VIOMUNDO

Diário da Resistência


Sandro Abreu: O choro da elite mineira sobre a medalha entregue a Stédile
Denúncias

Sandro Abreu: O choro da elite mineira sobre a medalha entregue a Stédile


28/04/2015 - 21h00

Captura de Tela 2015-04-28 às 20.55.49

A medalha da Inconfidência e a insatisfação da elite mineira

por Sandro Abreu, via Facebook

A indignação de políticos conservadores e de parte do empresariado mineiro com a medalha da Inconfidência concedida ao líder do MST, João Pedro Stédile, escancara o que está posto no Brasil neste momento: a elite não aceita mais o povo no Poder. É isso.

Isso é mais forte do que a crise econômica e do que a corrupção que está sendo desvendada após décadas de assaltos aos cofres públicos.

Não é por simples insatisfação que entidades empresariais gastaram uma boa grana para publicar uma nota de repúdio em jornais mineiros. Curiosamente, a nota saiu publicada na mesma página que trouxe a notícia da aprovação da terceirização.

Políticos, artistas, juristas, empresários, jornalistas, ativistas e uma gama enorme de pessoas de todo o Brasil já foram condecoradas com a medalha, incluindo o amigo do rei Luciano Huck e o “grande empresário” Eike Batista, que tanto explorou as riquezas mineiras de Minas Gerais, prejudicando gente simples e humilde das comunidades rurais do interior, como por exemplo, em Conceição do Mato Dentro.

Mas o Stédile não pode ganhar. O “grande jornal dos mineiros” chegou a colocar como intertítulo da matéria sobre o evento: bandido.

Alguns homenageados mais conservadores já anunciaram que irão devolver suas medalhas e o PSDB protocolou Projeto de Resolução na Assembleia Legislativa para cassar a medalha de Stédile.

Hoje deputados da oposição e alguns manifestantes nas galerias do Plenário da ALMG, entre eles, o filho de Pimenta da Veiga, candidato do PSDB ao governo do Estado, derrotado pelo PT, usaram cordas vermelhas no pescoço para continuar o lamento sobre a medalha concedida a um líder de movimento popular. Então é isso, a aristocracia pode receber, o rebelde não.

O interessante é que foi justamente isso o que aconteceu com Tiradentes. De todos os inconfidentes, ele foi o único sentenciado à morte. O motivo? Ao contrário dos outros, não tinha alta patente, era de classe baixa e não pertencia à elite das minas gerais. Os demais receberam penas mais brandas.

Embora a Inconfidência Mineira tenha sido um movimento da elite mineira revoltada com a derrama, alguns ideais marcaram o movimento como a luta contra a exploração das terras mineiras pela Coroa portuguesa, luta pelo direito dos colonos e por liberdade.

Bandeiras parecidas com as do MST. Tiradentes foi alçado a herói após a proclamação da República, e sua imagem trabalhada estrategicamente para associá-lo a Jesus e à simplicidade, reforçando a representação de homem do povo e do bem. Mas um homem do povo, um rebelde não pode receber a medalha que lembra justamente a conjuração e a rebeldia dos mineiros.

Mas além da medalha a Stédile, a cerimônia dos Inconfidentes promovida pelo governo petista, em Ouro Preto, no último dia 21, trouxe mais uma novidade: a praça foi aberta ao povo após 12 anos de cerimônias fechadas.

O governador enfrentou manifestação, mas manteve sua postura democrática e popular.

Stédile é povo. Esse foi o 21 de abril deste ano em Minas Gerais. Talvez Tiradentes, pelo menos a imagem forjada ao longo do tempo, esteja mais satisfeito agora…

Leia também:

Ester Rabello: Uma frase com 35 anos de História, “o povo não é bobo, abaixo a Rede Globo”





18 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Nelson

30 de abril de 2015 às 17h03

Vida longa ao companheiro João Pedro Stédile, este sim, um dos orgulhos do Rio Grande do Sul.

Responder

FrancoAtirador

29 de abril de 2015 às 20h21

.
.
Liderados pelo Premiê Cunha, 320 Picaretas
aprovam Projeto que derruba obrigatoriedade
da rotulagem de alimentos transgênicos.
.
Na noite desta terça-feira (27), a Câmara dos Deputados
aprovou em plenário o Projeto de Lei que prevê a não obrigatoriedade
da rotulagem de alimentos que possuem ingredientes transgênicos.
.
Foram 320 votos a favor e 120 contra.
.
Muitos consideram o PL 4148/2008, do deputado ruralista [investigado no STF]
Luiz Carlos Heinze (PP/RS) , um atentado ao direito à informação da população,
cujo projeto só beneficiaria as empresas do agronegócio que querem esconder
a origem do produto comercializado.
.
(http://cartamaior.com.br/?/Editoria/Politica/Camara-derruba-obrigatoriedade-da-rotulagem-de-alimentos-transgenicos/4/33373)
.
.

Responder

Sagarana

29 de abril de 2015 às 17h10

Por essas e outras que eu fui embora. Bye bye Brazil!

Responder

Bernardo

29 de abril de 2015 às 16h37

Hipocrisia pura: da chamada elite mineira, da imprensa ( até tu Band??), dos partidos que são oposição ao governador Pimentel. Seria o caso também desta turma desmerecer as referências e elogios feitos pelo Papa Francisco ao Stédile recentemente. Todos hipócritas que somente querem continuar acima da Lei, do bem e do mal. Foram citados nos comentários vários agraciados que não mereceriam a comenda porque simplesmente não têm ” nada no balaio para mostrar”. A inveja e raiva ainda vão matar esta turma!

Responder

    sebastiao salustiano filho

    29 de abril de 2015 às 19h08

    AQUI NO RN. GERALDO MELO DO PSDB VAI ENTREGAR A MEDALHA QUE RECEBEU, GRANDE COISA NAO SE3 ELEGE NEM PRA SINDICO DE CONDONMINIO, CHORA AGRIPINO MALA.

JC

29 de abril de 2015 às 16h02

A praça é do povo, é do Povo!
(Castro Alves)

A medalha que o povo braSileiro de Minas, a Terra dos Inconfidentes, lhe concedeu, Stédile, representa o reconhecimento pela sua dignidade, pelo seu valor na luta pelos excluídos que mourejam nos campos do Brasil. Que continue você à frente dessa nova- antiga luta contra a escravidão em nossa Pátria…Parabéns!
JC

Responder

Hell Back

29 de abril de 2015 às 16h00

Se o indigesto perrela recebeu a medalha da Inconfidência, porque o líder do MST, João Pedro Stédile, não pode receber?

Responder

Fabiano Andrade

29 de abril de 2015 às 12h16

A elite mineira e de todo país é muito hipócrita. Por exemplo: a rede Bandeirantes, de rádio e Tv, em editorial, lido por Fábio Panunzio, em seu telejornal se declarou indignada com a atribuição da medalha Tiradentes a Stédile, porém, nunca vi uma palavra nos telejornais, desse grupo, quando tal medalha, em governos anteriores, foi atribuída a elementos próximos à extrema-direita e muito menos essa rede emitiu uma palavra, sequer, sobre a denúncia de que seu controlador teve conta no HSBC, na Suíça. Mas, voltando a Stédile: a direita, tem demonizado tanto o personagem que resolvi ler, uma entrevista dada por ele. Qual foi minha surpresa? Esperava ler propostas muito radicais, porém, verifiquei que Stédile tem posições cristãs e , por essa razão, tenha sido recebido pelo papa Francisco. O que Stédile propõe é MENOS radical do que as medidas implantadas pelos Jacobinos, na Revolução Francesa, há 225 anos ! Portanto, a elite brasileira é tão conservadora que se opõe a medidas que foram feitas, na França há mais de dois séculos !

Responder

Braz

29 de abril de 2015 às 12h15

Medalhas disso ou daquilo, Cidadãos honorários, Personalidade do Ano, Nobel disso ou daquilo, até a Cadeira na Academia Brasileira de Letras, tudo isso não vale nada, é só politicagem desse ou daquele governo em determinado tempo. Não sei se quando foram instituídas, essas homenagens eram sérias, mas hoje “não fedem nem cheiram” .

Responder

Julio Silveira

29 de abril de 2015 às 11h20

Parece que a elite mineira não reconhece o historico de Tiradentes e de seu conteudo revolucionário. Mas as elites são assim, primeiro matam, depois esquartejam, para em seguida salgar o libertador. Quando mais a frente verificam que cometeram um crime contra o futuro, rapidinho encampam o heroi como se tivesse saído de suas origens oligarquicas. Hoje, no Brasil, poucos merecem uma condecoração pela proximidade idealista que os aproximem a de Tiradentes, dentre esses, um dos que se aproximam mais, para merecer a distinção, é justamente o Stedille. O prefeito teve visão acurada neste sentido, para prestar homenagem ao mais próximo tiradentes da atualidade. Parabéns ao Prefeito.

Responder

tiao

29 de abril de 2015 às 09h27

Corrigindo: eu sou de lá…

Responder

tiao

29 de abril de 2015 às 09h26

Uma vez ao descer de um onibus debaixo de um temporal pedi ao cara de uma banca de jornal um Estadão atrasado para me proteger,e ele me deu o mapa de Minas Gerais.E eu sou lá…

Responder

O Mar da Silva

29 de abril de 2015 às 08h42

Certíssimo o governador de Minas em enfrentar a turba e fazer a celebração em praça pública. Precisa também tirar a máscara dos bandidos travestidos de anjos, como o filho do Pimenta da Veiga. Minas precisa saber que Pimenta pai ganhou R$ 300 mil de Valério Dantas e até hoje não entregou a nota fiscal pelos ‘serviços prestados’. E está solto!

Responder

Nascimento

29 de abril de 2015 às 08h37

Se eles vão devolver as medalhas como sinal de protesto, não estão fazendo mais do que um ato de justiça para com a democracia. Diante de tanta cara de pau deste bando melhor que verifiquem o nome de todos que receberam tal condecoração; e solicitar por carta registrada, a medalha Tiradentes, que não aceita estar no peito de pessoas sem o menor compromisso público, e sem moral nenhuma de cobrar tal condecoração. Mas é “normal”, fazer barulho para esquecer da “cagada” que foi descoberta pela auditoria do Pimentel em MG. É este o motivo desta palhaçada. Minha singela opinião.

Responder

Ralph de Souza filho

29 de abril de 2015 às 06h45

Faltou a medalha do Perrella, pois, no Guinness do Tráfico, ademais, o Helicoca, afinal, carregava 455 quilos de Pasta Base Pura, a vir a se transformar em 50 quilos, com a mistura, e, então os seis se transformariam em 100,000.000,00 de Reais, em Paris,Londres e Amsterdam. Agora, imaginem, quantos helicópteros conseguiram atravessar a rota, antes deste ser descoberto. Assim, o Cruzeiro poderia ter um elenco grande numericamente e tecnicamente acima da média, pois, minha gente é muito pó e haja nariz…

Responder

Diano Lauar

28 de abril de 2015 às 23h08

Stédile não pode, é bandido. Mas os Perrelas, com seus 500 kg de pasta base e outras maracutaias, podem. Políticos comprovadamente corruptos, podem. Sonegadores contumazes também podem. Haja hipocrisia para essa gente arcaica e retrógrada.

Responder

Reidson

28 de abril de 2015 às 22h09

Esqueceram da medalha JK???

Quanta honra ver ela no peito do dono do helicóptero que foi apreendido com 450kg de pasta base de cocaína… ou no peito do próprio Perrella que dispensa comentários.

Responder

José Barbosa

28 de abril de 2015 às 22h07

Cada um faz a reforma agrária do seu jeito…uns com o MST e outros diretamente com o Secretário Estadual do Meio Ambiente de MG.

A velha mídia critica o Pimentel por ter dado, em 2015, a Medalha da Inconfidência ao Líder do MST, João Pedro Stedile, por causa das suas LEGÍTIMAS LUTAS CONSTITUCIONAIS e suas conquistas em prol da reforma agrária.

Porém, o governo do PSDB também condecorou o seu “líder da reforma agrária”…tudo bem que a “Reforma Agrária” foi somente para os três filhos do governador, né ?!?
http://www.otempo.com.br/a-dois-dias-de-sair-secret%C3%A1rio-beneficiou-fam%C3%ADlia-pinto-coelho-1.1027630

Nesse caso a mídia NÃO TRATOU, o Sr. Alceu Torres Marques como bandido e sim, como uma pessoa honrada que foi condecorada, com mérito, recebendo também a Medalha da Inconfidência, em 2014:
http://al-mg.jusbrasil.com.br/noticias/2160152/presidente-participa-da-entrega-da-medalha-da-inconfidencia

Durante 12 anos o debate político em MG foi interrompido e a tucanada perdeu o tino e seus argumentos. Estão birutas com a perda também do poder local…rsrsrs

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Blogs & Colunas
Mais conteúdo especial para leitura