VIOMUNDO

Globo tira do ar vídeo de especialista que fala da Petrobras e Pasadena

16 de fevereiro de 2015 às 13h00

JeanPaul100215Globo Passadena

10/02/2015

O VÍDEO QUE A GLOBO ESCONDEU.ESPECIALISTA EM PETRÓLEO TAPA A BOCA DE LEILANE NEUBARTH

 do BR29, sugestão de FrancoAtirador

Jean-Paul Prates, consultor na área de petróleo, comenta a compra da refinaria de Pasadena, nos EUA, e outras polêmicas que a Petrobras atravessa.

A repórter da GloboNews ainda se esforçou, em vão, para rebater as palavras do especialista em petróleo, que deixou claro que a atual discussão travada em torno de Pasadena é política e que assuntos desta magnitude não podem ser tratados com oportunismo e de modo superficial.

Como a Globo resolveu tirar do ar: aqui (printscreen da página no topo)

Assista a seguir:

Leia também:

Investigação VIOMUNDO

Estamos investigando a hipocrisia de deputados e senadores que dizem uma coisa ao condenar Dilma Rousseff ao impeachment mas fazem outra fora do Parlamento. Hipocrisia, sim, mas também maracutaias que deveriam fazer corar as esposas e filhos aos quais dedicaram seus votos. Muitos destes parlamentares obscuros controlam a mídia local ou regional contra qualquer tipo de investigação e estão fora do radar de jornalistas investigativos que trabalham nos grandes meios. Precisamos de sua ajuda para financiar esta investigação permanente e para manter um banco de dados digital que os eleitores poderão consultar já em 2016. Estamos recebendo dezenas de sugestões, links e documentos pelo [email protected]

R$0,00

% arrecadado

arrecadados da meta de
R$ 20.000,00

90 dias restantes

QUERO CONTRIBUIR

 

39 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Athos

09/09/2015 - 15h27

Informo a todos que o vídeo da entrevista com Margaret Thatcher também foi retirado anos atrás. Acho que era com o Silio Bocaneira.
Como é um baluarte do neoliberalismo, ninguém das esquerdas reparou.
MAs pense bem, porque retirariam este vídeo?
NA época a primeira Ministra enfrentava sérias críticas e tentava passar a ideia de que suas reformas não seriam ideologia pura.
Como exemplo citou o ramo da saúde 100% estatal na Grande Bretanha. Disse que isso era a prova de que não era ideologia pura pois seria 100% estatal porque estavam convencidos que este caminho era o melhor para sua sociedade.

Só por isso! MAs nunca vi ninguém da esquerda comentar o assunto.
Margaret Thatcher é a maior promotora do SUS no Brasil! Falta só “achar” o vídeo!

Responder

Edivaldo

04/08/2015 - 19h41

A globo queria destruir a petrobras não conseguiu, agora quer destruir o Thermas dos laranjais Olimpia.

Responder

Luis Augusto Pisseti

28/05/2015 - 23h41

Vcs, petistas, comemoram migalhas…

O q essa entrevista tem de novo?

O “especialista” (q é petista) falou o óbvio!!!

Mas…

O TCU estimou em 800 Milhões de dólares o prejuízo com Pasadena!

E quem transformou o “caso de Pasadena” em político foi a presidente Dilma, ao culpar o “relatório” para tirar o dela da reta!

Responder

Joker

21/04/2015 - 12h48

Entendi…

Aqui também não se pode fazer comentários contrários ao PT e (ou) ao sistema.

Quer dizer que quem fala bem do PT e concorda com tudo oq é escrito aqui tem seu comentário publicado e quem discorda de alguns aspectos mesmo sendo eleitor do PT nos últimos 12 anos tem o pensamento CENSURADO ? E eu que sou leitor deste blog faz anos e nunca havia feito comentários, logo na primeira vez que fiz fiquei decepcionado.

Responder

PAULO REIS

25/03/2015 - 17h13

MANDA PRENDER ESSE SERRA URGENTE ISSO É UM CRIME DISFARÇADO DE CORRUPÇÃO, O PT TEM QUE ACIONAR JUDIACIALMENTE ESSE JORNAL GLOBONEWS FICAM O TEMPO JOGANDO CONTRA O GOVERNO E O PARTIDO MAIS TODA IMPRENSA RESOLVEU JOGAR SUJO É DEMAIS, O GOVERNO VIROU SACO DE PANCADA.

Responder

Marcos

24/03/2015 - 09h51

Concordo com o Euler.
Está na hora de produzir um jornal diário ,com finalidade elucidativa e como contraponto da mídia hegemônica (clãs).
Vamos lá , eu apoio esta ideia !Poderia até mesmo começar com um financiamento coletivo para promover os primeiros passos.
É preciso promover o contraponto. Jornalismo de verdade ,sem rabo preso !

Responder

Morvan

23/03/2015 - 00h48

Boa noite.
Mais uma vez, a Globo levou tubo, como o fez, também, no “Mahattan Connection“, aquele programa hororoso, o qual, imagino, seja a maior concentração de golpista por M². Na ocasião, os “calunistas” estavam a falar mal do povo nordestino e o entrevistado, além de não concordar com eles, lhes falou que era casado com uma cearense. ♫♯ Poiiiiiing! Desta vez, foi a sra. “Nóibarr“. Silas.
Parabéns pela sugestão de Elo, camarada FrancoAtirador.

Saudações “Dilma, Vamos De Coração Valente; Enfrentar Os Golpistas E Defender A PetroBrás“,
Morvan, Usuário GNU-Linux #433640. Seja Legal; seja Livre. Use GNU-Linux.

Responder

Euler

22/03/2015 - 10h39

O grande desafio lançado pelo articulista José Carlos de Assis no GGN (link ao final do comentário) seria o de desligar a TV na hora dos jornais da Globo. Beleza. Mas, as pessoas vão querer outra coisa no lugar, uma outra fonte de informação. Então eu lanço um desafio complementar: por que os jornalistas e blogueiros independentes, ou progressistas, ou “sujos”, não produzem um jornal diário pela Internet, que seria exibido no horário do Jornal Nacional em todos os blogs ou num portal específico?

Claro que aí a pergunta seguinte é: quem vai financiar? Respondo: por que não o Banco do Brasil, ou a CEF ou a Petrobras? Eles não financiam as TVs da direita golpista? Por que não poderiam financiar um projeto de jornal nacional via internet a um custo bem inferior a que eles normalmente pagam para os barões da mídia? Falta ousadia do governo, mas falta também ousadia e criatividade da parte de cá, ou seja, da parte de quem reivindica a democratização da mídia.

Nem sempre o choro é a única alternativa. A gente reclama do republicanismo de araque do PT para justificar as verbas publicitárias para a Globo, mas não vejo nenhum movimento dos blogueiros com maior acesso ao grupo palaciano com intuito de criar algo diferente. Por que não reúnem uma comissão e vão direto ao Berzoini e exijam – pedir não, exigir – o patrocínio de um projeto de jornalismo alternativo pelo menos via Internet? Ou será que o republicanismo meia boca do PT fez escola também entre os que o criticam?

A gente critica o PT e a Dilma por omissão. E nós? Não estamos sendo omissos em não cobrar diretamente o financiamento de um ou mais projetos de mídia alternativa? Eu não tenho acesso a esse grupo palaciano – mas os blogueiros mais conhecidos têm. Então eu, pessoalmente, vou começar a cobrar de vocês – Nassif, Azenha, Miguel do Rosário, PHA, Eduardo Guimarães, Rodrigo Vianna, Maria Frô, Conceição Lemes, Paulo Nogueira, Rovai, Fernando Brito, Altamiro, entre outros. Talvez muitos nem queiram isso, mas nós – eu, pelo menos – os que frequentamos os seus blogs, queremos isso.

Queremos, além desse valiosíssimo espaço dos blogs “sujos”, que seja criado uma outra alternativa de mídia para fazer frente ao Jornal Nacional da Globo. Pode começar com um portal na Internet e um jornal diário de 30 a 40 minutos – na hora do Jornal Nacional e durante o dia reproduzindo as manchetes dos blogs. Isso depois pode crescer e se expandir para as TVs comunitárias e públicas e educativas de todo o Brasil; pode ser reproduzido nas escolas em comum acordo com grêmios e entidades estudantis, e nos sindicatos, que provocariam debates sobre os temas abordados.

Enfim, é possível sim criar um movimento a partir de baixo, como contraponto à agenda golpista da Globo, Veja, Band, Itatiaia, etc. Quem vai encarar este desafio?

Fonte: http://jornalggn.com.br/noticia/como-dar-um-basta-definitivo-no-jornalismo-lixo-da-globo-por-j-carlos-de-assis

Responder

    Mário SF Alves

    25/03/2015 - 19h02

    Ponto 1) A gente critica o PT e a Dilma por omissão. E nós? Não estamos sendo omissos em não cobrar diretamente o financiamento de um ou mais projetos de mídia alternativa?

    Ponto 2) Enfim, é possível sim criar um movimento a partir de baixo, como contraponto à agenda golpista da Globo, Veja, Band, Itatiaia, etc.
    _______________________________

    No Brasil as possibilidades são enormes. Claro, há séculos que tá tudo travado pelo subdesenvolvimentismo. Hoje, com esse relativamente pouquíssimo tempo de governos progressistas, já tem janela de oportunidade se abrindo pra todo lado. No campo do oligopólio antissocial midiático não haveria de ser diferente. Há muito o que fazer em termos de jornalismo sério e de diversão saudável. Seríamos assim tão mal empreendedores?

Wagner Luiz

21/03/2015 - 16h01

Há um código de erro na página da globo news: NF. Quer dizer: Nos Fud***s!

Responder

SECUNDINO AIRES

19/02/2015 - 10h53

essa apresentadora e cria da Globosta e do PIG. tem a cara de toda a corja que alimenta o pais com o terrorismo midiático, pregam a desgraça e toda forma de infortúnio, em detrimento aos seus imundos interesses. essas pragas tem que merecer desprezo de quem acredita em dias melhores. foda-se PIG.

Responder

Cláudio

18/02/2015 - 04h13

:

**** ♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥
**** ♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥
♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥ ****
♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥ ****

************* Abaixo o PIG brasileiro — Partido da Imprensa Golpista no Brasil, na feliz definição do deputado Fernando Ferro; pig que é a míRdia que se acredita dona de mandato divino para governar.

Lei de Mídias Já!!!! **** … “Com o tempo, uma imprensa [mídia] cínica, mercenária, demagógica e corruta formará um público tão vil como ela mesma” *** * Joseph Pulitzer. **** … … “Se você não for cuidadoso(a), os jornais [mídias] farão você odiar as pessoas que estão sendo oprimidas, e amar as pessoas que estão oprimindo” *** * Malcolm X. … … … Ley de Medios Já ! ! ! . . . … … … …

Responder

Cláudio

17/02/2015 - 23h13

:

Essa é a tática de comunicação da direita, pig & Cia et caterva: sempre, SEMPRE estabelecer o contraponto, por mínimo que seja (e quase nunca o é) nas publicações progressistas mesmo que em tais manifestações não sejam minimamente razoáveis (tipo comentários obtusos, por mais grotescos que sejam, nos blogs de esquerda, ou fazer, apresentar falácias mais engendradas) e nunca permitir o contraditório em seus próprios meios, ou dificultá-lo o máximo que puderem.

Torna-se importante notar isso, porque há momentos em que a própria blogosfera em seus espectros mais avançados é invadida por esse tipo de ação/elementos e é perigoso dar democracia para anti-democratas uma vez que tais irão aproveitar-se do caráter democrático dos outros para atentar contra a democracia.

**** ♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥
**** ♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥
♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥ ****
♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥ ****

************* Abaixo o PIG brasileiro — Partido da Imprensa Golpista no Brasil, na feliz definição do deputado Fernando Ferro; pig que é a míRdia que se acredita dona de mandato divino para governar.

Lei de Mídias Já!!!! **** … “Com o tempo, uma imprensa [mídia] cínica, mercenária, demagógica e corruta formará um público tão vil como ela mesma” *** * Joseph Pulitzer. **** … … “Se você não for cuidadoso(a), os jornais [mídias] farão você odiar as pessoas que estão sendo oprimidas, e amar as pessoas que estão oprimindo” *** * Malcolm X. … … … Ley de Medios Já ! ! ! . . . … … … …

Responder

anac

17/02/2015 - 19h55

Impitman my balls. Em cearensês é impitman meuzovos.

Responder

    FrancoAtirador

    17/02/2015 - 21h54

    .
    .
    Em Máiâmi é #ImpíxiMáiÉguis.
    .
    .

Carlos Roberto

17/02/2015 - 10h24

Todos os prejuízos dos acionistas tem com base as impertinentes e tendenciosas matérias da rede manipuladora suas nossas ações desabaram por culpa do PIG.

Responder

Julio Silveira

17/02/2015 - 00h18

Esse cidadão mostra o que é ser um conhecedor do assunto, e que usa o bom senso em suas analise. Seu marqueting é sua capacidade demontrada e até do viés politico.

Responder

FrancoAtirador

16/02/2015 - 22h06

.
.
Os acionistas norte-americanos da Petrobrás

não têm direitos garantidos à lucratividade

e, portanto, à apreciação do valor de mercado

das ações de que são titulares em New York.

Por Walfrido Jorge Warde Júnior (*), na Carta Maior

As empresas públicas são produtos da atuação do Estado, de sua afetação na etapa monopolista do capitalismo.

Funcionam à afirmação dos fins estatais e se submetem ultimamente às razões de Estado, as quais, vale lembrar, impõem limites à própria Constituição e à sua missão de controle do Estado.

É essa a lógica a que se submete a Petrobrás.
Uma lógica perdida, em meio à má-fé e à ignorância reinantes.

A organização da empresa pública sob a forma de sociedade de economia mista, assim como se dá com a Petrobras, é mera conveniência.

Provê à burocracia estatal um aparato empresarial originalmente concebido em favor do capitalista privado, e passa a instrumentalizar uma das técnicas de intervenção do Estado na economia.

Essa forma de organização, essencialmente privada, permite também que o Estado-empresário apele à poupança privada, para que com ele financie a empresa pública, incentivada pelas perspectivas de lucro, não raro, o lucro do monopolista.

Essas perspectivas são, contudo, uma eventualidade, jamais certeza.

A empresa pública não tem compromisso com o lucro, ao menos não com o lucro do Estado-empresário e de seu eventual financiador privado.

Como instrumento do Estado, a empresa pública serve, não há dúvidas, o capitalismo, para salvá-lo da crise e do risco de colapso, que decorrem das decrescentes taxas de lucro.

Exaurida a etapa concorrencial do capitalismo, o capital não é mais capaz de se autorreferir, não basta à sua autorreprodução, pelo que compartilha com o Estado a tarefa de reproduzir as condições monopolistas, particulares e internas, necessárias ao curso regular do processo de acumulação capitalista.

É esse o fundamento existencial mediato da empresa pública.

O financiamento compartilhado da empresa pública (entre Estado e financiador privado) é uma técnica de concentração e de centralização econômica, implementada pela fragmentação da propriedade, ou seja, pela dissociação entre a propriedade, na sua acepção jurídica, e o controle, que se caracteriza pelo poder de disposição de bens de terceiros e pela apropriação real das relações de trabalho.

Os investidores privados são, nesse passo, titulares de suas ações, mas é o Estado quem controla os meios de produção, a sua afetação e a distribuição dos resultados da empresa que organiza e exerce.

Quem investe em ações de sociedade de economia mista sabe, ou deveria saber, que seus interesses privados se submetem aos interesses de Estado.

Quaisquer garantias de lucratividade são, portanto, mentiras.

São propaganda enganosa, institucionalizada pelo discurso vazio dos homens e de algumas organizações de mercado, empenhados na transmudação de mentira em factoide e de factoide em verdade.

Os acionistas da Petrobrás não têm direitos garantidos à lucratividade e, portanto, à apreciação de mercado das ações de que são titulares.

A burocracia estatal deve perseguir objetivos de Estado.

A administração da Petrobrás não se sujeita à disciplina dos juízos negociais próprios das empresas privadas, senão no nível mais raso, mas sim à do ato administrativo.

O aumento ou a diminuição do valor de mercado da empresa pública, em vista do implemento de uma decisão de Estado, não atribui direitos ao seu financiador privado.

Nem mesmo quando a perda de valor decorre da corrupção passiva de seus administradores (membros da burocracia estatal) e do ataque sórdido e inexcusável ao patrimônio da companhia.

Não será, nesse caso, um ataque contra patrimônio privado!

Será apropriação de coisa pública, que pertence ao Estado e, antes dele, a todo um povo, não apenas à coletividade de acionistas privados.

Os acionistas da Petrobrás, assim como a sua novíssima administração, podem e devem acionar os administradores corruptos, imputando-lhes responsabilidade e forçando-os a ressarcir os cofres da companhia.

Não podem, por outro lado, obrigar a companhia a lhes ressarcir a perda de valor de suas ações. Essa é uma inversão inaceitável de papéis. A Petrobrás é vítima, não algoz.

O Brasil é vítima!

Tudo isso vale também para os financiadores privados no estrangeiro, os titulares de ADR (American Depositary Receipts) de ações da Petrobrás.

De quem foi a brilhante ideia de ofertar, nos Estados Unidos, ADR da Petrobrás?

Algum entreguista, certamente. [Leia-se: FHC (PSDB)].

Alguém que pretendia, a pretexto de diminuir o peso do financiamento estatal da mais importante empresa pública brasileira, submetê-la ao direito e às autoridades de mercado norte-americanas.

Alguém que pretendia pavimentar mais um ataque inadmissível contra a nossa soberania, contra o nosso direito inviolável à autodeterminação, à autonomia e à liberdade.

Não será homologada no Brasil (e, portanto, será inexequível aqui) qualquer decisão estrangeira que afronte a ordem pública brasileira.

Não se deverá homologar, bem por isso, uma decisão que pretenda a indenização, pela companhia, de investidores estrangeiros, em detrimento de acionistas privados brasileiros e da própria Petrobrás, que é, em mais um escândalo da Nova (e já gasta) República, vítima da captura sistemática do Estado brasileiro.

A eventual apreensão judicial de ativos da Petrobrás no estrangeiro, a pretexto de ressarcir poucos privilegiados, caracterizará expropriação, por outra nação, de bens públicos brasileiros.

E deve ser encarada como uma afronta a nossa soberania.

A Petrobrás, por representação do Brasil e de seu povo, deverá ser indenizada por seus detratores.

Deverá recobrar as suas funções modelares, apartar-se dos desvios forçados pela corrupção e pelas impropriedades de nossos processos políticos.

Isso depende, contudo, de uma atitude corajosa de enfrentamento dos problemas brasileiros, que não parece ser a prioridade de um governo mais preocupado em se entrincheirar no poder.

Ao cidadão cabe exigir, incansável, a punição exemplar dos traidores da pátria, que deverão ser perseguidos, se for o caso, até a mais alta hierarquia do governo.

(*) Advogado; LLM pela New York University School of Law;
Doutor em Direito Comercial pela Universidade de São Paulo (USP)

http://cartamaior.com.br/?%2FEditoria%2FPolitica%2FEm-defesa-da-petrobras-pelo-Brasil%2F4%2F32882

Responder

FrancoAtirador

16/02/2015 - 20h54

.
.
TV GLOBO FLAGRADA DESPERDIÇANDO ÁGUA

A cidadã Maria Fernanda viu, fotografou
e publicou em seu facebook:

(http://imgur.com/NKjdtPH)

“Enquanto a Rede Globo lava a sua calçada

seus repórteres denunciam o desperdício de água…

… dos outros, é claro!

Eu não me lembro de ter visto

esta imagem no Bom Dia Rio!”

(https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10152574113452805&set=a.416697602804.203006.589157804&type=1&theater)

Fonte: Os Amigos do Presidente LULA
(https://www.facebook.com/Osamigosdopresidentelula)
.
.

Responder

Liberal

16/02/2015 - 18h30

A Globo tirou do ar um video de Abril do ano passado? Que absurdo!

Responder

niveo campos souza

16/02/2015 - 17h58

A Globo é simples e totalmente uma sucursal de empresa “vendida” ao interesse anti-nacional.
É só ver a programação, as notícias e as “não notícias”.
Faz mal ao intelecto do povo brasileiro, é um virus da dominação imperialista.

Responder

roberto

16/02/2015 - 17h58

Essa Leilane continua tocando só de ouvido,como a maioria dos repórteres da ex-grande mídia brasileira.
Não entender nada de um assunto, mas ser obrigada pelo patrão a meter o pau numa super empresa petroleira, por causa de uma micro pendenga numa das milhões de operações de uma empresa, deixa a repórter totalmente vulnerável e demonstrando de forma explícita, o despreparo e destempero de uma mídia afoita e parcial.
A audiência deles está indo para o fundo do poço,mais rápido que as sondas da Petrobrás ao perfurarem a camada Pré-sal.

Responder

Lukas

16/02/2015 - 16h57

http://www.eleicoes2014.com.br/jean-paul-prates/

Sem mais, meritíssimo.

Responder

Marat

16/02/2015 - 16h42

Pelo fato de ser um filhote da ditadura, a globo não está habituada a uma democracia.
Causa revolta e asco ver uma concessão pública lutar contra o Brasil!

Responder

Luiz

16/02/2015 - 16h30

“Quem acreditar que vai para o buraco porque a Petrobrás está mal por um período, vai se dar mal”

Responder

El Cid

16/02/2015 - 16h17

também gravei esta entrevista e coloco á disposição aqui neste link:

https://vimeo.com/119778610

Responder

andre i souza

16/02/2015 - 14h52

É incrível. Só não percebe o desespero da global em levar o assunto para o viés político de oposição e à visão negativa de tudo ali relacionado, quem não quer. Até o último minuto, à ultima frase, ela se debate pra que o entrevistado não tire peso negativo do assunto. Os profissionais de jornalismo da grande, velha, porca e viciada mídia nacional – exceto Jânio de Freitas – não se importam mais com nada, f..da-se o nome, a ética profissional e a honestidade intelectual. O negócio é agradar ao patrão.

Responder

Rosberto

16/02/2015 - 14h44

No meu comentário esqueci de mencionar que para tentar achar os vídeos mais antigos do Jornal Globo News, eu tive que buscar algo, então coloquei “dilma” pois sempre tem notícias sobre ela e assim foi a forma que encontrei e não acredito que antes do de agosto de 2014 não houves nada sobre a Dilma no jornal, mas como podem ver pelo link não nenhum vídeo mais.

Responder

Rosberto

16/02/2015 - 14h39

Fui no site de vídeos da Globo News e fiz uma analise se teria algum vídeo mais antigo que esse do mesmo programa, o “Jornal Globo News”.
O que descobri é que não,

O resultado:
Não tem nenhum vídeo desse programa anterior a data 21 08 2014
Esse vídeo que agora está fora do ar assim como todos anteriores é de PUBLICADO EM 30/04/2014

Ou seja quatro meses antes o último vídeo disponível do site.
Me parece que a globo tem um sistema onde os vídeos mais velhos vão sendo retirado…

Podem ver o resultado aqui da busca pelo o programa dos vídeos mais antigos
http://globotv.globo.com/busca/?q=dilma&dt=&d=&o=antigos&c=GloboNews&p=Jornal%20GloboNews&page=1

Responder

Deixe uma resposta