VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


PSDB, MDB e pesquisas sofrem derrotas devastadoras, PT resiste no Nordeste e Fernando Haddad consegue levar eleição presidencial para o segundo turno
Política

PSDB, MDB e pesquisas sofrem derrotas devastadoras, PT resiste no Nordeste e Fernando Haddad consegue levar eleição presidencial para o segundo turno


07/10/2018 - 20h06

Da Redação

A avalanche do candidato neofascista Jair Bolsonaro, registrada com a forte votação de aliados dele no Sudeste, não foi suficiente para uma vitória em primeiro turno.

Bolsonaro elegeu o filho, Flávio, senador pelo Rio de Janeiro. Além disso, impulsionou seu candidato a governador, o ex-juiz federal Wilson Witzel (PSC), ao segundo turno da disputa pelo Palácio Guanabara, com expressiva votação (mais de 40%).

Em São Paulo, Bolsonaro ajudou a eleger seu aliado Major Olímpio como primeiro colocado no Senado.

O PT sofreu duras derrotas na região: Dilma Rousseff e Eduardo Suplicy não se elegeram senadores em Minas e São Paulo e Lindhberg Farias perdeu a vaga no Rio de Janeiro.

Mas isso parece se enquadrar numa inesperada renovação no Senado: Cristovam Buarque perdeu no Distrito Federal, Magno Malta e Ricardo Ferraço não se reelegeram no Espírito Santo e Roberto Requião ficou de fora no Paraná.

Em Roraima, Romero Jucá (MDB) corre o risco de não se reeleger.

Candidatos ligados ao usurpador Michel Temer fracassaram.

O ex-ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, somou pouco mais de 1% dos votos.

O ex-presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB), não se reelegeu no Ceará.

As pesquisas eleitorais sofreram uma derrota devastadora, já que quase nenhum dos resultados acima foi previsto.

Em Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT) nem passou ao segundo turno.

Mas o PT sobreviveu no Nordeste, reelegendo em primeiro turno os governadores Camilo Santana (Ceará), Rui Costa (Bahia) e Wellington Dias (Piauí).

Jaques Wagner se elegeu senador em primeiro lugar na Bahia.

Além disso, um aliado do PT também se reelegeu em primeiro turno no Maranhão: Flávio Dino (PCdoB).

Dino conseguiu eleger os dois senadores aos quais deu apoio: Weverton (PDT) e Eliziane Gama (PPS), deixando de fora Sarney Filho (PV) e Edison Lobão (MDB).

A mais devastadora derrota foi do PSDB: Geraldo Alckmin, o candidato do partido ao Planalto, ficou com cerca de 5% dos votos — de acordo com as apurações.

Tudo indica que eleitores dele migraram em massa em direção a Bolsonaro.

No Paraná, o ex-governador tucano Beto Richa não se elegeu para o Senado e Marconi Perillo, ex-governador de Goiás, também fracassou na busca por uma vaga no Senado.

A única liderança tucana que sobreviveu, por enquanto, foi João Doria, que passou ao segundo turno em São Paulo com cerca de 33% dos votos — mas os principais adversários dele somaram mais de 50%.

Márcio França, do PSB, virou de última hora, com provável voto útil de petistas, e tem chancer de derrotar Doria no segundo turno. Ele já declarou que não apoiará Bolsonaro.

Derrota pior que a do PSDB foi a de Marina Silva, da Rede, que ficou atrás do cabo Daciolo no voto presidencial — cerca de 1%.

Com 87% das urnas apuradas, Jair Bolsonaro tinha 47% dos votos válidos e Fernando Haddad, 27%. Ciro Gomes, que tentou uma virada de última hora, tinha 12%.

Uma eventual aliança entre Haddad e Ciro abre espaço para uma disputa acirrada com Bolsonaro no segundo turno.

A soma das abstenções, votos brancos e nulos chegou a aproximadamente 28%, o que abre espaço para a reconquista destes eleitores.

O voto antipetista teve grande importância no Sul e no Sudeste, mas Haddad conseguiu compensá-los no Nordeste para evitar uma derrota em primeiro turno.

Ainda assim, Bolsonaro teve votação importante em estados como a Bahia (mais de 20%).

Ao longo da campanha, o candidato neofascista valeu-se de forte atuação de seus eleitores nas redes sociais e no whatsapp, através dos quais disseminaram mentiras e falsificações que podem ter influenciado o voto de milhões de eleitores.

Leia também:

Filhos de Bolsonaro trabalharam para deslegitimar resultado do primeiro turno

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



7 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Bel

08 de outubro de 2018 às 11h02

O candidato vencedor do primeiro turno já disse que tem 300 deputados a seu favor. Isso quer que ninguém mais tira ele de lá. Entenderam?

Responder

Bel

08 de outubro de 2018 às 09h23

As famílias que estavam a anos comandando a política não foram reeleitas, só a de Bolsonaro (pai, filhos). Assim é que se faz diferente?

Responder

Julio Silveira

08 de outubro de 2018 às 08h54

Fui de Boulos no primeiro turno, agora é a covilização ou a barbarie, evidentemente vou de civilização. #ele não.

Responder

Notívago

08 de outubro de 2018 às 07h18

#ele não. Porque NÃO votarei em Bolsonaro
dom, 30/09/2018 – 10:03

Esse texto foi postado inicialmente na internet com o título as “qualidades de Bolsonaro”. Aqui eu acrescento algumas palavras e os parágrafos 9 e 10 e as conclusões. Tudo que se encontra aqui é verdadeiro, não se trata de fake-news. Trata-se de uma matéria escrita a várias mãos e aberta para que você possa expor os seus motivos para não votar em Bolsonaro. Motivos não faltam.

1 – Bolsonaro foi aos Estados Unidos prestar continência a bandeira americana. Isso demonstra que ele tem um grande complexo de vira lata. Ou melhor, Bolsonaro é o próprio vira lata.

2 – Bolsonaro declarou-se incompetente para governar o país “por não entender de nada, absolutamente nada”. E declarou aos quatro cantos do mundo que quem vai governar o Brasil é um tal de Paulo Guedes, um economista que não faz outra coisa que bajular o Mercado, essa entidade aparentemente abstrata, mas constituída por menos de 1% da população, ou seja, por aquela fração de miliardários que se dizem brasileiros mais um punhado de especuladores internacionais. Bolsonaro é modesto quando diz que não entende nada de nada, porque ele entende muito bem de porrada, e já andou planejando a explosões de algumas bombas em instalações militares quando servia ao Exército Brasileiro, e não era época de São João. Ou seja, Bolsonaro é um TERRORISTA. Procurem a revista VEJA de 15 de maio de 2017 que está tudo lá.

3 – Por outro lado, Paulo Guedes já disse que vai seguir a mesma política econômica recessiva do governo Temer e vai implementar aceleradamente as medidas que privilegiam o tal Mercado, mas lascam o Brasil (entenda-se, a classe média e os pobres) A reforma da previdência é uma delas. Ou seja, Paulo Guedes vai dar continuidadde ao golpe e a destruição de tudo que ainda se mantém de pé, e vai chutar a bengala dos velhinhos que dependem da previdência. São medidas que vão trazer mais desemprego, fome e desespero. Paulo Guedes é um criminoso cínico.

4 – Paulo Guedes e Bolsonaro vão instituir um imposto de renda com alícota única de 20%, para os multimilionários e para todos os brasileiros que ganham um salário qualquer. Todos vão pagar 20% de imposto de renda. E eu pergunto: guardador de carro também? Vai, sim. Paulo Guedes, que anda meio desaparecido, é uma espécie de Xerife de Nottingham, implacável perseguidor de Hobin Hood, e vai continuar tirando dos pobres para dar aos ricos. Ele aprendeu com o Temer.

5 – Bolsonaro vai acabar como 13º salário e 1/3 de abono de férias, e a aparente discordância com o General Mourão com relação a estas medidas é apenas jogo de cena.

6 – É deputado federal desde 1991, atualmente em seu sétimo mandato. Qual o projeto (s) apresentado por Bolsonaro que foi aprovado pelo seus pares na câmara federal? Alguém se lembra? Ele é um homem do sistema, sim. É também um político preguiçoso, sim, e com um cérebro “congelado” por falta de uso.

7 – Questionado sobre o auxílio moradia, Bolsonaro disse que usou o dinheiro dessa gambiarra para ‘comer gente’ (mulher?)

8 – Bolsonaro é o mais violento candidato de todos aqueles que almejam habitar o Palácio do Planalto: é torturador, homofóbico, misógino, racista, e um “Serial Killer”. Em qualquer lugar que se encontre, ele está sempre imitando uma arma com os dedos, ou ensinando uma criança a imitá-lo. Ele só pensa em matar e já disse que o Brasil precisa de uma guerra civil onde deverão morrer pelo menos 30 mil pessoas. Os filhos de Bolsonaro são também psicopatas, e se deleitam em exibir uma cabeça ensanguentada e sufocada por um saco plástico onde se lê “ele não”. Uma tentativa explícita de intimidar a multidão de mulheres que ontem participaram do #ele não em todo o Brasil.

9 – O que Bolsonaro e Paulo Guedes têm para a oferecer à população mais pobre do país é muita bala perdida e endereçada. Não existe nenhum plano econômico racional na chapa Bolsonaro para tirar essas pessoas da miséria e por isso será necessário extrminá-las.

10 – Bolsonaro é um gaiato e disse recentemente ao Datena que só aceitará o resultado das urnas se ele for eleito. Ou seja, Bolsonaro é um golpista de merda e por isso fede. Mal teminou o primerio turno e ele já está questionando (de novo) a segurança e a credibilidade da urna eletrônica. Novamente ele age como um terrorista.

Por último, uma pergunta: o que tem esse facínora com todos esses “predicados” a oferecer ao Brasil? Violência, muita violência. E qual o perfil dos eleitores de Bolsonaro? Bem, temos que dividi-los, para fins de compreensão, em pelo menos três categorias:

1 – Aqueles que trabalham muito e nâo têm tempo nenhum para procurar por notícias confiáveis, mesmo dispondo de um celular que se comunica com o mundo. É o caso dos trabalhadores paulistas, muitos deles com uma carga horária de trabalho que ultrapassa as 12 horas diárias. Quando muito esses trabalhadores assistem o Jornal Nacinal, ou o telejornal do Bóris Casoy. É veneno puro.

2 – Aqueles que também foram infecctados por notícias falsas, e aqui nós encontramos um parcela significativa do exército de desempregados (no mínimo 13 milhões de pessoas) que usam parcialmente os celulares dos parentes para propagarem tais fake news.

3 – Aquela parcela ultrareacionária da classe média brasileira, espalhada por todos os cantos do país, que vê no PT a reencarnação do comunismo stalinista. Não sabe ela (essa parcela ignara) que o que Lula fez no Nordeste foi uma verdadeira REVOLUÇÃO CAPITALISTA. Na medida em que concedia o bolsa família e implementava o programa luz para todos, os governos do PT propiciavam as condições mínimas para que o povão consumisse televisores, geladeiras, motos e outros bens de consumo duráveis que eram comprados à prestação, da mesma forma que eu, classe média, compro um carro. Foi essa política que manteve o emprego na indústria do sudeste por 12 anos consecutivos. Só para vocês terem uma ideia na revolução dos costumes, no Nordeste, por exemplo, o jumento foi substituído pela moto que passou a ser utilizada pelos vaqueiros para tanger o gado (inclusive). E tem mais: por conta do Bolsa Família as crianças passaram a frequentar a escola. Isso para não falar na construção de cisternas em cada casa que passsaram a mitigar a sede dos Nordestinos em períodos de estiagem prolongada. E ainda tem gente que não entende porque o Nordeste é tão fiel a Lula.

#Ele não.

Responder

Amilton Agra de Brito

08 de outubro de 2018 às 04h58

O quê se pode esperar de uma parte do país que vive sempre atrasado em comparações aos demais ! Nada. Não tem educação,vivem na miséria ,e o povo se vende por tão pouco. Depois reclama que são tratado com chacota. Vá,continuem com os PT que um dia o Nordeste vai se tornar deserto.

Responder

edward chaddad

08 de outubro de 2018 às 01h14

DIA DO NORDESTINO

Hoje, dia 08 de outubro de 2018, é o dia do Nordestino. E ontem eles deram uma lição ao povo brasileiro, com muito amor, colocaram o povo sem ódio, sem intolerância, sem preconceito, sem racismo, sem machismo, novamente em condições de disputar o segundo turno da eleição, em busca de paz, melhores dias, solidariedade e compaixão, para o Brasil.

Aqui, no sudeste, infelizmente, usam nomes para referir a eles, que não atrevo a mencioná-los por respeito aos nossos irmãos nordestinos. Estas mensagens abrigam, na verdade, puro preconceito, uma verdadeira xenofobia.

Gostaria que alguém fizesse uma matéria sobre estes maravilhosos brasileiros.

É inacreditável que milhares de brasileiros, principalmente aqui no sudeste, desconheçam que são nordestinos Jorge Amado, Chico Anísio, Marco Nanini, José Wilker, Renato Aragão, Luiz Gonzaga, o Gonzagão, Caetano Veloso. E o Alceu Valença, Gal Costa, Ivete Sangalo, e ainda o músico e maravilhoso regente Severino Araujo, da Tabajara, uma das melhores orquestras de danças do mundo.

E Ruy Barbosa, o águia de Haia, Assis Chateaubriand – lá do agreste -, Castro Alves, Joaquim Nabuco, D. Helder Câmara. Ah, e o José Ermírio de Moraes.
Querem mais? Patativa de Assaré, Gonçalves Dias, Dorival Caymmi.

Alguém com alcunha de Franklims falou muito sobre o Nordestino, máxime criticando a xenofobia, como se pode ver ao ler seu texto maravilhoso, que me atrevo a transcrever, pois é muito oportuno para a matéria de que trata o texto, ora comentado:

Bem, lá Franklim diz:

“Em História, o tempo passa mais lento e eu acredito que, para desfrutar de uma verdadeira democracia, o Brasil ainda levará pelo menos mais 100 anos. Daí ser possível (o que não significa aceitável) que o eleitor de um lado ou de outro sofra de males como indigência de senso crítico, hipocrisia, abestalhamento, cara-de-pau etc. etc.

O que não se pode tolerar (de jeito nenhum) é a xenofobia, que também se aplica no âmbito regional, não apenas internacional. Por isso, eu queria lembrar aqui algumas informações sobre o Nordeste brasileiro que, com certeza, são desconhecidas por uma estudante de Direito que recentemente agrediu os nordestinos e o Nordeste brasileiro.

Minha cara estudante: O Nordeste tem seus problemas (como qualquer outra área brasileira), mas é uma região rica em História.

Veja a seguir alguns exemplos da rica História do Nordeste e de sua gente (e faça revisão, pois algumas dessas informações podem cair na prova da OAB):

A primeira Capital do Brasil foi Salvador que fica onde?…onde?…No Nordeste!

Mas, isso é só pra começar.

Vamos às ciências: o introdutor do uso do éter no Brasil foi o médico pernambucano Daniel Oliveira Barros de Almeida que, aliás, organizou o primeiro fichário de anestesia no Continente Americano. Era pernambucano o físico Mário Schemberg.

A pioneira da enfermagem no Brasil foi a nordestina Ana Néri. Já o paraibano José Pessoa Cavalcanti de Albuquerque, idealizador da Academia Militar das Agulhas Negras, foi quem organizou a primeira unidade de carros de combate do Brasil.

Um dos engenheiros calculistas da estrada Rio-Niterói foi o pernambucano Joaquim Cardozo que, aliás, também calculou Brasília.

Manoel Cícero Peregrino da Silva, pernambucano, foi o pioneiro do planejamento de documentação bibliográfica e da formação de bibliotecários no Brasil.

O nordestino Paulo Rodrigues Fragoso foi quem calculou as estruturas do estádio do Maracanã e da Companhia Siderúrgica Nacional.

Aloísio Magalhães, pernambucano, foi pioneiro da comunicação visual no Brasil. Antônio Carneiro Leão, pernambucano, foi quem introduziu no nosso País (em 1900) os métodos pedagógicos da chamada Escola Nova.

E o sertanista Francisco Meireles, de Pernambuco, estabeleceu os primeiros contatos com os índios Xavantes (será que a estudante sabe o que são índios?).

Antônio Coelho de Sá e Albuquerque, pernambucano, foi responsável pela abertura à navegação internacional nos rios Amazonas, Negro, Madeira e São Francisco. Gilberto Freyre também era nordestino e foi autor de um dos livros fundamentais para a compreensão da sociedade brasileira – até mesmo um ilustre tucano, sociólogo, concorda com isso.

Agora, vamos relacionar os nordestinos “incompetentes” na área cultural: o mais importante autor do moderno teatro brasileiro, considerado pela crítica, é o pernambucano Nelson Rodrigues (falecido). O primeiro poeta brasileiro foi Gregório de Mattos, nordestino. O criador do primeiro mural abstrato da América Latina foi o pernambucano Cícero Dias, que viveu muito tempo na França e era respeitado internacionalmente.

Um nordestino, Graciliano Ramos, é considerado o maior romancista do modernismo brasileiro. Na música, o precursor da Bossa Nova é o baiano João Gilberto. Um dos mais importantes poetas do Brasil no século 20 foi João Cabral de Melo Neto, pernambucano. O Maior poeta indianista brasileiro foi o maranhense Gonçalves Dias. Sílvio Romero foi o primeiro historiador sistemático da Literatura Brasileira. O paraibano José de Lima Siqueira foi o criador da Orquestra Sinfônica Brasileira e da
Ordem dos Músicos.

O pioneiro da televisão no Brasil foi o paraibano Assis Chateaubriand Bandeira de Melo. O idealizador da CNBB foi o cearense Hélder Câmara. O primeiro cardeal do Brasil foi o nordestino Cardeal Arcoverde. Um dos mais importantes cronistas brasileiros do século passado foi o pernambucano Antônio Maria. O primeiro romance do naturalismo brasileiro (“O Mulato”) foi escrito pelo maranhense Aluízio de Azevedo.

Essa a estudante deve saber: O autor do primeiro compêndio brasileiro de teoria e prática do processo civil comparado com o comercial foi um nordestino, Francisco de Paula Baptista. Luiz Alves *****, pernambucano, foi autor da primeira comédia escrita por um brasileiro representada em teatro (em 1870). Augusto Rodrigues, pernambucano, foi fundador da Escolinha de Arte do Brasil, no Rio de Janeiro em 1948.

O criador do Teatro Popular Brasileiro foi o pernambucano Solano Trindade. Ariano Suassuna, paraibano, é um dos mias importantes nomes da Literatura Brasileira. O autor da lei brasileira antitruste foi Agamenon Magalhães. O fundador de um dos maiores grupos empresarias do País foi José Ermírio de Moraes. O primeiro presidente da República oriundo da classe operária foi um pernambucano…”

Bem, alongar mais seria cansativo. ( copiado ad litera do texto de Franklins)

Sou paulista, mas sou um brasileiro.
Sou paulista mas amo o Brasil.
Sou paulista mas adoro os nordestinos.
E não precisa muito não: vamos dançar e cantar um forró, o frevo, o Manguebeat.
Que tal o axé music para comemorar a existência do nordestino, um lutador, um bravo, mas sobretudo, muito sábio, conhece muito, sabe muito bem quem os trata como verdadeiros brasileiros.

Viva os nossos irmãos nordestinos.

https://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20130308194037AAjGaaZ

Responder

Elena

07 de outubro de 2018 às 20h18

Ver o arrogante PSDB entrar pelos canos não tem preço. Botaram tanta pose em 2016 e agora vão ter que engolir o PT chegar lá de novo. Vamos ter que trabalhar e muito para Haddad vencer o fascismo. E em SP entubar o baixinho arrogante do Dória e votar em França ou Skaf. Ver a cara de chorão do “bebê Johnson” vai ser a glória.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.