VIOMUNDO

Diário da Resistência


PT publica foto de Moro com Doria para ilustrar decisão de juiz de não julgar governo tucano do Paraná
Política

PT publica foto de Moro com Doria para ilustrar decisão de juiz de não julgar governo tucano do Paraná


13/06/2018 - 13h46

Foto das redes sociais, via PT na Câmara

Moro se recusa a julgar corrupção no governo tucano no Paraná

Sob alegação de estar sobrecarregado mesmo sem receber nenhum caso desde 2015, magistrado dá mais uma prova de que Operação Lava Jato nunca foi isenta

do PT na Câmara

A cada nova manifestação pública fica claro que o juiz Sérgio Moro não se preocupa muito com a isenção esperada de um magistrado.

Na segunda-feira (11), Moro abriu mão de julgar processos sobre suposto esquema de corrupção do governo tucano de Beto Richa no Paraná, alegando estar “sobrecarregado com outros casos”.

Por outro lado, a perseguição jurídica do juiz paranaense contra Lula, atuando muitas vezes ao arrepio da lei, tem causado indignação em juristas renomados do mundo todo.

A decisão do magistrado não chega a causar espanto: Moro tornou-se espécie de mascote para os adversários políticos de Lula e nunca se privou de posar para fotos públicas com tucanos como o já denunciado Aécio Neves, João Doria Jr. e José Serra, entre outros.

Desta vez, a justificativa do paranaense foi a de estar sobrecarregado com “as persistentes apurações de crimes relacionados a contratos da Petrobras e ao Setor de Operações Estruturadas do Grupo Odebrecht”.

O argumento soa inverossímil diante do fato de o titular da 13ª Vara Federal de Curitiba estar desde 2015 sem receber outros processos.

Com o Despacho de Exceção Criminal emitido por Moro, a chamada 48ª fase da Operação Lava Jato — que resultou na prisão de seis pessoas em fevereiro deste ano —, deve passar para outra vara criminal de Curitiba, ainda indefinida.

Entenda o caso

O caso que Moro abriu mão trata-se de um esquema de corrupção na concessão de rodovias do Paraná durante o governo Beto Richa (PSDB).

As investigações apontam indícios de superfaturamento nas despesas e simulação de contratos para repasse de vantagens indevidas.

A investigação, que começou na Vara Federal de Jacarezinho (PR), chegou às mãos de Moro em 2017, quando disse ter encontrado “pontos de conexões probatórias óbvios” no uso de atividades dos operadores Rodrigo Tacla Duran e Adir Assad – nome recorrente em acusações de desvios em obras públicas envolvendo governos do PSDB em São Paulo.

O fato de o caso ter estado com Moro foi usado por seus defensores como “prova” de que o juiz não protegeria os tucanos das investigações sobre corrupção no âmbito da Lava Jato.

A desistência, no entanto, só confirma que falta “tempo” a Moro para finalmente julgar os tucanos.

Da Redação da Agência PT de Notícias, com informações do Consultor Jurídico

Leia também:

Depois de condenação de Lula, TRF-4 age “a passos de tartaruga”



4 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

RONALD

14 de junho de 2018 às 15h58

moro se diz SOBRECARREGADO, mas sempre encontra um tempinho para passear em Mônaco, receber troféus em NY por f-der o país e entregá-lo de bandeja às transnacionais, especialmente petroleiras, entre outras escapulidas do país.
SOBRECARREGADO, extorquindo empresários e vendendo indulgências por fora em Euros.
SOBRECARREGADO é o c-ralho !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Responder

Roberto

14 de junho de 2018 às 11h37

Essa e outras fotos (muitas) do juiz Moro com tucanos deveria servir também para ele se declarar impedido de julgar o líder do PT, principal partido de oposição aos amigos do Moro.

Responder

Julio Silveira

14 de junho de 2018 às 11h04

Não querer julgar governo do Paraná é redundancia, ele não julga Tucano algum. E quando aparecem de forma corruptamente grotesca no seu mirabolante processo de caça ao PT e suas principais lideranças, como suporte para o golpe dos canalhas, para ele, simplesmente, não vem ao caso.

Responder

Neide

13 de junho de 2018 às 22h09

Se o PSDB não ganhar a lava jato continuara até 2022.
Não é impeachment e golpe e escancarado.
Juiz do PSDB.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!