VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Você escreve

CNN e as vespas assassinas: Hong Kong mudou-se para SP


08/10/2013 - 13h45

O Le Monde se divertiu com a barrigada da CNN, que colocou Hong Kong em São Paulo ao anunciar uma reportagem sobre vespas assassinas que mataram dezenas.

Assassinaram a pauta e a geografia.

Leia também:

Não precisa explicar, as capas dizem tudo

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



17 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Edgar Rocha

13 de outubro de 2013 às 16h53

É Blazil! Andam lendo o Cebolinha ma redação, estes amelicanos.

Responder

PAULO SILVA

09 de outubro de 2013 às 18h02

Foi uma metáfora com o PSDB.

Responder

Eduardo

09 de outubro de 2013 às 17h41

Não me surpreendo! Uma professora norte-americana me disse achar que a Amazônia era na Africa ! Achar que o Central Park está em Londres ainda passa, mas Amazônia na Africa e HongKong em São Paulo dói!

Responder

Teco

09 de outubro de 2013 às 14h21

Vou colaborar com a CNN. ¨É claro que as vespas estão atacando a cidade
mineira de Hong Kong, próxima de VESPASIANO¨.

Responder

Leo V

09 de outubro de 2013 às 14h12

As cidades hoje são todas iguais mesmo. O que importa?

Responder

Carlos H. Ribeiro

09 de outubro de 2013 às 12h32

E tem gente com medo que a Coréia do Norte jogue uma bomba atômica nos EUA e acerte no Brasil…

Responder

OSKAR

09 de outubro de 2013 às 11h30

Só podia ser um francês (Le Monde) para perceber a burrada, porque se dependesse só de gringos, com sua extremada ignorância, nada seria notado.

Responder

Jorge Portugal

09 de outubro de 2013 às 10h58

E por acaso americano estuda geografia?

Responder

Elias

09 de outubro de 2013 às 10h55

Se existisse céu os Mamonas Assassinas estariam rindo muito do da mancada da CNN.

Responder

Maria Fulô

09 de outubro de 2013 às 10h18

Ato falho…

Responder

Julio Silveira

09 de outubro de 2013 às 10h13

Isso é para aquelas pessoas que levam essas redes a sério. É também nos entendermos que mesmo quando acertam não é por conhecimento é mero acaso. Na verdade, na verdade, ainda acham que a capital do Brasil é Buenos Aires.

Responder

Mardones

09 de outubro de 2013 às 09h55

A culpa é do estagiário. rs rs rs.

Responder

Leandro_O

09 de outubro de 2013 às 08h00

Mas olha, se for aquelas pessoas “portas” americanas, que acham que falamos espanhol e nossa moeda é o “Brazilian dolar”, capital Buenos Aires, não é de se surpreender.

Responder

"Meia dúzia de índios e alguns vagabundos pintados" - Viomundo - O que você não vê na mídia

09 de outubro de 2013 às 04h55

[…] Geografia da CNN localiza Hong Kong: em São Paulo. […]

Responder

Matéria Incógnita – Inovação e Criatividade » Canal de TV erra feio ao colocar Hong Kong no lugar de São Paulo

08 de outubro de 2013 às 23h34

[…] Ao alterar as configurações do globo, conseguiu colocar Hong Kong no lugar de São Paulo no mapa. E o jornal francês Le Monde se divertiu mesmo foi com o assassinato da pauta e da geografia. Com Viomundo […]

Responder

Francisco

08 de outubro de 2013 às 23h15

A Lei de Murphy é a única lei de aplicação universal…

Responder

FrancoAtirador

08 de outubro de 2013 às 23h01

.
.
Será que a Globo News,

sucursal da CNN no BraZil,

retransmitiu a matéria?
.
.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.