VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Política

Mauricio Dias: Aécio e Campos disputam espaço onde só cabe um


24/05/2013 - 13h20


Aécio vs. Eduardo Campos

por Mauricio Dias, em CartaCapital, encaminhado via e-mail pelo Julio Cesar Macedo Amorim

Dilma Rousseff, candidata à reeleição, segue à frente das duas opções presidenciáveis, prováveis, da oposição: o tucano Aécio Neves e Eduardo Campos, presidente do PSB.

À margem da candidatura petista, no entanto, já existem marcas da competição travada entre o senador do PSDB e o governador pernambucano. Eles disputam o espaço onde só cabe um.

Isso é fator de formação de atrito e, certamente, gerador de canibalismo. Fato inevitável quando dois candidatos buscam o mesmo eleitor.

Aécio Neves ainda tem mais chances. Representa Minas Gerais, o segundo maior colégio eleitoral do país, com mais de 15 milhões de votos. Além disso, já é conhecido por quase 50% do eleitorado brasileiro.

Eleito presidente nacional do PSDB, Aécio tentará se aproximar das classes mais pobres da população. É o que explica, por exemplo, a presença dele no program de televisão do partido, na terça-feira, 21, sem gravata e, às vezes, sem o paletó.

Terá também encontro com os espectadores do Programa do Ratinho, apreciado pelas camadas C e D da pirâmide social, onde os tucanos têm poucos votos.

Eleitoralmente, os mineiros têm dificuldade em conquistar os paulistas. Na eleição de 1954, Juscelino Kubitschek obteve 250 mil votos em números redondos. O principal adversário dele, Juarez Távora, passou dos 600 mil e Adhemar de Barros chegou a quase 900 mil.

JK só superou Plínio Salgado, que alcançou 160 mil votos. Já então não se mistura ao café (paulista) o leite (mineiro), comum a Velha República.

Eduardo Campos também terá dificuldades para arrancar porcentual expressivo dos mais de 30 milhões de eleitores registrados em São Paulo. Um grande número dele de nordestinos como, por exemplo, o pernambucano Lula.

Se Campos confirmar a candidatura, dará um primeiro passo para quebrar uma tradição avoenga. O pernambucano Miguel Arraes, de prestígio político nacional, nunca conseguiu cruzar as fronteiras do estado. Uma das razões: tinha marcada posição de esquerda na década mais quente da “guerra fria”.

Talvez por isso, embora tripulando uma sigla (PSB), registrada como socialista, faz uma inflexão para o centro. Ele tenta, assim, abrir passagem para eleitores mais conservadores.

Mas borra a imagem do partido. Nesse item, empata em dificuldades com Aécio Neves, que, ao contrário do que se espalha, não uniu os tucanos. Uniu? Pergunte ao Serra.

“A candidatura de Eduardo Campos é irreversível”, afirma o vice-presidente do PSB, Roberto Amaral.

Mas é preciso esperar a oficialização.

Campos pode construir a candidatura dele e desconstruir o partido que preside.

Há figuras influentes no PSB contrárias ao rompimento com a candidatura Dilma. Pelo menos quatro dos seis governadores do PSB reagem a isso. Cid Gomes (CE), Casagrande (ES), Capibaribe (AP) e Ricardo Coutinho (PB).

Frase: “Sendo ele o candidato, será um excelente nome”. Do senador tucano, serrista, Aloysio Nunes, testando os nervos de aço do tucano mineiro Aécio Neves, postulante a presidente.

A indicação do constitucionalista Luís Roberto Barroso para o STF resgata a dívida de Lula com o jurista e historiador Raymundo Faoro (1925-2003). Faoro, em 2003, recomendou a Lula o nome de Barroso para uma das três vagas abertas no STF. A escolha foi por Ayres Britto, Joaquim Barbosa e Cezar Peluso. Faoro morreu antes. Consta que Lula se arrepende. A carta, encaminhada pelo ministro Sepúlveda Pertence ao presidente Lula, foi engavetada.

Leia também:

Marcos Coimbra: A “síndrome de Collor”, engano recorrente



Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

O lado sujo do futebol: Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - O lado sujo do futebol e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


20 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

DARCY BRASIL RODRIGUES DA SILVA

25 de maio de 2013 às 09h25

Como o articulista dispõe de uma informação que eu desconheço, deliberei não remeter o meu comentário ( que talvez pelo menos uma pessoa lesse). Refiro-me à duvidosa afirmação atribuída ao vice-presidente do PSB , Roberto Amaral, de que a candidatura de Eduardo Campos seria “irreversível”. Se o articulista baseou-se em informação de terceiros postadas na mídia corporativa, deveria , a meu ver, duvidar. Roberto Amaral tem sido , em depoimentos assinados por ele que li, o mais enfático negador da pretensão do PSB em lançar candidatura própria em 2014 para presidência da república. Onde foi que ele disse publicamente ou a uma fonte confiável que “a candidatura de Eduardo Campos é irreversível”?

Responder

Jose Mario HRP

25 de maio de 2013 às 08h53

A frauda está vencida.
A aliança também?

Responder

    Jose Mario HRP

    25 de maio de 2013 às 08h55

    Frauda mesmo, de fraudar , de sacanear com o povo!

Edgar Rocha

24 de maio de 2013 às 23h19

AZENHA DO CÉU!!!!Criaturas de esquerda, de direita e do centro!!!! Alguém pode me explicar direito com detalhes esta história de fundação do PARTIDO MILITAR DO BRASIL (PMB – veja o link http://www.partidomilitar.com.br/?p=880 ) em que o tal pretende convidar pra candidato à presidência o Joaquim Barbosa????? Partido fundado no Rio de Janeiro, tendo como liderança e mentores políticos PMs de São Paulo??? O que é isto? É uma piada? É terrorismo? É um pesadelo? Posso estar assustado, mas isto é com razão! O que está acontecendo? Fazem ideia da importância disto e dos desdobramentos? entrem no site e vejam a pauta e os links que eles apoiam.

Responder

    Roberto Locatelli

    25 de maio de 2013 às 09h08

    Edgar, há grande probabilidade de J Batman ser candidato á presidência, não necessariamente pelo partido militar. Outra possibilidade é ele ser vice de Marina Itaú ou do Menino do Rio.

    willian

    25 de maio de 2013 às 14h47

    Só os inimigos de Joaquim Barbosa acreditam nisto.

assalariado.

24 de maio de 2013 às 19h27

Esta música é de Raul Seixas feita em (1973?), de forma que os ditadores de plantão, não percebessem o sentido critico/ politico desta letra. Foi censurado pelo PIG e pela ditadura do capital, travestidos de fardas.

Hoje, como ontem, os donos do capital, dirigem a cidade de thor (Estado)de forma cínica/ camuflada, travestidos de ‘Estado de Direito’. Percebam o sentido critico da letra, o buraco é mais embaixo. É a (HEGEMONIA), estúpidos!!

Nome da música: (AS AVENTURAS DE RAUL SEIXAS NA CIDADE DE THOR)

Tá rebocado, meu compadre
Como os danos do mundo piraram
Eles já são carrascos e vítimas
Do próprio mecanismo que criaram

O monstro sist é “retado”
E tá doido pra transar comigo
E sempre que você dorme de touca
Ele fatura em cima do inimigo

A arapuca está armada
E não adianta de fora protestar
Quando se quer entrar num buraco de rato
De rato você tem que transar

Buliram muito com o planeta
E o planeta como um cachorro, eu vejo
Se ele já não aguenta mais as pulgas
Se livra delas num sacolejo

Hoje a gente já nem sabe
De que lado estão certos cabeludos
Tipos estereotipados
Se é da direita ou da traseira
Num se sabe lá mais que lado

Eu que sou vivo pra cachorro
No que tô longe, eu tô perto
E se eu não tiver com Deus, meu filho
Eu tô sempre aqui com o lho aberto

A civilização se tornou tão complicada
Que ficou tão frágil como um computador
Que se uma criança descobrir o calcanhar de Aquiles
Como um só um palito pára o motor

Tem gente que passa a vida inteira
travando a inútil luta com os galhos
Sem saber que é lá no tronco
Que tá o coringa do baralho

Quando eu compus, fiz “Ouro de Tolo”
Uns imbecis me chamaram de profeta do apocalipse
Mas eles só vão entender o que eu falei
No esperado dia do eclipse

Acredite que eu não tenho nada a ver
Com a “linha evolutiva da música popular brasileira”
A única linha que eu conheço
É a linha de empinar uma bandeira

Eu já passei por todas as religiões
Filosofias, políticas e lutas
Aos onze anos de idade
Eu já desconfiava da verdade absoluta

Raul Seixas e Raulzito
Sempre foram o mesmo homem
Mas pra aprender o jogo dos ratos
Transou com Deus e com o lobisomem

Aqui está o endereço do vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=izBUsaO5H4g

Abraços.

Responder

Fabio Passos

24 de maio de 2013 às 19h19

Neste caso o neto de Arraes tem vantagem sobre o neto de tancredo.

O neto de Arraes nao precisa carregar o defunto fhc… rs

Responder

assalariado.

24 de maio de 2013 às 18h44

Tudo bem, que o assunto do post é candidaturas para o executivo federal. No estágio em que estamos, será que este é o principal espaço/ centro politico da luta de classes no Brasil, que vai determinar os rumos da politica econômica e politica nacional? Seja em que nível de estado for, municipal, estadual e federal. O viés ideológico do executivo é importante porém, na maioria da vezes é o (LEGISLATIVO), que tem peso decisivo e acabam manipulando as leis e os interesses em disputa, na hora dos avanços e/ou, recuos nessa luta entre os desiguais.

Mas, tem um detalhe politico tático/ estratégico nessa luta entre os exploradores e os explorados, que sempre passa despercebido pelas ditas esquerdas, desde de sempre, na vida do ‘Estado Republicano’. É o chamado tripé do poder (executivo, legislativo e judiciário), tudo passa por aí, e o executivo é o primeiro levar bordoada e o último a ter razão porque pela lógica da ‘democracia burguesa’, o primeiro a dançar é o executivo, principalmente se as elites do capital não tiverem votos. Ninguém governa na base da canetada, é isso que tem que ficar bem claro para as próximas disputa eleitorais. Embora, como sempre nos alerta o camarada Locatelli e, não devemos menosprezar. Cuidado com o golpe de Estado!

Estou falando que (MAIS IMPORTANTE) do que eleger um gerente da vez é, elegermos uma câmara federal, um senado, uma assembleia legislativa com maioria de esquerda. Isso se chama, construir nossa (HEGEMONIA) para desconstruir a hegemonia da classe burguesa parasita e seus soldados, encastelados e dissimulados, dentro do seu cavalo de troia, também conhecido com ‘Estado de Direito’.

Não adianta ficar pegando atalhos do poder pelo poder, em detrimento do afastamento do povo da luta politica e da disputa pelo Estado. Essa tática furada, já dura quase 100 anos no Brasil Republica e, isso sempre saiu e continua saindo muito caro, a nível de vidas e a nível ideológico, para as ditas esquerdas. Tudo isso acontece porque os partidos das esquerdas estão aburguesados, não vazam da classe média oportunista, para as bases da sociedade, e pior, tem medo da periferia, por isso, não faz trabalho nas portas de fabricas/ escritórios e tals. Temos que tratar o povo assalariado e a sociedade como aliados, em um processo de transformação real, e não eventual.

Abraços (HEGEMONICOS). Rumo a (HEGEMONIA) necessária.

Responder

Urbano

24 de maio de 2013 às 18h14

Sim, mas pela pujança política de que são detentores, juntando-se os dois não se chega nem a metade de um.

Responder

Marcelo de Matos

24 de maio de 2013 às 18h06

Só há espaço para Campos ou Aécio, mas, e se pensarmos na união dos dois – Campos e Aécio? Aí, qual seria o vice? Isso é de menos – podem até resolver no cara ou coroa. É uma maneira de ir aglutinando forças. Já teriam o PSDB, o PSB e a Mobilização Democrática, do Roberto Freire. Por que não juntar, também, a Rede, da Marina Silva, e alguns nanicos? Por que não o PSOL? Há vários pontos de encontro entre o PSOL e a oposição. Volta e meia eles ocupam a mesma trincheira. Hoje mesmo foi noticiado que há entendimentos entre FHC e o PSOL sobre a tributação das grandes fortunas. FHC, em seu tempo de senador, elaborou projeto de lei sobre o tema. É só espanar o pó e pedir a chancela dos psolistas.

Responder

Dias: Aécio e Eduardo lutam pelo mesmo espaço | Conversa Afiada

24 de maio de 2013 às 17h28

[…] O Conversa Afiada publica abertura da imperdível “Rosa dos Ventos” de Mauricio Dias, na Carta, via Viomundo: […]

Responder

O DOUTRINADOR

24 de maio de 2013 às 16h48

Os dois avós estão debruços nos seus respectivos caixões!!! O TRAÍRÃO (dizem que é filho do Chico Buarque, acredito que não! quem tem um acervo igual ao Chico, não faria uma M…… dessa) o outro só digo o seguinte PÓ, pará SENADOR!!!!!!!!!

Responder

Jorge

24 de maio de 2013 às 16h43

Para o PSDB, ainda faltava descumprir as leis da física: “dois corpos não podem ocupar o mesmo espaço ao mesmo tempo”.

Agora não falta mais…

Responder

augusto2

24 de maio de 2013 às 16h42

será o seguinte:
. Aecim no final vai para Governador de MG (De cara tem wiiquiend em ipanema garantido, porque a Andrea ja sabe tomar conta)
.Eduardao negaceia, briga com o partido e na ultima hora diz q é home só de primeiro turno
.MARina silva, pede mais $$ e se a Natura acreditar nela, dá uns 16%
.JSerra com muita dificuldade se viabiliza a senador por SP.
.Fidelis grita, se esgoela mas o aluguel.. tá garantido.
.M. Perillo será reeleito em GO. Nomeará Charlie Waterfalls seu Secretario da Fazenda. Isso já garante o ICMS do 1º ao 5º.
.Francisco bergoglio é convidado por dilma, mas diz que nao tem terno para posse.

Responder

Rogério Ferraz Alencar

24 de maio de 2013 às 16h40

Uma correção: Miguel Arraes não era pernambucano, mas cearense, do Crato.

Responder

Julio Silveira

24 de maio de 2013 às 15h36

A não ser que ocorra alguma hecatombe a Dilma ganha tranquilo. Na defesa da centro direita ela não tem concorrente, por que tem o poder e consegue por isso dar aos nossos patriotas da elite o que eles mais gostam que é grana. Ao mesmo tempo consegue massagear o ego de uma turma esquerdiiisssta, até não poder mais, que se gostam de discusos ideologicos e alguns empregos a base de CC. Mérito do presidente Lula que soube como ninguem retirar, com a pratica politica e administrativa, os discurso que a direita usava para se fazer passar por povão. Ela pode até não estar fazendo muito diferente, mas, pelo menos, foi abençoada por ele e hoje apesar dele ser povão virtual pelo menos já foi povão um dia.

Responder

Filipe

24 de maio de 2013 às 13h38

Por quê não querem que Eduardo Campos seja candidato? Ele tira mais votos de Aécio que Dilma…

Eu pretendo votar no PT (pelo menos nos cargos legislativos), mas se o PT violar sua democracia interna. Ex: proibir Lindberg de ser candidato para beneficiar Pezão/Sérgio Cabral, meu voto de presidente vai para Eduardo Campos.

Responder

    J Tavannes

    24 de maio de 2013 às 19h11

    Filipe, o Rio sofre hj a fúria da mídia, exatamente por Sérgio Cabral e Eduardo Paes não conjugarem da cartilha do imprensalão golpista=PIG. Ambos são unha e carne com o PT de Lula e Dilma, que é o que gera a ira. Portanto, não é proibir, apenas o PT está colocando as coligações como prioridade para não colocar a eleição de Dilma em risco. Acho isso maturidade política. De nada adiantaria ganhar em determinado estado e perder o governo central. Seria jogar tudo o que foi feito no “buraco negro” do PSDB/DEM/PIG.

    Filipe

    25 de maio de 2013 às 13h20

    Nada disso, o PT precisa fazer menos coligações para ter um crescimento expressivo na Câmara e no Senado.

    Aqui nesse blog não vivem reclamando que no governo tem muito conservador? Por causa da base aliada…

    Então é necessário depender cada vez menos de gente como Eduardo Cunha (que pertence ao PMDB carioca).


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!