VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Estrangeiros descobrem que Globo ameaça a democracia; blindagem garante domínio dos Marinho sobre opinião e espaço públicos
Denúncias

Estrangeiros descobrem que Globo ameaça a democracia; blindagem garante domínio dos Marinho sobre opinião e espaço públicos


14/04/2016 - 00h24



Da Redação

A radiodifusão brasileira é regulamentada por uma lei de 1962, assinada pelo presidente João Goulart. Desde então, é a selva. Segundo a deputada Luiza Erundina (PSOL-SP), a selva favorece ao atuais radiodifusores, especialmente à Globo.

Não é, portanto, uma selva casual, já que na ausência de uma lei moderna a Globo faz o que quer. Se a legislação é desconexa, desatualizada, a Globo tem o poder de emplacar as mudanças administrativas ou mesmo legislativas que bem entende. Basta usar o poder de pressão que obteve graças aos favores recebidos durante a ditadura militar.

Neste sentido, a Globo é o maior dos entulhos autoritários que resta remover desde o fim formal da ditadura. A emissora reproduz, através de suas afiliadas locais, a coalizão de interesses econômicos que governa o Brasil desde 1964.

É o poder da Globo em relação ao Estado, sem qualquer tipo de controle, que permite à emissora usar espaço público para suas atividades sem pagar nada — das praias de Copacabana para os eventos de futebol de areia ao parque Ibirapuera para gravações de novela.

Em Nova York, a prefeitura cobra de emissoras de TV e produtoras de cinema todas as locações feitas nas ruas da cidade: da hora extra do policial ao eventual prejuízo dos comerciantes.

Livre de qualquer tipo de regulamentação, a Globo usa o poder de seu grupo — que inclui no mesmo mercado emissora de TV, jornal, portal e emissoras de rádio — para extorquir, ameaçar e “convencer” autoridades com mandato popular. Há vários exemplos:

1. Paula, herdeira da família Marinho, recebeu através do marido, como permissionária — sem concorrência pública — o estádio de remo em área nobre da cidade, adjacente à lagoa Rodrigo de Freitas, para montar cinemas, restaurantes e clube noturno; estava tudo formalmente em nome do marido, mas ela assinou um dos aditivos como fiadora e desfrutava de bens resultantes do contrato;

2. a Fundação Roberto Marinho administra museus construídos com dinheiro público, o que também faz em São Paulo no Pacaembu (Museu do Futebol) e na estação da Luz (Museu da Língua Portuguesa). Em todos os casos, a Globo entra apenas com a promoção. Os locais são públicos e o dinheiro para manutenção é levantado através da Lei Rouanet, ou seja, acaba saindo do bolso do contribuinte na forma de isenção fiscal;

3. Através de relação carnal com a CBF, a Globo tem controle dos direitos de transmissão dos principais eventos do futebol brasileiro e da FIFA, numa relação desenvolvida ao longo de décadas com dirigentes como Ricardo Teixeira, João Havelange e outros, todos implicados em escândalos que foram ou estão sob investigação de autoridades da Suiça e dos Estados Unidos.

4. No Rio, conforme denunciado pelo candidato a prefeito Marcelo Freixo, o modelo de ocupação do espaço público segue os princípios gerais da TV Globo: um modelo autoritário de cidade. Militarização das favelas, que atende ao projeto de estender os serviços de TV a cabo da emissora aos morros e grandes projetos privados financiados com dinheiro público, como o Porto Maravilha, onde fica o Museu do Amanhã, administrado pela Fundação Roberto Marinho. Em São Paulo, depois de construir seu prédio na avenida Berrini, a emissora conseguiu acelerar a construção de uma obra de prioridade duvidosa, a ponte Octávio Frias de Oliveira sobre o rio Pinheiros, com o objetivo de usá-la como backdrop para seu estúdio envidraçado.

Captura de Tela 2016-04-14 às 00.21.26

A ponte que teve construção acelerada para servir de cenário, a herdeira blindada e um dos museus que a Globo controla no Rio: dona do espaço construído com dinheiro público, tudo mantido com isenção fiscal

No plano mais geral da política, a Globo atua como o principal partido de oposição, filtrando seu noticiário de acordo com os interesses dos maiores bilionários do Brasil — os irmãos Marinho. Tais interesses são subordinados aos objetivos mais gerais da política externa dos Estados Unidos: privatização de bens públicos a preço de banana para investidores estrangeiros, entrega do patrimônio nacional para exploração pelo capital internacional — das minas de ferro de Carajás ao pré-sal — dominação do campo pelas empresas multinacionais — curiosamente, a Globo integra uma associação do agronegócio!

De outra parte, a política editorial da emissora criminaliza aqueles que se opõem a seus interesses, o que resulta em críticas constantes, distorcidas e infundadas à esquerda e aos movimentos sociais em geral e a líderes específicos que discordem de seus objetivos: de Leonel Brizola a João Pedro Stédile, do MST, do ex-presidente Lula ao deputado Marcelo Freixo (PSOL-RJ).

O conluio com outros donos de meios de comunicação, que jogam um papel subordinado ou têm negócios em sociedade com os Marinho, garante blindagem quase absoluta à emissora na mídia.

Para tratar apenas de três casos da atualidade:

1. Passou quase batido pelo noticiário o fato de que a Globo foi denunciada pela Receita Federal como autora de uma manobra para sonegar impostos no Brasil através da criação de uma empresa de papel nas ilhas Virgens Britânicas, a Empire. Os Marinho, sempre segundo inspetor da Receita, simularam investimento externo na empresa, que em seguida foi desmontada, com o capital transferido para a compra de direitos de transmissão. Isso resultou em multa de mais de R$ 600 milhões por sonegação de impostos no Brasil através de artifício contábil. O processo desapareceu de dentro de uma sede da Receita no Rio de Janeiro, o que retardou ação que poderia resultar em denúncia criminal dos Marinho — segundo nossas fontes, eles pagaram a multa que ascendeu a cerca de R$ 1 bilhão.

2. Embora não tenham sido citados na contabilidade paralela da empreiteira Odebrecht, os irmãos Marinho deixaram de noticiar em detalhes a existência de contribuições de campanha a seus aliados políticos. As justificativas: “faltaria tempo” no Jornal Nacional e era impossível determinar exatamente quais pagamentos tinham sido ilegais. No entanto, este mesmo cuidado nunca foi observado quando se tratava de delações que comprometiam o PT, Lula ou a presidente Dilma. O grampo entre Dilma e Lula, captado ilegalmente, foi reproduzido no mesmo Jornal Nacional sem qualquer tipo de observação que poderia macular seu conteúdo.

3. A neta xodó de Roberto Marinho, Paula, filha de João Roberto Marinho, teve o nome diretamente associado a três empresas offshore criadas pela panamenha Mossack & Fonseca. Paula, pelas anotações, teria pago taxas de manutenção das empresas Vaincre LLC, Juste International e A Plus Holdings. Os documentos, apreendidos no escritório da Mossack em São Paulo, nunca foram avaliados ou divulgados pela mídia corporativa. A família Marinho diz que Paula não tinha relação com as empresas, que pertenciam ao marido dela, Alexandre Chiappetta Azevedo. Porém, a investigação segue sem que haja vazamentos como aqueles que acompanharam outras investigações da Lava Jato. O juiz Sérgio Moro, herói promovido pela Globo, remeteu os dados da apreensão para análise do Supremo Tribunal Federal (STF), sem que se tenha determinado que as empresas pertencessem a pessoas com foro privilegiado.

Tal é o poder da Globo!

Leia também:

Jacques Wagner: Governo tem ao menos 187 votos para barrar o impeachment





19 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

FrancoAtirador

15 de abril de 2016 às 05h52

.
.
29 março 2016
BBC Brasil
.
O Jornal Norte-Americano Los Angeles Times divulgou um Levantamento
feito pela Transparência Brasil sobre os Políticos que estão Incumbidos
de analisar o Pedido de impeachment da Presidente Dilma Rousseff:
.
“Políticos que votam o impeachment da Presidente do Brasil são Acusados de Corrupção”.
.
“Dentre os 513 Parlamentares na Câmara dos Deputados 303 são Investigados por Algum Crime”.
.
“Dilma Rousseff, por sua vez, Nunca foi investigada oficialmente ou acusada de corrupção”
.
O jornal ainda menciona as investigações contra o Vice-Presidente Michel Temer (PMDB),
que seria o sucessor de Dilma em caso de impeachment:
“Michel Temer é suspeito, em investigações da Lava Jato,
de estar envolvido em um esquema de compra ilegal de etanol”
.
http://www.bahianapolitica.com.br/fotos/p/42380-3.jpg
(http://www.vermelho.org.br/noticia/278467-1)

Responder

FrancoAtirador

14 de abril de 2016 às 22h42

.
.
IMPRENSA NORTE-AMERICANA E EUROPÉIA
CONTRADITA MÍDIA GOLPISTA DO bRAzIL
.
[…]
O contraditório veio da imprensa internacional, com o tradicional New York Times
afirmando que “deve-se lembrar que Dilma é uma das raras figuras políticas no Brasil
que não estão enfrentado acusações de enriquecimento pessoal ilícito”.
.
E foi além: “incapazes de acusá-la por corrupção, seus adversários estão tentando impeachment por manipulação orçamental envolvendo o uso de recursos de bancos estatais para cobrir lacunas de orçamento”, que são as chamadas pedaladas fiscais.
.
O jornal americano criticou, também, o discurso “triunfante” e de “salvação nacional” do vice Michel Temer, com o áudio vazado nesta semana.
.
Publicações desta quinta-feira de outros conceituados jornais estrangeiros reforçaram as críticas.
.
“Pode a maior economia da América Latina reconciliar suas diferenças políticas significativas após um impeachment, para lidar com a aprofundada crise econômica, ou será que o processo trará mais instabilidade ou mesmo o caos para o país?”,
foi o questionamento do britânico Financial Times.
.
“Enquanto as violações orçamentais são consideradas graves, o movimento pelo impeachment é essencialmente um julgamento político – um voto de não-confiança.
Rousseff tornou-se uma das líderes mais impopulares da história democrática do Brasil,
presidindo a pior recessão em um século do país e no contexto do escândalo de corrupção na Petrobras, a companhia estatal de petróleo”, explica o jornal, destacando:
“Dilma não está acusada de qualquer crime”.
.
Também no lado europeu, o Le Monde desta quinta explorou uma preocupação pouco visível na imprensa nacional:
quem é Michel Temer, personagem que assume se efetivado o impeachment de Dilma? “Os brasileiros mal o conhecem”, respondeu. O perfil feito pelo diário francês aponta o peemedebista como um “homem dos bastidores” e um “profissional da política e das intrigas parlamentares” e que pode se tornar o presidente do Brasil mesmo não tendo 3% das intenções de voto da população. Sobre o seu hábito de se comportar como se a batalha estivesse ganha, Le Monde afirma que Temer é considerado o “ejaculador precoce do Planalto”.
.
O jornal destacou, ainda, que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha,
pretende transformar a última votação da Casa, marcada para este domingo (17),
em um espetáculo midiático, transmitido pela Rede Globo, com o objetivo
de pressionar os deputados a votar pelo afastamento da presidente.
.
“Temer não é o homem que os brasileiros esperam, mas ele acredita em seu destino”, completa.
.
“É apenas uma intuição.
Os processos abertos pela justiça federal contra dúzias de políticos brasileiros
nos numerosos escândalos da Petrobras serão encerrados ou jamais solucionados
assim que a presidente Dilma Rousseff for afastada.
O maior desvio de verbas públicas na história do Brasil terá sido milagrosamente resolvido.
Políticos serão absolvidos de seus crimes. Ou seu envolvimento permanecerá um mistério,
algo para historiadores e teóricos da conspiração debaterem nos Starbucks.
Enquanto isso, a mídia vai parar de resmungar e tagarelar contra a corrupção.
Alguns editores e repórteres não saberão mais sobre o que tuitar.
Dilma se foi. Não há mais corrupção.
A Petrobras e todos os políticos associados a ela estão livres em casa”,
foi, para concluir, a análise de Kenneth Rapoza, em publicação no site da Forbes.
.
Por Patricia Faermann, no GGN
.
(http://jornalggn.com.br/noticia/o-impeachment-pelos-jornais-daqui-e-de-fora)
.
.

Responder

marcelo batista

14 de abril de 2016 às 22h24

Boicote aos produtos anunciados no PIG, este Mês:SEARA;

Responder

Julio Silveira

14 de abril de 2016 às 13h29

Os cidadãos, cada vez mais, vão percebendo o quanto tem sido manipulados de forma subliminar e muitas vezes de forma concreta por esse grupo é seus associados. Também por outros grupos, que como esse se associam no compartilhamento da visão oligarca econômica. Também tem aumentado substancialmente o número daqueles que pedem ao estado, o detentor do poder de concessão, uma revisão no poder desses seus concessionários. Até bem pouco tempo atrás impensável, intocável e ainda merecedores de prestigio por parte deste e dos governos anteriores. Fica difícil para o cidadão lutar por um governo, fonte do poder, que prefere proteger seus concessionários, muito provavelmente por conta da força econômica desses grupos. Mas não dá para servir a dois senhores, de propósitos e interesses tão distintos. Esses governos que se dizem progressistas não tem alternativas, ou apoiarão definitivamente demandas com aqueles que buscam as defesas populares ou saíam definitivamente da camuflagem e assumam a defesa da grana dessa gente.

Responder

FrancoAtirador

14 de abril de 2016 às 13h29

.
.
“O Processo de Impeachment da Presidente Dilma
tem sido Contaminado por essa Parcialidade Engajada
da Mídia que o deseja”
.
The Independent, Reino Unido 11.04.2016 (*)
.
Contundente matéria fala sobre o comportamento da grande mídia brasileira, que não busca a informação mas a indução da opinião pública a seus pontos de vista.
.
Aponta também o controle oligopólico por poucas famílias associadas a interesses econômicos poderosos.
.
Tudo isso tem ameaçado a frágil democracia brasileira, construída a partir do fim da ditadura militar a partir da “perniciosa” tendenciosidade com que os grandes grupos econômicos de mídia informam o país.
.
O Processo de Impeachment da Presidente Dilma tem sido Contaminado
por essa Parcialidade Engajada da Mídia que o deseja.
.
(http://www.independent.co.uk/news/world/americas/brazils-political-process-damaged-by-partisan-press-claim-journalists-dilma-rousseff-impeach-a6978011.html)
.
(http://www.forum21.org.br/2016/04/11/clipping-internacional-11042016)
.
.

Responder

Cazzio

14 de abril de 2016 às 12h31

Concordo plenamente vamos acabar com essa globo e os demais canais de TV e rádio eliminando também os jornais. Deixando um canal de TV uma estação de rádio e um jornal controlado pelo estado. Aí quero ver o que essa mídia vai fazer

Responder

Sebastião Farias

14 de abril de 2016 às 10h09

Dep. Fed. Luiza Erundina, parabéns por essa matéria, por sua importância como acervo de informação popular e como rol de provas latentes, contra desvios de condutas de pessoas e empresas que atentam, como V.Excia. expôs muito bem, contra o patrimônio público, contra o tesouro público, contra os espaços culturais públicos, contra a democracia e o estado democrático de direito e, claro, contra a segurança nacional, uma vez que V. Excia. relaciona algumas dessas denúncias, alinhadas a objetivos e interesses geopolíticos de potências estrangeiras em detrimento dos interesses nacionais.
Pena que matéria desse quilate, não chegue, como deveria, ao conhecimento de todos os cidadãos brasileiros que constitucional e legalmente, são os donos do poder, para que, em vez de engrossarem as fileiras de pessoas desinformadas e abduzidas por essas forças de dominação, nas ruas sem conhecimento de causas, ao menos, nesses casos, terem informações verdadeiras e honestas para lhes amparar nas decisões de seus interesse, por sua consciência e opinião própria.
Causa-nos indignação como cidadãos, ao observarmos que realmente, nem todos os cidadãos são iguais perante a lei e que essa lei, que expressa a CF de nosso país, não é igual para todos. Vimos, por ocasião das manifestações de movimentos populares nas ruas, pró impeachment e golpe, pedirem a volta dos militares, como se lançassem senhas achando que os militares atuais, agiriam imediatamente em seus socorro, indo contra a CF, a democracia, contra o estado de direito e contra o povo, como agiram em 1964, se enganaram redondamente.
Temos, consciência de cidadão que confia na responsabilidade das Forças Armadas do nosso País que, sem sobra de dúvidas, neste difícil momento político que nosso país atravessa e, se por alguma necessidade as Forças Armadas forem solicitadas a entrar em cena, por se manterem observando os acontecimentos, conhecendo o cenário, o perfil patriótico e todos os protagonistas dessa crise, elas, as Forças Armadas não repetirão 1964 e sim, dessa vez, elas estarão a favor do Brasil, da CF, de seu povo e da justiça, contra todos àqueles que aterrorizam as consciências dos cidadãos e que colocam em risco a segurança nacional com tais procedimentos.
São as nossas opiniões e comentário.

Responder

Flavio Moreira

14 de abril de 2016 às 09h30

Ok. Sabemos que a Globo é criminosa. O que pode DE FATO ser feito? Há “séculos” ouço e leio críticas à Globo, mas nada, absolutamente nada acontece. Então sabemos quem é a raposa, mas vamos deixá-la livre assim mesmo porque…

Responder

Igor_

14 de abril de 2016 às 09h29

Sim, realmente a Globo faz o que quer na mídia nacional , mas isso devido a falta de uma TV que lhe faça concorrência altura que seja digamos a ANT-Globo, que dê a outra versão dos fatos o “outro lado da moeda”….Pois o que realmente acontece é que no Brasil nenhuma emissora de TV tem coragem de desafiar verdadeiramente a Globo e fazer o balanço necessário necessário dos fatos ocorridos, assim sendo a verdade p/ população fica sendo sempre a da Globo…um Brasil “reinado” pela Globo ….graças a essa absoluta falta de coragem de todas emissoras TV em desafiar a Globo, emissoras que vivem dos restos de audiência da Globo inclusive isso me pleno 2016….Diferentemente de como é nos EUA aonde a pluralidade é muito maior e existem diferentes enfoques para a mesma notícia, por ex: se lá eles tem a FOXNEWS , eles tem tb a MSNBC e por ai vai….Já aqui só existe a verdade da Globo, graças a omissão das outras TVS !

Responder

carlos

14 de abril de 2016 às 08h08

Nós brasileiros estamos entregues a sanha de um coito de bandidos , no legislativo e pasmem os senhores e senhoras de bem deste Pais, estamos no meio de um coito de bandidos no judiciário ou melhor no TSE, vejam como é possível se rasgar a lei da ficha limpa e jogar na lata do lixo. e o que dizer de um executivo que está engessado, vejam o que foi aprovado pelo coito de bandidos, do congresso, pegaram a lei de responsabilidade fiscal e jogaram na lata do lixo e aprovaram uma beneficiando os prefeitos, agora estão do jeito que querem, compram, vendem e trocam votos por cargos verbas, ou seja o voto virou um verdadeiro balcão de negócio, e os municípios viraram currais eleitorais, e o povo gado.

Responder

Amaral P.G.

14 de abril de 2016 às 07h02

COINCIDÊNCIAS DA VIDA

Temer, no “discurso de posse” não fala em combate à corrupção, porque com certeza ele seria indiciado. Ontem, o juiz Sérgio Moro anunciou o encerramento da Lava Jato para dezembro deste ano (2016). Anteriormente, Sérgio Moro tinha dito que a Lava Jato chegaria pelo menos a 2018. São as coincidências da vida, não são?

http://www.diariodocentrodomundo.com.br/missao-cumprida-moro-diz-que-quer-encerrar-a-lava-jato-em-dezembro-por-kiko-nogueira/

Responder

Severino B.

14 de abril de 2016 às 05h40

Depois do discurso de posse do Temer, onde não aparece a palavra corrupção, SÉRGIO MORO quer encerrar a Operação Lava Jato até dezembro desse ano. Veja a explicação do notório magistrado no Diário do Centro do Mundo ou abaixo:

http://www.diariodocentrodomundo.com.br/missao-cumprida-moro-diz-que-quer-encerrar-a-lava-jato-em-dezembro-por-kiko-nogueira/

Missão cumprida? Moro diz que quer encerrar a Lava Jato em dezembro.
Postado em 13 Apr 2016
por : Kiko Nogueira

Espera um pouco.

Sergio Moro, o Joaquim Barbosa da vez, referência moral, ética, espiritual e política para os cidadãos de bem, homem que até ontem prometia uma faxina nessa draga — está jogando a toalha?

Agora?

Segundo o Estadão, Moro gostaria que a Lava Jato fechasse a tampa no final do ano. A sucessão de operações iniciadas em 2014 poderia, veja só, “provocar desgaste até mesmo na opinião pública”.

“Terminar até dezembro a parte da primeira instância é uma expectativa ou um desejo”, confidenciou ele.

Segundo o jornal, apesar da solidariedade nas redes sociais e eventos, ele teria ficado “consternado” com “manifestações de raiva e intolerância” das últimas semanas.

Estas se deram depois da condução coercitiva de Lula. A culpa é sempre de Lula, note. Pelo ódio de classes, pelo H1N1, pelo Botafogo, pela onda de calor no outono, pela extinção dos pandas e pela destruição do Templo de Salomão.

Diz o jornalista Fausto Macedo, depositário de vazamentos ao longo dos últimos anos: “Ele acredita que chegou a hora de outras instituições, e também a sociedade, se empenharem para alcançar mudanças importantes que possam levar a um combate mais eficaz à corrupção e à redução do quadro de impunidade.”

No momento em que uma dupla de meliantes pode tomar de assalto o país, inclusive com a promessa de acabar com apurações de seus crimes pelo time de Moro — ele resolve se fazer de cansado?

Michel Temer vaza um áudio com um pronunciamento de 15 minutos sobre seu plano de governo em que a palavra corrupção não é mencionada. E Moro não tem nada a dizer a não ser que vai parar?

Missão cumprida? O plano, então, era punir apenas o PT? O objetivo era ajudar a tirar a petralhada do poder e agora deu?

Você precisa de muita ingenuidade para acreditar que o timing é pura coincidência e que o valente magistrado está com medo de represálias. Se está, é igualmente patético.

Eu me lembrei de um faroeste espaguete dos anos 70 com fenomenal Lee Van Cleef no papel de pistoleiro de aluguel. Ele fala o seguinte, a certa altura: “No budismo, a gente aprende que não existem coincidências, é tudo causa e efeito. Se foi a palavra certa na hora exata, não foi por acaso”.

Pena dos coxinhas que ocuparam avenidas pedindo a prisão dos corruptos, a limpeza da política, a extinção dos ladrões, a punição para a roubalheira etc etc. Pena dos imbecis que seguraram estandartes com a foto de Sergio Moro, guerreiro do povo brasileiro.

Pensando bem, pena nenhuma. Nasce um otário a cada minuto.

Responder

FrancoAtirador

14 de abril de 2016 às 04h03

.
.
A Globo enfim conseguiu construir
.
um Muro de Berlim em Brasília.
.
.

Responder

    FrancoAtirador

    14 de abril de 2016 às 13h45

    .
    .
    O Muro de Brasília e o Muro do Brasil
    .
    “O Muro de Brasília é só um Pequeno Retrato
    de um Imenso Muro Erguido há Séculos no Brasil”
    .
    Celso Vicenzi
    Jornalista
    Ex-Presidente do Sindicato dos Jornalistas/SC
    .
    (http://www.vermelho.org.br/noticia/279171-1)
    .
    .

FrancoAtirador

14 de abril de 2016 às 02h16

.
.
“Estamos no Meio da Luta de Classes.
Vamos à Luta, Companheiros!”
.
João Pedro Stédile
.
(https://youtu.be/zpF1pV06J1c)
.
“Saia de casa, se mobilize, demonstre para a Burguesia
que os Trabalhadores querem Respeito
ao Voto e à Democracia.
.
Quem estiver aqui no Rio de Janeiro, desça do Morro,
saia da Baixada Fluminense e vá para Copacabana
para dizer lá, na cara dos coxinhas,
que a Democracia é um Valor Universal”
.
Próxima Sexta-Feira, Dia 15 de Abril,
“temos de entupir o Pais Inteiro.”
.
“Vamos à Luta, Companheiros!”
.
.

Responder

Cláudio

14 de abril de 2016 às 02h13

A música oficial da luta contra o golpe

Golpe Não
(Chico César/ Coruja BC1 /Luis Felipe Gama/ Rico Dalasam /Vanessa/ Drik Barbosa /Luis Gabriel)

O sistema é bruto, o processo é lento
nosso sentimento, não vai recuar
amor, liberdade, verdade, alimento
não tinha e agora querem golpear

as velhas raposas querem o galinheiro
roubaram dinheiro mas fingem que não
querem que o petróleo seja do estrangeiro
pra esconder ligeiro sua corrupção

refrão:
não não golpe não
quem não teve voto tem de respeitar
não não golpe não
nossa voz na rua vem para lutar

tentam nos cegar nas telas e nas bancas
com papo de patrão não vi a gente lá
meu povo precisa ter a voz ativa
golpe é fogo na favela
não vou apoiar

mulher no front aqui tem voz de monte
e menos que isso não vou acatar
avisa o gueto avisa o gueto
desperta que é golpe
ninguém vai impedir o meu jeito de amar

(refrão)

eu não abro mão do que sonhamos juntos
de todas as cores que eu quero usar
de todas as formas de ganhar amores
de todos amores que eu quero dar

se eu uso vermelho ou vou de amarelo
não tô num duelo, quero conversar
mano, mina, mona todo mundo é belo
nesse arco-iris todos têm lugar

(refrão)

golpe é ditadura, digo nunca mais
a vontade das urnas prevalecerá
pois quem distorce os fatos em telejornais
quer inflamar o ódio pro gueto sangrar

o machismo mata, a imprensa mente
mas a internet é nosso canal
somos a guerrilha na nova trincheira
a nação guerreira do bem contra o mal

(refrão)

a democracia é nossa bandeira
golpe é uma história que já sei de cor
todos nós queremos um país mais justo
todos nós queremos um país melhor

não queremos menos do que já tivemos
nós queremos muito, muito, muito mais
toda liberdade, amor, paz, respeito
e ninguém por isso vai andar pra trás

(refrão duas vezes)
‪#‎OcupeaDemocracia‬

Responder

FrancoAtirador

14 de abril de 2016 às 01h29

.
.
“Sem Democratizar os Meios,
a Gente Não Vai Consolidar
a Nossa Democracia”
.
Bia Barbosa
Grande Mulher! Grande Jornalista!
Grande Cidadã! Grande Ser Humano!
.
(http://www.fndc.org.br)
(https://twitter.com/fndc_br/status/720410010874871809)
.
(http://intervozes.org.br/instaurado-comite-pro-democracia-na-camara-movimentos-sociais-e-parlamentares-se-unem-em-defesa-da-democracia)
.
.

Responder

Bacellar

14 de abril de 2016 às 01h14

O rei está nu (e tem [email protected] pequeno).

Globo, PSDB e PMDB, essas bolas de ferro nos pés do Brasil, foram pro “all in”.

Se ganharam seguiremos em nossa miséria secular,

Mas…

e se perderem?

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Blogs & Colunas
Mais conteúdo especial para leitura