VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Política

Rogério Correia: O debate sobre a lista de Furnas


24/04/2012 - 10h33

SEGUNDA-FEIRA, 23 DE ABRIL DE 2012, 15:59 HS

Deputado Rogério Correia ganha direito de resposta contra Jornal Estado de Minas

do site do parlamentar

O Deputado Rogério Correia ganhou direito de resposta, em relação às matérias ofensivas à pessoa, à vida social e à sua atividade política, que foram impressas pelo jornal Estado de Minas, sobre a chamada Lista de Furnas. O Acórdão (decisão) do Tribunal de Justiça de Minas Gerais foi publicado nesta segunda-feira, 23/04/2012. E implica multa diária, caso o citado veículo de imprensa deixe de publicar nos mesmos dias da semana e nas mesmas páginas em que foram divulgadas as matérias ofensivas, a resposta apresentada por Correia.

O jornal Estado de Minas, sob pretexto de repercutir fato jornalístico já superado, na celeuma acerca da autenticidade da “Lista de Furnas” requentou como verdadeiras as versões de que a mesma teria sido montada, sob encomenda do deputado petista. Recusando-se a garantir a versão, fartamente documentada, sobre a autenticidade da “Lista”, o jornal não só imputou a Correia a cumplicidade na fabricação da mesma, como lhe dirigiu palavras ofensivas e insinuações caluniosas.

Eis alguns registros na sentença prolatada pelo TJMG:

Destaca expressões dos textos publicados que, ao seu juízo, contém “injusta imputação de crimes ao agravante, bem como injuriando o e difamando” (f. 11-TJ), que ora passo a transcrever: “desrespeito e desfaçatez”; “ridícula demonstração de desfaçatez na Assembléia”; “desrespeitando aquela Casa e a inteligência do povo mineiro”; “encenação”; “deformada noção de compromisso com a ética e com o interesse público”; “prática de denúncia irresponsável”; “método de ação eleitoral próprio dos despreparados para vida parlamentar e o exercício do poder político”; “despudor de articular sórdida montagem”; “farsa petista”; “montagem de fraude”; “Rogério Correia (PT), patrono da iniciativa”; “O deputado (…) tentou mais uma vez enganar de boa-fé de seus colegas” (f. 06 e 09-TJ).

O recurso à Justiça seria plenamente dispensável se o jornal em foco adotasse o simples direito ao contráditório. No entanto, pelas expressões acima vê-se que o Estado de Minas nada se preocupou com princípios da imparcialidade e do equilíbrio, que deveriam presidir a atividade jornalística.

Lembre-se que a Lista de Furnas foi considerada autêntica pelo Instituto Nacional de Criminalística, da Polícia Federal. E que foi referenciada positivamente no próprio TJMG, em sentença específica. E mais: que o Minstério Público Federal, no Rio de Janeiro, a tomou como ponto de partida para um inquérito que corre em segredo de justiça. Agora, mais uma sentença judicial reconhece a autenticidade da mesma. Até quando e por qual motivo permanecerá a tentativa de desqualificação dela?

A decisão do TJMG aponta para outras repercussões. Matérias de natureza idêntica, veiculadas pela revista “Veja”, contra Rogério Correia, ainda serão objetivo de apreciação judicial. Espera-se que tambem aí seja feita justiça. A condenação de veículos de imprensa que se julgam no direito de imputar a quem que seja, acusações gravíssimas, que lhe causem transtornos políticos, pessoais e profissionais é a afirmação da necessidade de que a atividade de imprensa seja menos partidarizada e mais responsável.

O deputado Rogério Correia, além do pleito de direito de resposta, ainda reivindica indenização pecuniária por danos morais, tanto ao jornal Estado de Minas, quanto à revista “Veja”.

Leia também:

Quando FHC tentou privatizar Furnas – e Itamar Franco impediu



Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

O lado sujo do futebol: Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - O lado sujo do futebol e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


23 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Sagarana

25 de abril de 2012 às 19h13

Alguem tem o link para o laudo do Instituto Nacional de Criminalistica que atesta autenticidade da tal lista?

Responder

Dimas

24 de abril de 2012 às 22h22

prá cima deles Rogério Correia, dígno representante do povo mineiro e batalhador pela causa dos professores.

Responder

RicardãoCarioca

24 de abril de 2012 às 21h47

Agora o Jô Gurgel deixou cair a máscara: é funcionário do PiG!
http://oglobo.globo.com/pais/gurgel-vai-pedir-abe

E abrir inquérito para Marconi Perillo, não, né?

Será que não existe ninguém que possa fazer essas simples perguntas a ele: Por que só Agnelo? Por que não o Perillo?

Esse Jô Gurgel é funcionário do PiG!

Responder

Fabio_Passos

24 de abril de 2012 às 21h20

O PIG plantou tanta mentira e difamação para proteger a direita corrupta… agora só vai colher tempestade.
Incrível como as pessoas atacadas só tem o direito de se defender por decisão judicial.

Aonde está a liberdade de expressão dos acusados pelo PIG?
O PIG despreza a liberdade e a democracia. Qualquer um pode ver.

Responder

FrancoAtirador

24 de abril de 2012 às 21h07

.
.
CPI CACHOEIRA/VEJA/DEMÓSTENES

Tráfico de influência no Governo de Minas Gerais

Demóstenes pediu ajuda de Aécio para favorecer prima de Cachoeira, apontam escutas da PF

Em 2011, parente de contraventor foi nomeada para cargo no governo de MG, a pedido de senador

Escutas telefônicas da Polícia Federal revelam que o senador Demóstenes Torres (ex-DEM-GO) intercedeu diretamente junto ao colega Aécio Neves (PSDB-MG) e arrumou emprego comissionado no governo de Minas para uma parente do contraventor Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira.

Mônica Beatriz Silva Vieira, prima de Cachoeira, assumiu em 25 de maio de 2011 o cargo de diretora regional da Secretaria de Estado de Assistência Social em Uberaba.

Do pedido de Cachoeira a Demóstenes até a nomeação de Mônica, bastaram apenas 12 dias e sete telefonemas. São citados nos grampos o deputado federal Marcos Montes (PSD), ex-prefeito de Uberaba, e Danilo de Castro, articulador político de Aécio em seu Estado e secretário de Governo da gestão Antonio Anastasia (PSDB), atual governador de Minas.

Por meio de nota, Aécio Neves confirmou que indicou Mônica.

A PF monitorou Cachoeira, a prima dele e Demóstenes na Operação Monte Carlo, que desmantelou esquema de contravenção e fez ruir a aura de paladino do senador goiano

Senador mineiro é citado em conversa telefônica

Aécio não caiu no grampo porque não é alvo da investigação.
Mas ele é mencionado por Demóstenes e Cachoeira.
Nos diálogos, o contraventor chama Demóstenes de "doutor" e o senador lhe confere o título de "professor".

O grampo que mostra a ascensão profissional da prima de Cachoeira está sob guarda do Supremo Tribunal Federal (STF), nos autos que tratam exclusivamente do conluio de Demóstenes com o contraventor.

Em 13 de maio de 2011, Aécio é citado.

Cachoeira pede a Demóstenes para "não esquecer" o pedido:
— É importantíssimo pra mim. Você consegue pôr ela lá com o Aécio. Em Uberaba, pô, a mãe dela morreu. É irmã da minha mãe — diz o bicheiro.

Demóstenes responde:
— Tranquilo. Deixa eu só ligar pro rapaz lá. Deixa eu ligar pra ele.

A PF avalia que o caso pode caracterizar tráfico de influência: "Seguem ligações telefônicas, divididas por investigado, em ordem cronológica, que contêm indícios de possível cometimento de infração penal por parte de seus interlocutores ou pessoas referidas."

Na síntese que faz da ligação de Cachoeira a Mônica, a 26 de maio – o contato durou 3 minutos e 47 segundos –, a PF assinala:
"Falam sobre a nomeação de Mônica para a Sedese/MG, conseguida por Cachoeira junto ao senador Aécio Neves por intermédio do senador Demóstenes Torres e de Danilo de Castro."

Agência Estado

Responder

Willian

24 de abril de 2012 às 20h48

Bem, basta o jornal fazer o direito de resposta como fez o PHA no caso do "negro de alma branca".

Responder

Paulo

24 de abril de 2012 às 15h05

Esse jornal é da escola da Veja. Faz parte do Crime.

Responder

Maria Rita

24 de abril de 2012 às 14h56

Primo de Aécio Neves montou quadrilha para vender sentenças judiciais a traficantes.

Quem afirma é o Fantástico !!!
http://contextolivre.blogspot.com.br/2012/04/prim
https://historiaspraboiacordar.wordpress.com/tag/
http://www.minassemcensura.com.br/conteudo.php?ME

Responder

Hélio Pereira

24 de abril de 2012 às 14h35

Acho que neste caso,até pela reincidência deste Jornal o espaço destinado a resposta deveria ocupar o dobro do espaço utilizado pelo Jornal pra Difamar o Deputado!

Responder

José Cabudo

24 de abril de 2012 às 13h39

Querem saber de mais uma do "grande" jornal dos mineiros? Primeiro uma introdução. Foi tornado público hoje que Aécio nomeou a prima do bicheiro Carlos Cahoeira, sem qualquer critério. Isso a maioria de vocês já deve saber. Seguindo a transcrição do Estadão (http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,leia-transcricao-dos-grampos-da-pf-sobre-nomeacao-de-prima-de-cachoeira,864555,0.htm), a senhora teve o cargo garantido em 12 dias (uma estranha eficiência no serviço público estadual, raramente encontrada quando a necessidade é de relevância pública – e não estou jogando palavras ao vento, falo de coisas específicas que vejo acontecerem corriqueiramente), sem, sequer, que o currículo da mesma tivesse sido analisado e com total desconhecimento dela em relação às suas atribuições no cargo. Crime de tráfico de influência, com co-autoria do governador Anastasia (juristas me corrijam, por favor). Isso numa época em que parte da sociedade mineira protestava contra a criação de milhares de cargos comissionados, porca e prontamente justificado pelo Governo de Minas, pela "relevância" dos cargos e o "pequeno" impacto na folha de pagamento.
Eis que eu fui averiguar o ocorrido nos portais de notícia e agora, passadas 14horas30min após a 1ª publicação do Jornal Estado de SP, tudo o que encontro no portai Uai (que é o que reproduz as notícias do Estado de Minas), eu transcrevo aqui num control+C; Control+V:

Máfia de jogos ilegais

PT indica Odair Cunha para relatoria da CPMI

Prazo para Demóstenes apresentar defesa termina amanhã

Demóstenes dá satisfações a Cachoeira em grampo da PF

Acabo de constatar (de verdade, estou relatando em tempo real) que esta última é a chamada para a referida notícia. http://www.em.com.br/app/noticia/politica/2012/04
Tudo bem. Cliquei no link e, antes de o ler, faço o Control+F (atalho de pesquisa do navegador), e digito "Aécio". Valendo um doce para quem descobrir quantas vezes retornou essa palavra ao longo da matéria.

Responder

Werner_Piana

24 de abril de 2012 às 13h28

que bom que ainda existam Juízes em MG.
à Justiça, dep Rogerio Correia!

Responder

Yarus

24 de abril de 2012 às 12h48

“Aécio nomeou prima de Cachoeira a pedido de Demóstenes

BASTARAM APENAS 12 DIAS E 7 TELEFONEMAS PARA QUE MÔNICA BEATRIZ SILVA VIEIRA ASSUMISSE, EM 25 DE MAIO DE 2011, O CARGO DE DIRETORA REGIONAL DA SECRETARIA DE ESTADO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL EM UBERABA

247 – O senador Aécio Neves (PSDB-MG) acatou a um pedido de Demóstenes Torres para nomear a prima de Carlinhos Cachoeira, Mônica Beatriz Silva Vieira, em 25 de maio de 2011, para o cargo de Diretora Regional da Secretaria de Estado de Assistência Social em Uberaba. Escutas telefônicas da Polícia Federal revelam que Demóstenes intercedeu diretamente junto a seu colega, após uma solicitação do bicheiro. Aécio confirma o empenho para atender solicitação de Demóstenes, mas alega desconhecer interesse de Cachoeira na indicação.

SÃO PAULO – Escutas telefônicas da Polícia Federal revelam que o senador Demóstenes Torres (DEM-GO) intercedeu diretamente junto a seu colega, Aécio Neves (PSDB-MG), e arrumou emprego comissionado para uma prima do empresário do jogo de azar Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Mônica Beatriz Silva Vieira, a prima do bicheiro, assumiu em 25 de maio de 2011 o cargo de Diretora Regional da Secretaria de Estado de Assistência Social em Uberaba.

Do pedido de Cachoeira a Demóstenes, até a nomeação de Mônica, bastaram apenas 12 dias e 7 telefonemas. Aécio confirma o empenho para atender solicitação de Demóstenes, mas alega desconhecer interesse de Cachoeira na indicação.

São citados nos grampos Marcos Montes (PSD), ex-prefeito de Uberaba, e Danilo de Castro, principal articulador político de Aécio em seu Estado e secretário de Governo da gestão Antonio Anastasia (PSDB), governador de Minas. Eles negam envolvimento na trama.

A PF monitorou Cachoeira, a prima e Demóstenes no bojo da Operação Monte Carlo, que desmantelou alentado esquema da contravenção, fez ruir a aura de paladino do senador goiano e expôs métodos supostamente ilícitos da Delta Construções para atingir a supremacia em sua área de ação…” http://www.brasil247.com/pt/247/poder/55749/A%C3%

Responder

Alexei_Alves

24 de abril de 2012 às 12h41

Com os esclarecimentos a serem obtidos sobre os "escândalos" do Policarpo, há que se conceder centenas de direitos de resposta na revista veja. Um para cada calúnia mentirosa.

É isso que queremos.

É necessário desenvolvermos uma cultura do direito de resposta no nosso país.

Responder

    luiz pinheiro

    24 de abril de 2012 às 15h10

    Precisamos de uma lei que garante o direito de resposta, não é uma questão de cultura. O fim da lei de imprensa deixou a mídia com garfo e faca na mão para fazer o que bem entender, sem ter que prestar responsabilidade pelo que publica, nem demonstrar a veracidade de suas acusações.

FrancoAtirador

24 de abril de 2012 às 12h31

.
.
Imprensa aecista tem que engolir: A Lista de Furnas é autêntica

Por Zé Augusto, no blog Os Amigos do Presidente Lula

O Deputado estadual Rogério Correia (PT/MG) ganhou na justiça direito de resposta, em relação às ofensas que recebeu do jornal demotucano "Estado de Minas", sobre a Lista de Furnas.

A lista foi periciada pelo Instituto de Criminalística da Polícia Federal, que deu parecer pela sua autenticidade.

O deputado reiterou diversas vezes ao jornalão esse e outros fatos, mas o jornalão censurou o direito de resposta, ignorou os fatos objetivos, e só publicou as ofensas contra Rogério Correia perpetradas por políticos tucanos com fins de fugirem de explicar ao povo o encontro marcado que terão com justiça por causa do conteúdo da Lista de Furnas.

Revista Veja é a próxima bola da vez

A revista “Veja” veiculou matéria de natureza idêntica contra Rogério Correia, e ainda serão objeto de apreciação judicial. Espera-se que o mesmo resultado conseguido na justiça mineira.

Além do direito de resposta, a ação ainda pede indenização por danos morais, tanto ao jornal Estado de Minas, quanto à revista “Veja”.

Entenda o caso:

– A Lista de Furnas indicou caixa-2 das fornecedoras de Furnas para financiar campanha políticos demotucanos nas eleições de 2002.

– O Instituto de Criminalística da Polícia Federal periciou a lista e emitiu parecer pela autenticidade;

– O ex-deputado Roberto Jefferson (PTB/RJ), em depoimento na Polícia Federal, confirmou ter recebido R$ 75 mil que aparecem na lista atribuídos a seu nome.
– Uma ação do Ministério Público Federal do Rio de Janeiro (sede da empresa), que corre em segredo, investiga esse caixa-2.

– Os tucanos mineiros entraram em pânico diante da denúncia iminente do Ministério Público, e torraram R$ 200 mil para arrumar um laudo fajuto, sem valor jurídico, encomendado a um polêmico perito estadunidense para neutralizar o noticiário negativo contra si.

Como a perícia do "gringo" foi extra-judicial, suspeita-se que os demotucanos mineiros enviaram uma "xerox" da lista de Furnas para o perito estadunidense, que deve ter atestado o óbvio: uma xerox não poderia ser atestada como original.

Este blog desafiou os tucanos mineiros (e o desafio continua) a terem coragem e publicar a íntegra do laudo do gringo na internet, assim como o laudo da Polícia Federal está disponível a quem quiser ver.

Os tucanos se acovardaram e escondem a quatro chaves o laudo fajuto, com medo de repetirem o "mico" de José Serra, da TV Globo e do perito Molina nas eleições de 2010, quando quiseram transformar uma bolinha de papel em uma gigantesca fita crepe de uns 2Kg, e foi desmascado por internautas que analisaram quadro a quadro o vídeo. Foi um fiasco para a Globo e para Serra. Não convenceu ninguém.

– O jornalão "Estado de Minas" espalhou boatos e calúnias plantados pelo PSDB mineiro contra Rogério Correia, com base no factóide do laudo fajuto, recusando-se a garantir a divulgação da versão, fartamente documentada, sobre a autenticidade da “Lista”.

http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com.br/2

Responder

Márcio Oliveira

24 de abril de 2012 às 12h27

Grande Rogério Correia, o pior pesadelo do Aécio Never. A propósito, colegas navegantes, já sabem da última do Aécio? Para saber, é só clicar aqui: http://br.noticias.yahoo.com/dem%C3%B3stenes-ajud….

Responder

ZePovinho

24 de abril de 2012 às 12h19

Vou me deliciar mais uma vez,em BIG PICTURE(aprendi esse termo com o lusocomuna dono deste prestigioso espaço):
http://caixadoistucanodefurnas.blogspot.com.br/

<img src="http://photos1.blogger.com/blogger/748/2094/1600/FURNAS1.jpg&quot; height="500" width="500"/>

[youtube 68JUFIWF3g4 http://www.youtube.com/watch?v=68JUFIWF3g4 youtube]

Responder

Paulo Roberto

24 de abril de 2012 às 12h13

Já, já, vai aparecer um babaca dizendo que o PT está se aproveitando do Poder judiciário para censurar a imprensa livre e democrática.

Responder

    Fabio

    24 de abril de 2012 às 18h44

    Vc foi o primeiro.

Schmidt

24 de abril de 2012 às 11h06

É isso que todos os cidadãos, vítimas de difamação, devem fazer. Quando mais órgãos de imprensa forem condenados a se retratar e a pagar altas indenizações, teremos uma imprensa mais responsável.

Responder

    Sergio A B

    24 de abril de 2012 às 13h29

    Schmidt , a realidade é outra. As indenizações jamais são altas. São pagas, com um pé nas costas, pela ganho de audiência, ou tiragem dos veículos.

RicardãoCarioca

24 de abril de 2012 às 10h59

Isso aí. Pau no PiG.

Responder

    E S Fernandes

    24 de abril de 2012 às 18h25

    Pau é pouco. Eu queria expropriação mesmo.
    Eu queria (aos meus, os que vivem do trabalho) espaço midiático, pois até onde sei o tal eletro magnético é uma dádiava natural, sendo portanto propriedade da humanidade e não de duas ou três famiglias.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!