VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.

William Blum, que viu os golpes por dentro: “Fiquem de olho no dinheiro”

30 de junho de 2013 às 13h18

Dia de fama para Blum no Washington Post, em 2006

Olho no dinheiro. Em síntese, esse é o conselho de quem conhece de perto décadas de truques e artimanhas usados pela CIA e por outras organizações do governo estadunidense para virar o jogo político alheio.

William Blum, mais conhecido como Bill, é norte-americano e anti-imperialista convicto, graças à guerra do Vietnã.

Foi quando ele se tornou funcionário do Departamento de Estado, durante a guerra, que teve um choque de consciência. O que já era uma convicção se tornou conhecimento ainda mais profundo quando acompanhou, no Chile, o golpe de estado orquestrado pela CIA contra o governo de Salvador Allende, em 1973.

Por enquanto, não há qualquer indício de ação externa nas manifestações brasileiras, embora — estranhamente — brasileiros tenham tomado a iniciativa de denunciar o Brasil, em vídeo, no Exterior.

Porém, momentos de instabilidade política — como os enfrentados agora pelos governos da Turquia e do Brasil — prenunciam mudanças e atores externos muitas vezes se aproveitam da conjuntura para enfiar sua colher. Por isso, fomos ouvir Blum.

Escritor, historiador e crítico contumaz da política externa dos Estados Unidos, Bill Blum não usa meias palavras para descrever a atuação da superpotência.

No livro Killing Hope: U.S. Military and CIA Intervention since World War II, ele faz um relato detalhado da intervenção estadunidense em vários países. Blum dedica um capítulo a cada nação, começando com a China. Depois de percorrer todos os continentes, ele termina, no capítulo 55, com o Haiti. Passa, claro, pelo golpe militar no Brasil e pelos similares na vizinhança.

Blum se encaixa na longa lista de “dissidentes” do império, que inclui do ex-agente da CIA Philip Agee ao soldado Bradley Manning e, mais recentemente, o ex-funcionário terceirizado da NSA, a agência de segurança nacional dos Estados Unidos, Edward Snowden, que vazou dados sobre os programas de espionagem em massa do governo de Barack Obama.

Por conta de ter denunciado o poder, Blum vive uma espécie de “exílio branco”: seus livros nunca são resenhados e suas ideias nunca são reproduzidas na mídia local. A não ser em circunstâncias extraordinárias: em 2006, num audio tape, Osama bin Laden citou um dos livros de Blum, Rogue State, e o autor foi parar na capa do Washington Post.

No trecho do livro mencionado por Osama, Blum descreve o que faria para acabar com os ataques terroristas se fosse eleito presidente dos Estados Unidos:

“Primeiro eu pediria desculpas — publica e sinceramente — a todas as viúvas e órfãos, os empobrecidos e torturados e todas as milhões de vítimas do imperialismo norte-americano. Depois eu anunciaria que todas as intervenções globais dos Estados Unidos — inclusive os terríveis bombardeios — teriam fim. E informaria Israel que o país deixaria de ser tratado como um estado da União, mas — estranhamente — como um país estrangeiro. Depois eu reduziria o orçamento militar em pelo menos 90% e usaria o dinheiro para pagar reparações às vítimas e reconstruir os danos das invasões e bombardeios norte-americanos. O dinheiro seria suficiente. Sabe qual é o orçamento militar de um ano dos Estados Unidos? É mais que 20 mil dólares por hora para cada hora desde que Jesus Cristo nasceu. Isso é o que faria em meus primeiros três dias na Casa Branca. No quarto dia, eu seria assassinado”.

Aos 70 anos de idade, Blum continua muito ativo. Agora, toca o site www.williamblum.org.

Na entrevista, ele disse que não sabe se organizações norte-americanas (National Endowment for Democracy, Freedom House e semelhantes) tiveram algum contato com manifestantes no Brasil. Mas acha importante que os brasileiros fiquem atentos. Ao se depararem com um grupo, um site, uma organização nova, tentem descobrir quem está financiando o grupo.

Só assim, seguindo a trilha do dinheiro, é possível descobrir quem está por trás de certas palavras de ordem e campanhas.

No caso das organizações dos Estados Unidos, o objetivo segundo Blum é sempre o mesmo, há décadas. Garantir, no poder, representantes fiéis aos interesses econômicos de Washington. A ideologia pouco importa. Contanto que o mercado, e as mercadorias, continuem circulando na direção certa. “Os Estados Unidos não estão nada preocupados com liberdade e democracia e sim com a dominação do mundo. Esta é a política externa dos Estados Unidos”.

William Blum é autor de vários livros sobre a política externa dos Estados Unidos e suas consequências. Antenado nas movimentações e protestos em diferentes países do mundo, ele nos deu a seguinte entrevista:

Viomundo – Sobre os protestos no Brasil e na Turquia, o senhor vê alguma dessas organizações – National Endowment for Democracy (NED), United States Agency for International Development (USAID) ou Freedom House – tentando participar, direcionar o movimento político?

BB – Não sei quão ativas essas organizações são no Brasil. Mas parto do princípio de que são porque todas elas são a mesma coisa. Todas seguem o exemplo da National Endowment for Democracy, que foi criado claramente para ser uma fachada da CIA. E esse é o papel que vem desempenhando nos últimos 25 anos, mais ou menos. Estão no mundo inteiro. E têm vários braços, como o National Democratic Institute e o International Republic Institute, que são todos parte do NED, criado nos anos 80 para fazer, abertamente, o que a CIA estava fazendo secretamente. O NED é simplesmente uma organização de fachada para a CIA. Mas não sei quão ativos eles são hoje no Brasil. Não estou acompanhando de perto.

Viomundo – Então, me permita reformular a pergunta. Se o senhor fosse brasileiro, sabendo tudo que sabe a respeito da maneira como o império opera, em que sinais estaria de olho, agora, enquanto estão acontecendo todos esses protestos no país?

BB – Eu procuraria saber quem está pagando as contas. Quem está financiando isso ou aquilo. Que Organizações Não Governamentais estão ativas. Pode ser que surjam nomes conhecidos, ou alguns mais obscuros. Mas é preciso pesquisar para descobrir quem está financiando essas organizações mais obscuras. Pode ser que você encontre a ligação com o NED.

Viomundo – Como o senhor com certeza sabe, existe essa nova “coalizão” entre o Departamento de Estado e as grandes empresas da internet, como o Google, para desenvolver ativismo digital no mundo. Todos participando com o mesmo objetivo que, dizem, é promover a democracia.

BB – Eu escrevi sobre o homem do Google, que era do Departamento de Estado. No Google ele se encarrega, entre aspas, de promover a democracia aqui e ali. Mas para essas organizações e o NED, o que eles chamam de democracia é simplesmente capitalismo. Eles trabalham contra qualquer movimento socialista que veem, por definição, como antidemocrático. E promovem o mercado livre, que na definição deles é democracia. Então, você tem que prestar atenção no que eles dizem porque frequentemente usam os mesmos termos quando defendem a democracia.

Viomundo – Que semelhanças o senhor vê entre o que está acontecendo no Brasil e na Turquia? Com toda essa insatisfação dos jovens, que não estão vendo perspectiva? O senhor vê uma insatisfação com a vida que estamos levando hoje? Um esgotamento do modelo neoliberal?

BB – Olha, não sei qual é o grau de sofisticação dos manifestantes, desses jovens. Acho que muitos talvez tenham dificuldades de explicar contra o que são e a favor do que, apesar de terem uma boa reação intuitiva. Eles sabem que a sociedade os frustrou porque não conseguem encontrar um emprego, não lhes deu uma educação adequada pela qual possam pagar, não lhes deu um padrão de vida adequado. Eles sabem disso tudo, mas não necessariamente sabem exatamente qual é a conexão com o neoconservadorismo ou o liberalismo. Mas o instinto está lá e deveria acontecer o mesmo aqui nos Estados Unidos. Mas os jovens aqui, em sua maioria, ainda não acordaram. Com exceção do movimento Occupy que foi bom enquanto durou. Mas não chegou ao ponto de fazer demandas específicas.

Viomundo – E o movimento Occupy não conseguiu mobilizar um número grande de pessoas…

BB – O movimento Occupy foi esmagado pela polícia. Eles esmagaram um local ocupado após o outro. Prenderam mais de mil pessoas. Bateram em centenas de pessoas. Muitas tiveram sérios problemas de saúde por conta disso. Então, não é tão ruim como parece. Os jovens aqui não são tão apolíticos como se pensa. Eles têm que se recuperar do esmagamento do movimento. A polícia tomou até as bibliotecas deles e jogou os livros fora. Isso é um comportamento fascista. O governo americano hoje, na minha opinião, é um estado policial. Então, não é tão ruim como se pensa. Não sei o que vai ser preciso para que o movimento Occupy acorde novamente. Mas estou esperando por isso.

Viomundo – O senhor acha que é por conta desse estado policial que é ainda mais difícil, aqui, brigar por mudanças?

BB – A polícia no Egito ou na Turquia não foi exatamente boazinha e gentil. A polícia, no mundo todo, é  bem ruim. Mas os jovens da Turquia, do Brasil e do Egito têm sido bem mais corajosos, continuam voltando. Foram espancados, seus acampamentos esmagados, e continuam voltando. Aqui, depois que foram esmagados, no fim de 2011, ainda não voltaram. Mas estou esperando que algo aconteça.

Viomundo – E as revoluções coloridas na Georgia, na Ucrânia e na Bielorrússia, quando a participação das organizações norte-americanas foi muito bem documentada? Elas investiram uma boa quantidade de dinheiro para unir a oposição ou garantir a vitória deste ou daquele candidato. Qual foi o resultado?

BB – Se a democracia era o grande objetivo dessas revoluções coloridas, não temos muito do que falar. A Georgia é um dos muito exemplos e não é exatamente uma sociedade muito livre. E o homem que era o líder da revolução, [Mikheil] Saakashvili, não é muito bem quisto agora. Mas eles todos aprenderam, uns com os outros. As organizações norte-americanas que se envolveram, como NED e Open Society [do especulador George Soros], levaram pessoas da Iugoslávia para ensinar os manifestantes da Georgia, por exemplo, para dividir com eles a experiência a respeito de como derrubaram o governo [de Slobodan] Milosevic [na Sérvia, em 2000]. Você pode chamar a isso de conspiração internacional, o uso de um país para derrubar o sistema de outro. E isso tudo foi coordenado pela organização que mencionei, o NED, e pelo Departamento de Estado.

Viomundo – No fim, qual foi o resultado? O que os Estados Unidos ganharam?

BB – O propósito é sempre instalar governos que serão ativos confiáveis para Washington. O objetivo, certamente, não é democracia e liberdade. O objetivo é garantir que os que estão no poder sejam bons clientes de Washington. É nisso que você tem que prestar atenção em todos esses lugares. Não examine quem está mais ou menos feliz. Olhe apenas quão subserviente aos Estados Unidos ou à OTAN é o novo governo.

Mais e mais, esses governos estão entrando na OTAN. Nesse sentido, tem sido um sucesso do ponto de vista de Washington. Os Estados Unidos cercaram a Rússia de membros da OTAN. E eles ainda não terminaram. Ainda querem colocar a Georgia e a Ucrânia na OTAN. É um processo em andamento para cercar a Rússia de amigos da OTAN. E é um dos motivos pelos quais a Rússia não entrega o Edward Snowden a Washington [Snowden é o ex-funcionário terceirizado da CIA que denunciou o programa secreto dos Estados Unidos de coleta de dados telefônicos e da internet, no mundo]. Eles têm muito motivo para estarem com raiva de Washington. Parece até que a Guerra Fria não terminou.

Viomundo – Considerando a sua história, em particular, quando deixou o Departamento de Estado, o senhor revelou os nomes e endereços de 200 funcionários da CIA, em 1969. O que teria acontecido com o senhor em 69, se as coisas estivessem como estão hoje, haja visto o que está acontecendo com Bradley Manning, Julian Assange, Edward Snowden…

BB – Não tinha pensado nisso. Consegui não ser punido. A mesma coisa hoje me deixaria com problemas graves. Não sei nem se faria a mesma coisa hoje. Talvez tivesse medo. Não sei. Mas se fizesse, sofreria sérias acusações na justiça.

Viomundo – Como foi que essa mudança aconteceu no país? Ela foi gradual?

BB – A transformação dos Estados Unidos em um estado policial foi gradual, mas se acelerou com o Obama. Ele se tornou um grande adversário de várias liberdades civis. O governo dele processou mais gente responsável por vazamento de informações do que todas as administrações anteriores somadas. E ainda não parou. Agora, um general [reformado, James Cartwright] está sendo processado porque vazou informações sobre o que os Estados Unidos fizeram com o programa nuclear do Irã. Eles puseram vários vírus no sistema de computador do programa. O general pode ter sido a fonte que revelou o programa há alguns anos e agora está sendo atacado. Obama parece obcecado em barrar todo tipo de vazamento de informação.

Viomundo – O senhor acha que isso é responsabilidade do presidente Obama? Não teria acontecido no governo de outro presidente? Isso não é um processo que ocorre nos Estados Unidos, não importa quem seja o presidente ou o presidente tem condições de barrar esse processo?

BB – Ele pode barrar. Ele tem o poder. Ele tem o poder de soltar todos os presos de Guantánamo. Tem o poder de suspender todos os ataques com drones e todas as guerras. Ele não usou esse poder. Ele vai entrar para a história como o responsável por todas essas coisas. Não pode fugir dessa responsabilidade.

Viomundo – Uma vez que você tem todas essas organizações (NED, Freedom House e outras) operando no mundo, elas ganham vida própria? Ou tudo isso é bem controlado pela Casa Branca?

BB – Você não pode absolver a Casa Branca de responsabilidade porque se essas organizações não estivessem fazendo o que devem fazer, não receberiam mais dinheiro [o NED é financiado pelo Congresso dos Estados Unidos com dinheiro público]. O fato de continuarem recebendo dinheiro mostra que o trabalho delas está sendo aprovado pela administração. Então, não se pode separar o governo dessas organizações. É a trilha do dinheiro. Sempre.

PS do Viomundo: No site de William Blum é possível ler alguns capítulos dos livros dele que foram traduzidos para vários idiomas, inclusive o espanhol. Mas não ainda para o português.

Leia também:

#changebrazil: Baseado na Flórida, dono de escolas de inglês promoveu a marca na SporTV

Beatriz Cerqueira: Aécio fala em ouvir o clamor das ruas, mas governo tucano de MG não pratica o discurso

Centrais marcam ato conjunto para 11 de julho

Stedile: Empreiteiras e Globo se apropriaram de gastos exagerados da Copa

 

44 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Marisa

12/02/2014 - 19h02

A diferença é que o ‘Occupy’ brasileiro (Ocupa, do PSOL) é antigoverno e não anticapitalista. É uma estratégia de ocupação, na verdade, do espaço político. O Anonymous também: copiado pela direita mas flertado também pela esquerda que quer o poder, aqui prioriza derrubar o governo.

Responder

Alberto

02/07/2013 - 08h05

Vocês poderiam me dar o numero da conta pra fazer as contribuições para o site?

Responder

Jose Mario HRP

02/07/2013 - 03h12

http://amoralnato.blogspot.com.br/2013/07/alternativa.html

Palavras sábias……….

Responder

Pedro

01/07/2013 - 17h49

São sempre excelentes os artigos da Heloisa Villela. Este, em especial, mostra a necessidade de olharmos a história atual para além da pequena política do dia-a-dia.
Toda sociedade, quando entra em sua fase de crise irreversível, se torna extremamente agressiva. É o caso, presentemente, do império americano. Para o Pentágono, a CIA, o Departamento de Estado, somente a guerra pode salvá-los da derrocada. Seu plano de conquista do mundo inteiro não exclui nenhum país. Criar situações de conturbação é o que estão fazendo em toda a parte. Os “nossos jovens” estão fazendo direitinho o serviço que mais agrada ao Pentágono e à CIA. Vamos à luta contra o império com o nome de “jovens brasileiros”.

Responder

cristiane

01/07/2013 - 15h49

ANALISE SOBRE O QUE ACONTECEU JUNHO DE 2013:
O golpe já aconteceu portanto não há mais nada a ser feito infelizmente.O movimento no inicio era difuso o MPL era de esquerda mas a partir daí o movimento se revelou verdairamente conservador e hoje é apoiado pela mídia é um “cazarolaço” de classe média.A mídia no inicio teve medo das manifestações mas quando ganhou uma guinada conservadora passou a apoiá-lo.Essa situação que o Brasil vive hoje me lembra demais o Chile de 1972 quem já leu sobre o assunto sabe é o boicote da classe média até as greves gerias que aconteceram lá estão acontecendo aqui não haverá intervenção militar pois o objetivo já foi alcançado nunca tive otimismo com essas manifestações sempre pensei que tinham lobo em pele de cordeiro e infelizmente para o BRASIL eu estava certa aqui vai os acontecimentos:1 boicote do mercado financeiro desde 2012 ( por causa dos juros?)2) empresariado se nega a investir apesar dos beneficios que receberam motivo?golpe!3) mídia alarmando que tem hiper-inflação(história do tomate)4) dia 1 de maio candidato da mídia longas matérias num discurso num sindicato 5) mídia começa a fazer matéria de “esquerda” dando grande destaque a um kit sobre prostituição que nem foi abolido mas modificado o motivo era claro :dividir a esquerda jogar uns contra os outros 6) boato que o bolsa família iria acabar( causando grande inquietação nos mais pobres) 7) mídia de repente contra a copa apos 7 anos!.Eu fui uma das únicas pessoas que vi esse movimento como NEO-UDENISTA Nunca tive ilusões sabe por que? Se fosse um movimento de extrema esquerda de oposição tendo metas claras rechaçando direitismos seria fácil identificar desde o inicio o pessoal da extrema esquerda fala o que quer são diretos! são contra o capitalismo e acabou! porém esse mimimi de “sem partido” ” o BRASIL ACORDOU” ” jOAQUIM BARBOSA PRESIDENTE” ” PÁTRIA AMADA” Deixava claro a orientação ideológica não que ele seja PSDB MAS É DE DIREITA SIM! Uma nova direita que surgiu na classe média e se manifestou na sredes sociais mas a esquerda brasileira não viu. A esquerda brasileira jamais imaginava um levante de direita a FAMIGERADA d

Responder

    cristiane

    01/07/2013 - 16h01

    ditadura militar teve apoio popular. A diferença das manifestações que ocorrem no BRASIL com outros paises como ESPANHA ORIENTE MÉDIO é que aqui o movimento é conservador E moralista ao MPL foi usado a direita ganhou as ruas como não ganhava desde 1964 a extrema esquerda foi incapaz de enxergar a situação. a direita ganhou a classe média pois a mídia ela sempre teve ao seu lado ,as manifestações desaparecerão após as eleições gerais de 2014! pois o que se desenha é uma vitória conservadora é isso que as ruas querem DIZER por mais doloroso que seja para quem é de esquerda como eu! o movimento é pautado pelo que sai na grande mídia e reproduzido nas redes sociais a esquerda sempre foi minoria no movimento. O que vai acontecer agora? o governo trabalhista foi derrubado vem aí direitismo pais em ruínas para a direita ser a “salvadora da pátria” a esquerda precisa fazer autocritica e organizar a oposição que fará contra o governo de direita que assumirá em Janeiro de 2015. Essa é uma tarefa que tem que começar agora! os dias para a esquerda brasileira serão terríveis daqui para frente JUNHO DE 2013 O CANSEI QUE DEU CERTO Trágico!

    simas

    01/07/2013 - 20h57

    Mocinha,
    Vc esta completamente correta. Eu acrescentaria, ai, q a classe empresarial participou da trama, descaradamente, se aproveitando das desonerações, sem repassar, qq correspondência para o consumidor, final. Lembro q, em novembro/12, mercadorias sumiram das prateleiras, nos supermercados; e os preços evoluíram, enqto a mídia noticiava a inflação, batendo as portas. Os supermercados embolsaram os valores das desonerações, numa boa, frente à frente com a Dona Dilma… Mais tarde, melhorando as escaramuças da mídia, mafiosa e terrorista, a imprensa inglesa iniciou sua participação, no caos.
    No q me diz respeito, faz mto tempo, fico apontando para a necessidade de se mudar o foco, pautado, pra intervenção de Washington em nossa vida política… Sempre foi, assim, desde mto, e sempre será assim, Salvo se aparecer alguém, mais corajoso q efetive passadas mais largas, na política, interna. Por exemplo: Faça uma Medida Provisória, capando do mercado, a TV Globo, Rio; consequência dos “18 minutinhos” do JN, na véspera das eleições; e q o TRE fingiu não ver. Eu pagava pra ver a TV, matriz, lacrada, pela Federal. Adoraria assistir a reação, desde lá da Califórnia, onde o tal do Aderbal, ou coisa parecida, foi receber seu prêmio de honra ao mérito… Acredito q ano final, a reação espernearia, e ficaria, igual, ao caso da similar, na Venezuela, do Chaves…
    Tdo dia acontece um motivo de reação e não se vê, nada. Hj, o Seu Joaquim se disse lisonjeado, em ser apontado pela pesquisa do datafolha, terrorista… Aquele, q é amigo do bq dantas, declara, isso e aquilo da política… em total prova de de decoro, com o cargo. Em tdo e por tdo, minha dignidade é alcançada… Até a ABL escolhe “aquele q andava pela cozinha” como sócio. A inversão de valores, éticos, faz lembrar Rui Barbosa…
    Parabéns, mocinha

    Julio

    03/07/2013 - 00h38

    1- O governo confere desoneração aos empresários.
    2- O governo não estabelece nenhuma penalidade para os empresários que não repassarem a redução ao consumidor.
    3- Os empresários, obviamente, fazem o melhor para si e embolsam a desoneração, engordando o lucro.
    4- O governo continua dando a desoneração aos empresários.
    4- O pessoal da esquerda culpa o “empresário capitalista”.

    Ah, façam-me o favor, né? O pessoal continua parado no tempo de 40 anos atrás quando ainda existia “esquerda” e “direita”. Dilma e Lula se mostraram tão parte do poder quanto o Obama que vocês estão criticando… e, por causa disso, eles também vão pagar seu preço na História. Banqueiros nunca lucraram tanto, e continuam taxando absurdamente o brasileiro. Bilhões dados pelo BNDES a pessoas como Eike Batista, que agora conseguiram seus muitos milhões e deixaram a conta dos bilhões para o povo pagar…

    Antes Lula e Dilma tivessem sido expulsos, mas com o peito limpo, que assim, ao fim de seus mandatos e juntos de pessoas que, há 15 anos, todos nós (sim, eu me incluo) desprezávamos (Sarney, Collor, Maluf e similares). Taí… tenho muito mais respeito pela Erundina… só o fato de não conseguir tirar uma foto com o Maluf mostra que ela ainda tem o pudor e os limites de alguém que ainda respeita suas próprias crenças. Enquanto isso, continuem romantizando a realidade de líderes “esquerdistas” amigos do capitalismo à la brasileira (a proverbial privatização dos lucros e socialização dos prejuízos), porque eu continuarei demonizando essa corja que sequestrou a verdadeira ideia do social como uma bandeira pobre para manobrar gente como vocês…

    E aliás, vocês ainda se dizem democráticos, mas estão aí babando para prender alguém com ideias diferentes das suas (vide comentário aí)… tsc, tsc, será que não aprendemos nada com os militares? Sim… até aqueles que desejam um Brasil aliado aos EUA podem e devem se pronunciar. Eu vou continuar discordando, e vocês também, mas devemos respeitar e sempre ouvir os demais, por mais esdrúxulos que sejam. Nem que seja pra rejeitar. Isso é democracia, que, antes de mais nada, passa pela ideia de educação, respeito e lógica elementar.

    No mais, quando aparecer alguém verdadeiramente social (não esquerdista, esses a História me ensinou a dispensar), me avisem.

Iza

01/07/2013 - 15h19

VAMOS MOSTRAR PARA OS CIMINOSOS DA MÍDIA QUE ELES NÃO IRÃO LIVRAR A CARA

— OCUPE a Rede Globo é dia 03/07 —–

Acesse o EVENTO no facebook (link abaixo), confirme sua presença e convide seus amigos.

https://www.facebook.com/events/562115547160522/

GLOBO DESVIOU MILHÕES DO POVO!
TODO MUNDO VÊ MENOS O “HONESTO” MP.

A repercussão em torno da multa milionária aplicada à Rede Globo, pela sonegação de impostos sobre direitos da Copa de 2002, parece que ainda não acabou.

Por meio de sua assessoria, o grupo confirmou o pagamento da quantia e disse ter havido um “entendimento diferente do Fisco”, em relação à legalidade das operações contábeis da empresa.

O assunto foi amplamente divulgado na mídia e nas redes sociais.

E a pergunta que não quer calar é a seguinte: Se a Globo pagou, então onde é que está o Darf?

O povo quer saber.

Darf, como todo bom pagador de imposto sabe, é o documento da receita onde o contribuinte registra o pagamento de uma dívida tributária.

Convidamos todos a lerem e compartilharem os links sobre o assunto, que foi um dos mais comentados nas redes sociais na última semana. Vamos pressionar a emissora a mostrar o comprovante de pagamento, já que ela disse que pagou.

#GloboMostreoDarf

Responder

marcosomag

01/07/2013 - 13h40

Se a ABIN não entregou para a Presidente Dilma um relatório detalhado da movimentações do #changebrazil ANTES dos vídeos aparecerem no You Tube (com o detalhamento de QUEM PAGOU os anúncios na Globo no jogo do Flu no Cotton Bowl, TODA A SUA DIREÇÃO DEVERIA PEDIR DEMISSÃO IMEDIATAMENTE, CASO SEJA COMPOSTA DE ELEMENTOS DE BOM CARÁTER!

Responder

Eunice

01/07/2013 - 13h13

MANUEL CASTELLS – Não há perigo de um golpe de Estado. Os corruptos e antidemocráticos já estão no poder: eles são a classe política.

Responder

Messias Franca de Macedo

01/07/2013 - 12h50

… AINDA SOBRE A SÉRIE “FIQUEM DE OLHO NO DINHEIRO”!

EXTRA! EXTRA!… PESQUISA SAINDO DO FORNO: pesquisa realizada nas saídas do belíssimo e histórico Estádio Maracanã confirma: 100% de aprovação à Dilma Rousseff, presidente do Brasil tetracampeão da Copa das Confederações!… Viva o Brasil! E viva o verdadeiro, leal, honesto, sapiente, cívico e impávido povo trabalhador brasileiro! … Ah! A alegria e a felicidade não poderão produzir o esquecimento: quarta-feira, ‘as legítimas vozes das ruas’ irão bater, civicamente, nas portas da *Rede Globo, ecoando: “Mostre o DARF!” *Rede Globo ‘A Fraudulenta’: “padrão FIFA no quesito sonegação de impostos e movimentação bancária em paraísos fiscais”!…

E VAPT VUPT! PANO RÁPIDO limpa – e desinfeta – as sujeiras do PIGolpista/terrorista/fascista/antinacionalista de meia tigela!…

EM TEMPO: “Apesar de você(!) [eterna oposição ao Brasil] o BRASIL será uma das maiores nações de toda a história da humanidade! O povo brasileiro derrotará os fascistas/golpistas/terroristas/antinacionalistas de sempre!…”

Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

    simas

    01/07/2013 - 21h29

    Messias, meu caro, vc q está nas boas, suprindo demandas mil, com relação à pesquisas… A datafolha criou números sobre o gov de Sampa e aproveitou… mostrou da Prefeitura, tbm. Mostrou, igual, no Rio, mostrando números re ao estado e município… Agora, me parece – veja, ai, não mostrou nada de GH, Floripa, Salvador… e aquelas capitais do Norte… Será? Eu acho q não ficaram bem, na foto… risos
    Veja, lá. Abraço, fraterno

Leonardo Meireles Câmara

01/07/2013 - 11h54

Legendas em portuguê cairiam bem. Quem se habilita?

https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=imrjjUXDeGU#at=13

Responder

cid elias

01/07/2013 - 11h39

Muito bom! E nem precisa ir longe, esses “democratas” americanos já provaram como funciona sua “democracia” bem aqui do lado, na Venezuela. Eu tenho convicção plena que os NED’s da vida estão entre os responsáveis pela repentina indignação virtual dos braZileiros feicebuquianos.

Responder

jose carlos lima

01/07/2013 - 08h20

Maduro ficou sabendo rapidinho quando dias atrás espiões ianques conspiravam contra a Venezuela enquanto o povo pranteava Chavez; Como será possível Dilma se antecipar as ações de espiões em terra, água e ar se não temos um serviço de informação, uma vez que a ABIN foi detonada a mando de Daniel Dantas após o caso dos falsos grampos encenados pela dupla Gilmar x Demóstenes Torres

Responder

Biru-Biru

01/07/2013 - 08h15

Importante registro de como os fascistas da direita impedem as mais legítimas manifestações populares:
http://www.youtube.com/watch?v=SOlrN0hwHOo

Responder

Scan

01/07/2013 - 02h15

A quem interessar, a primeira parte do livro Killing Hope pode ser baixado gratuitamente aqui:

http://library.uniteddiversity.coop/More_Books_and_Reports/Killing_Hope-US_Military_and_CIA_Interventions_Since_WWII-William_Blum.pdf

Quem conseguir a parte 2 completa, por favor, poste aqui o endereço.

Responder

José Souza

30/06/2013 - 23h52

A cobiça que império do norte tem pelo nosso país deve-se a existência aqui de alguns itens não encontrados juntos em país nenhum do mundo. São eles: grandes extensões de terras agriculturáveis; clima quente e chuvoso durante todo o ano (ausência de neve), propício ao plantio e criação de animais; água em abundância em quase todo o território nacional; muitas jazidas minerais, incluindo petróleo, a serem exploradas; mão de obra abundante e de baixo custo; não existência de conflitos regionais; floresta ainda não explorada comercialmente em larga escala; vários portos para escoar a produção; e infraestrutura bastante desenvolvida. Isso tudo junto Não Tem Preço. A única coisa que está atrapalhando é o governo do PT, que interrompeu a dominação que vinha acontecendo. Como nosso povo não tem noção dessa riqueza e ela não é mostrada nas escolas desde o ensino fundamental fica difícil barrar as tentativas de desestabilização do governo conforme a que está em curso. Concordo com o autor. Há que se seguir o dinheiro pois de graça ninguém faz nada. Infelizmente conta-se com a colaboração de brasileiros menos esclarecidos, oportunistas e não patriotas.

Responder

Dois médicos norte-americanos avaliam o sistema de saúde de Cuba - Viomundo - O que você não vê na mídia

30/06/2013 - 23h44

[…] O homem que viu golpes por dentro faz um alerta […]

Responder

Mário SF Alves

30/06/2013 - 23h40

Taí transcrito por palavras o Raio X do verdadeiro Império do Mal.

“Primeiro eu pediria desculpas — publica e sinceramente — a todas as viúvas e órfãos, os empobrecidos e torturados e todas as milhões de vítimas do imperialismo norte-americano. Depois eu anunciaria que todas as intervenções globais dos Estados Unidos — inclusive os terríveis bombardeios — teriam fim. E informaria Israel que o país deixaria de ser tratado como um estado da União, mas — estranhamente — como um país estrangeiro. Depois eu reduziria o orçamento militar em pelo menos 90% e usaria o dinheiro para pagar reparações às vítimas e reconstruir os danos das invasões e bombardeios norte-americanos. O dinheiro seria suficiente. Sabe qual é o orçamento militar de um ano dos Estados Unidos? É mais que 20 mil dólares por hora para cada hora desde que Jesus Cristo nasceu. Isso é o que faria em meus primeiros três dias na Casa Branca. No quarto dia, eu seria assassinado”.

Responder

FrancoAtirador

30/06/2013 - 23h15

.
.
Rede de espionagem dos EUA causa indignação na Europa

Os europeus acabam de descobrir os golpes baixos que se escondem por trás da palavra “aliança”.

Segundo revelou o semanário alemão Der Spiegel, Washington espiona de maneira constante representantes e ocupantes de cargos da União Europeia, além de registrar, a cada mês, cerca de 500 milhões de comunicações realizadas por telefone ou pela internet na Alemanha.
Concretamente, a Agência de Segurança Nacional (NSA) ocultou microfones e se infiltrou nas redes informática da delegação da União Europeia em Washington.

Por Eduardo Febbro, de Paris para a Carta Maior.

Paris – Ter um aliado como os Estados Unidos é expor-se a receber na face o beijo do diabo.
Os europeus acabam de descobrir os golpes baixos que se escondem por trás da palavra “aliança”.
Segundo revelou o semanário alemão Der Spiegel, Washington espiona de maneira constante representantes e ocupantes de cargos da União Europeia, além de registrar, a cada mês, cerca de 500 milhões de comunicações realizadas por telefone ou pela internet na Alemanha.
Concretamente, a Agência de Segurança Nacional (NSA) ocultou microfones e se infiltrou nas redes informática da delegação da União Europeia em Washington.

As revelações da Der Spiegel levantaram uma onda de indignação em toda a Europa.
Desde a sede da União Europeia, em Bruxelas, passando por Paris ou Berlim, os líderes políticos do Velho Continente exigiram explicações de Washington.
Laurent Fabius, o ministro francês de Relações Exteriores, disse que “se esses fatos se confirmarem, configuram uma situação inaceitável”.
O chanceler acrescentou que esperava que o governo dos EUA “dissipe as inquietudes legítimas suscitadas pelas revelações da imprensa”.

A fonte da informação publicada pelo semanário alemão é Edward Snowden, o ex-membro do serviço secreto norte-americano que já havia revelado a maneira pela qual o governo de seu país mantinha sob controle uma boa parte das comunicações do planeta.
Os documentos da Der Spiegel mostram como os Estados Unidos realizam operações para espionar e coletar dados na Alemanha. Trata-se de correios eletrônicos, mensagens, comunicações por telefone ou através da internet.
Todo esse material sensível é conservado na sede central da NSA, localizada em Fort Meade.
O relato feito pela publicação alemã baseado nos documentos de Snowden é muito preciso:
A NSA espiona a cada dia cerca de 33 milhões de conversações, 20 das quais são telefônicas e o restante na internet.

Este cálculo corresponde a um dia comum.
Em caso de atividade intensa, a cifra pode chegar a 60 milhões.
Washington sabe muito bem onde coloca suas antenas.
A Alemanha é espionada sete vezes mais do que a França e o lugar mais espionado pelos EUA é Frankfurt, capital bancária e financeira da União Europeia.
A ministra alemã da Justiça, Sabine Leutheusser-Schnarrenberger, disse que essas informações ultrapassavam “todo o imaginável”.
A comissária europeia para a Justiça, Viviane Reding, exclamou: “entre sócios não se espiona!”.
O presidente do Parlamento europeu, o alemão Martin Schulz, declarou que este caso “prejudicará consideravelmente as relações entre a União Europeia e os Estados Unidos”.
O eurodeputado alemão conservador Markus Ferber disse que “um Estado de direito democrático que emprega métodos dignos da Stasi (a polícia secreta da antiga Alemanha Oriental) perde toda sua legitimidade”.

Na França, a ministra da Justiça, Christiane Taubira, considerou a espionagem como “um ato de hostilidade inqualificável”.
Para o primeiro secretário do Partido Socialista, Harlem Désir, isso demonstra que “a Europa não deve ser inocente em suas relações com Washington”.
Jean-Christophe Cambadélis, o secretário nacional do PS e encarregado de temas europeus, observou que se for comprovada a veracidade das informações da imprensa “o mínimo a se fazer é suspender as negociações sobre o tratado de livre comércio transatlântico”.
Segundo Cambadélis, não se pode acreditar que “a luta contra o terrorismo precise necessite da espionagem de parlamentares europeus.
A Europa perderia sua credibilidade se deixasse caso passar em branco”.

O eurodeputado ecologista Daniel Cohn-Bendit – líder das jornadas de protesto de maio de 68 – pediu também que fossem interrompidas as negociações com os EUA.
O líder da Frente de Esquerda francesa, Jean-Luc Mélenchon, pediu que a “França conceda asilo político a Edward Snowden, o benfeitor da Europa que permitiu que esse complô fosse desmascarado”.

As evidências apresentadas pela Der Spiegel são arrasadoras.
A Agência Nacional de Segurança tem a União Europeia como um “objetivo” prioritário para seus controles secretos.
Além de espionar as conversações na Europa, a NSA também introduziu dispositivos eletrônicos de espionagem nas representações da UE e da ONU nos EUA.
Os agentes da NSA ocultaram microfones nos locais da ONU e da UE e graças a eles a NSA teve acesso às conversações confidenciais, aos correios eletrônicos e arquivos dos computadores.
Todas essas violações do espaço dos “amigos” se inscrevem dentro do Programa Prism de espionagem global.
Neste dispositivo, por exemplo, França, Itália e Portugal figuram entre os “38 alvos” controlados pela NSA.

No caso específico da União Europeia, os norteamericanos estavam interessados em conhecer os desacordos entre os países membros da União.

Cada operação tem um marco e um nome preciso:
a espionagem da representação da França na ONU se chama “Blackfoot”, o da embaixada francesa em Washington “Wabash” , e o da embaixada italiana “Bruneau”.

Cabe ressaltar que, seja por meio do sistema Prism, ou do já famoso “Echelon”, os EUA enfiam o nariz nos circuitos privados de todo o planeta.
Os únicos países que se salvam são aqueles que fazem parte do grupo de “países muito próximos”, ou seja, Reino Unido, Nova Zelândia, Austrália e Canadá.

Segundo revelou o semanário francês L’Express, no ano passado, logo depois da eleição do socialista François Hollande para a presidência da República, os computadores do palácio presidencial francês foram pirateados.
Os culpados estavam em Washington.
Os EUA têm ouvidos enormes e uma potência tecnológica que coloca o planeta inteiro sob a supervisão, o controle, a espionagem e a manipulação de uma potência que, inclusive, espiona seus próprios aliados comerciais e ideológicos.

Tradução: Marco Aurélio Weissheimer

(http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=22279)

Responder

Luís Carlos

30/06/2013 - 22h07

Não tenho dúvidas sobre a influência externa em conjunto com agentes internos nos fatos das últimas semanas. Querem o que estão deixando de ganhar com o governo popular brasileiro, e em toda América do Sul.

Responder

    Luis

    30/06/2013 - 23h56

    Concordo mesmo. Não é a primeira vez que isso vai acontecer. Estou divulgando esse link a todos q conheço

    Luis

    01/07/2013 - 00h05

    Os meios tradicionais como Globo e Veja são muito manjados. Ninguem acredita mais neles. Os tempos são outros e os meios para se perpetrar um golpe , uma tentativa de desestabilização ou qualquer coisa do gênero, devem acontecer de outra forma.

    Sabe-se lá quais são os reais interesses. O acordo assinado pelo Lula que demarcava terra para indígenas, mas foi engavetado pela Dilma?

    O nióbio?

    Sei la, não sei mesmo. Mas enfraquecer o governo federal abre espaço pra um governo mais docil. Seria Marina Silva quem vai finalmente conceder as terras ao indigenas, como ja divulgaram anteriormente suas intenções?

Nelson

30/06/2013 - 21h59

William Blum é um dos autores que podem oportunizar, tanto aos inocentes como aos que foram bem doutrinados pelo PIG e a propaganda ideolgógica, enxergarem a realidade de que não é exatamente o altruísmo que move as decisões políticas tomadas pelos governos dos EUA.

Responder

Valmont

30/06/2013 - 20h04

Parabéns Azenha e Heloísa Villela!

Uma pérola do jornalismo livre e independente.

Vamos colaborar, pessoal!

Clique aqui http://www.viomundo.com.br/faca-parte

e dê sua contribuição para a imprensa livre.

Responder

Maria Thereza

30/06/2013 - 19h56

excelente texto e muito coerente com o que já vimos. A verdade só será conhecida inteiramente, daqui a 50 anos, quando abrirem os documentos secretos dos eua. Não estarei aqui, com certeza, mas veremos o papel nojento de uns e outros, como vimos o dos militares em 1964.

Responder

mineiro

30/06/2013 - 18h37

e todos elegeram esse sugeito negro pensando que ele faria exatamente o que o escritor disse. mas esse maldito traidor e traidor nao existe cor. o que manda é o carater , ele esta se tornou pior do que o demonio bush, e olha para ser pior do esse maldito , tem que ser muito ruim. esse pres.dos eua , nos primeiros meses de governo eu ja que tinha me engando. pode ser branco , negro e ou sei la o que for , nao adianta entrou no poder se tornam igual. sente o gosto e nao ta nem ai para o resto. e sobre a cia orquestrar golpes , ta mais que na cara que eles estao fazendo , ou alguem duvida disso.

Responder

Oswaldo

30/06/2013 - 17h51

Por falar em dinheiro, deem uma olhada nesse relatório sobre liberdade de mercado, especialmente as notas que rebaixam o Brasil. Avaliações muito coerentes com as críticas que pedem a demissão de Mantega da Fazenda e mudanças na política econômica de Dilma como um todo:

http://www.freetheworld.com/2012/EFW2012-complete.pdf

Responder

Valdeci Elias

30/06/2013 - 16h55

Toda essa confusão, por que o governo Dilma não é corrupto. A CIA é metódica. Na Fase 1 ela corrompe os governos. Quando um governo não se corrompe, como o de Dilma, a CIA passa pra fase 2 e tenta desestabilizar o governo de todo modo. Se não conseguir passa pra fase 3, matar o governante. Quando o governante escapa dos acidentes aéreos, das bombas dos envenenamentos tem inicio a fase 4 , invasão militar.
O Brasil está na fase 2, desde o governo Lula.

Responder

    Julio

    03/07/2013 - 00h53

    Claro! O governo do PT é um santo! Tanto que você não vê o PT fazendo acordos políticos com nenhum conservador, não é mesmo? Não existem poços de petróleo sendo repassados a capitalistas internacionais através de “vias transversas”… a foto de Lula com Maluf foi uma montagem.

    É sempre uma trama obscura e sem provas… o filho do Lula enriqueceu rapidamente porque, na verdade, pretende doar tudo pra caridade e tornar o país melhor! É porque ninguém sabe e fica falando mal do PT! Esse pessoal neoliberal burguês não consegue enxergar as coisas, não é mesmo?

    Você sabe por que o Lula se aliou a Maluf? Não foi negociata para ganhar o poder a qualquer custo… não… foi tudo uma farsa, pois secretamente, Maluf é agora um agente do PT oculto que se faz de burguês para enganar o capital, então não tem problema! Mas só os petistas sabem disso porque senão estraga o disfarce do Maluf!

    Como eu sempre digo: o PT é puro e íntegro… mais que Jesus.

FrancoAtirador

30/06/2013 - 16h35

.
.
“No céu, um helicóptero com letreiros eletrônicos
voeja rente à Praça,
com dizeres contra a existência dos Partidos
e afirma que, desta forma – sem os partidos –
o Brasil ‘tem jeito’.
Quem promoveu este voo?
Quem o pagou?
Como ele se conecta com as manifestações?”

(Tarso Genro, Governador do Rio Grande do Sul, sobre manifestações do dia 27/6, em Porto Alegre )

(http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=22277)

“Em Brasília, foi pior ainda.
Além disso tudo, teve o que se chama de ‘lock-out’, né.
Os donos das companhias de ônibus patrocinaram um… [‘quebra-quebra na Rodoviária’, complementa uma voz feminina].
Só se queimou ônibus do Estado. Não se queimou nenhum ônibus particular, privado…”

(jornalista Raymundo Costa, do jornal Valor Econômico, convidado de Cristiana Lôbo no Programa Fatos e Versões da Globo News)

Vídeo, a partir dos 21m35s:

(http://globotv.globo.com/globo-news/fatos-e-versoes/v/fatos-e-versoes-discute-sobre-as-consequencias-das-manifestacoes-populares/2663842)
.
.

Responder

José Ricardo Romero

30/06/2013 - 16h14

Tenho repetidamente chamado a atenção como comentarista nos blogs sobre a atuação das ONGs. Elas têm o disfarce perfeito para intermediar informações e financiamentos por parte dos estados e das empresas hostis às medidas do governo brasileiro em relação ao petróleo, mineração, hidroelétricas, Amazônia, bancos e outras. Sob o disfarce da defesa do meio-ambiente, estas ONGs sustentadas por países e grandes empresas multinacionais, inclusive algumas brasileiras (que ficam bem na foto e descontam as contribuições dos impostos) seduzem a juventude idealista como massa de manobra para as manifestações muitas vezes violentas e com danos ao patrimônio público para impedir, por vias transversas, a ocupação dos espaços pelo estado afim de deixar livre o trânsito e a ocupação dos mesmos para a exploração das riquezas nacionais. É flagrante o “modus operandi” destas manifestações recentes, incensadas como legítimas e cantadas em prosa e verso como o nascimento da democracia nas ruas por incautos e apressados intelectuais e estudiosos. Estas ações urbanas têm o DNA das ações de cunho ambientalista pago e fomentado pelas ONGs.

Responder

Messias Franca de Macedo

30/06/2013 - 15h39

… AINDA SOBRE ‘VENDO O GOLPE POR DENTRO’! MAIS UMA ‘PÁGINA AMARELA DE GOLPISMO’!

[ESCÂNDALO! ACINTE AO HONESTO, DECENTE, SAPIENTE E IMPÁVIDO VERDADEIRO POVO TRABALHADOR BRASILEIRO!… TEMOS QUE REAGIR A [MAIS] ESSA IGNOMÍNIA PERPETRADA CONTRA A NAÇÃO BRASILEIRA!…]

‘VEJA’ CRIA, À SUA IMAGEM, UM NOVO LÍDER DAS MASSAS
Você provavelmente nunca ouviu falar de Maycon Freitas, mas ele é, segundo a revista Veja, “a voz que emergiu das ruas”; entrevistado das páginas amarelas, ele reproduz o modo de pensar da própria publicação; é da turma dos “sem partido”, tem aversão ao PT e à presidente Dilma Rousseff e poderia eventualmente votar em Joaquim Barbosa
30 DE JUNHO DE 2013 ÀS 12:38

FONTE: mídia nativa!

LÁ VEM O MATUTO QUE SENTE CHEIRO DE GOLPE DESDE O DIA EM QUE NASCEU EM PINDORAMA!

É VERDADE: esse desqualificado neonazista espelha a natureza sórdida da editora da MARGINAL(!) Tietê: ambos não valem nem os 20 centavos do Arnaldo ‘JABÁres’ “da outra organização golpista/terrorista/antinacionalista: a Rede ‘Roubo’ dos Marinhos da ‘ditabranda’ dos Frias”!

CÂMBIO: para alguma Central Telefônica da Polícia Federal!… Ah! E a ABIN já pode enquadrar esse estropício fascista/neonazista/antinacionalista de meia tigela na Lei de Segurança Nacional!… Mesmo porque esse aloprado “tá” doido para encontrar “asilo” nos EUA – e, quiçá, arrumar uma ‘boquinha’ na CIA, mesmo que seja para limpar as botas dos diretores da ‘Central de Inteligência’ norte-americana!
Não fôssemos um país democrático, cadeia seria pouco para esse escroque! No entanto, tudo tem limite, inclusive na democracia!…

República Desses Bananas Fascistas/NeoNazistas/antinacionalistas da [eterna] OPOSIÇÃO AO BRASIL E AO POVO BRASILEIRO, Sonegadores cínicos e irresponsáveis, estelionatários hipócritas, fariseus dos Quintos dos Infernos, MENTEcaptos, fascistas, mercenários, golpistas/terroristas de meia tigela!… ‘O cheiro dos cavalos ao do povo!’

Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Lu

30/06/2013 - 15h01

Tem ex presidente ganhando prêmio vultuoso do congresso americano.

Responder

H.92

30/06/2013 - 14h15

As vassourinhas da corrupção…

Responder

Ana Cruzzeli

30/06/2013 - 14h05

O Blum deve saber da parceria entre a Rede Globo e EUA e o golpe de 64, ou não? Foi ali que o dinheiro foi injetado e pelo que se provou tem conta nas ilhas virgens para que? Só sonegar? É mais do que sonegar

Outra questão, muitos partidos politicos de direita também tem contas numeradas aqui e acolá no exterior, não é só para desviar dinheiro de dentro é para entrada também.

Hoje a coisa é mais sofisticada, as transações via internet são altamente cruzadas. O cara deposita alí na Suiça e roda o mundo duas vezes para enfim chegar no Brasil em uma empresa de fachada e assim ser aplicada sem qualquer vinculo com um partido de direita.

Como uma empresa educacional de inglês tem dinheiro para ter uma faixa daquele tamanho em pleno jogo do Brasil com o tal ChargeBrazil e não com a sua marca?

Responder

Democracia ou o poder dinheiro? | Marcos Aurélio

30/06/2013 - 13h52

[…] por Luiz Carlos Azenha (No Viomundo, aqui) […]

Responder

Urbano

30/06/2013 - 13h46

E do primoroso caráter do William Blum há muitos norte-americanos, inclusive em destaque no mundo todo.

Responder

    Urbano

    30/06/2013 - 13h53

    Sim pessoal! Nunca confundam Blum com boné, certo?

    Urbano

    30/06/2013 - 18h35

    O ‘confundam’ é silepse de número (rsrsrs)…

Deixe uma resposta