VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.
Cartas de Minas
Cartas de Minas

Beatriz Cerqueira: Aécio fala em ouvir o clamor das ruas, Anastasia não pratica

25 de junho de 2013 às 20h22

Fotos Lidyane Ponciano (veja mais aqui)

por Luiz Carlos Azenha

Tensão em Belo Horizonte. Ninguém sabe o que pode acontecer nesta quarta-feira, quando Brasil e Uruguai fazem a semifinal da Copa das Confederações no Mineirão. A caminhada dos manifestantes será em direção ao estádio. A expectativa é de uma multidão maior que nas passeatas anteriores, onde as estimativas variaram entre 60 e 100 mil pessoas.

O senador Aécio Neves, possível candidato do PSDB ao Planalto, tem dito que é preciso ouvir o clamor das ruas. Mas, segundo a presidente do SindUTE, o Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais, os tucanos mineiros não praticam o que pregam no discurso: o governo de Antonio Anastasia primeiro tentou proibir na Justiça as manifestações em todo o Estado. Quando a liminar caiu no Supremo Tribunal Federal, reagiu com força desproporcional à presença de manifestantes nas ruas, segundo a avaliação de Beatriz. Além disso, Anastasia não abriu diálogo com os manifestantes, ainda.

Os protestos em Belo Horizonte deixaram de ser marcados pelo espontaneismo. Contam com a participação de várias categorias organizadas. Beatriz, no entanto, desconfia da atuação de policiais infiltrados e relata informações de que integralistas e fascistas de outros estados teriam se deslocado até Minas para atuar nas manifestações. Ainda assim, defende os protestos e acredita que são essenciais para que as demandas populares sejam ouvidas.

Lembrei que o governo federal tem argumentado que a Copa de 2014 representará um investimento de cerca de 24 bilhões de reais e um retorno de R$ 140 bilhões, segundo uma consultoria. Ela responde que a população está frustrada por notar uma grande mobilização e rapidez no investimento público voltado para um campeonato de futebol, mas a mesma urgência não é demonstrada pelos governantes em questões realmente essenciais para a população.

Ouçam a entrevista completa abaixo, na qual ela ataca os tucanos mineiros:

aecio

Leia também:

#changebrazil: “Sujar o governo brasileiro no mundo”

O aviso de incêndio soou: A esquerda diante do “gigante verde-amarelo”

Passe Livre diz ao Planalto que mobilidade urbana é direito, não mercadoria

Marcio Sotelo e Patrick Mariano: A hora de discutir o papel da PM é agora

Cebes e Abrasco apontam à Dilma os caminhos para a saúde

 

74 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Gringo: Pelé colocou chapéu de Carmem Miranda no Cristo? - Viomundo - O que você não vê na mídia

30/06/2013 - 15h51

[…] Beatriz Cerqueira: Aécio fala em ouvir o clamor das ruas, mas governo tucano de MG não pratica o d… […]

Responder

Favorita de Paulo Bernardo junta ratos e a bandeira vermelha - Viomundo - O que você não vê na mídia

30/06/2013 - 15h44

[…] Beatriz Cerqueira: Aécio fala em ouvir o clamor das ruas, mas governo tucano de MG não pratica o d… […]

Responder

Kotscho sugere que Dilma fez trairagem com Lula - Viomundo - O que você não vê na mídia

30/06/2013 - 15h33

[…] Beatriz Cerqueira: Aécio fala em ouvir o clamor das ruas, mas governo tucano de MG não pratica o d… […]

Responder

William Blum, que viu os golpes por dentro: "Fiquem de olho no dinheiro" - Viomundo - O que você não vê na mídia

30/06/2013 - 14h32

[…] Beatriz Cerqueira: Aécio fala em ouvir o clamor das ruas, mas governo tucano de MG não pratica o d… […]

Responder

Feltrin: Globo não admite crime, diz que pagou multa e que operação nas ilhas Virgens foi legal - Viomundo - O que você não vê na mídia

30/06/2013 - 14h31

[…] Beatriz Cerqueira: Aécio fala em ouvir o clamor das ruas, mas governo tucano de MG não pratica o d… […]

Responder

Reuters: Se eleição fosse hoje, iria para o segundo turno - Viomundo - O que você não vê na mídia

29/06/2013 - 19h00

[…] Beatriz Cerqueira: Aécio fala em ouvir o clamor das ruas, mas governo tucano de MG não pratica o d… […]

Responder

FNDC: A entrevista de Bernardo aos que colocam Dilma nas cordas - Viomundo - O que você não vê na mídia

29/06/2013 - 17h23

[…] Beatriz Cerqueira: Aécio fala em ouvir o clamor das ruas, mas governo tucano de MG não pratica o d… […]

Responder

Ricardo Gebrim: Cavalo passa selado diante das forças de esquerda - Viomundo - O que você não vê na mídia

29/06/2013 - 16h50

[…] Beatriz Cerqueira: Aécio fala em ouvir o clamor das ruas, mas governo tucano de MG não pratica o d… […]

Responder

Argentinos fazem piada com a mídia brasileira - Viomundo - O que você não vê na mídia

29/06/2013 - 07h43

[…] Beatriz Cerqueira: Aécio fala em ouvir o clamor das ruas, mas governo tucano de MG não pratica o d… […]

Responder

Folha diz que aprovação a Dilma despencou - Viomundo - O que você não vê na mídia

29/06/2013 - 05h35

[…] Beatriz Cerqueira: Aécio fala em ouvir o clamor das ruas, mas governo tucano de MG não pratica o d… […]

Responder

Ao mandar nas cadeias paulistas, PCC garante "paz" ao governo Alckmin - Viomundo - O que você não vê na mídia

28/06/2013 - 23h05

[…] Beatriz Cerqueira: Aécio fala em ouvir o clamor das ruas, mas governo tucano de MG não pratica o d… […]

Responder

Política na era digital: Tentando controlar a explosão da bomba demográfica - Viomundo - O que você não vê na mídia

28/06/2013 - 23h05

[…] Beatriz Cerqueira: Aécio fala em ouvir o clamor das ruas, mas governo tucano de MG não pratica o d… […]

Responder

Túlio Muniz: Em Fortaleza, movimentos sociais fazem maré virar - Viomundo - O que você não vê na mídia

28/06/2013 - 15h56

[…] Beatriz Cerqueira: Aécio fala em ouvir o clamor das ruas, mas governo tucano de MG não pratica o d… […]

Responder

Gustavo Gindre: Dilma e o esgotamento do lulismo - Viomundo - O que você não vê na mídia

28/06/2013 - 13h28

[…] Beatriz Cerqueira: Aécio fala em ouvir o clamor das ruas, mas governo tucano de MG não pratica o d… […]

Responder

Lula diz que a Folha de S. Paulo fantasia - Viomundo - O que você não vê na mídia

28/06/2013 - 12h22

[…] Beatriz Cerqueira: Aécio fala em ouvir o clamor das ruas, mas governo tucano de MG não pratica o d… […]

Responder

Miguel do Rosário: Mensalão da Globo resultou em multa de R$ 183 milhões por sonegação « Viomundo - O que você não vê na mídia Viomundo – O que você não vê na mídia

27/06/2013 - 21h28

[…] Beatriz Cerqueira: Aécio fala em ouvir o clamor das ruas, mas governo tucano de MG não pratica o d… […]

Responder

Marilena Chauí: O inferno urbano e a política do favor, clientela, tutela e cooptação - Viomundo - O que você não vê na mídia

27/06/2013 - 15h05

[…] Beatriz Cerqueira: Aécio fala em ouvir o clamor das ruas, mas governo tucano de MG não pratica o d… […]

Responder

Ermínia Maricato: A cidade como um grande negócio - Viomundo - O que você não vê na mídia

27/06/2013 - 14h30

[…] Beatriz Cerqueira: Aécio fala em ouvir o clamor das ruas, mas governo tucano de MG não pratica o d… […]

Responder

maria utt

26/06/2013 - 23h54

Oi Azenha, só uma correção, aquele vídeo gravado ali no final não é meu não, eu só sugeri. Eu gravei um outro, colorido, que infelizmente acaba não mostrando a cavalaria.

Esse vídeo aí de cima é de um perfil chamado MariaObjetiva.
http://www.youtube.com/user/MariaObjetiva?feature=watch

Responder

Aton Fon Filho: A direita sai de casa pela porta da esquerda - Viomundo - O que você não vê na mídia

26/06/2013 - 23h51

[…] Beatriz Cerqueira: Aécio fala em ouvir o clamor das ruas, Anastasia não pratica […]

Responder

Fabio Passos

26/06/2013 - 22h30

Responder

João

26/06/2013 - 21h18

Toque de recolher em BH e a tal imprensa alternativa está caladinha, né?!

Responder

JULIO*Dilma2014/Contagem(MG)

26/06/2013 - 20h35

Neste momento as 20:20 Hs, BH, está uma verdadeira praça de guerra, com
muita destruição, saques e varias lojas incendiadas no trajeto de volta
da AV. Antonio Carlos, para a praça Sete, no centro da cidade, estou acom
panhando ao vivo pela TV Record, local, o desenrolar dos manifestantes, que
estão voltando para a praça Sete, onde existe cerca de 2.500 policiais, es
perando para um conflito. A rede gROBO, não está mais mostrando, pois o objetivo inicial, que era derrubar a presidenta Dilma, não colou. O lamen
tável de toda a transmissão da rede Record, local fica por oonta do apresen
tador, carlos vianna, que tambem trabalha na radio Itatiaia, quer botar
a culpa pelo vandalismo nos movimentos populares de esquerda, e agora ele
está fazendo campanha para que não ocorra mais nmanifestações em BH, dias
atrás ele pregava mais e mais amnifestações nos microfones da Itatiaia, como o objetivo inicial não foi atingido ou seja a queda da Dilma, a midia mineira vendida ao PSDB, agora se contradiz.

Responder

Mineira

26/06/2013 - 20h28

Apresentador do MG Record, ontem e agora, neste momento, continua detonando o PT e dizendo que os baderneiros de BH são radicais de esquerda e que querem transformar o Brasil numa Venezuela.

Ele detona o Chávez e tudo que é de esquerda, quando todo mundo SABE que são nazista da direita que estão fazendo a quebradeira.

A RECORD AGORA É DE DIREITA?
QUER AGRADAR A ELITE?

Não adianta, Record é estigmatizada. O povo de BH odeia Edir Macedo, a audiência aqui é quase zero.

Só o Mauro (Balanço Geral) consegue audiência porque faz palhaçada e fala “nóis foi e nóis vai”.

ABSURDO!!!!!!!!!!!!!

Responder

    Antonio

    26/06/2013 - 22h25

    Também assisti a esse irresponsável e mal intencionado fazendo essa pregação pela TV.
    É um programa medíocre, no estilo Datena e CIA, e está acusando os movimentos sociais e de esquerda pelo que aconteceu em BH.
    Uma vergonha! Um descaramento sem par!
    E depois querem me convencer de que há um processo de golpe branco em curso!

    Antonio

    26/06/2013 - 22h26

    Corrigindo:
    e depois querem me convencer de que NÃO há um golpe branco em curso!

Sagarana

26/06/2013 - 20h17

Quando as ruas falam eles escutam atentamente. Quando baderneiros agem a polícia cumpre seu papel de reestabelecer a lei e a ordem. Simples assim.
PS – com a valorosa ajuda da Força Nacional enviada por Dilma, sejamos justos!

Responder

Antonio

26/06/2013 - 19h36

Algo muito esquisito aconteceu hoje aqui em BH. Não é possível que a PM não estivesse preparada para, simultaneamente, garantir a segurança de quem foi ao Mineirão e coibir os facistas (tratados como vândalos pela mídia oposicionista).
O que se viu hoje é de entristecer profundamente!
Quando se ataca uma propriedade privada (com a leniência das autoridades estaduais), se ataca também o ganha-pão dos seus trabalhadores!
A corda sempre arrebenta para o lado mais fraco!
O governo estadual e a Polícia Militar têm que se explicar!
O que estão querendo: produzir uma morte para jogar a culpa no governo federal?
Abramos os olhos, todos nós mineiros, e também os brasileiros!
O Fascismo nos ronda com a ameaça de um golpe branco!

Responder

carlos

26/06/2013 - 15h17

O AÉCIO é um hipócrita. Mete o pau nas Copas das Confederações e Mundial, e que os gastos foram absurdos. Mas em 2007 ele era o governador e aceitou B.H. ser umas das sedes das copas. Fora AÉCIO!!!!

Responder

Urbano

26/06/2013 - 14h53

Na oposição ao Brasil o que se vê mais são os democratas de fancaria.

Responder

Ronan

26/06/2013 - 14h16

Pessoal,

para Aécio, ouvir as ruas é na bala de borracha. Já não aparecia em BH, agora é que não vem mesmo. Leiam abaixo o relato de um professor de medicina da UFMG que participou da passeata de sábado em BH e revela a atuação de PMs infiltrados na multidão para provocar o confronto. Coisa que a grande mídia não mostra:

QUEREM COLOCAR UM CADÁVER NO COLO DA PRESIDENTE

Ontem, 22 de junho de 2013, minha mulher e eu fomos à manifestação ocorrida em Belo Horizonte na qualidade de médicos. Somos professores e vários de nossos alunos estavam presentes. Como já havíamos testemunhado a violência no ato da segunda-feira anterior, fomos preparados para atender possíveis vítimas, levando na mochila alguns elementos muito básicos para pequenos ferimentos e limpeza dos olhos irritados por gás.
A manifestação foi tranquila durante todo o trajeto. Até mesmo a intolerância com militantes de partidos de esquerda foi pouco vista. Uma grande bandeira vermelha era orgulhosamente carregada e, salvo um ou outro, respeitada. Contudo, o clima começou a piorar quando a manifestação encontrou o cordão policial. Como tem ocorrido, a maioria aceitou o limite imposto, mas os provocadores instavam os moderados a enfrentarem a polícia. Parecem colocados estrategicamente entre o povo, porque se repartem em certo padrão e gritam as mesmas frases.
Como é sabido, eventualmente o conflito aconteceu. Retiramo-nos para a pequenina área verde que sobra naquele encontro as avenidas Abraão Caran e Antônio Carlos. E ali ficamos tratando sobretudo intoxicações leves e ferimentos superficiais causados por estilhaços e balas de borracha. Em um momento, fui chamado para atender um senhor ferido na cabeça. Fui correndo, mas ele já passara o cordão de isolamento da polícia. Identifiquei-me como médico aos policiais do Governo de Minas Gerais e disse que poderia atender o senhor ferido. A resposta foi uma arma apontada contra meu peito. Pedi para falar com algum oficial, mas a PM recomeçou a atirar. Voltei para nosso pronto-socorro improvisado. De dentro do campus da UFMG começaram a atirar bombas de gás sobre nós que atendíamos os feridos e recuamos ainda mais, para o meio da Antônio Carlos.
Minutos depois, chamaram-nos com urgência informando que alguém caíra do viaduto José de Alencar. Quando chegamos, um jovem com o rosto sangrando estava sofrendo uma pequena convulsão. Fizemos a avaliação primária e, na medida em que surgiam problemas, tratávamos da melhor forma possível. Aquele paciente precisava de atendimento avançado urgentemente, em um centro de trauma, mas a polícia não arrefecia. Aproximou-se de mim um sujeito com o rosto tampado por uma camiseta. Ele descobriu parcialmente a face e me disse no ouvido que era policial e que pediria que não atirassem para que pudéssemos evacuar a vítima (penso ter visto esse autodeclarado policial perto de mim, quando eu tentava falar com um oficial, e depois correndo ao meu lado. Se for a mesma pessoa, ele era um dos exaltados que instavam à violência). Chegaram algumas pessoas com camiseta vermelha, na qual se lia “bombeiro civil”. Eles nos ajudaram a improvisar uma maca com um cavalete da empresa de transportes e faixas de manifestantes. Algum tempo depois, por coincidência ou não, os tiros pararam e fomos, com dificuldade, levando a vítima em direção do cordão policial. Minha mulher ficou na barreira.
Quando passamos a barreira, vi uma ambulância parada a uns 20 metros. Gritei para os que ajudavam para que fôssemos para ela. Todavia, para meu horror, a polícia não permitiu. Disse que aquela viatura era somente para policiais feridos. Tentei discutir, mas vi que seria improdutivo. Disse a um oficial, então, que conseguisse outra. Não tínhamos muito tempo. Colocamos a vítima no chão, imobilizando sua coluna cervical e iniciei a avaliação secundária. Na medida do possível, limpamos o rosto ensanguentado do jovem e realinhamos os membros fraturados. Pedi aos policiais que, pelo menos, trouxessem equipamentos da ambulância “deles” para imobilização e infusão. Recusaram-se.
Esperamos um bom tempo até que uma ambulância do resgate do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais chegasse. O veículo praticamente não tinha nenhum equipamento. Somente a prancha, talas, colar cervical e oxigênio para ser usado com máscara. “Soro” não havia. Transferimos e imobilizamos o paciente. Nesse tempo, tentávamos descobrir para onde levar a vítima. Respostas demoravam a chegar. Pensamos no Mineirão, bem próximo de nós, mas primeiro disseram que era para torcedores e depois que não dispunha de centro de trauma. Fomos para o Pronto Socorro de Venda Nova, Risoleta Neves. Lá uma colega assumiu o tratamento do ferido.
Entrei em contato com minha mulher e ela me disse havia se juntado a meu irmão, que dois outros haviam caído do viaduto e que havia vários feridos, mas que eles não estavam conseguindo mais atender.
Mais tarde, quando os reencontrei no metrô de Santa Efigênia eles me contaram uma história de terror. Depois de me deixar com a primeira vítima, minha mulher se identificou aos policiais e disse que queria passar também para me ajudar. A polícia não deixou e ameaçou atirar nela. Como as agressões reiniciaram logo depois, ela ficou presa entre bombas e pedras, até que conseguiu fugir e retomar a antiga posição para socorro, no meio da Antônio Carlos. Foi quando encontrou meu irmão. Logo depois, receberam um chamado, avisando que outro rapaz havia caído. A situação clínica desse paciente era muito pior do que a do anterior. Não interessa escandalizar ou ofender com detalhes médico-cirúrgicos. Relato somente que o quadro que os dois descrevem é gravíssimo. A vítima não reagia, estava em coma, mas respirava e o coração batia. Meu irmão, sabendo da primeira experiência, correu para os policiais, desta vez um outro cordão formado na Antônio Carlos, levantando as mãos, agitando uma camisa branca e gritando que havia um ferido morrendo. Os policiais, vários, apontaram-lhe armas e gritaram para que ele fosse embora. Quando ele tentou avançar um pouco mais, os tiros começaram e ele correu em direção de minha mulher para ajudá-la.
Ali, ao lado da vítima, perceberam que a polícia atirava neles. Relatam que já não havia ninguém próximo. Somente a vítima, ele e minha mulher de jaleco branco. Os tiros e as bombas de efeito moral e de gás vinham com um único endereço. O deles. Ficaram o quanto aguentaram; mais não puderam fazer. Desesperados, tiveram que abandonar o rapaz que morria e buscar refúgio.
Depois, tiveram a notícia de que um terceiro homem caíra do mesmo viaduto. A cavalaria já estava em ação e não havia como atravessar a avenida para socorrer essa terceira vítima. Quando cheguei em casa, alguns alunos relataram que socorreram um homem que caíra do viaduto (perece que foram quatro, no total). Quando a polícia passou, eles conseguiram chegar à vítima e ficar com ela até que o SAMU chegasse.
Algumas ideias ficam em minha cabeça. Quem já conviveu com militares sabe na maioria das vezes reconhecer um por sua forma de agir, andar, cortar o cabelo e de falar. Sem leviandade, acredito que vários dos provocadores eram militares infiltrados. Vi o homem de rosto coberto dizer ser policial e que pediria para que os policiais alinhados dessem uma trégua e nos deixassem passar. Isso aconteceu. Outra imagem simbólica foi ver a tropa de choque da Polícia Militar de Minas Gerais dentro de uma universidade federal (deveria ser um território livre e sagrado da paz, da inteligência e da cultura) fechada para os estudantes. Da universidade vinham bombas que machucavam a juventude. Já ampliando o horizonte, o Itamaraty em chamas, a bandeira de São Paulo queimando, o Congresso quebrado, um governador sitiado em sua casa. Há que se ler nos símbolos e nos fatos. Amplie-se mais esse horizonte. Não se vê que os métodos são os mesmos usados nas “primaveras” árabes, em Honduras, no Paraguai, no Equador, na Venezuela e que começa também a ser usado na Argentina?
Nada há de espontâneo no que está ocorrendo e não é à toa que os meios de comunicação têm promovido e estimulado a agressividade e a multiplicidade de slogans e bandeiras. Não é verdade que não haja líderes nessas manifestações. Os líderes estão nas sombras, colhendo os frutos das últimas tecnologias. São discretos. Quem sabe o que são o Instituto Millenium, o instituto Fernando Henrique Cardos, o Council on Foreign Relations, a Trilateral Commission, o Carnegie Council? Preparam o Brasil para a guerra global idealizada pelos think tanks? É essa a forma de chegar aos recursos naturais do imenso território brasileiro sem a mínima resistência de governos mais progressistas? Incomoda o acordo com a Rússia para a compra e desenvolvimento de armas?
Uma certeza: querem atacar a democracia. Em vez de atacar partido, tome partido. Você está sendo manipulado. Pelo que vi e vivi é certo que querem jogar um cadáver no colo da Presidente Dilma.

Giovano Iannotti
Professor de Medicina

Responder

Horridus Bendegó

26/06/2013 - 12h23

NÃO VAI DAR EM NADA!

O Gigante Acordou, mas apenas boceja um… “ouviram do Ipiranga às margens plácidas…”

Não se conhece na história da humanidade um único caso em que mudanças políticas estruturais tenham sido conquistadas apenas se cantando o hino nacional do País que as pretende.

Ontem à tarde, imagens de uma TV mostravam uma massa humana encaminhando-se à casa do Governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, localizada ali no Leblon, bairro sede dos adeptos do “tea party” nacional.

Não era novidade alguma aquela massa se movendo em passeata, diante dos acontecimentos dos últimos 15 dias no Brasil, a não ser por sua origem geográfica, o morro.

Ao final da Av. Niemeyer, sobre um túnel, e na montanha acima dele, vive a mais antiga e conhecida favela nacional, a Rocinha.

Formada no fim do século XIX por negros alforriados e soldados que participaram do genocídio de Canudos, abandonados após a vitória pelo Ministério da Guerra à própria sorte, sem qualquer indenização e sem meios de sobrevivência na urbe, subiram o morro.

Desde meus mais tenros anos, imagino que o Brasil um dia será protagonista de uma ruptura de verdade em suas instituições políticas em favor de seu povo, ou, pelo menos, em favor de sua maioria.

Ontem, por pouco tempo, imaginei que esse dia havia chegado.

Ninguém melhor para dar início a esse movimento de ruptura, do que o povo da Rocinha do Rio de Janeiro, porque se há melhor representatividade urbana do quadro matricial da formação de nossa nauseabunda sociedade tupiniquim, não conheço nada mais óbvio do que ela.

Assisto aos protestos que ora sacodem o país e procuro enxergar-lhes também as entrelinhas, os motivos subjacentes que movem a multidão, em sua caminhada à redenção de objetivos legítimos a erguer-lhes do Pardieiro Social onde a meteram, por excesso de sono.

De tantas palavras, os termos adjetivos mais comuns foram vândalos, baderneiros, arruaceiros, “minorias”, nesta ordem.

As TVs do País, que antes condenavam ostensivamente os manifestantes, mudaram de opinião e passaram a, sutilmente, coordenar as falas, os gritos, os brados, reproduzindo mais enfaticamente as mensagens simpáticas aos seus interesses políticos envolvidos na confusão.

Nada demais, pois é assim que o jogo político de uma sociedade é jogado.

Cada jogador, envolvido nesse jogo, de acordo com sua capacidade analítica, assume as posições que lhe parecem mais oportunas.

Da confluência de todas as forças sociais empreendidas nessa luta restará a resultante que comandará o processo e o definirá ao final, como força política preponderante.

As TVs sabem disso!

Hoje, além das TVs, jornais e revistas, um outro universo paralelo, e tão poderoso quanto, está também envolvido na troca e divulgação de informações que permeiam o jogo.

A Internet, com suas redes sociais e blogosfera, tem atraído e servido de sede aos agrupamentos de pessoas em face de suas preferências e posições ideológicas.

Digladiam-se idéias e indignações à luz de telas, monitores de cristal líquido, écrans e gorillas glass permanentemente.

Cada qual com sua razão e nenhuma culpa sobre a forma como evoluímos historicamente até aqui, nesse estado de coisas que nos remete a lembrança de um pântano fétido.

Como será do entrechoque dessas forças que sairá o resultado final da contenda política que ora se disputa no social das ruas e no espaço eletromagnético, o favorito, consumada a supremacia de nossa falsa cordialidade e mansidão enaltecida pelas televisões que gritam:

– Depredações do patrimônio público, não! (Como se não soubéssemos que esse tipo de dano têm sido “prerrogativa” dos políticos e seus cúmplices de covis.)

Os mesmos dos mesmos já ganharam!

Reforma política feita por um Congresso que quase veio à baixo porque o povo enfurecido e indignado lhe trepou na laje em protesto?

Da cozinha desse Congresso, além do já entranhado cheiro de orégano, já se sente também o cheiro do galo, gigantesco galo, retirado sutilmente do galinheiro pelas mesmas raposas que sempre lhe deram guarda.

Duvido que o Brasil mude 1 radiano de grau em sua trajetória civilizatória, se o povo continuar valente só na hora de guiar seus carrões no trânsito (o que mais mata no mundo); bater em suas mulheres (só os homens); matar nas ruas (casos alarmantes de latrocínios); nas derrotas de seus times de futebol. (passionalidade mal canalizada) .

A PARTIDA QUE ORA SE DISPUTA NAS RUAS DO BRASIL NÃO É UMA CONTENDA ENTRE A VIRTUDE E A VILANIA; ENTRE O BEM E O MAL; ENTRE QUEM É HONESTO E QUEM É INFAME… ENTRE NÓS E ELES!!!!

É UMA CONTENDA ENTRE NÓS MESMOS, QUE CUNHAMOS EM NOSSOS CORAÇÕES INSENSÍVEIS A EFÍGIE DE NOSSA MAIS REPRESENTATIVA MATRIZ CULTURAL:

NA CARA: A SENZALA

NA COROA: A CASA GRANDE

Responder

Francisco de Assis

26/06/2013 - 12h00

Enquanto isso, na sala de justiça…

Responder

Emir Sader: Governo paga caro por não ter democratizado os meios de comunicação - Viomundo - O que você não vê na mídia

26/06/2013 - 11h49

[…] Beatriz Cerqueira: Aécio fala em ouvir o clamor das ruas, mas governo tucano de MG não pratica o d… […]

Responder

FrancoAtirador

26/06/2013 - 11h43

.
.
Apoio a Dilma cresce nas redes sociais após pronunciamento

Por Assis Ribeiro

Do Jornal do Brasil

Tá nas redes: após pronunciamento, cresce apoio a Dilma

Após o pronunciamento de Dilma Rousseff propondo um pacto nacional com cinco itens, sendo um deles dedicado à criação de um plebiscito para uma Constituinte exclusiva para a reforma política, a presidente vem ganhando defensores nas redes sociais.

A hashtag #TamoJuntoDilma ocupa uma das primeiras posições no Tranding Topics, e traz manifestações deapoio às medidas anunciadas.

“Quem é contra a Constituinte? FHC, Serra, Aécio, Agripino, Ayres Brito e a Globo. Isso já diz muita coisa”, afirma o internauta que se identifica como Brunella França.

Manifestações de apoio a Dilma no Twitter

“E vamos à reforma política”, diz Vinicius Carvalho. “Vamos mudar, vamos acreditar”, propõe o internautaque se identifica como John.

(Enviado por luisnassif, qua, 26/06/2013 – 10:05)

http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/apoio-a-dilma-cresce-nas-redes-sociais-apos-pronunciamento

Responder

Avelino

26/06/2013 - 11h11

Caro Azenha e demais
A direção do golpe

26/06/2013 | ARAÇOIABA DA SERRA

Casa de prefeita é apedrejada de novo

Notícia publicada na edição de 26/06/2013 do Jornal Cruzeiro do Sul, na página 9 do caderno A – o conteúdo da edição impressa na internet é atualizado diariamente após as 12h.

A casa da prefeita de Araçoiaba da Serra, Mara Melo (PT), foi apedrejada ontem de madrugada. Ela própria, conforme contou em sua página no Facebook, flagrou a ação praticada por “dois aglomerados de pessoas, em sua maioria meninos”. De acordo com Mara Melo, os autores do ato de vandalismo (quatro, ao todo) fariam parte de movimentos que têm organizado protestos. Na mensagem postada, a prefeita diz que a ação teve motivação política.

“Repudio essa atitude. Sempre estive nas ruas e coloquei o meu nome e minha reputação em todos movimentos de que participei e nunca depredei patrimônio público e muito menos qualquer casa que seja. Para minha surpresa, quando cheguei em minha residência, deparei-me com dois aglomerados de pessoas, em sua maioria meninos”. Mara acrescenta que foi “convencida” por amigos a afastar-se e dirigir-se para outro local. Seu irmão estava na casa, e foi surpreendido pelo ataque.

Este é o segundo ato que atinge a casa onde Mara Melo reside. Na campanha eleitoral do ano passado, o imóvel também foi apedrejado. Durante a tarde, a reportagem do Cruzeiro do Sul tentou conversar com a prefeita, e deixou recado em seu telefone. Até o fechamento desta reportagem, entretanto, não houve retorno.

Responder

anac

26/06/2013 - 11h02

A pauta dos manifestantes tem muito a ver com a sistemática oposição do PiG fez a qualquer evento que projete de forma positiva o Brasil no mundo.
Para a direita e o PiG o Brasil jamais deveria ter saído da condição de pais do terceiro mundo, quintal dos USA, por isso a campanha contra as Olimpíadas e Copa do mundo, que significam atestado de maioridade. Com o agravante de que os dois eventos foram conquistados pelo bom momento que passa o país graças aos êxitos do governo de Lula.

Responder

H. Back™

26/06/2013 - 10h54

“(…) Aécio fala em ouvir o clamor das ruas,(…)”
Aécio fala em ouvir o clamor dos BANQUEIROS para que aumente a taxa de juros e venda que sobrou das privatizações do finado FgagáC.

Responder

    JULIO*Dilma2014/Contagem(MG)

    26/06/2013 - 21h53

    Nunca é demais lembrar que o playboy do baixo Leblon, é enteado de banquei
    ro, dos extintos bancos DA LAVOURA E REAL, atual Santander.

anac

26/06/2013 - 10h47

PLESBICITO PELO CANCELAMENTOS DAS OLIMPIADAS.
Os meios de consultas ao povo previstos pela Constituição Federal desde 1988 poucos foram usados porque a elite – representada pelos congressistas – do Brasil tem medo do povo e sempre governou o país apartada dele. Sou a favor de consultas ao povo e da participação direta nos destinos do país. Por mim se faria o PLESBICITO PARA REALIZAÇÃO DAS OLIMPIADAS DE 2016. A Espanha através da cidade de MADRID com metade de seus jovens desempregados estão a postular as realização das OLIMPIADAS porque não ceder a de 2016 para eles. A copa devido a proximidade de 2014 e os gastos já feitos infelizmente terá que ser realizadas, mas as olimpíadas ainda podem ser canceladas e entregues a quem precisa, a ESPANHA.
Sabemos que a imensa coragem e hombridade de Dilma não permite que ela se omita mesmo em questões que não estão ligadas a seu governo. Não é por acaso que jovem ela enfrentou seus algozes. Plesbicito, referendo o que for o povo quer ser ouvido. Os tucanos morrem de medo da voz do povo. Seus interesses sempre foram na contramão dos interesses do povo que clamam por mais segurança, mais saúde, mais educação. A direita e seu representantes PiG e PSDB defendem o arrocho fiscal e aumento dos juros, quando serão cortadas as verbas destinadas a saúde, educação e segurança e destinadas a pagar os rentistas e banqueiros, os 1%, aumentando a concentração de renda e a desigualdade social em um país profundamente injusto.

Responder

    Nelson Quintanilha

    26/06/2013 - 11h18

    anac meu filho, um País sério não se faz dessa maneira. não podemos assumir um compromisso e depois deixar para lá, que outros façam. Quando fazemos investimentos e isso não é um gasto, isso é um investimento para uma copa ou olimpíada muito ajuda o País, veja quantos empregos não foram gerados na construção civil, nos cursos de idioma (nosso povo aprendendo línguas diferentes) mais vagas no comercio serão disponibilizadas, consequentemente na industria para fazer os produtos, o setor hoteleiro contratará muita gente também, mais impostos serão arrecadado disso tudo e trará mais beneficio a população.

Gersier

26/06/2013 - 10h27

O senhor aécio neves e sua turma acreditam que todos os brasileiros sejam uns otários.Propala mentiras e tem a cara de pau de cobrar da Dilma o que ele nunca praticou.Como a maioria dos tucanos,é um lobo que se traveste de cordeiro dizendo mentiras como essa de que ele e seu pupilo anastasia preocupam com o povo.Vejam essa nota.
“Moradores de Santa Rita do Sapucaí estão inconformados com o aumento do valor da taxa de esgoto cobrada pela Copasa no município. Eles reclamam que a tarifa subiu muito de repente e já fizeram até manifestação na cidade para protestar contra o aumento.
Na verdade, a nova tarifa aumentou de R$ 0,30 o metro cúbico para 0,93,é a explicação do gerente do distrito da Copasa na região de Santa Rita do Sapucaí.
A prefeitura também quer que a Copasa esclareça melhor o valor que vem sendo cobrado dos moradores. “Nós não podemos concordar com uma situação de imposição de um serviço pelo qual apenas se dita o preço e o consumidor é obrigado a pagar. Merecemos mais respeito”, afirmou Maria Aparecida de Souza.”
(do Hoje em Dia)

Responder

Gersier

26/06/2013 - 10h21

O senhor aécio neves e sua turma acreditam que todos os brasileiros sejam uns otários.Propala mentirase tem a cara de pau de cobrar da Dilma o que ele nunca praticou.Como a maioria dos tucanos,é um lobo que se traveste de preocupam com o povo.Vejam essa nota.
“Moradores de Santa Rita do Sapucaí estão inconformados com o aumento do valor da taxa de esgoto cobrada pela Copasa no município. Eles reclamam que a tarifa subiu muito de repente e já fizeram até manifestação na cidade para protestar contra o aumento.
Na verdade, a nova tarifa aumentou de R$ 0,30 o metro cúbico para 0,93,é a explicação do gerente do distrito da Copasa na região de Santa Rita do Sapucaí.
A prefeitura também quer que a Copasa esclareça melhor o valor que vem sendo cobrado dos moradores. “Nós não podemos concordar com uma situação de imposição de um serviço pelo qual apenas se dita o preço e o consumidor é obrigado a pagar. Merecemos mais respeito”, afirmou Maria Aparecida de Souza.
(do Hoje em Dia)

Responder

Antonio Lopes

26/06/2013 - 09h59

MG: Ministério Público quebra blindagem e instaura processo contra Aécio Neves

A empresa de comunicação tem como sócios o senador Aécio Neves (PSDB-MG) e sua irmã Andrea Neves. O período investigado pelo MPE é de 2003 a 2010, período em que o senador ocupou o cargo de governador.

A Rádio São João Del Rei S/A e a Editora Gazeta de São João Del Rei Ltda, que também receberam recursos públicos durante a gestão de Aécio Neves no governo de Minas, serão investigadas. Essas empresas pertencem a Andrea Neves, atualmente presidente do Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas).
“As forças democráticas do Estado comemoram essa ação do MPE como uma vitória. Embora o Ministério Público esteja cumprindo o seu dever, esse ato constitui uma quebra, uma ruptura da blindagem, que tanto Aécio como sua irmã Andrea têm desfrutado”, disse a deputada Margarida Salomão. De acordo com Margarida, do ponto de vista institucional, ocorre um “eco” que reflete as preocupações do povo mineiro. “Estamos convencidos de que a Justiça mineira vai cumprir o seu dever”, enfatizou Margarida Salomão.
Ainda segundo a deputada, a movimentação do Ministério Público cria expectativa na sociedade de elucidação dos fatos que envolvem a figura de um ex-governador, hoje senador, e da irmã dele, então gestora de Comunicação Social do Governo. “Ela (Andrea) é quem definia para onde iam as verbas publicitárias. Aqui nós temos uma relação incestuosa do público com o privado. A rádio recebeu recursos públicos (alega o senador que de forma legal) e os destinou para, entre outras coisas, comprar um Land Rover que o ex-governador fazia uso privado. Essas coisas têm causado indignação na opinião pública mineira”, salientou a petista.
Indiferença
Para o deputado Padre João, a Justiça mineira começa a acordar diante de tantas denúncias que envolvem Aécio Neves e membros da família dele. “O Ministério Público tem um papel importante, no entanto, eles ficaram indiferentes durante quase 10 anos em relação ao desvio do dinheiro público praticado na gestão tucana. Nós acreditamos nesse despertar do MP. Espero que ele cumpra, de fato, o papel a ele delegado. O povo não pode ser punido com a má destinação ou desvio de recursos público”, observou .
O parlamentar petista relatou que, à época, a Assembleia Legislativa de Minas Gerais tentou instalar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o caso, mas, segundo ele, foi barrada pelos defensores do governo tucano de Aécio Neves. “Minas é um estado governado por Lei Delegada, aniquilando o Poder Legislativo. Houve tentativa de CPI que foi impedida. Cabe ao MP e ao Judiciário ir a fundo na investigação, levantar todos os valores e punir, não só o senador, mas os responsáveis que ilegalmente receberam dinheiro público”, defendeu o deputado Padre João.
Os fatos
A parceria comercial entre Aécio e a Rádio Arco-Íris só foi descoberta porque o senador foi parado em operação policial na cidade do Rio de Janeiro, em abril do ano passado, e teve a carteira de habilitação (vencida) apreendida ao recusar o teste do bafômetro. O senador era o condutor de um veículo Land Rover, de propriedade da Rádio Arco-Íris (Jovem Pan FM-BH), emissora que recebe regularmente recursos públicos do Estado de Minas Gerais.
(Benildes Rodrigues, PT na Câmara)

Responder

    FrancoAtirador

    26/06/2013 - 11h04

    .
    .
    Um bom sinal.

    Mas há muita falcatrua a ser investigada,

    especialmente do período de 2002 para trás,

    quando ele fez dupla com o Clésio Andrade.
    .
    .

augusto2

26/06/2013 - 09h50

ah fizeram acordo em BH?
POLICia longe da barreira.
duas perguntas aos mineiros: 1- o anestesia acredita que barreira de aço menor que 5 polegadas x 6m altura vai deter os provocadores, que sao da sua propria PM?
2- E os viadutos ali perto ficarão como antes, semana passada?

PS.
ah, e medicos, com jaleco, podem voluntariamente ali trabalhar??

Responder

Osvaldo

26/06/2013 - 02h53

Genial o cartaz com a marca da Vênus platinada!

Responder

Osvaldo

26/06/2013 - 02h52

De agora até 2014 todos irão querer falar em nome do coro dos descontentes. Por isso que causou tanta aversão a proposta de Reforma Política encampada por Dilma. Quem está de olho em 2014 torcia para que o governo federal ficasse apenas inativo, moribundo e apanhando. A ideia é vencer nas urnas e manter a mesma lógica do Congresso. Agora irão tentar de todas as maneiras inviabilizar esse processo de Reforma Política.
O jogo está sendo jogado…

Responder

FrancoAtirador

26/06/2013 - 02h22

.
.
“É impensável pensar-se [SIC!]
em um verdadeiro pacto com os brasileiros
sem que as oposições sejam convidadas a debatê-lo”

(Aébrio Nébulus,
em discurso no Senado,
reproduzido no JN
da Rede Globo de TV)

Responder

Francisco

26/06/2013 - 00h34

Dilma chamou para si responsabilidades que não são suas.

Ela não é prefeita, nem governadora.

Desde que se falou em Copa pela primeira vez que a mídia repete que a União esta “tirando o pão da boca dos necessitados” para fazer estádio.

Dilma não reagiu, deixou correr.

Para ela (teimosa como uma mula!) bastava “trocar o cabal”.

Agora, desfazer a mentira repetida um trilhão de vezes e vinte dias de protestos depois e, para dizer o mínimo, complicado…

Então, se não é a União, quem é que esta gastando? Empresas privadas, estados e municípios.

Ou seja: Aécio e Alckmin. Os demais, pelo menos têm a virtude moral de enfiar a língua num lugar limpo do corpo.

O único corte que o Congresso fez nos gastos “para dar resposta às ruas” foi em investimentos em internet. Que coisa, não?

Nada sobre os gastos da SECOM.

Seremos outro país se, algum dia Dilma contratar profissionais letrados e competentes para a sua Comunicação e Justiça.

Eles explicarão o que é gestão or projetos e SUS.

Será um outro país e uma outra consciência.

Por enquanto Dilma clica, catatônica, o controle remoto.

O canal continua o mesmo: a culpa da privada entupida, do pneu furado e do gato ter subido no telhado é dela.

Está em todos os canais, o dia todo. Deve ser verdade.

Responder

    Vlad

    26/06/2013 - 10h53

    Ué?
    Não era o orgulho do PT a Copa e as Olimpíadas?
    Não fizeram até lei só pra FIFA? A presidoenta não foi até no simbólico evento, símbolo da subserviência á FIFA, de criação da bizarra cachirola?
    Não financiaram 250% dos gastos e sabe-se lá quando e como pagarão, se é que alguém pagará? (250% mesmo, não há erro). Embora talvez quegue a 500%.
    E nem queiram saber o estrago que será a Olimpíada, cuja quadrilha tem maior “expertise” (como diria o ministro bipolar que queria jogar a força nacional contra os “arruaceiros”) em superfaturamento.
    Agora não é com vcs? é com os estados e municípios?
    Quem pôs esse porco aqui nas minhas costas ? Xô, porco*!

    *Não é vc, Francisco…é o porco da anedota.

Irineu

26/06/2013 - 00h09

Sempre disse que esse Aécio não é flor que se cheira…Eu nasci em Minas e é um dos estados onde há mais pobreza….a midia Pig( Globo e outros meios) Tem conchavo com o governo e vende uma imagem falsa e manipuladora, não podemos cair nessa armadilha.

Irineu-sp

Responder

Luiz Fernando

26/06/2013 - 00h04

A Globo visivelmente já tá apostando as fichas no Aécio. Uma frustração nos jogos de agora ou na Copa poderia dar um fôlego para o tucano aspirar melhores ares.

Responder

FrancoAtirador

26/06/2013 - 00h01

.
.
A MÍDIA BANDIDA ESTÁ ENGOLINDO OS MOVIMENTOS SOCIAIS

Governo e manifestantes fazem acordo para ato pacífico em BH
Barreira ‘física’ deve ser usada na Av. Abrahao Caram; com PMs à distância.
UFMG informou que militares e Força Nacional não estarão no Campus.

Do G1 MG

O Governador de Minas Gerais, Antônio Anastasia (PSDB), e membros do Comitê Popular dos Atingidos Pela Copa – Copac – se reuniram na noite desta terça-feira (25) no Palácio da Liberdade, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte. Durante o encontro, foram discutidas estratégias para que o protesto marcado para esta quarta-feira (26) na capital mineira aconteça de forma pacífica.

Entre as decisões constadas na ata de reunião, ficou acordado que o limite de segurança imposto na Avenida Abrahao Caram, perto do Mineirão, será demarcado com uma barreira física e sem a presença de policiais, que ficarão em uma distância “considerável”.
Também foi acordado que a ação de policiais militares deve se limitar a manifestantes que “agredirem a polícia”. Brasil e Uruguai jogam às 16h no Mineirão pela semifinal da Copa das Confederações.
No encontro, ficou definida ainda a escolha de um representante da manifestação mediador e de um policial militar para diálogo durante o protesto.
O governador também deve se pronunciar garantindo o direito da livre manifestação e a segurança dos manifestantes.
Sobre a continuidade do diálogo, foi acordado que haverá uma nova reunião para a apresentação das pautas dos manifestantes, que serão levantadas em uma “Assembleia Popular Horizontal”.

UFMG
Na noite desta terça-feira (25), a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), por meio de nota, informou que a Polícia Militar e a Força Nacional de Segurança não vão utilizar as instalações do Campus Pampulha nesta quarta-feira (26), porém foi ressaltado que medidas de segurança serão adotadas para preservar a universidade.
Segundo a instituição, forças do Exército vão atuar na proteção da unidade do Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nuclear (CDTN) – que pertence ao Conselho Nacional de Energia Nuclear, e não à universidade – mas é localizado no campus Pampulha.
O local, de acordo com a UFMG, é uma área de segurança nacional.
O Campus estará fechado, restrito a circulação de pessoas da comunidade acadêmica que tiverem obtido autorização previa.
.
.

Responder

    Taiguara

    26/06/2013 - 06h48

    O que escandaliza é, 45 anos depois de 68, ver a juventude deitada com a direita, fazendo 69.

anderson

25/06/2013 - 23h44

realidades de minas gerais:
http://www.novojornal.com/politica/noticia/o-que-o-governo-de-minas-nao-quer-que-o-brasil-veja-25-06-2013.html
O que o Governo de Minas não quer que o Brasil veja
Enquanto nos demais Estados a imprensa mostra as faixas e cartazes dos manifestantes, em Minas só aparecem imagens panorâmicas e de longe
Diversas reportagens do Novojornal vem há anos denunciando a censura imposta pelo Governo de Minas sobre a imprensa regional e até mesmo nacional, uma prática negada e que já deveria ter sido objeto de investigação e até mesmo punição, o que até o momento não se tem notícia de ter ocorrido.
http://www.novojornal.com/minas/noticia/o-que-falta-para-o-governo-intervir-no-transporte-da-rmbh-24-06-2013.html
http://www.novojornal.com/minas/noticia/minas-gerais-paraiso-das-concessionarias-de-onibus-23-06-2013.html

Porém, nos últimos 15 dias o Governo de Minas resolveu abandonar a sutileza e vem policiando e monitorando as imagens que são capturadas por repórteres e até mesmo manifestantes, evitando que as que contenham críticas ao senador Aécio Neves sejam divulgadas.

Evidente que tal estratégia não surtiria efeito se não contasse com a cooperação dos veículos da imprensa. O que pretendem é evitar que o país tome conhecimento que os manifestantes mineiros além de mostrar sua insatisfação com as altas tarifas de ônibus, a corrupção e gastos com a Copa, vem demonstrando insatisfação e crítica contra o ex-governador e atual senador por Minas Gerais, Aécio Neves.

Propagado pela imprensa como o grande líder político do Estado, o senador Aécio Neves no primeiro teste fora do Rádio da TV e das páginas dos jornais e revistas, ou seja, no mundo real, transformou-se em sinônimo de corrupção e centro das críticas nas manifestações populares.

Se no passado o senador conseguiu com seu prestígio eleger o prefeito da capital mineira, hoje tal tarefa seria impossível se a pretensão fosse até mesmo para um vereador. Principalmente porque o senador desde o início das manifestações abandou Minas Gerais, deixando de mediar ou até mesmo defender os manifestantes mineiros que o elegeram.

Em Belo Horizonte, Aécio Neves tem passado apenas por cima, de avião, de Brasília rumo ao Rio de Janeiro. Atualmente crítico das obras da Copa do Mundo esqueceu-se que foi o grande incentivador das mesmas. Até pouco antes das manifestações contrarias Aécio comparecia a todos os eventos apresentando-se como o responsável pela conquista da reforma do Mineirão.

Matéria no sítio da CBF em 25.04.2013 demonstra tal fato:

“O presidente da CBF, José Maria Marin, participou do descerramento de uma placa no hall do Mineirão em que a Federação Mineira de Futebol e os desportistas mineiros homenagearam o senador Aécio Neves pela obra de reforma e modernização do estádio iniciada na sua administração, em 2010, quando governador.

Marin participou da cerimônia juntamente com Aécio Neves, o governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia, o prefeito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda, e o presidente da Federação Mineira, Paulo Schettino. O presidente da CBF destacou a contribuição de Aécio Neves na modernização do Mineirão e no benefício não só ao futebol de Minas como brasileiro.

“Estou orgulhoso em participar desse ato no Mineirão, que será palco de jogos da Copa das Confederações e da Copa do Mundo e que está agora dentro de um padrão à altura do futebol pentacampeão do mundo. Para que isso acontecesse, a participação do senador Aécio Neves foi decisiva, como desportista que ama o futebol, e sobretudo como um governante preocupado com ações positivas para toda a sociedade. Estão todos, o senador e os mineiros, de parabéns”.

O presidente da CBF presenteou Aécio Neves com uma camisa que simboliza à perfeição o país do futebol que mais venceu no mundo uma réplica da azul com que a Seleção Brasileira derrotou a Suécia por 5 a 2 na final da Copa do Mundo de 1958 e conquistou assim o primeiro dos seus cinco títulos.

“Foi com essa camisa que tudo começou”. A Seleção Brasileira iniciou com esta bela camisa a sua trajetória de conquistas que encantou o mundo. Nada mais justo que entregá-la como um presente e uma forma de agradecimento.

Aécio Neves ficou muito feliz com o presente. Abriu um largo sorriso, em uma cena própria de um torcedor que acabara de ganhar um troféu. Ele contou que, como apaixonado por futebol, se sentia honrado em ter agora uma camisa que tanto representa para o povo brasileiro.

“Presidente Marin, muito obrigado. Sou desde criança um torcedor apaixonado, de frequentar o Mineirão com meu pai. Aqui, neste estádio, que tem tanta história, vivi grandes momentos, tive muitas alegrias”.

E aproveitou para brincar com o governador Antonio Anastasia, que é torcedor do Atlético Mineiro.

“Com certeza, muito mais alegria do que o governador!”

O senador agradeceu também ao presidente Marin a realização do amistoso Brasil x Chile e destacou a excelência do Mineirão, um estádio moderno, que está pronto para receber os torcedores brasileiros e de todo o mundo na Copa das Confederações (três partidas, sendo uma semifinal) e na Copa do Mundo (seis partidas, uma semifinal)”.

Vídeo que comprova a repressão da PM contra a filmagem das manifestações.

Responder

marco

25/06/2013 - 23h25

Senhora.Claro que suas suspeitas tem razão de ser.Veja,os mineiros votaram no Cardoso,lembra dele?Votaram no Itamar,lembra dele?Votaram no Aécio que não tem pai ou terá,ja que não usa o nome do pai,certamente é somente,filho da mãe!Votaram de novo no Aécio,votaram no Anastazia,ainda assim,produziram em seu favor,muitos brasileiros ilustres como o Dr.Tancredo,que embora não concordasse com suas opiniões,era um mineiro digno e ajudou na democratização do país.Contudo o motivo principal do deslocamento dos fascistas até Minas,se deve ao fato de que querem atrapalhar a Copa das Confederações pois estarão na vitrine e isto é o que interessa,assim que passar o evento,se deslocarão para o R Janeiro.Visibilidade que terá como patrocinadores,helicópteros das Tvs.Record,Bandeirantes e lideradas as duas,embora aparentem concorrentes,pela Globo.Amanhã a sra. verá!

Responder

Rose PE

25/06/2013 - 23h04

Estou cansada de saber como é a prática do PSDB em Minas, tenho conhecidos de lá e leio, o discurso de Aécim Oébrio é só chamar atenção sobre sua futura candidatura, só quem é BOBO vai na onda daquele discursinho oportunista e eleitoreiro.

Responder

Vlad

25/06/2013 - 22h58

Esse Aécio é um pândego. Parece que acha mesmo que é todo mundo otário.
Justo quando as pessoas vêm exigir serviços públicos de qualidade vem o cara dar pitaco, quando todo mundo sabe (até as cabras leiteiras de Coronel Pacheco)de seu inconfundível estilo de terra arrasada, estado-zero e terceirização.
Não é porque se ataca o governo petista que o desastre anterior foi esquecido. Muito menos perdoado.
Não mesmo!

Por falar em clamor das ruas, olha só o tamanho do medo que os 300 picaretas estão em relação às manifestações: PEC 37 rejeitada por (prestenção!): 430 votos a 9 !

Responder

    Ricardo JC

    26/06/2013 - 04h45

    Uma pena que esta questão da PEC 37 tenha sofrido a interdição do debate que ela sofreu. A discussão seria desta assunto seria fundamental para o avanço das nossas instituições.

    Vlad

    26/06/2013 - 12h57

    Isso é verdade, embora seja outra questão.

FrancoAtirador

25/06/2013 - 22h54

.
.
Joaquim Barbosa apoia Dilma:
reforma política e constituinte tem que ter povo

O presidente do STF, ministro Joaquim Barbosa, concedeu entrevista após reunião com a presidenta Dilma, e manifestou apoio à decisão de consultar o povo para fazer reforma política, através de um processo constituinte exclusivo.

Barbosa concorda com a presidenta que a formatação jurídica de como as coisas serão feitas vem depois. Afirmou que primeiro vem a decisão de como fazer com participação popular, e não repetir os acordos de cúpulas que sempre aconteceram na história do Brasil, e cujos desgastes levaram às insatisfações nas ruas.

A declaração atinge em cheio o acordo de cúpula costurado pela a oposição composta por Aécio Neves (PSDB), José Agripino (DEM), e Roberto Freire (PPS). Eles manifestaram preferência por acordos de cúpula feitos no Congresso, deixando o povo nas ruas só como massa de manobra, sem poder participar das decisões.

Vídeo: (http://www.youtube.com/watch?v=J0J6GMAjeLc)

Responder

Nuno

25/06/2013 - 22h53

Aécio, Anastasia e Lacerda: o trio ternura das Gerais.
O prefeito, em tom de deboche: “Acho que a PM prendeu pouca gente sábado. Espero que ela prenda mais quarta-feira”.

Responder

Jânio Cruz

25/06/2013 - 22h52

Saiu fora dessa furada Beatriz e todos de boa fé, pois essa manifestação está cooptado pelos piguentos e pela extrema direita. Na verdade essas manifestações serão o combustível do golpe. Vamos reverter o golpe. Democracia já. Golpismo JAMAIS!!!

Responder

Taiguara

25/06/2013 - 21h49

O pior disso tudo é constatar que evoluiu-se tão puco. Quarenta e cinco anos após sessenta e oito, a juventude amancebou-se com os demofrênicos tucanopatas para fazer 69.

Responder

    Paulo Monarco

    26/06/2013 - 01h36

    E você sabe que PSDB, PCdoB, PV, PSOL, PMDB, PT pós 1989 e todos que bebem no rio fétido da “governabilidade” tem muita, mas muita culpa nisso.

Fabio Passos

25/06/2013 - 21h33

O único clamor que os entreguistas do psdb-PiG escutam é o da casa-grande… os verdadeiros donos do rabo de aetico never, fhc, jose cerra e cia.

Em 2014 serão varridos do mapa.
E isto é ótimo para o Brasil.

Responder

José X.

25/06/2013 - 21h25

Quem é Beatriz Cerqueira ? Por que é importante a opinião dela ?

É, eu poderia procurar no Google, mas acho que isto não está certo…

Quanto ao assunto Aécio: alguém ainda realmente leva a serio esse sujeito ? Quer dizer, alguém além do PIG…

Responder

    Arlete

    26/06/2013 - 00h16

    É uma das poucas pessoas que não se curva a um fascista.

Julio Silveira

25/06/2013 - 21h18

Engraçado, exatamente no momento em que ele fazia sua aparição na tv dizendo esse seu “blábláblá” de politico enganador, pensei a mesma coisa.

Responder

FabioT

25/06/2013 - 21h08

Azenha,
sem entrar no mérito das reivindicações e manifestações,
eu acho que a cobertura da record estimula essas manifestações,
(o Marcelo Rezende é um capitulo à parte), sempre no sentido de questionar os gastos com estádios, não sei se é porque não tem os direitos de transmissão, mas fica parecendo. Só que a record tem os direitos das olimpiadas, será que veremos matérias questionando as obras das olimpiadas e estimulamando manifestações durante o evento ? a record terá um encontro marcado com esses mesmos manifestantes nas olimpiadas…é logo ali na esquina

Responder

    paulo

    26/06/2013 - 08h36

    Matou Fabio, a record faz um estardalhaço com marcelo rezende, na olimpíada duvido que questione os gastos. Quanto a manifestação, se está contaminada por que faze-la? É dar munição ao adversário. Tá na hora dos que estão ali com boas intenções (que pra mim são minoria) acordarem. Estão fazendo o jogo do pig e tucanos, se ocorrer uma tragédia a culpa vai toda pro governo federal. Façam manifestações contra o governo de Minas. Quanto à record, está cada dia mais parecida com a globo.

Zé Brasil

25/06/2013 - 20h52

“Lembrei que o governo federal tem argumentado que a Copa de 2014 representará um investimento de cerca de 24 bilhões de reais e um retorno de R$ 140 bilhões, segundo uma consultoria. Ela responde que a população está frustrada por notar uma grande mobilização e rapidez no investimento público voltado para um campeonato de futebol, mas a mesma urgência não é demonstrada pelos governantes em questões realmente essenciais para a população.”

Sra. Beatriz, veja com seus próprios olhos esta história fajuta dos investimentos público da Copa que virou uma verdade na boca de qualquer zérosca e depois aponte, por gentileza, honesta e convicentemente, qual foi o investimento público ao qual a senhora se refere no parágrafo acima:

Copa 2014 – Ações e Empreendimentos:

http://www.portaltransparencia.gov.br/copa2014/empreendimentos/investimentos.seam%3bjsessionid=50CD2283E93236A8BB38589708C37EBC.portalcopa?menu=2&assunto=tema

Links úteis relacionados a Copa 2014, tendo inclusive este importante link do TCU específico da fiscalização da Copa

http://portal2.tcu.gov.br/portal/page/portal/TCU/copa2014

http://www.portaltransparencia.gov.br/copa2014/saibamais.seam;jsessionid=769A384745943A7200A53F914E8575D6.portalcopa?textoIdTexto=3

Responder

Deixe uma resposta