VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Política

Dr. Rosinha e Marcelo Zero: Mídia brasileira a serviço da Repsol e da Espanha


24/04/2012 - 18h11

por Dr. Rosinha e Marcelo Zero, especial para o Viomundo

A cobertura que a mídia brasileira tem feito da recente reestatização da YPF (Yacimientos Petrolíferos Fiscales), maior empresa de hidrocarbonetos da Argentina, está mais a serviço da Repsol e da Espanha do que a serviço do leitor brasileiro, que merece informação acurada, e que não brigue com os fatos.

Para confirmar essa avaliação, basta ler alguns editoriais, reportagens ou acompanhar o noticiário de rádio e TV no Brasil. De uma maneira geral, os meios de comunicação classificam a decisão do governo argentino de “injustificada”, “irracional”, “populista”, “ideológica”, “demagógica” e outros adjetivos menos elevados.

Alguns “analistas” afirmam que a Argentina tem uma “capacidade ilimitada de errar”, e que a medida levará o país vizinho ao isolamento político e econômico. Outros dizem também que a decisão de Cristina Kirchner prejudicará toda a região, afugentará novos investimentos e poderá atingir os interesses da Petrobras na Argentina.

Não raras vezes a cobertura é acompanhada pelo preconceito existente no Brasil, em relação à Argentina e aos argentinos, retratados como seres irracionais, sujeitos a arroubos passionais e irresponsáveis.

Ao contrário, porém, do que dão a entender as notícias veiculadas no Brasil, a população da Argentina recebeu bem o ato de reestatização e apoia a decisão. No domingo (22/4), o jornal “La Nación”, que não é de esquerda, divulgou uma pesquisa que mostra que 62% dos argentinos apoiam a decisão de Cristina. Entre os entrevistados, 26% afirmam estar “muito de acordo” e 36%, “de acordo” com a decisão. Segundo a pesquisa divulgada, 23% disseram estar “em desacordo” e somente 8% rejeitaram a medida.

Ora, a população argentina não é irracional. É, na média, mais bem informada do que nossos “analistas”. Há, de fato, razões sólidas para esse posicionamento.

A YPF foi privatizada em 1999 pelo governo neoliberal de Menem, que levou o país à pior depressão econômica da sua história, desempregando e empobrecendo milhões de argentinos. Agora, segundo o próprio “La Nación”, inclusive Menem concorda com a ação de Cristina Kirchner de reestatizar a companhia.

Assim como no Brasil do governo FHC, as privatizações na Argentina foram, em sua maioria, muito mal feitas. Além dos questionamentos relativos à lisura dos leilões e dos preços baixos que a venda do patrimônio público atingiu, os resultados da maior parte das privatizações foram custos muito altos para o consumidor e serviços de baixa qualidade. Outra consequência destas privatizações: a perda de controle sobre alguns setores estratégicos da economia e a falta de investimentos necessários para ampliar e melhorar serviços importantes.

Este péssimo resultado geral fez com que os governos de Néstor e Cristina Kirchner se vissem obrigados a intervir em alguns setores que haviam sido privatizados como, por exemplo, Águas Argentinas, os Correios e a Aerolíneas Argentinas. Em todos esses setores, o quadro era de sucateamento, ausência de investimentos e serviços de baixa qualidade.

Portanto, a reestatização de 51% das ações da YPF se insere em um quadro maior de tentativa de recuperação do controle da gestão estratégica de setores econômicos relevantes e de melhoria dos serviços prestados aos consumidores argentinos.

Na análise sobre a decisão argentina de intervir no setor de hidrocarbonetos do país, deve-se levar em consideração, em primeiro lugar, a grande dependência que o país tem, no que tange à produção de gás e petróleo. Cerca de 83% da matriz energética da Argentina está concentrada em hidrocarbonetos: 32% em petróleo e 51% em gás natural. No curto e médio prazo, essa dependência não deverá se alterar, pois a Argentina não tem grande potencial hidrelétrico a ser explorado e tampouco programas robustos de exploração da biomassa, como o Brasil possui.

Sob os auspícios da Repsol, entre 2008 e 2011, os argentinos viram a produção de petróleo cair 9% e a de gás natural, 10%. Concomitantemente, as reservas provadas de petróleo do país encolheram 4% e as de gás natural se reduziram em 19%, no período de 2007 a 2010.

Considere-se, adicionalmente, que essas reduções na produção interna vêm ocorrendo num quadro de significativo crescimento do PIB e da demanda por energia. No período 2002-2010, o crescimento médio real do PIB argentino foi de 8% e o incremento da demanda energética situou-se em 5% ao ano.

Sem dúvida alguma, essa crescente demanda se contrapõe ao estrangulamento energético que pode comprometer o desenvolvimento sustentado da Argentina e enterrar os planos de reconstrução da sua indústria doméstica, que havia sido muito fragilizada por décadas de liberalismo irresponsável.

O aumento da demanda e o estrangulamento da produção levaram à necessidade da importação de energia (hidrocarboneto e gás), o que acarretou um déficit expressivo (3,4 bilhões de dólares) na balança de comércio exterior de energia da Argentina, em 2011.

Tudo isso foi consequência, em boa parte, da inação da Repsol na Argentina. De fato, a Repsol não vinha investindo o suficiente para fazer frente às necessidades do desenvolvimento da Argentina. Ela preferiu remeter os lucros obtidos naquele país à sua matriz em crise. Imaginem se, no Brasil, houvesse a “Petrobrax” sonhada pelos neoliberais tupiniquins, e se tal empresa estivesse remetendo seus lucros para o exterior ao invés de investi-los na prospecção de novas jazidas, como as do pré-sal. Seria a mesma situação.

O objetivo do governo argentino ao reestatizar a YPF é, assim, recuperar sua “soberania energética” e superar os atuais gargalos de seu suprimento de energia, como o Brasil fez, com muito êxito. O recém-descoberto potencial de produção da bacia de Vaca Muerta, uma enorme jazida de shale gas, a terceira maior do mundo, uma espécie de pré-sal argentino, augura um grande futuro para a YPF estatizada, ao contrário do que dizem os “analistas” da mídia brasileira, desinformada e desinformadora.

Mas nem todos no Brasil compartilham da visão desinformada da velha mídia. Um dos antigos defensores da redução do Estado e das privatizações, Luiz Carlos Bresser Pereira reviu suas posições anteriores e passou a ser um crítico daquilo que defendia.

Bresser Pereira, no artigo “A Argentina tem razão” (Folha de São Paulo, 23/04/12), afirma que “não faz sentido deixar sob controle de empresa estrangeira um setor estratégico para o desenvolvimento do país como é o petróleo, especialmente quando essa empresa, em vez de reinvestir seus lucros e aumentar a produção, os remetia para a matriz espanhola”.

De fato, deixar um setor estratégico sob controle de uma empresa estrangeira que não investe no país só faz sentido para boa parte da mídia brasileira.

O atual governo argentino tomou uma decisão perfeitamente racional e razoável, ao contrário do que insinuam analistas da velha mídia. Esta sim, manipuladora e desinformada, pratica uma espécie de populismo midiático conservador.

Ao invés de informar, as empresas de mídia tentam deformar os fatos e conformar a sociedade de acordo com os seus próprios interesses. Para além de desinformar os cidadãos comuns, o populismo midiático busca defender interesses de investidores privados que não têm compromisso com o desenvolvimento de nossa região.

Dr. Rosinha, médico com especialização em Pediatria, Saúde Pública e Medicina do Trabalho, é deputado federal (PT-PR). No twitter: @DrRosinha

Marcelo Zero, sociólogo, é assessor da bancada do PT no Senado Federal.

Leia também:

Santayana: Dar aos espanhóis o tratamento dado por eles aos brasileiros



Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

O lado sujo do futebol: Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - O lado sujo do futebol e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


54 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Afonso

26 de abril de 2012 às 16h38

Nossa imprensa em geral está pior que mendigo. Imagina se ela não vai defender os interesses das REPSOIS da vida. Ou Vs. acham que ela vai arriscar a ficar sem as esmolas das VIVOs e etc.?

Responder

Mídia brasileira a serviço da Repsol | Viva Marabá Carajás Brasil

25 de abril de 2012 às 13h03

[…] Mídia brasileira a serviço da Repsol var cid= 8495; Tweet (function() { var s = document.createElement('SCRIPT'), s1 = document.getElementsByTagName('SCRIPT')[0]; s.type = 'text/javascript'; s.async = true; s.src = 'http://widgets.digg.com/buttons.js'; s1.parentNode.insertBefore(s, s1); })(); 0 comments Por Dr. Rosinha e Marcelo Zero, no blog Viomundo: […]

Responder

EUNAOSABIA

25 de abril de 2012 às 12h22

A quantidade de insanidades que essa gente é capaz de produzir não têm limites mesmo.

A Argentina já foi um dos países mais ricos e prósperos do mundo, tinha índices econômicos e de IDH superiores a França, Inglaterra, Noruega e outros… e como a Argentina se transformou no que é hoje? foi graças ao Peronismo, mesmo partido e modo de fazer política deste governo atual, populistas de meia pataca e incompetentes, essa é a verdade.

Esses que responderam que apóiam essa atitude totalmente irresponsável e populista foram os mesmos que apoiaram nas ruas de forma quase inacreditável a invasão das Malvinas, lembrando que os esquerdistas tabajaras e que apóiam o regime dos Castros, de forma paradoxal também apoiaram Galtiere durante a invasão.

Mal sabiam eles que não estavam declarando guerra a Inglaterra e sim aos EUA e OTAN… pobres diabos mesmo… lembram do bombardeiro Vulcan (leva armas nucleares) que cometeu um "erro" de rota e foi parar no Rio de Janeiro e que acabou sendo interceptado por dois caças da FAB? aquilo era uma mensagem… como é que um avião sai mais de 1000 Km da rota? a mensagem era: "Podemos atingir Buenos Aires se quisermos” .

Eu nem vou me alongar… não vale a pena.

Será que quem escreveu isso apóia as restrições que Cristina impõe ao Brasil? Mais de 1000 tratores, caminhões e ônibus que não entram no país por conta do “governo exemplar” da Cristina Quixiner?

Em tempo: O Barril de petróleo custa U$ 120 no mercado internacional, o governo Argentino pagava U$ 60 a YPF, mas é claro que disso ninguém fala.

Responder

RONALD

25 de abril de 2012 às 10h42

Acho muito blá…blá…blá….cortina de fumaça como foi capa da veja
O PT é governo a mais de 8 anos e não faz nada prá melhorar essa porcaria de merdia que temos aí. Porque o DR. rosinha não faz pressão no sumido do bernardo enroladol que está sentado em cima do projeto de regulação da mérdia que foi deixado no governo LULA ? O prazo prá entregar o projeto ao congresso dado pelo bernardo não era até o final do ano passado(2011)?
Com relação a regulação da mérdia o PT vem enrolando já faz muito tempo. 8 anos de LULA e já quase 2 anos da DILMA.

Responder

Adilso C Fonseca

25 de abril de 2012 às 10h39

só faltava dizer que o Messi foi mal e a culpa da desclassificação do Barça, terem sido por causa da reestatização da YPF

Responder

Henrique Neves

25 de abril de 2012 às 10h19

Não respeitar contratos é uma coisa muito séria. Isso, em menor proporção, equivale a um golpe militar. Golpe esse, que muitos aqui criticam. Contratos existem e devem ser cumpridos, ou ao menos, renegociados com comum acordo.

Responder

Guanabara

25 de abril de 2012 às 10h18

Eu mudaria o título: mídia brasileira a serviço dos grandes capitalistas mundiais (como sempre foi… independente de credo, raça e nacionalidade. Tem $$? Tô puxando o saco e tentando faturar um depois em cima disso).

Responder

Ana Cruzzeli

25 de abril de 2012 às 10h11

Disse tudo Dr Rosinha, disse tudo.
Interesses inconfessáveis por parte da midia nativa é que provoca essa série de erros nos analistas-de-programa.
Como tudo que eles dizem são provados depois que era manipulação, veremos que os lucros não remetidos para a Espanha ficando aqui na região continuará a revolução latino-americana.

CONGRESSISTAS como esse Dr. Rosinha é que o povo brasileiro merece. Tem muita conhecimento esse parlamentar. Sabe o que está em jogo e não fica em cima do muro quando defende os interesses da região.

Somos todos Argentina, somos todos Cristina e sim somos todos Dilma que sabia o que estava em jogo em 2010.

Responder

    Jotace

    25 de abril de 2012 às 14h56

    Prezada Ana,

    Não creio que o Dr. Rosinha e seu assessor Dr. Marcelo tenham dito o que, na realidade, os brasileiros independentes desejavam. Não é aprovando tudo que se deve colaborar com o governo, mas fazer-lhe críticas sempre que se mostarem fracos, hesitantes em atender os anseios da nacionalidade.

    Cordial abraço, Jotace

paaulo

25 de abril de 2012 às 09h56

Manda esse texto pró Bonner Simpson ler no JN, e para a Renata do Bom dia Brasil.Globo e vc tudo a NÃO VER

Responder

Marat

25 de abril de 2012 às 09h33

Imaginemos que a fonte pagadora do PIG (CIA) seque, tal qual uma cachoeira moribunda… como será que eles agiriam?

Responder

Fabio SP

25 de abril de 2012 às 08h10

O único país que tem uma empresa sua estatizada por outro país e fica feliz é o Brasil…

Responder

    Rodrigo

    25 de abril de 2012 às 09h12

    Na mosca: a pátria do Dr. Rosinha é a esquerda. Então pode tomar a Petrobrás, gasodutos e até as cuecas, desde que seja da esquerda. E claro, com aquelas pitadas de loteamento de cargos de confiança.

    É a evolução da privatização: privatizando para um grupo político, além das nações.

Tiago Tobias

25 de abril de 2012 às 05h18

O pig defende suas posições. Sempre de 4.

Responder

    Marat

    25 de abril de 2012 às 09h32

    Perfeita colocação…

bentoxvi-osanto

25 de abril de 2012 às 04h07

Azenha.

Tem um ditado que diz : " Para uma mentira ter credibilidade…até o proprio mentiroso tem que acreditar nela "

Responder

Elias

25 de abril de 2012 às 02h33

"Yo tengo tantos hermanos…Que no los puedo contar…Y una hermana muy hermosa…Que se llama libertad"

de Atahualpa Yupanqui, pseudônimo do compositor portenho Héctor Chavero

Viva a Argentina! Vida longa a Cristina de Kirchner!

Responder

    Jotace

    25 de abril de 2012 às 15h17

    Belissimos os versos, Elias! Como você, saúdo com eles o povo-irmão da gloriosa Argentina e sua Presidente, Cristina, a Redentora…Muito desejo, como brasileiro, ver a nossa Dilma ocupando um pódio semelhante!Abraços, Jotace

Marat

24 de abril de 2012 às 23h56

Não seria mais fácil o PIG todo mudar-se para Maiami (escrevo assim mesmo – é de propósito!), e ali arrumar algum servicinho junto aos estadunidenses endinheirados, e nos deixar em paz, por aqui? Afinal de contas, somos 159 milhões de habitantes sérios e honrados, e eles são, no máximo, 1 milhão de presepeiros, vendidos e lesa-pátrias…

Responder

    MARCELO

    25 de abril de 2012 às 12h01

    Vai assistir o Glee,Marat.Já está perdendo o começo do episódio.kkkkkkkkkkkkkkk

    Marat

    25 de abril de 2012 às 14h32

    Juro que nunca assisti, nem ouvi falar desse programa, mas vou procurar saber. Abraços

Marat

24 de abril de 2012 às 23h54

Cristina, sozinha, é milhões de vezes mais inteligente e sutil que todo o PIG brasileiro junto!!!!!!!!!!!!!!!

Responder

    Adilson

    25 de abril de 2012 às 11h31

    Excelente, Marat!!!

Jonas Resende

24 de abril de 2012 às 23h22

Valeu, Cristina, estamos com você!!!!

Responder

pperez

24 de abril de 2012 às 21h30

Não tem motivo algum para a Argentina continuar se ferrando para financiar a matança de elefantes pela aristocracia Espanhola!
Quem refresca rabo de pato é lagoa e o exocet da Cristina atingiu em cheio o alvo!

Responder

bene nadal

24 de abril de 2012 às 20h51

Essa midiazinha de esgoto brasileira, não é mais "apenas sem vergonha", é sim; nogenta, e podre, fede como "m", ou seja aquilo que é de verdade. Que me perdoem as raras excessões.
A Sra Cristina Kichnner é uma eroína, e se lhe entregassem a espanha nas mãos, os espanhois seriam muito mais felizes.

Responder

    Mariac

    25 de abril de 2012 às 11h46

    NOJENTA É COM JOTA E JEROÍNA É COM H.

    Conceição Lemes

    25 de abril de 2012 às 12h25

    Mariac, letras minúsculas nos comentários, por favor. abs

    coutinho

    25 de abril de 2012 às 14h58

    Com jota ou sem jota; com h ou sem h, a nossa mídia se comporta como dizem os articulistas. Está a serviço do entreguismo há muitos anos.

Senão

24 de abril de 2012 às 20h38

Um senão ao texto: os lucros das estatais brasileiras estão indo para o mesmo buraco. É que são canalizados para o pagamento da questionável, ilegítima e inconstitucional dívida pública brasileira. Isso não é dito… Ou seja, os lucros da Petrobrás estão sendo petroxizados. A omissão quanto à auditoria da dívida (art. 59 do ADCT), inclusive objeto da ADPF (AdormecenDo nas Pernas de um Funcionário, ou melhor, Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental) nº 59, no STF há alguns anos, desvela a baixíssima constitucionalidade brasileira.

Responder

    Jotace

    24 de abril de 2012 às 23h30

    OUTRO SENÃO…

    O Deputado Dr. Rosinha e o Sr. Marcelo Zero, desenvolveram um texto bem elaborado e longo no qual, além de alguns dados, foram expendidas considerações gerais, um tanto estratosféricas, sobre o comportamento da grande mídia brasileira. Ainda que o artigo tenha sido adequado ao momento argentino e até destacado de alguma forma a ação corajosa, patriótica, da Presidente Cristina, quase que deixa de mencionar o problema brasileiro. Omite o trabalho qualquer referência sobre as atitudes que o Governo Dilma deveria tomar no sentido de que a nação brasileira não só recupere as grandes empresas de importância estratégica (caso da Vale do Rio Doce, das telefônicas espanholas, por exemplo), mas seja ressarcida pela pilhagem descarada que começou no (des)governo do FHC e que continua desde então. Jotace

Adir Tavares

24 de abril de 2012 às 20h32

Como Dilma, sou Cristina.
Graça a D'us existem essas mulheres!

Responder

    Jotace

    25 de abril de 2012 às 00h13

    Calma, Adir! É bom esperar mais um pouco, mas bem antes que cheguem as próximas eleições, o tempo das promessas. Bater palmas simplesmente não resolve, há que reestatizar e lograr o ressarcimento das pilhagens que vêm ocorrendo impunemente por parte das transnacionais. O governo Dilma precisa agir ! Abraços Jotace

ratusnatus

24 de abril de 2012 às 20h06

Eles estão é a serviço deles mesmo. É uma questão de princípio ideológico.
Não interessa se a argentina tem razão. Eles simplesmente não concordam ideológicamente com a solução.

Responder

Gersier

24 de abril de 2012 às 20h05

Novidade seria o contrário.Esses salafrários entreguistas estão acostumados a abanar o rabo para os interesses dos Estados Unidos e paises da Europa,pouco se importando que empresas desses paises prestem um péssimo serviço e ainda extrapolem na exploração dos bens que pertencem de fato e de direito à população.É o famoso complexo de vira latas,que penso eu,tem mais auto estima que esses imbecis.

Responder

Renato M

24 de abril de 2012 às 19h43

Tem que estatizar sim. Com o imperialismo não existem medidas conciliatórias. A Espanha tem um rei que não passa de energúmeno que foi indicado pelo famigerado general Franco. Felizmente estou vivendo para ver a derrocada do império Americano e o ocaso da Europa. As privatizações dos anos 90 levadas a cabo pelo entreguista Fernando Henrique Cardoso é um chaga que teremos que carregar por muito tempo. Salve Cristina, salve Chaves, salve Correia e salve Evo que têm coragem de bater de frente com os impérios.

Responder

Gustavo Pamplona

24 de abril de 2012 às 19h41

Já que estão falando em manipulação da mídia acho que nós deveríamos bater palmas (clap, clap, clap) para o Ari Peixoto. Aquele ali foi escalado pela Globo (JN) para cobrir a CPI do Cachoeira.

Anda merecendo o troféu Rodrigo Boccardi (*) de jornalismo manipulativo, eu nunca vi alguém ser tão parcial e omitir o que realmente interessa… ontem… nem falaram que a Dilma abriu as contas com a construtora Delta e entupiu (de acordo com o PHA) a CPI da Globo.

Alguns de vocês aqui provavelmente conhecem este blog… mas quem não conhece… visitem: "Curso Básico de Jornalismo Manipulativo" -> http://cbjm.wordpress.com/

(*) Foi o que provou que uma moedinha de 1 real poderia causar uma aquaplanagem numa pista, estou falando do segundo "caos áereo", o acidente da TAM. Depois disto… ganhou uma passagem de ida para os EUA e agora virou correspondente lá.

—-
Desde Jun/2007 clap, clap, clapando jornalistas manipuladores no "Vi o Mundo"! ;-)

Responder

Leider_Lincoln

24 de abril de 2012 às 19h39

Vergonhoso! Simplesmente vergonhoso… Aqui na escola em que trabalho resolveram assinar a FSP! Pelo menos dá para usar as matérias e explicar como se faz manipulação e distorção da verdade…

Responder

    Mariac

    25 de abril de 2012 às 11h48

    COM DINHEIRO PÚBLICO, NÉ? EXIJA PLURINOTICIAS ENTÃO, E NÃO FAÇA LAVAGEM NOS CÉREBROS JOVENS DE SEUS ALUNOS

pperez

24 de abril de 2012 às 19h39

Se o Farol de Alexandria teve o desplante de ir no quintal do comandante Chávez para apoiar seu adversario! imagine o que os demais membros do bando podem fazer por aqui!

Responder

Marcos

24 de abril de 2012 às 19h31

Não faz tanto tempo, devastaram cruelmente as Américas, com suas armas, cavalos, padres, espadas, cruzes, doenças. Por onde passaram não restou vida. Até hoje nenhum descendente das vítimas foi indenizado. Argentina não deve pagar 1 centavo aos colonizadores.

Responder

    Mariac

    25 de abril de 2012 às 11h49

    A Argentina deve sim é chamar todos os veículos de comunicação, parceiros, no mundo e falar, falar, falar, falar,

Masan

24 de abril de 2012 às 19h25

Até quando teremos de suportar essa gentalha dos "meios de desinformação"???

Responder

Luiz Fortaleza

24 de abril de 2012 às 19h11

GENTE AGORA É O AECIO NEVES ENVOLVIDO COM O CACHOEIRA. A PEDIDO DO DEMOSTENES ELE DEU UM EMPREGO PRA PRIMA DO CACHOEIRA… E A IMPRENSA DA FOLHA SP NÃO FALA NADA. OH IMPRENSA NOJENTA.

Responder

Fabio_Passos

24 de abril de 2012 às 19h04

<img src=http://www.cartamaior.com.br/arquivosCartaMaior/FOTO/89/foto_mat_34783.jpg>

Responder

    Sérgio Ruiz

    25 de abril de 2012 às 17h39

    kkkkkkkkkkk, boa Fábio, mas não é só o pig, os fundamentalistas neo-liberais também. Viva a ARGENTINA.

    Fabio_Passos

    26 de abril de 2012 às 07h08

    Este Marignoni é muito divertido.

Fabio_Passos

24 de abril de 2012 às 18h51

Dr Rosinha acerta em cheio.
A mídia-lixo-corporativa – rede globo / quadrilha veja / fsp / estadão – continua seu trabalho ininterrupto tentando idiotizar a população brasileira.

A velha mídia defende descaradamente os interesses do capital. Pouco importa se o capital teve atuação predatória e lesiva aos interesses da nação Argentina.

Estas oligarquias midiáticas são completamente corruptas. A verdade não interessa… só interessa receber uma remuneração gorda dos anunciantes.

Só que agora os tempos são outros. As pessoas se informam na rede e encontram com facilidade as mentiras e as informações omitidas por globo, veja, estadão, fsp e outros lixos.

E não tenho dúvida de que um processo de re-estatização no Brasil, recuperando cias estratégicas entregues pelo governo neoliberal corrupto do finado fhc, seria comemorada por uma imensa maioria dos brasileiros.

Responder

    Jotace

    25 de abril de 2012 às 00h06

    Caro Passos,

    No meu modesto entender, creio que os autores ficaram devendo. É um texto longo e bem elaborado o que fizeram, mas que tece considerações um tanto flor de laranja, sobre o comportamento da mídia particularmente no caso do nosso país que tem feição tão grave ou ainda maior que o do país irmão. Creio que, mesmo en passant, os responsáveis pelo texto poderiam abordar a necessidade da recuperação de grandes empresas de importância estratégica com o ressarcimento decorrente da pilhagem descarada que praticam, como é bem o caso da Vale do Rio Doce e das telefônicas espanholas, só para citar algumas. Abraços, Jotace

    Fabio_Passos

    25 de abril de 2012 às 07h25

    Não tenho dúvida.
    São raros os políticos que defendem abertamente a re-estatização das cias estratégicas roubadas do Brasil durante o saque neoliberal.

    Jotace

    25 de abril de 2012 às 15h07

    É isso mesmo, caro Fábio. O povo deve estar mais que atento quanto ao malabarismo das palavras dos políticos. Não pode ser consagrada a miséria praticada contra o povo brasileiro pela outorga das grandes riquezas nacionais aos piratas, sejam alienígenas ou não. Abs, Jotace

Rafael

24 de abril de 2012 às 18h41

Bem explicada a razão para reestatização da YPF.

Responder

Bonifa

24 de abril de 2012 às 18h32

Não adianta lutarem contra a maré. Os liberais fracassados não podem mais conduzir a opinião pública. Cristina hoje é uma heroina até mesmo para o próprio povo espanhol.

Responder

    renato

    24 de abril de 2012 às 21h23

    Não sei se a espanha merece um herói.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!