VIOMUNDO

Diário da Resistência


Denúncias

Conceição Lemes: A estranha “amnésia” de Messias


06/08/2013 - 19h30

por Conceição Lemes

Em relação ao desmentido de Roberto Messias, secretário-executivo da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (Secom-PR), gostaríamos de dizer:

1.Reafirmamos o conteúdo da reportagem Roberto Messias vs. Henrique Pizzolato: Os bastidores dos governos Lula e Dilma.

2. Messias disse, sim, em duas ocasiões que queria ver Henrique Pizzolato na prisão. Pizzolato é um dos condenados na Ação Penal 470, o chamado mensalão. O STF julgou irregular, crime, o BV (Bonificação por Volume) da Visanet. Embora já esteja demonstrado que o dinheiro é privado e não público, Pizzolato corre o risco de ir para a cadeia.

A primeira manifestação foi na presença da ministra-chefe da Secom-PR, a jornalista Helena Chagas, que ficou em silêncio absoluto, e de Fabrício Costa, secretário de Comunicação Integrada do órgão.

A segunda, após a entrevista, já fora do gabinete  de Helena Chagas. Foi numa sala próxima, no mesmo andar, enquanto esta repórter aguardava Fabrício Costa que iria mostrar algumas tabelas de investimentos de publicidade a pedido da própria ministra.

Foi, aí, que conversamos novamente. Messias repetiu que queria a prisão de Pizzolato. E ao ser perguntado se os dois haviam trabalhado juntos no Banco do Brasil (BB), confirmou com a cabeça.

Depois – e isto está na reportagem –, um antigo funcionário do BB, ainda na ativa, precisou: “Roberto Messias nunca trabalhou diretamente com Pizzolato,  apenas indiretamente. Na época em que Pizzolato ocupou a diretoria de Marketing do BB, o Cláudio Vasconcelos era o gerente-executivo de Propaganda e Marketing e o Messias, gerente de Mídia, subordinado a Cláudio”.

3. Em nenhum momento da matéria foi dito que Messias era filiado ao PSDB ou a qualquer outro partido político.

O que foi dito é que ele começou a alçar vôo no governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e que, nesse processo, houve a influência de Cláudio de Castro Vasconcelos.

Em 1999, Cláudio saiu do Centro Cultural Banco do Brasil – Rio de Janeiro (CCBB-RJ), para ser o gerente-executivo de Propaganda e Marketing na Diretoria de Comunicação e Marketing do BB, em Brasília. Na época, o presidente do Banco do Brasil, era Paolo Zaghen,  muito ligado a José Serra (PSDB), e  Pedro Malan, o ministro da Fazenda.

4. No Banco do Brasil, todo funcionário de carreira passa por concurso público. Portanto, ao dizermos que era funcionário de carreira isso estava implícito. Roberto Messias foi, sim, do Centro Cultural do Banco do Brasil.

5. Em nenhum momento da matéria foi dito que Roberto Messias teve qualquer tipo de contato com o Cláudio de Vasconcelos após este sair do Banco do Brasil em 2005.

Por que a sua preocupação de dizer que “Desde 2005, não tive sequer nem um único contato, pessoal ou profissional, com ele [Cláudio de Castro Vasconcelos]”?

Também não foi dito que havia outro tipo de relacionamento entre ambos além do profissional. Foi dito apenas que eram amigos e Cláudio, chefe do Messias.

6. Não procede a informação de que, antes de ir para a Secom, não teve ligação profissional com qualquer pessoa citada na reportagem.

Em 2005, o Conselho de  Administração do Banco do Brasil determinou uma  auditoria interna no processo de gestão do Fundo de Incentivo Visanet, para apuração de fatos ocorridos de 2001 a 2004 nas diretorias de Marketing e Varejo do BB. O trabalho foi de 20 de dezembro de 2005 a 10 de janeiro de 2007.

Documentos do BB comprovam que Yole Mendonça, ex-secretária executiva da Secom,  Fabrício Costa e Messias trabalhavam juntos, por exemplo, na época em que a auditoria interna foi concluída, em 28 de fevereiro de 2007.

 

Ou seja, os três eram da Diretoria de Marketing e Comunicação do Banco do Brasil, em Brasília.

Yole era a gerente-executiva. Messias, gerente de Divisão, seu subordinado, assim como Fabrício, gerente de divisão em substituição e assessor sênior da Diretoria de Marketing e Comunicação BB.

A auditoria interna também prova que Cláudio de Castro Vasconcelos era gerente-executivo da Diretoria de Marketing e Comunicação do BB, à época da apuração dos fatos. Portanto, chefe de Messias e  Fabrício.

O que significa que todos ficaram subordinados a Henrique Pizzolato,  a partir de 17 de fevereiro de 2003,  quanto este assumiu a Diretoria de Marketing e Comunicação do BB.

A auditoria interna revela ainda que, na época da apuração dos fatos (2001 a 2004), Yole Mendonça era gerente-executiva do Centro Cultural Banco do Brasil-RJ.

Abaixo, os gerentes dos centros culturais do Banco do Brasil em 17 de abril de 2003, data em que foi impresso este organograma. O que significa que  tais  funcionários já estavam nessas funções antes dessa data.

Yole é a única mulher da foto. Ela substituiu Cláudio Vasconcelos no CCBB-RJ e depois na gerência em Brasília.

Válter Vasconcelos (na foto ao lado da de Yole) era o gerente-executivo do CCBB-SP; ele precedeu Cláudio Vasconcelos na gerência do CCBB-RJ.

Conclusão: Messias insiste no papel de “neutro”, “apolítico”. Um funcionário que paira sobre todos e tudo, chegando ao ponto de negar a conversa que tivemos após a entrevista.

Curiosamente, ele se “esquece” de que disse, na presença da ministra Helena Chagas e de Fabrício Costa, que queria Pizzolato na prisão.

Mais uma vez Messias, como faz em relação ao critério de distribuição de verbas publicitárias do governo federal, recorre a um discurso estritamente “técnico”, o da sua reputação “técnica”, para fazer política.

Esquece, por exemplo, de que ao investir R$ 580 mil no Bolsa de Mulher, um site machista, sexista, que trata a mulher como objeto, é uma decisão política. Só que Messias o considera “bacaníssimo”.

Vale a pena, aqui, repetir o trecho da nossa entrevista com Helena Chagas, que, por sinal, nunca tinha ouvido falar no Bolsa de Mulher.  A ministra comentava os 20 maiores investimentos da internet em 2012:

– Os 20 primeiros sites, ano a ano. 2011 e 12, que são os mais recentes. Você tem os grandes naturalmente. Carta Maior está entre os 20, Conversa Afiada,Bolsa de Mulher. Quem é o Bolsa de Mulher?

– É um bacaníssimo – entusiasma-se Messias.

– É um site feminino – adiciona Fabrício.

– Bacaníssimo… – insiste Messias.

– Eu nem conheço… – diz a ministra.

– E é bacaníssimo – repete Messias.

– É bacaníssimo, porque tem campanha segmentada para pegar mulher… – adere a ministra.

– Câncer de mama, o Dia Internacional da Mulher…– acrescenta Messias.

“O discurso ‘técnico’ justifica os fins. Com isso, eles ‘torturam’ a justificativa técnica para fazer o que querem”, afirma NaMaria, do blog NaMaria News. “No bojo das soluções técnicas está um modelo de negócio, que privilegia uma ação entre amigos.”

“Geralmente, esses profissionais ‘técnicos’ não são escolhidos aleatoriamente. Alguns fazem concurso, outros são nomeados, entram pelo famoso QI (quem indica) “, prossegue NaMaria. “Lá dentro, os técnicos cumprem e geram ordens, aceitam ou recusam determinações. Ou seja, ou vestem a camisa, e aí vale qualquer jogada. Ou começam a notar coisas esquisitas, a perceber que a camisa é menor ou é do time errado. Estes estão ferrados.”

É o mecanismo do modelo de negócio, onde  tudo é justificado pela ” técnica”. Tudo é “produto” e os meios justificam os fins.

“Só que na prática esse discurso ‘técnico’ não corresponde à expectativa.  Exemplo disso é o esquema de propina da Siemens, que existe há muitos anos nas compras do metrô e trens do Estado de São Paulo e que só agora foi ‘descoberto’, alerta NaMaria.  “Todo o esquema de corrupção da Siemens, envolvendo pessoas do PSDB, foi feito com justificativas ‘técnicas’  e meios legais, como licitações, concorrências, etc.”

“O mesmo acontece na Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, onde a FDE [Fundação para o Desenvolvimento da Educação] gasta milhões de reais na compra de assinaturas de jornais, revistas e outras publicações da Globo, Abril, Estadão, Folha“, completa NaMaria (veja AQUI e AQUI).” Só que a verdade  é outra. São justificativas torturadas pelo ‘técnico’ para fazer valer o vontade e o interesse dele, do seu grupo ou dos seus chefes.”

Seguramente eu, Conceição Lemes, não faltei com a verdade. Agora, se eventualmente publiquei algum dado errado ou impreciso, não contemplado pelo desmentido dele, peço desculpas ao senhor Roberto Messias e, claro, o corrigirei.

Estranho, acima de tudo, a “amnésia” repentina sobre nossa segunda conversa, quando reafirmou que esperava a prisão de Henrique Pizzolato, sem oferecer argumentos “técnicos” para justificar sua posição.

Este episódio me lembra do comportamento do ex-presidente dos Estados Unidos, Bill Clinton, aquele que “fumou mas não tragou”, para o qual sexo oral com a estagiária não poderia ser qualificado “tecnicamente” de sexo.

Com a palavra os funcionários do Banco do Brasil que conhecem melhor do que ninguém as tramas de toda essa história.

Leia também:

O desmentido de Messias, inclusive de conversa com repórter

Messias vs. Pizzolato, uma visita aos bastidores dos governos Lula e Dilma

Ministra Helena Chagas diz que desconcentrou verbas publicitárias

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



99 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Campanha: Liberdade de Ler na Papuda | Maria Frô

04 de janeiro de 2014 às 00h52

[…] Conceição Lemes: A estranha “amnésia” de Messias […]

Responder

O dia que o jornalismo emporcalhou a história: UOL e “a capa de Genoino” | Maria Frô

15 de novembro de 2013 às 22h01

[…] Conceição Lemes: A estranha “amnésia” de Messias […]

Responder

"Segredo no inquérito 2474 vai na contramão da Lei da Transparência" - Viomundo - O que você não vê na mídia

04 de setembro de 2013 às 20h18

[…] Conceição Lemes: A estranha “amnésia” de Messias […]

Responder

Lincoln Secco: A História os absolverá - Viomundo - O que você não vê na mídia

13 de agosto de 2013 às 09h35

[…] Conceição Lemes: A estranha “amnésia” de Messias […]

Responder

Ermínia Maricato: "As cidades estão entregues ao caos" - Viomundo - O que você não vê na mídia

10 de agosto de 2013 às 15h42

[…] Conceição Lemes: A estranha “amnésia” de Messias […]

Responder

Fora do Eixo: Revolução ou "empreendedorismo radical"? - Viomundo - O que você não vê na mídia

09 de agosto de 2013 às 21h41

[…] Conceição Lemes: A estranha “amnésia” de Messias […]

Responder

Gerson Carneiro

09 de agosto de 2013 às 17h37

Não apareceu ninguém pra defender o embusteiro?!

Responder

Gerson Carneiro

09 de agosto de 2013 às 09h13

Na verdade, a Ministra Helena Chagas, como chefe direto do sr. Roberto Messias deveria tê-lo advertido in loco face à gravidade da declaração dele. Mas silenciou. Será que a Ministra também deseja (ou concorda) a prisão do Pizzolato? Isso é grave.

Responder

Gerson Carneiro

09 de agosto de 2013 às 09h07

A reação tardia do Roberto Messias provavelmente decorreu de ter sido advertido, em separado, pela ministra Helena Chagas face à gravidade da declaração dele.

Ainda assim causa perplexidade o silêncio da Ministra. Deveria ao menos sair em defesa do seu secretário. O que por outro lado, o silêncio da Ministra pode ser interpretado sim como ratificação ao que tudo a Conceição Lemes relatou.

Está aí portanto mais um fato que depõe contra o Roberto Messias.

Responder

    Gerson Carneiro

    09 de agosto de 2013 às 09h11

    Digo isto porque a Ministra foi testemunha da primeira conversa entre Roberto Messias e a repórter Conceição Lemes, durante a entrevista. A Ministra ouviu a observação inoportuna do seu subordinado e não disse um “a”.

Gerson Carneiro

09 de agosto de 2013 às 09h01

Com a palavra o lulipe…

Responder

FrancoAtirador

08 de agosto de 2013 às 20h18

.
.
HORÓSCOPO DA FOLHA PARA ROBERTO MESSIAS DA SECOM

“Tudo o que você disser poderá ser [e será] usado contra você.

Já ouviu essa frase antes?

É de filme, mas agora se aplica direitinho à sua vida!

Para ter um domínio mais tranquilo da sua imagem pública,

vigie o que faz, diz e expressa aos olhos do mundo.”

(http://www1.folha.uol.com.br/horoscopo)

Responder

    Gerson Carneiro

    09 de agosto de 2013 às 08h14

    Impossível é um escorpião ter auto controle.

    FrancoAtirador

    09 de agosto de 2013 às 09h53

    .
    .
    É verdade, Hermano.

    Acho que essa ‘pessonha’ não vai conseguir

    cumprir os ditames astrológicos da Folha.
    .
    .

Sandra Campello

08 de agosto de 2013 às 17h32

Salve, Conceição Lemes! Tu lavaste a alma de muitos funcionários do Banco do Brasil, como vários comentaristas já disseram aqui.

Responder

Domingos Sávio Maia de Sousa

08 de agosto de 2013 às 16h27

Parabéns Conceição Lemes! Nós que fazemos o trabalho pesado no Banco do Brasil sabemos dessas práticas mas não podemos denunciar. Obrigado por fazê-lo.

Responder

Claudio Freire

08 de agosto de 2013 às 16h22

Esse sujeito é um mau-caráter. E a ministra Helena Chagas uma frouxa, por mantê-lo no cargo.

Acho louváveis uma série de medidas corajosas tomadas pelo governo Dilma: disputa com os banqueiros para redução dos juros e spreads, disputa com as empresas de energia para repactuação dos contratos e diminuição das tarifas de energia, e outras.

Mas, realmente, na área da comunicação, o governo federal está tremendamente falho. Saudades do Franklin Martins.

Responder

Em maio de 2010, denúncia de propina no Rodoanel e no Metrô: "Não esquece do gambá" - Viomundo - O que você não vê na mídia

08 de agosto de 2013 às 14h18

[…] Conceição Lemes: A estranha “amnésia” de Messias […]

Responder

Isabela Vieira

08 de agosto de 2013 às 13h54

Será que ainda existe alguma dúvida sobre quem disse a verdade? Parabéns, Conceição Lemes. Além de competente, corajosa.

Responder

Julio Silveira

08 de agosto de 2013 às 12h39

Tem pergunta não querem calar. A que fica em minha cabeça é, quanto tempo este cidadão vai ficar neste governo petista, propagando suas habilidades?

Responder

FrancoAtirador

08 de agosto de 2013 às 09h45

.
.
Como visto, o ‘Bacaníssimo” é de uma espécie peçonhenta.

Destilou o veneno da Mentira e do Mau-Caratismo explícito.

E, mais uma vez, é desmascarado pela Conceição Lemes.
.
.
PS

Cá prá nós, Conceição:

Que saudades daquele velho ‘gravadorzinho de bolso’

que está atirado em alguma gaveta de um móvel antigo…
.
.

Responder

Aline C Pavia

08 de agosto de 2013 às 09h42

Não teve tréplica? Ou o sr Messias vai falar que não responde a “politiqueiros”?

Responder

Gerson Carneiro

08 de agosto de 2013 às 09h02

Com certeza está acompanhando os comentários. Até gente do BB depôs ratificando as informações da repórter Conceição Lemes. Nooofffa… até imagino o azedume. Pisando duro, falando secamente, esmurrando as mesas. Ah, se as paredes falassem…

Responder

Lincoln Secco: Junho desnudou perigosamente o PT - Viomundo - O que você não vê na mídia

07 de agosto de 2013 às 22h58

[…] Conceição Lemes: A estranha “amnésia” de Messias […]

Responder

Dr. Rosinha: Não jogo a toalha - Viomundo - O que você não vê na mídia

07 de agosto de 2013 às 22h58

[…] Conceição Lemes: A estranha “amnésia” de Messias […]

Responder

Eurico

07 de agosto de 2013 às 22h35

Parabéns Conceição, dá-lhes duro. Este tipo de pessoa existe aos montes pelos govenos federais, estaduais e municipais. Até nas universidades públicas eles reinam. São a pior espécie de arrivistas. Estão sempre com uma boquinha qualquer.

Mais uma vez, parabéns. E que se seja declarada a temporada de caça aos arrivistas!

Responder

Luís Carlos

07 de agosto de 2013 às 21h35

Conceição: “bacaníssimo”.

Responder

Roberto Messias desmente, inclusive conversa com repórter - Viomundo - O que você não vê na mídia

07 de agosto de 2013 às 18h07

[…] Conceição Lemes: A estranha “amnésia” de Messias […]

Responder

Romilda dos Santos

07 de agosto de 2013 às 17h24

Conceição Lemes, meus parabéns por mais um filhote de tucano ser desmascarado

Responder

Maria Izabel L Silva

07 de agosto de 2013 às 16h29

Definitivamente a Presidente Dilma precisa repensar o setor de Comunicação do seu Governo. Só tem escroto, pilantra e manhoso, desses que acendem uma vela para deus e outra para o diabo. Com projetos políticos obscuros, e declarações estranhas …

Responder

Hell Back

07 de agosto de 2013 às 15h59

O governo Dilma (PT) está ficando cada vez mais parecido com o governo FHC(PSDB). Será que a presidenta não vê, ou não quer ver.

Responder

Jotage

07 de agosto de 2013 às 14h42

Se o Chacrinha fosse o presidente pelos menos mudaria o nome da secretaria para SEEST – Secretaria da Estrumbicação.

Responder

Flavio Lima

07 de agosto de 2013 às 13h37

Se é mesmo verdade que a presidenta Dilma vai ficar antenada nas redes: Dilma, tira esse cara, pelo amor de Deus!

Responder

Vania

07 de agosto de 2013 às 13h30

Pelos comentários, vejo que tem vários funcionários atentos. Ótimo, companheiros.

Responder

Vania

07 de agosto de 2013 às 13h26

Funcionária do BB, em BSB, presente!

Responder

Mardones

07 de agosto de 2013 às 13h18

Muito bem, Conceição, é assim que se faz. Reafirmando a verdade. A mentira precisa ser combatida a todo custo.

Responder

Fátima

07 de agosto de 2013 às 12h59

Conceição Lemes, lavou a minha alma e de muitos outros companheiros do BB. Conte conosco!

Responder

Mario Sérgio

07 de agosto de 2013 às 12h49

Qual a intenção do Messias em dizer que quer ver preso o Pizzolato? O que ele pretendia ganhar?

Responder

    Fátima

    07 de agosto de 2013 às 13h04

    Só ele pode responder porque quer a prisão do Pizzolato. Mas pelo que lemos nas três matérias que a Conceição fez sobre a Secom dá pra gente imaginar

Mario Sérgio

07 de agosto de 2013 às 12h47

O peixe morre pela boca. Quis sacanear o Pizzolato, dançou.

Responder

    Fátima

    07 de agosto de 2013 às 13h02

    Ele talvez tenha pensado que a Lemes era bobinha. Iria ouvir ele dizer que queria o Pizzlato preso e deixar passar batido.

Ana Clara

07 de agosto de 2013 às 12h44

A função da verdade é aparecer. às vezes demora, mas um dia vem à tona

Responder

Ana Clara

07 de agosto de 2013 às 12h38

Conceição Lemes, todo o nosso apoio. beijos

Responder

Ana Clara

07 de agosto de 2013 às 12h37

Esse documento da auditoria do Banco do Brasil mata a pau. Mostra que Messias trabalhou, sim,com pessoas mencionadas no texto. É muita cara dura dizer que não.

Responder

Cibele

07 de agosto de 2013 às 12h34

Excelente resposta, Conceição.

Responder

Gerson Carneiro

07 de agosto de 2013 às 12h29

Usar essa tentativa de desqualificação da repórter Conceição Lemes, pra cima dos leitores do VIOMUNDO, e ainda querendo fazer crer que o fez em respeito aos leitores, foi a pior opção que o sr. Roberto Messias escolheu.

Conhecemos a Conceição Lemes e o trabalho sério do VIOMUNDO há muito.

Se fez isso com a Conceição Lemes e seu público, imagine o que faz em seu mundo político aonde o jogo é pesado. Ou seja, corroborou que de fato deseja a prisão do Pizzolato e ratificou tudo que a Conceição relatou.

Conclusão: fez prova contra si.

Responder

ricardo silveira

07 de agosto de 2013 às 12h02

Amnésia é coisa típica de tucano, eles nem lembram que as concorrências do metrô de São Paulo foram tocadas à base de propinas, à corrupção continuada em anos e anos enganando a população paulista.

Responder

    Vania

    07 de agosto de 2013 às 13h35

    “Amnésia” seletiva

Rodrigo S

07 de agosto de 2013 às 11h53

Conceição, esqueci de te dizer. O Messias e seu grupo sabem que tudo o que você disse é verdade. Assim como nós do BB sabemos. Fique fria.

Responder

Rodrigo S

07 de agosto de 2013 às 11h46

Conceição, você não tem noção de como Messias & cia são e eram arrogantes, olham sempre a gente de cima pra baixo, como se fossemos lixo. Você não tem noção do quanto lavou a alma de muita gente. Um respeitoso beijo no seu coração

Responder

Kaka Monteiro

07 de agosto de 2013 às 11h07

Parabéns, Conceição Lemes. Messias e a sua patota acham que todo mundo é idiota, só eles são sabichões. Você matou a cobra e mostrou o pau. Isso que é jornalismo investigativo

Responder

Rosa Amélia

07 de agosto de 2013 às 10h21

O cara está em palpos de aranha. Que se vire! É um tucano, sem dúvida

Responder

Eliane

07 de agosto de 2013 às 09h34

Conceição, quem conhece os subterrâneos da história sabe bem como você foi delicada, respeitosa, em tratá-la. Mais um ponto pra vc.

Responder

    Rodrigo S

    07 de agosto de 2013 às 11h59

    Eliane, o Messias aproveitou o desmentido dele (para desmentir o indesmentível) para mostrar a raiva que tem das mulheres que pensam, que não são leitoras do “bacaníssimo”. Lamentável

    Gerson Carneiro

    07 de agosto de 2013 às 12h20

    Não iria tocar nesse assunto mas de fato notei esse aspecto. A intimidade da pessoa é intocável mas muitas vezes a própria deixa escapar traços da intimidade no afã de prejudicar quem odeia. Dai ela mesma se expõe e evidencia.

    Fátima

    07 de agosto de 2013 às 13h05

    O ódio é mortal

Eliane

07 de agosto de 2013 às 09h30

Que coisa feia, Messias, dizer que vc nao foi do CCBB-RJ!!! O que será Valter e Claudio vão pensar? E dizer que não trabalhou com as pessoas citadas na matperia — Yole, Pizzolato, Claudio, Fabricio? Aí foi demais. Parabéns, Conceição. Força. Vá adiante. Você não tem noção do que andam fazendo os “tecnicos” no BB. Quem manda no banco são os tucanos.

Responder

Julio Silveira

07 de agosto de 2013 às 09h23

Conceição, acredito totalmente em você.
E esse cidadão da mostras de ser dos tipos piores de serpente, daquelas que escondem o guizo para que a vitima não possa se precaver se ligando na proximidade do barulho.

Responder

Urariano Mota

07 de agosto de 2013 às 08h29

Conceição, o teu jornalismo é de resistência. E de sensibilidade.
Eu fui funcionário do Banco do Brasil e bem sei como se distribuem, por “motivos técnicos”, de avaliação funcional (outro nome para iludir os excluídos de sempre), as comissões, os cargos de confiança, das gerências regionais à direção geral em Brasília.
De passagem, conto dois fatos: Osman Lins, o genial escritor pernambucano, chegou a levar gritos do gerente da Ag. Centro do BB no Recife. E já era escritor conhecido (até por isso mesmo, talvez, tenha sido insultado).
Alexandre Garcia, o jornalista, secretário de imprensa na ditadura, ocupou durante muitos anos um cargo de alta comissão em Brasília. Pior, trabalhava cerca de 2 horas por dia. Quando uma vez foi questionado, respondeu: “o que os outros fazem em 6, eu falo em 2”. Muito talentoso, o cara.

Responder

    Ana Clara

    07 de agosto de 2013 às 12h41

    Grande, Urariano. Sou fã dos teus textos. Trabalhei como pessoas como essas. Ainda se acham cheias de razão. Um abraço

sergioa

07 de agosto de 2013 às 07h44

Quando vai chegar o tempo de um mentiroso como este, perder um cargo público.

Para cargo público deveria ser imprescindível confiança. Uma cara que mente como este deveria ser exonerado imediatamente.

Mas fazer o que a Dilma e o PT estão dominados pelos PSDB.

Responder

Saçuober

07 de agosto de 2013 às 06h56

A presidenta só toma providências nas denuncias da Globo.
Presidenta não nos deixe no mato sem cachorro.

Responder

Gerson Carneiro

07 de agosto de 2013 às 06h49

Mau-caráter o sujeito.

Responder

    Eliane

    07 de agosto de 2013 às 10h52

    Gerson, o corpo fala. Um prato cheio pra os reichianos.

Geysa Guimarães

07 de agosto de 2013 às 00h03

Na linguagem dos médicos “ricos e cultos”, a Conceição Lemes mata a serpente e mostra o objeto contundente.
Jornalismo é isto.

Responder

    Ana Clara

    07 de agosto de 2013 às 12h46

    Geysa, o Messias imaginava que iria intimidar a Conceição Lemes e o Viomundo. Perdeu tempo. Perdeu também mais uma chance de ficar calado.

    Geysa Guimarães

    07 de agosto de 2013 às 13h36

    Pensou e se danou, Ana Clara.
    Fosse leitor do Viomundo, não teria feito a besteira.
    Quem manda ler Veja, Reinaldo e Merval?

Alexandre Bastos

06 de agosto de 2013 às 23h37

Conceição Lemes matou a pau o filhote de tucano!

Responder

Fabio Passos

06 de agosto de 2013 às 22h26

Inexplicável um boneco do PiG, sem o menor pudor de defender a prisão de petistas “porque sim”, decida a distribuição de verba publicitária no governo do PT.
E o oligopólio da globo, que afronta a constituição do Brasil, continua mamando nas tetas do Estado.

Responder

Marcio Siqueira

06 de agosto de 2013 às 21h34

Liz, faço minhas as palavras da Tetê Camargo. Quem foi do Centro Cultural Banco do Brasil – RJ sabe que, lá atrás, Roberto Messias e Fabrício Costa trabalharam no CCBB-RJ, sim. Eles também sabem que é verdade.

Vc já ouviu falar em funcionário cedido/adido/emprestado? Isso é frequente no BB, algumas vezes oficialmente, outras, só de boca. abs

Responder

Tetê Camargo

06 de agosto de 2013 às 21h18

Liz, quem foi do Centro Cultural Banco do Brasil – RJ sabe que, lá atrás, Roberto Bocorny Messias e Fabrício Gonçalves Costa (são os nomes completos de ambos) trabalharam no CCBB-RJ, sim. Assim como eles sabem que é verdade. Conceição Lemes, fique tranquila. Nós, do BB, sabemos quem está dizendo a verdade. É de mais jornalistas como vc que precisamos. Parabéns pela jornalismo investigativo que desenvolve. Forte abraço

Responder

João Ferreira Bastos

06 de agosto de 2013 às 21h18

o que esse cara ainda está fazendo na SECOM???

Porque ainda não foi demitido???

Responder

    Eliane

    07 de agosto de 2013 às 10h56

    João, me permita acrescentar outra pergunta: por que ele se tornou secretário-executivo da Secom?

    Vania

    07 de agosto de 2013 às 13h27

    A presidenta Dilma deve estar contente com a política de comunicação do seu governo. É a única explicação

Aline C. Pavia

06 de agosto de 2013 às 21h11

Sr. Messias, chupa que a cana é doce. Boa noite.

Responder

    JOTACE

    07 de agosto de 2013 às 01h30

    Não, Aline, pela expressão da foto ele está precisando de um purgativo. Por que não um azeite de carrapato?

    Vania

    07 de agosto de 2013 às 13h33

    É exatamente com essa cara de entojo que olha para os funcionários do BB do
    “andar de baixo”

Francisco

06 de agosto de 2013 às 21h11

E a outra ‘técnica’, a Helena Chagas, não vai assinar embaixo da nota do seu ‘técnico’ Roberto Messias ?

Pois a jornalista Conceição Lemes afirmou que ela presenciou o pedido de prisão do Pizzolato pelo Messias.

Vai ficar em cima do muro, Heleninha, a omissão andando juntinho da Presidenta ? Coisa feia.

Responder

    Vania

    07 de agosto de 2013 às 13h35

    FRancisco, a Conceição já havia dito isso na matéria com a entrevista da ministra Helena Chagas

Mateus Paul

06 de agosto de 2013 às 21h03

Boa, Conceição!
Força e todo o meu apoio ao modo Viomundo de fazer jornalismo decente.

Responder

Liz Almeida

06 de agosto de 2013 às 20h42

Gostei da resposta.

Para ficar melhor ainda, seria bom que fossem apresentados documentos que comprovassem que Roberto Messias e Fabrício Costa trabalharam no Centro Cultural Banco do Brasil – Rio de Janeiro, já que ele fez questão de negar essa informação. Essa confirmação desmoralizaria de vez os argumentos deste Sr. Messias.

Responder

    Kaka Monteiro

    07 de agosto de 2013 às 11h02

    Liz,o Messias arrumou uma saída “técnica” para dizer que não foi do Centro Cultural Banco do Brasil-RJ. Só que quem o conhece sabe que ele atuou também no CCBB-RJ.

Zé Brasil

06 de agosto de 2013 às 20h30

Prezada JORNALISTA Conceição,

Muita força, pois estaremos contigo sempre no bom combate Jornalístico visando apresentar a verdade dos fatos e não simulacros pasteurizados que a mídia venal sempre tenta, eu disse, tenta nos impingir como realidade!

Responder

Lafaiete de Souza Spínola

06 de agosto de 2013 às 20h19

A Presidenta Dilma deve, possivelmente, estar recebendo os serviços de “técnicos e mais “técnicos”. Cuidado com a sabotagem!

Eu me lembro que na época do Toninho Ternura, na Bahia, até o pessoal da limpeza era escolhido criteriosamente.

Não estamos na Escandinávia!

É por isso que clamo por um alto investimento na educação. Não podemos ficar dependentes desses “técnicos”. Lutemos por isso!

A educação é, também, um caminho para diminuir as injustiças sociais!

Responder

Scan

06 de agosto de 2013 às 20h19

“Seguramente eu, Conceição Lemes, não faltei com a verdade.”

Minha cara Conceição, descanse: nós, desde do desmentido, sabíamos quem estava mentindo.
A corja instalada no SECOM, com o beneplácito da Dilma, é composta de gente como o “bacaníssimo” aí.

Responder

A estranha amnésia de Messias | Conversa Afiada

06 de agosto de 2013 às 20h08

[…] Conceição Lemes: A estranha “amnésia” de Messias […]

Responder

Gerson Carneiro

06 de agosto de 2013 às 20h08

Na verdade, como Lula e Dilma largaram a SECOM-PR às moscas, os tucanos que lá se instalaram adotaram como estratégia escorraçar os petistas pois é essencial para que aqueles arrivistas subam sem dar satisfação a ninguém.

Responder

    Vania

    07 de agosto de 2013 às 13h37

    Gerson, não é só a Secom. Tem tucanos em vários postos importantes do governo federal. Não sei se o governo é cego ou finge que não vê

Leonardo Mendes

06 de agosto de 2013 às 20h07

Conceição,

Parabéns pela matéria original e por esse pito no tucano “técnico”. Mas fica a pergunta: O que o Messias está fazendo na SECOM?…

Responder

Abel

06 de agosto de 2013 às 19h54

É um caso típico de “memória seletiva”. Quando não convém lembrar, desmentem…

Responder

Gerson Carneiro

06 de agosto de 2013 às 19h47

Tomou, tucaninho?

Responder

    Leonardo Mendes

    06 de agosto de 2013 às 20h08

    Boa. Hahaha!!!

    ma.rosa

    07 de agosto de 2013 às 08h03

    KKKK, muito boa gerson!! Ver os “tucaninhos” sem bico é o máximo. E estão caindo mesmo, veja só o do governo de SP! A Siemens derrubou,kkkkk! eles estão procurando não sabem onde!!!!

    Caracol

    07 de agosto de 2013 às 18h45

    Gerson, acho que o caso não é pra bico de tucano caído, mas sim bico no lugar de nariz de Pinochio: compiiiirido… compriiiiido.

José X.

06 de agosto de 2013 às 19h47

A Dilma bem que podia aproveitar o imbroglio e fazer uma “faxina” na SECOM…

Responder

    Marcos C. Campos

    06 de agosto de 2013 às 21h35

    Vocês acham que a Helena vai falar sobre este assunto com a Pres. Dilma ?

    Vania

    07 de agosto de 2013 às 13h31

    Duvido, Marcos.

    JOTACE

    07 de agosto de 2013 às 01h56

    Não se preocupe, caro José X. Quando se estiver bem próximo das eleições, ela tentará de atrair o rebanho das ovelhas transviadas com alguma suposta ‘medida de impacto’ que as possa atrair para o redil. Vai tentar o golpe da enganação, justo como lhe ensinou o homem da cobra, aquele que se vale de uma delas pra atrair os feirantes no Nordeste e lhes vender com muita lábia um cataplasma de farinha. Mas acontece que o balaio já está furado para a “Mãe dos Pobres”. Muitas são as ovelhas que não acompanharão a pastora que, do jeito que vai, ficará só com as cabras.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.