VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Denúncias

Conta de luz: MAB diz que tucanos preferiram acionistas ao povo


07/12/2012 - 02h55

Governadores do PSDB se colocaram contra a redução da tarifa de energia elétrica

O MAB [Movimento dos Atingidos por Barragens] vem a público denunciar o Governo Alckmin e também os governadores do PSDB de Minas Gerais e do Paraná por terem se posicionado contra a redução das tarifas de energia elétrica ao povo brasileiro. Não temos dúvida nenhuma que estes governadores e a base parlamentar – deputados e senadores – que se somaram a esta posição, agiram para beneficiar os setores rentistas, os especuladores.

A CESP (São Paulo), a CEMIG (Minas Gerais) e a COPEL (Paraná) não aderiram a renovação das concessões por orientação de seus governadores e de sua base parlamentar aliada porque cerca de 70% das ações destas empresas já estão privatizadas e juntas, em 2011, tiveram um lucro próximo a R$ 4 bilhões. No mesmo ano remeteram aproximadamente R$ 3 bilhões de lucro aos acionistas. Para continuar atendendo aos interesses dos especuladores, não aderiram à renovação e não aceitaram reduzir as tarifas de energia. Ou seja, preferiram ficar contra o povo e a favor dos acionistas das bolsas de valores.

Estas usinas estavam vendendo sua energia próximo a R$ 100,00 por MWh e com a medida do Governo Dilma deveriam vender por cerca de R$ 37,00 pelo mesmo MWh. As empresas estatais federais já aceitaram a renovação, no entanto os governadores do PSDB de São Paulo, Minas Gerais e Paraná se colocaram contra e não aceitaram reduzir nenhum centavo nas tarifas.

Depois do processo de privatização do setor elétrico brasileiro nos anos 90 realizado pelo PSDB de FHC, as tarifas de energia elétrica aumentaram muito, a tal ponto que a população brasileira paga uma das tarifas mais altas do mundo, mesmo que tenhamos um custo de produção dos mais baixos. Os lucros passaram ser extraordinários. Somente a transnacional francesa Suez Tractebel enviou para fora do Brasil cerca de R$ 8 bilhões nos últimos anos. Além disso, das doze empresas que mais remetem lucro aos acionistas, nove são do setor elétrico. Isso revela o alto grau de exploração que o povo brasileiro tem sofrido através das tarifas de energia elétrica.

Parte importante do setor elétrico brasileiro — cerda de 25.000 MW de potencia e mais 70 mil Km de linhas de transmissão — que ainda estão nas mãos de empresas estatais, tinham seus contratos de concessão se encerrando entre 2015 e 2017. Os setores empresariais e os governos do PSDB possuíam como estratégia a licitação, o que na prática significava a provável privatização do restante do patrimônio público no setor.

Em setembro deste ano o governo federal editou a Medida Provisória 579, optando pelo caminho da prorrogação dos contratos, o que evitou a transferência da propriedade das usinas e linhas de transmissão aos setores empresariais. Além disso, o governo federal impôs uma diminuição nas tarifas de energia elétrica, podendo ter redução de 16% para as residências e de 20 a 28% para as indústrias.

Nós do MAB reconhecemos que a renovação das concessões às empresas estatais e a redução das tarifas é uma vitória dos trabalhadores sobre os setores que defendem a privataria. No entanto, constatamos que os setores industriais foram mais beneficiados que os trabalhadores, houve uma enorme transferência de valor do estado aos setores industriais. Muitas questões devem ser melhoradas, principalmente no que tange aos interesses dos atingidos pelas usinas hidrelétricas e dos trabalhadores do setor. Mas nossa posição e as lutas que realizamos foram pela renovação, pela redução das tarifas e pela defesa dos direitos dos trabalhadores e atingidos.

Por fim, convocamos toda população brasileira a se somar na luta para cobrar dos governadores de São Paulo, Minas Gerais e Paraná para que revejam sua posição e busquem aceitar a redução das tarifas de energia elétrica ao povo brasileiro.

06 de dezembro de 2012

Coordenação Nacional do MAB

Leia também:

O embate entre Dilma e os tucanos nas contas de luz

Entidades sindicais e movimentos populares criticam Alckmin: É boicote à redução da conta de luz

Heitor Costa: Democratizar as decisões sobre o sistema eltétrico

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



28 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

O Marco Civil e a tentativa de fatiar e pedagiar a rede « Viomundo – O que você não vê na mídia

09 de dezembro de 2012 às 20h41

[…] Conta de luz: MAB diz que tucanos preferiram acionistas ao povo […]

Responder

Saul Leblon: O jogral contra a política econômica « Viomundo – O que você não vê na mídia

09 de dezembro de 2012 às 16h39

[…] Conta de luz: MAB diz que tucanos preferiram acionistas ao povo […]

Responder

Dilma Rousseff, Vandana Shiva, Tony Blair e os vira-latas « Ficha Corrida

09 de dezembro de 2012 às 14h32

[…] Conta de luz: MAB diz que tucanos preferiram acionistas ao povo […]

Responder

Chávez já pede a eleição de seu vice-presidente « Viomundo – O que você não vê na mídia

09 de dezembro de 2012 às 03h18

[…] Conta de luz: MAB diz que tucanos preferiram acionistas ao povo […]

Responder

Chávez já pede a eleição de seu vice-presidente « Viomundo – O que você não vê na mídia

09 de dezembro de 2012 às 03h18

[…] Conta de luz: MAB diz que tucanos preferiram acionistas ao povo […]

Responder

Líder do PT diz que oposição conspira para espalhar pânico « Viomundo – O que você não vê na mídia

08 de dezembro de 2012 às 22h14

[…] Conta de luz: MAB diz que tucanos preferiram acionistas ao povo […]

Responder

Heitor Costa prevê corte de pessoal nas elétricas « Viomundo – O que você não vê na mídia

08 de dezembro de 2012 às 12h24

[…] Conta de luz: MAB diz que tucanos preferiram acionistas ao povo […]

Responder

Tucanos acusam Dilma de adotar populismo chavista « Viomundo – O que você não vê na mídia

08 de dezembro de 2012 às 12h18

[…] Conta de luz: MAB diz que tucanos preferiram acionistas ao povo […]

Responder

Paulo Kliass: Por um imposto sobre as commodities « Viomundo – O que você não vê na mídia

08 de dezembro de 2012 às 12h04

[…] Conta de luz: MAB diz que tucanos preferiram acionistas ao povo […]

Responder

Gerson Carneiro

08 de dezembro de 2012 às 07h28

Eu se divirto com o contorcionismo dos tucanos de carteirinha para camuflar a sacanagem deles para o povo e para o setor produtivo.

Responder

Amaro

07 de dezembro de 2012 às 21h26

O MEDO DO PSDB: QUE DILMA VIRE UM CHÁVEZ DE SAIA

No Estadão:

O PSDB afirmou nesta sexta-feira temer que a presidente Dilma Rousseff esteja seguindo “as ações populistas e intervencionistas” de seu colega venezuelano, Hugo Chávez, e disse que o PT quer criar uma cortina de fumaça para esconder escândalos ao criticar estatais elétricas de governos tucanos.

2014 está próximo. Uma banana para os candidatos do PSDB. Vigaristas!

Responder

    Bonifa

    08 de dezembro de 2012 às 06h49

    A poderosa Mídia de Direita, verdadeira oposição, está gastando vela com defunto ruim. Não adianta, ficou à vista de todos que o braço político/administrativo da Mídia de Direita, cada dia mais fraco, pisou feio na bola.

rita

07 de dezembro de 2012 às 20h24

acho que nao adianta reclamar. em 2014 teremos alckmim de novo em sp.

Responder

Dilma Rousseff, Vandana Shiva, Tony Blair e uma certa revista britânica « Viomundo – O que você não vê na mídia

07 de dezembro de 2012 às 19h26

[…] Conta de luz: MAB diz que tucanos preferiram acionistas ao povo […]

Responder

Marcelo

07 de dezembro de 2012 às 18h41

É preciso corrigir uma distorção que ocorre na cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias (ICMS) para operações de energia elétrica. Nesse caso, o imposto é cobrado no estado de destino. Isso prejudica os estados onde estão instaladas ou onde estão sendo construídas as grandes usinas hidrelétricas brasileiras. Essa distorção começou na Constituição de 1988, que excluiu a energia elétrica, o petróleo e seus derivados da regra de partição mista do ICMS.

Responder

italo

07 de dezembro de 2012 às 16h19

Os governos tucanos que privatizaram companhias de energia, hoje decidem os rumos dessas companhias. Afinal, privatizar é vender ou comprar uma companhia? Tucanos, o Ministro Joaquim Barbosa costuma ler comentários em jornais antes de decidir. Ele pode pensar que vcs fizeram por 10%, direto com os donos.

Responder

Urbano

07 de dezembro de 2012 às 15h33

Na verdade, os interesses deles primeiro. Digam-me, por exemplo, pelo menos um momento em que o fred henrique danoso, durante ou depois do seu desgoverno, tenha defendido algum interesse do povo ou do país…

Responder

Rogério Correia: Cemig escolhe o lucro da Andrade Gutierrez e outros poucos « Viomundo – O que você não vê na mídia

07 de dezembro de 2012 às 15h13

[…] Conta de luz: MAB diz que tucanos preferiram acionistas ao povo […]

Responder

italo

07 de dezembro de 2012 às 13h41

Os tucanos privatizaram, isto é, venderam para terceiros, mas continuam decidindo os rumos das concessionárias de energia. Se o PIG tivesse sabendo disso, faria barulho, fez barulho ou sequer fará barulho? É melhor deixar o PT no governo, senão o barulho acaba. E, sabe como é, é preferível o barulho da Imprensa, que aquele silêncio antes de 2002.

Responder

Paulo Figueira

07 de dezembro de 2012 às 12h45

A velha tese neoliberal, o Estado serve para salvar bancos e socializar prejuízos, não para intervir regulando mercados e salvaguardando interesses da população

Responder

Marcelo Costa

07 de dezembro de 2012 às 12h31

Esta iniciativa da presidenta Dilma tem o objetivo de manter o nível de atividade brasileiro, entenda emprego e renda, mesmo com a crise mundial.
Mas os “mercadistas” do PSDB defendem a manuetnção contratos. Só que estes mesmos que defendem a manutenção dos contratos, estão na Europa em crise quebrando contratos de aposentados, pensionistas e reduzindo salários de empregados. Resumindo mantem os contratos das empresas agora para quebrarem os contratos com o povo na hora ca crise. Esse é o princípio neoliberal defendido pelo PSDB.

Responder

Almerindo

07 de dezembro de 2012 às 11h14

Aqui, o Sindifisco MG mostra que aqui pagamos quase 50% de ICMS (imposto ESTADUAL) na conta de energia elétrica, sendo que na guia de pagamento vem declarado 30% de ICMS, que já é um verdadeiro roubo:

http://www.sindifiscomg.com.br/informes/2011/114.tarifas.de.servicos.essenciais.13.6.2011.html

Responder

Julio Silveira

07 de dezembro de 2012 às 10h57

Não é novidade, essa turma que roubou até o nome dessa bela ave da natureza brasileira, sempre teve esse tipo de preferências.
Sempre trocaram a maioria da cidadania pela minoria empresarial. É a visão de mundo deles, em que o povo foi criado para servi-los e as empresas, e seus acionistas, parceiros para financiá-los, e lutam para manter as coisas nessa ordem.

Responder

Rodrigo Leme

07 de dezembro de 2012 às 08h51

Quando o governo federal entrega concessões públicas à incitiva privada, espera o que? Que os investidores não protejam seu investimento e que aceitem de bom grado perder o que colocaram no negócio?

Pq o governo federal não retoma todas as concessões de energia de uma vez para fazer o que quer, ao invés de – e vou dar o nome que o progressismo evita colar no PT – acelerar a privatização do setor?

Não tem coerência nenhuma querer que a concessão fique ainda mais nas mãos da iniciativa privada e ao mesmo tempo tratá-la como uma autarquia.

Se o governo usasse parte dos 7 bilhões que cobrou indevidamente da população em impostos entre 2002 e 2009 (não foi o FHC que fez isso? Que coisa…) para amortizar o negócio, talvez o acordo estivesse em outro pé.

Responder

Luís Carlos

07 de dezembro de 2012 às 07h10

Estão beneficiando especuladores em detrimento da população brasileira. Até aí, mais do mesmo no ninho tucano. Mas, além disso, têm a cara de pau de acusar Dilma de estar fazendo campanha para 2014… … Só eles podem antecipar a campanha presidencial? A política mais rasteira… …deveriam mudar de ave, de tucano para galinha, pois esses voos são muito rasteiros.

Responder

Helder

07 de dezembro de 2012 às 04h17

Como os tucanos vão explicar mais essa atitude contra o Povo que eles governam?

“Faz parte da minha natureza…”

Tomar dos pobres e dar aos ricos. Então porque ainda votamos nesse bando?!

Responder

    Roberto Locatelli

    07 de dezembro de 2012 às 10h33

    Pois é, Helder, o oprimido tem que parar de apoiar o opressor. A mídia faz a cabeça de muitos. Como disse sarcasticamente o escritor George Bernard Shaw, “o povo inglês não será escravizado, e tomará todas as decisões que a mídia e o governo permitirem”.

    Então, é preciso levar informação ao máximo possível de pessoas, inclusive através das redes sociais. Comecemos clicando no botao “curtir” deste post.

Francisco

07 de dezembro de 2012 às 03h10

O governo Dilma vai denunciar que os servidores públicos tucanos não são servidores do público, mas do privado onde, na Globo?

Observei uma tentativa safada de jogar em cima de Dilma: “-Ela prometeu vinte por cento de redução, a culpa é dela!”…

Eles podem perder todas as batalhas Dilma e ainda assim ganhar a guerra…

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.