VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Política

Emir Sader: Governo paga caro por não ter democratizado a mídia


26/06/2013 - 10h40

por Conceição Lemes

O primeiro ato de protesto contra o aumento da tarifa de ônibus, metrô e trem na cidade de São Paulo aconteceu em 6 de junho. Convocado pelo Movimento Passe Livre (MPL), reuniu 5 mil pessoas.

O segundo ato, no dia seguinte, juntou, também, 5 mil.  O terceiro, 12 mil.  O quarto, em 13 de junho, quando houve violenta repressão policial, 20 mil.

Ao quinto ato compareceram mais de 200 mil.  Ao sexto, mais de 50 mil. No sétimo, em 20 de junho, para comemorar a redução da tarifa, 100 mil. No mesmo dia, ocorreram manifestações em mais de 120 cidades brasileiras, com grande variedade de pautas. Dirigidas inicialmente a seus prefeitos e governadores, passaram a ter como alvo principalmente o governo federal.

“O crescimento muito forte do movimento seria impossível sem a ação monopolística dos meios de comunicação”, alerta o sociólogo Emir Sader. “O governo está pagando caro por não ter democratizado os meios de comunicação. É um bumerangue que está voltando para as mãos do próprio governo.”

Emir Sader é professor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), onde coordena o Laboratório de Políticas Públicas. É também secretário-executivo do Conselho Latino-americano de Ciências Sociais. Nesta entrevista ao Viomundo, ele analisa as mobilizações que ocorreram nas duas últimas semanas, a atitude do prefeito Fernando Haddad (PT) e  o que a esquerda deve fazer agora.

Viomundo – Por que as manifestações cresceram tanto?  Qual a sua avaliação do movimento?

Emir Sader — As mobilizações tiveram potencial de crescimento muito forte, porque pegaram duas fragilidades especiais do governo. A falta de políticas destinadas aos jovens, que dialoguem com eles: cultura, aborto, descriminalização de drogas, internet.  E a ausência de iniciativas para democratizar os meios de comunicação.

Os jovens se mobilizaram por uma proposta justa contra o aumento de tarifa de transporte público. Porém, ela acabou catalisando quantidade enorme de outras demandas de diferentes tipos. O movimento passou a ser, então, uma disputa entre a extrema direita e extrema esquerda.

Obtida a primeira vitória, no dia 19, o movimento se esvaziou, porque o objetivo imediato foi alcançado. Porém, a partir da última quinta-feira 20, mudou o caráter das coisas. O potencial totalitário, que estava em segundo plano devido à reivindicação inicial, aflorou.

Tanto que a manifestação da quinta-feira passada não teve caráter de festividade, embora fosse a proposta do Passe Livre. Foi um ato sem objetivo imediato. E, aí, pode exteriorizar-se mais claramente a agressão contra a participação do PT, da CUT, já que o objetivo central tinha desaparecido do horizonte. Também as cenas de vandalismo se multiplicaram, a ponto de a direção do Movimento Passe Livre dizer que por ora não vai convocar outra manifestação.

Viomundo – Por que mudou o caráter?

Emir Sader — Essas mobilizações sem objetivo imediato, ingenuamente ou não, se prestam a ser  laranjas dos vândalos, que,  por sua vez desatam um processo repressivo como resposta. Dão a impressão de que estão buscando um cadáver, algum heroísmo, para poder multiplicar o movimento. Acho que, aí, já prevalece mais a ideia da provocação.

A própria imprensa, que até a última quinta-feira estava falando euforicamente “de um Brasil que está na ruas”, começou a passar a ideia de que o País estava sem controle. Foi como que apelando à repressão, querendo que o governo se aventurasse a uma repressão maior que o desgastaria, desgastaria a sua autoridade e geraria mais uso da força.

Viomundo – Esgotou-se uma etapa?

Emir Sader – Penso que sim, porque terminou a natureza reivindicatória, que foi vitoriosa e ficou sem objetivos imediatos, se prestando muito a desatar uma onda de violência, que,  aqui no Rio de Janeiro,  está sendo explorada. É preciso ver o que vem em seguida.

Viomundo – Nas manifestações de quinta-feira, não apenas bandeiras de partidos políticos, mas também do MST e do movimento negro foram queimadas, destruídas. O que acha disso?

Emir Sader — A mídia conseguiu inculcar a ideia da raiva dos partidos políticos, particularmente do PT. A gente pode perguntar: Por que a raiva do PT e não do PMDB e dos tucanos?

Aí, tem um instrumento de classe. É a bronca com os partidos, os governos, a política e o PT, que, claro, é  o que encarna mais diretamente isso.

Mas tem outro elemento que os opositores do governo estão tentando tornar dominante: desqualificar a ideia de que o Brasil melhorou.

Até a oposição aceitava isso e começava a discutir, que precisava fazer mais. Eles partiam desse pressuposto. Agora, eles estão com uma ideia de tábula rasa. É contra tudo o que está aí, personificado no PT, e essa ideia de que o Brasil acordou.  Esse é o selo da direita, que agora deu mais um passo adiante. Não é a ideia de que precisa fazer mais, fazer melhor. É a desqualificação da política, do governo, do PT e tudo mais. Essa propaganda tem um substrato que desemboca na violência, porque é a representante disso que está aí.

Viomundo –Em que medida a falta de iniciativas do governo para democratizar a mídia e  a não regulamentação dos meios de comunicação contribuiu para isso?

Emir Sader –  Esse movimento seria impossível sem a ação monopolística dos meios de comunicação.  No começo, eles até desqualificavam o movimento, depois perceberam que poderia ser um elemento de desgaste do governo federal e passaram a apoiar desproporcionalmente, a multiplicar sua importância.

Acho que o governo está pagando um preço caro por não ter democratizado os meios de comunicação. É um bumerangue que está voltando para as mãos do próprio governo.

Até agora, aparentemente, iria surfar nas eleições de 2014, e não queria briga nenhuma. Mas a Dilma já começou a perceber que o seu modelo econômico e social está sendo afetado pela desestabilização promovida pela mídia e a sua popularidade também.

Claro que houve, ainda, a intervenção desastrosa do prefeito de São Paulo, que poderia ter cortado isso logo no começo. Ele tem uma responsabilidade grave nessa história toda.

Viomundo – O Fernando Haddad foi titubeante?

Emir Sader — Eu nem diria titubeante. Diria que estava com uma atitude equivocada. Primeiro, ele condenou as ações de vandalismo, fazendo parecer que a violência era isso, não era a violência também da PM. Segundo, ele fechou as portas para a negociação, dizendo que não receberia representantes do movimento enquanto houvesse violência.

Disse também que não voltaria atrás no aumento. Ou seja, ele tinha mesma postura do Alckmin: não negociar e denunciar a violência dos manifestantes.

Viomundo — Essa postura do prefeito contribuiu para que o movimento crescesse?

Emir Sader — A violência sempre multiplica os movimentos. Além isso, ele fechou as portas para a negociação, ajudando ainda mais a disseminar o movimento. Ele tem responsabilidade de ter facilitado o alastramento das mobilizações.

Viomundo – O governo Dilma se afastou dos movimentos sociais. Se isso não tivesse ocorrido, a evolução das manifestações  não teria sido outra?

Emir Sader – Mais do que o governo Lula?

Viomundo — Acho que sim. Os próprios movimentos sociais queixam-se disso.

Emir Sader — Não dá para ficar culpando só o governo. Ele faz as suas políticas sociais, elas são mais ou menos populares. Agora, os movimentos sociais, que deveriam mobilizar os beneficiários dessas políticas, perderam a capacidade de mobilização.

Na quinta-feira, o MST e a CUT disseram que iriam à manifestação. Em São Paulo e  no Rio de Janeiro, comparecimento deles foi muito pequeno, mostrando flagrante incapacidade de mobilização.

Eu não acho que substancialmente o governo da Dilma se afastou mais do que o governo Lula. Uma coisa é o diálogo. O Lula chamava mais, conversava mais com os movimentos sociais… Você não tem quem realmente defenda os trabalhadores no seio do governo.

Viomundo – Nos últimos dias, muitos leitores postaram comentários preocupados com a possibilidade de um golpe no Brasil. O que acha disso?

Emir Sader — Todos os comentários que eu vejo sobre o assunto são fantasmas da esquerda. Pânico da esquerda. Não se tem notícia vinda das Forças Armadas nesse sentido. Quem sabe o que é golpe conhece isto. Não há clima para golpe.

Tudo bem, não se pode baixar a guarda. Mas também não se deve alimentar o fantasma do golpe. O objetivo da direita é desgastar a Dilma para tentar chegar ao segundo turno em 2014. O passo seguinte são as pesquisas eleitorais  para mostrar o desgaste da Dilma. Esse é  o caminho. Aí, vale tudo.

Viomundo – Nessa situação, o que a esquerda deve fazer?

Emir Sader – Primeiro, ir para as ruas com suas próprias manifestações para disputar o espaço político.

Segundo, disputar a interpretação, a narração do que está acontecendo hoje no Brasil. Nós sabemos que, quando há um avanço histórico da esquerda, há uma contra-revolução ou uma reação correspondente da direita.

É o que está acontecendo hoje. Mídia e oposição manipulam, usam os jovens como massa de manobra, disseminando a ideia de que  o Brasil é uma merda, de que tudo o que é feito aqui é uma merda.

Nós temos que tentar impedir que se consolide essa visão muito retrógrada do País. Nós temos que favorecer a nossa interpretação do que está acontecendo e mostrar o que, de fato, já foi feito.

Terceiro, disputar nacionalmente com oposição a nossa agenda. Isso significa batalhar pela democratização dos meios de comunicação e  financiamento público das campanhas eleitorais, entre outras coisas.

Esses são os três desafios que a esquerda tem de enfrentar.

[Gostou deste conteúdo? Gostaria de saber tudo sobre os bastidores da Globo na eleição? Ajude-nos a financiar  documentário e livro sobre o tema, que serão tocados por três jornalistas. Confira aqui]

Leia também:

Beatriz Cerqueira: Aécio fala em ouvir o clamor das ruas, mas governo tucano de MG não pratica o discurso

Centrais marcam ato conjunto para 11 de julho

Stedile: Empreiteiras e Globo se apropriaram de gastos exagerados da Copa

Zé Dirceu: “DNA elitista” de tucanos teme soberania popular

#changebrazil: Leitores estranham conexões do “movimento”



Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

O lado sujo do futebol: Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - O lado sujo do futebol e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


111 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Nelson Menezes

27 de junho de 2013 às 23h20

O PT e o governo Dilma nomearam a rede globo como ministro das comunicações agora e tarde, deram munições ao inimigo, como esta esquerda é ingenua,agora o Lula esta se esperneando para levar as entidades sociais as ruas ,tomara que ele tenha muito Gaz.

Responder

Ramalho

27 de junho de 2013 às 21h40

Mauriçolas e patricinhas de todas as idades (que, passada a maioridade, são constrangedoramente ridículos), articulados por intermédio das chamadas redes sociais (o que é isso mesmo?), deixaram os carros na garagem e foram às ruas clamar, acredite se quiser, por redução dos preços das passagens de ônibus! (agora, querem transporte gratuito para todos!) Enganaram muita gente, inclusive a mim, pois “quando vi todo mundo na rua de blusa amarela [ou branca?], eu achei que era ela puxando o cordão”. Mas não era. Era a turba puxando o tapete da democracia e da civilização.

Os manifestantes, estatisticamente leitores/espectadores de Globo, Folha, Veja, Estadão (modulados por Jabor – o Datena dos semiletrados -, o próprio Datena, Boechat, Reinaldo – radicais a favor de ricos e poderosos – e o autoexilado Mainardi, afora outras nulidades), pugnam pelo fim da política, dos políticos, dos partidos, das instituições estatais (depredaram o Itamarati, a Assembleia Legislativa do RJ, a Prefeitura de São Paulo!); defendem o fim de agência de automóveis (arrebentaram com uma em Belo Horizonte duas vezes), o fim da Copa das Confederações e da Fifa! Que puta pauta, não é mesmo?! E é essa a turma que diz querer melhorar o Brasil.

Sob autoconcedida capa de pacifista (discurso aceita tudo), a turba “da paz” provoca e ataca a polícia com pedras, coquetéis molotov, rojões e bombas; assalta lojas comerciais; depreda; põe fogo em ônibus; promove baderna; ofende a racionalidade e o bom-senso com declarações absolutamente estúpidas, como a da “política sem partidos”. No discurso, diz-se pacifista mas, na prática, pilha e destrói tudo o que vê pela frente. Age como horda bárbara assemelhada à que destruiu a Biblioteca de Alexandria, horda que, como a de Alexandria, obedece a comando político reacionário. Há muito método e grana nessa aparente e falsa loucura espontânea.

As passeatas e os fóruns virtuais de veículos da mídia grande, onde membros da turba comentam, evidenciam a existência de um “lumpenclassemediano” igual ao lumpemproletariado, com exceção do nível de renda. Seus membros não têm consciência de classe, e, em consequência, não têm consciência das próprias demandas e interesses. Por serem, além disto, ignorantes e pouco dados a pensar (têm como lema, solvo ergo sum), padecem de ansiedade difusa: não sabem o que fazer para resolver as próprias demandas e, decorrentemente, para aplacar a ansiedade e mal-estar de que sofrem. Daí, partem para inculpar terceiros pelas próprias frustrações, desenvolvendo ódio de classe irracional alimentado por preconceito e inveja dos que são ou vêm de classes sociais de menor renda. Culpam também o governo, como se o governo fosse a Geni cuja execração expia suas frustrações, ou como se fossem adolescentes e o governo seus pais.

Por não terem consciência do que são, renegam o Brasil, os brasileiros, especialmente os das camadas populares; renegam as realizações brasileiras. Rejeitam a cultura do país, pois são aculturados convictos (bom é o que vem de fora). Abjuram, em suma, si próprios e suas raízes. O “lumpenclassemediano” é, como se dizia antigamente, “freguês de caderno” dos poderosos daqui e de lá de fora, matilha de vira-latas sarnentos (que me desculpem os vira-latas).

O “lumpenclassemediano” autorreferencia-se, acha-se o maioral, é narcisista. Porém, diferentemente de Narciso, é feio, e a constatação da feiura – que a ascensão econômica dos mais pobres explicita com dureza – o leva ao pânico de não ser o que pensa ser, ao pânico narcísico expressado em narcisismo em si mesmo, delinquência, violência e cinismo (“foda-se o Brasil, nacionalismo é coisa de imbecil” disse um do “movimento”). Essas passeatas violentas, baderneiras, prenhes de negatividade, rancor, acusações majoritariamente infundadas e moralismo barato, sem pauta decente são essencialmente surto de pânico narcísico. Essa malta precisa de terapia psicanalítica.

Mas há também a ignorância. Só a ignorância do “lumpenclassemediano” aliada à preguiça de pensar e pesquisar podem explicar o porquê dessa gente deixar que sua cabeça seja feita por mervais e outros anões intelectuais que infestam a mídia. Só elas podem explicar por que é movido a bordões, deboches, neologismos ofensivos, ocos todos de argumentação, e plenos de mau gosto e chulice, lixo que idiotas com espaço na mídia põem em circulação aviltando o debate político.

A ignorância e a capacidade de se deixar manipular do “lumpenclassemediano” impressionam, embora a ignorância e a submissão à manipulações sejam corda e caçamba (como diriam Vadico-Noel), uma ajuda a outra. A PEC-37, por exemplo, da qual esse lúmpen não tem a menor ideia do que seja, avanço que barraria superpoderes do MPF usados para chantagear e proteger políticos de acordo com os humores do procurador geral da república e da imprensa grande, foi combatida pela turba (e rejeitada por uma Câmara pusilâmine). A condenação da PEC-37 é bandeira corporativa (do MP) e da elite midiática que insiste em ter mecanismos subvertedores da vontade popular manifestada nas urnas. E tal já acontece: a vontade popular tem sido subvertida por meio de um Ministério Público aparelhado que sobresteve processos (prevaricação, como já denunciado) e promoveu o mentirão, ambas as ações de cunho político, traidoras da vontade popular expressada nas urnas.

O “lumpenclassemediano” não representa de forma alguma a maioria da população, como parece pensar a Câmara dos Deputados: o “lumpenclassemediano” é parte dos 4% acrescido de algumas cabeças fracas e de estudantes entediados com as aulas.

O “lumpenclassemediano” não promove luta alguma em favor da população: bandeiras como a de exigir que, num estalar de dedos, o transporte público seja tornado gratuito não passam de radicalismo para enfraquecer o governo (pois a exigência é inexequível) por meio de manipulação abjeta da população que elegeu este mesmo governo (contrariamente ao desejo do “lumpenclassemediano”).

O “lumpenclassemediano” é massa de manobra da elite (cujos grilos falantes líderes estão na mídia corporativa) usada na luta pela expropriação das tímidas conquistas já obtidas pelo Povo e que trouxeram melhorias para todos (inclusive para o lúmpen) em todos os aspectos. A motivação do “lumpenclassemediano” que subjaz o “movimento” é mesquinha: ter alguém para pisotear a cabeça. É também política, pois o lúmpen é marionete de poderosos que o usa a seu bel-prazer.

Essa malta inculta, egoísta, vaidosa e irresponsável esta a fazer com que o processo democrático regrida perigosamente, e basta a condenação que fez da PEC-37, introduzida oportunisticamente pelo MP e pela elite midiática nas passeatas, para provar o retrocesso.

Pois é, “quando vi todo mundo na rua de blusa amarela [ou branca?], eu achei que era ela puxando o cordão”. Mas não era.

Responder

    FrancoAtirador

    27 de junho de 2013 às 23h29

    .
    .
    É, meu caro Ramalho.

    Também achei que seria
    um Elogio à Democracia.
    Mas logo logo percebi
    que o que cruza por aqui
    é um Réquiem à Civilidade
    ou um Tributo à Boçalidade.

    Um abraço.
    .
    .

    constantino kaváfis

    28 de junho de 2013 às 06h59

    Brilhante!!

abolicionista

27 de junho de 2013 às 16h13

Não é só a mídia, o governo está pagando o preço por ter empurrado a luta de classes para baixo do tapete.

Responder

    FrancoAtirador

    27 de junho de 2013 às 22h58

    .
    .
    É verdade, caro abolicionista.

    Mas o que está nas ruas

    é um ‘Golpe de Classe’.
    .
    .

    maria aparecida

    25 de julho de 2013 às 19h52

    Concordo com o comentário que disse que o que está nas ruas é “UM Golpe de Classe”. A Chamada Classe Média só pensa nela mesma, esquece daqueles que nada têm; não têm voz nem vez – os Pobres, os Miseráveis. Na verdade, aqueles que têm carros nas garagens e viajam para o exterior querem derrubar o governo Dilma, porque não aceitam o Bolsa Família; não querem que os pobres possam COMER!
    É preciso que aceitam TODOS os brasileiro, aqueles que não DESCARTAM ninguém, como disse o Papa, REAJAM! Reajam contra o cinismo e a hipocrisia.

Jayme Vasconcellos Soares

27 de junho de 2013 às 15h43

Querer dizer que as manifestações populares, que estão ocorrendo nestes dias no Brasil, relacionam-se meramente a posições de direita ou esquerda, ou de quaisquer outras tendência dentro deste espectro político, é uma tentativa oportunista de esconder a verdadeira razão das insatisfações e insaciabilidades da sociedade brasileira, que não vê atendidos os seus mínimos direitos de uma vida digna cidadã. Os protestos contra o neoliberalismo escravagista e perverso, insensível à dignidade humana, estão se espalhando cada vez mais intensamente, pelo mundo, onde os governos vêm adotando e impondo esta política econômico-social.

Responder

PPP

27 de junho de 2013 às 14h50

Minhas sugestões para cartazes :

“O Brasil Livre despertou o gigante escravo.”

“O Brasil Inteligente despertou o gigante acéfalo.”

“O Brasil Soberano despertou o gigante capachol.”
etc….
=================================================

Que “inveja”dos venezuelanos!
Assistam…
Señal en vivo — teleSUR
http://www.telesurtv.net/el-ca

Responder

anac

27 de junho de 2013 às 13h44

Os milicos não estão por enquanto dispostos a entrar na lama e fazer o papel sujo. O PiG vai continuar tentando lançar a crise no colo de Dilma. Juscelino alertava para não acordar o monstro. Engana-se o PiG s achar que a opinião publica será manipulada e esquecerá de lutar por suas reivindicações – MAIS SEGURANÇA, MAIS EDUCAÇÃO, MAIS SAUDE para encampar as da elite, ou seja, o que leva a concentração de renda, redução dos impostos significar menos dinheiros para gastar com serviços sociais básicos, privatização destes com o mercado ditando os preços significa fim dos serviços sociais básicos como educação, saúde e segurança que ficando nas mãos dos empresários serão inacessíveis para os pobres. Os planos de saúde provam que pagamento não é garantia de excelência de serviço. Apostar no caos corre-se o risco de perder TUDO. Estou otimista, o país estava estagnado com o pragmatismo petista. Temos realmente que avançar e para atender os anseios do povo que esta nas ruas apenas dando uma virada maior para a esquerda. Criar o imposto sobre grandes fortunas, por exemplo.

Responder

anac

27 de junho de 2013 às 13h27

Os donos da mídia são os mentores do golpe de 1964 que implantou a ditadura que por 20 anos atrasou o país. Os milicos foram os cães de guarda dessa gente para depois serem lançados na fogueira, pós guerra fria, como bois de piranha. Como a direita não podia mais manter a ditadura por motivos óbvios, os mentores da ditadura muitos, donos da mídia,se apropriaram do discurso das diretas já para se passarem como defensores de primeira hora da democracia. Aos milico, pelos serviços SUJOS prestados, foi garantida a impunidade, não obstante tenham saído com a imagem manchada, como os únicos inimigos da democracia.Já os mentores da ditadura de 1964 continuaram na ativa ameaçando a democracia quando viam seus interesses contrariados. Assim foi quando demonizaram Brizola, quando demonizaram Lula, quando elegeram Collor e quando promoveram seu impeachment, quando elegeram FHC e depois quando tentaram apear Lula do poder e impedir sua reeleição. Dilma eleita passaram a usar os mesmos meios utilizados no governo Lula. Com Dilma os factoides eram municiados por Cachoeira derrubando vários ministros em tentativa de no mínimo paralisar o governo, desgastando-o e fazendo sangrar. Se não levasse ao impeachment, impediria, no mínimo, sua reeleição. Tática lacerdista que com Juscelino Às vésperas da indicação do candidato do PSD à presidência da República, Carlos Lacerda declarou na televisão: “Juscelino não será candidato, se for candidato não será eleito, se for eleito não tomará posse, se tomar posse não governará”. No dia seguinte, na sede carioca do partido, JK deu a resposta: “Deus poupou-me o sentimento do medo”.
Juscelino lutou contra a ditadura de 1964 e Jango a favor para depois ficar quando viu que os milicos não largariam facilmente o osso ficar contra. Os dois morreram misteriosamente…

Responder

Sader: Governo paga por não ter Ley de Medios | Conversa Afiada

27 de junho de 2013 às 13h12

[…] Emir Sader: Governo paga caro por não ter democratizado os meios de comunicação […]

Responder

Messias Franca de Macedo

27 de junho de 2013 às 13h06

O GOLPISMO EM CURSO(!): ‘As mãos invisíveis do mercado’ ou ‘É A ECONOMIA, ESTÚPIDO!’; o PIBinho [a todo e qualquer custo] do PIG; “as vozes das ruas são inflacionárias”(!); “o culpado por tudo” é o ex-presidente Lula…
A consumação do golpe depende, portanto, do ‘grau de incertezas’, das ‘volatilidades’ & dos ‘humores’! Mesmo porque o Robert(o) Gurgel é muito açodado! E Pelé “ainda bate um bolão para o povão”! ENTENDA III e IV

#########################

“Essa decisão é emblemática! [a ordem de prisão do deputado (de Rondônia!)] Inclusive, eu acho que os condenados na Ação Penal 470 já deveriam ter sido presos mesmo antes dessa fase de embargos, que só servem para protelar, protelar, protelar…” [*‘o prevaricador covarde’ – “a essa altura” – tentando, deliberadamente, injetar [mais] ódio na população contra os réus da Ação Penal 470, a mesma Ação Penal que não tem nada a ver com o processo relacionado ao deputado de Rondônia…
* ‘o prevaricador covarde’, segundo o senador Fernando Collor de Mello, da tribuna do Senado Federal

PELÉ DISSE NÃO ESQUCER (sic) QUE “NÃO APOIOU A DITADURA MILITAR”(!), *COMPARA 1974 COM A ERA DILMA ROUSSEFF, E “ESQUECE O QUE FALOU ‘ONTEM’”! PELÉ **ADERIU [MAIS UMA VEZ(!!!)] AO GOLPE! ENTENDA
*o que não deixa de ser um risco iminente à nossa subdemocracia de ‘nois’ bananas!
**o Pelé deve ter ouvido ‘a voz do palco [do Projac!]’ (idem sic) ‘InFaustão’ “das organizações(!) Globo”

############################

O ex-camisa 10 lembra que o regime político do Brasil piorou em comparação à Copa do Mundo de 70, quando foi campeão com a seleção no México.
“Pediram para eu voltar para seleção, eu não voltei. Eu já tinha me despedido do Santos, mas eu estava bem demais. Mas o Geisel (presidente da República entre 1974 e 1979), a filha dele, veio falar comigo, para eu voltar e jogar a Copa de 74. Por um único motivo não aceitei: estava infeliz com a situação da ditadura no país. Estava preocupado com o momento. Em apoio ao país, eu recusei, pois estava muito bem (físico e técnico) e poderia jogar em alto nível”, afirmou Pelé.
“A ditadura estava exigindo demais do povo. Em 1970 era diferente, a seleção era comandada pelo Zagallo (técnico), mas o Parreira e o Coutinho eram do exército, e a situação era melhor”, completou.

“NUMDISSE?!”: continuemos pintados para a guerra! Mesmo porque a luta contra o fascismo é eterna!

Até a vitória sempre!

Respeitosas saudações democráticas, progressistas, civilizatórias, nacionalistas, antigolpistas e antifascistas,

República Desses Bananas da [eterna] OPOSIÇÃO AO BRASIL E AO POVO BRASILEIRO, MENTEcaptos, fascistas, mercenários, golpistas/terroristas de meia tigela!… ‘O cheiro dos cavalos ao do povo!’

Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Messias Franca de Macedo

27 de junho de 2013 às 12h46

O GOLPISMO EM CURSO(!): ‘As mãos invisíveis do mercado’ ou ‘É A ECONOMIA, ESTÚPIDO!’; o PIBinho [a todo e qualquer custo] do PIG; “as vozes das ruas são inflacionárias”(!); “o culpado por tudo” é o ex-presidente Lula…
A consumação do golpe depende, portanto, do ‘grau de incertezas’, das ‘volatilidades’ & dos ‘humores’! Mesmo porque o Robert(o) Gurgel é muito açodado! E Pelé “ainda bate um bolão para o povão”! ENTENDA II

#######################

Cadê o Lula?
27/06/2013 – 03h30

(…)
… Além do tomate, há um outro grande ausente: o ex-presidente Lula…
(…)
Goste-se ou não de FHC, concorde-se ou não com o que diz, ele se expõe, analisa, dá sua cota de responsabilidade para o debate. Dá a cara a tapa, digamos assim. Já Lula, como no mensalão, não sabe, não viu.
Desde o estouro das primeiras pipocas, afundou-se no sofá e dali não saiu mais, nem para ouvir a voz rouca das ruas. Recolheu-se, preservou-se, deixou o pau quebrar sem se envolver.
(…)
… [O ex-presidente Lula] Deve estar se preparando para quando o Carnaval chegar.

Por Eliane *Cantanhêde “do [famigerado e nefasto] conluio ‘Folha/Rede Globo’”
*jornalista amiga dos barões patrões Marinho e Frias, ambos da ‘ditabranda’!

em http://www1.folha.uol.com.br/colunas/elianecantanhede/2013/06/1301893-cade-o-lula.shtml

Responder

Messias Franca de Macedo

27 de junho de 2013 às 12h30

O GOLPISMO EM CURSO(!): ‘As mãos invisíveis do mercado’ ou ‘É A ECONOMIA, ESTÚPIDO!’; o PIBinho [a todo e qualquer custo] do PIG; “as vozes das ruas são inflacionárias”(!); “o culpado por tudo” é o ex-presidente Lula…
A consumação do golpe depende, portanto, do ‘grau de incertezas’, das ‘volatilidades’ & dos ‘humores’! Mesmo porque o Robert(o) Gurgel é muito açodado! E Pelé “ainda bate um bolão para o povão”! ENTENDA I

#########################

Consequências econômicas da rua

O mundo cobra mais caro para emprestar dinheiro ao Brasil neste junho de 2013, dadas as bobagens econômicas que fizemos e uma reviravolta na finança mundial. A grande finança saca investimentos daqui. Especula contra o real (que se desvaloriza).
Seja chantagem ou não, a finança e empresas começam a dizer também que os protestos de rua tendem a derrubar o interesse pelas privatizações de serviços e obras públicas marcadas para este ano (concessões de estradas, ferrovias, portos etc.). Empreiteiras e outras empresas interessadas nos negócios já levaram esta conversa com integrantes do governo Dilma Rousseff.
Qual é a conversa? O protesto na rua intimidou governantes, que revogam ou evitam aumentos de tarifas de serviços públicos. Empresas concessionárias de serviços públicos vivem de tarifas, claro. Se há risco de repressão dos reajustes de tarifas, há risco de a rentabilidade do negócio ir para o vinagre.
Note-se de passagem que, até agora, os governos (contribuintes) estão bancando reajustes que não foram feitos. A conta ainda não caiu no caixa de nenhuma empresa.
Voltando ao assunto: em tese, o argumento do aumento da incerteza das empresas é óbvio e racional. Mas também pode ser um jeito de as empresas fazerem pressão sobre o governo, de modo a aumentar a taxa de retorno do negócio (com o que os preços dos serviços podem ficar mais altos).
De qualquer modo, a pressão pode funcionar. O governo federal está acuado em várias frentes.
O país cresce pouco, a receita do governo também, há risco de o governo não cumprir metas fiscais (de poupança, de gastos) e, assim, desmoralizar ainda mais sua política econômica.
Concessões bem-sucedidas poderiam ser um alívio: entraria dinheiro no caixa, o clima econômico melhoraria, viria algum investimento novo. O risco de também essa válvula de escape entupir assusta bastante um governo já meio sufocado.
Quanto tempo vai durar a “repressão tarifária”? Tarifas devem ficar em banho-maria enquanto os protestos transbordarem nas ruas e sua memória ainda estiver fresca. Mas, logo a seguir, em cerca de um ano, começa a campanha eleitoral. Logo, parece difícil que a “janela de oportunidade” dos aumentos se abra tão cedo.
Repressão tarifária tende a provocar rombos nos orçamentos dos governos ou corte de investimentos, pelo menos no curto prazo. Logo, também é um fator de deterioração econômica.
A reação demagógica e incompetente de governantes e parlamentares aos protestos também pode ser outro fator de degradação das contas públicas e, por tabela, da economia, não apenas no curto prazo.
Quase todo mundo comemora a ideia de usar 100% dos royalties do petróleo em gastos da educação.
Surgiu até a ideia brilhante de pagar o passe livre de estudantes com o dinheiro que um dia virá do petróleo, que mui propriamente brotou da cabeça privilegiada de Renan Calheiros, paladino do povo.
Carimbar verbas para isso ou aquilo, de resto sem mesmo antes verificar a eficiência do gasto presente ou se existem outras prioridades, é receita de desperdício (o que é também uma forma de favorecer corrupções e desvios de verba).

Por Vinicius Torres Freire “da ‘Folha’ da ‘ditabranda’ dos Frias”(!)

em http://www1.folha.uol.com.br/colunas/viniciustorres/2013/06/1302007-consequencias-economicas-da-rua.shtml

Responder

alex

27 de junho de 2013 às 12h24

Azenha: dificilmente a “grande mídia” mete a mão nesta cumbuca da Caixa Preta do transporte!

“TFP: Tradição, Família e Propriedade”

Prezado Nassif,

Recebo em meu facebook a notícia de que o governador Sérgio Cabral legalizou por decreto a casa que Luciano Huck construiu em área de preservação ambiental. A advogada de Luciano Huck é Adriana Ancelmo.

Adriana Ancelmo é também advogada do Metrô e da Supervia, concessionária dos trens do Rio. 47 empresas de ônibus (incluindo 25% da frota do Rio) pertencem a Jacob Barata. Jacob Barata é pai de Adriana Ancelmo.

Adriana Ancelmo é casada com Sérgio Cabral. Destaca-se aqui que o sogro do governador do Rio é dono de 25% da frota de onibus que circula na Cidade Maravilhosa. Se este fato for verdade, qualquer outro comentário faz-se desnecessário.

Mas, o que que o povo está fazendo na rua mesmo?
Decreto de Cabral favoreceu cliente de sua mulher em Angra

(Comentário de Walter Serralheiro – 27/6 – às 9:01 – post: O Senhor Crise abre a caixa preta dos ônibus/ Blog do Nassif)

Responder

Lando Carlos

27 de junho de 2013 às 12h23

A tentativa dos grandes veículos de comunicação de tentar usar as manifestações para jogar a população contra o Governo Federal, na tentativa de diminuir a aprovação ao Governo e à Presidenta Dilma. Mas a questão da regulamentação e democratização da mídia, passa também pelo interesse dos próprios meios de comunicação sobre o assunto. Quando avaliamos a postura dos veículos de comunicação em relação ao atual Governo, percebemos uma situação de completa má vontade e até mesmo de desonestidade. Ser contra ou a favor de um governo, ser apoiador ou oposicionista a ele não prescinde de que se tenha respeito pelo seu público, e por causa dele se dê as informações corretas com as críticas que se queira fazer nesta ou naquela direção. Num País que mudou e oferece novas oportunidades, nenhum meio de comunicação teve atitude diferente do outro. Todos combatem o atual Governo (Lula/Dilma) como um inimigo que deve ser destruído a qualquer custo. Ninguém respeita o cidadão que é seu público e portanto consumidor do seu meio de comunicação, que não deve conseguir ver o péssimo governo que eles declaram. Quanto aos movimentos sociais, não foi o Governo que se afastou e sim os movimentos que se afastaram da política, que se afastaram das lutas de seus representados; não são todos os movimentos sociais que se apresentam que possuem legitimidade para representar o que dizem defender. Os Partidos não representam os movimentos sociais, em poucos deles ainda se vê a participação de pessoas oriundas desses movimentos, o que se reflete nos Governos.

Responder

Lindivaldo

27 de junho de 2013 às 12h14

Ontem, ao final da tarde, foi divulgado oficialmente o número de pagantes que assistiam ao jogo do BrasilxUruguai: 57.483.

Significa que, no estádio, estavam mais de 60 mil pessoas…

No jornal nacional, tempo depois, o William Bonner, engrossou a voz para informar que nas manifestações havia o mesmo número de pessoas: 50 mil, sumindo misteriosamente com 20% dos torcedores do Estádio.

Mais uma vez a globo é flagrada com mentiras para estimular o povão a aderir ao golpe…

Que cinismo, logo ela que está faturando com a Copa!

Vamos lá, gente! Em 11.7, vamos exigir nas ruas:

“Democratização dos Meios de Comunicação Já”

Responder

J Tavannes

27 de junho de 2013 às 12h06

Dilma tem de colocar na pauta para apreciação do Congresso, com a máxima urgência, também o enquadramento de vândalos e depredadores como CRIME HEDIONDO. De nada adianta levá-los a uma delegacia e sairem pela mesma porta da frente zombando das autoridades constituidas.

Responder

Horridus Bendegó

27 de junho de 2013 às 11h48

Num País Racista, Veja Nazista!

Revista Veja da semana ouviu a opinião de 120 brasileiros pelos protestos das ruas.

Nenhum negro!

Nem ao menos um único pardo.

E depois chora a morte iminente de Nelson Mandela….

Essa é a publicação que mais vende no Brasil.

Como diz hoje o Paulo Henrique Amorim, o Brasil é canalha de longe!!!

Responder

Ted Tarantula

27 de junho de 2013 às 11h23

na verdade o governo federal faz exatamente como certos bêbados e drogados que são contra e lei seca: matam, estropiam, mutilam em “acidentes” mais que previsíveis…e dizem que a culpa é das estradas, do vento, da chuva, das arvores, dos animais…de todos; menos dele mesmo, bêbado e drogado ao volante. Aliás, assumir responsabilidades e brasileiros na mesma frase já é um problema lógico insolúvel..

Responder

Messias Franca de Macedo

27 de junho de 2013 às 11h05

PELÉ DISSE NÃO ESQUCER (sic) QUE “NÃO APOIOU A DITADURA MILITAR”(!), *COMPARA 1974 COM A ERA DILMA ROUSSEFF, E “ESQUECE O QUE FALOU ‘ONTEM’”! PELÉ **ADERIU [MAIS UMA VEZ(!!!)] AO GOLPE! ENTENDA

*o que não deixa de ser um risco iminente à nossa subdemocracia de ‘nois’ bananas!
**o Pelé deve ter ouvido ‘a voz do palco [do Projac!]’ (idem sic) ‘InFaustão’ “das organizações(!) Globo”

###############################

Pelé adotou um tom crítico ao falar sobre Copa do Mundo e também sobre a série de protestos que tem acontecido no país. Em entrevista exclusiva ao UOL Esporte, o Rei do Futebol declarou apoio aos manifestantes, criticou a construção de estádios e até revelou que boicotou o Mundial da Alemanha Ocidental, em 1974, como forma de protesto contra a ditadura.
Pelé, que havia aposentado a camisa canarinho em 1971, ressaltou que recebeu o convite para voltar a defender a seleção brasileira na Copa de 74, mas rejeitou porque a ditadura estava prejudicando demais o povo. O ex-camisa 10 lembra que o regime político do Brasil piorou em comparação à Copa do Mundo de 70, quando foi campeão com a seleção no México.
“Pediram para eu voltar para seleção, eu não voltei. Eu já tinha me despedido do Santos, mas eu estava bem demais. Mas o Geisel (presidente da República entre 1974 e 1979), a filha dele, veio falar comigo, para eu voltar e jogar a Copa de 74. Por um único motivo não aceitei: estava infeliz com a situação da ditadura no país. Estava preocupado com o momento. Em apoio ao país, eu recusei, pois estava muito bem (físico e técnico) e poderia jogar em alto nível”, afirmou Pelé.
“A ditadura estava exigindo demais do povo. Em 1970 era diferente, a seleção era comandada pelo Zagallo (técnico), mas o Parreira e o Coutinho eram do exército, e a situação era melhor”, completou.
Agora, Pelé voltou a fazer comparações com o passado para demonstrar apoio ao povo contra os políticos do Brasil. O ex-camisa 10 fez questão de dizer que é a favor das manifestações no Brasil e ressalta que apenas pediu para o povo não vaiar a seleção brasileira que disputa a Copa das Confederações.
A postura é diferente daquela apresentada em uma entrevista dada na semana passada, à TV Tribuna, de Santos, afiliada da Globo. “Vamos esquecer toda essa confusão que está acontecendo no Brasil, todas essas manifestações, e vamos pensar que a seleção brasileira é o nosso país, é o nosso sangue. Não vamos vaiar a seleção. Vamos apoiar até o final”, falou, na ocasião.

em http://copadomundo.uol.com.br/noticias/redacao/2013/06/27/pele-adota-tom-critico-e-diz-que-boicotou-copa-de-74-contra-ditadura.htm

###################

“NUMDISSE?!”: continuemos pintados para a guerra! Mesmo porque a luta contra o fascismo é eterna!

Até a vitória sempre!

Respeitosas saudações democráticas, progressistas, civilizatórias, nacionalistas, antigolpistas e antifascistas,

República Desses Bananas da [eterna] OPOSIÇÃO AO BRASIL E AO POVO BRASILEIRO, MENTEcaptos, fascistas, mercenários, golpistas/terroristas de meia tigela!… ‘O cheiro dos cavalos ao do povo!’

Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Carlos Lima

27 de junho de 2013 às 10h45

AZENHA,o portal terra esta incitando a GOLPE MILITAR NO BRASIL, colocou duas pessoas com uma faixa e colocou no titulo da notícia
“SP: em meio a protestos, grupo pede volta de militares ao poder
Com faixas, grupo de mascarados pedia a saída da presidente Dilma Rousseff e o retorno dos militares ao governo do País”. AZENHA não havia o grupo como no titulo eram só duas pessoas mascaras numa foto e outra foto com os dois novamente e mais uma com uma bandeira parecida com a da Alemanha. O MPF tem que investigar esse tipo de notícia e o PORTAL TERRA. Esse tipo notícia esta completamente fora do contexto da informação, é incitação se a foto tem mascarados boa coisa não é. O link da notícia é ou era esse não sabemos se tiraram http://noticias.terra.com.br/brasil/cidades/sp-em-meio-a-protestos-grupo-pede-volta-de-militares-ao-poder,59e34972bc28f310VgnVCM5000009ccceb0aRCRD.html

Responder

    Nilza

    27 de junho de 2013 às 12h16

    Esse Portal Terra sempre foi de extrema direita. Faz sentido a sua observação.

Messias Franca de Macedo

27 de junho de 2013 às 10h42

… É tarefa do ideário autêntico da campo da esquerda promover “a constante revolução dentro da revolução”(!), o que implica dizer envidar todos os legítimos esforços no sentido de não permitir retrocessos, e os inevitáveis “cortes” [perniciosos] na história da humanidade e do processo civilizatório…

A presidente Dilma Rousseff e o prefeito Fernando Haddad, além de competentes, são confiáveis. Ambos não foram eleitos empunhando a bandeira da revolução anti-capitalista! De modo análogo ao presidente Lula, consideradas as peculiaridades, a presidente Dilma e o atual prefeito da cidade de São Paulo protagonizam um fenômeno paralelo à referida “revolução dentro da revolução”! “A revolução dentro da revolução” é missão dos militantes, sobretudo, não engajados na máquina oficial nem tampouco partidária! As agendas da presidente Dilma e do prefeito Haddad necessariamente contemplam múltiplas variáveis, muitas pautas conflitantes e complexas. Ambos têm a tarefa institucional de governar para todos e todas!…
… Decerto, Dilma e Haddad torcem para que façamos a nossa parte, que não significa exercer a ‘subujice’ e a submissão – nem tampouco o alinhamento [pseudo-]estratégico – ainda que tácito – com as forças nefastas do conservadorismo e do atraso!…

… Ah! E continuemos pintados para a guerra! Mesmo porque a luta contra o fascismo é interminável!

Hasta la Victoria Siempre!

Respeitosas saudações democráticas, progressistas, civilizatórias, nacionalistas, antigolpistas e antifascistas,

BRASIL (QUASE-)NAÇÃO [depende de nós enquanto ações e reações!]
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Irineu

27 de junho de 2013 às 10h15

Conceicao,Azenha e leitores, vou compartilhar algo importante sobre o MPL, espereo que ganhe mais dimensao.Fiz esse comentario no face.
_______________________
Irineuamorim Irineuamorimpublicou emMovimento Passe Livre SP
há 10 horas ·

*
Pessoal do passe livre, vocês estão sem noção.
Onde já se viu transporte de graça sem custo, podemos pedir a redução mas zerar não tem como.
Se o pai de vocês tivesse uma frota de ônibus o transporte seria gratuito? Quem iria pagar os custos?
Nem parece que fazem faculdade,
Parece que tem a cabeça só pra separar as orelhas.
Curtir ·
o
Celso Cordeiro Falou tudo caro Irineu, esse pessoal do passe livre ta brincando com assunto serio, eles ficam la nas praças da USP fazendo brincadeiras com a situação do País, que na verdade precisa de muito mais coisas que mudem de verdade a NAÇÃO, e não brincar de fazer manifestação como fizeram essa moçada do passe livre, onde ja se viu uma coisa dessas, porque eles não fazem movimento para zerar os gastos que eles tem com celular?
há 34 minutos · Curtir

Responder

    Noé

    27 de junho de 2013 às 11h16

    Tá viajando, né! Decerto que o passe livre tem custo e o MPL sabe disto. A reivindicação é para que a Prefeitura banque esse custo. Aliás, algumas cidades (pequenas) já fazem isso. Absurdo! Não é não, basta pensar que o FHC despejou dinheiro público para salvar bancos e empresas em bancarrotas sob o pretexto de manter a economia estável. Estável pra quem, cara pálida!

Jose Mario HRP

27 de junho de 2013 às 09h54

Em encontro na sede do Instituto Lula, no bairro do Ipiranga, em São Paulo, ex-presidente adotou discurso de líder de massa: disse que é hora de trabalhador e juventude irem para a rua para aprofundar as mudanças, enfrentar a direita e empurrar o governo para a esquerda; foram convidados os grupos Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), a União da Juventude Socialista (UJS), o Levante Popular da Juventude e o Conselho Nacional da Juventude (Conjuve)

27 DE JUNHO DE 2013

247 – O ex-presidente Luiz Inácio Lula intensificou os encontros com os movimentos sociais mais próximos do PT para tratar da onda de protestos. A mensagem passada surpreendeu os jovens de grupos como o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), a União da Juventude Socialista (UJS), o Levante Popular da Juventude e o Conselho Nacional da Juventude (Conjuve). Em vez de pedir conciliação para acalmar a crise no governo Dilma Rousseff, Lula disse que o momento é de “ir para a rua”.

Na última terça-feira, o ex-presidente convidou cerca de quinze lideranças para um encontro na sede do Instituto Lula, no bairro do Ipiranga, em São Paulo. O Movimento Passe Livre (MPL) e o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto não foram convidados.

“O (ex-)presidente queria entender essa onda de protestos e avaliou muito positivamente o que está acontecendo nas ruas”, disse ao Globo o integrante da UJS, que conta majoritariamente com militantes do PCdoB, André Pereira Toranski.

Segundo um outro líder, ele “colocou que é hora de trabalhador e juventude irem para a rua para aprofundar as mudanças. Enfrentar a direita e empurrar o governo para a esquerda. Ele agiu muito mais como um líder de massa do que como governo. Não usou essas palavras, mas disse algo com “se a direita quer luta de massas, vamos fazer lutas de massas”.

Da Justiceira de Esquerda.

Responder

trombeta

27 de junho de 2013 às 09h24

Caro Emir Sader, caso o quadro evolua para o golpe ele não virá do setor militar, será um golpe ‘por dentro’, alguma coisa tipo um governo de salvação nacional com um salvador da pátria civil para singrar os mares revoltos da insatisfação popular.

O golpismo está no DNA da elite brasileira e latino-americana, não cogitá-lo é atestado de grande ingenuidade.

Responder

J Souza

27 de junho de 2013 às 09h23

O povo brasileiro está sendo MANIPULADO mais uma vez! O problema não é só a corrupção.

Os serviços públicos estão ruins, ou caros, ou ambos porque foram PRIVATIZADOS!

A origem da inflação é a INDEXAÇÃO dos preços dos serviços públicos PRIVATIZADOS!

Transportes, energia, água, telefonia, internet, escolas e planos de saúde, tudo PRIVATIZADO! E quase tudo com aumento anual sempre acima da inflação, principalmente escolas e planos de saúde!

Responder

    Artur

    27 de junho de 2013 às 10h55

    Estou de acordo com seu curto mas objetivo comentário. Você poderia se estender mais, acrescentando outros fatores igualmente relevantes. Mas, mesmo sem eles, já está de bom tamanho.

Jose Mario HRP

27 de junho de 2013 às 09h09

Se voce apóia o governo popular atenda ao pedido do Presidente LULA!

Responder

Zanchetta

27 de junho de 2013 às 08h22

Como seria bom se as TV´s não pudessem passar as manifestações pelo país!!!

Assinado: Dilma Roussef

Responder

san paradise

27 de junho de 2013 às 07h11

Amigos,

Vcs se lembram que antes das atuais manifestações os noticiários vinham dando muita evidência a todo tipo de acidente com ônibus?

É óbvio que os acidentes realmente existiram e que o sistema de transporte está todo errado, mas a imprensa nunca se preocupou de verdade com isso, e a maior prova é que nunca apoiaram qualquer iniciativa de mudança real no sistema de trasportes.

Mas eu andei lembrando que de uma hora pra outra os acidentes envolvendo ônibus, ciclistas e tdo mais, ganharam muito destaque e ênfase nos noticiários em geral…bem mais do que costumavam ter.

Muito se fala em teorias da conspiração, mas isso ao invés de me assustar me intriga ainda mais, já que até o mundo mineral já conhece a velha estratégia de desqualificar e ridicularizar o indivíduo (ou o seu argumento) chamando-o de cético, de teórico da conspiração e blá blá blá.

Depois o tempo passa, pessoas envelhecem e começam a dar depoimentos, documentos secretos são revelados e tudo aquilo que fora apresentado como sendo “neurose de esquerdistas” se revela real. (lembram de 64? do Iraque? da Venezuela? Honduras? Paraguai?…)

Todos esses golpes e tentativas de desestabilização são precedidos por algum “evento” e “insatisfação insuportável generalizada”…em 64 a desculpa era o golpe comunista (aff…), no Iraque foram as temíveis e inexistentes armas de destruição em massa, na Venezuela foi a pseudo violência de “chavistas assassinos”, em Honduras a desculpa foi evitar um “golpe” do próprio Presidente, no Paraguai nem tentaram explicar muito, já que foi tão escancarado que foi melhor nem tentar explicar muito…

Em comum a ação da mídia, atuando como verdadeira e assumida quinta coluna, preparando o caminho, formando subterraneamente o senso comum que no momento certo é acionado e lançado como uma bomba.

Infelizmente o descolamento do PT das ruas, da massa, da realidade cotidiana, fez com que seus analistas perdessem a conexão com o povo, com o dia a dia, com o que as pessoas estão sentindo… a influência do trabalho subliminar da mídia na formação do tal senso comum é poderosíssimo e o Governo subestimou essa influência (onde o PT passou a ser sinônimo de corrupção, Lula sendo taxado como chefe de quadrilha etc, sem ter como se defender com paridade de armas)

Ao que parece, governar apenas analisando planilhas e confiando cegamente em marqueteiros tem um preço alto demais…

Aí fica fácil pra Globo, que no momento certo aperta o gatilho e lança a bomba do senso comum.

E a arma que resta ao povo pra se defender e defender as conquistas democráticas conquistadas pelas últimas gerações de brasileiros é: (pasmem) o controle remoto! (mas e se o povo não souber usar?)

Só pra concluir, não pretendo levar a crer que seja um golpe midiático ou da CIA, mas a história mostra que eles estão sempre agindo, que estão de forma permanente monitorando o que se passa em cada canto do mundo (vide Bradley Manning), que atualmente possuem ferramenteas mais eficazes que os “reportes diplomáticos” enviados pela “intelgência” de suas embaixadas pelo mundo (vide Edward Snowen) já que agora podem reunir informação “in natura” direto da fonte, sem intermediários, através da análise das redes sociais, google etc…(vide Edward Snowen)… podendo com isso traçar com mais precisão o perfil de uma sociedade (se parecer algo muito exagerado, basta traçar um paralelo com essas pesquisas de qualidade que são feitas em campanhas de publicidade, nas quais a capacidade de reunir informações que possibilitem conhecer com precisão o público alvo é crucial para o sucesso da campanha)

Pelo que foi revelado recentemente pelo ex agente da CIA, Ed Snowen, a inteligência dos EUA atualmente é capaz de coletar uma quantidade de dados incomensurável, o que torna possível elaborar estratégias de desestabilização mais precisas….se estão ou não tramando para derrubar o Presidente Jango, só a história dirá…

(aliás, que a serpente está sempre à espreita ninguém pode negar…e se a oportunidade surgir ela dá o bote)

Responder

Olavo

27 de junho de 2013 às 06h40

O Poder dos caras é colossal, transformaram um simples protesto local e pontual numa imensa manifestação nacional (contra o governo) e boa parte das pessoas acredita que tudo se deu via internet. A Presidente, agora, creio, vai parar com aquele discurso protocolar de “controle remoto”. Espero que vá muito mais alem.

Responder

    Vlad

    27 de junho de 2013 às 08h54

    Rotundo engano.
    A maioria dos jovens sequer assiste TV.
    Agora, esse discurso de tentar desacreditar e menosprezar o movimento é típico de quem está levando alguma vantagem com esse sistema podre e não quer perder a teta.

    Mário SF Alves

    28 de junho de 2013 às 21h52

    É o Brasil um País de M… em oposição eterna ao Brasil Um País de Todos. Vão jogar todas “fichas” na vandalização dos protestos. Sabem que quanto mais o movimento se estender, mais se ampliar, mais se autocentrar e mais se politizar (se educar politicamente), maior a chance de o Gigante verdadeiramente acordar.

Mário

27 de junho de 2013 às 06h22

Muito bom que a pressão popular está fazendo os políticos trabalharem. Em 2009, já houve a proposta para tornar hediondo os crimes de corrupção. Porque isso não foi adiante? http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,lula-propoe-tornar-corrupcao-crime-hediondo,479256,0.htm

Responder

PPP

27 de junho de 2013 às 02h22

Respeito a opnião do Emir, mas devo ressaltar que,

O PREÇO DA LIBERDADE É A ETERNA VIGILÂNCIA.

E o PT está, há mais de dez anos, dormindo em Berço Esplêndido.

Responder

    Vlad

    27 de junho de 2013 às 09h40

    Se estivesse só dormindo estaria bom. Está é mamando deitado.

Olavo Silva

27 de junho de 2013 às 00h28

Vou responder a apenas uma frase que destruiu o texto. Encerrei a Leitura ali.

“Por que a raiva do PT e não do PMDB e dos tucanos?”

Em resposta tenho apenas uma coisa a dizer. Nem o PMDB nem os Tucanos estão levando bandeiras a rua para tentar usar o povo que la esta como massa de manobra. Souberam se colocar em seu lugar, como cumplices da quase destruição de um pais.

Como disse Cristóvao Boarque, “Triste eu, que com tantos votos, não tenho o direito de estar la protestando, pois é contra mim que protestam”.

Esta explicado agora?

Responder

Eduardo

27 de junho de 2013 às 00h14

Perdoa-me Emir! O espaço é democrático e preciso usa-lo! Gostaria de informar a Ana Maria Braga que o Rio que passa ao lado do Mineirão é a Lagoa da Pampulha que deu nome ao conjunto arquitetônico da Pampulha , formado por projetos de renome internacional do nosso saudoso Oscar Niemeyer! Rica Ana! Quanta ignorância ! Deprimente! Aproveito também para informar ao Galvão Bueno que o Fred, importante atleta brasileiro, formou-se no América mineiro e fez carreira no Cruzeiro. Errar é perdoável, mas ficar sistematicamente insistindo no erro em cadeia nacional é incompetência dele e de seus produtores! Desculpe-me Emir. Com relação ao tema em objeto, digo que resta aos ignorantes culpar o Governo! Aos mais sábios trabalhar para compensar tanta ignorância!

Responder

Leonardo Meireles Câmara

26 de junho de 2013 às 23h12

Penso que há duas questões viscerais que não entraram nessa análise:

(1) Primeiro o pragmatismo político do governo. A juventude já encheu a paciência com esse toma lá dá cá e essas vistas grossas com corruptos históricos que o PT tem seguidamente cometido. Você acha que o garoto não sabe que Maluf é um corrupto? Será que eles não percebem que há um enorme desgaste na imagem dos partidos trabalhistas quando um ícone desse movimento aparece apertando a mão de um criminoso procurado em quatro continentes? Criminoso de direita, diga-se de passagem.

(2) Por outro lado, a tal Articulação ou Unidade na Luta (entenda-se José Dirceu) de maneira arrogante e antidemocrática abraçou o conceito de “centralismo democrático” (ou ditadura disfarçada) expulsando do cenário político interno do PT o contraditório. Com isso, os jovens ficaram sem espaço político para dar vazão às suas insatisfações no campo partidário de esquerda, a não ser que abracem o radicalismo ou algumas estruturas filosóficas já anacrônicas.

A consequência de todo esse movimento da juventude deve levar à mitigação (tá na moda essa palavra, né?) do poder desses caciques políticos através da prévias internas nos partidos como propõem a OAB, CNBB e MCCE. E que se revitalizem os partidos, para que floresça a democracia.

http://eleicoeslimpas.org.br/assets/files/projeto_de_lei_eleicoes_limpas.pdf?1371963119

Responder

Vlad

26 de junho de 2013 às 23h00

Acho que quem poderia fazer isso é o parlamento e não o “governo” (expressão normalmente usada para designar a administração executiva).
E este parlamento não o fará, pois faz parte e alimenta-se desses oligopólios e máfias. Inclusive a maioria está na “base aliada”. Diretamente ou via laranjas.
Nem qualquer outro parlamento eleito por esse nosso sistema viciado.

Responder

Alipio Freire: Fortalecer a presidenta Dilma e aprofundar a democracia - Viomundo - O que você não vê na mídia

26 de junho de 2013 às 22h34

[…] Emir Sader: Governo paga caro por não ter democratizado os meios de comunicação […]

Responder

Francisco

26 de junho de 2013 às 21h45

Hoje de manhã tinha um sujeito engravatado, num canal chamado RIT, pedindo, em cadeia nacional aberta de TV, que se fechasse o Congresso. Repetiu isso várias vezes.

Disse ser “apolitico” e disse que o povo devia fazer isso “por vontade de Deus”. Todo tipo de demente tem aparecido.

Seria lindo se a burguesia brasileira descobrisse que há coisas “piores” que a esquerda do Bolsa Familia…

Clamar ao povo para fechar o Congresso Nacional em cadeia de TV aberta. Na China, a essa hora do dia a familia desse despropositado já estaria recebendo a conta do cartucho de bala. Nos EEUU ele já estava preso e incomunicavel.

Importante é que Dilma deve ter aprendido que quando todos os canais pertencem a uma classe politica, o controle remoto não tem qualquer utilidade…

É capaz até dela entender que ela é protagonista de uma luta de classes!

Responder

Messias Franca de Macedo

26 de junho de 2013 às 21h44

HADDAD SACODE A POEIRA E CONVOCA A CIDADANIA PARA DEMOCRATIZAR A GESTÃO DA CIDADE.
“O momento exige a participação da sociedade. Vou instalar o Conselho de Transporte Público, com a participação dos usuários, dos movimentos sociais, do Ministério Público, junto com os empresários e o governo, para abrir as planilhas para que as pessoas tenham consciência dos custos”, disse o prefeito Fernando Haddad, esta manhã, depois de suspender megalicitação de linhas de ônibus. O sinal emitido pelo prefeito é auspicioso se significar o primeiro passo de uma ampla oxigenação democrática das instâncias de planejamento e decisão da cidade. A presidenta Dilma deu o exemplo na 2ª feira. Rompeu o cerco conservador com a decisão de promover um aggiornamento da democracia brasileira, em sintonia com os anseios sinceros da rua por mais participação e menor influencia do dinheiro grosso no sistema político. O plebiscito por ela sugerido, com ou sem Constituinte,transfere à soberania popular o comando das mudanças do ciclo que se inicia. Cumpre às administrações locais avançarem nessa direção criando contrapartidas de ampliação da democracia ali onde se define a vida cotidiana, na gestão das cidades. A sorte de prefeitos e gestões progressistas depende desse desassombro. Trata-se de abrir canais de escuta forte da cidadania. Não canais ornamentais, mas instrumentos relevantes e críveis de poder sobre o orçamento. O PT tem experiências a resgatar; a disseminação da tecnologia permite, hoje, mais que ontem, submeter a gestão da cidade à soberania dos cidadãos. A Presidenta Dilma respondeu com perspicácia histórica ao clamor das ruas. Disparou na direção certa. A questão que aglutina a fragmentação das bandeiras desordenadas do nosso tempo é o poder. Todo o processo de globalização e financeirização apoia-se na captura da soberania popular pelo dinheiro grosso. Governos se emasculam. O voto se desmoraliza. Os partidos se descarnam. A existência se acinzenta. A lógica do negócio imobiliário se apodera das cidades. A mídia conservadora é a torre de vigia desse sequestro, que esfarela o poder da sociedade sobre ela mesma. O prefeito Haddad saiu da defensiva ao afrontar essa lógica em SP. Se for o preâmbulo de uma diretriz geral, pode significar um marco refundador de sua administração, após o desgaste tarifário. (Leia: Amir Khair e a caixa preta das tarifas e ‘O mais urgente’ e ‘Mais democracia’)

(Carta Maior;4ª feira,26/06/2013)

em http://www.cartamaior.com.br/templates/index.cfm

Responder

Messias Franca de Macedo

26 de junho de 2013 às 21h15

… O MESTRE EMIR SADER [ MAIS UMA VEZ], CORRETO!…

##############################

[DA SÉRIE ‘O MUNDO PODE ACABAR’! LÁGRIMAS! (Risos)]

…O ‘JN’ anunciou a decretação da prisão de um deputado de Rondônia!… O processo não tem nada a ver com a Ação Penal 470. Ponto final! Para o ‘JN’, ponto de seguimento(!)… ENTENDA: imediatamente a apresentação da matéria [sobre a decretação da prisão do deputado (de Rondônia)!], o mesmo (sic) ‘JN’, “e mais uns cinco minutinhos de fama” do Robert(o) Gurgel! Instado (idem sic) pelo diligente(!) repórter da emissora, *’o prevaricador covarde’ vomitou mais ou menos assim: “Essa decisão é emblemática! [a ordem de prisão do deputado (de Rondônia!)] Inclusive, eu acho que os condenados na Ação Penal 470 já deveriam ter sido presos mesmo antes dessa fase de embargos, que só servem para protelar, protelar, protelar…” [O *prevaricador covarde – “a essa altura” – tentando, deliberadamente, injetar [mais] ódio na população contra os réus da Ação Penal 470, a mesma Ação Penal que não tem nada a ver com o processo relacionado ao deputado de Rondônia…

NOTA FÚNEBRE(!): o(a) leitor(a) imagina que o conluio ‘JN’/Robert(o) Gurgel/DIREITONA “terminara momentaneamente” por aqui?! Se a resposta for afirmativa, ledo engano! Imediatamente após às declarações do *”prevaricador covarde”, os âncoras do ‘JN’ – e ‘jornalistas amigos dos patrões barões Marinhos’ – anunciaram a próxima matéria: a cobertura de uma passeata realizada na capital de … [Sim!] Rondônia(!) Em Porto Velho, o ato reuniu cerca de 2.000 pessoas – e os manifestantes protestavam… Contra a corrupção? Não! As manifestações expressavam descontentamentos pela precariedade dos serviços públicos de transportes… Em Porto Velho!…

“Pode ‘to be’?!”…

… UMA PERGUNTINHA(!): lá isso é jornalismo?!…

EM TEMPO: continuemos pintados para a guerra! Mesmo porque a luta contra o fascismo é eterna!

República Desses Bananas da [eterna] OPOSIÇÃO AO BRASIL!
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

    Messias Franca de Macedo

    26 de junho de 2013 às 21h51

    *’prevaricador covarde’ [Robert(o) Gurgel], segundo o senador Fernando Collor de Mello, da tribuna do Senado Federal…

    República Desses Bananas da [eterna] OPOSIÇÃO AO BRASIL!
    Bahia, Feira de Santana
    Messias Franca de Macedo

    Zanchetta

    27 de junho de 2013 às 19h40

    Presidente deposto por corrupção [Fernando Collor de Mello] segundo Roberto Gurgel, do Ministério Público Federal

Aton Fon Filho: A direita sai de casa pela porta da esquerda - Viomundo - O que você não vê na mídia

26 de junho de 2013 às 20h58

[…] David e Secco: Saberá o PT identificar e aproveitar a janela histórica?Emir Sader: Governo paga caro por não ter democratizado os meios de comunicação […]

Responder

Mineira

26 de junho de 2013 às 20h27

Apresentador do MG Record, ontem e agora, neste momento, continua detonando o PT e dizendo que os baderneiros de BH são radicais de esquerda e que querem transformar o Brasil numa Venezuela.

Ele detona o Chávez e tudo que é de esquerda, quando todo mundo SABE que são nazista da direita que estão fazendo a quebradeira.

A RECORD AGORA É DE DIREITA?
QUER AGRADAR A ELITE?

Não adianta, Record é estigmatizada. O povo de BH odeia Edir Macedo, a audiência aqui é quase zero.

Só o Mauro (Balanço Geral) consegue audiência porque faz palhaçada e fala “nóis foi e nóis vai”.

ABSURDO!!!!!!!!!!!!!

Responder

    Francisco

    26 de junho de 2013 às 21h51

    O problema da Record é outro: ela quer melar a Copa das Confederações que é da Globo. Se o país se explode no processo, isso é um mero detalhe.

    O negócio é entupir o R#%@ de dinheiro!

    As Olimpiadas vêm ai e a globo, claro, vai revidar com mais baderna induzida…

    E ai Dilma? Cadê a Lei de Midia?

Fabio Passos

26 de junho de 2013 às 20h00

O governo paga caro?
Sim
Mas nós pagamos muito mais!

O PiG continua emerdeando o Brasil com sua pauta reacionária e tacanha.
É o sustentáculo do Apartheid Social.

O PiG é inimigo do povo… e assim precisa ser tratado.

Responder

Aleandro Chavez

26 de junho de 2013 às 19h59

Ri muito agora…como é este negócio de melhorar para melhor??? Ainda bem que não melhorou para pior, né…
“Mas tem outro elemento que os opositores do governo estão tentando tornar dominante: desqualificar a ideia de que o Brasil melhorou e melhorou para melhor.” (Emir Sader)

Responder

    Nuno

    26 de junho de 2013 às 21h29

    Onde vc leu isso?

    Gabriel

    27 de junho de 2013 às 10h34

    Onde está escrito isso, maluco que ri sozinho?

Messias Franca de Macedo

26 de junho de 2013 às 19h47

… O MESTRE EMIR SADER, MAIS UMA VEZ CORRETO!…

##############################

[DA SÉRIE ‘O MUNDO PODE ACABAR’! (Risos) SEN-SA-CI.O-NAL! SENSACIONAL…]

###############################

O dia que o jornalismo investigativo da Veja descobriu mar em Belo Horizonte, MG

O perfil Reacionário fez o primeiro print.
Achei que era piada do Sensacionalista ou do DiarioPernambucano, porque sei que a Veja é a Veja, mas até para a Veja achei que havia limites, fui lá conferi e compartilhei: Daí fui fazer uma brincadeira com meu amigo Pablo Villaça e descubro que a Veja deletou o post, já que não conseguia mais postar no compartilhamento que fiz direto do perfil da revista no Facebook: Cliquei no link original do perfil da Veja e ela havia deletado da conta: Os governos paulistas compram esta revista para as escolas da rede do Estado. Tempos atrás uma das apostilas distribuídas peal Secretaria de Educação do Estado de São Paulo trazia uma mapa da América Latina com 2 Paraguais… … talvez os elaboradores tenham aprendido Geografia com a Veja ou seria os repórteres de Veja que aprenderam Geografia nas escolas estaduais de São Paulo que usam Veja como material didático? A Revista Veja fotografa mar em Belo Horizonte, é comprada por Alckmin para as escolas do estado de SP, é arduamente defendida pelos nossos representantes :http://mariafro.com/2011/12/14/o-tucano-floriano-pesaro-veja-e-jornalismo-carta-capital-e-lixo/ e recebeu só em 2012 400 milhões da SECOM. Será que a turma do #changeBrazil sabe disso?

FONTE: http://mariafro.com/2013/06/26/o-dia-que-o-jornalismo-investigativo-da-veja-descobriu-mar-em-belo-horizonte-mg/comment-page-1/#comment-61979

Responder

    Messias Franca de Macedo

    26 de junho de 2013 às 23h03

    … [Mais um] ‘Boimate’ [da ‘veja’], hein?!…

    … Ah! Esse PIG!…

    … Lá isso é jornalismo?! Lá isso é oposição, sô?!…

    República Desses Bananas da [eterna] OPOSIÇÃO AO BRASIL!
    Bahia, Feira de Santana
    Messias Franca de Macedo

Bonifa

26 de junho de 2013 às 19h13

Um monstro que vira passarinho, falou para a sabiá que falou ao rouxinol do dia, que passou adiante através, com a eterna oração da anunciação a Maria, que os vândalos expuseram a realidade nua e crua diante da hipocrisia, e impediram, pela graça de Deus, o golpe.

Responder

Cláudio

26 de junho de 2013 às 19h13


“Com o tempo, uma imprensa [ = mídia ] cínica, mercenária, demagógica e corruta formará um público tão vil como ela mesma.” >>> Joseph Pulitzer


“Se você não for cuidadoso, os jornais [ = mídias ] farão você odiar as pessoas que estão sendo oprimidas, e amar as pessoas que estão oprimindo” >>> Malcolm X



Ley de Medios Já ! ! !



Responder

trombeta

26 de junho de 2013 às 18h21

Movimentos marcam protesto na frente da Rede Globo

Da Redação

Movimentos que defendem a democratização dos meios de comunicação realizaram plenárias em São Paulo e Porto Alegre nesta terça-feira (25). A ideia foi traçar uma estratégia de atuação para aproveitar a onda de protestos do país e avançar no tema. Uma decisão concreta foi a realização de atos públicos para dar visibilidade ao assunto. Na próxima quarta-feira (03), um protesto está marcado para ocorrer em frente à sede da Rede Globo, em São Paulo. Em Porto Alegre, também foi cogitado um protesto, mas ainda não foi confirmado.

A insatisfação popular em relação à mídia foi marcante nas recentes manifestações populares em São Paulo. Jornalistas de vários veículos de comunicação, em especial da Globo, foram hostilizados durante os protestos. No caso mais grave, um carro da rede Record, adaptado para ser usado como estúdio, foi incendiado.

Na plenária desta terça-feira, o professor de gestão de políticas públicas da Universidade de São Paulo, Pablo Ortellado, avaliou que os jornais Folha de S. Paulo, O Estado de S. Paulo, a revista Veja e a própria Globo, por meio de editoriais, incentivaram o uso da violência para reprimir os manifestantes. Mas em seguida passaram a colaborar para dispersar a pauta de reivindicações que originaram a onda de protestos, ao incentivar a adoção de bandeiras exteriores à proposta do MPL – até então restrita à revogação do aumento das tarifas de ônibus, trens e metrô de R$ 3 para R$ 3,20.

Os movimentos sociais, no entanto, ainda buscam uma agenda de pautas concretas para atender a diversas demandas, que incluem a democratização das concessões públicas de rádio e TV, liberdade de expressão e acesso irrestrito à internet. A avaliação é que apesar de outras conquistas sociais, não houve avanços na questão da democratização da mídia.

Com informações da Rede Brasil Atual

Responder

paulo

26 de junho de 2013 às 17h18

Ainda dá tempo. O governo deveria acabar com o fator previdenciario, todos os trabalhadores defenderiam o governo. Reeleição garantida e no novo mandato desde o primeiro dia lutar para esterminar a velha mídia. Vamos Dilma, ainda dá! !!!!!

Responder

Roger

26 de junho de 2013 às 17h08

Prof. Emir,
A “natureza” do golpe mudou, vide Venezuela, Honduras, Paraguai….
A desqualificação permanente da política, a criminalização dos movimentos
sociais por parte dos oligopólios de comunicaçã e a intolerância crescente com
as diferenças formam um caldo cultural propício ao fascismo. Some-se
a isso a capitulação do governo em relação à regulamentação dos meios.
Não subestime a (in)capacidade da direita !!!

Responder

JOTACE

26 de junho de 2013 às 15h57

AINDA HÁ TEMPO PARA
UM GRANDE MINISTRO

Belíssima entrevista! O Prof. Emir Sader evidencia como sempre a sua cultura e, com sua acuidade, um poder incrível de análise. Que pena foi não ter ido como devia acontecer para o Ministério da Comunicação ou até mesmo o da Cultura preterido que foi pela Ana de Hollanda De Triste Memória! Teria com certeza evitado que o governo de Dilma, que se afirma empenhado em defender os princípios democráticos, cedesse à direita mafiosa e fascista, com a atuação anti-patriótica de ministros como é o caso ineludível do Sr. Paulo Bernardo. Ainda é tempo, Dilma! Convoca o Emir Sader para te ajudar a fazer um grande governo!

Responder

ricardo silveira

26 de junho de 2013 às 15h42

Não se trata, apenas, de controle do espaço público do ponto de vista ideológico, pela direita, trata-se do controle das instituições públicas – legislativo, judiciário e executivo. O Governo mostra-se politicamente inepto.

Responder

Lindivaldo

26 de junho de 2013 às 15h41

Conforme pesquisa do Ipobe, em 20.06, durante os protestos:

-77% dos manifestantes se mobilizaram pelo facebook; e
-75% utilizaram a mesma rede social para convocar os outros.

Neste momento, nas redes sociais, centenas e centenas de boatos, mentiras, preconceitos, críticas, vídeos, palavras de ordens e montagens estão se multiplicando e espalhando todo tipo de ódio contra o PT, o Governo, a Dilma e o Lula.

A ultra direita, possivelmente com o apoio da Cia, está vencendo, com certeza, esta batalha.

Se o Governo, o PT e os movimentos sociais não utilizarem também as redes sociais e a internet, com urgência, para se contraporem às mentiras e divulgarem os avanços conquistados, o retrocesso será inevitável!

Responder

    Apavorado por Vírus e Bactérias

    26 de junho de 2013 às 16h06

    É verdade e a Record está a frente do Golpe.

    grilo

    26 de junho de 2013 às 21h56

    A briga da Record na verdade é com a Globo, pois ela ficou de fora na transmissão dos jogos da Copa das Confederações. Mas pegou a exclusividade da última Olimpíada, em Londres. Trocando chumbo.

Mário SF Alves

26 de junho de 2013 às 15h39

Tanto ódio repentino contra o Governo e tão massiva agressão vinda de fora só tem uma explicação: o Governo está indo na direção correta.
__________________________________________
Simplificando, se no que tange ao Governo, a Central Gloebbels de Pseudo Jornalismo e Manipulação, a (in)Veja e o #changebraZil são contra, então eu sou a favor.
_________________________________________________
Imagine se tudo continuasse a correr bem. Imagine como ficaria a situação dos cada vez mais sem votos. Imagine como ficariam as concessões públicas que de públicas não têm nada. Imagine como ficariam os representantes de escusos interesses externos. Imagine como ficariam os rentistas e a usura de sempre.
__________________________________________________________

Responder

PPP

26 de junho de 2013 às 15h36

Aconselho a quem queira se informar…

Señal en vivo — teleSUR

http://www.telesurtv.net/el-canal/senal-en-vivo

ACORDA DILMA!

Responder

jaime

26 de junho de 2013 às 15h35

“Há um tempo para tudo debaixo do céu. Tempo de plantar e tempo de colher…”
Hoje, no portal O Globo, umas dez matérias exorcizando a possibilidade de uma reforma política. Nada a favor. E agora?
Falar fino com a mídia (de novo), pagar o preço (mais alguns milhões em publicidade), sorrir e rezar. Sugiro Eclesiastes.

Responder

maria ferreira

26 de junho de 2013 às 15h33

Me tornei – ontem – uma socia colaboradora mensal.
Nao recebi nada que confirme. Só que o Pag Seguro que tenho deve estar com o nr do meu cartao antigo. Como falar com vcs?

Responder

    Conceição Lemes

    26 de junho de 2013 às 15h36

    Maria, por favor, mande um e-mail para [email protected]
    abs

Apavorado por Vírus e Bactérias

26 de junho de 2013 às 15h31

É Emir Sader, a Record está incitando o povo a ir para a rua manifestar contra a Copa do Mundo. Os programas jornalísticos da emissora só falam sobre isso. De como o dinheiro usado na Copa deveria ser utilizado em outros setores da sociedade, além de mostrar manifestações e vazios de manifesto em determinados locais. A Record está tentando um Golpe através desse tema e isso me parece ilegal. O Governo Federal deveria tomar providências contra isso, pois a Record está incitando contra a ordem pública.

Responder

grilo

26 de junho de 2013 às 15h30

A falta de comunicação dos governos petistas (Lula/Dilma) com o povo é singular. Todos os ministros falam em nome do governo e da presidenta. Nenhum porta-voz de plantão. Cada um fala o que pensa e geralmente volta atrás no que disse. Uma balbúrdia. Claro que os urubus da oposição ficam só no aguardo das presepadas. Por sua vez a presidenta se mostra muito vacilante, o que prova seu medo da midia golpista. Mas tb não faz nada contra isso. Oremos.

Responder

    Mário SF Alves

    26 de junho de 2013 às 15h47

    Falta de comunicação? Bem, se você se refere à concessões públicas que de públicas nada têm, aí, sim. Mas… e quanto à forma e singular a capacidade de comunicação do Lula? Esqueceu?

    JOTACE

    26 de junho de 2013 às 16h12

    ORAI IRMÃOS!

    ‘Ora’, Grilo. Como deixei o ‘oremos’ há muito tempo, estou agora tentando rezar de novo. Por isso renovo aqui o teu apelo bem intencionado e digo “Orate Frates’…Abraço cordial do, Jotace

RicardãoCarioca

26 de junho de 2013 às 15h27

Com o Zé na justiça que tá lá pra proteger do DanDan, Hibernardo nas comunicações para proteger a liberdade de imprensa dos donos da imprensa e Helena Chagas na secom para repassar dinheiro ao PiG e aconselhar o governo a somente soltar notinhas que ninguém publica e/ou lê… Bye, bye Dilma.

Já é a terceira onde de ataques de origem difusa e oculta, contra o governo.

Em julho teremos outra onda. E em agosto também. Uma por mês até às próximas eleições! Isso se não vierem com duas ou mais por mês!

Ou será ACORDA DILMA ou VOLTA LULA.

Responder

Denise

26 de junho de 2013 às 15h19

Triste, porém verdadeiro

Responder

Rose PE

26 de junho de 2013 às 14h49

Haddad quis imitar Alckmim, se deu mal, acabou com a cara de governo social que tinha o PT. A Tucana está adorando a situação atual, oportunistas como são, vão usar isso a seu favor, e de quebra ainda tem a mídia ajudando. E a Presidenta não tem um Congresso que se preze. A situação é de preocupação para o PT e de oportunismo para PSDB.

Responder

Urbano

26 de junho de 2013 às 14h48

Sem contar que há aqueles integrantes do pig, principalmente o carro-chefe, que recebem o indevido e não pagam o devido.

Responder

renato

26 de junho de 2013 às 14h23

Estou enojado com esta situação da Record.
Sou Record, porque tambem sou PHA e AZENHA.
Sou Record por que não sou Globo.
Mas não é este o caminho….
Senão vou ter que olhar impostos das igrejas,
todas. Ver o que acontece dentro das Igrejas,
Lembrar que foi dentro de um estádio que vimos
sacos e sacos de dinheiro, que a Igreja faz projetos
faraônicos e tudo mais…
Sem falar na tentativa de mudanças de pessoas.
E sem falar na manobra de pessoas sem recursos.
Não quero de maneira alguma mudar minha opinião,
sobre a Record.

Responder

renato

26 de junho de 2013 às 14h17

Não estou entendendo.
Ser contra a Copa no Brasil, até eu fui.
Mas não sou contra as Olimpiadas.
O SENHOR do RESTELO, Geraldo da Record.
Além de ser Arrogante…quer por toda a lei
guerra entre a Policia e Exercito com a
manifestação aconteçam desde que acabem com
o jogo.
Isto com a benção da Recird e seus chefes conforme
ele disse.
Era melhor passar o Pica-Pau.

Responder

Marco

26 de junho de 2013 às 14h05

Sr.Emir.Como é habitual,suas intervenções são inteligentes.Não tem contudo,o elogio,coopta-lo pra minhas teses.H uns dias,tentei levar ao seu conhecimento,através da Carta Maior,e infelizmente me deparei com dificuldades tecnológicas,já que sou primata em computadores,e não pude faze-lo,uma sugestão ao Governo Federal,enquanto não houver democratização nas comunicações no Brasil,e sabendo que o sr. poderia ter acesso ao mesmo,coisa que não tenho propor ao Governo,trocar 50 minutos da tão mal falada Voz do Brasil,por 10 minutos duas vezes por semana,em horário nobre,- ate parece que vivemos numa monarquia;nas redes de televisão,a fim de que o governo,possa prestar contas ao seu cidadão,das ações para as quais receberam outorga do povo.Um abraço…

Responder

Ronan

26 de junho de 2013 às 14h01

Azenha, percebe-se que a grande mídia poupa o Aécio ao não cobrir bem o movimento em BH. Leia o relato abaixo de um professor de medicina da UFMG que participou da passeata violenta de sábado em BH e revela a atuação de PMs infiltrados provocando o confronto:

Ontem, 22 de junho de 2013, minha mulher e eu fomos à manifestação ocorrida em Belo Horizonte na qualidade de médicos. Somos professores e vários de nossos alunos estavam presentes. Como já havíamos testemunhado a violência no ato da segunda-feira anterior, fomos preparados para atender possíveis vítimas, levando na mochila alguns elementos muito básicos para pequenos ferimentos e limpeza dos olhos irritados por gás.
A manifestação foi tranquila durante todo o trajeto. Até mesmo a intolerância com militantes de partidos de esquerda foi pouco vista. Uma grande bandeira vermelha era orgulhosamente carregada e, salvo um ou outro, respeitada. Contudo, o clima começou a piorar quando a manifestação encontrou o cordão policial. Como tem ocorrido, a maioria aceitou o limite imposto, mas os provocadores instavam os moderados a enfrentarem a polícia. Parecem colocados estrategicamente entre o povo, porque se repartem em certo padrão e gritam as mesmas frases.
Como é sabido, eventualmente o conflito aconteceu. Retiramo-nos para a pequenina área verde que sobra naquele encontro as avenidas Abraão Caran e Antônio Carlos. E ali ficamos tratando sobretudo intoxicações leves e ferimentos superficiais causados por estilhaços e balas de borracha. Em um momento, fui chamado para atender um senhor ferido na cabeça. Fui correndo, mas ele já passara o cordão de isolamento da polícia. Identifiquei-me como médico aos policiais do Governo de Minas Gerais e disse que poderia atender o senhor ferido. A resposta foi uma arma apontada contra meu peito. Pedi para falar com algum oficial, mas a PM recomeçou a atirar. Voltei para nosso pronto-socorro improvisado. De dentro do campus da UFMG começaram a atirar bombas de gás sobre nós que atendíamos os feridos e recuamos ainda mais, para o meio da Antônio Carlos.
Minutos depois, chamaram-nos com urgência informando que alguém caíra do viaduto José de Alencar. Quando chegamos, um jovem com o rosto sangrando estava sofrendo uma pequena convulsão. Fizemos a avaliação primária e, na medida em que surgiam problemas, tratávamos da melhor forma possível. Aquele paciente precisava de atendimento avançado urgentemente, em um centro de trauma, mas a polícia não arrefecia. Aproximou-se de mim um sujeito com o rosto tampado por uma camiseta. Ele descobriu parcialmente a face e me disse no ouvido que era policial e que pediria que não atirassem para que pudéssemos evacuar a vítima (penso ter visto esse autodeclarado policial perto de mim, quando eu tentava falar com um oficial, e depois correndo ao meu lado. Se for a mesma pessoa, ele era um dos exaltados que instavam à violência). Chegaram algumas pessoas com camiseta vermelha, na qual se lia “bombeiro civil”. Eles nos ajudaram a improvisar uma maca com um cavalete da empresa de transportes e faixas de manifestantes. Algum tempo depois, por coincidência ou não, os tiros pararam e fomos, com dificuldade, levando a vítima em direção do cordão policial. Minha mulher ficou na barreira.
Quando passamos a barreira, vi uma ambulância parada a uns 20 metros. Gritei para os que ajudavam para que fôssemos para ela. Todavia, para meu horror, a polícia não permitiu. Disse que aquela viatura era somente para policiais feridos. Tentei discutir, mas vi que seria improdutivo. Disse a um oficial, então, que conseguisse outra. Não tínhamos muito tempo. Colocamos a vítima no chão, imobilizando sua coluna cervical e iniciei a avaliação secundária. Na medida do possível, limpamos o rosto ensanguentado do jovem e realinhamos os membros fraturados. Pedi aos policiais que, pelo menos, trouxessem equipamentos da ambulância “deles” para imobilização e infusão. Recusaram-se.
Esperamos um bom tempo até que uma ambulância do resgate do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais chegasse. O veículo praticamente não tinha nenhum equipamento. Somente a prancha, talas, colar cervical e oxigênio para ser usado com máscara. “Soro” não havia. Transferimos e imobilizamos o paciente. Nesse tempo, tentávamos descobrir para onde levar a vítima. Respostas demoravam a chegar. Pensamos no Mineirão, bem próximo de nós, mas primeiro disseram que era para torcedores e depois que não dispunha de centro de trauma. Fomos para o Pronto Socorro de Venda Nova, Risoleta Neves. Lá uma colega assumiu o tratamento do ferido.
Entrei em contato com minha mulher e ela me disse havia se juntado a meu irmão, que dois outros haviam caído do viaduto e que havia vários feridos, mas que eles não estavam conseguindo mais atender.
Mais tarde, quando os reencontrei no metrô de Santa Efigênia eles me contaram uma história de terror. Depois de me deixar com a primeira vítima, minha mulher se identificou aos policiais e disse que queria passar também para me ajudar. A polícia não deixou e ameaçou atirar nela. Como as agressões reiniciaram logo depois, ela ficou presa entre bombas e pedras, até que conseguiu fugir e retomar a antiga posição para socorro, no meio da Antônio Carlos. Foi quando encontrou meu irmão. Logo depois, receberam um chamado, avisando que outro rapaz havia caído. A situação clínica desse paciente era muito pior do que a do anterior. Não interessa escandalizar ou ofender com detalhes médico-cirúrgicos. Relato somente que o quadro que os dois descrevem é gravíssimo. A vítima não reagia, estava em coma, mas respirava e o coração batia. Meu irmão, sabendo da primeira experiência, correu para os policiais, desta vez um outro cordão formado na Antônio Carlos, levantando as mãos, agitando uma camisa branca e gritando que havia um ferido morrendo. Os policiais, vários, apontaram-lhe armas e gritaram para que ele fosse embora. Quando ele tentou avançar um pouco mais, os tiros começaram e ele correu em direção de minha mulher para ajudá-la.
Ali, ao lado da vítima, perceberam que a polícia atirava neles. Relatam que já não havia ninguém próximo. Somente a vítima, ele e minha mulher de jaleco branco. Os tiros e as bombas de efeito moral e de gás vinham com um único endereço. O deles. Ficaram o quanto aguentaram; mais não puderam fazer. Desesperados, tiveram que abandonar o rapaz que morria e buscar refúgio.
Depois, tiveram a notícia de que um terceiro homem caíra do mesmo viaduto. A cavalaria já estava em ação e não havia como atravessar a avenida para socorrer essa terceira vítima. Quando cheguei em casa, alguns alunos relataram que socorreram um homem que caíra do viaduto (perece que foram quatro, no total). Quando a polícia passou, eles conseguiram chegar à vítima e ficar com ela até que o SAMU chegasse.
Algumas ideias ficam em minha cabeça. Quem já conviveu com militares sabe na maioria das vezes reconhecer um por sua forma de agir, andar, cortar o cabelo e de falar. Sem leviandade, acredito que vários dos provocadores eram militares infiltrados. Vi o homem de rosto coberto dizer ser policial e que pediria para que os policiais alinhados dessem uma trégua e nos deixassem passar. Isso aconteceu. Outra imagem simbólica foi ver a tropa de choque da Polícia Militar de Minas Gerais dentro de uma universidade federal (deveria ser um território livre e sagrado da paz, da inteligência e da cultura) fechada para os estudantes. Da universidade vinham bombas que machucavam a juventude. Já ampliando o horizonte, o Itamaraty em chamas, a bandeira de São Paulo queimando, o Congresso quebrado, um governador sitiado em sua casa. Há que se ler nos símbolos e nos fatos. Amplie-se mais esse horizonte. Não se vê que os métodos são os mesmos usados nas “primaveras” árabes, em Honduras, no Paraguai, no Equador, na Venezuela e que começa também a ser usado na Argentina?
Nada há de espontâneo no que está ocorrendo e não é à toa que os meios de comunicação têm promovido e estimulado a agressividade e a multiplicidade de slogans e bandeiras. Não é verdade que não haja líderes nessas manifestações. Os líderes estão nas sombras, colhendo os frutos das últimas tecnologias. São discretos. Quem sabe o que são o Instituto Millenium, o instituto Fernando Henrique Cardos, o Council on Foreign Relations, a Trilateral Commission, o Carnegie Council? Preparam o Brasil para a guerra global idealizada pelos think tanks? É essa a forma de chegar aos recursos naturais do imenso território brasileiro sem a mínima resistência de governos mais progressistas? Incomoda o acordo com a Rússia para a compra e desenvolvimento de armas?
Uma certeza: querem atacar a democracia. Em vez de atacar partido, tome partido. Você está sendo manipulado. Pelo que vi e vivi é certo que querem jogar um cadáver no colo da Presidente Dilma.

Giovano Iannotti
Professor de Medicina

Responder

    Ronan

    26 de junho de 2013 às 14h03

    Esqueci de colar o título do texto que é o seguinte:

    QUEREM COLOCAR UM CADÁVER NO COLO DA PRESIDENTE

    Rejane

    26 de junho de 2013 às 21h15

    Poxa Ronan, publique esse depoimento no FACEBOOK. Azenha, que tal colocar esse depoimento do Ronan na primeira página do viomundo? È tudo muito monstruoso.

    Mário SF Alves

    26 de junho de 2013 às 23h19

    Apoio a sugestão. Espero que o Viomundo acate.

    Uma dúvida:

    1) “Incomoda o acordo com a Rússia para a compra e desenvolvimento de armas?”

    Outra que nada tem a ver com o texto:
    2) Onde reside a dificuldade dos EUA em relação à Cuba? Importância geopolítica no processo de subjugação da América Latina e por isso mesmo, não obstante as yoani sánchez da vida, tem sido estrategicamente preservada? Baudelaire, simulacros e simulações?

    E mais outra de mesma índole:
    3) E a negociação recente pela preservação da Síria? Teria havido um preço?

lukas

26 de junho de 2013 às 13h58

Direita e esquerda tentando usar o momento para defender suas bandeiras. Vejamos quem vencerá…

Responder

Jones

26 de junho de 2013 às 13h33

Se a mídia fosse democrática eu poderia ter assistido críquete em algum canal do governo bem na hora dos maiores protestos. Uma pena!

Responder

Humanistas

26 de junho de 2013 às 13h31

A MÍDIA MENTE O TEMPO TODO

MENTIRA 1 – O BRASIL ACORDOU – Não foi o Brasil que acordou, foi a juventude, e ela não acordou somente no Brasil, acordou no mundo todo. O Nacionalismo serve para jogar pessoas de um país contra pessoas de outros países, não caia nessa farsa. Se dúvida que foram os jovens que iniciaram todas essas manifestações e mudanças, se duvida então dá uma olhada no que está acontecendo em outros países do mundo desde 2011. Dá uma conferida no que está acontecendo neste exato momento na Turquia, no Chile, na España, e mundo afora.

MENTIRA 2 – MÁSCARA DO ANONYMOUS COM BANDEIRA DO BRASIL – Saiba que isso não existe, trata-se de uma farsa, o Anonymous é um grupo de ativistas internacionais, é uma idéia, não tem organização nem tem perfil no facebook e luta pelo mundo todo, estas são pessoas que estão tentando te confundir e te arrastar para um nacionalismo violento e autoritário, que vai justamente na contramão das idéias do próprio Anonymous, não compartilhe estes posts, pois servem para divulgar comunidades neonazistas de forma disfarçada. Fuja desses caras.

MENTIRA 3 – O GIGANTE ACORDOU – este foi um slogan criado por um publicitário que é no mínimo para se desconfiar, não só pelo nacionalismo mas também por incitar a violência contra outros países como a Bolívia e o Equador, foi isso que havia nestes posts que vi na internet.

MENTIRA 4 – FORA DILMA – As manifestações começaram pelo tema do transporte, que é controlado pelos prefeitos e governadores. Aqui a mídia começou a apelar, com uma manobra para desviar o foco do problema e jogar toda a culpa na presidente. (olha, não sou petista e nem sou a favor do PT, faço esta denúncia porque realmente foi uma manipulação muito grande das imagens). Porque fazem isso? Planejamento eleitoral para 2014, já estão de olho nas eleições, a mídia só pensa nisso e nas benesses que teria se o PSDB voltasse ao governo federal.

MENTIRA 5 – CONTRA A CORRUPÇÃO – Outra manobra da mídia para desviar a atenção e jogar a culpa nos seus inimigos e opositores políticos, usando os termos ¨partidos¨ e ¨corrupção¨ de forma abstrata e genérica, mas nunca apontando os políticos que são sócios dos veículos de mídia. Óbvio que toda a população se sente roubada e traída pelos nossos governantes, parlamentares, juízes e policia. Sem falar nos Banqueiros e nos donos da Mídia. Ou seja a insatisfação não é somente com o poder executivo, é com todas as instituições e autoridades deste sistema capitalista, que está asfixiando todo mundo. Isso a mídia não fala, nem nunca irá mostrar.
Toma cuidado com este discurso, não porque ele esteja errado, mas sim porque ele está sendo manipulado para te fazer apoiar pessoas que também são corruptas. (é a velha estratégia de apontar o culpado e acusar antes que alguém te acuse e te aponte como culpado).

MENTIRA 6 – SEM-PARTIDO – Isso também foi algo bastante sutil e inteligente, para captar a indignação ao seu favor, pessoas de partidos políticos corruptos como o PSDB foram ao atos sem suas bandeiras e depois atacaram violentamente os partidos e movimentos, gritando para abaixar a bandeira em coro ¨sem partido¨, ¨sem partido¨, obviamente a mídia mostrou mil vezes estas imagens tratando de insuflar desconfiança e ódio contra os partidos opositores, ou seja, trata-se de outra manobra para jogar todos contra os militantes dos partidos. É claro que boa parte dos jovens são apartidários, mas não são o que a TV tem mostrado. Desproporcionam e induzem os jovens a continuarem desorganizados, com medo de todo e qualquer partido ou movimento organizado.
Na verdade a mídia quase sempre glorifica a indivíduos e combate todos os tipos de organizações políticas, estudantis e sindicais, é curioso como eles têm medo que o povo se organize, porque será?

MENTIRA 7 – DEPOIMENTOS TENDENCIOSOS – Sei que todos já sabem disso, mas vale sempre reforçar que eles coletam muitos depoimentos diversos, mas depois selecionam somente aqueles que possam reforçar as mentiras que eles querem nos fazer acreditar. Desconsidere tais depoimentos, ou considere que são apenas uma parte e mesmo que na TV se repitam 20 vezes o mesmo depoimento e o mesma cartaz, isso é intencional e tendencioso, é uma armação fácil de perceber, porque você não vê um discurso contrário, por mais que sejam numerosos os depoimentos da TV são todos iguais, porque foram selecionados especialmente para te convencer que todos pensam dessa forma. É a voz do povo usado contra o próprio povo, e a gente se vê por aqui.

Responder

    renato

    26 de junho de 2013 às 19h28

    Disse-o bem. Pensam que enganam a gente.
    Eu sou PT- LULA- DILMA.
    Mas hoje no Senado ouvi o Senhor Aluísio do PSDB, dizendo
    que os movimentos não representavam a Nação como um todo.
    E fazer leis baseado no que o pessoal falou, seria não respeitar
    a representatividade que o Senado.
    Eu não acho que as multidões me representem, tanto é verdade que
    esculacharam meu Partido e minha Presidenta.Queimaram a Bandeira do Brasil, ( minha revolta).Vestiram a bandeira USA.
    Logo não me representam.
    Plebiscito 1- As Igrejas devem pagar imposto.
    plebiscito 2- O dinheiro da educação pode ir para construção de Prisões.
    Plebiscito 3- Transformaremos os Estádios em Prisões ou Escolas.
    Plebicito 4- Acabar com os feriados 7 de setembro, 15 de novembro, 1 janeiro, e outros para o Brasil produzir mais.
    Plebiscito5- Aumentar em duas horas o trabalho, para pagar despesas com mobilidade urbana.E aumentar um turno de trabalho em todos os setores, para dar trabalho aos jovens, Aos vândalos trabalho forçado.
    Plebiscito 6 – Cada família poderá ter apenas um carro.
    plebiscito 7- Todo o movimento que fizer passeata paga a Segurança.
    Que fica cuidando do movimento, mas larga os bandidos.
    Bem como paga todo o tratamento publico SUS.
    Paga todo as despesas do comercio.E as do Estado.
    plebiscito 8- O Estado não pagará mais eventos, ou auxiliar eventos como
    Copa, Olimpiadas,Vinda do Papa, Times de futebol, e
    esportes, como Maracanazinho, Volei, Basquete, times de
    Olimpiadas, esportes individuais.

    Os Colombianos e Bolivianos, trabalham direto aqui.E não reclamam.
    Gente são só idéias.Sem maldade. Mas vale uma avaliação.

Bacellar

26 de junho de 2013 às 13h29

Pagando caréssimo pela bundamolisse de figuras como o Bernardo com sua infeliz idéia de “não sustentar vagabundo”…Agora uns vagabundinhos mais bem estruturados não fariam mal né Bernardo?
O Emir Sader falou bem mas não deveria descartar a possibilidade do golpe juridico, se a desestabilizacao atingir um certo nivel não tenho duvidas que pode ser articulado.
Agora o Alckmin que esta um #fofo hein? Lendo a Folha parece que ele abandonou o Esquivá e abraçou S.Francisco! Pilantra…

Responder

Augusto de Góis

26 de junho de 2013 às 13h29

A moçada de classe média, que está no exterior, não enxerga que isso só esta sendo possível, graças às melhorias ocorridas no pais nos últimos dez anos. Antes a juventude tirava o seu passaporte para viver no exterior como garçonete e empregos de baixa qualidade. A classe media tem emprego e renda parabenizar os filhos para estudar no exterior. Tudo é resultado do Brasil melho, que foi construído nos últimos dez anos.

Responder

Júlio De Bem

26 de junho de 2013 às 13h25

É a paulistada querendo se apropriar da luta gaúcha pela diminuição do preço da passagem. Botou credito no MPL de SP vejam só o que houve com o Brasil.

Responder

Edno Lima

26 de junho de 2013 às 13h19

“Todos os comentários que eu vejo sobre o assunto são fantasmas da esquerda. Pânico da esquerda….. Quem sabe o que é golpe conhece isto. Não há clima para golpe.” Esse trecho foi ma das poucas coisas aproveitáveis do texto da entrevista. Enquanto isso o lunático do PHA e mais outros bobalhões ficam berrando: é golpe!é golpe! é golpe!!!!!!

Responder

    Liz Almeida

    26 de junho de 2013 às 18h37

    Muito cuidado nesse sentido, Edno Lima.

    São forças muito poderosas que têm interesse em desestabilizar o governo no Brasil… e que saberão fazer isso de forma sutil, ‘nos bastidores’.

    Não podemos dar bobeira, com o risco de quando formos perceber, já ser tarde demais…

Renato Santos

26 de junho de 2013 às 13h00

Bacana intervenção do Emir Sader, lúcida e apontando um caminho. Fica a pergunta: esse governo da D.Dilma está com nós, ou com o Zé Cardoso, Paulo Bernardo e Helena Chagas???? Dentre outros … É hora de definir: concilia ou rompe.

Responder

    Mardones

    26 de junho de 2013 às 15h26

    Definitivamente com Cardozo, Bernardo, Hoffmann, Chagas, Alves e todos os conservadores religiosos juntos.

    Isso já ficou claro. Tanto que Sader fala no desafio da esquerda e não propriamente do governo. Já que este fez suas escolhas. E foi pelos acordos de gabinetes, sem ouvir os trabalhadores, por exemplo.

Mauro Assis

26 de junho de 2013 às 12h46

Emir, meu caro! Quem mandou o Lula eleger um poste que não sabe nem se expressar? Uma pessoa que convoca cadeia nacional duas vezes em uma semana e mais confunde que explica… fala em “plebiscito popular”! E existe outro tipo de plebiscito, meu Padim Ciço?!?

Até quando vai-se defender essa pessoa arrogante e despreparada que está ocupando a Presidência da República?

Volta Lula, pelamôr!

Responder

João Vargas

26 de junho de 2013 às 12h30

Ontem foi derrotada no Congresso por todos os partidos a PEC 37. A pressão das ruas obteve a sua primeira vitória, ou melhor, a segunda depois do cancelamento e redução do aumento das passagens. Foi um sinal de que os parlamentares sentiram a pressão e o clima é propício para a implementação das reformas desejadas. Os frutos começam a serem colhidos.

Responder

    Valdeci Elias

    26 de junho de 2013 às 13h56

    Essa foi a terceira vitoria da rua.
    A primeira foi o povo obrigar a Caixa Economica. a pagar antecipado e de uma unica vez o Bolsa Família.
    A segunda foi o cancelamento da passagem do onibus .

    FrancoAtirador

    26 de junho de 2013 às 14h36

    .
    .
    O que o Congresso fez foi abraçar

    a pauta escolhida pela Mídia:

    Copa 2014

    Câmara rejeita repasse de R$ 43 milhões à Telebras Copa [para infraestrutura de telecomunicações]

    :: Da redação
    :: Convergência Digital :: 26/06/2013

    A destinação de R$ 43 milhões ao Ministério das Comunicações – verba seria transferida para a Telebras – foi rejeitada pelo Plenário da Câmara nesta terça-feira, 25/06, por meio de um destaque do PPS.

    A oposição quis atender aos protestos das recentes manifestações nas ruas contra o investimento de dinheiro público nesses torneios.

    Todos os partidos da base aliada, menos o PT, também votaram contra os recursos.

    O dinheiro estava previsto para a contratação de serviços de tecnologia da informação e telecomunicações, como transmissão de vídeo e transporte de dados durante a Copa das Confederações 2013 e a Copa do Mundo 2014.

    O fornecimento dessa infraestrutura foi compromisso do Brasil na candidatura a esses torneios, incluindo a totalidade da rede, seus equipamentos e as comunicações de telefone, dados, áudio e vídeo necessários para as competições.

    O líder do PPS, deputado Rubens Bueno (PR), defendeu a rejeição das verbas por considerar que a MP não respeitou o critério de imprevisibilidade, conforme determina a Constituição.

    “A garantia [à Fifa] foi assinada em 2007, estamos em 2013, houve tempo suficiente para isso. Vamos votar contra, porque a MP não atende minimamente ao que o governo deveria ter planejado e executado no devido tempo”, declarou.

    No começo do ano, depois de um período de estranhamento, governo Dilma e Fifa acertaram que a Telebras, por meio da subsidiária Telebras Copa, prestaria os serviços de telecomunicações para a realização da Copa das Confederações Fifa 2013 e da Copa do Mundo Fifa 2014.

    O acerto foi definido na Medida Provisória nº 600, publicada em 28 de dezembro de 2012.

    (http://convergenciadigital.uol.com.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=34130&sid=8#.Ucsl6h37KAY)

FrancoAtirador

26 de junho de 2013 às 12h23

.
.
Não se deve tripudiar.
Mas é importante frisar:
Não foi por falta de aviso.
.
.
Entretanto, como desde sempre aconteceu,

é certo que alguns assessores de Dilma

[esses que, na hora do tumulto fascista,
vão se rebaixar nas páginas amarelas
da Revista Veja para os Civita chutarem
ou vão mendigar na porta da Rede Globo
para pedir pelo amor de Deus um arrego)

ainda tentem convencê-la de um diagnóstico

diferente desse que o Professor Emir expôs.
.
.

Responder

lidia virni

26 de junho de 2013 às 12h06

O Emir Sader, como sempre, perfeito. Nada a acrescentar, apenas rezar para que o governo leia essa excelente entrevista e reflita sobre o que o mestre falou. Pelo menos algo do que ele sugeriu já está sendo feito, a convocação de manifestaçaões dos movimentos sociais e partidos de esquerda, para se contrapor ao empenho ds direita em catalisar a seu favor as manifestações populares.

Responder

Mário SF Alves

26 de junho de 2013 às 12h01

Pois é. E dessa vez a coisa vem de fora, e tem vindo com força. Dessa vez é a vez do Cansei [até quando?]. Afinal é #changebraZil, #terrorismocontraobraSil ou #abutressobrevoamobraSil?

É… e por que essa bronca contra o Brasil? E, afinal, que bronca é essa? E justo agora, quando as políticas públicas do Brasil jamais foram tão includentes. E logo agora quando o Brasil já superou em muito a condição de capacho de interesses externos? Logo agora quando o Brasil mais se aproxima dos brasileiros?

Responder

    Valcir Barsanulfo

    26 de junho de 2013 às 13h02

    Essa aí meu caro, é a massa cheirosa que a nefasta grande imprensa tanto bajula.
    O “complexo de vira-latas” campeia a solta.

    Horridus Bendegó

    27 de junho de 2013 às 11h04

    MINHA DESPEDIDA DO FACEBOOK

    Estou saindo do Facebook

    Quero abandonar O Fluxo do Cinismo

    Não me reconheço nesse Gigante que dizem que acordou, mas está mais inconsciente do que um traumatizado em coma profundo!

    o Gigante é Parvo, Incauto, Inadvertido, Amestrado, Manipulado e pior … Dissimulado!

    Se diz manso e cordial, mas é o que mais mata no trânsito e … nas esquinas, semáforos, ruas, becos, vielas, alcovas, morros, favelas, barracos, maternidades, hospitais, lixões…

    É contra um Programa Social reconhecido por sua eficácia pela ONU e diversos países que o passaram a adotar (né, Bono Vox do U2?), mas não dá emprego a alguém que seja desdentado, roto, fedido (um rexona custa R$ 6,50, quase 10% de uma Bolsa Família mensal) e, sintomaticamente, depois de um acordo com a Inglaterra em 1821 para banir o tráfico escravo nesse mesmo ano, só o fez em 1857. (oficialmente, porque malandramente continuou a fazê-lo até às vésperas da lei Áurea).

    E hoje se sente mal na presença dos descendentes deles, aos quais se refere como “mistura”.

    A revista que o Gigante mais lê no Brasil é uma revista editada pelo capital da turma do Apartheid da África do Sul (por isso, sua edição desta semana tem a foto de 120 brasileiros dando opinião sobre os protestos de ruas e nenhum deles é negro! sequer pardo), e o Gigante ainda se condói da morte iminente de Nelson Mandela! (porque, como já dissemos, o Gigante é cínico, dissimulado)

    Ele acha (e quer) que o Brasil seja um Páis de 20 milhões de brancos e bem postos de vida,m quando na realidade o IBGE diz que somos 200 milhões!

    É contra a vinda de médicos cubanos (atenção: Só para os que repudiam MÉDICOS CUBANOS), mas não são seus filhos que adoecem e morrem porque na nauseabunda sociedade brasileira ainda vige o Apartheid da Casa Branca e da Senzala que, afinal, é a matriz cultural de seu modelo social.

    Quando esse Gigante deixar de ser dissimulado, falso, cínico, (duvido que aconteça enquanto eu for vivo, porque, como diz o Paulo Henrique Amorim, e eu subscrevo, o Brasil é canalha de longe) podem bater me minha porta.

    Vade Retro Gigante do Inferno!

    Nilza

    27 de junho de 2013 às 12h26

    Horridus, também compartilho dessa sua indignação, mas pense bem, nessa hora nós temos de fazer a diferença e contrapor a esse Aparheid da Casa Branca e da Senzala. Vamos à luta. Nunca me esqueço do Escritor e Autor de teatro Plínio Marcos, que ousava escrever contra a ditadura e no final dizia:”Sei que nada vai acontecer, mas o meu grito eles vão ter de ouvir”.

    Mário SF Alves

    28 de junho de 2013 às 21h17

    Taí, Horridus, assim você põe a nu a grande síntese. Pois é. Sem reforma do Estado nada muda na história pregressa desse gigante. Desse gigante que um dia ainda há de ser o nosso País.
    _____________________________
    E haja mobilização social; haja protesto e haja clareza pra gente dar conta desse recado. Temos caminhado. Temos tentado a superação pacífica do maldito desenvolvimentismo capitalista que há séculos nos humilha, atordoa e sangra.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!