VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Denúncias

Governador Alckmin e MP-SP, quando a faxina na Sabesp vai começar?


23/08/2011 - 15h13

Blog SeaRádioNãoToca

No último mês, o Jornal da Tarde, que circula apenas na Grande São Paulo, publicou uma série de reportagens investigativas sobre a corrupção na Sabesp. Nelas aponta que as empresas que atuaram na Sanasa, na cidade de Campinas, também atuaram no governo do estado.

As matérias mostram a formação de um verdadeiro cartel para fraudar licitações. Em setembro de 2010, o Ministério Público do Estado de São Paulo (MPE-SP) prendeu José Carlos Cepera, que controlava um grupo de seis empresas: Lotus Serviços Técnicos; Pluriserv Serviços Técnicos; Infratec Segurança e Vigilância; São Paulo Serviços; Pro-saneamento Ambiental e O.O. Lima Empresa Limpadora, todas limitadas e registradas em nome de laranjas. Além disto, há uma ramificação, apontada pela Polícia Federal que chega à região do Vale do Paraíba.

A máfia presidida por Cepera mantém de 1995 até hoje contratos com todos os poderes do Estado de São Paulo – Legislativo, Judiciário, Executivo e o próprio Ministério Público –, como aponta a matéria do site Terra intitulada “MP apura ligações de suspeitos de fraude a governador”. Isso por si só mostra o poderio dessas empresas e as relações de proximidade entre este grupo e o poder público paulista.

Segundo nota do Ministério Público do Estado de São Paulo (MPE-SP), a fraude é de, pelo menos, R$ 615 milhões e “a organização criminosa realizava as fraudes através da corrupção dos agentes públicos responsáveis pela licitação ou através do ajuste com empresas concorrentes, sem conhecimento do órgão público, sempre através da entrega de vantagens financeiras em dinheiro”.

Além de Cepera, foram presos naquela ocasião Arnaldo Mayer, dono da Saenge, Gregório Wanderlei Cerveira, dono da Hidrax, e Dalton dos Santos Avancini, da Camargo Correia.

A Polícia Federal, no rastro da operação Castelo de Areia, fez uma grande investigação sobre esses grupos criminosos e repassou-a ao MPE que, por “questões estratégicas”, preferiu continuar apenas as averiguações entre as relações dessas empresas com a cidade de Campinas, [onde há políticos] que curiosamente apoiaram o governo Lula e a eleição de Dilma. E lá prendeu a esposa do ex-prefeito, cassado no último sábado, e vários secretários que fariam parte da denominada “República de Corumbá”. Pelo que se sabe as “organizações Cepera” e a Saenge têm contrato de aproximadamente R$ 100 milhões com a Prefeitura de Campinas.

Em maio, matéria do Estadão revelou que um grampo dessas investigações cita que o dono dá Saenge, filiado ao PSDB, teria relações fortes com três tucanos:

Monitoramento do Ministério Público (MP) também flagrou diálogos do empresário Luiz Arnaldo Mayer com um homem não identificado. Na conversa, se diz que Aparecido, José Henrique Reis Lobo, ex-presidente municipal do PSDB de São Paulo, e o deputado federal tucano Ricardo Trípoli (SP) estão ‘intercedendo’ nos negócios de outro empresário, José Carlos Cepera, apontado como líder do grupo que teria desviado R$ 615 milhões dos cofres de Campinas.

Os grampos mostram os movimentos de Arnaldo Mayer, preocupado com os negócios relativos à Companhia de Saneamento Básico do Estado (Sabesp). Mayer é sócio-diretor da Saenge Engenharia, que tem contratos com a Sabesp.

O teor dos diálogos indica que o empresário teria o compadrio de um deputado para transitar por gabinetes da Assembleia e do Palácio dos Bandeirantes. “O conteúdo dos diálogos deixa muito evidente que as questões referentes às suas (de Mayer) contratações públicas estão intimamente ligadas a contatos e relacionamentos políticos”, destaca o relatório do MP.

Na mesma nota de setembro de 2010, o MPE menciona contratos dessas empresas com o governo paulista, especialmente a Sabesp. Os contratos com as empresas que atuaram em Campinas com a Sabesp atingem R$ 1,75 bilhão, sem contar os contratos bilionários da Camargo Corrêa com a linha 4 do Metrô e o corredor noroeste em Campinas, como mostra a tabela abaixo:

Estranhamente a Saenge teve novos aditamentos de contratos em 2011 e a Pluriserv, um dos braços das empresas de José Carlos Cepera, 12 aditamentos que somam R$ 2,5 milhões. Estes fatos mostram que sequer há investigação dos contratos suspeitos e nem tampouco se interrompeu a execução deles.

O dono da Saenge, Arnaldo Mayer, vale relembrar, é filiado ao PSDB. Somente após denúncias publicadas no Jornal da Tarde e representação de deputados do PT, o Ministério Público resolveu abrir investigação sobre a Sabesp.

Mas se o MPE já se sabia isso desde 2010, por que não investigou o governo dos tucanos? Como o Ministério Público mantém contratos com empresas acusadas por ele próprio de fraudar licitações? Como essas empresas conseguiram estar presentes em todos as esferas da administração pública? Por que só foi investigado o caso de Campinas, cujo prefeito é um aliado do presidente Lula? Mistérios que precisam ser desvendados por jornalistas investigativos.

Vários diretores da Sabesp aparecem contratando as empresas investigadas pelo Ministério Público ou se unindo a elas em consórcios. Um dos envolvidos é o engenheiro Umberto Semeghini, que deixou a empresa Gerentec para trabalhar na Sabesp. Na época, ele conseguiu a proeza de elevar os contratos da Gerentec com a estatal paulista em 187%. Pularam de R$ 40 milhões para R$ 115 milhões. Uma dica sobre as relações de Umberto Semeghini aparece na matéria do Jornal da Tarde:

Amigo pessoal do ex-governador Alberto Goldman (PSDB), com quem atuou no Ministério dos Transportes no governo Fernando Henrique Cardoso, Semeghini não é filiado a nenhum partido político, mas mantém laços políticos com outros tucanos. Em 2004, por exemplo.

O modus operandi de Umberto Semeghini foi seguido por Nilton Seuaciuc, da Vitalux Eficiência Energética. Os seus negócios com a estatal paulista cresceram 250%. Nilton foi assessor de Paulo Massato, diretor metropolitano da Sabesp. Massato, por sinal, foi quem mais assinou contratos com as empresas investigadas em Campinas.

Já Marcelo Salles, diretor da Sabesp e ex-diretor da ETEP, viu sua ex-empresa ganhar contratos que chegaram a R$ 192 milhões no governo de José Serra (PSDB). Um crescimento de mais de 490% em relação ao que tinha na gestão anterior.

Por sua vez Marisa de Oliveira Guimarães, assessora da Sabesp, é casada com Alceu Bittencourt, que é diretor de outra consultoria, que tem contratos com a Sabesp de R$ 103 milhões.

Uma curiosidade: em 2009, somente apresentaram propostas a VITALUX, COBRAPE e BBL, e ganharam as licitações de dois pregões que atingiram o valor de R$ 32,4 milhões.

Fica, portanto, evidenciada a ação de um cartel dentro da Sabesp para viciar licitações. Mas o silêncio de Geraldo Alckmin (PSDB) sinaliza que ele não está sendo coerente com o que afirmou em 2006, no debate com Lula: “ Não rouba e não deixa roubar”.

A grande imprensa só investiga a operação Castelo de Areia quando quer atingir seus adversários políticos e cobra de Dilma ações contra a corrupção, com claros fins de cindir a sua base de apoio, mas se cala e não cobra providências das autoridades paulistas para coibir que continuem a atuar empresas acusadas pelo próprio ministério público de fraudar licitações.

O Blog SeaRádioNãoToca faz parte do site Jornal da Estância

Saneamento básico: Esgoto do Palácio dos Bandeirantes é jogado em córrego

Sabesp faz o que condena na população: joga esgoto puro nos córregos

Júlio Cerqueira César: 19 anos e 2,8 bilhões depois a qualidade das águas do Tietê está pior


Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - A mídia descontrolada e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


26 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Mídia concentra foco na Lava-Jato, mas ignora empreiteiras na Castelo de Areia e no trensalão | bloglimpinhoecheiroso

16 de março de 2015 às 21h51

[…] A Camargo Corrêa foi uma das empresas acusadas de integrar o cartel que fraudava licitações na área de saneamento. O próprio MPE/SP menciona contratos bilionários do grupo com a Sabesp. […]

Responder

Camargo Correa só era corrupta na Petrobras e não nos negócios com o PSDB? « POÇÕES24HS.com.br | 24 horas infomando. Notícias de Poções – BA e o mundo

13 de março de 2015 às 10h22

[…] A Camargo Corrêa foi uma das empresas acusadas de integrar o cartel que fraudava licitações na área de saneamento. O próprio MPE-SP menciona contratos bilionários do grupo com a Sabesp. […]

Responder

Camargo Correa só era corrupta na Petrobras e não nos negócios com o PSDB? | TIJOLAÇO | “A política, sem polêmica, é a arma das elites.”

13 de março de 2015 às 09h31

[…] A Camargo Corrêa foi uma das empresas acusadas de integrar o cartel que fraudava licitações na área de saneamento. O próprio MPE-SP menciona contratos bilionários do grupo com a Sabesp. […]

Responder

Mídia concentra foco na Lava Jato, mas ignora empreiteiras na Castelo de Areia e no trensalão | bita brasil

13 de março de 2015 às 04h38

[…] A Camargo Corrêa foi uma das empresas acusadas de integrar o cartel que fraudava licitações na área de saneamento. O próprio MPE-SP menciona contratos bilionários do grupo com a Sabesp. […]

Responder

Mídia concentra foco na Lava Jato, mas ignora empreiteiras na Castelo de Areia e no trensalão | tudoepolitica.com.br

12 de março de 2015 às 21h04

[…] A Camargo Corrêa foi uma das empresas acusadas de integrar o cartel que fraudava licitações na área de saneamento. O próprio MPE-SP menciona contratos bilionários do grupo com a Sabesp. […]

Responder

Mídia concentra foco na Lava Jato, mas ignora empreiteiras na Castelo de Areia e no trensalão - Viomundo - O que você não vê na mídia

12 de março de 2015 às 15h57

[…] A Camargo Corrêa foi uma das empresas acusadas de integrar o cartel que fraudava licitações na área de saneamento. O próprio MPE-SP menciona contratos bilionários do grupo com a Sabesp. […]

Responder

conceicao ap pereira

06 de dezembro de 2012 às 23h48

ate quando vai continuar este crime vergonhoso, e porque a midia é tao mansa com o psdb e no pt eles caem de pauladas

Responder

Cansada

15 de setembro de 2011 às 13h50

Quero parabenizar pelas informações contidas aqui. Sou do interior paulista e essa notícias não chegam aqui… pelo menos não chegavam pois agora vou divulgar ao máximo… Na remota cidade que moro o prefeito tirano e tucano fez um concurso fraudulento, onde uma turma de candidatos juntaram provas suficientes para o mesmo ser cancelado e investigado mais o MP daqui não fez absolutamente nada. O proprio prefeito por medo das consequencias cancelou o concurso porém realizou outro pela mesma empresa que havia feito o concurso anterior. E novidade, os mesmos que passaram no primeiro concurso cancelado passaram no segundo em primeiro lugar. Entraram com uma ação popular mais não adiantou. Os candidatos classificados em primeiro e/ou segundo lugar fazem parte da comissão do concurso, ou são parentes de vereadores. Tudo isso foi junto ao dossiê de provas entregues na Promotoria mais foi julgada pelo Promotor como picuinha partidária. É uma vergonha… esses tucanos deveriam sair pela porta dos fundos e nunca mais retornarem. Aí me pergunto: pq até hj estão no poder?

Responder

eunice

13 de setembro de 2011 às 12h06

Vamos execrar. Quanto se pode comprar com isso?

Responder

CID COSTA

29 de agosto de 2011 às 21h00

O JULIO SEMEGHINI E O SECRETARIO DE " JEISTAO " DO ALCKMIN, deve ser parente deste outro SEMEGHINI, das denuncias…

Responder

    juarez

    13 de dezembro de 2011 às 17h38

    por favor, se sobrar desinfetante dessa faxina,temos outras repartições púdricas para desinfetar.

Antonio

24 de agosto de 2011 às 12h43

Em São Paulo, se gritar pega ladrão …

Responder

Gilson Raslan

24 de agosto de 2011 às 10h59

Por um lado, a mídia denuncia as malfeitorias de determinado grupo político (no que está absolutamente correta), mas, por outro lado, ela omite as malfeitorias de outro grupo político (no que está absolutamente errada).

De observar que esse comportamento seletivo da mídia contribui sobremaneira para o apodrecimento de um dos pilares no combate à corrupção, como está ocorrendo com o MP de São Paulo. Diga-se o mesmo de Minas Gerais e, com certeza, de outros Estados comandados pelos DEMOTUCANOS.

A barões da mídia não pararam para concluir que esse comportamento é danoso para todos os brasileiros, inclusive eles próprios, quando deixarem de ser AMIGOS DO REI.

Responder

@eduliver

23 de agosto de 2011 às 20h24

Governo de São Paulo trabalhando nos bastidores aos Paulistas… viva a Gestão Tucana!

Responder

ZePovinho

23 de agosto de 2011 às 20h22

O EUNAOSABIA deve saber;afinal o salário dele vem das terceirizadas que infestam,qual carrapatos em barriga de vira-latas,o erário do pobre taxpayer paulista.

Responder

Panambi

23 de agosto de 2011 às 18h25

Vai ter reportagem no JN? Capa da Folha? Capa do Estadão? Capa da Veja?

Responder

eunice

23 de agosto de 2011 às 18h25

Será que o Boechat vai malhar isso na Band? Claro que não. Vamos cobrar isso delle?
Vou escrever para a Band.

Responder

eunice

23 de agosto de 2011 às 18h20

TV Record nelles, já que a Globo não mostra. Uns 50 dias seguidos, para que o povo pegue ao menos pelo controle remoto.

Responder

Fernanda

23 de agosto de 2011 às 17h57

Faxina?
Onde?
São Paulo?
Quem foi que disse que existe corrupção em São Paulo?
Aqui… é a ilha da fantasia…

Responder

Márcio

23 de agosto de 2011 às 16h26

Realmente esta precisando, deveria fazer também no DER-SP onde também acontece muitas coisas estranhas.

Responder

    MARIA

    23 de agosto de 2011 às 19h22

    E na DERSA??

    Anderson

    23 de agosto de 2011 às 20h15

    E na Secretaria da Fazenda?

    Antonio

    24 de agosto de 2011 às 12h42

    E na Secretaria da Saúde?

francisco.latorre

23 de agosto de 2011 às 16h08

faxina suicida.

esse aí. tá enrolado/enroscado. com/na privada.

se agarrar a cordinha. aí mesmo vai pelo cano.

..

Responder

MataTrolls

23 de agosto de 2011 às 15h44

Quando? Essa eu respondo: Nunca. Ou nem tão cedo.

Responder

Zé Fake

23 de agosto de 2011 às 15h29

Grande novidade né, MPE paulista é aparelhado até o talo pelos tucanos…

Esse Umberto Semeghini não é parente do deputado e secretário estadual Júlio Semeghini não ???

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.