VIOMUNDO

Diário da Resistência


Blog da Saúde

Vovó e vovô sem sede? Eles precisam de água!


23/01/2011 - 18h00

de Conceição Lemes*

Sempre que a vovó ou o vovô têm confusão mental, duas hipóteses atemorizam os familiares: será tumor na cabeça ou mal de Alzheimer?

Na imensa maioria dos casos não é nem um nem outro”, afirma  o clínico geral Arnaldo Lichtenstein, do Hospital das Clínicas de São Paulo, professor colaborador do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da USP e um dos especialistas entrevistados no livro Saúde — A hora é Agora (leia no pé deste texto).  “Os principais responsáveis são diabetesdescontrolado, infecção urinária e família que passa o dia inteiro no trabalho, no shopping ou no clube, fora de casa.”

Parece brincadeira, mas não é. Constantemente vovó e vovô não têm sede e deixam de tomar líquidos. Como não há gente em casa para lembrá-los, desidratam-se com rapidez. E a desidratação no idoso tende a ser grave, afetando todo o organismo. Pode causar confusão mental abrupta, queda de pressão arterial, aumento dos batimentos cardíacos (“batedeira”), angina (dor no peito), coma e até mesmo morte.

Impossível?! Não. Ve ja por quê:

• Ao nascermos, 90% do nosso corpo é constituído de água. Na adolescência, isso cai para 70%. Na fase adulta, para 60%. Após os 60 anos, temos pouco mais de 50% de água. Isso faz parte do processo naturalde envelhecimento. Portanto, de saída, os idosos têm menor reserva hídrica.

• Mas há outro complicador. Mesmo desidratados, eles podem não sentir vontade de tomar água, pois os seus mecanismos de equilíbrio interno funcionam menos.

• Explicamos. Nós temos sensores de água em várias partes do organismo. São eles que verificam a adequação do nível. Quando o nível cai, esses detectores acionam automaticamente o “alarme”. Pouca água significa menor quantidade de sangue, de oxigênio e de sais minerais circulando nas nossas artérias e veias. De imediato, então, o corpo “pede” água. Essa informação é passada ao cérebro, a gente sentesede e sai em busca de líquidos. Nos idosos, porém, esses mecanismos atuam menos.

A detecção de falta de água corporal e a percepção de sede estão diminuídas. Alguns ainda, devido a certas doenças, como artrose avançada, evitam se movimentar até para tomar água.

• Resultado: os idosos desidratam-se facilmente não apenas porque possuem reserva hídrica menor, mas também porque sentem menos sede. Além disso, para ter desidratação grave, eles não precisam de grandes perdas — por exemplo, diarreias, vômitos ou exposição intensa ao sol. Basta o dia estar bastante quente ou a umidade do ar baixar muito. Nessas situações, perde-se mais água pela respiração e suor e, se não houver reposição adequada, é desidratação na certa. Mesmo que o idoso seja saudável, essa perda prejudica o desempenho das reações químicas e das funções de todo o organismo.

“Por isso, vovós e vovôs, se habituem a beber líquidos”, alerta Lichtenstein. Por líquido entenda-se água, sucos, chás, água de coco, leite. Sopa, gelatina e frutas ricas em água (melão, melancia, abacaxi, laranja e mexerica) também funcionam como líquido. O importante é, a cada duas horas, botar algum líquido para dentro. Lembrem-se disso!

O segundo alerta de Lichtenstein é para os familiares. Ofereçam constantemente líquidos aos idosos da casa. Lembre-lhes de que isso é vital. Ao mesmo tempo, fiquem atentos. Ao perceberem que eles estão rejeitando líquidos e, de um dia para outro, ficam confusos, irritadiços, fora do ar, atenção. É quase certo que esses sintomas sejam decorrentes de desidratação. Líquido neles e rápido para um serviço médico.

****

*  O doutor Arnaldo Lichtenstein é clínico geral, médico do Hospital das Clínicas de São Paulo, professor colaborador da  Faculdade de Medicina da USP e  um dos 70 profissionais de saúde entrevistados por esta repórter para o livro Saúde — A Hora é agora, do qual é coautora.

Meu twitter: @conceicao_lemes, siga à vontade.

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



15 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Jamil Murad: O risco dos “depósitos humanos” | Viomundo - O que você não vê na mídia

07 de novembro de 2011 às 16h04

[…] Vovó e vovô sem sede? Eles precisam de água! […]

Responder

JOSE DANTAS

06 de junho de 2011 às 18h27

Nada melhor para o vovô e a vovó do que uma atividade loboral intensa e movimentada.
Aqui em casa eu e minha velhinha nos levantamos as cinco da matina, as vezes um pouco menos e quando o sol desaparece geralmente ainda estamos ocupados. Sentimos necessidade de beber água o dia todo, as dores que aparecem tem muito mais a ver com cansaço do que com problemas reumáticos e quando é hora de dormir não há insónia. Afinal não estamos nesse mundo para descançar e não há melhor lazer do que o trabalho quando se mostra agradável, assim como não há maior castigo do que fazer aquilo que não se gosta.
Portanto rale enquanto puder que o "fardo" agradece.

Responder

Marcelo de Matos

08 de fevereiro de 2011 às 12h53

(parte 2) O nutrólogo, por sua vez, disse que o cozimento torna os alimentos mais pobres em nutrientes. Ele disse, também, que a banana e a laranja têm baixo teor glicêmico. Minha endocrinologista disse o contrário. Veja a entrevista: http://entretenimento.r7.com/receitas-e-dietas/no

Responder

Marcelo de Matos

08 de fevereiro de 2011 às 12h52

(parte 1) O tema dos efeitos da água sobre o organismo é polêmico. A Globo, recentemente, entrevistou vários médicos que disseram só tomar água quando sentem sede, já que ela não traz nenhum benefício à saúde. O nutrólogo Edmond Saab disse ontem no Hoje em Dia, da Record, que não adianta tomar chá ou suco: é preciso tomar água mesmo. Outra recomendação sua foi a de que devemos comer uma salada oito minutos antes do prato principal. O doutor lembrou que a digestão começa pelos olhos, que remetem uma mensagem ao cérebro e assim o organismo começa a produzir enzimas. Edu Guedes lembrou que quem cozinha, como ele e as donas de casa, sabe disso. Pensei na televisão de cachorro, aquele frango de padaria que fica girando no espeto. Será que nos alimentamos olhando para o processo de cozimento? Essa questão da salada também é polêmica. Disse a meu médico que tenho o intestino solto e ele recomendou que eu não coma salada, mas, verduras cozidas.

Responder

Roberto Locatelli

07 de fevereiro de 2011 às 16h32

Pois eu evito beber água. Não gosto. Tive um sério problema de pedra nos rins, mas acho que uma coisa não tem nada a ver com a outra… Foi só coincidência…

Responder

    Marcelo de Matos

    08 de fevereiro de 2011 às 13h34

    Não evite não, Roberto. Sugiro que você vá a uma de nossas estâncias hidrominerais tomar água em caneco de alumínio. O meu tem o emblema do Palmeiras. Você senta na sombra e toma aquela água fresca: faz bem para o corpo e o espírito. Eu sugiro Águas da Prata, Lindóia, Serra Negra, Ibirá. Se for a Águas da Prata, dê um pulo em Poços de Caldas e tome um banho de água de origem vulcânica. É uma beleza. Ah, eu ia me esquecendo de Águas de São Pedro…

    Roberto Locatelli

    11 de fevereiro de 2011 às 13h33

    Ôpa, boas dicas, Marcelo!!

    Abraço.

ejedelmal

28 de janeiro de 2011 às 20h21

Off topic (man non troppo) — Zeitgeist Moving Forward:

todas as mulheres devem ser OBRIGADAS a assistir aos primeiros 40 minutos.

Diversos mitos são derrubados, e muitas informações agregadas, sobre:

Genética – predisposição à doença não é predeterminação.

Psicologia – comportamentos violentos estão sim ligados à abusos na infância.

Pré-natal – Ainda no útero, nós estamos aprendendo sobre nosso ambiente (surpreendente)

O mais assustador: sabiam que TODOS os seres humanos nascem prematuros?
http://www.youtube.com/watch?v=4Z9WVZddH9w

Responder

Jô Freitas

27 de janeiro de 2011 às 13h01

Estou no Amazozonas. Hummmm uma ceveja geladinha num dia de calor… é o bicho. Adoro.

Responder

Hans Bintje

24 de janeiro de 2011 às 09h30

Conceição Lemes:

Neste verão, estou moendo quilos e quilos de malte de trigo para produzir Weissbier e distribuir para a "velha guarda".

Aviso: para produzir os efeitos desejados, NÃO ALTERE A RECEITA.

Receita de Weissbier: http://www.acervapaulista.com.br/witbier/index.ph

Responder

    mariazinha

    24 de janeiro de 2011 às 13h26

    Não entendi nada, caro. Poderia explicar melhor? Estou tão confusa com sua receita! Acho que ainda não bebi água o bastante, hoje.

    Hans Bintje

    26 de janeiro de 2011 às 17h08

    mariazinha:

    A receita é para a produção artesanal de cerveja de trigo clara.

    Eu descobri que existem leitores do Viomundo que também fazem cerveja em casa e compartilhei a receita com eles.

    Uma das coisas boas dessa receita é que a cerveja não é filtrada e as leveduras estão vivas e presentes na bebida. É como tomar aqueles comprimidos de levedo de cerveja na forma líquida.

    E o teor de álcool é propositadamente baixo sem sacrificar o sabor.

    A mania de cervejas de trigo na Bavária (Estado alemão) fez com que o governo estabelecesse durante séculos o monopólio de produção dessa bebida para que não faltasse matéria-prima para fazer pães.

    Isso caiu em desuso no século XIX com o surgimento de novas fontes de abastecimento de trigo e da popularização de cervejas de baixa fermentação, que usam apenas malte de cevada nas receitas.

    Mesmo que a gente ainda não seja da "velha guarda", num dia quente de verão, uma cerveja de trigo feita em casa é uma das bebidas mais gostosas, nutritivas e refrescantes que existem.

    Que o diga o pessoal da Bavária!

    mariazinha

    26 de janeiro de 2011 às 21h12

    Obrigada, Hans Bintje.
    Deve ser refrescante e saudável! Como não vou poder provar essa maravilha, resta-me tomar uma HEINEKEN, acha que vou envenenar-me? Achei-a refrescante.
    Grande abraço.

    Hans Bintje

    27 de janeiro de 2011 às 12h37

    mariazinha:

    Aprecie sua HEINEKEN, a gente aqui preserva a nossa Cultura e História.

    Explico ( http://cervejariabamberg.blogspot.com/2011/01/o-p… ):

    "A cerveja nesta região do mundo [o autor fala da Alemanha] está ligada a história e a cultura do país, temos mais de 1000 anos documentados sobre cerveja, ainda encontramos cerveja de baixa fermentação em fermentadores abertos, tripla decocção, muitos deles fabricam a receita do bisavô, sem se prender a livros de estilo de cerveja, mas incrivelmente a cerveja tá totalmente inserida dentro dos estilos, pois eles nasceram fazendo isto.

    Isto é o paraíso da cerveja. Esta é a nossa função a mais de 10 mil quilômetros de lá, dar alma a nossos produtos."

    mfs

    17 de março de 2012 às 21h13

    Eu prefiro vinho. Mas na quantidade certa, sem exagerar. Sozinho, eu acho que uma garrafa só é pouco, duas é bom, três é porrrque hojjje eu porrr enquanto ainda echtou de.. hic vagar…


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.