VIOMUNDO

Diário da Resistência


Política

Fátima Oliveira: Com a oposição antipovo que está na praça, todos perdemos


26/02/2013 - 16h44

Oposição não dá nada a ninguém, quem tem o que dar é o governo?

FOI SOB A MARCA PT QUE TIVEMOS OS MELHORES GOVERNOS DO PAÍS

Fátima Oliveira, no Jornal O TEMPO
Médica – [email protected] @oliveirafatima_

Refletirei sobre o futuro. Entendo que fazer projetos de futuro e lutar para concretizá-los é parte indissociável do viver, seja na vida pessoal ou na esfera da política.

Chama a atenção a oposição ao governo Dilma: o estilo fora do contexto em que ela flutua, desconectada da vida do povo, com um discurso arcaico de retomada do poder e se emproando de falar de algo que não encontra ressonância na vida real… A oposição fala exatamente de quê?

Além da renitente oposição que atende pelo nome de PSDB, há uma oposição em gestação que diz não ser de direita nem de esquerda; estribada numa birra personalíssima de alguém que quer ocupar a Presidência da República com um discurso venenosamente angelical, messiânico, sem eira nem beira… Todas as facções são incensadas pela grande imprensa, que não se acanha em louvar que a primeira arma da batalha eleitoral é o bisturi!

São situações que merecem um pouco mais de pensar, pois são emblemáticas de muitas coisas. Uma delas é a incapacidade da oposição de perceber que as conquistas obtidas sob a marca governo PT não podem ser olvidadas, pois melhoraram a vida do povo, que é grato e reconhece com o voto, único gesto capaz de dizer dos seus sentimentos.

O discurso da oposição só ressoará em corações e mentes se for capaz de engolir o orgulho e a insolência defendendo o conquistado; de não desfazer das conquistas e se comprometer a dar um passo adiante nas políticas públicas. Há espaço para tanto, posto que há muito a fazer no rumo de um Estado de bem-estar social em nosso país.

Tenho a opinião de que o PT no poder poderia ter ousado muito mais, mesmo no formato de governo de coalizão. Nunca tive muitas ilusões com o partido no governo, apenas intuía que o sofrimento do povo poderia ser refrescado. O que é muito, comparando-se com governos passados. E continuo na mesma.

Sempre avaliei que, sendo o PT um partido de extração reformista, jamais revolucionário, cuja grande aspiração nunca foi além de gerenciar a crise do capitalismo e concretizar alguns direitos, seria de bom-tom não sonhar demais. E continuo na mesma.

E, cá com meus botões, avalio que, infelizmente, apesar do muito mais que poderia ter feito, e não fez nem fará, foi sob a marca do governo PT que tivemos os melhores governos da história do país, nos quais o povo se sentiu valorizado e acariciado e é foco das atenções. Nem mais, nem menos.

É péssimo não haver uma oposição que se coloque como alternativa viável de progresso social, perpetuando no poder uma visão política que se sente “a última bolacha do pacote”. Com a oposição antipovo que está na praça, todos perdemos, pois ela é incapaz até de dissecar a filosofia do Gonzagão (“Oposição não dá a ninguém, quem tem o que dar é o governo”), que sempre achei sem razão, mas que ilustra por que o povo tem deferência com governos que respondem minimamente às suas necessidades.

Para o historiador Frederico Pernambucano de Mello: “Para viabilizar ajuda a fim de abrandar o sofrimento de sua gente, para Luiz Gonzaga, o caminho mais fácil seria estar próximo e colaborar com o governo”. Para Dominique Dreyfus, autora de “Vida do Viajante – A saga de Luiz Gonzaga”: “Ele dizia que, como os respeitava (os militares), ia pro Planalto e conseguia muita coisa. Falou que conseguiu batalhar quando tinha uma seca, levar comida, levar ambulância, dinheiro. Luiz Gonzaga falava que era mais útil desse jeito. Então, ele tinha consciência que talvez tivesse alguma coisa errada”.





25 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Marcos Coimbra: Analistas vendendo gato por lebre « Viomundo – O que você não vê na mídia

01 de março de 2013 às 14h32

[…] Fátima Oliveira: Com a oposição antipovo que está na praça, todos perdemos […]

Responder

Paulo

28 de fevereiro de 2013 às 08h37

Mais uma vez Fátima Oliveira nos brinda com a lucidez do seu livre pensar. Deu a César o que é de César. Gostei da parte em que ela diz que não ter uma oposição consequente é ruim para o pais e para o povo. Penso do mesmo modo porque em não tendo uma oposição patriota quem está no governo se acomoda e não faz o máximo possível no rumo do bem-estar social.

Responder

MTHEREZA

27 de fevereiro de 2013 às 21h07

Fátima conseguiu dizer o que nós sentimos. Acho mesmo que para consolidação da democracia seria necessário haver iposição. Mas minimamente responsável e não essa coisa alucinada, correndo atrás do próprio rabo, sem noção de nada das mudanças pelas quais o Brasil vem passando. Lula e o próprio PT, estão fazendo as mudanças pela via do capitalismo. Saco vazio não fica de pé. É muito diferente a gente ter perspectiva.Antes, a única preocupação era se haveria a próxima refeição. Fomos “treinados” para o consumo, que se esgotará como única alternativa e virão novos sonhos, desejos e nem todos serão de comprar alguma coisa.

Responder

Mardones

27 de fevereiro de 2013 às 10h14

Parabéns à Fátima e sua lucidez. A oposição PIG/Elite Financeira/PSDB é desastrosa para o Brasil.

Marina Silva é o Serra de saias: não vai descansar enquanto não colocar a faixa presidencial.

Espera que ela e o Serra morram sonhando com esse dia.

Responder

Eduardo Raio X

27 de fevereiro de 2013 às 00h24

Tem lições que o PT não assimilou dentro de suas próprias entranhas, fez e faz um governo próximo ao povo, diferente do seu antecessor, PSDB um partido que de social democracia somente leva nome, esconde dentro de uma máscara outra máscara, sua realidade é defender, proporcionar e assegurar a elite o que ela mais gosta e deseja obter ganhos, lucros, dividendos e garantias que seu poder seja “eterno”. Para ela não importa se o país naufrague em miséria, pobreza, subserviência, dependência e injustiças sociais, precisa goza de todo prazer em viver em suas regalias, mordomias e privilégios desde que encontre o servo certo que vai servi a todos com sem questionamentos. Ai que entra as lições que o PT ainda não absorveu ou quis conhecer para fazer certo o caminho do começo de uma grande transformação política social e econômica. Para isso acontecer o povo vai ter que ser consultado! O Brasil teve oposições sim, períodos diferenciados na história, PT foi, agora é governo! E opor aos direitos do povo sempre teve os do contra é perguntar para o PSDB??? Esse partido tem a resposta de quem são!?

Responder

Saçuober

27 de fevereiro de 2013 às 00h16

O povo estava morrendo a mingua, a industria brasileira sucateada, o ensino técnico e superior em derrocada, estávamos totalmente dependentes, precisávamos respirar, o caminho da utópia, do isolamento, não chegaria a lugar nenhum.
Com a forte oposição do PIG e do poder judiciário, um legislativo fraco e super dividido, era impeachement no primeiro ano.
Concordo com os dois Lulas, vamos primeiro salvar o povo, depois são outros quinhentos.
O governo está subindo a escada de degrau em degrau, juros baixando, desemprego em baixa, redução de tarifa de energia elétrica, descentralização de investimentos, melhora gradual da Educação e uma série de medidas visando o aumento de renda do povo.
Talvez as sapiências políticas não tenham um dia que escrever um livro, como um país conseguiu passar por crises mudiais sem aperto nas classes mais humildes e gerando emprego, muito mais importante do que o tal PIB.
O Brasil é um país Democrático, precisa de políticos, não de papo furado, como ablablarina que nega a política e tem compromisso com o Itaú, Natura, Globo e Cia.

Responder

AlceuCG

26 de fevereiro de 2013 às 23h50

Mal sei quem é Fátima Oliveira, mas acredito que seja uma pessoa do bem, assim como são do bem pessoas do meu círculo pessoal, várias da direita, a maioria daquela direita povão, sem nenhuma formação política. E nesse artigo ficou muito semelhante a tais pessoas. Somente uma pessoa sem noção de humanidade, que não tem consciência do Brasil como um todo, da sua história secular de exploração pelos poderosos de dentro e de fora da nossa pátria, pode dizer que esperava muito mais do PT e se dizer decepcionada com o Partido. Ela aparenta não fazer idéia dos milhões de vidas,sim, milhões! que o PT com suas ações literalmente salvou. Das milhões de vidas que foram tiradas dass garras da miséria e principalmente da ignorância imposto pelo aparthaid social e educacional no qual sempre viveram. Isso é pouco? Isso é pouco e decepcinante? Talvez para os esquerdistas de mesas de botequim, os quais se sentem realizados somente por boquejarem contras as injustiças em geral. Foram somente dez anos de governo PETISTA, um grão de areia num oceano de iniqüidades que pareciam definidas para a eternidade. Muito para os esquerdistas de botequim, mas somente um piscar de olhos para todos aos que foram concedidos os direito de levantar o rosto e ter a chance de olhar a vida de frente na certeza que vê o futuro. E para estes que sabem que o PT precisa de muito mais tempo para consolidar todo um projeto de governo, 20, 30, 40 anos é pouco. E é por esse motivo que fico indignado ao ver um incompetente do naipe do jacques vagner defender a candidatura do eduardo traira pernambucana em 2018, ou o eduardo suplicy defender lixo como a blogueira cubana. O LULA é sábio e a Dilma é sábia por confiar na sabedoria do LULA.

AlceuCG

Responder

    Terezinha Sanches

    27 de fevereiro de 2013 às 01h26

    Alceu, tem certeza que leu o artigo de Fátima Oliveira? Pois releia-o. Uma duas e até três vezes. Talvez depois das releituras consiga compreendê-lo. Eu também concordo que o PT no governo federal poderia ter feito muito mais, mesmo assim, como disse a Fátima “foi sob a marca do governo PT que tivemos os melhores governos da história do país, nos quais o povo se sentiu valorizado e acariciado e é foco das atenções. Nem mais, nem menos”. Ah, Fátima Oliveira faz política, de verdade; é uma mulher comprovadamente de esquerda; está na luta popular e democrática há anos e anos, mas não perdeu a lucidez política. Ou seja, não fica babando ovo só porque é o PT que está no governo. Tem visão crítica e coragem pra dizer o que pensa.

    AlceuCG

    27 de fevereiro de 2013 às 21h25

    Para mim basta ler uma vez e realmente entender o que está escrito, ao contrário de você que finge entender e bate palmas (por educação não digo patas) tal qual vaquinha de presépio. O jogo de gente igual a Fátima é sempre igual, morder e assoprar, se dizendo grata pelos impossíveis realizados e indignada pela demora na realização dos milagres.
    Tenha santa paciência, bela!!

José X.

26 de fevereiro de 2013 às 22h52

“A oposição fala exatamente de quê?”

Esta é uma perplexidade que tem me assaltado ultimamente, vendo o frênesi causado na oposição pela visita da “blogueira” pilantra ao Brasil. A propósito de que essa exaltação ? No que isso ajuda o povo brasileiro ?

Do mesmo modo, as recentes manifestações contra (!) a diminuição na conta de luz, contra (!) a cor da roupa da Dilma, e até mesmo absurdamente contra a “fonte” (tipo de letra) usado em anúncios da Dilma.

É exatamante o que a Fátima Oliveira diz: “oposição desconectada da vida povo”.

Minha conclusão é que esta oposição que está aí essencialmente morreu, são zumbis alimentados pela mídia golpista. A oposição real no Brasil de hoje (e isso é fato, não porque dona Judith o disse) são as famiglias midiáticas, que movimentam os bonecos do teatro de horrores que é a oposição política, eleita pelo povo, mas trabalhando para as famiglias.

Responder

renato

26 de fevereiro de 2013 às 22h21

Este governo não tem oposição.
O Brasil perde com isto. Infelizmente.
Justo quando precisávamos de todas as
forças do país para evitar de vez uma
uma crise.
A oposição não faz critica construtiva,
critica sempre.
Não demonstra que existe inteligência do lado
de lá. Não nos dá, no mínimo uma opção de no
futuro, escolhermos um outro lado.
Tira do POVO a opção sagrada da democracia
que é a livre escolha.
Então como não há escolha, unimo-nos para
fortalecer aquilo que esta dando certo.
Se pode melhorar,NÃO temos oposição para nos
demonstrar isto.
Pronto…acabô.

Responder

Julio Silveira

26 de fevereiro de 2013 às 21h52

A Fatima tá certa, é uma pena essa oposição que temos.
Aliás é uma pena essa politica que temos, com o suporte de muitos brasileiros que deveriam se dar conta da importancia que seus votos têm para torná-los, e ao Brasil, respeitáveis. Se é que realmente esperam isso.

Responder

Avel de Alencar

26 de fevereiro de 2013 às 20h54

Assino embaixo.

Responder

Santi

26 de fevereiro de 2013 às 19h25

Para mim é facil ver a diferença, para o PIG/Oposição o Estado deve estar a serviço deles, como os Americanos o “Estado” (Diplomacia, Forças armadas, Imprensa e etc)a serviço das grandes coorporações (Poder economico). Para o PT/LULA/DILMA o “Estado” deve servir a população a todos, então tá vendo o nó o PIG/Oposição se espelha no “Grande Lider” e não consegue entender algo tão diferente e fica sem discurso. A oposição acredita que aumentando o “BOLO” sobra farelo prá quem estiver por perto, aí vem PT/LULA/DILMA e quer dividir o BOLO com todos deu nó de novo. Como você diz o PT nunca quiz uma Revolução mas sim uma Tranformação e eu peço a DEUS que a transformação continue.

Responder

J Souza

26 de fevereiro de 2013 às 19h15

Esses FALCÕES NEOLIBERAIS do governo DILMA tentam deteriorar os serviços públicos para beneficiar, o máximo possível, as empresas privadas.
Só em janeiro, um superávit de R$ 26 BILHÕES – 1/4 do total do ano.
Enquanto isso, o governo sugere que os hospitais aumentem suas dívidas, ao invés de reajustar a tabela do SUS.
As escolas e universidades particulares e os planos de saúde agradecem!
E nós, contribuintes, pagando as desonerações fiscais às “pobres” empresas que atuam no país, incluindo as “pobres” multinacionais que venderão banda larga no país…

Responder

Marco A+

26 de fevereiro de 2013 às 18h25

A oposição está impedida de “se comprometer a dar um passo adiante”, uma vez que patrocinada por quem não admite mais “progresso social”.

Responder

Vivianne

26 de fevereiro de 2013 às 18h03

Uma avaliação lúcida e serena. Concordo plenamente. O que não podemos é retroceder.

Responder

Mari

26 de fevereiro de 2013 às 18h00

Achei um primor de artigo: crítico na medida certa dos governos do PT; enaltecendo os governos do PT na exata medida do merecimento; e uma análise muito lúcida da oposição que temos e o papel que deveria cumprir.

Responder

Gerson Carneiro

26 de fevereiro de 2013 às 17h36

FHC que não muito distante recomendou ao PSDB afastamento do povo, agora mais uma vez se desdiz e recomenda ao PSDB que ouça o povo.

“Povo. Ruim com ele, pior sem ele”, conclui FHC.

FHC interagindo com o povo:

– Garçon, por favor, sirva-me meu Perrier Jouet.

Responder

    Willian

    27 de fevereiro de 2013 às 09h25

    Lula, como é do povão, pediria uma cachacinha…

    Ah, o povo, quanta bobagem se fala em seu nome.

João Vargas

26 de fevereiro de 2013 às 17h16

Gonzagão, pelo escrito acima, era partidário da máxima de que os fins justificam os meios, prática também compartilhada pelo PT. Eu concordo com eles, o que realmente interessa é melhorar as condições e a vida das pessoas que sofrem, nem que para isto tenha que se abraçar o Sarney ou o Maluf. Mais pragmatismo e menos filosofia e utopia.

Responder

Willian

26 de fevereiro de 2013 às 16h57

Ah, quando o PT era oposição, como eram propositivos. Uma oposição que só pensava no bem do Brasil e não na próxima eleição.

Se o PT visse que havia uma proposta boa para o Brasil, mesmo estando na oposição, não se acanhava de apoiar. Que importa se aquilo ajudaria o governo na próxima eleição. O importante era o Brasil, não o projeto de poder do partido!

Saudades, destes tempos!

Responder

    abolicionista

    26 de fevereiro de 2013 às 20h23

    Pois é, Willian , por isso o PT não ganhava eleição. O lulismo inverteu essa situação, conquistando a massa popular. Até então o PT possuía eleitorado urbano, operariado fabril e setores da classe média. Aí o Lula foi dar uma volta pelo Brasil e apurou sua percepção política. O PSDB já foi um partido de centro-esquerda, hoje se tornou de extrema direita, as coisas mudam, caro Willian, e tudo que é sólido desmancha no ar.

    Abel

    26 de fevereiro de 2013 às 22h18

    Saudades do tempo em que o Brasil era vendido a preço de banana? Vade retro!

    Willian

    27 de fevereiro de 2013 às 09h24

    Ainda bem que acabou: não há privatização de estradas, aeroportos e portos.
    Graças a Lula.

    O PT está sempre uns 15 anos atrasado em tudo.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Blogs & Colunas
Mais conteúdo especial para leitura