VIOMUNDO

Diário da Resistência


Denúncias

Exigências da Fifa para a Copa violam direitos dos brasileiros


05/10/2011 - 14h52

Entidade quer punir torcedores que desistirem de ingresso comprado

do R7

A Lei Geral da Copa, encaminhada pelo governo ao Congresso Nacional no mês passado, pode dar tantos poderes à Fifa (Federação Internacional de Futebol) que algumas das principais leis de proteção ao consumidor brasileiro serão colocadas na geladeira no mês em que acontecer o evento, programado para 2014. 

O texto prevê uma série de medidas sobre os eventos esportivos internacionais vinculados à Copa do Mundo, como as responsabilidades da Fifa e da União em relação às competições e eventos paralelos, a proteção de símbolos oficiais protegidos, as punições para quem falsificar produtos licenciados e as regras sobre venda de ingressos.

Principal fornecedora de produtos da competição, a entidade pede a regulamentação de venda casada (quando alguém é obrigado a comprar um outro produto junto com o que realmente quer adquirir), a elevação da pena para quem for condenado por falsificar objetos com a marca oficial da Copa e ainda ameaça com punição quem desistir de ingressos comprados para os jogos.

A polêmica começou quando se descobriu que o projeto de lei e as exigências feitas pela Fifa entram em conflito com dispositivos já vigentes no Brasil, como o direito à meia-entrada, o Código de Defesa do Consumidor, os Estatutos do Idoso e do Torcedor e leis adotadas por alguns Estados para questões específicas, como a venda de bebidas alcoólicas.

A organização presidida pelo suíço Joseph Blatter já disse, por exemplo, que não quer que estudantes e idosos tenham direito a pagar meia-entrada para assistir às partidas. Além disso, não abre mão da venda de bebidas alcoólicas nos estádios, o que é proibido por leis estaduais, e pretende elevar a pena para quem piratear produtos esportivos.

Acontece que o maior fornecedor desses produtos é a própria Fifa, que também faz a intermediação da maioria das relações comerciais nos jogos. De acordo com o advogado do Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor), Guilherme Varella, se aprovada, a lei fará da entidade uma “superfornecedora”.

– A Fifa tem exclusividade na venda de todos os produtos e serviços cuja marca seja a Copa do Mundo, desde a negociação de transmissão das imagens até a venda de ingressos e de produtos básicos, como camisetas e canecas.

Ele diz que, como fornecedora, a Fifa deveria se sujeitar à legislação brasileira.

– A Fifa não pode ser uma exceção sob o pretexto da excepcionalidade do evento. A Lei da Copa permite que ela entre no território nacional como uma superfornecedora. Nenhum outro fornecedor terá as mesmas condições durante o torneio.

Cadeia

Mas esses não são os únicos privilégios que a entidade exige. No artigo 33, inciso III, a Lei Geral da Copa diz que a Fifa poderá estabelecer uma “cláusula penal” caso um torcedor queira desistir do ingresso “após a confirmação de que o pedido do ingresso foi aceito ou após o pagamento do valor do ingresso”.  Para valer, o texto precisa ser aprovado pelo Congresso e depois sancionado pela presidente Dilma Rousseff.

Varella afirma que, na prática, o brasileiro – que hoje tem o direito de desistir de uma compra em até sete dias – poderá ser multado e, no limite, até condenado à prisão.

– A cláusula diz que, se o consumidor desistir do ingresso, ele receberá uma multa que, se não for paga, pode se converter em uma pena que deverá ser cumprida na cadeia.

A Fifa também quer subir a pena para quem piratear seus produtos: de um a três meses para um a três anos de prisão.

– Eles se preocupam com a pirataria, mas tem preocupação quase nula com o consumidor. A Fifa atropela as leis nacionais. Em nenhum momento se fala em seus deveres e responsabilidades, mas ela responsabiliza o Brasil por eventuais problemas. É uma relação desequilibrada. Esses superpoderes eliminam a reparação aos torcedores.

Com a lei, a Fifa poderá até fazer a chamada “venda casada”, quando obriga alguém a comprar um produto para adquirir o que realmente quer.

– Eles vão poder, por exemplo, só vender para o torcedor um jogo entre Brasil e Argentina se ele também comprar o pacote que vai ter a passagem de avião e o hotel perto do estádio. Isso é proibido pelo artigo 39 do Código de Defesa do Consumidor.

A coordenadora institucional da ProTeste, Maria Inês Dolci, diz que a Lei Geral vai colocar por terra pelos menos 20 anos de lutas sociais.

– Estamos colocando em risco 20 anos de trabalho intensivo da sociedade que se organizou no Brasil. Não é fácil um país como o nosso ter um Estatuto do Idoso, um Código de Defesa do Consumidor.

Para incluir a sociedade na discussão, a entidade colocou uma petição em seu site (www.proteste.org.br) para que os brasileiros peçam mudanças no projeto. Esse abaixo assinado será entregue ao governo federal e ao Congresso.

– Temos de mostrar às autoridades brasileiras que é uma grande ameaça ter esses direitos revogados. Os direitos do consumidor não devem acabar com a Copa.

É o que pensa o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), responsável por um requerimento propondo um debate da Lei Geral da Copa no Congresso.

– A Fifa inclui uma cláusula penal para quem utilizar as marcas “Copa do Mundo”, “Brasil 2014” e “Mundial de Futebol”. Quem fizer uma pintura dessas na parede pode ficar preso de 1 a 3 meses.

Desrespeito

Para completar, há gente no Planalto que interpretou como desrespeito o fato de a presidente Dilma Rousseff não ter sido recebida pelo presidente da Fifa, Joseph Blatter, na última segunda-feira (3), em Bruxelas, na Bélgica, para uma reunião dedicada a debater justamente a Lei Geral da Copa. Quem atendeu a presidente foi o secretário-geral da entidade, Jerome Volcke.

Randolfe lembra ainda que o Senado aprovou, no dia 28 de setembro, um convite para que o presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) e do COL (Comitê Organizador Local) da Copa, Ricardo Teixeira, vá ao Congresso participar de uma audiência sobre a lei. O encontro, contudo, ainda não foi agendado, e Teixeira não é obrigado a comparecer – pois foi convidado.

Para o senador, “a lei é uma intromissão ao que diz a Constituição”.

– É uma legislação imposta por uma entidade estrangeira que revoga 14 dispositivos do Estatuto do Torcedor e retira direitos já conquistados. Nem a ditadura fez isso. Até ela tinha uma ordem institucional que seguia. Rasgar a Constituição é um preço muito alto pela Copa do Mundo.

Leia também:

Alckmin, Serra e precatório do Parque Villa Lobos

Aluna da USP: “Escrevi ditadura e massacre; placa me agrediu muito”

Movimentos sociais que discutiriam criminalização são barrados no Senado

USP homenageia vítimas da “Revolução de 1964″?

Setor público economiza 4,5 bi para pagar juros da dívida

Maria Inês Nassif: Marketing da moralidade vende jornal

NaMariaNews: Por que a FDE só compra Veja, Época e IstoÉ?

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



47 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Mad Hatter

10 de outubro de 2011 às 15h06

Caro Azenha,

Gostaria de lhe pedir dois favores.

Primeiro uma reportagem sobre como foram feitas as outras copas. Com enfase nas dos Estados Unidos, Alemanha e Japão feitas em países ricos, para podermos fazer um juizo mais isento.

Segundo colocar o link direto da petição no proteste.org.br,pois mesmo que seja comum a todos os países aceitarem este abuso, não vejo porque aqui não ser uma saudável excessão a este abuso a nossa soberania.

Responder

Klaus

06 de outubro de 2011 às 09h41

Uma curiosidade: FIFA significa Federação Internacional de Futebol Associado, isto porque, o nome do esporte é FUTEBOL ASSOCIADO. Falem a verdade, a vida de vocês mudou depois desta informação , não?

Responder

flipeicl

06 de outubro de 2011 às 01h16

Essa palhaçada toda começou quando a FIFA viu que se era fácil um ex-presidente dar um estádio bilionário todo feito com dinheiro público ao seu clube de coração, daí pra frente a FIFA percebeu que poderia tudo o que quisesse no Brasil.

Responder

Robert

06 de outubro de 2011 às 01h12

Os Jogos Olímpicos e a Copa do Mundo da Fifa não beneficiam os moradores das cidades e países que os sediam, mas sim as grandes empresas que os patrocinam. A opinião é da socióloga americana Kimberly Schimmel, convidada pelo Centro de Estudos Avançados (CEAv) da Unicamp a ministrar uma série de palestras na Universidade entre os dias 12 e 19 de setembro

Responder

João Paulo

05 de outubro de 2011 às 22h56

Gente, o perigo é os Estados que sediarem a Copa, alegarem que não podem cumprir a Lei do Piso Salarial dos Professores por causa dos gastos da Copa. E aí, mais uma vez nós professores seremos ludibriados.

Responder

    Robert

    06 de outubro de 2011 às 01h13

    por isso q quero copa longe da minha cidade o RJ,
    o RJ esta moralmente falido!
    no RJ prevalece pao e circo
    RJ apresenta um dos PIORES resultados na educação basica publica do país
    saude publica no rj uma lastima
    segurança publica esse lixo q vemos ai, inclusive inumeros arrastoes no rockinrio
    capital fluminense com diversas favelas esgoto a céu aberto
    mas viva copa olimpiada e mp inoperante p/ investigações sérias

    a midia diz q o MP-RJ esta investigando a torcida do fluminense pela perseguição a jogadores bebuns

    Pq o MP-RJ nao investiga (RESULTANDO EM PUNIÇÃO POR FAVOR!) a fundo esta situação de calamidade da segurança no RJ, a tragedia do roubo do $$$$ publico na obra do maracanã, assassinato da juiza, a tragedia do bonde de sta teresa e demais maracutaias dos governos do rj?

    "inteligente é quem aprende com seus erros. o sábio aprende com o erro dos outros"
    ocorre q o imbecil é aquele q nao aprende nunca
    sediar olimpiadas tambem é um saco sem fundo
    qual o legado das olimpiadas 2004 p/ grecia?
    dividas?
    brasil abra seu olho
    povo manso é povo otário
    Brasil, esse definitivamente nao e um pais sério

Niel

05 de outubro de 2011 às 21h18

Se a lei geral da Copa – essas asneiras concretizar, restará para nós brasileiros, que eles pensam sermos idiotas, boicotar esse evento.

Responder

Silvio I

05 de outubro de 2011 às 20h48

Creio que a melhor contestação para a FIFA o vocês fazem respeitando as leis do pais o vai a fazer em outro lado.Perder não se perde nada ,o dinheiro invertido da trabalho ao brasileiro, e se querem futebol invitem a países americanos, e fazem um americano de futebol ,e todos esses malandros ladrões.Vão para qualquer lugar a tomar ar.

Responder

Klaus

05 de outubro de 2011 às 20h25

Brasil vai perder a Copa dentro e fora do campo.

Responder

Vergonha

05 de outubro de 2011 às 20h17

Jogo que o Brasil (governo fraco da Dilma) vai se curvar perante as exigências dos safados da FIFA. O Ricardo Teixeira ela só isolou. Mas ele ainda manda. Este sim é um ditador.

Responder

Cesar Constantino

05 de outubro de 2011 às 20h15

hahaha! Se isto tudo estivesse aocntecendo durante o mandarinato do PSDB, só teríamos críticas aqui, num blog como este. E todos os lambe-botas e admiradores do F Gagá C estariam aqui tecendo loas a realização da Copa e tergiversando horrores sobre a importância de tais medidadas para o sucesso de um megaevento comercial como a Copa! Diriam até que algumas leis, códigos e estatutos Brasil deveriam mesmo deixar de existir no Brasil, já que prejudicam os empresáqrios do setor de entretenimento!

Responder

    Alexei_Alves

    05 de outubro de 2011 às 20h30

    A diferença é que se ainda estivéssemos no mandarinato do PSDB o Brasil NUNCA teria sido escolhido para sediar a copa. Primeiro porque não haveria o carisma de Lula para convencer os gringos, e segundo porque o complexo de vira-latas os faria achar que não estamos à altura de tamanha tarefa.

    Lucas

    06 de outubro de 2011 às 00h05

    Grande vantagem ser escolhido para sediar a copa, se para isso temos que pagar com o dinheiro público pelos estádios e pelas reformas, abolir nossas leis, providenciar todas os privilégios para a Fifa, só para que eles e seus parceiros privados possam cobrar preços astronômicos pelos ingressos, conseguindo lucros absurdos explorando o povo do País.

    Engraçado também como pra pagar a Copa o governo tem dinheiro, mas não tem pra investir na saúde e na Banda Larga, ou pra fazer a Reforma Agrária, ou pra aumentar o salário mínimo, ou pra pagar a aposentadoria ou a miríade de outras coisas que traria algum benefício real para o Brasil.

    Uma frase ainda resume muito do que o governo brasileiro faz, seja com o Lula, a Dilma, FHC, os Dons Pedros, Floriano Peixoto, JK, Geisel ou Prudente de Morais: Pra inglês ver!

    Glecio_Tavares

    05 de outubro de 2011 às 22h12

    Como estava na capa do esgoto, "Leis absurdas que estrangulam" ou algo parecido.

jonas de carvalho

05 de outubro de 2011 às 19h58

Uma pergunta básica: alguém sabe dizer como foi nos outros países em que se organizaram copas do mundo? Que tal nós antes sabermos qual é a praxe mundial, inlcusive "nuzestadozunidoz" – a matriz dos trolls- para em seguida emitirmos nossas opiniões.?

E quero deixar aqui um "bem feito" claro e em bom som: Bem feito! Quem manda divinizar o futebol? Quem manda levar ao olimpo todos os praticantes desse esporte? Os fenomenos, os imperadores, os fabulosos, etc etc.. Anos e anos uma multidão incalculavel de pessoas entregando grana e adorando esses caras. Agora paguem ! Agora está ai a submissão. É a criatura mandando no criador!

Responder

Exigências da Fifa para a Copa violam direitos dos brasileiros | OCOMPRIMIDO.COM

05 de outubro de 2011 às 19h50

[…] do VioMundo. Matéria do […]

Responder

Rogério Floripa

05 de outubro de 2011 às 19h48

Com a resposta o MPF.

Documentário – Os Segredos Sujos da FIFA – Mr. Teixeira, você recebeu subornos por parte da empresa Sanud? http://fwd4.me/0Aav

Responder

Vlad

05 de outubro de 2011 às 19h19

Isso já se sabia que viria. Bastava ver o que houve na África do Sul.
Vai ser uma "roubada", maior que a do Nuzman (e, igualmente como no super-escândalo do Pan, ninguém irá preso, exceto talvez o cara que desistir do ingresso).
Aliás, já começou a roubada, com o BNDES financiando estádios particulares.

Responder

O_Brasileiro

05 de outubro de 2011 às 19h05

A questão é quem se abaixa e mostra os fundos…
Se o preço dessa copa perdulária é a dignidade dos brasileiros, melhor mandar a FIFA e o Blatter para outra freguesia.

Responder

Jairo_Beraldo

05 de outubro de 2011 às 18h58

Se o governo Dilma ceder aos mafiosos Josef Blatter e Jérôme Valcke, vou perder de vez a acreditação neste governo. Voltarei a achar que somos literalmente um país de bananas, não um emergente com sua soberania respaldada e consolidada.

Responder

Glecio_Tavares

05 de outubro de 2011 às 18h51

Será que não foi assim nas outras edições da copa?
Quem não vai a jogos de futebol nem poderia estar opinando sobre isso.
Vamos aguardar, saibam que a soberania no país não esta em risco.
A copa do mundo dura um mês, depois tudo volta ao normal.
O que nós não podemos é sugerir um golpe de estado para resolver uma questão menor.

Responder

    Étore

    05 de outubro de 2011 às 19h19

    "Quem não vai a jogos de futebol nem poderia estar opinando sobre isso."

    Ah tá.
    Então usar a Copa como desculpa gastar uma fortuna de dinheiro público para construir um estádio para um time que não se mantém sozinho é assunto só para quem vai aos jogos.
    Aliás, um país em que os "maiores" times nem estádio próprio tem não devia se candidatar a hospedar uma copa do mundo.

    Glecio_Tavares

    05 de outubro de 2011 às 22h04

    Vai se candidatar a sindico, quem sabe voce consegue aprovar alguma medida austera em seu condominio. hahaha. Opinar é fácil, difícil é conseguir agradar a gregos, troianos e a quem perdeu as eleições. hahaha.

El Cid

05 de outubro de 2011 às 18h49

Engraçado, aqui há uma total inversão de valores: em vez da FIFA, entidade privada, curvar-se à legislação do país que aceita promover seus eventos ultra lucrativos, é este que tem de se amoldar aos gostos e frescurites dela !

Responder

joaquim de carvalho

05 de outubro de 2011 às 18h22

Porque o Brasil ficaria tão ofendido assim, com um assunto que nunca ofendeu nenhum país que já sediou a copa?
Quando qualquer país concorre a sediar a copa, se compromete a cumprir as regras que regem tal evento.

Responder

    Klaus

    05 de outubro de 2011 às 20h27

    Você acha que quando a Copa for no Catar será permitido a venda de bebidas alcólicas nos estádios? Vão revogar o Corão?

Alexandre Felix

05 de outubro de 2011 às 17h55

Acho que seria mais legal fazer a festa na Europa, com o dinheiro deles…essa copa já tá enchendo o saco!

Responder

Ze Duarte

05 de outubro de 2011 às 17h52

Curioso… cadê a tão propalada SOBERANIA na época do Battisti?

Quer dizer que é soberania é abrigar marginais, e mudar as leis a pedido de entidades externas seria o que?

Ah, que tempos maravilhosos estes que vivemos…

Responder

GilTeixeira

05 de outubro de 2011 às 17h09

Calma, trollada, vcs precisam aprender a se informar:

Orlando: “Não será suspensa a legislação do país”

No encontro de ontem com o secretário executivo da Federação Internacional de Futebol (Fifa), Jérôme Valcke, em Bruxelas, sobre a preparação para a Copa do Mundo de 2014, o ministro dos Esportes, Orlando Silva, deixou claro para a Fifa que nenhuma lei do país cairá por conta do evento mundial. Na quarta-feira (12), uma equipe da federação internacional estará no Brasil para examinar a redação da Lei Geral da Copa para que todas as garantias acordadas fiquem explícitas.
Depois da reunião, que contou com a presença da presidente Dilma Rousseff, o ministro concedeu uma entrevista coletiva para falar sobre o encontro, que abordou os compromissos firmados sobre a Copa, entre Brasil e a federação, que devem ser contemplados na Lei Geral da Copa. Entre os assuntos,a meia-entrada, a comercialização de bebidas alcoólicas e a pirataria.

Com relação aos descontos nos ingressos, o ministro lembrou que, no caso dos estudantes, não há lei federal que trate sobre esse assunto, somente legislações estaduais. Portanto, não há como intervir com uma lei federal em leis aprovadas pelos legislativos estaduais.

“Isso é um impedimento constitucional. Então não teria a possibilidade de tratar dessa maneira [lei federal]. No que diz respeito ao estatuto do idoso, que prevê descontos para a população idosa, informamos a Fifa que não seria suspensa a legislação sobre esse tema, como de resto não será suspensa a legislação do país em nenhum aspecto. Mas a Copa do mundo é um evento especial, específico, que tem características próprias. Então vamos estudar o que na lei do Brasil se aplica a esses eventos da Fifa”, afirmou Orlando Silva.

Questionado se o governo intervirá nas negociações entre a Fifa e os estados, sobre suas legislações, Orlando explicou que o governo vai colaborar para que haja uma unidade nos acertos sobre o mundial: “A própria Fifa pautará esse diálogo com os governos locais e de nossa parte o que for possível colaborar para que o ambiente seja mais harmônico, nós faremos isso, já que é uma conversa permanente entre nós e os governos locais”.

Já com relação à pirataria, o ministro frisou que o combate feito pelo governo brasileiro não é somente em função da Copa, mas uma necessidade da economia do país. “Evidentemente que a Copa do mundo é um grande evento que atrai o interesse e a atenção, tem um potencial de marketing muito forte e uma presença no mercado com produtos e merecerá uma atenção especial do governo no combate à pirataria, na preparação e realização do mundial de 2014. Então não há qualquer dúvida da Fifa quanto ao nosso compromisso no combate a pirataria”,disse.

A venda de bebidas alcoólicas nos estádios também foi tratada na reunião. Orlando comentou que há proibição do comércio somente nas competições da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). “Não há na lei federal uma proibição de venda de bebidas, o que permitirá que isso acontecesse no mundial da Fifa”, esclareceu o ministro dos Esportes, que fez questão de falar novamente sobre a parceria entre Brasil e Fifa. “Eu insisto, a nossa visão é de que o governo do Brasil e a Fifa estão no mesmo barco. Temos o mesmo objetivo que é o sucesso do mundial em 2014”, concluiu.

Responder

    GilTeixeira

    05 de outubro de 2011 às 17h17

    Ops, desculpem. Esqueci a fonte: http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia

    Ze Duarte

    05 de outubro de 2011 às 17h51

    E vocÊ precisa aprender a ler:

    “Isso é um impedimento constitucional. Então não teria a possibilidade de tratar dessa maneira [lei federal]."

    Isso é mentira, tanto que foi aprovada lei federal hoje pela Câmara

    "Mas a Copa do mundo é um evento especial, específico, que tem características próprias. Então vamos estudar o que na lei do Brasil se aplica a esses eventos da Fifa”

    “Não há na lei federal uma proibição de venda de bebidas, o que permitirá que isso acontecesse no mundial da Fifa”

    Se isso não é uma confissão de que vão abrir as pernas, eu não sei o que é!

    GilTeixeira

    05 de outubro de 2011 às 21h23

    "Isso é mentira, tanto que foi aprovada lei federal hoje pela Câmara "
    onde????
    a única coisa votada na Camara federal hoje foi o estatuto da juventude!

    Ze Duarte

    06 de outubro de 2011 às 15h44

    Que é uma lei federal que garante…. meia entrada!

    rodrigo.aft

    05 de outubro de 2011 às 17h58

    Calma, cambada de lambe botas da banda podre do partido, vcs precisam aprender a ler o q está escrito.

    ninguém até agora (8 comentários), estava "trollando" para vc se dirigir assim aos outros, e eu não "coloquei a carapuça", só achei falta de respeito aos outros colegas.

    se vc respeita, é respeitado… se quiser chegar chutando a porta, vai no blog do noblablat e seja macho com povo de lá.

    vlw!

    GilTeixeira

    05 de outubro de 2011 às 19h41

    Rodrigo, quando postei havia apenas quatro comentários e dois deles eram agressivos. Não sei se já percebeu mas a ordem dos comentários nem sempre estão na ordem das postagens por aqui. Não desrespeitei ninguém, e se alguém que não trolla se sentiu ofendido peço desculpas. Quanto a postar no Noblat já tentei mas nunca foram publicados, então desisti até de ler aquilo.

    rodrigo.aft

    05 de outubro de 2011 às 23h29

    blz!
    entendi, mas procure dirigir um pouco o comentário, tipo… aos q acham isso, isso, isso e aos q acham aquilo aquilo, aquilo, então vejam o q disse o ministro…

    de resto, normal, não tinha vestido a carapuça, só achei q aos q estivessem lendo seu comentário sem saber ao q se referia, iriam pensar o q?

    vlw!

Fábio

05 de outubro de 2011 às 17h03

Na Europa a Presidenta se comporta com altivez e mostra o quanto o País mudou (a verdadeira independência).
Aqui se submete aos desejos e interesses de uma turma perigosa.
A posição do Ministro dos Esportes é estranha, duvidosa, covarde e ambígua.
Acredito que esse Senhor deva ser investigado para se saber de qual lado ele está.

Responder

rodrigo.aft

05 de outubro de 2011 às 16h58

bem q o Lula poderia falar quem foi o
IMBECIL,
SALAFRÁRIO,
LESA-PÁTRIA,
q levou o assunto para ele e disse q era um belo negócio para o bRAZIL.

(é um bom negócio para ALGUMAS pessoas do bRAZIL e VÁRIAS de fora, CERTEZA!!!)

só pra saber, o Lula, por ser tão puro e casto, já caiu no conto do bilhete premiado ou no conto da recompensa por ter feito uma boa ação?
não? então ele não é tão bobo… ou é?

alguém arrisca quem foi o "Joaquim Silvério dos Reis", o "Brutus" (até tu, Brutus) q levou esse negócio pro Lula?
– ?
– ?

Responder

    Leider_Lincoln

    05 de outubro de 2011 às 17h24

    Tá, o Lula é burro. Inteligente é você, não é mesmo? ¬¬

    rodrigo.aft

    05 de outubro de 2011 às 19h17

    Leider,

    não estou medindo a minha inteligência ou a sua…

    quero saber quem foi a pessoa (ou lobby) q vendeu o "evento" para o Lula…

    o estrago já está feito, e, se for ético, legal e sem dinheiro público, faço o máximo possível para isso dar certo!

    só queira saber quem tem o canto de sereia (como na Odisseia) tão devastador para vender um evento tão… tão… cheio de poréns!

    a gente precisa isolar o poder de corrupção dos grupos q "vendem" eventos dessa magnitude e sangram os cofres públicos, falando uma coisa antes (não haveria dinheiro público) e fazendo outra depois (metendo a mão no nosso dinheiro).

    se é para jogar, q o jogo seja limpo desde o início: VAMOS USAR DINHEIRO PÚBLICO… PONTO!

    VCS QUEREM OU NÃO???

    aí, sim, seria um evento honesto, e compraríamos a idéias se fosse conveniente, capisce?

    O_Brasileiro

    05 de outubro de 2011 às 19h02

    Desconfio que foi um certo vigarista cujo sobrenome é Teixeira…

    Nelson

    05 de outubro de 2011 às 20h03

    Infelizmente, meu caro Rodrigo – e afirmo isto com profundo pesar -, não é porque o Lula é "tão puro e casto" que nosso país vai sediar a Copa do Mundo e, dois anos depois, as Olimpíadas. É uma opção de governo muito bem pensada.
    Um governo que resolveu preterir a educação, o saneamento básico, a saúde – relegando a segundo plano compromissos históricos que o partido no poder tinha para com o povo brasileiro -, para priorizar o investimento de muitos bilhões no diversionismo proporcionado por esses grandes eventos. Obviamente, honrar esses compromissos não traz tanto "Ibope" além de também não abrir espaços tão vastos para que empreiteiras e outras grandes empresas aumulem vultosos lucros.

Wilson

05 de outubro de 2011 às 16h09

Do jeito que foi colocado, essa Lei Geral do Copa é um verdadeiro Ato Institucional como nos tempos da ditadura militar. E por falar em ditadura, discordo do final do texto que diz que nem a ditadura fez isso e que ela seguia uma ordem institucional. Só se for a ordem institucional das torturas e mortes. A ditadura fez isso e muito mais. Não use esse caso da Fifa para diminuir a crueldade que foi nossa ditadura militar.

Responder

Marcelo Duarte

05 de outubro de 2011 às 15h37

"A Lei Geral da Copa, encaminhada pelo governo ao Congresso Nacional no mês passado, pode dar tantos poderes à Fifa (Federação Internacional de Futebol) que algumas das principais leis de proteção ao consumidor brasileiro serão colocadas na geladeira no mês em que acontecer o evento, programado para 2014. "

"A Lei Geral da Copa, encaminhada pelo governo ao Congresso Nacional no mês passado…"

A culpa é da FIFA ou do governo brasileiro?

É coo disseram aqui outro dia: o PT fala "grosso" com os Yankeess e afina bonito na para a FIFA.

Responder

Polengo

05 de outubro de 2011 às 15h15

Quer dizer que se eu ficar doente no dia, ou for atropelado, ainda vou em cana?
Esse blatter é um fanfarrão.

Responder

    isaa

    17 de abril de 2014 às 18h46

    para você como isso não passa de um circo mano, até um dia desses tenha um monte fazendo manifestação querendo melhorei e agora aproximadamente 70% dos tais já comparam os ingressos de 100%. 70% os “brasileiro” compraram..

Maria

05 de outubro de 2011 às 15h00

Dilma capitulou.

Tiraram os sapatos para a FIFA.

Eita gente não colonizada essa da petelândia..

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.