Marin na Câmara Municipal, insulto à Comissão Vladimir Herzog

Tempo de leitura: 4 min

por Conceição Lemes

Há três meses espantei-me. Sete dos 11 vereadores petistas da Câmara Municipal de São Paulo assinaram projeto de coronel Telhada (PSDB) para homenagear a Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar). Todos na contramão da história do partido em defesa dos direitos humanos e da luta contra a ditadura.

Pois neste domingo levei outro susto. Nesta segunda-feira 10, a Câmara Municipal concederá o título de cidadão paulistano a Joseph Blatter, presidente da Fifa, durante audiência pública sobre a Copa do Mundo e as projeções para a cidade de São Paulo.

O projeto é de autoria do vereador Reis, do PT, que, entre outras justificativas, diz:

 Joseph Blatter, um dos mais versáteis e experientes nomes da diplomacia esportiva internacional, tem um compromisso total com o trabalho pelo futebol, pela FIFA e pelos jovens do mundo inteiro. Ciente das realizações do suíço, o Comitê Olímpico Internacional o nomeou como o seu 104º membro durante a 109ª sessão do organismo, em Seul, em 20 de junho de 2007.

 Há muitos anos, o suíço vem se envolvendo em uma série de projetos humanitários, já que acredita que o futebol também tem uma grande responsabilidade diante da sociedade.

Bem, atentem ao convite, distribuído pelo próprio vereador Reis. Vários parlamentares do PT participarão do evento.

Da mesa prevista para a homenagem a Blatter, estará José Maria Marin, atualmente presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Um insulto à  Comissão da Verdade da Casa — Comissão Municipal da Verdade Vladimir Herzog.

 

Marin, segundo a Frente Nacional de Torcedores, é o mentor da prisão do jornalista Vladimir Herzog, assassinado em outubro de 1975, nas dependências do DOI-Codi, à rua Tutoia,  São Paulo.

Marin, então deputado estadual pela Arena, o partido da ditadura, era conhecido por proferir discursos inflamados contra a esquerda.

O mais notório  foi publicado em 9 de outubro de 1975 no Diário Oficial do Estado de São Paulo.  Marin subiu à tribuna para criticar a ausência da TV Cultura na cobertura de evento da Arena e pedir providências do Estado contra a TV Cultura, “a fim de que a tranquilidade volte a reinar não só nessa casa, mas principalmente nos lares paulistanos”.

Esse discurso é conhecido como uma das causas que levaram à prisão e morte do Vlado, como era chamado pelos colegas, que na época o Jornalismo da TV Cultura.

“Marin não apenas incitou ações de violência contra os jornalistas que se opunham à ditadura brasileira, como também pediu o reconhecimento do exemplar trabalho executado pelos torturadores, sequestradores e assassinos daquele período”, observa o também jornalista Ivo Herzog, filho de Vlado, em texto publicado aqui.

Ironicamente, há 13 dias, a mesma Câmara Municipal, que agora faz salamaleques a Marin, ouviu na sua Comissão da Verdade o depoimento de Silvaldo Leung Vieira, autor da emblemática foto de Vlado morto.

Uma imagem forjada – Herzog com os pés no chão e as pernas dobradas — com o objetivo de provar que o jornalista, militante do Partido Comunista Brasileiro, havia cometido suicídio.

Silvaldo Leung Vieira, autor da emblemática foto de Vlado morto. Foto: Câmara Municipal de São Paulo

O efeito, porém, foi inverso: a foto virou um instrumento de denúncia das torturas na ditadura militar. Foi uma das primeiras provas anexadas aos processos que, na Justiça, iriam demonstrar que o suicídio fora forjado para ocultar torturas, a causa real da morte.

“Não me senti cúmplice, mas me senti muito mal”, disse Vieira, santista radicado em Los Angeles (EUA), que se arrepende do que fez. “Eu poderia ter sobrevivido de outras formas.”

Vieira teve certeza, desde o início, que não se tratava de “encontro de cadáver”, como os militares do DOI-Codi disseram, e sim de uma cena montada, e comentou isso com colegas e familiares na época.

Segundo Vieira, desde o início, os militares deixaram claro que se tratava de uma tarefa sigilosa, tanto que ele não pode se movimentar pela sala em que estava o corpo do jornalista, nem fotografar outras dependências do DOI-Codi.

A propósito. Já que Marin estará na Casa, que tal a Comissão Municipal da Verdade Vladimir Herzog chamá-lo para depor sobre a morte de Vlado?

 Leia também:

Ato denuncia presidente da CBF como mentor da prisão de Herzog

Petistas assinaram projeto de homenagem à Rota: A troco do quê?

Apoie o jornalismo independente


Siga-nos no


Comentários

Clique aqui para ler e comentar

jose roberto de frança

E agora pasmem meus senhores: o Ivo Herzog, filho do Vladimir Herzog (barbaramente assassinado pelas forças da repressão da ditadura)dá entrevista ao Juca Kfouri dizendo-se torcedor de futebol. È inacreditavel que o Ivo a esta altura da vida não aprendeu que o futebol é o ópio do povo e que deveria ser radicalmente repudiado por todas as pessoas inteligentes. E ele é uma pessoa inteligente, de nível superior, etc. Mas vai na contramão dos heróis que resistiram à ditadura e por isto morreram assassinados. E ainda não entendeu que o futebol foi um fator determinante para os militares manipularem as consciências do povo brasileiro. Foi um instrumento de alienação das massas populares, para desviar a atenção quanto aos crimes bárbaros que a repressão cometia impunemente (inclusive a morte do Vladimir Herzog). Vi (e vivi) os anos de chumbo. Não estou fazendo suposições. Estou falando do óbvio. Finalmente foi mais uma incrível decepção saber que o filho de Vladimir Herzog é torcedor de futebol. Desculpe o mau jeito. Mas é isso aí. EMBORA A BURRAMA GEMA.

jose roberto de frança

Mas … peraí e os senhores da COMISSÃO NACIONAL DA VERDADE não vão denunciar as figuras “ilustres” e “celebridades” que o Brasil ainda hoje exalta e cultua? Não vão procurar saber o que o “ídolo” Pelé estava fazendo e dizendo no dia 21/10/1970 quando visitava o DOPS de São Paulo e no gabinete do diretor geral daquela instituição de horrores? E também aquele tal de DIDI PEDALADA que jogou no México, depois no Guarani e no Cruzeiro e quando em decadência arranjou um emprego de TORTURADOR no DOPS GAUCHO graças á amizade com o sanguinário delegado PEDRO SEELIG, que por sua vez era amigo íntimo de famoso PAULO ROBERTO FALCÃO do Internacional. Quer saber mais? Procure o jornalista LUIS CLÁUDIO CUNHA, que estava na sucursal de VEJA em Porto Alegre em novembro de 1978 e conhece bem esses ” ilustres senhores. Vivemos numa “democracia domesticada” mas não podemos deixar falsos “heróis nacionais” permanecerem zombando de nossa memória e hombridade. Hombridade sim senhor, é o que precisamos demonstrar aos adversários da comissão da verdade. Aliás, já divulguei exaustivamente este texto em centenas de sites desta comissão, mas até hoje ninguém se dignou em comentar nem enviar-me nenhuma resposta.

Ivan Clides da Costa

As vezes eu acho que o PT de São Paulo, não pensa, não discute, não analisa, não encherga, não houve e quando se manifesta, é para fazer algo que deixa a todos os PTista pasmos. Eu não consigo acreditar que isso é verdade. Como podem ter feito isso? Por que? para que? Isso enoja e faz com que você repense até a tua militância. Me pergunto, quando fico sabendo desse tipo de coisa, se valeu a pena ter apanhado da polícia, ter perdido noites de sono, ter perdido parte de minha juventudo em nome de um propósito maior? Não me arrependo em nada do que fiz, faria tudo de novo. Quando vejo meu sonho e de muitos outros Ptistas éticos, sendo contaminados por pessoas que tentam constantemente apagar esse sonho, sinto nojo e desprezo. Nada pode ser maior que a construção que comessou nas greves do ABC e que conquistou a nós, então estudantes. Nós acreditamos no sonho e nos jogamos de corpo e alma, porque acreditavamos que poderiamos transformar nossa sociedade de ver quem nunca teve nada, crescendo, tendo os mesmo acessos que nos tinhamos Tendo LIBERDADE, tendo DEMOCRACIA. Esses vereadores não são do PT. O PT deles é outro não é o meu, não é o seu, não é o nosso.

O DOUTRINADOR

É por isso que o Psdb esta há tanto tempo mandando em S.P. no PT paulista tá lotado de Suplicy’s! Só tem TRAÍRA. Hadad e Lula tem que abrir o olho. Até o Zé mentira da Justiça era VEREADOR em SP.

    Rodrigo Leme

    O Suplicy talvez seja o único integro no primeiro escalão petista. Não me admira bate paus do Zé Dirceu não gostarem dele.

Bacellar

Ter sido capacho dos milicos na ditadura e tapetinho de banheiro do R.Teixeira a gente até perdoa….Mas esse cabelinho ralo pintado de acajú…Ai meu Pai!

Urbano

O que há de pulhas que pegaram os bons ventos do PT…

Julio Silveira

Cada vez mais os descomprometidos que ainda se dizem petistas o fazem com cada vez mais vergonha. A luta do partido, que se queria diferente, passou a ser por um reconhecimento, de igualdade e até superioridade, pela burguesia. Essa que sempre nos legou sua visão atrasada de modernidade, visão deslavadamente importada, obediente.

Caso Araguaia e revisão da Lei da Anistia: Debate hoje na Assembleia de SP – Viomundo – O que você não vê na mídia

[…] Marin na Câmara Municipal, insulto à Comissão Vladimir Herzog […]

Mardones

O PT fará tudo pela reeleição da Dilma. Nem que para isso preciso precise chamar urubu de meu louro.

É o poder, estúpido!

Edemar Motta

Sempre soube que o poder pode corromper as pessoas; sem prejuízo disso, parece que o poder tambem endireitou vários petistas, Dilma inclusive.

Rodrigo Leme

Pq o Governo Federal, parceiro de Marin na copa, não exige seu afatstamento da entidade? Puro business?

    Ronaldo Silva

    Vc está querendo demais do NOVO PT!

Edgar Rocha

Quem seriam esses “vários parlamentares do PT” que participarão do evento?

Deixe seu comentário

Leia também