VIOMUNDO

Diário da Resistência


Denúncias

Em nota, Globo diz que não foi ouvida no processo que levou funcionária à cadeia


10/07/2013 - 09h45

do portal G1

Como é de conhecimento público, a Globo Comunicação e Participações adquiriu os direitos de transmissão da Copa do Mundo de 2002. Em 16/10/2006, a emissora foi autuada pela Receita Federal, que entendeu que o negócio se deu de maneira a reduzir a carga tributária da aquisição.

Em 29/11/06, a empresa apresentou sua defesa junto às autoridades, fundada em sua convicção de que não cometeu qualquer irregularidade, tendo apenas escolhido uma forma menos onerosa e mais adequada no momento para realizar o negócio, como é facultado pela legislação brasileira a qualquer contribuinte.

No dia 21/12/06, a defesa da Globo foi rejeitada pelas autoridades. Alguns dias depois da sessão de julgamento, para sua grande surpresa, foi a Globo informada de que os autos do processo administrativo se extraviaram na Receita Federal. Iniciou-se, então, a restauração dos autos, como ocorre sempre nos casos de extravio de processos. A empresa agiu de forma voluntária, fornecendo às autoridades cópias dos documentos originais, tornando com isso possível a completa restauração e o prosseguimento do processo administrativo.

Em 11/10/07, a empresa foi intimada da decisão desfavorável, apresentando recurso em 09/11/07. No dia 30/11/09, a Globo tomou a decisão de aderir ao Refis (Programa de Recuperação Fiscal) e realizar o pagamento do tributo nas condições oferecidas a todos os contribuintes pelo Fisco. O pagamento foi realizado no dia 26/11/09, tendo a empresa peticionado às autoridades informando sua desistência do recurso apresentado (o que ocorreu em 4/02/10).

Diante das informações mentirosas que circularam nesta terça-feira, a Globo Comunicação e Participações esclarece que soube, apenas neste dia 09/07,  que uma funcionária da Receita Federal foi processada e condenada criminalmente pelo extravio do processo. A Globo Comunicação e Participações não é parte no processo, não conhece a funcionária e não sabe qual foi sua motivação.

O relato acima contém todas as informações relevantes sobre os fatos em questão que são do conhecimento da empresa. A Globo Comunicação e Participações reitera, ainda, que não tem qualquer dívida em aberto com a Receita. Como ocorre com qualquer grande empresa, a Globo Comunicação e Participações questiona autuações que sofreu, na via administrativa ou na judicial, o que é facultado a todos os contribuintes.

A Globo Comunicação e Participações reafirma, ainda, acreditar que as autoridades competentes investigarão o vazamento de dados sigilosos. A empresa tomará as medidas judiciais cabíveis contra qualquer acusação falsa que lhe seja dirigida.

Globo Comunicação e Participações

Leia também:

Rodrigo Vianna: Processo da Globo pode ter “bomba atômica”

Leia os documentos revelados pelo Cafezinho e o livro Afundação Roberto Marinho

Parceiros da Globo preocupados com o ato do dia 11 em São Paulo

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



52 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Das empresas que funcionária da Receita envolveu em suas fraudes, só Globopar escapou de testemunhar na Justiça - Viomundo - O que você não vê na mídia

19 de julho de 2013 às 21h40

[…] Globo nega qualquer relação com o sumiço do processo. Em nota, disse que só ficou sabendo da condenação de Cristina pelo “extravio” em 9 de…. Acrescentou: “ A Globo Comunicação e Participações não é parte no processo, não […]

Responder

eros josé alonso

11 de julho de 2013 às 21h26

Se a Globo sequer foi inserida no Processo do roubo do Processo em que é Ré,a beneficiada direta pelo sumiço dos documentos, então o Processo que condenou a mulher é falho. Ouve conluio ao que parece.O Poder Judiciário deve explicações ao terminar um Processo desses dessa forma, sem falar do silêncio que pesou sobre tudo. Todos coonestaram, todo o mundo jurídico em torno do fato manteve um silêncio criminoso.

Responder

FrancoAtirador

10 de julho de 2013 às 20h16

.
.
05/03/2010
O Estado de S. Paulo

Grandes empresas ampliam lucros ao aderir ao Refis

Companhias saudáveis aproveitam programa de refinanciamento de dívidas

O “Refis da Crise”, programa de parcelamento de débitos federais, ajudou grandes empresas que, em tese, não tinham necessidade de aderir à renegociação oferecida pelo governo. Foi o que aconteceu, por exemplo, com a CSN, que teve impacto positivo expressivo nos resultados do quarto trimestre de 2009, divulgados semana passada.

O grupo siderúrgico abateu no Refis R$ 507 milhões.
O valor turbinou o lucro, que chegou aR$ 745 milhões.
Sem o programa, teria sido de R$ 238 milhões.

Outras empresas, como o Grupo Ultra, a AES Eletropaulo, a Braskem e a Klabin, seguiram a mesma trajetória.

O diretor de Gestão da Dívida Ativa da União na Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, Paulo Ricardo de Souza, disse que não há como evitar que contribuintes com bom fluxo de caixa participem do Refis.

(http://www.brasilnews.com.br/News3.php?CodReg=20237&edit=Economia&Codnews=999)

Responder

    FrancoAtirador

    10 de julho de 2013 às 20h32

    .
    .
    30/11/09 – 11h08 – Atualizado em 30/11/09 – 11h08

    O BraZil é o verdadeiro ParaíZo FiZcal

    Prazo para pedir desconto em impostos atrasados no ‘Refis da crise’ termina hoje
    Débitos podem ser pagos à vista ou parcelados em até 180 meses.
    Refis da Crise vale para dívidas de pessoas físicas e de empresas.

    Alexandro Martello
    Do G1 [GLOBO], em Brasília

    Termina nesta segunda-feira 30) o prazo para pedidos de adesão ao parcelamento de dívidas das empresas, e de pessoas físicas com o governo.

    O parcelamento, que ficou conhecido como Refis da Crise, foi aberto por meio da lei 11.941, e vale para dívidas com a União que estejam inscritas, ou não, em dívida ativa.

    Os débitos poderão ser pagos à vista, com descontos maiores, ou parceladas em até 180 meses [15 ANOS !!!], inclusive aqueles relativos ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).
    Regras

    Pelas regras, as dívidas passíveis de pagamento à vista com desconto, ou parcelamento dentro das regras previstas, são aquelas cujo vencimento tenha ocorrido até 30 de novembro de 2008.
    Não estão englobados, porém, débitos das micro e pequenas empresas do Simples Nacional.

    Pedidos de adesão

    Os pedidos de adesão deverão ser protocolados nas páginas da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional ou da Secretaria da Receita Federal, com utilização de certificado digital ou código de acesso, informou o governo.

    Caso o contribuinte deseje parcelar o débito, o valor de cada prestação será acrescido de juros correspondentes à variação da taxa básica de juros, atualmente em 8,75% ao ano, até o mês anterior, e de mais 1% para o mês de pagamento.

    O Ministério da Fazenda informou que as condições de pagamento à vista, ou parcelamento, também são válidas para débitos oriundos do aproveitamento indevido de créditos do IPI na aquisição de matérias-primas, materiais de embalagem, além das dívidas referentes à “alíquota zero” do IPI, ou como “não tributadas”.

    Também abrangerá os débitos da Cofins das sociedades civis de prestação de serviços. Nestes casos, os contribuintes deverão desistir de ações judiciais em curso.
    Pagamento à vista

    Para o pagamento à vista dos débitos, informou o governo, as condições são melhores. Haverá redução de 100% nas multas de mora e de ofício, de 40% nas multas isoladas, de 45% nos juros de mora e de 100% nos encargos legais.

    Essas condições valem para todas as dívidas, inclusive aquelas que já foram objeto de parcelamentos anteriores.

    Dívidas ainda não parceladas

    Para as dívidas que, em nenhum momento, tenham sido objeto de parcelamento no passado, segundo as regras estipuladas pelo governo, haverá a possibilidade de divisão dos valores em até 180 meses.

    A parcela mínima, neste caso, é de R$ 2 mil para créditos do IPI, de R$ 50 para pessoa física e de R$ 100 para os demais débitos das empresas.

    Em até 30 parcelas, as regras preveem redução de 90% na multa de mora e de ofício, de 35% nas multas isoladas, de 40% nos juros de mora e de 100% nos encargos legais.

    No parcelamento em até 60 parcelas mensais, está prevista redução de 80% na multa de mora e de ofício, de 30% nas multas isoladas, de 35% nos juros de mora e de 100% nos encargos.

    Se o parcelamento for de até 120 meses, a redução de multa de mora e de ofício cai para 70%, para multas isoladas recua para 25%, nos juros de mora o abatimento recua para 30% e, nos encargos, permanece em 100%.

    E, para os parcelamentos em até 180 meses, o desconto da multa de mora e de ofício é de 60%, para as multas isoladas é de 20%, para os juros de mora é de 25% e, nos encargos legais, permanece em 100%.

    Dívidas já parceladas anteriormente

    Para os débitos que já foram parcelados anteriormente, por meio do Refis, Paes, Paex ou parcelamento ordinário, os descontos, para um novo parcelamento, são diferentes.

    No caso do Refis, a parcela mínima deve ser de 85% do valor médio das prestações devidas entre dezembro de 2007 e novembro de 2008.
    Para os parcelamentos do Paes, Paex e ordinário, o valor mínimo deve ser de 85% da prestação de novembro do ano passado.

    Para dívidas já inscritas no Refis, cujos contribuintes desejarem aderir ao novo parcelamento, o desconto de multa de mora e de ofício é de 40%, enquanto o abatimento de multas isoladas é de 40%, o de juros de mora é de 25% e a redução prevista nos encargos legais é de 100%.
    Para os débitos do Paes, a redução das multas de mora e de ofício é de 70%, para as multas isoladas de 40%, para os juros de mora é de 30% e, para os encargos, de 100%.

    Para os débitos do Paex, informou o Ministério da Fazenda, o desconto das multas de ofício e de mora previsto é de 80%, de multas isoladas é de 40%, de juros de mora é de 35% e, para encargos, é de 100%.

    Para os demais parcelamentos, a redução da multa de mora e de ofício é de 100%, o desconto de multas isoladas é de 40%, dos juros de mora é de 40% e, dos encargos, é de 100%.

    (http://g1.globo.com/Noticias/Economia_Negocios/0,,MUL1397259-9356,00-PRAZO+PARA+PEDIR+DESCONTO+EM+IMPOSTOS+ATRASADOS+NO+REFIS+DA+CRISE+TERMINA+H.html)

anac

10 de julho de 2013 às 20h11

Crime de corrupção sem um dos agentes, o corruptor. Essa tem que ser explicada plim por plim pelo Ministério Publico, como dominus litis da ação.
O poder de investigação do MP só serve para pegar os 4 ps, pretos, pobres, prostitutas e petistas.

Responder

renato

10 de julho de 2013 às 19h07

Ela foi para cadeia?
Ela esta é correndo risco de vida!

Responder

Nuno

10 de julho de 2013 às 19h00 Responder

Francisco

10 de julho de 2013 às 18h53

A funcionária da Receita sumiu com o processo contra a Globo porque quer que a Globo exista até o último capitulo de Saramandaia…

Responder

Jorge Moraes

10 de julho de 2013 às 18h43

Deveríamos solicitar a emissora que fizesse um programa sobre a beleza invulgar das Ilhas Virgens, sua gente, sua fauna, essas coisas que ela faz tão bem em seu tradicional (e põe tradicional nisso) “Globo Repórter”.

Acho mesmo que poderíamos pedir em bloco a confecção e a exibição imediata do programa. Creio que até reforçaria o conceito que se tem da Vênus, de empresa com alta capacitação técnica.

Ilhas Virgens, Globo Repórter, tudo a ver.

Responder

Mário

10 de julho de 2013 às 18h01

Acabaram de alterar o texto!

Cache do Google:

“Em 11/10/07, a empresa foi intimada da decisão desfavorável, apresentando recurso em 09/11/07. No dia 30/11/09, a Globo tomou a decisão de aderir ao Refis (Programa de Recuperação Fiscal) e realizar o pagamento do tributo nas condições oferecidas a todos os contribuintes pelo Fisco. O pagamento foi realizado no dia 26/11/09, tendo a empresa peticionado às autoridades informando sua desistência do recurso apresentado (o que ocorreu em 4/02/10).”

Atualizado agora:

“Em 11/10/07, a empresa foi intimada da decisão desfavorável, apresentando recurso em 09/11/07. No dia 24/11/09, a Globo tomou a decisão de aderir ao Refis (Programa de Recuperação Fiscal) e realizar o pagamento do tributo nas condições oferecidas a todos os contribuintes pelo Fisco. O pagamento foi realizado no dia 26/11/09, tendo a empresa peticionado às autoridades informando sua desistência do recurso apresentado (o que ocorreu em 4/02/10).”

Eles tão doidão se perdendo na MENTIRA!

Link cache do Google: http://webcache.googleusercontent.com/search?safe=off&output=search&sclient=psy-ab&q=cache%3Ahttp%3A%2F%2Fg1.globo.com%2Fbrasil%2Fnoticia%2F2013%2F07%2Fglobo-rebate-acusacoes-falsas-sobre-processo-na-receita-federal.html&oq=cache%3Ahttp%3A%2F%2Fg1.globo.com%2Fbrasil%2Fnoticia%2F2013%2F07%2Fglobo-rebate-acusacoes-falsas-sobre-processo-na-receita-federal.html&gs_l=hp.3..0l4.606.3375.0.3797.7.7.0.0.0.0.520.1625.2-3j1j0j1.5.0…0.2.0..1c.1.17.psy-ab.u6wuQe4Fv00&pbx=1

*Salvem o texto antes que mudem mais coisas! ;)

Responder

Rivaldo

10 de julho de 2013 às 16h38

No caso de multa administrativa o contribuinte pode pagar com desconto de 50% se NÃO RECORRER de decisão contrária a sua defesa. Se recorrer e vencer não paga multa. Se recorrer e perder paga multa valor integral e atualizado. Tb pode recorrer e desistir antes de vencer prazo de pagamento (10 a 30 dias). Lendo a nota da Globo fiquei com dúvidas.
1) O pagamento foi realizado no dia 26/11/09. Então p/ que precisou de REFIS em 30/11/09?
2)Apresentou recurso em 09/11/07 (e perdeu direito ao desconto de 50%). Desistiu do recurso (em 4/02/10)..
Dúvida: A RFB concedeu desconto de 50% na multa, após mais de 03 anos do término do prazo para pagto com desconto ou foi pagto integral e atualizado? Se pagou com desconto, quem fez o FAVORZÃO a Globo em prejuízo do erário? O MPT e os contribuintes precisam saber.

No caso de multa administrativa o contribuinte pode pagar com desconto de 50% se NÃO RECORRER de decisão contrária a sua defesa. Se recorrer e vencer não paga multa. Se recorrer e perder paga multa no valor integral e atualizado. Também pode recorrer e desistir antes de vencer prazo de pagamento (30 dias). Lendo a nota da Globo fiquei com dúvidas.

1) O pagamento foi realizado no dia 26/11/09. Então p/ que precisou de REFIS em 30/11/09? Só precisa de REFIS quem tem débito com a Fazenda Pública. Se tinha débito com União não podia receber verba pública em publicidade e ser concessionária de rádio/TV). O MPT não acha nada estranho?

2) Globo foi intimada da recusa da defesa em 11/10/2007. Devia pagar o débito e multa (com desconto) até 11/11/2007. Apresentou recurso em 09/11/07 (e perdeu direito ao desconto de 50% da multa). Desistiu do recurso somente em 04/02/10. Após mais de 03 anos. A dúvida milionária é a seguinte: a RFB concedeu desconto de 50% na multa milionária, após 03 anos do término do prazo para pagamento com desconto ou houve pagamento integral e atualizado da multa como qualquer contribuinte?

3) Se a Globo pagou multa milionária com desconto, mesmo com atraso de alguns anos, quem fez o FAVORZÃO milionário à Globo em prejuízo do erário? Estranho não MPT?

Os contribuintes precisam saber se a multa milionária foi paga no valor integral e atualizada ou teve desconto em prejuízo do erário.

4) Se a Globo havia pago o que tudo em 26/11/2009 porque só desisitu do recurso em 04/02/2010?

5) Todos contribuintes são iguais perante as leis tributárias ou a Globo é mais igual que todos nós?

Responder

Lucas

10 de julho de 2013 às 16h09

A sujeita sumiu com o processo? A quem interessava o sumiço???

Caso de simples de resolução: apliquemos o DOMINIO DO FATO!!!!!!!!!!! SIMPLES!

E agora STF????????

Responder

FrancoAtirador

10 de julho de 2013 às 15h25

.
.
GLOBO TREMEU NA BASE!
ABALARAM-SE AS ESTRUTURAS DA CASA GRANDE!

“a Globo Comunicação e Participações esclarece que soube, apenas neste dia 09/07, que uma funcionária da Receita Federal foi processada e condenada criminalmente pelo extravio do processo.
A Globo Comunicação e Participações não é parte no processo, não conhece a funcionária e não sabe qual foi sua motivação.”
.
MOTIVAÇÃO

A ‘especialista’ deu sumiço com processo da Globo,

porque ela adora o Topete Branco do Jornal Nacional.
.
.

Responder

    FrancoAtirador

    10 de julho de 2013 às 20h55

    .
    .
    SE FAZ LOUCURAS POR UMA PAIXÃO PLATÔNICA

    ATÉ ROUBAR PROCESSO DA RECEITA FEDERAL

Alberto Santos Neto

10 de julho de 2013 às 15h24

“A empresa tomará as medidas judiciais cabíveis contra qualquer acusação falsa que lhe seja dirigida.””
E as acusações falsas que a Globo faz, diariamente, contra este governo, molenga, do PT e de pessoas que não rezam por sua cartilha. Como ficam? Ou a Globo tem a primazia de caluniar, difamar e destruir reputações baseada em informações falsas e, pasmem, até alterar a realidade dos fatos, como foi o caso da bolinha de papel na cabeça do Serra que virou um tijolo no JN do dia seguinte e foi cabalmente desmentida e, mesmo assim, nada aconteceu à ela. Esta empresa já deveria ter perdido a concessão há muito tempo e seus proprietários deveriam estar atrás das grades e não ameaçando pessoas que estão divulgando o quanto a Globo age à margem da Lei.

Responder

    Acássia

    11 de julho de 2013 às 13h44

    Papudos hein!

    Também, com costas tão quentes….

Eduardo

10 de julho de 2013 às 14h38

Era para deixar prescrever em segredo de justiça( na escuridão, nas ferias forenses,na cirurgia do relator,no silêncio dos mortinhos).Quem vazou isso que se cuide, pois deixou o MPF e a Receita Federal em apuros. Cuidado também com a ameaça da Globo( ela é quem inventou a ética ). Quem vazou poderá ser preso! E poderá dar no Jornal Nacional com comentarios escandalizados do Jabour! Trate de se esconder, se der no JN da Globo,o MP que agora pode investigar Vai pegar voçê!!

Responder

vicente arruda

10 de julho de 2013 às 14h25

Meu filho, quem tem Gurgel, Gilmar (com seus HCs) e agora o Joaquim-arroz-de-festa-da-Globo-Barbosa precisa preocupar-se?

Responder

Bonifa

10 de julho de 2013 às 14h19

Acreditamos que a ideia era justamente essa, mesmo antes dos acontecidos acontecerem. Não ser ouvida em hipótese nenhuma e não querer ouvi-la em hipótese nenhuma. A Globo se dispõe a responder judicialmente a qualquer acusação falsa. E verdadeira?

Responder

sergio

10 de julho de 2013 às 14h05

…” A emissora foi autuada pela Receita Federal, que entendeu que o negócio se deu de maneira a reduzir a carga tributária da aquisição”… Isso é parte da nota de esclarecimento dada pela emissora. É muita cara de pau deles (des)informarem as pessoas assim. Quem é que consegue entender qual foi o problema que resultou em uma divida de 610 milhões? Onde será e como deve está vivendo a ex-funcionária da RF? Será que ela arranjou um trabalho no Projac? Acho que deve está empregada em algum grande escritório de advocacia. Esse é o maior 171 da história.

Responder

    Bonifa

    10 de julho de 2013 às 14h21

    Lavagem de dinheiro da sonegação é, sem dúvida, redução da carga da tributação.

    anac

    10 de julho de 2013 às 20h08

    A Globo e sua monumental cara-de-pau. SONEGAÇÃO virou redução de carga tributaria. Para os simples mortais dá cadeias, pros marinhos prescrição da cobrança da divida. A classe media é sobrecarregada porque os 1% sonegam quando não desviam dinheiro publico dos impostos pagos pela classe media, que deveria ir para educação, saúde, transportes, etc.

Júlio De Bem

10 de julho de 2013 às 14h03

Comentários desativados por lá. LOL

Responder

augusto2

10 de julho de 2013 às 13h34

pois é.
Fernandinho beira-mar tambem nao foi ouvido no processo que levou o Escadinha para a prisão.
Tenho dito.
E por fim :FYNSA!!!

(quer dizer somente “fuck you NSA” – cacete)

Responder

Caracol

10 de julho de 2013 às 13h31

Ô Terezinha! Ô Terezinha!
Pagô barato no Cassino do Chacrinha!

Responder

Ozzy Gasosa

10 de julho de 2013 às 13h26

Tá explicado o furor da Globo contra a PEC-37.
A “rainha da ética para os outros” agora dá essa explicação sem nexo.
E lógico quer desviar o foco do rombo que causou aos cofres públicos e o crime cometido contra a ordem tributária, pedindo que apure o vazamento.
Quantos vazamentos a “bandida” não fez ou faz diuturnamente contra o governo?

Responder

Luís CPPrudente

10 de julho de 2013 às 13h06

A famiglia Marinho sabe o que é o DARF?
A famiglia Marinho mostrou o DARF?
Ou a central de produção de bolinhas de papel da famiglia Marinho vai produzir o DARF?

Responder

Scan

10 de julho de 2013 às 13h05

Pra variar um pouco…

Pagou? MOSTRA O DARF!

Responder

Pedro

10 de julho de 2013 às 12h44

Não é possível acreditar que os diretores da globo não soubessem o que se passava nas dependências de sua empresa. Sabemos que a “verdade é uma quimera”. Os diretores da Globo tinham total domínio do fato, não podendo responsabilizar a funcionária mequetrefe da Receita Federal por tudo que está acontecendo. Acreditar que a funcionária agiu sozinha, sem um agrupamento estável de pessoas voltada para prática de ilícitos e, no mínimo, duvidar da inteligência do Excelentíssimo Procurador da República.

Responder

    Bonifa

    10 de julho de 2013 às 14h27

    Parece que no processo original há implicações com nomes, datas, quantias e lugares, especificados. Crime financeiro grande, com pessoas de carne e osso envolvidas, não apenas sonegação.

João Vargas

10 de julho de 2013 às 12h40

A funcionária da Receita Federal resolveu sumir com o processo porque gostava muito das novelas da Globo e temia que a empresa fosse à falência se pagasse os tributos. Simples assim.

Responder

    Luís Carlos

    10 de julho de 2013 às 14h46

    Ela sumiu com processo da Globo simplesmente para ajudar a Globo… …sem benefício algum para a Globo?? Vale apena recuperar ilações, insinuações a acusações feitas pela Globo contra dezenas de pessoas nos últimos anos, com muito menos evidências do que existem contra ela agora. O bumerangue volta…

pedropedreira

10 de julho de 2013 às 12h37

E agora, será que vão aplicar a teoria do “domino dos fatos” ou vai valer o argumento do “eu não sabia”?

Responder

Genghis KIhan

10 de julho de 2013 às 12h36

EH EH EH. A globo dominou o fato, matou no peito, tabelou com o Gilmar dantas e chutou para o gol vazio. Oxente!!!! mas onde estava o goleiro, o seletivo e ‘apartidário’, o gordo Gurgel??? Ah, eu tinha esquecido: fat gurgel tinha saído para comer uma pizza.

Responder

roberto pereira

10 de julho de 2013 às 11h55

Sumiu com processo da Globo e a Globo não foi ouvida no processo criminal. Pela primeira vez o favorecido no crime não foi ouvido. Pense numa justificativa que só serve para enganar otário.

Responder

Leonel de Moura

10 de julho de 2013 às 11h53

Em nota, Globo diz que não foi ouvida no processo que levou funcionária à cadeia.

Em notas, Globo pagou pelo sumiço do processo que levou funcionária à cadeia.

Responder

    Erich

    10 de julho de 2013 às 13h15

    Muito bom o jogo de palavras!

Christian

10 de julho de 2013 às 11h53

Eu gostei dessa parte da nota:

“…tendo apenas escolhido uma forma menos onerosa e mais adequada no
momento para realizar o negócio…”

Pelas Ilhas Virgens deve ter sido bem “menos onerosa” mesmo.

Responder

    Bonifa

    10 de julho de 2013 às 14h29

    Sonegação e lavagem de dinheiro já tiveram outro nome.

Francisco Cavalcante

10 de julho de 2013 às 11h51

“Alguns dias depois da sessão de julgamento, para sua grande surpresa, foi a Globo informada de que os autos do processo administrativo se extraviaram na Receita Federal.”
É muita cara de pau.

Responder

Cunha

10 de julho de 2013 às 11h51

Eu acreditarei… Clapclapclap… Palmas para ela !!! Vai para o trono ou não vai?

Responder

    Luís Carlos

    10 de julho de 2013 às 14h50

    Vai pro cadafalso. A Globo, o Galvão, o Faustão ( a chapa tá quente pra Globo) a Ana Maria, o Merval, e claro, o “melhor” de todos, o retratável e não convincente Jabour.

Aline C Pavia

10 de julho de 2013 às 11h02

Globo e MPF seguem passando recibo e a história tá fedendo cada vez mais… Vou ajudar a apagar esse incêndio… estou contribuindo com uma carreta de gasolina! Vou comprar a pipoca pq quero assistir da fila do gargarejo!

Responder

Paulo Santos

10 de julho de 2013 às 10h51

OXI!!! SE “no dia 30/11/09, a Globo tomou a decisão de aderir ao Refis (Programa de Recuperação Fiscal) e realizar o pagamento do tributo nas condições oferecidas a todos os contribuintes pelo Fisco”, COMO É QUE “o pagamento foi realizado no dia 26/11/09” ???… NÃO ENTENDI, ALGUÉM PODE ME EXPLICAR ISSO???…

Responder

    Gilson Raslan

    10 de julho de 2013 às 12h29

    Paulo, a explicação é esta: A MENTIRA TEM PERNAS CURTAS.

    Carlos Alberto

    10 de julho de 2013 às 13h21

    A globo afirma na nota que:
    “O pagamento foi realizado no dia 26/11/09, tendo a empresa peticionado às autoridades informando sua desistência do recurso apresentado (o que ocorreu em 4/02/10).”
    Alguém pode fazer o favor de solicitar o comprovante de pagamento da dívida com o fisco.

RicardãoCarioca

10 de julho de 2013 às 10h49

Temos de ter cuidado com os ímpetos injustificados.

Acho que agora cabe todas as partes procurar o número do tal processo reestruturado, não é verdade? Porque, se ele foi refeito, ganhou possivelmente um novo número.

E, caso seja possível acessar sua situação, saberíamos se as alegações da globo são verdadeiras.

Independente disso, fiquei chocado com o medo e a preguiça das instituições públicas nesse caso.

Responder

Alex

10 de julho de 2013 às 10h25

Engraçado que quando “vazam” informações sigilosas para a “organização”, esta as utiliza da maneira mais sórdida e não “cobra” das “autoridades competentes” a investigação sobre estes “vazamentos

Responder

francisco niterói

10 de julho de 2013 às 10h03

Um absurdo: a GLOBO confessa que o MPF jogou pra debaixo do tapete a parte mais importante do sumiço do processo.

Ou seja, o MPF nao ouviu a quem aproveita o crime. Sera que o MPF acha que a culpa é sempre do mordomo?

POIS É, DONA GLOBO, COM A TEORIA DO DOMINIO DO FATO OS SENHORES MARINHOS TERAO QUE SER OUVIDOS. OU O MPF É SELETIVO?

Alo, vc aí Gurgel, a Globo dominou ou nao o FATO?

Responder

    Luiz Aldo

    10 de julho de 2013 às 10h26

    Afinal de contas, de acordo com o grande jurisconsulto Barbosão (que calha, hoje, de ter um rebento a trabalhar neste fascista órgão de media): NÃO PODERIA SER DE OUTRO JEITO!!!

francisco niterói

10 de julho de 2013 às 09h59

Kkkkkk

A GLOBO nao conhece a funcionaria que sumiu com o processo referente a ela, Globo, e envolvendo crime contra a ordem tributaria e quiça outros.

Realmente a funcionaria é APAIXONADA PELAS NOVELAS DA GLOBO E FICOU COM MEDO DA QUALIDADE DAS MESMAS CAIR SE A COBRANÇA FOR PAGA. ISSO QUE É AMOR PELA EMPRESA. RSRSRSSR

Por fim, a AMEAÇA À BLOGOSFERA.

Eles estao com MUITO MEDO mas ainda ameaçam. Eles sabem que eles AINDA possuem um imenso poder. VIDE PROIBIR A NAÇAO DE DISCUTIR A QUESTAO DO MP SER UM ORGAO QUE DECIDE SE HÁ INDICIOS DE CRIME SOZINHO, SEM PRECISAR DE OUVIR ÓRGAO ESPECIALISTA EM PERÍCIA CONTÁBIL E LAVAGEM DE DINHEIRO, COMO DEVE HAVER NA PF.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.