VIOMUNDO

Diário da Resistência


Denúncias

Kristinn Hrafnsson: “O WikiLeaks não vai acabar”


27/10/2011 - 16h19

Na última segunda-feira, os serviços de notícia anunciavam que o WikiLeaks, organização que vaza documentos confidenciais que revelam má conduta de organizações, empresas ou governos, estava em falência. Tratava-se de um “spin”, ou um exagero noticioso gerado pelos frenéticos serviços de notícias.

Na verdade, o WikiLeaks anunciava uma campanha sem precedentes para arrecadar fundos buscando dar a volta a um bloqueio econômico por parte das empresas Visa, Mastercard, Paypal e Bank of America.

Desde dezembro do ano passado, pouco depois do vazamento de 250 mil documentos diplomáticos americanos, essas empresas se recusam a permitir transferências para a organização – o que significa uma enorme dificuldade para quem quer de fato dar dinheiro à equipe liderada pelo controverso Julian Assange. O grupo estima que pelo menos 1,2 milhão de euros não chegaram ao seu caixa em conseqüência.

O porta-voz do WikiLeaks, Kristinn Hrafnsson, está no Brasil para participar de um encontro de blogueiros e explicou à Carta Capital o que mudou e o que se deve esperar do WikiLeaks daqui pra frente. “O mundo está sofrendo o efeito devastador da ganância e da corrupção dos bancos e simplesmente não podemos permitir que eles ataquem o direito fundamental das pessoas decidirem que causa apoiar”, diz ele.

O WikiLeaks anunciou que vai deixar de publicar documentos por causa da falta de dinheiro. O WikiLeaks foi à falência?

Não, não é isso. Estamos funcionando com base em nossas reservas há quase um ano. Nós  estamos direcionando os nossos parcos recursos para uma campanha de arrecadação de fundos justamente para garantir que não vamos chegar a uma situação alarmante em alguns meses. Ao mesmo tempo, vamos fazer uma grande campanha para chamar a atenção das pessoas para esse bloqueio econômico totalmente antiético e ilegal.

O bloqueio está ocorrendo desde dezembro do ano passado, e é até uma estimativa conservadora dizer que 95% das nossas doações foram afetadas.

No mês anterior à decisão arbitrária dessas empresas, estávamos recebendo mais de 100.000 euros por mês de doações. Este ano, a média de doações por mês ficou entre 6 e 7 mil euros. Mas o prejuízo pode ser ainda maior porque até o dia em que o bloqueio teve início, as doações estavam aumentando rapidamente como consequência do vazamento dos documentos das embaixadas americanas. Por exemplo, apenas nas 24 horas anteriores o WikiLeaks recebeu mais de 130 mil euros.

É muito importante não só para o WikiLeaks que esse bloqueio seja denunciado. Se não lutarmos contra ele um precedente muito perigoso vai ser estabelecido, e isso poderia afetar organizações humanitárias e ONGs como o Greenpeace ou a Anistia Internacional, que estão lutando contra a corrupção e por justiça. Nunca houve um ataque deste tipo na história – um bloqueio de serviço a uma organização que não foi acusada formalmente de nenhum crime em nenhum país. Na verdade, a única investigação digna de nota nesse sentido foi do Tesouro Americano no início deste ano, que buscou averiguar se podia colocar o WikiLeaks na sua lista negra. O diretor Timothy Geithner teve que admitir que não havia base legal para isso, apesar da pressão política.

O que isso significa para as pessoas que enviaram documentos ao WikiLeaks confiando que eles seriam publicados? Não é de certa forma uma decepção?

Nós suspendemos temporariamente as publicações. Isso não significa que elas vão acabar para sempre, esses documentos que nós já recebemos têm que vir a público. Então se tivermos uma boa resposta a essa campanha de doações, provavelmente vamos reiniciar as publicações de documentos em breve.

Então o WikiLeaks ainda tem documentos em sua posse? Quantos?

Sim. Não entramos em detalhes porque se falarmos em números isso nunca dá uma idéia realista da importância do material. Um documento de uma só página pode ser mais importante do que centenas de milhares de páginas de documentos.

Quando anunciou a campanha, Julian Assange afirmou que se o WikiLeaks não levantar dinheiro suficiente até o final do ano, ele irá fechar. De quanto dinheiro o WikiLeaks necessita para sobreviver?

Julian não mencionou o final do ano, mas disse “em um tempo razoavelmente curto”. Isso é porque nós estamos em  ma batalha legal caríssima que pode esgotar com os nossos recursos – a batalha contra as corporações financeiras. Estamos em estágio de pré-litígio no Reino Unido, Austrália, Islândia e Estados Unidos.

Além disso, nós estamos colocando nossos recursos em um novo mecanismo que permite que as pessoas enviem documentos de maneira anônima ao WikiLeaks. O nosso meacnismo, chamado “dropbox”, estava fechado desde o ano passado. Mas esse novo mecanismo vai ser mais seguro que o anterior, uma espécie de versão 2.0 do WikiLeaks. Planejamos abrir esse novo “dropbox” em 28 de novembro.

Mas isso não é uma contradição?

Sim. O que estamos dizendo é que suspendemos a análise dos documentos que temos em mãos e paramos por enquanto de planejar novos vazamentos. No entanto, continuamos com o trabalho técnico, e provavelmente vamos conseguir anunciar que estamos abertos para novox documentos de maneira mais segura com o nosso novo “dropbox” até o final de novembro, quando faz um ano que publicamos os documentos diplomáticos.

De quanto dinheiro o WikiLeaks necessita?

As nossas projeções para 2012 variam entre 3,2 e 3,3 milhões de dólares. Mas pelo menos um terço disso deve ir somente para a batalha legal contra as corporações financeiras que estão fazendo esse bloqueio econômico contra nós. Isso mostra que estamos comprometidos em lutar seriamente contra essa ação ilegal das corporações financeiras porque é uma questão fundamental de liberdade de expressão, e estamos lutando por interesses muito maiores do que somente o WikiLeaks. Nos últimos anos o mundo tem sofrido o efeito devastador da ganância e da corrupção dos bancos – veja a crise econômica – e simplesmente não podemos permitir que eles ataquem o direito fundamental das pessoas decidirem que causa apoiar. É importante explicar também que o WikiLeaks tem um custo legal muito alto, porque somos sempre atacados de diversas direções.

Qual é o perfil de doadores do WikiLeaks?

Não sabemos com certeza porque a maior parte dos fundos são processados através da Wau Holland Foundation, na Alemanha. Mas trata-se de um grupo muito grande de pessoas que doam pequenas quantias. Em 2010, a média de doação foi de 25 dólares por pessoa, e 30% desse dinheiro veio dos Estados Unidos, mas há doações de países do mundo inteiro. E é importante dizer que essa é a nossa única fonte de financiamento. Nós não recebemos nenhum financiamento de fundações ou doações de pessoas ricas ou corporações. É um privilégio nosso contar com tanto apoio do público que nos permita prosseguir o trabalho.

Ainda não saiu o resultado do pedido de extradição de Julian Assange à Suécia por crimes sexuais. Caso a corte britânica julgue procedente a extradição, o que vai acontecer?

O veredicto deve sair nas próximas semanas, mas ainda pode caber recurso, portanto é um caso que está longe de terminar.

Juntando a ameaça de uma extradição para a Suécia e o bloqueio financeiro, e agora com a notícia da suspensão das publicações, estamos falando afinal do fim do WikiLeaks?

Olha, eu sou um homem otimista, então eu tenho certeza de que nós e aqueles que nos apoiam vamos conseguir uma maneira de romper esse bloqueio econômico para manter o nosso trabalho. Mas o WikiLeaks não vai morrer nunca, porque é mais do que uma ideia, é a representação de uma ideia que já gerou mudanças fundamentais: a idéia de que é possível encorajar as pessoas a agir de maneira a denunciar má-conduta, e assim dar o primeiro passo em direção à justiça.

Porém, além do vazamento dos documentos diplomáticos, houve poucos novos documentos publicados no WikiLeaks este ano. Ao mesmo tempo surgem mecanismos semelhantes feitos por grupos independentes ou jornais. Aqui mesmo no Brasil a Folha de São Paulo lançou um mecanismo para denúncias. O WikiLeaks ainda é necessário?

É sim, porque nós estabelecemos um padrão com o nosso sistema de submissões, e agora com a nova versão do “dropbox”, que será ainda melhor. Nós percebemos que há falhas graves de segurança nesses outros mecanismos que foram estabelecidos, como por exemplo o site para vazamentos do Wall Street Journal. Também descobrimos recentemente que todos os sistemas de segurança da internet foram comprometidos recentemente, e levamos tudo isso em conta para construir o novo sistema do WikiLeaks 2.0

Já há uma resposta sobre essa campanha de doações?

Sim, houve uma resposta muito positiva em especial de pequenas doações através de mensagens de texto de celular. Mas outros métodos como doações bancárias levam mais tempo para serem concretizados, então ainda não sabemos.

Quanto abrirem o novo método de submissão – ou dropbox – pessoas do Brasil poderão enviar documentos?

Claro. Sempre estivemos abertos e estaremos abertos em breve para cidadãos do Brasil ou de qualquer parte do mundo enviarem documentos. Acho importante falar também que quem quiser ajudar financeiramente no Brasil pode mandar cheques nominais para o WikiLeaks através da Casa de Cultura Digital, um coletivo que promove o ativismo digital. O endereço para mandar cheques está no site deles: http://www.casadaculturadigital.com.br/

Finalmente, na semana passada o Congresso aprovou uma Lei de Acesso à Informação, a primeira do tipo no Brasil, que estabelece sigilo de documentos por 25 anos, renováveis por mais 25. Qual a sua opinião sobre isso?

É muito decepcionante perceber que quando os governos elaboram leis de acesso à informação, os políticos geralmente aproveitam a oportunidade para aumentar o segredo em vez de aumentar a transparência. Há uma relutância inerente dos políticos a compreender que toda informação deveria ser pública a menos que haja justificativas muito específicas para que elas sejam mantidas longe do domínio público. Vamos torcer para que os políticos brasileiros não façam o mesmo. O problema é que, apesar das leis de acesso à informação estarem melhorando no mundo todo – e deve-se lutar por elas sempre – ao mesmo tempo estão aumentando as montanhas de documentos secretos nos cantos escuros dos governos. É por isso que o WikiLeaks tem que existir.

Leia também:

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



77 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Assange: EUA precisam parar de perseguir aqueles que revelam os seus crimes secretos « Ficha Corrida

19 de agosto de 2012 às 21h14

[…] Kristinn Hrafnsson: “O WikiLeaks não vai acabar” […]

Responder

Unasul se solidariza com Equador e rechaça ameaças do Reino Unido « Viomundo – O que você não vê na mídia

19 de agosto de 2012 às 20h39

[…] Kristinn Hrafnsson: “O WikiLeaks não vai acabar” […]

Responder

Fátima Mello: Sobre o perigo de demonizar as ONGs | Viomundo - O que você não vê na mídia

28 de outubro de 2011 às 21h05

[…] Kristinn Hrafnsson: “O WikiLeaks não vai acabar” […]

Responder

Panambi

28 de outubro de 2011 às 19h46

E esta? Tem que ter divulgação total:
http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia

Este boquirroto escatológico não pode ficar impune!

Responder

Roberto Ribeiro

28 de outubro de 2011 às 18h31

Enquanto isso, na Tucanolândia do PIG…:
Maconha na USP, não pode.
"Pizza", na Alesp, pode.

Responder

leandro

28 de outubro de 2011 às 17h27

Segundo o ex-embaixador chinês no Brasil, a China acredita que o Brasil não tem “capacidade e influência” para ser líder e que as ambições do país excedem seu verdadeiro peso no cenário internacional. Telegramas de agosto de 2008 obtidos pelo Wikileaks mostram a conversa de Chen Duqing, que ficou no cargo até 2009, com o ex-embaixador dos Estados Unidos, Clifford Sobel.

Àquela ocasião, Duqing manifestou a Sobel que o Brasil não estaria qualificado para suas aspirações de ocupar um assento permanente no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) e estava “interessado apenas em algumas áreas, e não em paz ou em segurança”.

Responder

FrancoAtirador

28 de outubro de 2011 às 16h44

.
.
ARTIGO RACISTA DE ARNALDO JABOR NA CBN (Globo):

"Finalmente, Orlando Silva CAI DO GALHO" (sic)

Se o agora ex-ministro dos Esportes do PCdoB, Orlando Silva,

tivesse a pele com pouco menos melanina,

o título do artigo de Arnaldo Jabor na Rádio CBN (Rede Globo)

seria este mesmo ?

"Finalmente, Orlando Silva CAI DO GALHO" (sic).

http://cbn.globoradio.globo.com/comentaristas/arn

CBN A RÁDIO QUE TOCA NOTÍCIA (sic)
Arnaldo Jabor
Segunda a sexta, às 8h05
Quinta, 27/10/2011

Finalmente, Orlando Silva cai do galho (sic)

ÁUDIO EM:

http://cbn.globoradio.globo.com/Player/playerOnde

Responder

augusto

28 de outubro de 2011 às 16h25

olha, o nao sabiaja é um troleibus! ataca o assange como criminoso bisbolhoteiro dos antros que sao as embaixadas do imperio mundo afora.

defende os segredos da imprensa quando convem ao lado deles.
e defende a abertura dele quando é contra o governo do PT. (Vide episodio de Mauá,SP e episodio palocci).
Paises do mundo sem embaixadas yanques vivem melhor.

Responder

EUNAOSABIA

28 de outubro de 2011 às 15h20

Será que o Wiquilikes vai publicar a prova do ENEM também???

Cadê o incompetente do ministro da deseducação de vocês???

Responder

    Cristiana Castro

    29 de outubro de 2011 às 03h26

    Ah é… até que era bom espalhar para o mundo inteiro que, aqui no Brasil, os caras que roubam as provas são as vítimas, prejudicadas, no concurso. Fala sério, é o mesmo que eu roubar a sua carteira na rua e reclamar que a rua tá cheia de ladrão; eu posso provar, eu até acabei de roubar essa carteira aqui!!!!! EUNAOSABIA, aqui quem veicula essas loucuras é o Waakleaks.

Ricardo B. Rodrigues

28 de outubro de 2011 às 15h19

Os grandes capitalistas morrem de mêdo de ficarem expostos. O wikileaks é uma pedra no sapato deles. Alguém aí tem coragem de enfrentar o poderio norte-americano e o comboio de advogados em todo o mundo tentando te mandar pra cadeia para ganhar uns trocados? Não precisa responder! Um único wikileaks fica muito vunerável. É preciso que, se subdivida e se multiplique para impossibilitar o controle. Se eles têm a força do dinheiro nós temos a força do ideal e a vantagem numérica. Se eles atacam nossa fonte de informação nós, povão, atacamos a deles. Que eles sintam o peso o sistema de informação deles além de ser o ponto fraco é bastante vunerável a um ataque maciço. O mundo não é mais o mesmo!

Responder

    Pitagoras

    17 de novembro de 2011 às 00h31

    Que se abram milhares de WikiLeaks por toda a rede!!!

FrancoAtirador

28 de outubro de 2011 às 14h25

.
.
William Waack é apontado como informante dos EUA pelo Wikileaks
Redação SRZD | Internacional | 27/10/2011 20h19

Após o blog "Brasil que Vai!" trazer a tona um assunto referente a documentos divulgados pelo site de denúncias Wikileaks, o nome do jornalista William Waack, âncora do jornal da noite da "Rede Globo", passou a ser intensamente comentado entre redes sociais.

Os documentos, que teriam sido publicados pelo site há quase dois meses, apontam Waack como um informante do governo dos Estados Unidos, com forte influência política no Brasil.

O site de notícias "JB online" confirmou com a jornalista Natalia Viana, que é responsável pelo espaço da Wikileaks no Brasil. Segundo a repórter investigativa, Waack chega a ser citado por três vezes como informante da Casa Branca. Dois dos documentos em que constam o nome do jornalista global foram considerados como "confidenciais".

Em uma das passagens, é relatada a visita de um porta-aviões dos Estados Unidos em maio de 2008. O documento emitido informaria que a Embaixada Americana havia classificado a repercussão do evento na mídia como "positiva", e citaria diretamente o nome de William Waack como tendo ajudado a evidenciar o lado positivo que existe nas relações entre o Brasil e os Estados Unidos durante suas reportagens para o jornal "O Globo".

Em um segundo documento, as eleições presidenciais de 2011 são o destaque. No caso, em fevereiro de 2010 o atual âncora da "Rede Globo" teria informado aos norte-americanos que, após um fórum econômico em São Paulo, havia tido a impressão de que Ciro Gomes era o mais preparado entre os candidatos, José Serra era "claramente competente" enquanto Dilma teria sido vista como incoerente.

O terceiro documento apresentado teria registrado um erro de previsão feita por Waack. Nele constaria que em agosto de 2009, o jornalista manteve contatos com funcionários da Casa Branca, aos quais teria apontado que Serra e Aécio Neves tinham concordado em apresentar uma candidatura para presidente e vice, respectivamente. O fato não aconteceu. Na época, Aécio chegou a tentar concorrer como presidente pelo PSDB, mas terminou como candidato ao Senado por Minas Gerais.

Em uma publicação de outubro de 2010, pela coluna Wikileaks, Natalia Viana já havia escrito sobre as informações de Waack consideradas pela inteligência dos Estados Unidos. No texto, a repórter afirma que a conselheira Lisa Kubiske alertava o governo norte-americano sobre as tendências no Brasil a partir de análises de jornalistas brasileiros.

O trecho foi publicado durante um texto que fala de um estudo projetado pelo governo norte-americano acerca a atual presidente Dilma Rousseff.

<img src="http://www.jb.com.br/media/fotos/2011/10/27/627w/documento-relata-reuniao-na-qual-waack-da-detalhes-sobre-os-presidenciav_1.jpg"&gt;

<a href="http://www.sidneyrezende.com/noticia/150697+william+waack+e+apontado+como+informante+dos+eua+pelo+wikileaks” target=”_blank”>http://www.sidneyrezende.com/noticia/150697+william+waack+e+apontado+como+informante+dos+eua+pelo+wikileaks

Responder

Lu_Witovisk

28 de outubro de 2011 às 13h51

Antigamente, havia um ditado de comeciante: $$ é igual, não importa de onde venha… Esse bloqueio é surreal, a Visa, Mastercard, etc ganham com a utilização do sistema. O $$ pra eles agora (que estão empanturrados) tem sim cara. Ainda bem que o povo ta acordando para a falencia do sistema, trata abertamente banqueiro como bandido… A casa vai cair, com ou sem bloqueio, é o estribuchar do sistema.

Responder

Os rumos da comunicação em debate #blogmundofoz | A Tal Mineira – Blog da Sulamita

28 de outubro de 2011 às 13h10

[…] que Kristinn Hrafnsson, porta-voz do Wikileaks, concedeu à revista Carta Capital, republicada por Vi o Mundo. Ele garante que o Wikileaks não vai acabar, como se […]

Responder

Paulo Silva

28 de outubro de 2011 às 12h53

Boto fá que o Assnge vai captar recursos. O trabalho dele tem sido muito útil para explicar fatos suspeitos,mas de cuja origem não se tinha certeza.
É sempre assim. A gente fica intrigado, desconfa depois tudo se evidencia. Com Assange ou sem Assange.
Está ficando claro o motivo de estarem massacrando a Dilma e terem crucificado o Orlando: ambos estavam começando a desmanchar a mutreta das ongs fajutas. Que são muitas e todas com poderosas e felpudas raposas políticas usando-as, disfarçadamente, como fonte de captação de recursos públicos, para as campanhas de políticos. Há ongs com convênios em vários Ministérios. A varredura vai ser total.
Está explicado o súbito furor contra Dilma que avassala as caixas de comentários dos blogs sujos.
As poderosas ongs,através do PIG , montou o esquema e a a "lúcida" esquerda de beira de calçada, saiu atirando. Uns por que têm interesses em ongs fajutas, outros de pura bobeira, típica da classe média, que pra vacilar não custa.Nela a classe trabalhadora jamais pode confiar.
Podem tirar o cavalinho da borrasca. Porque até decreto já tem: acabou-se a farra das ongs.
Chorem mutreteiros, chorem. Não era para a Dilma avançar? Ela avançou para cima dos corruptores e corruptos,que usam as ongs, filhas adoradas do neoliberalismo, para saquear o Estado.
Agurdemos uma marcha a favor das ongs.

Responder

Luciano Prado

28 de outubro de 2011 às 12h40

Informe JB

Wikileaks: William Waack, da Globo, é citado três vezes como informante dos EUA

Jornal do Brasil
Jorge Lourenço

O jornalista William Waack, da Rede Globo, se tornou um dos assuntos mais discutidos no Twitter nesta quinta-feira graças a supostos documentos da Wikileaks que o apontariam como informante do governo americano. Apesar de vagas e desencontradas, algumas informações são verdadeiras. O Informe JB entrou em contato com a jornalista Natalia Viana, responsável pela Wikileaks no Brasil, que confirmou a história. Waack é citado não apenas uma, mas três vezes como informante da Casa Branca. Dois dos documentos que o citam são considerados "confidenciais".

Consulta sobre as eleições

Um dos arquivos é sobre a visita de um porta-aviões dos Estados Unidos em maio de 2008. Na ocasião, a Embaixada Americana classificou como positiva a repercussão na mídia do evento, citando William Waack diretamente por ter ajudado a mostrar o lado positivo das relações do Brasil com os Estados Unidos em reportagens para o jornal "O Globo". Os outros dois documentos são sobre informações repassadas por Waack a representantes americanos sobre as eleições presidenciais do ano passado.

Documento relata reunião na qual Waack dá detalhes sobre os presidenciáveis em fevereiro
Dilma incoerente

O jornalista da Rede Globo reportou aos americanos em fevereiro de 2010 que um fórum econômico em São Paulo deixou as seguintes impressões sobre os possíveis candidatos à presidência: Ciro Gomes era o mais preparado, Serra era "claramente competente" e Dilma era… incoerente.

William Waack errou previsão sobre união de Aécio Neves com José Serra
Bola fora

Em agosto de 2009, novamente Waack manteve contatos com funcionários americanos, mas passou uma informação errada. Ele apontou que Serra e Aécio Neves já haviam selado a paz para uma candidatura a presidente e vice, respectivamente, no ano seguinte. A profecia, como todos sabem, não se confirmou. Aécio tentou encabeçar a candidatura tucana à presidência, mas acabou tentando o Senado por Minas Gerais.
http://www.jb.com.br/informe-jb/noticias/2011/10/

Responder

ZePovinho

28 de outubro de 2011 às 12h05

Digite o texto aqui![youtube sN7PfKz7MLA http://www.youtube.com/watch?v=sN7PfKz7MLA youtube]

Responder

ZePovinho

28 de outubro de 2011 às 11h59

Luiz Fortaleza:
[youtube 8kGnareb4Gw http://www.youtube.com/watch?v=8kGnareb4Gw youtube]

Responder

augusto

28 de outubro de 2011 às 11h55

O imperio antes de seu ocaso tem re incidencias frequentes de força, auto afirmaçao e megalomania.
Tropas (especiais) e soldados dos EUA estão invadindo Uganda.O propiro Obama nao negou e até explicou em entrevista com a imprensa. Os numeros não foram revelados obviamente.
O motivo? O novo Africom, é logico. Outro motivo: a presença economica da china, tá na cara.Pretexto: um velha e inexpressiva guerrilha que ha tempos opera no pais
e que o imperio nem tinha notado até agora..
Ao que parece teremos pela frente uma decada de fortes emoçoes no continente africano.

Responder

_spin

28 de outubro de 2011 às 11h43

Com certeza isso não vai dar na Veja nem no JN nem na Folha
Mundo elogia Brasil por combate à corrupção
E olhe lá que prefeitos e governadores nem estão fazendo sua parte, pois se tivesse, nosso pais estaria ainda mais bem colocado no ranking da corrupção
Falando nisso, o Alckimin enterrou mais uma CPI, a do mensalão do PSDB/ SP
Quando o assunto é corrupção em governo tucano o pig fica cego, surdo e mudo http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMos

Responder

ZePovinho

28 de outubro de 2011 às 11h28

Digite o texto aqui![youtube hE8gpNdimF0 http://www.youtube.com/watch?v=hE8gpNdimF0 youtube]

Responder

ZePovinho

28 de outubro de 2011 às 11h17

O site é de 2006 e parou.Não lembro da mídia divulgar nada sobre os crimes da COCA-COLA,que coloca folhas de coca na bebida que você toma e dá para seus filhos tomar.
http://www.dollyverdade.com/linha.php

– OUTDOORS MOSTRAM CONCLUSÃO DA PF: COCA COLA TEM FOLHAS DE COCA. Outdoors assinados pela Dolly estão nas ruas e informam que documento oficial da Polícia Federal afirma que Extrato Vegetal, principal ingrediente da Coca-Cola, é de folhas de coca, o que é proibido no Brasil. A Coca-Cola tem tentado abafar o assunto de todas as formas, inclusive mais uma vez utilizando forte pressão econômica. Mas centenas de outdoors assinados pela Dolly Refrigerantes espalhados em São Paulo e Rio de Janeiro informam o público e reforçam a guerra que é mantida com a multinacional americana há mais de dois anos. Os cartazes servem para alertar a população e chamar a atenção para o absurdo e total silêncio das autoridades sobre um problema de extrema gravidade e de Saúde Pública. Conforme denúncia que a empresa faz há tempos, agora saiu a análise oficial do Instituto de Criminalística da Polícia Federal. E a informação não deixa margem a dúvidas: O refrigerante Coca-Cola contém derivados de folhas de coca, planta base de seu Extrato Vegetal, o componente mais importante de sua formulação, jamais analisada antes no país.

Responder

    marcosomag

    28 de outubro de 2011 às 20h46

    Eu me lembro de um antigo filme publicitário do Guaraná Antártica no qual no final o narrador/repórter (a propaganda tinha tom de reportagem) mostrava a plantação de pés de guaraná de onde vinha o extrato de guaraná usado na fórmula do refrigerante brasileiro (ainda não era AMBEV) e perguntava: e aí coca-cola? a sua coca vem de onde, hein?

Rafael

28 de outubro de 2011 às 10h46

Alguém pode explicar por que quando é político da direita envolvido em fraudes NUNCA aparece o partido a que ele pertence? Quando é do PT eles nem chegam a falar o nome do cara, simplesmente dizem que é do PT.
Vejam o caso do assassinato do ex-secretário de Maringá Luiz Antonio Paolicchi encontrado morto, ou assassinado, executado ele fazia parte do governo do Jairo Moraes Gianoto do psdb. Mas prestem atenção que na reportagem da globo em nenhum momento falam a que partido pertecem os envolvidos. E não foi facial achar qual era o partido.
Quero ver se vão dar a mesma atenção ao caso do Celso Daniel. Esse caso aí do psdb tem provas e condenação.

Responder

Luiz Fortaleza

28 de outubro de 2011 às 10h33

A internet é uma via de mão dupla e para combater o preconceito é fundamental: http://www.youtube.com/watch?feature=player_embed…!

Responder

Luiz Fortaleza

28 de outubro de 2011 às 09h37

A internet é uma via de mão dupla e para combater o preconceito é fundamental: http://www.youtube.com/watch?feature=player_embed…!

Um vídeo cearense sobre o preconceito contra os nordestinos.

Responder

Arthur Schieck

28 de outubro de 2011 às 08h54

Será que Assange nunca ouviu falar em boleto bancário? O sujeito podia entrar no site, escolher um valor pra doar e o WikiLeaks mesmo gerava um boleto pro sujeito pagar no banco.
Será que isso só existe por aqui?

Responder

    Pitagoras

    17 de novembro de 2011 às 00h37

    Hei cidadão. Me explica como fazer isso aqui em Brazuka e depositar num banco estrangeiro? A única forma do zé mané aqui contribuir com ONG's internacionais que ainda não tenham filiais no país é através dos benditos cartões de créditos, outra forma modernosa de usura originadora do capitalismo fundamentalista reinante.

trombeta

28 de outubro de 2011 às 08h38

Nos documentos vazados pelo Wikileaks, o jornalista Fernando Rodrigues, colunista da Folha de S. Paulo, também aparece como informante, em encontro na embaixada dos EUA.

Numa conversa de 2006, Rodrigues teve um encontro com representantes da embaixada americana, e disse entre as quatro paredes que o TCU (Tribunal de Contas da União) era aparelhado politicamente pelos demo-tucanos, e tinha relatórios feitos para usar como batalha partidária da oposição contra o governo.

Disse que o tribunal faz análises não confiáveis e seus noves ministros são geralmente ex-senadores ou ex-deputados escolhidos por seus colegas para atuarem partidariamente. Rodrigues citou nominalmente o ministro Aroldo Cedraz, a quem classificou como “carlista” – ligado ao finado Antonio Carlos Magalhães.

De acordo com os documentos, Rodrigues também fazia análises políticas para a embaixada americana e avaliou o cenário da Câmara em 2006, que teve como oponentes Arlindo Chinaglia, do PT, e Aldo Rebelo, do PCdoB. Rodrigues disse que, se Aldo perdesse, ganharia como prêmio de consolação o Ministério da Defesa (o que não ocorreu). (Com informações do Portal 247)

Responder

    Pitagoras

    17 de novembro de 2011 às 00h40

    Imagine se esses cidadãos acima de qualquer suspeita tivessem tido " um encontro" na embaixada de Cuba.
    De novo, o ouro de Moscou, digo, Cuba, financiando a derrubada de nosso democrático governo…

EUNAOSABIA

28 de outubro de 2011 às 07h32

Esse espertalhão deveria estar na cadeia, na cadeia mesmo, além da acusação de estupro que pesa contra ele, isso que ele faz nada tem a ver com a liberdade de imprensa, isso é pura e simplesmente revelação de segredos de estado, segredos obtidos de forma aparentemente ilegal, e o pior de tudo, esse sujeito faz isso para ganhar dinheiro.

Isso é crime, nada tem a ver com liberdade de impresna ou opinião, isso é revelação de segredo de estado.

Vocês não enganam é ninguém.

Responder

    cronopio

    28 de outubro de 2011 às 09h57

    Isso, põe ele para dividir a cela com o Roberto Civita!

    Rafael

    28 de outubro de 2011 às 10h20

    Do que você está falando lunático? É impressão minha ou você está indignado por que pegaram os seus parceiros com as calças nas mãos?
    Tá aparecendo que são traídores, sabotadores, agora descobriram que um jornalista da folha de sp fernando rodrigues é um sabotador. Que vergonha pior que tem gente que leva a sério esse saco de bosta.
    Contra fatos não há argumentos. Daqui a pouco aparece os jornalistas da veja que são informantes e agente políticos dos eua. Isso é atentado contra soberania do Brasil e principalmente com democracia.
    Como disse fernando rodrigues o TCU tem relatóris prontos para prejudciar o governo para fazer uma guerra política.
    Bom saber que mentira tem perna curta, não adianta cedo ou tarde aparece as merda. Agora imagine uns 20 anos atrás como era.

    ZePovinho

    28 de outubro de 2011 às 11h08

    Vai tomar no TOBA,imbecil!!!!!!!!

    edv

    28 de outubro de 2011 às 13h25

    Segredos de estado: ilegalidades, crimes, roubos, traições, corrupções, lavagem de dinheiro, caixa 2, assassinatos, sequestros, torturas, drogas, arregimentações, etc.
    Por isso são "segredos de estado".
    Tolinho!

    Vinicius Garcia

    28 de outubro de 2011 às 16h05

    Se é segredo, não é coisa boa, sendo assim, quando divulgado é bom, inibe no caso do estado de agir perniciosamente e estimula com isso a democracia, como a que você vive nesse Blog, que permite os seus comentários.

    Pitagoras

    17 de novembro de 2011 às 00h31

    Estupro? Logo na Suécia? O óbvio ululante, ausente somente para os capadócios, é que faz parte de uma conspiração para calar aquele que faz o que todo jornalista decente deveria fazer: relatar os fatos para a sociedade, sem dó nem piedade.

marcosomag

28 de outubro de 2011 às 07h31

A Dona Dilma deveria mostrar a que veio e oferecer ao Wikileaks a possibilidade de abrir uma conta no Banco do Brasil para que ele possa continuar funcionando.

Responder

    Fabio SP

    28 de outubro de 2011 às 14h21

    Aí é só abrir a ONG… e esperar o depósito

    Klaus

    28 de outubro de 2011 às 15h07

    Você acha que seria ético por parte do Wikileaks aceitar dinheiro de um governo, qualquer governo? Como ficaria a credibilidade da organização?

    polentinha

    28 de outubro de 2011 às 20h41

    É só a possibilidade de abrir uma conta normal. Sem dinheiro ou qualquer interferência do Estado brasileiro. Simplesmente, seria um refúgio para que o Wikileaks possa continuar a exercer seu papel.

    ZePovinho

    28 de outubro de 2011 às 20h44

    E cara falou em aceitar dinheiro do BB,Fraulein?????O cara falou em usar as agências do BB pelo mundo!!!!

Regina Braga

27 de outubro de 2011 às 23h54

O cara têm estilo,porte e postura…Sanguessuga mesmo,legítimo!!!! Prá achar o Cerra ótimo,só podia trabalhar para a cia…

Responder

Lucas

27 de outubro de 2011 às 23h51

"In . for . man . te (adjetivo): Que ou quem dá informações"

Informante não significa espião secreto da CIA, ou propagandista. Os documentos liberados do wikileaks são cartas diplomáticas, não há qualquer relação com a CIA. Tudo que eles demonstram é que Waack se encontrou com um diplomata estadunidense pra informar sobre as eleições presidenciais (o nome dele aparece em apenas três cabos, todos falando das eleições). Em outros documentos aparecem vários jornalistas de nossa mídia corporativa, políticos dos mais diversos partidos (principalmente, é claro, DEM e PSDB), Nelson Jobim, entre outros. Todos apenas falando besteiras, nenhum revelando qualquer agente secreto da CIA.

Os documentos só provam que embaixadores estadunidenses são completamente idiotas e ineptos, buscando as piores fontes possíveis para entender o país-anfitrião. NÂO são base pra ficar tecendo teorias conspiratórias. Além do mais, a CIA não precisa infiltrar a Globo, porque a emissora já é ideologicamente alinhada com os EUA há décadas.

Se duvida, vai em http://cablesearch.org/ e faz uma busca por "waack". Você vai achar as três cartas em que o nome dele aparece. Leia elas. E lembre-se de não imediatamente acreditar em toda informação de um blog do qual você nunca ouviu falar antes sem checar as fontes.

Responder

    marcosomag

    28 de outubro de 2011 às 20h49

    O buraco parece mais embaixo pois os "cables" dão a entender que Waack prestava contas diretamente Departamento de Estado e não à direção de jornalismo da Globo.

alexandre melo

27 de outubro de 2011 às 22h32

este paypal é uma BOSTA ele julga condena e sentecia quem deve usar seu servico
seria como um banco flamenguista se recusar a receber deposito de vascaino.
como um servico financeiro possa recusar serviço sem devida ordem judicial?

meus amigos boicotem este serviço
mandem dinheiro vivo via correio
é mais seguro.

Responder

Julio Silveira

27 de outubro de 2011 às 21h06

Sei não, mas acho que até os donos emissora são.

Responder

    Pitagoras

    17 de novembro de 2011 às 00h44

    Jornalistas, como de resto médicos, etc, hoje são, no contexto capitalista, lumpen-proletariat do sistema.
    Simplesmente obedecem ás ordens do boss. Isto ou rua.

edv

27 de outubro de 2011 às 20h51

O Waack (aquele da expressão facial de quem cheira "gases intestinais") tem até jatinho!…
Vai que precisa ir à uma reunião de emergência em Langley…
Quantos desses por aí já foram cooptados? A lista nos jornais revistas, rádios e TV's é enorme…
Nem vou citar nomes, pois a Conceição, eticamente, vai melar, né Ceição?
Precisamos (o mundo) de mais Wikileaks!

E de menos WAACK LEAKS…

Responder

    marcosomag

    28 de outubro de 2011 às 20h59

    Sinais exteriores de riqueza. Se a Dilma fosse Cristina, a PF já teria puxado o fio da meada.
    Quer outro caso? A tal Lúcia Hi(c)pólito, que diz ser professora de história (sei não pois humilhei esta senhora no seu blog sujo em um post sobre Sarney (ela desconhecia totalmente o livro de Ronaldo Costa Couto sobre aquela noite crucial de 14 para 15 de marco de 85, com Tancredo impedido pela doença e onde Sarney, Ulysses e o General Leônidas Pires Gonçalves impediram uma possível tentativa de Golpe de militares linha-dura)), declarou no Programa do Jô (quando ele entrevistou de forma individual as tais "velhinhas do Jô") que só "comungava na Catedral de Notre Dame (Paris)" provocando "ooohs" de estupefação esparsos na platéia devido a total incompatibilidade de renda de uma simples professora de história no Brasil (e mesmo da comentarista radiofônica) com suas idiossincrassias religiosas. Repito: se a Dilma fosse como a Cristina da Argentina, a PF já teria pego toda a canalha midiática! Como dizia o velho cacique tucano Sérgio Motta: " a imprensa come na mão se farto for o grão".

Rogério Floripa

27 de outubro de 2011 às 19h48

Vida longa WikiLeaks!

Documentário – WikiRebels
faz o papel que a mídia tradicional não faz http://fwd4.me/07hm

Responder

FrancoAtirador

27 de outubro de 2011 às 19h05

.
.
William Waack entra nos TTs do Twitter após ser apontado como informante dos EUA

A hashtag 'William Waack' entrou nos Trending Topics do Twitter nesta quinta-feira (27) depois que um blog publicou a informação de que o âncora do Jornal da Globo seria informante do governo norte-americano.

Segundo o blog 'Brasil que vai', de Luiz Cezar, documentos do Wikileaks (site que trouxe a público informações sigilosas) revelam que William Waak está a serviço do Departamento de Estado norte-americano, o qual "buscou fincar estacas nos meios de comunicação especializados em política internacional do Brasil".

Waak, que, além de ser âncora do Jornal da Globo, apresenta um programa de debate sobre política na Globo News, é apontado pelo blog como "um caso suspeito de infiltração da CIA nas instituições do país".

O texto diz: "O jornalista Waack foi indicado por instâncias daquele governo estrangeiro para sustentar posições na mídia brasileira afinadas com as grandes linhas da política externa americana. Por essa razão é que se sentiu à vontade de protagonizar insólitos episódios na programação que conduz, nos quais não faltaram sequer palavrões dirigidos a autoridades do governo brasileiro".

Segundo o blog, William Waack não responde à Globo, mas sim a uma "autoridade maior":
"Os documentos divulgados pelo Wikileaks de encontros regulares de Waack com o embaixador do EUA no Brasil e com autoridades do Departamento de Estado e da embaixada de Israel mostram que sua atuação atende a outro comando que não aquele instalado no Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Aceitam os Marinhos a autonomia de Waack sobre seus programas porque são atendidos eles mesmos em interesses menos defensáveis junto a grandes estúdios americanos e bancos estadunidenses".

Entre os seguidores do Twitter, a suposta revelação virou motivo de piada:

"Sempre desconfiei que a risadinha cínica que o Wiliam Waack dava no final da charge do Caruso não era simplesmente porque não tinham graça", disse um internauta.

"William Waack pode não ser o herói que você precisa, mas com certeza é o herói que você merece", completou outro.

Fonte: BOL

Responder

ZePovinho

27 de outubro de 2011 às 18h11

http://noticias.r7.com/internacional/noticias/wik

WILLIAM WAAK,SEU CABUETA!!!!!!!!!!

[youtube eu8IvVu-W_o http://www.youtube.com/watch?v=eu8IvVu-W_o youtube]

Responder

ZePovinho

27 de outubro de 2011 às 17h52

http://noticias.r7.com/internacional/noticias/wik

Wikileaks aponta Wiliam Waack como
informante do governo dos EUA
Blog Brasil que Vai cita documentos sigilosos divulgado pelo site de Julian Assange

O repórter William Waack, da Rede Globo de Televisão, foi apontado como informante do governo americano, segundo post do blog Brasil que Vai – citando documentos sigilosos trazidos a público pelo site Wikileaks há pouco menos de dois meses.
De acordo com o texto, Waack foi indicado por membros do governo dos EUA para “sustentar posições na mídia brasileira afinadas com as grandes linhas da política externa americana”.

– Por essa razão é que se sentiu à vontade de protagonizar insólitos episódios na programação que conduz, nos quais não faltaram sequer palavrões dirigidos a autoridades do governo brasileiro.

O post informa que a política externa brasileira tem “novas orientações” que “não mais se coadunam nem com os interesses americanos, que se preocupam com o cosmopolitismo nacional, nem com os do Estado de Israel, influente no ‘stablishment’ norte- americano”. Por isso, o Departamento de Estado dos EUA “buscou fincar estacas nos meios de comunicação especializados em política internacional do Brasil” – no que seria um caso de “infiltração da CIA [a agência norte-americana de inteligência] nas instituições do país”.

Confira também
Wikileaks é suspenso por falta de dinheiro

Assange se considera "um ativista"
O post do blog afirma ainda que os documentos divulgados pelo Wikileaks de encontros regulares de Waack com o embaixador do EUA no Brasil e com autoridades do Departamento de Estado e da Embaixada de Israel “mostram que sua atuação atende a outro comando que não aquele instalado no Jardim Botânico do Rio de Janeiro”.
Wikileaks suspende operações

O site WikiLeaks anunciou nesta segunda-feira (24) a suspensão temporária da difusão de documentos confidenciais e sigilosos para concentrar-se na arrecadação de fundos que permitam garantir a futura sobrevivência.

A página criada por Julian Assange afirma em um comunicado que se vê forçada a “suspender temporariamente as operações de publicação e a arrecadar fundos agressivamente para contra-atacar”, após o bloqueio de seus recursos pelas operadoras de cartões de crédito e outras empresas.

Companhias americanas suspenderam transações com o site após a publicação de 250 mil documentos do Departamento de Estado americano, o que causaria restrições a essas empresas.

Responder

trombeta

27 de outubro de 2011 às 17h42

O repórter William Waack, da Rede Globo de Televisão, foi apontado como informante do governo americano, segundo post do blog Brasil que Vai – citando documentos sigilosos trazidos a público pelo site Wikileaks há pouco menos de dois meses.

De acordo com o texto, Waack foi indicado por membros do governo dos EUA para “sustentar posições na mídia brasileira afinadas com as grandes linhas da política externa americana”.

– Por essa razão é que se sentiu à vontade de protagonizar insólitos episódios na programação que conduz, nos quais não faltaram sequer palavrões dirigidos a autoridades do governo brasileiro.

O post informa que a política externa brasileira tem “novas orientações” que “não mais se coadunam nem com os interesses americanos, que se preocupam com o cosmopolitismo nacional, nem com os do Estado de Israel, influente no ‘stablishment’ norte- americano”. Por isso, o Departamento de Estado dos EUA “buscou fincar estacas nos meios de comunicação especializados em política internacional do Brasil” – no que seria um caso de “infiltração da CIA [a agência norte-americana de inteligência] nas instituições do país”.

Responder

    Guanabara

    27 de outubro de 2011 às 22h32

    Sinceramente, não me surpreendeu nem um pouco. E duvido que seja o único.

    Cristiana Castro

    29 de outubro de 2011 às 03h30

    Mas é o único trouxa que faz questão de deixar bem claro que é X9.

    Almerindo

    27 de outubro de 2011 às 23h56

    Trombeta, o JB noticiou também:
    http://www.jb.com.br/informe-jb/noticias/2011/10/

    BARBARIDADE TOTAL !!!!!!!!!

Rafael

27 de outubro de 2011 às 17h14

Falando sobre o Wikileaks viram que tem informações que Wiliam Wack é um traidor, um embuste, um informante. Quero ver o que vai acontecer.

Responder

    Julio Silveira

    27 de outubro de 2011 às 21h08

    Sei não, mas acho que até os donos da emissora são. Ali dentro acredito que seja determinação da diretoria.

Denis Fonseca

27 de outubro de 2011 às 17h10

Por que o Assange precisa de tanto dinheiro?

Responder

    Pedro

    27 de outubro de 2011 às 19h53

    Meu amigo, manter um domínio funcionando gera gastos ainda mais um dominio que dia após dia sofre tentativa de ataques, gastos com pessoal, etc. Tudo isso gera gastos.

    Denis Fonseca

    28 de outubro de 2011 às 12h06

    Quais gastos Assange tem? Qto custa seu pessoal? No site eles dão alguns números enormes, mas nada de prestação de conta legítima. E se a estrura dele é tão cara, ele funciona como uma corporação comum. O ponto é: Assange deveria ser mais transparente com suas contas.

    Francisco Niterói

    28 de outubro de 2011 às 15h45

    Tolinho, ou seria melhor, TROLLINHO.

    Pitagoras

    17 de novembro de 2011 às 00h28

    Bullshit!

    Marcelo Fraga

    27 de outubro de 2011 às 20h16

    Entre na justiça contra os maiores bancos do mundo enquanto libera documentos secretos do país mais poderoso do planeta, e então você entenderá.

    edv

    27 de outubro de 2011 às 20h52

    Porque tem muita gente que faz perguntas deste tipo…

    Polengo

    27 de outubro de 2011 às 23h09

    Pergunte outra coisa:
    Quem é que já fez o que o Assange está fazendo?

    cronopio

    28 de outubro de 2011 às 07h35

    Por que o Joseph & Moise Safra precisa de tanto dinheiro? E o Antônio Hermínio? Vamos confiscar? Você apóia?

    EUNAOSABIA

    28 de outubro de 2011 às 11h50

    Porque ele deve ser de esquerda… essa gente é contra o capitalismo mas adora uma bolada na conta.

    Veja o caso dos petistas….

    ZePovinho

    28 de outubro de 2011 às 17h51

    Você não é capitalista,seu imbecil.Suas intervenções,aqui,só defendem o capitalismo de compadres do PSDB de São Paulo.

    edv

    28 de outubro de 2011 às 19h10

    Os da direita são masoquistas, pois "detestam" dinheiro, mas concentram a maior parte da riqueza…
    Se fôr mixaria até "denunciam"…
    Só roubam "boladões"!
    "Ladrão de galinha merece ser preso, para não desonrar a classe!"
    Veja o caso dos demotucanos (líderes nas listas de corrupção), da privataria, dos Malufs, dos Lalaus.

    Fabio SP

    28 de outubro de 2011 às 13h53

    Fala pra ele abrir uma ONG aqui no Brasil… 3 MM de dólares vai ser pouco…

    Vinicius Garcia

    28 de outubro de 2011 às 15h52

    Simples, no capitalismo o que faz as coisas funcionarem é o dinheiro, alguns até acham que não, que basta vontade ideológica, mas o sistema não facilita para vontades, ele quer mesmo é ser pago.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.