VIOMUNDO

Diário da Resistência


Petistas assinaram projeto de homenagem à Rota: A troco do quê?
Alfredinho, líder da bancada: "Ah, mas poderia ser uma homenagem por gesto de bravura..."
Política

Petistas assinaram projeto de homenagem à Rota: A troco do quê?


11/04/2013 - 15h22

Alfredinho, líder da bancada: "Ah, mas poderia ser uma homenagem por um gesto de bravura..."

por Conceição Lemes

Pelas normas da Câmara Municipal de São Paulo, todo vereador  tem direito de propor oito honrarias durante a legislatura. O coronel Telhada (PSDB) quer homenagear a Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar) com uma salva de prata.

Criada em 1970, a Rota tem até hoje uma história marcada pela violação dos direitos humanos e de violenta repressão, da qual se orgulha.

Mesmo assim, Telhada conseguiu o número necessário de assinaturas para apresentar o seu projeto.

Dos 55 vereadores da Casa, 34 assinaram, a começar por outros dois integrantes da chamada bancada da bala: Conte Lopes  (PTB) e o coronel Camilo (PSD) (veja lista completa abaixo).

Na lista, também figuram vereadores do PSDB (Andrea Matarazzo e Mário Covas Neto, por exemplo), PV (Gilberto Natalini),  PPS (Ricardo Young), PMDB (Rubens Calvo), PSB (Noemi Nonato e Ota) e PRB (Jean Madeira).

Nenhuma surpresa.

O espantoso é que sete dos 11 vereadores do PT são signatários: Alessandro Guedes, Alfredinho, Arselino Tatto, Jair Tatto, Reis, Senival Moura e Vavá, todos na contramão da história do partido em defesa dos direitos humanos e da luta contra a ditadura.

Não assinaram: Juliana Cardoso, Nabil Bonduki, Paulo Fiorillo e José Américo. Orlando Silva (PCdoB) e Toninho Vespoli (Psol) também não.

 

 

No dia 6 de março, a justificativa da homenagem à Rota foi publicada na página 86 do Diário Oficial da Cidade de São Paulo

Três parágrafos chamam a atenção. Fazem apologia a ações da Rota contra os que lutaram contra a ditadura civil-militar, mencionando Carlos Lamarca e Marighela.

Mesmo assim, o projeto andou na Câmara Municipal.

Passou por unanimidade pela Comissão de  Constituição e Justiça com os votos de Goulart (PSD), Alessandro Guedes (PT), George Hato (PMDB), Conte Lopes (PTB), Sandra Tadeu (DEM), Eduardo Tuma (PSDB) e Arselino Tatto (PT).  A Comissão de Constituição e Justiça avalia a  legalidade da propositura, portanto analisa a formalidade.

Há duas semanas, no dia 26 de março, a homenagem foi questionada pela vereadora Juliana Cardoso (PT) na reinstalação da Comissão da Verdade  da Câmara Municipal, que leva o nome de Vladimir Herzog, jornalista assassinado em 1975 nas dependências do DOI-Codi.

A Comissão da Verdade da Câmara Municipal é composta por oito membros: Natalini (presidente), Juliana Cardoso (vice), Covas Neto (relator), Rubens Calvo, Laércio Benko (PHS), Police Neto (PSD) e Ricardo Young. Apenas Juliana posicionou-se contra a homenagem.

“As ações da Rota ocorridas durante a ditadura ferem os direitos humanos e não queremos esse tipo de postura na sociedade”, justifica a vereadora petista. “Além disso, seria um desrespeito completo com as famílias das vítimas.”

“Fiquei espantada quando soube do projeto de homenagear a Rota. Trata-se de um projeto fora de propósito”, continua Juliana. “No momento em que pelo Brasil afora as Comissões da Verdade buscam elucidar acontecimentos nebulosos da época da ditadura e o Estado brasileiro se desculpa pelas atrocidades cometidas naquele período da nossa história, essa homenagem vai na contramão.”

Os colegas tentaram convencer Telhada a retirar a homenagem. O coronel só admitiu mudar trechos da justificativa, o que aconteceu na semana passada. Apenas dois dos três parágrafos referentes a Lamarca e Marighela foram retirados.

Diante da tamanha repercussão negativa que a homenagem à Rota teve, vereadores do PT tentam correr atrás do prejuízo. A bancada já divulgou nota, dizendo que vai votar contra.

“Nós obrigamos ele a tirar a parte da ditadura”, diz Arselino Tatto, que na Comissão de Constituição e Justiça ajudou a aprovar o projeto. “Agora, vou votar contra.”

O líder Alfredinho tenta se explicar.

— Houve o pedido protocolar de assinaturas, geralmente a gente assina, depois se posiciona se vota a favor ou contra.

— Sete dos 11 vereadores do PT assinaram a proposta do Telhada. O senhor não acha um absurdo o PT assinar um projeto de homenagem à Rota? Não é incoerente com a história do partido?

— Quando a gente assina, não sabe ainda do que trata…

— Mas todos sabiam que era a favor da Rota!

— Ah, mas poderia ser uma homenagem por um gesto de bravura…

— Soube que o senhor orientou os vereadores a votarem a favor na Comissão de Constituição e Justiça.

— Em algumas votações isso acontece, mas nessa cada um votou como quis, eu não dei orientação.

— Mas o senhor não orientou mesmo a favor do projeto do Telhada?

— Não interferiiiiii…

Alessandro Gudes, vereador de primeira viagem, seguiu a orientação do líder Alfredinho e reconhece que também votou favoravelmente na Comissão de Constituição e Justiça sem uma melhor avaliação do projeto. Em português:  não leu a justificativa de Telhada.

“O mérito da proposta será avaliado pelo Plenário da Casa. Na oportunidade, votarei contra a homenagem, por entender que a atuação da Rota integrou o aparato repressivo montado pela durante a ditadura militar e violou normas de direitos humanos”, diz Alessandro. “Militantes foram perseguidos, presos, torturados, covardemente assassinados. E a Rota fez parte deste processo.”

A proposta de Telhada está agora na Comissão de Educação, Cultura e Esporte, que vai julgar o mérito nos próximos dias.

A vereadora Juliana Cardoso reforça: “Vou continuar combatendo o absurdo dessa propositura. É um desrespeito aos familiares das pessoas desaparecidas durante a ditadura militar”.

Uma pergunta óbvia fica no ar: sete dos 11 vereadores assinaram projeto de homenagem à Rota a troco do quê? Pragmatismo exacerbado? Oportunismo? Esqueceram-se que hoje só são vereadores por que muitos lá atrás lutaram contra a ditadura e foram vítimas da Rota?

Leia também:

Sindicato vai interpelar Telhada sobre ameaça a Lúcia Rodrigues

Livro do Luiz Carlos Azenha
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet



104 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

narendranath

14 de agosto de 2013 às 01h36

É patético! Em um Brasil que grupos defendem até golpe de direita , que nossos aliados do PT, façam isso. Se ocorresse um golpe hoje, de que lado ficariam. Começo a ter medo dessa gente, com todo respeito. E digo mais defendo o fim da divisão das polícias. Militar é para a guerra, policial, não pode ser preparado na doutrina militar que as academias ensinam hoje.

Responder

Marin na Câmara Municipal, insulto à Comissão da Verdade Vladimir Herzog - Viomundo - O que você não vê na mídia

09 de junho de 2013 às 21h09

[…] três meses espantei-me. Sete dos 11 vereadores petistas da Câmara Municipal de São Paulo assinaram projeto de coronel Telh… (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar). Todos na contramão da história do partido em defesa dos […]

Responder

Gerson Carneiro: Compensa denunciar um crime? - Viomundo - O que você não vê na mídia

24 de maio de 2013 às 18h45

[…] Petistas assinaram projeto de homenagem à Rota: A troco do quê? […]

Responder

Justiça decide interpelar Telhada sobre ameaça a jornalista - Viomundo - O que você não vê na mídia

24 de abril de 2013 às 00h08

[…] Petistas assinaram projeto de homenagem à Rota: A troco do quê? […]

Responder

Grupo condena proposta de homenagear a Rota: Ditadura continuada - Viomundo - O que você não vê na mídia

16 de abril de 2013 às 20h46

[…] Petistas assinaram projeto de homenagem à Rota: A troco do quê? […]

Responder

Ricardo Young explica assinatura em homenagem à Rota - Viomundo - O que você não vê na mídia

14 de abril de 2013 às 23h21

[…] Petistas assinaram projeto de homenagem à Rota: A troco do quê? […]

Responder

xacal

14 de abril de 2013 às 11h38

Há, por certo, muita paixão envolvida neste debate. Ainda bem…

Pelo que li dos comentários, há alguns eixos:

01- A primazia de ser a “verdadeira” esquerda;

02- E como efeito desta, definir qual seria a “pauta” da verdadeira esquerda.

Bom, a atuação política recente dos partidos de esquerda, seja o PT, seja o PSOL, ou PSTU, etc, não nos autoriza a enxergar que há um “puro-sangue” neste quesito: ser esquerda.

Até porque, esta natureza distintiva é falsa, porque a luta de classes, dentro de cada classe, apresenta interesses heterogêneos, e em alguns casos, antagônicos, dentro destas classes.

O PSOL nos deu a ingrata surpresa pragamática no Amapá, ou na junção improvável de seu senador randolfe-peter-pan com álvaro dias na eleição da mesa.

O último episódio, o ataque do senador-peter-pan ao financiamento dos blogs (sujos) foi devastador na reputação deste pessoal.

Claro, nossas contradições do PT não são menos graves, e diria até que são mais graves, porque nosso papel não é só o de grilos falantes da política, mas de governar e dar rumo a este país.

Assim, as críticas ao movimento do PT rumo a ROTA são inteligíveis, e seriam até corretas, se o objetivo não fossem outros, ou seja, apenas demarcar um campo de “moralidade lateral” na cena política, em outras palavras: quem é mais esquerda, e quem detém a hegemonia da luta dos direitos humanos.

Primeiro: A ROTA é o que é, porque o povo paulista a legitima, e lhe dá “mandato” para agir como age.

Não é só o povão que diz: “bandido bom, bandido morto”, esta leitura vai desde a mídia canibal de datenas, etc, até programas do PHA, nas noites de domingo.

Desde o mais sensacionalistas até os mais “sérios” jornalistas reproduzem: “foi encontrado morto fulano de tal, na favela tal, com tantos tiros, e de acordo com a polícia, foi vítima de guerra de traficantes”.

Pronto! Está aí a justificativa que joga a culpa para a vítima, e “absolve” os algozes!

O problema é que neste caso das violações dos direitos humanos pela polícia, as posições são sempre extremadas, e sempre os extremistas levam vantagem, mais ou menos como no caso Israel X Palestina, e outros.

Nós policiais, que não são santos, como ninguém é. Como corporação, jogamos o jogo dentro de determinadas regras (ainda que ilegais, mas legítimas politicamente), e respondemos aos estímulos, e de nosso jeito, também impomos suas demandas.

Desde 1988, a esquerda brasileira sempre entendeu a polícia como causa, e não como efeito de uma política criminal que extermina pobre.

Claro, porque inverter a lógica e colocar o dedo na ferida seria assumir parte da culpa das ações e omissões.

Nosso estamento jurídico ainda conforma meios de legitimação da violência estatal, que são as ferramentas que permitem os abusos, ao contrário da orientação garantista da CRFB, colocando o Estado brasileiro na posição de esquizofrenia constitucional.

Recentemente, na greve dos policiais ao redor do Brasil, podemos enxergar toda a inabilidade e incapacidade das esquerdas em entender suas polícias, muito foi dito, inclusive aqui neste blog, e verbalizou preconceitos, reduções e simplismos.

Esta (im)postura só afasta a esquerda dos policiais, e os coloca no “colo” dos conservadores, que não à toa, os usam como cães-de-aluguel para políticas de extermínio e segregação.

É bom que se diga que não defendo aqui que se passe a mão em nossas cabeças, muito ao contrário!

Mas dá no saco sermos a geni da sociedade. No debate da PEC 37, quem é contra, é a favor da impunidade, que via de regra, é a outra palavra que define polícia, como o MP fosse uma torre de marfim de puros!

Imaginar que estigmatizar e rotular a nós, policiais, de violentos e assassinos poderá ajudar a resolver o problema é, ou idiotice, ou ingenuidade.

Sabemos que este discurso não é natural, nem acidental, como nada é.

Então, na falta de um debate melhor, a polícia se alimenta deste “rótulo” para realçar sua relevância em uma sociedade altamente brutalizada, individualizada, reacionária, racista, e que agora chega ao mundo do consumo.

Neste sentido, embora eu ache que uma homenagem a ROTA seja algo demais, seria o caso de perguntar:

O que mais incomoda não seria o fato de que tal “homenagem” é uma (de)referência a nós mesmos?

Aqui no RJ, a pergunta que mais ouço entre os colegas da PCERJ é: “pô, xacal, como se aproximar deste pessoal que odeia a gente, mas que na hora que o sapato aperta pede a gente para descer o pau?”

Não tenham dúvidas: os mais virulentos em relação a violência policial, são os que menos hesitam em reivindicar seu uso quando lhes interessa.

Responder

    abolicionista

    16 de abril de 2013 às 22h14

    Caro Xacal, respondo aqui ao debate iniciado lá embaixo, para evitar magoar o sentimento de terceiros.

    Concordo com você em vários aspectos de sua argumentação. Trabalho na periferia de São Paulo e convivo com alguns dos impasses que a enorme desigualdade provoca. Sei que a polícia está diante dessa contradição.

    De todo modo, agradeço à disposição para o debate e por demonstrar que ainda há lucidez na polícia.

RodrigoR

13 de abril de 2013 às 20h37

Companheiro, atenção com relação as ações é o mínimo, …sabemos que temos uma parcela da sociedade paulista que é reacionária e uma imprensa que sempre procura desqualificar as atividades e o trabalho do PT.

Não podemos retroceder em nossas convicções, com certeza houve um engano por parte de nossos companheiros e tenho certeza que não cometerão o mesmo erro.

Ao contrário do que dizem alguns veículos da mídia, a corrida eleitoral já começou e agora, 20h31m, a primeira notícia dada pelo Jornal Nacional foi a apreensão de fuzis pela polícia paulista, …ora..se fosse no Rio de Janeiro será que teria a mesma exposição? Sabemos o quanto anda a segurança pública em São Paulo.

Olha só, 20h33m, primeira notícia sobre o Rio de Janeiro, foi sobre uma chacina…..

Companheiros, não esquecemos que após as eleições para governo em SP, teremos que limpar 20 anos de desgoverno tucano em SP, fora as correntes PSDBISTAS que estão enraizadas em diversos setores de órgãos públicos em nosso Estado. O trabalho vai ser árduo, …e já começou…antes de mais nada…vamos a batalha das eleições.

Responder

    rodrigo

    13 de abril de 2013 às 21h33

    Xará, agora voltou a ser “companheiros”???

    Alexandre Lins

    14 de abril de 2013 às 02h32

    Quando a barra fica pesada pro PT, ai comeca o negocio de “companheiro”. Esse eh o mesmo PT que apoiava o “Solidariedade” da Polonia! Tudo FACHADA! E, depois, quando alguem de esquerda, tipo Eduardo Campos, se expoe como “possivel” candidato, tentam de toda a forma destruir no nascedouro! Tem gente boa? Logico que sim, mas na sua maioria faz um partido egoista, imbecil e estagnado!

Mauricio Lourenco

13 de abril de 2013 às 13h03

Qual o interesse para a municipalidade em homenagear militares por passarem por cima das leis… Vereadores petistas devem explicação à sua base!!.

Responder

Mauricio Santos

13 de abril de 2013 às 11h32

Bem, eu sempre votei no PT, sou simpático a todo seu projeto de governo, não moro na cidade de São Paulo mas tenho um crítica ferrenha a fazer para esses intelectualódes que acham que tudo é “ditadura”, que tudo é “Comissão da Verdade”.Verdade seja dita, a Rota, é um dos setores da PM/SP que tem tido maior sucesso na ação contra a criminalidade.Independente do caráter que teve no passado não podemos condená-la no presente.Fosse assim, por exemplo, deveríamso condenar também as FFAA?Pensem bem, se a ROTA foi criada como braço do CCC, hoje, ela serve para tentar manter o mínimo de dignidade e cidania que nós simples trabalhadores possamos ensejar em nosso dia-a-dia nas ruas.Gostaria eu que em minha cidade tivcesse a ROTA, sempre.Sim, por que ela só vem pra cá na temporada, devido ao aumento da população e o consequente aumento da criminalidade, que nem por isso deixa de atuar.Para os críticos da ROTA, eu só tenho a lamentar a falta de discernimento e a covardia de defender uma causa a favor dos criminosos.Eu admiro a ROTA, tenho ela inclusive no meu FB, tenho parentes policiais e sei muito bem que, enquanto muitos jornalistas ficam por aí defendendo causa contra a ROTA, muitas vezes estão em alugm boteco, enchendo a cara e fumando um baseado.Talvez sejam contra a ROTA justamente por causa disso né?….Como dira o Capitão Nascimento:Pede pra Sair!!!!!!!….Vida Longa a ROTA!!!!!!!!!

Responder

    abolicionista

    13 de abril de 2013 às 15h02

    É uma mentalidade subdesenvolvida como a sua que mantém nossa polícia na idade média. A propósito, as polícias mais eficientes do mundo são as menos violentas, são as que utilizam ciência e tecnologia no combate ao crime. A rota é violenta, ineficiente, arrogante, corporativista e incapaz de levar a cabo um processo investigativo. São orangotangos vestindo uniformes. Não admira que sejam apoiados por orangotangos que navegam na internet…

    Mauricio Santos

    14 de abril de 2013 às 11h35

    Caro abolicionista!

    Vc deveria ser mais educado ao tratar os seus colegas de debate.Enquanto invoca a educação da polícia vc demosntra um grau muito inferior no tratamento com as pessoas.Aqui é lugar de debate, não de revolta.O debate é saudável à democracia e a tolerância com a opinião alheia faz parte do processo.

    Infelizmente, vc com esse apelido me parece mais um covarde, guerreiro de teclado, que fica por aí pelos fóruns provocando aqueles que divergem da sua visão do tamanho de uma ervilha.

    Não sei de onde vc tirou a idéia de como medir a “eficiência” das polícias mundo afora.Mas com certeza, tudo é reflexo da sociedade em que vivemos.Polícias “mais brandas” são assim determinadas em virtude da cultura de sua sociedade.É a forma como a sociedade vive que determina o grau de violência de sua polícia, entre outros fatores, é claro.O principal, nesse caso, é a cultura.

    Infelizmente, hoje, quem está implantando a cultura do terror não é a polícia e sim a bandidagem, portanto, parabéns à polícia quando manda um malaco pros infernos.

    Vc que ataca a polícia, deveria ir explicar aos pais dos jovens, mulheres, trabalhadores e inclusive policiais assassinados por essa malandragem que age nas ruas hoje em dia certas da impunidade que o judiciário e o legislativo impõe à uma pena branda e ridícula.

    Vc viu esse caso do menor que matou um jovem de 19 anos na porta de casa por causa de um celular?…..é isso que vc apalude na sociedade?

    Se vc acha a polícia truculenta, agradeça, pois caso a polícia fosse padronizada por exemplo pela Polícia Inglesa, estavamos fritos.Seria uma guerra do cacetete, nas mãos dos policiais, contra a AR-15, nas mãos dos bandidos.

    Além do mais, a ROTA, e até mesmo a PM, não tem como função dar cabo de processos investigativos.São instituições de caráter ostensivo, destinadas a estar presentes e combater o crime nas ruas.A parte investigativa é de responsabilidade da Polícia Civil.

    Vê-se bem que além de vc não se preocupar em analizar a opinião alheia também não procura se informar e fica por aí demonstrando sua ignorância.

    Gostaria de alertá-lo também para sua observação em relação ao “orangotango”.Da amaneira como vc se expressa está mais me parecendo uma firmação racista.Qual o problema com o orangotango?…por acaso fizeste essa comparação em que sentido.animais como esse, tem mais cérebro que vc, que capacitado por todos os meios que a humanidade lhe apresenta demosntra um caráter intolerante, discriminador e ignorante, coisa que não acontece no meio dos macacos!!!!!!

    xacal

    14 de abril de 2013 às 12h38

    Não abolicionista.

    Não é uma mentira! A ROTA funciona( e muito bem) para o projeto de nação, de Estado e de sociedade dentro da qual foi projetada.

    Neste sentido, não há dúvidas: a polícia brasileira é um sucesso! Vou repetir: a polícia não é causa do problema brasileiro de segurança pública e violação de DH. Ela é efeito, que depois, claro, contribui dialeticamente para a renovação das causas!

    A questão é inverter ou mudar seu caráter de instrumento de coação de classes pela classe dominante.

    E a esquerda falhou, por achar que podia manter as coisas (o estamento jurídico-normativo do Estado) intactos, e se “utilizar” deste aparato policial em seu favor.

    Uma contradição mortal, que trouxe uma enorme confusão: tanto para os que esperavam algo diferente de nós, tanto para nós mesmos!

    abolicionista

    14 de abril de 2013 às 14h50

    Caro Xacal, sei que a rota é eficiente em exterminar pessoas em situação de marginalidade na periferia de São Paulo, não foi desse tipo de “eficiência” que eu falei. Claro, seu argumento está correto, a rota pratica, de modo razoavelmente eficiente, a política de repressão para a qual foi designada. Desculpe-me pelas palavras fortes, mas nutro tanta simpatia pelos policiais da rota quanto pelos soldados da Gestapo (que também apenas cumpriam ordens e eram ainda mais eficientes do que os policiais da Rota). Sei bem que a Rota atende aos anseios da mentalidade brucutu de nossa classe dominante (ideologia que a pequena burguesia, com sua paixão desesperada pela diferença, faz questão de adotar). Sobre a experiência pessoal, posso falar um pouco, pois conheci pessoalmente policiais da rota. Um deles ostenta uma bandeira nazista no perfil de seu facebook. Não posso provar isso, você pode acreditar em mim ou não, mas a bandeira está lá até agora. Será mera coincidência? Espero que se trate de uma exceção, espero mesmo. O caso é que precisamos sim de uma polícia cidadã, qualificada, bem remunerada, com recursos científicos, etc. Se isso vai de encontro ao interesse das classes dominantes, pior para elas. A democracia abriga esse tipo de conflito, ou não é democracia. Precisamos também acabar de vez com o corporativismo policial que medra em nossas PMs. O corporativismo, vale lembrar, é uma das características do fascismo, cujo símbolo é o feixe (“fascio”) de colunas do machado que servia para executar “subversivos” na Roma antiga. Sei que a violência policial remete aos não tão distantes tempos da escravidão, nas palavras de Luis Felipe de Alencastro, o negócio mais lucrativo que já foi feito “sob o sol”. Contudo, acredito que o primeiro passo para combater a ideologia que o nosso amigo orangotango anti-“intelectualoide” aí de cima expressa é mostrar que ela não resolve a questão da violência. Pois é isso que ela prega: aumentar a repressão para reduzir o crime. Só que essa equação não funciona. Penso que o Brasil já tem condições de conviver com uma polícia minimamente democrática, não estou pedindo uma utopia, apenas um pouco de razão contra a estupidez generalizada e corroborada, inclusive, por deputados que se dizem de esquerda (e não são nem mesmo a favor da democracia).

    Maurício Santos

    14 de abril de 2013 às 21h14

    Esse aboliconista pensa que mora no país das maravilhas.Deve viver num “bunker” onde não há risco de ser atacado por um marginal.Só pode ser.

    Meu camarada, não sou eu que vou te convencer a mudar sua opinião, mas espero sinceramente que um dia….um dia….vc não precise da PM, especialmente da ROTA, pois se vc precisar vc vai implorar pra morar no Planeta dos Macacos!!!!!!!!

    Como bem disse o XACAL, o uso que fazem desta instituição é político, e tipinhos como vc, falsos intelectualóides também, não tem o mínimo conhecimento do que se passa nas ruas pois te tenho certeza que sua leitura se limita a intelectuais estrangeiros que filosofam….filosofam….filosofam…enquanto cidadãos brasileiros são assassinados por motivos torpes e seus parentes tem que conviver com um “Direitos dos manos” batendo a sua porta constantemente para lembrá-los que “assasino” também tem direitos.

    Já que vc é tão macho, tão defensor dos marginais, lanço-lhe um desafio:vá bater a porta de alguma mãe, que teve o filho assassinado e diga-lhe que o “bandidinho” só fez isso por que pessoas como vc aprovam essa atitude.

    Enquanto isso, eu prefiro ficar com minha convicção de que uma mãe dessa, vingada não só pela ROTA, mas por qualquer PM que o tenha finalizado no estrito exercício de sua função tem muito mais pano para enxugar suas lágrimas.

    Uma banana para vc!!!!!!!…mas não corta não, usa inteira!!!!

    xacal

    15 de abril de 2013 às 14h28

    Abolicionista, desprezemos o debate no nível dos idiotas. No andar dos idiotas, ele nos ganharão por maior experiência.

    Vamos ao que interessa.

    Não desprezo suas impressões pessoais, nem as reproduções discursivas de integrantes da força policial, muito menos os males do corporativismo.

    Mas o debate não é honesto o tempo todo, e nós policiais utilizamos as armas(desculpe o trocadilho) disponíveis, e que causam melhor efeito.

    Porque há luta política e manifestações heterogêneas dentro da polícia, ela não é um corpo homogêneo e monolítico de facínoras, sedentos por sangue.

    Nenhum ente ou instância de poder, nem estrato social o é, e adotar um discurso, um olhar único só serve a demonização e esgarçamento das possibilidades de diálogo, apenas para confirmar o que achamos já saber.

    Acirrar o conflito só satisfaz a agenda da direita e dos violentos.

    Polícia cidadã, só com Estado cidadão.

    E saiba: violação de direito humano é sim, coisa com cor e classe, pois rico e branco não apanha nas delegacias e nem morre nas ruas.

    Então, para mudar a realidade da atuação das ruas, é preciso mudar o foco de sua atuação, onde teremos que abrir mão até de crenças que temos em relação ao combate a criminalidade, pois não é possível “guerra as drogas”, “ocupação”, etc, sem arcar com os efeitos indesejáveis destas estratégias.

    O tratamento da greve dos policiais na Bahia, apenas porque supostamente era incentivada por policiais que não eram “petistas”, o “sucesso” das UPP, e outras formas de abordar o problema, que contaram com apoio surreal, até por aqui, traz uma série de contradições à orientação do comportamento de quem está lá na ponta, nas ruas e delegacias.

    Eu não estou a reivindicar um salvo conduto para a violência policial, justificando-a nas desigualdades estruturais de nosso Estado, e das escolhas políticas baseadas nelas.

    Mas eu repito: o acirramento do conflito só beneficia os mais violentos, como este boboca aí debaixo.

    O problema é complexo e não comporta simplificações como tenho ouvido aqui.

    Simplificações à direita…e, infelizmente, dos que se dizem à esquerda.

    Maurício Santos

    15 de abril de 2013 às 16h13

    Gozado, achei que o Xacal estivesse discutindo imparcialmente.Tomando parte do xingamento, me levando em conta como um “boboca” defaz toda a apreciação que fiz sobre sua opinião.
    Se quiz me desmerecer, ao me intrepretar como “boboca” ,propositalmente, entrando em uma discussão a qual não fazia parte e que em momento algum eu o cite de maneira depreciativa rebaixou-se ao nível que não desejava.
    Veja como são as coisas né Xacal??!!!!!…passe bem com sua retórica, o que não desfaz meus conceitos.

    xacal

    15 de abril de 2013 às 19h05

    Debate imparcial? Onde? No vácuo?

    Meu querido, torcer o que eu disse para caber no teu figurino troglodita não dá, né?!

    Agora eu estou verdadeiramente preocupado com sua mudança de opinião a meu respeito, acho que nem dormirei…

    Para falar sério, eu estava preocupado antes, quando um néscio como você acolheu meus argumentos de forma equivocada.

    E nem venha com esta de retórica. Segurança pública é minha vida, minha labuta diária, e midiotas como você não têm a menor noção do que se passa do lado de cá.

    Maurício Santos

    16 de abril de 2013 às 21h13

    Bem, se alguém está distorcendo alguma coisa aqui esse alguém é vc.Eu não puxei sua opinião pra reforçar debate nenhum, muito menos reforçar o que eu disse.No mais, se eu sou um “midiota” eu entendo que este tipo de argumento venha de um sujeito como vc.Se locupletando por ser um policial, não me espanta que seja do tipo intolerante e infelizmente acabou baixando o nível, que como eu já disse era justamente o que vc pregou para que não acontecesse.Assim, vc e o Abolicionista fazem na minha opinião um belo parzinho.Mas não me convide para o casamento.A partir desta postagem não mais participarei desta página de debate, pois não é essa a intenção, nem do BLOG muito menos da reportagem.Intolerantes iremos encontrar em qualquer lugar.Como diria Martir Luther King:Para arrumar um inimigo mostre a sua opinião!!!!
    Fique com a sua pulicinha aí nas cabeçeiras que eu fico com a minha ROTA por aqui.

renato

13 de abril de 2013 às 01h28

Clap……clap…..clap….
PA RA BE NS P T

Responder

    renato

    13 de abril de 2013 às 01h30

    Sonorizado de forma irônica?
    Do tipo aplauso de filme americano
    de final de filme.
    Tudo isto para vocês não me criticarem..

John J.

12 de abril de 2013 às 22h51

Tem qwe ser muito idiota e sem noção para assinar um prohjeto sem saber seu real significado.
Essa desculpa não cola.
Ou voces trabalham direito ou pedem o boné e caiam fora.
Incompetencia é o nome disso que esses petistas fizeram.
Se assim não fosse porque Juliana Cardoso, Nabil Bonduki, Paulo Fiorillo e José Américo não assinaram.
Com certeza eles sabiam que viondoi de gentalha como Telhada só podia ser armadilha ou gozação.

Responder

lando carlos

12 de abril de 2013 às 16h11

essa familia tatto merece ser investigada são uns pulhas traidores

Responder

Pedro Cruz

12 de abril de 2013 às 15h48

Depois reclamam da imprensa golpista, qual a diferença????

Responder

Apavorado por Vírus e Bactérias

12 de abril de 2013 às 15h07

Não ter vereadores do PT em São Paulo é melhor, pois os petistas não passam vergonha com esses pilantras oportunistas. Já faz tempo que eles engordam os projetos da direita. São uma vergonha.

Responder

Paulo Roberto Álvares de Souza

12 de abril de 2013 às 13h45

A blogosfera é a nossa salvação. Esses políticos safados não perdem por esperar.

Responder

Paulo Roberto Álvares de Souza

12 de abril de 2013 às 13h43

Medo, um tremendo medo de serem encontrados com a boca cheia de formiga!

Responder

Vereadores do PT assinaram projeto de homenagem à Rota: A troco do quê? | Cama de Prego – Luciano Alvarenga

12 de abril de 2013 às 13h41

[…] íntegra em https://www.viomundo.com.br/politica/rota.html Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado PT por lucalvarenga. Guardar link […]

Responder

renato

12 de abril de 2013 às 13h21

A troco de proteção exclusiva da Rota.

Responder

lidia virni

12 de abril de 2013 às 12h51

Certamente não têm estofo para representar seus eleitores na Camarda de vereadores. É o que dá almejar quantidade em lugar de qualidade.

Responder

Vereadores do PT criticam reportagem sobre homenagem deTelhada à Rota - Viomundo - O que você não vê na mídia

12 de abril de 2013 às 12h21

[…] 1. O Viomundo reafirma integralmente o conteúdo da reportagem Vereadores do PT assinaram o projeto de Telhada em homenagem à Rota: A troco do quê? […]

Responder

Athos

12 de abril de 2013 às 11h04

Como disse o Garotinho, é o partido da boquinha, hehehe.

Responder

Moacir Moreira

12 de abril de 2013 às 10h06

A PM paulista celebra o massacre de Canudos e os golpes de 32 e 64 até hoje.

No mínimo são criminosos confessos.

Responder

Julio Silveira

12 de abril de 2013 às 09h06

Depois ficam melindrados quando os caras falam mal. Mas a verdade é que o PT foi apenas uma marca no mercado politico. Investiram na imaginação coletiva com uma qualidade que não querem e não vão entregar. Prá que se o lucro politico já tá altissimo, entregando o minimo do que prometiam?

Responder

Simas Sampaio

12 de abril de 2013 às 07h44

Dinheiro, não foi. Políticos do PT são onesto.

Responder

juma

12 de abril de 2013 às 07h06

Que loucura!
Parabéns, Juliana!

Responder

José Eduardo

12 de abril de 2013 às 02h41

Será que esses caras não leem as coisas antes de assinar? PQP!!!

Responder

Pimon

12 de abril de 2013 às 00h04

É tão óbvio que me assusta a questão.
GOVERNABILIDADE, jogo de cintura, Haddad.
Sem jogo de cintura…. não vai, Azenha!

Responder

sil

11 de abril de 2013 às 23h46

Que orgulho do meu voto,parabéns Juliana!

Responder

Fabio Passos

11 de abril de 2013 às 23h41

Homenagem a um grupo de exterminio institucionalizado.
Assassinar pobres e sempre bem visto na casa-grande.
A “elite” branca e rica, o PiG e seus capachos apoiam e aplaudem a truculencia, tortura e assassinatos indiscriminados entre a populacao marginalizada. E o Apartheid Social.

Agora… estes fascistinhas de m contando com apoio do PT?
O PT esta apodrecendo muito rapido.

Responder

    Paulo Monarco

    12 de abril de 2013 às 18h30

    Apodrecendo muito rápido?
    Desde do fatídico ano de 1989…
    Da falida corruptela do poder político social brasileiro, a que alguns chamam equivocados ou mal intencionados de democracia, é o que temos de menos pior na árida e conformista sociedade brasileira. O resto descansa na viscosidade mórbida do deus mercado, mesmo parecendo não ser, como é o caso dos PSOLs da vida.

    E em caixa alta, o silêncio ensurdecedor não cessa…

    SEM LEY DE MEDIOS NÃO HÁ DEMOCRACIA!
    SEM REFORMA AGRÁRIA NÃO HÁ DEMOCRACIA!

    Recomendações do dia:
    Z, de Costa Gravas;
    O Conformista, de Bertolucci;

Daniel

11 de abril de 2013 às 23h17

O que vocês preferem?
Homenagear a ROTA, única força policial que é realmente temida e respeitada pelos marginais ou preferem propor uma solução mágica, rápida e humanista que não seja a repressão à bandidagem?
Por favor, mostrem logo essa solução, mas tem que ser rápida, pois projeto de longo prazo todo mundo pode propor, agora, uma solução imediata… Bom, quero ouvir de vocês o que pode ser feito a curto prazo para ao menos amenizar a violência em nossa cidade…

Responder

    abolicionista

    12 de abril de 2013 às 09h46

    Esse tipo de argumentação que você acaba de utilizar é, infelizmente, muito comum caro Daniel. O problema é que você não se dá conta de que a Rota apresenta números pífios, é cara para os cofres públicos, ineficiente e, ao contrário do que prega, corrupta (como demonstra o fato de que Telhada possui uma fortuna incompatível com seu salário e que, mesmo tendo sido processado inúmeras vezes, tenha ascendido na hierarquia). As melhores polícias do mundo, aliás, são as menos violentas, que usam a ciência em vez da força bruta e obtém os melhores resultados. Triste que ainda exista muita gente que pensa como você, uma mentalidade de quem anda com a clava na mão.

    Daniel

    14 de abril de 2013 às 09h12

    Bom, quanto a ser corrupta, acho que todos sabemos que esse é um problema que acomete todas as esferas do poder em nosso país, claro que isso não justifica nada, mas mostra que eles não estão sozinhos… Agora na questão de eficiência, gostaria de saber se existe alguma policia no Brasil que realmente seja dessa qualidade que vc citou e que realmente tenha feito diminuir de forma contundente a violência em alguma cidade ou estado do Brasil, de preferência governado por aquele partido favorito do pessoal aqui. Aliás, quando São Paulo foi governada por esse partido, existiu algum projeto ou pelo menos menção de projeto para compor uma força polícial assim? E quanto a sua opinião a respeito da do trato com criminosos, antes uma clava na mão do que dinheiro na cueca como seus companheiros de ideologia =)

    angelo

    12 de abril de 2013 às 10h30

    A curto prazo: não homenagear arrota.

abolicionista

11 de abril de 2013 às 23h06

E lá se vai o PT por água abaixo. Tenho nojo de quem consegue votar numa proposta dessas. Se o PT quiser sentar no colo da direita, vá sozinho. Tive familiares que sofreram com o Batalhão que o PT quer homenagear. Nunca mais votarei nesse partido. E vou convencer o máximo de pessoas que eu conseguir a fazer o mesmo. Isso é uma ofensa a todos que perderam a vida durante o regime militar, que foram torturados e à própria constituição que foi rasgada por esses desgraçados. Fora, PT! Fora, facínoras!

Responder

    Roberto Locatelli

    12 de abril de 2013 às 16h12

    abolicionista, tenho uma outra proposta para você avaliar: continuemos votando no PT, mas selecionando os candidatos petistas. Vimos que alguns vereadores petistas NÃO assinaram. Temos que entuchar votos nesses e fazer CAMPANHA contra o voto nos outros. Daremos assim, um recado ao PT: QUEREMOS UM PT COMBATIVO!!

    abolicionista

    12 de abril de 2013 às 21h08

    Eu sei, você está certo, caro Roberto. Estava com muita raiva quando escrevi, e confesso que ainda estou. Na verdade eu já faço e vou continuar fazendo isso que você recomendou. O Nabil Bonduki, vereador em que votei, votou contra a barbárie. Pelo menos isso. É que ver gente do PT colaborar com isso é duro de engolir. Por outro lado, quem sabe com a ameaça de perder votos o PT não se volta um pouco para os apelos de sua maltratada militância.

    Roberto Locatelli

    13 de abril de 2013 às 16h00

    Pelo menos não damos votos a esses biltres, abolicionista. Mas te falo uma coisa: já estou vendo a hora em que o PT passará definitivamente para o lado de lá. Aí a sociedade brasileira precisará MUITO

    Roberto Locatelli

    13 de abril de 2013 às 16h03

    Pelo menos não damos votos a esses biltres, abolicionista. Mas te falo uma coisa: já estou vendo a hora em que o PT passará definitivamente para o lado de lá. Aí a sociedade brasileira precisará MUITO de um partido REALMENTE socialista, de esquerda. Não vale o PSOL pois é somente um partido anti-PT, nem PCdoB que tem viés stalinista e, por isso, tende a fazer alianças à direita como o PT.

    Você viu que o PIB andou pra trás em fevereiro? É a crise chegando, trazida pelos terroristas do PIG, mas também pelo fato de que é uma crise DO CAPITALISMO.

    abolicionista

    14 de abril de 2013 às 18h54

    É isso mesmo, Roberto. A crise uma hora chega para valer e aí vai encontrar a massa prontinha e embalada para engrossar as fileiras do fascismo. Se o PT não investir em politização o quanto antes, vamos assistir a uma escalada de movimentos reacionários nos moldes de 64. Olha só o que aconteceu na Grécia, onde o governo “socialista” aplicava medidas neoliberais… Acho que você tem toda a razão, é preciso um novo partido realmente de esquerda no Brasil.

Ted Tarantula

11 de abril de 2013 às 21h24

acho que nem a psicanalise consegue explicar esse fetichismo que a “sinistra” tem pelos bandidos e a marginália…a idealização e paixão pelos piores entre os piores…tenha cá pra mim que isso é um tipo de desvio de fundo sexual,(tipo mulher de malandro) mas tenho de elaborar isso melhor..

Responder

damastor dagobé

11 de abril de 2013 às 21h20

“quem poupa o lobo sacrifica a ovelha”..Victor Hugo

agora por minha conta: deve ser por essa enorme vocação brasileira para ovelha que proliferam tantos pastores..

Responder

Hélio Pereira

11 de abril de 2013 às 20h37

Quando era um “menino”,vi o ex “comunista” Gilberto Natallini em pleno Largo 13 de Maio,conversando em 1983 com os Desempregados do “Movimento Contra o Desemprego da Zona Sul”,naquela época o “Velho Comunista” se mostrava encantado com a Revolução de Henver Hoxa e falava de um “Futuro sem desigualdade e sem Repressão”.
Gilberto Natallini mudou muito,saiu do PCdoB,foi ser Secretário de Saúde em Diadema,depois colaborou com Edvaldo Santiago no Sind dos Motoristas,entrou para o PSDB,apoiou Gilberto Kassab contra Geraldo Alckmin na eleição a Prefeito da Capital,onde Xuxu ficou em Terceiro Lugar,foi para o PV virando um “Verde convicto” e agora aparece apoiando homenagem a ROTA,que tanto mal fêz ao Povo de SP e a seus ex companheiros de “comunismo”.
Tem certas mudanças que são “um espanto”.

Responder

JoãoP

11 de abril de 2013 às 19h10

Parabéns à vereadora Juliana Cardoso, e mais uma vez parabéns à Conceição Lemes!
Ainda bem que existe um Viomundo…

Responder

assalariado.

11 de abril de 2013 às 19h09

Alfredinho, vai ali no supermercado da esquina, e compra um bocado de rolo de papel higiênico, por favor!

Aproveita, passa na livraria e compra um livro de história do Brasil, e leia aquela parte que fala sobre a repressão das elites sobre o povo e seus aliados políticos, quando de suas revoltas contra a exploração do capital sobre os assalariados e seus filhos, na periferia.

Calma, tem mais, observe quem é o braço armado do capital e, como age quando os despossuídos vão a luta por dignidade e melhores salários. Da uma lida na história politica das PMs no Brasil, e perceba, quem realmente as fardas defendem. De repente, na real, da uma olhadinha, e observe, mas observe mesmo, o que as fardas multicores mais gostam de fazerem, aqui na periferia.

São treinados e chipados, para manterem a ordem, a ordem capitalista que, ao primeiro olhar sobre os descamisados e/ ou questionadores do “Estado de Direito”, logo, olha -os automaticamente, como o inimigo numero um a ser abatido. Sim, não vejo exagero nas minhas palavras, esta é a senha nos seus vários quarteis, seja econômico, seja jurídico ou militar. Essa é a liturgia que os donos do capital e sua ditadura capitalista passam, via Estado e suas instituições burguesa, para seus subordinados comandantes “professores”, para qual, o povo assalariado e sua prole, são inimigos numero um, da República.

Saudações Socialistas.

Responder

Francisco

11 de abril de 2013 às 19h07

Pelo menos agora a gente fica sabendo como é que os Felicianos e Fucs da vida sobem nas árvores em que subiram.

Depois para tirar, o militante-eleitor que se lasque…

Responder

    José Silva

    11 de abril de 2013 às 21h41

    Mais grave é Condenados serem indicados para a Comissão de Constituição e Justiça, como fica a lei ficha limpa, do que adiantou a mobilização da nação em prol da ficha limpa? Condenado em ultima instancia é ficha suja e ficha suja não pode ser indicado a nada nem mesmo deveria tomar posse como deputado muito menos ser indicados para a Comissão de Constituição e Justiça.

renato

11 de abril de 2013 às 19h00

Matemática…Vamos lá amigos.
55 vereadores x 8 honrarias a cada por mandato =
440 honrarias….
Tenho um cachorro chamado ” RATO”, que cuida da entrada
da minha casa, basta algo estranho acontecer, e lá esta ele,
alerta… ladrando… e me avisando.
Será que não dá para pleitear uma honraria nem que seja no final
do mandato, só para encher linguiça.
Tenho dó de quem é honorificado pois os caras tem que gastar os
CARTÃO HONRARIA.
É brincadeira esta politica no Brasil, e com o meu dinheiro…Putz.

Responder

Hélio Pereira

11 de abril de 2013 às 18h57

Estas Trapalhadas me deixam “P.T. da Vida”…

Responder

FrancoAtirador

11 de abril de 2013 às 18h44

.
.
O povo ao poder
(Castro Alves)

Quando nas praças s’eleva
Do povo a sublime voz…
Um raio ilumina a treva
O Cristo assombra o algoz…
Que o gigante da calçada
Com pé sobre a barricada
Desgrenhado, enorme, e nu,
Em Roma é Catão ou Mário,
É Jesus sobre o Calvário,
É Garibaldi ou Kossuth.

A praça! A praça é do povo
Como o céu é do condor
É o antro onde a liberdade
Cria águias em seu calor.
Senhor!… pois quereis a praça?
Desgraçada a populaça
Só tem a rua de seu…
Ninguém vos rouba os castelos
Tendes palácios tão belos…
Deixai a terra ao Anteu.

Na tortura, na fogueira…
Nas tocas da inquisição
Chiava o ferro na carne
Porém gritava a aflição.
Pois bem… nest’hora poluta
Nós bebemos a cicuta
Sufocados no estertor;
Deixai-nos soltar um grito
Que topando no infinito
Talvez desperte o Senhor.

A palavra! vós roubais-la
Aos lábios da multidão
Dizeis, senhores, à lava
Que não rompa do vulcão.
Mas qu’infâmia! Ai, velha Roma,
Ai, cidade de Vendoma,
Ai, mundos de cem heróis,
Dizei, cidades de pedra,
Onde a liberdade medra
Do porvir aos arrebóis.

Dizei, quando a voz dos Gracos
Tapou a destra da lei?
Onde a toga tribunícia
Foi calcada aos pés do rei?
Fala, soberba Inglaterra,
Do sul ao teu pobre irmão;
Dos teus tribunos que é feito?
Tu guarda-os no largo peito
Não no lodo da prisão.

No entanto em sombras tremendas
Descansa extinta a nação
Fria e treda como o morto.
E vós, que sentis-lhe o pulso
Apenas tremer convulso
Nas extremas contorções…
Não deixais que o filho louco
Grite “oh! Mãe, descansa um pouco
Sobre os nossos corações”.

Mas embalde… Que o Direito
Não é pasto do punhal.
Nem a patas de cavalos
Se faz um crime legal…
Ah! não há muitos setembros
Da plebe doem os membros
No chicote do poder,
E o momento é malfadado
Quando o povo ensangüentado
Diz: já não posso sofrer.

Pois bem! Nós que caminhamos
Do futuro para a luz,
Nós que o Calvário escalamos
Levando nos ombros a cruz,
Que do presente no escuro
Só temos fé no futuro,
Como alvorada do bem,
Como Laocoonte esmagado
Morreremos coroado
Erguendo os olhos além.

Irmãos da terra da América,
Filhos do solo da cruz,
Erguei as frontes altivas,
Bebei torrentes de luz…
Ai! soberba populaça,
Rebentos da velha raça
Dos nossos velhos Catões,
Lançai um protesto, é povo,
Protesto que o mundo novo
Manda aos tronos e às nações.

(http://www.jornaldepoesia.jor.br/calves19.html)

Responder

Urbano

11 de abril de 2013 às 18h31

Heroísmo, é??? É muita lesera… Então vamos promover os soldados do Corpo de Bombeiros a semideuses… Tem que ser. E nem venham dizer que os policiais enfrentam bandidos de sangue nos olhos o tempo todo, não. O heroísmo que se costuma ver é do naipe daquele policial a afastar e afastar os companheiros, que formavam uma roda humana, e quando conseguiu chegar ao centro da roda percebeu-se claramente que foi só para dar umas botinadas no sujeito que se encontrava deitado no chão, talvez até desacordado ou pelo menos grogue, pelo efeito amaciante que os demais já haviam aplicado. Há caso de heroísmo dentro da corporação, deve haver. Agora é avis rara. O heroísmo mais comum, creio, está montado nas péssimas condições de trabalho. Aí sim.

Responder

maria meneses

11 de abril de 2013 às 17h59

Não há explicações para esse tipo de atitude. É muita leviandade assinar qualquer documento sem saber o teor do que se está assinando. Indesculpável.

Responder

Marco

11 de abril de 2013 às 17h58

A defesa dos Direitos Humanos é para as vítimas ou para os bandidos que a ROTA agiu ?

Responder

Hélio Pereira

11 de abril de 2013 às 17h51

Dos vereadores do PT,só o ex Cabo Reis teria algum motivo pra assinar,já que foi PM.
Alfredinho que foi Metalurgico no ABC e participou de Greves junto com Lula e Vicentinho,conhece muito bem a violência da ROTA,os Irmãos Tatto que sempre participaram das comunidades de base da Igreja Católica,Também conhecem muito bem a violência deste grupo Fardado,que mais parece as antigas SS de Hitler.
Gilberto Natallini que foi do PCdoB e vivia no Largo 13 de Maio em Santo Amaro,pregando a “Revolução Comunista” e defendia o Régime Âlbanes de Henver Hoxa e outro que jamais poderia assinar tal pedido,uma vêz que conhece muito bem o que sofreram Militantes do PCdoB nas mãos destes PMs da ROTA.
Estes “Socialistas” do PT e este ex “Comunista” do PCdoB,”são uma vergonha”.
Este Grupo denominado ROTA também atuou no Vale do Ribeira,interior de SP,ajudando o Régime Militar a tentar capturar Carlos Lamarca,levaram “um Baile” do Capitão Lamarca e passaram a invadir casas humildes da Região de Eldorado e espancaram diversos moradores,tentando obriga-los a entregar Lamarca.
Acho Lamentável Vereadores do PT assinarem tal pedido,uma verdadeira afronta a quem neles votou!

Responder

Gerson Carneiro

11 de abril de 2013 às 17h33

Resposta óbvia: fisiologismo. Os partidos políticos podem ser considerados fisiologistas quando apoiam qualquer governo independente da coerência entre as ideologias ou planos programáticos.

Tornam-se eleitos e se desprendem do mundo aqui fora.

Em Campinas-SP, um vereador do PT, assim que tomou posse em 1º de janeiro pulou para a bancada do prefeito do PSB que havia sido oponente durante a campanha.

Mas não é só isso. Agora, três meses após a posse, um vereador do PSB, partido do prefeito que chegou para “moralizar a prefeitura”, está sendo acusado de ter cercado uma quadra de esportes pública, construído um bar dentro do espaço cercado, e alugar a quadra para a molecada jogar nos finais de semana.

Aqui pra nós: tinha que ser o Alfredinho ???!!!

Responder

Belmiro Machado Filho

11 de abril de 2013 às 17h29

Sou petista convicto. Este episódio é lamentável por parte destes vereadores. São pessoas que se elegem sem conhecer nada da história e do que representa o PT para a democracia brasileira.

Responder

lulipe

11 de abril de 2013 às 17h27

É preferível uma homenagem à ROTA que, apesar dos excessos cometidos por uma minoria, realiza um excelente trabalho em SP, do que tá defendendo criminoso de todo tipo, principalmente os “de menor” que sabedores da impunidade estão executando cidadãos todos os dias em todas as cidades do país.

Responder

sossegão

11 de abril de 2013 às 17h25

Ê PT … quem te viu e quem te vê. Li a pouco que na região do Brás e da Mooca os moradores de ruas estão sendo “convidados” a se retirar do local (na epoca da dupla Serra e Kassab, isto era eugenia). Agora vem a homenagem a Rota. Do jeito que a coisa vai, falta pouco para o Feliciano ser condecorado com o título de cidadão paulistano. PT, você já era.

Responder

Flavio Lomeu

11 de abril de 2013 às 17h21

A bancada do PT já afirmou que retirou as assinaturas:

“Senhoras vereadoras, senhores vereadores:

Todos sabem que é muito comum aqui no Plenário a coleta de assinaturas em requerimentos de concessões de homenagens a quem presta ou prestou relevantes serviços para a Cidade. Quando somos solicitados ninguém se nega a colaborar com esses pedidos.
Entretanto fui surpreendido dias atrás com a justificativa dada num desses projetos, para conceder a mais alta comenda que esta Casa oferece para a Rondas Ostensivas Tobias Aguiar, a ROTA.

O projeto, como foi apresentado, veio apenas como uma homenagem ao Batalhão. Uma homenagem como tantas outras que costumamos fazer por aqui. No entanto, ao ler-se posteriormente a justificativa para a concessão da Salva de Prata, constatamos que se tratava de uma apologia aos métodos adotados pela ROTA durante os anos de chumbo.

Uma propositura do nobre vereador Coronel Telhada, cuja exposição de motivos, nos chega negando a realidade dos fatos, naquele período em que o País esteve mergulhado nas trevas da ditadura militar. Ninguém, em sã consciência, pode admitir que se qualifique expoentes da resistência à ditadura de “criminosos e terroristas”. Carlos Mariguela e o Capitão Lamarca foram homens que lutaram por ideais de Liberdade. No regime de exceção a repressão policial agiu com violência desmedida.

Por essas razões venho aqui desta Tribuna tornar público que eu e todos os membros da Bancada do PT estamos retirando nossas assinaturas do requerimento. Não podemos admitir que companheiros que lutaram no combate ao regime militar recebam a pecha de “terroristas”. O PT é contra essa distorção dos fatos e votará contra a propositura.

Muito obrigado!” ATT, assessoria de imprensa do vereador Alfredin

Responder

    Lafaiete de Souza Spínola

    11 de abril de 2013 às 18h49

    O PRAGMATISMO IMPERA!

    Não foram procurar o apoio do Maluf/

    Agora estão colhendo o que plantaram!

    Conceição Lemes

    11 de abril de 2013 às 22h30

    Flávio,
    o regimento interno da Câmara Municipal de São Paulo não permite que as assinaturas sejam retiradas depois de protocolado o projeto. E o projeto do coronel Telhada foi protocolado, tanto que andou na Casa. Oficialmente as assinaturas dos vereadores vão ficar registradas neste projeto do Telhada. sds

@luisk2017

11 de abril de 2013 às 17h11

Como todo o respeito: que merda é essa? Se pedirem para o Telhada assinar uma moção de solidariedade às vítimas da Rota, ele não vai assinar!

Responder

maria de sobral

11 de abril de 2013 às 17h10

Essa historia de assinar sem ler é uma pratica danosa.
E dizer que pensava que nao era assim é medonha. vai de vereador a fhc. Minha gente, prestençao!!!.
Eu tinha um colega no banco que a turma dizia que ele acatava sorrindo tudo que um subgerente nojento dizia e fazia, inclusive induzi-lo a ferrar com os outros, ate a noticia da morte da mae, ele nao cuidou de atentar o que era e sorriu dando umas palmadinhas nas costas do dito cujo. Como tem gente assim!!!

Responder

Thiago Vieira

11 de abril de 2013 às 16h57

Peraí, o Ricardo Young ASSINOU A FAVOR e também FAZ PARTE DA COMISSÃO DA VERDADE?

É isso mesmo?

Responder

Ana Carolina Ribeiro

11 de abril de 2013 às 16h56

Como foi postada na página oficial do vereador Alfredinho, dia 26/03/2013 o vereador fez um comunicado de liderança, segue o discurso do vereador durante a sessão plenária : “Senhoras vereadoras, senhores vereadores:

Todos sabem que é muito comum aqui no Plenário a coleta de assinaturas em requerimentos de concessões de homenagens a quem presta ou prestou relevantes serviços para a Cidade. Quando somos solicitados ninguém se nega a colaborar com esses pedidos.
Entretanto fui surpreendido dias atrás com a justificativa dada num desses projetos, para conceder a mais alta comenda que esta Casa oferece para a Rondas Ostensivas Tobias Aguiar, a ROTA.

O projeto, como foi apresentado, veio apenas como uma homenagem ao Batalhão. Uma homenagem como tantas outras que costumamos fazer por aqui. No entanto, ao ler-se posteriormente a justificativa para a concessão da Salva de Prata, constatamos que se tratava de uma apologia aos métodos adotados pela ROTA durante os anos de chumbo.

Uma propositura do nobre vereador Coronel Telhada, cuja exposição de motivos, nos chega negando a realidade dos fatos, naquele período em que o País esteve mergulhado nas trevas da ditadura militar. Ninguém, em sã consciência, pode admitir que se qualifique expoentes da resistência à ditadura de “criminosos e terroristas”. Carlos Mariguela e o Capitão Lamarca foram homens que lutaram por ideais de Liberdade. No regime de exceção a repressão policial agiu com violência desmedida.

Por essas razões venho aqui desta Tribuna tornar público que eu e todos os membros da Bancada do PT estamos retirando nossas assinaturas do requerimento. Não podemos admitir que companheiros que lutaram no combate ao regime militar recebam a pecha de “terroristas”. O PT é contra essa distorção dos fatos e votará contra a propositura.

Muito obrigado!” ATT, assessoria de imprensa do vereador Alfredinho

Responder

    Mardones

    12 de abril de 2013 às 09h43

    Nada como uma leitura antes de assinar propostas e projetos. A vigilância aos parlamentares ainda é uma excelente forma de atuação cidadã.

    Parabéns à Conceição e ao Vi o Mundo. E que o PT aprenda a defender a sua história.

andre i souza

11 de abril de 2013 às 16h50

O PT caminha a tomar o lugar do PSDB, Cardozo luta, feliz, pra isso, e Lula, além outros líderes de peso do partido, dando milho ao pombos. Afinal, está tudo bem, está tudo ”láiti” e não há nenhum golpe a caminho. Só uma meia dúzia de blogueiros sujos e malucos e seus leitores vendo jaboti subir em árvore.

PT paulista: o mais cagão!

Responder

angelo

11 de abril de 2013 às 16h47

Acho um mal homenagens a instituições públicas. Servidores são pagos para fazerem um trabalho. Se cumprem a função precípua, ok, se não, acaba até havendo sugestão de ONU pela extinção, como é o caso da PM. Sessões para indicação e mais as próprias homenagens em si são tempo e dinheiro gastos em vão, a meu ver, no intuito de afagar egos. A meu ver, trabalhariam melhor se retirassem esta norma, liberando assim tempo pra…quem sabe trabalhar realmente.

Responder

Cristiane Carvalho

11 de abril de 2013 às 16h30

Nabil Bonduki é coerente. Enquanto ele estiver por lá, vai ter um pouco de decência nessa câmara de vereadores.Mas, “– Quando a gente assina, não sabe ainda do que trata…” Como assim??????

Responder

Cesar

11 de abril de 2013 às 16h27

Aquele ex-prefeito de São paulo, que vive querendo colocar a “rota na rua”
é comprovadamente “bandido” e a rota nunca o matou…pq será?

Responder

Vereadores do PT assinaram projeto de Telhada de homenagem à Rota: A troco do quê? | SPressoSP

11 de abril de 2013 às 16h14

[…] Por Conceição Lemes, no Viomundo Alfredinho, líder da bancada: “Ah, mas poderia ser uma homenagem por um gesto de bravura…” (Foto: Divulgação) […]

Responder

    Erik Bouzan

    11 de abril de 2013 às 17h08

    Como foi postada na página oficial do vereador Alfredinho, dia 26/03/2013 o vereador fez um comunicado de liderança, segue o discurso do vereador durante a sessão plenária : “Senhoras vereadoras, senhores vereadores:

    Todos sabem que é muito comum aqui no Plenário a coleta de assinaturas em requerimentos de concessões de homenagens a quem presta ou prestou relevantes serviços para a Cidade. Quando somos solicitados ninguém se nega a colaborar com esses pedidos.
    Entretanto fui surpreendido dias atrás com a justificativa dada num desses projetos, para conceder a mais alta comenda que esta Casa oferece para a Rondas Ostensivas Tobias Aguiar, a ROTA.

    O projeto, como foi apresentado, veio apenas como uma homenagem ao Batalhão. Uma homenagem como tantas outras que costumamos fazer por aqui. No entanto, ao ler-se posteriormente a justificativa para a concessão da Salva de Prata, constatamos que se tratava de uma apologia aos métodos adotados pela ROTA durante os anos de chumbo.

    Uma propositura do nobre vereador Coronel Telhada, cuja exposição de motivos, nos chega negando a realidade dos fatos, naquele período em que o País esteve mergulhado nas trevas da ditadura militar. Ninguém, em sã consciência, pode admitir que se qualifique expoentes da resistência à ditadura de “criminosos e terroristas”. Carlos Mariguela e o Capitão Lamarca foram homens que lutaram por ideais de Liberdade. No regime de exceção a repressão policial agiu com violência desmedida.

    Por essas razões venho aqui desta Tribuna tornar público que eu e todos os membros da Bancada do PT estamos retirando nossas assinaturas do requerimento. Não podemos admitir que companheiros que lutaram no combate ao regime militar recebam a pecha de “terroristas”. O PT é contra essa distorção dos fatos e votará contra a propositura.

    Muito obrigado!” ATT, assessoria de imprensa do vereador Alfredinho

    Hélio Pereira

    11 de abril de 2013 às 17h57

    Meu amigo Alfredinho,sendo assim vou retirar o que disse nos comentários acima,mas não se pode admitir que Parlamentares eleitos,com base em discurso de “esquerda” fiquem assinando qualquer Documento sem analizar o conteudo.
    Espero que você meu amigo,que veio até meu bairro pedir apoio,não repita mais este erro!

    Conceição Lemes

    11 de abril de 2013 às 22h43

    Erik e Hélio,

    A nota diz:

    “Por essas razões venho aqui desta Tribuna tornar público que eu e todos os membros da Bancada do PT estamos retirando nossas assinaturas do requerimento”

    Só que o regimento interno da Câmara Municipal de São Paulo não permite que as assinaturas sejam retiradas depois de protocolado o projeto. E o pedido do coronel Telhada não só foi protocolado como está andando nas Comissões da Casa.

    Isso a nota não diz. Ela omite que a retirada foi apenas simbólica.

    Em termos práticos,as assinaturas dos vereadores vão ficar registradas pra sempre neste projeto do Telhada. sds

Ronaldo Silva

11 de abril de 2013 às 16h09

O PT virou o partido do medo, está acuado, está cedendo a qualquer pressão que receba.

Responder

João

11 de abril de 2013 às 16h05

Bom, pelo menos o vereador em que votei (Nabil Bonduki)honrou meu voto.

Responder

MariaC

11 de abril de 2013 às 16h01

Dizem que é necessário à governabilidade. E é concomitante com a campanha do Maluf e PP no rádio, que louva os tempos da Rota.Mas no final governar deste jeito pra quem? Não é pro povo? O quê acha o povo dessa história? Acaso perguntaram ao povo?

O problema com os apoios é que o povo é deixado de lado, sempre.E fica cada vez mais distante dos políticos, e da política, e mais desanimado.

Responder

Anderson

11 de abril de 2013 às 16h01

Acho que, hoje em dia, 70% dos políticos que entram no PT é mais pelo tamanho do partido que pelo nome e história do partido!

Responder

Vereadores do PT assinaram projeto de Telhada d...

11 de abril de 2013 às 16h00

[…]   […]

Responder

sofia

11 de abril de 2013 às 16h00

“Na lista, também figuram vereadores do PSDB (Andrea Matarazzo e Mário Covas, por exemplo)” Mário Covas???

Responder

    Ely Veríssimo

    11 de abril de 2013 às 16h34

    Mario Covas Neto

    Conceição Lemes

    11 de abril de 2013 às 16h35

    Oi, Sofia, é o Mario Covas Neto. Já corrigimos. Obrigada. Abs

damastor dagobé

11 de abril de 2013 às 15h57

Porque nao fazemos essa pergunta para esses aí embaixo???????

“Estudantes da Faculdade Cásper Líbero fizeram no início da tarde de hoje um protesto contra a violência na capital paulista. Na noite da última terça-feira (9), um colega deles, Victor Hugo Deppman, estudante do curso de rádio e TV, foi assassinado com um tiro na cabeça durante um assalto, em frente ao prédio onde morava no Belém, zona leste da capital”

Responder

Leonardo

11 de abril de 2013 às 15h56

guardem esses nomes na lista negra para a próxima eleição municipal!

Responder

flávio macharet barbosa

11 de abril de 2013 às 15h56

O PT está prestes a superar as contradições entre seu programa e sua história e a sua ação política efetiva. Parece não haver mais espaço para a correção de rumo!

Responder

Malvina Cruela

11 de abril de 2013 às 15h35

Não será pq a ROTA é a última linha de defesa entre nós e nossos carrasco psicopatas e criminosos irrecuperáveis?

Responder

    assalariado.

    11 de abril de 2013 às 19h47

    Malvina Cruela, da forma como colocas teu comentário, sou obrigado a dizer que, a policia burguesa, garante mesmo é a segurança dos seus superiores imediatos, seja em hora de trabalho na ronda, seja em suas horas de folga.

    Por falar nisso, quando os assalariados PMs, e os GCM, estão de folga, eles fazem a segurança de quem mesmo? E ainda se acham republicanos, lambem as botas dos ricos duas vezes ao dia. Uma vez via Estado, noutra, na segurança privada dos ricos. Recebem salários duplamente miseráveis.

    E de quebra, fazem a limpeza/ faxina étnica e social, da qual as elites tanto precisam, para pensarem que um dia vão viver em paz.

    Abraços.

H.92

11 de abril de 2013 às 15h25

Haddad já perdido com vereadores desse naipe…

Responder

    Roberto Locatelli

    12 de abril de 2013 às 16h13

    Cara, pensei a mesma coisa. Haddad vai comer o pão que os petistas fisiológicos amassaram.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!