Jeferson Miola: Mantendo candidatura de Ciro, PDT contribui para objetivo de Bolsonaro e cúpulas militares

Tempo de leitura: 2 min
Fotos: Agência Brasil, PDT/Divulgação e Ricardo Stuckert

Mantendo candidatura do Ciro, PDT contribui para objetivo estratégico do Bolsonaro e das cúpulas militares

Por Jeferson Miola, em seu blog                                      

Em artigo na Folha [10/4] Vinícius Torres Freire afirma que “[1] Há muita campanha pela frente. [2] Mas o primeiro objetivo de Bolsonaro é garantir o segundo turno. [3] Quaisquer dois ou três pontos nas pesquisas são cruciais”.

Essas três frases refletem três verdades. A primeira, de que ainda há tempo para Bolsonaro se reforçar eleitoralmente.

A segunda verdade: para Bolsonaro e para as cúpulas militares que partidarizaram as Forças Armadas, a prioridade absoluta é levar a decisão da eleição para o segundo turno; ao passo que para Lula e para a democracia brasileira, é fundamental, para não dizer vital, decidir e vencer a eleição já no primeiro turno.

E, a terceira verdade: para concretizar seu objetivo estratégico da eleição em dois turnos, o extremismo bolsonarista precisa dos votos anti-Lula aos quais o candidato pedetista Ciro Gomes se soma.

A realização do segundo turno é uma pré-condição fundamental para a estratégia de guerra que Bolsonaro e os militares preparam contra a debilitada democracia brasileira [aqui].

Em um cenário ultrapolarizado de segundo turno, que terá sido precedido de um brutal gangsterismo político da matilha fascista contra Lula no primeiro turno, o bolsonarismo ficará muito à vontade para fomentar um clima de violência, conflito e caos.

A retirada da candidatura do Ciro Gomes, que nas pesquisas aparece com entre 7% e 9% das intenções de votos, praticamente decretaria a decisão da eleição já no primeiro turno e com a vitória do Lula com vantagem ao redor de 15% – ou quase 20 milhões de votos – em relação a Bolsonaro.

Mesmo uma vitória nesta circunstância não será garantia de que Bolsonaro e os comandos das Forças Armadas aceitem o resultado. Mas uma diferença desta magnitude enfraqueceria enormemente e deslegitimaria em definitivo o pretexto deles para tumultuar o processo e instalar o caos.

A retirada da candidatura pedetista do Ciro, nesta perspectiva, contribuiria para desempatar a eleição em favor da democracia contra a barbárie fascista-militar.

No entanto, se mantida, a candidatura dele não só prejudicaria o desempenho do PDT nas eleições a governos estaduais, ao Senado e à Câmara dos Deputados, como teria o trágico efeito de contribuir para a concretização do objetivo estratégico do Bolsonaro e das “Milícias Fardadas” transvestidas de Forças Armadas “profissionais, nacionalistas e legalistas” [sic].

O PDT é muito maior que Ciro, tem raízes populares e tradição na luta da resistência democrática e de combate à ditadura.

Se Leonel Brizola, o memorável líder e fundador do PDT, ainda estivesse vivo, ele muito provavelmente estaria liderando, junto com Lula e setores democráticos e populares do Brasil, uma frente antifascista para conter a continuidade da contrarrevolução fascista do bolsonarismo.

A vitória de Lula em outubro é a maior das urgências desta longa, interminável e complexa conjuntura aberta com a desestabilização do governo Dilma a partir de 2013.

Para possuir efetiva eficácia diante dos desafios desta conjuntura, a vitória do Lula precisa ocorrer no primeiro turno, por uma diferença estrondosa e com a sólida unidade do campo progressista, popular e de esquerda.

E, para isso acontecer, a retirada da candidatura pedetista é uma necessidade imperiosa.

Leia também

Miola: Viagra, pequena amostra da grande corrupção que turbina o projeto de poder dos militares

Jeferson Miola: PDT é muito maior que Ciro Gomes


Siga-nos no


Comentários

Clique aqui para ler e comentar

Zé Maria

Dupla de Delinqüentes da Gangue do Roberto Jefferson,
no Rio Grande do Sul, é Condenada pelo TSE “por abuso
de poder político e econômico e uso indevido dos meios
de comunicação durante a campanha das Eleições 2018”.

Os irmãos Divaldo Vieira Lara, prefeito de Bagé (RS),
e Luís Augusto Lara, deputado estadual e ex-presidente da
Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, estão inelegíveis
até 2026.
Eles foram condenados por abuso de poder político e econômico
e uso indevido dos meios de comunicação durante a campanha
das Eleições 2018.

A decisão foi confirmada, por unanimidade, pelo Plenário do
Tribunal Superior Eleitoral (TSE)

Íntegra: https://www.tse.jus.br/imprensa/noticias-tse/2022/Marco/tse-confirma-inelegibilidade-de-irmaos-por-abuso-de-poder-em-bage-rs
https://www.brasildefato.com.br/2021/05/08/rs-stf-mantem-cassacao-dos-irmaos-lara-deputado-e-prefeito-eleitos-pelo-ptb

Leia Também:

Ministro Relator na Reclamação (RCL) 51153 do Supremo Tribunal Federal (STF)
cassou decisões da Justiça do Estado do Rio Grande do Sul que proibiram a
publicação de matéria jornalística relacionada à investigação sobre supostos
ilícitos praticados pelo prefeito de Bagé (RS), Divaldo Vieira Lara [PTB/RS].

Na análise do mérito, o Relator concluiu que a emissora tem razão,
uma vez que, na ADPF 130, a Corte vedou a prática de atos estatais
que configurem censura prévia à atividade jornalística, considerando
que o livre trânsito de ideias constitui elemento essencial ao
desenvolvimento da democracia.
Em fevereiro, o ministro do STF jáhavia concedido liminar para suspender
as decisões.

Íntegra: https://portal.stf.jus.br/noticias/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=485241&ori=1

Os Bageenses não se deram mal
ao não querer reconduzir o PT
ao Governo Municipal de Bagé.
Ainda há tempo de voltar atrás.

    Zé Maria

    O TRE-RS havia determinado que os votos dados ao deputado fossem computados para a coligação pela qual concorreu, devendo ser empossado o primeiro suplente da Coligação Trabalho e Progresso (PP-PTB).

    No entanto, os ministros do TSE decidiram pela recontagem dos votos para o cargo, com a realização de novo cálculo de quociente eleitoral, considerando nulos os votos atribuídos ao deputado.
    Ou seja, a nova contagem deve abrir vaga para um novo parlamentar assumir a cadeira.

    A decisão deve ser executada imediatamente.

    https://sul21.com.br/noticias/politica/2022/03/tse-cassa-mandato-do-deputado-lara-e-torna-prefeito-de-bage-inelegivel/

    Zé Maria

    MAINARDI DIVULGA NOTA SOBRE DECISÃO DO TSE QUE TORNOU INELEGÍVEIS DIVALDO E LUÍS AUGUSTO LARA

    O Deputado Estadual Luiz Fernando Mainardi (PT=RS), ex-Prefeito de Bagé, divulgou Nota Oficial nesta sexta-feira (04/3) sobre a decisão do Tribunal Superior Eleitoral [TSE], que rejeitou recurso impetrado pelo deputado estadual Luís Augusto Lara [PTB] e pelo prefeito de Bagé, Divaldo Lara [PTB].
    Eles tiveram mantidas as condenações determinadas pelo Tribunal Regional
    Eleitoral [TRE] do RS em 2019, em ação de investigação eleitoral, por acusação
    de abuso de poder político e econômico nas eleições de 2018.

    A nota do Deputado Mainardi, que concorreu com Divaldo Lara [PTB] ao Cargo
    de Prefeito de Bagé nas eleições municipais de 2020, diz o seguinte, na íntegra:

    “Na última quinta-feira (03), o órgão pleno do Tribunal Superior Eleitoral (TSE)
    confirmou, por sete votos a zero, a condenação de Luís Augusto Lara e Divaldo
    Lara por abuso do poder econômico e político nas eleições de 2018.

    Ambos já haviam sido condenados por tais crimes pelo Tribunal Regional
    Eleitoral, ainda em 2019.
    Foram condenados por órgão colegiado e declarados inelegíveis por oito anos.

    Na época em que estes crimes eleitorais foram cometidos, nas eleições de 2018,
    a prefeitura foi povoada por uma multidão de cargos em comissão, prestadores
    de serviços em contratos emergenciais e contratados avulsos, todos fazendo
    campanha eleitoral para Luís Augusto.

    Essas pessoas eram orientadas a produzir ataques e mentiras contra mim,
    gerando prejuízos a nossa candidatura, tudo pago com dinheiro dos impostos
    do povo de Bagé.

    Essa prática se repetiu na eleição de 2020, de forma imensamente amplificada,
    desta vez pela candidatura de Divaldo a prefeito.

    A decisão do TSE confirma aquilo que já sustentamos desde a eleição de 2020:
    os irmãos Lara são fichas sujas, condenados por órgão colegiado por delitos
    previstos na Lei da Ficha Limpa.
    Logo, a candidatura a prefeito de Divaldo Lara nas eleições municipais passadas
    foi ilegítima, bem como carece de legitimidade a sua condição atual de prefeito.

    A condenação pelo TSE é, também, a primeira a ser julgada de mais de uma
    dezena de ações que Divaldo Lara responde.

    O Ministério Público Estadual o acusa da prática de diversos crimes, tais como
    recebimento de propina, organização criminosa, lavagem de dinheiro, desvio
    de verbas públicas, formação de quadrilha, fraude à licitação, corrupção passiva,
    entre outros delitos.

    Uma pessoa com esse nível de envolvimento em crimes eleitorais e com esse
    currículo criminal não tem qualquer condição de seguir gerindo uma estrutura
    pública como a prefeitura de Bagé.
    Por isso, vamos dar sequência a ações de âmbito político e judicial que possam
    colocar as coisas em ordem na vida administrativa de nossa cidade.

    A justiça pode demorar, mas ela sempre chega.”

    Luiz Fernando Mainardi
    Deputado Estadual

    https://pbs.twimg.com/media/FNBs1WHWUAE-U3N?format=jpg
    https://twitter.com/DepMainardi/status/1499818379888181248
    .
    .
    “O Mundo dá Voltas, porque é Redondo”

    Divaldo Lara ficou conhecido nacionalmente como ‘o homem do relho’
    por ter ameaçado o ex-presidente Lula com um relho dizendo que
    ‘em sua cidade imorais não entrariam’, durante a caravana petista
    que antecedeu a prisão do ex-presidente.

    https://www.brasildefators.com.br/2022/03/10/stela-farias-assume-vaga-na-assembleia-legislativa-apos-cassacao-de-deputado-do-ptb

Ibsen Marques

O Ciro tem boas propostas, mas politicamente é um zero à esquerda, digo, à direita. É incapaz de negociar, tem um tom bastante autoritário e impositivo. Faz declarações que afastam o diálogo. Ele seria um bom ministro, mas não tem capacidade de negociação.

Moacir R. de Pontes

Parece que o Ciro Gomes atual quer se tornar ainda menor do que o de 2018!
Talvez o Frodo explique!

Carlos

Vamos colocar Lula e Ciro no 2° turno.
Deixar bolsonaro de fora da disputa. 25% Não dá pra chegar no 2° turno…

Ops, esqueci que o problema não é ter 2° turno!
O problema é jair não chegar lá.

Só eu acho imoral por palavras na boca de quem já morreu?
(Jeferson Miola vive fazendo isso com o Leonel Brizola por quê?)

marco

Em 2022 os eleitores de Ciro no segundo turno irão com ele a París, pois o repto foi lançado anos atrás, lembram da frase terminativa ; “Ciro, nem com reza brava “

Zé Maria

O Trabalhismo de Getúlio, Jango e Brizola
tem a Missão Histórica de eleger LULA.

É a Última Chance que os Trabalhadores
têm de revogar as Defórmas de Temer e
Guedes/Bolsonaro; bem como recuperar
o Projeto de Soberania do Brasil que foi
destruído pelos Patifes da Força-Tarefa
de Curitiba comandados por Moro.

Jair Quesada

Vocês são ridículos demais. Sustentados pelo lulopetismo, fogem do debate. Imbecis.
São bolsominions de vermelho.
Vão lá babar o Picolé de Chuchu, Renan, Jucá, Sarney e Eunício. E peçam para o advogado do Lula conversar escondido com o Temer.

Deviam escrever uma matéria sobre o treinamento do Lula em Hopkins.

    José Espare

    Ué, seu nome não era Jair Messias?

    Roberto De Paulo

    Melhor jair se acostumando,bozo e coroné,dois que se completam,Lula no primeiro turno.

Décio

Nas ultimas eleições Ciro Gomes se escondeu na França no segundo turno, agora em 2022 ele segue um caminho parecido.
Não está nem aí para democracia e tem mais inimigos políticos do que voto.
Não consigo imaginar um amante da democracia lavar as mãos nesse momento.
O que diria o saudoso Brizola?!

Neto

Ciro cabo eleitoral de Bolsonaro. covarde que nos deixou no segundo turno e foi pra Paris. tua terceira via morreu.

Roberto

Ciro parece agora querer encarnar o papel de o “Bolsonaro” de “Harvard” e de esquerda!. Parece querer pescar voto nas “classes” “médias” hidrófobas e em parte do voto popular que por ora sentem-se bastante à vontade com o atual meretrícimo presidente da República. Se antes tentava ser o sub-tucano de esquerda, agora se lança a ser o sub-bolsonaro de esquerda, no intuito de ir buscar o tentador e apetitoso voto antipetista, cevado e criado não para Ciro. E tudo isso tentando ser ainda de esquerda, com aquele embolado discurso nacional desenvolvimentista gerencial de Harvard (e vai fazer alguém entender ou gostar disso!)
Ao fim e ao cabo ele continua sendo desprezado e ou ignorado ou ainda se desentendendo por todos os lados. À direita pelo tucanato de alta plumagem, dentro ou fora do moribundo PSDB, e pelo próprio Mercado, isto é, pela Turma da Bufunfa, a Grande Imprensa e seus “funcionários” na Faria LIma e nas redações dos grandes meios. Só para ter uma ideia, na última eleição, Ciro não foi nem incluído entre os “candidatos do Mercado”. Ele tentou então fazer disso um trunfo e além de não convencer os eleitores das esquerdas foi ignorado pelos chefes de turba da direita e seus eleitores (ou de “centro” ou ainda “apartidário” como normalmente esses eleitores se auto localizam dentro do espectro político e ideológico). Ou seja,querendo ter e ser tudo desagrada a todos e acaba não sendo nada. Mas tentando fazer das frases de Tiririca um teorema político vai no “pior que está não fica” e se elegeram Bolsonaro porque não eu que além de tudo tem um curso em “Harvard”!

Carvalho

Vamos convencer os eleitores do Ciro para votar no Lula no primeiro turno para termos um Vitória esmagadora e mandar Bozo e seus filhos para a cadeia e seus apoiadores para os sarcófago que saíram.

    marcio gaúcho

    É isso aí, Carvalho! O Ciro Gomes é um sujeito movido pelo ódio de tudo e de todos. Ciro está falido politica e economicamente, razão pela qual virou uma metralhadora giratória. Porém, se o PDT efetivar a sua candidatura à presidência da república, também será, como partido, colocado no limbo e no ostracismo se Bolsonaro for beneficiado da situação.

Deixe seu comentário

Leia também