VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Política

Nassif: “Erundina errou, pensou só em si, não nas suas bandeiras políticas nem nos seus movimentos sociais”


20/06/2012 - 13h02

Tenho um carinho histórico por Luiza Erundina.

Quando foi alvo de uma tentativa de golpe por parte do Tribunal de Contas do Município (TCM) devo ter sido o único jornalista a sair em sua defesa. Tinha o programa Dinheiro Vivo, na TV Gazeta, de público majoritariamente empresarial. Externei minha indignação que teve ter tido algum peso na decisão do presidente da FIESP (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) Mário Amato, de visitá-la com uma comitiva de empresários, hipotecando-lhe solidariedade.

Defendia-a também quando operadores do PT criaram o caso Lubeca. E, recentemente, o Blog conduziu uma campanha de arrecadação de fundos, para ajudar Erundina a pagar uma condenação injusta dos tempos em que foi prefeita.

Sempre admirei sua luta pelos movimentos sociais, das quais sou periodicamente informado por irmãs lutadoras.

Por tudo isso, digo sem pestanejar: ao pedir demissão da candidatura de vice-prefeita de Fernando Haddad, Erundina errou, pensou só em si, não nas suas bandeiras políticas nem nos seus movimentos sociais. Foi terrivelmente individualista.

À luz das entrevistas que concedeu ontem, constata-se que os motivos foram fúteis. Estava informada da aliança do PT com Paulo Maluf; chocou-se com a foto  de Lula e Haddad com ele. Foi a foto, não a aliança, que a chocou.

A foto tem uma simbologia negativa, de fato. Aqui mesmo critiquei o lance. Mas apenas simbologia. Não se tenha dúvida de que, eleito Haddad, Erundina seria a vice-prefeita plena para a periferia, seria os movimentos sociais assumindo uma função relevante na administração municipal.

No entanto, Erundina abdicou dessa missão, abriu mão de suas responsabilidades em relação aos movimentos sociais, devido ao simbolismo de uma foto. Ela sabia que, eleito Haddad, seria mínima a participação do malufismo na gestão da prefeitura; seria máxima a intervenção de Erundina nas políticas sociais.

Poderia ter dado uma entrevista distinguindo essas posições, externando sua repulsa do malufismo, mas ressaltando a diferença de poder entre ambos.

Mas Erundina se sentiu preterida, não por Haddad, mas por Lula, que deixou-se fotografar com Maluf e não com Erundina.

Seu gesto foi para punir Lula, pouco importando o quanto prejudicaria seus próprios seguidores, os movimentos sociais. Ela abriu mão de um cargo que não era seu, mas de seus representados, para punir Lula.

E quem ela procura para a retaliação? Justamente os órgãos de imprensa que mais criminalizam os movimentos sociais, que tratam questão social como caso de polícia. Coloca a bala no revólver e o entrega à revista Veja. A quem ela fortaleceu? Ao herdeiro direto do malufismo na repulsa aos movimentos sociais: Serra.

Saiu bem na foto da mídia, melhor do que Lula com Maluf, mas a um preço muito superior. E quem vai pagar a conta são os movimentos sociais, pelo fato de sua líder ter abdicado de um cargo que a eles pertencia.

Leia também:

Reviravolta: Erundina não será mais vice de Haddad

Erundina descarta deixar chapa de Haddad: “Não sou de recuar”

Erundina: A vice que pode nunca ter sido

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



185 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Pedro Ribeiro

27 de junho de 2012 às 06h33

Parabéns Nassif!

Muito pra comentar, mas me reservo apenas o direito de lamentar a atitude da Erundina, não foi de fato uma companheira.

Responder

Rui

25 de junho de 2012 às 18h27

Nassif, você foi preciso em sua análise. Num primeiro momento, até me solidarizei com Erundina, mas você tem razão. Ela foi mais humana do que poliítica.

Responder

francisco

25 de junho de 2012 às 14h08

Ora, se o “Lula” se acha tão importante, porque não sai como candidato a Prefeitura de São Paulo. Por acaso ele consultou a base de seu partido, seus membros, deputados, vereadores, senadores. Democracia sem Ética, é um convite ao Autoritarismo. O Slogan da campanha vai ser : MAIS UMA PARA EX- GOVERNADOR :Se Haddad ganhar ; Maluf quem fez”!

Responder

Ricardo JC

22 de junho de 2012 às 20h01

Só tenho uma coisa a dizer. Será que este anos todos de eleições não nos ensinaram nada? Como era antes quando Lula, o PT e a esquerda de um modo geral se mantinham intocados, sem fazer qualquer aliança com partidos de centro e até de direita? Não ganhávamos eleições!!! E sem ganhar eleições não há transformação alguma. O pouco que pudemos fazer para transformar este país foi conseguido após as eleições de Lula e Dilma…em aliança com outras forças políticas. O que não podemos aceitar é que Haddad se comporte como Maluf e isto, tenho certeza, não vai acontecer.

Responder

    darcio

    23 de junho de 2012 às 22h59

    esse é crônico problema da esquerda tradicional: a estadolatria. Não consegue pensar nenhuma mudança fora do âmbito do poder estatal, do fetiche de ganhar o estado via eleições. Não param para refletir que mudanças no metabolismo social não necessariamente precisam vir do estado, as melhores não vêm do estado, pq as mudanças via estado, aparato jurídico, etc podem ser desfeitas na outra gestão. Ganhar o estado é importante claro, mas deveria ser e nem é o único meio de se mudar o metabolismo, mas pra uma esquerda que se acostumou a ver só o poder do estado, nenhuma outra mudança socila faz sentido e nem são capazes de pensar nada para além do poder do estado….pobreza total

    Sergio Santos

    27 de junho de 2012 às 11h48

    Darcio, parabéns pela análise. Faço minhas as suas palavras. Admiro o Nassif e respeito suas considerações. Até acredito que tenha sido a foto que chamou Erundina à realidade e ao fato de que estava vendendo a alma ao diabo. E sua integridade ideológica a levou a negar se aliar a isso. Acho que estamos ajudando a direita como ela jamais sonhou, com a publicação dessa foto. De maluf a esquerda deve querer a maior distância possível.

francisco.latorre

22 de junho de 2012 às 19h52

a erunda.

jogou contra.

de novo.

ô ego.

agravante. rebolou pro midião.

..

sem falar no discurso moraleiro. principista.

velha esquerda. utopista. e moralista.

a velha direita [toda direita é velha] adora. morre de saudade. dos bons tempos da esquerda otária. saudade do outro século. que não volta.

sem chance.

tempo. vira virou.

ecos do passado. não movem. nem comovem.

política é luta.

não é passarela pra rebolar moraleira estéril. ops.. ‘princípios’.

vida real. luta concreta. é o que conta.

..

quer saber..

a classe média essa..

moraleira. e hipócrita.

não conta mais.

bola pra frente.

..

mais.

bom acontecer agora.

quem não sabe colaborar.. jogar junto.. vai pra casa.

..

Responder

    Rui

    25 de junho de 2012 às 18h35

    Cara, acho que voce ta equivocado. Os eleitores da Erundina a apoiam. Se voce é da turma dos ‘cara de pau’ como o Lula, o Maluf, os tucanos e o resto, tudo bem, mas tem que respeitar a postura de uma pessoa que tem principios e nao se submete a essa canalhisse politica.

    francisco.latorre

    25 de junho de 2012 às 21h17

    eleitor da erundina não gostou.

    quem gostou foi a classe média moraleira. hipócrita.

    e os órfãos da utopia.

    ..

    enfim.. não faz diferença.

    essas questiúnculas.. ‘morais’.. não contam.

    ..

    ô tédio..

    ..

Paulo

22 de junho de 2012 às 14h08

Nassif errou.
Achei desrespeitoso e imprudente a forma como tratou a história de vida e de luta da Erundina, como se ela tivesse tomado uma decisão alicerçada apenas numa questão de ego e vaidade pessoal. Ainda que assim fosse, aos anos corridos de sua vida, isso é dela um direito. Por outro lado, acho que faltou humildade no que o articulista escreveu, pois do seu julgamento moral sobre os outros conclui-se que só ele estaria no altar das ideias que pensam na sociedade e no todo. Comparando as histórias de vida nada fundamenta tal indicação. Precisamos aprender a fazer política com generosidade, com menos soberba e verdades prontas…

Att,
Paulo Puccini

Responder

abolicionista

21 de junho de 2012 às 23h28

Pessoal, agora pouco importa quem errou. Temos uma eleição pela frente, dificílima, e o momento é de união. Unidade!

Responder

Fred

21 de junho de 2012 às 22h39

Erundina simplesmente foi pautada pela pressão das empresas midiáticas a serviço da direita conservadora de São Paulo.

Não teve personalidade para aguentar as chantagens desta mídia. E para manter as aparências, capitulou em troca de alguns elogios hipócritas na colunas de jornal e Tvs…

Responder

    Luiz Fortaleza

    21 de junho de 2012 às 23h38

    Que argumento non sense… kem conhece Erudina sabe muito bem que ela não pauta seu comportamento pela mídia, mas por princípios políticos. Não APELA.

    Fred

    22 de junho de 2012 às 09h42

    “Quem não te que conhece que te compre”

    Até parece que você aprecia as qualidades da Erundina, quando na verdade está simplesmente apoiando a atitude da Erundina para desgastar o PT, Haddad e Lula, puro jogo político oposicionista…Isto tem um nome: Falsidade ideológica”

    LUIZ FORTALEZA

    22 de junho de 2012 às 16h43

    Primeiro vc nem me conhece pra usar esse chavão popular. Inadequado. Se quer se comportar como um soldado raso defensor do PT, sem ser crítico, opção sua.

    Ricardo JC

    22 de junho de 2012 às 20h09

    Mas não dá para negar que ela usou a situação para marcar posição, dá? Não dá para negar que ela já sabia da aliança com o PP, o partido de Paulo Maluf, e mesmo assim topou entrar na chapa? Não dá para negar também que ela aproveitou bem a situação para dar entrevistas e aparecer na grande mídia, não é? Então não vem com esse papo de que a Erundina é o parâmetro ético da esquerda brasileira e que ela fez isso do alto de sua indignação contra um possível governo Haddad. Além do mais, o PSB continua na aliança. Para mim foi mais um jogo político, não dá para negar. É o PSB começando a marcar uma posição diferenciada ao PT, com a anuência de Eduardo Campos (interessadíssimo em uma candidatura a presidente em 2014 ou 2018), que não parece ter feito força alguma para manter a chapa. Se isto não se encaixa, minha avó e bicicleta. Ah…o texto do Nassif é ótimo. É só querer entender o que ele disse.

    Luiz Fortaleza

    22 de junho de 2012 às 21h26

    Ricardo, é uma leitura política sua, o que não significa que seja verdadeira ou expresse a realidade. Erudina não se utiliza desse subterfúgios políticos para aparecer. Kem a conhece, ela faz política nesse modus operandi do PT da ala socialdemocrata católica. A gente sabe que Lula, às vezes, peca por excesso de autoconfiança. E ele de coerência prática política é muito a la maquiável. Os fins justificam os meios. Quase, diria, uma prática política stalinista, de mandonismo no partido. Impõe e sua cúpula aceita quase q passivamente. Isso é o perigo do MITO, de querer impor sua vontade e se errar será perdoado, pq MITO, ao olhar do povo, não tem erro. É quase um santo.

Luiz Fortaleza

21 de junho de 2012 às 16h26

PT optou pelo VALE TUDO ELEITORAL, desrespeitando princípios políticos e ainda sem a certeza de vencer. Se perder, perde duas vezes, perde a eleição e perde capital ético. Maquiável ou Stálin é para se ler, mas não para se praticar em toda sua totalidade. Até sofismas construíram para justificar a aliança com alguém q se locupletou como prefeito de SP. Um homem que se descer na Europa ou nos USA é preso pela INTERPOL. Nós sabemos quem é Erudina, seu passado e da sua ligação com movimentos sociais; e sabemos quem é Maluf, da sua ligação e colaboração com a ditadura militar e cumplicidade com a tortura. O pragmatismo político do PT-SP chega beirar o jogo sujo do poder, o poder a qualquer custo, com o argumento sofismático de que é pelo povo, como se os fins justificassem os meios. MALUF foi ARENA, PDS, blá e blá blá. Mesmo que vença Haadad, ele não vai nunca resolver em 4 anos os problemas crônicos insolúveis de SP, pq estes só fazem aumentar sua intensidade. Todas eleições é isso: educação, saúde, saneamento, violência urbana etc. e a impotência administrativa e econômica de uma prefeitura não resolverá, pois como diz Marx, é subintelecto político dos “libertadores” políticos. Aí o PT-SP opta pelo concertacionsimo, pelo utilitarismo político. E assim, continua o eleitoralismo brasileiro como a arte de iludir politicamente o povo querendo mitigar os males capitalistas. Triste ver o PT-SP se desgastar por tão pouco. Não vai ser Maluf q vai fazer o PT vencer as eleições. Hoje na hidroginástica, muita gente perplexa com aquela foto dantesca de Lula apertando a mão de um quase criminoso financeiro, um inimigo político tradicional. Foi uma visão dos infernos. No capitalismo periférico e dependente como o do Brasil, a única coisa que os governos de esquerda colaboracionistas com o capital podem fazer, é fazer a POLÍTICA DO MELHORISMO. Ou seja,se muda pouco, para não se mudar nada, não mexer na estrutura perversa do sistema em crise. Portanto,
não me interessa o modus operandi de se fazer política (suja) do PSDB-DEM qdo se fazem a comparações entre condutas partidárias. O PT não tem que imitá-los e nem se preocupar com a PIG. A PIG faz o seu papel correto q é defender seus interesses de classe e atacar quem lhe ameaça; e o PT tem q fazer o dele q é defender os interesses dos trabalhadores, denunciar a PIG pro povo, como também tem que ser fiel a sua ideologia de classe, assim como a direita é fiel a sua e ainda põe em prática a sua ideologia. O partido é o sujeito coletivo, e não uma máquina de UM ou de um pequeno grupo de políticos profissionais iluminados. Lula não é perfeito, absoluto, incriticável, muito menos o PT. Devolvam o PT para as bases, pq com esse hierarquismo de poder partidário, o PT corre o risco de ser um Partido Trabalhista inglês, se esclerosando historicamente.

Responder

    Ricardo JC

    22 de junho de 2012 às 20h15

    Luiz,
    Respeito sua posição, mas tenho que discordar. Sem ganhar eleição nada muda. O que você chama de vale tudo eleitoral é a ampliação do leque de alianças? Você se recorda do tempo em que Lula, o PT e a esquerda em geral não se coligavam com ninguém? Não ganhavam eleição e a direita hipócrita brasileira deitava e rolava, fazendo todo tipo de aliança (sem a crítica pesada da grande mídia, como se vê agora) e governando o país e os principais estados da federação. Onde chegamos com isso? Ao fundo do poço!! Sem essa. Lula e Dilma ganharam depois que largamos esta ideia estapafurdia. E só assim este país mudou um pouco. Não sou a favor de Maluf, na verdade tenho pavor de pensar neste sujeito, mas tenho certeza de que Haddad não é ele e nem se transformará em um neo-Maluf se for eleito.

    Luiz Fortaleza

    22 de junho de 2012 às 21h18

    Vc pensa na mudança dentro do molde eleitoral burguês, eu já penso a mudança numa outra lógica política. Mas enfim, cada um com uma perspectiva ideológica. Mas claro q o Brasil mudou mas dentro da lógica da acumulação capitalista, da lógica do enriquecimento de poucos, e sobras pros trabalhadores. Se vc pensa a política nesta lógica liberal-burguesa, é outra história, outros fundamentos reflexivos. Mas, reafirmo meu apoio ao PT como partido que é transitório historicamente, mas se não avançar e ousar, virará um partido socialdemocrata europeu vencido pelo capitalismo desenfreado. Uma parceira institucional com o PP é uma coisa, usar a imagem do Maluf para consagrar essa aliança, acho dispensável. E outra, os problemas paulistas são tão crônicos e intensos q qualquer um q assumir, pouco fará. Haddad não será o salvador da pátria de SP. Nem foi Marta, nem foi Erudina. Mas a estratégia do PT é uma incógnita, pois a burguesia não pode saber. Não sei qual é o segredo de bastidores,as cartas escondidas. Mas, enfim, só acho que não se pode jogar pedra na Erudina e ela mesmo disse que o Haddad disse q o PT receberia apoio do PP, mas não falou desse jogo cênico com MALUF obrigando Lula apertar sua mãe para higienizar sua imagem. Pior, a imagem de um homem que se locupletou qdo prefeito de SP. Não é nem por ser de direita, ou ter apoiado a ditadura, pq já é um criminoso na visão da INTERPOL. É difícil entender isso? Kem fará a cobrança? Claro q não será o PSDB, mas seu partido paralelo a PIG.

Adriano Magalhães

21 de junho de 2012 às 14h08

Erundina não foi egoísta nem muito menos irresponsável: ela foi ética. Coisa que o jornalismo nacional não tem sido. O jornalismo nacional apoia, cada vez mais e mais, as tenebrosas parcerias políticas “em prol de um bem maior”. Mas esse bem maior não chega nunca. Não vejo como Erundina seria capaz de manter políticas sociais em meio a uma parceria dessas. E, pelo andar da carruagem, nossa história política vai ficar cada vez mais trágica.

Responder

    Fred

    21 de junho de 2012 às 14h32

    Repetindo parte de meu comentário baixo:

    “A nível federal, esta coligação PT/PP vem desde 2002 e o governo Lula nem por isto, deixou de ter importantes realizações, inclusive no campo da ética e da transparência, apesar do que diz em contrário toda a propaganda de folhas, vejas e globos…”

    Porque haveria agora de ser diferente a nível municipal? Por causa da cara feia de Maluf…?

    abolicionista

    21 de junho de 2012 às 15h06

    “Esse bem não chega nunca”? E os 30 milhões que saíram da miséria, não se beneficiaram? Acho que eles não pensam a sim, a julgar pelos índices de aprovação do governo.

Fred

21 de junho de 2012 às 13h03

A ética da idealista Erundina

Quarta-feira, 20/6/2012
Extraído de Crônicas do Motta

Os idealistas, os éticos, esse pessoal da esquerda que almeja a revolução asséptica, sem suor nem sangue, sem a imundície e o fedor próprios do mundo real, têm agora a sua heroína de ocasião, a deputada Luiza Erundina, essa valente mulher nordestina e pobre, que recusou sair como candidata a vice-prefeita na chapa do petista Fernando Haddad por não querer a companhia, na campanha, do notório Paulo Maluf.

Todos os idealistas, todos os éticos, veem nesse gesto da deputada o suprassumo da conduta política, o auge de uma carreira imaculada em defesa dos princípios do socialismo, ideologia que exige de quem a segue uma conduta comparada à de uma Madre Teresa de Calcutá.

Por outro lado, os nossos idealistas e éticos, ao exaltar o ato de coragem, destemor e desprendimento da deputada, tratam de sepultar o PT na mesma vala infecta onde se enterraram todos os outros partidos políticos do país – à exceção, claro de agremiações nanicas também idealistas e éticas, que nem por isso deixam de se aliar, não raras vezes, aos mais radicais representantes do conservadorismo pátrio. À direitona, enfim.

Muitos desses ético-idealistas são jovens ainda. É a esses, principalmente, que gostaria de lembrar um fato ocorrido há 19 anos, quando o país era governado por um senhor chamado Itamar Franco, que chegou ao mais alto cargo da República por ter se arriscado numa aventura como vice na chapa encabeçada por um tal de Fernando Collor de Mello.

Pois bem, naquele tempo o PT era idealista e ético, como esses tantos indivíduos que hoje louvam a deputada Luiza Erundina.

O PT foi oposição radical a Collor e continuou sendo a Itamar. Não fazia concessões em seu oposicionismo. Era pau puro, porrada em cima de porrada, não admitia nada que estivesse um milímetro fora de sua cartilha idealista/ética/socialista.

Até que Itamar, raposa velha, resolveu um belo dia jogar a isca para ver se o tal do PT era mesmo tudo isso que dizia. E, como quem não quer nada, convidou Luiza Erundina, que havia acabado de deixar a prefeitura paulistana, para fazer parte de seu ministério.

Foi um deus nos acuda nas hostes do idealista e ético PT, que fechou questão: nenhum de nós vai aceitar ser ministro do governo Itamar, que nós tão fortemente combatemos.

Mas a idealista e ética Luiza Erundina topou o convite e deixou os seus companheiros idealistas e éticos do PT na mão. O partido até que foi bonzinho com ela e suspendeu a sua filiação por um ano por ter desrespeitado uma ordem da Executiva nacional – não a expulsou, como adoram dizer por aí.
Naquele tempo, me lembro muito bem, o PT foi acusado de tudo por ter proibido que um de seus mais importantes quadros integrasse o governo Itamar.

O resto da história é conhecido. Depois de usada pela direitona para mostrar o quanto intransigente e radical era o PT, a idealista e ética Luiza Erundina foi defenestrada do governo federal, acabou isolada no partido e se abrigou no PSB, onde, na verdade, é apenas uma figura decorativa que a direção apresenta para dizer que é, vamos lá, socialista.

Gozado, mas agora me veio à mente o velho e antiquado slogan de uma das mais veteranas empresas de mudanças do país: “O mundo gira e a Lusitana roda.”
É isso, o mundo gira, a Lusitana roda, e a deputada Luiza Erundina, quem diria, continua a deixar os companheiros na estrada.

Mas como ela é idealista e ética, está absolvida de qualquer pecadilho que possa ter cometido em sua longa vida política.

Responder

    Luiz Fortaleza

    21 de junho de 2012 às 13h09

    Os PRAGMATISTAS e tecnocratas são piores…

    Fred

    21 de junho de 2012 às 14h28

    Os “piores” são os extremistas, nas duas extremidades da esquerda e da direita…

    E o moralismo extremista, que torna obtusos, cegos e facilmente manipuláveis os seus adeptos é tão ruim quanto pragmatismo sem escrúpulos algum.

    Porém neste caso, o moralismo está sendo obtuso, más o pragmatismo da aliança com o PP de Maluf está longe de ser sem escrúpulos…

    Aliás,a nível federal, esta coligação PT/PP vem desde 2002 e o governo Lula nem por isto, deixou de ter importantes realizações, inclusive no campo da ética e da transparência, apesar do que diz em contrário toda a propaganda de folhas, vejas e globos…

    Luiz Fortaleza

    21 de junho de 2012 às 16h09

    Ora dizer q Erudina é extremista é de uma falácia escandalosa. Confundir coerência política e prática ética política com moralismo, é perder-se nos devaneios da inconsciência política, é reproduzir o jogo da velha e suja política tradicional. E Erudina, na sua carta, diz que não era o problema de uma apoio institucional do PP, mas a figura queimada do Maluf nesta eleição. Não venha sofismar, pq sua indignação deveria ser outra, a de receber apoio do malufismo, do Maluf, o homem que se locupletou da Prefeitura de SP. Isso é estapafúrdio, ridículo, do ponto de vista de quem tem um mínimo de senso ético na política. Os fins não justificam os meios e alianças espúrias, é preferível perder e organizar politicamente o povo fora desse eleitoralismo burguês que só atrasa o processo de evolução histórica, freia o movimento que poderia ser revolucionário. E não me venha com argumentos de ideias obsoletas e ultrapassadas. Pq, há tempos, o PT se converteu num partido puramente eleitoreiro controlando as direções por cúpulas duvidosas que usam o partido para auferir outras coisas ocultas.

    Vinícius Camargo

    23 de junho de 2012 às 14h46

    Caros,

    o Motta coloca a ação do PT, de não participar do Governo Itamar, como fosse por uma postura moralista estaturária, de esquerda utópica. Não foi o caso, muito pelo contrário. O cenário político apontava uma eleição vitoriosa e com folgas do Lula e do PT. Por isso, escolheram e determinaram não se integrar ao Governo. Do ponto de vista pragmático estratégico a ação era correta e a postura também: bradavam, mas não avacalhavam o governo. O resto da história, nós conhecemos, o plano real mudou o quadro e FHC venceu Lula. Se não me engano, venceu a eleição em primeiro turno. Desse modo, toda a análise do Motta se perde por estar calcada em um cenário que não existiu, ou em uma interpretação com âncora ilusória.

Janio de Freitas: A sorte de Haddad « Viomundo – O que você não vê na mídia

21 de junho de 2012 às 11h06

[…] Nassif: “Erundina errou, pensou só em si, não nas suas bandeiras políticas nem nos seus movimen… […]

Responder

    Fred

    21 de junho de 2012 às 22h31

    Quando me falo de moralistas obtusos (ou extremistas), não me refiro a Erundina, que simplesmente foi fraca e não aguentou a pressão midiática.

    Por “moralistas obtusos (ou extremistas)” me refiro a tipos como vc….

Sagarana

21 de junho de 2012 às 10h58

Nassif crê que os fins justificam os meios. Fazer o quê?

Responder

    Luiz Fortaleza

    21 de junho de 2012 às 13h11

    Como diz Marx, é na práxis social que se prova a verdade de um pensamento, ou melhor, se prova a verdade de um pensamento na terrenalidade da realidade.

    abolicionista

    21 de junho de 2012 às 15h07

    Prefeito, Luiz! Na canela e sem dó!

Wesley

21 de junho de 2012 às 10h33

Concordo com o Nassif. A própria Erundina disse que não era a aliança com o PP de Maluf que a chocou, mas a foto, pois se sentiu despresgiada. É lamentável que ela, acostumadas aos jogos políticos, não tenha sido mais lúcida e pensasse somente em sua carreira política pessoal. Aliás, seu partido, o PSB, tem acordos no Brasil com vários partidos de direita. Em São Paulo mesmo quase apoiou o Serra.
Erundina errou.
Um abraço.

Responder

    Clóvis

    21 de junho de 2012 às 12h51

    Vou discordar de todas as pessoas que disseram que a Erundina e o Lula erraram!!!
    Do ponto de vista pessoal deles, eles todos acertaram. Erundina foi coerente com suas posições políticas, não querendo dividir palanques com o Maluf e seu passado duvidoso. Lula acertou demonstrando flexibilidade, tolerância, jogo de cintura, disposição para composição.
    Agora, a decisão final é do ELEITOR na hora de colocar (digitar) seu voto na urna eletrônica. Aí sim saberemos se o eleitor paulistano fez uma boa escolha.
    Clóvis

Luiz Fortaleza

21 de junho de 2012 às 08h22

Nassif a partir de premissas puramente interpretativas, tenta fazer um argumento sofismático, ou melhor, falso. Não foi a questão somente da foto que indignou a Erudina, e quem leu o que ela falou, derruba essa hipótese do Nassif, cujo objetivo é justificar o modus operandi sujo da velha política. Como se 1 minuto ou Maluf pudesse fazer a diferença numa eleição, sem ter a certeza de que seus seguidores votasse em Haadad. As argumentações contra a posição de Erudina já estão ficando apelativas, quando na verdade a base do PT deveria criticar esse hierarquismo partidário de decisões de cúpulas profissionais. O cupulismo petista está se afastando das bases, deixando de ouvir as bases, para escutar apenas a gana por eleitoralismo. Já falei q Maluf não é garantia de vitória e o apoio deveria ser com o PP, um apoio institucional e não personalístico. Um homem FICHA SUJA, que se locupletou qdo prefeito de SP e réu em processos na Justiça não dá. Há princípios políticos que são inegociáveis. E não vai ser Haadad o salvador da cidade de SP. E toda eleição vai ser assim: os problemas crônicos em SP, nem a direita nem a esquerda resolverão pq eles se intensificam e se ampliam mais. A impotência de governos reformistas face aos males capitalista é uma constante. PT poderia ser mais útil organizando o povo do que fazer política puramente eleitoral.

Responder

    Valdeci Elias

    21 de junho de 2012 às 12h07

    A eleição, é para prefeito de são Paulo . Se o paulistano gosta de Maluf, Serra e cia. Não há muito o que se fazer, quem quizer governar São Paulo tem que negociar com eles mesmo.

    Luiz Fortaleza

    21 de junho de 2012 às 12h56

    Sério? E vcs kerem reforçar esse gosto? Deveria lutar pra desmistificá-lo.
    Isso chama-se RETROCESSO POLÍTICO.

    Valdeci Elias

    21 de junho de 2012 às 14h44

    São Paulo tem os politicos, que elegem . E o resto do Brasil tem que aceitar isso.

    abolicionista

    21 de junho de 2012 às 15h14

    Não entendo, O Maluf é assim tão diferente do Sarney, por exemplo? E não foi a aliança com o Sarney que garantiu a melhora das condições objetivas de 30 milhões de brasileiros? Assistencialismo? Evidentemente, mas para quem está na miséria, é a diferença entre a vida e a morte. É preciso entender as condições brasileiras, Luiz, elas não são as mesmas do que na Europa. Nós tivemos trabalho escravo até ontem, nossa classe trabalhadora não se constituiu nos mesmos moldes, tudo isso (e muito mais) nos empurra para trás. As condições em São Paulo são péssimas, e exigem medidas drásticas. Cabe à esquerda unir as forças.

Rogério Madureira

21 de junho de 2012 às 01h33

Herindina foi péssima política e excelente ser humano. Política e um nojo só. Parabéns a ela pela coerência.

Responder

Mara Paraguassu

21 de junho de 2012 às 00h56

Geralmente concordo com Nassif, mas desta vez vou discordar. Não é apenas simobologia a foto. Simobologia não é pouca coisa. Significa muito nas consciências. Tem impacto. Uma foto dessa faz um estrago danado, na minha opinião, naqueles militantes do PT ainda exigentes e inteligentes, que recusam pragmatismo a qualquer preço. E noutros setores da sociedade que não aceitam e não entendem porque um político procurado pela Interpol merece ser incensado por todos.

Depois, dizer que “não se tenha dúvida de que Erundina seria a vice-prefeita da periferia,a representante dos movimentos sociais” me parece um prognóstico muito otimista, dotado de bola de cristal.

Erundina já foi tratada mal lá atras, quando aceitou ajudar o País ao compor com o governo de Itamar Franco, um político honrado ao que se sabe. Quem garante que não seria novamente? Quem garante que, o novo, Haddad, e aqui diga-se não ele propriamente, mas o conjunto de pessoas que estarão com ele , caso vitorioso em SP, não deixaria para escanteiro uma senhora política, nordestina, digna e decente, presa fácil de arrivistas, que chega já à casa dos 80 anos?

Ela teria meios e instrumentos para ser a Erundina dos movimentos socias, para empoderar a periferia nos atos e decisões de governo?

Falar de individualismo na política? Os homens podem ser, as mulheres não? Ou não tem nada a ver com gênero?

Concordo que, do jeito que ela se posicionou, dá munição aos adversários. Mas quem pode condená-la por isso? Ela faz o momento dela, acabou. Oportunismo? Qual o político não é oportunista?

Sempre disse que Lula e o PT acertaram fechar com a candidatura de Haddad. É o novo. É mudança. Marta, muito embora com densidade eleitoral, tem rejeição, não é novidade. Isso faz diferença enorme nessa eleição, que avalio ser mais da mudança do que da continuidade.

Agora, considerar que uma visitinha à casa de Maluf e um minuto a mais de TV bastam para apear os tucanos do poder é subestimar a capacidade de avaliação do eleitorado, a inteligencia das pessoas. Um passo em que não se mediu as consequencias e, mais do que isso, demonstra falta de confiança no candidato petista, na sua capacidade de crescer nas pesquisas.

E as pesquisas revelam que a TV é importante, mas o eleitor presta atenção nas inserções surpresas, não programadas, de 60 segundos. As pessoas têm mais o que fazer do que ficar 50 minutos, todos os dias, vendo horário eleitoral na TV.

Estou com a Erundina.

Responder

Coordenador-geral da campanha de Haddad: “É mentira que o D’Urso foi convidado para vice” « Viomundo – O que você não vê na mídia

21 de junho de 2012 às 00h49

[…] Nassif: “Erundina errou, pensou só em si, não nas suas bandeiras políticas nem nos seus movimen… […]

Responder

Hiro

20 de junho de 2012 às 23h41

Concordo, Nassif.
Novamente o personalismo na esquerda alimentou diretamente a direita…
Quem paga e pagará o preço funesto são/serão as massas de trabalhadores.

Responder

Dirval Cruz

20 de junho de 2012 às 21h56

Que me desculpe o mestre Nassif, mas se houve erro foi do Lula e do PT. Como dizia o falecido Prestes, o PT é um partido burguês igual aos outros. Lançar sobre as costas da Erundina a acusação de voltar as costas aos movimentos sociais é demais. Criminalizar a ética? Aético foi o Lula. Não precisava fazer salamaleques ao criminoso Maluf, a voz da extrema direita. Lula errou e o Nassif também. Lamentável. Em tempo: Sou “lulista” mas não sou cego. E não sou troll.

Responder

    Fred

    21 de junho de 2012 às 12h56

    Transcrevo aqui texto publicado por Guilherme Scalzilli em 20/6/2012:

    Houve exagero nas reações contra o apoio de Paulo Maluf à campanha de Fernando Haddad. Os petistas não pareceram tão chocados quando o PP se engajou na reeleição de Lula e na vitória de Dilma Rousseff, com direito a ministério. E nem de longe a imprensa fez as mesmas caretas de nojo diante da aproximação do PSDB com o malufismo, gesto que traiu a herança do então recém-falecido Mário Covas.

    A batalha contra o serrismo privata só ganha limites ideológicos no front paulistano? E os entulhos autoritários só parecem monstruosos numa foto com Lula e Haddad?

    Por mim, Maluf passaria seus últimos anos de joelhos, esfregando latrinas com a própria escova de dente. Mas não acredito que o Poder Executivo, em qualquer nível, pudesse fazer algo para realizar essa fantasia. Não mais que o Ministério Público e o Judiciário, instâncias com meios e prerrogativas apropriados, embora estranhamente ineficazes e , apesar disso, imunes às bravatas do jornalismo oposicionista.

    Se o PP tem condições de barganhar minutos de propaganda, que ocupe seu inevitável antro estatal sob a coordenação de alguém como Dilma ou Haddad e o escrutínio feroz que a mídia corporativa dedica às administrações que odeia. Com José Serra, a lambança talvez não tivesse freios nem controle. Basta ver os descalabros cotidianos em São Paulo, feudo histórico do malufoquercismo tucano.

    Um efeito nefasto da maleabilidade pragmática é o espírito reacionário contaminar a plataforma vitoriosa nas urnas. Mas esse perigo não se restringe aos partidos menores, tampouco aos da direita tradicional. O excesso de fidelidade doutrinária progressista deveria rechaçar acordos com o PMDB, o PDT e o PSB, cujos líderes regionais vivem fazendo conchavos espúrios e propondo legislações execráveis. Um passeio pelo interior paulista daria bons motivos para Luiza Erundina trocar de partido.

    Os ataques injustificados à candidatura Haddad evidenciam o medo que ela inspira naqueles que fingiam menosprezá-la. E não chega a surpreender o número de líderes e militantes de esquerda que pertencem a esse grupo.

assalariado.

20 de junho de 2012 às 21h48

Sr. Nassif, devo lhe dizer que no quesito alianças politicas, o PT, através de seu coronel ‘ideológico’ esta com ejaculação precoce. Quanto a Luiza Erundina, não vejo o porque desta sua afirmação, entre linhas, que ela foi egoísta em seu ato politico. Por sinal, muito coerente com os movimentos sociais e pela própria história politica de Erundina. Qual é mesmo, a trajetória do PT, com suas bases partidárias e, em relação aos movimentos sociais?

Abraços Fraternos.

Responder

    Wagner (ex-Rorschach)

    20 de junho de 2012 às 23h12

    “Qual é mesmo, a trajetória do PT, com suas bases partidárias e, em relação aos movimentos sociais?”

    Nenhuma, asslariado, nenhuma.

    Nunca existiu.

    O PT nunca combateu de forma virulenta o apoiador-mor dos torturadores, Sr. Maluf; O PT nunca pregou a ética; o PT nunca combateu o Collor; o PT nunca contou com a militância para ganhar as eleições…

    Nada disso. Você está imaginando coisas. Não sabe que a velha paraibana é uma traidora e o Malufão é o novo “cara”?

veranis

20 de junho de 2012 às 21h29

Quanto mais ela dá entrevistas, mas desconfio de suas reais razões. O Nassif está correto.

Responder

José da Mota

20 de junho de 2012 às 21h26

Interessante a coincidência das fotos e das manchetes da matéria de Luíza Erundina ao lado ou acima da de Delfim Neto na Carta Capital. E quem acompanhou a política brasileira na época em que Delfim Neto foi ministro da direita e hoje é um dos aliados do PT não compreende essa repulsa de Erudina, tardia por sinal, porque veio mais de vinte e quatro horas depois, repelir Paulo Maluf. Prova ela que retroage, retrógrada é, a concretização da “Esquerda Burra”. Que na comissão da verdade age cheia de ódio e rancor, vingativa. Que caso inverta o caso sabe-se lá qual seria ou será de sua vingança, o ardor de seu fogo. Toda a concentração de energia que pulsa em explosão nas suas decisões entre um sim e um não são as mesmas, volátil alguém definiria. Um perigo para a sociedade analisariam, pois aparentemente o que se menos levou em conta em sua decisão foi a melhoria para o povo. Uma faísca que por um tempo riscou o céu com luz e se apagou, para sempre. Com petulância de desesperada defesa a Estrela Guia com seus argumentos apagou. Lula-lá passou dos limites, disse, pelo povo. Luíza Erundina melhor do que ele moralmente se achou. Seria o mesmo que dizer. Quem és tu Lula Estrela Guia diante de apagado risco no céu que um dia pouca luz lançou? Ainda obrigado, Lula, a ouvir o que não é nada em qualquer espaço, além de escuridão. Ousar dizer que quem passou do limite foi ele, Lula-lá, ainda estrela guia brilhante no céu do coração do povo brasileiro.
José da Mota.

Responder

Geysa Guimarães

20 de junho de 2012 às 20h52

Nassif é Nassif, nada a contestar e tudo a aplaudir.
Puro melindre de Erundina.
Fazer acordo tudo bem, desde que não seja “espetaculoso”?
Tá me lembrando o Serra, quando recomendou ao Indio da Costa que podia trair a mulher, desde que fosse discreto.
Abaixo a hipocrisia, fora com a dissimulação!
O eleitor não merece ser ENGANADO.

Responder

souza

20 de junho de 2012 às 20h52

este é o momento de vencer as forças do mau.
vale se aliar ao maluf.
depois, governar é outros quinhentos.

Responder

    Fabio Passos

    20 de junho de 2012 às 21h06

    No Paraná o Requião sempre fez alianças com partidos e políticos medonhos de direitistas… e sempre fez governos de esquerda. Esquerda mesmo!

    Brizola em 1989, durante um debate, acenou com a possibilidade de acordo político com maluf, então representante da plutocracia paulista, para desenvolver o Brasil de forma soberana e acabar com as perdas internacionais que nos mantém subdesenvolvidos.

    Geysa Guimarães

    21 de junho de 2012 às 11h13

    Ótimas informações, Fábio Passos.

Professor Cirino

20 de junho de 2012 às 20h20

Para o PT chegar ao poder em São Paulo deverá, sim, fazer verdadeiro jogo de xadrez. A Erundina não entendeu ainda que deve ser sacrificado um peão para pegar um bisbo; sacrificar um cavalo para pegar uma rainha e até sacrificar a rainha para chegar ao cheque-mate.

Não devemos nos esquecer que o mal maior, muito maior, é permitir que as forças retrógradas do PSDB/PFL/PPS continuem com o jeito tucano de governar.

Responder

    Fabio Passos

    20 de junho de 2012 às 21h10

    Mao Tse Tung fez acordo com chiang kai shek para combaterem unidos contra os japoneses.

    É claro que muitos comunistas torceram o nariz. Com razão. chiang kai shek matava todos os comunistas que conseguia.

    Mas diante das atrocidades que os japoneses cometiam contra o povo chinês… selaram um pacto.

    laura

    20 de junho de 2012 às 23h19

    Fora isso, também está em jogo a eleição presidencial. Já pensou perder o Governoo federal? Ter aqui uma política à direita, como na Europa hoje( Fora a França). TÁ LOUCO! Maluf é o que é, mas já não apita nada.É um politico em ocaso. O que está acontecendo é que o “jogo da moral” voltou de novo, tal como na época do mensalão. A direita SÓ TEM ESSA BALA NA AGULHA. Conseguiu arrastar a campanha de HADDAD nessa ESPARRELA. Erundina simplesmnete caiu na casca de banana. E agora está a criar outras por sua vaidade. Devia sumir e calar a boca. E tratar de falar sobre a campanha. Mas ela precisa jogar o foco da campanha para sí. Ela é pura vaidade. Tá louco, que”aliada”! Lula tem razão de não gostar dela.

    paulo roberto

    21 de junho de 2012 às 01h57

    Positivo, Laura. O Maluf já não pode fazer mal a ninguém, o verdadeiro representante do mal é o Serra. É ele que deve ser combatido com todas as armas e a qualquer custo.

Gilberto

20 de junho de 2012 às 19h00

Perfeita a análise do Nassif.

Responder

    Arnóbio Freire

    20 de junho de 2012 às 20h08

    Li o post tardiamente, mas minha surpresa foi que o Sr. Gilberto tirou as palavras de minha boca!

    Não li nada mais suscinto e verdadeiro como essa análise do Nassif.

    As feridas ente Lula e Erundina ainda estão abertas…mesmo que nascidas ainda na campanha em que Erundina foi vitoriosa por méritos próprios, sem nenhum empenho da cúpula do PT à época.

Fabio Passos

20 de junho de 2012 às 18h59

Não entendo porque os políticos de partidos de esquerda da base aliada – PT / PSB / PDT / PCdoB – ainda aceitam falar ao PIG.

Sério.
Deveria ser uma diretriz para todos os políticos da esquerda.

veja = psdb = globo = dem = fsp = pps = estadão
Quem ainda não sabe disso?

Que sentido faz a Erundina ou qualquer outro líder político da esquerda ir falar assuntos internos da base aliada… com a oposição de direita?

Os partidos de oposição a esquerda, por coerência, deveríam fazer o mesmo.

Responder

    Luís CPPrudente

    20 de junho de 2012 às 20h25

    Concordo plenamente com você. A Luiza Erundina errou feio ao aceitar ser entrevistada por órgãos do PIG e que vão usar as declarações de Erundina para atacar mais ainda o PT e os movimentos sociais (que Luiza Erundina diz defender)e para servir de propaganda eleitoral do Nosferatu Cerra.

    Logo a Luiza Erundina, que participa de uma frente parlamentar pela democratização dos meios de comunicação, ela que nunca teve espaço nos órgãos do PIG para se defender das acusações de corrupção contra ela (durante o seu governo paulistano) e para defender a democratização dos meios de comunicação.

    Fabio Passos

    20 de junho de 2012 às 20h55

    A Erundina é possivelmente a mais importante lutadora do Brasil contra o PIG.
    Uma política com dimensão de Presidenta do Brasil

    Ninguém pode obrigar a Erundina a aceitar o apoio do PP… eu mesmo acho um erro.
    Agora… o que está errado é ir ao PIG, que está em plena campanha por serra, criticar a candidatura da esquerda.

André Dantas

20 de junho de 2012 às 18h52

O problema não é se a Erundina sabia ou não sabia da aliança espúria, se foi “só” por causa da foto que els recuou. Em verdade nem Erundina ser vice ou não na chapa é tão importante, nem a formação da chapa é tão importante (se Haddad, se é Marta ou se é outro), o inacreditável e inaceitável é haver uma aliança entre Lula e o malufismo, pois isso não afeta apenas a provinciana eleição municipal, mas a própria ideia do que é o PT.
Leio as pessoas escreverem sobre “real política” como esse conceito aceitasse tudo. E além de tudo usando esse conceito aberto de forma seletiva – quando a aliança é do ARENA/PDS/PFL/DEM/Extinto com o PDSB ou deste com o malufismo é prova de atraso, de corrupção, de coronelismo, de ditadura (e é mesmo!), mas quando é o PT que se alia a essas figuras execráveis (algumas delas criminosas condenadas) é real política…
Até quando Lula e a liderança que comanda o PT acha que a população vai ver alguma diferença entre um e outro? Será que não aprendem nada com os exemplos históricos dos partidos de mesma natureza na Europa que sossobram sob este mesmo comportamento e hoje, na hora em que mais se precisa deles por lá, não tem legitimidade junto à sociedade?
O PT se perdeu no caminho e se perdeu mais rápido do que eu esperava. Se em 2002 a esperança venceu o medo, hoje a “real política está vencendo a esperança.

Responder

    Fabio Passos

    20 de junho de 2012 às 19h34

    “Até quando Lula e a liderança que comanda o PT acha que a população vai ver alguma diferença entre um e outro?”

    Enquanto os governos do PT praticarem ações concretas em favor da maioria fubecada… será reconhecido e considerado melhor do que o psdb.

    Com ou sem apoio do PP de maluf.

    Leo V

    20 de junho de 2012 às 20h12

    Não estamos mais na er ada real politik, entramos na era da hiperreal politik.

Fabio Passos

20 de junho de 2012 às 18h41

É… dar munição ao PIG foi atitude errada da Erundina.
Acabou beneficiando serra – verdadeiro representante das práticas e interesses do outrora “malufismo” – e consequentemente fazendo mal para a esquerda que luta para resgatar São Paulo.

Uma pena.

Responder

    André Dantas

    20 de junho de 2012 às 19h05

    A principal munição para o PIG deu Lula ao aliar-se a Maluf, episódio registrado para a história numa foto.
    E não existe maior representante das práticas e dos interesses do “malufismo” do que o indíviduo chamado Maluf.
    Se alguém beneficiou Serra não foi Erundina, mas sim Lula e quem no comando do PT concordou com essa sandice.

    Fabio Passos

    20 de junho de 2012 às 19h43

    Podemos especular se vale a pena ou não o apoio do PP.
    A foto pode ser exatamente o preço que o PP impôs para fechar o apoio.

    O bônus é o tempo de TV.
    O ônus é o uso da foto pela oposição (PIG).

    É legítimo a Erundina deixar a chapa porque discorda do apoio do PP.
    O que não faz sentido é a Erundina ir declarar divergências da esquerda para a oposição (PIG). Claro que é um erro.

    Luís CPPrudente

    20 de junho de 2012 às 20h39

    O malufismo hoje se encontra todo no PSDB-PFL. Paulo Maluf não é mais nem sombra do que ele era tempos atrás. Nem mesmo os malufistas apoiam mais o Maluf, pois os malufistas tucanaram-se.

    Paulo Maluf deveria estar na cadeia e deveria ter devolvido parte dos seus bens. Voltando à força de Maluf, se ele fosse tão forte assim e se ele tivesse o movimento malufista do seu lado, ele é que seria o candidato do PP à prefeitura, mas ele sabe muito bem que o movimento malufista tucanou. E só sobrou à ele, Maluf, alugar o PP de São Paulo a quem oferece mais pelo PP (isto mostra que Maluf não tem mais a mesma força de antigamente).

    Então não tem erro nenhum o PT locar o tempo de TV do PP, pois se não fosse o PT a locar esse tempo de TV, seria o PSDB-PFL, já que o PP é um partido de aluguel. Esse tempo de TV é muito importante para que a população conheça o candidato do PT.

    Portanto, os petistas têm que engolir um sapo (ter Maluf ao lado e posando junto com Lula), este é o preço para tirar São Paulo (a capital) das mãos dos udenistas do PSDB-PFL.

Messias Franca de Macedo

20 de junho de 2012 às 18h41

[HORA DO RECREIO NO ‘CIRCUS BRASILIAS’!]

PARA DESANUVIAR, AGORA, “ESCUTA ESSA!”

O Alexandre Garcia “da Globo”(!) exerce, também, a função de, digamos, capilarizar o PIG! Traduzindo, comentários do jornalista são reproduzidos por rádios do interior do Brasil, “e tome sarrafo no governo”, ontem, o do presidente Lula, hoje, o da presidente Dilma Rousseff. Talvez empolgado “por estar arrumando as malas”, o Garcia [“da Globo”!] se empolgou deveras em seu último comentário! Atente(m), abre aspas para o colega da Mônica Valdvogel, da Eliane Cantanhêde, do Merval Pereira, da Mirian Leitão, da Cristiane Lobo, do Ali Kamel & Cia.: “… O ex-presidente Lula impôs a instalação da CPMI do Cachoeira objetivando atingir o governador de Goiás, Marconi Perillo! Se deu muito mal! Atingiu o governador petista do Distrito Federal, Agnelo Queiroz! Atingiu a Delta, portanto, atingiu a presidente Dilma Rousseff!…” “Pode ‘to be’?!” Aproveitou “a deixa”, para falar na temperatura… Da CPMI do Cachoeira? Que nada! O jornalista “da Globo”, “pelas ondas potentes dos rádios do interior desse Brasilzão”, informou que estava procurando informações acerca do tempo, da temperatura… Em Londres! Segundo ele, em seu comentário matinal, nos próximos dias entrará em férias, e o primeiro país a ser visitado será a Inglaterra. “Esperto” e Pernóstico, não?!…

República de ‘Nois’ Bananas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

    Messias Franca de Macedo

    20 de junho de 2012 às 21h22

    Erratas: 1- [HORA DO RECREIO…] no caso específico ‘Circus Brasilis’;
    2- … Traduzindo: comentários…;
    3- … para falar da temperatura… ;
    4- … “pelas ondas potentes das rádios do interior desse Brasilzão”…;
    5- … “Esperto” e pernóstico, não?!…

    Respeitosas saudações,

    República de ‘Nois’ Bananas
    Bahia, Feira de Santana
    Messias Franca de Macedo

Wagner (ex-Rorschach)

20 de junho de 2012 às 18h38

Abolicionista

Você em outro post me conclamou a pensar na tese que defende e, em nome do bom debate agradeço o convite e juro que o fiz.

Mas você acredita mesmo que o PT hoje é um partido em que valha a pena toda e qualquer aliança para que chegue ao poder? O PT segue hoje um modelo que para mim é neoliberal.

Com boa vontade pode-se dizer que é socialdemocrata, mas, sem sombra de dúvida, está longe, mas muito longe de qualquer ideal socialista.

Você acredita mesmo que se o Haddad ganhar, o governo deste PT paulista será muito diferente do do Serra?

Não sei. Tenho minhas dúvidas. Para mim é farinha do mesmo saco.

O PT, para mim, era o PT de Erundina, Celso Daniel, Frei Beto, Lula (o verdadeiro, não esse boneco criado pelo Duda Mendonça). Não consigo me idetificar com esse PT de Vacarezza, Dirceu, Rui Falcao etc).

Enfim, sei da real politik, etc mas não sei se ainda está valendo a pena pois, do jeito que vai, em breve o PT terá se tornado aquilo que sempre combateu.

Em tempo: Por honestidade devo dizer que já fui petista, mas era da “classe média baixa petista”, ou seja filho de metalúrgicos do ABC, ou seja, da turma que você hoje considera hipócrita, mas que, sim, teve sua participação na criação e crescimento do PT.

Abraços

Responder

    Diniz

    20 de junho de 2012 às 19h34

    Pergunte aos 30 milhões de brasileiros que saíram da miséria absoluta em apenas 8 anos de governo do PT (Lula), se valeu a pena a “real politik” ?. O que teria acontecido com eles se, em nome do purismo ético, Lula não tivesse feitos alianças a direita, não tivesse feito nenhuma concessão a ética, e por conseguinte não tivesse chegado ao poder para tentar transformar a realidade social ? Ou você acha que se consegue chegar ao poder somente com purismo ético ? Aonde está a paladina da ética Heloisa Helena ? Aonde está Marina Silva ? Mulheres admiráveis, mas que só serviram a mídia enquanto opositoras do “aético” Lula e do PT. Erundina, outra admirável, teve sua última chance de sair ela também do ostracismo e com poder de realmente transformar a vida de milhões de paulistanos pauperizados. E o que fez ela ? Como bem disse Nassif, ela foi, em nome da “ética”, de um egoismo incomensurável. É muito fácil bradar a ética como valor supremo quando a barriga está cheia e a vida assegurada, como parece ser o seu caso e o de muitos ingênuos burgueses de esquerda. Claro que o idealismo, e mesmo a utopia, são muito importantes, e a ética um valor universal a servir de norte. Mas muitos usam o idealismo como desculpa para não se engajar no mundo real, para não por a mão na massa, para não precisarem exercitar a sua necessidade real de tolerância, para esconderem a sua covardia. Querem viver em uma bolha e serem canonizados como santos, mesmo que para isto muitas pobres almas pereçam no caminho …

    Wagner (ex-Rorschach)

    20 de junho de 2012 às 20h06

    Diniz,

    Respeito sua posição. Mas acho que há limites para certas coisas.

    Se o PT for procurar um partido somente com gente decente para governar, não vai governar nem sozinho…

    Os Collors, Renan, Sarneys, Serras, estão em todos os partidos, isso eu concordo.

    Fazer uma aliança nacional com o PP ou o PTB ou o PRB, tudo bem. Agora, abraçar o Maluf como o Lula fez, você me desculpe.

    O Maluf é o cara da ROTA que matava os negros, lembra?

    É o cara do cemitério de Perus, onde se enterravam os mortos pela repressão, lembra?

    O cara é procurado pela Interpol, meu Deus, e o nosso ex-presidente aparece abraçado com ele!!!! Isso não é pragmatismo, é burrice.

    Desculpe mas é minha opinião.

    Geysa Guimarães

    20 de junho de 2012 às 20h43

    Diniz, sua análise é tão irretocável quanto a do Nassif.
    À VITÓRIA, e viva a real politik!

    abolicionista

    21 de junho de 2012 às 03h29

    Wagner, aí vai minha resposta. Obrigado pela boa disposição ao debate. Para começar, acho que você tem razão em vários pontos, mas vamos às discordâncias:

    1) Não acho que PT esteja fazendo um governo neoliberal. Ok, o PT está fazendo o jogo dos bancos, sem dúvida. Mas os programas de distribuição de renda, ainda que possuam perfil assistencialista, não estão na agenda neoliberal. Além disso, o PT não tem a mesma sanha privatista do PSDB (por mais que o PT também privatize), nem de longe. Basta lembrar do governo FHC. Mas confesso que não sou especialista em economia e nesse quesito tenho de confiar no que leio por aí.

    2) Acho que a prefeitura do Haddad seria substancialmente diferente da prefeitura do Serra. A última prefeitura que o PT emplacou em São Paulo trouxe melhora significativa na vida da gente pobre. Bilhete único, Céus, corredor de ônibus, sistema de saúde. E diminuiu a matança policial na periferia. Nada disso é revolucionário ou emancipatório, eu sei, mas existe uma diferença.

    3) Sobre o PT estar endireitando pela via pragmática, concordo. Está mesmo. Isso significa que é preciso trazê-lo de volta para a esquerda combativa, e não vamos conseguir isso com escândalos. É triste, mas temos de pressionar o PT por outros meios. Gostaria muito de que houvesse condições de criar um partido mais à esquerda do PT que pudesse brigar pelo poder. Mas não há. Estamos num ciclo de baixa dos movimentos sociais (essa é uma tendência em relação aos movimentos sociais, eles aumentam de 10 em 10 anos, e acho que o surgimento do PT surgiu num desses picos).

    4) Você, mais do que ninguém, sabe que a necessidade de trabalho mudou em escala mundial. A maioria da classe trabalhadora hoje, está no setor de serviços, falo da precarização do trabalho. Isso provoca uma despolitização absurda e é um fenômeno mundial. O PT a que você se refere estava ligado ao movimento dos metalúrgicos, que explodia. Hoje isso não é mais possível, e não porque as pessoas perderam suas convicções. Não devemos personalizar a política. Olhe o que o PT teve de fazer para se manter no poder. Olhe o congresso pobre que nós temos (o código florestal não nos deixa mentir).

    5) Apoio completamente ações não partidárias e os movimentos sociais. Que cresçam e joguem o PT para escanteio, tomara! Mas não é nossa realidade no momento, infelizmente.

    É isso. Também não deposito grandes esperanças no PT. E, para falar a verdade, não acredito que a política partidária seja emancipatória, Nunca fui ufanista, sei que vivo em um país periférico e subdesenvolvido, que apenas conseguiu acomodar-se às mudanças da última década. Não acredito que possamos nos tornar um país de primeiro mundo. Não NESSE mundo. Mas, por hora, é o melhor que temos. E para 30 milhões de brasileiros, foi algo significativo. Todo pensador político consequente sabe que é preciso analisar as condições objetivas antes de agir.

    É isso, espero que não se ofenda com nada do que eu disse. Tenho-o em alta conta pelo fato de ter exposto suas opiniões abertamente. Esse espaço que a blogosfera proporciona é precioso.

    Um abraço!

Beloni Rosa Vieira Cardoso

20 de junho de 2012 às 18h31

Quem não tiver pecado que atire a primeira pedra ! Esta frase faz nos lembrar das atitudes da deputadafederal Erundina que os primeiros que ela procurou para criticar o presidente Lula foi O Globo e a Folha de São Paulo que toda a população brasileiro são os maiores adversários do presidente Lula ! Aí ela cometeu um grande equívoco foi dar munição para os adversários ( se ela não ficou satisfeira com o aperto de mão de Lula e Maluf não precisava fazer todo este estardalhaço ! ) O ex-presidente abe o que está fazendo ! Em todos os Estados o famoso PP se coliga com vários candidatos, o que tem demais ocorrer isto em São Paulo ! No RS como exemplo dois candidatos estavam querendo o apoio do PP sendo que este optou por apoiar o candidato do PDT José Fortunatti ! Até a candata do PC do B Manuela D’ávila queria se coligar com o PP, com essa última frase não precisamos dizer mais nada ! Lula é inteligentíssimo e Erundina deselegante !

Responder

Ernesto Aguiar

20 de junho de 2012 às 18h30

Caramba, é impressionante o contorcionismo argumentativo de pessoas que se dizem de esquerda para justificar a aliança com o Maluf. E a preocupação passa a ser o gesto da Erundina e não os princípios históricos jogados na lata do lixo. Saudades do antigo PT. Depois não reclamem do eleitorado realmente de esquerda ter migrado para o PSOL. Aqui no Rio percebe-se claramente que muitos petistas votarão no Freixo e não no Eduardo Paes.

Responder

Lucinda

20 de junho de 2012 às 18h30

Alguém comentou que a Hilary Clinton foi preterida e não abandonou o seu partido, nós brasileiros não prestigiamos partidos, elegemos figuras que representam partidos. Os políticos é que são representativos, e os líderes dos partidos de esquerda reproduzem essa prática, o LULA, ERUNDINA, MARTA SUPLICY, MARINA SILVA. Li comentários que o partido da Erundina tem dado apoio aos projetos de privatizam dos hospitais públicos de São Paulo, será verdade? Se for a Erundina não é coerente, tá certo que isso não é noticiado pela mídia coptada pelos demotucanos. Quando é escondido pela impresa pode? Fico com LULA, ele assumiu o que fez, abraçou o diabo, sem medo das consequências, tem projeto para São Paulo, assim como já provou que se pode governar com inclusão. Esses políticos cheios de ressentimento auto referente governam a favor de quem?

Responder

Helio Pereira

20 de junho de 2012 às 18h20

Nassif tem razão,Erundina pisou na Bola duas vezes:a primeira ao abandonar o Povo da Periferia que via nela sua representante,uma periferia que sempre foi abandonada e via nela a possibilidade de melhorias no Transporte Público e na Saúde em segundo lugar ela pisou na Bola ao colocar “Bala na Agulha” da Revista VEJA,uma publicação que sempre a distratou,sempre a ofendeu,sempre a perseguiu,Erundina se uniu ao maior inimigo do Governo Dilma e das Lutas populares,se uniu aos representantes da extrema Direita que tem na Revista VEJA seu maior “PAPAGAIO”!
Porque Erundina não procurou os Blogs que sempre lhe apoiaram,porque não procurou a Revista Carta Capital,porque logo a Revista VEJA??????

Responder

Wagner

20 de junho de 2012 às 18h18

A imprensa está divulgando que o D’Urso (aquele do movimento Cansei) foi convidado para ser vice.

A tragédia toma ares de comédia.

Responder

Messias Franca de Macedo

20 de junho de 2012 às 17h46

… Mais do que um mero simbolismo inócuo, aquela *foto estapafúrdia do Lula e do Haddad com o ‘procurado pela Interpol’ representa um tapa na coerência, na decência, no decoro… “Um cruzado [de direita!] na sensatez!” Uma cena, sim, perfeitamente desnecessária, um desserviço às forças e aos ideais progressistas e civilizatórios . Contudo, considerando o pragmatismo da política, admitamos a aliança com o PP, mesmo porque um partido que governa com [José] SAIney já não pode mais posar de paladino da moralidade e da ética, “né verdade?!”, diria o saudoso e brioso Leonel de Moura Brizola! Agora, trocar afagos com Maluf significa um ato contraproducente e, sobretudo, antipedagógico. Não podemos aceitar o vale-tudo para a conquista dos objetivos: quer seja na política, quer seja na vida privada, quer seja na vida do trabalho, quer seja na vida da escola, quer seja na vida em comunidade e por aí vai!…
*a tal foto e as imagens correspondentes farão sangrar a história do PT, de agora e por todo e sempre!

… Coerente, ilibada e ética Luiza Erundina de Sousa, estão equivocados os que propugnam que a senhora adotou uma postura egoísta! Muito pelo contrário: a dimensão coletiva do seu gesto é inefável, imensurável… Impagável! O Brasil e a humanidade agradecem, penhoradamente!
Felicidades!

BRASIL NAÇÃO – em homenagem à competente, impávida e briosa nordestina brasileira, Luiza Erundina!

Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

guilhermeni

20 de junho de 2012 às 17h42

Acho q o título que o Nassif escolheu não é feliz, ela pensou em muita coisa sim e não somente em sí própria. Ela desistiu da candidatura pelos movimentos sociais e por sua bandeira política, OS FINS NÂO JUSTIFICAM OS MEIOS. Pelo que se percebe da blogosfera nacional, aqueles que são mais “independentes” politicamente compreenderam a decisão de Erundina, aqueles que querem a cabeça do Serra servida no café da manhã ficaram inconformados e até surpresos. Também partiram para a estratégia de difamar mesmo que sutilmente a pessoa da Erundia e sua decisão, ela era uma base boa e dava ânimo para Haddad, quem sabe o que vai acontecer sem ela e com Maluf.

Responder

Julio Silveira

20 de junho de 2012 às 17h40

Locatelli, em resposta a tua sugestão de me filiar aos blogs progressistas digo que essa é uma sugestão que já sigo faz tempo. É com eles que eu conto, com a verdadeira democracia que eles possam permitir, responsavel, cultural, ética. Lógico, sem esquecermos que isso também vai de acordo com a cultura democratica do dono do Blog. Nesse interim todos os elogios para o Azenha, dentro dos blogs sujos é o autentico e verdadeiro democrata, disparado.

Responder

mello

20 de junho de 2012 às 17h38

Mais uma vez a esquerda radical. ressentida, fazendo eco às manifestações da mídia suja, dos demos, tucanos e ppssistas….

Responder

mineiro

20 de junho de 2012 às 17h35

o pt e o lula que faz acordo com o diabo e a erundina é que hipocrita. nao vou discordar de muitos estao dizendo que ela cometeu erros , cometeu sim , e quem nao comete , como ela fez , em se aliar ao demonio fhc. e dai , mas tem algum escandalo comprometendo ela, que eu saiba nao. agora fazer aliança a um sugeito crapula e que todo mundo sabe esta envolvido em crimes e com a ditadura , foi cumplice das perseguiçoes e da brutalidade daquela ditadura horrenda e incluve perseguiu ate o lula quando ele era governador naquela epoca assim a historia conta. e ainda sim o pt e o lula perdeu a memoria e passou um borracha por cima disso tudo. tem a santa paciencia , hipocrita sao do pt e do lula , infelizmente é a pura verdade . e eu falo com pesar porque sou eleitor do lula , sempre fui e ainda sou,votei na dilma,voto de novo e nele tambem, e admirador do antigo pt. que nao se vendia.

Responder

Messias Franca de Macedo

20 de junho de 2012 às 17h20

… De tanta inflexão à direita, qualquer dia desses o PT “irá completar um giro de 360 graus, verdadeira volta ao mundo político!…” Depois do pacto com o ‘Diabo Encarnado’, agora, a aliança é com o conservadorismo elitista…
Realmente, em política não há nada mais curto do que a memória! Senão vejamos!

Presidente da OAB em SP critica prisão da dona da Daslu
Para ele, a medida foi precipitada, pois ela pode recorrer da sentença.
Empresária foi condenada a 94 anos e meio de prisão.
27/03/09 – 08h53 – Atualizado em 27/03/09 – 09h17
O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em São Paulo, Luiz Flávio Borges D’Urso, classificou de “precipitada” a prisão da empresária Eliana Tranchesi, a dona da loja de artigos de luxo Daslu. Ela foi detida na quinta-feira (26) na capital paulista após a juíza da 2ª Vara Criminal de Guarulhos, na Grande São Paulo, ter aplicado uma sentença de 94 anos e meio de prisão à empresária por crimes financeiros.
(…)
FONTE:http://g1.globo.com/Noticias/SaoPaulo/0,,MUL1061017-5605,00-PRESIDENTE+DA+OAB+EM+SP+CRITICA+PRISAO+DA+DONA+DA+DASLU.html

República de ‘Nois’ Bananas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Richard

20 de junho de 2012 às 17h15

Parabéns Erundina por dizer não ao coroné Lula. Este pensou que mais uma vez a levaria na conversa. Não deu certo. Quanto aos movimentos sociais, creio que quem erra feio é Nassif em sua análise. Movimentos sociais não se coadunam com o poder. Uma vez que representantes seus chegam ao poder eles falecem. Movimentos sociais existem para cobrar os poderosos. Sejam eles de esquerda ou de direita.

Responder

    zeca pinto

    20 de junho de 2012 às 17h35

    quem errou foi a erundina em aceitar a ser vice do haddah, ele é do pt,partido que a expulsou de suas fileiras, mas os políticos não resistem a ribalta

    Messias Franca de Macedo

    20 de junho de 2012 às 17h57

    Prezado Richard, aqui na Bahia, os movimentos sociais – sobretudo os servidores públicos – uniram-se, “comeram poeira”, sangue e suor, para erradicar o carlismo, o atraso… A resposta foi dada: coerção à liberdade de opinião, mídia comprada, desdém e repressão aos movimentos [lídimos] reivindicatórios dos trabalhadores do serviço público estadual, conchavos e mais conchavos espúrios com os históricos e figadais carlistas & congêneres…
    Richard, você tem toda e absoluta razão: “Movimentos sociais não se coadunam com o poder. Uma vez que *”representantes” seus chegam ao poder eles falecem. Movimentos sociais existem para cobrar dos poderosos. Sejam eles de esquerda ou de direita.”
    *perdão, pelas aspas em representantes(!)
    Parabéns pela leitura!
    Felicidades!

    Saudações democráticas, progressistas e civilizatórias,

    República de ‘Nois’ Bananas
    Bahia, Feira de Santana
    Messias Franca de Macedo

    Edney

    20 de junho de 2012 às 18h42

    Excelente análise companheiro, concordo plenamente , pois a visão do autor foi extremamente reducionista.

carvalho Filho

20 de junho de 2012 às 17h08

Esclarecedor sse resgate da entrevista doManoel Jr. Ela não era inocente. Pelo que foi possível perceber Erundina não discordou da aliança com Maluf, apesar de não se mostrar satisfeita, como se vê na entrevista ao jornal O Estado de São Paulo. Perfeita a pergunta da aliança história de Prestes com Vargas no passado. E ele que perdeu a mulher daquela forma trágica olhou e apostou não em Getúlio, mas no que ele significava. Política, como dizia o velho Sartre é colocar a mão na merda – eu diria: para sair da merda. Os puros, os moralistas sempre de plantão que vivem tapando o nariz como se fossem os sacerdotes templários em busca da verdade absoluta, leiam, por favor o velho Weber, A Politica como Vocação e leiam o velho Maquiavel que a Igreja, com seus santos, almadiçou no fogo dos infernos, mas ele sabia o que dizia. Quem não quiser fazer política, a partidária, principalmente pensem antes de julgar moralmente os outros. Estamos decididamente condenados a tomar posição e saber quem são os nossos inimigos. A direita sabe mirar os inimigos, mas a esquerda atira nela mesma, porque cada um quer ser mais puro que o Espírito Santo.

Responder

    Tiago

    20 de junho de 2012 às 17h34

    “…é o socialismo que garante a realização plena do ser humano. É em nome dessa utopia que estamos aqui”.

    Palavras da Erundina, quando da oficialização dela como vice do Haddad.

    Não é uma questão de querer ser “mais puro que o Espírito Santo”, e sim de sermos coerentes com os valores que defendemos.

    Eu acredito no socialismo, e não no poder pelo poder.

    Jotace

    20 de junho de 2012 às 19h11

    Caro Tiago,

    Mais uma vez me volto para os seus comentários plenos de sabedoria nos valores do socialismo e a mensagem de termos coerência com os preceitos, qualidades, que dignificam a criatura humana,e que têm sido os mesmos defendidos pela Erundina. Da mesma forma, ainda creio no projeto coletivo do PT, mesmo se ele for uma quimera, à viagem a um país inalcançável, que descreveu há tanto tempo Thomas Horus. Cabe a nós, que comungamos dos mesmos sonhos que levaram à criação do PT e caracterizaram sua ação nos primeiros anos ter em conta que eles, pelos seus valores, devem ser em certos momentos sempre maiores do que o projeto coletivo. Cordial abraço, Jotace

Gerson Carneiro

20 de junho de 2012 às 17h03

Se o Lula abraçou o Maluf, Erundina abraçou a Veja.

Responder

    Maria Thereza

    20 de junho de 2012 às 18h31

    E o abraço de Erundina tem consequências muito mais funestas.

    laura

    20 de junho de 2012 às 23h42

    Falou Gerson!

Gerson Carneiro

20 de junho de 2012 às 16h46

“@Bob_Fernandes Nesse momento, numa mesma sala na Rio+20 estão Ahmadinejad, Collor, FHC, Lula, Evo Morales, Ban Ki-moon…”

Maluf é café pequeno.

Responder

    abolicionista

    20 de junho de 2012 às 17h37

    Dá-lhe, Gerson, você é ponta firme!

LEANDRO

20 de junho de 2012 às 16h41

Maluf, do seu ponto de vista, agiu com a esperteza que sempre o caracterizou, mas com requintes de crueldade.

Responder

Luc

20 de junho de 2012 às 16h28

Essas do Alckmin e do Serra são ótimas:

“…Dia 5 de julho de 2011. PSDB e DEM protocolam na Procuradoria-Geral da República um pedido de investigação das denúncias de corrupção no Ministério dos Transportes. Entre os alvos, as legendas mencionam o então ministro Alfredo Nascimento, o diretor afastado do Dnit Luiz Antonio Pagot e o deputado federal Valdemar Costa Neto. Todos do PR.
Dia 4 de junho de 2012. Passados onze meses, José Serra, candidato do PSDB a prefeito de São Paulo apoiado pelo DEM, recepciona o PR em sua coligação. Coisa negociada por Valdemar Costa Neto e formalizada na presença de Alfredo Nascimento. Tudo isso menos de 48 horas depois da veiculação de entrevistas em que Luiz Antonio Pagot acusou Serra de fazer caixa dois com verbas da obra do Rodoanel…”
http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2012/06/05/serra-com-pr-a-coerencia-vendida-por-1min30s/

“…A decisão já estaria tomada. Segundo a Folha, “o governador Geraldo Alckmin (PSDB) decidiu tirar das mãos do deputado Paulo Maluf o comando da CDHU, a companhia de habitação do Estado de São Paulo”.
Quer dizer então que a CDHU do governo tucano está nas mãos de Maluf não por competência do gestor, mas apenas por um toma-lá-dá-cá político? Mas os tucanos fazem no particular aquilo que condenam no PT em público?…”
http://blogdomello.blogspot.com.br/2012/06/informativo-oficioso-da-campanha-de.html?spref=bl

Responder

Adilson

20 de junho de 2012 às 16h26

Eu acho que faz parte do jogo político, em algumas circunstâncias, se aliar a meia duzia de capetinhas pra fazer a “obra de Deus”…No caso de São Paulo, penso que seja assim: Serra é uma ameaça muito grande e Maluf não faria nem cosquinha numa admistração Haddad -Erundina.

Já no caso do Rio, o PT se aliou a meia duzia de capetas pra fazer a “obra do cão”, o que é muito diferente. Participa da admistração Cabral-Paes, e de uma política neoliberal, fria, anti-povo, para os ricaços e para “gringo ver”; mas contra os profissioanais de Educação, contra os movimentos sociais, pelas desapropriações, de mãos dadas com bancos e empreiteiras e de punhos fechados para os trabalhadores.

Isso sim é muito triste, muito frustrant; mas sei que vai ter gente dizendo que se deve fazer sacrifícios em prol de uma causa maior, chamando os outros de puristas etc_como já ouvi no caso das famílias desalojadas e deslocadas pra longe de suas origens…

Sacrifício com a casa dos outros, claro..

abs.

Responder

sergio

20 de junho de 2012 às 16h20

VOLTA ERUNDINA ! FORA MALUF !
Quem viu o Haddad no Conversando com SP – Juventude, no ultimo sábado, 16/06, se animou com a defesa que ele fez da aliança com Erundina, nem comentou o Maluf.
E agora candidato, o que dizer para a Juventude ?

VOLTA ERUNDINA ! fORA mALUF !

Responder

Che Guevara da Fiel

20 de junho de 2012 às 16h10

Assustador é ver como as pessoas aqui ainda são capazes de criticar a Erundina!!!!

Ao defender a postura da Erundina, não se trata de moralismo. Trata-se de considerar inaceitável que o PT se associe a Paulo Maluf, assim como é inaceitável que tenha se associado a Sarney.

É preciso que a esquerda reconheça isso, sob pena de se tornar idêntica ao PSDB.

Responder

    Paciente

    20 de junho de 2012 às 16h21

    Guevara, ela JÁ SABIA do acordo e ACEITOU mesmo assim, Depois RECUOU, entendeu???

    abolicionista

    20 de junho de 2012 às 16h35

    Discordo: as coisas só são inaceitáveis para quem tem o que comer, para quem tem onde morar. Quem não tem nada, está aí para o que der e vier. Só quem nunca passou necessidade não sabe disso, não é?

    Regina Maria

    20 de junho de 2012 às 18h39

    Che,

    Então você preferia que o PT não se aliasse ao Sarney, deixasse o PSDB fazer isso e o PT perdesse as eleições? Olhe, preste atenção ao que ocorreu ao longo deses 9 anos. Talvez sem essa aliança você poderia estar sob o governo do Tucanoide, e não esqueça que a aprovação de projetos depende de se ter maioria, e nesse quesito, a aliança rendeu para eles, mas também para o PT. Mas, Apesar disso, acho que a aliança com o Maluf foi desnecessária e predadora. Não me parece que trará lucros para o PT, me parece que tanto desgaste redundou mais foi em um tiro no pé.

BP

20 de junho de 2012 às 16h05

Nassif, dessa vez, você está muito errado.

O Lula pisou feio na bola.

Quem é de esquerda não aceita o malufismo, e nem que o fim justifiquem os meios.

A Erundina é digma, e o Lula está sendo indigno, muito indigno.

Eu não quero e não vou me misturar com gente que apoiou a ditadura, a tortura, os desvios de dinheiro público, bilhões (!!!).

O Maluf já estava nos braços do PSDB, e eles são iguais, não poderíamos mendigar apoio de um político que deveria estar preso e condenado.

Lamentável Lula, lamentável Nassif.

Viva a diginidade da Erundina.

Responder

trombeta

20 de junho de 2012 às 15h55

Erundina você me enganou por muito tempo, você é uma pessoa pequena, com a sigla que você carrega nas costas você não tem moral para dar lição em ninguém, fique com seus novos amigos do PIG, da direita e da esquerdinha classe média clean que acha vai mudar o país com discurso moralista, vá se juntar ao clube dos ressentidos do PSOL tenha um pouco de dignidade.

Responder

Marcio wilk

20 de junho de 2012 às 15h54

O contraponto, miseravelmente encontrei isso num blog serrista, o Josias de Souza:
Aécio verá que o companheiro José Serra também enfiou para dentro de sua coligação o PR do mensaleiro Valdemar Costa Neto. Para ser tomado a sério, o presidenciável tucano teria de dizer algo assim:

“No momento em que o PSDB se dispõe a fazer esse tipo de concessão, em troca de apoio político, o lero-lero tucano contra a perversão mensaleira do petismo fica muito frágil.”

Responder

adhemir martins da fonseca

20 de junho de 2012 às 15h52

o pior erro do lula neste episódio foi convidar a erundina para vice. erundina já era nada tem para acrescentar.
falou que ia que iria e depois deu chabú;ta na hora de aposentar a erundina.

Responder

Roberto Locatelli

20 de junho de 2012 às 15h40

Quanto à aliança(1) com o malufismo(2), acho prejudicial, inclusive eleitoralmente. Independente de Erundina ficar ou sair, alguns minutos de TV não compensam a exploração do fato que o PIG certamente fará. A perda de votos será grande, pois Maluf tem uma rejeição gigantesca na cidade de SP, maior até que a de Serra.

Além disso, Maluf obviamente exigiu algo em troca, provavelmente uma ou duas secretarias. Não acho bom que uma administração petista inclua malufistas. As políticas são conflitantes.

_________________
(1) o PT e a mídia falam em “apoio”, mas trata-se de uma aliança, que envolve um toma lá, dá cá.

(2) PP nacional é uma coisa. Malufismo é outra. Os partidos brasileiros são assim mesmo, fragmentados. Erundina não representa o PSB. Brizola Neto não representa o PDT. Maluf também não tem nada a ver com o PP nacional.

Responder

    Romanelli

    20 de junho de 2012 às 15h58

    e o principal vc não falou ..não se trata de uma aliança política entre agentes com idéias e/ou projetos conflitantes, mas de uma comunhão com alguém que a sociedade inteira já sabe que não é do bem ..a coisa transcende a ideologia e toca no CARÁTER das pessoas ..trata-se de uma aliança com um cara fichado e procurado internacionalmente, JÁ CONDENADO ao menos nos países aonde a justiça funciona

Pedro Cruz

20 de junho de 2012 às 15h40

Quanta hipocrisia. Criticarem o NUNCA DANTES, O CARA, O LULA, O MEU DEUS. Não aceito, LULA É LULA, não erra. Se errar eu erro junto. O NUNCA DANTES conhece tudo, sabe o que significa derrotar a granjde mídia em São Paulo. Coisa que muitos, por aqui, não sabe. Alguem conhece o PSB de São Paulo??? Quem pode criticar uma aliança com o Maluf, sendo do PSB?? Parem com essa hipocrisia de ética!!!Eu quero é derrotar a grande mídia e os da “privataria” tucana!!!!!! Tenho ética e corro dar uma entrevista de capa para a veja, ENTREVISTA DE CAPA PARA A VEJA, PARA O CIVITA. Parem com isso. Ou assumam o papel de aliados da grande imprensa e do PSDB. PQP, vão conhecer o PSB de São Paulo e depois voltem aqui para falar de ética!!!!!!!!!

Responder

Lucas Secanechia

20 de junho de 2012 às 15h38

É piada, ñ é? O PT nunca teve intenção de trazer mov.social algum para governar com a escolha de Erundina como vice. A ex-prefeita foi escolhida para ser mero objeto de adorno que pudesse substituir Marta Suplicy, que também foi tratada como lixo. Entretanto, com Maluf, houve até foto comemorativa, o que já mostra por si só o quanto o PT pretendia valorizar a ex-prefeita, já que não tiveram a menor vergonha de, em um intervalo de tempo tão curto, anunciar Erundina vice e o maior adversário político dela como aliado de destaque.

Me lembrei de Oscar Wilde em seu ensaio sobre o socialismo, no qual falava na mudança do significado das palavras; no caso de Nassif, egoísmo vira a escolha pessoal – ser vice ou não – e a solidariedade vira aceitar as imposições externas, quando que, na verdade, egoísmo é querer impor aos outros uma vontade alheia e fazê-los meios para seus fins, no caso, PT busca instrumentalizar Erundina.

Resumindo, o texto omite, desvirtua e mente.

Responder

Marcelo Silber

20 de junho de 2012 às 15h26

Caros Camaradas
Stalin (Lula) tem razão !!!! Molotov (Haddad) assinou o pacto com Hitler (Maluf)e quem não concorda Zinoviev,Kamenev, Bukharin (Erundina, Marta e Eduardo Suplicy) são inimigos do povo, de direita e precisam ser fuzilados!!!! Como não temos os processos de Moscou e não podemos fuzilar ninguem, usamos a ” blogosfera progressista para fazer isso !!!! Afinal Deus-Stalin-Lula não pode ser contrariado…
Obviamente, que qualquer semelhança é mera coincidência….
Arre Égua—Ao meu rei eu dou tudo,menos a minha honra…

Responder

    Roberto Locatelli

    20 de junho de 2012 às 15h45

    Acho que você errou de estação. Aqui estamos discutindo abertamente, alguns têm um ponto de vista, outros têm outro. E ninguém está sendo fuzilado. O mesmo está acontecendo em toda a Blogosfera Progressista e no Twitter, o que é muito saudável. A discussão aberta incomoda você?

    Julio Silveira

    20 de junho de 2012 às 15h52

    Com esse atributo não poderás ser Tucano, surpreendentemente nem Petista, se não tiver partido como eu e pretender se filiar a algum eles recomendam o PSOL, será?

    Roberto Locatelli

    20 de junho de 2012 às 16h32

    Sugiro a você se filiar a um “partido” chamado Blogosfera Progressista.

    Aqui tudo se discute, e todos podem discordar de tudo.

    Marcelo Silber

    20 de junho de 2012 às 17h18

    Julio Silveira
    Você acertou !!! Não sou Petista e nem Tucano !!!
    Não vou anular meu voto, Soninha e Paulinho?? Nem pensar..
    Chalita (Alckmin II) nunca!!! Russomano? (Deus me livre)…
    Você me deu uma ótima idéia, vou votar no PSOL

    Roberto Locatelli
    Lula ao montar a “genial coligação” deveria ter tido mais cuidado com Luiza Erundina, mulher decente, honesta e exemplo raro de política no nosso pais.
    e que afinal, participaria da chapa como vice-prefeita.

    Romanelli

    20 de junho de 2012 às 15h53

    é por aí ..agora qq um que destoar do “GRANDE lÍDER” terá direito a artigo personalizado, fora de ser rotulado de troll, censurado e botado pra correr ..quando não chamado de tucano

    NÃO é de hoje que falo que temos nas MÍDIAS dois grandes organismos xifópagos, duas anomalias que correm por entre nossas vias

    dum lado, do lado da MÍDIA MILITANTE, uma descomprometida com as boas maneiras e a ética básica, temos na ala da direita o Reinaldo Azevedo, e do lado esquerdo, meio que atrofiado, o PHA

    ..e o outro organismo diz respeito aos auto denominados “JORNALISTAS PROFISSIONAIS”, destes que se bem conservados UM dia podem vir a fazer parte do seu lado (dependendo de …) ..e hoje, pra mim, este monstrengo que é tão deletério quanto ao primeiro no quesito formação de massa crítica e informação isenta, temos do lado destro o NOBLAT,e do canhoto, canhoto envergonhado, L.Nassif

    olha vou dizer, por sobre suas canetas, corram, mesmo pq pra tucano não há de sobrar pena sobre pena, pensam ..e pra petista murro nas partes íntimas até o camarada cansar de ver estrelas

Pedro Cruz

20 de junho de 2012 às 15h21

Grande Nassif, bela analise, a mais lúcida. Estava demorando para aparecer a Heloisa Helena, a Blablarina da vez. Triste papel para Dona Erundina. Deputada pelo PSB paulista (com expressiva representação, tipo Camarinha, a fina flôr da ética paulistana), aliados ao PSDB paulista, aliados do Dem, PPS e Kassab, correndo aos colos da veja e da grande imprensa, os inimigos a serem derrotados em outubro/novembro, junto com o PSDB, se indignando com a aliança com o Maluf? Não vi a mesma indignação com os cargos que seu partido ocupa nos governos de Alkimim e Kassab. Entre Maluf, Alkimim e Kassab tem alguma diferença???? Os governos de Alkimim e Kassab são éticos?? Quanta “coerência”!! Dar entrevista para a veja. Quanta “coerência!!!! Eu teria vergonha de sair na capa da veja (????) contra o PT. Triste papel. Vamos prá frente, derrotar o PSDB e a grande mídia!!! Essa é a nossa tarefa.

Responder

Romanelli

20 de junho de 2012 às 15h20

reitero ..se colocarmos na balança estas alianças lambaças veremos que o país mais perde do que ganha.

Por ela todos se tornam pardos ..honestos se passam por ordinários, ordinários por probos ..idéias empalidecem, princípios evaporam, perdem o sentido ..todos os fins INCONFESSÁVEIS tentam se justificar em preços não auditáveis e em resultados poucos confiáveis

..assim, bandidos ficam protegidos ..crimes são esquecidos ..penas são reduzidas ou caem no esquecimento dum fora de prazo ou envelhecimento ..e o país continua na espera, na espera dum futuro que nunca chega

É absurdo tentar jogar nas costas da Erundina um “custo” pros movimentos sociais que nem LULA com sua liderança e atitude SUSPEITÍSSIMA soube tocar ..ademais, convenhamos, ela é VICE, e vice é NADA ..e ele, ele é líder, papel que no episódio ele não soube representar

DELA fica o exemplo de que o sonho e princípios políticos ainda sobrevivem ..que há coisas muito mais importantes do que as conveniências e aparências, do que os interesses pequenos

responda rápido, quem é o vice atual de SP ?

..então? então é isso, com seu exemplo, o de Erundina, o PAÍS INTEIRO ganha muito mais, melhor do que qq desempenho dela como VICE

Da minha parte reflito que a mesma frase pinçada e DEMAGÓGICA, uma simples frase de efeito pra tentar fazer bonito e ficar de bem unto a militância, uma que visa alterar o ÔNUS da PROVA a quem de direito (ao LULA que fez a trapalhada), esta proferida acima, poderia muito bem ser escrita assim, no que pra mim faria muito mais sentido:

“LULA errou, pensou só em si, não nas suas bandeiras políticas nem nos seus movimentos sociais” OU

“Erundina errou, não pensou nas boquinhas que seus amiguinhos pretendiam conseguir”

NOTA – a disputa duma prefeitura é algo muito mais orgânico, NÃO tem nada de ideológico, muito menos de vital importância ..aqui a coisa é no bairro a bairro, no programático, na porta de casa ..não tem essa de projeto nacional, e interesse vital

Responder

    Larry

    20 de junho de 2012 às 15h52

    Discordo. A prefeitura é instrumento Real de inclusão e de propagação de política públicas, e quem a dominar exercitará poder real, não apenas de ideias. Acho que pelo Lula, ele nunca faria aliança com o Malufismo, mas, por isso que é quem é, Um Mito. Nega a si mesmo pelo povo que pensa que flores vencerão Canhões.

João Alcântara

20 de junho de 2012 às 15h20

Luís Carlos Prestes errou ao apoiar Vargas? Podemos hoje duvidar da índole de Prestes? Por que o mesmo raciocínio não pode ser empregado nesse episódio do apoio do Maluf?

Responder

    Roberto Locatelli

    20 de junho de 2012 às 16h30

    Olha, comparar o Maluf a Getúlio Vargas… Bom, digamos que aí você viajou na maionese. Melhor comparar Lula a Vargas. São dois estadistas, apesar dos erros que cometeram.

    abolicionista

    20 de junho de 2012 às 20h00

    Opa, Vargas foi um ditador. Além disso, o Vargas pode ser aproximado com o populismo, o Lula não. Monto histórico diferente, características diferentes. Leia o texto do Perry Anderson, “Lula’s Brasil” (talvez com “z”!rs), está disponível na net. A primeira tese que ele derruba é a de que o Lula seja um populista. Mas ele também discorda do Emir Sader, enfim, sugiro vivamente a leitura. Esse texto é, na minha opinião, a melhor análise do governo Lula. Talvez ajude você ponderar melhor essas associações… em todo caso, continuemos o debate.

abolicionista

20 de junho de 2012 às 15h19

Como vocês estão falando tanto sobre moral e vergonha na cara, proponho a vocês uma pequena narrativa:

Dois países estão em guerra. Após dias marchando e batalhando, um pelotão do exército X encurrala dois soldados inimigos do exército Y, que saíram em missão de reconhecimento. Os dois soldados estão feridos e passam sede, fome e frio.

O comandante do pelotão do exército X diz ao subcomandante:
– Nosso pelotão está uma lástima. Nossos homens têm sede, fome e frio. Não temos provisões suficientes para cuidar de dois prisioneiros. Só podemos levar um deles conosco. Se tentássemos levar os dois, eles certamente morreriam.

– Vamos levar apenas um – responde o subcomandante.

– Sim, mas se deixarmos o outro livre, ele pode entregar nossa posição, e estaríamos liquidados – pondera o comandante.

– Vamos consultar os soldados, talvez algum deles queira sacrificar-se em prol do companheiro.

Os soldados são consultados. Ambos preferem viver, ainda que como prisioneiros. Ambos possuem a mesma idade e estão igualmente debilitados. O comandante então se pergunta: o que faria um bom homem numa situação como essa?

***

Percebe como, nessa situação, pelo homem inocente irá morrer?

Quem é imoral nessa história? Os soldados que preferem viver? Pode-se condenar um homem por amar a vida? O comandante que irá escolher quem deve morrer? Pode-se condenar um homem por cumprir seu dever? O soldado que irá apertar o gatilho? Se ele não apertasse, não seria fuzilado por insubordinação? Pode-se condenar um homem por amar a vida?

Agora percebemos nosso erro: a pergunta não é QUEM é imoral, mas O QUE é imoral.

O que é imoral nessa história?
A guerra, que joga irmão contra irmão, que transforma em inimigo aquele que também é explorado.

Por meio dessa parábola, peço que ponderem a respeito dos limites da moral individual.

Responder

    Alexandre Carlos Aguiar

    20 de junho de 2012 às 16h01

    Parábola comparativa terrível, mas vamos lá.
    Numa situação crítica, de guerra, de sobrevivência, do eu ou você morreremos, não há dúvidas que algumas posturas coletivas são deixadas de lado. Não dá para aplaudir, condenar ou elogiar qualquer decisão que se tome neste caso.
    Na montagem da chapa de eleição e acordos para isso a coisa é diferente, pois há tempo para discutir, arranjar posionamentos, elaborar estratégia e tomar uma água antes. Tudo pode ser arrumado. O PT não estava com a faca no pescoço, não morria de fome e Haddad seria eleito com um pé nas costas. Agora? Sei lá.

    abolicionista

    20 de junho de 2012 às 17h01

    Obrigado pela comentário, Alexandre. Apenas adaptei um texto do Brecht. A analogia procurava apenas mostrar os limites da moral individual. Perceba como, em seu discurso, você aceitou a guerra como algo natural. Existem situações onde os homens devem matar uns aos outros?
    No final de seu comentário (um pouco confuso, diga-se de passagem, pois você não esclarece o que entende por “posturas coletivas”) você mostra perceber os limites da ética individual.

    “Não dá para aplaudir, condenar ou elogiar qualquer decisão que se tome neste caso.”

    Trata-se de um passo importante, reconhecer que a ética individual não resolve todos os problemas. Ele não é, portanto, universal, concorda? Para aqueles que vivem em “situação crítica”, como você mesmo ponderou, ela pode não ser aplicável.

    Para a população pobre que vive na periferia (acho que esse é um exemplo de situação crítica, não?) a ética individualista, frequentemente, não se aplica. Percebe?

josé maria de souza

20 de junho de 2012 às 15h19

De pleno acordo com o post do Manoel R.Mello Jr.
josé maria de souza

Responder

Julio Silveira

20 de junho de 2012 às 15h10

Coisas do ser humano. Aliás muito, sob diversos pontos de vistas, justificaveis pela humanidade dela. Inclusive humanidade sentida nas avaliações de viés invertido consideradas pelos humanos analistas. Relativisam uma e contrariam outra personalidade. Humanos. O que intriga é a humanidade da Erundina ser criticada acidamente pelo defensores desses atos humanos do presidente Lula. Por outro lado quase em unimimidade os petistas e neo petistas, os de resultados, tendem a desmerecer a CACA muito mais grave, no meu modesto entender, de peso cultural sob o que se quer em politica, de verdade. Até tentam adocicá-la, tentando torná-la mais palatavel aos olhos dos insatisfeitos, como o caminho, como se por ter sido cozida pelo “metre” se tornasse o supra sumo dos deuses.
Francamente.
A pouco, num outro post em que me mostrei contrariado por anos e anos de apoio continuo, logico que merecidos mas criticos, me convidaram a ingressar no PSOL. Engraçado isso. Mas serviu-me para entender os meandros das mentes malignas, eles precisam de algo para bulimizar em sua fuga da realidade. Reiteradas vezes demonstrei não ser vinculado a partido algum, no afã de ter a independencia para apontar o dedo na cara do politico que prometeu e não cumpriu. Que fez juras de honestidade e ética, e desandou, de dizer com autonomia e liberdade meu modo de ver a vida e entender como deveria ser a politica. Aí, vem um cumplice da parte sordida da humanidade pretender me dizer o meu caminho e assim que eles fazem e ainda hipocritamente criticavam os milicos quando em seu tempo de tirania falava para os insatisfeitos “Brasil ameio ou deixe-o”.
Acho que a tirania e o autoritarismo é um viés humano.

Responder

Filippini

20 de junho de 2012 às 15h09

Azenha.nos prestigiei com um comentário seu sobre o assunto.

O que você acha?Excesso de pragmatismo do PT ao escolher o Maluf
como aliado no plano municipal,ou excesso de purismo ideológico
da Erundina?

Sabemos que o PT tem uma ampla base de apoio no plano federal,
muitas vezes esta composição extremamente heterodoxa cobra uma fatura
muito alta.Mas seria possível não ser assim?

Responder

Wanderson Brum

20 de junho de 2012 às 15h07

Festa estra

Com meus sinceros respeitos ao Nassif e ao blog aqui, o erro de Erundina é o que muitos da esquerda tem cometido nos últimos anos e acabam levando o nome esquerda que a direita gosta, entreguista entre outras construções menos suaves.

“Foi só pela simbologia da foto” Menosprezar a simbologia de dados momento e a sua implicância prática é no minimo reducionismo, parece que desconsidera sumariamente o contexto das coisas em favor de uma suposta vantagem do projeto politico do ela pulou fora…

Lembram-se daquela foto da Heloisa Helena comemorrando com o pessoal da direita, sabe ela é uma foto apenas simbólica sabe e paira no universo das coisas intagiveis, nunca mais a apresentem para nada é só uma foto…

Responder

RicardãoCarioca

20 de junho de 2012 às 14h58 Responder

    abolicionista

    20 de junho de 2012 às 15h25

    Acho que temos uma nova Marina.

Guilherme Mello

20 de junho de 2012 às 14h53

Tá certo, os fins valem os meios (… mas também tem aquele que diz que de boa intenção as profundezas estão cheias) Mas, tomando o mesmo raciocínio, aqueles que com pleno direito acreditam no projeto de direita devem pensar melhor sobre a parceria direita/cachoiera?

Responder

José Lucena

20 de junho de 2012 às 14h51

Erundina pode errar, Lula pode errar, quem não pode errar, novamente, é o eleitorado da Cidade de São Paulo.
Se o povo paulista (paulistano) errar, outra vez, é porque gosta do prato que come ha muito tempo, aí bom apetite.

Responder

    Luiz pepper

    20 de junho de 2012 às 15h20

    José, mas agora só resta transformar o aparente problema em solução para as dificuldades do Haddad. A imprensa canalha já fez uma parte do trabalho destacando o nome do Haddad. Só faltou a Globo colocar no JN, como disse o PHA, mas ela já não está com toda esta bola. Onde vamos disputar votos, nas áreas mais pobres e médias o povo vê a Record e o SBT, que deram amplo destaque. Como a eleição ainda faltam 3 meses para a eleição, dá tempo de encontrar outro bom vice, o Lula por exemplo, e seguir em frente. Dá para reverter e talvez ganhar pois só a nossa classe mérdia-alta, e a elite, quer o Serra.

vitor rocha

20 de junho de 2012 às 14h44

hummmmm….alguem pode me explicar quem colocou os atuais senhores no poder: Collor, Renan, Alckmim, Maluf, Sarney e cia???? Como é que Lula está traindo o povo????

Responder

Armando do Prado

20 de junho de 2012 às 14h44

Erro político. Imperdoável para alguém com sua experiência. Agiu como adolescente que ‘não brinca mais’. Lamentável. A mídia canalha agradece.

Responder

José de Arimatéa dos Santos

20 de junho de 2012 às 14h39

Acredito que Erundina fez o certo. Para mim é um tapa na cara de quem é ético. Uma alinça tão esdrúxula com o malufismo soa muito mal. O PT se apequena mais uma vez, infelizmente.
“Os fins justificam os meios”?

Responder

    abolicionista

    20 de junho de 2012 às 14h52

    Interessante. Responda sinceramente, por favor: Você é ético?

Razumikhin

20 de junho de 2012 às 14h38

Lula tem cometido nesses últimos tempos erros políticos graves. Relembrando: a conversa com o ministro Gilmar Mendes, em que supostamente teria chantageado o STF; a entrevista no programa do Ratinho, onde afirmou que não irá permitir que o PSDB ganhe novamente em São Paulo; e, por último, a aliança realizada – e a foto que escandaliza – com Paulo Salim Maluf, procurado pela Interpol.
O exemplo e a mensagem clara que Lula deu por meio desses episódio a todos os brasileiros, seus eleitores ou não, é que a política que pratica é torpe e os políticos do PT não têm palavra; vale tudo para se chegar ou se manter no poder.
A continuar dessa maneira, só um milagre salvará a candidatura de do ex-ministro da educação Fernando Haddad à prefeitura de São Paulo do fracasso retumbante.
Lula parece bem distante daquele animal político perigoso que foi antes de adoencer.

Responder

Helder

20 de junho de 2012 às 14h37

Não tenho os bastidores, mas algo me diz, a la Zé Dirceu, que houve uma clara tentativa de golpe. Sabendo que Erundina jamais aceitaria Maluf em uma aliança, anteciparam o anúncio de Erundina como vice (poderia e deveria ter sido feito depois da aliança com Maluf, não?) porque assim ele ficaria numa tremenda saia justa depois de confirmado o apoio de Maluf a Haddad. Imaginavam que ela não teria saída, e teria de engolir o PP. E assim foi feito. O que não imaginaram foi a postura ética da qual ela jamais abriu mão em sua vida política. O estrategista 0 leia-se marketeiro – errou feio. Venceu a ética contra a imoralidade. Tubo bem que está 1.000.000 a 1 a favor da imoralidade. Mas esse “um” é motivo de comemoração. Por fim, Nassif, quanto a ela ter anunciado na Veja e no O Globo, foram eles que a procuraram e não o contrário. Ela simplesmente atendeu à reportagem. Agora, exigir que ela anunciasse sua renúncia no “Conversa Afiada” seria demais, né?

Responder

    JOSÉ CAROLI

    20 de junho de 2012 às 16h05

    Na conclusão foi dada uma senha. É preciso ter uma lei
    regulando os meios de comunicação, se não ficamos ape-
    nas com as cinco ou seis famílias engambelando todos
    nós.
    O Conversa Aviada é melhor que todos esses.

MárciaX

20 de junho de 2012 às 14h37

Desculpe discordar, mas Erundina acertou exatamente porque pensou nas bandeiras políticas e causas coletivas que defende e representa, que estão em completo desacordo com as bandeira e causas (?) de Maluf. Água e vinho não se misturam.

Responder

Alexandre Carlos Aguiar

20 de junho de 2012 às 14h35

Cadê o Lula? Este que saiu do tratamento, definitivamente, não é.
Porque esse que está aí é capaz de fazer acordo até com Çerra e FHC, em nome de um projeto de governo.
Erondina está certa. Um pouquinho de revisão dos atos e atitudes em nome de votos e de minutinhos a mais numa campanha não fazem mal a ninguém.

Responder

Tatiana

20 de junho de 2012 às 14h34

desculpa, nassif, mas vc está deturpando os fatos e defendendo o indefensável. só tenho uma coisa a dizer: boa sorte com a idealizada “classe c”. e torça pra nenhuma crise atingir o bolso dessa, porque, se depender de voto por amor ao partido que, a meu ver, não defende mais a pluralidade, a igualdade social, a voz dos que não têm voz, não terá. quem pensa só como bolso, voto só com o bolso.

Responder

Lu Busis

20 de junho de 2012 às 14h32

A Erundina vai perder muito com essa atitude impensada e infeliz. Vai perder a oportunidade de reiniciar um trabalho de significativo cunho social, que é a sua bandeira de vida. Vai perder a oportunidade de ajudar o Haddadq a dar um “Up” na prefeitura de São Paulo, que há anos se encontra nas mãos dos descomprometidos com os problemas da capital e, vai perder, também, porque dificilmente terá outra oportunidade como essa de trabalhar, defender sua bandeira política e dar ao seu partido a força do cargo de um vice-prefeito, em uma cidade como a capital de São Paulo.
Que venha alguém interessado e somar forças e não tenha medo de uma simples fotografia.

Responder

Marcelo de Matos

20 de junho de 2012 às 14h04

Em “A escolha de Sofia”, filme estadunidense de 1982, a personagem título, uma mãe polonesa presa em um campo de concentração, é forçada por um soldado nazista a escolher um de seus dois filhos para ser morto. A escolha de Erundina não se revestia de tal gravidade, mas, foi igualmente marcada por voltas e contravoltas. A meu ver o que pesou na balança foi a indisposição da assistente social em trocar o planalto central pelo paulista. Aos 77 anos, já acostumada com a secura de Brasília, opôs-se a voltar à Paulicéia desvairada, terra das brumas, dos arrastões e da poluição. Perguntem a alguém nessa idade se é confortável estar mudando de clima e de atividades.

Responder

francisco niterói

20 de junho de 2012 às 13h55

As fotos que mais me chocaram ultimamente foram as de PINHEIRINHO?

Mas nao devem ter chocado a erundina visto que o partido dela continua apoiando o alckmin. Tal qual o PP do Maluf que, por sinal, parece que tem parte da área da habitaçao no governo do qual o ” socialista” PSB da Erundina faz parte.

Se a privatizaçao de leitos do SUS proposta pelo Alckmin estivesse em vigor, provavelmente haveria fotos da ” dupla porta” que me chocaria e talvez nao causasse repulsa à Erundina visto que o seu partido VOTOU INTEGRALMENTE POR ESTA PRIVATIZAÇAO.

São só fotos, escolhas, ela escolhe as delas e eu as minhas.

Acredito que moradores de Pinheirinho concordariam com a minha “escolha de fotos chocantes”.

Sao escolhas e opinioes e eu dou a minha: Hipocrisia, Egolatria, Vendetta.

Responder

    Aline C Pavia

    20 de junho de 2012 às 15h21

    Melhor comentário do post. Parabéns.

    Marcio wilk

    20 de junho de 2012 às 15h52

    Ótima lembrança, amigo! Aliás, os blog “progressistas”, alguns com seus donos com emprego e tempo disponivel na grande mídia, se esqueceram da “barbárie de Pinheirinho”, ninguém comenta ou faz uma visita aos despejados, onde e como eles estão? Mas Jornalismo é assim mesmo, vale só o que está em pauta HOJE.Por isso o “povo não tem memória”!

    Geysa Guimarães

    20 de junho de 2012 às 20h37

    Márcio, tira o Vi o Mundo de sua crítica aos blogs progressistas.
    A barbárie do Pinheirinho tem sido assunto diário aqui e manchete principal à exaustão. Até hoje cedo ainda era.
    Façamos justiça ao trabalho de Azenha e Conceição

Fábio Rezende

20 de junho de 2012 às 13h39

O inimigo hoje é outro, e Erundina não percebeu isso. Levou suas questões pessoais com Maluf mais a sério que a importância de se vencer o PSDB, principalmente o Serra, em São Paulo.
O inimigo agora é outro, até porque Maluf não representa mais perigo, e Erundina não teve sensibilidade para perceber isso e utilizar o outrora inimigo como instrumento político para tomar o poder do novo inimigo.

Responder

Elias

20 de junho de 2012 às 13h29

QUEM JÁ OUVIU ESSA MÚSICA E ENTENDEU ESSA LETRA SABE QUE LULA NÃO ERROU. E NAS SEMANAS VINDOURAS, OU LÁ PRA JULHO/AGOSTO, VAMOS VER HADDAD EMPATADO (SENÃO À FRENTE) DE SERRA

Toca de tatu, lingüiça e paio e boi zebu…Rabada com angu, rabo-de-saia…Naco de peru, lombo de porco com tutu…E bolo de fubá, barriga d’água…Há um diz que tem e no balaio tem também…Um som bordão bordando o som, dedão, violação

Diz um diz que viu e no balaio viu também…Um pega lá no toma-lá-dá-cá, do samba…Um caldo de feijão, um vatapá, e coração…Boca de siri, um namorado e um mexilhão…Água de benzê, linha de passe e chimarrão

Babaluaê, rabo de arraia e confusão…Eh, yeah, yeah . . .Cana e cafuné, fandango e cassulê…Sereno e pé no chão, bala, camdomblé…E o meu café, cadê? Não tem, vai pão com pão

Já era Tirolesa, o Garrincha, a Galeria…A Mayrink Veiga, o Vai-da-Valsa, e hoje em dia…Rola a bola, é sola, esfola, cola, é pau a pau…E lá vem Portela que nem Marquês de Pombal…Mal, isso assim vai mal, mas viva o carnaval…Lights e sarongs, bondes, louras, King-Kongs…Meu pirão primeiro é muita marmelada

Puxa saco, cata-resto, pato, jogo-de-cabresto…E a pedalada…Quebra outro nariz, na cara do juiz…Aí, e há quem faça uma cachorrada…E fique na banheira, ou jogue pra torcida…Feliz da vida

Toca de tatu, lingüiça e paio e boi zebu…Rabada com angu, rabo-de-saia…Naco de peru, lombo de porco com tutu…E bolo de fubá, barriga d’água…Há um diz que tem e no balaio tem também…Um som bordão bordando o som, dedão, violação…Diz um diz que viu e no balaio viu também…Um pega lá no toma-lá-dá-cá do samba (LINHA DE PASSE, de João Bosco, Aldir Blanc e Paulo Emílio)

Responder

Alexandro Rodrigues

20 de junho de 2012 às 13h25

Pronto Azenha, PHA, Nassif!

Mais uma que, como é que vocês falam mesmo, “faz o jogo da direita”!

Erundina já pode ser satanizada pelos blogueiros progressistas. Entra no seleto clube de inimigos do povo, traidores da esquerda (!), ao lado de Heloísa Helena, Marina Silva, Cristovam Buarque…

Todos os que ousam enfrentar Lula entram neste clube. Marta Suplicy está a caminho.

Enquanto isso? Enquanto isso os blogueiros progressistas (!) festejam a conversão dos seus novos companheiros: Collor, Sarney, Renan, Maluf…

A cada dia que passa, tenho mais nojo de ser eleitor no Brasil!

Responder

    Ca Nabbiz

    20 de junho de 2012 às 13h35

    Acho que vc não leu direito o texto, ou não conhece os blogueiros que vc ta falando, incluíndo o paulistófobo…

    Marcio g

    20 de junho de 2012 às 13h41

    Parabéns pelo comentário, em outro post aí criaram o novo dogma, a Infalibilidade Lulal, estão de brincadeira.

    carlos dias

    20 de junho de 2012 às 14h08

    Infalivel o lula não é.. Mas Erundina eu não quero na campanha!

    Voce deve ter esquecido quando o pt nao quis fazer parte do governo Itamar e isso foi votado pela maioria.. Ela não seguiu a orientacao do partido…. Gente assim nao serve…

    lulipe

    20 de junho de 2012 às 13h58

    Concordo plenamente com você Alexandre.Coitado daquele que ousa desafiar o “deus” lula, por mais certos e coerentes que sejam, não podem jamais desafiar o homem, ou será a divindade?,do “nunca antes na história deste país”.Ainda bem que existem pessoas que não se vendem, nem mudam seus princípios e convicções por um projeto de poder.

    Ricardo JC

    22 de junho de 2012 às 20h29

    Quem são essa pessoas, verdadeiras dividndades, como você classificou o Lula, que não se “vendem”? Serra, FHC, Ciro Gomes, Collor, Sarney, Erundina? Quem dentre os políticos brasileiros nunca se aliou a alguém de pensamento contrário para se eleger? Olha, não cabe aqui defender o Lula, até porque se uns o tratam como um deus, outros, como você, o tratam como o verdadeiro satã. E ele não é uma coisa nem outra. Tudo é uma questão do próprio jogo político. Você vem aqui e, reiteradamente, posta comentários contra o Lula e o PT, naturalmente porque acredita que as forças contrárias a ele são mais capazes de transformar o país (é uma dedução, pode não ser a verdade…). Está fazendo seu papel, de ator no jogo político, de tentar convencer as pessoas de que ele não é bom para o país. Aqueles que acreditam em Lula e no PT fazem exatamente o contrário e não deveriam ser criticados por isso. É tudo uma questão de como se olha a questão. Só para deixar claro. Eu acredito que o país está muito melhor do que há 12 anos atrás. Isto para mim é um fato. E não considero Lula um deus por causa disto. Quero mais mudanças. E não acredito que o PSDB-DEM-PPS sejam capazes de realizar estas mudanças…já demonstraram, por longo período de tempo, em minha opinião, que não são capazes.

Paulo

20 de junho de 2012 às 13h24

Nassif ERROU ao criticar os motivos MORAIS pelos quais Luiza Erundina tem o direito de não marchar com Maluf. Extraopolou Nassif, pois Luiza Erundina tem direito a ter vontades e, sobretudo VERGONHA na cara, essa coisa antiga que muita gente hoje em dia desrespeita.

Responder

    abolicionista

    20 de junho de 2012 às 13h36

    Olha aí, tá vendo como esse argumento moralista é conservador? Daqui a pouco vão propor uma marcha da família… que resgate os valores da tradicional família paulistana. E o que é pior: o PSOL vai participar!

    Renan

    20 de junho de 2012 às 14h23

    Ter vergonha na cara, fidelidade ideológica, defender os seus ideais é ser conservador? A cada dia que passa me surpreendo mais com os petistas que não conseguem enxergar que é o PT que está desbarrancando pro lado da direita.

    Erundina, Heloisa Helena e todo o resto que abandonou o PT seguem firmes na sua luta pelos movimentos sociais, enquanto os petistas preferem perdem tempo caçando argumentos para defender seus mensaleiros e as idiotices de LULA e toda a sua corja.

    Tenho orgulho de dizer que sou de esquerda e sorte por poder enxergar o caminho que o PT está trilhando para o nosso país.

    Tem que ser muito cego ou estar usando algum cabresto ideológico para não enxergar isso.

    Todo tipo de paixão é maléfico, principalmente a paixão política que cega, mata, ou pior, emburrece.

    Meu e-mail é [email protected] Quem quiser pode vir discutir comigo. Adoro compartilhar ideias e aprender com as outras pessoas. E estou disposto a mudar de opiniçao, afinal, não nasci quadrado.

    abolicionista

    20 de junho de 2012 às 15h27

    Renan, assista à entrevista do Stédile aqui no viomundo. É a liderança do maior movimento social do mundo e fecha com o PT. Será por ingenuidade? Assista à entrevista…

    José Lucena

    20 de junho de 2012 às 18h21

    Transformar A, B ou C em judas é coisa de quem procura desculpas ou justificaativas para possiveis derrotas.
    Verdade verdadeira é que o eleitorado paulista e paulistano vem errando na escolha dos seus governantes (já faz bom tempo). Passada as eleições, jogam a culpa nos migrantes, no PIG, esquecem que não trabalharam como deveriam.
    Ora! O PIG tá na deles, trabalhando para manter suas boquinhas, venderem suas assinaturas, garantindo suas edições. Temos que correr mesmo é atras de votos.
    Temos que desmanchar o que o PIG propaga.
    Ficar procurando erro em A ou de B é fazer o jogo dos sacanas.

abolicionista

20 de junho de 2012 às 13h23

Parabéns, Nassif! Fez incidir luz sobre esse debate obscurantista. Mais pensamento político e menos indignação moral, que, cá entre nós, é coisa de burguês. Como dizia Brecht: “primeiro vem a forragem, depois vem a moral”.

Responder

Alexandre

20 de junho de 2012 às 13h21

Quem errou e vem errando é lula, é o PT. Erundina esta certissima, e tão pouco se vê Haddad falar com os movimentos sociais, de ser aquele petista, tal como Marta, que vai à, as origens. A foto não é simbologia coisa nenhuma, é entrega de cargo ao aliado a Maluf pelo governo federal, são os crimes contra a cidade de SP. Erundina esta certissima.

Essa história de perseguição da imprensa esta fazendo os progressistas um panfleto petista, que vem defendendo as loucuras de lula, inclusive agindo como ele, pois quem tem opinião contraria é execrado mesmo tendo participado juntos de várias lutas.
Quem abriu mão dos movimentos sociais foi lula ao impedir as prévias, a ignorar a militância. O PT esta fazendo como a igreja que tinha em suas bases nos anos 80 junto com o PT uma grande força. Aquela base de movimentos sociais morreu com o surgimento da direita nas igrejas,e o PT ao rejeitar sua militância esta fazendo a mesma coisa, escanteando todos.

Ela não fortaleceu Serra, estava claro que esta eleição era Marta x Serra a hora da verdade, eram as nossas conquistas lá se vão quase 12 anos e tudo que a cidade tem de “novo” é fruto do governo martista.

EStão fazendo com a Erundina agora o que fizeram com a Marta ao contrariar lula, desqualificam, humilham, menosprezam e isso vcs estão fazendo como se fosse oposição. É fácil dizer que quem é contra esta ajudando Serra, a direita etc. Mas vocÊs já repararam que suas criticas são tão severas quantos a direita faz da oposição? BAsta olhar o que disseram os progressistas de Marta e agora Erundina.

Responder

Fabio Passos

20 de junho de 2012 às 13h20

Nassif e Bob Fernandes estão certos: Erundina, Lula e Haddad erraram.

Uma mancada histórica da esquerda.

Quem perdeu mesmo foi São Paulo:

1) Enfraquece a candidatura Haddad. O risco serra aumenta. A eleição do candidato do PIG é uma desgraça para SP.
2) Luiza Erundina trabalhando na prefeitura de São Paulo seria ótimo.

Responder

Tiago

20 de junho de 2012 às 13h20

Com todo o respeito à opinião do Nassif, que certamente entende muito mais de tais assuntos do que eu,

Mas na minha opinião de eleitor petista, errou o PT.

Errou porque aceitou se aliar ao retrocesso.
Errou porque jogou sua própria história, de luta pela ética na política, no lixo.
Errou porque faz qualquer coisa pelo poder.
Errou porque procura se beneficiar do jogo político brasileiro, cujos efeitos são nefastos para o povo que o PT alega defender.
Errou porque transformou seu projeto para o país por um projeto de poder pelo poder.

E em termos eleitorais, a meu ver,
Errou por trazer à aliança um homem com fortíssima rejeição.
Errou por trazer um símbolo do passado a uma candidatura que prega o “novo”.

E Erundina, a meu ver,
Acertou por manter seus princípios.
Acertou por não ter vendido sua história em troca de minutos de televisão.
Acertou por ter bandeiras histórias e movimentos sociais a defender, e tais objetivos, apesar do PT achar o contrário, não podem compactuar com tal aliança.
Acertou por não ter pensado em si apenas, como diz o Nassif, mas na minha opinião, ter pensado também em todos que um dia confiaram nela através do voto.

Acredito no projeto coletivo do PT, mas também acredito que nenhum projeto coletivo pode ser maior ou mais importante do que as coisas em que profundamente acreditamos.

Obrigado.

Responder

    Jotace

    20 de junho de 2012 às 15h50

    Caro Tiago,

    Belíssimo seu comentário. Estou decididamente com os seus pontos de vista que enaltecem um projeto no qual sempre temos acreditado e pela continuidade do qual vale lutar. Erundina agiu corretamente. Leio, sempre que posso, os artigos de Nassif com seus comentários argutos e conclusões que dizem muito de suas qualidades de grande jornalista. Mas, desta vez, apesar do seu “carinho histórico” pela Erundina, ele tomou o bonde errado no caminho da História. Pois não há como se aceitar o acordo com Maluf feito por Lula, e a insistência em proclamar o fato com atitudes (ainda que disfarçadas) de desprezo por um grande ícone de moral, de honestidade e ética, que é a Erundina. Não podem continuar Lula e os que seguem mais de perto, na busca pelo poder (ou pela manutenção dele) a qualquer preço acoitando delinquentes e lhes atribuindo cargos da maior importância como foi acordado com Maluf. Nem continuando na política de desprezo por todos aqueles que lhes confiaram o voto, com as práticas que desenvolvem de privataria, dos desmanches e das outorgas de grandes financiamentos do BNDS, do dinheiro do povo, para empresas sabidamente ladras. Ações como essas aluem o grande projeto do PT! Jotace

João Vargas

20 de junho de 2012 às 13h14

Eu acho que quem errou mais foi o Lula e o Haddad em não conversar com a Erundina antes de tomarem a decisão de aceitar o apoio de Maluf. Erro que pode custar a eleição.

Responder

    Roberto Locatelli

    20 de junho de 2012 às 15h25

    Exatamente, João Vargas. Faltou diálogo. Se o Lula vai conversar até com Nelson JohnBin e Gilmar Dantas, por que não conversar com Erundina antes de fechar aliança com o malufismo? Detalhe: PP nacional é uma coisa e malufismo é outra.

    Faltou conversar com Marta antes de Lula usar de sua autoridade para impor o nome de Haddad.

    Faltou conversar com a militância antes de se aliar ao malufismo e tirar aquela foto icônica com Maluf.

    Da parte da Erundina, faltou conversar com o PT. Ao invés disso, ela foi conversar com a Globo, Veja, Folha, etc.

    Falta democracia interna nos partidos.

    Sou fã incondicional da norma partidária leninista: 1) total liberdade de discussão interna e 2) total unidade de ação externa. Quando um dos dois itens falha, o outro tende a falhar também.

    abolicionista

    20 de junho de 2012 às 15h48

    Faltou diálogo, concordo. Ou a Erundina usou o escândalo para se promover, o que também é uma possibilidade. Ou não?

    Ramalho

    20 de junho de 2012 às 18h55

    Meu caro,

    Mais uma vez, discordo de você, perdoe-me. Erundina, de acordo com o artigo, sabia das tratativas com Maluf, cujo partido, aliás, faz parte da coligação governamental no plano federal. Releia o texto, por favor, para confirmar. Além disto, foi por meio de coligações que o PT chegou ao poder; não fossem elas, o PT estaria perdendo eleição até hoje, como, aliás, alerta Nassif no artigo. A coligação com o partido de Maluf é politicamente ótima? Claro que não, mas necessária. Foi boa, pois Maluf tem eleitores em Sampa que seguem suas indicações, e, como se diz, “o ótimo é inimigo do bom”. Vale lembrar, também, não obstante a orígem espúria do pensamento (Golbery), “fora do poder não há salvação”.

    Abraço.

    Geysa Guimarães

    21 de junho de 2012 às 01h22

    João Vargas:
    Segundo a agência Estado, Erundina sabia sim, da aliança com Maluf.
    O motivo de seu recuo foi que Lula não compareceu à sagração dela como vice, na sexta-feira, e na segunda prestigiou Maluf indo à casa dele.

Manoel R.Mello Jr

20 de junho de 2012 às 13h13

Concordo com Nassif e com Mello:

TERÇA-FEIRA, 19 DE JUNHO DE 2012

Lembro aos defensores da atitude de Erundina como ética que isto implica em afirmar que Lula é aético

Não há meio termo nem espaço para tergiversação. O presidente Lula, que saiu do governo como o presidente mais popular da história do Brasil e elegeu “um poste”, como a presidenta Dilma era considerada pela mídia serrista, poderia estar em casa ou dando palestra e recebendo fortunas pelo mundo, mas colocou a mão na m… massa e resolveu apostar na candidatura de Fernando Haddad, para que São Paulo se juntasse ao projeto vitorioso do Brasil.

Para tanto, Lula julgou que seria importante a presença do PSB na campanha. E julgou também que seria importante a presença do PP de Paulo Maluf, como antes julgara a do PSD de Kassab. O objetivo era (e é) trazer a experiência vitoriosa do governo federal para a prefeitura de São Paulo.

Quando a deputada Erundina assumiu o compromisso de ser vice na chapa de Haddad, conforme acordo com seu partido, já sabia das negociações anteriores com Kassab e de outra em curso com o PP de Maluf. E não se opunha a ela, como fica claro neste trecho de uma entrevista que ela deu ao Estadão em 16 de junho (há três dias) e que reproduzo a seguir [destaque em negrito é meu]:

Estado: A sra. combateu o deputado Paulo Maluf durante parte muito importante de sua carreira política. Que avaliação a sra. faz da entrada dele na campanha?
Luiza Erundina: Foi uma decisão dos partidos que não passou nem passaria por mim. Provavelmente teria dificuldade de aceitar essa decisão. Meu partido deve ter sido consultado sobre isso. As responsabilidades de alianças são da direção nacional.

Estado: Tivesse sido consultada, diria ‘não’?
Luiza Erundina: Faria minhas ponderações. Não vou estar confortável no mesmo palanque com o Maluf. Com certeza não. Até acho que ele nem vai enfrentar a reação da massa, que é o nosso povo, com quem a gente vai ganhar as eleições e governar a cidade. Com esse povo a gente consegue manter a coerência.

Estado: A sra. foi surpreendida pelo apoio?
Luiza Erundina: Fui, quando o jornalista me mostrou uma mensagem eletrônica. Agora eu entendo o pragmatismo de ter uns minutos a mais numa disputa acirrada, esses minutos, segundos, devem fazer diferença. Agora não sei se o custo político compensa a vantagem do tempo de televisão. Mas acho que a campanha não sou eu e nem Maluf individualmente. É um processo muito mais amplo, complexo, plural. Isso se dilui, a meu ver. Claro que não é confortável. Pra mim não será confortável estar no mesmo palanque com o Maluf. Não que eu tenha nada contra a pessoa dele. Inclusive a gente convive no Congresso numa boa. Ele sabe o que eu penso, eu sei o que ele pensa. A gente convive no mesmo espaço e tem que saber distinguir a pessoa daquilo que ela pensa e faz na política.

Portanto, Erundina sabia da possibilidade de Maluf na campanha e, se confessava que lhe era desconfortável, aceitava a decisão da direção nacional de seu partido e da campanha.

Mas, a tal foto de Maluf com Lula e Haddad, mais o violento ataque vindo da mídia serrista e até de vários simpatizantes e militantes do PT ou do governo mudaram a decisão de Erundina, que, segundo o presidente do PSB, teria desistido da candidatura.

Está sendo elogiadíssima pela mídia serrista, por outros partidos de oposição ao governo e até por militantes que odeiam o Maluf e apoiam a “decisão ética” da deputada. Imaginem José Serra, então…

Pergunto: Se ela já sabia da possibilidade da aliança e concordava com ela, por que mudou de ideia? Por que colocou sua imagem pessoal à frente de um projeto político com o qual ela dizia concordar?

Pergunto também aos militantes, aos petistas e admiradores do presidente Lula que enaltecem a posição de Erundina:

– É certo lançar o presidente Lula às feras, colocá-lo como antiético ou aético, em oposição a uma ética Erundina?

Eu não acho.

Responder

    Roberto Locatelli

    20 de junho de 2012 às 15h26

    Olha, Mello, Lula não está acima de críticas. Ele é humano e erra. E quando erra, deve ser criticado, sim.

    Ramalho

    20 de junho de 2012 às 18h35

    Caríssimo,

    Quem errou não foi Lula, porém Erundina, que, igualmente, não está acima das críticas.

    Abraço.

    laura

    20 de junho de 2012 às 23h38

    Lula pode ser criticado, sim. Em casa- no comite de campanha. Mas na midia de oposição, fazendo este estardalhaço todo? Sinto muito, Erundina agiu com o fígado ; não merece mais para mim o título de política. Não esteve a altura de sua missão nesta candidatura e campanha. Para mim acabou. O pior é que atrapalhou senão acabou com a campanha de Haddad e jogou em Lula o ventilador que atirou a m … para todo lado. O fim da picada.

    Carlos

    20 de junho de 2012 às 15h28

    Perfeito.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.