VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.
Cartas de Minas
Cartas de Minas

A crise e as novas forças políticas (e as nem tão novas assim)

25 de maio de 2007 às 18h45

por Luiz Carlos Azenha

O Viomundo acha a cobertura internacional da mídia brasileira bisonha. Por uma combinação de ignorância, preguiça, preconceito ideológico, falta de leitura e de contextualização histórica.

O Robert Fisk tratou melhor disso do que eu o faria, ainda que chegasse aos 100 anos de idade.

O Viomundo está de olho em duas tendências internacionais. O avanço do fascismo nos Estados Unidos, detectado pela Sara Robinson, entre outros. Trouxe a tradução de um artigo dela para o Viomundo novo, está aqui.

Essa tendência não se manifesta através de um novo Mussolini, mas de uma mulher que usa iphone e óculos Gucci, a Sarah Palin. E do Tea Party, o movimento neofascista que ganhou força com a eleição de Barack Obama, sobre o qual falei superficialmente aqui.

Anteriormente eu já havia opinado que o neofascismo dispõe de ferramentas para disseminar suas ideias como nunca existiram antes: twitter, mensagens de texto, etc. Retire um jovem contemporâneo do contexto histórico e ele será um candidato ideal a propagador do neofascismo, por causa da impulsividade dos jovens e da adesão de muitos deles às causas emocionais.

E o neofascismo vive disso: de causas emocionais. Do nós contra eles. Do maniqueísmo. Da transformação da política em sloganismo.

Da escolha de inimigos a serem odiados (como Evo Morales, o presidente da Bolívia, promovido a neodiabo pela campanha preconceituosa de José Serra contra os bolivianos).

É por isso que quando jovens jornalistas pedem que eu lhes dê algum conselho — pobres deles, não sabem o que fazem –, eu digo: leiam livros de História. Leiam sobre a ditadura militar no Brasil. Leiam sobre Getúlio Vargas. Leiam sobre a Segunda Guerra Mundial. Leiam sobre o colonialismo na África, na Ásia e na América Latina. Busquem autores além dos centros óbvios de poder: Nova York, Paris e Londres.

A segunda tendência que o Viomundo acompanha de perto é a repercussão da crise econômica na política internacional. Podemos dizer sem medo de errar, por exemplo, que o Tea Party estadunidense tira proveito do ressentimento popular com o fato de que o governo Obama resgatou Wall Street com fartos recursos públicos mas foi menos generoso com aqueles que perderam suas casas.

Agora, na Europa, duas coisas muito interessantes estão acontecendo: o surgimento de partidos que usam formas não tradicionais de mobilização e abandonaram a dicotomia capitalismo vs. socialismo dos tempos da guerra fria; e o ressurgimento de forças políticas que tiram proveito do fato de que a globalização beneficiou de forma desigual os europeus. Dentro da União Europeia, a crise aprofundou a distância entre alemães e gregos e deixou explícita a desigualdade de poder entre os dois países na comunidade. Fora dela, está cada vez mais claro que o neoliberalismo adotado no Leste Europeu pós-colapso da União Soviética não trouxe os avanços pretendidos (era o caminho, se dizia na época, para que os europeus do Leste alcançassem o padrão de vida de seus vizinhos a Oeste).

Pode-se dizer que as novas formas de mobilização a que aludi acima foram primeiro utilizadas na Europa a partir das iniciativas bancadas pelo National Endownment for Democracy (NED), que podemos definir grosseiramente como o braço civil da Central de Inteligência Americana, criado durante o governo de Ronald Reagan. O NED, que conta com apoio dos partidos Republicano e Democrata, de organizações sindicais e de empresários dos Estados Unidos e com financiamento aprovado pelo Congresso, se dedica a “promover a democracia”, obviamente sempre a democracia pró-Estados Unidos.

Teve um papel importante nas chamadas “revoluções” do Leste Europeu, mobilizando jovens através de slogans de fácil propagação, de flash mobs e outras formas de organização via internet, redes sociais e twitter. Tratei disso em vários post no Viomundo antigo, que em breve republicarei aqui.

Fiquem, agora, com um exemplo do múltiplo impacto político da crise econômica, neste caso na República Checa. Antecipo que os números preliminares da eleição checa mostram que os comunistas obtiveram cerca de 12% dos votos e que a surpresa foi o TOP 09, com cerca de 15% dos votos. As forças tradicionais do país obtiveram 23% (Social Democratas)  e 19% dos votos (Democratas Cívicos). Mas o que me interessa aqui são os métodos utilizados por essas novas forças políticas:

Comunistas checos esperam um retorno ao passado glorioso

Herald Tribune, May 29, 2010

Dan Bilefsky, de Praga

É um sinal da contínua influência do Partido Comunista aqui: um vídeo de grande popularidade chamado “Convença a Vovó” pede a jovens checos que não visitem os avós a não ser que eles concordem em não votar em partidos de esquerda como o comunista nas eleições deste sábado.

Seguindo o modelo de um vídeo da humorista Sarah Silverman, chamado The Great Schlep, que em 2008 apelou sarcasticamente a jovens eleitores judeus para que convencessem seus avós a apoiar Barack Obama no estado decisivo da Flórida, a versão checa também é crítica.

“Se os seus avós votarem na esquerda, diga a eles que espera podê-los encontrar vivos na próxima visita”, uma jovem atriz diz, quando uma imagem de um túmulo aparece na tela. O vídeo implora para que os jovens não se esqueçam das transgressões insidiosas dos antigos regimes comunistas, do exílio dos principais intelectuais e artistas à execução de inimigos políticos.

Os criadores do vídeo — a maioria de um grupo de amigos jovens e conservadores — dizem que o “Convença a Vovó”, que já teve 600 mil acessos desde que foi postado no You Tube um mês atrás, era uma arma necessária contra a ascensão de um Partido Comunista não-reformado, que as pesquisas recentes mostram poderá obter até 15% dos votos.

Em uma eleição que provavelmente não vai dar maioria aos Social Democratas de esquerda ou ao direitista Democratas Cívicos, analistas dizem que o Partido Comunista poderia se aproximar do poder como nunca desde que a Revolução do Veludo derrubou o comunismo em 1989.

“Nós odiamos os comunistas”, disse Marek Prchal, de 35 anos, um executivo de propaganda que ajudou a criar o vídeo. “Os comunistas deveriam ter sido banidos faz tempo”. Ele argumentou que se o socialismo fosse autorizado a prevalecer, a República Checa correria o risco de se tornar “a Grécia da Europa Central”.

Analistas dizem que o Partido Comunista está se beneficiando de uma reação regional na qual os eleitores estão expressando seu descontentamento com o fracasso das revoluções de 1989 em cumprir suas promessas.

“O tema em toda a região é a política do descontentamento”, disse Anna Matuskova, uma analista política. “Na República Checa há uma nova geração com iPhones que não se lembra do comunismo e vai votar no partido como forma de protesto”.

O Partido Comunista neste país continua sendo o único que sobreviveu no antigo Bloco do Leste e para muitos de seus críticos é um anacronismo perigoso.

Analistas dizem que os Social Democratas e os Democratas Cívicos, desejosos de manter os comunistas longe do poder, podem se juntar em uma grande coalizão que jogaria o país em um período de indecisão. Outro cenário diz que os Social Democratas poderiam formar um governo minoritário dependente do apoio tácito dos comunistas.

Os comunistas não são o único partido que aproveita o grande descontentamento com a política de sempre e vários outros partidos poderiam se mostrar decisivos nesta eleição.

O recentemente criado TOP 09, um partido de conservadores fiscais liderado por Karel Schwarzenberg, um príncipe que fuma cachimbo e é ex-ministro das Relações Exteriores, buscou atrair eleitores mandando a eles falsas notas promissórias para deixar clara a crescente dívida do país, além de promover encontros informais em bares.

Outro novo partido, o Public Matters, liderado por um carismático jornalista investigativo, Radek John, instituiu patrulhas em Praga para remover viciados em drogas e sem-teto das ruas.

No caso do Partido Comunista, sua arma secreta é Katerina Konecna, a integrante mais jovem do Parlamento checo, de 28 anos de idade, que diz se sentir igualmente à vontade usando sapatos de salto agulha ou lendo O Capital.

Filha de ex-integrantes do Partido Comunista, a sra. Konecna diz que a recente crise do capitalismo se mostrou um incentivo aos jovens comunistas, que se sentem atraídos pelas promessas de educação gratuita e empregos garantidos.

“As pessoas preferem fazer filas para comprar banana do que ficar na fila do desemprego”, ela diz.

Ainda assim os limites para o apelo dos comunistas contemporâneos ficaram aparentes em um comício na quinta-feira diante de um dos maiores shoppings de Praga. A maior atração foi Jana Kocianova, de 18 anos, uma versão checa da Britney Spears, que cantou e rodopiou “I Will Survive”, de Gloria Gaynor, para uma plateia de senhores de 80 anos que marcavam o ritmo batendo as bengalas no pavimento.

Falando entre os números musicais, a sra. Kocianova, vestida em jeans apertados, elogiou o sentido igualitário dos comunistas, ainda que cantar para eles não tenha atraído fãs para ela na escola. “Não é cool ser jovem e apoiar o Partido Comunista”, ela lamentou. Mas acrescentou rapidamente: “Eu não vivi sob o comunismo e assim realmente nem lembro como era”.

Apoie o VIOMUNDO

Crowdfunding

Veja como nos apoiar »

O lado sujo do futebol

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Entre os mais vendidos da VEJA, O Globo, Época e PublishNews. O Lado Sujo do Futebol é o retrato definitivo do que acontece além das quatro linhas. Um dos livros mais corajosos da história da literatura esportiva, revela informações contundentes sobre as negociatas que empestearam o futebol nos últimos anos. Mostra como João Havelange e Ricardo Teixeira desenvolveram um esquema mafioso de fraudes e conchavos, beneficiando a si e seus amigos. Fifa e CBF se tornaram um grande balcão de negócios, no qual são firmados acordos bilionários, que envolvem direitos de transmissão e materiais esportivos. Um grande jogo de bolas marcadas, cujo palco principal são as Copas do Mundo.

por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet.

Compre agora online e receba em sua casa!

 

34 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

João

21/07/2010 - 02h14

Azenha, não podemos esquecer da I e II Guerras mudiais: ocorreram por causa da competição (I Guerra) dos europeus por colônias; a II – que para mim foi o segundo tempo da primeira- nada mais foi do que a revanche alemã contra o Tratado de Versalhes.
Em tempos de crise econômica, sempre aparecem os "salvadores da pátria" (como Hitler, Mussolini e outros). Espero que não vejamos este filme novamente.
Em tempo: muito oportuno seu conselho aos jovens jornalistas: leiam, estudem!

Responder

dedinho

21/07/2010 - 01h34

É por isso que quando jovens jornalistas pedem que eu lhes dê algum conselho — pobres deles, não sabem o que fazem –, eu digo: leiam livros de História. Leiam sobre a ditadura militar no Brasil. Leiam sobre Getúlio Vargas. Leiam sobre a Segunda Guerra Mundial.

E leiam principalmente "As origens do totalitarismo" de Hannah Arendt

Responder

dedinho

21/07/2010 - 01h04

Ribéry é acusado de prostituição infantil; Benzema aguarda
O meia francês Franck Ribéry foi acusado nesta terça-feira por um juiz de instrução por contratar os serviços de uma garota de programa menor de idade.
O atacante Karim Benzema, por sua vez, aguarda audiência com o juiz após, assim como seu compatriota, ter sido preso preventivamente e interrogado pela polícia francesa.
Segundo a imprensa local, tanto Ribéry como seu cunhado, 21 anos e também acusado, foram liberados após tomarem conhecimento da decisão judicial.
A legislação francesa prevê penas de até três anos de prisão e 45 mil euros de multa para clientes de prostitutas menores de 18 anos.
Em declarações à imprensa francesa, a advogada de Ribéry, Sophie Bottai, afirmou que o jogador não sabia que a prostituta, Zahia, era menor de idade quando a contratou, em 2009.
Em abril, Ribéry reconheceu em declaração à polícia ter mantido relações com ela e ter lhe pagado uma viagem à Alemanha. Os investigadores do caso pretendem descobrir agora se foi o próprio jogador quem comprou a passagem de avião a Zahia. Se essa hipótese for confirmada, poderá ser provado que ele soube da idade real da jovem.
O interrogatório policial de hoje de Benzema e Ribéry, que durou mais de seis horas, aconteceu três meses após a divulgação do caso, que gerou grande polêmica na França.
Os investigadores, porém, decidiram adiar a data do testemunho dos jogadores para depois da Copa do Mundo, para não interferir na preparação da seleção francesa, da qual apenas o meia fez parte na África do Sul.

Responder

monge scéptico

20/07/2010 - 12h27

O ser humano é completamente influenciável e programável. Basta apelar para as emoções,
levantar uma bandeira e, la o sem rumo tomar partido de coisas doida.
Bom mesmo é amar o BRASIL e procurar seguir uma política de paz e boas relações com
todos. Qualquer discussão sobre o que ocorre com a USA e o mal que causa ao mundo, dá
nojo. Acho.

Responder

Fabio_Passos

30/05/2010 - 14h40

Que qué isso, Mc?
Foi o fascismo que expulsou Trotsky da Rússia.

Responder

Filipe Rodrigues

30/05/2010 - 13h21

A tendência é essa Azenha, a crise econômica irá gerar mudanças políticas pelo mundo, o que já está ocorrendo e iniciou-se na nossa América Latina. O Luis Nassif publicou um texto meu no seu blog, sobre a crise da social-democracia liberal (FHC, Blair, 3º via) e o retorno da social-democracia keynesiana (petistas, bolivarianos e comunistas). http://colunistas.ig.com.br/luisnassif/2010/05/09

Responder

Messias Macedo

30/05/2010 - 11h31

[O CANDIDATO [JOSÉ] (S)ERRA ESTÁ DESCONSTRUINDO… O PIG! Senão vejamos:]
EPÍLOGO

Especulação: pode ser uma tentativa de construir um discurso mais linha dura em relação à segurança pública, um dos temas de maior preocupação do eleitorado. O risco é soar meio malufista. Existe indício nesse sentido: o violento comportamento da Polícia Militar de São Paulo hoje em dia.
A PM paulista está matando mais, de acordo com dados do primeiro trimestre deste ano comparados com a mesma época do ano passado. Nesse período, em que Serra governava o Estado, cresceram 40% as chamadas ocorrências em que há resistência seguida de morte.
FONTE: Cadê o discurso, Serra?
Texto escrito por Kennedy Alencar, Folha de São Paulo, [dos Frias da ditabranda]

República Destes Bananas de Sempre os Mesmos(!)
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

setepalmos

30/05/2010 - 11h13

O caso é a visão reacionária e a mídia hegemonica.

O tea party demoniza o Obama, e ele ter deixado o papel de "tira mal" para a Hilary enquanto ele segue o roteiro de "tira bom" lhe é desfavorável.

A mudança da política externa pode ter fundamento aí, nesta diversa visão entre Democratas de centro, e os de centro direita.

Republicanas, lá, são todos de direita ou extrema direita…

E o mundo definha.

Responder

    francisco.latorre

    30/05/2010 - 12h54

    opa..

    definha o mundo deles. o norte.

    os mundos mundo afora vão bem.

    bem demais com o império desmanchando.

    chinas índias áfricas arábias.. turquias indonésias rússias..

    a nossa latino-america..

    o mundo vai bem.

    vai mal a euroamerika & associados.

    ..

    setepalmos

    30/05/2010 - 14h33

    Meu caro amigo latorre
    A crise mundial não pode ser ignorada.
    O que ocorre com o leste europeu, com a grecia, espanha, portugal, e italia, é reflexo.
    As indas e vindas dos saques que parecem perdas, não podem ser desprezados.
    Saudações fraternas!

Messias Macedo

29/05/2010 - 23h52

AINDA SOBRE O VICE DO (S)ERRA E OUTROS DESESPEROS!

[O CANDIDATO [JOSÉ] (S)ERRA ESTÁ DESCONSTRUINDO… O PIG! Senão vejamos:]

Claro que a vaga de vice é um problema para a campanha do pré-candidato do PSDB à Presidência, José Serra. Mas encontrar o discurso parece ser um problema ainda maior.
(…)
Sem discurso, começam a bater o desespero e o destempero no próprio candidato. E, aí, ocorrem ataques como o desferido contra a Bolívia. Ninguém entendeu a razão.

Responder

Augusto Gasparoni

29/05/2010 - 23h35

Caro Azenha;

Sou leitor assiduo de seu blog, admirador de seu trabalho, e de seu compromisso jornalístico. Eventualmente posto alguns comentários nos post's, e por não conseguir enviar a mensagem de outra forma – não sei usar muito bem os recursos de internet/informática – escolhi este post por acaso. Não sou da área jornalística, nem pretendo tirar nenhuma vantagem disso. Sou aposentado do sistema Petrobras e me enquadro na linha política que você, o PHA, o Eduardo Guimarães, Emir Sader, Leandro Fortes, e tantos outros tão bem nos alimentam de informações e idéias, e contrários à política entreguista de FHC, Serra, Aécio, Tasso, José Agripino, Álvaro Dias, etc…
Tendo esclarecido isso, tomei conhecimento de um assunto atual, e creio que seria útil uma matéria no seu blog sobre a Flotilha de socorro a Gaza, que transporta 800 ativistas de várias nações, inclusive 40 políticos, 10.000 toneladas de materiais de construção, equipamentos médicos e remédios, e está sendo impedida pelos israelenses de aportar com esses recursos em Gaza, através de sua Marinha. Informe-se melhor no site: http://www.freegaza.org/

Responder

Milton Hayek

29/05/2010 - 22h48

Vejam mais uma mentira da VEJA,desmontada de forma implacável pelo Blog Naval:

"Desde então, o petroleiro continua “estacionado” no porto de Suape.

VEJA.com foi ao porto saber porque o navio ainda não navega. Segundo dois funcionários ouvidos no local, a embarcação ainda não está pronta. Faltam partes do motor e placas de revestimentos de aço. A assessoria de imprensa da Transpetro, indicada pelo estaleiro para se pronunciar sobre o assunto, informou que faltam apenas “acabamentos”. E confirmou que o petroleiro lançado ao mar por Lula e Dilma só fará sua primeira viagem em setembro. Segundo a empresa, esse dado foi divulgado à época, e eventos de batismo e lançamento ao mar antes da entrada em operação são rotineiros “em qualquer lugar do mundo”.

NOTA DO BLOG: A Veja nunca se informou que NÃO EXISTE navio que sai navegando imediatamente após seu lançamento, que entre lançamento e entrega “em qualquer lugar do mundo” existe o acabamento, provas de mar e aceitação do navio antes da entrega, e mesmo após ainda navega sob garantia do estaleiro ? E assim caminha a mentalidade e cultura naval/marítima no Brasil…

Ao menos por boa parte de orgãos que teriam por definição informar corretamente…
http://www.naval.com.br/blog/2010/05/28/nt-joao-c

Responder

Ubaldo

29/05/2010 - 22h28

"E o neofascismo vive disso: de causas emocionais. Do nós contra eles. Do maniqueísmo. Da transformação da política em sloganismo.' Azenha

Esse é o próprio petismo!!!!

Responder

    Leider_Lincoln

    30/05/2010 - 16h53

    Suerrar e ignorar os "nanicos" e ser subserviente aos "gigantes" é o que, Ubaldo? Aliás, salvo engano, não é o PSDB de e com José Chirico Serra que,ao invés de acabar com o PCC, pagar salários minimamente decentes aos delegados e policiais, ou responder as gravíssimas acusações de Abadia de que o Denarc é um grupo criminoso e dar um fim na crackolândia, preferiu culpar a bolívia pelo problema das drogas? Ele é filiadoao PT, Ubaldo? Ou ele pode? Dizer que os ateus e fumantes não tem Deus, ao invés dos evangelicos, que o têm não é uma "causa emocional" e "nós contra eles" não, Ubaldo? Nos explique, por favor. Estarei te esperando e tenho certeza que outros milhares de leitores também. Vamos debater fascismo!

simonleonidas

29/05/2010 - 21h45

Todavia estamos atentos e não desistimos nunca. Apesar dos pesares. Felizmente podemos contar com espaços livres e de alto nível como o viomundo.

Responder

Supertramp68

29/05/2010 - 21h38

"E o neofascismo vive disso: de causas emocionais. Do nós contra eles. Do maniqueísmo. Da transformação da política em sloganismo. Da escolha de inimigos a serem odiados (…)"

Será que esse trecho se refere a "herança maldita do governo anterior", da culpa pela crise ser dos brancos de olhos azuis, do governo dos pobres contra o dos ricos, da demonização do FHC privatista, ou do " Nunca antes na história desse pais…"?

Esse neofascismo tende a ditadura pela esquerda!

Responder

Mc_SimplesAssim

29/05/2010 - 21h06

É evidente que os oligarcas não querem a volta do socialismo e tudo farão para convencer as novas gerações de tratar-se de um sistema anacrônico já superado, como se o capitalismo fosse muito moderno e eficiente.

Nessa louca defesa do sistema capitalista, o neofascismo já é uma realidade e cabe às pessoas sensatas impedir que esse perigoso vírus se propague.

Importante recordar que muitos dos que se dizem de esquerda na verdade são entusiastas do nazismo, como Trotsky que combateu Stalin e a URSS a soldo dos imperialistas ocidentais e obteve grandes êxitos em dividir os assim chamados comunistas, o que favoreceu anos depois o colapso do socialismo no leste europeu.

Entretanto, não há mentira que dure para sempre e as máscaras estão caindo.

Responder

Diogo

29/05/2010 - 20h36

Azenha,

existe um excelente documentário sobre o papel das fundações privadas americanas nas "revoluções coloridas" do leste europeu.; "A conquista do leste" foi produzido por uma tv estatal francesa, mas não em lembro o nomes da mesma. Contudo, esta fonte de informação é ótima, pois demonstra como estas instituições influenciaram e finaciaram estes movimentos em alguns dos paises que faziam parte da URSS.

abraço

Diogo Carvalho

Responder

Milton Hayek

29/05/2010 - 20h01

Eu mandei a carta que o filho do Plínio Marcos escreveu sobre o pai dele.Vocês vão entender se o Azenha postar aqui.Na carta tem uma frase que pode significar algo para nós,os que estamos na outra margem do rio da vida:

"A poesia, a
magia, a arte, as grandes sabedorias não podem habitar corações medrosos."

Responder

O Brasileiro

29/05/2010 - 19h54

Por que as pessoas passam tanto tempo pensando em como matar umas às outras ao invés de usar esse tempo para resolver seus problemas de forma pacífica?
O homem sabe desde os primórdios que o diálogo e a solidariedade são melhores do que a guerra, mas insiste na guerra, no ódio!
Darwin, Marx e Freud explicam!

Responder

luis

29/05/2010 - 19h10

Jana Kocianova já tem mais de 50 anos…não entendi… vejam… http://www.youtube.com/watch?v=d3a7qPeusE4&fe… , só se for a outra… deve ter uns 40… http://www.youtube.com/watch?v=6Ric6ithMLA
o pessoal ta viajando inventando essas coisas para florir…

Responder

Cecéu

29/05/2010 - 18h56

Azenha, a Europa, sobretudo a do Leste, precisa de modo premente e urgente de uma nova esquerda moderna, que faça a crítica correta dos acontecimentos decorrentes da crise e ofereça uma saída política clara, atraente e viável. As velhas forças de esquerda não têm como se sobrepor às propostas catastróficas da direita e os jovens ficam assim, querendo mudar e sem terem como.

Responder

Messias Macedo

29/05/2010 - 18h51

DO TIME DA HILLARY!
EPÍLOGO

Ministro Celso Amorim, e por que o Brasil se meteu nesta questão tão complexa do Irã?
Simplesmente, porque o Brasil é um país que se preocupa com a paz!

[NOTA: ‘senti o friozinho na barriga da Mirian’ “dos Marinhos”!]
FONTE: programa ‘Espaço Aberto’ [‘RouboNews’]

Messias Franca de Macedo
Feira de Santana, Bahia, República de Nós Bananas

Responder

Messias Macedo

29/05/2010 - 18h50

DO TIME DA HILLARY!
PARTE II

Mirian, esta sua pergunta é excelente! (sic) Não sei se é o seu caso (idem sic), agora, o engraçado é que justamente as pessoas que manifestam a tese de que não tem significância o Brasil pleitear uma cadeira no Conselho de Segurança da ONU, são estas mesmas pessoas que, agora, externam preocupações acerca do fato de o envolvimento do Brasil na questão do Irã poderá constituir-se num componente comprometedor ao assento do Brasil neste mesmo Conselho! Este, digamos, paradoxo é interessante, e atiça a minha curiosidade intelectual… E mais: se for para o Brasil não ter voz ativa, e ter de ficar numa condição de subserviência, é preferível o Brasil não ocupar este assento.

Responder

Messias Macedo

29/05/2010 - 18h50

DO TIME DA HILLARY!

Mirian Suína, perdão, Mirian Leitão, “das Organizações Marinho”. Senão vejamos como a ‘urubóloga’ veste bem o figurino – e a alma – oposicionista!
Ministro Celso Amorim, depois deste imbróglio relacionado ao caso do Irã, o senhor acredita que o Brasil está mais próximo ou mais distante da condição de se tornar membro permanente do Conselho de Segurança da ONU?

Responder

vander

29/05/2010 - 20h17

O presidente Lula entende como poucos o cenário político-econômico mundial. Saiu na Der Spiegel que Lula salta para a primeira divisão da diplomacia mundial. Inclusive os EUA reconhecem a nova força do Brasil no mundo. Seguem os links:
http://muitopelocontrario.wordpress.com/2010/05/2
http://noticias.bol.uol.com.br/internacional/2010
http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/inter

Responder

Douglas O. Tôrres

29/05/2010 - 18h56

Enquanto os sinais da decadencia do imperio estão cada dia mais claros,e alguns povos no mundo não são mais seduzidos pelo canto de sereia do capitalismo de mercado,(America Latina,Japão, e começando como no texto no leste Europeu),a velha direita americana,geneticamente estabelecida na classe media branca yanke,tenta rugir para um mundo em transformação,esse rosnar funciona ainda para o publico interno,mas externamente se começa a questionar esse querer de alinhar automático.Quando a crise chegar ao centro da zona do Euro,a Alemanha que é de fato o banco central da União Européia,não havera terceira via??? que que desague a insatisfação popular,o que pode restringir mais os neo conservadores em seu território,mais uma manada a fazer compania aos Bisões.

Responder

Marat

29/05/2010 - 18h52

É muito perigoso o momento no qual vivemos:
1) Temos um império decadente recheado de armas nucleares e aviões sofisticadíssimos;
2) Temos uma Europa de joelhos e infestada de fascistas, especialmene no leste;
3) Temos países periféricos sempre lutando contra proto-fascistas apoiados pela imprensa…
O quadro é problemático e não caminha para um bom fim… Fim que combina muito com aquela maluca da Sarah, que, se eleita, poderá acelerar o processo de destruição da terra!

Responder

    Milton Hayek

    29/05/2010 - 19h21

    A saída,como sempre,vai ser a guerra.

ejedelmal

29/05/2010 - 18h40

Sugestão de Leitura:
http://www.scribd.com/doc/28277517/PRINCIPIOS-ELE

Responder

    Milton Hayek

    29/05/2010 - 19h25

    Muito bom!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

D + p SP dempsdb

29/05/2010 - 18h30

Excelente Azenha. Na minha infância remota era comum ouvirmos do professor de português o poema de Castro Alves "Oh! Bendito o que semeia/Livros … livros à mão cheia …/ E manda o povo pensar!/O livro caindo n'alma/ É germe – que faz a palma,/ É chuva – que faz o mar."
Era uma maneira singela de nos levar à leitura num tempo em que pouca gente lia. Ainda hoje mais que nunca a leitura é necessário

Tenho dito.

Responder

Tweets that mention A crise e as novas forças políticas (e as nem tão novas assim) | Viomundo - O que você não vê na mídia -- Topsy.com

29/05/2010 - 15h19

[…] This post was mentioned on Twitter by Conceição Oliveira, mara m. de andréa. mara m. de andréa said: RT @maria_fro: Fonte das postagens anteriores :A crise e as novas forças políticas (e as nem tão novas assim) – http://tinyurl.com/26l9dlg (via @viomundo) […]

Responder

Deixe uma resposta