VIOMUNDO

Diário da Resistência


Maurício Dias: Para saciar o paladar de Bolsonaro, a elite jovem está disposta a dar um tiro no pé
Wilson Dias/Agência Brasil
Política

Maurício Dias: Para saciar o paladar de Bolsonaro, a elite jovem está disposta a dar um tiro no pé


21/07/2018 - 15h45

Wilson Dias/Agência Brasil

Os jovens bolsominions

O contingente de apoiadores de Bolsonaro engorda no público com nível superior e na faixa de 25 a 34 anos

por Maurício Dias, em CartaCapital

O deputado e ex-capitão do Exército Jair Bolsonaro tornou-se, sem dúvida, a mais curiosa e perigosa atração de uma eleição na qual boa parte dos eleitores parece mesmo disposta a votar nele.

Sem a presença de Lula, as chances deste tresloucado competidor crescem.

A competição é importante. Talvez uma das mais inquietantes da República.

Ela sucede a um golpe que, lentamente, leva o País para o fundo do poço.

A queda é profunda e está longe do fim.

Pode-se falar de uma disputa que, na reta final, é hoje, e poderá vir a ser amanhã, uma inédita reação suicida da sociedade.

O Brasil tem cerca de 150 milhões de eleitores.

Se a eleição fosse hoje, a metade não votaria.

As pesquisas, até agora, apontam para uma grande rejeição na intenção de votos nulos e brancos.

Eles se somam àqueles eleitores que não souberam e os que não responderam à pergunta: “Em quem vai votar?”

E há ainda os cidadãos dispostos a não se aproximar das urnas.

Protesto infantil

Para saciar o paladar de Bolsonaro, a elite jovem, neste caso, está disposta a dar um tiro no pé. Ou no coturno.

Ao votar no ex-capitão, os jovens talvez se sintam descrentes da política.

Talvez confiem na equivocada tentativa de vencer o faroeste.

Ou, quem sabe, bastariam atrabiliaridades do juiz Sergio Moro?

Dados colhidos na mais recente pesquisa do Ibope mostram a predominância de Lula entre os eleitores mais jovens. Mas essa diferença já foi maior.

Eleitores de idade entre 25 e 34 anos ainda perdem para os 23% que sustentam o voto em Lula.

Bolsonaro, porém, aproxima-se com 14%.

O critério da escolaridade, entretanto, mostra que, no nível superior de ensino, Bolsonaro tem 17% e Lula, 15% (tabela).

Os votos dos mais jovens nas regiões Sudeste e Sul já não são mais sustentados por Lula.

O apoio a Bolsonaro é expressivamente maior pelo critério de renda.

Entre aqueles que ganham mais de 5 salários mínimos e outros com ganho superior a 2 salários mínimos, Bolsonaro tornou-se, em princípio, insuperável.

As duas eleições presidenciais, vencidas por Lula, além da vitória de Dilma Rousseff, foram conquistadas com a ampliação de um voto que foi além da linha fronteiriça e própria ao PT.

Há agora, no entanto, um claro recuo. Jair Bolsonaro nunca escondeu, nem esconderá agora, que não tem limites para alcançar a cadeira presidencial.

Vale tudo.

Ele se explica: “Se o nosso foco é a cadeira presidencial, paciência. Só não vamos fazer pacto com o Diabo”.

Calma lá, capitão.

O Diabo, caso existisse, não daria nenhuma importância à sua patente.

Leia também:

Tania Mandarino: A parcialidade do presidente do TRF-4



8 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Jaderson B. de Oliveira

25 de julho de 2018 às 07h36

Se Bolsonaro fizer cagada (e vai) é só por na conta do PT e Dilma, os zumbis/globo acreditam.
Esse povinho de quinta merece governo 10 x pior que esse Temer.

Responder

Luiz

23 de julho de 2018 às 16h51

A tragédia da farsa do impeatmant só está começando. O resultado disso será Cunha governando o congresso e a cavalgadura do Bolsonaro na presidência. A tragédia só está no inicio.

Responder

Celina

21 de julho de 2018 às 22h26

A elite jovem é formada basicamente por um monte de preconceituosos, nao é novidade adorar Jair Bolsonaro.
Só mostra o nivel de falsidade da nossa sociedade, ninguem aprova o que o Bolsonaro diz ou faz, mas muitos no escurinho do cinema fazem as mesmas coisas.

Responder

lulipe

21 de julho de 2018 às 19h41

É melhor JAIR se acostumando….

Responder

    Cláudio

    23 de julho de 2018 às 01h13

    .:.
    :
    É melhor você já ir tomando no . . .

OSVALDO LESCRECK FILHO

21 de julho de 2018 às 16h50

O que pode ter na cabeça quem vota numa cavalgadura dessas ? É outro “aécio neves”. Não em qualidade alguma….

Responder

Nahum Pereira

21 de julho de 2018 às 16h14

Que trágico… cursos superiores que não oferecem uma visão abrangente do mundo… formam bacharéis e licenciados que continuam sendo analfabetos políticos…

Responder

    Cleusa Pozzetti Siba

    23 de julho de 2018 às 07h31

    É lamentável !Horripilante! Preocupante!!!! São seres que deixaram de ser humanos há muito tempo! Se tornaram uns zumbis – pois perderam sua alma!!!


Deixe uma resposta