VIOMUNDO

Diário da Resistência


Política

Altamiro Borges: Por que FHC foge como diabo da cruz das comparações


24/02/2013 - 13h11

Por que FHC anda tão amargurado? 

por Altamiro Borges, em seu blog

O infográfico acima, publicado no Valor Econômico na quinta-feira (21), explica porque o ex-presidente FHC anda tão amargurado. Ele foge como o diabo da cruz das comparações entre o seu triste reinado e as gestões de Lula e Dilma. Sabe que isto é fatal para o sonho tucano de retornar ao poder em 2014.

Por isto ele se antecipou à festa dos dez anos do PT no governo e divulgou um vídeo criticando as comparações. Para FHC, isto é “picuinha”, é “coisa de criança”. Na prática, ele parece uma criança mimada – ou um senil rejeitado!
No vídeo, o vaidoso ex-presidente resmungou: “Uma coisa engraçada é o modo de o PT comemorar. Em vez de ficar satisfeito com o que fez, não: fica falando o que o outro não fez… No meu governo, eu mudei o rumo do Brasil, que estava muito desorganizado”. Ele só não explicou porque seus candidatos – duas vezes José Serra e uma vez Geraldo Alckmin – foram derrotados nas urnas. Também não explicou porque ambos tentaram ao máximo evitar a sua presença nos palanques e nos programas eleitorais de rádio e tevê.

Aécio Neves, o cambaleante presidenciável do PSDB, até que tentou nesta semana embelezar a “herança maldita” de FHC, o seu “guru”. Em discurso no Senado, na quarta-feira, mesmo dia da festa que reuniu Lula e Dilma para comemorar os avanços dos últimos 10 anos, ele atacou os “13 fracassos do PT”. Mas o senador mineiro não convenceu nem os tucanos. Alguns até criticaram o uso do número 13 – escolha que divulga a sigla adversária. Ele recebeu críticas também da mídia amiga, que sabe que as comparações são fatais.

Já Lula e Dilma deixaram explícito, na festança em São Paulo, que vão usar ao máximo os números expostos no infográfico acima para fustigar o PSDB, o principal partido da oposição neoliberal no Brasil. Em seu discurso, o ex-presidente chamou os tucanos para a briga. “Eu vi o nosso querido ex-presidente nervoso dizendo ‘isso é coisa de criança, o PT não cresceu’. A gente ficar oito anos falando ‘nunca antes na história desse país’ irritou. Nós não temos medo de comparação”.

Lula também fustigou a mídia privada. “Na ausência dos partidos de oposição, um setor da imprensa faz oposição. Quando eu critico a imprensa, eles dizem: ‘Lula ataca a imprensa’. Quando me atacam, dizem: ‘A gente fez uma crítica’”.

Já a presidenta Dilma, que tem assumido uma postura política mais desenvolta e aguerrida, foi no mesmo rumo. Ela criticou a herança maldita de FHC e até deu umas alfinetadas, de leve, nos “estardalhaços” da mídia – o que mostra mais uma vez a incoerência do governo neste terreno.

 Leia também:

Leia também:

PSDB de Minas protesta contra declarações de promotor

Pochmann: “Não dá para continuar com Estado organizado como no século XIX”

Lindbergh: Aécio ignorou povo, emprego, miséria, inclusão social

Aécio Neves lista os 13 “maiores fracassos” do PT

Caso Aécio: “É constitucional contratar empresa da família?”

“Se o Gurgel não abrir inquérito contra o Aécio, estará prevaricando”

Rogério Correia: “Valério operou ao mesmo tempo para o Aécio e o PT”

 

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



59 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

carlos

13 de junho de 2014 às 21h52

https://www.facebook.com/SiteDilmaRousseff/app_627082734035499

A diferença entre o antes e o depois do PT no governo
http://euricopt.wordpress.com/category/a-diferenca-entre-o-antes-e-o-depois-do-pt-no-governo/
http://dilmanarede.com.br/jorgemendes/dilma-e-mercadante-neles/lula-x-fhc-comparativo-dos-governos-pt-de-mercadante-vs-psdb-alckmin-fujao

A diferença entre o antes e o depois do PT no governo
Edilson Cardoso
O Brasil tem 511 Anos de existência, mas só depois do modo petista de governar, que o Brasil se tornou a 6ª maior economia do mundo. Antes do PT o Brasil estava na 12º posição no ranking da economia mundial. Por exemplo: antes do Lula, uma linha telefônica custava um valor comparado a de um carro zero quilômetro, hoje qualquer cidadão pode ter uma linha telefônica em sua casa e em seu trabalho. Inclusive, agora todos podem ter além de linha telefônica o carro zero quilômetro também. Celular, só os mais poderosos podiam ter lá em outros países, hoje aqui no Brasil, todos podem ter mais de um celular. Milhões de pessoas saíram da miséria, e outras da pobreza.
Mas vamos falar de nossa cidade:
Guarulhos falta pouco para se tornar uma cidade do futuro. Imagine você, antes do PT, aqui na região Pimentas (bairro de Guarulhos) há uma população superior a de alguns países do mundo e que ainda não tinha seu próprio hospital. Agora temos um dos maiores hospitais aqui. Para não prolongar muito, nem vou detalhar as obras abaixo, mas preciso lhe informar alguns dados: depois que o PT passou a governar Guarulhos, só na região Pimentas, as principais redes bancárias foram instaladas assim como também: agência do INSS, Shopping, lojas famosas, forte desenvolvimento na área de construção civil, creches, escolas, moradias, pavimentações, terminais de ônibus, áreas de lazer, Bilhete Único (em todo o município), que por sua vez gera uma economia de 1.200 reais/ano para cada trabalhador. Centenas de empresas se instalaram gerando muito mais emprego e estabilidade para o nosso povo, CEUs espalhados em pontos estratégicos na cidade, proporcionando além do ensino de alta qualidade, lazer para todos os usuários, Universidades, teatros, várias estações para tratamento de esgoto etc… Deixa eu parar por aqui, pra não cansá-lo de tantas citações, porém, ainda restam citar as mais de 1200 obras que o Prefeito Almeida realizou em apenas 3 anos e meio.
Olhando tudo isso amigo Juvenal, parecem que foram construídos durante os mais de 400 anos da história de Guarulhos, mas não foi não Juvenal! tudo isso foi construído em apenas 11 anos e meio através do PT na administração guarulhense, imagine só Juvenal e se o PT estivesse no governo esses 452 anos de Guarulhos? A grosso modo se a cada 4 anos o Prefeito Almeida realiza mais de 1200 obras em Guarulhos, em 400 anos o PT teria realizado 480 mil obras. Detalhe: Guarulhos não tem espaço para tantas obras! Conseguiu perceber a diferença?
Sabe Juvenal! Eu também acho que está ruim e é assim que nós petistas sempre pensamos. Por melhor que tudo esteja, nós os petistas sempre achamos que dá para melhorar e é isso que nos faz ser diferentes dos demais. Estamos sempre querendo fazer mais e melhor!
Agora se comparado com os governos dos prefeitos anteriores ao PT, que estiveram no governo da cidade nos 452 anos de história de Guarulhos e que tiveram oportunidade de usar o dinheiro público para fazer hospital e tantas outras benfeitorias que hoje usufruímos, porém, não as fizeram, lhe pergunto: por que não as fizeram e para onde foi o dinheiro público? Repito! Tá ruim sim, mas muito pior estaria, se os mesmos estivessem nestes últimos 11 anos no governo ao invés do PT.
É notório que para dizer o que você está dizendo significa que você ainda não comparou o antes e o depois do PT. Um indivíduo só pode afirmar entre duas pessoas ou mais qual é bonita ou feia, se colocá-las lado a lado para comparar detalhe por detalhe. Porém, respeito a sua opinião e sei que assim como muitos, você um dia reconhecerá e mudará de opinião quando decidir comparar o antes e o depois do PT.
Um forte abraço. Até lá!

Responder

carlos

13 de junho de 2014 às 11h50

http://dilmanarede.com.br/jorgemendes/dilma-e-mercadante-neles/lula-x-fhc-comparativo-dos-governos-pt-de-mercadante-vs-psdb-alckmin-fujao
Edilson Cardoso

O Brasil tem 511 Anos de existência, mas só depois do modo petista de governar, que o Brasil se tornou a 6ª maior economia do mundo. Antes do PT o Brasil estava na 12º posição no ranking da economia mundial. Por exemplo: antes do Lula, uma linha telefônica custava um valor comparado a de um carro zero quilômetro, hoje qualquer cidadão pode ter uma linha telefônica em sua casa e em seu trabalho. Inclusive, agora todos podem ter além de linha telefônica o carro zero quilômetro também. Celular, só os mais poderosos podiam ter lá em outros países, hoje aqui no Brasil, todos podem ter mais de um celular. Milhões de pessoas saíram da miséria, e outras da pobreza.

Mas vamos falar de nossa cidade:

Guarulhos falta pouco para se tornar uma cidade do futuro. Imagine você, antes do PT, aqui na região Pimentas (bairro de Guarulhos) há uma população superior a de alguns países do mundo e que ainda não tinha seu próprio hospital. Agora temos um dos maiores hospitais aqui. Para não prolongar muito, nem vou detalhar as obras abaixo, mas preciso lhe informar alguns dados: depois que o PT passou a governar Guarulhos, só na região Pimentas, as principais redes bancárias foram instaladas assim como também: agência do INSS, Shopping, lojas famosas, forte desenvolvimento na área de construção civil, creches, escolas, moradias, pavimentações, terminais de ônibus, áreas de lazer, Bilhete Único (em todo o município), que por sua vez gera uma economia de 1.200 reais/ano para cada trabalhador. Centenas de empresas se instalaram gerando muito mais emprego e estabilidade para o nosso povo, CEUs espalhados em pontos estratégicos na cidade, proporcionando além do ensino de alta qualidade, lazer para todos os usuários, Universidades, teatros, várias estações para tratamento de esgoto etc… Deixa eu parar por aqui, pra não cansá-lo de tantas citações, porém, ainda restam citar as mais de 1200 obras que o Prefeito Almeida realizou em apenas 3 anos e meio.

Olhando tudo isso amigo Juvenal, parecem que foram construídos durante os mais de 400 anos da história de Guarulhos, mas não foi não Juvenal! tudo isso foi construído em apenas 11 anos e meio através do PT na administração guarulhense, imagine só Juvenal e se o PT estivesse no governo esses 452 anos de Guarulhos? A grosso modo se a cada 4 anos o Prefeito Almeida realiza mais de 1200 obras em Guarulhos, em 400 anos o PT teria realizado 480 mil obras. Detalhe: Guarulhos não tem espaço para tantas obras! Conseguiu perceber a diferença?

Sabe Juvenal! Eu também acho que está ruim e é assim que nós petistas sempre pensamos. Por melhor que tudo esteja, nós os petistas sempre achamos que dá para melhorar e é isso que nos faz ser diferentes dos demais. Estamos sempre querendo fazer mais e melhor!

Agora se comparado com os governos dos prefeitos anteriores ao PT, que estiveram no governo da cidade nos 452 anos de história de Guarulhos e que tiveram oportunidade de usar o dinheiro público para fazer hospital e tantas outras benfeitorias que hoje usufruímos, porém, não as fizeram, lhe pergunto: por que não as fizeram e para onde foi o dinheiro público? Repito! Tá ruim sim, mas muito pior estaria, se os mesmos estivessem nestes últimos 11 anos no governo ao invés do PT.

É notório que para dizer o que você está dizendo significa que você ainda não comparou o antes e o depois do PT. Um indivíduo só pode afirmar entre duas pessoas ou mais qual é bonita ou feia, se colocá-las lado a lado para comparar detalhe por detalhe. Porém, respeito a sua opinião e sei que assim como muitos, você um dia reconhecerá e mudará de opinião quando decidir comparar o antes e o depois do PT.

Um forte abraço. Até lá!

Responder

Marcos Coimbra: Analistas vendendo gato por lebre « Viomundo – O que você não vê na mídia

01 de março de 2013 às 14h30

[…] Altamiro Borges: Por que FHC foge como diabo da cruz das comparações […]

Responder

Fátima Oliveira: Com a oposição antipovo que está na praça, todos perdemos « Viomundo – O que você não vê na mídia

27 de fevereiro de 2013 às 10h19

[…] Altamiro Borges: Por que FHC foge como diabo da cruz das comparações […]

Responder

João Sicsú: A “gastança” pública nos últimos dez anos « Viomundo – O que você não vê na mídia

27 de fevereiro de 2013 às 10h12

[…] Altamiro Borges: Por que FHC foge como diabo da cruz das comparações […]

Responder

Edno Luís

26 de fevereiro de 2013 às 14h15

Lula poderia ser, sem sombra de dúvidas, um prêmio Nobel de economia capitalista.

Responder

Gildo Magarin

26 de fevereiro de 2013 às 11h59

E, se em vez de insistirmos na comparação entre os governos petistas e os do PSDB dos últimos 20 anos, fizéssemos uma análise mais abrangente, com as comparações da performance brasileira nos últimos dez anos com a própria performance dos governos ao longo da nossa História e, além disso, com as demais economias do mundo, inclusive dos países emergentes?

O professor titular de Economia Internacional da UFRJ Reinaldo Gonçalves se propôs a se distanciar da polarização PT-PSDB para analisar a economia brasileira e os avanços sociais nos dez anos de governos petistas, e encontrou quadro bastante desolador, distante da propaganda oficial, a que deu o título “Brasil negativado, Brasil invertebrado: legado de dois governos do PT”.

A “negatividade” é informada por inúmeros indicadores de desempenho da economia brasileira que abarcam o país, o governo, as empresas e as famílias. O “invertebramento” envolve a estrutura econômica, o processo social, as relações políticas e os arranjos institucionais. Essa trajetória é marcada, segundo Gonçalves, na dimensão econômica, por fraco desempenho; crescente vulnerabilidade externa estrutural; transformações estruturais que fragilizam e implicam volta ao passado; e ausência de mudanças ou de reformas que sejam eixos estruturantes do desenvolvimento de longo prazo.

Na avaliação do crescimento da renda durante os governos do PT, o professor classifica de “fraco desempenho pelo padrão histórico brasileiro e pelo atual padrão internacional”. A taxa secular de crescimento médio real do PIB brasileiro no período republicano é 4,5%, e a taxa mediana é 4,7%. No governo Lula, a taxa obtida é 4%, enquanto as estimativas e projeções do FMI para o governo Dilma informam taxa de 2,8%.

O resultado é claramente negativo: no ranking dos presidentes do país, Lula está na 19ª posição, e Dilma tem desempenho ainda pior (24ª), em um conjunto de 30 presidentes com mandatos superiores a um ano. Resultados que não são compensados pelo fato de o governo Fernando Henrique estar em 27ª posição, com o crescimento médio de 2,3%.

O Brasil negativado dos governos do PT também é evidente quando se observam os padrões atuais de desempenho da economia mundial, ressalta Gonçalves. Durante os governos petistas, a taxa média anual de crescimento do PIB (considerando as estimativas e projeções do FMI para os dois últimos anos do governo Dilma) é 3,6%. No período 2003-2014, a estimativa é que a economia mundial cresça à taxa média anual de 3,8%; no caso dos países em desenvolvimento, essa taxa deverá ser de 6,4%.

Portanto, salienta Gonçalves, o Brasil negativado é evidente quando se constatam não somente essas diferenças como dois outros fatos: em seis dos 12 anos do período 2003-14, a taxa de crescimento da economia brasileira é menor do que a taxa média mundial; e, em todos os anos, a taxa de crescimento do PIB brasileiro é menor do que a média dos países em desenvolvimento.

O Brasil negativado também é evidente quando se compara o crescimento do PIB brasileiro durante os governos petistas com a média simples e a mediana das taxas de crescimento dos 186 países que são membros do FMI e que representam um painel muito representativo da economia mundial.

A taxa média durante os governos Lula e Dilma (3,6%) é menor que a média simples (4,6%) e a mediana (4,4%) das taxas de crescimento dos 186 países. A taxa de crescimento brasileiro é menor que a média simples e a mediana da economia mundial em dez e sete anos dos 12 anos, respectivamente.

O fraco crescimento da economia brasileira durante os governos petistas está diretamente associado às baixas taxas de investimento, ressalta Gonçalves. A taxa média de investimento do Brasil no período 2003-14 é 18,8% enquanto a média e a mediana mundial (painel do FMI) são 23,9% e 22,5%, respectivamente. Em todos os anos de governo petista, a taxa de investimento é menor que a média e a mediana do mundo. No painel de 170 países o Brasil ocupa a 126ª posição, média para o período 2003-14.

Responder

Urbano

25 de fevereiro de 2013 às 15h34

Por vergonha, certamente não é…

Responder

Paco

25 de fevereiro de 2013 às 13h07

Grande Lula.

Responder

Djijo

25 de fevereiro de 2013 às 12h36

Se se imaginar fhc, psdb, pps, demos e pig como “snipers” americanos, dá para entender que eles só fazem o que mandam fazer. Às vezes, os enredos nem são eles que escrevem, vem de fora. Por isso é tão ruim, ilógico, estúpidos.

Responder

Maria Izabel L Silva

25 de fevereiro de 2013 às 12h27

O PT usa a tatica da comparação por que tem numeros positivos para mostrar. Quem não tem, esperneia. O PT jogou o jogo do PSDB, com as regras impostas por eles, a tal “herança”, que deixou o país de joelhos. Nesse jogo o PT se saiu vitorioso. Inverteu a situação, tirou o país do buraco e colocou-o de pé novamente.Por isso, o perdedor esperneia. Não tem nada a dizer. Porém, o mais hilario de tudo, é o contorcionismo da midia tentando explicar as disparidades entre um paríodo e outro. Tarefa ingrata. Quando os numeros aparecem, é preciso muita cara pau e muito cinismo para atribuir tudo á “herança” de FHC.

Responder

Valdo Operário

25 de fevereiro de 2013 às 08h23

Na materia de corrução nós estamos muito melhores que os tucanalhas.

Responder

    Simpson Bonner

    25 de fevereiro de 2013 às 15h03

    É que voce é modesto so o desaparecimento dos bilhoes das privatizações tornaria o Brasil mais corrupto que toda a America Latina, entre os anos de 95 a 2002

Weber Dutra

25 de fevereiro de 2013 às 08h20

O partido que se vendia como a última vestal na política brasileira criou o mensalão mineiro. “O PSDB inovou na corrupção”, afirma o filósofo Emir Sader. “Antes da chegada ao poder, a corrupção era uma operação fragmentária, não obedecia a um comando central. Com ele aparece, organizada, dentro do parto PSDB procura legitimar o ato de desvio de recursos públicos em nome do progresso, pois é realizado pelo partido que se pensa pai dessa ideia.” Sem um pingo de autocrítica, os tucanos e FHC ignoraram completamente o mensalão mineiro nas declarações da semana passada.

Responder

Eduardo Raio X

24 de fevereiro de 2013 às 23h43

Para a imprensa golpista o “mensalão” foi o que teve de ruim no governo do PT, agora vamos listar as 40 ou mais lambanças do PSDB!? Essa é uma lição para cada um recordar e lembrar com muito carinho e postar aos eleitores de memória fraca ou sem ela! Assim as comparações será altamente destrutivas para o lado do PSDB, sem condições de salvar qualquer sobrevivente dessa quase extinta legenda partidária.

Responder

anac

24 de fevereiro de 2013 às 19h26

Classificação do País em termos de corrupção, cujo nível é medido pela International Transparency e, uma escala que vai de 0 (mais corrupto) a 100 (quando o país é absolutamente íntegro).

Pode-se constatar no “site” da International Transparency” (www.transparency.org), pesquizando-se a base de dados, que, em 2002, fim do governo Tucano e do reinado de FHC, o Brasil estava na 45a. posição nessa escala. Em 2012, depois de 10 anos do governo liderado pelo PT, a classificação subiu para 69a. posição.Portanto, caminhando em direção ao topo da escala, nível da integridade.

Responder

anac

24 de fevereiro de 2013 às 19h19

Quando Fernando Henrique Cardoso chegou ao poder, nossa carga tributária correspondia a 29% do PIB. Ao sair, oito anos depois, ela tinha subido para 35,5% do PIB.
Um dos dois principais motivos alegados para a privatização das empresas estatais era o pagamento da dívida pública: com os recursos oriundos da venda destas empresas, reduziríamos a dívida. O que ocorreu de fato?
As empresas foram vendidas, mas a dívida, tanto a externa quanto a interna, aumentou exponencialmente. A dívida externa passou de US$ 148 bilhões para US$ 248 bilhões, entre 1995 e 2002, e a dívida interna decuplicou, passando de R$ 62 bilhões para R$ 662 bilhões, no mesmo período.

Responder

Santana

24 de fevereiro de 2013 às 19h15

Pela 1º vez estou percebendo que o povo está questionando esta comparação.
Por que Luis Inácio da Silva, comandante em chefe do PT, teme tanto o legado de Fernando Henrique?????
Por que o PT ataca tanto Fernando Henrique?????
Se usam só ataques a FHC, como figura principal de tudo que é de ruim para o Brasil, será que isso é realmente verdade????
Se era tão ruim na época de FHC, e o PT mudou a história econômica e social do Brasil, por que há tantos miseráveis no Brasil, ou você realmente acredita que $70,00 reis mensais acaba com a miséria????
Essas e muitas outras pergunta o povo está começando a fazer….
ABRAM OS OLHOS BRASILEIROS…..

Responder

    Minerim

    24 de fevereiro de 2013 às 23h37

    Vade Retro SANTANÁS. Vá choramingar no seio do PIG.

    Santana

    25 de fevereiro de 2013 às 13h53

    KKKKKKKKKKKKKKKK. Muito boa essa……..gostei.

    Ulisses

    25 de fevereiro de 2013 às 09h53

    Mas tu não perguntas por que a imprensa ataca todo dia o Lula, a Dilma e o PT? Que FHC toda semana publica artigo atacando o Lula, o PT e a Dilma? Que acusam o governo de ser ineficiente? Acorda companheiro, deixa de parcialidade! Tu não lê jornal e vê TV todo dia? Vê a globo, leia a Folha e o Globo? É marcação cerrada! O PT só responde as críticas. Se é para criticar o PT, ele responde com argumentos. Se você for acusado de incompetente não vai discutir quem foi o incompetente? Deixa de criancice.

    João

    25 de fevereiro de 2013 às 11h06

    A política é, também, feita de comparações. Não há nada de errado nisso. Pelo contrário, é necessário.

anac

24 de fevereiro de 2013 às 19h11

FHC passou por uma situação humilhante em evento na Itália. Clinton não teve nem dó nem piedade e humilhou fhc chamando seu governo de incompetente. Fhc não disse NADA. Não respondeu as criticas humilhantes. Calou-se, ou seja, consentiu. Os números não mentem. FHC quebrou Brasil três vezes. Em 2001 ao suplicar empréstimo ao FMI para pagar o serviço da divida pois detinha de reservas apenas 14 bi e ter suas suplicas negadas pois o Brasil estava falido teve que correr de pires na mão a Clinton que obrigou o FMI a fazer o empréstimo de 40 bi. FHC vendeu as estatais brasileiras com a desculpa que o dinheiro arrecadado iria pagar a divida. 100 bi desapareceram. Em 1994, FHC recebe de Itamar Franco um país com U$ 40 bilhões de reservas econômicas e uma dívida externa de aproximados U$ 145 bilhões. Em 2002, FHC repassa para Lula esse mesmo país com U$ 16,3 bilhões em reservas econômicas e uma dívida de U$ 240 bilhões. Em 4 anos Lula paga a dívida externa triplicada ao longo de 8 e, hoje, o Brasil acumula reservas que beiram aos U$ 300 bilhões de dólares, aproximadamente 20 vezes mais daquela que se reduziu há quase ¾ do valor inicial.

Responder

lulipe

24 de fevereiro de 2013 às 17h44

Comparar o quê, se ele derrotou o lula duas vezes,e no primeiro turno??

Responder

    francisco pereira neto

    24 de fevereiro de 2013 às 18h13

    E Lula derrotou FHC três vezes, com apoio da mídia vadia com seus apagões aéreos, a febre amarela da Cantanhêde, a gripe suína, o mensalão, o acidente da Gol e voce boboca falando asneiras.

    Willian

    25 de fevereiro de 2013 às 08h28

    Bem que você queria que fosse verdade…rs

    Mário SF Alves

    24 de fevereiro de 2013 às 19h00

    O que deu em você Luliwill, desanimou, parou de tomar aquelas azulzinhas de feagaceagra?

    anac

    24 de fevereiro de 2013 às 19h31

    Joseph Pulitzer ( 1847 – 1911 )

    “Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma”.

    M. S. Romares

    25 de fevereiro de 2013 às 00h26

    Mas de novo essa ladainha? Esse infeliz acha que eleições são como um campeonato ou algo que se resume em “ganha-perde”. Voce realmente é lamentavel…Passe pelo caixa “pague-troll” do psdb e suma.

Isidoro Guedes

24 de fevereiro de 2013 às 17h21

Lula realmente dá uma surra no governo FHC, e isso deve incomodar muito e doer na alma do “príncipe dos sociólogos”, conhecido por seu narcisismo e pavonagem. Infelizmente para FHC não há como brigar com os números, não dá para contestá-los, e isso deve deixá-lo muito amargurado.
É bom que se diga que esses gráficos e tabelas que estraçalham a Era FHC foram publicados pelo jornal Valor Econômico, um veículo que não se pode chamar de atrelado aos interesses petistas (muito pelo contrário, um jornal ultra-conservador e da mídia direitista).
A essas alturas Aécio Neves (pré-candidato do PSDB) deve estar bem arrependido de ter puxado essa discussão ao mencionar o que ele qualificou como “os treze erros do PT”. Comparar números não é exatamente um quesito em que o PSDB se saia bem quando comparados os períodos Lula e FHC. Muito pelo contrário.
Aécio deu um tiro no pé.

Responder

FHC embarca na candidatura de Aécio Neves por 2014 « Viomundo – O que você não vê na mídia

24 de fevereiro de 2013 às 16h46

[…] Altamiro Borges: Por que FHC foge como diabo da cruz das comparações […]

Responder

Mário SF Alves

24 de fevereiro de 2013 às 15h39

D. Fernando Henrique I, o sábio, escolheu inserir o Brasil no cenário do neoliberalismo interancional. Verdadeira internacionalização da economia; tudo ante um hipótese suspeitíssima que vinha a calhar no sentido de jamais enfrentar os seculares interesses do regime casa-grande-BraZil-eterna-senzala. Deu certo?!! Se não fosse um dado da realidade chamado PT, será que teria dado certo?!!
___________________________________________________
Quem quiser a resposta, basta uma olhadinha ainda que de leve nas economias de Portugal, Espanha e Grécia. E, se dispor de um pouco mais de tempo, é só dar uma espiadinha nos indicadores sociais do daquele país do Norte; aquele do o tal destino manifesto.
________________________________________________________
Mas… a gente entende o FHC(b). Também pudera, com um partido daquele, um partido que nunca subiu uma favela, que nunca esteve numa palafica de beira de mangue, que esteve num acmpamento de assemtados, que sentiu na face o que é o cheiro de povo… pudera.
_______________________________________________________________
No lugar dele, acho que até eu faria o mesmo. Sim, pensando bem, faria o mesmo se… (escolha a opção correta):
1- acreditasse pia e cegamente nos pressupostos do tal neoliberalismo, ou seja, no tal estado mínimo e no tal deus mercado;
2- se tivesse olho junto;
3- se acreditasse no fim dos tempos;
4- se subestimasse o próprio tempo e a inerente dinâmica da realidade;
5- se fosse totalmente sem escrúpulos;
6- se fosse forçado a enveredar pela política sem ser político;
7- se fosse tão ambicioso e vaidoso ao ponto de vender, rifar ou entregar meu próprio país.

Responder

Marat

24 de fevereiro de 2013 às 15h37

A única coisa boa que FHC fez foi não ter dado de presente a Base de Alcântara para os terroristas estadunidenses.

Responder

    Ricardo da Costa

    25 de fevereiro de 2013 às 07h55

    Não deu porque os generais bateram o pé!!!

Mateus Silva Ferreira

24 de fevereiro de 2013 às 15h17

Como uma oposição partidária faz falta no Brasil ! O PT, quando FHC estava no Governo, cumpria muito bem esse papel.
O povo tem direito a ter uma oposição de verdade.

Responder

Julio Silveira

24 de fevereiro de 2013 às 14h34

O FHC já intui que seu papel na história brasileira será apenas o de constar como um numero na lista dos presidentes do país. Aliás um número de números lamentáveis.

Responder

João-PR

24 de fevereiro de 2013 às 14h08

A comparação entre os governos do FHC e do Lula + Dilma é mais do que justa: é necessária para politizar o debate.
Afinal, governar é eleger prioridades. Quais foram as de D. Fernando Henrique I – o procriados “viúva porcina” (aquela que foi sem ter sido)???

Responder

francisco pereira neto

24 de fevereiro de 2013 às 14h04

Mas o legado é do FHC.
Ele preparou o país para Lula e Dilma surfar.
PS: este post não é do Rodrigo, Lulipe e nem do Willian.

Responder

    Diogo Anderson

    24 de fevereiro de 2013 às 15h21

    Eu concordo em parte com você, Francisco, que não dá pra julgar corretamente apenas numa comparação, pois os cenários são diferentes, e é possível que as reformas feitas pelo FHC realmente sejam bases para o mandato do PT.

    Porém, o que escuto (não tinha idade suficiente para julgar) é que FHC fez um segundo mandato pior que o primeiro. E as urnas mostraram isso (reeleito no primeiro turno, e sem sucessor aprovado). Então, se ele foi pior se sucedendo do que sucedendo o Itamar, é sinal que o novo rumo não estava tão melhorado assim.

    Além disso, Ciro Gomes deu uma entrevista esclarecedora sobre isso ao É Notícia, quando falou sobre como andava o grau de endividamento do país, e o esforço que o governo teve que fazer para manter um superávit primário naquele tempo.

    O pior é a figura do engavetador da república, e das inúmeras CPIs (que são febre atualmente) que eram canceladas antes mesmo de começar (se hoje em dia falamos que acaba em pizza, naquele tempo, era um bom rodízio, nesses que nem dá tempo conversar).

    Mário SF Alves

    24 de fevereiro de 2013 às 15h43

    Uai, foi? Por favor, explica melhor isso daí, prezado Francisco.
    ________________________________
    Obs.: Só não vale fazer beicinho.

    francisco pereira neto

    24 de fevereiro de 2013 às 18h20

    Claro que eu explico Mario. E com muito prazer e com beicinho de tanto rir.
    Em se tratatndo de voce Mario, acho estranho não perceber a minha ironia.
    Voce viu o meu PS?
    E não notou nada?
    Vamos em frente que estamos do mesmo lado.

    Nelson

    24 de fevereiro de 2013 às 17h26

    Surfar no atoladouro, meu caro Pereira Neto?

    Vou repetir alguns números do governo FHC que mostram que foi o mais deletério da história do país. Ao iniciar o governo FHC, em janeiro de 1995, a dívida interna brasileira era de R$ 63 bilhões. Quando FHC repassou o poder a Lula, em janeiro de 2033, essa mesma dívida já montava R$ 687 bilhões.

    Detalhe importantíssimo. Neste mesmo período, FHC privatizou (doou) quase 70% do patrimônio público brasileiro, pertencente a todos nós, sem nos consultar, afirmando que usaria os recursos arrecadados para amortizar tal dívida.

    Na verdade, Pereira Neto, ao embarcar nosso país “de mala e cuia” no neoliberalismo, FHC retirou poder do governo de influir na economia. Ou seja, ao privatizar setores altamente lucrativos como energia elétrica, telefonia e outros, FHC deixou, de forma planejada – o ideário neoliberal assim prescreve – o governo ou o Estado sem instrumentos para intervir na economia em benefício de um projeto nacional de desenvolvimento.

    Um exemplo, apenas, de como a privatização nos deixou, o povo brasileiro, sem capacidade de gerir aquilo que é nosso é a Vale do Rio Doce. A matéria “Ritmo de exportação de minério de ferro de Carajás é crime de lesa Pátria” publicada no dia 16/06/2012 neste sítio mesmo, dá uma boa ideia do que eu quero dizer. Fosse ainda estatal, e nós poderíamos intervir nos rumos da empresa e colocaríamos a Vale a serviço do desenvolvimento do país. Como é privada, está a serviço dos lucros de uns poucos acionistas. Ao invés de exportar centenas de milhões de toneladas de minério de ferro in natura, a Vale poderia estar beneficiando o ferro, agregando valor e gerando milhares de empregos no Brasil.

    Então, é isso que o governo FHC deixou para o povo brasileiro, Pereira Neto.

    francisco pereira neto

    24 de fevereiro de 2013 às 18h24

    Véio!
    Não posso nem mais fazer ironia no blog.
    Fique frio Nelson.
    A mesma simpatia que voce nutre pelo FHC eu também nutro multiplicado por mil.
    Saudações Nelson.

    Mário SF Alves

    24 de fevereiro de 2013 às 18h56

    Só um detalhe, mas que vale a pena refletir sobre ele:

    “FHC privatizou (doou) quase 70% do patrimônio público brasileiro, pertencente a todos nós, sem nos consultar,…”

    ____________________________________
    Um governante chamado FHC pra fazer o que ele fez… só mesmo sendo totalmente estúpido ou exponencialmente totalitário [aliás nunca esqueci os tanques nas ruas reprimindo aquela greve dos petroleiros], mas… como dizia, o que dá autoridade a cabra destes? A primeira eleição dele foi em cima de uma quebra de direito autoral; a segunda, por compra de votos. A primeira por absoluta força do poder econômico e midiático; a segunda o mais puro estelionato elitoral.
    __________________________________________
    Estado mínimo, né… pena que não foi o pai dele o maior prejudicado; pena que o prejudicado foi um país inteiro, e esse trauma ainda não passou.

    M. S. Romares

    25 de fevereiro de 2013 às 00h28

    Então temos um abestado a mais formando essa “enorme” corrente dos Cansei.

    Mário SF Alves

    25 de fevereiro de 2013 às 13h01

    Prezado Francisco,

    Desculpe a falta de perspicácia. Acontece. Obrigado. E, oh!, bom que seu humor esteja assim. Não permita que nem o PiG, nem a casa-grande-BraZil-neoliberal-eternamente-subdesenvolvido e nem a falta de perspicácia o azedem.

    ______________________________
    Abs.,
    Mário.

Gerson Carneiro

24 de fevereiro de 2013 às 13h50

Se FHC fizer comparação entre o governo fracassado dele com o do Lula e da Dilma fará campanha em favor do PT.

Responder

Gerson Carneiro

24 de fevereiro de 2013 às 13h47

RT ‏@Estadao Bom dia a todos. Esta é a manchete do Estadão deste domingo: “FHC entra na campanha de Aécio para neutralizar Lula”.

É como jogar uma âncora para quem está se afogando.

Responder

Willian

24 de fevereiro de 2013 às 13h39

FHC eu não sei, mas o Lula ainda não esqueceu que perdeu duas eleições para ele (as duas no primeiro turno). Lula perdoou Collor, perdoou Maluf, mas FHC, que apenas o venceu em duas eleições (as duas no primeiro turno) ainda não foi perdoado.

Aliás, não foi só Lula que não esqueceu, todos por aqui também.

FHC é só um quadro na parede, mas como dói.

Responder

    Abel

    24 de fevereiro de 2013 às 15h51

    Collor já fez seu mea culpa e por isso foi perdoado. FHC é orgulhoso demais para pedir desculpas. Essa mágoa ele vai levar para o caixão ;)

    Mário SF Alves

    24 de fevereiro de 2013 às 16h00

    Willipe… com o perdão da franqueza, mas essa é de fazer até asno gargalhar.
    ____________________________
    Hiena, então… vira high society.

    renato

    24 de fevereiro de 2013 às 17h10

    Willian, verdade!
    Então podemos dizer que vai ser a revanche do Século XXI.
    Isto é muito bom,vai por um tempero legal na disputa.
    E guarde as fotos do FHC, que você tem guardado na tua
    agencia pública, onde trabalha. Que é para doar para o
    Instituto FHC.
    Ou você tem o Quadro do FHC no quarto?
    Eu tenho o do Lula e da Dilma.

    Willian

    25 de fevereiro de 2013 às 15h19

    Você deve ser o espantalho da turma, hein? Quadro do Lula e da Dilma no quarto? Que palhaçada…rs As pessoas riem de você pelas costas, meu caro.

“Não dá para continuar com Estado organizado como no século XIX” « Viomundo – O que você não vê na mídia

24 de fevereiro de 2013 às 13h32

[…] Altamiro Borges: Por que FHC anda tão amargurado? […]

Responder

Francisco

24 de fevereiro de 2013 às 13h32

Brevemente o PSDB deve seguir o rumo da ARENA: mudar de nome, para ver se muda de passado…

O que o PSDB precisa enfiar na cabeça é que mesmo o petista mais enpedernido sabe que sem oposição qualquer projeto politico termina mal, seja a ausência de oposição fruto de ditadura ou fruto da incompetencia da oposição.

Assim, o PT, o Brasil (o estado de São Paulo…), precisam de oposição. Oposição de treze pontinhos não é oposição, é frescura, é molequice.

O Brasil precisa de uma oposição que cobre a demarcação de terras indigenas, a reforma agraria, um modelo de reforma trabalhista, de politica industrial, de reforma tributária, politica…

Reforma agrária? PSDB? Sim! Ou o PSDB nã deveria ter uma politica nesse setor? Demarcação? Claro! A constituição exige que se faça, ninguém sabe a proposta dos tucanos para isso. Cadê?

Há muito (muito mesmo!) a cobrar do PT! O Brasil quer que o PSDB desempenhe essa função (para isso muitos brasileiros votaram neles).

Ser oposição não é fazer gracihas com o número 13.

Tucanos, sejam sérios, sejam homens, cobrem duro do PT!!!

Digo isso (como petista) por uma única razão: o PT pode ser ainda muito melhor.

O risco, para nós brasileiros, é o PT, por falta de oposição qualificada, entrar numa “zona de conforto” que não nos interessa.

Pode bater e bater firme, mas, por favor, bata como homem.

Eu, petista, lhe imploro: bata firme.

Responder

    Abel

    24 de fevereiro de 2013 às 15h52

    O homem no PSDB se chamava Yeda Crusius…

    Mário SF Alves

    24 de fevereiro de 2013 às 16h05

    “O Brasil precisa de uma oposição que cobre a demarcação de terras indigenas, a reforma agraria, um modelo de reforma trabalhista, de politica industrial, de reforma tributária, politica…

    Reforma agrária? PSDB? Sim! Ou o PSDB nã deveria ter uma politica nesse setor? Demarcação? Claro! A constituição exige que se faça, ninguém sabe a proposta dos tucanos para isso. Cadê?”
    ________________________________
    Agora sim, ficou claro. Agora sim, dá pra entender qual deveria ser o papel/função pública de uma oposição política de verdade.
    ________________________________
    Parabéns, caro Francisco.

    renato

    24 de fevereiro de 2013 às 17h17

    Inteligente, é do PT.

    Mário SF Alves

    25 de fevereiro de 2013 às 13h06

    Concordo. Vide ministro Marco Aurélio de Mello, e isto só pra citar um exemplo, pois indo além, humilha.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.