VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Política

Minas Sem Censura: Folha 2006 desmente Veja 2011


10/12/2011 - 19h23

Recado do Minas Sem Censura

A insuspeita Folha de S.  Paulo, em matéria de 16 de junho de 2006 (matéria abaixo), informa sobre a validação da “Lista de Furnas” como autêntica, pela criminalística da Polícia Federal. Matéria de Veja, que chegou às bancas neste sábado aposta no esquecimento e na confusão, para desinformar. Segundo a revista semanal a “Lista de Furnas” é produto de uma fraude. A PF diz que não. Nesse caso, em quem você acredita?

São Paulo, sexta-feira, 16 de junho de 2006

Novo laudo da PF indica que lista de Furnas é autêntica
Assinados por ex-diretor da estatal, papéis citam campanhas de Alckmin e Serra entre beneficiárias; tucanos negam veracidade

Rubens Valente, Folha de S. Paulo

A Polícia Federal confirmou ontem a autenticidade da chamada “lista de Furnas”, documento de cinco páginas que registra supostas contribuições de campanha, num esquema de caixa dois, a 156 políticos durante a disputa eleitoral de 2002. No total, eles teriam recebido R$ 40 milhões.

Segundo a assessoria da direção geral da PF, em Brasília, perícia do INC (Instituto Nacional de Criminalística) concluiu que a lista não foi montada e que é autêntica a assinatura que aparece no documento, de Dimas Toledo, ex-diretor de engenharia de Furnas, empresa estatal de energia elétrica. A PF informou, contudo, que não tem como atestar a veracidade do conteúdo da lista. Os papéis citam empresas que teriam colaborado para um caixa dois administrado por Dimas Toledo.

Entre as campanhas eleitorais supostamente abastecidas pelo esquema estão as do então governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, hoje candidato à Presidência pelo PSDB, do ex-prefeito de São Paulo José Serra (PSDB), atual pré-candidato ao governo paulista, e do atual governador mineiro, Aécio Neves (PSDB). As campanhas em 2002 teriam recebido, respectivamente, R$ 9,3 milhões, R$ 7 milhões e R$ 5,5 milhões. Tucanos negam.

Lobista

A perícia foi feita em papéis originais entregues à PF pelo lobista mineiro Nilton Monteiro, 49, que diz tê-los recebido das mãos de Dimas, no início de 2005, quando o então diretor de Furnas tentava convencer políticos de vários partidos a mantê-lo no cargo.

Acusado de calúnia por 11 deputados estaduais de Minas Gerais, Nilton Monteiro decidiu entregar em 5 de maio os originais aos delegados da PF de Brasília Luiz Flávio Zampronha, Pedro Alves Ribeiro e Praxíteles Praxedes, que conduzem as investigações.

Até então, a PF tinha em seu poder apenas uma cópia autenticada. A perícia na cópia, também feita pelo INC, apontou indícios de montagem e fraude.

Dimas Toledo, que exerceu a diretoria entre 1995 e 2005, até a denúncia de caixa dois feita à Folha pelo ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ), sempre negou ter assinado os papéis (leia texto nesta página).
“Ele assinou [a lista] na minha frente. Ele me usou até um determinado momento, depois me abandonou”, disse ontem Monteiro. O lobista afirma ter se aproximado de Dimas em 2004 por ser, à época, procurador da empreiteira JP Engenharia. A empresa estava interessada em assinar um contrato com Furnas em torno de um projeto de infra-estrutura que havia sido suspenso pela diretoria de engenharia.

Segundo o lobista, Dimas contou que havia uma ação nos bastidores para tirá-lo do cargo e, por isso, pediu-lhe ajuda para fazer um trabalho de lobby com políticos de vários partidos.

O lobista afirmou que, no início de 2005, Dimas fez quatro cópias da lista. Os supostos destinatários das cópias, sempre segundo Monteiro, seriam Aécio Neves, Roberto Jefferson, o presidente do PMDB, Michel Temer, e o então presidente do PSDB, Eduardo Azeredo.

Mas as cópias não chegaram a ser entregues, segundo Monteiro. Ele diz que o original ficou com uma pessoa ligada a um escritório de advocacia do Rio. “Ela ficou como guardiã dos documentos até agora.”

Leia também:

Segregação digital atrasa o país em relação ao mundo

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



40 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Darlan

15 de dezembro de 2011 às 12h59

Quero concorrer ao livro. Este livro é um complemento muito importante ao livro "O Brasil Privatizado".

Responder

Geysa Guimarães

13 de dezembro de 2011 às 12h25

Hoje o Diário da Região de Rio Preto diz que o senador Aloyxo Nunes vai se manifestar sobre a conclusão da CGU de que a "Lista de Furnas" é falsa.
É isso mesmo? Então o Jorge Hage desmente a PF?

Responder

Murdok

11 de dezembro de 2011 às 18h00

Então a mídia quer nos deixar malucos?

Responder

Maria

11 de dezembro de 2011 às 14h35

Puxa, tá na hora de impor um aviso sob forma de lei às editoras de revistas e jornais nacionais – o prazo de validade mais um alerta:. se a matéria é velha, requentada, pode causar nojo, enjôo, vômito e diarréia. Claro que isso só vale para os mais incautos. Veja por exemplo, deveria ser chamada de Reveja (com cautela, perigo à vista).

Responder

Volpini

11 de dezembro de 2011 às 12h18

Pessoal a massa cheirosa está começando a feder, e que mal cheiro, não vamos nos iludir com a imprensa golpista, esqueça esta imprensa, para nós ela não representa mais nada, vamos nos atentar agora para o que a nossa justiça irá fazer, isso sim tem relevancia, e se algum petista estiver metido nisto problema é dele, ele vai ter que se esplicar nos mínimos detalhes, hoje não podemos dar mais espaço a pessoas corruptas, independente de qual lado ela esteja, roubou o que é do povo tem que ir para a cadeia, nós brasileiros não devemos nos doer pelo partido a, b ou c, se foram fracos e se envolveram em corrupção tem que haver punição e pronto, não devemos nos doer por isto, a escolha foi dele, livre arbítrio. O mais legal de tudo é que estamos evoluindo o povo brasileiro está caminhando no caminho certo, agora a imprensa golpista é que deve abrir seus olhos, estão perdendo muito espaço, ou eles mudam, ou eles irão fechar.

Responder

El Cid

11 de dezembro de 2011 às 10h36

a "veja" é sua fonte fidedigna de informação… tsc !

Responder

Muchacho

11 de dezembro de 2011 às 01h41

Azenha, esse post foi irado !! os ratos estão enlouquecidos como metralhadoras giratórias, parece até que vc jogou raticida na toca deles. Usando um linguajar futebolístico, o lançamento do livro do Amaury pegou na veia, e o danado já estava enganando gregos e troianos, que já não mais acreditavam no lançamento do livro.

Responder

Marco Galo

11 de dezembro de 2011 às 00h45

Coitado do eunãosabia, diz que leu o que fala. Talvez tenha lido na Veja, Estadão, na própria Folha, etc.
Bem informado o menino, não ?!?! muitos risos…

Responder

Alex Gonçalves

10 de dezembro de 2011 às 22h35

Pessoal, essa matéria deve ter sido criada ano passado assim que Serra tomou conhecimento do trabalho do Amaury. Deve ter ficado lá engatilhada e pronta para uso.

A revista Veja não 'provou' uns meses atrás que na verdade foi o PT que fez a armação da Lunus (quá-quá-quá)? Perguntem pro principal interessado, o Sarney, se ele acredita… (quá-quá-quá-quá-quá-quá!)

Responder

Fernando Garcia

10 de dezembro de 2011 às 21h56

Tem como saber se a lista de Furnas à qual se refere o laudo do Polícia Federal (que é objeto desta reportagem de 2006 da Folha de São Paulo) é a mesma lista à que se refere a revista Veja desta semana?

Acho que esta é uma verificação importante. Sinceramente, não tenho saco pra ler a Veja…

Responder

Felipe

10 de dezembro de 2011 às 21h48

Concordo com o que foi dito acima, eu também confio em uma perícia técnia da PF do ex-diretor geral Paulo Lacerda.

Responder

Fernando Garcia

10 de dezembro de 2011 às 21h43

Cara, já que você está pedindo vou desenhar: a reportagem da folha se refere a um laudo técnico emitido pela Policia Federal que atesta a autenticidade da lista. Bem, pode ser que o laudo não exista… é isso que você sugere? Ou você sugere que o laudo não tem credibilidade? Ou o laudo trata de outra lista de Furnas?
Não sei se o PT irá fazer alguma coisa. E quem age/reage em relação à Veja é o PT de São Paulo. Dado o que se tem aprendido nas últimas semanas, não seria surpresa vê-los com as barbas de molho mais uma vez.
Agora lhe pergunto, e o faço sinceramente, que fontes do PT admitem que a operação Lunus foi armação do PT? E caso isto seja verdade, porque os Sarneys fazem parte da base do governo?

Responder

    Fernando Garcia

    11 de dezembro de 2011 às 00h35

    O que consegui descobrir é que há um sindicalista de nome Wagner Cinchetto que é a única pessoa a apresentar esta versão dos fatos, sem nenhuma prova. Por outro lado, a investigação da polícia federal foi conduzida pelo delegado Paulo Tarso de Oliveira Gomes, ligado ao PSDB. Foi este o delegado que enviou ao Fernando Henrique o fax (fax, não telefonema) sobre a realização da operação. A existência deste fax foi reconhecida pelo governo à época (governo FHC) . Gostaria ainda que você me desse sua versão sobre o laudo da Policia Federal sobre a lista de Furnas (o laudo não existe, não tem credibilidade ou se refere a outra lista?) e se Sarney foi enganado a época, porque permanece hoje na base governista? Porque ele não rompeu? Ele ainda não sabe?

    Muchacho

    11 de dezembro de 2011 às 01h32

    Dick Smith, vai pro hospício meu filho, se interna que vc está espumando pela boca….só falta vc falar que é filho do Padim Cerra, e que daddy jamais faria algo ilegal !

    El Cid

    11 de dezembro de 2011 às 01h34

    cara, você precisa ser internado ! O Prof. Hariovaldo é um bebê perto de você…

edv

10 de dezembro de 2011 às 21h32

A tática agora (agora?) é criar confusão para abafar o livro de Amaury…

Responder

Klaus

10 de dezembro de 2011 às 21h30

Bem, está escrito na revista que há gravações. Talvez, no fundo, as gravações é que estejam certas. Já que há a transcrição de diálogos, as pessoas envolvidas, caso os diálogos divulgados sejam falsos, têm que entrar na justiça imediatamente, se puderem.

Responder

    pretextato

    11 de dezembro de 2011 às 07h10

    A não ser que as tais gravações não tenham áudio…..kkkkkkkk. Lembra do suposto grampo de uma conversa entre o Gilmar Mendes e o Demóstenes Torres que a Veja publicou? Muito depois a PF "descobriu" que o tal grampo não tinha áudio. Coisas que só a sujíssima (royalties para o Hélio Fernandes) é capaz de fazer.

    Outro Antonio

    11 de dezembro de 2011 às 14h20

    Klaus, rapaz, você já checou se as gravações da Veja têm audio?

    Alvaro Tadeu Silva

    13 de dezembro de 2011 às 22h02

    Le Boucher de Lyon, Klaus Barbie. Quelle horreur!

Bruce Guimarães

10 de dezembro de 2011 às 21h06

A Folha de São Paulo é aquele jornalzinho que vocês dizer que não presta??? Mas, Agora tá prestando???

Responder

    Alvaro Tadeu Silva

    13 de dezembro de 2011 às 22h10

    Se a Folha ou a Veja, que mentem sempre, falarem mal de tucano, não dá para duvidar. Bruce Wayne, se você não entendeu, leia de novo. Até entender.

Ze Duarte

10 de dezembro de 2011 às 20h59

Isso é algum tipo de paradoxo? Folha sempre mente, Veja mente… como fica? De acordo com os comentaristas daqui é assim que funciona…

Esse negócio de imprensa livre não funciona, o bom é ter uma imprensa só pra falar o que o governo quer e pronto

Responder

cronopio

10 de dezembro de 2011 às 20h34

"Amadores" kkk! Moral: se querem forjar um escândalo e não sabem como, perguntem ao PSDB, eles são profissionais!rs

Responder

@luisk2017

10 de dezembro de 2011 às 20h32

Ô micróbio. Vc é um sádico. "Se ninguém aguenta' a seletividade dos frequentadores deste espaço, é só vc parar de frequentá-lo. (Aliás, quem te deu procuração para falar em nome da maioria dos que aqui comparecem?). Até uma pessoa como vc é capaz de entender a citação da FSP: a mídia comercial de direita não tem memória; um veículo desmente o outro sem qualquer cerimônia.É isso. Por exemplo: Aécio, Serra e Alckimin são do PSDB. E não se suportam. Registrar isso não é fazer apologia nem de um, nem de outro.

Responder

paulo roberto

10 de dezembro de 2011 às 20h08

E o PT da Dilma vai fazer o quê? Está ficando difícil defender quem não quer ser defendido…

Responder

Luiz Fortaleza

10 de dezembro de 2011 às 20h08

Por que que a inVEJA e a Folha de Ópio não publicam isso?

Responder

Lucia

10 de dezembro de 2011 às 20h06

Apesar da PF hoje deixar muito a desejar. Saudade de Paulo lacerda! Eu acredito em seus técnicos, se eles dizem que a lista é autêntica. Veja é que não vai me dar certeza de nada.

Responder

Elizete Lee

10 de dezembro de 2011 às 20h05

Aqui em São Paulo, o PSDB é intocável!!
Pode aparecer "ilhões e ilhões" de falcatruas, eles são intocáveis…
É parecido com a máfia, um protege o outro, todos da mesma irmandade!

Responder

Leider_Lincoln

10 de dezembro de 2011 às 19h53

EUNAOSABIA (ou quaisquer dos nomes do Richard Smith) cadê você, eu vim aqui só pra te ler!

Responder

    EUNAOSABIA

    10 de dezembro de 2011 às 20h43

    Tô aqui, mestre em economia por uma universidade keynesiana.

    Rapaz, tu já viu um "escritor", colher provas do maior escândalo de corrupção do Brasil com provas "sobejamente comprovadas", colher essas tais provas em "cartórios" e "arquivos públicos"???

    Que diabos de corruptos são esses que registram tudo em cartório e arquivos públicos sobre seus "mal feitos"…. neo logismo petista.

    Seria como o pessoal do mensalão fazer uma "Ata de Abertura dos Trabalhos"…

    Isso é furada velho… sem credibilidade alguma…

    Vou te dizer mais uma… acho que o PT não tem nada a ver com isso.. .. isso não me parece coisa de petistas não…

    Lucas Villa

    10 de dezembro de 2011 às 21h45

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Fernando Garcia

    11 de dezembro de 2011 às 00h45

    Oi, você é uma pessoa que parece ter alguma instrução em economia e talvez em transações financeiras. Então você deve saber que para operar empresas off-shore é necessário um mínimo de decência, o que inclui registros em cartório e arquivos públicos. O fato é que o livro do cara tem 160 páginas de documentos e vai merecer a minha leitura. Se você honestamente busca aprender com "leituras aqui e ali", poderia também faze-lo e colaborar com os vários debates que acredito que vão ocorrer no Blog. No mais, você poderia usar nome e sobrenome, é mais honesto. E isso vale para os outros coleguinhas que usam nickname. Este tipo de anonimato é uma das piores coisas da internet.

    ZePovinho

    11 de dezembro de 2011 às 00h55

    Você não sabe o que é execeção à prova,imbecil????Ricardo Sérgio de Oliveira(o maior do esquema de lavagem de dinheiro sujo do PSDB) processou o cara e daí,depois,pedindo execeção,Amaury obteve os documentos.
    Ou você continua burro ou não leu a matéria.

    El Cid

    11 de dezembro de 2011 às 10h46

    ZePovinho, tenha caridade: deixa o Dick chupar essa manga !! rs

    ZePovinho

    11 de dezembro de 2011 às 12h33

    É veradade,El Cid.Eu respondi rápido e errei até na digitação da palavra "exceção".Esse EUNAOSABIA é mais burro do que a maçaneta do meu portão.

    El Cid

    11 de dezembro de 2011 às 01h32

    caro moleque defensor dos tucanos, agora não tem mais jeito:

    [youtube W4IKFXx8QZs http://www.youtube.com/watch?v=W4IKFXx8QZs youtube]

    Muchacho

    11 de dezembro de 2011 às 01h46

    Dick, compra o livro neném, leia com seus próprios olhos. Tenho 2 exemplares, se quiser te empresto um por alguns dias. Engraçado vcs tucanos, não saem de Miami, vivem degustando Romané Conti e não tem 30 mangos para comprar um livro !!

    Alvaro Tadeu Silva

    13 de dezembro de 2011 às 22h06

    Os documentos são autênticos, são provas colhidas em órgãos oficiais. O genro do Serra era procurador de uma empresa off shore num paraíso fiscal. A empresa enviou dólares para o Brasil, justamente para comprar parte da empresa de Bourgois no Brasil. Ele emprestou dinheiro para si mesmo. Isso é muito suspeito, não adianta disfarçar, EUNÃOSABIA, porque eu sei quem você é. Não dá mais pra disfarçar, explodiu a privatização. Está documentado porque ele precisava esquentar o dinheiro, estúpido.

pedro

10 de dezembro de 2011 às 19h29

NADA COMO TER GENTE COMPETENTE E ATENTA PARA DESMASCARAR O PCC= PARTIDO DAS COMUNICAÇÕES CRIMINOSAS!!! VALEU MINAS SEM CENSURA!

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.