VIOMUNDO

Diário da Resistência


Whatsapp diz que banimento de Flávio Bolsonaro não teve relação com denúncia da Folha
Tânia Rêgo/Agência Brasil
Denúncias

Whatsapp diz que banimento de Flávio Bolsonaro não teve relação com denúncia da Folha


19/10/2018 - 14h00

O WhatsApp confirma que a conta do Flávio Bolsonaro foi banida por comportamento de spam, mas isso aconteceu há alguns dias. Não está relacionado às denúncias de ontem. Outra conta ‘pública’ que foi banida por spam durante o período eleitoral foi o ‘Dilmazap’, da campanha da ex-presidenta. Nota oficial divulgada pelo Whatsapp DEPOIS da publicação deste texto.

Da Redação

O Whatsapp informou à Folha de S. Paulo que baniu as contas associadas à fraude denunciada pelo diário conservador paulistano na edição de ontem.

Além disso, a plataforma enviou notificação extrajudicial às agências de marketing digital apontadas pela reportagem como facilitadoras da disseminação de conteúdo anti-PT: Quickmobile, Yacows, Croc services e SMS Market.

De acordo com denúncia da jornalista Patrícia Campos Mello, um número ainda indeterminado de empresários pagou pelo conteúdo pró-Bolsonaro. O valor mencionado foi de ao menos R$ 12 milhões.

O PT pediu investigação à Polícia Federal e a campanha de Fernando Haddad quer tornar Jair Bolsonaro inelegível por oito anos — se a denúncia for comprovada.

O financiamento empresarial está banido das eleições, por determinação do STF. O candidato que recorrer a ele pode ser acusado de abusar do poder econômico.

A disseminação de notícias falsas também pode ser penalizada.

A lei eleitoral permite que candidatos utilizem o WhatsApp, mas apenas com números de telefone cadastrados pelas próprias campanhas.

Porém, de acordo com a denúncia da Folha, as empresas dispararam mensagens a granel para listas de números obtidas no mercado de informação — o que é ilegal.

Citando uma reportagem da revista Piauí, Fernando Haddad disse que Bolsonaro manteve contato com empresários e não pediu doações eleitorais diretamente à sua campanha, mas o financiamento do esquema no Whatsapp.

Petistas atribuem à distribuição de milhões de mensagens a contínua ascensão de Bolsonaro na campanha de primeiro turno, além de reviravoltas eleitorais em estados como Rio de Janeiro e Minas Gerais.

Militantes também querem saber se candidatos do PT ao Senado foram prejudicados pelo Zapgate.

Um dos citados na reportagem da Folha, Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, negou ter financiado o disparo das mensagens e disse que vai processar o jornal.

Na notificação extrajudicial às empresas, o Whatsapp determinou que elas deixem de utilizar o esquema no segundo turno — de acordo com a reportagem, um novo bombardeio estava previsto para a semana final de campanha.

A plataforma não informou quais contas relacionadas às empresas foram banidas.

Porém, no twitter, o senador eleito Flávio Bolsonaro, do PSL do Rio, disse que sua conta no Whatsapp tinha sido bloqueada.

“A perseguição não tem limites! Meu WhatsApp, com milhares de grupos, foi banido DO NADA, sem nenhuma explicação!”, escreveu.

O banimento do filho de Jair Bolsonaro pela plataforma pode ser o primeiro indício direto do envolvimento da família com a fraude.

PS do Viomundo: O senador informou que seu perfil no whatsapp já foi reativado.

Leia também:

Vox Populi mostra Haddad mais próximo de Bolsonaro que Datafolha

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



10 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Amara

21 de outubro de 2018 às 12h16

A legião do coiso foi bem adestrada. Ele continua sendo o Salvador da Pátria.Apoiado por” Pessoas do bem”? Falsos profetas .Falsos moralistas.

Responder

Amara

21 de outubro de 2018 às 12h11

Pelo visto os discípulos do coiso foram bem adestrados…Ele o Salvador da Pátria. Usando o nome de Deus. Apoiado pelos falsos profetas .Falsos moralistas.

Responder

Marcelo Catellani

20 de outubro de 2018 às 10h10

O povo ,na sua maioria já decidiu,chega de bandeira vermelha,conversa fiada,e miséria negociada com cestas básicas..
Venezuela aqui não!!!!

Responder

Manoel Tobias

20 de outubro de 2018 às 09h30

São fatos que a sociedade exige uma resposta. Não só do lado de Jair Bolsonaro, pois o PT tá cheio de podres e a imprensa de um modo geral tem sido tendenciosa. A morte do capoeirista na Bahia, ganhou destaque entre as emissoras. Mas as agressões sofridas por brasileiros que apoiam Jair, ninguém fala nada. Esse país é um lugar em que as opiniões externas tem mais valor do que as de quem vivi nesse inferno político e econômico a mais de quinze anos. Vamos buscar mudanças de verdade. Eu por exemplo, apoiei o PT desde o seu surgimento. Mas ele se tornou celeiro de corruptos e aí eu não posso concordar com isso. Vocês têm o direito de resposta.
Att.
Manoel Tobias.

Responder

Humberto

19 de outubro de 2018 às 21h44

Muito mimimi de um partido que nao aceitar perder. Isto é tipico de qualquer esquerdista, tudo lobos.

Responder

carlos

19 de outubro de 2018 às 16h46

O bolsonaro legislou em causa própria ao propor duas emendas a constituição, para receber propina através de empresários, adquirindo pacotes de whatsap.

Responder

    José Gonçalves de Sousa

    20 de outubro de 2018 às 19h41

    Tem que investiga e punir ninguém está a cima da lei

Gil

19 de outubro de 2018 às 15h58

Tá cada vez mais caindo a ficha das pessoas que estamos num beco sem saída. De quase 10 candidatos a presidência sobrou 2 que são odiados e infelizmente quem pagará por isso é a sociedade iludida e é desinformada.

Responder

    Mauro

    19 de outubro de 2018 às 19h50

    A diferença é que um é odiado por verdades, e outro , por mentiras>

    Bruno3

    20 de outubro de 2018 às 05h35

    Dois candidatos odiados.
    Um, odiado pelo que ele realmente é. O outro, odiado pelo que a campanha criminosa de fake news do primeiro diz que ele é.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.