VIOMUNDO

Diário da Resistência


Denúncias

Atos contra projeto de Sandro Mabel em todo o Brasil; ouça cobertura


10/07/2013 - 23h50

Quem é que aplaude Mabel?

por Luiz Carlos Azenha

Os trabalhadores vão às ruas do Brasil, hoje. Não é, propriamente, uma greve geral, mas uma demonstração de unidade na diversidade. A diversidade abriga os interesses da Conlutas, adversária figadal do governo Dilma, da CUT alinhada — pero no mucho — à coalizão governista e da Força Sindical, que incluiu o combate à inflação como uma de suas bandeiras.

[Ouça aqui, ao vivo, a cobertura completa das manifestações na Rádio Brasil Atual]

Bandeira com a qual não concorda, por exemplo, a presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Juvandia Moreira.

A surpresa, portanto, é que tenha sido possível forjar uma pauta comum de oito pontos:

•       Redução da Jornada de Trabalho para 40h semanais, sem redução de salários;
•       Contra o PL 4330, sobre Terceirização;
•       Fim do fator previdenciário;
•       10% do PIB para a Educação;
•       10% do Orçamento da União para a Saúde;
•       Transporte público e de qualidade;
•       Valorização das Aposentadorias;
•       Reforma Agrária;
•       Suspensão dos Leilões de Petróleo.

[Acompanhe as manifestações no Facebook da Central Única dos Trabalhadores]

Ontem, na entrevista coletiva dos líderes das centrais sindicais, o repórter Felipe Bianchi, do Centro de Estudos de Mídia Barão de Itararé, registrou uma avaliação dos sindicalistas sobre o Ministério da Comunicação do governo Dilma, gerido por Paulo Bernardo: “Desastroso”. Leia abaixo:

*****

CENTRAIS SINDICAIS AVALIAM MINISTÉRIO DA COMUNICAÇÃO: “DESASTROSO”

Em entrevista coletiva realizada em São Paulo nesta quarta-feira (10), a respeito das preparações para o 11 de julho, as centrais sindicais criticaram a atuação de Paulo Bernardo à frente do Ministério das Comunicações. Para eles, o ministro tem dado declarações que representam apenas suas posições individuais, nitidamente contrárias à democratização da mídia.

A roda de perguntas, mediada por Rita Casaro, do Barão de Itararé, contou com a presença de Vagner Freitas (presidente da CUT); Nivaldo Santana (vice-presidente da CTB); Claudio Prado (diretor-executivo da Força Sindical); Ubiraci Dantas (presidente da CGTB); e Antonio Neto (presidente da CSB).

Apesar da mobilização para as paralisações, greves e manifestações nacionais programadas para o 11 de julho ser a pauta principal da atividade, transmitida pela TVT, os representantes das centrais foram taxativos ao serem questionados sobre a atuação de Paulo Bernardo e do Ministério das Comunicações. O papel partidarizado da grande imprensa brasileira e a importância da mídia alternativa para a agenda sindical também foram abordados.

De acordo com Wagner Freitas (CUT), Bernardo bate de frente com as deliberações feitas pelo partido e, inclusive, pela própria CUT, entidade da qual o ministro é oriundo. “Suas posições não refletem nada do que discutimos sobre o tema, afinal, somos favoráveis à criação do marco regulatório do setor”, diz, salientando que “suas declarações mais recentes são patéticas”. Recentemente, Bernardo concedeu entrevista às páginas amarelas da Veja, declarando ser contrário à regulação e ganhando o apelido de “bom petista” por parte da revista.

Para Ubiraci Dantas (CGTB), Bernardo é um cidadão “que jogou a toalha”. Em sua avaliação, o ministro faz um “desserviço” à comunicação: “Ele está no caminho contrário da democratização, ao entregar o setor para os grandes empresários, atrasando e boicotando a luta pela regulação.”

O papel da mídia na cobertura do 11 de julho também foi debatido pelos representantes das sindicais. Houve consenso de que os grandes veículos tentarão distorcer o sentido das manifestações. “É comum reunirmos dezenas de milhares de pessoas e não sair uma linha na mídia, mas quando diz respeito aos seus interesses, uma dezena de pessoas basta para deem destaque”, opina Nivaldo Santana (CTB), que prevê uma “desqualificação gritante” quanto aos atos nacionais.

Os sindicalistas celebraram a importância da mídia alternativa, que faz contraponto à visão única sustentada pelos grandes conglomerados de comunicação. A imprensa sindical, como a TVT e a Agência Sindical, por exemplo, já está preparada para a cobertura em tempo real das manifestações do 11 de julho.

Unidade para destravar a pauta trabalhista

A unidade das centrais sindicais para as manifestações nacionais foi a tônica da entrevista coletiva. Todos os representantes destacaram a importância da pauta unitária para destravar a pauta trabalhista no governo, que não avança e, pior, vê grandes possibilidades de retrocesso.

De acordo com Wagner Freitas, a intenção é “forçar o governo a atender às demandas”, destacando “o fim do fator previdenciário, fim da terceirização e redução da jornada de trabalho sem redução do salário, além de outras pautas periféricas”.

“Não é um ato das centrais sindicais, mas sim dos trabalhadores e trabalhadoras, chamados pelas centrais para se manifestarem, em um único rumo, a defenderem seus direitos”, avalia.

Claudio Prado, da Força Sindical, destaca o Projeto de Lei 4330 como um dos principais alvos da manifestação. “O PL 4330 foi feito por um dos maiores empresários do país. O que será que ele defende?”, questiona. A situação, na avaliação dos sindicalistas, é um golpe aos direitos dos trabalhadores, pois terceiriza o trabalhador, reduzindo seu salário e minando seus direitos.

Antonio Neto (CSB) e Nivaldo Santana (CTB) argumentam que, diferente das recentes manifestações de rua do país, o 11 de julho tem pauta definida – “a defesa dos interesses dos trabalhadores” – e direção. “Creio que será a maior mobilização sindical do Brasil nos últimos 10 anos”, aposta Santana.

Segundo Ubiraci Dantas (CGTB), existe uma situação emergencial, que está na pauta unificada das centrais. “Não se trata de um Fora Dilma, pelo contrário: estamos propondo guinada de direção dentro do próprio governo, com propostas ao invés de pedras na mão”, opina.

*****

por Luiz Carlos Azenha

Juvandia Moreira, a combativa presidente do Sindicato dos Bancários, diz que o primeiro objetivo dos militantes bancários será paralisar o atendimento no centro nervoso das finanças de São Paulo, a avenida Paulista.

Depois, os trabalhadores sairão em passeata.

Ela nega a capacidade da direita, propagada nas redes sociais, de interferir com provocações no Dia Nacional de Luta.

Reafirma a discordância da pauta específica da Força Sindical, que prega o combate à inflação como uma de suas prioridades (ontem à noite, aliás, o Banco Central aumentou os juros pela terceira vez consecutiva, para 8,5%, enterrando de vez a plataforma econômica de Dilma Rousseff de buscar a reeleição como a presidente que domou os juros).

Destaca que é preciso enfrentar de frente o PL 4330, do deputado federal Sandro Mabel (PMDB-GO), que regulamenta as terceirizações em todos os setores.

Mas, Mabel não é da base de apoio do governo?

Vejam o que diz a respeito a presidente do Sindicato dos Bancários, na entrevista (clique abaixo):

Mac Audio_recording 7

Leia também:

Rodrigo Vianna: Processo da Globo pode ter “bomba atômica”

Leia os documentos revelados pelo Cafezinho e o livro Afundação Roberto Marinho

Parceiros da Globo preocupados com o ato do dia 11 em São Paulo

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



32 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Helenita

11 de julho de 2013 às 15h48

Caro Azenha, para os “patriotas” que estão malhando a Petrobrás com o intuito de colocá-la no nível da Globopar, é bom que saibam que o débito de impostos existentes hoje na Petrobrás aconteceram no desastroso governo de FHC, que afinal tudo fez para destruir a Petrobrás como estatal e para entregá-la inteira ao grande capital norte americano.
Quem era o presidente da Petrobrás naquela época?

O Poder Judiciário também está jogando o jogo das multinacionais ávidas para afastar a Petrobrás dos grandes negócios, pois a justiça agora vem se negando a determinar à Receita que conceda CND (positiva com efeito de negativa) para que a Petrobrás possa prosseguir negociando no mercado nacional e internacional. Com esse judiciário, o povo não precisa de inimigos…

Responder

Wolf

11 de julho de 2013 às 13h51

O governo está tão AUTO-destrutivo que muitos reacionários nem comentam mais nos blogs progressistas… O pessoal não gosta de “chutar cachorro morto”…

Responder

    Wolf

    11 de julho de 2013 às 13h52

    A oposição descobriu que só precisa “calar a boca” e deixar o governo “trabalhar”…

jõao

11 de julho de 2013 às 13h16

parem vocês tambem
jornalista tambem tem que fazer greve

quinta-feira, 11 de julho de 2013
“Carta aberta aos colegas da Globo”
Por Marco Aurélio Mello, no blog DoLaDoDeLá:

Caros Colegas,

Conheço a maioria de vocês e dou meu testemunho da dureza que é trabalhar como jornalista na TV Globo. Já fui um de vocês por 12 anos, por isso falo de cátedra. Acordamos cedo, às vezes cedo demais, dormimos tarde, quase sempre tarde demais e passamos o dia todo conectados. Cobram de nós que tenhamos lido tudo e visto todos os programas da emissora, inclusive os de entretenimento.

Muitos só conhecem a escala do dia seguinte na noite anterior. Muitos têm um rádio Nextel apitando em nossas orelhas dia e noite. E muitos mais ficam on line pelo exchange, mesmo estando em casa, 24 horas por dia, 7 dias por semana. Parece propaganda de caixa eletrônico, não é?

Nossas famílias vivem em função da nossa escala e das nossas “conquistas”. Somos mal remunerados, muito mal a propósito. Pagam para um repórter iniciante a aviltante quantia de R$ 3,5 mil brutos. Aos editores um pouco menos e os produtores, rádio-escutas, operadores e estagiários é melhor eu nem falar. Os chefes te dizem com a maior cara lavada que, para o seu posto de trabalho, tem 20 na porta esperando, sujeitos a ganhar a metade. Veja que triste efeito da Oligopolização.

Há uma pequena “casta”, cada vez mais restrita, composta pelos figurões, que chegam a faturar uns R$ 50 mil cada, mas são poucos, muito poucos. Como levam vida de bacana, inspiram muitos a continuarem transpirando, na esperança de um dia alcançarem o Olimpo. A maior parte deles, infelizmente, é apenas uma representação simbólica daquilo que as pessoas acham que eles são, heróis, meio homens, meio deuses, portanto imortais. Como não existe almoço grátis, são todos pessoas jurídicas, ou seja, colegas do dono, já que também ostentam a condição de patrões.

A rotina é bem triste: a chefia de reportagem briga com as equipes, quando param na rua para tomar um café. As equipes acham a chefia tirana e a pauta ruim. Os produtores acham os repórteres preguiçosos e presunçosos. Já os repórteres acham os editores preguiçosos e presunçosos. Por seu turno, os editores acham os repórteres vaidosos, arrogantes e assoberbados. Esta carnificina acaba com a humanidade de qualquer um. O mantra é competição, produtividade e resultado. Não é jogo para amadores, costumam dizer os chefetes.

No entanto, todos somos cordiais uns com os outros e demonstramos um profissionalismo extremo em momentos de grande comoção, como nas tragédias, que de tempos em tempos abatem-se sobre todos nós. É quando a redação se supera e todas as diferenças são postas de lado, para uma corrida desenfreada pela notícia, pela melhor declaração, pelo melhor ângulo, pelo melhor resultado…

Por tudo isso, sei o quanto são guerreiros e o quanto são valiosos. Sei também quantos usam e abusam de drogas nas pias de mármore. Sei de quantas lágrimas verteram nos camarins e nos banheiros. Sei o quão dolorosa é essa vida de vocês, enquanto mantém a pose de grandes comunicadores, profissionais privilegiados e admirados na rua, valiosos e idealizados nas universidades.

Se, de fato, os colegas tivessem compromisso com a justiça social, o combate à pobreza e à desigualdade, em um mundo mais próspero e solidário, jamais aceitariam que seus patrões-colegas abusassem como abusam do poder que têm. No condicional, para fazer como aprendi com vocês, dizem que eles corrompem, subornam e desviam. Também dizem que eles manipulam, tramam e chantageiam. E, assim, deixam tudo como está, porque para eles está bom demais assim.

Entendo o momento que estão passando. As pessoas já não olham mais com a mesma admiração para vocês. Seus filhos e amigos os questionam sobre o que vêem na internet e há uma legião disposta a tirar a pele de vocês, não pelo que são, mas pelo que representa o cubo que carregam no microfone e o logotipo estampado no carro ( mais uma vez a representação simbólica… ).

Portanto, pensem se não é hora de dizer não. Perguntem aos colegas se não é o caso de procurar coletivamente a direção para negociarem um pacto. O que vocês precisam é fazer apenas o bom e velho jornalismo que sabem, sem ingerências, sem controle, sem manipulação. Afinal, vocês vendem a eles apenas sua força de trabalho, não aquilo em que vocês acreditam e que pode sim transformar o mundo num mundo melhor para todos.

Pensem nisso e contem comigo sempre que quiserem desmascarar seus algozes.

Marco Aurélio Mello, jornalista e blogueiro sujo, com muito orgulho.

Responder

Ronaldo Marques

11 de julho de 2013 às 12h18

Azenha, nas fotos das manifestações Brasil a fora, que vi neste momento (site terra.com.br), só focaram praticamente a Força Sindical (apêndice do PSDB) e os cartazes Xô Dilma e Xô Mantega (mesmo sendo casos isolados). É impressionante como a mídia consegue distorcer tudo para atender a seus próprios interesses…

Responder

Fabio Passos

11 de julho de 2013 às 12h13

E quando Dilma vai se livrar do lixo que trabalha contra o povo brasileiro?

Paciência tem limite.
O saco já explodiu.

Responder

Leo

11 de julho de 2013 às 11h59

Acho que existem exageros por parte de certos pessoas, pelos dois lados.

Não se trata de uma manifestação de baderneiros ou arruaceiros que atrapalham o direito de ir e vir, até porque mobilizações sindicais em jornadas de lutas, envolvem historicamente, a paralisação por parte de algumas classes. Enquanto que outras, tão somente a manifestação de massas. Temos que atentar, que, as formas de reivindicação desde que não envolvam violência gratuita ao patrimônio público, são abraçadas pela democracia em toda sua diversidade.

Também, não se trata de uma onda de “pelegos” que de forma oportunista foram às ruas, após os protestos maciços de Junho. Afinal, após anos até, houve uma convergência grande de pautas entre diferentes sindicatos, incluindo os que mais se opõem oficialmente ao atual governo federal e suas políticas trabalhistas. E mesmo aqueles que são alinhados, em caráter de representação política, como a CUT, vão às ruas e exigem com a mesma firmeza que seus pares, as políticas públicas necessárias, para a tensão do “centrismo” dentro do governo.

Afinal, sindicatos têm mais do que o direito, mas a o dever de mobilizarem às ruas, grande parte da sociedade, em torno das reais demandas populares.

Responder

Fabio Passos

11 de julho de 2013 às 11h39

As reivindicações são ótimas.
Apóio integralmente.

Redução da Jornada de Trabalho para 40h semanais, sem redução de salários
Contra o PL 4330, sobre Terceirização
Fim do fator previdenciário
10% do PIB para a Educação
10% do Orçamento da União para a Saúde
Transporte público e de qualidade
Valorização das Aposentadorias
Reforma Agrária
Suspensão dos Leilões de Petróleo.

Demandas legítimas que beneficiam a imensa maioria da população: Os trabalhadores.

O governo Dilma vai atender seus eleitores?

Responder

Elias

11 de julho de 2013 às 11h12

Há exatos 2 anos o ministro Nelson Jobim deu entrevista a Folha/UOL em que declarou seu voto no adversário de Dilma. Em seguida Jobim foi demitido. A entrevista de Paulo Bernardo a Veja é equivalente ou senão pior quando se sabe que este é prata da casa. Não dá pra entender por que Dilma não toma atitude igual a que tomou dois anos atrás.

Responder

Ricardo Musse: Manifestações de rua estão forjando a almejada frente de esquerdas - Viomundo - O que você não vê na mídia

11 de julho de 2013 às 10h58

[…] Centrais criticam Paulo Bernardo antes de ir às ruas; atos contra o projeto de Sandro Mabel em todo… […]

Responder

    Ernesto

    11 de julho de 2013 às 14h24

    Paulo Bernardo, José E Cardozo, Edison Lobao, Bispo Crivella (?), Agnaldo Ribeiro, Marta Suplicy, Ideli Salvatti, Afif, Gleisi Hoffman, Moreira Franco, Cesar Borges, Garibaldi Alves, Izabella Teixeira, Pepe (??) Vargas, Gilberto Carvalho, Alexandre Padilha, Gastao Vieira (???), Fernando Bezerra… São tantos que merecem ir imediatamente pra rua, que falar apenas no Paulo Bernardo é até cruel!!! Nunca tivemos tantos e tão medíocres ministros!!!

abolicionista

11 de julho de 2013 às 10h31

É muito mais do que vinte centavos: são 615 milhões de reais…

Responder

    LEANDRO

    11 de julho de 2013 às 12h11

    Ou 7 bilhões no caso da petrobras.

    Julio Silveira

    11 de julho de 2013 às 12h47

    A Petrobras tem um patrimônio de aproximadamente 350bilhoes de Reais, patrimônio em sua maior parte publico, inclusive no gerenciamento, onde a participação privada entra na parte, e minoritariamente, de investidores.
    A Globo tem um patrimônio em ativos totais da ordem de 1,2 bilhões de dólares e patrimônio liquido na ordem de 544milhões, detalhe importante, isso tudo isso inteirinho na iniciativa privada, todo o lucro irá exclusivamente para seus investidores particulares, a cidadania em geral não recebe nenhum beneficio material com ela a não ser o de uma possível boa prestação de serviço. O que sabemos não acontece. Se você observar as duas situações e inclusive fazer uma relação percentual entre os valores que coloquei( que estão na internet para todo mundo ver) com a tua, provocante mas inteiramente desconexa, para comparação, verificarás que a observação que fizeste só faz sentido levando-se em consideração a tendência a irracionalidade de mal intencionados, adeptos radicais de alguma filosofia politica, que contam com a ignorância geral para serem considerados sérios e criveis.

    LEANDRO

    11 de julho de 2013 às 13h08

    Julio, não to discutindo patrimônio e sim sonegação. Se a petrobrás tá tão bem assim, pq não paga o que deve? E, não sei para você que pode até ser funcionário da estatal, mas para mim e para o povo em geral, a petrobrás nunca fez nada, só uma gasolina ruim e cara.

    Julio Silveira

    11 de julho de 2013 às 13h50

    E, Leandro, não sou funcionário de estatal, apenas para seu governo sou um trabalhador autônomo, se produzir eu como, dependo exclusivamente de mim mesmo para meu sustento. Mas nem por isso deixo de reconhecer o valor desta empresa para o meu país. E acho interessante você dizer que a Petrobrás não faz nada por você, pois a toda hora vejo pessoas que pensam como você defendendo que o estado invista grana alta para comprar o passe dessa multinacionais que não garantem sequer a permanência no país. Garantem apenas enquanto a lucratividade for interessante. Fala sério meu caro, seja mais brasileiro, e um pouco mais cidadão.

Messias Franca de Macedo

11 de julho de 2013 às 09h46

O QUE PODE SER UM POUCO DO OUTRO LADO DO ‘GOLPISMO ORA EM CURSO’!

Realmente, é consenso o fato da necessidade imperiosa de a presidente Dilma Rousseff, digamos, ‘oxigenar’ o governo dela! ‘As vozes das ruas e da sensatez’ advertem, para o bem do governo Dilma Rousseff e, principalmente, para o bem da nação: urgentemente, fazem-se necessárias as seguintes providências: exoneração dos ministros Paulo Bernardo, José Eduardo Cardozo, Helena Chagas, Ideli Salvati, Gleisi Hoffman; do diretor da Caixa Econômica Federal, o ‘neocoroné’ Geddel Vieira Lima… Ademais, não deve ser uma simples troca ‘de seis por meia dúzia’ (sic)… A briosa presidente Dilma tem que ter a coragem de confiar no verdadeiro povo brasileiro e nomear o competente e impávido Franklin Martins, dando ao mesmo ‘carta branca’ “para peitar” o PIGolpista/terrorista/fascista/antinacionalista de meia tigela!… Reformar a ABIN… Ah! Essa ABIN!… Convocar ‘as vozes das ruas’ e juristas no sentido de encaminhar a legítima e imprescindível proposta de instalação de uma Assembleia Nacional Constituinte específica para tratar da reforma política, que deve ser, portanto, profunda e abrangente, ainda que as mudanças somente possam ser efetivadas a partir das eleições de 2016… Instalar uma auditoria/sindicância em todas as prefeituras do Brasil, contando com a participação da gloriosa Polícia Federal e da Controladoria Geral da União… Instituir uma auditoria/sindicância para tratar da dívida externa… Trazer para o governo o catedrático economista Márcio Pochmann… O economista Marcio Pochmann defende taxação de grandes fortunas para promover justiça tributária.
Presidente da Fundação Perseu Abramo afirma que é preciso também romper o poder que as famílias de maior renda exercem sobre o Congresso, onde tramitam projetos a respeito.
O economista Marcio Pochmann considera que a cobrança de impostos sobre grandes fortunas carece da definição de bons parâmetros para que seja um instrumento efetivo na busca da justiça tributária no Brasil.
O Brasil tem parte da tributação direta sobre o patrimônio ou propriedades, como é o caso do Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU), mas essa tributação não tem sido “progressiva”: “Há casos estranhos em que quem mora em favelas e em condições mais precárias de urbanização termina pagando, em relação à renda, algo superior aos que moram em bairros nobres. Então, o fato de existir tributação não é suficiente se não definir como ser tributado e arrecadado”, disse o presidente da Fundação Perseu Abramo em entrevista à Rádio Brasil Atual.
(…)

FONTE: http://www.redebrasilatual.com.br/economia/2013/07/pochmann-defende-taxacao-de-grandes-fortunas-para-promover-justica-tributaria

… A prosa continuará em breve! ‘As vozes das ruas que o digam(!)…

Viva o Brasil! E viva o honesto, sapiente e destemido povo trabalhador brasileiro!

BRASIL (QUASE-)NAÇÃO [depende de nós enquanto ações e reações!]
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

    Eugenia

    11 de julho de 2013 às 10h05

    Sr. Messias
    Estou emocionada com seu texto. Isso é o desejo dos brasileiros.

    Messias Franca de Macedo

    11 de julho de 2013 às 10h17

    Prezada, generosa e valorosa brasileira Eugênia, a luta continua! Mesmo porque a batalha contra o fascismo é interminável!
    Felicidades!

    Respeitosas saudações democráticas, progressistas, civilizatórias, nacionalistas, antigolpistas e antifascistas,

    BRASIL (QUASE-)NAÇÃO [depende de nós enquanto ações e reações!]
    Bahia, Feira de Santana
    Messias Franca de Macedo

    Luiz Carlos Azenha

    11 de julho de 2013 às 10h27

    Caro Messias, se você insistir em colocar o mesmo comentário em todas as postagens do blog não teremos outro recurso a não ser baní-lo. Apreciamos sua contribuição, mas infelizmente você prejudica os outros leitores ao copiar e colar o mesmo comentário uma, duas, três, quatro, cinco, seis… vezes. É, no mínimo, uma falta de gentileza com outros comentaristas e leitores. abs

    Messias Franca de Macedo

    11 de julho de 2013 às 12h22

    Digníssimo jornalista Luis Carlos Azenha, creia, absolutamente, eu não tenho a menor intenção de prejudicar esta conspícua ‘casa cibernética’ nem tampouco os(as) leitores(as) e/ou outros(as) comentaristas! Entendo que a minha legítima preocupação com os destinos do meu país torna-me, eventualmente, impertinente. Contudo, o meu objetivo é, responsável e democraticamente, compartilhar observações! Apenas! Não sou movido por interesses inconfessáveis ou coisa que o valha! A tentativa de prover alguma contribuição: e parece que o tempo é curto – e a aflição, pungente!…

    Com toda a humildade, deferência e reverência, peço sinceras desculpas a você e à prezada e não menos valorosa jornalista Conceição Lemes! Extensivas a todos e todas que participam deste democrático, importante e respeitabilíssimo fórum de debates e de ideias!

    Espero não mais incorrer em tais erros!

    Ah! Aproveito para reiterar os meus parabéns pelo colossal legado histórico que o trabalho e o exemplo de vida de vocês está nos proporcionando! Exemplo lapidar e cabal do bom – e autêntico – Jornalismo.

    Muito obrigado.

    Respeitosas saudações democráticas, progressistas, civilizatórias, nacionalistas, antigolpistas e antifascistas,

    BRASIL (QUASE-)NAÇÃO [depende de nós enquanto ações e reações!]
    Bahia, Feira de Santana
    Messias Franca de Macedo

    Luiz Carlos Azenha

    11 de julho de 2013 às 13h08

    Que bom que vc entendeu e não vai colocar o mesmo comentário em todos os posts. abs

    Messias Franca de Macedo

    11 de julho de 2013 às 14h30

    Prezado e valoroso jornalista Luiz Carlos Azenha, perdão pelo constrangimento por mim causado! O senhor honra o jornalismo e a democracia! Parabéns! E muito obrigado pela atenção!

    Felicidades!

    Messias Franca de Macedo – um simples matuto ‘bananiense’!

Às ruas: centrais denunciam Bernardão | Conversa Afiada

11 de julho de 2013 às 09h41

[…] Centrais criticam Paulo Bernardo antes de ir às ruas; atos contra o projeto de Sandro Mabel em todo… […]

Responder

Carlos

11 de julho de 2013 às 09h16

Infelizmente, o PT – meu partido – está cada vez mais burro, ou conduzido por elementos cada vez mais burros.
A CUT trancou (isto mesmo, trancou) com cadeado a entrada dos caixas eletrônicos a entrada de alguns bancos aqui no centro do RJ.
Ou seja, eu, cidadão que preciso pagar minhas contas, fui impedido de retirar a quantia que usaria para pagar uma dívida, apenas paga em dinheiro.
A figura que estava na porta – perdidinho por sinal – falou que o banco é que havia fechado e consultou outros elementos que me “aconselharam” a arrombar o cadeado. Comecei, então, a ligar para a polícia pois, se teria que arrombar o faria com certeza, mas não precisaria ser o 1o idiota preso no dia de hoje.
Enquanto ligava apareceu outra pessoa que me disse para ir em agências situadas fora da Av. Rio Branco, pois estas estariam desobstruídas. Mentira! todas nas proximidades apresentavam o mesmo cenário, e fui obrigado a sacar no 24 horas. Certamente serei taxado, mas esta conta eu vou fazer todo o possível para cobrar do sindicato dos bancários.

Finalmente, cheguei no meu local de trabalho e comentava o fato quando chegou uma colega dizendo que, na mesma agência, além de ter sua entrada impedida, ainda foi desafiada por um casal que estava na porta que disse: “..Não vai entrar não. E aí, vai encarar?” (covardes não?)

Bem, parece qua a greve é contra a população. Mais uma vez vamos ter que nos submeter a um bando – em sua maioria de vagabundos – que ameaça o povo, proíbe que entremos em nossas agências de banco (mas não no 24 horas que vai lucrar muito hoje. Aliás, será que alguem leva?) e ainda acena com uma interrupção dos serviços de transportes, quando a população já está nas ruas, em sua maioria, como eu, trabalhando. Mais covardia!

Eu pergunto: Isso é coisa de quem está reinvindicando benefícios sociais ou apenas querendo tumultuar o país?
PT, tem muito safado aí dentro. Elegi uma presidenta, é pretendo ver seu mandato inteiramente cumprido e depois votar na reeleição de minha candidata. Este país não suportaria outro golpe, principalmente se vier de quem deveria defender com unhas e dentes a democracia.

Responder

Gilberto Marotta

11 de julho de 2013 às 09h03

Texto esclarecedor, mas discordo, Azenha, quando vc diz: “enterrando de vez a plataforma econômica de Dilma Rousseff de buscar a reeleição como a presidente que domou os juros” Essa retórica não se coaduna com os números, é só comparar as taxas dos governos FHC, Lula e Dilma para ver como foram baixando drasticamente, e os de Dilma ainda são menores, apesar das últimas inflexões; nós, progressistas, devemos continuar pressionando para que a pauta inflacionária do terrorismo midiático seja desmascarada para não servir de álibi aos verdadeiros objetivos da oligarquia financeira, qual seja, a volta da farra dos juros para as especulações deles, como todos nós sabemos.

Responder

Messias Franca de Macedo

11 de julho de 2013 às 08h33

INTERESSANTE, PARA NÃO DIZER SURPREENDENTE OU TRÁGICO! ENTENDA

Durante os 08 (OITO!) anos do governo do presidente Lula, a CUT permaneceu ‘pianinho'(!), inclusive gerando insatisfações por parte de certas entidades, desembocando, por exemplo, na criação do ‘Conlutas’ Central Sindical e Popular… Pois muito bem… Agora, governo da presidente Dilma Rousseff, a mesma CUT está apoiando esses movimentos que, ninguém se engane, tem na presidente o principal alvo…

… Tudo muito estranho! O que não deixa de ser um risco iminente à nossa subdemocracia de bananas!…

… AH! ANTES O ÓBVIO SEJA ESQUECIDO (sic): as organizações Globo e os ‘globocops’ delas &$ o restante do PIG e da DIREITONA [eterna oposição ao Brasil] estão radiantes, muitas pautas, muitas articulações, ‘o PIBinho do PIG’, algumas… Possibilidades! “Dá pra entender?!”…

[… E a claque de ‘prefeitins e prefeitinhas’, no mínimo estupidamente mal-educados(as), vaiando, covardemente, a presidente Dilma Rousseff… É verdade: as “coisas” podem estar se “encaixando”, ‘a Síria e o Paraguai poderão ser aqui 1964’!…]

República de ‘Nois’ Bananas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Eduardo

11 de julho de 2013 às 08h26

A enquete é boa, mas acho que deveria ser ” O segredo da Justiça” !

Responder

Emanoel C Neto

11 de julho de 2013 às 07h33

Acontece que a certidão do CNPJ em questão saiu eu tenho uma aqui. Agora não sei dizer porque saiu.

Responder

psgd

11 de julho de 2013 às 01h48

ENQUETE
Qual será o nome da próxima novela da globo:
a – Processo roubado, ladrão perdoado;
b – O roubo justo da justiça cega;
c – Processo roubado,ladrão premiado;
d – Nem as paredes confesso;
e – Garota sem escrúpulos.

Responder

    Julio Silveira

    11 de julho de 2013 às 13h44

    Leandro, você sabe o que eu quis lhe mostrar. Faça-me um favor meu caro. Você não sonega de si mesmo. A Petrobras é uma empresa publica, lucros ou prejuízos são públicos, ela foi formada com recursos públicos (portanto sem essa de sonegação meu caro), a única coisa que você pode atribuir a Petrobras é má gestão de recursos públicos, por que se olharmos assim os recursos que a criaram lá atrás, quando foi retirado recursos do tesouro para formá-la, sem retorno imediato, devido a sua característica de interesse de estado, pode ser atribuído o titulo de sonegação. Mas é muito diferente de uma organização privada que usa de sonegação de recursos devidos ao estado, a cidadania, para beneficio de meia dúzia (sentido figurado) de acionistas, e não entrega a contrapartida midiática, cultural, de forma ética e producente ao país.

Dilma ACORDA, Mulher

11 de julho de 2013 às 01h43

Azenha: o Ministério das Comunicações, teoricamente, fiscaliza as emissoras de TV, não é? Então me explica: ele não deveria pedir todo ano, a Certidão Negativa de Débitos com a Receita federal à Globo? E a Secretaria de Comunicação Social da Presidencia, quando paga as publicidades do governo, não tem que pedir certidões negativas de débitos, como o governo faz para pagar suas empreiteiras? Onde estavam Paulo Bernardo e Helena Chagas ? Em Paris?

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Últimas matérias
Presença de Greta em Nova York carimba em Bolsonaro o papel de vilão do clima; Vaticano dispara míssil contra fake news amazônica

 Da Redação, com vídeos e fotos das redes sociais Três milhões de pessoas em três mil cidades de 160 países, calculam os organizadores. A campanha da adolescente sueca Greta Thunberg, 16 anos de idade, floresceu. Foi a Terceira Greve do Clima, que atraiu manifestantes — especialmente adolescentes — às ruas para dizer que não existe […]

Ler matéria