VIOMUNDO

Diário da Resistência


Política

Aécio Neves lista os 13 “maiores fracassos” do PT


21/02/2013 - 08h51

Foto: Pedro França/Agência Senado

do Globo Online

BRASÍLIA – Em um discurso na tribuna do Senado nesta quarta-feira, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) criticou o PT – que hoje irá comemorar dez anos na Presidência da República – e a gestão da presidente Dilma Rousseff. O senador listrou 13 pontos que ele afirma serem fracassos da gestão atual, e terminou seu discurso afirmando que “nesses dez anos o PT está exaurindo a herança bendita recebida do governo Fernando Henrique Cardoso”.

Veja abaixo a íntegra do discurso:

“Senhor presidente,

Senhoras e senhores senadores,

Aproveito a oportunidade, extremamente emblemática, em que o Partido dos Trabalhadores festeja os seus 33 anos de existência – e uma década de exercício de poder à frente da Presidência – para emprestar-lhes alguma colaboração crítica.

Confesso que o faço neste momento completamente à vontade, haja vista a cartilha especialmente produzida pela legenda para celebrar a ocasião festiva.

Nela, de forma incorreta, o PT trata como iguais as conjunturas e realidades absolutamente diferentes que marcaram os governos do PSDB e do PT.
Ao escolher comemorar o seu aniversário falando do PSDB, o PT transformou o nosso partido no convidado de honra da sua festa.

Eu aceito o convite até porque temos muito o que dizer aos nossos anfitriões.
Apesar do esforço do partido em se apresentar como redentor do Brasil moderno, é justo assinalar algumas ausências importantes na celebração petista.

Nela, não estão presentes a autocrítica, a humildade e o reconhecimento. Essas são algumas das matérias primas fundamentais do fazer diário da política e que, infelizmente, parecem estar sempre em falta na prática dos nossos adversários.

Mas afinal, qual é o PT que celebra aniversário hoje?

O que fez do discurso da ética, durante anos, a sua principal bandeira eleitoral, ou o que defende em praça pública os réus do mensalão?

O que condenou com ferocidade as privatizações conduzidas pelo PSDB ou o que as realiza hoje, sem qualquer constrangimento?

O que discursa defendendo um Estado forte ou o que coloca em risco as principais empresas públicas nacionais, como a Petrobras e a Eletrobrás?

O Brasil clama por saber: qual PT aniversaria hoje?

O que ocupou as ruas lutando pelas liberdades ou o que, no poder, apoia ditaduras e defende o controle da imprensa?

O PT que considerava inalienáveis os direitos individuais ou o que se sente ameaçado por uma ativista cuja única arma é a sua consciência?

A verdade é que hoje seria um bom dia para que o PT revisitasse a sua própria trajetória, não pelo espelho do narcisismo, mas pelos olhos da história.

Até porque, ao contrário do que tenta fazer crer a propaganda oficial, o Brasil não foi descoberto em 2003.

Onde esteve o PT em momentos cruciais, que ajudaram o Brasil a ser o que é hoje?

Como já disse aqui, todas as vezes que o PT precisou escolher entre o PT e o Brasil, o PT escolheu o PT.

Foi assim quando negou seu apoio a Tancredo no Colégio Eleitoral para garantir o nosso reencontro com a democracia.

Foi assim quando renegou a constituição cidadã de Ulysses.

Quando eximiu-se de qualquer contribuição à governabilidade no governo Itamar Franco e quando se opôs ao Plano Real e a Lei de Responsabilidade Fiscal.

Em todos esses instantes o PT optou pelo projeto do PT.

Fato é que, no governo, deram continuidade às políticas criadas e implantadas pelo presidente Fernando Henrique.

E fizeram isso sem jamais reconhecer a enorme contribuição dada pelo governo do PSDB na construção das bases que permitiram importantes conquistas alcançadas no período de governo do PT.

No governo ou na oposição temos as mesmas posições. Não confundimos convicção com conveniência. Nossas convicções não nos impedem de reconhecer que nossos adversários, ao prosseguirem com ações herdadas do nosso governo, alcançaram alguns avanços importantes para o Brasil.

Da mesma forma, são elas, as nossas convicções, que sustentam as críticas que fazemos aos descaminhos da atual gestão federal.

Senhoras e senhores senadores,

A presidente Dilma Rousseff chega à metade de seu mandato longe de cumprir as promessas da campanha de 2010. Há uma infinidade de compromissos simplesmente sublimados. A incapacidade de gestão se adensou, as dificuldades aumentaram e o Brasil parou. Os pilares da economia estão em rápida deterioração, colocando em risco conquistas que a sociedade brasileira logrou anos para alcançar, como a estabilidade da moeda.

Senhoras e Senhores,

Sei que a grande maioria das senadoras e senadores conhece as dezenas de incongruências deste governo, que têm feito o país adernar em um mar de ineficiência e equívocos.

Mas o resultado do conjunto da obra é bem maior do que a soma de suas partes.

Nos poucos minutos de que disponho hoje gostaria de convidá-los a percorrer comigo 13 dos maiores fracassos e das mais graves ameaças ao nosso futuro produzidos pelo governo que hoje comemora 10 anos.

Confesso que não foi fácil escolher apenas 13 pontos.

1. O comprometimento do nosso desenvolvimento:

Tivemos um biênio perdido, com o PIB per capita avançando minúsculo 1%. Superamos em crescimento na região apenas o Paraguai. Um quadro inimaginável há alguns anos.

2. A paralisia do país: o PAC da propaganda e do marketing

O crítico problema da infraestrutura permanece intocado. As condições de nossas rodovias, portos e aeroportos nos empurram para as piores colocações dos rankings mundiais de competitividade. O Brasil está parado. São raras as obras que se transformaram em realidade e extenso o rol das iniciativas só serve à propaganda petista.

3. O tempo perdido: A indústria sucateada

O setor industrial – que tradicionalmente costuma pagar os melhores salários e induzir a inovação na cadeia produtiva – praticamente não tem gerado empregos. Agora começa a desempregar, como mostrou o IBGE. Estamos voltando à era JK, quando éramos meros exportadores de commodities.

4. Inflação em alta: a estabilidade ameaçada

O PT nunca valorizou a estabilidade da moeda. Na oposição, combateu o Plano Real. O resultado é que temos hoje inflação alta, persistentemente acima da meta, com baixíssimo crescimento. Quem mais perde são os mais pobres.

5. Perda da Credibilidade: a contabilidade criativa

A má gestão econômica obrigou o PT a malabarismos inéditos e manobras contábeis que estão jogando por terra a credibilidade fiscal duramente conquistada pelo país. Para fechar as contas, instaurou-se o uso promíscuo de recursos públicos, do caixa do Tesouro, de ativos do BNDES, de dividendos de estatais, de poupança do Fundo Soberano e até do FGTS dos trabalhadores. Recorro ao insuspeito ministro Delfim Neto, próximo conselheiro da presidente da republica que publicamente afirmou: “Trata-se de uma sucessão de espertezas capazes de destruir o esforço de transparência que culminou na magnífica Lei de Responsabilidade Fiscal, duramente combatida pelo Partido dos Trabalhadores na sua fase de pré entendimento da realidade nacional, mas que continua sob seu permanente ataque”. A quebra de seriedade da política econômica produzidas por tais alquimias não tem qualquer efeito pratico, mas tem custo devastador.

6. A destruição do patrimônio nacional: a derrocada da Petrobras e o desmonte das estatais

Em poucos anos, a Petrobras teve perda brutal no seu valor de mercado. É difícil para o nosso orgulho brasileiro saber que a Petrobras vale menos que a empresa petroleira da Colômbia. Como o PT conseguiu destruir as finanças da maior empresa brasileira em tão pouco tempo e de forma tão nefasta? Outras empresas estatais vão pelo mesmo caminho. Escreveu recentemente o economista José Roberto Mendonça de Barros: “Não deixa de ser curioso que o governo mais adepto do estado forte desde Geisel tenha produzido uma regulação que enfraqueceu tanto as suas companhias”.

7. O eterno país do futuro: o mito da autossuficiência e a implosão do etanol

Todos se lembram que o PT alçou a Petrobras e as descobertas do pré-sal à posição de símbolos nacionais. Anunciou em 2006, com as mãos sujas de óleo, que éramos autossuficientes na produção de petróleo e combustíveis. Pouco tempo depois, porém, não apenas somos importadores de derivados como compramos etanol dos Estados Unidos.

8. Ausência de planejamento: O risco de apagão

No ano passado, especialistas apontavam que o governo Dilma foi salvo do racionamento de energia pelo péssimo desempenho da economia, mas o risco permanece. Os “apaguinhos” só não são mais frequentes porque o parque termoelétrico herdado da gestão FHC está funcionando com capacidade máxima. A correta opção da energia eólica padece com os erros de planejamento do PT: usinas prontas não operam porque não dispõem de linhas de transmissão.

9. Desmantelamento da Federação: interesses do pais subjugados a um projeto de poder

O governo adota uma prática perversa que visa fragilizar estados e municípios com o objetivo de retirar-lhes autonomia e fazê-los curvar diante do poder central. O governo federal não assume, como deveria, o papel de coordenador das discussões vitais para a Federação como as que envolvem as dividas dos estados, os critérios de divisão do FPE e os royalties do petróleo assistindo passivamente a crescente conflagração entre as regiões e estados brasileiros. Assiste, também, ao trágico do Nordeste, onde faltam medidas contra seca.

10. Brasil inseguro: Insegurança pública e o flagelo das drogas

Muitos brasileiros talvez não saibam, mas apesar da propaganda oficial, 87% de tudo investido em segurança publica no brasil vêm dos cofres municipais e estaduais e apenas 13% da União. Os gastos são decrescentes e insuficientes: no ano passado, apenas 24% dos R$ 3 bilhões previstos no Orçamento foram investidos. E isso a despeito de, entre 2011 e 2012, a União já ter reduzido em 21% seus investimentos em segurança. Um dos efeitos mais nefastos dessa omissão é a alarmante expansão do consumo de crack no país. E registro a corajosa posição do governador Geraldo Alckmin nessa questão.

11. Descaso na saúde, frustração na educação

O governo federal impediu, através da sua base no Congresso, que fosse fixado um patamar mínimo de investimento em saúde pela esfera federal. O descompromisso e as sucessivas manobras com investimentos anunciados e não executados na área agridem milhões de brasileiros. Enquanto os municípios devem dispor de 15% de seus recursos em saúde, os estados 12%, o governo federal negou-se a investir 10%. As grandes conquistas na área da saúde continuam sendo as do governo do PSDB: Saúde da Família, genéricos, política de combate à AIDS. Com a educação está acontecendo o mesmo. O governo herdou a universalização do ensino fundamental, mas foi incapaz de elevar o nível da qualidade em sala de aula. Segundo denúncias da imprensa, das 6 mil novas creches prometidas em 2010 , no final de 2012, apenas 7 haviam sido entregues.

12. O mau exemplo: o estímulo à intolerância e o autoritarismo.

Setores do PT estimulam a intolerância como instrumento de ação política. Tratam adversário como inimigo a ser abatido. Tentam, e já tentaram por … cercear a liberdade de imprensa. E para tentar desqualificar as críticas, atacam e desqualificam os críticos, numa tática autoritária. Para fugir do debate democrático, transformam em alvo os que têm a coragem de apontar seus erros. A grande verdade é que o governo petista não dialoga com essa Casa, mantendo-o subordinado a seus interesses e conveniências, reduzindo- o a mero homologador de Medidas Provisórias.

13. A defesa dos maus feitos: a complacência com os desvios éticos.

O recrudescimento do autoritarismo e da intolerância tem direta ligação com a complacência com que setores do petismo lidam com práticas que afrontam a consciência ética do país. Os casos de corrupção se sucedem, paralisando áreas inteiras do governo. Não falta quem chegue a defender em praça pública a prática de ilegalidades sobre a ótica de que os fins justificam os meios. Ao transformar a ética em componente menor da ação política, o PT presta enorme desserviço ao país, em especial às novas gerações.

Senhoras e senhores,

A grande verdade é, nestes dez anos, o PT está exaurindo a herança bendita que o governo Fernando Henrique lhe legou. A ameaça da inflação, a quebra de confiança dos investidores, o descalabro das contas públicas são exemplos de crônica má gestão.

No campo político, não há mais espaço para tolerar o intolerável. É intolerável, Senhoras e Senhores, a apropriação indevida da rede nacional de rádio e TV para que o governante possa combater adversários e fazer proselitismo eleitoral.

É intolerável o governo brasileiro receber de representantes de um governo amigo do PT informações para serem usadas contra uma cidadã estrangeira em visita ao nosso país.

Diariamente, assistimos serem ultrapassados os limites que deveriam separar o público do partidário.

E não falo apenas de legalidade. Falo de legitimidade. Vejo que há quem sente falta da oposição barulhenta, muitas vezes irresponsável feita pelo PT no passado.

Pois digo com absoluta clareza: não seremos e nem faremos esta oposição.
Agir como o PT agiu enquanto oposição faria com que fôssemos iguais a eles. E não somos.

Não fazemos oposição ao Brasil e aos brasileiros. Jamais fizemos.

Tentando mais uma vez dividir o país entre o nós e o eles, entre os bons e os maus, o PT foge do verdadeiro debate que interessa ao Brasil e aos brasileiros.

Como construiremos as verdadeiras bases para transformarmos a administração diária da pobreza em sua definitiva superação?

Como construiremos as bases para um desenvolvimento verdadeiramente sustentável e solidário com todos os brasileiros?

A esta altura, parece ser esta uma agenda proibida, sem qualquer espaço no governismo.

Até porque, Senhoras e Senhores, se constata aqui o irremediável: não é mais a presidente quem governa. Hoje, quem governa hoje o país é a lógica da reeleição.

Muito obrigado.”

 Leia também:

Lula: “Nós queremos comparação, inclusive sobre corrupção”

Caso Aécio: “É constitucional contratar empresa da família?”

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



55 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

“Não dá para continuar com Estado organizado como no século XIX” « Viomundo – O que você não vê na mídia

17 de março de 2013 às 23h56

[…] Aécio Neves lista os 13 “maiores fracassos” do PT […]

Responder

H. Back™

05 de março de 2013 às 16h11

Se o “A é B R i o” faz isso – viver mais no Rio do que no seu trabalho – imagine se for presidente. Certamente viverá mais em Miami do que em Brasília. Será que vai governar por procuração ou por correspondência?

Responder

FHC embarca na candidatura de Aécio Neves por 2014 « Viomundo – O que você não vê na mídia

24 de fevereiro de 2013 às 17h27

[…] Aécio Neves lista os 13 “maiores fracassos” do PT […]

Responder

Altamiro Borges: Por que FHC anda tão amargurado? « Viomundo – O que você não vê na mídia

24 de fevereiro de 2013 às 13h29

[…] Aécio Neves lista os 13 “maiores fracassos” do PT […]

Responder

H. Back™

22 de fevereiro de 2013 às 11h51

“(…) que o senador Aécio tivesse melhor nível intelectual,(…)”.
Mas em compensação ele tem melhor nível etílico. rs

Responder

H. Back™

22 de fevereiro de 2013 às 11h23

Qualquer cidadão medianamente informado poderia ficar o ano inteiro citando os 45.454.545 e tantos outros erros do PSDB. rs

Responder

FrancoAtirador

22 de fevereiro de 2013 às 11h00

.
.
Baita Palhão!
.
.

Responder

Mardones

22 de fevereiro de 2013 às 09h27

Não consegui ler todo o manifesto do Aécio. Dizer que o PT:

“6. A destruição do patrimônio nacional: a derrocada da Petrobras e o desmonte das estatais”.

É mais uma daquelas contribuições do Farol FHC. Foi o PT que vendeu a Vale com dinheiro do BNDES por um décimo do valor de mercado? k k k k k k

Realmente, só os aéticos para sustentar tamanha incompetência política.

O senador deveria estar sóbrio quando copiou o colou esses 13 pontos.

Vai beber, vai Aécio.

Responder

renato

22 de fevereiro de 2013 às 00h08

PSDB, esta com Marina na rede.
Quer criar um sistema de voto em branco, conseguindo
com isto uma quantidade de brasileiros que não votam.
Isto interessa aos USA, para a reforma politica, fazendo
com que não haja mais a obrigação do voto.
É estratégia que beneficia a Direita, que não consegue ser oposição.
Loucuras da cabeça de um trol, ou há um resquício de verdade.
Me contem meus queridos…
Estou começando a pegar o fio da meada, ou estou longe ainda.

Responder

renato

22 de fevereiro de 2013 às 00h00

Pergunta aos mais observadores.
Quantas idas ao copo de água Aécio faz por cada uma hora de discurso.
Se for cinco, é porque não veio dirigindo seu carro.Veio com o carro do Senado.
E parabéns ao fotografo, conseguiu apanhar um momento intímo do Senador,
quando pedia a presidência da mesa, um tempo para ir ao banheiro, severamente indignado ( com a barriga cochando, no palavreado chulo).
Meu Brasil, representado por um homem deste, nunca!

Responder

Arlete

21 de fevereiro de 2013 às 23h41

Tenho noje deste mentiroso. E O CHOQUE DE GESTÃO COM MINAS HIPER ENDIVIDADA? É ERRO? Faça-nos um favor sr aecim se manca!!!!!!

Responder

Marat

21 de fevereiro de 2013 às 23h17

Ele é um dos mimadinhos do PIG. Só por isso acha que pode agir como um moloque o tempo todo?… Parece o elefante se escondendo atrás de uma flor… Chega de psicodelismo, Aécio… Trabalhe sério. Ganhe dinheiro de maneira honesta, e pare de falar tanta bobagem, pega mal!

Responder

Marat

21 de fevereiro de 2013 às 23h11

Fracassos do PSDB:
1) Chanceler tirar os sapatos para um funcionariozinho de quinta categoria de um aeroporto dos EEUU;
2) Compra de votos para a reelição do FHC;
3) Servilismo de FHC aos desígnios dos EEUU;
4) Apagão – voltamos aos tempos do lampião a gás;
5) Geraldo Brindeiro – ele engavetava tudo!;
6) Apropriações de planos de outros partidos, como se as ideias fossem do PSDB;
7) Entrega dos bens brasileiros aos estrangeiros, a preço de banana;
8) Afundamento da plataforma P-36 (mais uma das sabotagens contra a Petrobras, mas essa custou cerca de um bilhão de reais);
9) Perfil entre a direita e a extrema direita, com sua coligação ao nefando, grotesco e arcaico PFL;
10) Compra da imprensa;
11) Sucateamento da educação;
12) Quebradeira do país em duas ocasiões;
13) Falta de democracia: Carta Capital não recebia investimentos, ao passo que veja, folha, estadão e outros lixos, recebiam;
14) Preservação de uma sociedade estamental;
15) Descaso com os pobres
Bem, vou parar no 15 porque já perdi tempo demais com esses crápulas.
Ah, por fim, o playboy falou tudo isso com ou sem teste de bafômetro?

Responder

Márcio Martins

21 de fevereiro de 2013 às 21h31

O playboy de Minas já não é tão novinho, apesar de “imaturo” politicamente, mas suas idéias são mais antigas ainda: do tempo da “casa grande”. Quanto aos “erros”, perfeição não existe, porém na média, o PT acerta muito mais do que erra; pelo menos muito mais que a direita representada por este indivíduo e seu PSDB e “coligados”. Esse discurso para mim beira o pífio, ridículo e com verniz demagógico.

Responder

    Marat

    21 de fevereiro de 2013 às 23h12

    Márcio: sensacional!!!
    “Imaturo” foi demais… Eu creio que ele tenha sérios problemas psicológicos (além dos etílicos), pois tem comportamento de adolescente!

Mário SF Alves

21 de fevereiro de 2013 às 21h13

Fora a sessão de invocação do avô, atenho-me por hora só ao décimo terceiro ponto. Aliás, “emblemático” que o assunto mais palpitante tenha sido incluído justamente ali, no 13.
______________________________________
Então, que seja assim, vamos ao 13:

Corrupção, senador? Ora, corrupção mesmo, corrupção generalizada e em pleno vigor, senador; corrupção pra valer mesmo, esta deve ser encontrada no “A Privataria… o resto todo mundo já sabe”. Corrupção mesmo, senador, corrupção com força total, senador, esta está contida numa série de denúncias adormecidas sob os glúteos de certo Prevaricador Geral e, pior, envolvem Vossa Excelência. Corrupção mesmo, senador, é a corrupção que DESDE o cinquecento, desde há quinhentos anos, alimenta e/ou retroalimente pela mão de prepostos, empresários, “políticos”, padres, pastores ou outros, o poder de mando e condição existencial de testa-de-ferro da pior elite do mundo, senador.
E, por fim, e encerrando os argumentos, se o PT fosse corrupto, senador – e não nego a ele o direito em grau mínimo à fraqueza de se corromper, mesmo porque, a corrupção é uma das condicionantes básicas ao funcionamento da economia capitalista e seus regimes de exceção ou pseudodemocracias ao redor do mundo –, se o PT fosse corrupto, senador, Vossa Excelência e os partidos e demais forças que, historicamente, representam essa referida pior elite do mundo, não o estariam criticando, ao contrário, senador, vocês o estariam aplaudindo. E só – e somente só – não o fariam isso se o PT os ameaçasse em sua hegemonia em termos de corrupção. Fato impossível. Até onde sei são necessário séculos e séculos de aprendizado, now how, até a CONSOLIDAÇÃO do modus operandi corrupciende. Ou não?
Então, Excelência, pelo bem da galera, pela paz de todos, não agrida o senso crítico e a inteligência dos que jamais o atingem, posto que sempre estiveram por baixo. Conte outra. Um pouco de lógica não faz mal a ninguém. Ou nem isso lhes é mais possível? A verdade, essa, sim, é inconteste, já sabemos, lhes é uma quimera. A lógica, no entanto, não, não é senador?
Qual a dificuldade em admitir as suas verdadeiras razões contra o PT? Não responda, tenho certeza, Isso, admitir a verdade, botaria seus seculares barquinhos à deriva, pois não?

Responder

Eduardo

21 de fevereiro de 2013 às 20h40

OS 45 MAIORES FRACASSOS DO PSDB

1) ESCOLHER O SERRA DUAS VEZES PRA DISPUTAR A PRESIDÊNCIA CONTRA O LULA E A DILMA. ahahahahahahahahahahahahahahahahah

2) o próximo, por favor !

Responder

Rafael

21 de fevereiro de 2013 às 20h25

Não é possível, todo mundo aqui é a favor do que está acontecendo com o Brasil então??? Ou são, se igualizando ao manifesto à blogueira, comentários “pagos”? Qual opção pra votar nós temos?

Responder

luiz pinheiro

21 de fevereiro de 2013 às 20h19

Aproveito para postar por escrito – o site já tem o vídeo – o texto do aparte do senador Lindbergh Farias (PT-RJ)ao discurso das “13 falhas” do candidato Aécio:

“Senador Aécio, com todo respeito a Vossa Excelência, acho que V. Excia. não constrói um discurso competitivo para um candidato a presidente da República. Em mais de meia hora de discurso, V. Excia, em nenhum momento, citou as palavras povo, gente, pessoas, inclusão social, emprego, miséria. São dez anos de governo do PT, nós temos que colocar essas palavras na pauta.
V. Excia. sabe que mais de 40 milhões de brasileiros entraram na classe média. Tá aqui a nova pirâmide social desse novo Brasil. Em relação à miséria, vamos conseguir chegar agora em março perto da erradicação da miséria no país. Números fabulosos. Em relação ao índice de Gini, a desigualdade no Brasil caiu 14%. E falo do emprego, porque V. Excia. não falou também do emprego. Nós estamos falando de economia, no momento de uma crise mundial como essa, onde o desemprego, em países como a França ultrapassa os 10%, na Inglaterra chega a 7%, na Espanha está acima de 26%, nós no Brasil enfrentamos essa crise com um índice de desemprego de 4,6% em dezembro último. V. Excia. fala de desorganização fiscal… devo dizer que a relação dívida pública/PIB caiu de 60%, no último ano do governo FHC, para 35% hoje. Nossas finanças estão sadias. O déficit nominal do país é de 2,5% do PIB, contra 4,5% na França, 8,3% na Inglaterra, 7,7% nos Estados Unidos. Então essa é a nossa boa situação fiscal. Infelizmente nenhum desses assuntos V. Excia. tratou aqui. A presidenta Dilma está lutando para melhorar nossa competitividade, a produtividade da nossa indústria. Infelizmente, os srs. Da oposição, em duas batalhas fundamentais, ficaram contra.Em agosto de 2011, quando o Banco Central começou a baixar as taxas de juros – e este é um feito histórico deste governo, hoje temos uma taxa de 7,25% -, os srs subiram à tribuna dizendo que o governo estava interferindo no Banco Central. Assumiram a defesa dos bancos e dos rentistas. Agora, na energia elétrica, ocorreu o mesmo. Quando a presidenta Dilma faz um grande esforço para reduzir os preços da energia elétrica, infelizmente os srs. da oposição, ao invés de ficar do lado do povo – povo do qual V. Excia. não fala em mais de meia hora de discurso -, ficaram ao lado dos fundos privados que lutavam pelo seu lucro. Eu lamento. Hoje à noite vamos ter uma grande festa lá em São Paulo, a festa dos 10 anos de governo do PT. E o centro desta festa é povo. Ontem, a presidenta Dilma lançou seu programa de erradicação da miséria, e lá tá escrito: “erradicação da miséria é apenas um começo”. Nós vamos lutar para continuar construindo uma grande democracia popular nesse país, para fazer esse país crescer com inclusão social”.

Responder

Antonio - SP

21 de fevereiro de 2013 às 18h57

Para fazer esse discurso sem pé-nem-cabeça,totalmente desconectado da realidade do nosso país na atualidade, o Aécio deve ter tomado um “mé daqueles bem brabos”, porre igual aquele do filme que circula na internet no qual o bastião da ética e da moralidades públicas aparece trançando as pernas.

Essa oposição é patética, com certeza nem eles acreditam nas baboseiras que falam.

Dilma está reeleita, só se algum asteróide atingir o Brasil a oposição terá alguma chance em 2014.

Responder

marta

21 de fevereiro de 2013 às 17h41

Como dizia a Regina Duarte, “tenho medo”! Mas é deste truste do Aécio.Se esse cara chega à presidência de nosso país, vai detonar o que puder a favor de seu ego. É um narcisista, egoísta, filhinho de papai. Não sei como a maioria do povo de Minas, ainda o apoia. Ele e a irmã conseguiram ser os mandantes número 1 por lá! Imaginem o estrago que farão no Brasil e o povo daí sim, vai ver o que é bom p’rá tosse. Vamos fazer pensamento positivo para que isso não aconteça! Sai p’rá lá coisa ruim!

Responder

juarez campos

21 de fevereiro de 2013 às 17h05

Pó pará Senador!

Responder

carlos gomes

21 de fevereiro de 2013 às 16h45

Nos oito anos do governo do PSDB comi o “pão que o diabo amassou”. Passei esse tempo todo desempregado sem nenhuma perspectiva de vida. Hoje, posso me considerar de classe média. Essa história começou a mudar a partir de 2005. Será coincidência? Eu não acredito muito em coincidências. Devo o momento em que vivo hoje à Lula e aos governos do PT. O resto é conversa fiada.

Responder

Fabio

21 de fevereiro de 2013 às 16h41

Acho que o Aécio Never que ouvir os 45 “maiores fracassos” do PSDB.

Responder

    Denise

    21 de fevereiro de 2013 às 23h22

    É isso aí!

Urbano

21 de fevereiro de 2013 às 16h29

Tem gente de ponta, na verdade de ponta-cabeça, na tunganagem que nem sabe contar até o número de fracassos deles. Fracasso não, pois isso só ocorre com quem tenta acertar. E isso já não é com eles.

Responder

jorge

21 de fevereiro de 2013 às 15h51

Vida longa a FHC(Va que ele morra, quem eu vou xingar?)

Responder

Maria a.

21 de fevereiro de 2013 às 15h38

Soh rindo!!!!!

Responder

souza

21 de fevereiro de 2013 às 14h48

na falta do que falar, seja grande, não fale.

Responder

Valdeci Elias

21 de fevereiro de 2013 às 14h44

Quem sabe o Brasil para, a economia quebra, e o Fim bate as nossas portas ?
Só assim o povo ,muda o voto em 2014.

Responder

Nedi

21 de fevereiro de 2013 às 14h33

…um “estadista”…

Responder

Tiago

21 de fevereiro de 2013 às 14h15

Em todos os comentários dos colegas ao post, não vi nenhum rebatendo os pontos elencados pelo senador:

1. O comprometimento do nosso desenvolvimento (verdade)

2. A paralisia do país: o PAC da propaganda e do marketing (verdade)

3. O tempo perdido: A indústria sucateada (verdade)

4. Inflação em alta: a estabilidade ameaçada (verdade)

5. Perda da Credibilidade: a contabilidade criativa (MUITO VERDADE! Ou alguém aqui apoiou o uso do Fundo Soberano pra fechar as contas?)

6. A destruição do patrimônio nacional: a derrocada da Petrobras e o desmonte das estatais (verdade, segundo palavras da própria Graça Foster, atual presidente da Petrobrás)

7. O eterno país do futuro: o mito da autossuficiência e a implosão do etanol (verdade)

8. Ausência de planejamento: O risco de apagão (meia verdade)

9. Desmantelamento da Federação: interesses do pais subjugados a um projeto de poder (verdade)

10. Brasil inseguro: Insegurança pública e o flagelo das drogas (verdade. Aliás, nem um post “progressista” sobre a situação da segurança em SC? Se fosse em SP…)

11. Descaso na saúde, frustração na educação (muito verdade. Duvido que algum dos apoiadores do governo que frequentam esse espaço cheguem perto do SUS)

12. O mau exemplo: o estímulo à intolerância e o autoritarismo. (MUITO VERDADE, e o maior exemplo são diversos colegas desse espaço apoiadores de assassinos e déspotas desde que estes tenham retórica anti-americana)

13. A defesa dos maus feitos: a complacência com os desvios éticos. (dsse aqui nem precisa dizer nada, mas a solução é fácil; basta culpar a “mídia golpista”)

Responder

Marcelo de Matos

21 de fevereiro de 2013 às 13h12

Dá lhe discurso! Isso me faz lembrar o avô do Aécio, Tancredo Neves, que lançado candidato à Presidência em agosto de 1984, prometia, com a urgência necessária, apoiar a indústria nacional. Faltou combinar com os chineses. Aécio diz: “O setor industrial – que tradicionalmente costuma pagar os melhores salários e induzir a inovação na cadeia produtiva – praticamente não tem gerado empregos. Agora começa a desempregar, como mostrou o IBGE. Estamos voltando à era JK, quando éramos meros exportadores de commodities”. Essa não é uma crítica ao governo, mas, ao empresariado nacional, que prefere investir em letras do tesouro direto a montar novas indústrias. De certa forma, os empresários estão certos. Ontem comprei, nas Lojas Americanas, um pacotinho com três escovas de dente importadas da China por uma empresa de Santa Catarina. O preço: R$ 2,99. Um real cada escova! Que empresário terá a coragem de competir com os chineses? O negócio é exportar commodities. Aliás, os próprios chineses também fazem isso.

Responder

João Vargas

21 de fevereiro de 2013 às 13h05

Acho que este Aécio é boi de piranha. Não acredito que a direita vai apostar todas as fichas em uma pessoa tão despreparada. A Marina pode ser o plano B.

Responder

RicardãoCarioca

21 de fevereiro de 2013 às 12h49

Só o aparte do Lindberg foi demolidor. Tá lá no Amigos do Presidente Lula, o vídeo. Impagável. Merecia um post, heim?

Responder

Eduardo Oliveira

21 de fevereiro de 2013 às 12h42

Chamar a política neoliberal de FHC de herança bendita não é mais o vazio de conteúdo mas equívoco de metas. O povo não é bobo e já sentiu o que é avanço, ainda que tímido, da dignidade da pessoa humana. Recomendamos verificar ao nobre representante do PSDb, se a bússola não estar invertida.

Responder

edson silva

21 de fevereiro de 2013 às 12h21

POdemos colocar no mesmo patamar o Aécio e o Pig (mesmo o dele sendo menor que o do Serra), pois demonstram o mesmo desespero e descompromisso com a verdade. Ele devia der utilizado seu tempo para explicar os desmandos em Minas e o exponenciação marqueteira que o Governo dele propiciou. Deviam colocar um bafômetro na entrada do senado!

Responder

francisco pereira neto

21 de fevereiro de 2013 às 12h08

Olha.
Li a manchete e não li a matéria.
O que vou dizer não é crítica ao blog.
Ler a matéria é assinar atestado de idiota igual ao autor do discurso.
Por favor, não dê palanque para esse pilantra.
Na página do portal Estadão tem um resumo em vídeo do discurso desse pilantra, mas não tem a resposta do Lindenberg Faria, que nocauteou o ébrio, manguaceiro.
Então, acho que o blog não deve se sujeitar a fazer um desserveviço ao seus leitores.
Obrigado.

Responder

Hélio Pereira

21 de fevereiro de 2013 às 12h03

Este Senador que fêz carreira Politica usando a Sombra de Tancredo Neves,que vive cambaleando nas Boates cariocas,dando Gorgetas de 100,00 Reais aos Garçons,que sai dirigindo completamente alterado pelas Ruas durante a noite e com a CNH vencida,que da o cano no trabalho e vai montar Cavalo em plena sexta Feira,cai e depois com a maior cara de pau recebe seus altos salarios como se fosse um Trabalhador exemplar, este Aécio é muito cara de pau,a quem ele quer enganar?

Responder

emerson57

21 de fevereiro de 2013 às 11h23

depois o psdb esvazia,
a direita chora,
os ratos abandonam o navio,
fegacê reconhece mais um filho alheio,
rei de doiscorgo espuma de ódio,
as viúvas da ditadura rezam o terço da opus dei …..

-ô dó!!!!!!!!

Responder

Jorge Portugal

21 de fevereiro de 2013 às 11h15

Essa gente do PSDB é igual a vampiro, não tem reflexo, não tem imagem.

Responder

BERTOLDO

21 de fevereiro de 2013 às 11h07

CADA VEZ MAIS ACREDITO QUE O AÉCIO É UM BOM CABO ELEITORAL DO PT,SEMPRE COLABORANDO.

Responder

Paulo Figuiera

21 de fevereiro de 2013 às 10h59

Ontem assisti a cobertura da festa de dez anos dos governos petistas no Jornal do SBT e no Jornal da Globo, as duas coberturas tinham em comum imagens concentradas em sua maior parte nas presenças de Genuíno e Zé Dirceu, alguns rápidos segundos das falas de Lula e Dilma que não compunham uma lógica, em seguida longa matéria sobre o discurso de Aécio e imagens dele na tribuna do Senado discorrendo os supostos treze erros dos governos petistas. Sei que sempre foi dessa forma, mas não sei porque nunca deixo de me surpreender com a forma desavergonhada que a mídia expõe a sua parcialidade e com o tipo de jornalismo que é oferecido.

Responder

    João Vargas

    21 de fevereiro de 2013 às 13h14

    Não assisti ao JN (aliás, faz muito tempo que não assisto), mas assisti ao jornal do SBT e, realmente é revoltante a parcialidade e as mentiras que são ditas descaradamente. Ontem, no jornal da cultura um comentarista chegou ao absurdo de comparar o regime cubano com o nazismo. Onde vai parar o jornalismo brasileiro?

    Ivanir

    21 de fevereiro de 2013 às 23h51

    Muito elementar meu caro amigo. Vai parar na lata do LIXO.

Patrícia

21 de fevereiro de 2013 às 10h23

O mui nobre senador esqueceu de acrescentar que a tal “lógica da reeleição” que nos governa, foi herança do psdb e custou muito caro (em dinheiro mesmo)ao Brasil.

Responder

Chico Damasceno

21 de fevereiro de 2013 às 10h12

Muito fraquinho o discurso ddo playboy. pelo visto não aprendeu nada com a raposa chamada Tancredo Neves, se aprendeu foi o que ele tinha de pior. Infelizmente temos que suportá-lo, pelo menos mais 2 anos aqui no (des)governo de Minas.

Responder

eduardo ramos

21 de fevereiro de 2013 às 10h08

Deviam fazer o exame do bafômetro depois dos pronunciamentos dos senadores…

Responder

Gerson Carneiro

21 de fevereiro de 2013 às 10h07

Eu vi e ouvi o discurso. Aécio com voz trópega e engolindo/trocando palavras. Senti a necessidade de submetê-lo ao bafômetro.

Responder

Roberto Locatelli

21 de fevereiro de 2013 às 09h39

O nobre senador Aébrio Neves – também conhecido como Menino do Rio – já tinha avisado que a oposição começaria a trabalhar depois do carnaval.

Quem julgará se o Governo Dilma é bom ou não será o povo, em 2014. As pesquisas de opinião já nos dão um indício de quem sairá vitorioso.

Em Minas Aébrio compensou a redução da conta de luz com um reajuste da tarifa da Cemig. Por isso a redução lá ficou só em 11%. Mais uma vitória do PSDB em Minas.
________________
Detalhe subjetivo: Aébrio tem o olhar vazio, parece estar olhando para o nada. Será que isso é indício do que vai no pensamento?

Responder

    Arlete

    21 de fevereiro de 2013 às 23h37

    Meu caro Locatelli o reajuste foi maior, minha conta elevou em 50%.

Marcio

21 de fevereiro de 2013 às 09h39

Ofereço esse link aos senhores que ainda não souberam pois a grande imprensa não divulga, que mostra a capacidade desse senador por Minas Gerais http://www.minassemcensura.com.br/conteudo.php?MENU=&LISTA=detalhe&ID=742

Sds

Responder

renato

21 de fevereiro de 2013 às 09h12

Um senador disse que havia milhares de pontos positivos,
que foi difícil reduzidos a 45, que era para exemplificar de
modo a abordar todo as ações do Brasil do PT.
Agora entendi PT 45 X 13 PSDB.
Foi uma lavada. Nem assim os homens ganham.
Mesmo tendo o Plenário esvaziado devido a Festa do PT.
As raposas acharam que iam se dar bem.
Mas tinha uns senadores do PT que arrasaram, Lindenberg detonou.
Dizendo que o Adé-Ceô Nerd, falou por 30 minutos e em nenhum
momento disse as palavras – POVO – GENTE – EMPREGO – FELIZ –
e adjetivos que lembra-se que ele estava preocupado com pessoas
só preocupava-se em malhar LUla e Dilma e PT, vendo o pleito de
2014. Isto é uma Vergonha.

Responder

Bonifa

21 de fevereiro de 2013 às 09h07

É inacreditável. Pensávamos que o senador Aécio tivesse melhor nível intelectual, que o distinguisse de truculentos como o deputado Sérgio Guerra. É coisa de quem pensa que um estreito espaço onde alguns amigos se reunem, tal como algum clube privado ou restaurante ou bar, encerra toda a realidade histórica do país. Este discurso é uma peça que merece ser emoldurada e colocada em algum futuro Museu dos Dispates Políticos do Brasil.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.