VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.
Cartas de Minas
Cartas de Minas

Insegurança na Petrobras matou 300 trabalhadores nos últimos 16 anos

26 de agosto de 2011 às 11h34

Petroleiros atendem ao chamado da FUP e exigem um basta à insegurança na Petrobrás

da FUP

Nesta quinta-feira, 25, mais uma vez, os petroleiros se mobilizaram em memória dos companheiros mortos em acidentes de trabalho no Sistema Petrobrás. De norte a sul do país, a categoria exigiu um basta à insegurança crônica que mata e mutila trabalhadores, principalmente os terceirizados. Somente em agosto, foram oito mortes por acidentes de trabalho na empresa. Todas com trabalhadores terceirizados. Desde o início do ano, já chega a 11 o número de vítimas da insegurança na Petrobrás, que já matou 300 petroleiros nos últimos 16 anos, dos quais 243 eram tercerizados.

As mobilizações por segurança na Petrobrás começaram na segunda-feira, 22, com uma greve na Bacia de Campos, onde os trabalhadores de 12 plataformas protestaram contra o trágico acidente aéreo da última sexta-feira, 19, que vitimou quatro trabalhadores. Nesta quinta-feira, 25, o Dia Nacional de Luta indicado pela FUP foi marcado por paralisações, protestos e atrasos na entrada do expediente, na maior parte das bases operacionais e administrativas da empresa. Os petroleiros de São Paulo iniciaram às 5h da manhã de hoje uma parada de produção de 24h na Replan, que seguirá até o fim da madrugada desta sexta. Em Minas Gerais, os trabalhadores da Regap e da Termelétrica Aureliano Chaves também cortarão a rendição nos grupos de turno por 24h, a partir da meia noite de hoje.

Nos demais estados, os petroleiros realizaram atos e atrasos na entrada do expediente nas refinarias, áreas de E&P, terminais, unidades administrativas, entre outras bases da Petrobrás. Na Reduc, em Duque de Caxias, o Sindipetro distribuiu galhos de arruda para os trabalhadores se protegerem dos riscos diários a que são expostos. Em Pernambuco, um petroleiro protestou com ataduras e esparadrapos no corpo, em frente ao prédio administrativo da Petrobrás, em Recife, colocando em xeque as práticas das gerências de subnotificarem acidentes com afastamento, obrigando os trabalhadores a permanecerem em suas unidades acidentados.

Na Argentina, refinaria da Petrobrás pode ser interditada por falta de segurança

O governo da Província de Buenos Aires intimou a Petrobrás a apresentar até amanhã, 26,  um plano de segurança para a refinaria Ricardo Eliçabe, em Bahía Blanca, onde um trabalhador morreu no último dia 10, durante uma explosão que feriu outro petroleiro. Na semana seguinte ao acidente, um outro incêndio assustou os trabalhadores da refinaria, mas foi controlado a tempo e não houve feridos.

“Devido aos reiterados incidentes na refinaria da Petrobras na cidade de Bahía Blanca, a empresa está intimada a cessar as atividades se, em um prazo de 72 horas, não apresentar e colocar em prática um plano que contemple as ações necessárias para garantir as condições de segurança. O plano deve contemplar as medidas necessárias para garantir o bom funcionamento no que diz respeito à infraestrutura e às condições de trabalho do lugar, e deve-se realizar uma avaliação externa para proteger a integridade e a saúde de seus trabalhadores, da comunidade e do meio ambiente”, informaram os órgãos ambientais de Buenos Aires, em nota divulgada pelo governo.

Acompanhe o Dia Nacional de Luta por Segurança no Sistema Petrobrás

AM – Na Reman, os trabalhadores de turno e do setor administrativo atrasaram em 45 minutos a entrada do expediente. O movimento teve apoio dos metalúrgicos do Amazonas, dos trabalhadores da construção civil e das centrais sindicais, CUT e CTB.

CE – Os trabalhadores das unidades da Petrobrás e da Transpetro realizaram em todos os setores cinco minutos de silêncio, em homenagem aos companheiros mortos e em protesto contra a insegurança que tem tornado os acidentes de trabalho uma rotina na empresa. Na Transpetro, em Maracanaú, os trabalhadores realizaram atrasos de meia hora na entrada do expediente e suspenderam a emissão de PTs na unidade de gás.

PE/PB – Em Pernambuco, a mobilização começou na sede administrativa da Petrobrás, em Recife, com atrasos de 1h30 na entrada do expediente. A mobilização teve adesão de trabalhadores próprios e terceirizados, que durante o ato, assistiram a simulação de um petroleiro acidentado.

BA – Os petroleiros da Bahia realizaram um ato ecumênico em homenagem aos cinco trabalhadores mortos na última semana. A manifestação aconteceu no Trevo da Resistência, próximo a RLAM. No terminal de Taquipe, os trabalhadores atrasaram a entrada do expediente. Nesta sexta-feira, 26, as mobilizações continuam no Conjunto Pituba.
ES –
Nas bases do Espírito Santo, houve duas mobilizações. No aeroporto de Vitória, onde os petroleiros embarcam para as plataformas P-34 e P-57, o Sindipetro-ES realizou um ato, explicando aos trabalhadores a gravidade do atual caos aéreo existente no Sistema Petrobrás. A outra manifestação aconteceu no campo de produção terrestre, Fazenda Alegre, situado no norte do Espírito Santo. Cerca de 400 trabalhadores próprios e terceirizados atrasaram em 2h a entrada do expediente.

Duque de Caxias – Os trabalhadores de turno e do setor administrativo da REDUC atrasaram em 2h a entrada do expediente na refinaria. O Sindipetro-Caxias realizou um ato durante toda a manhã, enfatizando a urgência na mudança do sistema de saúde e segurança da empresa, distribuindo galhos de arruda para os trabalhadores.

NF – No Norte Fluminense, as paralisações foram realizadas na segunda-feira, 22. Os trabalhadores realizaram uma greve em 12 plataformas da Bacia de Campos, em protesto contra o trágico acidente com o helicóptero da empresa Senior, que vitimou quatro trabalhadores, na última sexta-feira, 19. Hoje, o sindicato esteve presente no aeroporto de Macaé, para, mais uma vez, prestar homenagem, não só aos companheiros mortos na Bacia de Campos, mas a todos os trabalhadores que perderam suas vidas por causa dos acidentes fatais no Sistema Petrobrás.

MG – Os trabalhadores da Regap e da Termelétrica Aureliano Chaves iniciarão à meia noite de hoje uma paralisação, com cortes na rendição dos turnos.

Unificado-SP – Em São Paulo, além da paralisação de 24h na Replan, os trabalhadores próprios e terceirizados do Terminal de Guararema também aderiram às mobilizações, realizando atrasos de 3h na entrada do expediente.

PR/SC – Os trabalhadores do Paraná e Santa Catarina também aderiram às mobilizações, com atrasos de uma hora na entrada do expediente da Repar. Durante todo o dia acontece a Operação Segura, uma estratégia que consiste no rígido respeito aos procedimentos de segurança. A mobilização está tendo a participação de trabalhadores próprios e terceirizados. Em São Mateus do Sul, os petroleiros da Usina do Xisto (SIX) também atrasaram de uma hora no expediente. Os trabalhadores adotaram o regime de PT única, ou seja, apenas uma liberação de Permissão de Trabalho por funcionário.

RS – Devido às fortes chuvas desta quinta-feira no Rio Grande do Sul, o Sindipetro adiou para a próxima quarta-feira, 31, a manifestação por segurança que será realizada na Refap e demais unidades do Sistema Petrobrás.

Pelo fim das humilhações nas perícias médicas

Souto Maior: Balanço de perdas e danos

Assédio moral, o fantasma no ambiente de trabalho

Presidente do Conselho de Medicina de SP condena a lei dos fura-fila no SUS

Banco Central está extrapolando suas funções ao legislar sobre questões trabalhistas

 

55 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Heloisa Villela: Em livro, psiquiatra entrega os segredos sujos da profissão « POIMENIA

08/09/2011 - 13h51

[…] VI O MUNDO Rate this: Share this:DiggPrintRedditMaisStumbleUponTwitterFacebookEmailLike this:LikeBe the first […]

Responder

Metalúrgicos são o dragão da inflação | Viomundo - O que você não vê na mídia

30/08/2011 - 12h04

[…] Insegurança na Petrobras já matou 300   […]

Responder

edv

28/08/2011 - 14h19

Segurança é uma busca constante em industrias de risco e é óbvio que apoio as campanhas por mais segurança.
Mas não vamos misturar o objetivo prático e justo do gancho para uso político.
Notar que, embora a responsabilidade seja (e deve ser) assumida pela Petrobrás, 243 são terceirizados* e o restante (~57), funcionários.
Qual o compromisso das empresas terceirizadas (privadas) com a segurança de seus funcionários?
Outra pergunta: qual o nível de acidentes nos campos "privados" do O.Médio?

(*) Em boa parte promovida por FHC no seu trabalho de esvaziamento, desconstrução e pré-privatização da "Petrobrax"…

Responder

Arno Mayer: Livres da economia, políticos poderão se dedicar às guerras | Viomundo - O que você não vê na mídia

27/08/2011 - 18h23

[…] Petroleiros: Insegurança na Petrobras matou 300 trabalhadores   […]

Responder

Julietta Blanchard

27/08/2011 - 15h59

No estado do Amazonas, os empregados terceirizados que residem no município de Carauari, após o período de embarque no Urucu são deslocados de avião para Tefé e de lá pegam um barco que demora 24h para chegar em casa. Na volta ao trabalho é a mesma coisa. Eles não recebem os direitos sobre horas e folgas gastas no deslocamento entre suas casas e o local de trabalho. Há a suspeita que algumas empreiteiras que prestam serviços à PETROBRAS no Amazonas sejam de propriedade de funcionários desta, representados por algum testa de ferro. Os sinais exteriores de riquezas de alguns fiscais e gerentes de contratos são fenomenais. Gostaria muito de ver uma auditoria séria por parte da DRT na base de operações Geólogo Pedro de Moura no Urucu-AM. Nessa história não há mocinhos

Responder

Julietta Blanchard

27/08/2011 - 15h53

Todas as denúncias publicadas pela FUP são o retrato da realidade . Os números são parte dos relatórios da própria PETROBRAS e da imprensa nos locais onde ocorrem os acidentes. Um detalhe é que há uma política de subnotificação de acidentes e existe a orientação gerencial de descaracterizar os sinistros de forma a minimizar os verdadeiros números. As certificações internacionais concedidas à Empresa no que concerne às questões sociais são uma nuvem de fumaça que escondem a verdadeira realidade. Os empregados de terceirizadas são discriminados, vítimas de assédio moral e, quando os contratos vencem, no mais das vezes as empresas desaparecem e eles não recebem o que lhes é devido. E os fiscais de contrato da PETROBRAS nada fazem. .

Responder

Pepe Escobar: Imperialismo ‘humanitário’ vai terminar em pilhagem | Viomundo - O que você não vê na mídia

27/08/2011 - 03h40

[…] A denúncia contra as terceirizações na Petrobrás […]

Responder

Luciano Mendonça

26/08/2011 - 19h18

Terceirização = precarização. Empresa de Economia Mista deve fazer concurso público (art. 37, inciso II) e ter empregados de carreira nos quadro. É o que manda a Constituição Federal. Agora, 300 mortos em 16 anos são quase 20 por ano. Só na Plataforma P36 (era FFHH) foram 11 mortos. O trânsito de São Paulo morre um motoqueiro por dia, sem falar na Construção Civil. Outro dia foram nove em obra na Bahia. A vergonha dos acidentes de trabalho atinge o público e o privado. A Petrobrás fez já muito pelo Brasil em termos econômicos e tecnológicos, mais para mim basta a descoberta do Pré-Sal.

Responder

Rafael

26/08/2011 - 19h08

Se for pesquisado desde de 1994 o período do Reichstul foi o pior período da história da Petrobras em questão de acidentes coincide com o período após quebra do monopólio, a Petrobras mudou o foco, agora o foco é lucro. Houve muita negligência em questão de segurança dos trabalhadores. Após eleição Lula os acidentes diminuíram muito, tem-se muito foco em evitar acidentes, de preservação da vida. Podem dizer que sou petista o qualquer outro adjetivo, mas os números mostram isso. O período após quebra do monopólio até 2002 ocorreram muitos acidentes, com diminuição após 2002.

Responder

Rafael

26/08/2011 - 18h59

Do teor das denúncias da FUP considere 10% como verdadeiras. Digo isso porque conheço muito bem como funciona.

Responder

    Leonardo Ribeiro

    26/08/2011 - 21h12

    Mais um… Tsc, tsc.
    Informe-se melhor, de preferência com algum petroleiro que, à época de cada acidente fatal, recebeu em seu Notes um informe oficial da própria companhia noticiando o infausto ocorrido.

    Rafael

    26/08/2011 - 21h34

    Eu sou petroleiro.

    Leonardo Ribeiro

    27/08/2011 - 15h08

    Então leia seu Notes.

    Bonifa

    27/08/2011 - 16h22

    Vamos ver isso. A Petrobrás não pode errar mais do que 10% dos 10% do admissível. A empresa tem que ser modelo dos modelos, porque a mídia, que ignora as horripilantes fraudes na segurança das petroleiras americo-européias, denunciará como crime hediondo um mero arrebite mal pintado na Petrobrás.

    Nilton

    28/08/2011 - 11h15

    Pelo jeito vc não conhece 10% do que fala…

ZePovinho

26/08/2011 - 18h59

Depois que se coloca terceirizado é difícil de tirar.Terceirização é coisa pra corno,como dizia o Bob Fields.Acaba viciando o cidadão……………..

Responder

Petroleiro Anônimo

26/08/2011 - 18h43

A PETROBRAS não é uma empresa qualquer. Estamos falando de uma das maiores empresas do mundo, então não vamos piamente acreditar que ela não tem a capacidade de gerenciar uma política de segurança no trabalho – como funcionário há 10 anos, eu digo que a consciência sobre segurança do trabalho de todos os funcionários, terceirizados ou concursados, é MUITO superior a muitas empresas famosinhas por aí. Aqui onde eu trabalho, NUNCA se permite uma tarefa com risco iminente – o que ocorre é que muitos chefetes e pelegos cedem à pressão do trabalho urgente e fazem as famosas "gambiarras", ou não fazem cumprir o direito de recusa (previsto em Acordo Coletivo), ou ainda sofrem com os planos de estoque zero na manutenção empurrados goela abaixo pelas camadas superiores, tornando a manutenção preventiva muito menos eficaz do que deveria ser. Isto ocorre em qualquer empresa.

O que motiva os protestos é a irresponsabilidade desses chefetes em colocar em risco a vida do trabalhador – e nós, como petroleiros, cobramos a empresa que ela tome atitudes em relação a isto.

Responder

Vlad

26/08/2011 - 16h42

Terceirização, segundo Vlad = "Termo politicamente correto para a degradação da relação de trabalho onde o conceituado empregador se finge de morto, escondendo-se atrás da subcontratada, para poder pagar menos por mão-de-obra que fará os serviços mais perigosos, penosos e "indignos", haverá menos gastos com qualificação e treinamento continuado, menores gastos com benefícios sociais e menos respeito às normas trabalhistas e à regulamentação de segurança".

Terceirização ou Outsourcing (que é mais chique), segundo os gafanhotos neo-liberais e esquerdistas de araque adesistas lambuzados de melado =
"Moderna técnica de gestão onde parcelas das atividades da empresa são estrategicamente transferidas para outras que detêm moderna tecnologia e/ou especialização dirigida à execução das tarefas, liberando os esforços da contratante para dedicar-se ao objetivo do seu negócio, reduzindo custos, aumentando sua competitividade e maximizando os lucros".

Responder

    Bonifa

    27/08/2011 - 16h43

    O princípio da terceirização é muito correto. Não se pode crescer como empresa cuidando de tudo o que envolve o produto de seu trabalho. Porque se usa parafusos, não se deve ter uma fábrica particular de parafusos, seria antieconômico. Mas mesmo uma empresa privada, em princípio, merece segurança pública, e não privada; por ser uma instituição que diz respeito ao sustento de muitas famílias, e à produção de objetos reclamados pela necessidade de consumo de muitas pessoas. Mas se a comunidade não pode oferecer à empresa tal segurança, é justo que ela contrate uma segurança complementar. Desde que sob estrita vigilância dos órgãos de segurança públicos. O que acontece é que abusaram da terceirização, contrataram onde não se precisava e fizeram às pressas até empresas de amigos para receberem contratos terceirizados de milhões dos cofres públicos, ameaçando e amofinando os funcionários públicos legítimos para que não dessem com a língua nos dentes.

Gerson Carneiro

26/08/2011 - 15h46

Herança maldita de FHC.

Responder

Roquemar

26/08/2011 - 14h57

A Petrobras tem investido muito em ampliações no parque de refino e no E&P para garantir o aumento da produção e melhorar a qualidade dos derivados. Se faz necessario qualificar mão de obra para que os emprendimentos avancem e muitas vezes, as emprezas tercerizadas são omissas quanto a segurança de seus funcionarios,colocando em risco trabalhadores sem treinamento e noções de segurança do trabalho na industria do petroleo. A BR tem o dever de fiscalizar todas as atividades destas prestadoras de serviço e é por isso que os trabalhadores devem se mobilizar chamando a atenção da população, dos governantes e dos acionistas. A atividade da empresa é periculosa e ela deveria ter se preparado melhor antes de assumir tantos novos empreendimentos, pois um dos seus principios, é a vida em primeiro lugar.

Responder

    Leonardo Ribeiro

    26/08/2011 - 21h14

    Ôpa, companheiro, caba à contratante periciar as empresas que a ela se junta. Se a companhia não prima por isso, ter-se-á terceirizadas omissas também.
    A peleja da Fup tem sido contra as ingerências dentro da própria Petrobras.

leandro

26/08/2011 - 14h54

Isso deve ser mais uma intriga do pig. Ou então é culpa dos tucanos. Ou de fhc. Ou de Osama. Ou da revista veja. Alguem tem que ser o culpado, menos a administração petista.

Responder

Fabio SP

26/08/2011 - 14h43

Ah, ah, ah… parece piada. Há 16 anos…. No final do mandato da Dilma TUDO será há 20 anos… Isso é para cobrir a própria incompetência…

Responder

Julio Silveira

26/08/2011 - 14h14

A gravidade dessas denuncias demonstra o quanto utilizam esse intrumento publico privado para promoção midiatica, mais do que para solucionar as dificuldades da nação. Se estão sendo incapazes de formular internamente politicas de segurança no Trabalho, como pretender fazer acreditar na capacidade de buscar no pré-sal nossa independência, como já tendo a solução para nossos problemas. A não ser que as vidas dos trabalhadores sejam menos valiosas do que a dos engravatados da Lapa, seria vital que antes de qualquer iniciativa buscassem assegurar que o primeiro e principal interesse da empresa seria a segurança de seus brasileiros, antes de operários. Isso sim seria coerência com o discurso do melhor para os brasileiros. Vejam vai ver que é por isso, pelos mesmos motivos de insensivbilidade, que continuam matando adoidado trabalhadores do campo.

Responder

Ricardo

26/08/2011 - 13h58

Caro, a Petrobras ajuda milhões de brasileiros, principalmente crianças e adolescentes, por meio do patrocínio a centenas de projetos sociais, ambientais, culturais e esportivos, de norte a sul do país. A lista é grande e está no site da empresa. Vai lá, discretamente, e dá uma olhada antes de escrever novas bobagens.

A propósito, o combustível da Petrobras é dos melhores do mundo. Para seu conhecimento, desde janeiro de 2009 a Petrobras já fornece o diesel S-50, mesmo sem nenhum veículo a diesel estar equipado com motores com a nova tecnologia Euro V, que propicia a efetiva redução da poluição. Mais: entre 2005 e 2010, a Petrobras investiu US$ 15,2 bilhões em qualidade de combustíveis.

Responder

    leandro

    26/08/2011 - 14h26

    OK. o Bradesco tem a fundação bradesco, a globo tem parceira com a unicef..a vale tambem tem suas fundações, etc… Esse qualidade no combustivel é conversa fiada…trabalho no ramo e te digo, é horrivel. Se viajar, aqui na america latina mesmo, de carro voce verá como nossa gasolina é inferior a dos nossos vrizinhos. Isso sem falar no preço da mesma. O Paraguai sem ter nenhum poço vende ao equivalente a R$ 1,50, na bolivia equivalente a R$1,00 e na venezuela o preço é simbolico, centavos. Somos refens dessa cia e não temos nem o direito de usar outro combustivel ou importar, isso para atender interesses exclusivos dela e da classe politica, que em nada melhoram a vida do brasileiro.

    EUNAOSABIA

    26/08/2011 - 16h18

    Leandro, pelego a soldo não gosta de ouvir a verdade, petista foge da verdade como o diabo foge da cruz… fala a verdade pra um tocador de tuba desses e eles viram o cão bebendo tinta.

    Se você disser que esse diploma de doutor de Lula não serve pra nada, eles vão te xingar até umas horas, mas é a verdade… fazer o quê?

    Julio Silveira

    26/08/2011 - 19h16

    Realmente é difícil esperar algo original, mesmo inteligente, de quem aparece incógnito, só mesmo lugar comum, será que pensa?

    Leonardo Ribeiro

    26/08/2011 - 20h28

    Véi, acho que você não sabe que a Fup, embora sua campanha de críticas ao SMS da Petrobras (e tantas outras lutas que se espraiam na esfera judicial), apóia o governo de Dilma e viu substância política incomparável no governo de Lula. Isso não casa com a sua assevaração de peleguismo a soldo, pois o tema em tela nasceu, por assim dizer, em um "ninho de petistas".

    Nilton

    28/08/2011 - 11h29

    Os reacionário se coçam de ódio do Lula… maior presidente do Brasil, maior aprovação popular, maior reconhecimento internacional e fez o sucessor… entuba e chora, esperneia… vc é só um eunaosabia… a carrugem passa e os cãe ladram…

    Leonardo Ribeiro

    26/08/2011 - 17h35

    Prezado, o preço da gasolina que sai das refinarias está entre o valor que você diz ser o do Paraguai e o que você diz ser o da Venezuela O resto é tributação.
    A empresa já veio a público explicar didaticamente a composição do preço da gasolina, admira-me você saber do que acontece fora desses prados e ignorar o que acontece por cá.
    Ademais, em toda a sua campanha de críticas ao SMS da Petrobras, a Fup em momento algum desmerece – ou desmereceu – o fruto do trabalho dos petroleiros, refletido na qualidade do combustível produzido pela empresa.

    edv

    28/08/2011 - 13h59

    Como se a gasolina fosse barata nos tempos das 7 irmãs…
    Ou sequer disponível nos tempos do gasogênio…
    Ou que elas sequer dissessem que existia petróleo no Brasil…
    (melhor trazer de suas fontes nas "democracias" controladas do Oriente Médio…)
    Ou que a importação, por elas, não fosse maximizar o lucro … delas…
    (vide as privatizações de energia, telecom, etc.)
    Barato é o automóvel "brasileiro", que é produzido por 100% de empresas estrangeiras.
    Némêz?

    maurício -Santos

    26/08/2011 - 14h32

    Ricardo, não tem nada a ver o que vc escreveu.eu sou funcionário da Petrobras e posso te garantir uma coisa, o texto está perfeito.O texto da Fup se refere à segurança, o seu aos nenefícios para a sociedade.independente de se beneficiar a sociedade a Petrobras não pode negligenciar a segurança.

    Edmar

    26/08/2011 - 18h34

    Maurício, eu fui funcionário da Petrobras e sei que a empresa dá todas as condições de segurança a empregados e terceirizados. O treinamento é contínuo, a política de SMS é no dia a dia. Não há desculpas para uma morte, mas normalmente é por negligência ou falta de percepção do risco de assidentes do próprio trabalhador .

    Nilton

    28/08/2011 - 11h25

    Edmar nós sabemos que isso não é verdade… se a Petrobrás seguisse seus prórpios padrões de segurança ela pararia… no papel é lindo na prática é outra história… sem contar a incopetência, arrogância e autoritarismo de seus gestores… a empresa só anda por conta da chão da fábrica… há redução criminosa de efetivo em plataforma, acúmulo de funções a bordo, descumprimento de normas regulamentadoras e corte em treinamentos, nclusive institucionais, sucateamento das unidades e saturação do transporte aéreo…

    Klaus

    26/08/2011 - 14h41

    Ricardo, onde compro este diesel S-50?

    Gerson Carneiro

    26/08/2011 - 15h46

    No posto de gasolina. Não vá na farmácia que não vai ter.

    EUNAOSABIA

    26/08/2011 - 19h09

    Pensei que a gente podia encontrar com o Nosso Delúbio…

    Gerson Carneiro

    26/08/2011 - 21h07

    Aonde posso ver os gols de domingo?

    Nilton

    28/08/2011 - 11h19

    É a velha história… qdo falta argumento pros reacionário correm pro " blablabla mensalão " do velho e bom Bob Jeferson e da invasora inVeja…

    Rafael

    26/08/2011 - 18h57

    Meu querido não existe nenhum motor diesel no Brasil preparado para esse teor de enxofre.

    P Pereira

    26/08/2011 - 21h49

    http://fatosedados.blogspetrobras.com.br/2011/06/

leandro

26/08/2011 - 13h23

Alguem aqui que não seja funcionário da petrobras e nem politico me diga o que ela já fez de bom para sua vida ou para sua comunidade? O que alem de nos empurrar um combustivel horrivel e carissimo.

Responder

    Julio Silveira

    26/08/2011 - 14h04

    Não sou politico, mas faço politica em espaços como esse, não sou funcionario da Petrobras, mas reconheço os beneficios que ela trouxe para o Brasil e direta e indiretamente a todos os cidadãos, nos diversos aspectos a citar.
    A formação de mão de obra qualificada, ainda que eu não esteja inserido ai, não me custa reconhecer que essa formação gera dividendos economicos as comunidades através de seus beneficiarios.
    Retirar de países estrangeiros a soberania sobre nosso mineral, o que por mim só isso já bastaria, e que traz um reforço na auto estima dos cidadãos, o que para mim também é muito importante.
    Nos permitir poder responder com independencia as chantagens economicas das industrias que monopolizam esse produto estratégico pelo mundo, dentre tantos outros macro motivos para a existencia da Petrobras. Dificil é ter que engolir esse discurso piolho que teima expor a pequenez com que costumam ser olhados os interesses do Brasil, é por isso que ainda existem partidos como os dos tucanos, que capitalizam esses sentimentos para vender a patria e a cidadania nacional.

    leandro

    26/08/2011 - 14h21

    Tá bom…tudo muito bonito..mas o que ela fez pelo povo brasileiro além de encarecer tudo que é transportado com o carissimo combustivel e poluir o ar com a baixa qualidade do mesmo? Seja pratico…me diz o que? Qualificou mão de obra? Toda industria faz isso. Reforço na auro estima? Reforço na auto estima pe sobrar dinheiro pro pobre botar gasolina e dar uma voltinha fim de semana. Só serve para seus proprios beneficios e de seus funcionário e politicos. O resto é papinho cabeça e nacionalista que em nada melhora a vida do brasileiro, a não ser que encarecer o custo de vida melhore a vida de alguem.

    Roquemar

    26/08/2011 - 15h05

    Olha só compra gasolina Podium, essa é da boa.
    E leia o balanço social das empresa que voce citou e o da Petrobras, não da para comparar né!!!!

    Julio Silveira

    26/08/2011 - 18h45

    Leandro, você fala que ter sentimento de amor cívico pela minha pátria é ser nacionalista, é só papo cabeça. É, parece que já incorporou o discurso daqueles que defendem o nacionalismo dos estrangeiros dentro de nosso Brasil. Você percebe isso, é intencional? Por que ingenuidade tem limite, e o limite é quando coloca em risco a soberania de nosso povo sobre nossos recursos. Ou você acha que a Exxon seria boa para nós, ou quem sabe a Shell trataria melhor nossos pobres? Amigo, sua visão macro é muito micro. Recomendo que leia mais sobre a história das empresas estrangeiras que detiveram, no processo de formação dos países árabes, e africanos em geral, a exclusividade na utilização das reservas desse mineral. E se quiser ver, verás que elas geraram alguns (poucos) mega ricos em seus países de origem e legaram aos países mega pobrezas, que só começaram reverter quando foi percebido que nada de bom tinha sido gerado até então. Só a partir daí, do momento que entenderam o valor político de seu mineral, e que passaram e melhorar socialmente, para tanto é que foi criada a OPEP, para equilibrar esse jogo de forças um pouco mais. Talvez você não saiba, mas se dependesse desses grupos o Brasil nem teria descoberto Petróleo em seu território, sequer saberíamos o potencial que temos. Talvez para você pouco importe, ou talvez você seja incapaz de entender, parecendo estar impregnado pela massiva propaganda, dos interessados, de que não devíamos ter nos metido nisso, que isso é coisa para a Chevron desenvolver. Talvez até acredite que deveríamos ter a língua inglesa como língua nacional, por entender o português uma língua out.

    Antonio José

    26/08/2011 - 18h48

    Caríssimo? Sabe quanto custa a nafta no pé da refinaria? Menos de 1 real. E quanto custa o álcool? Nossa gasosa é cara por causa da porcentagem de álcool nela, tanto é que o preço tente a subir na entressafra (em proporção menor do que o álcool, mas sobe). E esperar que um combustível fóssil seja limpo é o mesmo que acreditar em Papai Noel.

    Hoje em dia não há sistema eficiente de transporte público nos grandes centros brasileiros, aumentando ainda mais a quantidade de carros na rua. Cada ônibus tira por volta de 40 carros da rua, e solta metade dos resíduos de queima que esses 40 carros soltariam. Aí não é questão de combustível ou motor bom, é questão de desenvolvimento social.

    Nilton

    28/08/2011 - 11h13

    Qnado o petroleo chegou a 150 dolares, quem segurou o preço? Isso somente bastaria… o preço na refinaria é o internacional, o preço final tem mais imposto que produto… isso não é culpa da Petrobras… mas, volto a dizer, qdo ficou em 150 dólares o preço na refinaria continuou o mesmo… A produção, garantida por esses "privilegiados" que se arriscam todo dia no meio do mar, longe dos olhos dos "informados" e longe de seus familiares, é o que garantiu que o país hoje tivesse condição de passar por qualquer crise no setor sem abalos…

    Gerson Carneiro

    26/08/2011 - 15h42

    O leandro gosta mesmo é da Shell que provocou contaminação do lençol freático sob as chácaras localizadas, em Paulínia-SP, entre sua fábrica de agrotóxicos e o Rio Atibaia, um dos principais afluentes do rio Piracicaba e que abastece de água, entre outras, as cidades de Americana e Sumaré.

    Bonifa

    27/08/2011 - 16h25

    Quem foi que disse isso? A justiça fez sua parte? Lembro que houve noticiário sobre isso, mas a Shell não aparecia como monstro. Falavam do caso como se fosse um azar da natureza. E faz tempo. Não, jamais se ouviu falar disso.

    Preto Velho

    26/08/2011 - 18h34

    Se não fosse pelo cartel da Petrobras, você pagaria pelo menos4 reais pelo litro da gasolina e 3 pelo álcool, a cada entressafra. Sem contar que ela é uma das maiores pagadoras de impostos para o poder público – dinheiro que (alheio ao fato de ser este dinheiro realmente destinado para) financia o SUS, a Previdência Social, o PAC, o Fome Zero e os outros programas nacionais.

    Sem mencionar que a Petrobras é a principal fornecedora de matéria-prima para a fabricação de plásticos, combustíveis pesados para siderúrgicas e asfalto – este copo aí que você está usando pra tomar sua água de madrugada tem o dedo da Petrobras – assim como de várias empresas de petróleo mundo afora.

    Rafael

    26/08/2011 - 19h01

    Se não fosse a Petrobras você pagaria uns 3,7 por litro de gasolina.
    Que nem dizia Brizola: "Petrobras e banco do Brasil são a espinha dorsal do Brasil."

    edv

    28/08/2011 - 14h02

    Certamente, se por ex. a Chevron "comprasse" a Petrobrax, aí sim ela faria coisas boas para nós e a comunidade, né?
    Ô visãozinha canhestra…

Deixe uma resposta