VIOMUNDO

Diário da Resistência


Política

Maierovitch: Gurgel deveria abrir inquérito para apurar Privataria


17/12/2011 - 19h43

O livro sobre privataria tucana na espera de Godot-Gurgel

por Wálter Fanganiello Maierovitch, no Blog Sem Fronteiras em Terra Magazine, sugestão de Luiz

O livro do jornalista Amaury Ribeiro Júnior intitulado A Privataria Tucana, da Geração Editorial e cuja primeira edição esgotou em menos de 48 horas, começa com uma informação de capa: “Os documentos secretos e a verdade sobre o maior assalto ao patrimônio público brasileiro. A fantástica viagem das fortunas tucanas até o paraíso fiscal das Ilhas Virgens Britânicas. E a história de como o PT sabotou o PT na campanha de Dilma Roussef”.

Com o livro na praça, os canais telemáticos e as redes sociais movimentaram-se extraordinariamente, abundaram comentários e caixas-postais eletrônicas lotaram.

Não tardou a crítica da posição silente por parte dos denominados veículos tradicionais  de mídia e a respeito  do livro, do seu conteúdo e dos documentos anexados.

Talvez tenham esses veículos que não se manifestaram  concluído pelo veracidade da afirmação do senador Álvaro Dias que, –sem ler o livro–, falou em “matérias requentadas”. Ou, talvez,  estejam à espera do sempre tardieiro (confira-se caso de Roberto Palocci) procurador geral Roberto Gurgel.  Com Gurgel, poderão correr o risco de uma “Espera de Godot”, aquele personagem do teatrólogo irlandês Samuel Beckett.

A segunda edição do livro será apresentada na quarta-feira, na sede paulistana do sindicato dos bancários, segundo corre pelas redes sociais.

O estranho, — a essa altura do campeonato e não se perca de vista a contundência do informado na capa do livro–, é o silêncio tumular do excelentíssimo Procurador Geral da República. E espera-se que não caia na prevaricação.

Como sabem até os rábulas de porta de cadeia de pobre, o direito de punir criminosos , incluída a chamada burguesia mafiosa brasileira, é do Estado-administração. E o seu exercício se dá por meio de ação criminal, cuja titularidade foi, pelo contrato social chamado Constituição de 1988, entregue ao Ministério Público. E isto porque o Ministério Público representa a sociedade civil.

Infelizmente, não temos no Brasil a ação penal popular. Aquela referida e defendida pelo saudoso jurista José Frederico Marques.

Pela ação penal popular, — que não se confunde com a ação popular voltada a invalidar atos e contratos administrativos lesivos ao patrimônio financeiro público–, qualquer do povo, no exercício da cidadania, poderia apresentar, para julgamento pelo poder Judiciário, uma pretensão punitiva tipificada nas leis positivas criminais.

E já passou o tempo em que cogitava de o pedido de arquivamento por parte do Ministério Público gerar a legimitação de qualquer do povo para promover a ação. A respeito, a jurisprudência do Supremo Tribunal Federal é remansosa no sentido de a última palavra caber ao Ministério Público.

No nosso sistema processual e criminal, frise-se,  o titular da ação penal pública é o Ministério Público, observada a competência processual-constitucional dos seus órgãos federais e estaduais.

Até para desatentos leitores, o livro do jornalista Amaury Ribeiro Júnior apresenta notícias de crimes e que não podem, exceção ao que ocorre em repúblicas bananeiras, escapar ao crivo do procurador Roberto Gurgel, procurador geral da República e chefe do ministério Público federal.

Em outras palavras, o procurador Roberto Gurgel deveria, até para não se cogitar em crime de prevaricação, examinar, em regular procedimento a ser instaurado,  o conteúdo e documentos referidos no livro A Privataria Tucana.  Mais ainda, no caso de haver notícia de crime fora da sua atribuição, caberia enviar o procedimento à procuradoria competente.

Aqueles veículos de mídia que se mantém silentes talvez estejam no aguardo da palavra de Roberto Gurgel, até para que esclareça se os documentos, em especial aos que decorreram de exceção da verdade apresentada em juízo pelo jornalista Amaury Ribeiro Júnior, já foram objeto de análise pela Procuradoria Geral da República: por evidente, não valerá o argumento de que Comissão Parlamentar de Inquérito já os apreciou, pois, como frisado acima, o titular da ação penal pública é o ministério Público.

Pano Rápido. A estranheza maior, pelo menos da minha parte,  não está no silencio de algumas mídias, mas no calar sepulcral  de Roberto Gurgel.

O procurador Roberto Gurgel, já criticado ao se pronunciar pela constitucionalidade da Lei de Anistia aos torturadores do regime militar e que deu tratamento inusitado ao caso do ex-ministro Antonio Palocci,  tarda a dar uma satisfação à sociedade. Afinal, a meta, voltando a Frederico Marques, é não deixar impunes os crimes e não punir os inocentes.

Que tal a sociedade civil organizada participar, formalmente a Roberto Gurgel, o fato de o livro A Privataria Tucana apresentar notícias de crimes. O ofício seguiria com um livro para conhecimento de Gurgel que, pelo visto, ainda não os tem em mãos.

Wálter Fanganiello Maierovitch é jurista e professor.

Leia também:

O livro sobre a “privadaria”

Protógenes diz que já tem 173 assinaturas para abrir a CPI da PrivatariaTucana

Líder do PT no Senado pede CPI da Privataria. Tucano reage

Amaury Ribeiro Jr: O primo mais esperto de José Serra

Gilberto Maringoni: Internautas driblam a censura privata

Serra, sobre livro: “Lixo, lixo, lixo”

Amaury Ribeiro Jr: O primo mais esperto de José Serra

O livro que a mídia ignorou, vendeu 30,5 mil cópias em apenas 4 dias

Gilberto Maringoni: Sobre relações ambíguas com a mídia

E a subespécie andrea-aecius?

Fernando Brito: A conexão Citco-PHC

Luís Nassif: A reportagem investigativa da década

E já que vocês querem ler sobre lavagem de dinheiro…

CartaCapital: “Serra sempre teve medo do que seria publicado no livro





67 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

SILOÉ-RJ

20 de dezembro de 2011 às 00h02

Pelo visto o efeito DESESPERO já está fazendo vítimas:
O STJ acaba de limitar a atuação do CNJ. Um retrocesso jamais imaginado.
Cabe ao povo brasileiro se manisfestar com toda VEÊMENCIA e de todas as formas possíveis, para que essa decisão seja revogada.
MOBILIZAÇÃO JÁ!!!

Responder

nelson freitas

18 de dezembro de 2011 às 17h47

Porque a Rede Record não entrevista o procurador geral da república (midiático global) Gurgel?

Responder

Urbano

18 de dezembro de 2011 às 17h45

O gurgel não vai um pé além dos seus direitos, que ele os acha muito pouco, até. Agora, dever, dever… ouche!

Responder

Marat

18 de dezembro de 2011 às 16h24

Caso WFM esteja correto, nós seremos o primeiro país do mundo a ter um Prevaricador-geral da República. É contra essa jequice e essa mostra de terceiro-mundismo que devemos lutar!

Responder

maria do carmo

18 de dezembro de 2011 às 12h49

aninha,
eles nao tem pudor, usam a veja e a midia canalha, e sao sempre os mesmos,
serra, dantas e o psdb covardes.
o presidente lula esta acima desses oportunistas, a populacao ja conhece os
malfeitores.
parabens aninha! sempre viliante diante das injusticas.

Responder

Cleverton_Silva

18 de dezembro de 2011 às 12h03

Gurgel envergonha o MP com essa postura e obsessão por holofotes. Vai fazer seu trabalho, Gurgel! Vai ajudar o lerdo Judiciário a pegar os maiores corruptos do país, começando pelos réus da Sathiagraha, Castelo de Areia e os privatas, os lesa-pátria que investiram em modernização e regularização de folha de pagamento das estatais com o nosso dinheiro só para vender a preço de banana e ainda aumentar a dívida. Nunca vi uma imobiliária deixar de agregar valor a uma casa por causa de vagas de garagem, quartos, suítes e outras vantagens. Só os "jenios" demotucanos mesmo para fazerem uma coisa dessas.

Responder

Maria José

18 de dezembro de 2011 às 11h44

O Delegado Protógenes poderia apresentar Notícia-Crime, mas depois de aberta a CPI da Privataria, para evitar a manipulação do discurso "já está com o MP". Ou qualquer um do povo. Mas o ideal seria a OAB e a ABI observarem sua tradição republicana, numa representação assinada por Notáveis, como Dallari etc. Aliás, cade a OAB Federal? Fingindo-se de morta também?

Responder

monge scéptico

18 de dezembro de 2011 às 11h26

Será o sr. gurgel, isento e "livre"para instaurar procedimentos que acelerem instalação de uma CPI
abrangente, que penalize a todos os citados no livro? Qual será a resposta popular a todos esses
crimes?
O silêncio das mídias, pesa e muito contra eles mesmos, pois denotam com essa atitude, seu total
apoio a pirataria existentes no BRASIL, nos períodos antes do LULA..
Sem uma reação popular de monta, nada se conseguirá. Os barões da mídia, coniventes e, quem
sabe? Partícipes dos crimes, aguardarão a poeira baixar e tudo cair no esquecimento
Cabe as redes, não deixar que isso NÂO aconteça; fhc/cerra e quadrilha terão de ser punidos!.
Sr. álvaro dias olha o rabo!!!

Responder

Marat

18 de dezembro de 2011 às 11h11

O PIG, e parte de noss justiça, com seus imensos tentáculo, não consegue pegar os blogues… é bem capaz dos neoditadores-fascistas, sob a batuta do Azeredo, tentarem calar as vozes incômodas!

Responder

Zé Francisco

18 de dezembro de 2011 às 10h36

Viva as redes sociais! Tudo bem, mas as redes sociais substituem o povo nas ruas? Pois é pessoal, as redes sociais é apenas uma ferramenta. O legal seria uma concentração na sede do imponente prédio cilíndrico e espelhado do MPF em Brasília, milhares de pessoas. Podemos até utilizar uma tática da direita: enfeitar com 10 mil vassouras o extenso gramado brasiliense da sede cilíndrica e espelhada do MPF.

Responder

    pedro heitor

    18 de dezembro de 2011 às 14h03

    EU dispenso as vassouras, melhor seriam maquinas de lavar roupas cenograficas lavando dinheiro dia e noite nesse país, vassouras não, maquinas de lavar $$$$$$.

Armando S Marangoni

18 de dezembro de 2011 às 09h53

O meu, mandei com AR.

Responder

Caracol

18 de dezembro de 2011 às 08h12

As vassourinhas, gente… as vassourinhas fincadinhas na praia e no gramado do Congresso…
Cadê as vassourinhas?

Responder

Murdok

18 de dezembro de 2011 às 08h01

Olha que não é só o gurgel que ta calado não. O PT também ta calado.
Vamos la PT, vamos fazer política. É isso que queremos.

Responder

EUNAOSABIA

18 de dezembro de 2011 às 07h41

A finalidade não é essa não, maierovitch, o senhor ainda não entendeu a finalidade do panfleto, a finalidade é outra, mas o efeito eleitoral dessa farsa será ZERO, a população já está mais do que escolada com essa gente profissional em montar esses papeluchos em forma de dossiês… fajutões…

Pasta Rosa, Dossiê Cayman, Dossiê Fajuto que ia sair em revista semanal e foi desmascarado no nascedouro, Lista de Furnas… a sociedade já está mais do que escolada neste tipo de modus operandi… eles nem chamam mais aquele promotor punido pelo MP… ia dar muito na cara…

Maierovitch, ninguém quer investigar é NADA, a finalidade do papelucho é outra.

Responder

Sérgio

18 de dezembro de 2011 às 03h07

Está certo, alguém tem que lembrar o Sr. Procurador do MP dos deveres da função e as responsabilidades como servidor público.
Ou ele só prepara denúncias com reporcagens da "grande" imprensa?

Responder

Leonardo Câmara

18 de dezembro de 2011 às 01h56

Prezados Azenha e Conceição,

Que tal iniciarmos uma coleta de assinaturas na blogosfera para solicitar o inerte procurador geral a trabalhar.

Abraços.

P.S.: Da série perguntar não ofende: O procurador geral ainda é um capitão do mato, ou já somos uma república?

Responder

    pedro heitor

    18 de dezembro de 2011 às 14h05

    #PedalaGurgel

maria edith

18 de dezembro de 2011 às 00h54

A Dilma não pode dar uma banana para o senhor Gurgel e colocar outro competente e alinhado com seus e nossos ideais de democracia.A mídia cai em cima de um ministro até que ele caia,Daí silêncio sobre o assunto e lança-se outro ministro para cair.Agora pergunto:por que não investigar ou mesmo abrir uma CPI que os deputados tanto gostam contra atucanada a começar pelos ex e governador de Minas.Ah,vão encontrar muita putrefação…

Responder

CMundim

18 de dezembro de 2011 às 00h38

Aliado a omelete com a Ana Maria Braga e o indigesto jantar na Folha, este é um dos grandes enigmas do governo Dilma que nunca entendi. Como a Dilma pode reconduzir este senhor a um dos cargos mais importantes do governo…

Poderia em uma só tacada mandar o Gurgel e a sua subordinada Dra Sandra Cureau para a lixeira. Fico triste também por ver tantas pessoas talentosas, capazes e principalmente honestas serem mal aproveitas pelo governo Dilma/Lula. Exemplo: Wálter Fanganiello Maierovitch.

Responder

    Jairo_Beraldo

    18 de dezembro de 2011 às 12h35

    Outro exemplo, Dr. Fausto De Sanctis. Mas devemos lembrar também, que Lula, sabe-se lá por que, ajudou a desconstruir a reputação de alguns destes homens corajosos, como o próprio De Sanctis, Protógenes Queiroz e Paulo Lacerda.

Marcos AC Lopes

18 de dezembro de 2011 às 00h09

Como fazer para pressionar o brindeiro Gurgel? O jurista Maierovitch não podia tomar a iniciativa. Se precisar de assinaturas, pode contar com a minha.

Responder

    Jairo_Beraldo

    18 de dezembro de 2011 às 12h38

    Pode começar a entupir a caixa de e-mails da Procuradoria Geral da República. Talvez, sabendo do assunto, pode, ignorar, deletar, mas encheremos o saco destas lesmas. Eu já enviei o artigo de post à tres endereços, que peguei no site da Procuradoria.

    pedro heitor

    18 de dezembro de 2011 às 14h01

    #PedalaGurgel

Rodrigo Carvalho

18 de dezembro de 2011 às 00h05

Mas é sabido que o judiciário é tucano…procurador atual demonstra isso. Esse procurador´é mais um a engrossar os anteriores…a cada dia que passa o judiciário vem despencando na visão do povo.

Responder

beattrice

18 de dezembro de 2011 às 00h01

Azenha e Conceição
um esclarecimento por favor.
Dado o fato de que o livro PRIVATARIA TUCANA
contém provas cabais e formais de crimes cometidos
e ademais contra o erário público
deveria ser acionada imediatamente a Policia Federal.
Isso é atribuição do Ministro da Justiça.
Este ao não tomar as providencias cabiveis tambem incorre em crime de prevaricação
no exercicio da função, correto?
Além.
A cadeia hierarquica acima do ministro incorre em crime de responsabilidade
ao tomar conhecimento de tais fatos, sabidamente de dominio publico,
e nao tomar as medidas competentes, correto?

Responder

    Jairo_Beraldo

    18 de dezembro de 2011 às 12h40

    O Zé Caridozo Dantas?? Mas antes, eu queria uma explicação – Quem é o patrão deste sinistro? O povo brasileiro, a presidente Dilma ou banqueiro condenado Daniel Dantas?

    Maria 1

    18 de dezembro de 2011 às 13h34

    Sei não, Beattrice. Salvo engano, pois não sou versada nessas questões, a função da PF é apurar indícios de crime, coletar as tais provas cabais. Se elas já existem, as providências são do MPF. Esse foi o entendimento que tive da leitura deste artigo do Sr. Maierovitch, que afirma ser o Ministério Público o titular da ação penal. Observe que em seu texto o jurista não faz qq cobrança de providências à Polícia Federal e, por consequência, ao Poder Executivo.
    Depois dessa leitura, raciocinei com meus botões que a maior parte das provas o Amaury obteve da CPI do Banestado que, sabemos hoje, ficou retida no Congresso por conta do tal "acordo". Imagino que se a tal CPI tivesse prosseguido em seu trâmite regular, o processo correspondente (provas incluídas) teria sido encaminhado ao MPF, não?

    Maria 1

    18 de dezembro de 2011 às 13h51

    Ah, lembrei tb, Beattrice, que houve muita cobrança por providências depois que a Carta Capital publicou aquela reportagem sobre a quebra de sigilo bancário de 60 milhões de correntistas do Banco do Brasil pela empresa Decidir.com, das Verônicas (Serra e Dantas). O Amaury informou por esses dias que as empresárias foram indiciadas pela PF (ao que parece em 2002), mas o processo está sob segredo de justiça. Daí, pode ter mais dessa "água" já rolando pelas pontes do judiciário, às escondidas.

    pedro heitor

    18 de dezembro de 2011 às 14h01

    #offshoraaaaaBrasil

Marat

17 de dezembro de 2011 às 23h51

Duas perguntas:
1) Como se dá a escolha do Procurador-Geral?
2) Por que logo o Gurgel foi escolhido? Não havia pessoas mais preparadas e alinhadas com um governo dito de centro-esquerda? – REssalva – Não importa se é de direita ou de esquerda, desde que se cumpra com suas obrigações. O Brindeiro tem se mostrado extremamente tendencioso e falastrão quando algum acusado é de esquerda, e, quando o acusado é da direita ou da extrema-direita, ele se mantém calado… Isso é péssimo e dá sim, uma sensação de que somos uma República de Bananas!

Responder

    luiz

    18 de dezembro de 2011 às 00h58

    Experimente colocar um holofote a frente dele e vários microfones… vai ganhar um sorriso de uma orelha a outra e olhinhos piscando felizes, experimente.

    Marat

    18 de dezembro de 2011 às 11h09

    E dirá, caro Luiz, que ainda não leu o livro, mas que alguns amigos seus disseram que são críticas sem fundamento. Essa é uma das faces da justiçca brasileira…

    Estanislau

    18 de dezembro de 2011 às 12h32

    Marat, seguidamente, leio dúvdas como a sua em relação à forma como se esolhe o Procurador Geral da República. Em algumas, tenho a impressão que julga-se, erradamente, que tal forma é a mesma aplicada à escolha do Advogado Geral da União, ou à indicação de membro do STF.

    Mas não é. O membro- chefe de todo o Ministério Público, que é o Procurador-Geral da República, é escolhido pelo Presidente da República de uma lista de três indicados por membros do seu próprio órgão (o MP). Portanto, são os pares de Gurgel, seus colegas, que o incluíram em uma lista tríplice, junto com mais dois candidatos.

    Mas por que escolheu-se Gurgel? Ocorre que há uma tradição, em governos progressistas, de se escolher aquele que foi o mais votado da lista tríplice, como uma forma de respeito à decisão de seus pares. Desta forma, evita-se acusações de desrespeito ao princípio democrático (segundo o qual a decisão da maioria é de ser respeitada), além de ilações quanto a preferência pessoal.

    De fato, o Procurador-Geral da República deve ser pessoa com autonomia e isenção total, de modo a agir sem discriminar Governo ou oposição. Mas, se transparece à sociedade que tal não está ocorrendo, há caminhos para denunciá-lo. Quem sabe se o artigo do Dr. Maierovich não é um deles?

    Marat

    18 de dezembro de 2011 às 16h22

    Legal, Estanislau… Tomara que alguma medida seja tomada, pois esse senhor me parece muito partidário, algo que não deveria existir na Justiça… Abraços.

    Jairo_Beraldo

    18 de dezembro de 2011 às 12h32

    FHC colocou um aliado, e este se tornou um brindeiro Engavetador Geral da República. Lula quis transparencia e colocou, da lista tríplice que recebeu, este palerma, esta lesma como procurador geral.

Marat

17 de dezembro de 2011 às 23h48

O trecho do texto, o qual destaco a seguir, é extremamente interessante:
"[…] Em outras palavras, o procurador Roberto Gurgel deveria, até para não se cogitar em crime de prevaricação, examinar, em regular procedimento a ser instaurado, o conteúdo e documentos referidos no livro A Privataria Tucana. Mais ainda, no caso de haver notícia de crime fora da sua atribuição, caberia enviar o procedimento à procuradoria competente. […]"

Responder

Ana Giulia Zortea

17 de dezembro de 2011 às 23h47

Pelo que vejo o contra ataque ja está vindo, e de uma maneira bem baixa usando o Presidente Lula e uma tal lista de furnas. Saiu uma matéria hoje no site da Veja (http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/o-ovo-da-serpente) .
Só não entendo porque e qual o interesse da Veja em publicar uma matéria contra o Presidente Lula e não falar nada contra o Serra. Agindo desta forma eles mostram claramente sua parcialidade, atitude vergonhosa para um meio de comunicação. Minha mãe já tinha dito que a coisa ia pegar fogo e que os envolvidos iriam agir a altura, e não iam deixar barato. Pelo que vejo a baixaria vai começar, e eles vão querer mostrar que são mais fortes ( tentando se fazerem de SANTOS). Tenho pena do presidente que neste momento precisa é de paz.

Responder

    betinho2

    18 de dezembro de 2011 às 02h14

    Ana
    Isso ai é "enrolation" da Veja. Nos diálagos editados, fala-se do fornecimento da lista de furnas, mas em nenhum momento que ela seria fabricada ou que não é verdadeira. O Novo Jornal de Minas Gerais já publicou a bastante tempo a comprovação da veracidade da Lista, com perícia que a PF fez, positivando a mesma. Inclusive o Aécio já foi depor duas vezes na PF, coisa que a mídia escondeu.
    http://www.novojornal.com/politica/noticia/justic…

    "…Justiça confirma "Lista de Furnas" e absolve seu divulgador
    Enfrentando máquina montada para desacreditar "Lista de Furnas", Justiça confirma sua autenticidade, absolve divulgador e condena deputado (José Carlos Aleluia DEM)…"

    Aqui uma reportagem mais recente do Novo Jornal: http://www.novojornal.com/politica/noticia/lista-…

    Aqui o laudo pericial: http://anexo.novojornal.com/80110_2.pdf

    Aqui o laudo de apreensão da Lista de Furnas: http://anexo.novojornal.com/80110_1.pdf

    Agora, não sei se alguem recorda, a primeira "Lista de Furnas" apresentada à época havia sim sido adulterada pelo Monteiro, retirando alguns nomes e inserindo outros como pressão para receber dinheiro que teria emprestado ao PSDB. Como foi processado, acabou entregando a verdadeira lista, essa que foi apreendida e periciada pela PF.

    Ana Giulia Zortea

    18 de dezembro de 2011 às 10h58

    Obrigada betinho2, fico lendo tantas coisas mas não sei de muito do que aconteceu nesta época. Agora entendo e percebo que realmente é uma jogada da oposição para tentar calar o escândalo em que o
    Sr Serra está envolvido. O pior é que muitos desavisados como eu que vão ler a Veja, vão achar que isto realmente acontece, eles falam até de um deputado ou senador o Sr Palocci, agora já sei que foi um ministro do Presidente Lula, minha mãe falou que como os ministros atuais também foram envolvidos pela oposição em escândalos para tentar abalar o governo.Ela me falou que o Sr Palocci é uma pessoa de extrema inteligência por isso os ataques contra ele que contribuiu e muito para o governo. Pelo que vejo a política usa de meios baixos e sujos para neutralizar seus concorrentes. Será que ninguém percebe que isso ao invés de ajudar o país só atrapalha??? AH Lembrei, eles não estão nem ai por Brasil, eles querem só saber do poder e dos bolsos deles!!!!

    betinho2

    18 de dezembro de 2011 às 16h25

    Ana
    Quem tem de agradecer sou eu e os demais leitores e comentaristas, por poder contar com você entre nós. Não nos abandone, precisamos nos mirar em você, para sonhar uma juventude engajada por um Brasil soberano, mas acima de tudo primando pela honestidade.

    Conceição Lemes

    18 de dezembro de 2011 às 15h33

    Betinho2, a Ana Guilia tem 11 anos. É a nossa queridíssima Aninha, a leitora mais jovem do Viomundo. Viu o tamanho da responsabilidade de todos nós, rs? Abs

    betinho2

    18 de dezembro de 2011 às 16h18

    Conceição
    Obrigado pela lembrança, passei batido.
    E tens razão, temos uma enorme responsabilidade em fazer o bom diálogo com esses jovens, que em muitos momentos estão nos dando verdadeiras lições de cidadania e comportamento equilibrado, que estão primando em buscar a verdade. Que surjam milhares de Ana Giulias, serão nossa redenção.

Marcio H Silva

17 de dezembro de 2011 às 23h31

pensando com meus botões, de repente deu um estalo. O que adianta o esforço da militancia politica para colocar seu candidato no governo, no caso recente, manter um governo de centro esquerda e termos que conviver com um PGR omisso, quase que declaradamente de direita, e o pior Dilma manteve o cara lá. Conviver com um Peluso, Gilmar Dantas, Marco Aurelio, levadoswki que não votamos?
Todos estes que não votamos estão prevaricando e muito. Quando teremos um Governo completo voltado para os interesses do povo?

Responder

    José Vitor

    18 de dezembro de 2011 às 00h35

    Pois é, quando é que vai cair a ficha de todo mundo ?

    O Judiciário (e seus correlatos nos outros poderes) é o pior dos 3 poderes no Brasil. Supostamente é uma meritocracia, mas na prática é uma corporação aristocrática medieval, elistista e nepotista ao extremo, que vive de privllégios e mordomias,.

    Mais do que uma reforma política seria muito mais útil para o Brasil uma reforma do Judiciário.

    Não sei exatamente como seria esta reforma, mas apenas a título de ilustração temos o exemplo dos EUA, onde a nível estadual existem eleições para juízes e para o Ministério Público. Pode não ser uma maravilha, mas com certeza seria melhor que esta pouca vergonha que é o Judiciário brasileiro, onde juízes são "punidos" com aposentadoria, ou afastados de sua funções com remuneração intacta.

    luiz

    18 de dezembro de 2011 às 00h57

    Não é absolutamente possivel que JÔ GURGEL não tenha o livro em mãos!Vários leitores do blog Cidadania já enviaram ao JÔ GURGEL um exemplar e o pedido de investigação do roubo do século, só não leu se estiver morto, do contrário está de posso do livro e ciente de tudo.
    Estamos aguardando seu pronunciamneto como chefe de INSTITUIÇÃO do ESTADO sr Gurgel.

Antonio Silva

17 de dezembro de 2011 às 22h48

Não seria o momento para que uma caravana rumasse em direção ao MPF em Brasília para entregar pessoalmente ao Dr.Gurgel milhares de exemplares do " Privataria Tucana " ?

Por mim, teríamos agora, NA PRÓXIMA SEMANA, algumas dezenas de ônibus partindo do RJ, SP, MG, BA … em direção à Brasília para ajudar o nobre Procurador a achar o livro denúncia .

Responder

JORGE

17 de dezembro de 2011 às 22h47

Azenha

Vamos fazer uma campanha para o Amaury autografar um Privataria Tucana e entregá-lo pessoalmente ao Gurgel.

Responder

Outro Antonio

17 de dezembro de 2011 às 22h40

O brindeiro Gurgel. O que será que ele quer esconder?

Responder

Cláudio Lacerda

17 de dezembro de 2011 às 22h22

O jurista Maierovitch não faz parte da sociedade civil organizada não? Porque ele mesmo não encaminha o ofício ao procurador?

Responder

Luisa

17 de dezembro de 2011 às 21h59

Eu já enviei o meu a ele, mas o Merval já disse que não há crime, então, o Gurgel já acatou a decisão e vai para às câmeras da Globo referendar.

A diferença é que a população não irá acolher.

Responder

PedroAurelioZabaleta

17 de dezembro de 2011 às 21h57

Consultei o site da PGR – Procuradoria Geral da Repúbilca (http://www.pgr.mpf.gov.br/)
lá encontrei suas atribuições, das quais reproduzo a parte a que creio se refere o Sr. Maierovirch.

Atribuições do procurador-geral da República:

O procurador-geral da República pode promover ação direta de inconstitucionalidade e ações penais para denunciar autoridades como deputados federais, senadores, ministros de Estado e o presidente e o vice-presidente da República.

Alguém precisa explicar para o Sr. Gurgel que vale também para autoridades de gestões anteriores.
Tentei achar e-mail para mandar mensagem de cobrança, mas só encontrei os dados que reproduzo abaixo.
Sugiro um enxame de telefonemas e fax para os números disponíveis, na 2a-feira 19/dezembro.

Gabinete e Assessoria

Procurador-geral da República
Roberto Monteiro Gurgel Santos

Vice-procurador-geral da República: Deborah Macedo Duprat de Britto Pereira – telefone: (61) 3105-5660 – fax: (61) 3105-5695

Chefe de Gabinete: Marcius Correia Lima – telefone: (61) 3105-5605 e 3105-5604 – fax: (61) 3105-5692

Secretárias: Adriana Silva Ladeira – telefone: (61) 3105-5603,
e Lucélia Valério Porfírio – telefone: (61) 3105-5613

abraços

Responder

    Jairo_Beraldo

    18 de dezembro de 2011 às 12h43

    Entre no site e no alto à direita tem CONTATO….clica lá e achará 12 endereços de e-mails, dos quais 3 são pertinentes a este caso.

João-PR

17 de dezembro de 2011 às 21h52

O CNJ tem poder de punir o Gurgel caso não abra o processo com base nos documentos do livro do Amaury Ribeiro Jr.??
Azenha e Conceição: como fazer para participar formalmente ao Senhor Gurgel que o livro do Amaury Ribeiro Júnior existe? Não moro em Brasília, onde podemos fazer isto (em que cidades do Brasil, e em que órgaõ)??

Responder

    luiz

    18 de dezembro de 2011 às 01h02

    Amigos de Brasilia por favor vão em comissão a pgr e entreguem um exemplar com o pedido de investigação em nome dos cidadãos que estão indignados com essa patranha sem castigo por favor.

    pedro

    18 de dezembro de 2011 às 09h17

    #OlhaoPassarinhoGurgel

    Estanislau

    18 de dezembro de 2011 às 19h15

    João, o órgão certo para fazer isto é o Conselho Nacional do Ministério Público. O CNJ é o órgão correcional externo do Poder Judiciário. O Ministério Público, lembramos, não faz parte do Poder Judiciário, mas é, sim, um órgão que, representando a sociedade em ações das mais diversas, constituindo-se assim em uma das funções constitucionais da Justiça.

Outro Antonio

17 de dezembro de 2011 às 21h40

Esse PT que sabotou o PT, comandado também por uma ave de SP talvez faça parte do PSDB e tenha os mesmo ilícitos a esconder. É bom que a coisa exploda. Sabe o que acontece? O esquema de quadrilha do DesGoverno FHC talvez seja replicado em prefeituras e estados desgovernados pelos pilantras. Tem que haver um saneamento completo, sem a Sabesp. Veja como é o PT de São Paulo na Câmara de Veradores e na Assembléia Legislativa: parece do PSDB. E essa corja não é do PT que conheço e tem que espirrar.

Responder

Solando

17 de dezembro de 2011 às 21h28

Ledo engano de que ele não o tem…….o movimento dos sem mídia, pela iniciativa de Eduardo Guimarães já enviou pelo correio.

Responder

sergio

17 de dezembro de 2011 às 21h17

Esse procurador é um engavetador geral quando se trata de tucanos, leniente com os ricos.

Responder

Gerson Carneiro

17 de dezembro de 2011 às 21h01

Próximo "Manhattan Desconnection" discutirá "A Privataria Tucana" (mas antes o mundo tem que acabar).

Responder

Alberto Navarro

17 de dezembro de 2011 às 20h43

Realmente diferente este comentário do jurista Fanganiello Maierovitch, em relação aos demais comentários que tenho lido na "blogosfera".
O assunto é tratado com fina ironia e sarcasmo elegante e não com paixão, como os demais comentários que tenho lido.
Quero crer ser esse o estilo corrente do jurista Fanganiello Maierovitch, e não o estilo passional apresentado nos comentários na revista "Carta Capital" referentes ao assunto do "caso Batistti".
Brilhante comentário.

Responder

buddy

17 de dezembro de 2011 às 20h39

ele tá dando tempo para o pig inventar uma nova acusação contra o governo e desviar o foco dos verdadeiros ladrões e entreguistas…

Responder

    luiz antonio

    17 de dezembro de 2011 às 21h48

    Meu caro buddy,
    se perderes algum tempo na leitura do Estadão (na net) verás que o contrataque pode estar vindo via caso Banco Panamericano…pelo foi esta minha impressão ao ler a matéria cerca de uma hora atrás.

SILOÉ-RJ

17 de dezembro de 2011 às 20h32

Alguém aqui do blog até sugeriu isso. Mas, mesmo que ele leia o livro e veja nele argumentações suficientes, não tomará nenhuma providência.
Já ficou bem claro com as suas atitudes, de que lado ele está.

Responder

    pedro

    18 de dezembro de 2011 às 09h18

    #PedalaGurgel

FrancoAtirador

17 de dezembro de 2011 às 19h58

.
.
O Brindeiro Gurgel só entra com ação no STF

contra PT, PCdoB e demais partidos do Governo,

com base em banners e pop-ups do G1, UOL e Veja.com.

Provas documentais não o reconduzem ao cargo na PGR.
.
.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding