VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.
Cartas de Minas
Cartas de Minas

Urariano Mota: De Marte, cubanos estão chegando; risco de genocídio, diz CFM

22 de agosto de 2013 às 20h47

por Urariano Mota, em Direto da Redação

Recife (PE) – Anuncia toda imprensa nos últimos dias: o governo federal voltou atrás e anunciou a contratação de 4 000 médicos cubanos. Os quatrocentos primeiros profissionais de Cuba chegam ao país no fim de semana. Eles irão suprir as vagas não preenchidas no programa Mais Médicos e virão ao país em um convênio com a Organização Panamericana de Saúde (Opas).

Opas? Opa, porque mal souberam da notícia, os quatrocentos primeiros porta-vozes da extrema-direita, ou classe média raivosa, ou médicos defensores do próprio mercado assim irmanados, chegaram aos sites de notícias com seus comentários à beira dos maiores delírios.  Tremem e temem, como se percebe, opa, nesta breve antologia do pensamento pré-histórico:

Os cubanos estão chegando. Brasileiros, se têm de ficar doentes, fiquem logo ou morram mais cedo, porque os bichos vão chegar. Se precisarem de cuidados médicos, deixem-se morrer, pois comunista nunca deve pôr a mão em vocês. Os cubanos são especialistas em guerrilha urbana e agitação e propaganda. São doentes propagadores da ideologia estalinista, tão ao gosto da ala política do PT. Eles formam o Cavalo de Troia de mais uma intentona comunista. São agentes políticos e falsos médicos. São agentes que fizeram curso de primeiros socorros para doutrinar a ideologia marxista no povo humilde do norte e nordeste. PT de patifes pretende levar o Brasil para uma cubanização! Isso já estava preparado desde o início pela comuna bolchevique…. E completou o presidente do Conselho Federal de Medicina, doutor  Roberto D`Ávila: “os médicos cubanos poderão causar um genocídio”.

E apesar do espanto, devemos reconhecer. Se o leitor atentar bem, notará que Cuba é o planeta vermelho. Devia mais era ser chamada de Marte, essa ilha marciana, de guerra no Caribe. Em tudo, esses médicos cubanos lembram os marcianos que um dia invadiram os Estados Unidos, na histórica adaptação para o rádio feita por Orson Welles, quando dramatizou o livro A Guerra dos Mundos. Se não, acompanhem.

Um objeto voador que partiu de  Marte de Cuba se abre esta semana no Brasil. Do objeto, da insidiosa Cubana de Aviación, sairão os marcianos de Havana, que destruirão todos os humanos do Brasil com um raio da morte. Têm além disso uma nova arma que dispara bombas de fumo negro, puros de Habana, que matam todos os humanos nacionais entre fumos e fumaça.

Nas próximas semanas, mais objetos voadores cairão do céu: quatro mil marcianos.  A invasão será respondida com  uma fuga em massa dos médicos residentes em São Paulo, todo o Nordeste, Amazônia e Acre, devido à queda de mais objetos voadores nos seus arredores. Nessa altura serão observados os costumes desses novos marcianos, pois eles usam os humanos como alimento, absorvendo o seu sangue e cérebro com a força de ideologias alienígenas.

Entretanto, através do imenso e etéreo abismo, mentes que estão para as nossas como estas estão para as dos animais selvagens, intelectos vastos mas frios e sem compaixão, contemplam nossa terra com olhos cobiçosos, e fazem seus planos contra nós.

Cidadãos do Brasil: não devemos ocultar a gravidade da situação que nosso país atravessa. Senhoras e senhores, temos uma grave declaração a fazer. Por incrível que pareça, tanto as observações da ciência quanto a evidência diante de nossos olhos levam-nos à indiscutível conclusão de que esses estranhos seres que descem sobre Pernambuco, São Paulo, Rio e Bahia são a vanguarda de um exército de invasores vindos da ilha vermelha de Marte.

Quatro mil homens armados de estetoscópio alcançarão o Brasil a partir de Congonhas ou de Guarulhos, e à sua passagem deixarão um pó escuro, vários cadáveres e um cheiro diabólico, pavoroso, exalando dos gradis dos porões dos edifícios, casas, casebres e igarapés do Brasil profundo.

Mas em lugar de homenzinhos verdes de quatro braços, serão quatro mil  negros e barbudos com dois braços, correndo atrás de atacar os humanos do Brasil. Pois eis que desce um exército invasor de saudáveis e comunistas guerrilheiros. Os marcianos de Cuba parecem ter calculado a sua descida com sutileza surpreendente, com um senso de tempo e matemática avançada.

E o mais grave: não querem ficar ricos à custa dos bolsos do povo. Uma raça muito estranha esses alienígenas cubanos, perigosíssimos. Se no leitor ainda residir alguma dúvida, olhe o vídeo da invasão no YouTube com os termos de busca “guerra dos mundos” Orson. Ou então leia as declarações dos médicos e extrema-direita irmanados no site mais próximo.

Leia também:

Médico que duvida de estrangeiros tem filhos “importados” de Cuba

Mílton de Arruda Martins: “Elitização brutal” ajudou a concentrar médicos

O mau jornalismo da Folha no caso dos médicos “desistentes”

Juan Carlos Raxach: Carta de um médico cubano

Cebes: O SUS precisa de mais médicos. E muito mais!

Dr. Rosinha: Médicos estrangeiros são bem-vindos

Fátima Oliveira: Quem deve lavar as louças sujas são os governos

Apoie o VIOMUNDO

Crowdfunding

Veja como nos apoiar »

O lado sujo do futebol

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Entre os mais vendidos da VEJA, O Globo, Época e PublishNews. O Lado Sujo do Futebol é o retrato definitivo do que acontece além das quatro linhas. Um dos livros mais corajosos da história da literatura esportiva, revela informações contundentes sobre as negociatas que empestearam o futebol nos últimos anos. Mostra como João Havelange e Ricardo Teixeira desenvolveram um esquema mafioso de fraudes e conchavos, beneficiando a si e seus amigos. Fifa e CBF se tornaram um grande balcão de negócios, no qual são firmados acordos bilionários, que envolvem direitos de transmissão e materiais esportivos. Um grande jogo de bolas marcadas, cujo palco principal são as Copas do Mundo.

por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet.

Compre agora online e receba em sua casa!

 

124 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Gerson Carneiro: Médico com cara de médico - Viomundo - O que você não vê na mídia

31/08/2013 - 14h03

[…] Urariano Mota: De Marte, cubanos estão chegando; risco de genocídio, diz CFM […]

Responder

Helio Filho

24/08/2013 - 14h27

Jornalistas investigativos que preferem manter o anonimato obtiveram junto a fontes secretas informações bombásticas, que chegaram as minhas mãos por fontes próximas ao PT. Eis a denúncia:
Na verdade, a Operação Cuba (codinome secreto) se resume nos seguintes pontos, que apresento cronologicamente.
1) Chegam 4000 guerrilheiros disfarçados de médicos (só sabem tratar diarreia como denunciou o CRM-MG) e instalam-se em regiões remotas no Norte e Nordeste do Brasil, onde a população nunca viu um médico de verdade além de ser pouco inteligente.
2) Um comando especial parte em direção da Colômbia, onde as FARC fornecerão 4000 fuzis AR-15 além de farta munição.
3) Ao mesmo tempo um outro grupo previamente versado em química e física parte em direção ao Acre onde isolarão em laboratórios ultra-secretos o princípio ativo X, componente da Ayuasca, consumida durante os rituais do Santo Daime.
3) Este componente X, replicado em laboratório será, de maneira solerte e com a cumplicidade do PT, misturado à água consumida nas cidades brasileiras, começando pelas pequenas cidades e culminando nas metrópoles.

4) Entorpecidos, os patriotas não poderão combater os 4000 guerrilheiros armados e, assim, o Brasil será controlado pela camarilha comunista,

Trata-se apenas de uma experiência piloto, destinada a testar estes métodos vermelhos contra futuros alvos, notadamente os pacíficos e democráticos cubanos exilados na Flórida e contra o Estado de Israel.

Não está excluída, aliás, a colaboração com terroristas islâmicos no sentido de inocular o componente X em beberagens energéticas, garrafinhas de água mineral ou frascos de ketchup e maionese. Neste caso, toda a sociedade judaico-cristã ocidental correria sérios riscos.

Voltarei assim que possível com mais informações.

Responder

    Elias

    24/08/2013 - 16h09

    (muitos risos)Mas só um adendo, Hélio. Caso um visitante novato do blog posso ser incauto, não custa frisar que estamos na seção de humor. (rindo um pouco mais)

Marat

24/08/2013 - 14h10

O povo humilde (e até o rico, se deixar de ser boçal) será tratado com carinho, respeito e profissionalismo, pois os cubanos são assim. Lógico que há os desertores, sedentos por dinheiro e futilidades do capitalismo.
É necessário ter paz e serenidade. Por que tanto alarde? Por que tanto preconceito, preconizado pelas revistas pagas pelos Estragos Unidos? É necessário viver em paz, e observar quem é o inimigo, quem é o ladrão, o assassino e o golpista de verdade. Lógico que falta educação e instrução, mas um dia a casa grande será afastado do poder…

Responder

lukas

24/08/2013 - 13h56

Viomundo (e seus comentaristas) é contra a terceirização, vide as diversas reportagens sobre o assunto postadas por aqui e os virulentos comentários.

Em que difere o caso dos médicos cubanos com todos os outros casos que vocês com batem.

PS : aguardo uma explicação minimamente razoavel do pq os médicos NÃO PODEM trazer suas familias.

Responder

    Luís Carlos

    24/08/2013 - 19h05

    Preocupado defensor dos direitos trabalhistas de médicos cubanos e mais novo internacionalista. Respondi sua pergunta no outro post, apesar de não acreditar em suas repentinas preocupações. Foi só isso que sobrou, depois de tantas derrotas no tema do Mais Médicos?

Elias

24/08/2013 - 02h29

Acho que dá pra mudar essa frase do presidente do Conselho Federal de Medicina.

Em vez de: “Os médicos cubanos poderão causar um genocídio”, melhor dizer: Os médicos mercenários poderão causar uma hecatombe.

Responder

Marat

23/08/2013 - 22h50

Se esses imbecis alienados leitores de veja et caterva continuarem constrangendo os médicos estrangeiros, apenas trarão para si mais opróbrio a sua infeliz existência… Imagine se fossem médicos estadunidenses… eles estariam em êxtase. Eu apoiaria médicos estadunidenses, desde que não fossem espiões!

Responder

    Pitagoras

    30/08/2013 - 13h31

    O único senão é que os EUA não mandam médico pro exterior em missão humanitária. Mandam é agentes para assassinar governantes e outros que não rezem por sua cartilha…

maria de sobral

23/08/2013 - 22h37

Urariano, perdao, troquei os nomes, perdao dobrado. É sir roberto d’avila.

Responder

maria de sobral

23/08/2013 - 22h33

Oh, sir. uraniano mata, o que fez com os dos dedos de silicone, com os que,com o proprio dedinho, batem o ponto e saem do hospital, com aqueles que abandonam o plantao e deixa ao deus dara os doentes que os esperam, com os dos erros medicos, e etc e tal? Já tem erro demais pra voce olhar e punir aqui no Brasil Sem Medico. Va cuidar, ao inves de ta profetizando.

Responder

Fabio Passos

23/08/2013 - 21h35

Se os médicos cubanos curarem a cretinice… a revista veja não terá mais leitores. rsrs

Responder

    Luís CPPrudente

    23/08/2013 - 22h53

    Uma pergunta singela: o tal de Rodrigo sem Leme vai deixar de ser leitor da famiglia Civita?

    Rodrigo Leme

    24/08/2013 - 08h09

    A ultima Veja que li tem anos. A tua cretinize me sai de graça, não tem pq pagar, rs.

    Douglas da Mata

    24/08/2013 - 20h54

    Tem sentido, “leitores” da “óia” naõ sabem ler, só veem figuras…

Zé Brasil

23/08/2013 - 21h24

Prezada Conceição,

Meu comentário de ontem sobre este post, por volta das 22h00min ficou na “cerca” por algum motivo?

Era só uma paulada de leve no lombo destes “malucos”!

Um abraço!

Responder

maria de sobral

23/08/2013 - 20h59

Genocidio? Meu deus, que profecia medonha é esta!!! Fundamentada em quê? Espalha este terror como se fosse uma coisa normal. Parece mais uma insinuaçao gravissima. A que ponto chegamos. Ainda bem que essa nao é a opiniao da maioria dos medicos. Creio nao ser, senao estariamos perdidos. Chega a parecer com o uso que os medievais fizeram do medo e por isso algumas profecias medonhas. Como isso sera interpretado pelos doentes que, finalmente, serao assistidos?

Responder

Marat

23/08/2013 - 20h57

Médicos que escrevem estas boçalidades deveriam consultar psiquiatras, e urgentemente!!!

Responder

Edmorc

23/08/2013 - 17h43

O grande Martinho da Vila já cantava: chora, chora, chora Carolina, esse choro é bom de chorar………

Responder

Zanchetta

23/08/2013 - 15h29

Nenhum medo dos médicos cubanos… dos feitores que vem com eles, sim!!!

Responder

anonimo

23/08/2013 - 15h26

Peço aos companheiros que deem o exemplo: levem todos seus filhos para serem consultados com os doutores cubanos.
Assim, daremos um bom exemplo à sociedade brasileira que se pode confiar em Cuba!

Responder

    Matheus

    23/08/2013 - 16h45

    Não tenho filhos, mas se puder me consultarei com um dos cubanos.

    Satisfeito?

    lukas

    24/08/2013 - 19h32

    Em nome da causa, um esquerdistas poria a vida dos filhos em risco. É o esperado. Menos Lula, que foi se tratar no Sírio e LIbanes.

    Tem uma ministra da Dilma que se orgulha de ter abortado em nome da causa pois, politicamente, não era hora de ter filhos. Filho de esquerdista só nasce se for a hora certa. Se não, pode ser descartado.

    Espero, sinceramente, que quando sua companheira engravidar vc não tenha problemas, pois vc não teria problema em descartar.

    Luís Carlos

    23/08/2013 - 20h23

    Anônimo
    Essa é uma necessidade diante da criminosa oissão que você estaria sugerindo.

    Luís Carlos

    23/08/2013 - 20h23

    Disse omissão.

    Pitagoras

    30/08/2013 - 13h33

    Eu também. Pior que os açougueiros tupiniquins não há…

Helenita

23/08/2013 - 15h09

Tendo em vista que os bondosos dirigentes classistas dos médicos brasileiros estão tão preocupados, condoídos, aflitos com os salários e demais condições dos médicos cubanos, PORQUE NÃO PAGAM SALÁRIOS DIGNOS PARA OS EMPREGADOS DE SEUS HOSPITAIS E CLÍNICAS? E PORQUE CONTRATAM TÃO POUCOS TÉCNICOS DE ENFERMAGEM PARA SEUS HOSPITAIS, DEIXANDO OS PACIENTES INTERNADOS AO DEUS-DARÁ? É insultante ver o que recebem esses semi-escravos , onde um técnico faz mal e mal o trabalho de seis pessoas!
Será que o trabalhador brasileiro não merece as mesmas preocupações?

Responder

FrancoAtirador

23/08/2013 - 15h03

.
.
Pior do que a cegueira da ignorância do fanático que age de boa-fé

é o preconceito cego da ideologia do hipócrita que atua de má-fé.

“Por isso na impaciência
Desta sede de Saber,
Como as aves do deserto,
As almas buscam beber.
Oh! Bendito o que semeia
Livros… Livros, à mão cheia,
E manda o povo pensar!
O livro caindo n’alma
É gérmen, que faz a palma;
É chuva, que faz o mar.

Vós, que o Templo das Idéias
Largo abris às multidões
P’ra o batismo luminoso
Das grandes revoluções,
Agora que o trem de ferro
Acorda o tigre no cerro
E espanta os caboclos nus,
Fazei desse ‘Rei dos Ventos’
Ginete dos Pensamentos,
Arauto da Grande Luz!

Bravo! A quem salva o Futuro
Fecundando a multidão!
Num poema amortalhada
Nunca morre uma Nação.
Como Goethe moribundo,
Brada ‘LUZ’ o Novo Mundo
Num brado de Briaréu…
LUZ, pois, no vale e na serra,
Que, se a Luz rola na Terra,
Deus colhe os gênios no céu!”

(Castro Alves; O Livro e a América; 1870)

http://www.jornaldepoesia.jor.br/calve144.html
.
.
À época, Castro Alves jamais imaginaria que a tal Prensa

seria usada, nestes dias, para obscurecer o espírito humano

e não, como pretendia, para iluminar e esclarecer a Humanidade.

Impensável, também naquele tempo, que a América, o Novo Mundo,

seria mergulhada em profundo obscurantismo em pleno século 21.
.
.

Responder

    Luiz AA do Sacramento

    23/08/2013 - 22h16

    Valeu pela lembrança do soberbo poeta brasileiro- CASTRO ALVES; valeu pela citação iluminada do poeta que concita as massas a buscar no conhecimento a superação do servilismo e da sujeição.
    Como o tema sugere despertamento, me vem a lembrança outra belíssima alusão ao grande poeta: “Então repeti ao povo:- Desperta do sono teu!
    -Sansão – derroca as colunas !// Quebra os ferros – Prometeu!//Vesúvio curvo- não pares,//Ígnea coma solta aos ares,//Em lavas inunda os mares,
    Mergulha o gládio no céu.

    “República !…Vôo ousado //Do homem feito condor!//Raio de aurora inda oculta//Que beija a fronte ao Tabor!//Deus!Por qu’enquanto que o monte…
    Bebe a luz desse horizonte,//Deixas vagar tanta fronte ,//No vale envolto em negror?!… – Título da poesia PEDRO IVO , maio de 1865 (CASTRO ALVES)

    FrancoAtirador

    24/08/2013 - 14h00

    .
    .
    MAGNÍFICO!

    A cada ato de tirania
    Que esmaga a Cidadania
    Sob os pés da injustiça,
    Castro Alves ressuscita
    E do alto dos Andes grita
    Pra restaurar a Justiça:

    O POVO AO PODER

    Quando nas praças s’eleva
    Do povo a sublime voz…
    Um raio ilumina a treva
    O Cristo assombra o algoz…
    Que o gigante da calçada
    Com pé sobre a barricada
    Desgrenhado, enorme, e nu,
    Em Roma é Catão ou Mário,
    É Jesus sobre o Calvário,
    É Garibaldi ou Kossuth.

    A praça! A praça é do povo
    Como o céu é do condor
    É o antro onde a liberdade
    Cria águias em seu calor.
    Senhor!… pois quereis a praça?
    Desgraçada a populaça
    Só tem a rua de seu…
    Ninguém vos rouba os castelos
    Tendes palácios tão belos…
    Deixai a terra ao Anteu.

    Na tortura, na fogueira…
    Nas tocas da inquisição
    Chiava o ferro na carne
    Porém gritava a aflição.
    Pois bem… nest’hora poluta
    Nós bebemos a cicuta
    Sufocados no estertor;
    Deixai-nos soltar um grito
    Que topando no infinito
    Talvez desperte o Senhor.

    A palavra! vós roubais-la
    Aos lábios da multidão
    Dizeis, senhores, à lava
    Que não rompa do vulcão.
    Mas qu’infâmia! Ai, velha Roma,
    Ai, cidade de Vendoma,
    Ai, mundos de cem heróis,
    Dizei, cidades de pedra,
    Onde a liberdade medra
    Do porvir aos arrebóis.

    Dizei, quando a voz dos Gracos
    Tapou a destra da lei?
    Onde a toga tribunícia
    Foi calcada aos pés do rei?
    Fala, soberba Inglaterra,
    Do sul ao teu pobre irmão;
    Dos teus tribunos que é feito?
    Tu guarda-os no largo peito
    Não no lodo da prisão.

    No entanto em sombras tremendas
    Descansa extinta a nação
    Fria e treda como o morto.
    E vós, que sentis-lhe o pulso
    Apenas tremer convulso
    Nas extremas contorções…
    Não deixais que o filho louco
    Grite “oh! Mãe, descansa um pouco
    Sobre os nossos corações”.

    Mas embalde… Que o direito
    Não é pasto do punhal.
    Nem a patas de cavalos
    Se faz um crime legal…
    Ah! não há muitos setembros!
    Da plebe doem os membros
    No chicote do poder,
    E o momento é malfadado
    Quando o povo ensangüentado
    Diz: -Já não posso sofrer!

    Pois bem! Nós que caminhamos
    Do futuro para a luz;
    Nós que o Calvário escalamos
    Levando nos ombros a cruz;
    Que do presente no escuro
    Só temos fé no futuro,
    Como alvorada do bem,
    Como Laocoonte esmagado,
    Morreremos, coroado,
    Erguendo os olhos além.

    Irmãos da terra da América,
    Filhos do solo da cruz,
    Erguei as frontes altivas,
    Bebei torrentes de luz…
    Ai! soberba populaça,
    Rebentos da velha raça
    Dos nossos velhos Catões,
    Lançai um protesto, ó povo,
    Protesto que o mundo novo
    Manda aos tronos e às nações.

    (http://www.projetomemoria.art.br/CastroAlves/memorias/memorias_amor_povo.html)
    .
    .
    Um abraço camarada e libertário.
    .
    .

Helenita

23/08/2013 - 14h57

Caros, a certeza da impunidade norteia a carreira dos médicos brasileiros, salvo honrossíssimas excessões, e a insensibilidade desses profissionais raia ao absurdo. Em 2009, meu esposo morreu lutando contra um câncer, sempre se tratando por um plano de saúde (geap) e também com particulares.
É assombroso como com uma só pessoa vários médicos cometeram grosseiros erros, multiplicando o suplício de um portador de câncer. Só lembrando uma das situações, um ortopedista conceituado atendeu meu marido que se queixava de fortes dores no ombro: tendo o paciente relatado que estava sob tratamento quimioterápico, ele pediu apenas uma radiografia rápida e diante dela disse que não havia relação com a doença e que o paciente estava com tendinite…Prescreveu antibióticos e sessões de fisioterapia na sua clínica!
Após várias sessões torturantes e piora do quadro, o paciente foi examinado por outro ortopedista que, pedindo exames de ressonância magnética, verificou que o paciente tinha um tumor no ombro, de 8×10 cm, inclusive com fratura espontânea no braço! Imaginem só a gravidade de tudo isso! Esse primeiro médico vive lépido e fagueiro, com ares professorais, em sua clínica, ou melhor, em seu açougue!
Onde está a extrema competência e responsabilidade dos médicos brasileiros? Essa estorinha de comunismo, pelo amor de Deus, é um insulto para nossa paciência; quem não te conhece que te compre, senhores deuses de branco!!!

Responder

Ines

23/08/2013 - 14h17

A ciência medica cubana só merece elogios; que médicos brasileiros esperneiem muito. Cubanos e outros estrangeiros, sejam benvindos

Responder

Hell Back

23/08/2013 - 14h11

Os médicos brasileiros estão mal acostumados. Até prá curar uma simples gripe mandam pedir exames caros. Será que não confiam mais nos seus conhecimentos?

Responder

FrancoAtirador

23/08/2013 - 14h10

.
.
PORQUE OS DONOS DA MÍDIA BANDIDA SÃO FASCISTAS.
.
.

Responder

    FrancoAtirador

    23/08/2013 - 15h08

    .
    .
    POTENCIALIZA E AMPLIFICA A VOZ DOS FASCISTAS.
    .
    .

    Luís CPPrudente

    23/08/2013 - 22h56

    Além de fascistas, mafiosos e propineiros (do mesmo propinoduto tucano).

Valdeci Elias

23/08/2013 - 13h48

Os médicos brasileiros, eram pra ter se revoltado, quando o congresso acabou com a CPMF. Com a verba desviada pra saúde, pela CPMF, os médicos poderiam estar ganhando mais e trabalhando com melhores condições.

Responder

    icaro

    23/08/2013 - 23h15

    Os Médicos tinham panico do CPMF, pois com ele a receita Federal podia rastrear sonhadores.

Carlos

23/08/2013 - 13h37

o medo da podre elite brasileira é que os brasileiros pobres vão saber o que é ser atendido com humanidade.

Responder

    FrancoAtirador

    23/08/2013 - 13h46

    .
    .
    A INVASÃO DOS MARCIANOS NARRADA POR ORSON WELLES

    Em 1938, o então radialista Orson Welles resolveu propor à direção da Columbia Broadcasting System (CBS) uma transmissão diferente:
    a adaptação radiofônica da obra literária de ficção científica A Guerra dos Mundos, do inglês Herbert George Wells (1866-1946), publicada em 1889.

    Essa narração foi feita de surpresa na noite do dia 30 de outubro daquele ano de 1938, véspera do Halloween.

    Seis milhões de americanos ouviam o programa dominical Mercury Theatre on the Air, transmitido em rede nacional de rádio pela emissora CBS, quando por volta das 21 horas a execução de La Cumparsita, pela orquestra de Ramon Raquello, direto do Hotel Park Plaza no centro de Nova York, foi interrompida por uma notícia que mudaria os rumos da humanidade.

    A voz de um locutor desconhecido anunciou:

    “A C.B.S. interrompe seu programa para anunciar aos ouvintes que um meteoro de grandes dimensões caiu em Grovers Hill, no Estado de Nova Jersey, a algumas milhas de Nova York.”

    O acontecimento provocou certa emoção. Mas a música de dança recomeçou normalmente.

    Pouco depois, nova interrupção.

    Desta vez o locutor entrevistava um professor de meteorologia sobre a origem dos meteoros.

    Novo corte brusco: a C.B.S. cedia a antena a seu repórter, enviado especial a Grovers Hill. Ouve-se a voz de Carl Philips. Em poucas palavras ele descreve a cena:

    – O meteoro jazia numa planície imensa, que parecia ter escolhido para campo de pouso. Iluminado pelos faróis de milhares de automóveis reunidos, parecia uma locomotiva, brilhante, plantada sobre a terra.
    Mas subitamente – e a voz do locutor tornara-se apavorada – o enorme cilindro se abre e seres gigantescos, prolongados por tentáculos começam a sair de seu interior.

    A multidão concentrada ao redor, sente perpassar-lhe um calafrio.
    Incapaz de traduzir as impressões que se embaralham no seu cérebro, Carl Philips fala de formas que se aproximam, de atropelos.
    Depois a voz se perde no tumulto.

    Alguns segundos mais tarde ele cai, arrastando o microfone na queda, morto pela arma secreta dos seres saídos do cilindro: o raio mortal dos marcianos.

    Um longo silêncio sobre as ondas…

    Milhões de ouvintes largam o jornal que liam e manobram febrilmente o botão de volume de seus aparelhos. Nada.

    Depois de várias tentativas, ouve-se o prefixo indicativo da estação: cinco notas da C.B.S.

    De longe, ao piano, alguém toca o “Clair de Lune” de Debussy.

    Um novo silêncio.

    Enfim, uma voz pálida. Um locutor anuncia uma mensagem do general Montgomery Smith, comandante da Polícia Federal de Nova Jersey:

    “Uma imensa batalha está em curso, declara o general, entre invasores vindos do planeta Marte e a Polícia do Estado. Os principais combates estão se desenvolvendo em Watchung Hill.”

    O general acrescenta que a lei marcial fora proclamada nas regiões de Princeton e de Jamesburg.

    Um repórter desconhecido anuncia que testemunhas telefonaram imediatamente ao estúdio relatando pormenores das operações em curso, e que tais detalhes são demasiadamente bárbaros para serem irradiados. Há mortos.

    O “Clair de Lune” de Debussy, acompanhando essas notícias, é uma especie de fundo musical do Fim do Mundo.

    No mesmo instante, em Nova York, os veteranos da Grande Guerra vestem apressadamente seus uniformes, abraçam suas famílias e partem, a fim de se colocarem a serviço do país.

    O Estado de Nova Jersey é tomado pela angústia: os quartéis dos bombeiros, os postos policiais, os hospitais, as salas de redação, são tomados de assalto por uma multidão super-excitada.
    Em Newark, cidade mais próxima do campo de batalha, 50.000 pessoas deixam suas casas e correm, na noite, à procura de abrigos naturais.
    Nas igrejas os padres fazem orações.
    No Harlem, milhares de negros, vítimas de uma crise de histeria, abrem as janelas e se atiram na calçada.
    Em Pittsburgh há suicídios.
    Em Minneapolis uma mulher percorre as ruas, descabelada, anunciando o fim do mundo.
    Em Los Angeles, em Salt Lake City, em todas as cidades norte-americanas, propaga-se a notícia de que Nova York está ameaçada pelos “robots” vindos do planeta Marte.

    Em todos os pontos do país milhões de seres humanos preparam-se para morrer (O Instituto Gallup provará, mais tarde, que muito poucos escaparam a esta reação), sem se surpreenderem com a extraordinária rapidez com que a notícia foi difundida – apenas 18 minutos depois da queda do meteoro.

    Uma proclamação do Secretário de Estado do Interior:

    – “Cidadãos! Não tentarei dissimular a gravidade da situação. Insisto no sentido de que todo o mundo, nas atuais circunstâncias, conserve o sangue frio. Cada um deve estar pronto para sacrificar sua própria vida. O objetivo desta luta tremenda que ora se trava é a supremacia da raça humana sobre a terra…”

    As palavras continuam, a mesma idéia se repete sob vinte formas diferentes. A voz é meio surda, sob um fundo sonoro. Um locutor transmite, numa voz sonante, as últimas noticias: destruição de Newark, travessia do Hudson e avanço dos marcianos em direção a Nova York!
    A cidade dos arranha-céus está em perigo. Milhões de pessoas se aglomeram defronte ao estúdio.

    E a irradiação prossegue:

    “A invasão se completa – declara agora uma voz do outro mundo. Os marcianos, após atravessarem o Hudson, penetram agora nas ruas de Nova York. Nuvens homicidas de um gás desconhecido envolvem a cidade e penetram nos arranha-céus pelas janelas superiores. Toda resistência organizada cessou da parte do gênero humano.”

    É o fim de Nova York.

    No microfone, a voz do locutor vai sumindo, até desaparecer. Seus pulmões, atacados pelo gás da morte, permitem-lhe apenas mais algumas palavras para descrever a agonia da cidade e a aparição triunfante dos vencedores, suas silhuetas brilhantes, metálicas.

    Nas calçadas abrem-se buracos. O locutor não pode mais: cai, arrastando o microfone consigo… Silêncio…

    Ao longe, ouve-se uma sirene de navio que provavelmente tenta singrar os mares levando milhares de refugiados.

    Depois ouve-se o apelo desesperado do rádio de bordo, tentando pôr-se em comunicação com a terra:

    – Aqui chama 2 X 2 CQ Nova York. Aqui chama 2 X 2 CQ. Alô, alô!… Alô…
    Essa mensagem desesperada apavora toda a América.

    Em Washington uma mulher enlouquece.

    A transmissão radiofônica termina.

    Depois de cinco segundos de silêncio, a voz de um locutor lê o seguinte texto:

    – Acabaram de ouvir a primeira parte de uma irradiação de Orson Welles, que radiofonizou A Guerra dos Mundos, do famoso escritor inglês H. G. Wells.

    Depois daquele dia, houve uma vaga de diretor na CBS e um cidadão tornou-se célebre em todo o mundo.

    A CBS calculou, na época, que o programa foi ouvido por cerca de seis milhões de pessoas.

    Pelo menos 1,2 milhão de pessoas acreditou ser um fato real.

    Dessas, meio milhão teve certeza de que o perigo era iminente, entrando em pânico, sobrecarregando linhas telefônicas, com aglomerações nas ruas e congestionamentos causados por ouvintes apavorados tentando fugir do perigo.

    O medo paralisou três cidades e houve pânico principalmente em localidades próximas a Nova Jersey, de onde a CBS emitia e onde Welles ambientou sua história.

    Houve fuga em massa e reações desesperadas de moradores também em Newark e Nova York.

    A peça radiofônica, de autoria de Howard Koch, com a colaboração de Paul Stewart e baseada na obra de Wells, ficou conhecida também como “Rádio do Pânico”.

    – Eu julgava – disse Orson Welles a um jornalista – que somente crianças de 9 anos de idade ou débeis mentais poderiam levar a sério minhas elucubrações.
    Entretanto, em Nova York elas provocaram um pânico inacreditável…

    (http://www.dw.de/1938-p%C3%A2nico-ap%C3%B3s-transmiss%C3%A3o-de-guerra-dos-mundos/a-956037)
    (http://almanaque.folha.uol.com.br/leituras_26jul00.htm)
    (http://www.gazetadopovo.com.br/cadernog/conteudo.phtml?id=822301&tit=Orson-Welles-Ha-70-anos-os-marcianos-invadiram-a-mente-dos-americanos)

    (http://www.youtube.com/watch?v=VMGRCU4kLjI)

Nestor Calazans

23/08/2013 - 13h06

Mais médicos, menos lucro. Simples assim.

Responder

    Matheus

    23/08/2013 - 16h48

    Pois é!

Urbano

23/08/2013 - 13h06

Nos tempos atuais ainda se usar o bordão comunista demonstra muita imaginação; um exagero até.

Responder

Leandro_O

23/08/2013 - 12h54

ATECUBANOS?
Na verdade quem está “P” são os ‘pranos’ de saúde, porque não vão participar nos lucros. Agora, que venham esses médicos, quem sabe assim não ensinam um pouco de civilidade e humanidade para muitos desses ‘dotorezinhos’, gente que idosos como despesa inútil, gente que trata idosos como ‘já vai tarde’, com comentários do tipo ‘ele já viveu muito’.

Responder

henrique de oliveira

23/08/2013 - 12h06

Sera que esse idiota ja viu o curriculum desse doutores de CUBA? alem de muito, mais muito mais preparados que qualquer medico brasileiro, são pessoas que ja estiveram em varios países em missões humanitarias.Um dos medos desses coxinhas de jalécos é que o povo vai ver o que são medicos de verdade e tem mais esse papo de reserva de mercado é meio besta pois pobres não tem grana para esses mercenarios explorarem.Quanto a ideologia deles não me interessa , pois é melhor a ditadura da saúde do que a democracia da morte.

Responder

M.Cruz

23/08/2013 - 11h44

O doutor Roberto D´Avila tem que se decidir: ou os cubanos estão chegando para matar os pobres ou estão chegando para salvar futuros eleitores comunistas para o PT se manter no poder? KKKK
Dizem que de médico e louco todo mundo tem um pouco. Já as reações absurdas dos médicos coxinhas mostram que de loucos eles têm muito, agora de médico…

Responder

Hélio Pereira

23/08/2013 - 11h10

É inclivel,mas nossa direita passou a defender as Leis Trabalhistas,a se preocupar com salarios dos Cubanos,enfim demonstra uma grande “conciência social”,uma grande preocupação em defender os interesses da classe trabalhadora internacional,um espirito incomum de Solidariedade em favor dos trabalhadores “explorados” pelo Regime Capitalista,ops… “Regime Comunista” de Cuba.
Acho que os Sindicatos Brasileiros devem aproveitar e cobrar dos membros da Direita,donos de Bancos,Midia,Comércio,Industrias,Agro-negocios,Hospitais,planos de Saúde…etc,uma melhora nas condições de Trabalho e de salario,acho que nossos Capitalistas não vão se negar a atender este tipo de reinvidicações,uma vez que estão demonstrando serem “Tão Bonzinhos”.

Responder

    Valentina

    23/08/2013 - 11h55

    Há um projeto de salário para o SUS no Congresso

    18.000 por 40 horas semanais aos médicos

    Merecem. Ocorre que falta salário em todo lugar no serviço público.

    Valentina

    23/08/2013 - 11h56

    Se alguns dos maus entre eles já não ficam no plantão, imaginem com um salário assim…. vai ficar meia semana em Miami.

Regina Braga

23/08/2013 - 10h56

Que venham os cubanos…que acabem com os feudos e clãs.Nós precisamos de médicos,vacinas(vacina contra o câncer de pulmão está sendo produzida por cubanos e argentinos),precisamos de qualidade na saúde(Como o Centro Médico de Havana)…enfim um tratamento inicial de primeiro mundo.O ex-diretor da Siemens, tbém relata corrupção, no setor de energia e saúde(UOL-23/08/2013).Agora poderemos entender porque o SUS foi sucateado!

Responder

Gilberto Silva

23/08/2013 - 10h31

Os médicos cubanos com certeza irão cometer alguns “erros” , mas os brasileiros os cometem aos milhares todos os dias e nunca são punidos e poucos são divulgados pela imprensa golpista.
Os blogs devem ficar a cada dia mais atentos aos erros dos brasileiros e o governo tem que se precaver pois vai haver uma onde de denuncismo sobre os cubanos como nunca se viu na história deste pais….afinal os médicos brasileiros são os “melhores”profissionais do mundo , eles nunca érram.

Responder

    J Fernando

    23/08/2013 - 11h02

    Gilberto, meu temor também é este.
    A imprensa vai divulgar com o maior estardalhaço, no fantástico, nas machetes da folha e estadao e com capa da revista veja, qualquer errinho que os médicos cubanos cometerem. Se um deles errar uma letrinha, chamar o paciente pelo nome errado, serão massacrados pela imprensa brasileira.

Isidoro Guedes

23/08/2013 - 10h24

Interessante essa tese de que os médicos cubanos causarão um genocídio. Agora a falta de médicos é que uma boa não é mesmo? E essa falta não geraria genocídio algum.
Que legal! Presença de médicos matando gente e ausência de médicos “salvando” vidas. Essa é a “magistral” e jenial (com “j” mesmo) tese do corporativo e elitista CFM. Francamente!

Responder

Ted Tarantula

23/08/2013 - 10h13

a grande ditadura moderna, ainda mais cruel pq invisível, é a das corporações, empresariais e de oficios: médicos que não atendem pobres nem permitem que outros atendam; seguradoras que extorquem proprietários de veículos e não permitem que se busque nenhuma saída menos dolorosa…o futuro é tenebroso.

Responder

    Valentina

    23/08/2013 - 11h57

    Muitas instituições fiscalizadoras estão nessa situação.Infiltradas.

    Foi ontem mesmo que pegaram a ANS com um infiltrando.

    Ted Tarantula

    23/08/2013 - 12h28

    sinto desiludi-la Valentina..mas não se trata de “infiltrados” as agencias mesmas são órgãos que existem pra proteção não da sociedade mas das próprias corporações que deviam fiscalizar: Banco Central existe pra proteger os bancos e não as pessoas contra os bancos; Aneel existe pra garantir que as distribuidoras de energia possam queimar nosso aparelhos a vontade e extorquir consumidores; ANS, ANTT, e todas as outras são a mesma coisa… só se desilude quem se ilude…não se esqueça.

Paulo Brasil

23/08/2013 - 10h11

Bem vindos os medicos cubanos.

Que seja o inicio do fim da ditadura da saude brasileira que enriquece os medicos e palnos d saude.

Se tem dinheiro seras atendido e se nao, estaras entregue ao destino.

Responder

francisco

23/08/2013 - 10h09

http://redecastorphoto.blogspot.com.br
Desgoverno mundial totalitário
[*] Adriano Benayon – 14.08.2013
01. Estamos diante de mudança qualitativa na situação mundial, tanto no plano econômico como no político.
02. Depressão, desemprego crescente, concentração e financeirização absurdamente elevadas – incompatíveis sequer com o pouco que restava do estado de direito – têm levado ao Estado totalitário, cujas instituições aplicam meios e armas tecnológicas, nunca dantes vistas, para desinformar, espionar e reprimir as pessoas.
03. Poucos países, como Rússia, China e Irã, não se comportam como capachos do império anglo americano, sofrendo, por isso, pressões militares, políticas e constante campanha denigridora, apesar de com ele colaborarem em muitos terrenos e questões (1). Nem esses se desvencilharam plenamente da oligarquia financeira anglo americana, absoluta em numerosas nações subjugadas, de todos os continentes.
04. Isso, inclusive porque o império logra manter seu sistema financeiro fraudulento, inclusive o dólar e o euro no grosso das transações mundiais e constituindo mais de 90% das reservas de divisas (só o dólar, mais de 60%).
05. Sem a ameaça do poder militar e sem as incríveis manipulações nos “mercados financeiros” pelos bancos da oligarquia, o dólar teria, de há muito, perdido toda credibilidade.

06. Essa moeda é emitida em quantidades colossais, mais de vinte trilhões tendo sido passados aos bancos da oligarquia financeira angloamericana e a alguns europeus a ela vinculados, para livrá-los do colapso criado por esses próprios bancos, com a orgia dos derivativos.
07. A injeção de dinheiro no sistema financeiro oligárquico, por parte dos tesouros nacionais e dos bancos centrais, através da criação de moeda, levou os tesouros a se superendividar, e os bancos centrais a exceder os limites toleráveis de emissões.
08. Por isso, não haverá como usar o mesmo “remédio” no próximo colapso, que terá consequências ainda piores que as do anterior, de 2007/2008, inclusive, como já aconteceu em Chipre, o confisco de haveres dos depositantes.
09. Desde o anterior, com as empresas produtivas e as pessoas em dificuldades, os bancos quase não emprestaram aos que produzem, e geraram a bolha do dólar e as dos mercados de títulos e de ações.
10. De fato, os governos títeres fizeram o contrário do que recomenda a ciência econômica não pautada pela submissão ideológica à oligarquia: deixar falir os grandes bancos e aplicar recursos financeiros na produção em bases saudáveis, desmontando carteis e oligopólios e fomentando pequenas e médias empresas, bem como fortalecendo as estatais e investindo na infra-estrutura.
11. O montante dos derivativos não registrados em bolsas (over the counter), que havia ultrapassado 600 trilhões de dólares no auge da “crise” em 2008, voltou a fazê-lo em 2011 (dados do Bank for International Settlements – BIS).
12. Grande, se não a maior, parte dos derivativos revelou-se podre, por serem pacotes de obrigações securitizadas, em cuja base estavam instrumentos de crédito-débito sem condições de serem adimplidos.

13. Os vultosos prejuízos resultantes desencadearam o colapso e deveriam ter causado a falência dos grandes bancos, cujos controladores, executivos e acionistas haviam obtido ganhos bilionários com as fraudes.
14. A sequela do colapso financeiro foi a depressão e o desemprego nos EUA, Inglaterra, Japão e na quase totalidade da Europa, com reflexos em todo o Mundo.

15. Aí entra a desinformação. Nos EUA, os órgãos oficiais falseiam as estatísticas de diversas formas, inclusive superestimando a produção, ao aplicar aos preços deflatores muito inferiores à inflação verdadeira, e subestimando o desemprego.
16. Mas as pessoas sentem a deterioração de suas condições de vida e protestam. Diante disso, a oligarquia recorre à repressão policial, reforçando cada vez mais a natureza totalitária do poder público que controla. É o inelutável reverso político da medalha econômica e social.
17. O Estado policial, a serviço da oligarquia, já estava consolidado antes da implosão das Torres Gêmeas, em Nova York, e do míssil disparado conta o Pentágono, em Washington, em 11.09.2001, pois praticar um golpe dessa magnitude, conseguir ocultá-lo na “investigação”, reprimir os que demonstraram a verdade e impor à mídia a difusão da mentira oficial, são façanhas só possíveis sob instituições totalitárias.
18. Esse golpe – vale recordar – foi perpetrado para aterrorizar a população, obter do Congresso mais leis repressoras e “justificar” ações de guerra de grande envergadura, no Oriente Próximo e no Norte e Leste da África, no Afeganistão, Iraque, Líbia, e mais recentemente Síria.
19. Muita gente imagina que a oligarquia não tem como evitar a depressão e crê que ela não entende como a política econômica a poderia suprimir.
20. Entretanto, a recorrência das depressões e a continuidade das guerras demonstram que elas não são catástrofes naturais, mas, sim, deliberadamente cultivadas, além de consequência da concentração extrema do poder econômico, causada pelas políticas públicas comandadas pela oligarquia.
21. A oligarquia tem por objetivo central aprofundar e tornar absoluto seu poder
econômico e político. Para isso, nada melhor que tornar pobre a grande maioria dos razoavelmente prósperos e a totalidade dos trabalhadores, que, em situação de vida menos desfavorável, contariam com recursos financeiros e tempo para organizar-se e resistir à concentração do poder e aos desmandos da repressão totalitária.
22. Um exemplo disso ocorre com os brasileiros, que, se empregados, têm de desperdiçar cinco horas diárias estressando-se no trânsito. Além disso, o lazer é arruinado pela anticultura, e pela promoção de vícios e pela destruição de valores inculcadas pelos meios de comunicação e de entretenimento.
23. Os moderníssimos e cada vez mais poderosos instrumentos da eletrônica e da informática são intensamente empregados a serviço disso, como também da espionagem industrial e a repressiva, causando danos às economias nacionais e à privacidade e à segurança de cada indivíduo.
24. O Brasil, transformado em zona passiva da exploração e da opressão imperiais, tem o “privilégio” de votar na urna eletrônica menos confiável do Mundo, e agora seus eleitores vão ser submetidos pela “Justiça” ao cadastramento biométrico, ficando, assim, expostos a mais abusos contra seus direitos.

25. Por mais absurdo que pareça às mentes sadias, infere-se o objetivo de dizimar a população mundial, por parte da oligarquia instituidora da “nova ordem mundial”. Basta, para isso, ver o que ocorre, há decênios.
26. Percebe-se mais um “sentido” da depressão econômica: favorecer o aumento da subnutrição, da má nutrição e das doenças, inclusive através do estresse, fonte da intoxicação endógena e da perda da imunidade.
27. O fomento das doenças, além de fonte de lucros das indústrias da “saúde”, faz “controle demográfico”, complementando o controle da natalidade. Para tanto, estão aí os transgênicos, agrotóxicos, o lançamento de rastros químicos por aviões, a gigantesca poluição de produtos como petróleo e seus derivados, carvão, xisto, os da indústria química e n outros.
28. Na mesma direção, refrigerantes, fumo, drogas, antibióticos, quimioterapia, radioterapia e os hormônios, inclusive administrados ao gado e aves. Ademais, a medicina orientada pelos interesses financeiros da indústria farmacêutica e da de equipamentos médicos.

(1) O caso emblemático do analista Snowden provocou a fúria dos agentes imperiais, tendo o presidente Putin agido com exemplar firmeza, ao lhe conceder asilo, em contraste com a atitude dúbia da China, que rapidamente o despachou para a Rússia.

[*] Adriano Benayon – Consultor em finanças e em biomassa. Doutor em Economia, pela Universidade de Hamburgo, Bacharel em Direito, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Diplomado no Curso de Altos Estudos do Instituto Rio Branco, Itamaraty. Diplomata de carreira, postos na Holanda, Paraguai, Bulgária, Alemanha, Estados Unidos e México. Delegado do Brasil em reuniões multilaterais nas áreas econômica e tecnológica. Depois, Consultor Legislativo da Câmara dos Deputados e do Senado Federal na área de economia. Professor da Universidade de Brasília (Empresas Multinacionais; Sistema Financeiro Internacional; Estado e Desenvolvimento no Brasil). Autor de Globalização versus Desenvolvimento, 2ª ed. Editora Escrituras, São Paulo.

Responder

Pedro Macambira

23/08/2013 - 10h09

Em competição aberta, dos nossos médicos só escapariam os cirurgiões plásticos, como do Dr. Rey, e os de clínica de fertilização, como o Dr. Abdelmassih.

Responder

HenriqueD

23/08/2013 - 10h07

“Eles formam o Cavalo de Troia de mais uma intentona comunista. São agentes políticos e falsos médicos.”
Não entra na minha cabeça que um médico, supostamente de um nível melhor de instrução, supostamente com maior entendimento de mundo, seja capaz de um discurso com tamanho grau de delírio e falta de objetividade como esse. Quando faltam argumentos objetivos, sólidos apela-se para esse discursinho de beata alucinada. Diante de problemas tão sérios que temos na saúde no nosso pais, diante da falta de profissionais e de infra estrutura de atendimento por que não sentam com o Governo a ajudam encontrar formas de minorar essas deficiências? Por que não refletem sobre como poderiam contribuir com nosso pais? Como é cínico e fácil proferir um discursinho vazio como esse. Se a Saúde de nosso Pais depende de pessoas que eventualmente partilhem dessa visão estamos mesmo sem saída! Que pena!! Que triste!!

Responder

    Valentina

    23/08/2013 - 11h59

    Metade ou mais dos formandos em universidades estaduais estão nesse nível. Em todas as áreas. Nem se fale em formados pelas privadas, esses são o próprio produto às vezes.

Ted Tarantula

23/08/2013 - 09h14

o ‘mercado” da saúde, talvez pq afete a todos diferentemente de outros acaba, por ser um microcosmo do absurdo que é o país..toma a questão dos convênios: o médico diz que recebe uma esmola, uma merreca e se diz explorado, sugado, roubado..mas não deixa o convenio pq esse lhe garante pacientes que não poderiam pagar uma consulta particular….puta que pariu: não passa pela cabeça desses gênios que se cobrassem uma quantia razoável, algo entre a ninharia que recebe do convenio e o preço extorsivo de sua tabela particular, ele teria todos os clientes dos planos e os outros, que não pagam planos nem podem pagar o particular????? isso é ainda mais verdadeiro para dentistas, pois não?????

Responder

Ted Tarantula

23/08/2013 - 09h14

o ‘mercado” da saúde, talvez pq afete a todos diferentemente de outros acaba, por ser um microcosmo do absurdo que é o país..toma a questão dos convênios: o médico diz que recebe uma esmola, uma merreca e se diz explorado, sugado, roubado..mas não deixa o convenio pq esse lhe garante pacientes que não poderiam pagar uma consulta particular….puta que pariu: não passa que cabeça desses gênios que se cobrassem uma quantia razoável, algo entre a ninharia que recebe do convenio e o preço extorsivo de sua tabela particular, ele teria todos os clientes dos planos e os outros, que não pagam planos nem podem pagar o particular????? isso é ainda mais verdadeiro para dentistas, pois não?????

Responder

Leo V

23/08/2013 - 09h12

Se o povo (os médicos) de Cuba são comunistas e stalinistas, por que então os capitalistas falam tanto que Cuba é uma ditadura.. ora, o regime é vontade do povo então.

Responder

Ademar Ramos Brilhante

23/08/2013 - 08h56

Um colunista super-reacionário, ultraconservador, extramamente idiotizado, do maior jornal do Espirito Santo, chamado Uchoa de Mendonça, afirma textualmente que o objetivo central da vinda dos médicos cubanos para o Brasil, é levar a ideologia comunista aos rincões do País, com objetivo do PT se perpetua no poder. BESTIAL!

Responder

Rodrigo Leme

23/08/2013 - 08h53

1. Quanto cada médico vai receber DIRETAMENTE?
2. Como este médico vai receber? Um cheque no final do mês na mão dele?
3. O que o governo pretende fazer com esses 4 mil médicos, sendo que desde 1998 o número de leitos tem caído progressivamente no Brasil? Vão cuidar destas pessoas aonde e como?
4. Quem responde por imperícia? Quem o paciente processará? O governo brasileiro? E quem será punido, sendo que o governo brasileiro não pode revogar um CRM desses médicos?
5. Esses médicos são médicos de formação? Todos os 4 mil?
6. O que o governo fez até agora para resolver a saúde no país para que isso seja tratado como “emergencial”? Quais foram as ações efetivas do governo na saúde tomadas nos últimos anos que falharam e tiveram que ser substituídas por isso?

Só pra atiçar a discussão.

Responder

    Demetrius

    23/08/2013 - 10h11

    Só pra atiçar sua sabedoria: como é colocar o ego a frente de questões básicas como a saúde? abs

    Luís CPPrudente

    23/08/2013 - 10h12

    Foge que um médico cubano está chegando!!!!!!

    Ainda por cima um médico cubano escravizado!!!

    Foge, vá se proteger nos braços dos teus ídolos (neste momento eles estão bem protegidos no propinoduto tucano paulista)!!!!

    Andre SP

    23/08/2013 - 10h24

    Tomará que o povo veja tudo com muita atenção. No Brasil falta médicos e sua categoria quer proibir profissionais de outros países suprir a falta de médicos.

    Estão precisando de muito óleo de peroba nossos médicos!

    Anonimo

    23/08/2013 - 10h27

    Sou totalmente a favor dos médicos cubanos virem, mas achei interessantes estes teus questionamentos.

    J Fernando

    23/08/2013 - 11h18

    Só para atiçar a discussão:
    A porcentagem de cassações de CRM de médicos brasileiros que cometem erros crassos é IRRISÓRIA!
    O corporativismo médico dificilmente condena um “colega”.
    Você tem informações sobre dados de cassação de CRM de médicos brasileiros? Os médicos que “erram” a mão em lipoaspirações, os que mandam para casa pacientes com doenças graves sob o diagnóstico de “virose”, entre outros, continuam exercendo a profissão tranquilamente.

    Wladimir

    23/08/2013 - 12h07

    Zóio torto, me engana que ce tá preocupado com os direitos trabalhistas dos médicos estrangeiros! Quem responde por imperícia; ou quem o paciente processará?!?! Me poupe! A população que será atendida por esses médicos jamais viu um profissional da saúde na vida; trata-se de um povo que os “coxinhas de jaleco branco” nunca pensou que existisse e nunca pensou em sequer chegar perto! Deixa de ser hipócrita.

    Rodrigo Leme

    23/08/2013 - 20h32

    Em resumo, ninguém sabe responder. Certo?

    Luís Carlos

    23/08/2013 - 21h28

    Rodrigo

    Por favor, explique que tipo de relação pretendes estabelecer com número de leitos hospitalares e cuidados a cidadãos na atenção básica para os quais os médicos do Mais Médicos vão trabalhar?

clodoaldo

23/08/2013 - 08h49

LCA, o medo na verdade é de eles não aprendam a usar dedos de silicone para marcar o ponto (será que os médicos brasileiros que fizeram isso foram punidos pelo CFM, sendo impedidos de exercerem a profissão?); fazerem atendimentos mais demorados e com eficácia impedindo ou dispensando a compra dos remédios caros dos grandes laboratórios; fazerem um atendimento preventivo e não paliativo criando assim um déficit nos hospitais e clínicas e, ainda, darem atendimento digno aos menos necessitados criando uma classe menos refém do “bons” médicos brasileiros.

Responder

Daniel

23/08/2013 - 08h40

Como eu disse anteriormente, advocacia e medicina são vistas como profissões exclusivas da “nobreza” (entre aspas porque na verdade representam o que existe de mais nojento na nossa sociedade).

E sendo um “privilégio da realeza”, que crime mais vil do que trazer estrangeiros para “usurpar” o seu curral… perdão, “clientela”? E o mais irônico é que tais médicos de Cuba vão atender preferencialmente o que os “patrícios” não querem atender (“cuidar de gentalha em rincões esquecidos? jamais!” como diria Hariovaldo), então dificilmente terá “disputa” por clientes. Aliás, está sobrando cliente precisando de médico e continuaria sobrando mesmo que “importassem” 10 mil médicos, a demanda é muito maior do que o número de médicos.

E como antes, friso mais uma vez que tiro o meu chapéu para os valentes que mesmo não tendo berço de ouro nem “paitrocínio” encaram a tarefa de se tornarem médicos, sendo estes heróis que uma vez formados mais ajudam a nossa sociedade. Que para mim, um médico clínico geral salvando vidas aonde quer que ele seja necessário vale MUITO MAIS do que um “clínico de madames” que só atende a “realeza”.

Responder

Mardones

23/08/2013 - 08h30

O bombardeio midiático ou barulho, como prefere a Dilma, será intenso. No entanto, será outro tiro no pé, pois as populações que receberem os médicos vão agradecer a Deus e a Dilma. E a oposição terá de se contentar com a gritaria dos mafiosos de jaleco e a eterna descontente classe média tradicional.
Só espero que o governo não volte atrás, como já fez muitas vezes.

Responder

Paulo

23/08/2013 - 08h13

CRMs vão à Justiça pelo direito de não registrar médicos sem diploma revalidado
Qua, 14 de Agosto de 2013 13:14

Entidades que disciplinam a profissão no Brasil questionam a vinda dos médicos estrangeiros sem validação de diplomas e falta de comprovação do domínio da língua portuguesa

Presidentes dos CRMs se reúnem em BrasíliaA partir desta quarta-feira (14), os Conselhos Regionais de Medicina (CRMs) ingressarão com ações na Justiça Federal dos Estados para que não sejam obrigados a efetuar o registro provisório dos médicos intercambistas que aderirem ao Programa “Mais Médicos”, sem a comprovação documental da revalidação dos diplomas e da certificação de proficiência em língua portuguesa. Por meio de ações civis públicas individuais, com pedido de tutela antecipada, os CRMs entrarão contra a União na figura dos Ministérios da Saúde e da Educação.

A peça, que aborda três pontos específicos do anúncio do Governo, teve a aprovação unanime dos presidentes e Conselhos Regionais, durante reunião realizada na terça-feira (13), em Brasília. Asentidades ressaltam que ações não são contra a presença de médicos estrangeiros em território brasileiro, mas pelo cumprimento da exigência legal de que demonstrem efetivamente sua capacidade técnica para o exercício da profissão médica, conforme previsão legal já existente. …

Ausência de Revalida – Na argumentação dos Conselhos, são apontados equívocos como a dispensa de revalidação de diploma de Medicina de origem estrangeira. Em lugar disso, a MP 621/13 criou uma “declaração de participação” para os inscritos, retirando dos CRMs a competência para avaliar a qualidade profissional do médico intercambista. Isso ocorre com a supressão da possibilidade de fiscalizar o exercício profissional por meio da análise documental exigida.

“Tal Medida Provisória, se implementada, acarretará a violação direta da Carta Magna (Art. 2º e 196), assim como da Legislação infraconstitucional (Lei 3.268/57 e Lei 9.394/96), pois acarretará na contratação de pessoas (intercambistas), sem a necessária comprovação de habilitação profissional (revalidação do diploma) e sem o domínio do idioma nacional (Celpe/BRAS), para a realização de atendimento médico em inúmeros municípios da Federação. Também criará uma subcategoria de médicos no Brasil”, cita o CFM em sua ação.

Responder

Marduk

23/08/2013 - 08h07

Por que será que o ex-presidente Lula não tratou o seu câncer em Cuba?

Responder

    jun

    23/08/2013 - 10h10

    Caso Lula tivesse ido à Cuba para se tratar, vc e outros teriam dito que “em vez de prestigiar os nossos médicos, foi se tratar lá fora” como fizerem outros que foram à Cleveland. Aliás, muitos brasileiros vão à Cuba para se tratar de câncer.

    Luís CPPrudente

    23/08/2013 - 10h17

    Vou perguntar para o Lula.

    Mas, desde já, que venham os marcianos!

    Então corra Marduk, senão você será contaminado de vez pela ideologia marciana!!!!!

    Corra, vá se proteger no propinoduto tucano!!!

    wagner paulista de souza

    23/08/2013 - 11h53

    Antes de dar trela a questões metafísicas colocadas pelas pessoas ressentidas com a coragem da Dilma em enfrentar a questão da falta de médicos; antes de responder a essas firulas charlatanescas, QUE VENHAM OS MÉDICOS CUBANOS !

    Luís Carlos

    23/08/2013 - 11h32

    Marduk
    Espero que isso não aconteça, é apenas uma pergunta originada pela sua:
    Se você tiver câncer, pergunto, onde você procurará assistência? Em planjo privado de saúde ou no SUS?

José Ribamar Dutra

23/08/2013 - 07h55

O CFM não é a direita, tão somente uma autarquia federal responsável pela fiscalização do exercício profissional. Na medida em que o governo dispensa o REVALIDA para médicos estrangeiros, feito pelo próprio governo, abre mão do controle de qualidade dos profissionais importados, o que é uma flagrante irresponsabilidade da parte do governo. Para demonstrar preocupação com a saúde do povo deveria submeter todos os médicos estrangeiros ao REVALIDA.
O Brasil precisa de médicos sim e que venham os estrangeiros, mas com um mínimo de qualidade segundo as leis brasileiras. A impressão que dá é que o governo acha que, em sendo médico para pobres, não precisa checar a qualidade e para tanto desrespeita tudo. O CFM já disse que sem REVALIDA não dará CRM, ao mesmo tempo em que exercerá o seu papel fiscalizador, em nome da segurança da saúde do povo brasileiro.

Responder

    Ronaldo Marques

    23/08/2013 - 10h33

    Na minha humilde opinião, pela qualidade dos médicos que as universidades brasileiras estão formando, dever-se-ia aplicar o REVALIDA a todos, TODOS os médicos, estrangeiros e brasileiros, sem exceção. E o CFM, que deveria fiscalizar o exercício da profissão, não passa de mais um órgão que é fiscalizador só no papel. Na prática, revela-se apenas mais um dos grandes defensores dos interesses corporativistas.

Francisco

23/08/2013 - 02h57

Coitado do cubano que botar um esparadrapo fora do lugar.

Por aqui, “Doutor” Abdelmassih continua flanando…

Responder

Marx

23/08/2013 - 02h56

A cada dia diminuem os argumentos dos corporativistas. no começo era infraestrutura, depois distribuição de médico,agora é trabalho escravo cubano. kkkk só rindo do el bigodon do CFM.

Responder

Marcio Monteiro das Neves

23/08/2013 - 02h02

Li com interesse e gostei muito dessa visão dos fatos. Concordo, especialmente com Douglas e Bonifa. Eu, que sou dirurgião-dentista, fico intrigado com o fato de não se tocar no assunto odontologia. Acho q é pq, quanto à saúde bucal, o Brasil vai bem, e que deve haver c. dentistas suficientes e com plena condição de trabalho em cada um dos milhares de municípios.

Responder

Cego

23/08/2013 - 01h00

Quem mais tem medo é a Senadora Ana Amélia, esta mostra a que veio. Destilou não, babou raivosamente sobre a falta de transparência na vinda dos médicos cubanos, a transparência É que temos quase a metade de médicos per capita do que a Argentina.
Se fossem médicos vindo de paraquedas das forças armadas norteamericanas (e seriam bem vindos para ajudar na saúde) ela não se manifestaria dessa forma. É o velho preconceito elitista que vem lá da época da ditadura.
Que saudades do golpe né Senadora.

Responder

Gab

23/08/2013 - 00h11

Essa direita brasileira é uma das piores do mundo, os caras são muito bitolados pqp. A paranoia já virou doença e me assusta como são tantos e em todos os cantos, essa mídia tem que ser regulada pra ontem, enquanto o governo não mexer na “fonte” eles vão continuar produzindo mais e mais idiotas papagaios que só leem, veem, e escutam informação do eixo, triste demais isso. Elite brasileira e xenófoba demais.

Responder

    Neto Madeiro

    23/08/2013 - 07h54

    Verdade, essa corja é descarada mesmo. Reclamam de um problema (que de fato existe), mas repudiam as tentativas viáveis de resolução do mesmo. Para mim, isso é bandidagem mesmo, é nojento o comportamento dessa corja imunda. Só não tenho vergonha de ser brasileiro, na verdade tenho é raiva dessas desgraças poderem se intitularem com o meu gentílico.

Alexandre Tambelli

23/08/2013 - 00h01

Pensei comigo:

Será que a velha mídia vai procurar pelo em ovo nas ações dos Médicos cubanos no Brasil?

Buscará algum caso em que um paciente deles não teve um diagnóstico preciso ou não foi curado ou veio a falecer? E generalizando como algo de proporções estratosféricas? Até falseando a verdade?

A velha mídia vai inventar notícias sobre a atuação dos Médicos cubanos no Brasil?

Vai querer a velha mídia se valer do tema: Médicos cubanos eleitoralmente? Para desgaste da candidatura à reeleição da Presidenta Dilma?

Como se comportará a velha mídia?

Responder

    paulo

    23/08/2013 - 00h22

    claro que a velha mídia vai tentar, mas a grande maioria da população vai estar agradecida e o golpe não vai funcionar e eles continuarão sem entender por quê… e mais, qdo tentarmos explicar, seremos nós os cegos que endeusam o pt, paciência meu amigo, mta paciência…

    Melissa

    23/08/2013 - 05h40

    Sim, temos de ter muita paciência pelo que está por vir…como vocês disseram, vão procurar pêlo em ovo, até encontrarem (ou fabricarem) alguma coisa contra os médicos cubanos. E é claro, nós seremos os “comunistas” que defendem o PT. Ai meu Deus, só rindo!

    Aracy Balbani

    23/08/2013 - 08h03

    A velha mídia vai procurar pelo em ovo cubano, sim. Ela tem amnésia seletiva para os conflitos de interesse entre gestores do SUS e os planos privados/empresas de saúde, mortes de pacientes nas clínicas de cirurgia plástica privadas e desmonte de comissões do MP encarregadas de investigar os desmandos na saúde pública. Se não é a Siemens dedurando…

Antonio Victor

22/08/2013 - 23h47

Este tipo de reação de nada mais nada menos do que “médicos”, explica porque fomos um país miserável por 500 anos. Seria bonito demais chamar isto de corporativismo, o nome certo é desprezo pela vida humana, xenofobia, CRUELDADE. Dá vergonha de ser brasileiro.

Responder

    batista neto

    23/08/2013 - 07h54

    Caro Victor, eu acho que se não houver um GOLPE que anda se delineando, em breve nós finalmente teremos motivos para sentir orgulho de sermos brasileiros na medida em que vai ficando claro quem é e se sente brasileiro e essa BANDA PODRE vai sendo desmascarada e conhecida na mesma toada em que se escancara a bandidagem da GLOBAL OVERSEAS INVESTMENTS que fomenta e multiplica essa ignorância delirante dessa classe mentalmente doente. Não podemos erradicar esse câncer instalado no tecido social do país há quinhentos anos mas podemos isolá-lo cada vez mais se não permitirmos que eles levem adiante a estratégia do GOLPE que já realizaram antes com muita competência.

lukas

22/08/2013 - 23h02

Por que os médicos cubanos NÃO PODEM trazer as famílias?

Por que o salário não vai diretamente para os médicos?

Responder

    Douglas da Mata

    23/08/2013 - 00h07

    Quanto a restrição das famílias, não saberia responder.

    Mas o salário pago em parte (maior parte) ao governo é simples. Medicina em Cuba tem uma conotação (pública) impensável para nós brasileiros.

    O governo que investe na formação do médico, e que lhe proporciona participar destes programas ao redor do mundo, com ganhos bem maiores dos que ficam em Cuba, deve receber de volta para o sistema parte do que o médico ganha, ou seja, a medicina a serviço da coletividade (do país), e da formação de novos médicos, inclusive vindo de outros países.

    Aqui, o playboy entra na Universidade Pública (paga por todos) em meio a um funil de segregação extremo(onde só os ricos conseguem vaga), e depois dá uma banana para o pobre que pagou seu estudo, e segue a fazer fortuna pessoal, e nem imposto quer pagar, haja vista que os médicos estão entre as categorias que mais sonegam impostos neste país.

    Alencar

    23/08/2013 - 00h46

    Caro Douglas
    Todos sabemos porque os médicos cubanos não podem trazer suas famílias

    Douglas da Mata

    24/08/2013 - 21h02

    Senhores, acho que o debate está todo desfocado.

    Não me importa a política interna de Cuba(não neste caso).

    Afinal, países que enviam e recebem profissionais e bolsistas dizem qual é o regime e quem pode acompanhá-los ou não!

    Vá estudar em Yale ou Harvard como bolsista e tente levar sua família.

    Ou tente passar por Londres sendo companheiro de jornalista que denunciou podres dos EEUU.

    A questão é:

    Os governos cubanos e o brasileiro consumaram um acordo, via OPAS, os médicos virão e pronto!

    Tal programa, com médicos cubanos, é executado em vários países ao redor do mundo, assim como Cuba recebe e forma médicos de vários países, inclusive do EEUU.

    O resto é “jus esperneandi”.

    Se os fascistas de jaleco brasileiros, beneficiários das universidades públicas, pagas com impostos de todos, inclusive dos pobres que odeiam, e tivessem um mínimo de obrigação após suas formações, pelo visto deformações, talvez não tivéssemos esta discussão cansativa.

    O próximo passo é o seguinte: quer estudar de graça, tem que trabalhar cinco anos no SUS…

    LEANDRO

    23/08/2013 - 07h05

    Simples. Se pedirem asilo, a família é a garantia de ameaça do governo cubano para desistirem da ideia.

    Neto Madeiro

    23/08/2013 - 07h50

    Me parece que a resposta é óbvia, por que eles (cubanos) não podem trazer suas famílias. O que estamos querendo é o trabalho especializado deles e não povoar o interior nordestino e nortista. (Lukas, desculpa a resposta assim, não quero ofendê-lo com grosseria, mas é o que eu penso)

    Luís Carlos

    23/08/2013 - 08h50

    Quanta preocupação humanista com cubanos? Repentino? Poderias apoiar o fim do embargo criminoso imposto por EUA com apoio de Israel também, tamanha sua preocupação, ou é apenas desespero pois não restou argumento melhor para manter o povo brasileiro sem assistência médica e modelo explorador e expropriador defendido pelas entidades médicas e direita xenófoba?
    Aqui no Brasil muitas e muitas famílias também não podem sair do país. Apesar de sermos uma nação “livre” a liberdade daqui é priorizada para o capital e para o mercado, como em todo país de economia de livre mercado. Hayek que o diga. Mas essa “preocupação” toda é só com os Cubanos, afinal “ajudar” os cubanos passou a ser bandeira humanitária número 1 para a direita brasileira, não é mesmo? Direita brasileira que além de não ser xenófoba também não é racista e defende a integração latinoamericana livre do jugo do império ianque, não é isso? Ah tá!

    Rodrigo Leme

    23/08/2013 - 08h56

    Se trouxer a família pro Brasil não vai querer voltar nunca. Se receber diretamente do governo brasileiro, ao invés de um repasse (que ninguém diz quanto é, esquisito) tbm não volta.

    O engraçado é que a conversa antes era “médicos estrangeiros, não necessariamente cubanos, existem bons médicos em todo o mundo”. Aí, na hora de não ter mais volta, são 4 mil cubanos e azar o seu que queria transparência nisso.

    Se bobear o médico cubanos vai ganhar menos que técnico de enfermagem. O médico, não o governo, né?

    J Fernando

    23/08/2013 - 11h29

    O objetivo é trazer médico e não familias cubanas para o país.

    O ENGRAÇADO NA VERDADE é que antes faltava infraestrutura para estes médicos, depois que eles tomariam o emprego de profissionais brasileiros e AGORA é o perigo vermelho do comunismo…

Antonio Idevano dos Santos

22/08/2013 - 23h02

Ainda não ouvi nenhuma manifestação do CFM, sobre os doutores, que remunerados pelo Poder Público, fraudam o ponto, abandonam os pacientes a própria sorte, pela “ética” do cfm, isso pode. Nossa elite realmente é a pior das piores.

Responder

    tiago carneiro

    23/08/2013 - 00h11

    não sou doutores, são médicos. Doutor é quem tem doutorado.

Luís Carlos

22/08/2013 - 22h58

Uma observação: o Governo Federal não “voltou atrás” sobre médicos cubanos, pois nunca desistiu dos médicos cubanos. Apenas priorizou médicos formados no Brasil, o que me pareceu correto. Além disso, provou que faltam médicos no Brasil e desmascarou a farsa do argumento de entidades médicas que estão isoladas politicamente, sem apoio popular algum.

Responder

Pedro

22/08/2013 - 22h28

Que tal indicar para esse doutor o filme do Michael Moore sobre a medicina capitalista americana: SICKO? Se esse doutor considera pejorativo chamar alguém de comunista, acho que o Michael Moore não confirma sua opinião. Ele se considera comunista.

Responder

Luís Carlos

22/08/2013 - 22h22

As entidades médicas recorrem ao clima de “guerra fria”. É o que restou diante do isolamento político que se impuseram.
Nada mais fora de época e sem fundamento. Se Reagan estivesse vivo as entidades médicas recorreriam a ele para fazer propaganda contra o “perigo da saúde comunista”. Aguardemos a próxima capa do pasquim de ultra direita Veja. Creio que será antológica.

Responder

Karl

22/08/2013 - 22h18

Para esses “doutores”, representantes da máfia de branco, o grande medo, o imenso medo é se “misturarem” com Doutores Negros(credo) vindos de lá.
Os “doutores” brancos daqui, não aceitam os Doutores Negros(credo) de lá, nem como motorista.
E os ESCRIBAS DE ALUGUEL, Lobão/Reinaldo Azevedo e asseclas, destilam ódio e mais ódio em todas suas ESCRIBAS, contra “tudo que esta ai”.
Mas, ESCRIBAS DE ALUGUEL: “Se esta acontecendo isso tudo agora, imagina na copa?”.

Responder

    Alencar

    23/08/2013 - 01h11

    A maioria dos médicos cubanos são brancos, visto que a maioria da população é branca
    Em Cuba, como no Brasil, existe um grande preconceito com os negros
    Visite Habana Vieja e depois converse com o cubano residente e trabalhador na área central
    Vais se surpreender …
    Visito com freqüência Cuba e fico impressionado com a ignorância a respeito do país
    Para esquerda é um paraíso e para direita um purgatório
    Na realidade é apenas um pais caribenho com virtudes e defeitos
    Quanto medicina, é como em qualquer lugar do mundo, tem bons e maus profissionais
    Obviamente, os melhores não virão para cá

    batista neto

    23/08/2013 - 08h06

    Caro Karl. É pior do que isso, além de negros (credo) eles praticam a velha medicina PREVENTIVA de antigamente onde existiam médicos de CLÍNICA GERAL. Isso é inaceitável para os nossos comerciantes da medicina porque eles observam os sintomas do paciente e lhes identificam a moléstia e o tratamento é iniciado sem a necessidade de TOMOGRAFIAS, RESSONÂNCIAS e outras que, além de custar os olhos da cara, exigem a intermediação de um PLANO DE SAÚDE (?) privado e proporcionam uma MODESTA COMISSÃO para o médico “parceiro” que indica. Por isso é que essa raça de médicos cubanos é tão combatida porque pretendem implantar MÉTODOS COMUNISTAS que barateiam e viabilizam atendimento médico para todos. UM COMPLETO ABSURDO!!! kkkkkk

Romeiro

22/08/2013 - 22h09

Xenofobia seletiva! E se fossem médicos americanos? Ah, esses não viriam, pois trazem exigências de tecnologias de última geração e da indústria farmacêutica para alimentar, se não, nada feito!!!

Responder

Cética

22/08/2013 - 22h01

Eu estou enojada com o xenofobismo/racismo ( alguma dúvida de que se fossem médicos europeus ou estadunidenses,o nível de histeria não seria tão grande?) que essa corja de médicos coxinhas está apresentando,quer dizer,eu já sabia que somos uma nação extremamente racista e classista mas,admito,não sabia que era tanto!

Responder

Pepe de Souza

22/08/2013 - 21h54

Não quero nem imaginar o que estes comunistas vindos da vermelhidão do inferno não farão por aqui. Com estetoscópios que podem auscultar até mesmo pensamentos, obrigarão os brasileiros incautos a pôr a língua pra fora, dizer trinta e três, espetar-nos com agulhas maléficas, tocar nossas feridas com éter ( que arde pra cacete ). E isso lá no fim do mundo, sem proteção alguma contra estes médicos cubanos comunistas do mal. Se não é o fim do mundo, do Brasil será com certeza.

Responder

    Matheus

    23/08/2013 - 16h49

    O horror! O horror!

Bonifa

22/08/2013 - 21h39

Qualquer ameaça que venha de fora, enfrentará feroz resistência. Sabemos por parte de quem. Só de ouvir que o remédio é cubano, extremistas se lançam à campanha de que é melhor morrer que trazer remédio da odiosa Cuba.
Há xenofobia combinada com corporativismo elitista nas reações.

Responder

Abel

22/08/2013 - 21h36

Mais piadas prontas para o Professor Hariovaldo :)

Responder

Fabio Passos

22/08/2013 - 21h20

“os médicos cubanos poderão causar um genocídio”
roberto d’avila

Este é leitor da veja! rsrs

Responder

    Bonifa

    22/08/2013 - 21h42

    O grande medo é de que os médicos cubanos se comuniquem muito mais com o povo carente do Brasil do que as elites e seus filhos médicos possam se comunicar. E isso, é inevitável.

    JOTACE

    22/08/2013 - 22h08

    É a tal estória, Bonifa: além da queda, um coice…

Deixe uma resposta