VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.
Cartas de Minas
Cartas de Minas

Lincoln Secco: A História os absolverá

13 de agosto de 2013 às 09h23


O fim do mensalão

por Lincoln Secco, especial para o Viomundo

O Mensalão acabou. Depois de cerca de nove anos de uso político de um crime de caixa dois, aquela fonte do discurso oposicionista esgotou. Há três fatos sintomáticos disso.

O primeiro é que Dirceu, Genoíno e João Paulo estão fora da chapa majoritária que irá compor o próximo diretório nacional. Sem defender seus dirigentes históricos desde a primeira hora, o PT patinava entre a defesa envergonhada e o afastamento deles. É possível que seja a tentativa de virar de vez aquela página da história.

O segundo é que a Imprensa Monopolista está diante de um escândalo infinitamente maior: o cartel do Metrô. Ela tentou minimizar a notícia durante dois anos ou mais. Porém, depois que a Siemens selou um acordo de leniência com a justiça e cedeu documentos importantes, evidenciou-se um mega esquema de financiamento e enriquecimento ilícito de graúdas figuras do PSDB.

O problema é que esta mesma mídia passou os últimos anos na escola de Carlos Lacerda e ungiu a corrupção como o único problema nacional. Tornou-se difícil agora salvar os tucanos.

O terceiro é mais complexo. Passada a tormenta do ataque midiático movido pelas eleições municipais já encerradas, forma-se em círculos cada vez mais amplos (inclusive jurídicos) a convicção de que alguns ministros agiram politicamente.

Embora isto já fosse evidente durante o julgamento, o que não se percebeu na época foi a fragilidade técnica dos votos condenatórios. Contribuiu para isto também a desmontagem da figura do presidente do STF e o receio de futura desmoralização do tribunal. É que só agora se percebeu que ao adquirir a simpatia da opinião publicada o STF também se submete a ela. Trata-se de uma reação corporativa que tende a isolar os ministros que buscam holofotes só para si.

Ao que tudo indica o STF observou também que a condenação dos réus por compra de votos torna nula a reforma da previdência e abre a porteira a uma enxurrada de indenizações e pagamentos retroativos. Mas algumas condenações não podem ser mais revistas.

O que fazer? Seria difícil para o STF se defender com a ideia estapafúrdia de que os supostos votos comprados “não foram suficientes” para determinar o resultado da votação. Uma emenda constitucional com um único voto comprado é viciada ab ovo. Se o Supremo disser o contrário instalará uma insegurança jurídica incontornável no país. Seria tão ridículo quanto acusar José Dirceu com uma novíssima teoria: o domínio do fato não consumado.

Tais sintomas da conjuntura parecem indicar, portanto, que o Supremo vai rever a condenação de alguns réus. Se a presidenta Dilma aprendeu alguma coisa sobre a natureza política do STF, os dois novos ministros vão declarar dentro da mais perfeita legalidade que não existiu formação de quadrilha alguma.

A solução do STF seria um juste milieu: os réus sofreriam uma meia sanção. Não seriam presos, apenas marcados para sempre com uma condenação por crime comum. E os ministros que votaram de acordo com a mídia seriam poupados de uma derrota maior. Decerto são hipóteses a se verificar porque ninguém pode prever o resultado.

Que o mensalão permanecerá na história do PT, não há dúvida. Mesmo que hoje saibamos muito melhor o que de fato ocorreu em 2005. Tratou-se uma batalha política. Como o jornalista Paulo Moreira Leite demonstrou houve o crime de financiamento ilícito (caixa dois) que é simplesmente a norma de qualquer eleição no Brasil. Que se trata de crime, não há dúvida. Mas só o PT será punido por isso. Já a compra de votos, esta continuará sendo uma suspeita sobre o governo Fernando Henrique Cardoso e não mais de José Dirceu ou Lula.

Hoje é preciso que se reconheça a verdade com todas as suas conseqüências: o STF jamais demonstrou a compra de votos no congresso. José Dirceu pode ser criticado por seus erros e escolhas políticas, mas jamais por algum crime comprovado nos autos da ação penal 470. Ele e alguns outros réus sofreram uma condenação injusta. A História os absolverá.

Leia também:

Conceição Lemes: A estranha “amnésia” de Messias

Paulo Moreira Leite: Os ministros do STF vão se render ao medo?

Messias vs. Pizzolato: Visita aos bastidores dos governos Lula e Dilma

Helena Chagas diz que governo desconcentra verbas publicitárias

Maria Inês Nassif: Processo contra ex-gerente do BB anda devagar

Barbosa, o ex-procurador e as provas que poderiam mudar tudo

Zé de Abreu: Condenar Genoino lembra Ionesco

Saul Leblon: Policarpo & Gurgel, ruídos na sinfonia dos contentes

 

Apoie o VIOMUNDO

Crowdfunding

Veja como nos apoiar »

O lado sujo do futebol

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Entre os mais vendidos da VEJA, O Globo, Época e PublishNews. O Lado Sujo do Futebol é o retrato definitivo do que acontece além das quatro linhas. Um dos livros mais corajosos da história da literatura esportiva, revela informações contundentes sobre as negociatas que empestearam o futebol nos últimos anos. Mostra como João Havelange e Ricardo Teixeira desenvolveram um esquema mafioso de fraudes e conchavos, beneficiando a si e seus amigos. Fifa e CBF se tornaram um grande balcão de negócios, no qual são firmados acordos bilionários, que envolvem direitos de transmissão e materiais esportivos. Um grande jogo de bolas marcadas, cujo palco principal são as Copas do Mundo.

por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet.

Compre agora online e receba em sua casa!

 

35 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

boanerges de castro

28/08/2013 - 00h00

Qualquer que seja o resultado final do julgamento de José Dirceu, José Genoíno e João Paulo, quem vai ficar mal no filme será o STF, que sempre foi leniente com crimes de vários tipos, contanto que os autores tivessem muita grana. Pergunta-se: o que faz um criminalista cobrar R$ 15 milhões para defender um figurão na Corte Suprema? O que teria movido o ex-presidente do STF, Dr. Gilmar Mendes, a deferir um habeas corpus para o “neobanqueiro” Daniel Dantas, às 3h da madrugada? A mídia poderosa acerta ao divulgar que o julgamento do tal do “mensalão” terá sido o maior da história do Brasil, não só pelo tempo que terá consumido, mas sobretudo pela tentativa de mostrar que o STF merece confiança, ainda que se valendo seu ministro-relator e agora presidente de condenações sem prova, escolhendo justamente figuras exponenciais do PT por ser inimigo do PSDB, que é quem está com a batata quente nas mãos. De fato, a história os absolverá, mas a Justiça jamais absorverá essa empulhação. “Quem pariu Mateus que o embale”. Quanto ao poder da mídia poderosa, seus dias estão contados. Seu filme, fatalmente, será queimado. Sabem por quê? Porque ela agora resolveu bater de frente com os milicos, mas somente agora, diante da impossibilidade de se abafarem as investigações sobre os porões da ditadura. Quem é infiel costuma se dar mal e não se recuperar. Consequência: as grandes marcas nacionais e internacionais evitarão circular por seus canais fétidos. Imagem é tudo. Ela quebrará. Fatalmente.

Responder

Gilberto Nascimento: MTV foi oferecida à igreja Mundial - Viomundo - O que você não vê na mídia

16/08/2013 - 00h26

[…] Lincoln Secco: A História os absolverá […]

Responder

vinicius

14/08/2013 - 12h26

e não terei a menor InVeja, se amanhã ou depois, o Zé Dirceu entrar com um baita processo contra a quase esquecida espionagem patrocinada pela InVeja em um hotel de Brasília. Se não me engano Naoun.

Senta a pua, Zé Dirceu!!!

Responder

Ligia

13/08/2013 - 23h58

Como sempre, análise brilhante de Lincoln Secco!

Responder

tania

13/08/2013 - 23h12

“Mera redução de penas é o caramba, quem for inocente terá que ser inocentado. Nem vem com acordos para reduzir os prejuízos que, eventuais absolvições imporiam a Corte. Inocência não é negociável. Se querem negociar penas e regimes de cumprimento, que o façam com os réus, efetivamente culpados, se é que há algum, uma vez que o crime eleitoral já está prescrito.” -copiei e reproduzo aqui entre aspas-

Responder

Bertold

13/08/2013 - 19h27

Lincon, velho amigo do prc de Genoino, você está sendo gentil. Conta um pouco mais. Do posicionamento ideológico de membros do stf pela direita (é disso que se trata e não de discussão política jurídica) só podíamos esperar o golpe do linchamento público e tentar colher seus efeitos mais cruéis que, felizmente, não vieram. Agora, verdade seja dita, os atuais dirigentes do PT fizeram pouco ou quase nada para defendê-los e não querem a ressurreição dos autênticos lideres destes 33 anos de PT, senão voltam para as sombras da insignificância intelectual e moral, para se sustentarem de ações na máquina burocrática do partido.

Responder

    Lincoln

    13/08/2013 - 21h17

    Bertold
    obrigado pelo comentário. E a [email protected]
    Lincoln

Valente

13/08/2013 - 19h02

Algumas pessoas têm um destino incrível. Já nascem diferentes. Mais inteligentes e com coração mais aberto. Pensam o social.

E mesmo numa situação extrema como esta, ainda provocam situações de mudança radical na sociedade.

A situação de extremo sofrimento por terem sido caluniados e testados em sua honra acabou provocando a mostra das tripas podres do Tribunal maior do país, de tal modo que todos percebemos a dificuldade de continuar a usar a palavra Supremo. Esse tribunal provavelmente sempre foi assim, e sempre julgou a causa dos pobres ou não famosos, assim,mas não sabíamos.
Agora sabemos como funciona.

Responder

Carla Motta

13/08/2013 - 18h54

Tanto besteirol. Em outras palavras: quem é mais corrupto? PT ou PSDB? Ambos são podres, e não valem um centavo furado. Vem vc agora, defender a tese de que a podridão petista é menos podre do que a do PSDB ?
Oh país de merda, que eu habito.
Ninguém se indigna com a roubalheira !! Ficam agora discutindo quem é mais ladrão, ao invés de se pensar como acabar com a pocilga onde estamos todos mergulhados.

Responder

    Bertold

    13/08/2013 - 19h30

    Se tá mais perdido no assunto do que cachorro em feira, quer um gardenal?

    Tamine Lira

    13/08/2013 - 20h39

    Carla, não se trata disso! Claro que desejamos um país onde os políticos sejam idôneos, é um sonho, utópico bem verdade. O que não se pode admitir é que o PSDB, durante todo este tempo, posou de bonzinho, mas o lixão estava escondido debaixo do tapete e isso apoiados pela mídia tão podre quantos estes políticos de lixo! Pelo menos agora a verdade vem à tona e todos podem saber que a verdade é muito mais cruel do que se pensava!
    Ainda bem, porque as próximas eleições vem aí…e pelo menos ninguém vai posar de inocente, muito embora o Alckim tente parecer a própria Tereza de Calcutá!
    Abraço.

    assalariado.

    13/08/2013 - 21h02

    Carla Motta, precisamos deixar de sermos ingênuos políticos, massa de manobra da imprensa burguesa e os lacaios do capital. Os partidos políticos no sistema capitalista e seu modo de vida, deus dinheiro, traz em seu DNA ideológico, a corrupção. Vou além, os partidos políticos em sua imensa maioria é formado e habitado pelos donos do capital travestidos de ‘democracia’ burguesa que se legitimam como os mentores do “Estado de Direito”.

    Então lhe afirmo, o mesmo mal a corrupção que sofre o PSDB, PT e demais partidos, quando abordamos o assunto corrupção sempre, e só, lembramos do corrupto. Que tal começarmos a discutir o mal maior: Quem é o (CORRUPTOR) nessa história toda? Sim, porque o mal não está no corrupto, está, sim, no (CORRUPTOR). Você tem resposta para esta pergunta?

    Abraços.

    albuquerque costa

    13/08/2013 - 23h11

    Parabéns Carla Falou tudo, gostei de sua imparcialidade, podre é podre e pronto.

    assalariado.

    14/08/2013 - 10h38

    Albuquerque, quem é o podre (CORRUPTOR) dessa história? Ou vocês da classe média reacionária não querem ir na raiz da corrupção, digo, do (CORRUPTOR)? Estão querendo tapar o sol com a peneira?

    Abraços.

    Altemar

    14/08/2013 - 08h35

    “Oh país de merda, que eu habito.”

    boa hora para imaginar uma migração para Detroit ou Nova Iorque, dizem estar sobrando vagas de manobrista e flanelinha por lá.

    assalariado.

    14/08/2013 - 10h33

    Altemar, boa viagem.

    Abraços.

    Aline C Pavia

    14/08/2013 - 09h15

    O partido mais corrupto e mais ficha-suja do país é o PSDB, querida. PT só vem em 8º lugar no ranking de ficha-suja.
    Mas a imprensinha que você lê não deixa você saber disso. O importante é fazer as pessoas acreditarem que o PT inventou a “corrupção” e que esta não existia no Brasil antes do “mensalão”.
    E tem muito patinho de aquário que cai nessa.

Fabio Passos

13/08/2013 - 18h46

Viva José Genoino!
Viva José Dirceu!

Heróis do povo brasileiro.

A “elite” branca usou o poder econômico e seus lacaios do PiG e do stf para condenar cidadãos sem provas.

Já passou da hora de implodir a casa-grande… com os donos do poder dentro!

Responder

Cicero Macci

13/08/2013 - 17h04

Parabéns pelo texto. Muito bem avaliado!!!!

Responder

Sergio Salvador

13/08/2013 - 16h06

A absolvição tem de vir hodiernamente, não só pela história: NÓS FAZEMOS A HISTÓRIA, NÃO VAMOS ESPERÁ-LA ACONTECER!

Responder

francisco niterói

13/08/2013 - 15h59

O texto prenuncia o que ocorreu no caso Dreyfuss, e muito bem sintetizado no J’ACCUSE, quando emile zola observou que o embasamento daquele julgamento estava desmoronando e disse:

” A VERDADE SE PÔS EM MARCHA E NADA A DETERÁ”.

Responder

    francisco niterói

    13/08/2013 - 16h03

    em tempo: aconselho a todos ler o J’Accuse. Belissimamente bem escrito, corajoso e denunciador de um julgamento que desmoronou pois nasceu de uma mentira, bem como revestido de linchamento midiatico e social.

    Isto lembra algo a voces?

Altamiro Borges: Protestos contra Alckmin vão crescer - Viomundo - O que você não vê na mídia

13/08/2013 - 15h05

[…] Lincoln Secco: A História os absolverá […]

Responder

Urbano

13/08/2013 - 14h38

Enquanto alimentarmos essa ideia de que a história (a existente até então e que sempre viveu em bancas escolares, nem contem com ela) absolverá algum inocente num futuro incerto, corremos sérios riscos de a justiça continuar sendo essa coisa esdrúxula que é desde muito. Um exemplo bem pueril: temos uma figura saída do laboratório dos trevosos, mais conhecida do que azeite e vinagre, que possui a condição lépida e fagueira de ir e vir para aonde bem entender, dentro do quadrante do Brasil. Agora, se a Interpol colocar a mão nele, desde que a milímetros além da fronteira, simplesmente ele será preso e levado para, se não me engano, os isteites.

Responder

    Urbano

    13/08/2013 - 15h02

    Sim! Só que o grosso dos seus crimes foi perpetrado dentro do Brasil, e contra o próprio Brasil e o seu povo.

marco

13/08/2013 - 13h53

Não acho que os ministros agiram Politicamente.Até porque um homem só não faz política,no vaso sanitário.Agiram alguns deles,como sua própria história no supremo demonstra,como meros canalhas.

Responder

Julio Silveira

13/08/2013 - 12h53

Tenho que rir…

Responder

Messias Franca de Macedo

13/08/2013 - 11h44

DE NOVO, LÁ VEM O MATUTO COM ‘O DIÁRIO DO MENSALÃO &$ DE OUTRAS MENTIRAS’ NAS MÃOS ‘SUJAS’!

… Da mesma forma que ‘o STF teve que demonstrar ao STF que [numa suposta democracia] quem tem a prerrogativa de, eventualmente, cassar parlamentares é o parlamento’ (sic)… ‘Esse mesmo STF demonstrará ao mesmo STF que os embargos são legítimos e democráticos!’…

… O STF evitará ‘o domínio DE FATO’ da decomposição terminal do STF – e “o *Ataulfo não colocará as algemas do Gurgel no pulso do Dirceu.” Paulo Henrique Amorim
*o tal do Merval Pereira “das organizações(!) globo”!

… E que país é esse?! “É o ‘brazil’ radicalmente mudado por um menino paupérrimo chamado Joaquim!” Coitado do Ruy Barbosa!…

Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Messias Franca de Macedo

13/08/2013 - 10h37

ATAULFO TIRA AS ALGEMAS
DO GURGEL DO DIRCEU
O Supremo mudou e o Ataulfo lamenta: “nunca se sabe”. Bom era com o Big Ben …

em http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2013/08/13/ataulfo-tira-as-algemas-do-gurgel-do-dirceu/#comment-1225078
Publicado em 13/08/2013

LÁ VEM O MATUTO COM ‘O DIÁRIO DO MENSALÃO &$ DE OUTRAS MENTIRAS’ NAS MÃOS ‘SUJAS’!

… Chegará a hora em que o catedrático ministro Ricardo Lewandovski irá enquadrar o Ataulfo! O mesmo Ataulfo “jornalista pós-douto (sic) em Direito Penal (idem sic)” e autor da *célebre frase: *”Não! Não há a menor dúvida: quem tem a prerrogativa de cassar parlamentares é o STF, e não o parlamento!” Para em seguida, ouvir da simpática jornalista Renata Lo Prete: “Merval, muito obrigada pelos seus [luminares(!)] esclarecimentos!”
*”célebre” frase proferida no auge do julgamento midiático do tal ‘MENTIRÃO’!

… E que país é esse?! “É o ‘brazil’ radicalmente mudado por um menino paupérrimo chamado Joaquim!” Coitado do Ruy Barbosa!…

Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Valcir Barsanulfo

13/08/2013 - 10h25

A verdade é que alguns ministros do stf(minúsculo), se comportaram como políticos oposicionistas ao governo do PT, deixaram se levar pelo toque envolvente da mídia nativa e nociva.
Pensando bem ministros como o Joaquinzão, Gilmar, Fux, Marco Aurélio, ficariam relativamente bem em um juizado de pequenas causas.

Responder

renato

13/08/2013 - 10h20

Nenhuma pessoa de esquerda tem duvidas sobre isto.
Agora a pergunta é, quem fez falso testemunho.
Se tiver milhares e milhares de folha de papel colocada
numa mesa, e tiver o nome de Lula, pronto,,
Esta instalada uma CPI, anos depois vão descobrir que
as outras páginas estavam em branco.
E ninguem é encrimiminado por falso testemunho.
O BRASIL, teve prejuíjos sociais e economicos enormes
sobre isto.
A mídia tem que sentar no banco dos réus.

Responder

    Antônio Ângelo

    13/08/2013 - 17h21

    Concordo com vc em número, gênero e grau. Falou tudo!!!

Mardones

13/08/2013 - 09h45

A coragem é atributos de poucos. E muitos membros do PT, no episódio mo mentirão midiático-jurídico, demonstraram que não nasceram para isso.

A história não os absolverá.

Responder

Deixe uma resposta