VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Política

Alckmin cancela as “varreduras” da Prodesp


09/09/2011 - 09h54

Governador cancela varreduras da Prodesp

Alckmin diz ter suspendido vínculo com empresa contratada para fazer monitoramento de ligações telefônicas porque acordo foi feito sem licitação

09 de setembro de 2011 | 0h 00

Fernando Gallo – O Estado de S.Paulo

O governador Geraldo Alckmin afirmou ontem que a Companhia de Processamento de Dados do Estado de São Paulo (Prodesp) rescindiu no dia 1.º de setembro o contrato que mantinha com a Fence Consultoria, empresa que faz varreduras contra grampos clandestinos. O encerramento do contrato não foi publicado no Diário Oficial e se deu após a reportagem do Estado ter procurado as assessorias de comunicação da Prodesp, da Secretária de Gestão Pública e do próprio governo em 22 de agosto em busca de informações sobre as ações da Fence no governo.

O Estado revelou ontem que a Fence foi contratada em julho de 2008, na gestão do ex-governador José Serra (PSDB), e que a última renovação de contrato ocorreu em julho deste ano, já na gestão Geraldo Alckmin.

O atual governador afirmou que não tinha ciência do contrato e ordenou seu encerramento porque a empresa foi contratada sem licitação. “Eu não tinha a informação. Quando tomei conhecimento, mandei rescindir, pela simples razão de que tem uma determinação do governo que é não contratar sem licitação. Não há hipótese”.

Questionado se a falta de licitação era o único problema, o governador disse: “O trabalho era um trabalho interno da Prodesp. Ela poderá detalhar melhor”. A reportagem procurou a Secretaria de Gestão Pública para saber por que o contrato foi feito e renovado sem licitação, dada a determinação do governador. A secretaria se limitou a repetir que a contratação obedeceu aos dispositivos da Lei de Licitações e foi julgada regular pelo Tribunal de Contas do Estado. Segundo os termos do acordo, a Fence foi contratada para “serviços técnicos especializados em segurança de comunicações em sistemas de telefonia fixa” em “ambientes internos e externos”.

Segundo informou a Prodesp, a Fence somente monitorava suas linhas telefônicas, sem acesso a linhas ou a centrais de outros órgãos do governo.

Oposição. O deputado estadual Simão Pedro (PT) afirmou que o contrato do governo estadual com a Fence é um assunto “de extrema gravidade” e disse suspeitar de um esquema de escutas clandestinas em órgãos públicos. “Precisam ser investigados a fundo a sua legalidade e o tipo de serviço que foi feito”, ressaltou. “Contratar uma empresa dessas sem licitação para fazer varreduras é uma temeridade. Por trás disso pode estar escondido um esquema de escutas telefônicas em instituições públicas como a própria Assembleia”.

O deputado informou que fará uma representação pedindo ao Ministério Público que investigue o caso e cogita pedir a abertura de uma CPI. “A CPI teria condições de investigar com mais profundidade esse serviço sobre o qual a Prodesp não quis informar muita coisa. O MP também tem de investigar o caso.”

O proprietário da Fence é Ênio Gomes Fontenelle, coronel reformado do Exército que foi chefe da área de comunicações do extinto Serviço Nacional de Informações (SNI). A Fence foi contratada pelo Ministério da Saúde na gestão Serra.

Em 2002, integrantes do então Partido da Frente Liberal (PFL) – atual DEM – atribuíram a uma escuta clandestina feita pela empresa a origem da operação da Polícia Federal que descobriu R$ 1,4 milhão no cofre da empresa Lunus, de propriedade de Jorge Murad, marido da então governadora do Maranhão, Roseana Sarney, pré-candidata ao Planalto à época.

A quantia supostamente era destinada ao caixa da campanha presidencial de Roseana, que acabou não ocorrendo por conta do impacto da operação.

http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,governador-cancela-varreduras-da-prodesp,770214,0.htm

Leia também:

Vem aí, Privatas do Caribe (com mais detalhes sobre este caso)

Espionagem tucana contra os professores de Minas?

O discurso em que José Sarney denunciou a arapongagem

A investigação da polícia paulista sobre o PT

Vermelho: A arapongagem no Rio Grande do Sul

Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - A mídia descontrolada e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


24 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Viomundo e NaMariaNews perguntam: Kassab o que você mais sabe? | Viomundo - O que você não vê na mídia

16 de setembro de 2011 às 23h21

[…] No artigo Alckmin cancela “varreduras” da Prodesp, publicado em 9 de setembro, o leitor Nico Guillon […]

Responder

Nico Guillon

10 de setembro de 2011 às 17h49

Só pra vocês terem a memória refrescada, é bom ir ao excelente NaMaria News, porque ela foi a primeira a dar esta informação em toda "imprensa" , NÃO FOI O ESTADÃO (primeiro em 17/setembro/2010, segundo em 22/setembro e terceiro em 25/outubro). Entre outras obscenidades e maravilhas ela revela pontos obscuros dignos de maiores investigações. Leia um trecho de um dos 3 textos do NaMaria News:

"O NaMaria News foi o primeiro que mostrou os contratos do candidato José Serra, ainda governador de São Paulo, entre a PRODESP e a empresa Fence Consultoria Empresarial LTDA, de propriedade do ex-dirigente do SNI, o coronel reformado do Exército Sr. Ênio Gomes Fontenelle, em dois textos (Coincidências do Dossiê 2002 nos Negócios de SP, e Os contratos da Fence com o Governo de SP). A assinatura do maior contrato, sem licitação, foi em 27 de maio de 2008 (o tal 014/2008), por R$ 858.640,00, fora os extras. Nele está previsto que se buscará por "intrusões eletrônicas" dentro das áreas da PRODESP, em 113 ramais de PABX e 7 linhas diretas, além de 60 salas. Mas também prevê que pode-se procurar em áreas fora de sua sede – ou em outras localizações de seu interesse. A PRODESP cuida de toda, eu disse toda a rede de dados do Estado de São Paulo, com o tal INTRAGOV (a internet governamental)."

Ler mais: http://namarianews.blogspot.com/search/label/Fenc… (tag para os 3 textos sobre o assunto).

Só agora isso vem à baila? Justamente UM ano depois da revelação do NaMaria News? Tá bom.

Responder

O_Brasileiro

10 de setembro de 2011 às 11h46

Vem ai a Marcha Contra a Corrupção em São Paulo…

Responder

Polengo

09 de setembro de 2011 às 23h19

Peraí, contratar empresa pra verificar se tem grampo… isso é muito revelador, os caras só pensam nisso e funcionam assim.
Sem licitação ainda, é a cereja em cima do bolo.

Responder

Augusto

09 de setembro de 2011 às 15h44

Fazer obras do PAC sem licitação nummmmm póóóóóóóóóóóóde… (atenta contra a democracia!!!)

Tucano contratar sem licitação póóóóóóóóóóóóde…

Responder

    Rafael

    09 de setembro de 2011 às 19h57

    Problemas dos tucanos e isso não é justificativa para qualquer desvio. A globo sempre vai abafar os casos do psdb.

El Cid

09 de setembro de 2011 às 15h02

olha que interessante:

"TÁ TUDO GRAMPEADO !!"

O site Poder Online, do IG ( http://colunistas.ig.com.br/poderonline/2011/06/1… ) , levantou há dias a possibilidade de continuar existindo um sistema de escutas clandestinas ligadas ao serrismo e ao prefeito Gilberto Kassab:

“Os próximos rounds da luta declarada pelo prefeito Gilberto Kassab a seus adversários promete momentos de revelações e deve ocorrer, na avaliação de políticos paulistas, na campanha eleitoral do ano que vem.

De acordo com testemunhas do primeiro destempero público do prefeito Gilberto Kassab, revelado por Poder Online e ocorrido no dia 23 de maio, nas Faculdades Metropolitanas Unidas, durante palestra sobre bullying, ele travou o seguinte diálogo com o deputado Gabriel Chalita (PMDB-SP):
– Eu vou quebrar o seu pescoço, o do [Geraldo] Alckmin, do Alexandre [Moraes] e o do Rodrigo [Garcia].
– O que é isso Kassab ? – teria dito Chalita, surpreso com a agressividade do prefeito.
– Tá tudo grampeado – respondeu Kassab.
– Grampeado o quê? Você está me ameaçando? – devolveu o deputado.
Dali pra frente foi Kassab acusando Chalita de fazer e acontecer contra ele e Chalita dizendo que nunca tinha feito nada. Aí o ministro Marco Aurélio Mello, do STF, que mediaria o debate sobre bullying, chamou os dois para começar o evento.
E mais.
No diálogo, se é que a definição seja esta, de quarta-feira, no gabinete do secretário de Desenvolvimento Social, Rodrigo Garcia, Kassab ameaçou:
– Eu sei seus podres.
E ouviu:
– Se eu tenho podres foram feitos ao seu lado.
Muita gente ouviu também. Chalita e Rodrigo Garcia preferiram não comentar os fatos. Alckmin também, de acordo com sua assessoria, calou-se.”

Responder

    EUNAOSABIA

    09 de setembro de 2011 às 21h46

    Tá ficando assanhado hein Quac?

    El Cid

    09 de setembro de 2011 às 23h09

    é kassabista também, Piu-Piu?

Nassif: Deu tilt no tradutor do Estadão | Viomundo - O que você não vê na mídia

09 de setembro de 2011 às 14h12

[…] Alckmin cancela contrato. Eram “orelhudos”?   […]

Responder

MASTER BLASTER

09 de setembro de 2011 às 12h49

Parece que vão rifar o vampiro, hein? Tudo isso pra viabilizar a candidatura do Aécio "pó parar, governador" Neves? Essa eu quero ver!!!

Responder

José de Almeida

09 de setembro de 2011 às 12h47

Esse pessoal não dá ponto sem nó. Será que não estão tentando criar uma "vacina" para o livro do Amauri (Os Privatas do Caribe)? Afinal, pelo que li aqui no blog, um dos capítulos do livro revela justamente o esquema de espionagem montado pelo Serra. De repente, do nada, começam a falar numa empresa contratada para fazer varreduras blá blá blá…

Responder

    El Cid

    09 de setembro de 2011 às 14h57

    que coincidência incrível, não acha? esses crápulas não dão ponto sem nó, camarada !!

Alexei_Alves

09 de setembro de 2011 às 12h45

Que o Serra é podre a gente já sabia. O interessante é observar que na luta de Alkmin vs Serra, o estadão, pelo jeito, está pendendo agora para o chuchu. Possiveis razões: 1) viram que o Serra tem poucas chances de vencer a eleição para prefeito de SP. 2) O livro privatas do caribe vai acabar de uma vez por todas com o Serra 3) O governador de SP é que mantém os contratos de publicidade e compras sem licitação com o jornal…. enfim. O Serra já era.

Responder

El Cid

09 de setembro de 2011 às 12h14

em uma matéria do Estadão, os valores pagos a empresa Fence (contratada sem licitação) não constava no “Prestando Contas” (portal da transparência deles) do governo…Ou seja, cometendo provável crime de responsabilidade e ferindo a lei federal da transparência, aprovada em 2009, aonde todos os órgãos municipal, estadual e federal são obrigados a divulgar os pagamentos feitos à empresas e serviços.

Cadê o Ministério Público para verificar isso???

Responder

    EUNAOSABIA

    09 de setembro de 2011 às 21h46

    Sei.

Marcos C. Campos

09 de setembro de 2011 às 11h30

Então o Serra tem um "FBI" só dele ? Que velhaco, para se dizer pouco … para dizer muito é uma fábrica de dôssies que ficam na gaveta, quando interessa entregam às Vejas da vida fazerem "reporcagens" … Tá aí a "fonte" de várias matérias jornalisticas.

Responder

Eduardo Guimarães

09 de setembro de 2011 às 11h24

A mídia vai ter que tentar noticiar algo contra os tucanos para desmentir o Congresso do PT, que a acusou de tucana. Viram como é importante não ficar calado?

Responder

    Klaus

    09 de setembro de 2011 às 16h21

    A Veja já fazia isto na época do FHC, né? As várias capas da Veja na época do FHC denunciando corrupção no governo deviam ser por isto também, por causa de algum congresso do PT.

    Rafael

    09 de setembro de 2011 às 19h55

    Nisso você tem razão, mas acredito que o Eduardo quis dizer que cada vez mais a globo ´é vista como partido político e para tirar o foco faz alguam reportagem que não agrada ao ninho tucano, mas tudo muito combinado, bem superficial.

    Leider_Lincoln

    09 de setembro de 2011 às 22h13

    Várias? Foram 416 semanas e conseguiram 4 capas e você diz "várias"? Faça-nos o favor, não é mesmo?

    Paulo Roberto

    10 de setembro de 2011 às 10h15

    Não adianta , Leider. Esse tal de Klaus é leitor da Veja, não pensa por si só.

Regina Braga

09 de setembro de 2011 às 11h13

E depois, dizem que tucano não é araponga…Como não?

Responder

Andrade, Amaury

09 de setembro de 2011 às 11h08

CARACA!!!!!!!!!!! Azenha. QUER DIZER ENTÃO QUE ERA UMA EMPRESA PRESTANDO SERVIÇO PARA O ESTADO SEM LICITAÇÃO???? CADE O MINISTÉRIO PÚBLICO????

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.