VIOMUNDO

Diário da Resistência


Política

Plínio de Arruda Sampaio elogia STF e diz que efeito do mensalão sobre o PT “será devastador”


02/10/2012 - 23h45

por Luiz Carlos Azenha

Plínio de Arruda Sampaio não é candidato a nada, mas está bombando nas redes sociais. Mais especificamente, no Facebook.

Na verdade, o ex-candidato do PSOL ao Planalto só entrou no Facebook no mês passado, em 25 de setembro.

Mas, antes disso, já frequentava a rede social através de memes produzidos por simpatizantes, distribuindo agulhadas a granel:

Em outras palavras, o Plínio comenta deu grande resultado.

Mas há outros motivos para a felicidade do líder psolista. Ele fez a campanha de 2006 denunciando o escândalo do mensalão e agora, com a possível condenação do núcleo político do PT no primeiro mandato de Lula  — o ex-ministro José Dirceu, o presidente do partido José Genoíno e o tesoureiro Delúbio Soares — Plínio acredita que terá suas denúncias confirmadas.

“Estou achando estupendamente bom. O Supremo tá dando demonstração de ser um tribunal de altíssimo padrão jurídico e de altíssimo padrão ético”, afirma.

E mais: “Estou extremamente contente e entusiasmado. Com o presidente [Ayres Britto], que está presidindo com equilíbrio, com energia e competência únicas e com os ministros, especialmente com o Joaquim Barboisa, que é um espetáculo”.

“Para o PT acho que ele [o julgamento] pode ser devastador, porque vai ficar provado que ali era um bando de malandros, que o partido degenerou completamente”, acrescenta.

Mas haveria outras consequências, inclusive pedagógicas:

Primeiro, “o público está aprendendo quais são os seus direitos, quais são os seus deveres. É uma aula. Segundo, ele está entusiasmado de ver que o PSOL é sério, não tem nenhum compromisso com o governo e tá trabalhando muito bem”.

Plínio atribui o fato de o julgamento acontecer em período eleitoral a uma “coincidência” e acha que, eventualmente, o STF também vai condenar os políticos do PSDB ligados ao mensalão original, gestado pelos tucanos em Minas Gerais.

“O PSOL tá animadíssimo, nosso leitmotiv nessa campanha é isso”, afirmou.

Pela primeira vez o partido poderá eleger o prefeito de uma capital — Edmilson Rodrigues, em Belém, em aliança com o PCdoB e o PSTU –, além de ter chances de chegar ao segundo turno no Rio de Janeiro, com Marcelo Freixo.

Apesar das críticas ao PT, Plínio faz vários elogios ao governo Dilma, mas nunca à política econômica.

Ele julga o crescimento do PIB baseado no consumo e no endividamento insustentável: o dinheiro que entra na economia brasileira “é fruto do contraditório da crise econômica”. Os grandes capitais, segundo Plínio, estariam vagando pelo mundo em busca de melhor rentabilidade, garantida no Brasil por causa dos juros ainda acima das taxas de outros países.

Em vez de aplicar os frutos da bonança “em educação, saúde, infraestrutura”, afirma Plínio, no modelo adotado pelo governo Dilma “você joga [o dinheiro] para a população comprar bobagem”.

A ascensão social, argumenta, “é uma ilusão total”.

Ao comprar um bem associado às classes B e A — “bem de prestígio”, diz Plínio —  a população acredita que está ascendendo, mas “no dia em que ela tá levando esse computador para casa, o filho dela está estudando numa escola que não ensina e ela [a população], se não tem um plano de saúde — e a imensa maioria não tem — vai tomar um pega quando estiver doente. Ou então vai ter de ir ao SUS e esperar um mês, dois meses, cinco meses e até um ano para fazer uma cirurgia”.

Segundo Plínio, quando houver alívio da crise financeira internacional o capital que hoje irriga o Brasil “volta em 24 horas” para seu lugar de origem.

“Aí a Dilma vai ficar com o mico, vai ter de arrochar salário, de segurar o crédito, de criar milhões de desempregados”, diz ele.

O ex-candidato do PSOL, hoje observador político, avalia Dilma como mais séria, mais responsável,  e “mais cuidadosa com as coisas do povo” do que o ex-presidente Lula.

Não vê perspectiva para os tucanos nas eleições presidenciais de 2014.

“Serra não é um bom candidato, nunca foi”, avalia.

Sobre o futuro candidato do PSOL, especula: “Acho que esse Freixo tem alguma chance, né?”

Mas é realista: “Acho que ainda estamos muito longe de ter uma possibilidade real. Nós não estamos no páreo. Estamos acumulando forças”.

Por isso, ainda que o núcleo político do mensalão comece a ser condenado hoje no STF, Plínio não vê liderança capaz de rivalizar com o ex-presidente.

Em 2014, segundo Plínio é “ou Lula ou quem ele indicar”.

Clique abaixo para ouvir a entrevista completa, da qual o texto que você acaba de ler é apenas reprodução parcial e imperfeita:

Built-in Microphone_recording 45

Leia também:

Dalmo Dallari critica vazamento de votos e diz que mídia cobre STF “como se fosse um comício”

Altamiro Borges: Dilma no palanque dos golpistas?

Venício Lima: Liberdade de expressão comercial, só no Brasil

Rui Martins: Governo Dilma financia a direita

Requião: Não me arrependo de ter extinto a publicidade oficial

Beto Almeida: O pecado capital do PT

Carta aberta: “Somos contra a transformação do julgamento em espetáculo”

Marcos Coimbra: Realidade desfazendo a imaginação da grande mídia





290 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

milton schelb filho

20 de fevereiro de 2013 às 14h23

Espero que a moderação esteja bem clara no que lhes foi remetido.

Responder

milton schelb filho

20 de fevereiro de 2013 às 14h19

A Revista Margem Esquerda nº 15, traz um artigo sob o titulo “A natureza da crise e os dilemas da revolução”, assinado pelo senhor Plínio de Arruda Sampaio. É uma análise brilhante sobre “A crise atual do Capital”, de István Mészáros Tive vontade de parabeniza-lo. Agora, vendo a posição do ilustre registrada aqui, não sei entender o paradoxo. Considerando os serviços prestados por aquele senhor acho que nós que nos manifestamos devemos ser solidários na busca de uma
assistência psiquiátrica para atendê-lo com urgência. Ele merece.

Responder

Beto

29 de outubro de 2012 às 23h31

Esse Plínio tem que usar meias de lã, tomar mingau e ir dormir cedo, para não pegar uma “frieza”!

Minha querida vozinha fala isso pro meu avô – que já estava meio GAGÁ!

Força Plínio! Vamos orar por sua recuperação!

Responder

Marat

28 de outubro de 2012 às 19h42

Plínio de Arruda Sampaio entrou para o time de Míriam Leitão, Merval Pereira e Eliane Cantanhêde: o das Mães Diná… sorte deles que não dependem de suas previsões para viver!

Responder

H. Back™

28 de outubro de 2012 às 15h12

Nossa!!! Essa figura parece estar fazendo concorrência (não eleitoral) a figura do Serra.

Responder

Hélio

27 de outubro de 2012 às 22h32

É a idade! Não adianta contradizê-lo para não fazer mais confusão na cabeça dele!

Responder

Antonio C.

27 de outubro de 2012 às 09h26

Para diminuir o seu ressentimento, Plínio elogia o STF dos HC para Abdelmassih e Daniel Dantas?

Sei lá, volta pro Hegel e pro Marx, que de dialético e de esquerda ele não tem nada.

Responder

Manoel Reis

26 de outubro de 2012 às 21h02

O Velhinho Plinio de ARruda Sampaio elogiando o STF! Ele deve ter m tomado muito sol na moleira quando criança ou andou tomando todas por ai. Só mesmo um idiota da marca maior para não ver que esta palhaçada do Julgamento do 470 passou muito longe das eleições. SAomente uma mula igual o Plinio Sampaio pra não enxergar o que está acontecendo. Sua Mula Plinio. v. Excia,. já está muito velho e já passou da hora de aposentar você este seu Partido mequetrefe oPsol (Será que ainda existe esta múmias?
O Povo está preocupado é com seu bem estar (casa, comida, boa, diversão carro, roupa, escola pros filhos etc e etc. e ai aparece estes jumentos!

Responder

26 de outubro de 2012 às 20h13

Que vergonha Plínio!!! Esperava mais de ti….. É Roberto Freire fazendo escola!!!

Responder

    Alexandre Lins

    28 de outubro de 2012 às 00h08

    Fique certo que somente mencionando o nome desta aberracao, vc humilhou o Plinio! Que vergonha Plinio!

renato

26 de outubro de 2012 às 15h55

Vai sonhando!!!!

Responder

Jáder

24 de outubro de 2012 às 19h53

Aí você pega todo o espectro de partidos que se colocam à esquerda do PT e vê seus militantes e integrantes dizendo as mesmas bobagens que a mídia e a direita, quando lhes convém (perto de eleições, então, chovem bobagens). Falam da dívida (a direita diz o mesmo, esquecendo-se que o mais importante é a relação dívida/PIB, que melhorou assustadoramente), falam da verba da Educação (escondendo que além dos 3,5% diretos da União, há os repasses constitucionais a estados e municípios, em cerca de 5% do PIB), falam da segurança e da Copa (engraçado: a direita fala o mesmo também, uma vez mais!) e de corrupção (bandeira tucaníssima, que a mídia tucana empunha com galhardia!!!) – putz, será que eles não se mancam que esquerda e direita não podem ter discursos quase idênticos?
Que esquerda é essa que aceita uma espécie de vale-tudo só pra ganhar espaço e chegar ao poder? Auriverde, pendão da minha terra …

Responder

Giovani Avila - Blumenau

23 de outubro de 2012 às 19h34

Uma inteligência que não está em busca de um caráter nesse momento.

Responder

Luiz

23 de outubro de 2012 às 17h27

Mas um PALHAÇO a manda do LIXO REDE GLOBO!!!!

Responder

Luiz Carlos

20 de outubro de 2012 às 17h03

Será que o Plininho está dormindo e não viu que o PT está crescendo muito e o PSDB está sumindo das eleições pelo Voto, apesar do “mensalão”?.
Esta é a atitude geral do PSOL. Na minha cidade tinhamos um bom candidato a prefeito mas, basicamente, seguia o mesmo discurso do Plínio.
Uma pena!

Responder

sebastiao

20 de outubro de 2012 às 11h35

Sr.Plinio de Arruda Sampaio,em respeito ao seu passado não vou fazer nenhum comentário.Abraços!!!

Responder

Zé Brasil

19 de outubro de 2012 às 20h48

Plínio, que de Plinius nada tem, brinde-nos com uma nova besteira, uma trivialidade qualquer.

Busque as luzes dos holofotes que a direita lhe propicia até o ponto que lhes seja útil. Depois do uso, um trapo torna-se inútil.

É inadmissível que um egresso da esquerda deste País faça coro a esse tribunal de exceção que temos visto no julgamento da AP470, fosse o senhor um pobre diabo, muito pelo contrário, mas definitivamente não és, mas um político com visão histórica dos fatos. Tome seu tempo vá ver o filme Costa Gravas “Uma sessão especial de justiça” só para ver como a banda toca.

Não fosse por este oportunismo momentâneo que manchete o colocaria na pauta hoje? Lhe digo: nenhuma, tal a sua inespressividade política no quadro nacional.

Que papelão:- pegando carona no bloco dos golpistas do pig….

Sua imagem confusa ainda está em nossas mentes em sua pífia campanha de 2010, ora bolas, pretendendo ser Presidente da República Federativa do Brasil.Uma verdadeira piada de mal gosto, sem chance alguma.

Tudo bem, tá desculpado,fica por conta da senilidade que nem sempre vem como um prêmio para todos. Para uns, o prêmio vem como o momento de reflexão, de serenidade e de compartilhar sabedoria acumuladas em vida. Para outros resta a pateticidade do oportunismo descabido. Que vergonha!

Responder

    H. Back™

    28 de outubro de 2012 às 15h33

    “Busque as luzes dos holofotes que a direita lhe propicia até o ponto que lhes seja útil. Depois do uso, um trapo torna-se inútil.”
    Concordo, pois já estão fazendo isso com o Ministro do Supremo Joaquim Barbosa, apontando os erros que o mesmo cometeu no julgamento do mensalão.

Julio Cesar Montenegro

19 de outubro de 2012 às 10h01

me impressiona mas não surpreende que esses semideuses do olimpo grego ou do paraíso latino continuem dividindo os humanos entre BONS / ruins HONESTOS / desonestos SÉRIOS / alegres SÁBIOS / ignorantes cegos / ILUMINADOS…
sempre formaram turmas conscientes de que a MENTE deficiente do povo (onde NÃO se incluem) precisa da CONSCIENTIZAÇÃO deles luminares
acontece que o aprendizado de quem TRABALHA com o corpo dá mais sentido ao que é incorporadaMENTE experimentado
partidos politicos se articulam com gente de carne & osso: sindicatos operários, organizações camponesas, estudantis
sob aparelho estatal geralmente mantido pelo controle tradicional da classe dominante
controladora da cultura dominante
ora quem se acostumou a ser ícone vai querer reformar DE DENTRO uma organização ABARROTADA com humanos simplesmente humanos?
ou prefere aplicar seus RAROS dons patenteados numa nova griffe (apropriadamente significando garras em francês) tão escolhida quanto ENCOLHIDA?
REALMENTE GENTE FINA É OUTRA coisa
mas trabalhador só é coisa pra gente FINA…
prefiro filósofos que reconhecem o inevitável:
NADA DO QUE É HUMANO ME É ESTRANHO

Responder

luis

16 de outubro de 2012 às 18h00

O Plínio se desfiliou do PT, quando seu apoio ao Raul Pont, poderia significar muito no PED 2005. Teria sido eleito para a presidência alguém que combateria a “degeneração” do PT. Estranhamente ele sai exatamente no momento de fragilidade do setor então majoritáio. Depois cria sua própria igrejinha, udenista, com discurso esquizofrênico. Isso sem falar em sua patética candidatura a presidência. O PT é tão grande que boa parte dele pode ter degenerado. Mas o que sobra de “não degenerado” é 100 vezes maior que o PSOL.

Responder

vinicius

15 de outubro de 2012 às 17h52

Há anos, caros amigos nº 98, o Plínio deu entrevista a Caros Amigos e detonou o PT.

http://midiatorium.pensomidia.com.br/products/caros-amigos-98-plinio-de-arruda-sampaio/

Ele errou a projeção que fazia.
Gosto do Plínio, mas ele parou no tempo.
A Caros Amigos também!!!

Ainda leio a revista Caros Amigos, mas não com o mesmo entusiasmo de antes.

Responder

    Altemar

    18 de outubro de 2012 às 21h40

    Também li e nunca esqueço o que ele disse quando perguntaram o que achava do Serra:
    “é um moleque”

    Lembras?

    H. Back™

    28 de outubro de 2012 às 15h58

    Já acho que o Serra é um esquizofrênico.

Carlos

15 de outubro de 2012 às 08h49

Acho que o PSOL está precisando de uma terapia em grupo. Quanto despeito, inveja e mágoa. Perderam o bonde da história. No futuro, quando os novos historiadores se debruçarem sobre os fatos ocorridos de 1989 a 2020 (principalmente de 2003 a 2020), verão quais as forças políticas que concorrerão para as grandes mudanças que transformaram o Brasil numa potência mundial, bem como quais eram as forças retrógadas e conservadoras (e perdedoras), que fizeram de tudo para atrapalhar esse processo. Nesse balaio de lixo conservador, repousará esquecido o PSOL.

Responder

Coutinho

14 de outubro de 2012 às 19h53

Não foi isso o que as urnas disseram. Aliás, o PSOL tira onda de esquerda enquanto ingenuamente ajuda a direitona. Pena que o Dr Plínio tenha pegado essa onda.

Responder

valter batista ferrari

14 de outubro de 2012 às 10h30

Locatelli. não vai ter golpe não, a gente não aceita e vamos a luta.

Responder

Paulo Pavaneli

14 de outubro de 2012 às 06h22

Como dizia o velho Leonel Brizola, O Homem Que Veio De Longe, é dessa esquerda que a direita gosta… Gosta, não, adora…

Responder

Fabio

13 de outubro de 2012 às 23h10

Ainda acho que o PT é o partido que rouba menos, agora se o roubo ficasse em 2 % seria o Paraiso.É só fazer conta 514 deputados na camera federal a 2% de comissão seria uma evolução enorme, mas a draga já passou dos 20%, falam em infraestrutura, educação , saude, mais o dividendo do pre sal que seria para isto esta ainda no discurso.
Azenha sugiro uma reportagem sobre o primeiro PAC com aquilo que foi proposto e o que foi realizado, ai teriamos uma noção para onde esta indo dinheiro.

Responder

Pedro Cruz

13 de outubro de 2012 às 11h03

Vou respeitar os seus cabelos brancos. Perdeu Plinio, voce e seus novos amigos da grande imprensa foram derrotados. O povo brasileiro falou de que lado está, nas urnas. A não ser que voce tambem não respeite a voz das urnas. O PT foi o partido vencedor destas eleições. Perdeu, queimou a língua, felicidades ao lado dos novos amigos, se é que são novos.

Responder

Antônio

11 de outubro de 2012 às 19h18

Mais uma vez o inocente útil deu um tiro no pé. O julgamento não mudou o resultado das eleições e nem elegeu vereadores e prefeitos do PSOL!!! Será que era isso que ele queria?

Responder

sergio

11 de outubro de 2012 às 18h41

Quem esses caras do PSOL pensam que são? Os paladinos da política? A terra é redonda, o PSOL foi tanto, mas tanto para a esquerda que acabaram encontrando a direita no giro. E esse velhinho decrépito e cheio de piadinhas que não tem votos p síndico de prédio? Vão se catar seus direitistas disfarçados.

Responder

J Souza

11 de outubro de 2012 às 18h25

Tão devastador que até no Datafolha o Haddad está com 56% contra 44% do Serra na cidade que é a “cabeça” do PSDB no país.

Responder

Darci Scavone

11 de outubro de 2012 às 18h08

Plinio,
Não tem problema. Democracia é isso. Poder falar. Mas, ao Psol tão dedicado e tão atuante,uma pergunta. Entrou com processo para anular os atos do segundo mandato do FHC e para apurar a maior compra de votos, que tá teve neste país que foi a reeleição? E já entrou com representaçao para a abertura do disco rígido pra mostrar enfim o Daniel Dantas? Disco que tá nas mãos ou melhor no cofre do STF.

Responder

Paulo

10 de outubro de 2012 às 20h58

O Plínio começou a vida política como serviçal de Carvalho Pinto, da estirpe quatrocentona e carola paulista, transitou pela esquerda e acaba abraçado com o Pai Tomás do STF, que Lula acreditou poderia ser Zumbi dos Palmares. Pobre e decadente biografia, Plínio!

Responder

Milton Quadros

10 de outubro de 2012 às 20h47

O Plínio continua um velho com juízo de menino. Vá falar asneira assim lá em São Paulo.

Responder

Marcos Lima

10 de outubro de 2012 às 11h23

Um senhor nesta idade, porque tanto ódio?

Responder

Pitagoras

09 de outubro de 2012 às 22h54

Lula e o PT “light” praticou estelionato eleitoral contra os petistas autênticos. Ignorou politicamente o povo até porque sabia que jamais este povo iria pras ruas defendê-lo em reformas de base, de raízes. Estavam intencionando votar numa obscura filhinha de papai dos grotões maranhenses, pouco antes de Lula despontar no páreo. Para se manter no poder cortejou as elites reacionárias do país para o tolerarem. Seu erro é que elas nunca o engoliram. A barganha faustiana desemboca numa cobrança infernal e com um PT destroçado. Quanto ao STF que nunca condenou político algum por corrupção se torna o cobrador da dívida. Colossal ingenuidade acreditar que usar os mesmos métodos da elite corrupta do país não cavaria sua própria sepultura.

Responder

    vinicius

    15 de outubro de 2012 às 17h59

    Oi, Pitágoras. Conta essa história para a gente.
    Você realmente conhece o que diz no comentário ou ouviu de alguém que ouviu de alguém?
    É fato o que vc afirma sobre PT “ligth”.
    Ou será mais um factóide, como muitos que rondam a história do PT e das pessoas que o tornaram um partido político importante na história recente do Brasil.

    airton

    27 de outubro de 2012 às 23h00

    Pitágoras (será mesmo esse o nome do moço?), quem saiu derrotado, o PT? Muito pelo contrário. Sabe como as pessoas vêm o mensalão? Ficam cada vez mais convencidas que não existe partido mais depurado do quê este. Por tanto, os únicos que pagam por seus erros neste pais são os politicos do PT. Então ainda vale a pena arriscar seu voto no 13. Aqueles que ficaram sem espaço tem direito de espernear. Só não vale fingir que não está enxergando o obvio. É o melhor partido para o Brasil.

    Narr

    31 de outubro de 2012 às 11h14

    Estelionato eleitoral? Foi o contrário! A turma do PSOL tem que entender que o ponto básico da democracia é o respeito pela decisão popular. O PT radicalíssimo não conseguia vencer eleições para presidente. Poderia ter mantido a linha e hoje continuaria a se opor aos planos de, sei lá quem, o presidente Serra ou presidente Alckmin, 20 anos de poder do PSDB. O lulinha paz e amor foi o lulinha eleito. A população votou em Lula porque ele se comprometeu a fazer reformas cautelosas. Preferimos reformas radicais? Preferimos, mas o povo não, o povo tem medo de perder com desestabilização. Ora, estelionato teria sido de Lula, eleito com promessa de lulinha paz e amor, tivesse assumido posturas radicais. Não foi para isso que ele foi eleito! Então, vamos respeitar a vontade da população. Isso não estar paralisado ou ceder ao senso-comum, é entender a democracia. Queremos mudanças, vamos propor mudanças, vamos ganhar gradualmente a confiança da população, vamos reformar até onde as reformas sejam possíveis e progressistas, é disso que se trata. O resto é sonho de estudante adolescente.

malba tahan

08 de outubro de 2012 às 17h44

Que m***a de análise econômica Dr. Plínio!!!

Geladeira é BEM DE PRESTÍGIO??? Em que galáxia? Geladeira em casa quer dizer melhor alimentação e mais renda disponível (menos gastos líquidos com comida por melhor capacidade de armazenamento). Há poucas semanas , vimos também o Randolfe comprar o gato vestido de lebre da Veja ( a “entrevista secreta” do Paulo Valério) e se aliar ao Álvaro Dias e ao DEM pedindo o indiciamento do Lula. Isso tudo sem contar o discursinho patético que os seus jovens militantes praticavam no Viaduto do Chá a menos de uma semana das eleições em Sampa!!!

Precisamos, sim, de uma oposição de esquerda ao PT – até mesmo para evitar a acomodação e forçar o avanço da participação popular na formulação das grandes políticas nacionais, mas estes titerizinhos estão longe de ser isso: PSOL, PSTU, PCO!!! meu velho tio-avô, mecânico da LIGTH e anarquista, bem que avisava: o trotskismo sempre oscilou – desde 1905 – entre a porra-louquice e o oportunismo. Fui !

Responder

    Wildner Arcanjo

    09 de outubro de 2012 às 12h27

    Melhor análise impossível. Já tive muito apreço por este Senhor, mas acho que o rancor está corroendo a alma dele, como a do FHC. Neste aspecto ambos são iguais.

    Roberto Locatelli

    10 de outubro de 2012 às 22h24

    Plinio não tem NADA a ver com trotskismo. Ele é oriundo de uma ala da igreja católica.

    Os trotskistas que conheço militam no PT, embora críticos de certos posicionamentos do partido.

Kid Prado

08 de outubro de 2012 às 16h12

Pressentido pode ser o particípio passado do verbo pressentir, mas também pode ser uma abreviatura de Plínio Ressentido. É mais isto, que aquilo.

Responder

    maria olimpia

    08 de outubro de 2012 às 18h47

    Kid Prado,
    Você falou a grande verdade ‘RESSENTIDO”. O Plínio também é um roberto jefferson do José Dirceu. Odeia. Não conseguiu fazer parte do Diretório do PT e por isso culpa o JDirceu. Foi um grande político. Foi. Agora, está mais para advogado do diabo. Torce pela condenação dos ex-companheiros mais que qualquer um, a ponto de aliviar para o serra. Infelizmente o tempo passa e pessoas outrora admiradas como o Plínio, ficam egocêntricas, moralistas ao extremo. Sabedoria é importante quando envelhecemos. Houve época que pensei que o Plínio era um sábio.

Luana

08 de outubro de 2012 às 14h41

É patético ver a crítica da dita “esquerda” se aproximar dos discursos mais conservadores. Soa ressentimento puro.

Plínio diz que o PT “joga [o dinheiro] para a população comprar bobagem”. É no mínimo perverso condenar alguém (no caso, os mais pobres que estão adquirindo poder de consumo) por querer aquilo que você já tem (seja a casa própria, o carro, a TV de última geração ou a viagem de avião). Não se trata de fazer uma apologia do consumo, mas reconhecer o quão hipócrita é falar em nome do pobre quando não se é pobre, e com isso querer priva-lo de ocupar o seu espaço: como eleitor, como consumidor, como portador de opinião SIM. É muito interessante como para a intelectualidade de um modo geral e para o pessoal do PSOL em particular, a “nova classe C” virou o “bode expiatório” para tudo.

Responder

    lia vinhas

    11 de outubro de 2012 às 11h22

    Infelizmente conheço gente do PCB que pensa da mesma maneira. Se você analisar seu padrão de vida, é de burgueses, mesmo que não abastados,e chegam a achar um absurdo seus porteiros terem carro ou uma geladeira frostfree. Esses todos pertencem aquela esquerda que acha que o povão tem que esperar a tal Revolução que não virá, pelo menos não tão cedo, para comer e viver um pouco melhor, enqueanto eles mesmos curtem seus bons apartamentos, muitos no Leblon e Ipanema, vão a restaurantes caros, têm bons carros e viajam para o exterior quando lhes apraz. E ainda metem o pau no governo, porque queriam estar ganhando mais e não para que a miséria acabe neste país. O forte deles é o discurso, já a prática…..

    Narr

    31 de outubro de 2012 às 11h17

    Pois é, que absurdo. Teria sido melhor para o povo continuar sem geladeira mas na luta contra os eternos presidentes da república do PSDB.

Mário SF Alves

08 de outubro de 2012 às 13h49

Como é que é mesmo? “será devastador””???Erro de análise psolista.
.
.
É… pelo visto já foi o tempo em se fazia análise de conjuntura. Perderam o manual de boas prática. Psolista-mervalista-demotucanista, não importa; a tendenciosidade, a sanha antipetista, será sempre a mesma.
.
.
E viva o lulo-dilmismo-cristino-hugochavista! E viva a luta pela superação definitiva do maldito subdesenvolvimento na América Latina.

Responder

Vitor Hugo

08 de outubro de 2012 às 10h37

Segunda, 08 ds outubro. Previsão do ultra radical não se confirma. Rancor não pode balizar as críticas. PT ganha 1.800 novos vereadores e vence 550 prefeituras, ficando em terceiro no ranking nacional, atrás de PMDB e PSDB. Isso sem falar dos 50 municipios que terão segundo turno.

Responder

Roberto Locatelli

08 de outubro de 2012 às 07h51

Agora que temos os resultados das urnas, já sabemos que o efeito foi o crescimento do PT e o encolhimento do PSDB. Principalmente nas cidades maiores. O PT foi o partido com maior quantidade de votos, seguido pelo PMDB.

Em Osasco (SP), a vitória de Jorge Lapas (que substituiu João Paulo Cunha, condenado sem provas pelo STF) no primeiro turno foi bem simbólica. Seu adversário berrou aos quatro ventos: “mensalão”, “mensalão”, “mensalão”. Mas não adiantou. O povo não gosta de quem não gosta do povo.

Responder

Maria Izabel L Silva

08 de outubro de 2012 às 00h37

O que é que esse cidadão fez de bom para o país??? Nada. Hoje só se presta a se promover às custas da desgraça alheia.

Responder

Nelson Luis Corrêa

06 de outubro de 2012 às 16h56

Este senhor, quando ainda filiado ao PT, disputou o processo de eleições diretas pára a escolha dos novos membros do DN, dizendo que não iria votar na Marta Suplyci candidata na época a governadora do estado de São Paulo. Por isso não se pode crer no que ele fala.

Responder

Heloi T Santos

05 de outubro de 2012 às 17h17

Incrível. Esse velho só pode estar gagá. Não sabe que o nimigo é comum e pensa que o tal PSOL vai ganhar simpatia da mída.
Manda internar! kkk

Responder

    lia vinhas

    08 de outubro de 2012 às 13h48

    Aí é ue está. O inimigo não é comum, porque essa falsa esquerda, a preferida da direita, na verdade só era esquerda quando convinha. Ninguém muda de lado assim, apenas se revela de acordo com as circunstancias. Por terem eleito um pingado a mais de vereadores e estarem brigando por uma prefeitura no segundo turno, já se acham os tais. Esquecem de dizer que se fizeram no PT, ganharam visibilidade política graças ao partido e quando saíram levaram consigo os mandatos como se fosse sua propriedade particular E o PSOL surgiu da união (União???com mais tendencias que o PT?) desses ex-petistas, na verdade com máguas pessoais em relação ao PT e não por reação “ética” ao suposto mensalão). Seu projeto presente e futuro não tem nada de nacionalista, progressista, popular. É investigar a fundo as ligações de sua musa atual, Marina, e quem viver verá.

    maria olimpia

    08 de outubro de 2012 às 18h51

    Lia,
    É isso aí, infelizmente.

    Wildner Arcanjo

    09 de outubro de 2012 às 12h32

    O jogo não se muda no meio do caminho. O que se pode fazer é encontra uma nova forma de jogar o jogo. Não culpo o PT pelo mensalão, afinal de contas não se pode penalizar um partido inteiro por desvios de meia dúzia. E também não sou hipócrita de dizer que os fins não justificam os meios. Quem tem a coragem (e a moral) de contariar esta máxima da vida real?

Fabiano Araujo

05 de outubro de 2012 às 14h12

Esse sr. Plinio Sampaio deveria refletir mais, em vez de dar vazão ao ressentimento que tem em relação ao PT. O sr. Sampaio e seu partido, o PSOL,gostam de se apresentar como uma agremiação política de esquerda radical e quiçá revolucionária. Entretanto, parece esquecer algumas lições da História: 1)quase TODOS os partidos que se diziam de esquerda radical e que aderiram ao embate eleitoral “burguês” disputando vagas no Parlamento e/ou cargos executivos no Estado burguês (o PSOL tem chances de eleger o prefeito de Belém)acabaram por se tornar revolucionários retóricos (exemplo: o antigo PCI);2)esse ranço moralista, cheirando a udenismo, parece esquecer que política, entre outras coisas, é a defesa de interesses e não há nada de ilegítimo nisso( Lenin negociou com o Império Alemão em Brest-Litovsk);3)esse esquerdismo radical esquece do comportamento do Partido Comunista Alemão, na Republica de Weimar, que chamava os sociais-democratas de “sociais-fascistas”, o que dividiu a esquerda e facilitou a ascenção de Hitler.

Responder

priscila maria presotto

05 de outubro de 2012 às 14h12

Que decadência Plinio moral e intelectual….meus sinceros pêsames

Responder

Antonio Marcos

05 de outubro de 2012 às 12h53

O Plínio está agindo como um urubu festejando em cima da carniça, se mostra um oportunista, está querendo ganhar status no fim de sua carreira em cima de um acontecimento trágico para a democracia brasileira, um julgamento político,articulado e com cartaz marcadas.
Neste circo que foi montado tudo já estava no script do teatro criado pelo STF para condenar sem provas, por deduções e subjetividade.
É lamentável que este senhor não honre o seu passado e a sua trajetória de vida, é uma pessoa sarcástica, ele comemora esta situação, mesmo tendo consciência que não é um julgamento sério, isento e imparcial.
O Plínio ajudou a formar o PT, vejo que ele comenta contra o PT com um certo ressentimento, portanto seus comentários contra os integrantes e o partido tem algo pessoal-rancor

Responder

    Antonio Marcos

    05 de outubro de 2012 às 13h08

    Desculpem, escrevi cartaz marcadas, o certo é cartas marcadas, ops , fui mal

Fernando G Trindade

05 de outubro de 2012 às 08h24

Com tristeza vejo que o Dr. Plínio retorna ao campo conservador onde começou na política. Ao moralismo elitista do velho Partido Democrata Cristão, aos tempos em que fez parte do governo Carvalho Pinto, sobrinho neto do Doutor Rodrigues Alves e eleito pela coligação PDC/UDN como candidato de Jânio Quadros.

Curiosamente a trajetória de Plínio se assemelha à da própria Igreja Católica, que após se apoiar as reformas populares nos anos 60/70, com Paulo VI, retorna ao conservadorismo tradicional, com João Paulo II e Bento XVI.

Responder

    malba tahan

    08 de outubro de 2012 às 17h53

    Muito bem lembrado, Fernando!

    O apoio de Plínio ao governo de Jango foi circnstancial, ligado apenas à “mudança tática” da Igreja dos anos 60: da linha dura de Pio XI para o social-reformismo moderado de Leão XIII, requentado por João XXIII

vieira veritas

04 de outubro de 2012 às 21h44

Estou enganado ou o Plínio é da Opus Dei ?

Responder

    Giordano Bruno

    05 de outubro de 2012 às 22h12

    Não Vieira. A igreja católica tá apostando numa boa bicefalia nesse último meio século. Uma face progressista pra amealhar a intelectualidade e uma face fascista/amorosa pro resto do mundo. Adivinha qual delas sempre sai ganhando???

    Se você quiser ir mais a fundo dá uma lida sobre um cara chamado Aloysius Stepinac. Vale a pena…

    (se você quiser ir mais a fundo ainda, procura algo sobre as Ratlines, tem MUITO a ver com o momento atual da América Latina)

    Mário SF Alves

    06 de outubro de 2012 às 16h00

    Giordano Bruno, Galileu Galilei, inquisição, exceção, mensalão, tudo a ver. Fui atrás da sugestão. Ratlines é de pirar o cabeção. Mostra uma conexão que é capaz de detonar a mais tímida pretensão intelectual de quaisquer duplas de ticos e tecos, ainda que generosamente alimentados aqui no Viomundo.

Fábio

04 de outubro de 2012 às 19h51

O PSOL foi tanto a esquerda que se juntou a extrema direita!! Lamentável

Responder

ROBERTO

04 de outubro de 2012 às 19h39

Plinio Gurgel, Gilmar, Joaquim Barbosa tudo a ver, parabens Plinio pelo simplismo e moralismo seletivo tipico da Veja, Opsição e rede Globo, é máxima há pessoas que pioram quando envelhecem e Plinio é caso típico .

Responder

Lucas Costa

04 de outubro de 2012 às 18h03

Decidi meu voto para a prefeitura daqui hoje.

Vamos de 13 novamente.

Culpa de Joaquim Barbosa, Roberto Gurgel, Veja, Jornal Nacional e amigos antipetistas do Facebook. Esses foram os cabos eleitorais do PT que me fizeram escolher meu candidato. Isso sem falar no cabo eleitoral de sempre: o Partido da Social-Democracia Brasileira.

É como diz a frase do famoso escritor: “Quando um verdadeiro gênio se mostra ao mundo, reconhece-se logo da seguinte maneira: todos os idiotas se juntam e conspiram contra ele”. Não acho que o PT seja genial. Mas o fato é que todos os idiotas estão contra ele. Voto no PT, portanto, para desagradar aos idiotas. É o jeito.

PS. Nesse rol de idiotas não vai incluso Plínio, observe-se. Uma autocrítica consistente faria muito bem ao Partido dos Trabalhadores.

Responder

    Marcos

    07 de outubro de 2012 às 14h43

    De fato o PT deixa muita a desejar e tem perdido consistência política. Mas isto é até certo ponto natural, pois é um instituição formada por homens (serem complexos e falíveis) e atua no mundo real, que é muito longe da perfeição. Duro é ver que não existe opção, e como agem as elites deste país (imprensa e STF).

O sem-memória

04 de outubro de 2012 às 16h52

Me desculpem a memória prejudicada, mas eu nem me lembrava mais que este senhor ainda existia! Teriam sido suas declarações psicografadas por algum médium? Ou ele passará à galeria dos mortos-vivos da política brasileira, ao lado de sumidades como Heloisa Helena, Marina Silva, FHC, o maconheiro, Serra e outros menos cotados?

Responder

Mário SF Alves

04 de outubro de 2012 às 14h54

Ô! Professor Plínio, com todo o respeito, sugiro que observe melhor, que reflita um pouco mais, pois, de Plínio como este já nos bastou um, o Salgado. Aquele do integralismo, alter-ego de Mussolini e Hitler, lembra? Ou nada disso e único fato é que você ainda acredita mesmo que o Brasil poderá ser “acordado” durante debates eleitorais promovido pela mídia corporativa? Você, ainda que timidadamente, tentou fazer isso e não deu certo, lembra?
A propósito, por mídia corporativa entenda bem, refiro-me à mesma mídia que acabou com a dignidade dos norte-americanos e os jogou nessa crise infernal. A mesma que os fez e os faz acreditar em eixo e império mal. A mesma que os faz concordar com maus tratos à própria Constituição. A mesma que foi escorraçada da Inglaterra. A mesma que dá sustentação ao Mitt Romney e ao Tea Party. Não só a eles, óbvio, mas fiquemos no primeiro deles. O mesmo que disse que pobre – aquele que não paga impostos – não tem direito a ter direitos. Isso foi gravado; mas, ainda que não o fosse, faria alguma diferença na sua capacidade de entender a realidade e o que ele, o Rommey, efetivamente representa? Pensando bem, nem em Esparta, na Grécia antiga, a coisa funcionava assim, não? O segundo, bom, o segundo você sabe, seria perda de tempo falar sobre ele aqui, agora. Então? Ainda acha razoável vir a público fortalecer os argumentos e interesses obscuros dessa mesma mídia?
E mais uma vez, repito, com todo o meu respeito. Reconheço que muito do que aprendi sobre ideal e nobreza política, aprendi com você.

Responder

luiz curvo

04 de outubro de 2012 às 11h59

Grande Plinio, ao que parece os petistas querem o sagrado direito de roubar do mesmo jeito que os demos e tucanos roubam. Viva Joaquim Barbosa.

Responder

    Otto

    06 de outubro de 2012 às 18h58

    Comentário grandioso, parabéns!

    kaka

    14 de outubro de 2012 às 13h24

    Gostaria de ver a cara de esquerdalóides quando acontecer o golpe. Serao os primeiros a cair do cavalo. Parabéns Azenha pela luta de idéias.

Mário SF Alves

04 de outubro de 2012 às 11h03

Só no Brasil mesmo é que ação política estritamente democrática é confundida com ação de esquerda. Também pudera um País tão rico, de dimensões continentais, com fantásticas reservas minerais, entre as quais as estratégicas, como as de nióbio e outros. Só no Brasil mesmo. Um país com tal pujança de diversidade de espécies, de clima e de ecossistemas, onde se poderia ter a um só tempo introduzir diversas matrizes tecnológicas de produção de alimentos, indo de pré-capitalista a orgânico-empresarial; de orgânico-empresarial a agroflorestal; de agroflorestal a empresarial capitalista transgênica ou não. Só no Brasil mesmo, nesse caldeirão de etnias, onde é possível vislumbrar o nascedouro de uma sociedade tão mais plural e tão mais justa que não seria demais admiti-la em franca contribuição para os destinos da humanidade. Só no Brasil mesmo, onde a fartura de terras férteis agricultáveis é tão vasta que se bem utilizada poderia alimentar o mundo inteiro. Só no Brasil mesmo.
O maravilhoso Darcy Ribeiro sabia de tudo isso. E nós? Por que somos impedidos de saber disso? Decerto é muito mais fácil nos rotular de esquerda, esquerdistas, esquerdopatas, petralhas e outros e assim manter a CQC o Brasil como reserva de valor e em estado de eterno subdesenvolvimento. Nem que para isso tenham de recorrer a golpes de estado. É esse –a grosso modo- o DNA dessa bagaça. Anima-nos o fato de o povo brasileiro, ao longo das três últimas décadas, ter participado e contribuído na constituição e organização de um dos maiores e mais sólidos partidos políticos do mundo. Um partido que não precisa se deixar pautar pela essência do ideário de esquerda e que é nada mais nada menos que a abolição total da propriedade privada. Disso nós não precisamos. Disso o Brasil não necessita. Isso o PT, o demônio que tanto apavora os subdesenvolvimentistas/golpistas de todo gênero, jamais preconizou.

Responder

Roberto Locatelli

04 de outubro de 2012 às 10h10

Mas o cúmulo do absurdo ocorreu quando Plínio, num debate, acusou a grande mídia de ser chapa branca do PT. Era o caso de se perguntar: de que planeta ele é?

Responder

    Mário SF Alves

    04 de outubro de 2012 às 11h14

    É o vale tudo. É o CQC dessa bagaça. É o DNA deste eterno subdesenvolvimentismo. Haja disposição! Haja fé! Haja organização! Haja convicção!

    Márcio Carneiro

    16 de outubro de 2012 às 01h37

    Do planeta real.
    Ao contrario do imaginário, em que os petistas adoram vociferar “Elite burguesa e o PIG”, mas nunca dão nomes aos bois.

    E sabem porque nunca dão nomes? Porque esses inimigos não existem. PSDB não é de direita nem aqui e nem na china. No máximo é uma esquerda com aplicação econômica liberal, que diga-se de passagem, igual ao governo Dilma. PIG não existe, no máximo tem a Veja para fazer este papel. E uma revista não toca “movimento golpista”. E “elite burguesa” é piada, os maiores empresários são aliados do governo.

    Agora vem esse papo de STF golpista. Só na cabeça de um petista que as aplicações das leis é sinônimo de golpe.

Vinicius Garcia

04 de outubro de 2012 às 09h12

Esse partido é pior que a direita declarada.

Responder

Roberto Locatelli

04 de outubro de 2012 às 08h53

Ou seja, se o STF der um golpe, cassando o mandato de Dilma, o PSOL estará com os golpistas.

Responder

Márcia

04 de outubro de 2012 às 07h32

O Plínio é um bobo. No áudio da entrevista, para criticar a política econômica, diz que o fato de um desfavorecido poder comprar um computador não significa nada, é somente “demagogia”. Deveria considerar ao menos a possibilidade que um desfavorecido passa a ter de ler e ouvir as bobagens que ele diz ao adquirir um computador.

Responder

    Mário SF Alves

    04 de outubro de 2012 às 11h18

    Então? É ou não é a própria gênese da dicotomia?

sergio

04 de outubro de 2012 às 01h33

Simplesmente um perdedor e invejoso !

Responder

João-PR

04 de outubro de 2012 às 00h32

A clareza de análise do Plínio é igual às do Rio Tietê quando corta a grande São Paulo…
Mas, esperar o que de um trotskista??? Clareza de análise?
Gostaria que ele respondesse se concorda com o fato de, no Brasil, o Juiz que instrui (monta) o processo no STF poder votar no julgamento do mesmo…
Plínio, vai para casa meu caro. Nâo perca o pouco respeito que alguns brasileiros ainda tem por você.

Responder

    Roberto Locatelli

    04 de outubro de 2012 às 09h47

    Trotskista? Nem de longe. Plínio é ligado a uma ala da Igreja Católica (assim como Chalita). Os trotskistas que conheço estão no PT e apoiam Haddad.

Felipe

04 de outubro de 2012 às 00h01

Sou simpatizante do PSOL, mas o Plinio se perde completamente. Abaixo colo trecho de um texto a respeito da esquerda portuguesa que se aplica muito bem a suposta extrema-esquerda brasileira:

“Um teste infalível para avaliar o grau em que uma proposta de remodelação política se insere no capitalismo é a obsessão com o problema da corrupção, e também os autores do Manifesto reclamam contra a «impunidade da corrupção». Mas veja-se com atenção. A corrupção consiste em não respeitar as regras estabelecidas pelo capitalismo nas relações entre capitalistas, não nas relações dos capitalistas com os trabalhadores. A corrupção não diz respeito à extorsão da mais-valia, ao processo de exploração dos trabalhadores, mas à repartição entre os capitalistas dos frutos dessa exploração. Compreendemos que o problema preocupe os capitalistas e os seus agentes políticos, mas é necessário que os trabalhadores sejam vítimas de profundas ilusões para se ocuparem com a questão”.

Responder

    Matheus

    05 de outubro de 2012 às 10h29

    O texto dos portugas é irrealista. Muito do dinheiro que é desviado para a corrupção iria para a educação, saúde, previdência e assistência social, benefícios para os trabalhadores, portanto, e não para (diretamente) a acumulação de capital. Dependendo da estrutura dos tributos e dos gastos públicos, eu diria, pelo contrário, que a corrupção serve à acumulação de capital, pois o dinheiro desviado vai para os paraísos fiscais fortalecer o mercado financeiro mundial. Dê uma lidinha na “Privataria Tucana” e me diga se aquela corrupção não foi uma expropriação ilegal do povo brasileiro como um todo.

    malba tahan

    08 de outubro de 2012 às 18h02

    Assino em baixo felipe!

Paulo

03 de outubro de 2012 às 22h33

O Plínio se acabou. Mussolini também começou na esquerda, dizia ser socialista, aliou-se à direita, bateu nos comunistas, ajoelhou-se ao Vaticano, deu a pista para Hitler, acabou de cabeça para baixo! A velha e respeitada cabeça erguida de Plínio é hoje uma imagem invertida. A idade não lhe fez bem. Começou como serviçal e Carvalho Pinto, transitou pela esquerda e hoje cultiva uma subserviência canina às elites deste país! Melancólico!

Responder

nina rita de cássia

03 de outubro de 2012 às 22h13

Outro que saiu do PT apareceu hoje APOIANDO SERRA: HÉLIO BICUDO ( ! ). Quem diria, faz críticas ao PT e apóia esse candidato ! Plínio também tem opinião radicalmente diferente dos interessados em Direito. Aplaude o julgamento político de exceção. Eu já votei nos dois, agora vejo quem são. Estranho o fato de descontentes com o PT, saírem, e, nunca irem para o PCdoB, partido de esquerda, íntegro, que não apresenta esses problemas do PT. Erundina não, foi para um partido menos ruim que esses dois.

Responder

    maria olimpia

    08 de outubro de 2012 às 19h01

    Exato. Também estranho. Dois ex-petistas ressentidos ao extremo!!!

Fernando

03 de outubro de 2012 às 21h57

O PT se aliou à direita no Rio fazendo oposição ao governo Brizola.

Responder

nilo walter

03 de outubro de 2012 às 20h50

Informo que não sou e nunca fui petista. Tive sérios problemas com eles no meio sindical . Quando surgiram eram os donos da verdade e paladinos da moralidade . Mas o STF está fazendo o que a grande imprensa deseja. Ocorreu foi caixa dois .Que corre solto nas atuais eleições . Agora desejar a desgraça do Pt para favorecer minha ou outra legenda é no mínimo falta de responsabilidade. A grande burguesia está adorando as palavras do Plínio . Cuidado, abram os olhos sobre o discurso de combater qualquer desvio . já assisti esse filme .Nâo estão entendendo nadinha do que está em jogo.Abra os olhos com a PLIM PLIM e asseclas .

Responder

    Marcos

    04 de outubro de 2012 às 17h50

    Tá vendo, dá para fazer uma análise isenta. Plínio elogiar um julgamento pautado pela velha mídia é um absurdo.

Heitor

03 de outubro de 2012 às 20h23

É incrível como tanta gente gosta de holofote. Tá querendo aparecer.

Responder

Marcellus

03 de outubro de 2012 às 20h19

Meu Deus! Isso é a esquerda?! “O Joaquim Barbosa é um espetáculo”?! De fato. É um espetáculo…

Responder

    Bonifa

    04 de outubro de 2012 às 05h36

    Tantos anos de chão de vida e não tem o senso do andamento histórico dos acontecimentos, dizendo tolices hoje para colher o ridículo amanhã.

Luiz Carlos

03 de outubro de 2012 às 20h12

Nenhuma surpresa. Já na campanha pra presidente em 2010, o Plinio batia muito mais na Dilma do que no Serra. É isso, minha gente. Lenin já dizia: Os extremos sempre se encontram. A extrema esquerda, com a extrema direita.
O lado positivo: Algumas pessoas que ainda achavam que o PSOL, Plínio, Heloísa Helena, tinham boas intenções, agora talvez caiam na real.
Quando se deixa levar pela mágua e o rancor (e também pelo oportunismo), dá nisso.

Responder

Marco Antonio

03 de outubro de 2012 às 20h02

Uma pena o Plinio se promover nessa situação, sabendo que está sendo usado e não se preocupar com isso, se colocando acima do bem e do mal. Será que o caixa-dois do PT nunca lhe favoreceu?

Responder

Pedro Cruz

03 de outubro de 2012 às 19h58

Os novos amigos do Plinio de Arruda, os analistas da grande imprensa, no começo da campanha, tambem diziam que o PT iria sumir, se reduziria aos grotões, aos pequenos municipios. Felizmente Plinio e seus novos amigos queimarão a língua, serão devorados pelo rancor e pelo preconceito raivoso.
Com todos os dissabores de uma feroz campanha por parte de poderosos inimigos, sofrendo o julgamento de um Tribunal de exceção, um linchamento, sairemos fortalecidos.
Podemos participar do segundo turno: Salvador, Fortaleza, Belo Horizonte, São Paulo, Porto Alegre e Manaus.

Estamos na frente e podemos ganhar no 1º turno: Rio de Janeiro, Rio Branco, Cuiaba, João Pessoa e Goiania.

Estamos disputando com chances de crescer nos municipios com mais de 150.000 Habitantes.

Mesmo que percamos em todas essas cidades, sairemos vencedores. Já a oposição PSDB, DEM, PPS e PSOL, esta sim, sofrerá uma derrota devastadora. Calaremos a boca dessa oposição golpista.
O PT tem muita chance de uma imensa vitória. Afinal temos o melhor partido, a melhor militância e os melhores cabos eleitorais,(LULA E DILMA).

Responder

Fabio Passos

03 de outubro de 2012 às 19h43

Um erro crasso fazer coro com a direita.
Sempre.

Responder

Aroeira

03 de outubro de 2012 às 19h10

Desculpem, mas a matéria com a cínica declaração de Roberto Gurgel está em
http://noticias.terra.com.br/brasil/politica/julgamento-do-mensalao/noticias/0,,OI6200129-EI20760,00-Gurgel+era+bom+que+houvesse+repercussao+do+mensalao+nas+urnas.html

Responder

Aroeira

03 de outubro de 2012 às 19h07

A CÍNICA DECLARAÇÃO DE ROBERTO GURGEL

Gurgel: ‘era bom que houvesse’ repercussão do mensalão nas urnas

“Na iminência do relator do processo do mensalão no Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, encaminhar seu voto pela condenação do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu por corrupção ativa, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, afirmou nesta quarta-feira que seria bom que o resultado do julgamento repercutisse nas eleições municipais, cujo primeiro turno está marcado para o próximo domingo. “Não sei. Isso aí as urnas dirão se haverá alguma repercussão. A meu ver, era bom que houvesse”, disse.

Bom, pela primeira vez o Gurgel admite o que nós já desconfiávamos, e assume cinicamente que o principal objetivo do julgamento do mensalão em época de eleição era (é) foder o PT.

Se você está pensando que esta notícia é uma “pegadinha do Faustão”, leia a matéria em

http://noticias.terra.com.br/brasil/politica/julgamento-do-mensalao/noticias/0,,OI6200129-EI20760,00-Gurgel+era+bom+que+houvesse+repercussao+do+mensalao+nas+urnas.html

PS – Plinio de Arruda Sampaio deve estar felicíssimo com esta declaração de Gurgel, o Prevaricador-mor da República. Perderam a compostura, virou zona.

Responder

Altemar

03 de outubro de 2012 às 19h02

Esse senhor é mesmo engraçado. Lembro de uma entrevista dele, já deve ter uns 9 anos e acho que na Caros Amigos, a certa altura perguntaram o que ele achava do Serra e, na bucha, decretou: “é um moleque”. A partir dai comecei a prestar mais atenção em ambos.

Responder

ines

03 de outubro de 2012 às 18h50

Ele não é extremista, ele é um Pavão abrindo a cauda para os holofotes. Ao fim e ao cabo mascaras sempre caem…Olha o pavão aiiiiiii geenteeee !!!

Responder

Carlos N Mendes

03 de outubro de 2012 às 18h42

Lindo… A extrema esquerda destruindo a esquerda moderada a fim da direita voltar ao poder… Deu pra entender porque a direita sempre vence? Essa esquerda desuniiida…

Responder

Hélio Pereira

03 de outubro de 2012 às 18h21

Plinio perdeu o rumo e pelo jeito nunca mais ira encontra-lo!

Responder

    ricardo

    03 de outubro de 2012 às 21h13

    Eis a questão: em nosso recente processo histórico, quem perdeu o rumo?

Matheus

03 de outubro de 2012 às 18h11

Se eu fosse o Plínio, esperava o julgamento do mensalão demotucano antes de dar alguma opinião. Se o STF punir o mensalão tucano com igual rigor, ele estará certo. Caso contrário… Várias e várias vezes surgiram essas “punições exemplares” de corruptos, apresentadas como alguma revolução anticorrupção, e não deu em nada mais. Apenas sacrificaram alguns indivíduos, para manter o sistema.

Já o PT deu uma grande ajuda aos demotucanos, ao deixar de abrir uma CPI da privataria, sabe-se lá por qual motivo. A CPI está nas mãos do Marco Maia, militante do PT e presidente da Câmara dos Deputados. Basta uma canetada dele. A Privataria foi um dos maiores crimes econômicos da história do Brasil. Os tucanalhas entregaram, em troca de propinas, boa parte do patrimônio nacional em indústrias e riquezas naturais estratégicas para o capital multinacional privado. Se isso não é um crime, eu não sei o que é.

Responder

Mário SF Alves

03 de outubro de 2012 às 18h05

Das duas uma: ou esses caras conhecem demais o Brasil, sua história, seu potencial, e a complexidade geopolítica e econômica que o envolve, ou, não conhecem nada de nada. Se conhecem e ainda assim agem desta forma partem da premissa de o Brasil não tem jeito, que consolidação da democracia por aqui é nada mais que quimera, fruto de insustentável tese acadêmica. E, se ainda assim, estão na política são oportunistas, meros apêndices do interesse das oligarquias dominantes e nada mais que capachos aliados às potências imperialistas dominantes. De outro lado, se desconhecem, e sendo honestos, deviam a humildade de aprender com quem conhece. O tempo de bravatas passou; nesse ínterim já declaram até o fim da história.

A propósito, estou em dúvida quanto ao “julgamento do século”. Afinal, estão ou não estão atropelando a Constituição Federal?

Responder

renato valle bittencourt

03 de outubro de 2012 às 17h58

Camarada Plínio, cuidado! Em outros tempos o STF já cassou o registro de partido de comunistas e até negou Habeas Corpus a uma comunista, deixando-a ir ao encontro da morte certa na Alemanha Nazista. Portanto menos,camarada, menos!

Responder

José Eduardo

03 de outubro de 2012 às 17h49

O PSOL não tem compromisso com nada, eis o óbvio! Isso de um partido de esquerda fazer oposição irracional a outro do mesmo campo ideológico, por ser o PT de centro-esquerda, que é o que eles mais repudiam, é coisa do século retrasado. Os psolistas viajam num bonde sem trilhos; não têm o menor sentido da história. Na Alemanha dos anos 1930, os comunistas opunham-se aos social-democratas e deu no que deu: Ascensão do Nazismo. É isso o que eles querem, repassar esse filme? Só que o povo não vai embarcar nessa, não! Nunca!

Responder

    Narr

    03 de outubro de 2012 às 23h28

    Mais ainda. Os comunistas alemães dos anos 1930s chegaram a anunciar que a vitória nazista tinha o lado positivo de revelar que o proletariado já não alimentava mais ilusões em relação aos social-democratas. Então, como numa bola de neve, logo haveria decepção com os nazistas e, óbvio, os comunistas teriam sua oportunidade histórica. Parece que esse raciocínio tinha algum furo… Mas já ouvi de muito psolista que a vitória de um tucano para a presidência significaria que os trabalhadores já não alimentam ilusões com os traidores petistas e então… então…

Pedro Cruz

03 de outubro de 2012 às 17h44

Triste. Muito triste. O PSOL, o Plinio, se unindo a esse tribunal de excecão, a esse linchamento, terrível. O encontro dos extremos. A velha doença infantil cumprindo seu histórico papel de braço auxiliar dos ultra reacionários. No Rio pegam carona com reporcagem da veja. Triste fim.

Responder

Idalma

03 de outubro de 2012 às 16h47

O Plínio, não sei aonde vc quer chegar, fazendo o jogo do PIG. A elite nunca vai votar em ti, meu caro, pode tirar o cavalinho(quase morto) da chuva. Com essa conversa midiática, eu que o admirava, já era. Afinal, ficar em cima do muro é coisa de PSDB. Preencha a ficha suja desse partido(primeiro da lista dos “Ficha Suja” segundo O T.R.E.) dirija-se a primeira igreja que encontrar e peça perdão antes que seja tarde.

Responder

Maria Rita

03 de outubro de 2012 às 16h34

Li em algum lugar da blogosfera que o PSOL foi tanto para a extrema esquerda que se uniu à extrema direita. O cheiro de golpe está forte em todo canto.Aqui no meu município onde o PT lidera, Garotinho se uniu ao Dorneles e tenta colocar um aventureiro como prefeito. Vai jorrar dinheiro aqui de Campos e do partido do Dornelles. Enquanto isso, sem prova nenhuma, a estrategista maior do golpe prossegue nas suas mentiras, a rede Globo, a rede dos bobos, diz que um dinheiro sem ninguém por perto, foi encontrado num município do Pará.Então, a quem ela acusou? O PT, claro, claro, claro!Vou começar também a acusar a mosca do cocô do cavalo do bandido. Estamos todos com nervos à flor da pele com tanta bandidagem dos inimigos maiores do país- o PIG com seus tentáculos.

Responder

Messias Franca de Macedo

03 de outubro de 2012 às 16h00

Prezado Romanelli, a análise em foco não é o julgamento do mérito do caixa 2 do PT… Data venia, parentêses e aspas: (“Eu não gostaria que a dez dias de uma eleição o jovem brasileiro desacreditasse da política por causa de erro de um ou de outro. A ministra do STF Cármem Lúcia ressaltou que “a política é necessária”, mas reconheceu que “ela deve ser muito difícil”. Para ela, não deve ser uma tarefa fácil fazer com que os 513 deputados federais cheguem a consenso durante votações. “Um governo que não tenha maioria parlamentar tende a não se sustentar”, disse. “Ele cai”, afirmou, ao dizer em seguida que, se não cair, pouca coisa será feita. Cármen Lúcia defendeu a necessidade de os agentes públicos serem rigorosos no cumprimento das leis.
(…)
FONTE: http://www.bahianoticias.com.br/)

Portanto, a discussão em pauta versa sobre o ardil montado, a hipocrisia escancarada, a sórdida manipulação dos fatos; ilações por um lado, omissões por outro… Neste minuto, nas grandes cidades e nos rincões deste país, está havendo compra de votos, assédio moral, coerção, dinheiro público torrado em campanhas para a re-eleição de ‘prefeitins’ e vereadores…

RESCALDO: para além da superação do PT da governança, urge, por exemplo, a instituição do financiamento público das campanhas políticas, sem o qual a ‘Lavanderia Brasil’ continuará a todo vapor e fomentando novos – e recicláveis – ‘Valeriodutos’!…

Felicidades,

Messias Franca de Macedo – empanturrado até a “goela” de pipoca e limonada, acompanhando, ao vivo e a cores, os espetáculos do Tribunal do Júri do STF [“de Gilmar Mendes”!], elevando a audiência da TV (In)Justiça!
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

jcm

03 de outubro de 2012 às 15h54

Mas o Plinio de Arruda Salgado sempre foi um extremista. Só que agora na esquerda.

Responder

Jair de Souza

03 de outubro de 2012 às 15h43

Não devemos ficar surpresos com a postura de Plínio de Arruda Sampaio. As organizações de extrema esquerda existem para isso mesmo, para atuar como quinta coluna do grande capital nos movimentos populares. O PT é uma frente muito heterodoxa. Já foi muito pior, antes de que a extrema esquerda saísse para fundar seus partidos. A saída dos esquerdistas raivosos de classe média (que adoram falar em nome do povo sem nunca ter recebido aval para isso)foi um grande avanço para o PT. Muitos desses elementos que se mostravam como ultrarradicais, aos poucos, vão se mostrando como o que realmente são: direita pura. É o caso de Plínio de Arruda, de Hélio Bicudo, de HH e tantos outros. Assim como foi muito bom para o PT ver-se livre de sua extrema esquerda raivosa e anti-povo, também seria muito bom se as forças realmente populares que existem no PT conseguissem se livrar dos representantes abertos do grande capital (em sua maioria ex-adeptos do trotskismo) que se aproveitaram do momento de saída da extrema esquerda para ocupar cargos importantes na estrutura partidária (Palocci, Vacarezza, por exemplo). Mas, não há que estranhar as atitudes dos elementos de extrema esquerda neste momento em que as forças oligárquicas jogam tudo no STF para tentar derrotar no tapetão o que não conseguiram pelo voto. A extrema esquerda sempre se alia às oligarquias nos momentos cruciais das lutas dos trabalhadores. Isto se dá aqui e por toda parte. É só procurar saber: Qual é a postura da extrema esquerda em relação ao governo popular de Evo Morales? Como se comporta a extrema esquerda no Equador frente ao governo popular de Rafael Correa? Com quem se aliou a extrema esquerda na Argentina quando o governo de Cristina Kirchner quis impor taxações sobre os grandes lucros dos setores agroexportadores? Qual foi o posicionamento da extrema esquerda em relação ao único imposto que incidia prioritariamente sobre os mais ricos (IPMF)? Em todos esses casos, a extrema esquerda está e estará junto a seus verdadeiros parceiros, ou seja, ao lado dos grandes exploradores do povo trabalhador. É esta sua função histórica, e ela nunca vai abdicar da mesma.

Responder

    Julio Silveira

    03 de outubro de 2012 às 19h17

    Voce deve ser bem jovem, mas saiba que esse seu discurso se parece bastante com os que definiam o PMDB até algum tempo atrás.

    nina rita de cássia

    03 de outubro de 2012 às 23h37

    Parece que nestas elei PSOL ganhar alguma prefeitura. Torço para que eles ganhem, gostaria muito de vê-los no poder Executivo.

    Roberto Locatelli

    08 de outubro de 2012 às 07h46

    Verdade, Jair. E digo mais: se houver um golpe de estado contra Dilma, vindo do STF, o PSOL apoiará.

Marcos AC Lopes

03 de outubro de 2012 às 15h37

As esquerdas brasileiras são de morrer de rir.Enquanto lá fora, os partidos de esquerda se unem para fazer um bloco, constituir uma alternativa ao discurso da direita, no Brasil os partidos de esquerda se dividem, se digladiam e terminam atrapalhando a compreensão da política pela população e fazendo o jogo sujo e golpista da direita e da mídia.E isso acontece dentro do próprio PT (veja Recife, onde, num momento delicado como esse, o partido fica se dividindo e se destruindo internamente). Um horror! Esse Plínio e o Cristóvam estão ficando gagá e precisando de asilo. Quanto a Marina, é bom cuidar de sua seita e se tornar uma bispa, tipo a Sônia da Renascer.Já tem cara.Que povinho esse! Que decepção! Assim mesmo, continuo sendo PT.

Responder

    Mário SF Alves

    03 de outubro de 2012 às 18h15

    Um mais um é igual a dois. Conte comigo, ainda que não sendo PTísta de carteinha.

Carlos Lima

03 de outubro de 2012 às 15h18

O grande Problema não são os lunaticos, são o tamanho do espaço que eles encontram para viajar.Comparo o Plínio ao Malafaia, falastrões ideológos da falsidade.

Responder

Antonio

03 de outubro de 2012 às 15h17

Como é que pode?

Responder

Messias Franca de Macedo

03 de outubro de 2012 às 15h17

Prezadas Magali e Márcia, sobretudo nos momentos de crises, temos que conhecer os nossos adversários, para melhor enfrentá-los! Concordo com vocês: é uma tarefa indigesta e infausta assistir programas do tipo ‘Fatos & “Distorções”‘ e ‘Entre Aspas’ ancorados pelas jornalistas “do PIG” Cristina ‘Lôba’ [de Raiva!] e Mônica ‘Saia Justa’ Valdvogel!… E, ontem, confesso, assisti ao estropício do programa na vã ilusão de escutar termos a exemplo de ‘tucano’, ‘mineiro’, Eduardo AZARedo… Ainda que os eventuais termos fossem proferidos descontextualizados, comentários tangenciais etc. Simplesmente, nenhuma vaga menção!…

RESCALDO: fui dormir com uma baita de uma enxaqueca cuja etiologia foi a RRRRAAAAAIIIIIVVVVAAAAAAAAA!

Felicidades!

Hasta la Victoria Siempre!

Messias Franca de Macedo – empanturrado até a “goela” de pipoca e limonada, acompanhando, ao vivo e a cores, os espetáculos do Tribunal do Júri do STF “de Gilmar Mendes”!], elevando a audiência da TV (In)Justiça!…
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Anônimo

03 de outubro de 2012 às 14h55

Belém está parada no tempo. Eu sou moradora daqui desde que nasci e acho que a gente precisa de um prefeito com vontade de trabalhar como o Priante. Eu confio no trabalho dele, e sei que ele vai combater a pobreza e a violência na cidade. Vamos juntos, agora é Priante!

Responder

    assalariado.

    03 de outubro de 2012 às 16h13

    Anonimo, seu candidato é da burguesia patronal do campo, do agronegocio, da turma antireforma agraria. Num saco só, leia -se latifundiarios.

    Então te pergunto: Aonde é que voce viu um latifundiario que combate a pobreza e a violencia? É justamente o oposto, eles são o que geram a pobreza (pelos salarios que pagam), e a violencia( através da rapinagem da terra).

    Abraços.

Eduardo Guimarães

03 de outubro de 2012 às 14h54

Se eu ganhasse um real para cada vez que previram a “morte” do PT agora estaria no Caribe tomando umas margaritas estirado numa espreguiçadeira em vez de estar lendo esse amontoado de bobagens vertidas pelo senhor Plínio

Responder

Dias

03 de outubro de 2012 às 14h32

Plinio de Arruda Sampaio, somar é mais produtivo que dividir e você sabe.
Fico até sem graça ao vê-lo negando a realidade e juntando forças com a direita raivosa da Casa Grande.
Vocês estão a repetir o PT com um gap de trinta anos, se repetir a história é farsa, com gap de três décadas é mais que tragédia, é patético.

Responder

Pereira

03 de outubro de 2012 às 14h30

Sempre desconfiei que o PSOL fazia o jogo da direita. HH já dava claríssimos sinais disso em suas “alianças de ocasião” com ACM, Luiz Estevão e outros. Agora é oficial: O PSOL capitulou de suas idéias libertárias e marxistas em prol de um tribunal burguês, corrupto, desmoralizado e anti-democrático. Plínio, a escumalha demotucana agradece o apoio do PSOL no engendramento de um golpe.

Responder

Marcelo de Matos

03 de outubro de 2012 às 14h29

A hipocrisia midiática predominante no país faz com que um profissional liberal contratado pelo PT passe a ser chamado de advogado do PT, marqueteiro do PT, etc. Profissional liberal não pertence a partido algum, nem a ninguém. Do contrário não será liberal, mas, serviçal. Para não fugir à regra, o Estadão publica: “Em Angola, marqueteiro do PT busca reeleição de líder há 33 anos no poder”. O marqueteiro “do PT”, no caso, é João Santana. Duda Mendonça, também, já foi “do PT”. Segundo o Estadão, “Pessoas próximas à cúpula do MPLA calculam que a propaganda custou cerca de US$ 75 milhões, valor elevado inclusive para uma disputa presidencial no Brasil, país de dimensões continentais e com população dez vezes maior que a angolana (o PT declarou ter gasto a mesma quantia na campanha de Dilma em 2010)”. Campanha eleitoral, em qualquer país, despende muito dinheiro. Se o partido for da elite, tudo bem. Se for de esquerda, mensalão nele. Os angolanos ainda vão importar juízes aposentados do nosso Supremo para iniciar um “mensalão” por lá.

Responder

    Mário SF Alves

    03 de outubro de 2012 às 18h42

    É mentindo publicamente dessa forma que eles pretendem condicionar e impedir qualquer clarão de lucidez na capacidade de escolha do povo. É Davi contra Golias. Sempre. Mentem, mentem e mentem. Já estão com calos nas línguas de tanto mentir e não há nada que consega fazê-los parar. Parece que nada há que os possa fazer refletir. Não satisfeitos, enredam até uma suposta esquerda que não hesita nem um segundo em apontar o dedo contra o Governo. Diante disso, nesse inferno de prepotência, só nos resta acreditar que o que está acontecendo em Portugal, na Grécia, na Espanha e outros é mera ilusão. Crise? Que crise? Isso não passa de ilusão. A única coisa de útil no mundo deve ser mesmo o tal julgamento do mensalão, o “julgamento do século”. É… deve ser… Façam graça. Mintam. Façam de tudo. Escarneçam. Só não atropelem a CONSTITUIÇÃO FEDERAL, que é o único sustentáculo de civilização do povo brasileiro. Julguem, mas não ao revés do que dispõe a Cidadã. Julguem. Façam de tudo para desmoralizar o PT; isso mesmo, julguem o todo pelas partes. Só não estuprem a Costituição.

Marcos

03 de outubro de 2012 às 14h23

Me lembro no debate quando a Dilma perguntou algo simples para ele, e ele desconhecendo completamente o tema, falou que era um pegadinha da Dilma. Plínio e outro egocêntrico invejoso como fhc e Critovam Buarque. Elogiar o comportamento do STF no caso atual é muito oportunismo.

Responder

filho

03 de outubro de 2012 às 14h13

Não que tenha bola de cristal, mas já está escrito que o futuro Prefeito de Belém (PSOL) não durará dois anos na legenda. Quero ver a quem ele vai pedir o apoio no Pará, ao PSDB? ao PMDB? ao PT? Quem viver, verá.

Responder

JC Tavares

03 de outubro de 2012 às 14h00

Alto padrão?????? Discussões de baixo nível,do tipo reality show ao vivo e a cores, só faltando se engalfinharem, na mais pura politicagem de um relator deslumbrado com os holofotes promovidos por uma mídia venal inescrupulosa. Sr. Plínio, que decepção. Cuidado ao apoiar “justiça” espúria de cabresto, que o Sr. poderá ser a próxima vítima.

Responder

assalariado.

03 de outubro de 2012 às 13h47

Perguntas de um operário em construção:

1) Será que ele parte do pressuposto de que a casa dos escribas é um território neutro numa sociedade de luta de classes?

2) Há necessidades dos tribunais do capital mostrarem para as massas que as leis atingem a ‘todos’ e, ter admiradores deste tipo espetaculoso de ensinar o que é o teatro juridico burgues. Principalmente quando um ‘qualquer’ se ponha a defender os pobres. Embora, este tenha culpa no cartório, porem considerado inimigo de classe pelo espetaculoso tribunal. Sim, se misturaram, um borrou o outro, e agora Jose?

3) Este ‘equilibrio’ que este Sr. se refere, nada mais é que com diria Marx: ” … estes togados estão a serviço da ordem e das leis burguesas, quando na verdade estão se empenhando a fundo para fazer valer os interesses do capital, …” Que equilibrio é esse?

4) Esse circo midiatico juridico não pegará o povo no quesito falso moralista eleitoral porque, no consciente coletivo e popular todos os politicos são corruptos e ladrões. E isto foi criado, não por acaso, para que o capital e os PIGs da vida, assim afastassem o povo da vida partidária politica. O fizeram sem a minima contra argumentação das esquerdas, e tome bordoadas, nós somos otários mesmo!

5) Sr. PLinio, este tipo de linchamento, é a pedagogia dos ricos contra os oprimidos e não contra os opressores, a qual admiras. E ainda o Sr. vem dizer que é coincidencia e que os serviçais do sistema vão condenar os do PSDB. Alias, o seu maior erro nesta analise sobre este ‘mensalão’, foi não ter observado onde se iniciou esta fossa toda, logo sua analise, esta afogada nessa fossa, junto com os otários da social democracia.

6) Quanto ao dinheiro ora navegando em mares brasileiros, tem sentido. Porém, quanto ao governo Dilma digo que, a proposta para elevar o padrão de vida do povo passa necessáriamente pelo questionamento da exploração da MAIS VALIA do CAPITAL X TRABALHO. Quanto a ‘comprar bobagens’, esta sempre foi a visão de mundo da social democracia, travestida de socialista. Ou seja, mexer nos lucro do capital jamais, porém podemos para aumentar os seu lucros, subsidiar a economia através de emprestimos de bancos estatais, alguns incentivos fiscais e assim posso distribuir algumas migalhas sem mexer com voces, donos do capital. Ora, os serviços público que se danem.

7) Por fim digo, a crise do capital que o PIG chama de crise de governos, não vai aliviar/ acabar, porque o G7 não tem onde mais despejar suas mazelas enquanto exploradores imperialistas das nações, dos assalariados e do planeta. Sim, é a crise ciclica do capital,e, desta vez, é bem capaz de repetir a de 1929. Deu no que deu, … Lembram -se? Socialistas do mundo, estejam de prontidão, a -postos!

Saudações Socialistas.

Responder

Mario

03 de outubro de 2012 às 13h43

NOTÍCIA boa para devastar PLINIO DE ARRUDA SAMPAIO:

HADDAD ABRE 5 PONTOS SOBRE SERRA NO TRACKING DO PT

Autor:
Luis Nassif
Último tracking do PT:
Russomano: 29
Haddad: 21
Serra: 16
Chalita: 9

Mas ainda não dá para dormir tranquilo: vamos às ruas.

Responder

Christina Algassay de Almeida e Silva

03 de outubro de 2012 às 13h41

Plínio faz parte daqueles dissidentes do PT que rumaram pro ostracismo..

Onde está Babá ?…Onde está Marina Silva ?…Onde está Luciana Genro?…Onde estão todos os outros que urraram gritaram, xingaram e etc., etc. ????

O destino deles é o mesmo…O ostracismo.

O Brasileiro tem que ficar atento às tentativas de golpe que vão se suceder dagora em diante…A direita quer o poder de qualquer forma mas, para quê ?????…Da última vez que ela foi poder, pilhou, entregou e quebrou o Brasil…Além de ter atirado 36 milhões de pessoas na mais absoluta miséria.

Responder

lulipe

03 de outubro de 2012 às 13h41

A questão se resume no seguinte:

Falou bem do PT e de Lula, é bom.Falou mal, é mau!!!!

Responder

Roger Bacon

03 de outubro de 2012 às 13h20

Grande Plínio. Representante máximo da esquerda que a direita adora.

Responder

Carlos J. R. Araújo

03 de outubro de 2012 às 13h15

Eu sou daqueles que seguem a advertência de Paulo Arantes: ” não há como se desimplicar o sujeito da enunciação”. O Plínio Arruda Sampaio e sua história pessoal se prestam a isto.
Membro do Ministério Público, quando deputado petista na Constituinte que gerou a Constituição de 1988, foi ele que contribuiu significativamente para a atribuição de competências extravagantes ao MP, previstas, desde então, não numa simples lei e sim no próprio texto constitucional. Na época, lembro que ele vibrou com isto – “agora vocês (os colegas do MP) têm tudo que vocês queriam”, dizia ele. E deu no que deu.O que o MP diz, é verdade, porque ele é o “defensor” (pior: defensor exclusivo, para os seus membros) da sociedade. O MP virou uma divindade jurídica. O diabo é que nem às divindades gregas tinham ares tão divinos. Só rindo, até porque, desde então, a vaidade dos membros do MP ficou de braço dado com a hipocrisia.
Hoje, um ex-membro do MP (o Joaquim Barbosa), encarna esta divindade e fez o que fez no julgamento do processo do mensalão, verdadeira garatuja de julgamento jurídico.
Em suma: o que quero dizer é que, abstraidas todas contradições e outras mazelas da biografia do Plinio, ainda assim, o que ele diz, agora, é o reflexo de sua própria biografia. Uma vida a serviço de um montão de equívocos, vaidades e outras contorções intelectuais e jurídicas. Nada mais.

Responder

Yacov

03 de outubro de 2012 às 13h07

Até tu querendo faturar politicamente em cima da AP-470 e cuspindo no prato que comeu, Plínio?!? Vejam como as esquerdas são desunidas no Brasil. E tem gente que ainda acredita que as esquerdas unidas dariam um golpe vermelho na década de 60… PELAMOR…

“O BRASIL PARA TODOS não passa na glOBo – O que passa na gloBO é um braZil-Zil-Zil para TOLOS”

Responder

    Vlad

    03 de outubro de 2012 às 13h27

    Que “prato que comeu”?
    Neófitos achando que o PT é que fez as pessoas, quando as pessoas é que fizeram o PT.
    Depois foi tomado de assalto por oportunistas e quem teve caráter manteve a luta como pode, enquanto o PT lambuzado no dinheiro das oligarquias, de braços dados com o atraso, deslumbrado e acovardado faz o que nem a ARENA pode fazer. Hoje, sem a mínima dúvida, o PT é mais nocivo ao Brasil do que foram os neoliberais colloridos e tucanalhas. Nem o MST e a UNE tem mais voz. MAnipulados e comprados que foram.
    Nem vomito mais com vocês petistas, só sinto pena.

    Mário SF Alves

    03 de outubro de 2012 às 18h51

    Contextualize, Vlad, contextualize. Tenho certeza que você pode fazer melhor. Afinal, está sugerindo o quê?

Urbano

03 de outubro de 2012 às 13h01

Embora, o escrito do pensamento ficou uma bósnia. Deixem para lá…

Responder

Urbano

03 de outubro de 2012 às 12h56

O interessante é que eu, à proporção que estou ficando velho, é exatamente o momento em que estou ficando menos burro…

Responder

    Mário SF Alves

    03 de outubro de 2012 às 18h56

    E quabto mais burro, mais… anti-PiG, é isso?

Marcelo de Matos

03 de outubro de 2012 às 12h50

No dizer do general Geisel, nos anos 70 começou um processo de distensão lenta, gradual e segura. Esse processo nos conduziria à democracia. A CF de 1988 seria o auge desse processo de redemocratização. Foi instituído o pluripartidarismo: qualquer partido, desde que seus estatutos fossem aprovados e registrados pelo TSE, poderia participar do processo eleitoral. Claro que pluripartidarismo pressupõe igualdade de ação para todos os partidos, inclusive na hora de amealhar recursos para campanhas que, todos sabemos (menos os hipócritas), são caríssimas. Quanto cobra um marqueteiro baiano do quilate de João Santana, Duda Mendonça ou Nizan Guanaes? E aí que a elite, através de seus instrumentos de pressão como o PIG e o STF, constrange, encurrala o PT. A arrecadação de verbas de campanha é praticada da mesma forma por todos os partidos: não foi o próprio Marcos Valério que arrecadou verbas para os mineiros do PSDB Eduardo Azeredo e Clésio Andrade? Se for o PT, entretanto, é corrupção. Chegaremos um dia ao término do processo de distensão?

Responder

    Marcelo de Matos

    03 de outubro de 2012 às 12h53

    Por onde anda Duda Mendonça? Está vivo? Será o próximo a ser inocentado pelos donos da lei Gurgel e Barbosa, tal como fizeram com Stepam Nercessian e Gushiken?

Ricardo Oliveira

03 de outubro de 2012 às 12h49

PSOL e PSTU são partidos que surgiram por conta de dissidências dentro do PT. Seus membros faziam parte do PT dos anos da década de 1980,1990 e parte de 2000. O PSTU e seus membros jamais negaram sua origem socialista e em momento algum, mesmo sendo oposição ao PT, se aliaram a direita conservadora. O PSOL foi criado, na década de 2000, não como uma opção socialista, apesar do nome na sigla do partido, mas sim como reação as determinações pragmáticas do governo Lula nas questões de votação no congresso nacional. Antes de explodir o chamado mensalão, alguns membros do PT, hoje no PSOL, foram expulsos do partido dos trabalhadores. Esses membros nutriram um ódio por Lula ao serem expulsos ,ódio que superou questões ideológicas e acabou se transformando na grotesca plataforma de campanha do candidato do PSOL a presidência em 2006. Com uma plataforma de campanha que pregava o ódio e a vingança contra Lula, alguns membros do PSOL caíram no ridículo e no ostracismo político. Foi necessário um tempo, alguns poucos anos, para que o PSOL, através de parlamentares com boa imagem no eleitorado, revertessem a imagem inicial do partido, como sendo o partido de ódio ao Lula. As posições do PSOL ainda são confusas, as vezes esquizofrênicas mesmo quando chamadas de pragmáticas, e com inclinações ao campo da direita reacionário em muitas situações no congresso nacional. Atualmente o PSOL tem como bandeira aquilo que todos os partidos defendem até conquistar o poder, a ética. Já no PSTU é raro ver nos programas do partido declarações sobre a ética e o cuidado com a coisa pública. Isso não significa que sejam corruptos, pelo contrário, pode significar que não carregam nenhuma culpa. O PSTU, sempre em suas inserções na mídia valoriza seu campo ideológico, com clareza e firmeza de suas convicções. Ter a ética e o combate a corrupção como bandeira e conteúdo programático, me parece oportunismo. A declaração de Plínio tira votos de seu candidato a prefeitura aqui no Rio de Janeiro.

Responder

Danilo Morais

03 de outubro de 2012 às 12h46

Só uma palavra para Plínio: lamentável! Aliás, recomendo a Azenha que procure entrevistar Heloisa Helena – figura tão falso moralista quanto Plínio – e pergunte a ela sobre o PSol. Para quem não sabe, ex-candidata a presidente por este partido – que ajudou a fundar após ser expulsa do PT – está detonando, para quem quiser ouvir, a legenda.

Responder

Vinicius Garcia

03 de outubro de 2012 às 12h40

O PSOL é pior que a direita declarada, pois dela sabemos o que virá.

Responder

Luiz Augusto de Freitas Guimaraes

03 de outubro de 2012 às 12h38

Plínio, homem sóbrio, pouco reconhecido no Brasil. Não é um Cesare Battisti pra ser defendido por parte de esquerda brasileira que é insana. Também não é nenhum europeu pseudointelectual pra ser defendido pela direita. Ambos, esquerda insana e direira raivosa não aceitão a diversidade de opiniões. Plínio é um brasileiro com formação sólida e idéias claras e história honrada! PARABÉNS PLÍNIO!

Responder

    malba tahan

    08 de outubro de 2012 às 18h32

    Meu caro:

    Melhora o foco! Eu acho que todo o mundo aqui aceita o direito do Plínio, ou de qualquer um, ter opiniões próprias. Mas o fato de aceitar isso não implica que SE CONCORDE com a opinião do outro. O Azenha fez um excelente trabalho: entrevistou e publicou na íntegra o cidadão em tela. Não vi nenhum “post” pedindo pra se remover a entrevista, nem para censurá-la ( ao contrario do que foi feito, recentemente, com a Folha Bancária). Agora, “quem pariu Mateus que o embale”: o cidadão disse o que quiz e está ouvindo questionamentos , que talvez não queira ouvir. Isto é de uma extrema clareza e justiça.

Paulo Navarro

03 de outubro de 2012 às 12h13

Eu votei no Plínio! Não para presidente do Brasil, mas para presidente do PT, no final de 2005. Derrotado por pequena margem de votos, abandonou o Partido entre o primeiro e o segundo turno, como se a dizer: “o partido só é bom se eu for o presidente”! Ora, se já estava tudo “degenerado”, porque tentar ser presidente do PT?
Plínio, com todos os problemas, o adversário não é o PT. Nunca foi. Mas parece que é infinita a capacidade de fragmentação da esquerda… O Capital agradece!

Responder

    Mário SF Alves

    03 de outubro de 2012 às 13h09

    Belo depoimento. Só confirma o rastro de egoísmo apolítico deixado por essa pseudoesquerda psolenta. Querem morder a jugular do Zé. Ainda que para tanto se faça esvair até o último mililitro de sangue do Lula. Ainda que para isso tenham de jogar o Brasil de vez no colo da direita. E será que não é isso o que está a fazer o Plínio ao tentar legitimar o constitucionalmente ilegitimável e juridicamente duvidoso julgamento da AP 470?

Luiz

03 de outubro de 2012 às 12h00

É impressionante essa convergência forte entre o PSOL e o Demotucanato/PIG. Que “esquerda” é essa, que não consegue ver os defeitos dos partidos de direita do Brasil?

Julga o sr. Plínio que o PSDB, o DEM e o PIG (sim, ele também é um partido) são vestais isentas de pecados? O que o PSOL consegue com essa postura é uma antipatia gigantesca. Por essas e outras, jamais votarei no PSOL.

Responder

Ivonete

03 de outubro de 2012 às 11h46

O Plínio é daqueles que acreditam que a morte do cavalo é bom para o urubu. Esse senhor e outros, acreditam mesmo que vão herdar o espólio do PT. Ilusão típica de uma ideologia burra.

Responder

ricardo silveira

03 de outubro de 2012 às 11h42

Pode-se como deve-se fazer críticas ao PT, porque há muitas razões para isso. Mas usar o “mensalão” para promover o PSOL é muita hipocrisia. O senhor Plínio perdeu a oportunidade de se aposentar com dignidade. Perdeu a noção do mundo em que vive. É lamentável.

Responder

Remindo Sauim

03 de outubro de 2012 às 11h36

O velhinho Arruda está cada vez mais por fora da realidade brasileira. Para atacar o PT que ele ajudou a fundar alia-se ao PIGs e a direita.

Responder

regina gonçalves

03 de outubro de 2012 às 11h13

Lamentavelmente que um senhor com história esteja tão raivoso com o PT. Será ressentimento?

Responder

    Julio Silveira

    03 de outubro de 2012 às 11h44

    O PT merece.

dukrai

03 de outubro de 2012 às 11h07

“de onde menos se espera é dali mesmo que não sai nada” (byDizorêia)
quando é que vai aparecer uma esquerda pra criticar os inúmeros problemas do governo do PT e apresentar propostas pra questões sérias como os assentamentos fundiários que estão parados, os 180 bilhões de reais para o agro-negócio e os 16 bilhões para a agricultura familiar, a rapina que a Vale faz no país e deixa uma paisagem lunar em Minas Gerais e outros estados, etc etc etc

Responder

    Mário SF Alves

    03 de outubro de 2012 às 12h07

    Pois é. E não dá pra esquecer que durante a última campanha presidencial, de triste e inesquecível memória, houve um certo candidato que apontou o dedo para os demais concorrentes dizendo que todos eles eram candidatos a gerente do capitalismo. E ele não estava errado. O problema é que o vatícinio deixou de incluir ele mesmo, o Plínio, como igualmente candidato a tal esdrúxula vaga. Até aí, tudo bem. Vá lá. O indesculpável é ele não ter sido honesto o bastante para informar que se eleito fosse teria de arriar todas as bandeiras socialistas ali hasteadas e ensarrilhar as armas, sob pena de não permanecer mais do que alguns poucos dias no governo. E sem dúvidas, a Vale continuaria fazendo crateras lunares em Minas. Sem dúvida. Afinal, gerente é gerente, não é onipresente e nem onipotente, não?

Luiz Oliveira

03 de outubro de 2012 às 11h06

Plínio acha q o PT desrespeitou a plutocracia democrática burguesa ao querer comprar e neutralizar inimigos políticos. Nunca pensou q Dirceu pudesse estar agindo estrategicamente para encurralar as classes dominantes deste país q ele tanto critica. O problema é que foi uma aventura arriscada comprar a direita que se autodelata para salvar sua condição de dominadores do mundo.

Responder

Luiz Oliveira

03 de outubro de 2012 às 11h01

Plínio não leva me consideração que isso poderia ter sido uma estratégia política para encurralar a burguesia brasileira. Só olha pelo lado moralista da legalidade burguesa e não pela estratégia política revolucionária.

Responder

Marcelo de Matos

03 de outubro de 2012 às 10h58

Delúbio Soares, interrogado na CPI por Heloisa Helena, declarou: esse caixa dois que a senhora está condenando foi o mesmo que financiou a sua campanha. Heloisa ficou irada, mas, não teve o que responder.

Responder

    Romanelli

    03 de outubro de 2012 às 11h12

    pergunta – ela sabia ? ..vamos devagar vai ?! ..Mercadante tb ficou P e teve a mesma reação que HH, Suplicy idem

    aliás, o mesmo raciocínio empregado a ela eu aplicaria ao Prof.Luizinho que pegou R$ 12 mil ..e até ao João Paulo se este não tivesse envolvido com o MV em concorrência na Câmara ..fora que tb se ele, João Paulo, não tivesse apresentado NOTA FISCAL FRIA como prova de “lisura” pro juízes togados

    ademais, o que mais se discute não é o CAIXA DOIS, crime eleitoral prescrito, pros candidatos e pro próprio PT ..mas sim a origem do dinheiro, ROUBADO, e a compra de coligação ..fenômenos bem diferentes

    Marcelo de Matos

    03 de outubro de 2012 às 11h38

    Você é um incansável defensor da elite jurídica e da lisura no processo eleitoral. Precisa aprender mais sobre o financiamento de eleições no Brasil. O que Plínio está dizendo não é ingenuidade, é mau-caratismo mesmo. Todos fazem igual e o sabichão vem aqui criticar o PT.

    Romanelli

    03 de outubro de 2012 às 12h43

    pronto ..achei mais um que pensa sabe melhor do que eu, o que eu seria, e o que saberia

    Em discurso político ficamos com o conceito e princípios ..nosso diálogo ficaria impossível se tivéssemos que descer a nível de achismo e de adivinhação ..o que PLÍNIO falou diretamente faz sentido

    Olha, pra somar ao que vc sabe sobre a minha biografia ..eu defendo, entre tantas coisas, a transparência, ética, a regulamentação da profissão de lobista por exemplo ..o MÉRITO em detrimento da FORMA jurídica, o FIM dos direitos especiais e exclusivos, portanto, só aqui diferencio-me em MUITO da tal elite jurídica

    e sobre esta corrente que fala em “caixa 2” em plena democracia ? ..desculpe, eu não acredito nisso ..já em lavagem de dinheiro, propina antecipadamente, dinheiro pra FURAR as regras e leis, pelo abuso econômico por ex, grana vinda do crime, desculpe, repito, em democracia, pra mim isso é mais crível

    abrá

    Bruno

    03 de outubro de 2012 às 11h22

    Heloisa, desta vez, aprendeu o significado de leviandade?

    Narr

    03 de outubro de 2012 às 11h25

    Exato! O PSOL quer fazer política como se fosse religião. Mas esses fundamentalistas esquecem de que fizeram campanhas financiados pelo dinheiro do Delúbio. Isso não prova que sejam corruptos, é óbvio. Mas deveria ser obvio para eles, também, que os petistas não são necessariamente corruptos. Lembro-me de Luciana Genro ter dito que “quem é honesto não fica no PT” Não sei se ela mudou essa opinião sobre o PT, mas o fato é que o pai dela continua no PT.

Zilda

03 de outubro de 2012 às 10h53

É a famosa “maldição que divide as esquerdas”, como disse José Saramago. Mas o ódio dessa gente contra o PT e Lula é algo a ser analisado por algum discípulo de Freud porque ultrapassa qualquer resquicio de racionalidade. Só para lembrar: aqui em Goiânia, duas figuras ilustres do PSOL foram flagradas em relações espúrias com o crime organizado ligado a Cachoeira. Elias Vaz, vereador, logo no inicio das investigações apareceu recebendo dinheiro da quadrilha. A coincidência: ninguém em Goiânia ou Goiás, batia mais no prefeito(PT) do que essa criatura, principalmente no caso meio obscuro da reforma do Parque Mutirama, cujos interesses da Delta e de Cachoeira foram detectados na investigação. Agora, é outra liderança do PSOL, Martiniano Cavalcante – foi assessor de HH, quando senadora – que foi flagrado recebendo dinheiro de uma das empresas fantasmas do esquema Cachoeira. Plinio está precisando conhecer melhor o partido dele.

Responder

Daniel Faria

03 de outubro de 2012 às 10h49

Acho que o Plínio errou nessa análise do mensalão, mas em geral gosto do PSOl, principalmente no Rio.

Acho impressionante como QUALQUER crítica ao PT é se aliar à direita, como se o próprio PT já não tivesse se aliado o suficiente à direita.

Responder

    Pereira

    03 de outubro de 2012 às 14h59

    Criticar não é problema. Ouve-se, rebate-se, acumula-se, enfim. É a prática entre as organizações de esquerda que, em geral, colaboram entre si, salvo nas questões regionais. O problema é aceitar um convite para ir ao motel com a direita medieval.

Marcelo de Matos

03 de outubro de 2012 às 10h48

Penso que não terei a chance de chegar aos 82 anos, como o Dr. Plínio. Se chegar, quero estar lúcido, do contrário não vale a pena. Nunca votei no Dr. Plínio, nem no tempo em que ele foi chefe da casa civil do governador latifundiário Carvalho Pinto, nem quando ele foi deputado federal pelo Partido Democrata Cristão. Votei, sim, em outro advogado, o Dr. Hélio Bicudo, quando foi vice de Marta Suplicy. O Dr. Hélio combateu o esquadrão da morte na década de 60 e, ultimamente, tornou-se ferrenho antipetista, como o Dr. Plínio. Está aí uma entrevista bem ao gosto do Viomundo: Dr. Hélio, hoje com 90 anos. Plínio diz: “Estou achando estupendamente bom. O Supremo tá dando demonstração de ser um tribunal de altíssimo padrão jurídico e de altíssimo padrão ético”. O mal desses juristas e desconhecer a história, mormente a do nosso judiciário. Sugiro a leitura de O bagaço da cana (Evaldo Cabral de Mello). Esse livro é um dos muitos que nos mostra a face oculta do judiciário brasileiro. Já que não podemos falar das maracutaias atuais, só dando uma olhada no passado.

Responder

João Pedro

03 de outubro de 2012 às 10h38

O PSOL de hoje é o PT de anos atrás. Sinceramente não sei qual é o pior: Se o PT de hoje ou o PT de ontem.

Responder

Márcio

03 de outubro de 2012 às 10h25

Alguns neo-cansadinhos e outros com síndrome de Hommer Simpson ainda dizem que “TRIBUNAL DE EXCEÇÃO” é exagero.

“STF arquiva inquérito contra deputado Stepan Nercessian”

http://noticias.terra.com.br/brasil/politica/cpi-cachoeira/noticias/0,,OI6197397-EI20308,00-STF+arquiva+inquerito+contra+deputado+Stepan+Nercessian.html

Responder

    Marcelo de Matos

    03 de outubro de 2012 às 10h53

    Esse pessoal encara a justiça como um bem patrimonial. Vou inocentar o Gushiken, por minha livre e espontânea vontade. Vou livrar a cara do Stepan, etc. Eles condenam ou absolvem quem lhes convir. Gushiken deve ter sido absolvido para não chamar a atenção sobre as maracutaias do Daniel Dantas.

    Romanelli

    03 de outubro de 2012 às 11h05

    Marcio ..claro que tal qual vc, eu prefiro, e pretendo cobrar, para que a mesma régua seja adotada pra todos ..pro PSDB, DEMO, Cachoeira, Dantas e pro cumpadi coligado, Maluf por exemplo, pro PSOL um dia ..ou, delirando, pros personagens da CC 5, privataria da VALE, reeleição etc etc

    agora, me diga ..pelo mérito ..sem levarmos em conta os data vênia e chicanas ..ou os superlativos de “maior escândalo de todos os tempos” “projeto de perpetuação de poder” e outras BESTEIRAS ditas pelo JÔ e PIG ..me diga, vc acha que o mensalão não envolveu COOPTAÇÃO ? COMPRA DE APOIO dos líderes ? ataque frontal à democracia ?

    Tá, tá bom, eu te dou até o direito de se justificar que na política de PINDORAMA sempre foi comum convivermos com coligações diretas e/ou indiretas, estas que NUNCA estaremos livres, do tipo :

    -é dando que se recebe

    -toma lá, dá cá

    -uma mão lava a outra

    -1o teu projeto, depois o meu, etc

    mas convenhamos, o que presenciamos naquele julgamento vindo de personagens como V.Costa Neto e R.Jeferson, foi correto ?

    e não se esqueça, a GRANA ERA ROUBADA ..foi embolsada de forma CAMUFLADA, envergonhada ..parte esquentada em empresa FANTASMA ..e seu uso, por PETULÂNCIA e censo de impunidade dos personagens, sequer os malacas revelaram e/ou comprovaram do destino, mesmo pq, provavelmente, muito foi parar em suas próprias contas

    R.Jeferson por exemplo chegou a dizer que R$ 250 mil ele deu pra uma idosa “anônima” que passava necessidade, e que o resto ele NÃO contava NEM A PAU aonde foi parar

    vem cá ..chega, não ? é muita esculhambação

    ps – eu ajudei a eleger parte desta turma pq eles disseram que IRIAM MUDAR estas práticas ..e não se beneficiar delas ..assim, quem teve coragem de trair e pariu Matheus que o embale, pois afinal, em todo este tempo eu estava à postos pra sair à rua e clamar pela ética se necessário ..mas Dirceu não me chamou, preferiu se compor ..então ?

Flavio Lima

03 de outubro de 2012 às 10h23

Plinio, sua inteligencia degenerou completamente.
Me arrependo de ter feito campanha para você nos anos 80.

Responder

    Marcelo de Matos

    03 de outubro de 2012 às 10h55

    Esse ilustre causídico, que foi chefe da casa civil do governador latifundiário Carvalho Pinto, nunca me enganou. “Contra burguês, vote 16”. Me poupe.

Tiago

03 de outubro de 2012 às 10h15

Fico triste (e ao mesmo tempo morro de rir) com os comentaristas desse espaço. Quem diria que um dia a “esquerda” brasileira iria se unir em torno de alianças com Sarneys, Malufs, Renans, Collors, etc, e veria o Plínio como um clássico “inimigo do povo”…

O que ele diz do PT é a verdade…é fato que o partido se desviou dos seus objetivos e tentou usar em seu benefícios as práticas coronelistas e corruptas, clássicas da política brasileira, em seu benefício. Será que é tão difícil aos colegas, e ao PT, fazer uma autocrítica? Ou qualquer comentário negativo sobre o PT e seus métodos só pode vir dos “reacionários, golpistas, fascistas, direitistas, conservadores, udenistas, [coloque o seu xingamento preferido aqui]…”

Seria cômica se não fosse trágica, essa pseudo-esquerda brasileira.

Responder

    Mário SF Alves

    03 de outubro de 2012 às 12h26

    Ei… acorda. Estamos no Brasil, esqueceu? Ou você acha que superar o subdesenvolvimento seria tarefa fácil? E mais, a via escolhida foi a institucional, não foi a revolucionária, compreendeu?

    Respeitosamente,

    MSFA.

    Tiago

    03 de outubro de 2012 às 13h25

    Estimado Mário SF Alves,

    Nunca me ocorreu que superar o subdesenvolvimento seria tarefa fácil…mas penso que perpetuar as práticas que levaram a tal subdesenvolvimento não é o melhor caminho.

    Práticas estas que são as responsáveis diretas pelo sofrimento do povo que o PT ALEGA defender, e que o PT SEMPRE criticou.

    Darcy Brasil Rodrigues da Silva

    03 de outubro de 2012 às 16h00

    Seria trágico e nada cômico se a esquerda se convertesse inteira em uma seita de puristas , todos olhando com afetada indignação para os mais de 20% de desempregados brasileiros, disputando como ambulantes nas inúmeras ruas das cidades os trocados dos transeuntes, em tentativa desesperada de obter recursos para sobreviverem , não um mês inteiro, o que seria pedir demais , mas somente aquele dia. Os transeuntes, por sua vez, desviam irritados deste assédio que lhes obstrui uma caminhada já de si cansativa para as suas casas, uma vez que a fazem sobretudo com o propósito de economizar pelo menos uma das várias passagens que precisam pagar para irem de casa para o trabalho e vice-versa.
    Nas rodas de debate “revolucionário” de nossa esquerda “impoluta” critica-se as taxas de juros praticadas pelos bancos “Aliança Para o Progresso , outrora Banco do Brasil, e a “Caixa Econômica da Alba”, antes Caixa Econômica Federal. Reclamam também da inundação de nosso comércio com manufaturados estadunidenses de baixa qualidade, que levaram ao fechamento de várias fábricas nacionais e de outras procedências em nosso país.
    Falam, com a convicção dos que se orientam pela fé mais do que com a razão, em dias melhores que estarão por vir. Na necessidade de jamais se misturarem com políticos de direita. Na “revolução pelo voto’ e na “aliança com a sociedade civil” em lugar de alianças com os partidos. É interessante como conseguem fazer essa separação entre sociedade civil e partidos políticos. Sarney é sempre citado por eles como um símbolo da mais reprovável forma de fazer política. Referem-se a todos os partidos distintos aos deles como se fossem todos “farinha do mesmo saco”, caracterização que dispensa comentários ou questionamentos científicos, afinal, que Ciência Política poderia ser digna desse nome se não reconhecesse a existência incontestável dessa homogeneidade dissimulada da direita?
    Dizem isso enquanto José Serra após ser pela quarta vez e dizendo-se em momento de considerar a sua aposentadoria política ( uma emenda de reeleição por tempo indeterminado fora aprovada durante o segundo mandato de Serra) lança como candidata à sua reeleição a sua filha, Verônica Serra, que terá como candidata a vice a filha de Bill Clinton (tal chapa fora permitida por outra emenda que redefiniu o conceito de “indivíduo portador de nacionalidade brasileira e cidadania quase totalmente plena”, que passou a admitir a estrangeiros residentes no Brasil há mais de 1 ano que concorrerem a cargos eletivos em quase todos os níveis, inclusive enquanto candidatos a vice- presidentes, vedado entretanto as suas candidaturas à presidência. Essa “brecha na lei”, que,contraditoriamente, permitira que um estrangeiro integrasse a chapa como vice, mas não pudesse fazê-lo como candidato à Presidência (esta fora a condição imposta pela bancada ruralista para que seus representantes votassem a emenda no Congresso, a par de mais um perdão as suas dívidas junto ao governo federal) estava a ser contestada no STF ,através de uma ação psolista, denunciando a inconstitucionalidade dessa emenda, indagando o que ocorreria na eventualidade de vacância do cargo de presidente? “A filha de Bill Clinton assumiria?”, pergunta, com olhar grave e circunspecto, o advogado dessa corrente e impetrante da referida ação , ao conceder uma entrevista na “TV Veja” ( antes TV Brasil).”Se isso ocorrer”, prossegue, “estaremos diante de uma frontal violação de nossa Carta Constitucional!”.
    Enquanto isso, em campanha, a filha de Bill Clinton é recebida em uma grande manifestação em apoio a sua candidatura organizada pela milícia que expulsou os traficantes da Rossinha, implantando mais uma de suas UPPs ( Unidade de Polícia Privada) , um modelo auto-sustentável de terceirização de combate à violência proposto pelo deputado e filho do Ministro da Justiça, Arthur Virgílio Neto. Tal modelo teria representado uma considerável economia de recursos para todos os níveis da administração pública,segundo afirmação entusiasmada do Ministro da fazenda, Daniel Datas, permitindo que os quadros da polícia civil e militar fossem devidamente enxugados e destinados às suas atividades fins, principalmente com o propósito de conceder segurança jurídica nas relações acordadas em juízo entre o capital e o trabalho. O mesmo modelo já contaria ,inclusive, com filiais na Bolívia e na Venezuela, formada por remanescentes dos “revolucionários” que lutaram para derrubar os regimes proto-comunistas de Hugo Chaves e Evo Morales.
    Sim, sim, é realmente lamentável que o Brasil esteja sendo governado por essa “pseudo-esquerda” e não por “revolucionários” barbudos , com boinas na cabeça e charutos entre os dedos, a discutirem o futuro do Brasil em churrascos de fim de semana montados nos quintas de suas casas.

paulo

03 de outubro de 2012 às 10h10

Li em algum lugar a seguinte frase: O PSOL foi tão à esquerda que acabou se unindo à direita”, pra mim resume tudo. A foto de HH é sensacional.

Responder

Mateus

03 de outubro de 2012 às 10h09

Qual a diferença do PSOL, do Plinio mais especificamente nesse caso, e a esquerda atual (PSDB, DEM)? Esse Sr. esta torcendo pro quanto pior melhor. Isso parece até piada.

Responder

Djijo

03 de outubro de 2012 às 10h07

Olha, só em falar sobre saúde privada, que interpretei que ele sugere de QUE TODOS DEVERIAM TER, já mostra de que lado está esse senhor. Se fosse ele tão evoluído em democracia estaria sugerindo saúde pública e democracia igual a Inglaterra, França, Canadá e tem outro país que é melhor do que esses sitados. Está lá no filme de Michael Moore: Sicko.

Responder

mello

03 de outubro de 2012 às 09h59

De fato, o psol não tem compromisso nenhum com o Governo, já que está comprometido com o ódio, o despeito, a inveja e com o psdb, o dem, o pps e , pelo visto, com a conspiração jurídico – midiática.

Responder

    Mário SF Alves

    03 de outubro de 2012 às 12h31

    Lamentável. Sinto muito, mas tenho de concordar.

    Até recentemente eu ainda alimentava a tosca esperança de que PSOL fosse em realidade a torre (oculta) do PT neste jogo complicadíssimo que é levar adiante o projeto Brasil Um País de Todos. Mas… infelizmente…

Marcos W.

03 de outubro de 2012 às 09h59

Esse o Brasil. A esquerda não se une nem na cadeia! Esse senhor é um azedo de marca maior. Vocifera contra tudo e contra todos. E o partidozinho dele, pequeno como micróbio, já teve problemas de vaidade exacerbada aqui e acolá. Não consegue segurar a H. Helena, então imaginem. Mas o tempo é senhor da razão. Vamos esperar e torcer para que ganhem uma ou outra eleição e governem, ou tentem governar. Aí saberemos se o partido é bom ou nem tanto!

Responder

    Mário SF Alves

    03 de outubro de 2012 às 12h59

    Eu não alimento essa “esperança”, não. E mais, duvido que esse discurso do PSOL seria o mesmo se fosse ele um partido cujos líderes tivessem sido encarcerados e torturados pela ditadura. Duvido que ainda procedessem assim. Hoje esse PSOL incomoda tanto a direita que se ele endoidasse de vez e viesse a público com um discuso superinflamado de que só a revolução maoísta salva este País, creio que nem assim a direita o haveria de ouvir. Ao contrário, muito provavelmente, tal arroubo de grandeza, repercutisse na mídia corporativa apenas como sendo nada mais do que ironiazinha; apenas brincadeirinha provocativa do citado partido. Aliás, com ou sem a URSS, com ou sem referência de comunismos no mundo, para a lógica “política” do esquema Casa-Grande-Brasil-Eterna-Senzala isso só ajudaria.

Regilânio alves

03 de outubro de 2012 às 09h55

O grande círculo se fecha e os opostos se encontram? Pólos opostos se atraem e têm o mesmo objetivo. Assim também é na política. Essa esquerda que não pensa no país, mas se fecha no seu “ideologismo”, faz parte da longa tradição onde ela prefere entregar o poder à direita a ver seu campo ideológico mais próximo, mesmo com algumas divergências assumi-lo.
Inesquecível a foto da então senadora Heloísa Helena ao lado de grandes luminares da justiça e da ética na votação da CPMF no congresso: Arthur Virgílio, Agripino Maia, Álvaro Dias et caterva, capitaneados pelo afável ACM, serviram de companhia àquela serelepe e saltitante senadora enquanto comemorava o resultado.
É o fim.

Responder

Rose SP

03 de outubro de 2012 às 09h40

Estou tomando abuso desse PSOL que se diz oposição, o cara está torcendo para o pior acontecer com nós, brasileiro, é um PIG disfarçando de esquerda.

Responder

Jose Mario HRP

03 de outubro de 2012 às 09h20

Peguei aqui mesmo essa triste lição que nós da esquerda recebemos anos atrás, coisas que hoje o Plínio demonstra com seu rancor.
A HH, ridícula, no meio dos lobos e ladrões!
A que ponto chegou!
Hoje é nada!

Responder

    Julio Silveira

    03 de outubro de 2012 às 10h06

    Eu sinceramente não consigo entender o espirito do militante partidário que deveria militar em favor do Brasil e milita em favor do partido.
    Concordo contigo que essa foto da HH é deprimente sem analisarmos o contexto, que confesso não sei o motivo de tanta comemoração, mas te pergunto para sermos honestos como vc se sentiu em relação a foto do Haddad, Lula e Maluf exposta na midia, essa sabemos o contexto, como vc explica?

    Márcia

    03 de outubro de 2012 às 11h09

    Julio, o problema é o moralismo de ocasião desse PSOL. Isso é que mata a credibilidade de quem quer que seja.

    Julio Silveira

    03 de outubro de 2012 às 11h47

    Marcia concordo, mas não com a exclusidade que alguns querem lhes imputar, como demonstrei.

    Julio Silveira

    03 de outubro de 2012 às 10h13

    A proposito sobre esse tipo de atitude tipica de torcedor sem noção. Noutro dia citei aqui que uma das mais criticadas, nos blogs onde a afluência de petistas é grande, cidadãs brasileiras a Marina Silva, foi apoiar o Adão Villa Verde candidato a prefeito em POA e dele recebeu beijos efusivos. Até perguntei, aonde estava o Judas?

    Marcelo de Matos

    03 de outubro de 2012 às 11h09

    Heloísa ainda vai escrever um livro de memórias. O principal motivo que levou ACM e Arrudão a violarem o painel eletrônico do Senado foi a curiosidade de saber se Heloísa tinha votado a favor de Luiz Estevão, ex-deputado envolvido no desvio de recursos do forum da Barra Funda. Será que um dia Heloísa contará a verdade sobre esse episódio?

    Julio Silveira

    03 de outubro de 2012 às 11h56

    A Heloisa pode ter sido traida por ter dado credito a pessoas elegantes e charmosas, com grande poder de convencimento, e que por ser politica, e ter vida publica, ficou exposta e teve perdas por isso. Mas se analisarmos com humanidade verificaremos que o Brasileiro passa por isso quase todos os dias. Basta uma leitura mais atenta pelo Blog que irás contatar o quanto. Sugiro(não é nome Japones. rsrsrs), a leitura do post do Odilon Guedes sobre a injustiça tributária no Brasil.

    Jose Mario HRP

    03 de outubro de 2012 às 12h57

    Resposta ao Júlio:
    Alianças em que o PT é o preponderante e tem os objetivos que tem, em que Maluf seria apoio e não aquele que decide, mas auxilia, é uma coisa, outra é trair, com direitistas, supressores de trabalho(emprego) e direitos do trabalhador, o governo popular e votar contra o trabalhador e o povo pobre , só para manter poder e status dentro da politica profissional.
    É justo não concordar com alguns dos comportamentos dentro do PT, que é a priori , esquerda, outra é trair o trabalhador dando chance a oposição direitista e a PIG!
    Abs!

    Julio Silveira

    03 de outubro de 2012 às 13h04

    Pontos de vista meu caro, pontos de vista.
    De minha parte serei cada vez critico com concessões vindas da esquerda para a direita. Ainda mais quanse se tratar de uma direita que foi durantes anos, e muito justamente, vendida como vil por essa mesma esquerda que hoje corre para seus braços.

FrancoAtirador

03 de outubro de 2012 às 09h19

.
.
O diabo no meio do mensalão

Por Miguel do Rosário, n’O Cafezinho

O diabo existe? A pergunta é falsamente ingênua, porque esconde uma dúvida metafísica muito complexa sobre a existência ou não do mal. Riobaldo, o protagonista de Grande Sertão, acha que todos os sábios do mundo deveriam se reunir para decidirem, de uma vez por todas, se há ou não um capeta assombrando o mundo.

A mídia brasileira encontrou, nos ministros do Supremo Tribunal Federal, os sábios que faltaram à Riobaldo: sete juízes entenderam que sim, que o diabo existe, ou seja, que o mensalão foi compra de voto de parlamentares.

A Procuradoria, as CPIs e toda a mídia brasileira, passaram quase sete anos à procura de um testemunha ou prova consistente que afirmasse a tese da compra de voto. Centenas – talvez milhares – de pessoas foram interrogadas, entrevistadas, devassadas, e todos asseguraram que não, que não houve venda de voto. Não importa. A nossa democracia agora é governada por sete sábios. São eles que dão a palavra final.

O STF produziu uma armadilha para si mesmo, e entrou nela. Desde o início dos debates, muita gente via, estarrecida, que os ministros enveredavam por uma trilha perigosíssima, ao estabelecerem que não havia necessidade de provas ou “atos de ofício” para condenarem os réus. Então, quando todos achavam que o festival de arbitrariedades havia atingido o clímax, eis que ele piora, e o ministros, constrangidos pela dificuldade em condenar sem “ato de ofício”, decidem que o ato de votar é o crime final do parlamentar envolvido no escândalo do mensalão.

Os ministros, no afã de demonstrar a existência do Dito-Cujo, trouxeram-no para dentro do tribunal. Em algum momento dos debates, veremos um redemoinho de papéis num canto do salão. É ele mesmo, o Sem-Nome, rindo-se dos juízes, da imprensa, de nós todos.

Outrora dizia-se que ainda havia juízes em Berlim. Grande ironia da história! Quando a democracia desaba, encontra-se um ou dois juízes tentando salvá-la. Quando a democracia chega a seu momento mais pujante, eis a maioria dos juízes disputando quem a violenta primeiro.

Por sorte ainda temos Wanderley Guilherme, e Blaise Pascal. O primeiro nos lembra o óbvio: que todo acordo eleitoral implica em convergência política. Quando dois partidos fazem um acordo, não é para “inaugurar retratos” nas respectivas sedes. Consegue-se o apoio de uma legenda com o fim de que seus parlamentares concretizem essa parceria na forma de votos. E apoio político, numa democracia altamente concorrencial e capitalista como a brasileira, implica, necessariamente, em acordos eleitorais envolvendo despesas de campanha. Criminalizar isso é criminalizar a própria democracia. É glorificar a hipocrisia.

Se o mensalão foi compra de votos, ou seja, se o governo comprou a consciência dos políticos, então a reeleição de Fernando Henrique Cardoso foi o quê? A própria Constituição de 1988 teria sido “comprada”? Sim, porque não é sensato pensar que os parlamentares que a promulgaram não receberam dinheiro para tocar suas respectivas campanhas, sendo que boa parte desses recursos, provavelmente, não foi contabilizada. A sabatina de cada ministro do STF também não foi objeto de comércio ilegal? Como o STF pode saber, aliás, qual exatamente foi o voto comprado? Um parlamentar pode receber dinheiro hoje por um voto que já deu na semana anterior. Pode receber adiantado para votar daqui a um mês. Ou seja, até a “coincidência” da datas, que os juízes estão ridiculamente usando como indício de crime, não significa absolutamente nada!

O que os ministros estão fazendo, para o deleite da mídia conservadora, é criminalizar a política brasileira. O discurso de Celso Mello, ontem, representou uma agressão insuportável aos valores democráticos e à nossa própria soberania. Foi um discurso de golpe, com o qual se poderia justificar qualquer violência contra o sufrágio popular. Todos os preconceitos que emergiram com a vitória de Lula voltaram a se manifestar, com força total, nos recentes discursos desses magistrados. Por que não agiram com ira similar quando o réu era Daniel Dantas, um dos maiores corruptores de políticos de que se tem notícia?

Pascal, por sua vez, lembra-nos que “nada é justo em si” e que “nada é tão falível como essas leis que reparam as faltas: quem lhes obedece, porque são justas, obedece à justiça que imagina, mas não à essência da lei, que está encerrada em si: é lei e nada mais”.

Celso Mello e seus colegas deveriam reler Pascal antes de se arvorarem paladinos da justiça, da ética e da moralidade. Não porque não sejam éticos e justos, mas porque esses temas pertencem à esfera da pesquisa filosófica, e mesmo assim, objetos de infinitas controvérsias. Quando entra em jogo a política, então, nos deparamos com uma quantidade de areia muito superior ao caminhãozinho dos juízes.

Não questiono o saber jurídico dos excelentíssimos, mas que se atenham a examinar os autos, que para isso pagamos-lhes os salários. Deixem as interpretações arbitrárias sobre o fazer político para seus momentos de lazer.

http://www.ocafezinho.com/2012/10/02/o-diabo-no-meio-do-mensalao/

Responder

    Bonifa

    03 de outubro de 2012 às 13h26

    “Celso Mello e seus colegas deveriam reler Pascal antes de se arvorarem paladinos da justiça, da ética e da moralidade. Não porque não sejam éticos e justos, mas porque esses temas pertencem à esfera da pesquisa filosófica, e mesmo assim, objetos de infinitas controvérsias. Quando entra em jogo a política, então, nos deparamos com uma quantidade de areia muito superior ao caminhãozinho dos juízes.” Foi exatamente este sentimento que nos ocorreu quando assistimos perplexo o Celso de Mello a discorrer sua filosofia de colégio de freiras sobre corrupção.

    Mário SF Alves

    03 de outubro de 2012 às 13h37

    Sei não, Franco, mas acho que é exatamente aí que a coisa pega. E é tudo o que eu esperava que fosse o tal julgamento.
    “Não questiono o saber jurídico dos excelentíssimos, mas que se atenham a examinar os autos, que para isso pagamos-lhes os salários. Deixem as interpretações arbitrárias sobre o fazer político para seus momentos de lazer.”
    Acertou bem na veia e nos brios democráticos dessa imensa nação. Eis aí o antígeno necessário para enfrentar o golpe que se descortina.

trombeta

03 de outubro de 2012 às 09h15

Típico militante pequeno burguês do psol, a UDN de esquerda (só tem discurso moralista). O que digo para o PSDB/DEM/PPS vale para o psol, quando me apresentarem um candidato que trabalhe de verdade uma jornada de 8hs diária, pegue um ônibus lotado para ir e outro para voltar do trabalho, encare um patrão explorador e arrogante, como qualquer trabalhador brasileiro eu voto neles.

O dia mais triste para quem é de esquerda independente da sigla que milite ou vote foi o da derrubada da CPMF em que o psol se aliou à FIESP, à mídia, aos partidos da direita raivosa para tirar 40 bi da saúde do povo brasileiro e ainda comemorou sob chuva de papel picado.

Responder

Jose Mario HRP

03 de outubro de 2012 às 09h15

Infelizmente a mágoa por não ser mais do partido, igualmente a HH e tantos outros, faz com que o velho lutador esteja desequilibrado.
O que ele sugere aos trabalhadores?
Votar na oposição?
Se abraçar com o urso neoliberal?
Aderir as teses capitalistas?
Votar no PSOL e o que……..?
Poderia medir suas palavras, que mal interpretadas, dão lenha ao fogo direitista!
Faz um desserviço aos trabalhadores e as hostes esquerdistas!
Há corrupção tem que ser combatida mas a questão dos objetivos deveriam estar claras a ele, que o PT está a favor do povo pobre e dos trabalhadores, e por fim da nação.
Envelhecer mal dá nisto, amarguras e rancores.

Responder

Willian

03 de outubro de 2012 às 09h14

Quem diria, petistas, que um dia vocês estariam do lado de Maluf, Collor e Serra e contra Plínio de Arruda Sampaio… Sabem porque isto aconteceu? Não é que estas pessoas tenham mudado. Não, continuam as mesmas. Acontece que a análise que vocês fazem das pessoas leva em conta uma única questão: É CONTRA OU A FAVOR DO PT? Se é contra é ruim, se é a favor é bom.

P.S. Mais uma coisa: vocês já viram aqueles filmes-catástrofe, quando uma cidade está para ser destruída e momentos antes todos tentam fugir dela, de carro, correndo, as estradas entupidas? Pois bem, o pessoal de Belém deveria estar fazendo isto AGORA!!! Não percam mais tempo, CORRAM!!!!

Responder

Rildo Ferreira

03 de outubro de 2012 às 09h13

Na cidade Queimados, Rio de Janeiro, o PSOL lançou candidato a prefeito (traço em qualquer pesquisa) e 9 candidatos a vereador. Destes somente um foi deferido, os outros 8 foram indeferidos. Plínio é um oportunista que perdeu o juízo com o passar dos anos e tratam o momento como uma forma de vingança. Um REACIONÁRIO!

Responder

Ricardo

03 de outubro de 2012 às 09h10

Qdo o Psol foi formado por ex-petistas que se escandalizaram com o “mensalao”, achei a atitude no minimo traidora. Estes nunca se preocuparam em defender o PT apontando as incoerencias da CPMI e isto era patente pra quem quisesse ver. A tal de Heloisa Helena barraqueira sempre foi um estorvo no PT mas mesmo assim o partido a apoiou na sua eleiçao ao Senado. Se houve caixa dois na eleiçao de 2002, este beneficiou os membros do psol, que depois disseram nao ter nada a ver com o peixe, afinal sao todos da parte “cheirosa” do antigo pt, né nao? Em tempo: reconheço aqui que tem gente diferente no psol que honra o partido, como o deputado Jean Willys, que tem a lucidez de nao embarcar nos arroubos udenistas do Plinio et caterva.

Responder

Jaiminho

03 de outubro de 2012 às 09h04

Parece discurso de pessoa ressentida. Não parece que algum dia ele foi do PT. E achar que o STF está indo bem é embarcar nessa farsa toda montada pela mídia bandida. O Plínio deve estar babando na gravata.

Responder

Mardones Ferreira

03 de outubro de 2012 às 09h02

Plínio, Caetano, Jabour, FHC…

quem mais vai envelhecer literalemente?

Estes caras mostram que o aumento da idade não traz discernimento.

Responder

Carlos Ribeiro

03 de outubro de 2012 às 08h59

O PSOL já nasceu morto. E o Plínio é um poço até aqui de mágoas. O que ele fala não se escreve.

Responder

    MARCELO

    03 de outubro de 2012 às 11h59

    Na França,o PSOL de lá faz coro com
    Le Pen e Sarkozy e querem a saída de
    Hollande.Esses comunas não passam de
    criançinhas mimadas.

Gilberto Marotta

03 de outubro de 2012 às 08h46

Acho que o velho Plinio deveria estar mais atento ao seu próprio partido… http://noticias.band.com.br/eleicoes2012/noticia/?id=100000533254

Responder

Maria de Fátima de Souza Rocha

03 de outubro de 2012 às 08h39

Como ex-fã do político Plínio Arruda Sampaio, peço que levem em conta a decrepitude “porralouca” dele.
Ele já foi bom…

Responder

JrFreitas

03 de outubro de 2012 às 08h32

Após essa indisfarçavel satisfação desse senhor, me vem à mente a pergunta: Qual a diferença entre o PSOL e o PPS? Respondo: O PPS já se convenceu de sua submissão à direita para sobreviver; o PSOL ainda se acha de esquerda.

Responder

Márcia

03 de outubro de 2012 às 08h31

Já percebi há muito a simpatia do VIOMUNDO pelo PSOL, mas daí a repercutir essa entrevista neste momento, não achei uma boa pedida. Existem muitos críticos abalizados do julgamento do mensalão e das condutas atuais do STF que mereciam muito mais estar em destaque aqui.

Responder

    Mário SF Alves

    03 de outubro de 2012 às 09h19

    Não vos precipiteis, Márcia. É Vi O Mundo, não te esqueças. Se fosse Vi Uma Ilhota, aí, sim, poderias ficar apreensiva.

    Em frente coqueiro verde…
    Esperei uma eternidade…

Ines

03 de outubro de 2012 às 08h11

O Plínio também deve estar com problema de coluna: é de “quinta-coluna”. Ele e o Barbosão do STF…se igualam…tresloucados, mesmo.

Responder

Márcia

03 de outubro de 2012 às 08h11

O PSOL que só recebi doação de pessoas físicas em campanha, já começou a botar a mão em verbas do empresariado. Em Belém o candidato do PSOL já está contemporizando e recebendo dinheiro do empresariado. Por que o PSOL não se junta ao PT e promove a reforma da lei eleitoral ao invés de ficar por aí fazendo campanha irresponsável contra o governo?

Responder

    Maria de Fátima de Souza Rocha

    03 de outubro de 2012 às 08h48

    Márcia, agora só falta a aterrissagem da Marina Silva e o seu legendário “jatinho”, toda cheirando a “Natura”!!!

    Julio Silveira

    03 de outubro de 2012 às 13h26

    Ela desembarcou sob beijos e abraços na campanha petista de Porto Alegre, que voce acha disso?

    Romanelli

    03 de outubro de 2012 às 10h09

    como ? Mas afinal, o que queremos, o PIG CENSOR e a Imprensa Oficial mantida travestida via patrocínios de Estatais, ONGs, apoio culturais e financiamentos facilitados ? ..ou o DEBATE FRANCO,PLURAL, a democracia desde respeitosa e ética, que nos purgue, que nos alimente e nos torne mais preparados pra que possamos nos fazerdas melhores escolhas ?

    ah, já sei, tem gente que prefere a Lei do Ricupero ..esconder o que é ruim ?

    Do Plínio, sobre ele dizer que NÃO há ninguém que rivalize politicamente com o antigo líder (LULA) ..OU …ou de dizer que o modelo optado pelo crescimento via CONSUMO de porcarias, e aqui incluo CARROS de montadoras estrangeiras (movido a crédito farto com juros de agiota dado em prestação de bolso) ..ou ainda, como dele dizendo da ilusão de conseguirmos hoje do micro da china, sem estarmos suportados por um estudo de qualidade que nos ampare na crítica (305 do que circula na INTERNET ainda é pornografia, some a isso fofoca, esportes, joguinhos, reality/novelas, musica, e veja que salda delicada temos)

    ..olha, só por isso, somando ainda o fato de PLINIO estar comemorando o FATO de estarmos, TALVEZ, vivendo o fim dum ciclo de IMPUNIDADE, penso que ele mais acerta do que erra, embora reconheça que ele esta numa posição confortável pra comentar

    ..ao contrário de outros, que como bem disse K. Alencar em seus comentários de 02.10, que preferiram alimentar as ONÇAS pra governar..

    ouça Kennedy, e reflita sobre algumas verdades que podem até ferir…

    http://cbn.globoradio.globo.com/comentaristas/kennedy-alencar/2012/10/02/STF-CONFIRMA-A-GRAVIDADE-HISTORICA-DO-MENSALAO.htm

    Mário SF Alves

    03 de outubro de 2012 às 13h47

    Tá. E dái você valida tudo. Assume o CQC. Assume que os fins justificam os meios. Assume o estupro constitucional que diuturnamente ocorrendo no julgamento do dito mensalão. É isso?

francisco niterói

03 de outubro de 2012 às 08h10

Gente
É por isso que tenho tido embates monumentais no Rio com a turma que só sabe dizer” fulano é a renovacao da politica”,entendendo renovacao como pratica udenista.
Sempre falo: sem reforma politica e fragmentacao partidaria, financiamento privado, leis que so punem o corruptor passivo ( VCS SABEM QUE CORRUPCAO NO BRASIL É QUE NEM MASTURBAÇAO: ATO DE UMA SO PESSOA), isto é simplesmente luta eleitoral.
Por isso, defendo no Rio o voto nulo. O Freixo faz parte da turma que irá dar um verniz progressista ao golpe.
Como nao aceito todas as aliancas do PT, em 2010 anulei pra governador ( no Cabral nem morto, enterrado em caixao de chumbo) . Agora, voto em niteroi e o PT esta com candidato bom aqui.
No Rio seria a morte: o PT de vice do Paes( leiam o que disse sobre o Cabral que é o mesmo que penso do Paes) e o Freixo. A bem da verdade, meu dedo nao teclaria o Paes, mas ficará feliz se o PSOL ficar fora do segundo turno.

Alo, VIOMUNDO: tem um post da CC muito bom sobre o PSOL em Belem. O Pragmatismo chegando. Em belem a maior contribuicao à campanha é de empresas, ao contrario do “ideal psolista” de ser pessoas fisicas. Estas e outras pra nos divertir.

Por fim: COMO O PLINIO ENVELHECEU MAL. RANCOROSO, INVEJOSO E IRRESPONSAVEL. ACEITO QUASE TUDO! MAS FLERTAR COM GOLPE DA DIREITA FAZ COM QUE, DAQUI PRA FRENTE, EU VOMITE VENDO ESTE SENHOR E OUTROS PSOLISTAS.
Desculpem o caixa alta, mas nao deu pra segurar.

Responder

    francisco niterói

    03 de outubro de 2012 às 08h12

    Errata: no Rio torcerei pra nao ter segundo turno. Aqui nao e quem vai a questao, mas se vai ter.

    francisco niterói

    03 de outubro de 2012 às 08h23

    Bem só pra provocar:
    O que diz desta pataquada toda o, por exemplo, MARINGONI que tem o apoio de muita gente boa?
    Tenho um conhecido de lutas que encontrei na rua me pedindo votos pra ele e seu oartido, o PSOL.
    Respondi que ele é um candidato “20% VOTAVEL” , ja que pra mim 80% provem da correlacao de forcas encabeçada pelo partido e assim nesta parte ele era golpista.
    Ele perdeu o voto e eu o amigo.
    Fazer o quê? Democracia é coisa seria, nao brinco com golpistas.
    Em tempo: NO RIO, como a opcao é do PSOL, vcs precisam ver a campanha udenista dos caras. Bem na linha do plinio acima.

    Mário SF Alves

    03 de outubro de 2012 às 13h55

    Legal. E isto sem dizer que pataquada é sensacional. Valeu.

wilson cunha junior

03 de outubro de 2012 às 08h09

O Plínio tem história e tem lado. Mas se ilude quando prega um partido livre de impurezas políticas. O PSOL vai crescer e os problemas vão acontecer. Aliás, já acontecem, como mostra essa nota da executiva nacional do partido:

RESOLUÇÃO DA EXECUTIVA NACIONAL DO PSOL

Sobre afastamento do filiado Martiniano Cavalcante Neto

1. A Executiva Nacional do PSOL tomou conhecimento que Martiniano Cavalcante Neto, membro do Diretório Nacional, recebeu no dia 20 de dezembro de 2011 transferência bancária no valor de R$ 200.000,00 da empresa Adécio e Rafael Construções e Incorporações LTDA.

2. Segundo informações colhidas pela CPMI e pela Polícia Federal a referida empresa faz parte do esquema da organização criminosa do contraventor Carlos Cachoeira, sendo apontada como empresa-laranja.

3. O recebimento de recursos por militante do partido de recursos oriundos de empresa-laranja não é comportamento compatível com a ética partidária.

4. A Executiva, em sintonia com a postura aguerrida de sua bancada no Congresso Nacional, reafirma a disposição de apoiar toda investigação sobre o esquema desmontado pela Operação Monte Carlo. A linha partidária tem sido a de exigir a mais completa investigação de empresas, cidadãos e agentes públicos citados em gravações, recebedores de recursos e/ou beneficiados de qualquer forma pelo esquema Delta/Cachoeira.

5. Coerente com esta postura, o sigilo bancário da empresa Adécio e Rafael Construções e Incorporações LTDA foi requisitado pelo Senador Randolfe Rodrigues (PSOL/AP) no dia 13 de junho de 2012 e aprovado pela CPMI.

6. A divulgação de que um membro do partido aparece como beneficiário de depósito desta empresa-laranja fez com que esta instância partidária decida;

a. Pelo imediato afastamento preventivo de Martiniano Cavalcante Neto de todas as instâncias partidárias em que o filiado participa;

b. Solicitação de abertura de processo de investigação pela Comissão de Ética do Partido, garantido ao filiado amplo direito de defesa, apresentação de documentos e outros atos que julgar oportuno.

c. Solicitar brevidade na apuração dos fatos e envio de circunstanciado relatório para a apreciação do Diretório Nacional, instância que cabe estatutariamente julgar casos deste gênero.

7. O PSOL, com este conjunto de decisões, reafirma seu compromisso de zelar pela mais completa apuração dos fatos que envolvem o esquema criminoso liderado por Cachoeira e que tinha na empresa Delta Construções a principal captadora de recursos públicos.

Brasília, 26 de setembro de 2012.

Executiva Nacional do PSOL

Responder

wilson cunha junior

03 de outubro de 2012 às 08h04

O Plínio tem história e tem lado. Mas se ilude quando acredita que o PSOL será um partido livre das impurezas políticas. Vai crescer e as coisas vão acontecer. Aliás, já acontecem, como mostra essa nota da executiva nacional do partido:

http://psol50.org.br/blog/2012/09/29/resolucao-da-executiva-nacional-do-psol-3/

Responder

Antonio Jose

03 de outubro de 2012 às 07h38

O ser humano é assim mesmo…
Bastou não ser olhado como antes, vira EX..
E EX, nós sabemos como é…

Responder

Roberto Ribeiro

03 de outubro de 2012 às 07h08

Plínio de Arruda Sampaio é um homem inteligentissimo, conheço-o pessoalmente, dizer que o julgamento do mensalão dentro da eleição é coincidência soa apenas como opinião de alguém ressentido com o PT.
O elogio aos ministros (conversa mole) diz respeito ao fato de que estão massacrando ex-colegas e atuais desafetos.
Provavelmente, Plínio não é especialista em Direito Criminal, apenas está gostado do show de malhação dos antigos companheiros, e só.

Responder

Lucas Costa

03 de outubro de 2012 às 07h08

Ao ler o título deste texto, fiquei com a impressão de que Plínio já achava que a queda petista seria coisa para agora, ali para 2014. Contudo, realisticamente, ele não pensa que isso acontecerá, no que o político aparenta estar correto. Até 2014 o PT ganhará sem dificuldades. Ao que parece, será a eleição presidencial mais fácil que o PT enfrentará, a julgar pela oposição, que deixou de ser política para, em um primeiro momento ser jornalística e agora jornalística-judiciária.

Lendo todo o texto, não vi nada dito por Plínio que não condiga com a verdade. A suposta ascensão da dita nova classe-média é muito controversa entre os economistas, por exemplo. Ainda ontem na Agência Brasil havia notícia sobre isso. Essa mesma nova classe-média, caso mudem os ventos econômicos e não consiga mais comprar os bens da classe A, como celulares, computadores, automóveis etc., mudará de lado partidário imediatamente. O próprio André Singer, que recentemente lançou livro sobre a mudança no perfil do eleitorado petista, diz algo semelhante a isso quando lembra que o mesmo eleitorado que ora sufraga o PT já passeou por Collor e FHC. Não é um eleitorado perene como a antiga militância petista. Aqueles que faziam campanha de graça, nos idos anos 1980 e 1990. Uma boa parte desse segmento “mais ideológico” abandonou o Partido dos Trabalhadores.

O “mensalão” na verdade não é mensalão, mas sim um esquema incorreto de financiamento de campanha eleitoral, nos mesmos moldes daquilo que fazem outros partidos como, no exemplo mais notório, o PSDB. O caso não merece a dimensão jurídico-midiática que lhe foi reservada. Contudo, ao saber que o PT tem seus esquemas controversos de financiar campanha, não se pode deixar de imaginá-lo quase do mesmo modo como imagino os tradicionais em controvérsia PSDB e PMDB.

Não creio que o PSOL esteja se aliando à direita ao tecer críticas duras ao PT. Nada disso. Esse partido foi criado não para ser um apêndice do PT, mas justamente um contraponto às práticas recentemente adotadas. Não é possível desconhecer que os financiadores de campanha cobram o financiamento, de modo que o pagamento da fatura é revertido em coisas que nem sempre são do interesse da população. Como exemplo, eu pergunto: o que seria melhor para a população: Olimpíadas e Copa do Mundo ou mais investimentos em saúde e educação?

Minha família já é de classe média há uns 35 anos, mais ou menos. A situação de meus pais está estabilizada nesse segmento. Hoje em dia eu tenho um emprego razoável, cursei uma boa faculdade e continuo estudando. Acho pouco provável descer socialmente. Mas tenho pena de quem hoje gasta suas parcas economias na compra de novas TVs LCD, celulares de última geração, computadores e automóveis mas não tem acesso a uma boa escola e a uma boa saúde. O crescimento econômico dessas pessoas se deve ao setor privado, que passou a empregar mais e a ser obrigado a remunerar melhor, devido ao crescimento econômico. Em uma crise econômica o setor privado encolhe que é uma beleza, demite aos borbotões, sem piedade.

Outro dia a Agência Brasil noticiou que, graças ao crescimento da economia brasileira, hoje em dia a profissão que mais emprega mulheres não é mais a de “doméstica”, mas sim o setor de comércio. Em uma crise econômica o comércio demite avidamente. Vai ser duro para muitas ex-domésticas voltarem a ser domésticas… Elas terão que achar um bode expiatório e me parece que o maior candidato a isso é o partido que estiver no poder.

Deveriam ouvir Plínio antes de simplesmente rotulá-lo de “oportunista”. Barbas de molho de vez em quando e humildade não fazem mal. O PT adotou de tempos para cá uma postura de extrema arrogância, em muito semelhante à do PSDB dos anos 1990, quando este partido se via como eterno no poder!

Boa sorte para o PT em termos de crise econômica. Que o vento nunca mude. É uma pena que a economia mundial seja tão inconstante…

Responder

    RICARDO GODINHO

    03 de outubro de 2012 às 09h30

    A economia mundial vive em crise desde 2008, quatro anos, pois!
    A não ser que a gangue neoliberal assalte o poder em 2014 (ou através de um golpe, o que pessoalmente acho mais fácil pra eles), devemos crescer continuamente – com variações nas taxas, conforme piore ou melhore a situação internacional – por pelo menos mais 6 a 10 anos, talvez o dobro.
    Quando finalmente acontecer um ciclo importante de retração, lá por meados dos anos 20, começo dos 30, essa nova classe média já terá se consolidado. O desemprego, nessa altura, atingirá muito mais os jovens – como sempre costuma acontecer – e não será nada como os índices hoje vistos na UE e EUA. Nesses países, inventaram a mágica de excluir das estatísticas os desempregados que param de procurar emprego diariamente (decorrência da falta de dinheiro para o transporte e a alimentação na rua), e que só se candidatam ás poucas vagas indicadas por amigos e parentes. Lá a taxa de desocupação das pessoas em idade de trabalhar é de 4% a 10% maior do que a taxa de desemprego. Aqui, na primeira grande crise endógena do nosso capitalismo, duvido que se chegue a um tal desemprego que leve em massa balconistas de meia idade de volta aos empregos de domésticas, até porque esses não serão tantos, visto que a classe B também estará sofrendo os efeitos da crise.
    Acredito muito mais que a ausência de politização da classe C, isso sim, será o responsável pelo abandono do PT como opção eleitoral. Mas isso ainda deve levar umas duas eleições federais para acontecer.

    Mário SF Alves

    03 de outubro de 2012 às 14h19

    Êpa! Então seria essa a hora de entregar o governo? Mesmo porque, a crise tá braba. Não tem sido nada fácil domar a fera. Então, das duas uma: ou PT é cego, e, portanto, não enxerga a hora de pular do barco, ou sanha golpista do Consórico PiGLocal ainda não chegou ao fundo do poço. Sem vingança, claro, mas, agora imagine o PSDB tendo de domar a crise. Vale o ensaio de “o como seria”.
    1- Privatizaria/entregaria o Brasil de vez?;
    2- Aliar-se-ia com o Plínio e faria a reforma agrária necessária?
    3- Faria todo o indicado nas opções anteriores?
    4- Não faria nada, posto que, de tão competente, já nasceu cansado?

spin

03 de outubro de 2012 às 06h50

O cenário em SP é perfeito para a ocorrência de fraude das urnas eletrônicas, sobre este assunto fiz uma rápida busca no Google e deparei-me com uma realidade assustadora mas que é ocultada pelo trio parada dura midia-oposição-judiciário

http://www.advivo.com.br/blog/iv-avatar-do-rio-meia-ponte/fraude-nas-urnas-eletronicas

Responder

laura

03 de outubro de 2012 às 06h31

Delirante:Liras do delírio, simplesmente.

Responder

Lu Witovisk

03 de outubro de 2012 às 06h23

É isso, o Barbosa é um espetáculo. Um patético bobo da corte eleito para entreter a mídia e tipos como este.

Plinio, Plinio, que tristeza… agora ficou lelé de vez.

Responder

Bonifa

03 de outubro de 2012 às 06h16

Plínio é da nata da elite paulista. Seu esquerdismo infantil é inofensivo, não pretende chegar ao poder, mas sim manter um estado de pureza moral pequeno burguês que a própria burguesia vê como situação ideal e admirável. Isso lhe confere um charme de excentridade que é absoluto sucesso de mídia e entre seus amigos da elite.

Responder

    Mário SF Alves

    03 de outubro de 2012 às 14h31

    Uau! Acertou em cheio. Penso que nem Freud faria análise melhor, viu.

José Maria Pimenta

03 de outubro de 2012 às 05h55

Nenhuma novidade . Desde a Heloisa Helena o PSOL sempre foi um partido de direita. Acho que Plinio nada mais é do que um garoto de recado do Serra , da Globo e do resto da cambada do PIG…………….

Responder

Avelino

03 de outubro de 2012 às 05h17

Reportagem que cairia como luvas nos editoriais do estadão, folha, vejam correiobraziliense, globo etc etc.
Plinio e Roberto Freire, de um passado brilhante, ao apoio da ultra direita.Que vergonha.

Responder

Francisco

03 de outubro de 2012 às 04h23

Plinio,

1) Se o PT tivesse degenerado completamente, seu projeto de governo não seria o que Dilma tem executado. Dilma é do PT, se me lembro…

2) O efeito do STF sobre o PT será tão grande quanto o efeito da Inquisição sobre os terreiros de candomblé, o efeito das Entradas sobre o Quilombo de Palmares, as Cortes de Lisboa sobre Tiradentes ou João Sabino, ou do Supremo Tribunal Militar sobre João Cândido ou os guerrilheiros da esquerda no regime militar…

Para os movimentos populares que pisem (ou não) na bola, nunca faltou policia, julgamento e penas duras, o que me interessa é o seguinte: e na direita, não entra nada?

3) Plinio, fique calmo. Quando acabarem com o PT, será a sua vez. O último que a repressão pegou foi o PCB lembra? Pois é. E o PCB nem era a favor da guerrilha…

Responder

Francisco Hugo

03 de outubro de 2012 às 03h26

Vocês sabem o que é o Departamento de Estado???!!!
O Plínio sabe.
O Celso de Mello sabe.
O Merval sabe.
…………………….
Desde sempre tenho como verdades:
Imprensa, 4º poder, não é metáfora.
O Judiciário é, de longe, o mais corrupto dos poderes.
Extrema-esquerda é ponta-esquerda ou pau-mandado.
…………………….
Nada de novo no front.

Responder

SEBASTIAO MARQUES

03 de outubro de 2012 às 03h18

Fiquei impressionadíssimo! Traduziria tudo numa única palavra: RESSENTIMENTO!!!

Responder

ZePovinhi

03 de outubro de 2012 às 02h05

Plínio merece respeito,por óbvio.Porém,o PSOL não é essa coca-cola toda.Afinal,por que expulsaram o Berg Nordestino,no Rio,só depois que apareceu na imprensa que ele era aliado do narcotráfico??????????????????????????

Responder

carlos henrique

03 de outubro de 2012 às 01h56

O Plínio deve está querendo agradar o PIG para ganhar uma coluna na veja,estado de sp ou até mesmo na folha(todos no diminutivo mesmo).Perder a dignidade na velhice é “uma merda”!!!

Responder

Fabio Martins

03 de outubro de 2012 às 01h41

Como estou e sou ultrapassado!
Barbaridade, tchê.
Juro pelas barbas do profeta:
Não sei quem é esse doutíssimo,
ilustríssimo, excelentíssimo
senhor, que fotografa de modo
tão desfocado a realidade mensa
lãogueira nativa. Assim como não conheço,
nem sei o partido político
ao qual sua excelência pertence.
Dadas todas as vênias possíveis,
mesmo sob risco de pleonasmos,
rogo e suplico: perdoem esta abissal ignorância minha.

Responder

Darcy Brasil Rodrigues da Silva

03 de outubro de 2012 às 01h35

Não acredito que Plínio de Arruda Sampaio expresse o pensamento do novo Psol que se desenha ( gostaria de chamar a atenção para esse fato, que parece estar passando despercebido principalmente entre os militantes do PT). É lamentável que Plínio Sampaio se deixe iludir pelas aparências. Para alguém com formação econômica, suas críticas à política econômica do governo são absolutamente infantis. Por outro lado, alguém que se considera de esquerda deveria pelo menos desconfiar quando suas opiniões coincidem com as de “analistas políticos” como Merval Pereira ou Reinaldo Azevedo. Há um processo golpista em curso que independe de contradições que se tenha relativamente a acusados como José Dirceu.Tal golpe visa beneficiar as forças conservadoras e reacionárias derrotadas pela setores desenvolvimentistas, nucleados pelo PT. Não há nenhum sinal de que esteja havendo um combate apartidário à corrupção , movido por paladinos da ética surgidos subitamente togados no STF, como heróis descidos à Terra pelos deuses da Justiça .A condenação de réus sem prova, a criminalização da política , a extrapolação de um dos poderes da República, precisamente aquele que carece da representatividade concedida pelo voto popular,para criminalizar a política eleita pela maioria do povo, não pode ser admitida e muito menos comemorada por alguém que se acredita pertencer à esquerda. Trata-se de inequívoca manifestação de alienação política. Por outro lado,não é correto afirmar que o PT não degenerou-se , como afirma Plínio, que,provavelmente, sofria de outra ilusão ao conviver com a corrente que sempre hegemonizou o PT,não percebendo a força dessa corrente, acreditando ingenuamente poder um dia derrotá-la no curso dos processos de exercício da democracia interna ao PT, transformando esse partido em algo afinado com as suas ideias “socialistas-cristãs”. O PT é e sempre será , desde que o conheço, aquilo que a corrente a que pertence José Dirceu quis e quiser que ele fosse e venha ser. Aliás, a tal “convivência democrática” entre correntes, orgulho do suposto modelo inédito de organização partidária do PT (não-leninista, sublinham enfaticamente), jamais deixou de ser uma luta permanente para hegemonizá-lo, sendo que, toda vez que alguma dessas correntes cansou-se de ser “rolo-compressorada” pelo Campo Majoritário, declarou-se fora do PT, afirmando aos quatro ventos uma inverdade motivadora dessa cizânia: a de sua degenerescência. O que vem ocorrendo é a confirmação da principal natureza criadora do PT, que sempre trouxe um gene tendente a fazê-lo ficar cada vez mais parecido com os partidos socialdemocratas europeus , principalmente durante a primeira metade do século XX.
Esse é o papel histórico e limitado a ser cumprido pelo PT. Não há nisso nada de ruim , nem de condenável. Os que pretendem que as coisas sigam além desses limites, nada perdem enquanto tais limites estão ainda longe de serem alcançados.
Plínio de Arruda, apesar de ser um senhor de idade, procede como um adolescente voluntarista. Sua crença na possibilidade de se implantar como um ato de vontade do governo Lula o programa estratégico defendido pelo PT converteu-se em desilusão. Assim, por não perceber a impossibilidade de se modificar o curso da História por meio de gestos voluntaristas de um governante tomado como se fosse portador de uma força política sobrenatural, Plínio estigmatiza a Lula como um traidor, um homem que abdicou de um poder que, na verdade, jamais possui. Plínio de arruda é um sonhador reformista, incapaz de aceitar que nossos sonhos por mundos de justiça e igualdade talvez deverão ser sonhos ainda por muitos anos, até que as gerações futuras possam ,por fim, realizá-los. Plínio não sabe o que é ter paciência revolucionária.Não é capaz de vibrar com pequenas conquistas obtidas pela maioria de nosso povo. Não consegue tomar essas conquistas como aproximações táticas associadas a propósitos estratégicos futuros.

Responder

    Mário SF Alves

    03 de outubro de 2012 às 14h45

    Mensagem do dia: entendamos a mensagem acima. Sem ressentimentos; sem falsos moralismos; sem plinismos; cientificamente, até, quem sabe.

Ananda

03 de outubro de 2012 às 01h28 Responder

Almir

03 de outubro de 2012 às 01h01

Responder

    José X.

    03 de outubro de 2012 às 08h25

    Esse é o PSOL que todo mundo conhece…

Messias Franca de Macedo

03 de outubro de 2012 às 01h00

… Antes de eu morrer, hei de assistir a uma entrevista do Plínio de Arruda Sampaio analisando a prisão de um ‘prefeitim’ do PSOL acusado pelo PIG e condenado pelo mesmo [PIG] sob o referendo do STF… ‘Um prefeitim’ do PSOL atrás das grades, acusado de peculato por ter servido um cafezinho para um vereador da base aliada [o tal ‘domínio do fato’, compra de apoio, na certa!]; corrupção ativa sob a alegação de ter aumentando os soldos dos procuradores do município, reajuste salarial baseado na inflação do biênio (sic) anterior – e após dois meses de greve dos magistrados!; corrupção passiva por ter usado a caneta de um empresário quando da assinatura de um contrato para a construção de uma escola pública na zona rural – contrato aprovado por unanimidade pelo Tribunal de Contas dos Municípios; formação de quadrilha por ter o hábito de, ao final do expediente, jogar dominó ao lado de três aposentados – o entretenimento ocorrendo sempre na praça em frente à prefeitura; lavagem de dinheiro: condenação fundamentada em função de uma nota de R$5,00 ter sido encontrada em um dos bolsos de uma calça molhada do prefeito “do PSOL dos sonhos do Plínio de Arruda Sampaio”!… E, por fim, o prefeito [do PSOL] condenado a linchamento pela população, determinação procedente do gabinete do Ali Kamel…

Boris Casoy: “Boa noite!”

Que país é esse, sô?! República de ‘Nois’ Bananas, responde, “na lata”, o matuto ‘bananiense’!

Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

    Romanelli

    03 de outubro de 2012 às 06h41

    Messias, sobre suas profecias

    Primeiro que acho que vc acredita em milagre ..ou acaso vc não se apercebeu da idade do Plinio Ford Bigode ?

    Depois que o importante não é este ou aquele partido ter um ou outro prefeito corrupto, mas sim refletirmos sobre o que ele, quando descobre, faz com o estrupício

    ..por exemplo, se o expulsa DEFINITIVAMENTE deixando sua defesa à própria conta, ou se tenta dar guarida ao criminosos e o protege a ponto de tentar usar de toda a sua influência – inclusive da MIDIA alternativa – pra livrar a cara do malandro, não achas ?

    e convenhamos, que “erda”, até aqui o DEMO, modesto, esta nos dando mostras de como fazer ..meio que nos dizendo que até ele às vezes se envergonha do que inspirou alguns a fazer

    é o fim dos tempos mesmo Messias ..agora ó se benzendo com ramo de arruda

    http://www.youtube.com/watch?v=am8NvEuEyb0

FrancoAtirador

03 de outubro de 2012 às 00h59

.
.
Apesar de, no aspecto do moralismo católico e do antipetismo,
atualmente coincidir suas opiniões com as de Reinaldo Azevedo,
Plínio de Arruda Sampaio tem história na política brasileira,
ao contrário do efêmero e raivoso blogueiro da Revista Veja:

Plínio Soares de Arruda Sampaio (São Paulo, 26 de julho de 1930) é um intelectual e ativista político brasileiro.
É filiado ao PSOL e foi candidato à Presidência da República do Brasil nas eleições de 2010, obtendo a quarta posição, com 886.816 votos (0,87%).

Formado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo em 1954, militou na Juventude Universitária Católica, da qual foi presidente, e na Ação Popular, organização de esquerda surgida a partir dos movimentos leigos da Ação Católica Brasileira.

Foi promotor público, deputado federal constituinte e atualmente preside a Associação Brasileira de Reforma Agrária (ABRA), além de dirigir o semanário Correio da Cidadania.

Durante o governo de Carvalho Pinto do estado de São Paulo, Plínio foi indicado para a subchefia da Casa Civil. Em 1959, um ano após a eleição de Carvalho Pinto, Plínio se tornou coordenador do Plano de Ação do Governo, função que ocupou até 1962.
Ainda no governo Carvalho Pinto, foi secretário dos Negócios Jurídicos, e entre 1961 e 1962 chegou a trabalhar na prefeitura da cidade de São Paulo como secretário do Interior e Justiça durante a última administração Prestes Maia.

Em 1962, foi eleito deputado federal pelo Partido Democrata Cristão (PDC) e tornou-se membro da Comissão de Economia, da Comissão de Política Agrícola e da Comissão de Legislação Social.

Principal liderança da ala esquerda do PDC, foi relator do projeto de reforma agrária, que integrava as reformas de base do governo João Goulart.
Criou a Comissão Especial de Reforma Agrária e propôs um modelo de reforma que despertou a indignação dos grandes latifundiários do Brasil.

Após o golpe de 1964 foi um dos 100 primeiros brasileiros a terem seus direitos políticos cassados por dez anos, pelo Ato Institucional nº 1, nos primeiros dez dias do regime.

Exílio e entrada no MDB

Exilou-se no Chile onde morou por seis anos, trabalhando como funcionário da FAO.
Transferiu-se para Estados Unidos da América no ano de 1970, onde trabalhou no Programa FAO/BID, em Washington D.C., antes de cursar o mestrado em Economia Agrícola na Universidade Cornell.

De volta ao Brasil em 1976, foi professor da Fundação Getúlio Vargas, fundou o Centro de Estudos de Cultura Contemporânea (Cedec) e engajou-se na campanha pela abertura do regime militar e pela anistia dos condenados políticos.

Ao lado de outros intelectuais do Cedec e do Cebrap, idealizou um partido à esquerda do MDB e, para isso, ao lado de Almino Affonso, Francisco Weffort e Fernando Henrique Cardoso, articulou-se com líderes emedebistas como Marcos Freire e Jarbas Vasconcelos.

Paralelamente, Plínio, Weffort e Almino lançaram a candidatura de Fernando Henrique para o Senado pela sublegenda do MDB.

O acordo entre eles era de construir um novo partido de esquerda, se Fernando Henrique ganhasse mais de um milhão de votos.

O partido já tinha programa e manifesto e se chamaria Partido Socialista Democrático Popular (PSDP).

Na concepção de Plínio, a nova agremiação seria um partido democrático e de massas com base popular e programa socialista, organizado em núcleos de base.
Porém, a idéia de criar um novo partido foi abortada pela mudança de planos de Fernando Henrique, que, após se eleger suplente de senador pelo MDB em 1978, declarou como prioridade o fortalecimento da legenda, apesar do compromisso firmado com Plínio, Almino e Weffort de construir um novo partido.
Fernando Henrique chegou a receber 1.600.000 votos, derrotando o candidato da Arena, Cláudio Lembo, assim conquistando a suplência do senador eleito Franco Montoro.

Embora tivesse combinado com Plínio de construir um partido socialista, caso atingisse a marca do milhão de votos, o que demonstraria viabilidade eleitoral de candidatos de esquerda, Fernando Henrique alegou que, se cumprisse o combinado, estaria encorajando o divisionismo.

Plínio, perplexo com a inversão de prioridades do colega, rompeu com o MDB.

Com o fim do bipartidarismo, Plínio se engaja ao lado de outras figuras ilustres na fundação do Partido dos Trabalhadores.

A fundação e trajetória no PT (1980-2005)

Decepcionados com a atitude de Fernando Henrique, Plínio e Weffort entraram para o Partido dos Trabalhadores em 1980, data da fundação dessa agremiação de orientação socialista.

Plínio foi o autor do estatuto do partido e um dos idealizadores do seus núcleos de base.

Em 1982, candidatou-se a deputado federal por São Paulo, tornando-se primeiro suplente. Posteriormente viria a ocupar o cargo, quando o deputado Eduardo Suplicy se afastou do parlamento para disputar a prefeitura de São Paulo.

Em 1984, participou, ao lado de Ulysses Guimarães, da campanha Diretas Já, que clamava pela volta de eleições presidenciais diretas no país.

Em 1986, Plínio Sampaio foi eleito deputado federal constituinte, com 63.899 votos, tendo sido o segundo mais votado do PT (depois de Luiz Inácio Lula da Silva) e o 27º mais votado de São Paulo.

Participou da elaboração da Constituição Federal de 1988 e como deputado constituinte ficou nacionalmente conhecido ao propor e defender um modelo constitucional de reforma agrária, que visava acabar com os latifúndios; além disso, tornou-se o único deputado petista a presidir uma Comissão de Trabalho.

Durante a Assembléia Nacional Constituinte, foi membro da Comissão de Redação, da Comissão de Sistematização, da Comissão da Organização do Estado e da Subcomissão de Municípios e Regiões, que presidiu.

Fez parte do bloco suprapartidário de articulação da Igreja Católica, como membro da Comissão de Acompanhamento da CNBB na Constituinte.

Foi ainda vice-líder da bancada do PT na Câmara, em 1987, e substituiu Luiz Inácio Lula da Silva na liderança do partido, em 1988.
No mesmo ano disputa as prévias internas no PT para sair candidato a prefeitura de São Paulo sendo derrotado por Luiza Erundina, exercendo a função de vice-líder petista até 1990.

Candidatou-se a governador do Estado de São Paulo, em 1990, sendo derrotado pelo secretário de Segurança Pública Luiz Antônio Fleury Filho, candidato do PMDB, ostensivamente apoiado pelo governador Orestes Quércia.

Em 1992, Plínio apoiou o movimento pelo impeachment do presidente Fernando Collor, que se via envolvido em várias denúncias de corrupção.
Collor foi afastado temporariamente e no final de 1992, renunciou ao cargo.
Plínio permaneceu na oposição e se torna crítico do plano econômico implementado no final do governo assumido por Itamar Franco, o Plano Real.

A adesão ao PSOL e a crítica ao programa democrático-popular (2005)

Em setembro de 2005, após desligar-se do Partido dos Trabalhadores, do qual foi um dos fundadores e histórico dirigente, ingressou no Partido Socialismo e Liberdade (PSOL).

Por não concordar com o rumo político do PT, Plínio desligou-se do partido em 2005 – logo após 1º turno do Processo de Eleições Diretas (PED) que elegeu um novo Diretório Nacional.

Na ocasião Plínio foi candidato a presidente nacional do PT encabeçando a chapa “Esperança Militante”, quando conquistou 13,4% dos votos dos filiados e alcançou a 4ª colocação.

Em 2006, como candidato do PSOL a governador do Estado de São Paulo, chegou a dizer, durante debate que precedeu o primeiro turno das eleições, que o programa político do PT era idêntico ao do PSDB.
Nesta eleição, o partido recebeu cerca de 450 mil votos.

Defende a luta pelo socialismo por meio de um programa diferente do chamado programa democrático-popular, o qual é reivindicado pela direção majoritária do PSOL, representada por Ivan Valente e pela corrente Ação Popular Socialista, por acreditar que ele eventualmente possa levar à repetição de erros observados na trajetória do PT.

No partido, colabora para a construção de um campo minoritário e autodeclarado revolucionário com as correntes Coletivo Socialismo e Liberdade, Coletivo Socialista Rosa do Povo e centenas de militantes socialistas como Sandra Feltrín, Fernando Silva Tostão, Agnaldo Fernandes, Roberto Leher, Bruno Meirinho, Plínio de Arruda Sampaio Filho, Rosa Marques, Marcelo Badaró, Paulo Rios, Paulo Gouveia, Júnia Golveia, Jorginho Martins, Ricardo Antunes, José de Campos Ferreira, Jesualdo Campos Júnior, Hélio de Jesus, Paulo Pasin, Leninha e Raul Marcelo.

Pré-candidato a Presidência da República (2009)

Durante o II Congresso do PSOL, o deputado estadual Raul Marcelo lançou a pré-candidatura de Plínio à presidência da República, com o propósito de construir um programa que sirva para lutar contra os efeitos da crise econômica sobre os trabalhadores e pela unidade da esquerda socialista contra o capital.

A tese defendeu o aprofundamento das relações com os países da América Latina para a construção de saídas coletivas, lembrando que o Brasil foi o 2º país mais impactado na redução do PIB e perdeu 1 milhão de postos de trabalho, sendo 800 mil com carteira assinada.

Raul Marcelo também defendeu um partido de militantes nucleados, com autonomia de classe, que não receba recurso dos patrões, com uma política clara de alianças de classe com PCB e PSTU e não com o PV.

Dias depois foi apresentado um manifesto com centenas de assinaturas em apoio a pré-candidatura de Plínio de Arruda Sampaio. Entre milhares de pessoas, filiadas ou não ao PSOL, aderiram à pré-candidatura, há Fábio Konder Comparato, Aziz Ab’Saber, José Arbex Jr., Dom Cappio, Dom Tomás Balduíno, Carlos Nelson Coutinho, Leandro Konder, Virgínia Fontes, Vito Letízia, Ivan Valente, Rosa Marques, Marcelo Freixo, Gilberto Maringoni, João Alfredo, João Machado, Chico de Oliveira, Ricardo Antunes, Chico Alencar, Raul Marcelo, José Nery, Milton Temer, Arthur Moreira, Fernando Silva “Tostão”, Carlos Renato Floriano, Sandra Feltrín, Hugo Maron entre outras pessoas com trajetória destacada na esquerda brasileira.
E, inclusive obteve apoio internacional, como o recebido de István Mészáros e François Chesnais.

Em 10 de Abril de 2010, foi confirmada a pré-candidatura de Plínio de Arruda Sampaio à presidência e em 30 de junho de 2010, em Convenção realizada em São Paulo, seu nome foi oficializado candidato ao cargo, tendo como vice o pedagogo Hamilton Assis, do PSOL baiano.

Plínio obteve destaque na imprensa e na rede social Twitter por conta de seu desempenho no primeiro debate eleitoral entre os postulantes à cadeira de Lula, realizado pela TV Bandeirantes em 5 de agosto de 2010.

Contou com grande apoio de outras tendências internas do PSOL, mesmo das que anteriormente defenderam outros pré candidatos, como o Movimento Esquerda Socialista,[7] representado pela Ex-Deputada Federal Luciana Genro, a Vereadora Fernanda Melchionna e o Vereador Pedro Ruas, do PSOL/RS, e da juventude brasileira como um todo.

Fora do debate promovido em 18 de agosto de 2010 pela Folha/UOL, Plínio convocou um “tuitaço” e chegou pela segunda vez ao trending topics, expressão usada para classificar o número um do ranking da rede Twitter.

Resultado das Eleições Presidenciais de 2010

Plínio foi o quarto candidato à presidência mais votado, tendo recebido 886.800 votos (0,87% dos votos válidos).

Plínio de Arruda Sampaio é um dos mais respeitados intelectuais de esquerda católica e também um do mais árduos defensores da Teologia da Libertação entre o laicato.

É a favor de um aprofundamento da reforma agrária no Brasil, sendo presidente da Associação Brasileira de Reforma Agrária (ABRA).

É diretor do Correio da Cidadania, que tem como editora Valéria Nader e é um veículo de comunicação sem fins lucrativos da cidade de São Paulo fundado em 1996. (http://www.correiocidadania.com.br/)

http://pt.wikipedia.org/wiki/Pl%C3%ADnio_de_Arruda_Sampaio

Responder

    Zé Capiau

    03 de outubro de 2012 às 03h25

    É justamente por todo seu histórico que ele jamais deveria ter dito essas besteiras. Ele deve ser mais cobrado e menos perdoado.
    Ao compararmos suas declarações com seu histórico de vida, é como se ele nos dissesse: “Esqueçam o currículo que escrevi”.

    mauro

    03 de outubro de 2012 às 07h39

    Hahahaha, mandou o currículo pra pedir emprego? ELe vai ser secretário de qual prefeito?

    Fábio Rezende

    03 de outubro de 2012 às 08h19

    O homem tem história e quando já está para se retirar mostra que seu ressentimento com o PT é tão grande que o faz fingir que acredita no que diz sobre esse julgamento. Ele falou em degenerescência, mas isso a que assistimos, seu descompromisso com os fatos e a verdade, em razão da possibilidade de se rogojizar com a queda de seus ora desafetos, antes aliados, é vergonhoso.

    magali

    03 de outubro de 2012 às 08h21

    Apesar de ter história na política brasileira, atualmente suas opiniões coincidem com as de Reinaldo Azevedo, efêmero e raivoso blogueiro da Revista Veja, no aspecto do moralismo católico e do antipetismo.

    jose marcos

    03 de outubro de 2012 às 10h15

    Bonito Curriculum, mais isto lhe da direito de ser joguete da esquerda midiatica???? Com tudo isto que ele falou ele acha que esta ajudando quem????? Não podemos esquecer que o PSOL, ao fazer o jogo da direita e dos sonegadores ajudou a derrubar o imposto mais justo que ja tivemos (CPMF). Ele acha que os juros ainda são altos, tambem acho, mais o PSOL quando num hipotetico dia assumir o poder vai fazer o que???? como dizia a idiota hipocrita da HH acabar com os juros por decreto???hahahaha

Marcelo

03 de outubro de 2012 às 00h53

Ai, ai. Esse PSOL. Patético. Acham que vāo conseguir chegar onde com tanta hipocrisia? Eles foram eleitos com o dinheiro do caixa 2 pelo PT (assim como todos os polítIcos de todos os partidos) e ficam dando uma de Santa Madalena.

Responder

Joana Gouvêa

03 de outubro de 2012 às 00h51

Sabe o que eu acho pior: é ele ter usufruído, durante longos anos, de toda a pujança que é a militância do PT. É ele ser “famoso” especialmente porque foi forjado nessa militância, nessa luta aguerrida, nesse histórico de luta de tantos anônimos, como eu, que lutaram pelo fim do escárnio sobre as instituições brasileiras. Ou ele já se esqueceu de que FHC formou uma enorme “hegemonia” em seu governo, que incluiu o Parlamento, o Judiciário e a Mídia, que jamais condenaram alguém naquele período? Usa hoje sua “fama” para elogiar um tribunal de exceção. Que ele sabe que é de exceção! Tem consciência de que é injusto porque não trata igualmente as denúncias que não são dirigidas “ao PT”. O mínimo que um homem com a sua idade deveria ser era justo, inclusive usando sua “fama” para promover a denúncia irredutível ao mensalão tucano (chamado pela mídia de “mineiro”). Ninguém gosta de traidor. Nem a direita. Pior que opositor é parceiro abandonado, carente de divórcio litigioso. Pois é, curriculum só pode ser apreciado depois da morte. E velhice não é sinônimo de maturidade. Vai Plínio, fazer política estudantil com seus companheiros bem nutridos e que- tendo tudo – ainda falam mal do papai. Seria respeitado se, ao menos, ficasse calado. Isso sim, seria a melhor crítica. Bundão.

Responder

Cibele

03 de outubro de 2012 às 00h48

Enquanto todos nós, pobres mortais HONESTOS e admiradores de Lula (como o mundo todo, aliás) estamos preocupadíssimos com o nosso país. Absurdo! Eu quero que ele pegue o feicibuqui dele e… Olha, Azenha, sei lá… Esse senhor não se preocupa com o Brasil NEM A PAU! Tá provado.

Responder

valdeci elias

03 de outubro de 2012 às 00h46

Em 64, teve muito politico que deixou o golpe seguir, achando que na proxima eleição teria mais chance de ganhar. Não apoiaram Jango e esqueceram a constituição. Pouco depois os militares deram uma rasteira, e deramum golpe dentro do golpe.Carlos Lacerda, JK e outros politicos foram escanteados pelos militares.
A mesma coisa vai acontecer com o PSOL e o PSTU.

Responder

Cibele

03 de outubro de 2012 às 00h42

O partido dele está animadíssimo, notem bem. Foi ele quem disse.

Responder

sandro

03 de outubro de 2012 às 00h39

Na verdade, o que ele tem a perder?
Puxem pela memória. Normalmente nossos amigos de esquerda
digo os mais exaltados foram sempre os que deram “para traz” na hora “h”.Para combater a esquerda usa-se a esuqerda ou algo semelhante.
O Plínio não ´”gaga” não, fala com lucidez.Espero que ele encontre seu
lugar merecido e viva muito ainda para descobrir o que valeu à pena.

Responder

Cibele

03 de outubro de 2012 às 00h39

Posso dizer que sobrevivi a este post. Pelo menos agora está provado.

Responder

Wagner

03 de outubro de 2012 às 00h32

O velho e bom Plínio.

Concordo 100% com ele.

Pessoal, uma hora vocês se desfarão dessa ilusão que se tornou o PT e migrarão ao PSOL ou a outro partido de esquerda de verdade.

Se acordarem a tempo, talvez consigamos fazer as mudanças que este país realmente precisa.

Mas enquanto ficarem defendendo criminosos de colarinho branco, a revolução não virá…

Responder

    Luiz

    03 de outubro de 2012 às 01h44

    Desculpe Wagner, mas o PSOL é o ultimo partido que ao qual eu iria aderir, apesar de ser de esquerda, não vejo grande diferença entre o PSOL e o DEM, acho até que o DEM é mais honesto, pois assume que é de direita e ponto.

    Bonifa

    03 de outubro de 2012 às 06h22

    Quando o PSOL puser como prioridade absoluta a luta contra a direita, recusando em qualquer circunstância ser linha auxiliar dela em situações concretas, ou se aliar a ela contra qualquer outro partido de esquerda, vai merecer respeito e vai crescer.

    Narr

    03 de outubro de 2012 às 11h35

    E quando é o PSOL vai denunciar o acordo que Lenin fez com os alemães para voltar de carro blindado até Petrogrado? A pátria invadida pelos imperialistas e os bolcheviques fazem acordo que incluiu gordo mensalão para os vermelhos!! MEU PONTO DE VISTA: não lanço calúnias de direita. O fato foi esse mesmo. A interpretação: não se trata de defender o vale-tudo mas a nuance de que para certos fins valem certos meios. A não ser que você seja psolista, ou seja, fundamentalista: temos que ser honestos. Ora, vamos até o fundo: o dinheiro do fundo partidário vem dos impostos cobrados do povo sofredor. Como é que PSOL aceita então esse dinheiro sujo, extorquido do trabalhador? Que nojo!!! Papai do Ceu não aceita fazer política assim! Ai ai ai ai ai!

Messias Franca de Macedo

03 de outubro de 2012 às 00h20

… Talvez uma *palavra traduza a convergência das ideias contemporâneas do Plínio de Arruda Sampaio e do Ferreira Gularr: “porraloucuras”!
*’porralouca’ é um termo comum proferido por estes dois ilustres brasileiros.
NOTA: honestamente, o adjetivo ilustre não traduz ironia! O professor e o poeta são duas personalidades dignas e importantes para a história do nosso país. Sem sombra de dúvidas… No entanto, ‘a porraloucura’ me veio à mente ao imaginar os sorrisos largos dos [ilibados] Álvaro Dias, Agripino Maia & Cia!…

República de ‘Nois’ Bananas – ‘remando contra o vento’!
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Messias Franca de Macedo

03 de outubro de 2012 às 00h06

ESCULHAMBAÇÃO NO ESTILO CÁTEDRA-FASHION! Entenda

Picadeiro: estúdio da ‘RouboNews’, programa “Entre Aspas”, noite de 02/10/12

[Mônica Valdvogel fazendo o estilo fashion saia justa (sic)] – “… Começa agora a parte mais crítica do julgamento do mensalão, a etapa em que as provas, digamos, cabais talvez fossem necessárias para condenar a cúpula do PT… No entanto, a condenação deverá resultar como decorrência natural da narrativa anterior do julgamento…”
[Um jurista e professor de Direito da USP e da FGV] – “Eu acho que nos julgamentos anteriores ao do Mensalão, os argumentos, a defesa dos réus, principalmente em se tratando de homens públicos… Esses argumentos, eu diria, eram mais bem aceitos pelos juízes do STF, o que estabelecia a não punição dos acusados…
[O outro convidado (a dedo!)] O ministro Francisco Rezek, não sei por que Diabos falava olhando para o teto, asseverou tantas bobagens, permito-me registrar duas, “abre aspas” para a Excelência: 1- de toda a história do [glorioso] STF, o maior erro, talvez o único, tenha sido o de não ter votado pela extradição do Cesare Battisti; 2- quanto ao fato de os condenados neste julgamento recorrerem a um Tribunal Internacional, certamente não obterão êxitos… Mesmo porque a dona [dona!] Dilma [Rousseff]…

A DESGRAÇA MAIOR: durante meia hora tripudiando o PT, exaltando o STF e preconizando a ética como conduta inalienável, a âncora do programa, o professor de Direito da USP e da Fundação Getúlio Vargas e o [reacionário] Francisco Rezek não insinuaram nem de longe a existência dos outros mensalões, nem mesmo aquele ‘primeirão’, nascedouro do ‘Valerioduto’!…

EM TEMPO: o matuto pensou em atiçar a antena da TV por assinatura junto com o aparelho de televisão janela abaixo!… Refreei o ímpeto ao pensar que poderia machucar alguma cabeça ‘tênue’ e/ou algum nariz de madeira, três andares abaixo!…

Que país é esse, sô?! República de ‘Nois’ Bananas, responde, “na lata”, o matuto ‘bananiense’!

Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

    magali

    03 de outubro de 2012 às 08h10

    Mudei de canal quando o prof. da USP/FGV comentou que o julgamento era diferente de tudo, inclusive “do que ensinamos aos nossos alunos”, tipo “O STF encontrou uma maneira de punir quem a gente acha, desconfia que deve ser punido”. Um primor.
    Pensei que estivesse assistindo sozinha a essa aberracao, Messias.
    Sobre o post, “eventualmente, o STF também vai condenar os políticos do PSDB ligados ao mensalão original” – ou seja, desde que o PT seja condenado, tanto faz o que aconteca com o mensalao do PSDB.

    João Grillo

    03 de outubro de 2012 às 11h18

    Pra se ter uma ideia da máxima do reacionário Nelson Rodrigues (catedrático no tema): “OS CANALHAS TAMBÉM FICAM CAQUÉTICOS!”… A pá de cal fica por conta do meu filho: “E QUEM DIABOS É ESTE PLINIO?!”

    Márcia

    03 de outubro de 2012 às 12h21

    Messias, só uma perguntinha: você ainda assiste ao Entre Caspas?

    Mário SF Alves

    03 de outubro de 2012 às 15h11

    Tá chegando a hora de alguém mandar mais receitas (de chambaril e outras), pois a continuar assim – até o Pínio jogou a toalha – vamos ter de nos embriagar de coquetel, concorda?
    Paraguaização do Brasil, não! Não foi pra isso que pacificamente chegamos até aqui.
    Será que já é chegada a hora do o “nóis bananas depois de tudo assistir” evoluir para o “nóis bananas é preciso ao golpe resistir”?

    Almerindo

    03 de outubro de 2012 às 15h14

    Messias, além de não assistir ao “entre Caspas”, nem tenho TV a cabo, pois fazendo isso, estaria dando dinheiro pra rede goebbels…

    Mário SF Alves

    03 de outubro de 2012 às 15h30

    Então é isso? Não se dão ao trabalho de sequer estudar como se deve civilizadamente referir-se à presidenta do Brasil. É dona Dilma pra cá; Lula minha anta pra lá. E por aí vai. É essa a democracia deles. O jogo só vale quando é jogado por eles, quando as regras são quebradas e ditadas por eles. Ainda sobre a forma de tratamento, vejamos:
    “[O outro convidado (a dedo!)] O ministro Francisco Rezek, não sei por que Diabos falava olhando para o teto, asseverou tantas bobagens, permito-me registrar duas, “abre aspas” para a Excelência: 1- de toda a história do [glorioso] STF, o maior erro, talvez o único, tenha sido o de não ter votado pela extradição do Cesare Battisti; 2- quanto ao fato de os condenados neste julgamento recorrerem a um Tribunal Internacional, certamente não obterão êxitos… Mesmo porque a dona [dona!] Dilma [Rousseff]…”
    E isso em “debate” público. Em mídia (concessão pública) de alcance nacional. Que educação, caro Messias. Quanta educação. Como são preocupados com a educação.
    Em tempo: quanto ao julgamento do pedido de extradição a que se referiram foi a meu ver verdadeira aula de cidadania. Bons tempos aqueles do JB. Tá no youtube; vale a pena ver.

Narr

03 de outubro de 2012 às 00h01

O PSOL está cheio de razão. Devemos acrescentar que esperamos que a consequência disso tudo seja a cassação e prisão de todos os que receberam dinheiro de campanha por meio de Delúbio, o que certamente incluirá uma bela lista de psolistas que foram do PT na época…

Responder

    francisco pereira neto

    03 de outubro de 2012 às 00h19

    Está confirmado que os extremos se encontram.
    Nada mais do que patético essas afirmações do gagá Plínio.
    Só que ele se esqueceu, o que é natural na sua idade, de que o seu psol é formado por ex integrantes do PT.
    Fazer coro com o PIG, com a oposição desnorteada, elogiando os ministros do STF é fazer apologia do golpe.

    Narr

    03 de outubro de 2012 às 11h28

    Tem muito PSOLista citando reportagem do JN e da Veja contra o PT como modelo de jornalismo investigativo. Lembra quando os psolistas Luciana Genro, HH e Babá foram entrevistados até no programa de auditório do Leão? Nenhum deles se deu conta de que estava sendo usado pela direita? Nenhum deles percebe que será usado enquanto não forem ameaçadores?


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding