VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.

Por 33 votos a 31, Senado mantém entrega acelerada do pré-sal; governo Dilma assistiu; Requião pergunta: “Brasil perdeu maioria no Senado para as multinacionais do petróleo?”

24 de fevereiro de 2016 às 00h36

Captura de Tela 2016-02-24 às 00.27.04

Da Redação

Por 33 votos a 31, o Senado votou ontem à noite para manter o regime de urgência na tramitação do PL de autoria do senador José Serra que permite às petrolíferas estrangeiras explorar o pré-sal sem fazer parceria com a Petrobras.

Dezesseis senadores estavam ausentes, dentre eles os petistas Walter Pinheiro e Jorge Viana. A senadora Lidice da Mata, do PSB, também poderia ter ajudado a reverter o resultado. Eram os três votos que faltaram.

O governo Dilma assistiu ao desastre à distância.

Milhares de brasileiros, enquanto isso, debatiam no twitter o destino dos integrantes do BBB.

Uma coisa, como notamos, está umbilicalmente ligada à outra.

Só um país idiotizado aceita a entrega de seu patrimônio a preço de banana. É uma decisão que dilapida a soberania nacional ao tirar poder da Petrobras.

O argumento de Serra é de que a estatal brasileira não dispõe de fundos para tocar a exploração do petróleo no ritmo em que deveria fazê-lo.

Portanto, segundo o tucano, é preciso acabar com a exigência de que a Petrobras tenha participação de ao menos 30% na exploração de cada uma das áreas do pré-sal.

Em discurso recente no Senado, o senador Roberto Requião (PMDB-Paraná) elencou seis motivos para sua oposição ao projeto de Serra.

Primeiro: Este é o pior momento para se vender uma grande reserva de petróleo extraído a baixo custo.

Segundo: Sem o Pré-Sal a Petrobras entraria em falência
.

Terceiro: A Petrobras é fundamental para a segurança estratégica do Brasil.

Quarto: O desemprego avança no país. A Petrobras e suas operações no pré-sal são de extrema importância para a retomada do desenvolvimento e para combater o desemprego.

Quinto: A Petrobras e o Brasil devem reservar-se o direito de propriedade, exploração e de conteúdo nacional sobre o pré-sal, porque foram conquistas exclusivamente brasileiras após décadas de pesado esforço tecnológico, político e humano.

Sexto: O projeto Serra, que já era inconveniente e anti-nacional, com os baixos preços do petróleo passou a ser lesivo, um crime contra a pátria.

Requião, no discurso, estranhou a pressa para aprovar o projeto de Serra num momento em que alguns países praticam dumping de petróleo, numa guerra geopolítica. Fez a seguinte comparação: é como vender a própria casa a preço baixo com a garantia de que nossa mãe será mantida no cargo de cozinheira.

O senador paranaense também observou que o projeto de Serra está sendo tocado às pressas, sem passar por comissões, enquanto lobistas frequentam os gabinetes em nome de multinacionais como a Shell e a British Petroleum.

Repete-se, aqui, de forma atenuada, o caso da mineradora Vale, vendida a preço de banana por FHC: o ritmo de exploração do minério de ferro passou a ser ditado exclusivamente pela conveniência dos compradores e do “mercado”. Como denuncia o jornalista Lúcio Flávio Pinto, a demolição rápida de Carajás é um crime de lesa-Pátria.

O PL patrocinado pelo tucano Serra — e apoiado por Renan Calheiros, do PMDB — é visto como o primeiro passo para a entrega completa do pré-sal.

Em seguida viriam a volta do regime de concessão, aquele em que a petrolífera paga um valor adiantado ao Tesouro e fica com 100% dos lucros do petróleo extraído. É um regime que beneficia extraordinariamente as empresas estrangeiras, já que o risco de não encontrar petróleo nos campos do pré-sal é zero!

O governo Dilma já está patrocinando o desmantelamento da Petrobras, com a venda parcial ou total de vários negócios da empresa.

Não há dúvida de que a privatização da Petrobras, que Fernando Henrique Cardoso não conseguiu conduzir em seu governo, está no horizonte.

O senador Roberto Requião, no twitter, observou: “Teria o Brasil perdido a maioria no plenário do Senado para as multinacionais do petróleo? Ainda espero que não”.

Por sua vez, a Carta Maior escreveu, na mesma rede social: “Não é sugestivo destes tempos que o responsável pela funcionária-fantasma não tenha sido arguido pela mídia e lidere a entrega do pré-sal?”.

É uma referência ao fato de que José Serra emprega em seu gabinete a irmã da ex-amante de FHC, Mirian Dutra. “Meg” Dutra Schmidt bate o ponto no Senado mas não trabalha. Segundo Serra, está envolvida em um “projeto secreto”.

Com o resultado de ontem, a votação do PLS 131 segue em regime de urgência.

Como notou Paulo Henrique Amorim, a ação pública de Dilma em defesa dos direitos da Petrobras resumiu-se a publicar uma nota no Facebook.

Marta Suplicy, agora no PMDB, votou com Renan, Serra e Aécio.

PS do Viomundo: Post editado para acréscimos.

Abaixo, os mapas de votação: quem votou SIM pretendia suspender o regime de urgência.

Captura de Tela 2016-02-24 às 00.24.25 Captura de Tela 2016-02-24 às 00.24.44

O livro da blogosfera em defesa da democracia - Golpe 16

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.

Compre agora online e receba na sua casa!

2016-12-09-PHOTO-00000295
09 - dez 0

Moro escrachado na Alemanha; veja as fotos

Na Universidade de Heidelberg, na Alemanha “Lava Jato não é parcial”, diz Moro da Deutsche Welle Em palestra sobre corrupção na Alemanha, juiz federal diz que operação não é influenciada pelo jogo político. Moro chama de “infeliz” foto em que aparece rindo com Aécio Neves, mas ressalta que senador não é investigado. Entre aplausos e vaias, […]

 

24 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Peterson

25/02/2016 - 09h32

Triste!! Aos poucos o Brasil esta sendo descoberto por outros países e sendo sutilmente invadido. Fomos sabotados pelo prato da casa.

Responder

edison dias caldeira

24/02/2016 - 16h06

Concordo plenamente com o senador Requião. O PSDB já deu mostra de que quer desmontar o estado brasileiro , no governo FHC. Vamos nos unir e banir esse “‘partido” do nosso Brasil. Viva o Requião, Viva a nossa Petrobrás, Viva o Brasil.

Responder

Sidnei Brito

24/02/2016 - 12h50

Em 2010, votei em Marta Suplicy e Netinho de Paula para senadores.
Os dois que passaram foram Marta e Aloysio Nunes.
Fui muito criticado por ter votado em Netinho.
Houve até quem me dissesse coisas do tipo: “Marta tudo bem; mas Netinho…?”.
Conheci outros que votaram em Marta e Aloysio, não obstante estivessem em “campos diferentes”.
Na época, pensei um pouco sobre o assunto.
Jamais imaginei que teria motivos, sim, para lamentar meu voto para o Senado em 2010. Mas lamento não pelo meu voto em Netinho. Lamento por ter votado nessa Sra. Marta Suplicy. Poderia ter votado no Aloysio Nunes mesmo, que tudo ficaria em casa.
Não é pouca coisa que os três senadores por São Paulo sejam três entusiasmados entreguistas. Próprio do Estado da burguesia dependente e subserviente.

Responder

Isabela

24/02/2016 - 12h48

Enquanto notícia tão importante corria no Senado Federal, o JN dedicava-se na divulgação da operação acajé, mostrando a chegada do casal marqueteiro na PF de Curitiba. E ainda teve tempo de mostrar os panelaços Brasil afora feitos durante o programa eleitoral do PT exibido minutos antes. É degradante, quase desesperador. Golpistas: não passarão!!!!

Responder

Rogério Ramirez

24/02/2016 - 11h35

Tem como alguém passar o “whatsapp” do Ciro para a Dilma ?

Responder

carlos

24/02/2016 - 11h23

O modelo hondurenho criado pela CIA para a direita fundamentalista e fundamentalmente corrupta dar golpe já está consolidado por aqui instrumentalizado por uma justiça vergonhosa associada à mídia corrupta.
A justiça brasileira vai passar dados da Lava-jato para os americanos fuderem a Petrobras – maior empresa do pais e maior petrolífera do planeta, e por consequência, comprometer irremediavelmente a soberania do meu Brasil.
Que país é esse que diante de um crime de lesa-pátria e de alta traição não reage a altura? estou convencido a saída para o País é uma guerra civil.

Responder

José Luiz de Faria

24/02/2016 - 11h17

Realmente eu como patriota que sou vejo no governo Dilma a decepção de um voto jogado no lixo, está esta representando dignamente as Mulheres eu que achava que as Mulheres poderiam fazer um governo mais dignos, más infelizmente não é o que estamos vendo, está provado pára mim que o Sr. Lula governou esse País durante os 08 anos ele soube jogar, fazer política, por que fazer política dentro dessa globalização em que todos nós vivemos a qual a muitos interesses de toda ordem com grandes grupos e Milionários e toda essa elite de Ricos se não souber fazer política fica como a nossa Presidenta sendo jogada, envolvida por está raça que o que vale é o dinheiro e não as peso as.

Responder

mineiro

24/02/2016 - 10h17

nao adianta mostrar para esse povo imbecil , burro , idiota porque na proxima eleiçao ,o mesmo desgraçado , sem vergonha do eleitor corrupto vota nessa corja entreguista. pode botar na conta de quem votou nessa corja dos quintos dos infernos. eles nao sao os verdadeiros culpados nao , é o povo que votou neles é que sao os verdadeiros culpados. depois dizem que é os politicos que sao os entreguistas, traidor , corrupto , nao quem vota neles é que é corrupto , entreguista e traidor, o povo tem culpa sim no cartorio , se votou neles , sao culpado tambem. tem que parar com esse negocio , de o povo é manipulado , é enganado , nao tem nada disso, o povo é a cara do politico que elegeu. parabens povo burrooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo imbecilllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllll entregou a petrobras para os capitalistas sanguessugas.

Responder

    Hell Back

    24/02/2016 - 11h47

    Correto. Cada povo tem os representantes políticos que merece. O povo tem que sofrer muito ainda, para aprender a pensar politicamente correto. Se prepararem, que vem chumbo grosso aí.

    Carlinda

    24/02/2016 - 20h25

    Concordo com vc Mineiro, no Brasil inteiro tem idiotas que votam em idiotas, mas em SP estes idiotas parecem dar em árvores!!!!extrapolam em muito todos os outros estados em idiotices.

Fabio

24/02/2016 - 10h16

Dilma, coveira do Brasil.
Esse governo mediocre, fraco, entreguista.
Essa senhora deveria tomar vergonha na cara e pedir para sair.
Ela não apenas destrói tudo que o grande presidente Lula construiu, como agora começa a entregar o Brasil a direita fascista e aos estrangeiros.
Essa senhora é uma vergonha absoluta para a esquerda do Brasil.
Lula 2018!!

Responder

carlos

24/02/2016 - 10h03

Eu concordo com tudo vou mais além veja:

Sem desculpa – Não é só o presidente Fernando Henrique que está desacreditado pelos cidadãos. Os índices de aprovação dos poderes Legislativo e Judiciário também caíram em relação à pesquisa anterior. Os dados mostram que a credibilidade do Senado, da Câmara e da Justiça está baixíssima: respectivamente, os índices de desaprovação são 57,8%, 53,5% e 63,3%. Prova de que o brasileiro, embora acostumado, ainda se choca com escândalos de corrupção, como o desvio de R$ 169 milhões dos cofres públicos, verba destinada para a construção do fórum trabalhista de São Paulo. Dois dos principais responsáveis pela maracutaia compunham os quadros do nosso sistema político: o ex-senador Luiz Estevão e o juiz foragido Nicolau dos Santos Neto. E nem a punição dos envolvidos no caso – a cassação de Estevão e a prisão decretada do juiz – ajudaram a salvar a imagem dos nossos Três Poderes. O tempo urge , a saída para nós brasileiros de bem é uma guerra civil.

Responder

Helena/S.André SP

24/02/2016 - 09h06

Por que se ausentaram Jorge Viana (PT), Valter Pinheiro (PT) e Lidice da Mata (PSB)? Numa votação tão importante por que viraram as costas para o governo? Vamos cobrar a ausência desses senadores.

Responder

    mineiro

    24/02/2016 - 10h24

    boa pergunta porque esses traidores , covardes se ausentaram numa votaçao importante com essa, eles tem que dar explicaçoes. se eles nao compareceram é porque esta coniventes com eles e isso é traiçao sim da patria. se nao compareceram , é a mesma coisa de ter votado com os traidores vendilhoes de patria. tem que cobrar explicaçoes desses tres ai que nao apareceram para votar. agora que esse desgoverno desgraçado e morto ta botando todo mundo nos nervos , nao a menor duvida. se o povo e os politicos de vergonha na cara , mais os movimentos sociais nao começarem a entrar na briga para valer , vai vim coisa pior ainda. ficam nessa de nao atacar esse desgoverno morto e sem rumo e por isso estao aceitando tudo calado. vao ter que romper com esse desgoverno e tomar outro rumo , dessa mulher ai que se diz pres. nao sai mais nada. e ela ainda vai pular do barco caindo em outro partido . se a madame de sp traiu o povo , alguem duvida desse fantoche de pres ? essa sujeita ja deu sinais a muito tempo que esta contra nos e ainda tem imbecil que acredita nela.

    alexandre de melo martins

    24/02/2016 - 22h23

    foram tomar cafe?
    foram pensar no futuro das crianças que o fundo soberano do petroleo garantiria?
    foram pensar na industria nacional ?
    ou foram tomar cafe pago pelo vampiro do cerra?
    mas a anta da dilma tambem não disse nada
    concorda com tudo que abafe a corrupção na petrobras.
    nós os nacionalistas estamos orfaos.

Mauricio Gomes

24/02/2016 - 07h45

Dane-se o politicamente correto, mas esses safados mereciam ser julgados como traidores por crime de lesa-pátria. Principalmente esse maldito Serra, que prometeu entregar o pré-sal Chevron e está próximo de cumprir sua infame promessa. Os paneleiros midiotizados e antenados no BBBosta acham ótimo sucatear as nossas riquezas e a soberania nacional, enquanto isso a Dilma e seu governo se acovardam com medo do barulho de panelas. PQP!

Responder

Daniel Carajelescov

24/02/2016 - 03h44

Daniel C

O barco está à deriva. Não temos governo, embora o tenhamos elegido formalmente. Governo que não governa, se acoelha, não é governo. Para golpearem Jango foi necessário que as forças armadas saíssem às ruas com seus canhões e tanques. Esse governo, por sua vez, assiste inerte a ação golpista de um simples juiz de primeira instância, provinciano, midiático, caipira, parcial. sem qualquer reação. Um burocrata deslumbrado se auto nomeia juiz universal e vem esse inepto ministro da justiça, cansativamente, bradar seu republicanismo – palavra que certamente não conhece o significado – sem qualquer contraponto, sem exigir o respeito à lei. Afinal se todos somos obrigados a observar a lei mais ainda esse funcionário público que tem o dever de a ela se submeter pois lhe cabe fazer cumpri-la. O caos judicial está aos olhos de todos e esse governo limita-se a contemplar o horizonte. Já passou da hora de nomear um ministro da justiça com autoridade e discernimento das funções do ministério. Assistimos a anarquia econômica e o desemprego de milhões de chefes de família produzidos por uma operação – lava jato – que deveria limitar-se a uma questão policial e não política. Isto só foi possível pela incompetência, covardia e preguiça de um pseudo ministro, que tudo pode ser menos da Justiça. A inércia desse governo já se reflete nessa votação da entrega do pré-sal. Nenhuma surpresa. Passou da hora de reagir, enfrentar, nominar os golpista da justiça, do congresso e da mídia, senão os golpistas nos imporão o irresponsável, incompetente e leviano homem das neves. BASTA! GOVERNAR NÃO É OBRA DE COVARDES!

Responder

    Fabio

    24/02/2016 - 10h18

    Corretíssimo.
    Estamos perdidos com essa senhora no governo.
    A direita nazista está fazendo a festa sobre esse governo morto.
    Vergonha!

    mineiro

    24/02/2016 - 10h36

    todos nos sao culpados disso tudo, nos tambem nos iludimos com o tal pacto de classes com o lulinha paz e amor. nos tambem acreditamos nisso , tanto que acreditamos que o lula lançou esse fantoche de pres. que nunca foi politica e muito menos humilde é que chegamos a isso. os erros veio la de traz , so que o lulinha paz e amor nao contava que a elite nos odeia e odeia mais ainda ele e seu partido covarde que beija a mao para entrar na casa grande. entao nao podiamos esperar outra coisa , tinha que dar nisso . nos estamos na mao de um juizinho facista da direita a serviço da mesma , com o apoio da elite , do congresso , do senado , do pig e de todo o judiciario. e esse fantoche de pres. que é arrogante ate o ultimo fio de cabelo , nao aceita nada que vem de fora , ela quer afundar e levar todo mundo. a verdade é essa e nao tem como discutir.

Francisco

24/02/2016 - 03h35

Certo mesmo estava o pessoal na abertura da Copa…

Responder

Luiz

24/02/2016 - 01h22

Não vejo a hora dessa senhora sumir do mapa. Que decepção!! Parece que piora com o tempo. Ela está ajudando a oposição a acabar com o Brasil. Sem contar a ausência total do Governo em defender Lula desses ataques sórdidos. Essa senhora é sofrível como presidente e política.

Responder

    Jose Rangel

    24/02/2016 - 01h45

    Olha quem votou nao, coxinha amestrado.

    Hell Back

    24/02/2016 - 12h08

    Olhe de onde veio o projeto (Serra do PSDB) apoiado pelos partidos conservadores. Votar, não é função de um presidente. Quem votou foi o Congresso (Câmara Federal e Senado Federal) e portanto tem toda a culpa. Um presidente só assina ou não assina um projeto que passou pelas duas casas. É claro que não podemos isentar de culpa o primeiro mandatário da nação, até porque foi a escolha de seus inconsequentes ministros de estados que nos levaram a essa situação.

Deixe uma resposta