VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.

Protestos se espalham nos EUA; 700 ativistas presos em Nova York

02 de outubro de 2011 às 11h36

do Esquerda.Net

Mais de 700 manifestantes foram detidos neste sábado nos Estados Unidos, durante um protesto que bloqueou a ponte do Brooklyn, em Nova York, na 15ª jornada promovida pelo movimento Ocupar Wall Street, que mantém um acampamento no Zucotti Park, no centro de Manhattan.

A polícia alegou que não prendeu ninguém que se manteve no passeio, mas que os manifestantes foram para a estrada e assim bloquearam a ponte, o que é proibido. Mas os jovens dizem que foi a própria polícia que os conduziu e escoltou para a travessia rodoviária da ponte. Acusam, assim, a polícia de Nova York de tê-los conduzido a uma armadilha.

Os manifestantes levavam à frente um cartaz onde se podia ler “We the People” (Nós, o Povo), as primeiras palavras do preâmbulo da Constituição dos EUA. Quando começaram as prisões, os manifestantes reagiram gritando “O mundo inteiro está a ver”, em alusão ao live streaming pela Internet que estava a decorrer no momento.

Em seguida, sentaram-se no chão e gritaram “Let them go!” diante de todos os jovens, alguns visivelmente menores, que estavam sendo detidos. O protesto foi totalmente pacífico.

Segundo testemunhos citados pelo The New York Times, os detidos foram levados em dez veículos e libertados em seguida. Há denúncias que alguns deles foram agredidos. Todos foram algemados. Cerca de 3 mil pessoas terão participado na manifestação.

As manifestações ganhando cada vez mais peso nos EUA. Os “indignados” norte-americanos, que denunciam a injeção de dinheiro público para salvar os bancos e a corrupção do sistema financeiro, recebem a cada dia apoio público de intelectuais como Noam Chomsky, o documentarista Michael Moore ou a atriz Susan Sarandon. Houve manifestações também em Washington, São Francisco e Chicago. Já há um novo acampamento, desta vez em Boston, no Parque Dewey.

Leia também:

Marcos Coimbra: Serra resolveu virar cientista político

Bolívia: O papel do Brasil na rodovia da discórdia

Amy Goodman: Os 99% que ocuparam Wall Street

Urariano Mota: O dia em que o ex-servo virou Doutor na França

Emir Sader: Corvos e urubus

A ocupação da Praça da Liberdade, em Washington

Mauro Santayana: Uma semana de setembro

Esdras Oliveira: Os suicídios na Federal de Pernambuco

Luiz Cláudio Cunha: Histórias de tirar o sono

Alessio Rastani: Quem governa o mundo é a Goldman Sachs

 

112 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Carlos Cruz

03/10/2011 - 19h04

Gostaria de saber aonde está meu comentário de ontem…

Responder

José Manoel

03/10/2011 - 18h10

Eles, os norte-americanos, já causaram desgraça por todo o mundo! Deixem, agora, eles beberem do próprio veneno!!! Tomara que quebrem!!!!!

Responder

Mário SF Alves

03/10/2011 - 16h42

Rogério Floripa,
Deu erro. Parece que o arquivo dançou. Ainda assim, obrigado.

Responder

Roberto Locatelli

03/10/2011 - 11h56

Os movimentos que estão a ocorrer nos EUA e Europa são apenas as fumarolas de um vulcão que começa a acordar. Lá embaixo, uma quantidade gigantesca de magma aumenta a pressão sobre as camadas tectônicas.

Responder

Jose Bentes

03/10/2011 - 09h52

João PR · Perfeito, falou só tudo em poucas palavras.

Responder

Jope Bentes

03/10/2011 - 09h42

Puxa, finalmente o povão "americano" descobriu onde fica a boca,
antes, queriam porque queriam enfiar o "sorvete" na testa por não
saber onde se localiza a boca.

Responder

Renato

03/10/2011 - 08h06

Olhem, vivem em cuba. Dexa eu ganhar o meu dinheirinho em paz com o mercado financeiro. Poupei, não gastei o meu salário com bobagens e agora que formei um pequeno montante, querem que eu aplique em uma indústria ou empresa? Não sou empreendedor. APenas quero ganhar$$$. Me deixem em paz e vivem em Cuba. Mas cuidado se você for ao médico em Cuba com dor no peito e o mesmo diagnosticar Gastrite.

Responder

Gerson Pompeu

03/10/2011 - 07h14

Não seria o caso de a OTAN intervir?

Responder

    Mário SF Alves

    04/10/2011 - 14h21

    Gerson,
    Sim, mas primeiro temos de convocar o AAVAZ para colher assinaturas para pressionar a ONU para a aprovação da exclusão de espaço aéreo.

marcosomag

03/10/2011 - 07h03

Atenção, pessoal! Não são apenas as notícias sobre protestos nos EUA que estão sendo escondidas pela mídia corporativa. Neste momento, a Linha Amarela do Metrô de SP está parada, com todas as estações fechadas! No "Bom Dia SP", da TV Globo, a apresentadora Carla Vilhena deu a notícia rapidamente (menos de 10s no ar) sem nenhum destaque, e passaram a apresentar uma série de acidente automobilísticos do fim-de-semana para "encher lingüiça". Nada de questionar o governo dos tucanos sobre a pane na linha privatizada do Metrô paulistano.

Responder

Leonardo Câmara

03/10/2011 - 01h56

Parece que inimaginável aconteceu: a revolução chegou aos Estados Unidos da América.

Responder

FrancoAtirador

03/10/2011 - 01h28

.
.
The Occupy Wall Street Journal
Qui, 29 de Setembro de 2011 20:34

O movimento editará seu próprio jornal, para controlar sua própria notícia

DJ Pangburn

O movimento Occupy Wall Street anunciou hoje que iniciará a publicação de seu próprio jornal, para impedir que a imprensa-empresa (e os blogs-empresa) definam o movimento.
O movimento Occupy Wall Street anunciou que está construindo um projeto “Mídia de Rua Occupy Wall Street” através de Kickstarter.

O novo jornal receberá o nome de The Occupy Wall Street Journal.” (E vamos ver como o tirano em decadência Rupert Murdoch engole essa).

O projeto parece ter brotado da obsessão, na imprensa-empresa, de ignorar ou desqualificar o movimento e definir a mensagem do movimento, lá mesmo, nos confins de um estúdio de televisão-empresa, atrás de um daqueles balcões de noticiário.

O jornal terá inicialmente quatro páginas, para dar a conhecer o que é o movimento Occupy Wall Street e poder enunciar claramente à opinião pública os seus princípios e demandas. A primeira edição está ambiciosamente prevista para chegar às ruas com tiragem de 50 mil exemplares.

Como se lê na página de Kickstarter, “Explicamos as questões e o modo como a assembleia geral opera na Plaza Liberty. Também daremos orientações de como contribuir e alistar-se. A ênfase sempre será conteúdo de boa qualidade, design, imagem e arte que faça valer o humor, criando leitura estimulante.”
E acrescentam: “Projetos futuros incluem edições mais longas do jornal, panfletos, material para usar como propaganda e muito mais.”

A meta é levantar 12 mil dólares para financiar o projeto. Atualmente, o The Occupy Wall Street Journal está sendo financiado por 72 doadores (e muitos estão contribuindo de outros modos – como escrever essa matéria [e traduzi-la!]. Em meia hora, conseguimos mais 15 doadores, e algumas centenas de dólares.)

Como se lê no projeto, “se até domingo, 9/10, tivermos conseguido pelo menos 12 mil dólares, o jornal sairá exatamente como está planejado.”

Traduzido pela Vila Vudu

Responder

    Mário SF Alves

    03/10/2011 - 11h38

    Blindagem contra PIG?!! É. É um bom começo.

FrancoAtirador

03/10/2011 - 01h20

.
.
Nova York, EUA, 2 Out 2011 (AFP) – Apesar das 700 prisões no sábado pela interrupção do tráfego de uma ponte, os manifestantes que protestam em Nova York há mais de duas semanas contra o sistema financeiro e as práticas de Wall Street mantinham-se firmes neste domingo.

"Prendam um de nós e mais aparecerão. Somos uma legião, somos muitos", desafiava com um cartaz Robert Cammisos, preso brevemente durante a manifestação de sábado e liberado pela polícia por conta de seus problemas de saúde.

"Eu estava no grupo que foi detido. Estou sob medicação e por isso me deixaram ir embora. Suponho que eu era um problema para eles", afirma à AFP este homem de 49 anos, ex-trabalhador da construção civil e que participava do protesto pelo quinto dia seguido.

"Um monte de gente está de volta. Este é um grupo que não vai embora", afirmou Robert, apontando a movimentação ao seu redor e a multidão reunida em uma praza a 300 metros de Wall Street, onde os manifestantes estabeleceram sua base há duas semanas.

Neste domingo, havia mais de 700 pessoas na praça: alguns comiam em grandes mesas improvisadas e outros secavam suas roupas após as chuvas dos últimos dias. À tarde, como parte das atividades diárias do movimento, foram organizadas assembleias.

"É a primeira vez que venho. Desta vez estou pensando em ficar e passar a noite. Nunca fiz isso antes. Talvez esta noite o faça", conta, mostrando sua mochila, Zephyr Teachout, uma professora de Direito de 39 anos oriunda de Nova York.

"Espero que a pessão seja mantida. É um movimento livre, as pessoas sentem que podem participar do jeito que quiserem", explica a professora, admitindo que é "pouco provável" que sejam conseguidas as mudanças exigidas no sistema financeiro, mas que "vale a pena tentar".

A convocação para "ocupar Wall Street" foi lançada pelo movimento anarquista Adbusters e outros grupos de esquerda por meio da internet.

Centenas de cartazes escritos à mão podiam ser vistos em um dos lados da praça com os dizeres: "não seja tímido, una-se a nós" e "banqueiros de Hitler – Wall Street".

Neste sábado, em Boston (nordeste), um total de 24 pessoas foram presas durante uma manifestação pacífica em frente aos escritórios centrais do Bank of America.

A coalizão de grupos civis que organizou o protesto, Right to the City, disse que convocaram a manifestação para protestar contra a avareza das corporações e para que os bancos detenham as execuções hipotecárias.

AFP

Responder

SILOÉ-RJ

03/10/2011 - 00h41

E a policia cvilizada de lá como mostra o segundo vídio covardemente encurralaram e atacaram só as mulheres. VERGONHOSO E AVILTANTE, UM HORROR!!!

Responder

SILOÉ-RJ

03/10/2011 - 00h17

É o feitiço virando contra os feiticeiros da economia mundial. haja pajelança para segurar essa onda, como já disse antes:
EUA A PRAÇA TAHRIR AGORA É AÍ!!!!
Bem que o PIG e o CANSEI PARTY fizeram de tudo para que fosse aqui, TADINHOS. Pior que ainda tem convocação em andamento, PODE???
Sugiro que pintem e doem as VASSOURAS. símbolo de mais uma tentativa fracassada.

Responder

    Mário SF Alves

    03/10/2011 - 11h48

    Talvez, Siloé, o mais apropriado mesmo seja montarem nas tais vassouras e irem faxinar a casa do Tio Sam. Aliás, exemplo é o que não lhes falta. Lembra do mentor do golpe de 64, Gol(pe)bery do Couto e Silva? Pois é, era considerado o bruxo do regime. Vassoura… bruxo…, entendeu, né?

ZePovinho

02/10/2011 - 23h26

Enquanto isso,podemos dizer para os EUA:"Sorry,Periferia"……………………………………….

De volta ao desenvolvimentismo
Enviado por luisnassif, dom, 02/10/2011 – 23:03
Autor:
Luiz Carlos Bresser-Pereira
Por droubi

Luiz Carlos Bresser-Pereira
Folha de S.Paulo, 26.09.11

O Brasil está voltando a se
comportar como nação
independente ao perceber o
equívoco do neoliberalismo

Desde 1991 a política econômica do Brasil se pautava pelo ortodoxia convencional
ou o consenso de Washington. A partir, porém, de 2006, já com Guido Mantega no
Ministério da Fazenda e Luciano Coutinho no BNDES, o governo Lula começou a
mudar a estratégia de desenvolvimento em direção ao novo desenvolvimentismo.
Em 2009 um passo decisivo nesse sentido foi dado com o início do controle da
entrada de capitais. Agora, no nono mês do governo Dilma Rousseff, a decisão do
Banco Central de baixar a taxa de juros, surpreendendo o mercado financeiro, e a
decisão do governo de taxar a importação de automóveis com menos de 35% de
conteúdo nacional consolidam essa mudança.
O aprofundamento da crise mundial tendo a Europa como epicentro e o
desaquecimento da economia brasileira confirmam a boa qualidade da decisão.
O novo desenvolvimentismo não é uma panaceia, mas está ancorado teoricamente
em uma macroeconomia estruturalista do desenvolvimento, tem como critério o
interesse nacional, e sabe que este só pode ser atendido por governantes que em vez
de aplicarem fórmulas prontas avaliam cada problema e cada política com
competência. Adotado com firmeza e prudência, o Brasil crescerá a taxas mais
elevadas, com maior estabilidade financeira, e com a inflação sob controle.
Enquanto o tripé ortodoxo é "taxa de juros elevada, taxa de câmbio sobreapreciada,
e Estado mínimo", o tripé novo-desenvolvimentista é "taxa de juros baixa, taxa de
câmbio de equilíbrio, que torna competitivas as empresas industriais que usam
tecnologia moderna, e papel estratégico para o Estado".
Enquanto para a ortodoxia convencional os mercados financeiros são
autorregulados, para o novo desenvolvimentismo apenas mercados regulados podem
garantir estabilidade e crescimento.
Novo desenvolvimentismo e ortodoxia convencional defendem a responsabilidade
fiscal, mas o mesmo não pode ser dito em relação à responsabilidade cambial.
Enquanto o novo desenvolvimentismo rejeita os deficits em conta corrente, a
ortodoxia convencional os promove, e, assim, se comporta de maneira populista
(populismo cambial).
Argumenta que a "poupança externa" aumentaria o investimento do país, mas, as
entradas de capitais para financiar esses deficits aumentam mais o consumo do que o
investimento, endividam o país, o tornam dependente do credores e de seus
"conselhos", e resultam em crise de balanço de pagamentos.
O Brasil, ao retornar ao novo desenvolvimentismo, está voltando a se comportar
como uma nação independente. Havia deixado de agir assim em 1991, porque vivia
profunda crise, e porque a hegemonia neoliberal americana sobre todo o mundo era,
então, quase irresistível.
Mas desde meados da década passada a sociedade brasileira começou a perceber que
o projeto neoliberal era um grande equívoco, e que havia uma alternativa para ele.
Como a crise financeira global de 2008 demonstrou de maneira cabal, as políticas
econômicas neoliberais não eram boas nem mesmo para os países ricos.
Dessa maneira, a hegemonia neoliberal entrou em colapso, e as forças
desenvolvimentistas -os empresários industriais, os trabalhadores e uma parcela da
classe profissional- fortaleceram-se, o que abriu espaço para que o governo Dilma
aprofundasse seus compromissos para com elas. Um novo e amplo pacto político
está se formando no Brasil. Vamos esperar que leve o Brasil mais depressa para o
desenvolvimento.

[youtube EZtNpPCqV1s http://www.youtube.com/watch?v=EZtNpPCqV1s youtube]

Responder

    ZePovinho

    02/10/2011 - 23h30

    De leve………………………….

    Mário SF Alves

    03/10/2011 - 11h51

    Ótima lembrança, ZePovinho. E por essa o Luiz Carlos Bresser-Pereira renasceu politicamente. Bom, pelo menos para mim.
    Abs.,
    Mário.

FrancoAtirador

02/10/2011 - 22h55

.
.
Protestos chegam a Washington DC

Um grupo de ativistas se reuniu neste sábado em Washington para levar à capital americana os protestos contra Wall Street e o Congresso, que começaram em Nova York e estão se espalhando para outras cidades. "Pedimos a detenção do presidente do Federal Reserve (FED, Banco Central), Ben Bernanke, por todo dinheiro que ele usou dos cidadãos para salvar os bancos", disse à EFE um veterano ativista que usou um codinome para se identificar.

As manifestações demonstram a insatisfação de grupos importantes para a reeleição de Barack Obama: jovens, minorias, sindicatos e mulheres.

Nesta sexta, em Massachusetts, a polícia deteve 12 pessoas entre três mil manifestantes que ocuparam por alguns instantes escritórios do Bank of America, em Boston.

Os protestantes declararam solidariedade às centenas de pessoas que ocupam um parque em Manhattan para reclamar contra o socorro do sistema financeiro do país.

Em San Francisco, centenas de pessoas também se uniram ao movimento, chamado de Occupy Wall Street, e protestaram em frente aos escritórios de uma filial do Chase Bank. Seis pessoas foram detidas.

"O governo inteiro deveria fechar. O Congresso quer cortar os fundos do seguro social. Isso não são privilégios, são um direito do povo", afirmou o ativista à EFE.

A diretora de uma organização civil em Boston, Rachel LaForest, disse que as manifestações são contra "a avareza e os empréstimos usurários dos bancos e o aumento das execuções hipotecárias nas comunidades urbanas".

O presidente da central sindical americana, Richard Trumka, afirmou que "Wall Street está fora de controle e às vezes o único recurso é protestar na rua".

O dirigente estará na próxima semana em Washington para se reunir com democratas e líderes políticos para discutir a elaboração das diretrizes do grupo "American dream", aliança de organizações progressistas que pretende se opor ao conservador movimento Tea Party.

EFE via TERRA

Responder

FrancoAtirador

02/10/2011 - 22h46

.
.
QUADRILHA DE WALL STREET BLOQUEIA E-MAILs

Yahoo se desculpa por bloqueio a emails contra Wall Street

O Yahoo pediu desculpas na segunda-feira (19/09) depois que usuários foram impedidos de enviar mensagens sobre o protesto contra Wall Street no fim de semana.

Muitos usuários do serviço de email reportaram que, ao tentar enviar uma mensagem sobre a ocupação perto de Wall Street, em Nova York, para protestar contra a cobiça, a corrupção e os cortes orçamentários nos Estados Unidos, um aviso dizia que o email não havia sido enviado pois uma "atividade suspeita" havia sido detectada.

As informações são do site da rede de TV americana CBS.

Segundo o Yahoo, um filtro de spam externo foi o responsável pelo bloqueio das mensagens.

A empresa disse que o bloqueio foi inadvertido e que o problema foi resolvido.

Um porta-voz da companhia afirmou que tomou conhecimento do problema no domingo, e que não bloqueou propositadamente as mensagens.

A convocação para "ocupar Wall Street" foi feita pelo movimento anarquista Adbusters e outros grupos de esquerda pela internet, mas a polícia organizou uma grande operação e bloqueou as ruas próximas à Bolsa de Nova York, no sul de Manhattan, o que forçou os jovens a buscar outro lugar.

Assim, os manifestantes passaram a primeira noite acampados em Trinity Place, a 300 metros de Wall Street.

http://tecnologia.terra.com.br/noticias/0,,OI5361…

Responder

Pitagoras

02/10/2011 - 21h04

Hoje somos todos ocupantes!

Pena de morte para os assassinos financeiros e suas empresas. Afinal não querem todos os bônus da pessoa jurídica? Que também assumam os ônus!

Responder

    Mário SF Alves

    03/10/2011 - 12h00

    Não, Pitágoras. Só lhes interessa mesmo os bônus. E vão definhar ainda mais por conta dsso!

Eduardo Raio X

02/10/2011 - 20h38

Essas entre muitas outras manifestação vai acontecer daqui para frente, pouco a pouco o mundo vai se dando conta da terrível ameaça que paira sobre todos os países do mundo inclusive o USA diante desses ladrões e bandidos das bancas financeiras que rouba e destrói o trabalho e o patrimônio do povo. Seus planos de solapar e dilapidar faz parte de um jogada sórdida para ter lucros fáceis sem precisar trabalhar e produzir a não ser especulando malandramente. E aqui no Brasil com S tem fãs ardorosos desse tipo de expediente do vale tudo para corromper e afanar nossas riquezas, patrimônio e propriedades dando na bacia das almas para esse bandoleiros de fino trato que veste black tie em suas festas para comemorar o espólio quem são eles??? PSDBusiness e companhia limitada!

Responder

Protestos se espalham nos EUA; 700 ativistas presos em Nova York | OCOMPRIMIDO.COM

02/10/2011 - 20h25

[…] notícia editada do Esquerda.NET, retirado do VioMundo. Armadilha em Brooklyn? Mais de 700 manifestantes foram detidos neste sábado nos Estados Unidos, […]

Responder

Conservador316

02/10/2011 - 19h45

"…que denunciam a injeção de dinheiro público para salvar os bancos"
A esquerda é favorável à presença do estado, intervindo na economia.
Os conservadores foram contra essa ajuda do governo aos bancos.
O movimento Tea Party protestou contra essa ajuda.
Ou seja, no fundo esses jovens estão sendo conservadores.

Responder

    luiz pinheiro

    02/10/2011 - 21h27

    Quem não deseja solucionar esforça-se para confundir.

    cronopio

    06/10/2011 - 11h44

    O Tom Zé fez o retrato cuspido e escarrado dessa direita brasileira, saudosa da ditadura:

    Tô bem de baixo prá poder subir
    Tô bem de cima prá poder cair
    Tô dividindo prá poder sobrar
    Desperdiçando prá poder faltar
    Devagarinho prá poder caber
    Bem de leve prá não perdoar
    Tô estudando prá saber ignorar
    Eu tô aqui comendo para vomitar
    Eu tô te explicando
    Prá te confundir
    Eu tô te confundindo
    Prá te esclarecer
    Tô iluminado
    Prá poder cegar
    Tô ficando cego
    Prá poder guiar
    Suavemente prá poder rasgar
    Olho fechado prá te ver melhor
    Com alegria prá poder chorar
    Desesperado prá ter paciência
    Carinhoso prá poder ferir
    Lentamente prá não atrasar
    Atrás da vida prá poder morrer
    Eu tô me despedindo prá poder voltar

    link no youtube: http://www.youtube.com/watch?feature=player_embed

Leonardo

02/10/2011 - 19h31

Ou insistimos em denunciar essa ditadura ou poderá ser tarde demais!
É essa a terra da liberdade de oportunidades e da liberdade de expressão e manifestação?
O que vai acontecer se o tal Tea Party chegar ao poder?
Quem será o próximo tirano a governar essa tal América?

Responder

Leonardo

02/10/2011 - 19h25

O pesadelo da ditadura capitalista norte-americana.
Enquanto isso, há governos por aqui já profissionais em tecnologias de repressão.

Responder

Polengo

02/10/2011 - 18h47

Ué, lá a polícia é que nem a do serra?
Será que eles batem em professores também?
Que conicidência!

Responder

Jason

02/10/2011 - 18h30

O que pude notar no primeiro vídeo é que os manifestantes lá são mais civilizados que os daqui. Lá poucos policiais ficam em frente dos manifestantes e ainda dão as costas para eles e não são agredidos, se fosse aqui os policiais eram mortos e ainda lhe arrancavam as cabeças. Esse site que é de esquerda pode aprender muito com aqueles manifestantes, aprendendo a se manifestarem como eles não como animais que são.

Responder

    Abel

    02/10/2011 - 22h09

    Você não viu a polícia do PSDB contra a polícia do PSDB em Sampa? Acha que aquilo é exemplo de civilidade?

    Rodriguez

    03/10/2011 - 00h17

    calma jason, não vá usar a serra elétrica

    luiz pinheiro

    03/10/2011 - 17h23

    Em que Brasil voce vive, Jason? Onde fica esse Brasil infestado por manifestantes de esquerda que além de matar ainda arrancam as cabeças dos policiais?

Vlad

02/10/2011 - 18h28

Bah…pode escrever, lá vem os yankees fazer guerra de novo…já, já.
Eleições em um ano.
Obama na m…
Sem apoio nem grana pra campanha.

Ai meu Deus…a profecia Maia!!!

Responder

    Fran

    03/10/2011 - 00h32

    vixe,é isso!vc descifrou a profecia dos Maias,rapaz!Vai ser um pesadelo se o tea party ganhar,pqp!

luiz pinheiro

02/10/2011 - 18h22

Alguém precisa advertir o "regime" americano que a "comunidade internacional" não permite que governos façam isso com "o seu próprio povo".

Responder

Thomaz Magalhães

02/10/2011 - 16h41

Parece assembleia da UNE na novela Amor e Revolução do SBT.

Responder

alex

02/10/2011 - 15h56

PLAYBOYS FRITAM E ESQUARTEJAM PESSOAS NO TRÂNSITO (3)
O IDIOTA DO PAPAI

(Os 'papis' merecem um parágrafo à parte. Como é que alguém dá de presente para um menino de 18 ou 19 anos um Camaro de sei lá quantas centenas de mil reais? Porra, ninguém sabe o que é ter alguma dificuldade na porra da vida? Começar por baixo? Andar de ônibus de vez em quando? Ter um primeiro carrinho pequeno, modesto, baratinho? Cuidar dele, lavar aos sábados, passar uma cerinha? Será que um idiota de 40 e poucos anos, os da minha geração que hoje são pais, não percebe que um menino de 20 não tem a menor capacidade mental para dirigir um carro desses?

Será que um idiota da minha geração não percebe que dar um Camaro para um moleque de 20 anos é estragar sua vida, criar um monstro? Será que um idiota da minha geração não percebe que se seu filho sai de casa à noite e volta ao amanhecer está fazendo merda em algum canto? E que a chance de fazer uma merda enorme com um carro de 500 cavalos é ainda maior? Minha geração é uma bosta.)
Mas enquanto isso não acontecer, enquanto não esfolarem as finanças dos papais de filhinhos que saem matando por aí, as autoridades de trânsito do Brasil poderiam fazer alguma coisa imediata. Como, por exemplo, exigir uma carteira de motorista especial para dirigir carros com mais de 100 (eram 200 no texto original, acabei de baixar) cavalos de potência.

Exigir dos compradores desses automóveis que só servem para exibição de masculinidade exames psicotécnicos, atestados de bom-comportamento, histórico escolar, idade mínima. Além de cursos de direção, se possível caríssimos, e prestação de serviços voluntários em hospitais que atendem vítimas de acidentes por seis meses antes de sentar a bunda num negócio desses e colocá-lo nas ruas.

Moro ao lado de uma das avenidas mais movimentadas de São Paulo, num trecho sem radares. Da minha janela, de madrugada, vejo verdadeiros animais motorizados compensando as diminutas dimensões de seus falos enfiando o pé no acelerador desses carros, ou torcendo o pulso na manopla direita de motocicletas suicidas.

Torço para que todos morram fritos e esquartejados, o que acontece às vezes com os motoqueiros, mas menos com os outros protegidos por airbags e bons advogados. Esses não morrem, matam.

FONTE: http://colunistas.ig.com.br/flaviogomes/

Responder

alex

02/10/2011 - 15h53

PLAYBOYS FRITAM E ESQUARTEJAM PESSOAS NO TRÂNSITO (2)

A BONITINHA DO LAND ROVER

Eles saem nas baladas, bebem, enchem a cara de energético com uísque, tomam todo tipo de bola e saem pela madrugada, ou pela manhã, porque é cada vez mais normal balada acabar em horário comercial, armados para destruir as vidas de outras pessoas que não têm supermáquinas, que trabalham e pegam ônibus ao amanhecer, ou estão na rua de madrugada para fazer entregas, ou estão voltando para casa.
Os casos recentes são numerosos.

Teve o cara do Porsche que matou a menina numa Tucson no Itaim, o doido do ABC de cuecas com um Camaro preto, o deputadinho assassino do Paraná, a bonitinha da Land Rover na Vila Madalena, o carniceiro das bicicletas em Porto Alegre, e agora esse fedelho de 19 anos num Camaro vermelho que bateu em não sei quantos carros, feriu seis pessoas, um deles com 90% do corpo queimado dentro de uma Chana, ou Towner, uma dessas, que estava indo ao trabalho na Zona Norte.

Aconteceu pela manhã. O moleque de 19 anos tinha saído de uma balada às 6 da matina. A foto abaixo, do Camaro destruído, é de Mário Ângelo, da Agência Estado.

Ninguém se fode verdadeiramente quando causa esses acidentes. É uma distorção das leis brasileiras, que deveriam enjaular essa gente e cobrar de suas famílias indenizações milionárias para as vítimas.

Se o papi desse moleque tivesse de vender sua casa no Jardim Acapulco, ou o apartamento de vinte zilhões na Vila Nova Conceição, para pagar as vítimas, no dia seguinte todos os papis milionários trocariam os supercarros de seus molequinhos por Celtas e Corsas.

Responder

alex

02/10/2011 - 15h52

PLAYBOYS FRITAM E ESQUARTEJAM PESSOAS NO TRÂNSITO (1)

CARNE MOÍDA
Não aprendemos a dirigir nas velocidades que esses novos supercarros atingem, entre outras coisas porque elas não são permitidas no Brasil. A 100 km/h as pessoas já se embananam todas. O que se faz de cagada no trânsito brasileiro é algo monumental. Todos se acham grandes motoristas. Quando enfiam 150 ou 180 km/h numa estrada reta, se acham pilotos, também. São uns babacas.
A imensa maioria dos motoristas brasileiros não tem a menor noção de nada, porque não se ensina a dirigir no Brasil. Se ensina a tirar carta de motorista, o que é bem diferente. São muito comuns as legiões de idiotas que pegam suas motos importadas e saem a quase 300 km/h pelas estradas paulistas e sei lá mais onde. Adoro quando um desses toma um tombo e vira carne moída.
O Brasil vive um momento econômico de prosperidade e fartura. Com ele começaram a ser importadas supermáquinas como os Audi citados, e mais Lamborghinis, Ferraris, Camaros, Mustangs, Porsches, Corvettes, Vipers e a puta que o pariu. Tudo com 300, 400, 500 cavalos. Começo a ter saudades das carroças lerdas do Collor. Eram inofensivas. Esses novos símbolos de riqueza e virilidade estão caindo nas mãos de outra legião de idiotas, a dos filhinhos-de-papai de pinto pequeno que acham que vão comer meninas de unhas vermelhas com seus carrões.

Responder

alex

02/10/2011 - 15h51

Olá, Azenha … desculpe colocar esta sugestão aqui. Mas achei muito pertinente o tema. A molecada tá morrendo no trânsito e mantando muita gente!

PLAYBOYS FRITAM E ESQUARTEJAM PESSOAS NO TRÂNSITO (1)

“JÁ DEU” , do Blog Flavio Gomes

Semanas atrás a Audi me convidou para andar com alguns carros na pista da Fazenda Capuava, em Indaiatuba. Dirigi um TTS, um RS5 e um R8. São supercarros, velocíssimos, muito potentes, têm um torque inacreditável, freiam absurdamente. São carros de corrida vendidos para “civis”. Só dá para entender tudo que eles fazem numa pista. Só.

Já tinha guiado carros rápidos, principalmente na Europa. Uma vez o Zé Mariante, colega que cobria F-1, ganhou num sorteio um Porsche para ficar durante um fim de semana de corrida em Hockenheim. Numa autobahn qualquer, em trecho com velocidade liberada, chegamos a 240 km/h. Com segurança, mas com o cu na mão. Poucos segundos, só para bater recorde pessoal, e depois velocidade normal.Twitter

Por quê? Por que somos bundões? Não. Porque não somos treinados para guiar a 240 km/h. As noções de espaço e tempo são diferentes de qualquer coisa que tenhamos experimentado com rodas e volante em nossas vidas pregressas. Distâncias de frenagem, reações nas curvas, mudança de faixa, tudo fica diferente. Eu fiz autoescola de Fusca. Meu primeiro carro foi um Gol a ar 1.6. Como posso me achar preparado para acelerar um Porsche a mais de 200 km/h?

Tenho muitas multas. A imensa maioria de estacionamento sem cartão da Zona Azul, rodízio (uma estupidez, porque tenho carros com vários finais de placa) e celular. Por excesso de velocidade, a última foi por passar a 64 km/h numa ponte onde o limite era de 60 km/h. Sou um bom motorista, minha chance de fazer merda é muito pequena, mas meio burro.
FONTE: http://colunistas.ig.com.br/flaviogomes/

Responder

    José Manoel

    03/10/2011 - 18h08

    Perfeita colocação, Alex!!! Atingiu o ponto!!!!!

Pedro Luiz Paredes

02/10/2011 - 15h30

É a maior democracia do mundo!

Responder

jaime

02/10/2011 - 15h12

Aêêêêêê!! Nada como um dia após o outro. Os que vieram aqui ensinar como se matava e torturava em nome da ?!maior democracia do mundo?! deverão saber o que fazer agora.
E lembrar que a era Klinton foi ontem, uma fase de prosperidade como nunca haviam tido.
Bom, é como se dizia: depois do Ronald Reagan, o Ronald Golias…

Responder

Francisco

02/10/2011 - 15h02

Esses comunistas…

Responder

vera oliveria

02/10/2011 - 14h40

o mundo inteiro também viu os palestinos sendo invadidos,mortos pelos israelelenses, apoiados pelos americanos,e ninguem nunca ocupou walt street…agora a água bate na …..eles querem que o mundo os vejam,alguem tem que jogar isso na caras deles agora

Responder

FrancoAtirador

02/10/2011 - 14h28

.
.
REPRESSÃO POLICIAL EM NOVA IORQUE: TOLERÂNCIA ZERO COM NEGROS

Predileção da Polícia novaiorquina é por bater em negros e mulatos.

Alguns dos manifestantes denunciaram a força da polícia.

"Eu não sei porquê, mas durante a manifestação, eles pegaram seus bastões e começaram a bater nas pessoas que estavam à beira da ponte.

Todos os negros e mulatos, automaticamente, eram jogados ao chão.

Além disso, quem usasse um lenço cobrindo o rosto ou mesmo se fizesse o sinal de paz e amor,
teve o mesmo destino ", explicou David Cancino, um dos manifestantes.
.
.
QUALQUER SEMELHANÇA COM A POLÍCIA BRASILEIRA NÃO É COINCIDÊNCIA

http://es.euronews.net/2011/10/02/la-indignacion-
.
.

Responder

Julio Silveira

02/10/2011 - 14h21

Alguns oportunistas retrógrados poderão dizer: – viu, o que dá a democracia.
Para esses o que se pode dizer é que a democracia de fato está querendo emergir. Tivemos, em todo mundo, num estado de direito em que os oportunistas aproveitavam os espaços de imperfeição deste sistema para oprimir e resguardar seus podres poderes.
Mas como tudo na vida e aprendizagem, também o povo aprende, custa tempo, mas aprende a identificar e a corrigir seus caminhos. E, volto a dizer, a democracia é o único instrumento, imperfeito, que pode se auto corrigir por que é o único que pode nivelar no mesmo patamar politico homens ricos e pobres.
Quando a maioria entender que espelhos e apitos já não lhes bastam a democracia poder e se converter num instrumento, de fato, de transformação. Eu acredito nela com toda a força, e na sua aplicação em todas as esferas sociais, para isso é só o homem utilizar aquilo que o diferência dos demais seres da terra e pensar as soluções.

Responder

João PR

02/10/2011 - 14h20

O feitiço virou contra o feiticeiro.
De tanto falar o discursozinho medíocre de "levar a democracia a outros povos" (Irâ, Afeganistão, entre outros) para justificar suas guerras por motivos econômicos (petróleo, por exemplo) parece que os habitantes das terras do tio sam aprenderam: agora querem democracia lá também!!!!
Morro, e não vejo tudo.

Responder

marcus ramalho

02/10/2011 - 13h51

Se fosse no Brasil o PIG estaria com link ao vivo, e com um bocado de especialistas ao vivo.

Responder

Marat

02/10/2011 - 13h47

Daqui a pouco a Sarah Parva virá ministrar umas palestrar, para convidá-los a superar o PFL e ir para a extrema direita. Que papel deprimente faz o FHC. Se houvesse vida após a morte, Franco Montoro, Severo Gomes, e até Mário Covas ficariam muito tristes com a situação dos tucanos, querendo alçar vôo com a águia com alma de urubú…

Responder

    Silvio I

    02/10/2011 - 14h40

    Marat:
    Muito bem lembrado, Franco Montoro um individuo honesto, apenas que errou ao colocar a Cerra na secretária, e este conseguiu entrar pobre e sair rico. Quanta saudade! Deixou caixa depois de ter recebido o governo do cafanhoto Maluf. Isso deu possibilidade a Quércia, fazer todas as estradas vicinais, que fez no estado.

    Marat

    02/10/2011 - 16h58

    Prezado Sílvio, em minhas conversas com tucanos menos radicais, costumo lembrar-lhes, muito polidamente, que quase todos os tucanos bons estão mortos… Abraços

    P A U L O P.

    02/10/2011 - 16h36

    urubú… ou avestruz

Raccoon

02/10/2011 - 13h42

Aqui no Brasil 20.000 protestam contra a corrupção e dizem que é uma quantidade inexpressiva. Lá 3.0000 se juntam e é o começo da revolução mundial, onde está Nelson Rodrigues?

Responder

    Silvio I

    02/10/2011 - 14h48

    Raccoon:
    Temos-nos que pensar um pouco como se chegou a esse número. Você viu que foi feito no Sete de setembro. Dia que tive um desfile militar.E que terminado esse desfile todo o pessoal que concorreu a esse ato patriótico, se encontravam no mesmo loca,l onde se fazia esse protesto? Bom será interessante ver quantos vai a concorrer o dia 12 de outubro. Temos um problema, ai também em uma de essas, coincide com algum ato, por ser o dia da raça.

    Fran

    02/10/2011 - 15h42

    20 000 só no dia 7 de setembro e em Brasilia engrossada plo povo q foram vero desfile e mais a propaganda da grande mídia por trás.Comparação sofrível!

    Cesar Constantino

    02/10/2011 - 16h43

    Aprenda a contar! N Brasil, são 2 mil e apenas 2 mil numa marchinha "contra" a ciorrupção (mas nunca contra os corruptores).

    yacov

    02/10/2011 - 17h26

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK…

    "O BRASIL PARA TODOS não passa na glOBo – O que passa na glOBo é um braZil para TOLOS"

    El Gordo

    03/10/2011 - 00h06

    Simples – aqui é contra os corruptos. Lá é contra os CORRUPTORES.

    Ainda chegaremos lá um dia.

    SILOÉ-RJ

    03/10/2011 - 02h04

    Aonde teve 20.000, em Brasíla???
    Se tirar o povo que foi ver a parada sobra meia dúzia de gatos pingados do "CANSEI PARTY".

    Mário SF Alves

    03/10/2011 - 11h36

    Nelson está onde sempre esteve: "toda unaminidade é burra". A começar pela unanimidade do PIG!

Roberto Locatelli

02/10/2011 - 13h40

Sensacional!! O povo dos EUA está começando a acordar de sua hipnose.

Há dois movimentos por lá: um de extrema-direita, o Tea Party, que propõe uma solução no estilo neo-nazi: todo poder ao mercado, que morram os pobres e negros. É um movimento no qual os seguidores são irracionais, mas os líderes são espertalhões e estão ganhando muito dinheiro de banqueiros e da indústria armamentista.

O outro movimento é o do povo dos EUA (We, the people…) começando a perceber que, a continuar no mesmo rumo, o destino é a fome a miséria. A sociedade civil está fervilhando de questionamentos, debates e um lampejo de consciência política.

Responder

    Mário SF Alves

    03/10/2011 - 12h14

    Pera aí, Roberto. Em sendo assim, como você disse, e a prevalescer o ideário "político" neo-nazi do Tea, os EUA iriam a total bancarrota, não iriam? E isso seria ruim, cara?
    Desculpe-me. Estou apenas brincando. Sei bem o que você disse. De fato, a prevalescerem soluções tipo Tea Party, ou a continuarem no mesmo rumo, o destino é a fome e a miséria (e a humilhação).

    Roberto Locatelli

    03/10/2011 - 12h29

    Olha, Mário, seria ruim, sim. Não sou a favor que pessoas passem fome, fiquem na miséria. Vingança não constroi o futuro.

    O fato de que o parto de um novo mundo seja com dor não deve nos fazer torcer para que haja dor.

    Mário SF Alves

    03/10/2011 - 14h57

    Entendi, Roberto. Concordo inteiramente com você. A bem da verdade, sou cristão desde bem antes de Cristo.
    Abs.,
    Mário.

luiz

02/10/2011 - 13h38

A democracia americana é de faxada.

Responder

Marat

02/10/2011 - 13h18

Fidel tinha razão…é capaz dos EEUU caírem primeiro que Cuba!

Responder

    Pitagoras

    02/10/2011 - 21h17

    Hehehe…

    Mário SF Alves

    03/10/2011 - 11h58

    Amém!

    Roberto Locatelli

    03/10/2011 - 12h30

    E vão cair mesmo. O capitalismo é autofágico…

    José Manoel

    03/10/2011 - 18h13

    hahahahahahah!!!!! Pior……. que sim!!!!!

Marat

02/10/2011 - 13h17

Será que podemos chamar esse movimento de "Primavera Estadunidense"?

Responder

    Mário SF Alves

    03/10/2011 - 16h41

    Melhor ainda seria ver o PIG tupiniquim responder a isso!

    Marat

    03/10/2011 - 22h35

    Para isso, Mário, precisaria haver uma Primavera Pigueana. Mas o inverno deles é longo… Abraços!

    Mário SF Alves

    04/10/2011 - 14h08

    É… Marat, tem razão. Longo demais, estão hibernando há quinhentos anos! Deviam adotar o urso como mascote.

Antonio

02/10/2011 - 13h00

Vocês acham que a extrema direita que faz guerra onde quer, que mata de bomba, de tiro, de fome, que diz preservar a democracia no mundo ia deixar uma manifestação desse tipo passar em branco? Ainda mais contra a política do governo para com os bancos, que são um dos poderes instituídos e autônomos nos países?

Responder

Vavá

02/10/2011 - 12h45

Fazer protesto contra o governo ou o "sistema" em NYC é mole. Quero ver fazer é em havana ou Pyongyang.

Responder

    zwca

    02/10/2011 - 14h15

    Ora essa… E por que alguém protestaria contra a minoria rica, num mar de miséria, se não há minoria rica nem em Cuba nem em Pyongyang?! Acorde, Vavá! A Guerra Fria acabou! Sabias não?! [kkkkkkkkkk]

    Não é inacreditável a arrogância desses velhotes viúvos da Guerra Fria?! Não viram o mundo mudar, mas ainda se acham muito entendidos. A Internet ajuda a desentocar esses velhotes e velhotas. OK. Eles também têm direito de falar. Por que seriam proibidos de falar, não é? Quem passa vergonha, afinal, são eles mesmos.

    Vavá

    02/10/2011 - 16h07

    Claro que não, deve ser por isso que a maioria se atraca com tubarões no caribe, fugindo do paraíso.

    Junior

    02/10/2011 - 16h43

    Voce não sabe o significado do conceito de maioria porque deves fazer parte de uma minoria neste país que ainda beneficia os que pensam como ti. Muito menos deves saber o que significa maioria em "Cuba" palavra que só ouvistes falar pela voz do estamento midiático. Pergunto-te o que fazes por aqui destilando velhas ideologias neste site que muito aprecio. E sobre o que comentas no outro post não conheces também nada da democracia americana. Como acredito que toda crítica deve ser construtiva, sugiro-te a leitura de O Império de Antônio Negri, a menos que estejas ocupado lendo o espelho de tuas opiniões na Veja.

    Silvio I

    02/10/2011 - 18h02

    Vava:
    Recomendo a você ler um livro de Fernando Moraes que tem o título de Os Últimos Soldados da Guerra Fria. E muito provável que refresques a cabeça, e penses um pouco melhor sobre Cuba, e ver quanto tempo tem estado com os olhos fechados. E sô escutando uma parte interessada no assunto.

    Leider_Lincoln

    02/10/2011 - 19h30

    Você é um otimista! Recomendar um livro?!? No limite algum documentário dublado, não legendado…

    Roberto Locatelli

    02/10/2011 - 19h39

    Essa foi na mosca, Leider!

    Vavá

    03/10/2011 - 08h45

    Que bonitinho, parece um ewok.

    Renato

    03/10/2011 - 08h21

    Quem? Fernando Moraes? não vou falar nada.
    Como dizia Jânio Quadros, "O senhor acaba de querer citar as Escrituras valendo-se de Asmodeu ou de Satanás”.

    José Manoel

    03/10/2011 - 18h05

    Essa sua resposta é típica de quem não conhece nada ou não quer conhecer!!!!!

    Silvio I

    02/10/2011 - 14h31

    Vavá:
    Você faz leitura de noticias por quilo. Compra jornal e revistas velhas, e se inteira de todo o que passa no mundo.Cuba e o único pais de América que não tem meninos, pedindo esmola nem dormindo na rua.Cuba tem uma saúde bem estruturada .A mortalidade infantil e umas das menores do mundo.Que e pobre muito certo, mais você não conta, com o bloqueio criminoso dos EUA.Si não fosse isso Cuba era um pais florescente, que teria muito para ensina ao mundo.

    SILOÉ-RJ

    02/10/2011 - 23h47

    Falou e disse, Silvio.

    Renato

    03/10/2011 - 08h07

    Silvio, você esteve em Cuba? Ou você fala isso pois o Azenha, PHA , o PT e seu antigo professor de História falaram isso para você?

    Mário SF Alves

    03/10/2011 - 11h30

    E, mais… Cuba é uma ilhazinha deste tamaninho. Porém, uma ilhazinha deste tamaninho que ousou enfrentar o furor, a ira, a grana, o terror, o boicote e a ideologia do Tio Sam. Uma ilhazinha deste tamaninho que ousou tentar construir sua própria história. Imaginemos agora uma Cuba com o tamanho e as riquezas do Brasil. Não, não dá pra imaginar; mesmo porque, em tais circunstâncias, Fidel, Che e Cienfuegos não teriam nem sequer sido ideologicamente e/ou revolucionariamente paridos.

    José Manoel

    03/10/2011 - 18h03

    Perfeito, Sílvio!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    CLÁUDIO LUIZ PESSUTI

    02/10/2011 - 18h13

    Ah, isto não é nada, quero ver fazer em Sampa , com a policia do PSDB jogando bomba de gás lacrimogênio e descendo o cassetete!

    Benito

    02/10/2011 - 23h31

    Vavavavavavavá !!!!

    cronopio

    06/10/2011 - 11h31

    Vavá, pimenta no dos outros é refresco. Dizer que é mole fazer protesto em NYC é desconhecer completamente a realidade americana atual, na qual o "Patriotic Act" suspendeu os direitos civis e instaurou um estado de exceção. É mole arriscar ir parar em Guantánamo? Quanto à comparação com Cuba e China, só posso dizer que ela demonstra que você precisa atualizar sua visão de mundo. Independentemente do seu posicionamento claramente conservador, você poderia levar em conta que China e Cuba ocupam hoje posições muito distintas. Seria preciso, antes de tudo, ganhar um pouco de cultura geral. O que era Cuba antes da revolução? Cuba deveria ter se submetido à ditadura de Fulgêncio Batista? Vá à biblioteca, pegue um livro de Hobsbawm, adquira um olhar mais distanciado sobre a questão e depois tente se posicionar.

Fabio_Passos

02/10/2011 - 12h41

Muito bom ver a população protestando contra a minoria rica.

Não há surpresa quanto as prisões e a repressão policial.
A ditadura do capital não admite contestação.

Responder

Jairo_Beraldo

02/10/2011 - 12h36

Parece que o Tio Sam é tão "tolerante" com críticas, quanto os DEMo/tucanos…e os veste fardas de lá, são tão covardes e sórdidos quantos os daqui…Einstein bem os definiu – "nasceram com cerebro por engano, bastava-lhes a medula espinhal".

PS – vejo incrédulo o que acontece com os estadunidenses…estão pagando muito caro pela sórdida gestão Bush…se foi praga do Saddam, pegou na veia!

Responder

    Mário SF Alves

    04/10/2011 - 13h35

    É o tal "destino manifesto" se manifestando. Mas, já se vê a luz no fim do túnel. Espero, francamente, que não seja a luz de mais uma nazi-locomotiva desenfreada.

FrancoAtirador

02/10/2011 - 12h29

.
.
#OccupyWallStreet

O movimento já batizado de “ Ocupar Wall Street” dura há cerca de quinze dias.

A crise económica, os resgates financeiros de 2008
e o elevado desemprego estão na base das reivindicações.

“A economia está a chocar contra nós todos.
As pessoas estão a morrer de fome e não têm trabalhos.
Andamos pelas ruas de Manhattan e há mais pessoas sem-abrigo do que podíamos imaginar.
O mal-entendido disto tudo é que a América pensa que nós estamos bem.
Mas nós não estamos bem.
Mais pessoas precisam de se juntar, como estamos a fazer aqui,
pelos nossos direitos e pelo que merecemos como seres humanos”.

[youtube aN7-al4I5Ts http://www.youtube.com/watch?v=aN7-al4I5Ts youtube]

EuroNews

Responder

FrancoAtirador

02/10/2011 - 12h22

.
.
Los "indignados" de Wall Street protestan ante el cuartel de la Policía

Los manifestantes acampados desde hace dos semanas en Wall Street mantienen su pulso al poder financiero. Ayer, más de 1.000 personas marcharon hasta el cuartel general de la Policía de Nueva York para denunciar la “brutalidad” de su respuesta contra el movimiento, que protesta contra la avaricia del sistema financiero.

“La economía se derrumba a nuestro alrededor, la gente muere de hambre y no tiene trabajo, caminas por Manhattan y te encuentras más vagabundos que nunca. El problema es que la gente en Estados Unidos cree que estamos bien, y no lo estamos. La gente tiene que unirse como estamos haciendo aquí, y protestar por nuestros derechos y por lo que, como seres humanos, merecemos”, afirmaba, con gesto emocionado, Janele, una manifestante.

El movimiento Ocupa Wall Street cumple hoy dos semanas atrincherado en el distrito financiero de Nueva York. Y tiene cada vez más respaldo popular. Muestra de ello son las visitas de personalidades como el cineasta Michael Moore.

[youtube ZnZzeGsYo5w http://www.youtube.com/watch?v=ZnZzeGsYo5w youtube]

EuroNews

Responder

FrancoAtirador

02/10/2011 - 12h17

.
.
La indignación cruza Estados Unidos de costa a costa
con más de 700 detenidos en Nueva York

Las protestas, iniciadas hace dos semanas por la plataforma Ocupa Wall Street, acabaron el sábado, con graves incidentes en el puente de Brooklyn.

Los manifestantes trataron de pasar, en primera instancia, por la zona peatonal pero algunos ocuparon la calzada, cortaron el tráfico, y la policía intervino sin contemplaciones.

El balance, centenares de detenidos —aunque la mayoría quedaron en libertad tras su identificación— y el puente, intransitable hasta bien entrada la madrugada de este domingo.

Algunos de los participantes en la marcha denunciaron la contundencia de la policía.

“No sé por qué razón pero durante la manifestación, sacaron sus porras y empezaron a golpear a la gente que estaba en la cabecera. A todos los negros y morenos, automáticamente, los lanzaban al suelo. Además si llevabas un pañuelo cubriendo tu cara o, incluso, si hacías así el signo de la paz, corrías la misma suerte”, explicaba, David Cancino, uno de los manifestantes.

Pero hay vida más allá de Wall Street, y otras ciudades estadounidenses como Denver, han sido escenario de las manifestaciones, en este caso ante la sede del Bank of America.

Unos indignados, víctimas de la crisis, que censuran, también desde Los Angeles, el rescate de la banca tras la quiebra de Lehman Brothers hace tres años, denuncian los embargos de viviendas por impago y piden soluciones a una tasa de paro que alcanza el 9 por ciento.

El movimiento gana cada día más adeptos y algunos símbolos de la lucha por los derechos civiles vuelven a las calles.

[youtube 5x-9tmobT8A http://www.youtube.com/watch?v=5x-9tmobT8A youtube]
EuroNews

Responder

Regina Braga

02/10/2011 - 12h16

Olha só a frase, democracia é pura demagogia…fazem igual aos ingleses e os egipcíos.Mas com determinação vai se ganhando apoio…só espero que não invoquem a Lei Marcial…Afinal,um país tão livre e humano como os EUA,precisa conviver com manifestações populares,ou vão usar os robôs de extinção fatal?

Responder

    P A U L O P.

    02/10/2011 - 12h57

    os Ianques vivem sob a Lei Marcial., permanente

    Vide o 'patriotic Act'

FrancoAtirador

02/10/2011 - 12h11

.
.
CAIU A MÁSCARA DA "MAIOR DEMOCRACIA DO PLANETA"

"Não somos anarquistas. Não somos vândalos.
Sou um homem de 48 anos de idade",
queixou-se um dos manifestantes, Robert Cammiso, para a BBC.

"Este não é um protesto contra a polícia de Nova York.
É um protesto de 99% da população contra o poder desproporcional
de 1% que controla 50% da riqueza do país."

http://www.youtube.com/user/BrooklynRider#p/u

Responder

Rogério Floripa

02/10/2011 - 12h06

Esta é a fase da democracia?

Documentário – Muito Grande Para Quebrar – Retratando o colapso de Wall Street com intensidade ímpar http://fwd4.me/0AY0

Responder

Deixe uma resposta