VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.

Rogério Correia: Para proteger Aécio, Gurgel mantém ação na gaveta

31 de maio de 2013 às 17h42

Fotos: Elza Fiúza e Antonio Cruz/ABr

por Conceição Lemes

Em 31 de maio de 2011, os deputados estaduais de Minas Gerais Rogério Correia (PT) e os colegas Luiz Sávio de Souza Cruz e Antônio Júlio, ambos do PMDB, foram a Brasília.

Entregaram pessoalmente ao procurador-geral da República, Roberto Gurgel,  representação denunciando o senador Aécio Neves (PSDB) e a irmã dele, Andrea Neves, por ocultação de patrimônio e sonegação fiscal (detalhes AQUI).

Gurgel fez questão de ir com os parlamentares até o setor de protocolo da Procuradoria Geral da República (PGR). Aí, a representação recebeu o número 1.00.000.006651/2011-19.

Em 17 de fevereiro de 2013, o Viomundo publicou esta reportagem:“Se o Gurgel não abrir inquérito contra o Aécio estará prevaricando”.

Fazia 22 meses e 17 dias que a representação contra Aécio e a irmã  estava na gaveta do procurador-geral.

Esta semana esta repórter contatou novamente a assessoria de imprensa da PGR para saber se havia alguma novidade sobre a representação.

Resposta da assessoria da imprensa ao Viomundo: “O processo continua sob análise do PGR”.

Ou seja:

1. Hoje, 31 de maio de 2013, faz dois anos que a representação contra Aécio e Andréa Neves está na gaveta de Gurgel.

2. Faz lembrar a representação do ex-senador Demóstenes Torres, que dormiu lá por mais de  dois anos.

3. Fica cada vez mais evidente a parcialidade e o partidarismo do procurador-geral da República. Enquanto as ações contra integrantes do Partido dos Trabalhadores andam rápido, as contra os opositores do PT se arrastam, isso quando não são arquivadas quase de pronto.

“A representação que entregamos há dois anos ficou escondida na gaveta de Gurgel”, condena Correia. “O procurador está deixando o cargo em menos de dois meses sem abrir inquérito para averiguar as denúncias nem dar qualquer explicação à sociedade. Ao que tudo indica terá prevaricado para proteger Aécio e o PSDB.”

“Mas a máscara do senador Aécio Neves está caindo”, afirma Correia. “O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) confirmou o andamento de duas ações importantes que o envolve. Em uma, ele é réu. Deve responder pelo desvio de R$ 4,3 bilhões  de verba da saúde.”

[Gostou deste conteúdo? Ajude a Conceição Lemes a investigar os planos de saúde vagabundos que agem no Brasil]

Representação contra Aécio Neves à Procuradoria Geral da República by Conceição Lemes

 

Leia também: 

Rogério Correia: “Valério operou ao mesmo tempo para o Aécio e o PT”

 

67 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Rogério Correia: Depois de arquivar ação contra o Aécio, só falta o Gurgel assinar a ficha do PSDB - Viomundo - O que você não vê na mídia

17/08/2013 - 10h19

[…] Rogério Correia: Para proteger Aécio, Gurgel mantém ação na na gaveta. Conheça-a  […]

Responder

Gurgel rejeita tentativa de investigar Land Rover de Aécio - Viomundo - O que você não vê na mídia

16/08/2013 - 14h26

[…] Rogério Correia: Para proteger Aécio, Gurgel mantém ação na gaveta […]

Responder

Cadeia Para Gurgel Já!

14/08/2013 - 06h33

Eu não sei fazer isso, mas que tal começar um daqueles abaixos-assinados pedindo “CADEIA PARA ROBERTO GURGEL CACHOEIRA JÁ?” Daqui a poucos dias ele desce para a planície…Cadeia para esse prevaricador!!! Cúmplice de Demostenes e Cachoeira ele já é!!! Agora será também de Aécio! Organizem um abaixo assinado para livrar o Brasil desse tipo de bandido!

Responder

leonardo brito

13/08/2013 - 21h27

Será que um mal aflige os procuradores ?? O Brindeiro blindou FHC e sua turma e o Gurgel blindou os opositores do PT. Que porr.. é esta meus caros blogueiros ? E o pior é que o Lula nomeou este Gurgel malandrinho.

Responder

Votação do projeto da terceirização fica para setembro - Viomundo - O que você não vê na mídia

13/08/2013 - 20h31

[…] Rogério Correia: Para proteger Aécio, Gurgel mantém ação na gaveta […]

Responder

Propinoduto do metrô teria irrigado lista de Furnas no governo FHC - Viomundo - O que você não vê na mídia

13/08/2013 - 13h52

[…] Rogério Correia: Para proteger Aécio, Gurgel mantém ação na gaveta […]

Responder

GURGEL E AÉCIO! | O LADO ESCURO DA LUA

27/06/2013 - 08h19

[…] envolve. Em uma, ele é réu. Deve responder pelo desvio de R$ 4,3 bilhões de verba da saúde.” http://www.viomundo.com.br/denuncias/rogerio-correia-para-proteger-aecio-e-o-psdb-gurgel-mantem-acao… Share this:Like this:Like Loading… Tags: PGR Comments RSS […]

Responder

Altamiro Borges: Indústria cresce, Aécio, de ressaca - Viomundo - O que você não vê na mídia

04/06/2013 - 23h15

[…] Rogério Correia: Para proteger Aécio, Gurgel mantém ação na gaveta […]

Responder

Barbosa e ex-procurador esconderam provas que poderiam mudar julgamento - Viomundo - O que você não vê na mídia

04/06/2013 - 11h17

[…] Rogério Correia: Para proteger Aécio, Gurgel mantém ação na gaveta […]

Responder

BARBARA

03/06/2013 - 14h13

#foraaecio#chegadementiras

Responder

Luiz Carvalho

03/06/2013 - 13h58

Eles estão desesperados. Inventam um escândalo a cada dia contra o PT e sentam em cima das denúncias e provas contra o queridinho das elites. Mas esquecem de combinar com o povo brasileiro, que não quer recuar nos avanços obtidos nos últimos anos.

Responder

Luiz Carvalho

03/06/2013 - 13h53

Aécio, MP, PGR, mídia e toda a direita golpista juntos. Mas o povo não é bobo. Dilma neles

Responder

Marcos Coimbra: Aécio defenderá a herança de Fernando Henrique? - Viomundo - O que você não vê na mídia

03/06/2013 - 09h33

[…] Rogério Correia: Para proteger Aécio, Gurgel mantém ação na gaveta […]

Responder

Roberto Locatelli

03/06/2013 - 09h18

A oposição está mal das pernas.

– Aébrio é réu no Tribunal de Justiça de MG por desvio bilionário de verbas;

– Marina Itaú não consegue assinaturas para criar seu partido que não é partido;

– Dudu foi desautorizado por quatro dos seis governadores do PSB, além de outras lideranças do partido.

É por isso que boa parte da direita está arquitetando um golpe de estado.

Responder

Elismar

03/06/2013 - 09h03

Aécio e Gurgel fazem complô conservador!

Responder

Heteronomia

03/06/2013 - 09h01

SAi fora Gurgel!

Responder

Marina

02/06/2013 - 23h49

Gostaria de ter acesso a alguma pesquisa sobre intenções de voto para presidente em Minas. Minha intuição é que Dilma está bem à frente do Senador ! Mesmo com a proteção do PGR,MP,TCE e mídia mineira.

Responder

    sulista indignado

    03/06/2013 - 14h20

    Está faltando aí na lista o STF.

Naiara

02/06/2013 - 23h42

As denúncias contra Aécio Neves me parecem insustentáveis. Acho que o PT está com medo do crescimento do presidenciável mineiro.

Responder

    wagner paulista de souza

    03/06/2013 - 10h47

    O Mister Ético apresenta tendência de crescimento “à rabo de cavalo”, isto é, para baixo. Saudações.

Jussara

02/06/2013 - 23h39

O que mais assusta é que com toda crise na Europa,a ofensiva conservadora no Brasil e AL aumenta! A ponto da mídia e a estrutura de Estado dar cobertura a alguém tão desqualificado como o Senador Aécio Neves!

Responder

Victor

02/06/2013 - 23h35

Será que com a entrada do novo PGR estas denúncias terão apuração?

Responder

Eduardo

02/06/2013 - 19h08

É preciso que fique registrado para a posteridade essa prevaricacão.Este é um exemplo negativo muito educativo para ser utilizado nas escolas, encontros juridicos, treinamentos de procuradores, etc.Este exemplo é marcante porque pelo que lemos, a prevaricação é evidente, a influência e os interesses são partidários, o prevaricador é servidor público e os prejuízos para o povo e a democracia são significativos. Uma Instituição dessa importância para o regime democratico não pode carregar esta acusação. A prevaricação está acontecendo ou não? Quem é responsavel na República por responder isso e agir em nome do cidadão contribuinte e eleitor?

Responder

Ricardo da Costa

02/06/2013 - 13h39

Quantos juízes cometem crimes no Brasil?? E quantos vão presos??
Juízes que engavetam provas de crimes contra políticos, são tão criminosos quantos eles…

Responder

Divino Araújo

02/06/2013 - 12h20

A PEC 33 e a PEC 37 devem mesmo ser aprovadas enorme da democracia!

Responder

Carla Rodrigues

02/06/2013 - 12h18

A aprovação da PEC 37 deverá ser computada na conta do Dr Gurgel! Quem defende o MP é o PT e está escaldado pela opção tucana do PGR!

Responder

Wilson R. Caveden (Teteia)

02/06/2013 - 10h47

[…] Do VioMundo […]

Responder

TiagoDayrell

02/06/2013 - 09h32

Dr Gurgel ,para tucano só falta falar! Tucano não fala? Então já é!

Responder

Marcelo Prates

02/06/2013 - 09h29

Espero que o sucessor do Sr Gurgel resgate a credibilidade do MP!

Responder

Ricardo

02/06/2013 - 09h28

Aecim em Minas é sinal de sujeira escondida debaixo de tapete! A mídia faz a varredura!

Responder

Leandro Fortes: Como R$ 280 mil foram "parar" com Protógenes - Viomundo - O que você não vê na mídia

02/06/2013 - 09h26

[…] Rogério Correia: Para proteger Aécio, Gurgel mantém ação na gaveta […]

Responder

João Pedro

01/06/2013 - 17h20

É tão sem sentido essa acusação contra o Senador Aécio Neves, que não deve ser levada a sério mesmo!!! E não queira comparar isso um process de omissão ao Imposto de Renda, com compra de parlamentares, tenha paciência.

Responder

    Neotupi

    02/06/2013 - 14h30

    “Omissão” no imposto de renda? Quem dera fosse só isso.
    Qualquer auditor fiscal, reconhece o caso da frota de luxo na rádio, se assemelhando às clássicas fraudes fiscais.
    E a denúncia é tão séria e com os fatos falando por si como provas, que o PGR não tem como arquivar, e o jeito é empurrar com a barriga.
    Se não fosse séria já teria sido arquivada.
    Quanto à compra de deputados no governo Lula é mera ilação e interpretação política, misturando para confundir de propósito coisas que aconteceram de forma separada. Fisiologismo e caixa-2 aconteceram em paralelo, mas só o fisiologismo (que é uma política baixa, mas não é crime) teve a ver com votações no Congresso. Caixa-2 teve a ver com acordos relativos a campanhas eleitorais, o que é diferente. A única prova de compra de votos que existiu foi no governo FHC, com dois deputados confessando que receberam 200 mil para votar pela emenda da reeleição.

Rogério Correia

01/06/2013 - 16h26

Quando Gurgel sair da PGR devemos marcar comemorações no país em defesa da democracia e contra a partidarização das instituições! Os Procuradores e promotores sérios do Brasil estão nitidamente envergonhados e culpam este Sr pela PEC 37!

Responder

Luiz Dulci: "Tucanos perderam a sintonia com a maioria da população brasileira" - Viomundo - O que você não vê na mídia

01/06/2013 - 12h39

[…] Rogério Correia: Para proteger Aécio, Gurgel mantém ação na gaveta […]

Responder

Major

01/06/2013 - 12h16

Nessa foto Aécio está com uma cara de quem não dorme há uma semana. Ou melhor, com cara de quem dorme todos os dias depois das 4 da madrugada.

E o recado do garçom que recebeu do playboy mineiro 100 reais de gorjeta por ter vendido uma única dose de uísque ao dita cujo: “da próxima vez, basta ele me dar somente a gorjeta”.

Responder

Samira Silva

01/06/2013 - 12h06

Azenha, você viu essa? Houve censura no perfil Dilma Bolada por parte do Facebook Brasil. A malandragem do Facebook aconteceu na madrugada de sábado e sinaliza patrulhamento pró Aécio nas eleições de 2014.

Responder

Julio Silveira

01/06/2013 - 11h59

O Brasil vive no regime de castas, não tão as claras como na India. Mas as claras é melhor, fica mais visivel e fácil de combater. Não é a toa que a India está procurando resolver essa questão levando a seus cidadãos um entendimento novo sobre a necessidade de nivelamente de sua sociedade, proporcionando inclusive oportunidades onde antes era apenas para a casta mais elevada. Aqui as coisas não são tão explicitas, mas as castas que temos, disfarçadas, se protegem. E estão de tantas formas incrustadas na cultura nacional que até a representação popular, dos mais vulneraveis, trabalham para ela. Vejam esse cidadão, foi colocado onde está por quem? pelos representantes populares a principio. Não foi colocado lá pelos representantes das castas altas, mas pode ter sido devido as articulações deles, e que por uma completa falta de senso de posicionamento ou cumplicidade dos representantes populares, foi instado a cargo tão importante para a manutenção do equilibrio interpretativo do texto legal, para os diversos setores sociais. O Brasil tem claramente diferenças historicas de interpretação legal na relação com as classes sociais. Temos um ótima justiça, no conceito dos que a aplicam, e um conceito variavel, ótima, ou pessima, na avaliação das classes que atingem. Já pior mas ainda é muito ruim com os menos favorecidos e já foi melhor, mas ainda é muito boa para os mais favorecidos.

Responder

Vinicius Garcia

01/06/2013 - 10h36

Bem isso não é privilégio só de tucanos, principalmente na área da saúde, investigado, veremos roubo em governo estaduais e federais, indiferentes de partidos, exemplos claros: tem compra de equipamentos que no mercado tem o preço de custo de R$ 20,00, adquiridos pela bagatela de R$ 400,00, o excedente do preço, adivinha aonde vai?.
Na esfera federal existem princípios ativos de medicamentos (por exemplo: Ibuprofeno)que ficam inacessíveis para que se tenha uso um de maior custo (Arava), tornando portanto, mais fácil o superfaturamento.
Fora projetos de construção de hospitais que levam quase 10 anos para a conclusão, como aconteceu em São Paulo.
Enfim quando se trata de criatividade para desviar dinheiro da educação e da saúde, a questão extrapola os meios ideológicos-partidários, e vai muito além.
Com uma imprensa tão corrupta como veremos vir a tona tais acontecimentos?

Responder

trombeta

01/06/2013 - 10h13

Gurgel é a representação perfeita de como age a elite medieval brasileira, ferro nos desafetos políticos e omissão no caso envolvendo os compadres.

Mais do mesmo.

Responder

RicardãoCarioca

01/06/2013 - 09h59

O PGR (PGE também, nos períodos eleitorais), o chefe do MPF e do MPU, no caso, o vergonhoso politiqueiro Jô Gurgel, não tem chefe. Isso mesmo: não tem chefe.

Quem pode tirar o seu mandato:

Em crimes de responsabilidade, ele poderá ser impedido pelo Senado por maioria absoluta.

Por crimes comuns, seria julgado pelo STF.

Ou seja, parceiro ideal para o PiG e para empresários corruptos.

Numa impensável recondução, ele precisaria da indicação da Dilma e aceitação da maioria dos senadores. Da primeira, tenho minhas dúvidas; mas, no senado, tenho mais certeza de que sua indicação não passaria.

Responder

Raimundo

01/06/2013 - 09h27

Será que o povo brasileiro suportará outro Gurgel? a presidenta Dilma deverá redobrar os cuidados na escolha do próximo PGR.

Responder

Roberto Locatelli

01/06/2013 - 09h23

A Procuradoria Geral da República tornou-se um elo de ligação entre:

1- Daniel Dantas (segundo o dep. Protógenes, ele é protegido pela sub-procuradora Claudia Sampaio);

2- Cachoeira (protegido por Gurgel, segundo Collor. Por isso o senador o chama de “prevaricador”);

3- O PSDB.

Se esses três grupos se unirem, como parece estar ocorrendo, eles têm força para tomar o poder no Brasil, pois dominam a velha mídia, o stf e até parte da direção da Polícia Federal.

Responder

Kazuhiro Uehara

01/06/2013 - 09h18

Uma prova da estrutura e receita dos golpes da Máfia demotucanopps.

Responder

Jose Mario HRP

01/06/2013 - 09h02

Se voce é um cara de coração mole ou um chorão como eu não assista isso aqui:
http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=KGZE2vrkw7M

Responder

Jose Mario HRP

01/06/2013 - 08h18

Vejam só as cag#das do Gurgel e de sua esposa/parceira de crimes !!!
Vão acabar escorregando nessa M**da!

http://www.cartacapital.com.br/revista/751/mudanca-suspeita-1198.html/view

Responder

Messias Franca de Macedo

01/06/2013 - 05h40

… Robert(o) Gurgel é uma figura deplorável!…

República de ‘Nois’ Bananas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Ulisses

31/05/2013 - 23h20

E ainda temos de ver um Rodrigo Leme e um Daniel Horta tentando defender o indefensável. Não tem vergonha na cara não? As provas saem pelo ladrão e vem aqui, um chamar o PT de corrupto! Pergunto. De que? Alem do tal mentirão, qual outro escândalo o PT é acusado? Outro sempre vem com histórias, há, mas também no mentirão teve isto! Enquanto isto, escândalos do PSDB vem a roldão aqui, com provas e nada acontece e estes aí citados vem aqui escrever bobagens?

Responder

    Aline C Pavia

    03/06/2013 - 12h03

    Ulisses, não dê atenção aos resmungos dos papagaios de estimação que volta e meia vêm regurgitar suas trollagens aqui no blog. Até o meu papagaio em casa também repete qualquer bobagem que eu ensino pra ele. Se bem que o meu é criado com ração de primeira, sementinha de girassol, quirera, alpiste, agüinha mineral =]]

ricardo silveira

31/05/2013 - 21h51

E pensar que o “mentirão” foi montado por esse sujeito e o STF respaldou. Essas coisas não estão separadas, a motivação é a mesma. O mesmo sujeito que protegeu Demóstenes Torres, e que agora, até prova em contrário, inventou prova contra o deputado Protógenes, supostamente a mando de Daniel Dantas, fraudando processo existente no STF é o acusador principal, junto com Joaquim Barbosa, do “mentirão”. Como é que isso vai terminar? Do jeito que está? Não pode, né? É muita desfaçatez. Tudo tem que ser esclarecido. Chega de farsa!

Responder

Urbano

31/05/2013 - 21h02

Esse sujeitim, o fubica, pela hierarquização, presta contas a quem mesmo? Porque se ele, como bem diz o Collor, vem a ser um prevaricador, então o chefe dele (tem que ter, nem que seja a prostituição, até porque pelos estupros sofridos, Constituição já era) viria a ser o quê?

Responder

J Souza

31/05/2013 - 20h51

O simples fato de as injustiças do judiciário estarem sendo denunciadas já é uma vitória para o povo, que sempre foi tripudiado por este poder elitista.

Responder

Fabio Passos

31/05/2013 - 20h47

O prevaricador, alem das suspeitas de ser comparsa de charlie waterfall, e um boneco do PiG-psdb.
Apos sair da pgr quem sabe arruma uma boquinha de colunista na veja.

Responder

PEDRO SANCHES

31/05/2013 - 19h46

É desta forma que estes déspotas que não tem votos desestabilizão Uma Nação. Cadeia neste Roberto Gurgel e no Antonio Fernando de Souza Ex-Procurador também.

Responder

MARCOS

31/05/2013 - 19h25

Xoque de gestão: São Paulo tem uma divida grega de 190 bilhões de reais.Gastaram mal.

Responder

Rodrigo Leme

31/05/2013 - 19h05

Ahn, quem apresentou denuncia contra os réus do mensalão não foi Gurgel, certo? Foi o Antônio Fernando de Souza, e ainda assim quase dois anos depois dos fatos. As conclusões do texto ficam fraquinhas assim, não?

A não ser que a autora considere 7 anos até o julgamento do crime como “rapidez” no processo.

Responder

    Francisco Hugo

    31/05/2013 - 21h27

    Em 14 de maio de 2005, a Veja divulga gravação de vídeo encomendada pelo Carlinhos Cachoeira: um tal Maurício Marinho, entrega o esquema do Roberto Jeferson nos Correios.
    “O Homem Chave do PTB”, Roberto Jefferson, o homem por trás do esquema (reportagem); “O vídeo da corrupção em Brasília” é a capa da revista assessora do Cachoeira, Veja, em 18 de maio de 2005.
    A palavra mensalão aparece no jornal Folha de S.Paulo em 6 de junho de 2005.
    Em 14 de setembro de 2005, o mandato do delator Jefferson, foi cassado.
    Em 1º de dezembro de 2005, o cassado/caçado foi o Dirceu.
    Em 11 de abril de 2006 a denúncia do “mensalão” foi efetivada pelo Procurador Geral da República, Antonio Fernando de Souza.
    Entre 22 e 27 de agosto de 2007, o Supremo Tribunal Federal iniciou o julgamento.
    Dez meses para encaminhamento de denúncia contra 40 réus em inquérito que reúne dezenas de milhares de páginas, milhares de horas de depoimentos e centenas de laudos técnicos e sindicâncias é um intencional afogadilho: não há advogado, promotor, procurador, juiz, juiz-ministro que de boa fé vá em frente na tarefa. Mas todos foram.
    O compromisso desses agentes não era com a Justiça. Era com o golpe.
    Deram votos sem terem lido o processo.
    É claro que há explicação para tamanha submissão.
    Mas, quem quer saber?
    É nesse desinteresse que os poderosos apostam.

    abolicionista

    01/06/2013 - 12h59

    Hasta la vista, baby!

    eduardo sanches

    31/05/2013 - 21h39

    Só que eram 40 réus… agora são só o playboy e a irmã. E alguém pode duvidar da denúncia? Vamos investigar pra ver se é verrdade.

Major

31/05/2013 - 18h57

E por falar em Gurgel, Conceição Lemes, veja mais esta do gordinho sinistro:

Leandro: Dantas e
a mudança do Gurgel

Até tu, Toffoli ?

O Conversa Afiada publica artigo de Leandro Fortes na Carta Capital:

Mudança suspeita

Às vésperas da aposentadoria, Roberto Gurgel, em parceria com a mulher, altera de forma inexplicável um parecer e aceita acusações falsas contra o deputado Protógenes Queiroz

por Leandro Fortes

Em boa medida, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, caminhava para uma aposentadoria tranquila. Desde a sua recondução ao cargo, em 2011, havia se tornado símbolo de um moralismo seletivo e, por consequência, ídolo da mídia. O desempenho no julgamento do “mensalão” petista o blindou de variados lapsos e tropeços, digamos assim, entre eles o arquivamento das denúncias contra o senador goiano Demóstenes Torres, dileto serviçal do bicheiro Carlos Cachoeira, como viria a demonstrar a Operação Monte Carlo.

A três meses de se aposentar, Gurgel decidiu, porém, unir-se à frente de apoio ao banqueiro Daniel Dantas. E corre o risco de se dar muito mal. Em uma decisão inusual no Ministério Público Federal, ele e sua mulher, a subprocuradora-geral da República Claudia Sampaio, alteraram totalmente um parecer redigido por eles mesmos um ano e três meses antes. Não é só a simples mudança de posição a despertar dúvidas no episódio. Há uma diferença considerável entre os estilos do primeiro e do segundo texto. E são totalmente distintas a primeira e a segunda assinatura da subprocuradora-geral nos pareceres.

O alvo principal da ação é o deputado federal Protógenes Queiroz, delegado federal responsável pela Operação Satiagraha, investigação que levou à condenação em primeira instância de Dantas a dez anos de prisão. Há duas semanas, Gurgel e Claudia Sampaio solicitaram a José Dias Toffoli, ministro do Supremo Tribunal Federal, o prosseguimento de um inquérito contra o parlamentar que a própria dupla havia recomendado o arquivamento. Pior: basearam sua nova opinião em informações falsas provavelmente enxertadas no processo a pedido de um advogado do banqueiro, o influente ex-procurador-geral da República Aristides Junqueira.

É interessante entender a reviravolta do casal de procuradores. Em 20 de outubro de 2011, documento assinado pela dupla foi enviado ao STF para tratar de questões pendentes do Inquérito nº 3.152, instaurado pela 7ª Vara Criminal Federal de São Paulo. A ação contra Queiroz, iniciada pelo notório juiz Ali Mazloum, referia-se a pedidos de quebra de sigilo telefônico do então delegado federal, de Luís Roberto Demarco, desafeto de Dantas, e do jornalista Paulo Henrique Amorim, alvo de inúmeros processos judiciais do dono do Opportunity. O parecer foi encaminhado ao Supremo por causa do foro privilegiado assegurado ao delegado após sua eleição a deputado federal em 2010.

Nesse primeiro texto, Gurgel e Claudia Sampaio anotam: “O Ministério Público requereu a declaração de incompetência do citado juízo para processo e julgamento do feito (…); a declaração de nulidade da prova colhida de ofício pelo magistrado na fase pré-processual, bem como o desentranhamento e inutilização”.

O segundo parecer é completamente diferente. Em 12 de março deste ano, o casal solicita a Toffoli vistas dos autos. Alegam, no documento, que um representante de Dantas os procurou “diretamente” na PGR com “documentos novos”. O representante era Junqueira, e os “documentos novos”, informações sobre uma suposta apreensão de dinheiro na casa de Queiroz e dados acerca de bens patrimoniais do delegado. Tudo falso ou maldosamente distorcido.

Apenas seis dias depois, em 18 de março, Gurgel e sua mulher encaminharam a Toffoli outro documento. Tratava-se do encadeamento minucioso de todas as demandas de Dantas transcritas para o papel, ao que parece, pelo casal de procuradores. Ao que parece, pois o estilo do segundo texto destoa de forma inegável da redação do primeiro. Em 11 páginas nas quais consideram “fatos novos trazidos pela defesa de Daniel Dantas”, o procurador-geral e a esposa afirmam ter cometido um equívoco ao solicitar o arquivamento do inquérito em 2011.

O novo parecer acolhe velhas teses de Dantas para explicar seus crimes. Segundo o banqueiro, a Satiagraha foi uma operação montada por desafetos e concorrentes interessados em tirá-lo do mercado de telefonia do Brasil. O Opportunity era um dos acionistas da Brasil Telecom e há quase uma década vivia em litígio com os demais sócios, a Telecom Italia e os maiores fundos de pensão do País.

A mentira incluída pelos procuradores no pedido de reabertura do caso diz respeito à apreensão de 280 mil reais em dinheiro na casa de Queiroz durante uma busca e apreensão determinada pela 7ª Vara Federal de São Paulo em 2010. Segundo Gurgel e Claudia Sampaio, “haveria registro até mesmo de conta no exterior”, e insinuam, com base em “indícios amplamente noticiados na imprensa”, que o deputado do PCdoB teria um patrimônio “absolutamente incompatível” com as rendas de funcionário público. Citam, na lista de suspeitas, dois imóveis doados ao hoje parlamentar por um delegado aposentado da Polícia Civil do Rio de Janeiro, José Zelman.

“É incrível, mas o procurador-geral da República plantou provas falsas em um processo do STF a pedido do banqueiro bandido Daniel Dantas”, afirma Queiroz. E Toffoli não só acatou o pedido da Procuradoria Geral como, na sequência, autorizou a quebra do sigilo bancário do deputado e o sigilo telefônico de Demarco. Postas sob segredo de Justiça, as medidas tomadas pelo ministro do STF só foram informadas ao deputado há 15 dias. Sua primeira providência foi exigir do STF uma certidão dos autos de apreensão e busca citados pelo Ministério Público. O parlamentar foi à sala de Toffoli. Recebido pela chefe de gabinete Daiane Lira, saiu de mãos vazias.

Queiroz solicitou a mesma certidão a Mazloum, que o condenou em 2010 a três anos de prisão por vazamentos de informações da Satiagraha. Uma fonte acima de qualquer suspeita, portanto. Segundo o parecer enviado a Toffoli por Gurgel e senhora, Mazloum ordenara a busca que resultou na apreensão dos tais 280 mil reais. O juiz enviou a certidão ao STF, mas não sem antes declarar publicamente a inexistência de qualquer apreensão de dinheiro na residência do delegado. “Isso é fantasia. Em nenhum momento apareceu qualquer apreensão de dinheiro. Acho grave uma acusação baseada em informações falsas”, afirmou o juiz na quarta-feira 29 ao blog do jornalista Luis Nassif.

O deputado encaminhou uma representação contra o procurador-geral no Conselho Nacional do Ministério Público. Na queixa, anexou diversas informações, entre elas escrituras de seus imóveis. Os documentos provam que seu patrimônio atual foi erguido na década de 1990, quando atuava como advogado e antes de ingressar na Polícia Federal. Zelman, padrinho de batismo de Queiroz, doou ao afilhado dois imóveis em 2006, bem antes da Satiagraha, portanto.

Os procuradores também miraram em Demarco, ex-sócio do Opportunity que travou uma longa batalha judicial contra Dantas.

Com base em notícias publicadas pelo site Consultor Jurídico, de propriedade de Márcio Chaer, dono de uma assessoria de imprensa e um grande amigo do ministro Gilmar Mendes, Gurgel e Claudia Sampaio voltam a uma espécie de bode na sala, um artifício batido recorrentemente evocado pelos advogados do banqueiro: a investigação em Milão de crimes de espionagem cometidos por dirigentes da Telecom Italia. A tese de Dantas, sem respaldo na verdade, diga-se, é que os italianos financiavam seus desafetos no Brasil, inclusive aqueles infiltrados no governo federal e na polícia, para persegui-lo.

Procurado por CartaCapital, Demarco preferiu não comentar o caso, mas repassou três certidões da Procuradoria da República de Milão que informam não existir nenhum tipo de investigação contra ele em território italiano.

Dantas costumava alardear, segundo o conteúdo de escutas telefônicas da Operação Satiagraha, que pouco se importava com decisões de juízes de primeira instância por ter “facilidades” nos tribunais superiores. De fato, logo após ser preso e algemado por Queiroz em 2008, conseguiu dois habeas corpus concedidos pelo ministro Gilmar Mendes em menos de 48 horas. Um recorde. As motivações de Toffoli ao atender o pedido de Gurgel e Claudia Sampaio sem checar a veracidade das informações continuam um mistério. A assessoria do ministro informou que ele não vai se manifestar sobre o assunto por se tratar de processo sob segredo de Justiça.

Responder

    Euler

    01/06/2013 - 01h42

    A questão toda não é saber o por quê agiram assim, mas quanto – ou quantum$$$$$$$ – levaram por fora.

    FrancoAtirador

    01/06/2013 - 02h25

    .
    .
    Destaque para a declaração do Juiz Federal Ali Mazloum
    .
    .
    Juiz Ali Mazloum nega apreensão de dinheiro na casa de Protógenes

    Por Luis Nassif, no Jornal GGN

    Juiz titular da ação que resultou no inquérito contra Protógenes Queiroz, o juiz Ali Mazloum negou qualquer apreensão de dinheiro nas buscas efetuadas na casa do deputado Protógenes Queiroz, conforme sustenta o parecer assinado pelo Procurador Geral da República Roberto Gurgel e por sua esposa, a subprocuradora Carmen Sampaio:

    “Isto é fantasia. Em nenhum momento apareceu qualquer apreensão de dinheiro. Acho grave uma acusação baseada em informações falsas”, afirmou o juiz.

    A denúncia da Procuradoria Geral da República baseia-se fundamentalmente nessa informação para solicitar a quebra dos sigilos fiscal, telefônico e bancário de Protógenes.

    Ambos, mais o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Tofolli, devem explicações sobre episódio.

    Segundo Protógenes, no dia 15 de maio ele esteve no STF e alertou pessoalmente dois assessores de Tofolli sobre o documento falsificado. Eles teriam analisado o inquérito na sua frente e comprovado a falsificação.

    Mesmo assim, Tofolli convalidou o pedido de Gurgel.

    O Jornal GGN enviou ontem perguntas ao ministro sobre o episódio. Até às 15h30 de ontem [28], o gabinete do ministro ainda não havia respondido a elas.

    O histórico suspeito

    O juiz Ali está acima de qualquer suspeita. Partiu dele a autorização para a busca e apreensão na casa de Protógenes que resultou, posteriormente, no inquérito visando apurar os supostos telefonemas trocados entre ele e o empresário Luiz Demarco.

    Se não houver explicações plausíveis, o sistema judiciário brasileiro estará passando pelo mais grave escândalo da sua história, envolvendo a PGR e um ministro do STF.

    Daniel Dantas havia conseguido trancar a ação da Satiagraha no Superior Tribunal de Justiça (STJ) alegando irregularidades e abusos de poder. Protógenes reagiu, denunciou o fato na Câmara, e o processo subiu para o STF.

    Para fortalecer sua defesa, Dantas encaminhou denúncia contra Protógenes, com base em dois fatos:

    O vazamento de informações para a TV Globo, que filmou a prisão dos suspeitos.

    A participação da Abin (Agência Brasileira de Inteligência) nas investigações.

    A acusação se mostrou frágil, porque havia áudio, vídeo e apreensão de propina.

    No dia 16 de fevereiro de 2012, o casal Carmen Sampaio-Roberto Gurgel opinou pelo não recebimento da denúncia. Quando o MPF opina pelo arquivamento, cessa o processo.

    Toffolli deu o “arquive-se”, mas decidiu submeter ao pleno do STF para homologação.

    As acusações iniciais eram frágeis para conseguir mudar os votos no STF.

    A defesa de Dantas mudou a linha anterior e pretendeu provar que a Satiagraha teria sido financiada por grupos nacionais e internacionais interessados em afastá-lo dos negócios de telefonia.

    No dia 12 de março de 2013 tudo mudou. Dantas contratou os advogados Nabor Bulhões e Aristides Junqueira (ex-procurador geral da República), que foram até Gurgel com novos documentos.

    Seis dias depois, no dia 18 de março, Carmen e Gurgel firmaram outro parecer acatando as denúncias contra Protógenes, o jornalista Paulo Henrique Amorim, o empresário Luiz Demarco, o delegado Paulo Lacerda e um agente da Abin. Dos cinco, o casal escolheu Protógenes para a quebra dos sigilos bancário, fiscal e telefônico.

    A denúncia baseou-se em “indícios amplamente noticiados pela imprensa” sobre o suposto enriquecimento de Protógenes e os tais R$ 280 mil em dinheiro, que teriam sido apreendidos em sua casa.

    Se o dinheiro efetivamente constasse do auto de apreensão, não seria fato novo. De acordo com Gurgel, o “fato novo” foi o fato do investigado não ter justificado a origem do recurso “até agora”.

    Estamos em contato com o gabinete do ministro Dias Tofolli e da Procuradoria Geral da República para ouvir sua versão.

    Leia mais:
    *As suspeitas que Protógenes lançou sobre a Procuradoria Geral da República
    (http://jornalggn.com.br/blog/as-suspeitas-que-protogenes-lancou-sobre-a-procuradoria-geral-da-republica)
    *Toffoli sonegou informações que poderiam desmentir sua sentença
    (http://www.jornalggn.com.br/blog/toffoli-sonegou-informacoes-que-poderiam-desmentir-sua-sentenca)

Marcelo de Matos

31/05/2013 - 18h45

É assim mesmo: para proteger FHC foram usados vários esquemas. Blindagem total: l. esconderam o filho em Barcelona; 2. Rubens Ricupero disse na TV, captado pelas antenas parabólicas: “Eu não tenho escrúpulos: o que é ruim a gente esconde; o que é bom a gente fatura”. Para proteger Aécio também será montado um grande esquema midiático e judicial.

Responder

Maria Fulô

31/05/2013 - 18h29

Esse gordo safado só faz o que faz porque sabe ter o respaldo incondicional da Imprensa Golpista. Graças a Deus, em três semanas e meia estaremos livres deste câncer maligno…

Responder

    Leia

    01/06/2013 - 10h12

    Cancer maligno ? diarréia mesmo. Quantos dias faltam ? que agonia, eu conto os dias as horas os minutos e os segundos para se ver livre deste senhor.

Gerson Carneiro

31/05/2013 - 18h23

Responder

Deixe uma resposta