Rogério Correia: Disputa entre tio-avô e Aécio em Cláudio é “jogo de cena”

Tempo de leitura: 5 min

Rogério-Correiaaecio-neves

Rogério Correia: “Precisou de uma campanha nacional e dos olhos nacionais para que o mineiro passasse a conhecer quem é o senador Aécio Neves”

por Conceição Lemes

Quanto mais se investiga o aeroporto de Cláudio (MG), mais detritos aparecem.

Em 2008, Aécio Neves, na época governador (PSDB), decidiu asfaltar a pista de pouso de avião da fazenda do seu tio Múcio Tolentino naquele município. Com aval da Justiça, desapropriou a área e estipulou em R$ 1 milhão a indenização a ser paga ao proprietário.

O tio de Aécio não aceitou o montante oferecido pelo Estado e entrou na Justiça. Contratou um perito que calculou a indenização pela área em R$ 20.587.174, 50, valor acatado pela Justiça em primeira instância.

A Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2015 prevê para o próximo ano exatamente o pagamento de R$ 20.587.174, 50 em indenização para Tolentino. Essa LDO foi enviada em maio à Assembleia Legislativa pelo governador Alberto Pinto Coelho (PP) e aprovada. O valor consta do anexo que trata dos riscos ficais do Estado; são ações na Justiça que o governo pode perder.

Porém, a advocacia do Estado entrou na Justiça e conseguiu anular a perícia feita pelo tio de Aécio e estabeleceu provisoriamente a indenização em R$ 3,4 milhões. Um perito judicial deve determinar o novo valor.

Nas LDO de 2013 e 2014, de autoria do ex-governador e atual candidato ao senado Antonio Anastasia (PSDB), a previsão era possivelmente pagar R$ 3,4 milhões. Na semana passada, Aécio admitiu por meio de nota que o tio pleiteava receber R$ 9 milhões pela área.

O governo de Minas apresenta os R$ 3,4 milhões como “vitória” do Estado.

O Minas Sem Censura, bloco parlamentar de oposição ao governo tucano, discorda.

Em sua página no Facebook, num post cujo título é Querela judicial no caso do aecioporto de Cláudio era jogo combinado?, o bloco observa:

Nunca se ouviu falar da insatisfação sincera do tio Múcio com o sobrinho. Nem uma crítica, nem uma reclamação, nem uma briga familiar. A querela judicial era mero jogo de cena.

Ao final, tio Múcio vai ganhar “apenas” 3,4 milhões de Reais, pela área do Aecioporto.

E o uso privado, que já completou 31 anos, dessa obra pública vai continuar. Pois, não há demanda na cidade por um aeroporto. Seu uso será somente pelos Neves da Cunha.

É por isso que o senador Aécio Neves, autoritariamente, já encerrou o caso.

Nós conversamos um pouco mais sobre o assunto com o deputado estadual Rogério Correia (PT), vice-líder do bloco Minas Sem Censura.

Viomundo – Desde 2012, o governo de Minas inclui na LDO a indenização do tio de Aécio por uma parte da sua fazenda em Cláudio. Na LDO de 2015, provisionou R$ 20 milhões. Nas LDO de 2013 e 2014, R$ 3,4 milhões. O que o senhor acha disso?

Rogério Correia — A LDO é a previsão para a lei orçamentária do Estado. No caso do “aecioporto”, não existe nem decisão final da Justiça e o governo de Minas já está prevendo pagar o tio do Aécio.

De cara, isso já demonstra muito boa vontade com o tio do Aécio. E mais. Má fé do governo. Pode ser até um caso de superfaturamento indenizatório, além do já obvio superfaturamento da obra. Afinal, R$ 14 milhões para asfaltamento de uma pista é inexplicável.

Quem fez o cálculo de R$ 20 milhões para um pedaço da fazenda? E o cálculo de R$ 3,4 milhões? O governo de Minas tem de explicar tudo isso.

É um escândalo, um assalto aos cofres públicos. Nem a fazenda inteira do Tolentino custa isso! Eu diria que o provisionamento antes de uma decisão final coloca o governo de Minas no epicentro do escândalo do “aecioporto”. Eu diria que o governo de Minas e o senador Aécio foram pegos com batom na cueca.

Viomundo – Até agora só foi depositado R$ 1 milhão na conta do tio do Aécio, que, por sinal, está bloqueado por conta de uma ação do Ministério Público.

Rogério Correia –O fato não foi consumado ainda, porque está na Justiça. Mas a presteza do governo em tentar resolver logo a situação mostra a sua má intenção em efetivar a indenização com valores exorbitantes. Acho que nós conseguimos frear um calote nos cofres públicos.

O aeroporto de Cláudio foi feito com dinheiro público. Há 31 anos essa pista de pouso pública está tendo uso privado pelos Neves, o que mostra o espírito coronelista deles.

São muito fortes as evidências de que o senador quando governador utilizou do cargo para proveito da sua família e dele próprio. Ele, a família e os políticos ligados a ele utilizam o aeroporto.

Então, Aécio faz daquilo um aeroporto pessoal de descanso e de atividade política. Um aeroporto que foi construído com recursos públicos e que prevê, num ano de eleição, um desembolso de R$ 20 milhões. O que reforça a necessidade de se investigar o caso.

Viomundo — Tem ainda o aeroporto de Montezuma, feito na região onde fica a fazenda do pai de Aécio.

Rogério Correia – O que mostra que o senador é justo, zeloso, quando se trata de sua família. Construiu o aeroporto de Cláudio para a família da mãe e o de Montezuma, para a família do pai. Duas áreas em que os aeroportos eram totalmente desnecessários.

Montezuma é uma cidade de 8 mil habitantes. Lá tem um balneário de águas quentes para recreação. Mas o aeroporto só pode ser usado pela família de Aécio. A fazenda de Montezuma está em nome da irmã, Andréa Neves.

Com esses casos, Aécio repete a locupletação de recursos públicos, como fez na sua rádio pessoal, a Arco-íris, quando ele foi pego no teste do bafômetro no Rio de Janeiro.

Recursos públicos foram colocados lá pela própria irmã, quando Aécio era governador.

Então, essa utilização de recursos públicos em benefício próprio é a forma de Aécio fazer política, o que reforça o apelido de Aecinho Malvadeza, que o Minas Sem Censura colocou nele há algum tempo. Infelizmente, os ares menos aprazíveis da Bahia continuam soprando em Minas Gerais.

Viomundo – O que o Minas Sem Censura pretende fazer agora? 

Rogério Correia – O senador censura a imprensa, domina o Ministério Público… Mas agora isso não pode ficar assim. Investigar é uma necessidade.

Eu sei que a palavra do senador vale pouco, aliás nunca valeu muito, mas recentemente ele andou querendo a CPI da Petrobras no Congresso Nacional. Ele disse que quem não quer CPI, quem não quer investigar, é porque tem culpa no cartório, está de rabo preso…

Vamos ver agora se os deputados da base dele vão assinar a CPI para investigar os aeroportos de Cláudio e Montezuma, inclusive o valor da indenização para o tio.

No dia 1º, nós vamos iniciar a coleta de assinaturas. Vamos pedir aos deputados da base dele que assinem. Sozinhos, nós não conseguimos aprovar uma CPI. O bloco tem 21.

Viomundo – Quantas assinaturas são necessárias?

Rogério Correia – Vinte e seis. A CPI do Mineirão, que é outro problema de corrupção no governo de Aécio, falta apenas uma assinatura. Tivemos agora uma vitória no Tribunal de Justiça que manteve a ação contra ele pelo desvio de recursos da saúde.

O Ministério Público de Minas já abriu um inquérito para apurar o caso. E nesta semana vamos levar ao conhecimento do promotor encarregado essa questão das LDO. Vou enviar esses documentos para o PT nacional, para que encaminhe ao procurador-geral da República.

Enfim, o senador Aécio neves começou a ser conhecido em Minas Gerais agora. Precisou de uma campanha nacional e dos olhos nacionais para que o mineiro passasse a conhecer quem ele é.

Espero que o Brasil rejeite esse tipo de política onde impera a visão de tratar o Estado como capitania hereditária. E prevaleça o espírito democrático e de isenção dos governantes da separação entre o público e o privado.

Leia também:

Apoie o jornalismo independente


Siga-nos no


Comentários

Clique aqui para ler e comentar

Eduardo

O Rogerio Correia está enganado com os mineiros! Eles sempre souberam que o Aécio,familia e amigos mamam secularmente no Estado de Minas Gerais e nos cofres públicos. A questão é que as instituições, Ministerio Publico, Tribunal de Contas, Justiça e imprensa de nivel desprezivel, que deveriam proteger o cidadão honesto e contribuinte, ao contrario,se locupletam ou se submetem desavergonhadamente ao proprio espirito subserviente e ao interesse privado e acham uma “Glória” “estar ao lado, serem tratados como ” conhecidos”dos exploradores e contraventores públicos historicos da elite politica mineira! A verdade é que o ambiente público, o meio, quase todos que rodeiam o Estado de Minas, o fazem a troco de favores às vezes caracterizados como mendicância e imorais! O ambiente em torno do governo do Estado em Minas sempre foi esse: Estado e cofres públicos como fonte inesgotável dos politicos tipo Aécio! E o povo? Os contribuintes que com o trabalho enchem os cofres do Estado e os eleitores mineiros? É desanimador! Incompreensível! Aécio se esbalda e acha que possui uma uma tradicional ” Tropa de burros”!

Carlos Lima

É notório que isso e na linguagem popular é “ROLO” para arrecadar dinheiro veja vocês que o processo de apropriar-se dos cofres mineiros tem a ver com os períodos eleitorais é esquema dos violentos. Se Minas Gerais não tivesse sido entregue ao crime organizado não estaria acontecendo tamanho rombo impunemente, simplesmente porque quem pratica são as “famiglias” oligárquicas que se apoderaram da justiça, parte da polícia e da política mineira, o histórico de nomeações de familiares do mandatário maior do estado através de lei delegada, só por isso já dava cadeia e era motivo de vergonha. Se um priminho vendedor de cachaça consegue subornar um desembargador para livrar traficantes da cadeia imagina o primo rico que comanda tudo pode fazer. O medo imperou em MG. Demoramos anos para tirar a turma do “CLUBE DA ESQUINA DO AEROPORTO e da DNA” Ai vem o maior oportunista, o ITAMAR FRANCO, o político mais falso da história de MG. É só pesquisar, ele pavimentou o governo federal para o PSDB, e novamente colocou o PSDB no Estado de MG, só foi governador porque a turma do aeroporto ficou com dó da vergonha que ele passou na convenção do PMDB em Brasília que cooptado pela turma do METRÔSALÃO de São Paulo o fez passar a maior vergonha tentando voltar a ser candidato presidência e assim o consorcio do mau PSDB/PMDB tendo a frente FHC o humilhou nessa convenção do PMDB, como prêmio de consolo usaram NEWTON CARDOSO como vice e deram a ITAMAR o premio de consolo ou seja o GOVERNO DE MINAS. Então ITAMAR era mesmo como FHC e VEJA achavam o Don Quixote da alterosas. Agora a Turma de São Paulo estão criando um outro, o DON QUIXOTE DOS AEROPORTOS PARTICULARES e todo mundo sabe que ninguém o leva a sério, era a FRUTA PODRE QUE FALTAVA NA A SALADA PAULISTA DE CORRUPÇÃO. E Por incrível que pareça o esquema maior é o transporte, justamente o que mais deprime o provo brasileiro e mineiro.

Cesar Lenzi

Gostaria de saber qual o tamanho da área objeto da ação de desapropriação. Considerando a pista asfaltada (1000m x 30m= 30.000m2) e a área ao redor acredito que não deve ultrapassar a 200.000m2 tem-se um total de 230.000m2 ou 23 hectares. O preço do hectare de sítios em Cláudio não deve ser superior a R$ 50 mil/hectare. Portanto o valor máximo de indenização seria de R$ 1.150.000,00.

FrancoAtirador

.
.
A JOGADA DA FAMÍGLIA TOLENTINO NEVES

Resumindo, é como se o Governo de Minas Gerais
houvesse adquirido um imóvel ‘penhorado’ na Justiça,
para aliviar uma dívida judicial de parentes do Governador
na tentativa de salvar o patrimônio da própria Família dele.

E, no fim das contas, na verdade, foi o Povo Mineiro
quem pagou por essa dívida privada que o Tio Tolentino
tinha [e ainda tem] na Justiça do Estado de Minas Gerais.

Pior, o ex-Governador Aécio Neves se utilizou de Verba Pública
para, indiretamente, ressarcir o Erário Público de Minas Gerais
de um valor que era devido por um Tio-Avô dele,

porque um dos objetos da Ação Civil Pública nº 0166.03.000173-8
impetrada pelo MP-MG é exatamente o de reparação de danos ao Erário
por Improbidade Administrativa de Múcio Guimarães Tolentino
quando ele foi Prefeito do Município Mineiro de Claudio.
.
.

marcosomag

A PF já está investigando a possível conexão muitíssimo explosiva entre o heliPÓptero e o “aécioporto”?

José X.

Off topic:

E a situação da Santa Casa em SP ? É mais um golpe tucano, como os bilhões que sumiram em Minas ? É erro do governo federal ?

Conhecendo o Geraldinho Pinheirinho não é difícil de acreditar que ele arranjou esta crise, prejudicando a população paulista só para prejudicar a candidatura do Padilha, que foi ministro da Saúde.

FrancoAtirador

.
.
Janeiro de 2009

Governo de Minas Gerais.

Propaganda Enganosa:

Chama o PROCON!

(http://desastresaereosnews.blogspot.com.br/2009/01/obras-no-aeroporto-de-passos-so.html)

Comentários Hilários!!!
.
.

    FrancoAtirador

    .
    .
    sexta-feira, 16 de janeiro de 2009
    AVIATION NEWS

    O Governo de Minas, por intermédio do Departamento de Obras Públicas do Estado de Minas Gerais (Deop), autorizou nesta quinta-feira (15) o início das obras de reforma e melhoramentos em oito aeroportos do interior do Estado,
    além do início da construção do terminal aeroportuário [SIC] de Claúdio,
    no Centro-Oeste.
    […]

    Para o secretário de Estado de Transportes e Obras Públicas em exercício, João Fleury,
    “esta ação beneficiará não só o desenvolvimento econômico do Estado,
    mas também a saúde das pessoas,
    já que um aeroporto permite o transporte mais rápido
    de pacientes em situação de emergência”.
    […]

    As obras

    Em Cláudio está prevista a construção total do aeroporto,
    com pista de mil metros por 30 de largura,
    taxi way,
    estacionamento de aeronaves,
    terminal de passageiros,
    equipamentos para operação 24 horas
    e alambrado cercando a área patrimonial.
    Na pista poderão pousar aeronaves
    com capacidade para transportar até 50 passageiros.

    Locais e valores investidos:

    Município e Valor (R$)

    Capelinha = R$ 10.200.000,00

    Cláudio = R$ 13.400.000,00

    Curvelo = R$ 5.600.000,00
    Divinópolis = R$ 11.500.000,00
    Guaxupé = R$ 3.500.000,00
    Lavras = R$ 10.300.000,00
    Ouro Fino = R$ 2.200.000,00
    Passos = R$ 6.100.000,00
    Piumhi = R$ 6.700.000,00

    Total = R$ 70.000.000,00

    Fonte: Governo de Minas

    “6 comentários:

    Anônimo disse…
    É praticamente ridiculo a construção de um aeroporto em Cláudio, uma cidade com menos de 25 mil habitantes, totalmente pacata!! sem contar que fica a 50 Km de Divinópolis! isso é interesse pessoal do Govenador que tem uma fazenda na cidade!
    20 de janeiro de 2009 17:47

    Anônimo disse…
    Ridículo é Sr. Anônimo, mas pelo menos vai beneficiar a cidade e sua micro região, E o Sr. Newton Cardoso que construía as pistas dentro das suas fazendas e o único beneficiado era ele! Tá errado, mas pelo menos tá bom…
    7 de maio de 2009 10:48

    Anônimo disse…
    Ridiculo??? Cláudio fica a 30 minutos de Divinopolis quem tem um otimo aeroporto, que esta ate em reformas! Com uma pista de 1800 M por 45 M de largura! para que construir numa cidade com 22 mil habitantes! e Cláudio esta a 70 km de oliveira q tem outro aeroporto reformado no incio do ano! para que isso??
    3 de julho de 2009 18:38

    Müller disse…
    Porque nós de Cláudio temos Moral com o Sr.Governador,né?!rsrsrs…
    13 de outubro de 2009 17:24

    Anônimo disse…
    Moral para criar uma despesa para a cidade? pq vao ter q contratar pessoal para ficar o dia todo la atoa! e se tiver iluminacao noturna, aquelas lampadas sao muito caras, no incio do ano a prefeiitura de Divinopolis trocou algumas ao preço de 50 mil reais! vamos aplaudir o elefante branco!
    4 de novembro de 2009 14:03

    Anonimo disse…
    Hahahaha! Perceberam que o aeroporto de Cláudio é o mais caro da lista e hoje, mais de um ano pronto, jogado as moscas… É verdade! JOGADO AS MOSCAS. Apenas o Sr. Aécio Neves o utiliza para seus fins de semana na putaria em sua fazenda na cidade. Outra coisa, o terreno onde é o aeroporto, ja foi comprado pelo Estado umas 03 veses… Pelo falecido Tancredo, pelo Aécio e acho que só deve ser coincidência mesmo, o terreno é (era, ja nem sei mais) do Sr. Múcio Tolentino (cunhadinho do Tancredo e tiodo Aécio) êeeeeee BraZilllllll…
    1 de outubro de 2011 18:41”

    (http://migre.me/kGKBs)
    .
    .

José

No caso desta desapropriação, governo do Aécio está usando na integra o conceito de uma antiga piada sobre a suposta da ignorância do mineiro: certa vez um mineiro foi ao Rio e começou a contar quantas vezes o bondinho subia e descia do pão de açúcar, quando apareceu um malandro carioca e o advertiu, dizendo que era proibido fazer isto,e por este crime teria de pagar R$ 100,00 por cada vez contada, e perguntou quantas subidas do bondinho ele tinha contado, tendo o mineiro confessado 10 contadas, exigiu o pagamento imediato da multa de R$ 1000,00, o que foi feito pelo mineiro. Retornando a Minas, ele ainda se vangloriou por sua esperteza, pois tinha contando 100 subidas, e por isto economizado R$ 9.000,00. Na piada real, a dupla Tio-Aécio faz o papel do malandro carioca, já que essa multa é tão exigível quando o inútil Aeroporto de Cláudio, e o povo mineiro faz próprio papel do mineiro esperto.

roberto

Esse pessoal é mais sujo que pau de galinheiro. E ainda querem governar o Brasil, inacreditável.

Francisco

Dizem que a fazenda está na familia desde o tempo da escravidão. Precisa dizer mais alguma coisa ou estou sendo redundante?

Idalma

Depois dessa, o Aécio sumiu, e já mudou o seu slogan, agora é: VAMOS DESCONVERSAR????

Regina Fe

A turma do atraso finalmente conseguiu o seu tão desejado caos aéc…ops..aéreo.

assalariado.

Vivemos numa sociedade de luta de classes! Então, qual é a função política do Estado burgues, senão ser uma fortaleza e casamatas da classe burguesa. Vamos convidar para falar sobre este assunto o companheiro Karl Marx,que explica:

O Estado é a expressão política da luta econômico-social das classes, amortecida pelo aparato da ordem (jurídica) e da força pública (policial e militar). Não é, mas aparece como um poder público distante e separado da sociedade civil. Não por acaso, o liberalismo define o Estado como garantidor do direito de propriedade privada e, não por acaso, reduz a cidadania aos direitos dos proprietários privados (a ampliação da cidadania foi fruto de lutas populares contra as ideias e práticas liberais).

Agora vamos convidar outro companheiro, Antonio Gramsci que, também explica:

Referente à ampliação do conceito marxista de Estado, trata-se do aspecto de que “o Estado era muito mais do que o aparelho repressivo da burguesia; o Estado incluía a hegemonia burguesa na superestrutura” (leia-se, instituições do Estado) e, também, se refere a este assunto, que denomina de “A teoria ampliada do Estado em Gramsci.

O Estado, em sentido amplo, com novas determinações, comporta duas esferas principais: a sociedade política (que Gramsci também chama de “Estado em sentido estrito”, ou de “Estado coerção”), que é formada pelo conjunto de mecanismos através dos quais a classe dominante detém o monopólio legal da repressão e da violência, e que se identifica com os aparelhos de coerção sob controle das burocracias executiva e policial- militar; e a sociedade civil formada precisamente pelo conjunto das organizações responsáveis pela elaboração e/ou difusão das ideologias, compreendendo o sistema escolar, as Igrejas, os partidos políticos, os sindicatos, as organizações profissionais, a organização material da cultura (revistas, jornais, editoras, meios de comunicação de massa).

Ou seja, a inovação promovida por Gramsci em relação à ampliação do conceito marxista de Estado foi no sentido de que Marx concebia o Estado apenas como sociedade política, como braço repressor da burguesia sobre o operariado, e Gramsci passou a considerar o Estado como parte também da superestrutura responsável pela imposição e difusão da hegemonia burguesa, embora tenha reconhecido que o Estado capitalista é, também, braço repressor da burguesia sobre o operariado, sendo, porém, mais do que isso.

Saudações Socialistas.

Carlos Ribeiro

Descansar de que? Ele a usa pra curar suas ressacas violentas das noitadas cariocas. Pó pará, candidato!

Julio Silveira

Risível esse teatrinho antes das eleições. Se a folha não guardasse esse rancor assimilado ninguém ficaria sabendo. Agora que se torna publico, surgem essas divergências para consumo do publico, passada as eleições e sem o calor das pressões e com ódios políticos internos amainados, se não houver de fato interesse publico em continuar essa apuração, o que é mais provável, vão esperar assentar a lama para ficar tudo do mesmo jeito. Não podemos esquecer o poder que tem para abafar um mensalão próprio e promover outro, do adversário.

João Vargas

É a farra do boi! O tio Tolentino ganha um aeroporto nas suas terras construído com dinheiro público e ainda, de lambuja, alguns milhôes na sua conta. Aécio..pede prá sair!

    Mariza

    Ele pede nada, vai dar chance ao Serra?

Deixe seu comentário

Leia também