel Dantas -, a revista soltou uma série de matérias montadas.

Foi assim com a capa “O país do grampo”, que juntava um conjunto de informações desconexas, para passar a impressão que a Polícia Federal estaria grampeando meio mundo. Na verdade, a usina de grampos era do próprio Cachoeira.

O mesmo ocorreu com o “grampo sem áudio” – o falso grampo que teria interceptado uma conversa entre o Ministro Gilmar Mendes, do STF, e o senador Demóstenes Torres.

A falta de limites era tal que a revista publicou um dossiê contra o Ministro Edson Vidigal, do Superior Tribunal de Justiça, que havia dado uma sentença contra Dantas.

Era uma armação tão descarada, que a reportagem anunciava uma representação de uma ONG junto ao CNJ (Conselho Nacional de Justiça), contra Vidigal. A representação baseava-se na própria reportagem da revista – que ainda nem tinha sido publicada.

Leia também:

Golpe na Venezuela: A celebração no Brasil



Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

O lado sujo do futebol: Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - O lado sujo do futebol e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


42 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

EUA: Uma economia abduzida por extremistas « Viomundo - O que você não vê na mídia

22 de setembro de 2014 às 12h13

[…] Nassif: Jogo sujo nada tinha de ‘faxina’ […]

Responder

CartaCapital: Mino Carta e as trevas ao meio-dia « Viomundo – O que você não vê na mídia

04 de maio de 2012 às 13h28

[…] Nassif: Jogo sujo nada tinha de ‘faxina’ […]

Responder

Antonio Brasil

29 de abril de 2012 às 00h24

Os Civita, de origem italiana, foram expulsos da Argentina, onde implantaram uma revista, chamada Panorama, com a qual tentaram fazer a imprensa marrom que praticam aqui com a revista Veja, em busca de contratos milionários para a editora e a gráfica Abril.

Responder

Nassifucusfobética

19 de abril de 2012 às 16h02

De fato, são esse safados que querem até tratar por caloteiro quem consegue milhões emprestado do BNDES, com anos de carência e taxa de juro abaixo da poupnaça, e depois não pode pagar nem a primeira prestação.

Responder

Café no Bue- MG

19 de abril de 2012 às 14h39

Este pessoal desta Revista InVeja são verdadeiros Criminosos. Vejam como eles tentam pautar o Futuro Ministro do STF Ayres de Brito.
Se fosse o Gilmar e o Marcos PavãoAurélio tudo bem. Eles adoram aparecer nas tais páginas amarelas. Mas, depois desta CPi a maioria dos Políticos vão correr léguas de distancia desta InVeja. Ninguém vai querer ter seu nome ligado a estes mafiosos!

Responder

José Reinaldo

18 de abril de 2012 às 19h31

quando aglobo fala em democracia fico todo arrepiado,uma empresa que ajudou aditadura todo tempo,junto com a veja,estadão,folha de s.paulo.

Responder

José Reinaldo

18 de abril de 2012 às 19h27

esses bandidos da grande mídia se acham onestos, mais meu chapel sumi.

Responder

José Reinaldo

18 de abril de 2012 às 19h23

O que eu vejo que parte da mídia toda vida se beneficiaram, da corrupção, outra coisa aí todo mundo e tirado a direito mais meu chapel sumiu.

Responder

Hélio Pereira

18 de abril de 2012 às 18h38

Cadeia para os Editores,Diretores e Jornalistas que se uniram ao crime organizado pra obter vantagens,Cadeia a toda cupula da VEJA e principalmente a seu dono,que sempre disse que" iria partir pra Guerra contra o Governo do PT"

Responder

Geloca

18 de abril de 2012 às 14h34

Cláudio, o mais importante é isso: MOBILIZAÇÃO POPULAR

Responder

José DF

18 de abril de 2012 às 01h15

Se a opinião pública conhecer os métodos sorrateiros empregados pela veja, será difícil para a globo continuar repercutindo as matérias produzidas pela revista. O esquema clandestino de arapongagem arquitetado entre a revista e o bicheiro precisa ser investigado. A reabertura do episódio do grampo no STF é providência necessária ao esclarecerimento definitivo do embuste, para apontar a responsabilidade dos envolvidos na fraude.
A globo compartilha o mesmo temor experimentado pela veja. Melar o julgamento do mensalão acarretaria um custo político incalculável à oposição.

Responder

FrancoAtirador

18 de abril de 2012 às 00h46

.
.
Líderes protocolam requerimento para criação de CPMI
17/04/2012 – 21h54

Por Mariana Jungmann e Iolando Lourenço, repórteres da Agência Brasil

Brasília – Com 340 assinaturas de deputados e 54 de senadores, o requerimento de criação da comissão parlamentar mista de inquérito (CPMI) que irá investigar o empresário Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira, e suas relações com agentes públicos e privados foi protocolado esta noite (17), na Mesa Diretora do Senado.

Os líderes partidários da Câmara compareceram ao Senado, todos juntos, para levar os documentos que reuniam as assinaturas de suas bancadas. Em seguida, foi a vez do líder do PT no Senado, Walter Pinheiro (BA), levar à secretária-geral da Mesa Diretora, Claudia Lira, o requerimento subscrito pelos senadores. Segundo ele, ainda há mais 13 assinaturas com o líder do PTB, senador Gim Argello (DF), que deverão ser entregues ainda hoje. Com elas, são 67 assinaturas de senadores ao todo.

Agora, segundo Cláudia Lira, o Senado e a Câmara farão a conferência das assinaturas para verificar possíveis irregularidades, como duplicidade de nomes. São necessárias a subscrição de 27 senadores e 171 deputados. Se o número for atingido corretamente, a primeira-vice-presidente do Congresso Nacional, deputada Rose de Freitas (PMDB-ES), será comunicada para que possa convocar uma sessão conjunta para ler o requerimento e oficializar a criação da CPMI. A deputada está presidindo o Congresso na licença do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), internado no Hospital Sírio-Libanês.

A expectativa dos líderes é que Rose de Freitas convoque a sessão para a próxima quinta-feira (19). Na opinião deles, não há motivos para mais demora na instalação da comissão, uma vez que todos os partidos políticos declararam apoio à CPMI. Pinheiro, no entanto, foi cauteloso e evitou marcar uma data para o início dos trabalhos. “Vamos aguardar o resultado das conferências [das assinaturas] para não ficarmos dando datas e depois corrigir. Vamos evitar fazer ilações ou conjecturas. Cada coisa a seu tempo”, disse.

Para o líder do PSOL na Câmara, deputado Chico Alencar (RJ), o próximo desafio para a investigação será a composição da CPMI. Alencar acredita que o envolvimento de parlamentares e governadores de partidos de oposição pode fazer com que a CPMI seja controlada e não se aprofunde nas investigações.

“Os ramos de Cachoeira são muito grandes, o esquema dele envolve grandes partidos. A sociedade precisa ficar atenta”, declarou. “A CPMI pode ter um empate estratégico de que ‘eu poupo os seus e você poupa os meus’. Criar a comissão, dado o volume de escândalos e o clamor popular, foi fácil. Agora vamos ver como vai ser a indicação dos componentes”, completou.

Se a sessão conjunta do Congresso for realmente convocada para quinta-feira, os partidos farão suas indicações para a as vagas da CPMI proporcionalmente às bancadas que ocupam no Senado e Na Câmara. Serão 16 deputados e 16 senadores titulares.

Edição: Aécio Amado

http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2012-04-1

Responder

    Café no Bule- MG

    19 de abril de 2012 às 14h33

    Se esta situação se configurar "Eu poupo os seus e você poupa os meus" Então é melhor fecharmos Senado e Cámaa e jogar as chaves fora e começarmos a pensar em outro regime.
    Não vai dar pra aguentar embrulhação.

Marcio H Silva

18 de abril de 2012 às 00h32

Cadê o Gustavo Pamplona?

Responder

Delano

18 de abril de 2012 às 00h22

Abaixo-assinado – QUEREMOS O DEPUTADO FEDERAL DELEGADO PROTÓGENES QUEIROZ NA PRESIDENCIA DA "CPI DO CACHOEIRA"
http://www.peticaopublica.com.br/?pi=P2012N23400

Conto com seu apoio: assine e compartilhe a petição abaixo e faça a sua parte.
Vamos juntos lutar contra a corrupção!
http://blogdoprotogenes.com.br/

Responder

Francisco

18 de abril de 2012 às 00h11

Se vai ter CPI, vai ter que ter até o talo.

Responder

Marat

17 de abril de 2012 às 23h59

Veja (mar de lama) tinha cachoeira como fonte e só publicava cascata… Lógico que isso iria parar no esgoto!

Responder

Marat

17 de abril de 2012 às 23h51

Passeata na Av. Paulista contra as pilantragens da imprensa!!!!!!!!!!!!!

Responder

Marat

17 de abril de 2012 às 23h50

Para o bem do Brasil essa revista merece punição exemplar!

Responder

Yarus

17 de abril de 2012 às 23h39

"Não podemos confundir jornalistas com bandidos"

"Protógenes Queiroz diz que há banditismo na imprensa e cita Veja e ISTOÉ"
[youtube KoyzI-bWKkQ&feature=player_embedded http://www.youtube.com/watch?v=KoyzI-bWKkQ&feature=player_embedded youtube]

Responder

    EUNAOSABIA

    18 de abril de 2012 às 04h53

    Dada: "Fala Professor""""….

    Paladino: """Fala meu Mestre"….

    Quem será que eles pensam que enganam?

    Jorge Nunes

    18 de abril de 2012 às 08h45

    Nós temos um problema, a mídia fez parceria com crime organizado e benefício de um contraventor. A mesma mídia ataca quem tenta investigar o mesmo contraventor.

    O tal contraventor colocou um agente seu no seio da oposição conservadora para defender seus negócios. E este agente ganhou notoriedade com a participação da mídia a serviço do contraventor.

    E você diz que o agente público, que queria levar o contraventor para cadeia é que está enganando?

    Aline C Pavia

    18 de abril de 2012 às 09h04

    E você ainda joga milho pra bode. Não perca seu tempo respondendo a miquinhos amestrados. Meu papagaio na gaiola repete qualquer bobagem que ensinam pra ele. E a ração nem é tão boa assim.

Fabio Pinho Secti

17 de abril de 2012 às 23h15

O Lula que sangue, O Nassif quer sangue…Então que seja feita segundo a Vossa Vontade, mas…

Ah! Se eu fosse o Demo, me aposentava e ia viver um Hotel fazenda

Responder

nelson

17 de abril de 2012 às 23h10

A marginal do rio Pinheiros está fedendo tanto que urubu voa com uma asa só.com a outra tapa o nariz,a cpi vai fazer jornalistas da oia sujar os dedos,federal neles.

Responder

O_Brasileiro

17 de abril de 2012 às 23h04

À Globo interessa o julgamento político do Dirceu e do Genoíno pelo STF. Isso ajudaria a encobrir o fato de que sua principal fonte, a Veja, tinha como uma das principais fontes um criminoso, chefe de uma quadrilha especializada em fraudes, corrupção e grampos ilegais!
Quem se colocou na defensiva foi a própria mídia golpista, ao atribuir à revista Veja o papel de coluna vertebral do esquema que tem seu cérebro no Jardim Botânico.
Só o tempo e a história nos dirão se o papel do Genoíno e do Dirceu acabou após lutarem contra a ditadura e a ajudarem a defenestrar a quadrilha do FHC do poder antes que aniquilassem com o país, ou se farão mais.

Responder

Ary

17 de abril de 2012 às 23h02

Se o governo federal continuar comprando publicidade nessa revista merece apanhar de relho. Se algum gestor der entrevista para essa revista merece apanhar com o cabo do relho.

Responder

Regina Braga

17 de abril de 2012 às 22h37

Parceria com o crime organizado é crime…O que a revista Òia fazia ou faz é detonar todos,que ficam no caminho do crime organizado.A revista é a porta voz e a porta vida dos demotucanos e de seu cinismos.Mensalão já foi apurado,tudo o que foi coletado está no STF…Zé Dirceu,quase foi literalmente linchado,e há, quem se preocupe, com o pré-julgamento do jornalista da Veja.Ninguém se preocupou com o Zé! O caso Murdoch, perto da revista Òia, é uma cantiga de ninar.

Responder

ricardo silveira

17 de abril de 2012 às 22h37

E o PSDB não entra na história? Eles assistiram tudo sem participar? Puxa, devem estar boquiabertos? São uns anjos. A Privataria Tucana vem por aí para começar a mostrar quem são.

Responder

Cesar

17 de abril de 2012 às 22h31

Eu tenho a impressão que Goebels reencarnou na redação da veja!

Responder

Luis Fernando

17 de abril de 2012 às 22h27

Agora, não importa mais nada disso. 330 deputados e 66 senadores já assinaram a CPI. Inclusive aproximadamente 100 petistas, aqueles que não queriam a CPI, segundo a fascista revista. Estou louco pra ver a manchete desse papel higiênico em forma de revista da semana que vem. É a oportunidade única que nós, homens de bem desse país, temos para nos livrarmos desse periódico que faria inveja até mesmo a Goebels.

Responder

    Aline C Pavia

    18 de abril de 2012 às 09h06

    A oposição só assinou depois que o PT já tinha conseguido quórum tanto na Câmara quanto no Senado.

    RicardãoCarioca

    18 de abril de 2012 às 09h12

    Alguém teria coragem de usar o papel tóxico daquela revista Veja como papel higiênico? Ela não serve nem para isso.

claudio

17 de abril de 2012 às 22h15

O mais importante, deve ser a mobilização do povo brasileiro e exigir que passe a limpo o Brasil!

Responder

Gerson Carneiro

17 de abril de 2012 às 22h07

Cachoeira está sendo levado para Brasília para montar o equipamento para gravar a CPI.
Experiência em gravação é com ele mesmo.

Responder

    Tetê

    17 de abril de 2012 às 22h32

    Acertou na mosca mestre Gerson!

    Lenin

    18 de abril de 2012 às 00h27

    …cachoeira,já foi demonstrado,é perigoso -n dá p/ trata-lo como prisioneiro comum;transferí-lo p/ Brasilia por ele,entre outros motivos,n ser acusado de "crime hediondo",é algo infantil.Gostaria,se possível,maiores esclarecimentos…embora,se saiba,q,decisão judicial,se cumpre,n se questiona.Mas tudo q envolve cachoeira,parecer beneficiá-lo,é questionável (dentro das regras do famoso Estado Legal de direito).

    Café no Bue- MG

    19 de abril de 2012 às 14h26

    Cachoeira é um arquivo vivo e deixá-lo na mesma cela com vinte pessoas é pedir pra arrumar o maior banzé. "Cês" já imaginaram se "apagam" o homem. Este pessoal é perigoso e ´ é bem capaz de "suicidá-lo". Ministério Público , cuidado.

    Cristiana Castro

    18 de abril de 2012 às 13h21

    Cachoeira em Brasília é para ameaçar meio mundo. Só ter conseguido a transferência, já indica muita coisa. QQ bandido precisa ficar perto de sua base, fica muito mais fácil para receber "visitas" e mandar os recados. foi transferido, para poder orientar melhor o pessoal. QQ um na polícia ou no judiciário sabe disso. Além disso, Veja e Globo, precisam de pauta, né?

    pperez

    18 de abril de 2012 às 21h13

    Vai para Brasilia para ficar mais pertinho de seus pupilos!!

jõao

17 de abril de 2012 às 22h06

Protógenes Queiroz diz que há banditismo na imprensa e cita Veja e ISTOÉ
Deputado diz que há banditismo na imprensa e demonstra sua indignação com as matérias veiculadas nessa semana nas revistas Veja e ISTOÉ
blog terra brasilis
http://www.youtube.com/watch?v=KoyzI-bWKkQ&fe

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!