VIOMUNDO

Diário da Resistência


Denúncias

Júlio Cerqueira César: “Racionamento de Alckmin é irresponsável”


03/08/2014 - 18h27

Cortes desproporcionais para ajudar a cobrir os R$0,20 da redução de tarifas de ônibus, metrô e trens

por Conceição Lemes

Após participar de evento nesse sábado 2, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), disse que:

“Seria uma atitude até irresponsável fazer racionamento, pois poderíamos perder toda a economia obtida”

“não pretende mudar nenhuma estratégia” relacionada ao abastecimento de água do Estado.

Em entrevista ao Viomundo, o engenheiro Júlio Cerqueira César Neto, professor aposentado de Hidráulica e Saneamento da Escola Politécnica da USP, rebate:

“Irresponsável é a crise de água que o governador Alckmin nos criou. Tudo o que ele fez até agora é uma tremenda irresponsabilidade. O governo do  Estado ficou 30 anos sem investir em novos mananciais!”.

“O Alckmin não quer fazer o racionamento geral, porque tem medo que prejudique a sua reeleição. Então ele quer empurrar para frente o máximo que der”.

O professor  avisa:

“Nós ainda não estamos vivendo a crise da água. Por enquanto, nós estamos no aperitivo. A crise vai ser quando terminar o volume morto, no final do ano. Aí, vamos estar com Sistema Cantareira seco e sem volume morto. Aí, vamos entrar numa crise seriíssima”.

“Nós estamos franco racionamento seletivo. Vários setores da Região Metropolitana já estão com cortes de água à noite e ela só volta na manhã seguinte”.

Júlio Cerqueira alerta:

“A população já está estocando água em bacias, reservatórios, com sério risco à saúde pública. Como essa água fica armazenada, exposta, de forma inadequada, vai favorecer problemas gastrointestinais, como a diarreia, e a proliferação do mosquito da dengue”. ficam expostas e ficam sem água adequada, vai favorecer infecções gastrintestinais, como diarreia, e a proliferação do mosquito da dengue”.

“Aliás, se o Alckmin acha que fazer racionamento é ser irresponsável, ele já está sendo irresponsável. Ao fazer racionamento em diversos setores  da cidade, ele está sendo irresponsável. Isso é uma realidade inquestionável.”

Leia também:





18 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

sergioa

06 de agosto de 2014 às 12h30

PSDB o partido do APAGÃO.

Tome APAGÃO Elétrico.
Tome APAGÃO Hidrico.
Tome APAGÃO de Gestão.
Tome APAGÃO de irresponsabilidade.

O irresponsável do governador de SPesta colocando os interesses pessoais (ser reeleito governador para mandar e desmandar por mais quatro anos) acima dos interesses da população do estado de S.P.

Ele tem que ser detido imediatamente. As consequências dos seus atos irresponsáveis vão colocar todo um estado (somente o mais rico e populoso do país) em uma situação critica, que poderá levar anos para ser reparada.

Responder

Juvenal

05 de agosto de 2014 às 19h35

E mesmo assim o governador está com fortes possibilidades de levar no 1o turno. Limpo ou sujo não há limite para a indignação quando se nasce subalterno a outro, a outra classe social.

Responder

Luís CPPrudente

05 de agosto de 2014 às 11h24

Governador Geraldo Alckimin é muito cínico, mentiroso e irresponsável.

Responder

Zanchetta

05 de agosto de 2014 às 08h31

Tá dando pena do Padilha… o Alckmin não decreta racionamento! O programa mais canequinha tava no ponto…

Responder

    Luís CPPrudente

    05 de agosto de 2014 às 11h23

    Zambetta, o que o Acunha escreveu mais abaixo cai muito bem em você.

Acunha

04 de agosto de 2014 às 22h44

Vote no PSDB e beba suco de lesma, que nem os paulistas – http://www.youtube.com/watch?v=h5zAanKbhnA

Responder

Urbano

04 de agosto de 2014 às 13h53

Está ou continua???

Responder

    Urbano

    04 de agosto de 2014 às 13h58

    Os da oposição ao Brasil estão querendo mais é resolver seus problemas de ambição e ganância…

Elias

04 de agosto de 2014 às 13h38

Em 1998, FHC segurou a paridade do real até ganhar a reeleição comprada a 200 mil reais por cabeça. FHC, assim como Alckmin, temia não se reeleger se desvalorizasse o real. Em janeiro de 1999 o dólar explodiu e quem pagou a conta (como sempre) foi a população. Em São Paulo, o mesmo vai acontecer no início 2015, desta vez com a água que o governador paulista teima em não racionar geral. Prefere o racionamento seletivo, possivelmente mapeado por técnicos que protegem regiões de seus redutos eleitorais.

Responder

maria libia

04 de agosto de 2014 às 12h53

Os paulistas criticam os nordestinos por votarem nos coronéis. Esquecem que já, quase não existem coronéis, diferente do Estado de São Paulo, cujo o povo está votando nos coronéis do PSDB há 20 anos e corre o risco de votarem novamente.

Responder

    Sidnei Brito

    04 de agosto de 2014 às 16h29

    Perfeito.
    Alguém aí se lembra de alguma disputa estadual ou da capital de São Paulo que tenha outro candidato que não seja Serra ou Alckmin?
    Ah, sim, muitos vão se lembrar de Mário Covas, há mais de quinze anos.
    E então, quem era o vice de Covas, já na sua eleição de 1994?
    Mas os paulistas não pensam nisso, afinal estão sempre muito preocupados com os Sarneys e Renans da vida.

    Sidnei Brito

    04 de agosto de 2014 às 17h43

    Eu quis dizer, é claro, algum candidato do PSDB que não seja os coronéis Serra ou Alckmin.

Julio Silveira

04 de agosto de 2014 às 12h50

Tá sendo é ixperto (assim mesmo).

Responder

sergio

04 de agosto de 2014 às 02h28

Estão esperando terminar as eleições para começarem a implantar o programa “torneiras secas”.

Responder

pimenta

04 de agosto de 2014 às 01h16

http://www.ocafezinho.com/2014/07/31/nao-existe-agua-em-sp/
Não existe água em SP
Por Miguel do Rosário.

Que história incrível, a dessa moça. E uma história que podemos contar através de imagens. Acompanhe.

No ano passado, era uma “rebelde”.

ScreenHunter_4405 Jul. 31 08.56

ScreenHunter_4404 Jul. 31 08.55

Este ano, ela voltou a chamar a atenção da mídia e das redes sociais, ao postar em sua página no Facebook um texto onde afirmava que sofria preconceito por ser da elite branco-europeia e ter dinheiro.

O texto da moça é uma delícia de chorume. Uma verdadeira obra de arte. Vale a pena repetir na íntegra:

“Descobri na semana passada que faço parte de uma minoria que sofre preconceito e discriminação: a elite branco-europeia nascida no Brasil. Sim, sou branca e, pelo jeito, elite. Tenho uma empresa que emprega (e paga acima do mercado) há 10 anos. Pago TODOS os impostos (motivo de incredulidade e chacota por parte de familiares). Pago no mínimo 3 vezes mais aos meus fornecedores de café, podendo chegar a 5. Poderia ter comprado os caríssimos ingressos para a abertura da copa brasileira. Apenas não o fiz por não apoiá-la desde seu anúncio, anos atrás. Conquistei, trabalhando honesta e enlouquecidamente, cada vitória e crescimento, da empresa e na minha vida pessoal. Não sentirei vergonha pelas minhas conquistas, pelo meu status social, pela minha pele branca. E minha empresa, certamente, faz muito do que o governo deixa de fazer, ajudando famílias, fazendo doações e, especialmente, pagando dignamente – fornecedores e funcionários. Sou parte desta nação, tanto quanto aqueles que têm outro tipo de ascendência ou que sofrem exatamente pela negligência dos que me discriminam. Discriminação é crime e minha voz é representativa, sim.”

Cada frase é uma pérola. Observe o trecho em que ela afirma ser “motivo de incredulidade e chacota por parte de familiares” por pagar TODOS os impostos.

Pois bem, outro post da moça voltou à mídia. Agora na Veja São Paulo.

ScreenHunter_4402 Jul. 31 08.47

A reportagem da Veja fala de uma falta d’água generalizada em bares e restaurantes de São Paulo, comprometendo inclusive o higiene dos fregueses.

A rebeldia, porém, acabou.

É notável a docilidade da moça em relação ao governo de São Paulo, responsável pelo problema, já que São Paulo, nos últimos 20 anos, tem sido um dos estados que mais recebeu chuvas no Brasil. Vimos a capital mergulhada em inundações por diversas vezes, e há um rio que atravessa a cidade, e que não secou…

No entanto, o governo do estado não investiu em infra-estrutura hídrica e hoje São Paulo, a maior cidade da América Latina, vive a pior crise de água de sua história.

Raposeira declarou à Veja: “Acredito que seja um racionamento não avisado. Eu não sou contra racionamento, é digno, já tinha que ter feito muito antes. A medida mais responsável é conclamar a população para racionar água. Mas a gente precisa saber antes para se programar”.

A docilidade também está na reportagem, que fala do problema, gravíssimo, com repercussões terríveis para a economia do estado e para o bem estar de milhões de paulistas, sem fazer um comentário crítico aos responsáveis principais pelo descalabro: o governo de São Paulo e o PSDB, partido que governa o estado há mais de 20 anos.
– See more at: http://www.ocafezinho.com/2014/07/31/nao-existe-agua-em-sp/#sthash.Gc3vAXDQ.dpuf

Responder

Marat

03 de agosto de 2014 às 22h26

Se no Estado falta água, ao povo está faltando inteligência, ao votar nessa escumalha que, com o PIG e o judiciário, montaram aqui uma vergonhosa ditadura!

Responder

    Luís Carlos

    04 de agosto de 2014 às 10h52

    Prezado Marat
    Me pergunto: será que Alkmim tem realmente 50% de inteções de voto? Sabemos como funcionam pesquisas, especialmente em SP, basta lembrar do caso do prefeito Haddad.
    A lógica seria simplesmente, tentar retardar o conhecimento de que o candidato tucano, da mídia, não tem todo esse cacife eleitoral, diminuindo tempo de reação do eleitorado. É uma tentaiva de evitar o “efeito manada”, o efeito do crescente desejo de mudança, tentando engessar a capacidade de reação do povo de SP. Terão que mudar esses números nas pesqusas mais próximas da eleição, senão os institutos de pesquisa serão absolutamente desacreditados, e assim, evitam perda maior para eles. A questão é fazer chegar essa informação à população trabalhadora, para que essa se liberte do autoritarismo midiático/político em SP.
    Tucanos já sabem da iminente derrota na disputa presidencial, pois cenário de Aécio é muito ruim. Tentam salvar o último “castelo”, que é SP, e para eles, o mais importante, pois dali se alimentam mutuamente.

Gerson Carneiro

03 de agosto de 2014 às 20h08

PSDB é só engodo. Finge que governa.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding