VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Denúncias

Associação de Reforma Agrária contesta reportagem do JN


09/07/2012 - 11h27

nota da Associação Brasileira de Reforma Agrária

A edição do Jornal Nacional da Rede Globo do dia 05 de julho de 2012 veiculou matéria na qual identificou os assentamentos de reforma agrária como os grandes vilões do desmatamento da Amazônia, supostamente respondendo pela taxa acumulada de 30% da área desmatada.

A matéria teria sido baseada em dados fornecidos pelo Ibama, Inpe e, especialmente, pela ONG Imazon. Tais informações serviram de fundamento para ação ajuizada contra o Incra por membro do Ministério Público Federal, no Pará, por meio da qual foi demandada, entre outras medidas, a proibição de novos assentamentos naquela região do país.

A despeito da recorrência dessa mistificação pelos setores conservadores, a ABRA empreendeu iniciativas com o intuito de contestar a notícia. De início, solicitou a contextualização do caso ao Imazon, que assumiu o assessoramento dado ao Ministério Público.

Um dos seus pesquisadores informou que a ação judicial contra o Incra objetivou chamar a atenção para a falta de assistência técnica aos assentados, o que seria a causa central do desmatamento sem controle observado nas áreas correspondentes. Acusamos a estranheza de se pressionar o Incra pela melhoria nesses serviços por via judicial e, ainda mais, recorrendo ao Jornal Nacional para criminalizar os assentados. O representante do Imazon creditou ao repórter da TV Globo as manipulações da matéria, especialmente por não esclarecer que, em grande medida, o desmatamento nos assentamentos, bem como nas áreas indígenas, quilombolas e unidades de conservação, resulta da intrusão, arbitrária, ou por vezes consentida, de madeireiros, grandes fazendeiros e grileiros em geral.

Tentamos convencer o departamento de jornalismo da Globo sobre as inconsistências da matéria e sobre a necessidade da sua correção, mas sequer foi aberta a possibilidade de enviarmos os dados e argumentos.

Os fatos:

1. A iniciativa do Ministério Público, com o apoio do Imazon, empareda ainda mais uma política estruturante, estratégica para o país, na melhor das hipóteses, já sob ‘modo vegetativo’;

2. Ressalvados os números, a matéria do Jornal Nacional, não os qualificou e, assim, desinformou a opinião pública, pois contabilizou área de colonização entre os assentamentos responsabilizando, ainda, os assentados, por ações de desflorestamento conduzidas por terceiros;

3. O Imazon publica desde o ano de 2008, o Boletim da Transparência Florestal (www.imazon.org.br). Neste, consta o item chamado Geografia do Desmatamento no qual a ONG ‘identifica’ os níveis do desmatamento nos assentamentos de reforma agrária, TIs, UCs, e “áreas privadas, posses & devolutas”. No mínimo é curioso que a Geografia do Desmatamento do Imazon não especifique os dados do desmatamento nos grandes imóveis rurais;

4. Não obstante, os dados do desmatamento nos assentamentos publicados nesse Boletim não respaldam a participação divulgada pelo Jornal Nacional;

5. Abaixo, ‘colamos’ parte das figuras copiadas do mencionado Boletim, desde 2008, na posição de maio (por ser o dado mais recente no presente ano), com o propósito de oferecer uma amostragem desse processo e dos seus protagonistas.

As figuras acima demonstram, de forma cabal, a absoluta inconsistência da matéria do Jornal Nacional.

Seria de se esperar argumentação do Imazon de que os dados do PRODES – Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal, que supostamente serviram de substrato para a ação do MP e para a matéria da Globo, são mais precisos que as do SAD (Sistema de Alerta do Desmatamento), que alimentam o Boletim da Transparência Florestal.

Neste caso, só aumentariam as dúvidas sobre os procedimentos da entidade, à medida que estaria utilizando dados não confiáveis para mensurar o desmatamento nos assentamentos.

Portanto, a ABRA, ao tempo em que lamenta o jornalismo eticamente duvidoso da TV Globo, pois reativo ao contraditório, não poderia deixar de condenar mais uma recidiva de setores conservadores contrários à reforma agrária, notadamente num contexto de graves adversidades institucionais para iniciativas dessa natureza.

Brasília, 08 de julho de 2012

A DIRETORIA

Leia também:

Tânia Bacelar: Como funciona a máquina da desigualdade no Brasil

Dirigente do MST diz que ministro Pepe Vargas está equivocado

Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

O lado sujo do futebol: Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - O lado sujo do futebol e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


4 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Fabio Passos

09 de julho de 2012 às 21h56

Impressionante como a rede globo é desmentida e não faz a devida correção.

A rede globo não passa de uma máquina de difamação dos movimentos sociais.

famíglia Marinho = pilantras!
Filhotes da ditadura!

Responder

Mardones Ferreira

09 de julho de 2012 às 16h43

Lamentar o quê? A falta de ética da Globo? É para rir?

A empresa que manipulou um debate para eleição presidencial, cujo dono forjou um atentando a bomba na época da ditadura e que vem manipulando a informação factual para favorecer seus patrocinadores e coligados em detrimento do povo brasileiro.

Mentir sobre quem causa desmatamento na Amazônia não deve afetar ninguém. Palmas para a Globo, que faz o seu trabalho: MENTIR.

Vergonha para um tal Min Paulo Bernardo e para uma presidente(a) da república que até hoje deixa a Globo deitar e rolar.

Responder

Cairbar Garcia Rodrigues

09 de julho de 2012 às 15h35

As organizações globo (minúsculas mesmo)causaram muito mais danos ao paías do que qualquer pessoa, instituição ou movimento social ao longo da História do Brasil.

Responder

Marcos Sousa

09 de julho de 2012 às 15h35

A oposição brasileira não tem discurso e está perdida. De propriedade do grande capital, a mídia tradicional tenta se apegar a qualquer pretexto para ajudar os seus prepostos na política, no intuito de enganar a população, principalmente em ano de eleição.

Sobre o tema, leia mais em: http://mticianosousa.blogspot.com/2012/05/oposicao-brasileira.html.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!