VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Urariano Mota: Frase de Amado Batista sobre a tortura é um escárnio
Você escreve

Urariano Mota: Frase de Amado Batista sobre a tortura é um escárnio


31/05/2013 - 11h40

Amado Batista e a tortura

por Urariano Mota, em Direto da Redação

As declarações do cantor Amado Batista no programa “De frente com Gabi”, do SBT, merecem um pouco mais de reflexão. As notícias registram que assim falou o astro da canção brega:

“Eu acho que mereci a tortura. Fiz coisas erradas, os torturadores me corrigiram, assim como uma mãe que corrige um filho. Acho que eu estava errado por estar contra o governo e ter acobertado pessoas que queriam tomar o país à força. Fui torturado, mas mereci”.

A reflexão sobre uma frase assim não deve ir pelo caminho do deboche, no gênero da última comédia stand-up, que tudo avacalha como se a vida fosse uma só avacalhação. Portanto, não diremos que há pessoas que gostam de espancar, e outras que adoram ser espancadas.

Nem tampouco diremos que no cantor de triste nome Amado sobrevive a síndrome de Estocolmo, aquela em que a vítima passa a se identificar emocionalmente com a tortura que sofreu do criminoso, pois tem medo de maior violência. Esse mal cairia melhor em Geraldo Vandré. Não, o caso Amado Batista é outro. Tentarei refletir por um segundo caminho, em duas ou três coisas.

A primeira coisa que destaco na frase do cantor Amado é a mentira, sob duas faces. Na que mais aparece, a mentira objetiva, da realidade a que se refere, pois a ninguém deve ser dada a punição da tortura, e no caso de Amado com o agravo do adjetivo “merecida”. Na outra face, mentira subjetiva mesmo, porque o não muito Amado desloca a dor sofrida para a felicidade da ética, aquela em que fazemos o justo, ainda que seja desconfortável.

Por que esse deslocamento? A sua queda na consciência amoral deve ter ocorrido por motivos que ele não declara. Que bom acordo seguiu Amado Batista ao sair da tortura para o sucesso? É claro, todo conformista fala que as pessoas têm que sobreviver. Mas seria reveladora a apresentação da amada conta. Qual foi o seu valor?

A segunda coisa é a vitória parcial do conservadorismo, da repressão, que se encontra na raiz do espírito de escravo e da história da escravidão no Brasil. Amado Batista fala como um escravo que saiu da senzala e se vestiu de senhor. Ele fala como um escravo agraciado que acha justo o pelourinho porque alguma coisa de ruim o homem – ou parecido com homem – que sofre a tortura fez. Castigo merecido, ele declara.E nesse particular, Amado Batista é o retrato de um Brasil oprimido que sobrevive.

Os pobres cujo espírito não se liberta da pobreza carregam por toda a vida o respeito à ordem e à autoridade. Se um miserável ou marginalizado recebe a morte ou o espancamento, ele fez por merecer, dizem. Em um Brasil que atravessa a recuperação dolorosa da memória, a frase de Amado Batista é um escárnio.

Nesta semana, as ex-presas Dulce Pandolfi e Lúcia Murat expuseram com a verdade o que é a tortura: estupros, abjeção além do limite, exemplos nos próprios corpos de aulas para torturadores.

A terceira e última coisa a destacar no escárnio stand-up, do saudoso da humilhação Amado Batista, é a ignorância, o nível de apreensão da vida, da sociedade, que não se confunde com a ignorância de muitos homens e artistas iletrados. João do Vale, ou Vitalino dos bonecos de barro, marginalizados que foram do ensino nas escolas formais, jamais sorririam assim dos choques sofridos no pau de arara. Esse nível do cantor de injusta alcunha Amado se reflete melhor, creio, nas letras que a sua arte comete. Não precisam escutar, leiam um dos seus poemas cantados:

“Princesa, a deusa da minha poesia, ternura da minha alegria, nos meu sonhos quero te ver. Princesa, a musa dos meus pensamentos, enfrento a chuva e o mau tempo pra poder um pouco te ver”.

E agora comparem, enfim, a justeza e boa ética da tortura, que pune os criminosos na frase de Amado Batista, com as palavras de Dulce Pandolfi: “Dois meses depois da minha prisão e já dividindo a cela com outras presas, servi de cobaia para uma aula de tortura. O professor, diante de seus alunos, fazia demonstrações com o meu corpo. Era uma espécie de aula prática com algumas dicas teóricas”.

E nas de Lúcia Murat: “A tortura era prática da ditadura, e nós sabíamos disso pelo relato dos companheiros que tinham sido presos antes. Mas nenhuma descrição seria comparável ao que eu vim a enfrentar. Não porque tenha sido mais torturada do que os outros, mas porque o horror é indescritível”. Tamanha era a dor e destruição que Lúcia tentou se matar duas vezes.

Tortura, a deusa da sua poesia, Amado Batista enfrentou a chuva e o mau tempo pra poder um pouco te ver.

Leia também:

Roldão Arruda: A Comissão da Verdade e as viúvas da ditadura

Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - A mídia descontrolada e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


121 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

waldson

19 de abril de 2015 às 18h37

confesso que gostava das músicas de amado batista; Até porque sou eclético… mas depois que fui a dois shows dele,e ele atrasou muito! É o mesmo que chamar seus fãs de idiotas! E agora com esse comentário dele, tatalmente sem noção, passei a detesta-lo…sem caráter é do tipo desses que enriquecem com a estupidez do povo!!!hipócrita selvagem…

Responder

Justiceiro

17 de fevereiro de 2014 às 23h02

Esta entrevista foi mesmo impagável… Precisam ver a cara da Marília G.(para aqueles que ainda não assistiram) quando o Amado Batista falou sua opinião com toda a calma… Parecia até a reação do público que frequenta este blog! Aliás esquerdóide vem tudo da mesma fôrma… Não suportam opinião contrária! KKKK

Responder

Leandro Ramos Benfatti

27 de outubro de 2013 às 12h22

Urariano, o Amado Batista é um idiota, pois gostou de ser torturado e agra fala isso aos quatro ventos por aí. Quer mais cretinice do que isso? Só faltou aparecer no triste espetáculo do “terrorista arrependido”, como Massafumi Yoshinaga. E se ele diz que achou bom ser torturado, que devolva então a indenização dele de “ex-perseguido político” e Amado Batista, cale a boca! O que vc diz fede!!!

Responder

Mardones

03 de junho de 2013 às 09h33

E a apresentadora não disse nada sobre esse comentário do Amado? Supostamente, trata-se de uma pessoa inteligente.

Responder

xacal

03 de junho de 2013 às 08h21

Quem é capaz de amasiar-se com seus torturadores, de fato, “mereceu” ser torturado…Não pelos motivos que ele apresenta, é óbvio.

É porque no caso destes, amado e seus “amados torturadores” havia reciprocidade.

A violência era só um fetiche! De ambas as partes, claro!

Responder

abolicionista

02 de junho de 2013 às 19h15

Não passa de um títere.

Responder

joão ricardo

02 de junho de 2013 às 18h25

O que mais chama a atenção, além do óbvio “fui torturado com amor de mãe, para que eu deixasse de fazer bobagem”, é a hipocrisia do cidadão. Se acha que mereceu a tortura, pq aceita aquela graninha que pagam todo mês para ele por causa disso?
Se acha que mereceu a tortura, deveria renunciar a esse benefício.

Responder

    João da Véia

    03 de junho de 2013 às 12h29

    Todos que recebem o tal dinheirinho (Alguns, dinheirão, dependendo da influencia) a título de indenização deveriam devolvê-lo, não acha?
    Ou vai me convencer de que existe ideologia remunerada?

FrancoAtirador

02 de junho de 2013 às 16h00

Responder

Samir

02 de junho de 2013 às 11h19

“beneces”!?? Será que, assim como aconteceu com a palavra presidenta”, Lula andou escrevendo?

Responder

    xacal

    03 de junho de 2013 às 08h34

    Só um débil mental utiliza uma suposta exigência de erudição gramatical como elemento de distinção de classe ou de capacidade intelectual.

    Este tipo de demente é depositário de um formalismo da língua, que de fato, de nada serve.

    Afinal, língua é comunicação, e não exclusão!

    E sendo comunicação, é viva, e não raro, aquilo que o idiota defende com unhas e dentes como “certo”, acaba morto e substituído pela transformação e adaptação da língua a quem a usa, e nunca o contrário!

    Este pessoar da direita é um pobrema! Ara!

    Elivaldo Caldeira de Oliveira

    11 de agosto de 2013 às 02h41

    Peço licença para fazer minhas as suas palavras. Parabéns pelo brilhante comentário.

Juremir Machado: O canibalismo comunista da Veja - Viomundo - O que você não vê na mídia

02 de junho de 2013 às 09h44

[…] Urariano Mota critica o escárnio de Amado Batista […]

Responder

Leia

02 de junho de 2013 às 05h59

Eu tive um amor
amor tão bonito,
daqueles que matam
com sabor de saudade,
meu ex-amor
Os textos das músicas cantada por ele tem uma riqueza de fazer Chico Buarque morrer de inveja .

“tem coisas que a gente não esquece,
mas você não merece
tanta dor,
foi bonito demais
mas eu estou sozinho
foi rico de amor
e hoje estou tão só”.

Link: http://www.vagalume.com.br/amado-batista/meu-ex-amor.html#ixzz2V30bhr2r

Responder

Marat

01 de junho de 2013 às 23h09

Pelo jeito, houve também lobotomia com o Amado…

Responder

Luiz Moreira

01 de junho de 2013 às 21h23

Este “cara” é, como dizia meu pai e muitos da geração dele, que nem galinha. Toma num determinado lugar e sai cantando. Este, literalmente.
Seria bom que ele dizer isto para qualquer mãe ou pai de mortos por tortura, seja política ou não, como o caso do adolescente que a polícia matou ligando-o na tomada da casa que morava, no interior de São Paulo.
Pena que não aconteceu isto com o “AMADO”. Imagine se fosse assim, o que diria sua mãe? Corrigiram meu filho!

Responder

Nelson

01 de junho de 2013 às 20h32

Terá sido apenas coincidência o fato de o Sr Amado Batista vir a público proferir uma ignomínia dessas, no momento em que a Comissão da Verdade está trabalhando?

Responder

Valcir Barsanulfo

01 de junho de 2013 às 19h46

O bregão está acometido pelo complexo de Estocolmo, louquinho por uma nova curra.

Responder

Gersier

01 de junho de 2013 às 19h15

O que está acontecendo com certos “artistas” brasileiros?Será o resultados de anos e anos de uso daquela erva que o fhc gosta?Ve-se que a mesma ao ser consumida,consome também oérebro de alguns tornando-os ainda mais uns abestalhados.

Responder

roberto

01 de junho de 2013 às 15h42

Ele foi torturado, mas deve ter recebido outras “beneces” da ditadura para ter esta postura servil e bajuladora com os ditadores, ele não é nenhum “resignado” ta mais pra mau carater.

Responder

Euler

01 de junho de 2013 às 15h38

Tem cara de quem foi torturado e gostou. Não sei se Freud explicaria o caso. Mas combina bem com os traços culturais de uma parcela marginalizada da população, que vive na miséria, e quando tem alguma oportunidade na vida, como lembrou o autor, não consegue se livrar da miséria espiritual, e tenta esquecer o passado. E também há exemplos, maus exemplos, daqueles que não viveram sua infância na pobreza material, mas nem por isso tiveram comportamento diferente do caso em tela. É o caso, por exemplo, de FHC, que assim que assumiu a chefia maior do governo federal pediu para que esquecessem o que ele escreveu, tamanho o medo de que lhe cobrassem coerência com o que havia produzido ou copiado de outrem. Também é o caso de Pelé, um eterno alienado, que jamais fez questão de se identificar com o povo pobre do Brasil. Apesar dessas poucas figuras, temos muitos outros personagens que nos orgulham. Marighella, Joaquim Câmara, Eduardo Leite (Bacuri), Lamarca e mais centenas de valentes lutadores, homens e mulheres, verdadeiros heróis do nosso povo, que destemidamente enfrentaram os algozes que assaltaram o poder político no Brasil a partir do golpe de 1964.

Responder

    Messias Gonçalves Cardoso

    02 de junho de 2013 às 13h11

    Euler, gostei do seu comentário, muito bom e a lista dos torturados que vale a pena serem lembrados para sempre, dos que você citou faço questão de colocar também o nome do jornalista Pinheiro Sales, que tem as sequelas das torturas até os dias de hoje.Ele é surdo de um ouvido, tem a mandíbula quebrada e como consequência dificuldade na fala e na mastigação!

    mara rosa

    09 de junho de 2013 às 10h08

    Sr. Euler :
    Publiquei sua resposta no Grupo Ditadura Nunca Mais ,excelente !

Marat

01 de junho de 2013 às 15h23

Agora ele será o garoto-propaganda do Tavinho Ditabranda e de seu jornaleco pró-ditadura e pró-tubaronato capitalista.

Responder

João da Véia

01 de junho de 2013 às 14h21

Ele disse que era balconista de uma livraria, que sedia espaço para professores lerem livros proibidos, que por procuração recebia vencimentos de um professor em fuga. Não acredito que soubesse no que se envolvia. Um matuto inocente útil como muitos da época. Alguns até perderam a vida.
Não creio que mesmo hoje o cantor saiba a diferença entre o Livro Vermelho e Fernão Capelo Gaivota, ambos em voga na época. Sua declaração infeliz me causa pena.
Dilma me intriga mais. Também vítima da tortura, agora abriga e protege em seu governo de “coalizão” apoiadores intelectuais e materiais da repressão, como Paulo Maluf, entre outros. Aceita na mão beijo de Guilherme Afif.
Alguém ai que está descendo a lenha em um matuto balconista, poderia me esclarecer sobre qual é o fetiche da Dilma em compartilhar o ar com esse tipo de gente?

Dilma não era uma inocente útil, muito menos uma matuta.

Responder

    Sagarana

    02 de junho de 2013 às 00h05

    Na minha livraria ceder é com “c”!

    João da Véia

    03 de junho de 2013 às 12h23

    Compreendo, Sagarana… Não é tarefa fácil defender o indefensável. Para ter de apegar-se ao meu erro… Alias, erro que Lula não perceberia. O MEC assimilaria. Lembra-se da famosa cartilha? Nós pega o peixe e Os menino pega o peixe. Vamos falar sobre o essencial:
    Diariamente os financiadores da tortura são vergonhosamente anistiados, quanto Lula e Dirceu viajam em seus jatinhos, Dilma os acolhe em ministérios (Guilherme Afif), Hadad aceita suas indicações para secretarias. (Indicações de Maluf).
    Qual o fetiche de Dilma, de Lula e de Dirceu, para conceder o perdão a esses canalhas?
    Vamos, argumente!

    grilo

    03 de junho de 2013 às 00h08

    É verdade João. Parece que só as vitimas da ditadura que não cresceram na politica nesses tempos de democracia é que mantém o desejo de justiça. Os que se tornaram celebridades continuam acoitando os torturadores e tudo fazem para esquecer aqueles idos dias. Uma vergonha.

    João da Véia

    03 de junho de 2013 às 12h35

    Celebridades ricas, certo?
    Vemos agora que era só uma questão de poder.
    Ficam ricos e quietos. Amigos íntimos dos torturadores.

    Silvana Gomes

    12 de junho de 2013 às 11h50

    VOCÊ DEVE SER DA MESMA ESTIRPE DO CANTOR EM FOCO, COM A PEQUENA DIFERENÇA DE SER METIDO A SABICHÃO. LULA COMETE ERROS, MAS É INTELIGENTE E JÁ O PROVOU . VOCÊ TÁ PROVANDO O QUÊ? OS GOVERNANTES QUE CITA, PODEM APERTAR ESSAS MÃOS PORQUE, POR VEZES É PRECISO,PARA TER CONDIÇÃO DE FAZER ALGUMA COISA PELO POVO, JÁ QUE ESTIVERAM NO PODER POR FORÇA DO VOTO DE PESSOAS DA SUA QUALIDADE.

Djijo

01 de junho de 2013 às 14h05

Para Eduardo Saboya, no facebook, que caí fora por encontrar reaças do mesmo tipo:
O que se está defendendo é a dignidade humana, coisa que parece que vc despreza. Quer uma aula disso? Se inscreva como voluntário para assistir os que estão vivendo no campo de concentração Palestina. Participe com os médicos sem fronteiras e ajude aquele povo, sem cobrar. Talvez volte um pouco da tua humanidade.

Responder

Djijo

01 de junho de 2013 às 13h56

Simplificando, o que eu nem imaginaria, mas acho que ele gosta de apanhar. Ele precisa de um tratamento psicológico.

Responder

Silveira Lacerda

01 de junho de 2013 às 12h02

Tem um cara ali encima de alcunha Eduardo Saboya se mostrando visivelmente DOENTE e pedindo ajuda em forma de desafio a quem tiver coragem de encará-lo no seu estudio de gravações e sabe-se lá do que mais em Campo Grande Mato Grosso…Linha direta com Jair Bolsonaro, “aparelho” escancarado da produção de lixo nazista, preconceituoso…Dá náusea, revoltante, o sujeito é uma escória preocupante.

Responder

    Eduardo Saboya

    10 de junho de 2013 às 07h18

    Só lhe corrigindo, não é Mato Grosso, e sim MATO GROSSO DO SUL, não estudou geografia para saber que Campo Grande é a capital de Mato Grosso do Sul? Até nisso denota-se a tua imensa ignorância? Não é de se admirar…

Julio Silveira

01 de junho de 2013 às 10h45

O que posso dizer sobre isso? Opinião dele, ele recebeu merecidamente sua tortura. Quanto aos demais que se rebelam contra a tortura, esses que tem os organismos internacionais a lhes apoiar, que condenam esta pratica desumana, estão certissimos. O ser humano é assim, uma caixinha de surpresas. Alguns devem ser torturados como vemos. Tem gente que gosta de ser açoitados no sexo, fazer o que? nem por isso pode se dizer que essa pratica é sadia. Não devemos tomar as excessões pelo todo. Alias para muitos criminosos a pratica delituosa é trabalho, é cada desvio de visão de principios e ética que vemos por aí, fazer o que? Nos preparar também para esses, se o mundo deles for o prevalente o mundo vira uma grande m.

Responder

trombeta

01 de junho de 2013 às 10h03

Pobre ignorante!

Responder

Rodrigo Leme

01 de junho de 2013 às 08h42

Se ele estiver falando de sua discografia ele mereceu ser torturado. Problema é que ele continuou a fazer discos depois disso…

Responder

Romanelli

01 de junho de 2013 às 08h03

Longe de mim querer censurar ou apoiar um sentimento que é íntimo do Batista ..muito menos me ATREVER a tentar esgotar todos os argumentos.

Mas entre tantas possibilidades acho que faltou citar uma de primeira grandeza ..TALVEZ Amado, hoje sabedor melhor do seu destino (e do país, das forças envolvidas e dos projetos)talvez ele tenha se sentido ARREPENDIDO de ter ajudado aqueles que ele tratava como amigo.

..e convenhamos, o arrependimento às vezes mata, se não só o físico, muitas vezes a alma.

nota – e cá entre nós, depois de passado um tempo, a maior certeza que temos é que existiram gaiatos e inocentes às pencas em ambos, em AMBOS os lados (e pra mim, TODOS, todos perdedores) ..mesmo pq, sinceramente, basta refletirmos sobre as provocações e defesa de regimes “democratizantes” como os do Mariguela pra que uma fileira infindável de duvidas nos sejam colocadas sobre a mesa, ou não ?

em tempo – 36%, uma minoria ínfima, foi com este “monte” de votos” que o João Goulart queria fazer-se a revolução e as reformas de base ..convenhamos, parafraseando Garrincha, ao menos ele tinha que ter tentado avisar ao adversário, a maioria (sim, Janio tb não tinha a maioria, ele foi eleito com 48% dos votos, e mesmo assim FUGIU depois de ter fracasso na chantagem)

Responder

Samir

01 de junho de 2013 às 07h50

RESPEITEM UMA OPINIÃO CONTRÁRIA, CUMPANHÊRUS!

Responder

    De Paula

    01 de junho de 2013 às 09h22

    Ninguem tem curpa si ele gostô…

Maria Fulô

01 de junho de 2013 às 07h08

Todos falam de Amado Batista e ninguém fala de Marília Gabriela… qual a razão desta entrevista e sua repercussão? MG faz um tipo de jornalismo global que, ainda que no SBT – e os laços de ternura que sempre uniram Sílvio Santos aos Marinhos – é claramente dirigido para um público conservador e reacionário. Esse cara foi lá apenas para dizer o que disse e ela sabia o que ele iria dizer. É tão escrota quanto ele… e não pode tentar escapar de fininho como parece estar acontecendo…

Responder

    Wildner Arcanjo

    01 de junho de 2013 às 09h10

    Justiça seja feita, ela instigiu o “Cantor” a desenvolver o seu ponto de vista e, ao meu ver, me pareceu incomodada com a declaração deste. Tanto o foi que deu por encerrada a discurssão, antes que o referido “Cantor” se perdesse na bobagem que tinha dito…

    De Paula

    01 de junho de 2013 às 09h33

    Não vamos confundi-la com com a dona do Correio da Manhã que ela interpretou numa novela da Globo; aquilo foi só na novela. Ela foi pro SBT mas continua com a Globo no sangue.

De Paula

01 de junho de 2013 às 05h57

Penso que êle está é com medo do que tem-se comentado por aí, sobre a Comissão da Verdade. Vai que êles voltam…

Responder

João Gonçalves

01 de junho de 2013 às 04h25

Duvido que esse cara chamado “Amado” tenha sido torturado. Ele deve ter montado um esquema para ser anistiado e receber uma pensão vitalícia…Seria de bom alvitre reabrir o processo que deu a ele o “bonus” da anistia e requerer sua extinção. Esse “Amado” é um verdadeiro mal amado. Cuidado com ele.

Responder

    mara rosa

    09 de junho de 2013 às 10h16

    Também penso assim ele montou uma farsa,farsante tirando dinheiro do povo ,das pessoas que realmente foram torturadas,idiota,medíocre ,não têm explicação,a Comissão de Anistia devia rever esta anistia ao cantor Amado B.

FrancoAtirador

31 de maio de 2013 às 22h51

.
.
Arregimentação para desconstruir a Verdade Histórica.

O mais grave de tudo é o motivo simbólico pelo qual o “filho” arregimentado declarou que “mereceu o castigo” da “mãe”:

“…estava errado por estar contra o governo
e ter acobertado pessoas que queriam tomar o país à força.”

A Ditadura Militar Sanguinária dos Generais, que efetivamente tomou o País à força pelo Golpe de Estado, derrubando o Presidente eleito pelo voto popular, foi colocada na posição de “mãe” mantenedora da ordem, da moral e dos bons costumes, e protetora dos filhos desviados dos ‘bons caminhos’.

E aqueles Bravos BraSileiros que, de todas as formas e até arriscando à própria vida, enfrentaram o regime opressor para restaurar a Democracia golpeada em 1964 foram classificados pelo ‘amado filho da mãe’ (nem tão gentil) como ‘maus elementos’ impatrióticos que, seduzindo-o à ‘subversão’ “contra o governo”, conduziram-no a trilhar o ‘mau caminho’, fato pelo qual agora ‘confessa arrependimento’.

Quem conhece os valores simbólicos ‘judaico-cristãos’ intrínsecos na Sociedade Brasileira, signos com os quais a Mídia Bandida lida e manipula através da Psicologia da Propaganda e do Marketing, sabe do que se trata.

Ontem promoveram a inversão histórica, hoje tentam a reversão da História.
.
.

Responder

    Wesleyson

    01 de junho de 2013 às 07h38

    Todo homem tem direito à sua opinião, mesmo que ela seja (considerada por nós) um abdurdo, errada etc.
    Só não existe opinião (livre) nos países comunistas e nas ditaduras de direita, onde todos têm direito a ter a mesma opinião.
    Não queiram matar, crucuficar e torturar o cantor Amado Batista, não o enviem sem julgamento a El Paredón: ele á apenas um cantor popular, não tem a consciência política de um Chico Buarque, que até hoje é filiado e contribui para o PCdoB. Calma, amigos. Vamos cuidar que a inflação não corroa os ganhos que o povo obteve durante o governo LUla. Isto sim é um assunto de interesse de todos.

    Wildner Arcanjo

    01 de junho de 2013 às 09h14

    Qual o problema? Só estamos exercendo o nosso direito de contraponto ao ponto do “Cantor”, algo errado com isso? Assim como nenhum de nós, ele também não é o dono da verdade? Ou será que, ao seu ver, é?

    FrancoAtirador

    01 de junho de 2013 às 13h42

    .
    .
    OS DEFENSORES DA LIVRE EXPRESSÃO NEONAZISTA
    .
    .
    “qui, 30/05/2013 – 9:46Conceição Lemes
    Wesleyson, Noronha, Dilson (com n), Dilsom (com m), Rosicleide, Zeroilton, Verdade em gotas, Heidi ou Pato, que coisa feia. Sabemos que todos, inclusive a Rosicleide (ou será o Rosicleide?), são a mesma pessoa. Decida qual o seu nick. Se vc tem convicção na sua posição, por que escrever vários comentários com nomes diferentes para dar a falsa ideia de são várias pessoas quando na verdade é apenas UMA? sds”

    (https://www.viomundo.com.br/politica/reduzir-a-maioridade-penal-representa-um-decreto-de-falencia-do-estado-brasileiro.html)
    .
    .

    LEANDRO

    01 de junho de 2013 às 08h36

    “foram classificados pelo ‘amado filho da mãe’ (nem tão gentil) como ‘maus elementos’ impatrióticos que, seduzindo-o à ‘subversão’ “contra o governo”

    Qual a diferença da patrulha ideológica de hoje? Para os governistas, o simples fato de ser leitor ou não de uma revista, já é suficiente para ser tratado como impatriótico. Se algum jornal crítica a economia é golpe. Se diz que há corrupção é inimigo do povo. Me diz, qual a diferença???

    Ricardo JC

    01 de junho de 2013 às 12h35

    A diferença é que ninguém te pega na rua, joga numa cela e te tortura. Direito à opinião e ao choro, todos temos. Inclusive de manifestá-la. Ele teve liberdade para dizer a asneira que quis. Ser reacionário vale, não vale é ser escroto…

    Ricardo JC

    01 de junho de 2013 às 12h39

    Mais uma coisa. Você fala de patrulha ideológica…
    Vá ao nlog do Reinaldo Azevedo ou ao blog do Augusto Nunes e tente postar algo a favor do governo (por mais que você venha espernear aqui, deve reconhecer que algo de bom ele tem feito, já que caminha para terminar seu terceiro período e com boas chances de seguir para um quarto). Será devidamente escorraçado e não terá sua opinião publicada. Isso é mais do que patrulha ideológico. É o espiríto daqueles que querem de volta a ditadura (ao que parece como seu amogo Rodrigo Leme, abaixo).

    Rodrigo Leme

    01 de junho de 2013 às 11h05

    Lutaram para restaurar a democracia? Eu gostaria de saber como um grupo de pessoas apoiadas e treinadas por uma ditadura comunista iriam fazer isso.

    Ricardo JC

    01 de junho de 2013 às 12h32

    Mera suposição sua, já que não tivemos a oportunidade de ver acontecer. No mais, só me parece mais um argumento absolutamente descabível para dizer “foi um mal necessário” (devemos pagar os direitos autorais a Marco Aurélio Mello?). No meu ponto de vista, sobre qualquer aspecto, a ditadura é INDEFENSÁVEL…não tente faze-lo, sob pena de perder o pouco de respeito que ainda tem daqueles que frequenta, este espaço.

    FrancoAtirador

    01 de junho de 2013 às 13h52

    .
    .
    Só pelo fato de o(s) Troll(s) neofacista(s)

    (na verdade, um ou dois com “IP Dinâmico”)

    bater(em) em meu comentário, já é um sinal

    de que toquei no âmago da questão atual.
    .
    .

    Djijo

    01 de junho de 2013 às 14h07

    Lutaram sim, DEPOIS QUE OS MILITARES COMEÇARAM A TORTURAR, não é?

    Fernandes

    01 de junho de 2013 às 14h20

    Engraçado e trivial seu raciocínio: culpa a esquerda pela ditadura de direita. Muito bom, mas banal. É tão comum algozes culpar vítimas como oxigênio em nossa atmosfera.

    Hiroito Takay

    01 de junho de 2013 às 14h57

    Com licença. Vimos e aina hoje vemos o que aconteceu nas ditaduras de esquerda, Cuba, Coréia do Norte, URSS etc. Isso não foi suficiente? Ah, conosco ia ser diferente, certo?

    Augusto

    02 de junho de 2013 às 20h57

    Ricardo JC

    “…No meu ponto de vista, sobre qualquer aspecto, a ditadura é INDEFENSÁVEL…”

    inclusive a cubana, correto?

    xacal

    03 de junho de 2013 às 08h30

    Às vezes me canso, às vezes me divirto com o rodrigo sem leme!

    Hoje, estou com paciência!

    Primeiro: o boboca imagina que o bloco de pessoas que lutou contra a ditadura (que ele nem considera tão dura assim, pelo jeito) seja homogêneo, ou seja, eram todos “treinados” para ação armada!

    Depois, o boboca esquece que quem rompeu a normalidade institucional e depôs um presidente eleito não foram “os comunistas”, mas o pessoal que dizia fazê-lo para “salvar a democracia”(???).

    Para o boboca do “sem leme”(e outros coleguinhas, do grupo viúvas da caserna), o treinamento para resistência contra o regime militar era ilegítimo, mas tudo bem se CIA e outros sistemas de inteligência de outros países treinassem nossos “esquadrões” para a “defesa” da pátria.

    Agora eu pergunto: dá para levar este tipo a sério?

    cecilia lima

    01 de junho de 2013 às 13h45

    O mais impressionante é que ele recebe dinheiro do governo pela tortura, O cara tá louco? Como uma pessoa pode achar ser correto a tortura? Tem como fazer ele devolver todo dinheiro q recebeu até hoje?

Marcelo

31 de maio de 2013 às 22h40

Duvido que esse cara tenha sido torturado. Pela personalidade dele deve ter entregado tudo na primeira prensada que deram nele.

Responder

Nielsen Holland

31 de maio de 2013 às 22h39

Em vez de amado batista, esse cidadão., a quem sempre achei que era um bobão (quando abre a boca para falar… pra cantar, nem é preciso dizer nada), deve ser chamado talvez… de…Abobado masoquista!

Responder

Jose Mario HRP

31 de maio de 2013 às 22h10

Voces ligam para esse pateta?
Não passa de lixo global!
O rato que ri!

Responder

Marco

31 de maio de 2013 às 22h04

?Gostaria que este Blog me respondesse porque glosa comentários que faço.Sera censura ou saudade dos antigos chefes da ¨Média¨tradicional,hoje tão criticados?

Responder

    Samir

    01 de junho de 2013 às 07h41

    Amigo, aqui opinião contrária não tem vez. É a democracia da esquerda.

    Wildner Arcanjo

    01 de junho de 2013 às 09h21

    Negativo, eu sou uma das pessoas que pode falar com propriedade disso. Muitas vezes, e por motivos que são conhecidos por mim e pelos administradores do site (e pelos comentaristas que aqui estão por muitos anos à fio) discordei, e discordo do ponto de vista da redação e dos escritores/redatores do site. Mesmo assim sempre tive espaço para o debate, justo, sadio e respeitoso. Talvez (estou dizendo talvez…) as suas mensagens não estejam neste nível de debate. Se eu puder, e você me autorizar, gostaria de pedir que faça um exame de consciência e coloque as suas idéias de uma “outra forma”…

Marco

31 de maio de 2013 às 21h54

Sr.Mota.Quero ponderar ao sr. que o aludido entrevistado,nunca foi torturado.Não passa de um provocador junto com a sra.que o entrevistou.Provocadores do tipo daqueles que,durante a ditadura,vinham até a tv,pra dizerem que estavam arrependidos de seus atos,lembra?Não passam de provocadores e lanço-lhes um desafia;se de fato foi torturado,como alega,que traga para serem entrevistados pela sra.provocadora,as pessoas que o torturaram.Falsos torturados,como falsos socialistas ou comunistas,temos exemplos do tipo,Roberto Freire e Aloisio 300 mil,que de comunistas tinham tanto,como policiais infiltrados.Desconfio até,que o sr.Marighela foi dedurado por um dos citados acima.Falsos comunistas e falsos torturados.Provocadores…

Responder

Marco

31 de maio de 2013 às 21h46

Sr.Urariano Mota .Quero ponderar que o aludido sr.,nunca foi torturado.Tem toda a característica como também a sra,. que o entrevistou dxe provocadores já

Responder

    Marco

    31 de maio de 2013 às 21h57

    Mewu comentário não foi publicado como o remeti.

    De Paula

    01 de junho de 2013 às 06h17

    E não foi mesmo; trata-se de um sadomasoquista que pediu que o torturador o torturasse. Resposta do torturador: – Só se você confessar.

Eduardo Raio X

31 de maio de 2013 às 21h45

Esta é a maior declaração de uma mulher de malandro, gosta de apanhar e pede mais, infelizmente algumas “celebridades” principalmente que cantava e gritava nos anos 80 contra o sistema de então, hoje elogia a ditadura militar (caso do duble de cantor lobão), Amado Batista deu uma entrevista uma vez dizendo o contrário, que sua participação foi apenas de fornecer material(livros) para os que fazia oposição ao regime, e que ele não teve ação direta com os grupos armados! Amado Batista canta o que muitas mulheres gosta de ouvir hoje em dia, música para corno manso, assumido e conformado!

Responder

Saçuober

31 de maio de 2013 às 21h14

Este senhor Amado Batista mostrou-se um tremendo mau caráter, mentindo ou assumindo uma atitude covarde, o único sentimento que ele desperta é nojo.

Responder

Urbano

31 de maio de 2013 às 21h07

Com a música ele faz a desgraceira que faz, imagine-se, imagine-se…

Responder

Elio de Souza

31 de maio de 2013 às 21h05

Só vou acreditar quando mostrarem a ficha dêle. Do contrário acho que êle está fazendo média com o Lobão.Só que este andou levando uns tapas dos Ditadõres e parece que também gostou.

Responder

Emerson Souza

31 de maio de 2013 às 20h39

O mais curioso é ele se pronunciar dessa forma logo agora,é no mínimo estranho.

Responder

Márcio Gaspar

31 de maio de 2013 às 20h33

“Amado Batista fala como um escravo que saiu da senzala e se vestiu de senhor. Ele fala como um escravo agraciado que acha justo o pelourinho porque alguma coisa de ruim o homem – ou parecido com homem – que sofre a tortura fez. Castigo merecido, ele declara.”

É o negro da Casa Grande retratado no filme “Django livre” de Quentin Tarantino e interpretado por Samuel El Jackson. O negro da Casa Grande que somente defende os seus interesses e os interesses do senhor e, para isso, acusa, espiona, cagueta os negros que fogem da escravidão, com isso o negro da Casa Grande é “agraciado” com as benesses oferecido pelo senhor. Com o que Amado Batista foi agraciado para fazer tais declarações?

Responder

Bene

31 de maio de 2013 às 20h19

!!!!! Só daqui alguns anos vou conseguir comentar isso…!!!
? Será que isso é Karma, e o Karma é isso?
? Então na democracia existe os Escravos Felizes ? Nasceram para ser escravo, ou foram educados para tal ???
? Será baixa-auto estima entao ? Coisa para remedio e terapia ?
? Os “donos” do mundo estão certo , qdo dizerm que o ser humano foi criado para ser escravo mesmo?
Que Deus nos responda ?
Um abraço.

Responder

Edgar Rocha

31 de maio de 2013 às 19h59

Quem não tiver um mínimo de condescendência (mínimo mesmo, mas o suficiente pra entender) com a declaração do Amado Batista, não há de ter pelo batalhão de jovens que atualmente sofrem o mesmo processo de cooptação: o cara é pego, apanha, recebe uma conversinha bem informal e sai com a corda toda, assaltando, matando, botando fogo nos outros, destruindo o mundo sem nenhum limite e consciente de sua total impunidade. Já falei uma centena de vezes que isto é um método consagrado aqui no Brasil. Quem atirar-lhe pedras, deve começar a apoiar a redução da maioridade penal, porque ignora que o sujeito é alvo de um sistema de cooptação, e culpa unicamente o indivíduo, negligenciando o fato de que, como todo ser humano, possui fragilidades psíquicas que são exploradas por um sistema que via, no caso do A. Batista, um artista, uma figura potencialmente útil no projeto de controle da sociedade. Acho uma idiotice querer fazer do pensamento distorcido de alguém, uma bandeira e um alvo fácil pra desopilar o fígado. O torturado que não for capaz de se autoavaliar e perceber as possibilidades destrutivas de uma seção de tortura, então não é digno de exigir punição pra ninguém. Deixa o Amado Batista pra lá! Tá na cara o que se passou com ele. Esqueçam também aqueles que delataram companheiros em seções de tortura. Vão condená-los por isso? Deve-se lutar pra não acontecer mais. O antagonista nesta história não é o Amado Batista. É quem usou de métodos terríveis pra fazê-lo entender que o melhor era ficar do lado deles. Ele é humano, nada mais. E cada um reage (e sofre!) à sua maneira. Não dá pra julgar o cara. Limitemo-nos a entender o porque de sua postura. Vai ser mais útil pra entender a repressão atual em que vivemos.

Responder

Zé Brasil

31 de maio de 2013 às 19h44

“Eu acho que mereci a tortura. Fiz coisas erradas, os torturadores me corrigiram, assim como uma mãe que corrige um filho. Acho que eu estava errado por estar contra o governo e ter acobertado pessoas que queriam tomar o país à força. Fui torturado, mas mereci”.

Pois é, sujeito abestado, esta mesma “mãe” levou de minha classe na universidade três meninos de 17-18 anos cujo único crime foi pensar num Brasil melhor onde pessoas de poucas luzes assim como você pudessem ter uma vida digna e melhor. Serviram de comida de peixe no Atlântico.
Sua ignorância sobre a história do Brasil é completa. O mundo vai além do palco e do microfone.
Pegue alguns trocados e compre livros, vídeos, enfim se instrua um pouco sobre a história de seu País e, principalmente, deixe de falar besteira.

Responder

elizabeth pretel

31 de maio de 2013 às 19h23

Se ele efetivamente pensa assim, acredito que não deveria mais aceitar os R$1.000,00 que recebe todo mês de “indenização”. Melhor ainda, deveria devolver tudo o que já recebeu.

Responder

Marat

31 de maio de 2013 às 18h47

Agora ele tem que gravar “um tapinha não dói”…

Responder

Marat

31 de maio de 2013 às 18h47

Parece enredo de novela mexicana… o cara é preso, na primeira tortura se apaixona pelo torturador, ganha guarida, fica rico… O Outro é anistiado. Vivem felizes (dentro do razoável, convenhamos) para sempre!

Responder

Francisco

31 de maio de 2013 às 18h45

Amado deve ficar na mesma cela que o Ustra.

Os dois vão ficar satisfeitíssimos…

Responder

Marat

31 de maio de 2013 às 18h41

Tortura maior que suas “músicas”, foi saber de tais falas.

Responder

Marat

31 de maio de 2013 às 18h38

Eu pensei que lixo fosse só a música, mas vejo que faz parte do DNA do cara!

Responder

Bertold

31 de maio de 2013 às 17h54

Que tal lembrar que “depois” das torturas, o sujeito deixou de ser um vendedor de revista numa banca para virar locutor de rádio? Um emprego e tanto que comumente garante ótima mobilidade social. Políticos gastam muito dinheiro com esse tipo de profissional, quando não a publicidade e popularidade garante o sucesso artístico ou a carreira política.

Responder

Fabio Passos

31 de maio de 2013 às 17h08

Credo. Que coisa triste.
Nao percebem? Ele ainda esta la… no quarto 101.

Responder

Caracol

31 de maio de 2013 às 17h06

Não se trata de masoquismo simplesmente, o cara é muuuuito doente mesmo. Não tenho qualquer dúvida que sua declaração teve a intenção de sofrer torturas de novo, vamos torturar ele, pau nele, ele vai ficar feliz da vida.
Ah, outra coisa: Amado é a PQP.

Responder

Luiz AA do Sacramento

31 de maio de 2013 às 16h38

É por estas e outras que a nação brasileira segue sendo explorada e subjugada pelas fôrças hegemônicas que submetem a tantas pessoass, cujo baixíssimo senso crítico, tal como o do Sr Amado Batista que considera razoável bater , ferir, torturar, matar a todas e todos quantos discordem dos seus métodos e de sua ideologias.

Com a sua declaração vazia de qualquer sentido lógico, o Sr. Amado Batista presta um enorme desserviço à tomada de consciência da grande maioria do povo brasileiro. Muito lamentável!

Responder

souza

31 de maio de 2013 às 16h33

um triste declaração.

Responder

Alexandre Soares

31 de maio de 2013 às 15h50

Pior que supondo que ele fale a verdade e pense assim, das duas uma:

1) Ele pode ter sido traumatizado e passou a vida inteira nesse recuo, agindo como um cachorro assustado, ou…

2) … ele dedurou gente e repete isso a si mesmo para dormir a noite. “essa gente merecia, essa gente merecia…”

Responder

    Edgar Rocha

    31 de maio de 2013 às 22h20

    Poxa vida. Fiz um comentário posterior ao seu e diz a mesma coisa. Passei direto e não li com atenção o que você escreveu. Seria mais fácil concordar contigo. Parabéns! Simples e certeiro.

    Lu Witovisk

    01 de junho de 2013 às 09h57

    Ou ele é realmente escroto. Conheço um senhor lá no PR que na época morava numa república, os militares deram uma batida na tal republica, levaram todos os “comunas” só ele saiu sem um arranhão… pq será ne? Comentam que foi ele o dedo duro e os rapazes foram presos pq tinham acesso a “literatura proibida”. Passados tantos anos, o cara só piorou, é mais “politizado” que o Amado Batista e o que sai da boca, fede.

    Serj Sargsyan

    01 de junho de 2013 às 12h54

    Vou pela opção 2: é o sucesso que obteve após a tortura…

    Serj Sargsyan

    01 de junho de 2013 às 12h57

    O problema é que esse senhor, agora “Amado ou Odiado” Batista, ainda recebe uma pensão da União da condição de ex-perseguido político…

fernanda

31 de maio de 2013 às 14h51

Acho que ele ta comendo bola, ele nunca foi de nenhum grupo anti ditadura, o que ele tinha era ma livraria e arrumava livros que eram proibidos para os que participavam da luta. Decerto fazia era negócio, ganhava uma grana, só isso. E depois aproveitou pra se candidatar a uma indenização que o faz receber mais de mil por mês, se foi tão bom apanhar, por que ele quer ser pago como quem foi injustiçado?

Responder

Zepol

31 de maio de 2013 às 14h50

Ninguém que tenha visto a morte de perto, tenha dialogado com ela e olhado em seus olhos, pode seguir vivendo sem o receio de voltar a encontra-la na próxima esquina. A tortura é um fardo de lembranças, dúvidas, remorsos, arrependimentos, revoltas, dores físicas e mentais, e alguma dose de loucura que se carrega nas profundezas da alma. É um peso que não dá para ocultar. Não é possível acreditar que Amado Batista, hoje, viva de braços dados com a “morte” e reconheça nela a “voz repreensora” de sua própria mãe, com essa leveza.

Responder

fabio nogueira

31 de maio de 2013 às 14h31

“A obra da escravidão não foi destruída” na na cabeça desse cidadão. Infelizmente ainda tem pessoas saudosistas do tempo da ditadura.

Responder

jose francisco

31 de maio de 2013 às 14h09

Eu olho pra esse sujeito e a impressão que me causa é que ele não passa de um fantoche, uma marionete. Um ser ôco, sem conteúdo, que fala e se esforça em levar a mensagem que lhe foi encomendada da melhor forma possível.

Responder

jose francisco

31 de maio de 2013 às 14h04

Pra mim esse Amado Batista está mais pra ARMADO do que amado. Acho que ele faz parte de alguma agenda, algum esquema mais obscuro. Essa foi uma ação com vistas a amolecer ou torcer a opinião daqueles a quem esse sujeito ainda consegue influenciar. Ou seja, uma ação bem ao gosto do PIG.

Responder

francisco pereira neto

31 de maio de 2013 às 14h03

Começo a acreditar na frase da Folha ao substituir a ditadura por ditabranda.
Jamais poderia imaginar que Amado Batista foi um artista “intelectual” que colocou em risco o projeto dos milicos.
Maria Gabriela prestou um enorme “serviço” à nossa “sólida” democracia.
As nossas referências perderam as referências.
Caetano Veloso que era um “perigo” com o movimento Tropicália, hoje não passa de um intelectualóide embotado.
O perigo no passado da Ditadura se chamava Amado Batista.
Grande entrevista da Gabi.

Responder

    H. Back™

    31 de maio de 2013 às 14h31

    “O perigo no passado da Ditadura se chamava Amado Batista.”
    O perigo hoje na Democracia se chama Eike Batista.

Eugenia

31 de maio de 2013 às 13h50

Sr Amado Batista pode ser sadomasoquista, quem sabe?

Responder

Norberto

31 de maio de 2013 às 13h48

Caso Chico Buarque tivesse dito algo parecido haveria motivo para espanto…já Amado Batista, se tivesse algo relevante a dizer já teria dito em suas “músicas”!…Simples assim!…

Responder

Haroldo Guimaraes

31 de maio de 2013 às 13h46

Amado Batista, seu campo não é da política. Vá cantar em catalão!!

Responder

Francisca Sandra Sampaio Sales

31 de maio de 2013 às 13h41

Não tenho nem palavras pra comentar uma tamanha besteira que o Amado Batista falou. Mas acabo concordando com Gerson Carneiro.Ninguém no mundo acha que merece apanhar. Imagine ser torturado!!!

Responder

Eugenia

31 de maio de 2013 às 13h35

É uma toupeira! Como diz a filósofa Márcia Tiburi, o Sr. Amado Batista não é ignorante, ele é burro. Então ela diz, a ignorância é o “não saber” e a burrice é o não “entender”. É o caso desse homem público da música. Ou então ele está vendendo algum peixe????

Responder

    Eugenia

    31 de maio de 2013 às 13h39

    Fazendo uma ressalva: a filósofa não falou sobre ignorância e burrice com relação ao Sr Amado Batista. Ela fez a distinção da burrice e da ignorância, numa palestra no Café de Ideias. Não sobre esse caso estapafúrdio do Sr Amado Batista. Que fique bem claro. E tenho dito!

    Wildner Arcanjo

    01 de junho de 2013 às 14h26

    Eu discordo, quanto a burrice… burrice é não querer entender por julgar que os seus pré-conceitos já bastam e de não ter a capacidade contra-argumentar para manter sólido os seus pré-conceitos, não de forma rebuscada, mas muitas vezes (e até melhor dizendo) de forma simples e objetiva. Quanto a dizer que aqueles que não entendem são burros no mínimo é mais um sinal de burrice do que de inteligência (se existe mesmo burrice e inteligência como coisas antônimas).

Lu Witovisk

31 de maio de 2013 às 13h32

A questão é: esse cara é idolatrado por muitos. Esse tipo de declaração só ajuda a cimentar no cérebro de seus fãs a ignorância. Essa declaração aliada as outras “a ditabranda foi um mal necessário”, “se não fossem os militares, hj seriamos comunistas!” e “naquela época, a vida era boa, bastava saber seu lugar, só ia preso se fizesse baderna” só ajuda a não deixar que a Historia do país seja passada a limpo. É mais um instrumento de dominação.

Depois dessa, concordo com o texto e não me admira mais que este sujeito sem voz, fanho, tenha ficado rico CANTANDO.

Responder

    H. Back™

    31 de maio de 2013 às 15h27

    “(…) naquela época, a vida era boa, bastava saber seu lugar, só ia preso se fizesse baderna (…)”.
    Será que esse sujeito tem consciência do que disse? Ele acabou de dizer que a Presidenta era baderneira.

    Lu Witovisk

    31 de maio de 2013 às 19h44

    Não, Back, isso não foi ele quem disse. Isso eu escuto de viúvas da ditadura… muita gente fala isso AINDA. Creia.

Gerson Carneiro

31 de maio de 2013 às 13h27

Além de tudo tá a cara do Didi Mocó.

Responder

    Rui

    31 de maio de 2013 às 17h06

    Hahaha. O pior é que está mesmo. A cara e o pensamento. Hahaha

Gerson Carneiro

31 de maio de 2013 às 13h16

Estou mesmo curioso para saber ao menos um único nome de alguém que tenha sido “acobertado” pelo Amado Batista, pois ele não citou nomes de quem ele “facilitou o acesso de alguns escritores, jornalistas e intelectuais aos livros proibidos na época, geralmente de filosofia, política, etc..”

Estou mesmo duvidando da consciência política do Amado Batista à época para tanto.

Na minha opinião, amado Batista mente e tenta tirar alguma vantagem opinando sobre o que desconhece e não vivenciou.

Responder

    H. Back™

    31 de maio de 2013 às 14h13

    “(…) consciência política (…)”. Essa pessoa “amada” que desconhece o significado do que seja consciência, vai entender de política?

Gilda Arruda

31 de maio de 2013 às 13h04

Francamente. Não merece dó.

Responder

Zilda

31 de maio de 2013 às 12h13

Isso é que é passar recibo de ignorância, alienação e despolitização! Êta toupeira!

Responder

ma.rosa

31 de maio de 2013 às 12h08

Parabéns Urariano!!! Mais claro que isto, “só injeção na testa” O sr. nem tão amado batista,(com letra minúscula,mesmo), precisa de um Psiquiatra!!!! Achar que o torturado merece a tortura é ignorância de mais!!!!

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.