VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.

O escracho do homem que gostava de humilhar presas políticas

04 de abril de 2014 às 20h25

sugerido por Guilherme Weimann, via Facebook

 Veja também:

Roda Viva: Os golpes de Almino Afonso nos entrevistadores

 

18 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

MARIA LUIZA SOUSA BARBOSA

30/10/2014 - 19h27

gOSTARIA DE CONSEGUIR O TELEFONE- E-MAIL DA GILSE.Sou a DIIZA de Crateús, cidade onde ela morou nos tempos da cladestinidade do partido.

Responder

    Conceição Lemes

    30/10/2014 - 19h48

    Maria Luíza, vou tentar. abs

Paulo Pavaneli

07/04/2014 - 12h41

A César o que é de César… a Calandra o que é de Calandra… passar o Calandra numa calandra…

Responder

ASSASSINOS!

07/04/2014 - 10h15

Deveriam dizer o endereço e as coordenadas da casa do torturador aparecido calandra, o doutor ubirajara.

Responder

    MARCOS ALENCAR

    07/04/2014 - 12h03

    Eu também adoraria saber, gostaria que houvesse uma divulgação geral. A justiça quando falha, abre espaço para a JUSTIÇA com as próprias mãos.

Lopes

06/04/2014 - 17h40

Estão vacilando… vão deixar os torturadores contar a versão deles nos tribunais?

Responder

JoãoP

06/04/2014 - 14h40

Valeu meninas e meninos! Vida longa para vocês, muita saúde e disposição para enfrentar coxinhas e filhotes da ditadura. Vocẽs é que vão construir o futuro do nosso Brasil.

Responder

M Cruz

05/04/2014 - 19h02

É isso aí, tem que incomodar o tempo todo os torturadores, empresários e mídia pró-ditadura para que não tenham paz enquanto existirem. 64 NUNCA MAIS!!!!

Responder

FrancoAtirador

05/04/2014 - 14h14

.
.
“Manusearam meu corpo,
torceram o bico dos meus seios
e enfiaram a mão em mim.
Um dia, eu estava arrebentada,
depois de ter sido torturada das 19h até as 5h da manhã,
quando fui estuprada pelo sargento Leo, da PM”,
conta Gilse Westin Cosenza.

Quando foi presa, aos 25 anos, Gilse era vice-presidente do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da PUC Minas.

Ela foi levada para a cadeia com o marido, o vice-presidente do DCE da UFMG, o estudante de economia Abel Rodrigues Avelar.

Os dois pertenciam à organização Ação Popular (AP).

De todas as sessões de humilhação sofridas pela então estudante do curso de serviço social, para Gilse a pior envolveu a filha Juliana, aos 4 meses.

“A passagem mais barra pesada,
de tudo o que relatei à comissão de Minas,
envolveu minha filha, que hoje está bem, tem 43 anos,
é analista de sistemas e trabalha no TRE, no Rio de Janeiro.
Na época, eles quase me enlouqueceram dizendo que iriam pegá-la,
que eles iriam encontrá-la onde ela estivesse
e que eu deveria falar o que eles queriam ouvir.
Com todas as minhas forças, eu desejei ficar louca antes”,
desabafa a militante, que 15 dias antes de ser presa
havia entregado o bebê à irmã Gilda, casada com Henrique Sousa Filho,
o cartunista Henfil, que ela chama de Henriquinho.

Ao reencontrar a filha, Juliana estava perto de completar 2 anos.
Só então aprendeu a falar ‘mamãe’ e ‘papai’, conhecendo os próprios pais.

No longo período em que permaneceu presa, Gilse não apenas não enlouqueceu,
como também nunca desistiu de lutar pela volta da democracia no Brasil.

“Sou privilegiada.
Muitos ficaram afetados psicologicamente pela tortura
e nunca conseguiram se reerguer.
Em cada uma das famílias brasileiras que viveram na nossa época,
é rara aquela que não tem uma pessoa morta, torturada, banida do país
ou que tenha perdido o emprego durante o regime militar”, compara.

Ela promete:
“Os torturadores ainda estão impunes.
Jurei que enquanto estiver viva
não vou parar de lutar por um país justo para nossos filhos”.

(http://ditaduraverdadesomitidas.blogspot.com.br/2012/04/gilse-cosenza-mais-uma-vitima-da.html)
(http://www.vermelho.org.br/mg/noticia.php?id_noticia=186479&id_secao=76)
(http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=150486&id_secao=61)
(http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2014-04/filhos-de-perseguidos-pela-ditadura-sao-anistiados-pelo-ministerio-da-justica)


15 dias antes de ser presa, Gilse Consenza
entregou a filha Juliana de 4 meses à irmã Gilda (foto),
casada com o cartunista Henfil (http://migre.me/iEJWX)


Em agradecimento ao acolhimento de Gilda,
Gilse deu o nome da irmã à sua segunda filha.
(na foto, ao lado de Henfil com Juliana)
.
.

Responder

    FrancoAtirador

    05/04/2014 - 18h50

    .
    .
    “ANISTIA É PARA OS PERSEGUIDOS, NÃO PARA OS PERSEGUIDORES”
    .
    .
    Publicado em 04.04.2014

    Comissão de Anistia: os filhos e filhas perseguidos pela ditadura

    Por Osvaldo Bertolino, no Portal da Fundação Maurício Grabois

    Na tarde da sexta-feira (4), ocorreu, na Câmara Municipal de São Paulo, a solenidade de abertura da 81ª edição da Caravana da Anistia, dedicada às filhas e aos filhos de perseguidas e perseguidos políticos.

    O evento é uma parceria da Comissão de Anistia do Ministério da Justiça com a Câmara de Vereadores paulistana, a Fundação Maurício Grabois e a Comissão da Verdade Rubens Paiva, do Estado de São Paulo.

    A solenidade foi aberta pelo presidente Paulo Abrão e contou as partições dos seguintes conselheiros: Juvelino José Strozake, Rita Maria de Miranda Sipahi, Marlon Alberto Weichert, Marina da Silva Steinbruch.

    Em sua intervenção inicial, Paulo Abrão disse que o evento ocorre em momento especial, quando os democratas lembram a passagem dos 50 anos do golpe militar no Brasil.
    Segundo ele, esta é uma semana para reflexão a respeito do erro de se romper com as instituições, com a Constituição, com a democracia para instituir um regime de restrição às liberdades públicas.

    “Semana em que discutimos e refletimos para tomarmos consciência de que essa grande violência ocorrida há 50 anos, cujas consequências são sentidas até hoje, não foi provocado por ato de voluntarismo de determinadas pessoas, mas, sim, estimulada por um ambiente de Guerra Fria e apoiada por outras nações que a partir de então impuseram a toda a nossa América Latina um conjunto de ditaduras”, destacou.

    Paulo Abrão disse ainda que as perseguições e o apoio internacional ao golpe militar no Brasil também não se deram “gratuitamente” e ocorreram em um ambiente de enfrentamento, de combate, de perseguições, ao pensamento socialista e comunista.

    “Boa parte dos processos que estão na pauta hoje se relaciona com esse grupo político e, portanto, essa é a principal conveniência e oportunidade de termos uma caravana com esse enfoque nesta semana dos 50 anos do golpe”, disse ele. Os 24 processos da pauta, enfatizou, têm em comum a característica de se tratar de filhas e filhos do exílio, da clandestinidade.

    A Comissão de Anistia, de acordo com Paulo Abrão, tem a oportunidade de dar visibilidade à brutalidade do regime ditatorial sobre a vida das crianças, de fazer a sociedade perceber que os danos impingidos a um perseguido político são “transgeracionais” — seus efeitos também são “transgeracionais”, destacou —, de deixar desnudados os limites de um programa de reparação.

    “O que vamos ouvir aqui hoje são histórias desses filhos e filhas. E preciso dizer, desde já, deixar registrado, que muitas dessas violações, dessas perseguições, muitos desses prejuízos na vida desses filhos e filhas se confundem com as próprias violações dos direitos dos pais. Mas eles têm peculiaridades próprias”, enfatizou.

    Segundo Paulo Abrão, se não é possível, de uma forma tradicional, denominar esses filhos e filhas de perseguidos políticos, todos são, de forma inconteste, atingidos por atos de exceção.

    “É isso que a nossa legislação estabelece. Tem direito à anistia todas as pessoas atingidas por atos de exceção. Isso é o que está escrito na Constituição”, esclareceu, ressalvando que
    a anistia é para os perseguidos, não para os perseguidores.

    Paulo Abrão esclareceu também que a legislação ainda tem lacunas, pois foi elaborada segundo uma lógica que considera primordialmente a condição econômica do perseguido político.

    (http://grabois.org.br/portal/cdm/noticia.php?id_sessao=28&id_noticia=12833)


    JULIANA e GILDA CONSENZA AVELAR,
    filhas de Abel e Gilse,
    anistiadas junto com:

    ANDRÉ ALMEIDA CUNHA ARANTES
    e PRISCILA ALMEIDA CUNHA ARANTES
    filhos de Aldo Silva Arantes
    e Maria Auxiliadora de Almeida Cunha Arantes.

    ANDRÉ LUIS LEIRO RABELO
    e CELINA LEIRO RABELO
    filhos de José Renato Rabelo
    e Conceição Leiro Rabelo.

    IRACEMA GUISONI
    filha de Divo Guisoni
    e Raquel Felau Guisoni.

    GILSE BARBOSA GUEDES,
    JORGE BARBOSA GUEDES
    e MAYRA BARBOSA GUEDES
    filhos de José Luiz Moreira Guedes
    e Nair Barbosa Guedes.

    JULIETA SILVANY RODRIGUES LIMA,
    LENE SILVANY RODRIGUES LIMA SANTOS
    e VALERIA RODRIGUES LIMA GRADIN
    filhas de Haroldo Borges Rodrigues Lima
    e Solange Silvany Rodrigues Lima.

    JORGE LUIZ GUIMARÃES PANZERA,
    MAURÍCIO GUIMARÃES PANZERA
    e MAURO GUIMARÃES PANZERA
    filhos de Marcos Casteli Panzera
    e Eneida Canedo Guimarães.

    FLÁVIA MACEDO E CASTRO
    e JOÃO PAULO MACEDO E CASTRO
    filhos de Celso Afonso Gay de Castro
    e Sandra Iglesias Macedo

    KÁTIA ELISA PINTO
    filha de Onofre Pinto
    e Idalina Maria Pinto

    IRACEMA DUVAL DA SILVA SANT’ANNA OLIVEIRA,
    MOEMA SEFFRIN CUSTÓDIO
    e URUBATAN DUVAL DA SILVA
    filhos de José Wilson da Silva
    e Isaura Duval da Silva

    FRANCISCO LEONEL FERREIRA MARTINS
    filho de Manoel Custódio Martins
    e Célia Ferreira Martins

    GABRIELA MAYA
    filha de Leôncio de Queiroz Maia

    (https://www.facebook.com/permalink.php?story_fbid=646126888788625&id=477823608952288)
    .
    .
    Assista:

    AS CRIANÇAS E A TORTURA

    Por Luiz Carlos Azenha, na TV Record

    Série completa de reportagens aqui:

    (http://www.viomundo.com.br/denuncias/edson-teles-a-voz-era-de-minha-mae-o-rosto-nao-parecia.html)


    .
    .
    Leia também:

    A VERDADE É REVOLUCIONÁRIA
    (http://site.cfp.org.br/wp-content/uploads/2013/12/VerdadeRevolucionariaFim.pdf)

    68 A GERAÇÃO QUE QUERIA MUDAR O MUNDO
    RELATOS
    (http://www.dhnet.org.br/verdade/resistencia/a_pdf/livro_mj_68_relatos.pdf)
    (http://pt.slideshare.net/propejec/livro-68-a-gerao-que-queria-mudar-o-mundo)

    Textos recomendados:

    (http://migre.me/iEQXc)
    .
    .

Jonas Moreira

05/04/2014 - 13h56

Fiquei emocionado em ver esses jovens querendo que a verdade seja conhecida por todos.
PARABÉNS!

Responder

Dilma C. Coelho

05/04/2014 - 13h19

Olá,
Eu acabei de assinar esta petição — você não quer se juntar a mim?
Para: STE, Governo, Congresso
Proibição das doações de empresas a partidos políticos e candidatos…
Esta petição é muito importante e poderá fazer uso de nossa ajuda. Clique aqui para saber mais e assinar:
http://www.avaaz.org/po/petition/STE_Governo_Congresso_Proibicao_das_doacoes_de_empresas_a_partidos_politicos_e_candidatos/?mMtZYeb
Muito obrigada

Responder

Flavio Lima

05/04/2014 - 11h05

Muito bom, garotada!

Responder

Adriano Medeiros Costa

05/04/2014 - 10h14

Parabéns!!!

Responder

Denise

04/04/2014 - 23h51

Há jovens sérios e que pensam!!! Ufa!! Há esperança!

Responder

MArcelo

04/04/2014 - 21h50

Parabéns a essa turma que mostra que a história não pode ser escondida! Orgulho dessa nova geração!!

Responder

Urbano

04/04/2014 - 21h33

Com as torturas, assassinatos, estupros e tantas outras vilanias perpetradas, os bandidos da ditadura fascista desceram à condição tão abjeta, que os mais asquerosos vermes se recusariam a descer.

Responder

Marat

04/04/2014 - 20h54

Num país que o poder público não se faz presente, e existe uma justiça que ora é ausente, ora conivente com a casa grande, as pessoas só sabem da verdade pelos atos corajosos de alguns cidadãos. Muito bom!!!

Responder

Deixe uma resposta